OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola;

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola;"

Transcrição

1 OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola; Introdução ao Atletismo; 1

2 PCN Parâmetro Curricular Nacional A Educação Física desenvolve a CULTURA CORPORAL DO MOVIMENTO QualaculturaasertrabalhadonaEF? OJogo OEsporte Adança Aginástica Aluta Em especial, dentro da escola: Como que são desenvolvidos os conteúdos relacionados aos jogos e esportes?... Uma ampla diversidade de jogos Uma ampla diversidade de esportes

3 Falta de espaço, motivação, de material? Comodismo? Falta de aceitação destes conteúdos pela sociedade? Será que os professores desenvolvem os conteúdos somente como quais têm maior afinidade? 3

4 Inglaterra(sec. XIX) A E.F. não apresentava um caráter militar. Ascensão da classe média ao poder político, e maiores privilégios educacionais. Proliferação dos jogos esportivos e criação de clubes e associações esportivas Expansão para o resto da Europa e América. NoBrasil: Década de 50 Início do Método Desportivo Generalizado, auge década de 70. Em um primeiro momento Ginástica Emumsegundomomentoeasituaçãoatual Esportes (com foco no rendimento e desempenho). 4

5 Rendimentoatlético: Competição Comparações de rendimento, recordes, Vitória Técnica Escola= Base para o esporte de rendimento Relação Professor-treinador e Aluno-atleta A partir deste pressuposto, atualmente: Os professores não tem vivências esportivas ou atléticas com esportes individuais. Mais experiências, nem sempre com o rendimento no esportes coletivos, mas sim através da mídia. Pouco material produzido para os esportes individuais. 5

6 Oobjetivodaescola éaformaçãointegraldoaluno. O esporte é utilizado como um meio para desenvolvimento integral do aluno. O esporte tem sua característica de socialização e interação entre seus praticantes, o que o torna um importante conteúdo a ser desenvolvido, mas não o único. O objetivo não é ensinar a reproduzir o movimento por si somente, mas sim ensinar o aluno utilizar este movimento em diferentes ambientes e situações do cotidiano. (Aumentar o Repertório Motor). O esporte pode ser desenvolvido de forma lúdica através de atividades recreativas que promovam ao aluno um aumento do Repertório Motor/bagagem motora necessária para tal modalidade e para seu desenvolvimento integral. 6

7 É importante que o aluno vivencie vários esportes para que no futuro ele possa escolher um esporte e praticá-lo de forma sistemática(treinamento). O professor não deve buscar nas aulas de Educação Física, treinar gestos técnicos, buscar talentos, pelo contrário, deve incluir estes possíveis gestos em jogos que incluam todos os alunos e não promover situações de desigualdade no grupo. Para isto existem aulas extracurriculares que agrupam os alunos que se interessam em aprofundar a prática de determinada modalidade esportiva. 7

8 8

9 Correr, saltar e lançar são atividades que constituem padrões motores básicos que utilizamos no nosso dia-a-dia. Foi na antiga Grécia, onde as atividades atléticas tinham particular relevância na educação, que o Atletismo surgiu como uma modalidade desportiva, que era objeto de competição, proporcionando assim o aparecimento dos antigos Jogos Olímpicos. A partir daí o Atletismo tem sido a expressão máxima destes jogos, e a sua expansão pelo mundo sucedeu de forma fácil e natural. 9

10 Corridas, Saltos e Lançamentos só se tornaram modalidades esportivas depois de sofrem um processo evolutivo que originou os regulamentos Primeiro clube de Atletismo na Inglaterra e no Mundo; 1870 Provas de Corrida com separação das pistas ou corredores 1888 SurgeaspartidasBaixas 1896 OlimpíadasdaEraModerna. A partir deste momento a evolução desportiva foi notória, particularmente no atletismo, com estudo de técnicas, aperfeiçoamento das metodologias de treino e melhoria de pistas nesta modalidade. O surgimento da pista oval de 400 metros permite o aparecimento de novas provas. Em 1912 surge o photo finish nos Jogos Olímpicos de Estocolmo. Durante o século passado as regras do atletismo conheceram várias modificações até Nos nossos dias, o Atletismo engloba um conjunto de várias disciplinas desde as corridas, aos lançamentos, passando pelos saltos e por provas combinadas. 10

11 11

12 Temcorrida... TemnosJogosOlímpicos... DevezemquandopassanaTelevisão Alguns Atletas(Usain Bolt, Maurin Magge, Jadel Gregório)... Estes atletas são de qual modalidade? QuaisSãoasProvasdoatletismo? Quais as diferenças destas provas?! 12

13 O Atletismo Olímpico contém, na categoria masculino 23 provas e na categoria feminina 22 provas, porém podem ser divididas em 3 grande grupos: Provas de Pista: Corridas Rasas, com Barreiras, Obstáculos e Marcha. Provas de Campo: Saltos, Arremessos e Lançamentos Provas Combinadas As provas de pista, são aqueles realizadas na pista de corridadoestádiodeatletismo,ouatémesmoemruas. Elas são divididas em provas rasas, de meio-fundo e de fundo: Provas rasas: 100 metros, 200 metros, 400 metros e Revezamentos 4x100 e 4x400 metros. Provas de meio-fundo: 800 metros e metros Provadefundo:5.000metrose10.000metros. 13

14 As provas de pista, são aqueles realizadas na pista de corridadoestádiodeatletismo,ouatémesmoemruas. Elas são divididas em provas de barreira, obstáculo e marcha: Barreira: 110 metros e 400 metros Obstáculos: metros. Macha: metros e metros Maratona: metros 14

15 15

16 Asprovasdecampo,sãoaquelesrealizadasnocampodo estádio de atletismo. OsSaltossãodivididosem: Distância: Somente o salto Altura: Corrida com salto sobre o sarrafo Triplo: Três passada antes do salto Vara:AuxíliodaVara. 16

17 Asprovasdecampo,sãoaquelesrealizadasnocampodo estádio de atletismo. Os Arremesso e Lançamentos São:(masc./fem.) Arremesso de Peso(7,26kg/4kg) Lançamento do Disco(2kg/1kg) Lançamento do Dardo(800g/600g) Lançamento do Martelo(7,26kg/4kg) 17

18 As provas combinadas, é a combinação de algumas provas de campo e pista realizada pelo mesmo atleta. As provas combinadas são: Decatlo (10 provas masc.): 100 m, salto em distância, arremesso de peso, salto em altura, 400 metros, 100 metros com barreira, lançamento do disco, salto com vara, lançamento do dardo e 1500 metros. Heptatlo(7provasfem.):100mcombarreira,saltoem altura, arremesso de peso, 200 m, salto em distância, lançamentododardoe800m. 18

19 19

20 Importância na formação da criança em qualquer faixa etária; Sem exigir materiais muito complexos Regras fáceis, de aprendizagem rápida e que se repetem em muitas provas Movimentos que motivam Tratado como esporte de base... Porém... As suas especificidades são deixadas em segundo plano 20

21 É aproveitado, em partes, as provas de velocidade, de resistência e alguns saltos. Falta de barreiras, colchões e pesos impedem a prática?!?!? Adaptação de materiais: Barreira feitas de latas, cimento e cabo de vassoura, colchões com pneus e pessoas feitos com areia e tecido. 21

GABARITO DO CADERNO DE ALUNO PARA O PROFESSOR

GABARITO DO CADERNO DE ALUNO PARA O PROFESSOR GABARITO DO CADERNO DE ALUNO PARA O PROFESSOR Prezado Professor O Caderno do Aluno é mais um instrumento para servir de apoio ao seu trabalho e ao aprendizado do aluno. Elaborado a partir do Caderno do

Leia mais

Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados)

Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados) Nome: Estudo dirigido Corridas e Marcha (Responda apenas nos espaços indicados) Observe a figura acima e responda as questões a seguir: 1. A sequência se refere à prova de. 2. Em que distâncias essa prova

Leia mais

CMT Colégio Militar Tiradentes. Ficha de Inscrição

CMT Colégio Militar Tiradentes. Ficha de Inscrição MODALIDADE: FUTSAL Nº Nome Completo do Atleta MODALIDADE: FUTSAL Nº Nome Completo do Atleta Brasília, de Junho de 25. MODALIDADE: Voleibol CMT Colégio Militar Tiradentes Nº Nome Completo do Atleta 11 12

Leia mais

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembléia Geral em

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembléia Geral em NORMA 12 CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembléia Geral em 23.02.2011 Art. 1º - As categorias e respectivas faixas etárias da Confederação Brasileira de Atletismo

Leia mais

OLIMPÍADAS 2016 BRASIL

OLIMPÍADAS 2016 BRASIL OLIMPÍADAS 2016 BRASIL Antes de conhecermos as modalidades do atletismo, vamos saber como é a pista oficial em que os atletas praticam as provas. Uma pista oficial de atletismo, como mostra a figura

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO PERÍODO 2011 A 2016

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO PERÍODO 2011 A 2016 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO PERÍODO 2011 A Aprovados pelo IV Forum Atletismo do Brasil em 11.12.2009 Aprovados pela Assembléia Geral da CBAt em 13.12.2009

Leia mais

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em NORMA 12 CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Art. 1º - As categorias e respectivas faixas etárias da Confederação Brasileira de Atletismo

Leia mais

PROPOSTA DE TRABALHO

PROPOSTA DE TRABALHO SECETAIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPEINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIETOIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL POPOSTA DE TABALHO 1- Título: Esporte Para Todos 2- Autor: Delcí Kremer Birck 3- Aplicativo utilizado:

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS E TREINADORES INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2017

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS E TREINADORES INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2017 O presente critério considerará as parcerias com o Comitê Olímpico do Brasil, Ministério do Esporte e principalmente o patrocínio da Caixa Econômica Federal, entre outras fontes, podendo ser revisto a

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM MARINGÁ PR 21, 22 E 23 DE AGOSTO DE 2015 PROGRAMAÇÃO

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM MARINGÁ PR 21, 22 E 23 DE AGOSTO DE 2015 PROGRAMAÇÃO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM MARINGÁ PR 21, 22 E 23 DE AGOSTO DE 2015 PROGRAMAÇÃO UNIDADE I CONTEÚDO Distribuição do material/apresentação O Atletismo Entidades de organização

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 1. Copa Pan-Americana de Cross Country 21 de fevereiro de 2015 Cartagena, COL Serão convocados os 4 (quatros)

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2016

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2016 1. Campeonatos Sul-Americanos de Marcha Atlética 50km 28 de fevereiro de 2016 Rio de Janeiro, BRA Serão convocados os 4 (quatros) primeiros atletas do ranking brasileiro da prova em 2015. 2. Campeonatos

Leia mais

R E G U L A M E N T O

R E G U L A M E N T O COPA MINAS DE PROVAS COMBINADAS A COPA MINAS DE PROVAS COMBINADAS tem a finalidade de difundir e desenvolver a prática desta modalidade do Atletismo no estado de Minas Gerais, contribuindo para o aprimoramento

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 1. Copa Pan-Americana de Cross Country 21 de fevereiro de 2015 Cartagena, COL Serão convocados os 4 (quatros)

Leia mais

Atletismo na escola, uma possibilidade de ensino. E.E. Alfredo Paulino. Professor(es) Apresentador(es): Prof. Eduardo Maia Simões.

Atletismo na escola, uma possibilidade de ensino. E.E. Alfredo Paulino. Professor(es) Apresentador(es): Prof. Eduardo Maia Simões. Atletismo na escola, uma possibilidade de ensino E.E. Alfredo Paulino Professor(es) Apresentador(es): Prof. Eduardo Maia Simões Realização: Foco do Projeto O foco era oferecer aos alunos dos 4ºs. Anos

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO 2015 1. Copa Pan-Americana de Cross Country 21 de fevereiro de 2015 Cartagena, COL Serão convocados os atletas cinco

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

A PRÁTICA DO ATLETISMO ESCOLAR COMO PROPOSTA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA RESUMO

A PRÁTICA DO ATLETISMO ESCOLAR COMO PROPOSTA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA RESUMO A PRÁTICA DO ATLETISMO ESCOLAR COMO PROPOSTA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA BARETTA, Elisabeth; GRIGOLLO, Leoberto Ricardo. RESUMO O desenvolvimento de atividades de extensão por meio do I Festival Unoesc de

Leia mais

Etapa Regional - Sul Sede: Lavras

Etapa Regional - Sul Sede: Lavras Etapa Regional - Sul Sede: Lavras Boletim 1 - Atletismo 23/6/2015 Boletim 1 - Atletismo Etapa Regional Sul Sede: Lavras. Período: 22 a 27 de junho. 1- Definições Reunião Técnica: Os pregos das sapatilhas

Leia mais

ATLETISMO. Osvaldo Tadeu da Silva Junior

ATLETISMO. Osvaldo Tadeu da Silva Junior ATLETISMO Osvaldo Tadeu da Silva Junior OBJETIVO DA DISCIPLINA Conhecer, compreender e analisar os processos de ensino aprendizagem e treinamento das corridas; Conhecer, compreender e analisar os processos

Leia mais

CIRCUITO ESTADUAL DE ATLETISMO SESI-SP/FPA INICIANTES, PRÉ MIRIM E MIRIM 2015

CIRCUITO ESTADUAL DE ATLETISMO SESI-SP/FPA INICIANTES, PRÉ MIRIM E MIRIM 2015 CIRCUITO ESTADUAL DE ATLETISMO SESI-SP/FPA INICIANTES, PRÉ MIRIM E MIRIM 2015 O CIRCUITO ESTADUAL DE ATLETISMO SESI-SP/FPA INICIANTES, PRÉ MIRIM E MIRIM é uma competição pioneira da Federação Paulista

Leia mais

CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-20 Revisado após definições dos representantes dos comitês em

CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-20 Revisado após definições dos representantes dos comitês em CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-20 Revisado após definições dos representantes dos comitês em 12.04.17 CAPITULO I - DA FINALIDADE Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-20 é uma competição

Leia mais

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo PROGRAMA DE PROVAS DOS ESCALÕES JOVENS VERSÃO FINAL (Infantis, Iniciados e juvenis) SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas 60m 150m 4x 60m 80m 250m 4x 80m 100m 200m 300m 4x 100m Barreiras

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL CAIXA DE ATLETISMO ADULTO

CAMPEONATO ESTADUAL CAIXA DE ATLETISMO ADULTO CAMPEONATO ESTADUAL CAIXA DE ATLETISMO ADULTO O Campeonato Estadual Caixa de Atletismo Adulto tem como objetivos proporcionar aos nossos atletas um aprimoramento físico e técnico servindo de parâmetro

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXVI Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXVI Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXVI Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

ATLETISMO Nº 01 11/11/2015

ATLETISMO Nº 01 11/11/2015 ATLETISMO Nº 01 11/11/2015 ATLETISMO Local: Estádio Willie Davids Endereço: Av. Prudente de Morais, s/n - Maringá Data: 12/11/2015 Horário: 14h00 Local: Hotel Deville - Maringá LOCAL DE COMPETIÇÃO REUNIÃO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL ------------------------------- REGULAMENTOS APROVADOS PARA A ÉPOCA 2011/2012 -------------------------------- CONVÍVIO BENJAMINS A TROFÉU REGIONAL DE BENJAMINS B CAMPEONATO

Leia mais

Assunto: PROGRAMA DE PROVAS DOS ESCALÕES JOVENS

Assunto: PROGRAMA DE PROVAS DOS ESCALÕES JOVENS Assunto: PROGRAMA DE PROVAS DOS ESCALÕES JOVENS 1. INTRODUÇÃO Todos sabemos a enorme importância que o Programa de Provas que integra o calendário competitivo dos escalões mais jovens (Infantis, Iniciados

Leia mais

Campeonato Estadual Mineiro Caixa de Atletismo Sub 18

Campeonato Estadual Mineiro Caixa de Atletismo Sub 18 Campeonato Estadual Mineiro Caixa de Atletismo Sub 18 O Campeonato Estadual Mineiro Caixa de Atletismo Sub 18 tem como objetivos proporcionar aos nossos atletas um aprimoramento físico e técnico servindo

Leia mais

ALMANAQUE OLIMPÍADAS Leticia/Bruna 9A

ALMANAQUE OLIMPÍADAS Leticia/Bruna 9A ALMANAQUE OLIMPÍADAS Leticia/Bruna 9A BOXE Introdução Na antiguidade, antes mesmo das civilizações grega e romana, há indícios arqueológicos que indicam que o homem praticava lutas usando as mãos, desferindo

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16 CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16 Art. 1º - Com a finalidade de identificar o máximo desempenho nas provas do atletismo, através das entidades de prática do atletismo brasileiro,

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23 CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23 Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-23 têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo e a verificação do

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-23

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-23 CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-23 Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - Art. 4º - Art. 5º - Art. 6º - Com a finalidade de identificar o máximo desempenho nas provas do atletismo, através das entidades

Leia mais

ATLETISMO: VIVÊNCIA NO PIBID EDUCAÇÃO FÍSICA DE SÃO MIGUEL DO OESTE/SC RESUMO

ATLETISMO: VIVÊNCIA NO PIBID EDUCAÇÃO FÍSICA DE SÃO MIGUEL DO OESTE/SC RESUMO ATLETISMO: VIVÊNCIA NO PIBID EDUCAÇÃO FÍSICA DE SÃO MIGUEL DO OESTE/SC Andréa Jaqueline Prates Ribeiro Igor Mercaus Rodrigo Mulinett Gisele Suzin RESUMO Este trabalho relata a prática do Atletismo na escola

Leia mais

ESTRUTURA E PREPARAÇÃO DO TREINAMENTO RICARDO LUIZ PACE JR.

ESTRUTURA E PREPARAÇÃO DO TREINAMENTO RICARDO LUIZ PACE JR. ESTRUTURA E PREPARAÇÃO DO TREINAMENTO RICARDO LUIZ PACE JR. Todo planejamento deve iniciar-se através da identificação das variáveis intervenientes no processo de preparação da estrutura do treinamento.

Leia mais

GABARITO DO CADERNO DE ALUNO PARA O PROFESSOR

GABARITO DO CADERNO DE ALUNO PARA O PROFESSOR GABARITO DO CADERNO DE ALUNO PARA O PROFESSOR Prezado Professor O Caderno do Aluno é mais um instrumento para servir de apoio ao seu trabalho e ao aprendizado do aluno. Elaborado a partir do Caderno do

Leia mais

REGULAMENTO RELATIVO À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA

REGULAMENTO RELATIVO À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA REGULAMENTO RELATIVO À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA Página 1 de 16 A. Homologação de Recordes de Portugal

Leia mais

CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO SUB-16

CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 CAPITULO I - DA FINALIDADE ART 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 é uma competição realizada anualmente, com a finalidade de promover

Leia mais

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011 PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES Leiria, 12 de Novembro de 2011 Índice Objectivos do Treino -Gerais - Específicos - Prioritários Meios de Treino - Exemplos Objectivos do Treino GERAIS Gosto pelo

Leia mais

VII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERCLUBES

VII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERCLUBES VII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERCLUBES Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - Art. 4º - Art. 5º - Art. 6º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 INTERCLUBES têm por

Leia mais

ATLETISMO NA EDUCAÇÃO FISICA ESOLAR

ATLETISMO NA EDUCAÇÃO FISICA ESOLAR ATLETISMO NA EDUCAÇÃO FISICA ESOLAR CARVALHO, Sheila Rodrigues 1 CEZAR, Marcelo Diarcadia Mariano 2 1 Acadêmico do curso de Graduação em Educação Física da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva

Leia mais

CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-16 Alterado em Após definições do Comitê Técnico de Base

CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-16 Alterado em Após definições do Comitê Técnico de Base CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-16 Alterado em 12.04.17 Após definições do Comitê Técnico de Base CAPÍTULO I - DA FINALIDADE Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS DE ATLETISMO SUB-16 é uma competição

Leia mais

Rede Nacional de Treinamento Atletismo. Centro Nacional de Treinamento Atletismo São Paulo. Relatório março Elaborado: Lázaro Pereira Velázquez

Rede Nacional de Treinamento Atletismo. Centro Nacional de Treinamento Atletismo São Paulo. Relatório março Elaborado: Lázaro Pereira Velázquez Rede Nacional de Treinamento Atletismo Centro Nacional de Treinamento Atletismo São Paulo Relatório março 2017 Elaborado: Lázaro Pereira Velázquez Gerente de Esporte I CNTA São Paulo Treinadores: Anísio

Leia mais

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

CAMPEONATO PERNAMBUCANO ADULTO DE ATLETISMO REGULAMENTO

CAMPEONATO PERNAMBUCANO ADULTO DE ATLETISMO REGULAMENTO DO CAMPEONATO CAMPEONATO PERNAMBUCANO ADULTO DE ATLETISMO REGULAMENTO Art. 1º - O Campeonato Pernambucano Adulto de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo no estado de Pernambuco,

Leia mais

ATLETISMO Nº 03 12/09/2017

ATLETISMO Nº 03 12/09/2017 ATLETISMO Nº 03 12/09/2017 ATLETISMO LOCAL DE COMPETIÇÃO Local: Universidade Federal do Paraná Centro de Educação Física e Desportos End.: Centro de Educação Física e Desportos /Centro Politécnico - UFPR

Leia mais

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 25 e 26 de Junho de 2016 REGULAMENTO

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 25 e 26 de Junho de 2016 REGULAMENTO CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 25 e 26 de Junho de 2016 REGULAMENTO DO CAMPEONATO Art. 1º - O Campeonato Cearense Caixa ADULTO de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo

Leia mais

XXXVI Mini Olimpíadas Concelhias de Santa Maria da Feira 2011

XXXVI Mini Olimpíadas Concelhias de Santa Maria da Feira 2011 XXXVI Mini Olimpíadas Concelhias de Santa Maria da Feira 2011 REGULAMENTO DE ATLETISMO 1º - As provas de Atletismo serão realizadas no Estádio do Caldas de São Jorge Sport Clube, nos dias 9, 10 e 17 de

Leia mais

CAMPEONATO PERNAMBUCANO SUB 16 DE ATLETISMO REGULAMENTO

CAMPEONATO PERNAMBUCANO SUB 16 DE ATLETISMO REGULAMENTO CAMPEONATO PERNAMBUCANO SUB 16 DE ATLETISMO DO CAMPEONATO REGULAMENTO Art. 1º - O Campeonato Pernambucano SUB 16 de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo no estado de Pernambuco,

Leia mais

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto Caraterização Caraterização O é uma modalidade individual, integrada por um conjunto de ações naturais, como são os casos dos saltos,

Leia mais

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA SUB-23 DE ATLETISMO 01 e 02 de Agosto de 2014 REGULAMENTO

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA SUB-23 DE ATLETISMO 01 e 02 de Agosto de 2014 REGULAMENTO CAMPEONATO CEARENSE CAIXA SUB-23 DE ATLETISMO 01 e 02 de Agosto de 2014 REGULAMENTO DO CAMPEONATO Art. 1º - O Campeonato Cearense Caixa SUB-23 de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo

Leia mais

VELOCIDADE E ESTAFETAS III

VELOCIDADE E ESTAFETAS III VELOCIDADE E ESTAFETAS III 1. O Treino da Velocidade com Jovens Quando falamos de Velocidade é importante em primeiro lugar conhecer o conceito de movimento ciclíco, que correcponde a um movimento que

Leia mais

Atletismo. Atletismo. Atletismo. Atletismo. Atletismo 3/27/2014. Caraterização. A pista. Disciplinas. Velocidade

Atletismo. Atletismo. Atletismo. Atletismo. Atletismo 3/27/2014. Caraterização. A pista. Disciplinas. Velocidade Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto Caraterização A pista O é uma modalidade individual, integrada por um conjunto de ações naturais, como são os casos

Leia mais

XL CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERSELEÇÕES

XL CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERSELEÇÕES XL CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-18 - INTERSELEÇÕES Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-18 têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo e a

Leia mais

CAMPEONATOS DE PORTUGAL

CAMPEONATOS DE PORTUGAL CAMPEONATOS DE PORTUGAL 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Poderão participar atletas masculinos e femininos dos escalões de Juniores e Seniores que tenham obtido os resultados de qualificação que se indicam

Leia mais

ATLETISMO Nº 02 04/09/2014

ATLETISMO Nº 02 04/09/2014 ATLETISMO Nº 02 04/09/2014 ATLETISMO LOCAL DE COMPETIÇÃO Local: Pista da UEL Endereço: Rodovia Celso Garcia Cid, PR 445 km 380. POWERADE Para a edição de 2014, a Powerade oferecerá uma premiação aos atletas

Leia mais

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 28 e 29 de Agosto de 2015 REGULAMENTO

CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 28 e 29 de Agosto de 2015 REGULAMENTO CAMPEONATO CEARENSE CAIXA ADULTO DE ATLETISMO 28 e 29 de Agosto de 2015 REGULAMENTO DO CAMPEONATO Art. 1º - O Campeonato Cearense Caixa ADULTO de Atletismo, tem a finalidade básica de desenvolver o atletismo

Leia mais

CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO MENORES e cada atleta poderá

CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO MENORES e cada atleta poderá CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO MENORES - 2015 REGULAMENTO CAPITULO I - DA FINALIDADE ART 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO MENORES é uma competição realizada anualmente, com a

Leia mais

ATLETISMO Nº 02 20/09/2016

ATLETISMO Nº 02 20/09/2016 ATLETISMO Nº 02 20/09/2016 ATLETISMO LOCAL DE COMPETIÇÃO Local: Universidade Federal da Paraíba Endereço: Rua Nestor Rocha Arnaud, 250 Cidade Universitária PALESTRA TÉCNICA Data: 21/09/2016 Horário: 19h00

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO EDUCAÇÃO FÍSICA

DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO EDUCAÇÃO FÍSICA CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVO GERAL Favorecer o desenvolvimento corporal e mental harmônicos, consolidar hábitos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS NORMAS FUNCIONAMENTO DA PISTA DE ATLETISMO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS NORMAS FUNCIONAMENTO DA PISTA DE ATLETISMO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS NORMAS FUNCIONAMENTO DA PISTA DE ATLETISMO Art. 1º - A pista de atletismo localizada no Centro de Educação Física e Desportos

Leia mais

ATLETISMO Nº 02 12/11/2015

ATLETISMO Nº 02 12/11/2015 ATLETISMO Nº 02 12/11/2015 Local: Estádio Willie Davids Endereço: Av. Prudente de Morais, s/n - Maringá ATLETISMO LOCAL DE COMPETIÇÃO NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA COMPETIÇÃO 1. Área de Aquecimento Os atletas

Leia mais

Circular N.º 10/14. Ipatinga, 16 de Maio de Ilmo. (a) Sr. (a) DD. GERENTE. Ref.: 25º Troféu Infanto-Juvenil de Atletismo Ipatinga/Usipa

Circular N.º 10/14. Ipatinga, 16 de Maio de Ilmo. (a) Sr. (a) DD. GERENTE. Ref.: 25º Troféu Infanto-Juvenil de Atletismo Ipatinga/Usipa Circular N.º 10/14 Associação Esportiva e Recreativa Usipa Ipatinga, 16 de Maio de 2014. Ilmo. (a) Sr. (a) DD. GERENTE Ref.: 25º Troféu Infanto-Juvenil de Atletismo Ipatinga/Usipa Prezado (a) Senhor (a).

Leia mais

ABDEM EVENTO - INTERNACIONAL

ABDEM EVENTO - INTERNACIONAL ABDEM EVENTO - INTERNACIONAL A - CAMPEONATO MUNDIAL DE ATLETISMO - CLASSE T20 (MASCULINO-PRINCIPAL), PROVA 100m RASOS - REALIZADO NO EQUADOR DE 20a27/09/2015 A - CAMPEONATO MUNDIAL DE ATLETISMO - CLASSE

Leia mais

ADULTO, os atletas regularmente cadastrados e inscritos obrigatoriamente na FPA/ CBAT. O atleta somente

ADULTO, os atletas regularmente cadastrados e inscritos obrigatoriamente na FPA/ CBAT. O atleta somente CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO ADULTO - 2015 REGULAMENTO CAPITULO I - DA FINALIDADE ART 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO ADULTO é uma competição realizada anualmente, com a finalidade

Leia mais

Circuito de Atletismo de Rua

Circuito de Atletismo de Rua 2015 Circuito de Atletismo de Rua Objetivos: Promover e fazer crescer a modalidade em condições ideais para crianças e jovens quer em ambiente escolar quer no Clube. Projetado para ser abrangente, competitivo,

Leia mais

Conselho Universitário - Consuni

Conselho Universitário - Consuni PROCESSO nº. 011/09 Procedência: PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO. ASSUNTO: ALTERAÇÃO NO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS E NA NOMENCLATURA DE DISCIPLINA DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. PARECER nº. 011/09 DATA:

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO ATLETISMO

Versão Referenciais de FORMAÇÃO ATLETISMO Versão 1.00 FORMAÇÃO Referenciais de Grau II Versão 1.00 FORMAÇÃO Referenciais de Grau II Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação Portuguesa de Atletismo Setembro

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CBAt. Investindo no FUTURO do ATLETISMO BRASILEIRO

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CBAt. Investindo no FUTURO do ATLETISMO BRASILEIRO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO CBAt Investindo no FUTURO do ATLETISMO BRASILEIRO O Atletismo SÓ O ESPORTE É CAPAZ DE UNIR PESSOAS DE DIFERENTES CULTURAS, RAÇAS E CLASSES EM TORNO DE UM OBJETIVO COMUM,

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO - ATLETISMO

REGULAMENTO TÉCNICO - ATLETISMO REGULAMENTO TÉCNICO - ATLETISMO CAPÍTULO 1 - EVENTOS Art. 1º As competições de atletismo serão realizadas por etapas durante o ano de 2017 de acordo com o calendário da CBDS Confederação Brasileira de

Leia mais

CAPA POSSIVEL HISTÓRIA DO ATLETISMO PARALÍMPICO. Desde os Jogos de Roma, em 1960, o atletismo faz parte oficialmente do esporte paralímpico.

CAPA POSSIVEL HISTÓRIA DO ATLETISMO PARALÍMPICO. Desde os Jogos de Roma, em 1960, o atletismo faz parte oficialmente do esporte paralímpico. HISTÓRIA DO ATLETISMO PARALÍMPICO CAPA Desde os Jogos de Roma, em 1960, o atletismo faz parte oficialmente do esporte paralímpico. POSSIVEL As primeiras medalhas do Brasil em Paralimpíadas na modalidade

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MINI ATLETISMO PARA CRIANÇAS DO 1 AO 5 ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DO MINI ATLETISMO PARA CRIANÇAS DO 1 AO 5 ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DO MINI ATLETISMO PARA CRIANÇAS DO 1 AO 5 ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL JUNIOR, Pedro Valdir Ubaldo 1 CEZAR, Marcelo Diarcadia Mariano 2 1 Acadêmico do curso de Graduação em Educação Física da

Leia mais

VI CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 INTERCLUBES

VI CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 INTERCLUBES VI CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO SUB-16 INTERCLUBES Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-16 INTERCLUBES têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Normas Gerais 1.1.1 A participação nas provas coletivas organizadas pela FPA é reservada aos clubes portugueses que tenham

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS ATLETISMO 2017

INFORMAÇÕES GERAIS ATLETISMO 2017 INFORMAÇÕES GERAIS ATLETISMO 2017 CIRCUITO PAULISTA DE ATLETISMO PARA DEFICIENTES VISUAIS COPA SÃO PAULO DE ATLETISMO PARA DEFICIENTES VISUAIS ABERTO SÃO PAULO DE ATLETISMO PARA DEFICIENTES FISICOS E INTELECTUAIS

Leia mais

XXXVII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES - INTERESTADUAL

XXXVII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES - INTERESTADUAL XXXVII CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES - INTERESTADUAL Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE MENORES têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo

Leia mais

DISCIPLINA EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS. 6 Ano

DISCIPLINA EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS. 6 Ano DISCIPLINA EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS 6 Ano 7 Ano 8º Ano 9º Ano Favorecer aos estudantes a aquisição dos conhecimentos básicos dos esportes de forma prazerosa. Desenvolver relações equilibradas e construtivas

Leia mais

XL Mini Olimpíadas Concelhias de Santa Maria da Feira 2016

XL Mini Olimpíadas Concelhias de Santa Maria da Feira 2016 XL Mini Olimpíadas Concelhias de Santa Maria da Feira 2016 REGULAMENTO DE ATLETISMO 1º - As provas de Atletismo serão realizadas no Estádio do Caldas de São Jorge Sport Clube, nos dias 9 e 10 de Julho

Leia mais

NORMA 04 CLASSIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE ÁRBITROS ANEXO I CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM EM ATLETISMO

NORMA 04 CLASSIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE ÁRBITROS ANEXO I CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM EM ATLETISMO NORMA 04 CLASSIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE ÁRBITROS ANEXO I CURSO BÁSICO DE ARBITRAGEM EM ATLETISMO 1. Objetivos 1.1 A Confederação Brasileira de Atletismo CBAt, realiza e/ou autoriza a realização no Brasil

Leia mais

AARAM. Benjamins. Programa de Provas Fun Athletics. Associação de Atletismo da Região Autónoma da Madeira

AARAM. Benjamins. Programa de Provas Fun Athletics. Associação de Atletismo da Região Autónoma da Madeira AARAM Associação de Atletismo da Região Autónoma da Madeira Benjamins Programa de Provas Fun Athletics 2015/2016 COMPETIÇÕES PARA O ESCALÃO DE BENJAMINS B (10-11 ANOS) O presente programa tem como objectivo

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Normas Gerais 1.1.1 A participação nas provas coletivas organizadas pela FPA é reservada aos clubes portugueses que tenham

Leia mais

Seletiva Estadual Universitária de ATLETISMO

Seletiva Estadual Universitária de ATLETISMO DATA/ LOCAL/ HORÁRIOS 16º TROFÉU ADHEMAR FERREIRA DA SILVA Data: 25 e 26 de agosto de 2012 (SÁBADO e DOMINGO). Local: Pista de ATLETISMO do Ibirapuera (Estádio Ícaro de Castro Melo) Rua Manoel da Nóbrega,

Leia mais

Palavras chaves: Atletismo, Ensino, Escola, Educação Física.

Palavras chaves: Atletismo, Ensino, Escola, Educação Física. ATLETISMO NA ESCOLA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Autoras: Gyzely Santana de Arruda 1 Flórence R. Faganello Gemente 2 Resumo É inegável que o ensino do Atletismo é negligenciado nas aulas de Educação Física

Leia mais

Torneio de Atletismo de Pavilhão Local: Centro Escolar do Cávado - Monsul

Torneio de Atletismo de Pavilhão Local: Centro Escolar do Cávado - Monsul Local: Centro Escolar do Cávado - Monsul Data: 5 de março de 2016 Horário: 09h30 às 12h30 Organização: *Centro de Formação Desportiva de Atletismo Gonçalo Sampaio Agrupamento de Escolas Gonçalo Sampaio

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Normas Gerais 1.1.1 A participação nas provas coletivas organizadas pela FPA é reservada aos clubes portugueses que tenham

Leia mais

O Atletismo compreende uma grande variedade de eventos (provas) e requer diferentes capacidades e habilidades atléticas de seus praticantes.

O Atletismo compreende uma grande variedade de eventos (provas) e requer diferentes capacidades e habilidades atléticas de seus praticantes. UI MARIA LENIR ARAÚJO MENESES Prof Esp. Leonardo Delgado Aula 01: INTRODUÇÃO AO ATLETISMO UNIDADE I Aluno: Data: / / INTRODUÇÃO AO ATLETISMO O Atletismo possui como característica fundamental o fato de

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (APURAMENTO MADEIRA)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (APURAMENTO MADEIRA) 1. REGULAMENTO Federação Portuguesa de Atletismo Associação de Atletismo da Região Autónoma da Madeira CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (APURAMENTO MADEIRA) FUNCHAL E RIBEIRA BRAVA 27 E 28 DE MAIO DE 2017

Leia mais

Aço º - 15º 45º

Aço º - 15º 45º Catálogo Atletismo Fundada em 1960 pelo pioneiro Edevard Romário Biondo, caminhando na direção do aprimoramento e qualidade dos equipamentos, a Sportin foi buscar na Alemanha, a melhor tecnologia para

Leia mais

Este torneio Kids Athletics é organizado pela Secção de Atletismo - Associação 20 km de Almeirim com o apoio da Câmara Municipal da Almeirim.

Este torneio Kids Athletics é organizado pela Secção de Atletismo - Associação 20 km de Almeirim com o apoio da Câmara Municipal da Almeirim. Pavilhão Desportivo de Benfica do Ribatejo, Almeirim 06 de Março de 2016, a partir das 10h Organização Este torneio Kids Athletics é organizado pela Secção de Atletismo - Associação 20 km de Almeirim com

Leia mais

IV CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MIRINS INTERCLUBES

IV CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MIRINS INTERCLUBES IV CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MIRINS INTERCLUBES Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE MIRINS têm por propósito básico a integração nacional, a difusão do Atletismo e

Leia mais

CAMPEONATOS DE PORTUGAL AR LIVRE E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23

CAMPEONATOS DE PORTUGAL AR LIVRE E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23 CAMPEONATOS DE PORTUGAL AR LIVRE E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23 1. NOTA INTRODUTÓRIA Em simultâneo com os Campeonatos de Portugal Absolutos será disputado o Campeonato Nacional de Sub-23 em que serão

Leia mais

II FESTIVAL DE ATLETISMO DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE SANTARÉM

II FESTIVAL DE ATLETISMO DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE SANTARÉM Março 2011 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTARÉM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E DESPORTO SEMED ASSESSORIA DE ESPORTE E LAZER DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR II FESTIVAL DE ATLETISMO DAS ESCOLAS

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÂO DE PROFESSORES EM CARÁTER TEMPORÁRIO 2017

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÂO DE PROFESSORES EM CARÁTER TEMPORÁRIO 2017 Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÂO DE PROFESSORES EM CARÁTER TEMPORÁRIO 2017 PARECER RECURSOS PROVA 2 EDUCAÇÃO FÍSICA 11) Conforme a Proposta Curricular

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO DE ATLETAS DO SALTO FEMININO

ANÁLISE DO DESEMPENHO DE ATLETAS DO SALTO FEMININO ANÁLISE DO DESEMPENHO DE ATLETAS DO SALTO FEMININO INTRODUÇÃO JOÃO PAULO KAIUT, ALBERTO INÁCIO DA SILVA Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, Paraná, Brasil jp.kaiut@bol.com.br Muitos acreditam

Leia mais

A. Disposições Gerais

A. Disposições Gerais FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO Direção Técnica Nacional Sector juvenil Versão Final - ALTERAÇÕES EM 29/09/2012 Entrada em vigor: 1 de Janeiro de 2013 REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES NORMAS REGULAMENTARES

Leia mais

Prova Escrita GRUPO I ATLETISMO

Prova Escrita GRUPO I ATLETISMO INFORMAÇÕES PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2014 2015 (Ao abrigo da alínea a) do ponto 1.º, artigo 29.º, Capítulo IV do Despacho Normativo n.º 5 A/2014) Disciplina / Código: Educação Física /26 Ano

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES ESCALÕES JOVENS

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES ESCALÕES JOVENS REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES ESCALÕES JOVENS 01 de Janeiro de 2013 Regulamento Geral de Competições Escalões Jovens Página 1 de 19 NORMAS REGULAMENTARES PARA OS ESCALÕES JOVENS (BENJAMIM A JUVENIL)

Leia mais