Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira"

Transcrição

1 Produção de Ovos Comerciais Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira

2 Objetivos Identificar e compreender as peculiaridades da produção de ovos comerciais, assim como, as oportunidades, dificuldades e tendências do setor.

3 Introdução A avicultura de postura teve início de forma similar à avicultura de corte. O seu grande polo de desenvolvimento está na região sudeste e em especial no estado de São Paulo. O município de Bastos, localizado na microrregião de Tupã, é responsável por 19,9% da produção estadual de ovos e 6% da produção nacional. Migração oriental fortalecimento da atividade Fonte: Imagem de domínio público

4 Características Gerais As granjas são caracterizadas pelo lucro relativamente pequeno. Lucratividade depende do volume. Enfrente dificuldades junto a população (sistemas de criação em gaiolas) => BEA. Atualmente vem sofrendo modificações e adequações => Bioseguridade. Região de Andradina => características familiares de produção. Formação de integrações e cooperativas.

5 Distribuição Espacial: Produção de Ovos Fonte: Imagem de domínio público

6 Componentes Básicos da Granja Setor de produção (galpões de aves). Setor de preparo de alimentos (fábrica de rações, silos etc.). Setor administrativo. Setor sanitário (forno crematório, composteira, etc.) Setor residencial. Setor de apoio (oficinas) Setor de beneficiamento dos ovos.

7 Linhagens de Postura Fonte: Imagens de domínio público

8 Características das Poedeiras Diferenças entre linhagens => Várias empresas => diferenças produtivas e de padronagem de cores. Maturidade sexual precoce (busca pelo inicio precoce da produção e manutenção da postura). Evolução da postura: Alta produtividade => ovos/ciclo ovos (10 anos atrás). 90 a 180 ovos (aves de capoeira).

9 Características das Poedeiras A maioria das linhagens comerciais são de baixo consumo ração. Tem dificuldade em ganhar peso. O problema é maior em épocas quentes. Existe a necessidade constante de monitorar o peso vivo dos animais. Como medida de segurança é recomendado a manutenção de peso igual e/ou superior ao estipulado pelo manual da linhagem.

10 Manutenção do Peso Fonte:

11 Desempenho Fonte: SAKOMURA, s/d.

12 Híbridos de Postura Principais linhagens de postura comercial Características: Altamente produtivas; Baixo consumo de ração; Excelente conversão alimentar em ovos; Postura prolongada; Ovos com peso homogêneo. Linhagens nacionais: Bom desempenho, porém inferior as importadas.

13 Híbridos de Postura Gigante mundial na produção de linhagens de postura. Detentora de inúmeras marcas comerciais. As linhagens comerciais provenientes dos cruzamentos se transformam em marcas.

14 Linhagens de Postura Linhagens Hisex: White e Brown Plumagem e ovos brancos. Produção ovos (ave/80 sem.)= >355. Peso médio final => 1,69 kg. Conversão Alimentar => 2,12. Peso médio do ovo => 61,4 g. Idade a 50% produção= 145 dias. Plumagem e ovos marrons. Produção ovos (ave/80 sem.) => 352. Peso médio final => 2,00 kg. Conversão alimentar => 2,17. Peso médio do ovo => 62,5 g. Idade a 50% produção => 143 dias.

15 Linhagens de Postura Linhagens Isa: White e Brown Plumagem e ovos brancos. Produção ovos (ave/80 sem.) => 352. Peso médio final => 1,75 kg. Conversão Alimentar => 2,16. Peso médio do ovo 80 => 61,8 g. Idade a 50% produção= 141 dias. Plumagem e ovos marrons. Produção ovos (ave/80 sem.) => 351. Peso médio final => 2,00 kg. Conversão Alimentar => 2,14. Peso médio do ovo => 63,1 g. Idade a 50% produção => 143 dias.

16 Linhagens de Postura Linhagens Lohmann: Clássica (White) e Brown Plumagem e ovos brancos. Produção ovos (ave/72 sem.) => Peso médio final => 1,7 1,8 kg. Conversão Alimentar => 2,0 2,1. Peso médio do ovo => g. Idade a 50% produção= dias, Plumagem e ovos marrons. Produção ovos (ave/72 sem.) => Peso médio final = 1,7 1,8 kg. Conversão Alimentar= 2,0 2,1. Peso médio do ovo => 66,5 67,5 g, Idade a 50% produção = dias.

17 Linhagens de Postura Linhagens Hy-line: White e Brown Plumagem ovos brancos. Produção ovos (ave/60 sem.) => Peso médio final => 1,56 kg. Conversão Alimentar => 1,80 1,86. Peso médio do ovo => 63,6 g. Idade a 50% produção= 140 dias. Plumagem e ovos marrons. Produção ovos (ave/60 sem.) => Peso médio final => 1,97 kg. Conversão Alimentar => 1,99 2,04. Peso médio do ovo => 64,2 g. Idade a 50% produção => 140 dias. Fonte:

18 Sistemas de Criação São compostos por 2 tipos: Intensivo; Com acesso a piquetes (aves tipo caipira) Intensivo (sub divisão): Convencional/Piramidal (gaiolas suspensas); Vertical (gaiolas suspensas uma sobre as outras); Criadas no piso (BEA).

19 Sistemas de Criação Fonte: Imagens de domínio público

20 Composto por 3 fases distintas: I. Cria 1 a 8 semanas; II. III. Recria 9 a 18 semanas; Postura 19 a 80 semanas. Fases de Criação Obs: O sistema de criação é variável de acordo com a fase de criação, o que leva a práticas de manejo distintas. Fonte: Imagens de domínio público

21 Fases de Criação Sistemas de parceria, cooperativismo e integração. Alguns produtores (familiar) optam em receber as aves com 120 dias prontas para postura. Sistema integrado permite a especialização da criação. Grandes produtores => realização de todas fases de produção => barba, cabelo, bigode.

22 Instalações e Equipamentos Fonte: Imagens de domínio público

23 Cuidados na Elaboração do Projeto Terreno levemente inclinado. Orientado no sentido leste oeste. Instalações devem ser teladas e/ou fechadas evitando entrada de pássaros. Espaçamento entre galpões (mínimo). Largura (variável) entre 8 a 10 metros (relação com número de fileiras e andares de gaiolas). Comprimento variável. As gaiolas devem ser suspensas evitando contato direto com as fezes (50 a 70 cm do piso). Levar em consideração fases de produção em instalações separadas (100 metros distância).

24 Instalações e Equipamentos Produção em Gaiolas: Facilita o manejo; Permite altas densidades; Evita amontoamento de animais pela busca do melhor espaço de postura e/ou alimentação; Evita o acúmulo de sujidades nos ovos. Gasto na aquisição de gaiolas; Rejeição por parte da população (BEA).

25 Instalações e Equipamentos Produção no Piso/Piquetes: Produção de ovos com preço diferenciado. Produção de ovos orgânicos. Criação dos animais dentro do conceito de BEA. Redução do volume produzido. Dificuldades no manejo.

26 Gaiolas (Fase de Cria) Fase de cria em gaiolas (1 a 45 dias) Área/ave => 200 cm². Dimensão das gaiolas: 80 x 100 cm => 8000 cm² = 40 aves. Fonte: SAKOMURA, s/d.

27 Gaiolas (Fase de Recria) Fase de recria em gaiolas ( dias). Área/ave => 280 a 300 cm². Dimensão das gaiolas: 1000 cm comprimento 400 cm largura (450 cm altura). 7 aves/divisão ou 14/gaiola. Fonte: imagem de domínio público

28 Gaiolas (Fase de Postura) Fase de postura em gaiolas (125 dias p/frente) Área/ave => 600 a 630 cm². Dimensões: 100 cm comprimento x 50 cm largura (40 cm altura) => 8 aves/gaiola. Fonte: imagem de domínio público

29 Equipamentos para Cria e Recria Equipamentos Número/quantidade Fonte: Guia de Manejo da linhagem Lohmann LSL

30 Equipamentos para Postura Fonte: Guia de Manejo da linhagem Lohmann LSL

31 Galpões Características Gerais: Os galpões devem ter dimensão compatível com a produção; Devem ser construídos com materiais de custo reduzido e funcionais; Devem dispor de suprimento de água, ração, ventilação e instalação elétrica e esgoto; Devem permitir fluxo do processo e de pessoas que minimizam a contaminação (unidirecional contaminação cruzada).

32 Galpões (cria/recria) Criação no Piso: Largura de 8 a 10 metros; Criação tradicional em GAIOLAS 3 metros largura. Pé direito com mínimo de 2,80 metros; Comprimento variável com nº aves; Cobertura (amianto, cerâmica ou telhas termo isolantes); Lateralmente muretas com cortinas; Densidade cria/piso = aves/m². Densidade recria/piso = aves/m².

33 Galpões de Postura Tradicional (piramidal) Largura = 3,2 metros. 2,3 a 2,5 metros de pé direito. 2 fileiras de gaiolas de cada lado com um corredor central de 1 metro. Fonte: SAKOMURA, s/d.

34 Galpões de Postura (modernos) Os galpões mais modernos possuem sistemas automatizados. Os modelos de criação em gaiolas Piramidais e Verticais modernos são dotados: Esteiras transportadora de fezes; Esteiras de transporte de ovos; Sistema automático de acionamento da ventilação e de resfriamento; Abastecimento de agua e ração automatizado.

35 Galpões de Postura (coleta de ovos) Fonte: imagens de domínio público

36 Aparelho de Ovoscopia A ovoscopia é fundamental para garantir a integridade do ovo. Consiste na passagem do ovo pela luz => identificar ovos quebrados, trincados e pútridos. Ovoscopia => 100% dos ovos produzidos. Fonte: Imagens de domínio público

37 Lavadora e Secadora de Ovos Ovos são lavados rapidamente para retirar sujidades superficiais. Devem ser secos o mais rápido possível para evitar entrada de contaminantes. Fonte: Imagens de domínio público

38 Classificadora de Ovos Seleção dos ovos de acordo com o peso. Fonte: Imagens de domínio público

39 Granjas Automatizadas Parte 1 Fonte:

40 Granjas Automatizadas Parte 2 Fonte:

41 Obrigado pela atenção!

42 Referências EMBRAPA INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA. Manual de segurança e qualidade para a avicultura de postura, Disponível em: viculturadepostura.pdf. Acesso em: 10/09/2015. HY-LINE DO BRASIL. Guias de manejo Hy-Line W-36, Disponível em: Acesso em 12/09/2015. LANA, G. R. Q. Avicultura. Recife PB, editora rural, LOHMANN DO BRASIL. Guia de Manejo Lohmann, s/d. Disponível em: Acesso em: 14/09/2015. SANTOS, J.; TALAMINI, D.; MARTINS, F. Distribuição espacial da produção de ovos no Brasil, Disponível em: Acesso em: 10/09/2015. SAKOMURA, N.K. Produção de ovos comerciais, s/d. Disponível em: ucao_postura.pdf. Acesso em 10/09/2015.

Produção de Ovos Comerciais

Produção de Ovos Comerciais Introdução 1- Características das Granjas Modernas Produção de Ovos Comerciais Operação em grandes volumes: Lucro pequeno Crises cíclicas Plantéis acima de 100.000 aves Sistema tudo dentro / tudo fora;

Leia mais

Produção de Ovos Comerciais

Produção de Ovos Comerciais Produção de Ovos Comerciais Introdução 1 Características das Granjas Modernas Operação em grandes volumes: Lucro pequeno, Crises cíclicas, Plantéis acima de 100.000 aves; Sistema tudo dentro / tudo fora;

Leia mais

MANEJO DE MATRIZES PARTE I

MANEJO DE MATRIZES PARTE I FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS AVÍCOLAS Disciplina de Avicultura LAVINESP/FCAV MANEJO DE MATRIZES PARTE I Prof. Edney Pereira da Silva Jaboticabal

Leia mais

Manejo de Produção Avicultura Colonial. Fabiane Pereira Gentilini CaVG/IFSul Fernanda Gonçalves Medeiros GA/UFPel

Manejo de Produção Avicultura Colonial. Fabiane Pereira Gentilini CaVG/IFSul Fernanda Gonçalves Medeiros GA/UFPel Manejo de Produção Avicultura Colonial Fabiane Pereira Gentilini CaVG/IFSul Fernanda Gonçalves Medeiros GA/UFPel Poedeiras Fase de crescimento Fase de produção Período de formação (1ª a 16ª sem.) Período

Leia mais

MANEJO DE MATRIZES. Avicultura Allan Reis Troni

MANEJO DE MATRIZES. Avicultura Allan Reis Troni Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias Avicultura - 9070 MANEJO DE MATRIZES Allan Reis Troni allan_troni@yahoo.com.br 1 2 Assuntos Abordados Características de Matrizes

Leia mais

Valdy Bedê Médico Veterinário

Valdy Bedê Médico Veterinário Valdy Bedê Médico Veterinário Avicultura como Atividade Industrial Produção em Escala pintos, ovos e ração Surgimento do Sistema de Integração Década de 70 Ovo é banido da alimentação pelo seu teor de

Leia mais

Viabilidade econômica na Criação de Galinha Caipira

Viabilidade econômica na Criação de Galinha Caipira Viabilidade econômica na Criação de Galinha Caipira O diferencial Considerações Demanda crescente Carne e ovos; 2016 Aumento 30% consumo de carne ; Produto mais nobre que o industrial (reconhecimento do

Leia mais

Avicultura Frango de Corte Nome Frango de Corte Informação Produto Tecnológica Data Agosto Preço - Linha Avicultura Informações.

Avicultura Frango de Corte Nome Frango de Corte Informação Produto Tecnológica Data Agosto Preço - Linha Avicultura Informações. 1 de 5 10/16/aaaa 10:59 Avicultura Nome Informação Produto Tecnológica Data Agosto -2000 Preço - Linha Avicultura Informações Resenha resumidas sobre Autor(es) João Ricardo Albanez - Zootecnista Avicultura

Leia mais

Manejo de Formação das Frangas de Postura

Manejo de Formação das Frangas de Postura Manejo de Formação das Frangas de Postura Introdução Evolução no desenvolvimento das poedeiras; Maturidade sexual precoce; Diferenças entre linhagens; Problemas decorridos do amadurecimento mais precoce;

Leia mais

Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira

Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira Formação do Plantel Reprodutor Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira Objetivos Conhecer, compreender e executar as técnicas aplicadas nos programas de seleção

Leia mais

Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S.

Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S. Email: vigoderis@hotmail.com www.vigoderis.hol.es Permitir possível expansão Evitar obstrução

Leia mais

AULA 03 SISTEMA E REGIME DE CRIAÇÃO

AULA 03 SISTEMA E REGIME DE CRIAÇÃO AULA 03 SISTEMA E REGIME DE CRIAÇÃO III.1 - SISTEMA EXTENSIVO DE CRIAÇÃO DE SUÍNOS 1. Não há preocupação com a produtividade, os animais não são identificados; 2. Não existe controle reprodutivo; 3. Suínos

Leia mais

Alexandre P. Rosa EQUIPAMENTOS

Alexandre P. Rosa EQUIPAMENTOS EQUIPAMENTOS COMEDOUROS 4 Manuais 44Tubular Alexandre P. Rosa 44Automático 444Pratos Alexandre P. Rosa 444Para macho Alexandre P. Rosa 444Calha 4444Para macho Alexandre P. Rosa 4Pendular BEBEDOUROS Alexandre

Leia mais

Boas Práticas de Higiene no manuseio de Alimentos visando a obtenção de alimentos seguros

Boas Práticas de Higiene no manuseio de Alimentos visando a obtenção de alimentos seguros Boas Práticas de Higiene no manuseio de Alimentos visando a obtenção de alimentos seguros O Vigilante Sanitário http://ovigilanatesanitario.wordpress.com E mail : ovigilantesanitario@hotmail.com Cada segmento

Leia mais

ALTIMETRIA. O que é topografia? PLANIMETRIA. A topografia divide-se em em:

ALTIMETRIA. O que é topografia? PLANIMETRIA. A topografia divide-se em em: ALTIMETRIA O que é topografia? É a ciência que tem como objetivo representar, no papel, a configuração de uma porção de terreno com as benfeitorias que estão em sua superfície. Permite a representação

Leia mais

Nutrição de Poedeiras

Nutrição de Poedeiras Nutrição de Poedeiras Edney Silva Zootecnista Nutrição de Poedeiras Breve introdução Modelos utilizados na tabela brasileira Utilização de software Objetivo Programa Alimentar 0-6 semanas 7-12 e 13 a 18

Leia mais

Principais raças e suas. Prof. Dr. Leandro Barradas Pereira

Principais raças e suas. Prof. Dr. Leandro Barradas Pereira Principais raças e suas características ZOOTECNIA DOS MONOGÁSTRICOS Prof. Dr. Leandro Barradas Pereira 02-05-16 OBJETIVOS Descrever as raças de aves exploradas na avicultura. Identifi car marcas comerciais

Leia mais

FATORES QUE INFLUENCIAM NA ESCOLHA DA ESTRUTURA E EQUIPAMENTOS A SEREM IMPLANTADOS

FATORES QUE INFLUENCIAM NA ESCOLHA DA ESTRUTURA E EQUIPAMENTOS A SEREM IMPLANTADOS FATORES QUE INFLUENCIAM NA ESCOLHA DA ESTRUTURA E EQUIPAMENTOS A SEREM IMPLANTADOS OBJETIVO DA CRIAÇÃO ALTA PRODUTIVIDADE OU PRODUTIVIDADE NORMAL DURABILIDADE- VIDA ÚTIL DO CONJUNTO ESTRUTURA +EQUIPAMENTOS

Leia mais

Avicultura Colonial - Uma alternativa para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar e assentamentos no RS?

Avicultura Colonial - Uma alternativa para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar e assentamentos no RS? Avicultura Colonial - Uma alternativa para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar e assentamentos no RS? O que é Avicultura Colonial? - caminho para a sustentabilidade - legislação (Ofício

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE CRIADOS POR ACADÊMICOS DO CURSO DE ZOOTECNIA DURANTE O 1º SEMESTRE LETIVO DE 2004

RELATÓRIO SOBRE DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE CRIADOS POR ACADÊMICOS DO CURSO DE ZOOTECNIA DURANTE O 1º SEMESTRE LETIVO DE 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS - CCR DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA DZ LABORATÓRIO DE AVICULTURA - LAVIC DISCIPLINA DE AVICULTURA RELATÓRIO SOBRE DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE

Leia mais

Visão geral sobre manejo reprodutivo em codornas Machos e Fêmeas

Visão geral sobre manejo reprodutivo em codornas Machos e Fêmeas Aula USP FMVZ VRA Reprodução de Aves 11/07/2014 Visão geral sobre manejo reprodutivo em codornas Machos e Fêmeas Prof. D.Sc. DMV - Roberto de A. Bordin Setor de Nutrição, Produção, Sanidade e Agronegócio

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: PRODUÇÃO DE AVES NA MEDICINA VETERINÁRIA Código da Disciplina: VET246

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: PRODUÇÃO DE AVES NA MEDICINA VETERINÁRIA Código da Disciplina: VET246 PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: PRODUÇÃO DE AVES NA MEDICINA VETERINÁRIA Código da Disciplina: VET246 Curso: MEDICINA VETERINÁRIA Semestre de oferta da disciplina: 7 período Faculdade responsável: MEDICINA

Leia mais

Diretrizes Construtivas: Aves e Suínos

Diretrizes Construtivas: Aves e Suínos Diretrizes Construtivas: Aves e Suínos Luciane S. Martello FZEA/ZEB Disciplina Pós Graduação: Projeto de instalações Zootécnicas Assistido por Computador (FZEA/USP) 29 outubro de 2013 Sumário Introdução

Leia mais

Sistemas de Automação em Dark House para Ambiência de Frango de Corte. Workshop Embrapa Suínos e Aves Eng Agrícola Paulo Verdi.

Sistemas de Automação em Dark House para Ambiência de Frango de Corte. Workshop Embrapa Suínos e Aves Eng Agrícola Paulo Verdi. Sistemas de Automação em Dark House para Ambiência de Frango de Corte Workshop Embrapa Suínos e Aves Eng Agrícola Paulo Verdi. 1 Dark House BRASIL... Como ocorreu a nossa Evolução Histórica DÉCADA DE 90:

Leia mais

Rack Aberto. Enterprise. Rack Fechado Servidor

Rack Aberto. Enterprise. Rack Fechado Servidor RACKS DTN Rack Aberto ITMAX Rack Aberto Enterprise Acessórios para racks Rack Fechado Servidor Rack Fechado Enterprise RACK PAREDE Vantagens: - Porta frontal com vidro temperado 5mm; - Indicação dos U

Leia mais

Material de apoio para a disciplina Avicultura CAP.3 RAÇAS E LINHAGENS

Material de apoio para a disciplina Avicultura CAP.3 RAÇAS E LINHAGENS Material de apoio para a disciplina Avicultura CAP.3 RAÇAS E LINHAGENS Rio Branco AC I/2015 0 1. Raças e Linhagens de Galinhas para Criações Comerciais e Alternativas no Brasil Existe um grande número

Leia mais

Brasil é o terceiro produtor e o maior exportador mundial de carne de frango. É o primeiro no mundo em receita com exportação (US$ 5,814 bi)

Brasil é o terceiro produtor e o maior exportador mundial de carne de frango. É o primeiro no mundo em receita com exportação (US$ 5,814 bi) Doenças das Aves Domésticas Curso de Medicina Veterinária Universidade Federal do Paraná Curitiba Elizabeth PR Brasil Santin Prof a Dr a. Elizabeth Santin Doença das Aves Domésticas Introdução Importância

Leia mais

MÉTODOS ALTERNATIVOS DE MUDA FORÇADA EM POEDEIRAS COMERCIAIS

MÉTODOS ALTERNATIVOS DE MUDA FORÇADA EM POEDEIRAS COMERCIAIS MÉTODOS ALTERNATIVOS DE MUDA FORÇADA EM POEDEIRAS COMERCIAIS Larissa O. CARVALHO 1 ; Renata M. de SOUZA²; Alexandre T. FERREIRA 3 ; Jonathan MENDES 4 ; Hemerson J. ALMEIDA 5 RESUMO Foi realizado experimento

Leia mais

Manejo de aves Coloniais-Gestão da produção

Manejo de aves Coloniais-Gestão da produção Manejo de aves Coloniais-Gestão da produção ADELSIO FLORIANO Médico Veterinário ADELSIO.FLORIANO@GLOBOAVES.COM.BR 45 9915 3812 45 9921 6161 A AVICULTURA NO BRASIL É UMA DAS ATIVIDADES QUE MAIS DESENVOLVE

Leia mais

Produção de aves e ovos de maneira tecnificada com maior proximidade do natural.

Produção de aves e ovos de maneira tecnificada com maior proximidade do natural. Avicultura caipira? Produção de aves e ovos de maneira tecnificada com maior proximidade do natural. Essa atividade representa muitas vezes a viabilidade econômica de uma propriedade. Avicultura caipira

Leia mais

1 - MANEJO ALIMENTAR DE FRANGOS DE CORTE

1 - MANEJO ALIMENTAR DE FRANGOS DE CORTE 1 - MANEJO ALIMENTAR DE FRANGOS DE CORTE 1.1 Fase Inicial ( 1 a 21 ou 28 dias) Nos primeiros 21 dias de vida, os pintinhos não apresentam sistema termo-regulador ativo, ou seja, não produzem seu próprio

Leia mais

PRODUÇÃO DE FRANGOS DE CORTE

PRODUÇÃO DE FRANGOS DE CORTE PRODUÇÃO DE PRODUÇÃO DE 1. Características das aves para corte 2. Metas do Desempenho 3. Linhagens 4. Tipos de frangos de acordo com o mercado 5. Resultados obtidos a campo (Empresa) Profa. Nilva K. Sakomura

Leia mais

PLANTADOR DE BATATAS SEMI-MONTADO 4 CARREIRAS SK-4

PLANTADOR DE BATATAS SEMI-MONTADO 4 CARREIRAS SK-4 PLANTADOR DE BATATAS SEMIMONTADO 4 CARREIRAS SK4 Plantador de batatas semimontado, destinado à plantação de tubérculos e sementes de batata em corredores de 70,75, 90 cm, e em simultâneo faz a desinfeção

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICA DA PRODUÇÃO DE OVOS DE CODORNA

ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICA DA PRODUÇÃO DE OVOS DE CODORNA Curso Técnico Subsequente em Agronegócio PROJETO INTEGRADOR II 2016/2 ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICA DA PRODUÇÃO DE OVOS DE CODORNA Formanda em Téc.Agronegócio Lúcia Helena Lemos Orientação: Roberto A.

Leia mais

MANEJO DO CORDEIRO RECÉM-NASCIDO. C. Otto de Sá e J. L. Sá

MANEJO DO CORDEIRO RECÉM-NASCIDO. C. Otto de Sá e J. L. Sá MANEJO DO CORDEIRO RECÉM-NASCIDO C. Otto de Sá e J. L. Sá Um dos maiores problemas na ovinocultura é a alta mortalidade de cordeiros. Quando muitos cordeiros morrem antes mesmo do desmame, o prejuízo do

Leia mais

Alimentos Alternativos disponíveis no Nordeste para Alimentação de Aves Tipo Caipira

Alimentos Alternativos disponíveis no Nordeste para Alimentação de Aves Tipo Caipira Alimentos Alternativos disponíveis no Nordeste para Alimentação de Aves Tipo Caipira Professor Carlos Bôa-Viagem Rabello Departamento de Zootecnia Universidade Federal Rural de Pernambuco Recife Pernambuco

Leia mais

LINHA CONDOR. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA CONDOR. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 17580000 Pompeia SP Tel. (14) 3405 2100 Fax. (14) 3452 1916 Email: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. www.jacto.com.br

Leia mais

Capa Figuramundo. Criação de Frango Caipira. / NT Editora. -- Brasília: p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Capa Figuramundo. Criação de Frango Caipira. / NT Editora. -- Brasília: p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autores Fabiana Ramos dos Santos Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (2002), mestrado em Zootecnia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005), doutorado

Leia mais

Pontos críticos na fabricação de sal mineral / ração. Dr. Lucas Eduardo Pilon Médico Veterinário ATC Canal Indústria de Ração DSM - Tortuga

Pontos críticos na fabricação de sal mineral / ração. Dr. Lucas Eduardo Pilon Médico Veterinário ATC Canal Indústria de Ração DSM - Tortuga Pontos críticos na fabricação de sal mineral / ração Dr. Lucas Eduardo Pilon Médico Veterinário ATC Canal Indústria de Ração DSM - Tortuga Outubro de 2016 Quem Somos DSM, Dutch State Mines DSM foi criada

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Produção de Não Ruminantes Código da Disciplina: AGR 351 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: 5 p Faculdade responsável: Agronomia Programa em vigência

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina ZOO424 Avicultura

Programa Analítico de Disciplina ZOO424 Avicultura 0 Programa Analítico de Disciplina ZOO Avicultura Departamento de Zootecnia - Centro de Ciências Agrárias Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal 0 Períodos

Leia mais

1º DE SETEMBRO DE

1º DE SETEMBRO DE Ambiência e qualidade de ovos em instalações não climatizadas para poedeiras comerciais Ambience and quality of eggs in non climatiezed facilities for laying hens ÉRIK DOS SANTOS HARADA*¹;LEDA GOBBO DE

Leia mais

Cód Tipo Unidade Preço. E Silo metálico granjeiro de fundo cônico em 60 com capacidade de 51,80m3 ( kg ração) unidade R$ 15.

Cód Tipo Unidade Preço. E Silo metálico granjeiro de fundo cônico em 60 com capacidade de 51,80m3 ( kg ração) unidade R$ 15. SC - Valores válidos para não-contribuintes do ICMS. Cód Tipo Unidade Preço Estático e Tração Animal E2592401 Silo metálico granjeiro de fundo cônico em 60 com capacidade de 51,80m3 (33.600 kg ração) unidade

Leia mais

FUNDAÇÃO DO MEIO AMBIENTE DE ITAJAÍ

FUNDAÇÃO DO MEIO AMBIENTE DE ITAJAÍ IN 37 FAMAI CRIAÇÃO DE ANIMAIS CONFINADOS PEQUENO, MÉDIO E GRANDE PORTE. INSTRUÇÕES GERAIS: A FAMAI coloca-se a disposição dos interessados dirimir possíveis dúvidas sobre esta Instrução Normativa; Sempre

Leia mais

Canis

Canis - Módulos pré-fabricados, alojamento expansível, fabricado numa estrutura de metal galvanizado. Telhado inclinado com crista móvel para facilitar a ventilação no interior do alojamento. Concebido para

Leia mais

PROJETO-AVICULTURA COLONIAL AVIÁRIO PARA 500 AVES DE CORTE

PROJETO-AVICULTURA COLONIAL AVIÁRIO PARA 500 AVES DE CORTE PROJETO-AVICULTURA COLONIAL AVIÁRIO PARA 500 AVES DE CORTE CLIENTE-EMBRAPA CLIMA TEMPERADO ONSTRUÇÃO Projeto - Avicultura Colonial Aviário para 500 aves de corte Cliente Embrapa Clima Temperado Junho,

Leia mais

Descrição C. Suporte de posicionamento VS Resumo dos tipos 2 2. Função 2 3. Montagem 3 4. Instalação 4 5. Manutenção 5 6.

Descrição C. Suporte de posicionamento VS Resumo dos tipos 2 2. Função 2 3. Montagem 3 4. Instalação 4 5. Manutenção 5 6. Descrição C Suporte de VS 351. pt 1. Resumo dos tipos 2 2. Função 2 3. Montagem 3 4. Instalação 4 5. Manutenção 5 6. Dados técnicos 6 BEA--209858-PT-02 Suporte de VS 351. Explicação de símbolos significa

Leia mais

Alimentação do Frango Colonial

Alimentação do Frango Colonial Alimentação do Frango Colonial Alimentação Para os sistemas mais rudimentares e em pequena escala recomenda-se adquirir a ração de fornecedor idôneo, de preferência certificado para Boas Práticas de Fabricação-BPF.

Leia mais

Avicultura. Zootecnia I Aves e Suínos. Avicultura Histórico da Avicultura Brasileira

Avicultura. Zootecnia I Aves e Suínos. Avicultura Histórico da Avicultura Brasileira Zootecnia I Aves e Suínos Prof. Edney Pereira da Silva Fabrício Faleiros de Castro M.Sc Unesp FCAV Principais segmentos Frangos de corte Poedeiras comerciais Reprodutoras Incubatório Fábrica de ração Perus

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 29/2011 Instrução Técnica nº 29/2011 - Comercialização, distribuição e utilização de gás natural 689 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

PRODUÇÃO DE FRANGOS DE CORTE

PRODUÇÃO DE FRANGOS DE CORTE PRODUÇÃO DE FRANGOS DE CORTE PRODUÇÃO DE 1. Características das aves para corte 2. Metas do Desempenho 3. Linhagens 4. Tipos de frangos de acordo com o mercado 5. Resultados obtidos a campo (Empresa) Profa.

Leia mais

Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Morada Nova de Minas

Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Morada Nova de Minas Edição 21 2016 Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Morada Nova de Minas No dia 01 de abril de 2016, em Morada Nova de Minas, região central de

Leia mais

Gustavo Henrique Mendes Bedendo 2, Magda Metz 3. Projeto de pesquisa realizado no curso de medicina veterinária da Unijuí 2

Gustavo Henrique Mendes Bedendo 2, Magda Metz 3. Projeto de pesquisa realizado no curso de medicina veterinária da Unijuí 2 ANÁLISE DE COMPONENTES PRINCIPAIS EM CARACTERÍSTICAS DE AVES RODE ISLAND RED 1 ANALYSIS OF MAIN COMPONENTS CHARACTERISTICS IN RHODE ISLAND RED POULTRY BREED Gustavo Henrique Mendes Bedendo 2, Magda Metz

Leia mais

BENEFICIAMENTO E CLASSIFICAÇÃO

BENEFICIAMENTO E CLASSIFICAÇÃO Beneficiamento e Classificação BENEFICIAMENTO E CLASSIFICAÇÃO O beneficiamento do café é uma operação pós-colheita usada para transformar, pela eliminação da casca e separação dos grãos, o fruto seco (natural

Leia mais

GENERAL SAMPAIO. Área 205,810 km 2. Instalado 01/03/1957. Plantel Aves Caipira

GENERAL SAMPAIO. Área 205,810 km 2. Instalado 01/03/1957. Plantel Aves Caipira População 6.218 hab. Área 205,810 km 2 Bioma Caatinga Instalado 01/03/1957 Zona Rural Distância 950 hab. 152 Km Plantel Aves Caipira 20.000 Famílias Produtoras 80 50 Inicio da Atividade 2005 Parceria/Sebrae

Leia mais

Difusor Hospitalar. Série ICLF-2 C2-014 TROX DO BRASIL LTDA.

Difusor Hospitalar. Série ICLF-2 C2-014 TROX DO BRASIL LTDA. C2-014 Difusor Hospitalar Série ICLF-2 TROX DO BRASIL LTDA. Rua Alvarenga, 2025 05509-005 São Paulo SP Fone: (11) 3037-3900 Fax: (11) 3037-3910 E-mail: trox@troxbrasil.com.br www.troxbrasil.com.br Índice

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE LABORATÓRIOS DA EMBRAPA

INFRAESTRUTURA DE LABORATÓRIOS DA EMBRAPA INFRAESTRUTURA DE LABORATÓRIOS DA EMBRAPA Para atender os requisitos (BPL/ISO 17025) o projeto deve levar em conta: Dimensões. Detalhes construtivos. Localização/separação efetiva das diferentes atividades

Leia mais

Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira

Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira Produção de Pintainhos - Incubação Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira Objetivos Compreender as principais atividades envolvidas na produção de pintos de corte

Leia mais

Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira

Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira Produção de Frangos de Corte: Linhagens, Instalações e Equipamentos Disciplina: Criação e Exploração de Aves Prof. Msc. Alício José Corbucci Moreira Objetivos Conhecer as linhagens de frangos de corte,

Leia mais

Instalações prediais de esgotos sanitários

Instalações prediais de esgotos sanitários Instalações prediais de esgotos sanitários Esgotos sanitários Objetivos de uma instalação de esgotos sanitários: Coletar e afastar da edificação os despejos provenientes do uso da água para fins higiênicos,

Leia mais

MANEJO DE MATRIZES DE CORTE. Alexandre Pires Rosa

MANEJO DE MATRIZES DE CORTE. Alexandre Pires Rosa MANEJO DE MATRIZES DE CORTE Alexandre Pires Rosa MATRIZ DE CORTE O QUE É UMA MATRIZ DE CORTE? PQ A MATRIZ NÃO PODE SER GORDA? O QUE É UNIFORMIDADE DE LOTE? PQ UM LOTE DE MATRIZES DEVE SER UNIFORME? O QUE

Leia mais

Arqt. Marcos Vargas Valentin Mestre FAUUSP

Arqt. Marcos Vargas Valentin Mestre FAUUSP Arqt. Marcos Vargas Valentin Mestre FAUUSP Dá para começar a fazer um projeto? Quantas escadas serão necessárias? Mas, existem vários tipos de escadas: a) Escada comum (não enclausurada) b) Escada enclausurada

Leia mais

TERMINAÇÃO. Sistemas de produção de carne no Brasil Sistema de 2010 (x 1000) 2010 (%) Sistemas de Produção 11/03/2015

TERMINAÇÃO. Sistemas de produção de carne no Brasil Sistema de 2010 (x 1000) 2010 (%) Sistemas de Produção 11/03/2015 TERMINAÇÃO Sistemas de produção de carne no Brasil Sistema de 2010 (x 1000) 2010 (%) produção Confinamento 3.047 7,39 Semiconfinamento Pastagens inverno 2.583 6,27 822 1,99 Pastagem sem 34.748 84,35 definição

Leia mais

Evaporador de Ar Forçado Baixa Velocidade. Dupla saída de ar Baixa velocidade. Bandeja interna

Evaporador de Ar Forçado Baixa Velocidade. Dupla saída de ar Baixa velocidade. Bandeja interna 302 770 00 27 3397 Evaporador de Ar Forçado Baixa Velocidade Dupla saída de ar Baixa velocidade Bandeja interna Características Técnicas Bandeja interna que evita fugas de ar e concentra fluxo de água

Leia mais

Avaliação da curva de crescimento de frangos de corte e índices zootécnicos no sistema de produção do IFMG campus Bambuí

Avaliação da curva de crescimento de frangos de corte e índices zootécnicos no sistema de produção do IFMG campus Bambuí Avaliação da curva de crescimento de frangos de corte e índices zootécnicos no sistema de produção do IFMG campus Bambuí Chrystiano Pinto de RESENDE 1 ; Everto Geraldo de MORAIS 2 ; Marco Antônio Pereira

Leia mais

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE PESCADO (Produção acima de 1.500kg dia)

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE PESCADO (Produção acima de 1.500kg dia) Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas PROJETO DE IMPLANTAÇÃO INDÚSTRIA DE BENEFICIAMENTO DE PESCADO (Produção acima de 1.500kg dia) 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1. Indique o consumo médio mensal

Leia mais

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas.

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas. SUSTENTABILIDADE DOS FUNDOS CONSTITUCIONAIS DE FINANCIAMENTO: efeito das medidas excepcionais necessárias frente à manutenção do patrimônio dos Fundos Constitucionais de Financiamento. Discutir os efeitos

Leia mais

Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux. Revisão: 2

Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux. Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Nexacustic Cuidados Iniciais Cuidados iniciais: Os produtos Nexacustic foram desenvolvidos para aplicação em ambientes

Leia mais

Criação de Novilhas Leiteiras

Criação de Novilhas Leiteiras Criação de Novilhas Leiteiras Introdução Tópicos Objetivos da criação de novilhas Estimativa do número de novilhas no rebanho Manejo da Novilha Considerações Econômicas (Criar ou Terceirizar?) Salvador,

Leia mais

Comprimento de cocho para novilhas leiteiras

Comprimento de cocho para novilhas leiteiras Comprimento de cocho para novilhas leiteiras Por Carla Maris Bittar 1 e Vanessa Pillon dos Santos 2 A manutenção do adequado desempenho de lotes de novilhas, assim como o desempenho individual de cada

Leia mais

Fonte: AGROEXAME. AveWorld

Fonte: AGROEXAME. AveWorld Doenças das Aves Domésticas Curso de Medicina Veterinária Universidade Federal do Paraná Elizabeth Curitiba PR Santin Brasil Prof a Dr a. Elizabeth Santin Doença das Aves Domésticas Introdução Importância

Leia mais

Guia de Projetos V1.00 R0.00 Setembro 2012

Guia de Projetos V1.00 R0.00 Setembro 2012 Guia de Projetos V1.00 R0.00 Setembro 2012 ibus - Guia de Projetos Este documento traz orientações gerais sobre o dimensionamento do sistema ibus. Importante: as orientações contidas neste documento não

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: PRODUÇÀO DE AVES NA MEDICINA VETERINÁRIA Código da Disciplina: VET246 Curso: MEDICINA VETERINÁRIA Semestre de oferta da disciplina: 2017/2 Faculdade responsável: MEDICINA

Leia mais

Codorna - efeito ambiental e nutricional para aumento da produtividade

Codorna - efeito ambiental e nutricional para aumento da produtividade Codorna - efeito ambiental e nutricional para aumento da produtividade INTRODUÇÃO PAULO RENÊ DA SILVA JÚNIOR GRANJA LOUREIRO A questão ambiental e de bem estar animal vem sendo tema de diversos debates

Leia mais

Avicultura de corte Formação das linhagens atuais e Sistemas de produção. Zootecnia I Aves e Suínos 02/06/2016. Principais raças envolvidas

Avicultura de corte Formação das linhagens atuais e Sistemas de produção. Zootecnia I Aves e Suínos 02/06/2016. Principais raças envolvidas UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA Zootecnia I Aves e Suínos Prof. Edney Pereira da Silva Unesp FCAV Avicultura

Leia mais

Observação: Telhados verdes ou com vedados com Betumem podem causar a coloração da água.

Observação: Telhados verdes ou com vedados com Betumem podem causar a coloração da água. A melhor qualidade de água O filtro de água de chuva PURAIN cuida da qualidade da água da sua cisterna. Os filtros PURAIN são destinados à filtração da água da chuva, coletada de telhados cerâmicos, metálicos,

Leia mais

O mundo com mais sabor!

O mundo com mais sabor! O mundo com mais sabor! REGIONAL GO/MG BSB - BRASÍLIA População: 2.570.160 100% População ativa: 2.210.338 86% BUG - BURITI ALEGRE População: 9.054 100% População ativa: 7.113 79% JTI - JATAÍ População:

Leia mais

21/9/2012. Produção de ovos no Brasil. Consumo mundial de ovos. Estados brasileiros produtores de ovos em 2011 PRODUÇÃO DE AVES NO BRASIL

21/9/2012. Produção de ovos no Brasil. Consumo mundial de ovos. Estados brasileiros produtores de ovos em 2011 PRODUÇÃO DE AVES NO BRASIL BEM-ESTAR ESTAR NA PRODUÇÃO DE AVES DE POSTURA PRODUÇÃO DE AVES NO BRASIL 1930-1960 Período comercial Piracicaba/SP Setembro de 2012 Dra. Aérica Cirqueira Nazareno Pesquisadora - NUPEA A criação de aves

Leia mais

gestão e informação na suinocultura moderna você está convidado a entrar neste mundo

gestão e informação na suinocultura moderna você está convidado a entrar neste mundo gestão e informação na suinocultura moderna você está convidado a entrar neste mundo informação sociedade do conhecimento Adequação das ferramentas Desenvolvimento das necessidades Evolução das ferramentas

Leia mais

PRODUÇÃO DE OVOS COMERCIAIS NA GRANJA JATAÍ LTDA

PRODUÇÃO DE OVOS COMERCIAIS NA GRANJA JATAÍ LTDA i UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ CURSO DE ZOOTECNIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO JACQUELINE SOARES RODRIGUES PRODUÇÃO DE OVOS COMERCIAIS NA GRANJA JATAÍ LTDA JATAÍ-GO 2017

Leia mais

Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Riolândia - SP

Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Riolândia - SP Edição 25 2016 Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Riolândia - SP No dia 26 de julho de 2016, em Riolândia, região noroeste do estado de São

Leia mais

Atualização sobre salmonelas fatores de risco e disseminação

Atualização sobre salmonelas fatores de risco e disseminação Atualização sobre salmonelas fatores de risco e disseminação ANGELO BERCHIERI JUNIOR FCAV-Unesp, Jaboticabal-SP E-mail: berchier@fcav.unesp.br Brasília, 2014 Gênero Espécie Subespécie enterica 2.610 sorovares.

Leia mais

REPETIBILIDADE. O termo repetibilidade refere-se a expressão de um mesmo caráter em épocas distintas na vida do animal.

REPETIBILIDADE. O termo repetibilidade refere-se a expressão de um mesmo caráter em épocas distintas na vida do animal. REPETIBILIDADE O termo repetibilidade refere-se a expressão de um mesmo caráter em épocas distintas na vida do animal. Produção de leite e gordura, produção de lã, comprimento da lã, peso e forma do ovo,

Leia mais

Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S.

Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S. Email: vigoderis@hotmail.com www.vigoderis.hol.es Deve-se evitar a descontinuidade da produção

Leia mais

AÇÃO DA LUZ SOBRE AS AVES

AÇÃO DA LUZ SOBRE AS AVES AÇÃO DA LUZ SOBRE AS AVES A luz exerce dupla ação nas aves: Estimula função sexual Estabelece o ciclo reprodutivo Alternância entre dia e noite permite sincronização entre animais Ovário (imaturo) = 12.000

Leia mais

Uma nave fechada para a reprodução. Reportagem da granjas

Uma nave fechada para a reprodução. Reportagem da granjas Reportagem da granjas 2013 Uma nave fechada para a reprodução Em Rio Seco da Tapia, Leon, encontrar a Seravi um exemplo de granja de reprodução da ultima generação. 1 Em Rio Seco da Tapia, Leon, encontrar

Leia mais

PRÁTICAS DE PÓS COLHEITA PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES DE ALTA QUALIDADE. Prof. Francisco Villela

PRÁTICAS DE PÓS COLHEITA PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES DE ALTA QUALIDADE. Prof. Francisco Villela PRÁTICAS DE PÓS COLHEITA PARA PRODUÇÃO DE SEMENTES DE ALTA QUALIDADE Prof. Francisco Villela francisco.villela@ufpel.edu.br CUIDADOS DA SEMEADURA ATÉ A COLHEITA DIAS APÓS O FLORESCIMENTO MATURAÇÃO FISIOLÓGICA

Leia mais

Piscicultores e técnicos discutem os custos de produção de tilápia em viveiro escavado em Tubarão SC

Piscicultores e técnicos discutem os custos de produção de tilápia em viveiro escavado em Tubarão SC Edição 23 2016 Piscicultores e técnicos discutem os custos de produção de tilápia em viveiro escavado em Tubarão SC No dia 2 de junho de 2016, no Centro de Treinamento da Epagri de Tubarão - CETUBA, no

Leia mais

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul Machado, J.R. de A. 1 ; Guimarães, L.J.M. 2 ; Guimarães, P.E.O. 2 ; Emygdio, B.M. 3 Introdução As variedades sintéticas

Leia mais

Zootecnia I Aves e Suínos. Instalações e Equipamentos. Instalações e Equipamentos. Instalações e Equipamentos. Instalações e Equipamentos 02/06/2016

Zootecnia I Aves e Suínos. Instalações e Equipamentos. Instalações e Equipamentos. Instalações e Equipamentos. Instalações e Equipamentos 02/06/2016 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA Zootecnia I Aves e Suínos Prof. Edney Pereira da Silva Unesp FCAV Avicultura

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DA PISCICULTURA EM TANQUES-REDE Bahia Pesca

DESENVOLVIMENTO DA PISCICULTURA EM TANQUES-REDE Bahia Pesca DESENVOLVIMENTO DA PISCICULTURA EM TANQUES-REDE Bahia Pesca 1997-2005 DEMANDA DO GOVERNO DO ESTADO Elaborar um PROGRAMA com o objetivo de otimizar o uso dos recursos hídricos existentes no semi-árido.

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Professor: João Carmo INTRODUÇÃO O TELHADO é uma categoria de COBERTURA, em geral caracterizado por possuir um ou mais planos

Leia mais

DEJETOS DE SUÍNOS COMO FONTE PROTÉICA. DE PIAUÇU (Leporinus p macrocephalus).

DEJETOS DE SUÍNOS COMO FONTE PROTÉICA. DE PIAUÇU (Leporinus p macrocephalus). DEJETOS DE SUÍNOS COMO FONTE PROTÉICA ALTERNATIVA PARA ALEVINOS DE PIAUÇU (Leporinus p macrocephalus). ) LUCIENE DE MORAES GARCIA LUCIENE DE MORAES GARCIA MSc em Ciência Ambiental / UFF lmoraesgarcia@yahoo.com.br

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA: ESTUDO DE CASO DE QUATRO SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE NO MATO GROSSO DO SUL

ANÁLISE ECONÔMICA: ESTUDO DE CASO DE QUATRO SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE NO MATO GROSSO DO SUL ANÁLISE ECONÔMICA: ESTUDO DE CASO DE QUATRO SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE NO MATO GROSSO DO SUL 25 Cid Isidoro Demarco Martins* Armindo Neivo Kichel** 1 - INTRODUÇÃO A pesquisa tem, como objetivo,

Leia mais

DECRETO N º Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA GABINETE DO PREFEITO

DECRETO N º Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA GABINETE DO PREFEITO DECRETO N º 5.636 EMENTA: Regulamenta a Lei 3.009/93 instituindo Matriz de Observação para enquadramento das edificações segundo classificação de padrão, bem como atribui competência. O Prefeito Municipal

Leia mais

PHD 0313 Instalações e Equipamentos Hidráulicos

PHD 0313 Instalações e Equipamentos Hidráulicos UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E AMBIENTAL PHD 0313 Instalações e Equipamentos Hidráulicos Aula 9: Instalações de Esgotamento Sanitário Prof.: MIGUEL

Leia mais

Instalações e Equipamentos para Frangos de Corte

Instalações e Equipamentos para Frangos de Corte Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias Instalações e Equipamentos para Frangos de Corte Allan Reis Troni allan_troni@yahoo.com.br Considerações na Construção Capital

Leia mais

Preparo do Café na Pós Colheita

Preparo do Café na Pós Colheita 9 Curso de Atualização Preparo do Café na Pós Colheita Alysson Vilela Fagundes Eng. Agr.Fundação Procafé Influencia na qualidade do Café: Condições da lavoura Localização/Micro Clima Nutrição e tratamento

Leia mais

NBR Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos

NBR Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos NBR 13570 Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos NBR 13570 As prescrições desta Norma complementam, modificam ou substituem as prescrições de caráter geral contidas

Leia mais