TIPOS DE ATIVAÇÃO: Ativação térmica ( R. A. A. T. ) Ativação química ( R. A. A. Q. ) Ativação por luz visível. Polimetacrilato de metila

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TIPOS DE ATIVAÇÃO: Ativação térmica ( R. A. A. T. ) Ativação química ( R. A. A. Q. ) Ativação por luz visível. Polimetacrilato de metila"

Transcrição

1 Disciplina Materiais Dentários II Ano-semestre Titulo da aula Expositor Resinas Acrílicas Prof. Dr. Eclérion Chaves Slides 46 Duração Aproximadamente 1:50 Texto base Plano de aula Anusavice Phillips s Materiais Dentários 10ª ou 11ª ed. Publicado em: Anusavice - 11ª Ed. Cap. 22 p. 679 HISTÓRICO CLASSIFICAÇÃO DAS RESINAS Introdução dos polímeros acrílicos na odontologia. NATURAIS % das bases de próteses totais em acrílico. RESINAS UNIDADES ESTRUTURAIS (MEROS) MONÔMEROS POLÍMEROS SINTÉTICAS TERMOPLASTICA COMPORTAMENTO TÉRMICO TERMOPOLIMERIZÁVEIS RESINA ACRÍLICA CLASSIFICAÇÃO Polimetacrilato de metila Plásticos resilhentes formados pela união de múltiplas moléculas de metacrilato de metila. Sólido incolor e transparente, podendo ser pigmentado Cor e propriedades óticas estáveis na boca Principal vantagem: facilidade de processamento. Sistema pó-liquido TIPOS DE ATIVAÇÃO: Ativação térmica ( R. A. A. T. ) Ativação química ( R. A. A. Q. ) Ativação por luz visível

2 RESINA ACRÍLICA ATIVADA TERMICAMENTE (R. A. A. T.) R.A.A.T.: COMPOSIÇÃO Materiais termicamente ativados são usados na fabricação de quase todas as bases pata próteses totais. A energia térmica para a polimerização: Banho de água Forno de microondas Polímero (pó): Esferas pré-polimerizadas de poli(metacrilato de metila) Peróxido de benzoíla Iniciador da polimerização Pigmentos Copolímeros R.A.A.T.: COMPOSIÇÃO PREPARAÇÃO DO MOLDE Monômero (líquido): Metacrilato de metila (não polimerizado) Hidroquinona Inibidor de polimerização Glicol dimetracrilato de metila Formação de ligações cruzadas 1. Modelo de trabalho 2. Isolamento do modelo 3. Base para colocação dos dentes 4. Posicionamento dos dentes i. Posição no arco ii. Curva de spee iii. Curva de wilson 5. Acabamento em cera PREPARAÇÃO DO MOLDE PREPARAÇÃO DO MOLDE 1. Modelo de trabalho 2. Isolamento do modelo 3. Base para colocação dos dentes 4. Posicionamento dos dentes i. Posição no arco ii. Curva de spee iii. Curva de wilson 5. Acabamento em cera 1. Modelo de trabalho 2. Isolamento do modelo 3. Base para colocação dos dentes 4. Posicionamento dos dentes i. Posição no arco ii. Curva de spee iii. Curva de wilson 5. Acabamento em cera

3 PREPARAÇÃO DO MOLDE INCLUSÃO DA PRÓTESE 1. Modelo de trabalho 2. Isolamento do modelo 3. Base para colocação dos dentes 4. Posicionamento dos dentes i. Posição no arco ii. Curva de spee iii. Curva de wilson Mufla Inclusão parte inferior Inclusão parte superior Aquecimento da mufla Retirada da cera Isolamento do gesso 5. Acabamento em cera INCLUSÃO DA PRÓTESE INCLUSÃO DA PRÓTESE Mufla Inclusão parte inferior Inclusão parte superior Aquecimento da mufla Retirada da cera Isolamento do gesso Mufla Inclusão parte inferior Inclusão parte superior Aquecimento da mufla Retirada da cera Isolamento do gesso APLICAÇÃO DO ISOLANTE PROPORÇÃO MONÔMERO / POLÍMERO Agente isolante Soluções aquosas de alginato solúvel. Quando aplicados ao gesso produzem uma película de alginato de cálcio. Previne o contato da resina acrílica com o gesso. Água do molde afeta velocidade de polimerização da resina 3:1 (em volume) 2:1 (em peso) Monômero Polímero

4 INTERAÇÃO MONÔMERO / POLÍMERO INTERAÇÃO MONÔMERO / POLÍMERO 1 ARENOSO 2 - PEGAJOSO OU FIBROSO 3 - PLÁSTICO OU GEL 4 BORRACHÓIDE 5 - DENSO 1 ARENOSO 2 - PEGAJOSO OU FIBROSO 3 - PLÁSTICO OU GEL 4 BORRACHÓIDE 5 - DENSO INTERAÇÃO MONÔMERO / POLÍMERO INTERAÇÃO MONÔMERO / POLÍMERO 1 ARENOSO 2 - PEGAJOSO OU FIBROSO 3 - PLÁSTICO OU GEL 4 BORRACHÓIDE 5 - DENSO 1 ARENOSO 2 - PEGAJOSO OU FIBROSO 3 - PLÁSTICO OU GEL 4 BORRACHÓIDE 5 - DENSO TEMPO PARA UTILIZAÇÃO Tempo decorrido entre o final do estágio 2 e o inicio do estágio 4. (consistência de massa de vidraceiro ) Especificação Nº 12 da ADA: 5 min. Térmica (termopolimerização): Sistema pó líquido: Ativador (físico): calor Iniciador: peróxido de benzoíla. CICLO DE POLIMERIZAÇÃO ANUSAVICE, K, J, Phillips Science of Dental Materials Ed.

5 COLOCAÇÃO DA RESINA ACRÍLICA CICLO DE POLIMERIZAÇÃO Colocação da resina no molde Colocação do plástico sobre a resina Condensação da resina Retirada do plástico e dos excessos Segunda prensagem Ciclo de polimerização Procedimentos de polimerização Ativador: calor Decomposição do peróxido de benzoíla a 60º C Radicais livres > início da reação Reação exotérmica Quantidade de calor afeta as propriedades da resina 108º C - Ebulição do monômero Ciclos de polimerização Ciclo longo 8 horas a 74º C (fogo baixo) Ciclo curto 2 horas a 74º C (fogo baixo) 1 hora a 100º C (fogo alto) Curva de polimerização (em casa) CICLO DE POLIMERIZAÇÃO ACABAMENTO E POLIMENTO DA PRÓTESE Demuflagem Acabamento Polimento Mufla fechada com os parafusos (apertados); Colocar em uma panela com água suficiente para dois muflos (um em cima do outro); Colocar em fogo baixo até que levante a fervura por aproximadamente 2 horas; Manter uma hora em ebulição e fogo baixo; Desligar e deixar esfriar naturalmente. ACABAMENTO E POLIMENTO DA PRÓTESE POLIMERIZAÇÃO POR ENERGIA DE MICROONDAS Demuflagem Acabamento Polimento Ver ANUSAVICE, p. 691

6 COMPOSIÇÃO RESINA ACRÍLICA ATIVADA QUÍMICAMENTE (R. A. A. Q.) Polímero (pó) Polimetacrilato de metila Peróxido de benzoíla Pigmentos Copolímeros Monômero (líquido) Metacrilato de metila Hidroquinona (0,006 %) Dimetacrilato de glicol Dimetil-para-toluedina Química (autopolimerização): Sistema pó - líquido: Líquido com ativador: amina terciária (Dimetil - P - toluedina) Pó com iniciador: peróxido de benzoíla. FORMA DE POLIMERIZAÇÃO GRAU DE POLIMERIZAÇÃO R. A. A. Q. < R. A. A. T. Maior quantidade de monômero não reagido no corpo da R. A. A. Q. Irritação dos tecidos orais. Resistência da resina. RESINAS ATIVADAS POR LUZ VISÍVEL Ver ANUSAVICE, p. 694

7 PROPRIEDADES FÍSICAS DAS RESINAS ACRÍLICAS 1 - CONTRAÇÃO DE POLIMERIZAÇÃO 1. Contração de polimerização. 2. Porosidade. 3. Absorção de água. 4. Solubilidade. 5. Tensões de processamento. 6. Trincamento. 7. Resistência 8. Escoamento Alteração de densidade da massa Contração volumétrica de 21% RAAT 1/3 da massa é liquida 2/3 é polimetacrilato de metila pré polimerizado Contração da massa polimerizada é de 7% Contração uniformemente distribuída pela superfície da prótese 2 - POROSIDADES 3 ABSORÇÃO DE ÁGUA Vaporização do monômero não reagido. Falta de homogeneidade da massa plástica. Falta de pressão durante a polimerização. Resinas de baixa viscosidade Ocorre por difusão Expansão da massa polimerizada. Interferência no entrecruzamento das cadeias poliméricas (efeito plastificante). CONSEQUÊNCIAS: Liberação das tensões internas pequenas alterações na forma Alteração das características Físicas. Ver livro ANUSAVICE, p. 700 Dúvidas? Buscar orientações com professor! 4 - SOLUBILIDADE 5 TENSÕES DE PROCESSAMENTO Inibição do processo natural de alteração dimensional. Armazenamento de tensões internas Distorção em potencial Podem ocorrer por: Diferença de espessura. Manuseio e mistura inadequados. Aquecimento e resfriamento mal controlado.

8 6 - TRINCAMENTO 7 - RESISTÊNCIA Ver livro ANUSAVICE, p. 700 Dúvidas? Buscar orientações com professor! Composição da resina. Técnica de processamento. - Grau de polimerização. - Ciclo de polimerização. Condições do ambiente oral. 8 - ESCOAMENTO USOS DIVERSOS DAS RESINAS ACRÍLICAS Ver livro ANUSAVICE, p. 700 Dúvidas? Buscar orientações com professor! Reparo Reembasamento Forramento Forradores moles Moldeiras Dentes LABORATÓRIO EM 15 MINUTOS Não é permitida a permanência no laboratório de alunos que não estejam vestidos de acordo com a NR-32

Técnicas de fundição. Técnicas De Fundição. Page 1 1. Odontologia: tem por função restituir ao dente: Saúde Forma Função Estética

Técnicas de fundição. Técnicas De Fundição. Page 1 1. Odontologia: tem por função restituir ao dente: Saúde Forma Função Estética Disciplina Titulo da aula Expositor Slides 34 Materiais Dentários I Técnicas de fundição Prof. Dr. Eclérion Chaves Duração Aproximadamente 1:30 Plano de aula Publicado em: http://usuarios.upf.br/~fo/disciplinas/materiais%20dentarios/materiais1.htm

Leia mais

Cimentos para cimentação

Cimentos para cimentação Curso de Auxiliar em Saude Bucal - ASB Faculdade de Odontologia - UPF Requisitos de um agente cimentante ideal Cimentos para cimentação Ser adesivo; Ser insolúvel no meio bucal; Permitir bom selamento

Leia mais

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Materiais Professora: Patrícia Cé Introdução AULA I Vernizes Cimento de hidróxido de Cálcio Cimento de Ionômero de Vidro Cimento de

Leia mais

Curso de Auxiliar em Saude Bucal - ASB Faculdade de Odontologia - UPF. Materiais de Moldagem

Curso de Auxiliar em Saude Bucal - ASB Faculdade de Odontologia - UPF. Materiais de Moldagem Curso de Auxiliar em Saude Bucal - ASB Faculdade de Odontologia - UPF Materiais de Moldagem MATERIAIS DE MOLDAGEM Material de moldagem ideal: É o material que captura com precisão os detalhes das estruturas

Leia mais

EVOLUÇÃO DOS DENTES ARTIFICIAIS FABRICADOS EM RESINA ACRÍLICA.

EVOLUÇÃO DOS DENTES ARTIFICIAIS FABRICADOS EM RESINA ACRÍLICA. EVOLUÇÃO DOS DENTES ARTIFICIAIS FABRICADOS EM RESINA ACRÍLICA. Segundo FERRACANE (2001), o uso dos polímeros tornou-se possível graças à descoberta da borracha vulcanizada por Charles Goodyear em 1840.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Cruzeiro Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal de Cruzeiro Estado de São Paulo Prefeitura Municipal de Cruzeiro Estado de São Paulo TERMO DE HOMOLOGAÇÃO O Prefeito Municipal de Cruzeiro, RAFIC ZAKE SIMÃO, no uso das atribuições que lhe são conferidas por Lei, adjudica e homologa

Leia mais

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A Especialização Técnica de Nível Médio em Prótese Total área profissional de Saúde, atende ao disposto na Lei Federal n º 9.394/96 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional;

Leia mais

Clinical Update. Silicones de Condensação Departamento Técnico Dentsply Introdução. Reação de Polimerização. Características.

Clinical Update. Silicones de Condensação Departamento Técnico Dentsply Introdução. Reação de Polimerização. Características. Silicones de Condensação Departamento Técnico Dentsply Introdução Os elastômeros sintéticos não-aquosos foram desenvolvidos principalmente para aplicações na área industrial. No entanto, tem sido considerados

Leia mais

Marcação dos contatos: Ajuste interno e dos contornos proximais: Carbono líquido ou Base leve silicone e carbono Accufilm;

Marcação dos contatos: Ajuste interno e dos contornos proximais: Carbono líquido ou Base leve silicone e carbono Accufilm; DEFINIÇÃO AJUSTES E CIMENTAÇÃO Desgaste e polimento necessários para o correto assentamento da peça protética sobre o preparo, garantindo o vedamento marginal e um adequado equilíbrio de contatos proximais

Leia mais

U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O FACULDADE DE ODONTOLOGIA

U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O FACULDADE DE ODONTOLOGIA Pregão 17/2014 Processo 2014.1.374.23.2 RETIFICAÇÃO Após manifestação da área técnica da Faculdade de Odontologia da USP, constatou-se inconsistências no descritivo técnico do pregão acima citado que podem

Leia mais

SÍNTESE QUÍMICA DE NANOCERÂMICAS VISANDO APLICAÇÕES EM ODONTOLOGIA

SÍNTESE QUÍMICA DE NANOCERÂMICAS VISANDO APLICAÇÕES EM ODONTOLOGIA Ciências da Vida - Odontologia SÍNTESE QUÍMICA DE NANOCERÂMICAS VISANDO APLICAÇÕES EM ODONTOLOGIA Moysés Barbosa de Araújo Junior 1 Alejandra Hortencia Miranda González 2 Palavras-chaves Nanocerâmicas;

Leia mais

MATERIAIS ODONTOLÓGICOS II

MATERIAIS ODONTOLÓGICOS II CURSO DE ODONTOLOGIA MATERIAIS ODONTOLÓGICOS II CADERNO DIDÁTICO TURMA 2011 Autores: ANZILIERO, Luciano Esp. Curso de Odontologia da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões Campus de

Leia mais

ENTO DO US LATE as chapas acrílicas permitem a criação de

ENTO DO US LATE as chapas acrílicas permitem a criação de As chapas acrílicas permitem a criação de coberturas que mais parecem obras de arte entre as suas qualidades, destacam-se: Transparência, resistência contra raios ultravioletas, leveza, ampla variedade

Leia mais

Por: Renato Fabricio de Andrade Waldemarin; Guilherme Brião Camacho e Vinícius Marcel Ferst

Por: Renato Fabricio de Andrade Waldemarin; Guilherme Brião Camacho e Vinícius Marcel Ferst Por: Renato Fabricio de Andrade Waldemarin; Guilherme Brião Camacho e Vinícius Marcel Ferst Técnica 1: Faceta I.Dente vital e preparo protético pronto. 1. Medir a altura e a largura do dente homológo do

Leia mais

BT 0014 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 6NF_ENDURECEDOR G 130 BLUE

BT 0014 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 6NF_ENDURECEDOR G 130 BLUE BT 0014 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 6NF_ENDURECEDOR G 130 BLUE Elaborador: Verificadores: Aprovador: Resina PC 6NF_Endurecedor G 130 Blue Resina para aplicação

Leia mais

Clinical Update. Materiais de Moldagem Hidroclóides Irreversíveis (Alginato) Preparação. (Fig. 1) JELTRATE e JELTRATE PLUS

Clinical Update. Materiais de Moldagem Hidroclóides Irreversíveis (Alginato) Preparação. (Fig. 1) JELTRATE e JELTRATE PLUS Materiais de Moldagem Hidroclóides Irreversíveis (Alginato) A construção de modelos e troquéis sempre foi uma etapa importante para os mais variados procedimentos odontológicos. Sobre os modelos obtidos

Leia mais

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM SUBSECRETARIA DE ESTADO DE DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIRETORIA GERAL DE ODONTOLOGIA CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS ODONTOLÓGICAS Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 55

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 55 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 55 QUESTÃO 17 A Prótese Dentária é considerada uma especialidade odontológica de rico intercâmbio com as outras especialidades da odontologia. Esse intercâmbio

Leia mais

Treinamento Window Film Módulo I: Parte Teórica

Treinamento Window Film Módulo I: Parte Teórica Treinamento Window Film Módulo I: Parte Teórica Sumário Vidros Planos e Vidros Low-E Entendendo o Espectro Solar Formas de Propagação de Calor Conceitos Teóricos Luz Visível (Transmitida, Refletida Interior

Leia mais

DANILO MINSONI. P o l i o l P o l i é s t e r

DANILO MINSONI. P o l i o l P o l i é s t e r DANILO MINSONI P o l i o l P o l i é s t e r chimica organicaindustrialendustriale milanese c o i m B r a s i l N E G Ó C I O S Sistemas PU Solados U r e x t e r N o v a c o t e Sistemas Adesivos PU P

Leia mais

LUIZA HELENA CAMPOS ZORN TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DA BASE PROTÉTICA: CONVENCIONAL / MICROONDAS

LUIZA HELENA CAMPOS ZORN TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DA BASE PROTÉTICA: CONVENCIONAL / MICROONDAS LUIZA HELENA CAMPOS ZORN TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DA BASE PROTÉTICA: CONVENCIONAL / MICROONDAS Universidade Fernando Pessoa Faculdade De Ciências Da Saúde Porto, 2011 LUIZA HELENA CAMPOS ZORN TÉCNICAS

Leia mais

INSERÇÃO DA REABILITAÇÃO PROTÉTICA NA ATENÇÃO BÁSICA

INSERÇÃO DA REABILITAÇÃO PROTÉTICA NA ATENÇÃO BÁSICA INSERÇÃO DA REABILITAÇÃO PROTÉTICA NA ATENÇÃO BÁSICA INSERÇÃO DA REABILITAÇÃO PROTÉTICA NA ATENÇÃO BÁSICA CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS E LABORATÓRIOS DE PROTESE DENTÁRIA Porque reabilitar pelo

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

Especificação de materiais relacionados aos procedimentos

Especificação de materiais relacionados aos procedimentos Especificação de materiais relacionados aos procedimentos PRÓTESE Confecção de provisório: - resina acrílica (cor 62 e 66) - líquido de resina - vaselina - cimento provisório - fita de carbono - kit brocas

Leia mais

A Matéria e Diagrama de Fases. Profº André Montillo www.montillo.com.br

A Matéria e Diagrama de Fases. Profº André Montillo www.montillo.com.br A Matéria e Diagrama de Fases Profº André Montillo www.montillo.com.br Substância: É a combinação de átomos de elementos diferentes em uma proporção de um número inteiro. O átomo não é criado e não é destruído,

Leia mais

POLÍMEROS POLIETILENO DE BAIXA DENSIDADE

POLÍMEROS POLIETILENO DE BAIXA DENSIDADE POLÍMEROS Os polímeros são macromoléculas formada pela união de pequenas unidades que se repetem, os monômeros. Existem basicamente dois tipos de polimerização: adição e condensação. Na polimeirzação por

Leia mais

BT 0011 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 26_ENDURECEDOR G 226_ CARGA EF 35/P

BT 0011 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 26_ENDURECEDOR G 226_ CARGA EF 35/P BT 0011 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 26_ENDURECEDOR G 226_ CARGA EF 35/P Elaborador: Verificadores: Aprovador: Resina PC 26_Endurecedor G 226_Carga EF 35/P Resina

Leia mais

TINTAS E VERNIZES MCC1001 AULA 7

TINTAS E VERNIZES MCC1001 AULA 7 TINTAS E VERNIZES MCC1001 AULA 7 Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil DEFINIÇÃO: TINTAS

Leia mais

DISCIPLINA DE PRÓTESE FIXA I ODT 434

DISCIPLINA DE PRÓTESE FIXA I ODT 434 FACULDADE DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE DO BRASIL Departamento de Prótese e Materiais Dentários 1. CARACTERIZAÇÃO DISCIPLINA DE PRÓTESE FIXA I ODT 434 1.1 PRÉ-REQUISITOS: DENTÍSTICA OPERATÓRIA II ODC

Leia mais

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Materiais Dentários Professora: Patrícia Cé Introdução AULA II Materiais de Moldagem Alginato Polissulfeto Poliéter Silicone de condensação

Leia mais

Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c. Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C. aplicação

Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c. Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C. aplicação Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C O sistema reembasador para qualquer aplicação Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c O sistema reembasador para qualquer aplicação A atrofia do osso alveolar

Leia mais

AULA 3 DENTÍSTICA RESTAURADORA MATERIAIS E TÉCNICAS PROF.ESP.RICHARD SBRAVATI

AULA 3 DENTÍSTICA RESTAURADORA MATERIAIS E TÉCNICAS PROF.ESP.RICHARD SBRAVATI CURSO ASB UNIODONTO/APCD AULA 3 DENTÍSTICA RESTAURADORA MATERIAIS E TÉCNICAS PROF.ESP.RICHARD SBRAVATI TRABALHO DE CONCLUSÃO DE MÓDULO Tema: O papel da ASB nas especialidades de Prótese e Dentística. Trabalho

Leia mais

RETICULAÇÃO DE ELASTÔMEROS VIA PEROXIDOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO

RETICULAÇÃO DE ELASTÔMEROS VIA PEROXIDOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO RETICULAÇÃO DE ELASTÔMEROS VIA PEROXIDOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO CURSO BÁSICO DA TECNOLOGIA DOS ELASTÔMEROS CETEPO RS Rosane Frank Agosto/10 HISTÓRICO EMPRESA 100% NACIONAL FUNDADA EM 1992 LABORATÓRIO PRÓPRIO

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 00 REVISÃO: 10/2014 PÁGINA 1/5 INDUCOLA A

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 00 REVISÃO: 10/2014 PÁGINA 1/5 INDUCOLA A FISPQ 00 REVISÃO: 10/2014 PÁGINA 1/5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Inducola A Código interno: 5003 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br Endereço:

Leia mais

RELAÇÃO DE INSTRUMENTAIS E MATERIAIS DA DISCIPLINA DE CLÍNICA INTEGRADA EM PRÓTESE DENTAL

RELAÇÃO DE INSTRUMENTAIS E MATERIAIS DA DISCIPLINA DE CLÍNICA INTEGRADA EM PRÓTESE DENTAL RELAÇÃO DE INSTRUMENTAIS E MATERIAIS DA DISCIPLINA DE CLÍNICA INTEGRADA EM PRÓTESE DENTAL A disciplina utilizará as listas de materiais das disciplinas de Prótese Fixa, Prótese Parcial Removível e Prótese

Leia mais

Química D Extensivo V. 3

Química D Extensivo V. 3 Química D Extensivo V. 3 Exercícios 01) Alternativa correta: A 5 4 3 2 1 CH 3 CH 2 CH CH CH 2 OH CH 3 CH 3 metil metil 02) Alternativa correta: D 8 7 6 5 4 3 2 1 CH 3 C = CH CH 2 CH 2 CH CH 2 CH 2 OH CH

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRECOR a base d água. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos Campos - SP

Leia mais

Porta Rolos de algodão - azul ou branco. New Compress - Gaze TNT 5x5 cm 200 unidades. New Mask Pro Shield - Máscaras c/ Viseira

Porta Rolos de algodão - azul ou branco. New Compress - Gaze TNT 5x5 cm 200 unidades. New Mask Pro Shield - Máscaras c/ Viseira DESCARTÁVEIS New cotton rolls - Rolos de algodão nº2-300 gr. Porta Rolos de algodão - azul ou branco New Compress - Gaze TNT 5x5 cm 200 unidades New Mask Pro Shield - Máscaras c/ Viseira New Mask - Máscaras

Leia mais

-Estrutura, composição, características. -Aplicações e processamento. -Tecnologias associadas às aplicações industriais.

-Estrutura, composição, características. -Aplicações e processamento. -Tecnologias associadas às aplicações industriais. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Teófilo Otoni - MG Prof a. Dr a. Flaviana Tavares Vieira Tópicos : -Estrutura, composição, características.

Leia mais

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 RESPONDA AS QUESTÕES DE 1 a 30, MARCANDO UMA DAS ALTERNATIVAS DE ACORDO COM O QUE SE PEDE QUESTÃO 1 Peso 2 A dissolução do cloreto de amônio, NH 4 Cl(s), em água ocorre

Leia mais

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM. Aula 2

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM. Aula 2 SUBSECRETARIA DE ESTADO DE DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIRETORIA GERAL DE ODONTOLOGIA CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS ODONTOLÓGICAS Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM

Leia mais

TÉCNICO EM PRÓTESE DENTÁRIA

TÉCNICO EM PRÓTESE DENTÁRIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos CONCURSO PÚBLICO PARA TÉCNICO-ADMINISTRATIVO EM EDUCAÇÃO EDITAL

Leia mais

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42 Processo Seletivo/UNIFAL- janeiro 2008-1ª Prova Comum TIPO 1 QUÍMICA QUESTÃO 41 Diferentes modelos foram propostos ao longo da história para explicar o mundo invisível da matéria. A respeito desses modelos

Leia mais

politech Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes

politech Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes Ficha técnica politech politech é um adesivo à base de poliuretano, bicomponente, do tipo R2 T, segundo a norma EN 12004, adequado para colocações sobre suportes deformáveis. Especialmente recomendado

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA II (EM307) 2º Semestre 2005/06. 4. Processamento de Materiais Cerâmicos

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA II (EM307) 2º Semestre 2005/06. 4. Processamento de Materiais Cerâmicos MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA II (EM307) 2º Semestre 2005/06 4. Processamento de Materiais Cerâmicos F. Jorge Lino Alves 1 Resumo 4. Processamento de Materiais Cerâmicos Processos utilizados na fabricação

Leia mais

Massa Cozida. Ingredientes. Modo de Preparo

Massa Cozida. Ingredientes. Modo de Preparo Massa Cozida 5 kg de farinha de trigo (fique atento à umidade da farinha) 9 a 9,5 litros de água 300gr margarina 80% de lipídio 50 ml de óleo Sal e caldo de galinha a gosto 1. Ferver em fogo alto a água,margarina

Leia mais

Volume 8 óptica. Capítulo 49 Espelhos Planos

Volume 8 óptica. Capítulo 49 Espelhos Planos Volume 8 óptica Vídeo 49.1 Vídeo 49.2 Vídeo 49.3 Vídeo 49.4 Vídeo 49.5 Vídeo 49.6 Vídeo 49.7 Vídeo 49.8 Vídeo 49.9 Capítulo 49 Espelhos Planos Um feixe de micro-ondas refletido por uma placa metálica plana

Leia mais

VITRO-CERAM ALUMINA. Alumina infiltrada com vidro para copings e estruturas de próteses fixas de porcelana sem metal.

VITRO-CERAM ALUMINA. Alumina infiltrada com vidro para copings e estruturas de próteses fixas de porcelana sem metal. VITRO-CERAM ALUMINA Alumina infiltrada com vidro para copings e estruturas de próteses fixas de porcelana sem metal Instruções de Uso Introdução Nos últimos anos o desenvolvimento de porcelanas com extraordinárias

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA - PODCAST ÁREA CIÊNCIAS DA NATUREZA

SEQUÊNCIA DIDÁTICA - PODCAST ÁREA CIÊNCIAS DA NATUREZA Título do Podcast Área Segmento Duração Plásticos Ciências da Natureza Ensino Médio 5min43seg SEQUÊNCIA DIDÁTICA - PODCAST ÁREA CIÊNCIAS DA NATUREZA Habilidades do Ensino Médio: H24: Reconhecer o petróleo

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL Faculdade de Engenharia PROCESSAMENTO DE POLÍMEROS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL Faculdade de Engenharia PROCESSAMENTO DE POLÍMEROS PROCESSAMENTO DE POLÍMEROS AULA 01 Polímeros Definição de Polímeros Tipos de Polímeros Aplicações dos Polímeros Definições gerais para Polímeros Peso Molecular Arquitetura Molecular Estado de Conformação

Leia mais

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA.

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. 1)Considere os seguintes dados obtidos sobre propriedades de amostras de alguns materiais. Com respeito a estes materiais,

Leia mais

07/10/2009. Vazamento imediato. Silicona por condensação. Polissulfetos. Poliéter < < > > Silicona por Condensação. Elastômeros

07/10/2009. Vazamento imediato. Silicona por condensação. Polissulfetos. Poliéter < < > > Silicona por Condensação. Elastômeros 07/10/2009 ELASTÔMERS QuickTime and a Sorenson Video 3 decompressor are needed to see this picture. Siliconas por condensação Siliconas por adição Polissulfetos Poliéter Elastômeros Silicona por condensação

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia REGULAMENTOS

Jornal Oficial da União Europeia REGULAMENTOS L 30/2 6.2.2015 REGULAMENTOS REGULAMENTO (UE) 2015/174 DA COMISSÃO de 5 de fevereiro de 2015 que altera e retifica o Regulamento (UE) n. o 10/2011 relativo aos materiais e objetos de matéria plástica destinados

Leia mais

Vidros Vidro Acidado Submetido à solução ácida que age no vidro, de maneira controlada, criando texturas, desenhos e letras e promovendo um aspecto de translucidez. Pode ser fabricado artesanal ou industrialmente

Leia mais

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico RESINA UNILENE. Resina Unilene. Basile Química Ind. e Com. Ltda.

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico RESINA UNILENE. Resina Unilene. Basile Química Ind. e Com. Ltda. Folha: 1 / 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código Interno: Resina Unilene Resina Unilene A-80, Resina Unilene A-90, Resina unilene A-100, Resina Unilene AC-100, Resina Unilene

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/ SOEBRAS ELASTÔMEROS. Autor: Christian Ravel dos Santos

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/ SOEBRAS ELASTÔMEROS. Autor: Christian Ravel dos Santos INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/ SOEBRAS ELASTÔMEROS Autor: Christian Ravel dos Santos FLORIANÓPOLIS 2009 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/ SOEBRAS ELASTÔMEROS Autor: Christian Ravel dos Santos

Leia mais

Índice. P r o j e t o Tratamento de piso

Índice. P r o j e t o Tratamento de piso TRATAMENTO DE PISOS Índice Porque fazer um tratamento de piso? Fases do tratamento de piso Tipos de pisos Vantagens do tratamento Conceitos técnicos Equipamentos e acessórios Etapas do tratamento Produtos

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS IGREDIENTES: CONCENTRAÇÃO %

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS IGREDIENTES: CONCENTRAÇÃO % 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRELATÉX Tinta acrílica base d agua. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos

Leia mais

COMPORTAMENTO REOLÓGICO DE FORMULAÇÕES PARA DENTIFRÍCIOS

COMPORTAMENTO REOLÓGICO DE FORMULAÇÕES PARA DENTIFRÍCIOS COMPORTAMENTO REOLÓGICO DE FORMULAÇÕES PARA DENTIFRÍCIOS Marcelo Vaqueiro de Souza e Silva Roberto Guimarães Pereira Universidade Federal Fluminense, Departamento de Engenharia Mecânica Rua Passos da Pátria,

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Informações de Tabela Periódica CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Folha de Dados Elemento H C N O F Al Cl Zn Sn I Massa atômica (u) 1,00 12,0 14,0

Leia mais

RESINA POLIÉSTER INSATURADO, ISOFTÁLICA, MÉDIA REATIVIDADE

RESINA POLIÉSTER INSATURADO, ISOFTÁLICA, MÉDIA REATIVIDADE BOLETIM TÉCNICO COMMODITIES ARAZYN 11.0 - BOLETIM TECNICO DA FAMILIA ARA QUÍMICA S/A. RUA ARTHUR CÉSAR, 200 18147-000 ARAÇARIGUAMA SP BRASIL TEL: 0 (XX) 11 4136 1900 BTE DOCUMENTO 000136 RESINA POLIÉSTER

Leia mais

MODELO DE ROTULAGEM. 1 blister com 1 ampola de monômero de metil metacrilato 10 ml

MODELO DE ROTULAGEM. 1 blister com 1 ampola de monômero de metil metacrilato 10 ml SIMPLEX Código: 6191XXXX SIMPLEX 1/2 DOSE 1 blister com 1 ampola de monômero de metil metacrilato 10 ml 1 pacote de pó com 20 gr. de polimetilmetacrilato e sulfato de bário 1 SIMPLEX Código: 6191XXXX 2

Leia mais

PROPRIEDADES DA MATÉRIA

PROPRIEDADES DA MATÉRIA Profª Msc.Anna Carolina A. Ribeiro PROPRIEDADES DA MATÉRIA RELEMBRANDO Matéria é tudo que tem massa e ocupa lugar no espaço. Não existe vida nem manutenção da vida sem matéria. Corpo- Trata-se de uma porção

Leia mais

RELAÇÃO DOS ANEXO ITENS IDA LICITAÇÃO

RELAÇÃO DOS ANEXO ITENS IDA LICITAÇÃO RUA C.E.P.:78.511.052/0001-10 JOÃO 89636-000-Abdon SANTIN, 30 Batista DE ABDON - Telefone: SCBATISTA 4935451177 Adm.: - Processo Data do Processo: de Licitação: Folha: 12/01/2015 1/6 RELAÇÃO DOS ANEXO

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC/PARANÁ SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC/PARANÁ CONCORRÊNCIA 18/2012

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC/PARANÁ SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC/PARANÁ CONCORRÊNCIA 18/2012 SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC/PARANÁ SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC/PARANÁ CONCORRÊNCIA 18/2012 OBJETO: AQUISIÇÃO E INSTALAÇÃO DE MOBILIÁRIOS E EQUIPAMENTOS PARA AS UNIDADES DO SESC/PR

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO CONFORME ABNT-NBR14725:2009

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO CONFORME ABNT-NBR14725:2009 FISPQ nº: A0012 Página: 1/5 Data da última revisão: 09/02/12 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto (nome comercial): Código interno de identificação do produto: Finalidade: Nome da Empresa:

Leia mais

WATTCRON SUA MELHOR OPÇÃO EM AQUECIMENTO INDUSTRIAL

WATTCRON SUA MELHOR OPÇÃO EM AQUECIMENTO INDUSTRIAL WATTCRON SUA MELHOR OPÇÃO EM AQUECIMENTO INDUSTRIAL SOBRE A WATTCRON Fundada em 1997 com sede própria na rua Gonçalves Dias, 69 - Catumbi - São Paulo - SP. A Wattcron tem o compromisso com a qualidade

Leia mais

Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 17/09/2013 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Escola de Enfermagem

Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 17/09/2013 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Escola de Enfermagem Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 17/09/2013 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Escola de Enfermagem Despesas com Material de Consumo de Laboratório 31.890,53 Tomás Dias

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Aditivo Solvente Código do produto: SO-228 Página 1 de 5

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Aditivo Solvente Código do produto: SO-228 Página 1 de 5 Código do produto: SO-228 Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código do produto: Aplicação: Fornecedor: SO-228 Telefone de emergência: (19) 3864-6000 Utilizado diluído

Leia mais

Matérias Primas e Processos para Marcenaria INTRODUÇÃO

Matérias Primas e Processos para Marcenaria INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A cada dia surgem no mercado novos materiais com o objetivo de tornar a produção mais competitiva, reduzindo as etapas de produção, o tempos de fabricação e os custos. Madeira maciça A madeira

Leia mais

Plastificadora com Motor

Plastificadora com Motor Itens Excludentes de garantia: - Qualquer acessório ou componente sujeito a desgaste natural durante o uso do equipamento, tais como: iluminação, refil de jateadores, filtro do exaustor, luvas, eletrodos,

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE A MADEIRAS ECOLÓGICAS

INFORMAÇÕES SOBRE A MADEIRAS ECOLÓGICAS INFORMAÇÕES SOBRE A MADEIRAS ECOLÓGICAS O piso MADEIRAS ECOLÓGICAS é um sistema de pavimentação modular especificamente para uso ao ar livre, robusto e inovador. O resultado estético final se integra perfeitamente

Leia mais

Classificação dos Núcleos

Classificação dos Núcleos OBJETIVO Núcleos Permitir que o dente obtenha características biomecânicas suficientes para ser retentor de uma prótese parcial fixa. Classificação dos Núcleos Núcleos de Preenchimento Núcleos Fundidos

Leia mais

CONCRETOS REFRATÁRIOS PARA CIMENTO E CAL: EVOLUÇÃO, PROPRIEDADES E MÉTODOS DE APLICAÇÃO. Waldir de Sousa Resende IBAR LTDA

CONCRETOS REFRATÁRIOS PARA CIMENTO E CAL: EVOLUÇÃO, PROPRIEDADES E MÉTODOS DE APLICAÇÃO. Waldir de Sousa Resende IBAR LTDA VII ERUR ENCONTRO DE REFRATÁRIOS E USUÁRIOS DE REFRATÁRIOS CONCRETOS REFRATÁRIOS PARA CIMENTO E CAL: EVOLUÇÃO, PROPRIEDADES E MÉTODOS DE APLICAÇÃO Waldir de Sousa Resende IBAR LTDA RESUMO Definição Concretos

Leia mais

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág. CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: ODONTOLOGIA PRÉ-CLÍNICA I Código: ODO-021 Pré-requisito: ANATOMIA

Leia mais

Osmose Reversa Conheça este processo de purificação de água

Osmose Reversa Conheça este processo de purificação de água Osmose Reversa Conheça este processo de purificação de água Antes de falarmos sobre Osmose Reversa, precisamos entender o que é Osmose. Osmose é o nome dado ao movimento da água entre meios com concentrações

Leia mais

MILHÕES P O O S A I S O M E N I T M U 8DE SORRISOS. www.fgm.ind.br 0800 644 6100 PROMOÇÕES VÁLIDAS ENQUANTO DURAREM OS ESTOQUES.

MILHÕES P O O S A I S O M E N I T M U 8DE SORRISOS. www.fgm.ind.br 0800 644 6100 PROMOÇÕES VÁLIDAS ENQUANTO DURAREM OS ESTOQUES. MILHÕES 8DE SORRISOS M U I T M U O I T M A I S O M E N P O O S R BRINDES DESCONTOS ECONOMIA QUALIDADE www.fgm.ind.br 0800 644 6100 PROMOÇÕES VÁLIDAS ENQUANTO DURAREM OS ESTOQUES. LEVE AGORA! WHITE CLASS

Leia mais

André Tomazini Gomes de Sá

André Tomazini Gomes de Sá Influência do casquete (com ou sem contato cervical com a estrutura moldada) e da moldeira de estoque, para um único elastômero, sobre a precisão dimensional de troquéis de um gesso do tipo IV. André Tomazini

Leia mais

TABELA DE DENOMINAÇÃO DE DEFEITOS. Código de Barras Nº Defeito Denominação do Defeito

TABELA DE DENOMINAÇÃO DE DEFEITOS. Código de Barras Nº Defeito Denominação do Defeito 1/5 Código de Barras Nº Defeito Denominação do Defeito 01 Abaulamento Maior Flecha de profundidade acima do especificado. Abaulamento Menor Flecha de profundidade abaixo do especificado. 03 Acabamento

Leia mais

3M EAMD / Energy Markets. Catálogo de Produtos para Mineração. Soluções. para Mineração

3M EAMD / Energy Markets. Catálogo de Produtos para Mineração. Soluções. para Mineração 3M EAMD / Energy Markets Catálogo de Produtos para Mineração Soluções para Mineração 3M e o Mercado de Mineração O forte relacionamento da 3M com a indústria de mineração começou nos campos do Lago Superior

Leia mais

ODONTOLOGIA ESTÉTICA

ODONTOLOGIA ESTÉTICA ODONTOLOGIA ESTÉTICA O sorriso enaltece os dentes que podem assim como outros elementos da face denunciar a idade cronológica do ser humano por meio de desgastes ou mesmo pela alteração da cor. Nesse contexto,

Leia mais

mais solventes, ou sem solvente numa reação chamada de pré-polimerização. Quando a reação envolve os componentes acrílicos puros, o grau de

mais solventes, ou sem solvente numa reação chamada de pré-polimerização. Quando a reação envolve os componentes acrílicos puros, o grau de 11 1 Introdução A produção e venda de fitas adesivas é um negócio que movimenta imensas quantias de capital mundialmente. 3M, Avery Dennison, Tesa, Norton e Loma são empresas de grande reputação que estão

Leia mais

DOW CORNING DO BRASIL LTDA Folha de Segurança do Produto DOW CORNING(R) IE 39 EMULSION

DOW CORNING DO BRASIL LTDA Folha de Segurança do Produto DOW CORNING(R) IE 39 EMULSION Página: 1 de 8 1. IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA E DA EMPRESA Dow Corning Do Brasil Ltda Rodovia Campinas Monte Mor Km 8.6 Hortolandia SP CEP 13186-903 Cx. Postal:081 Brasil Telefone de Emergencia: Telefone

Leia mais

Sobre as substâncias representadas pelas estruturas I e II, é INCORRETO afirmar:

Sobre as substâncias representadas pelas estruturas I e II, é INCORRETO afirmar: 8 GABARITO 1 1 O DIA 2 o PROCESSO SELETIVO/2005 QUÍMICA QUESTÕES DE 16 A 30 16. Devido à sua importância como catalisadores, haletos de boro (especialmente B 3 ) são produzidos na escala de toneladas por

Leia mais

Internacional SOLUTIONS

Internacional SOLUTIONS Internacional SOLUTIONS SILICONE NEUTRO Silicone neutro Impermeabilizante de uso profissional. Inodoro e com fungicida. ADERE EM: Madeira, concreto, tijolo, vidro, PVC, plástico, alumínio, etc. APLICAÇÃO:

Leia mais

5 seringas com 4g cada nas cores: Esmalte: A2, A3, A3,5, B2 e C2 1 seringa de Magic Acid com 2,5mL 1 frasco de Magic Bond DE com 4mL

5 seringas com 4g cada nas cores: Esmalte: A2, A3, A3,5, B2 e C2 1 seringa de Magic Acid com 2,5mL 1 frasco de Magic Bond DE com 4mL Linha de Produtos Fill Magic Resina composta micro-híbrida Excelente consistência e não pegajosa Ótima estabilidade de cor Fluorescência similar ao dente natural Ótimo polimento com brilho semelhante ao

Leia mais

Reciclagem polímeros

Reciclagem polímeros Reciclagem polímeros Reciclagem Química A reciclagem química reprocessa plásticos transformando-os em petroquímicos básicos: monômeros ou misturas de hidrocarbonetos que servem como matéria-prima, em refinarias

Leia mais

Questões ENADE. 2011 QUESTÃO 11 (Componente específico comum)

Questões ENADE. 2011 QUESTÃO 11 (Componente específico comum) OPQ0001 Questões ENADE 2011 QUESTÃO 11 (Componente específico comum) Materiais metálicos, cerâmicos e poliméricos são amplamente utilizados nos dias de hoje. Suas aplicações estão diretamente relacionadas

Leia mais

Catálogo. Linha Laboratorial. Fotos meramente ilustrativas. Máxima qualidade em produtos odontológicos nacionais e importados

Catálogo. Linha Laboratorial. Fotos meramente ilustrativas. Máxima qualidade em produtos odontológicos nacionais e importados Catálogo Linha Laboratorial Fotos meramente ilustrativas. Máxima qualidade em produtos odontológicos nacionais e importados Creation CC Cerâmica feldspática para aplicação sobre refratário e ligas metálicas

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO RESÍDUO

IDENTIFICAÇÃO DO RESÍDUO IDENTIFICAÇÃO DO RESÍDUO 3.1 - Coleta e Separação dos Resíduos A etapa inicial e mais importante para a reciclagem é a triagem, que consiste na separação dos plásticos do resíduo recebido e na eliminação

Leia mais

38.0500 Lava-Roupas Pó Tixan Ypê Primavera

38.0500 Lava-Roupas Pó Tixan Ypê Primavera Página 1 de 7 Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos FISPQ 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1. Nome do Tixan Ypê 1.2. Código do Produto: 1.3. Aplicação 38.0500 Lava-Roupas Pó

Leia mais

Água e Solução Tampão

Água e Solução Tampão União de Ensino Superior de Campina Grande Faculdade de Campina Grande FAC-CG Curso de Fisioterapia Água e Solução Tampão Prof. Dra. Narlize Silva Lira Cavalcante Fevereiro /2015 Água A água é a substância

Leia mais

LABORATÓRIO DE MODELOS, INCLUSÃO E FUNDIÇÃO

LABORATÓRIO DE MODELOS, INCLUSÃO E FUNDIÇÃO LABORATÓRIO DE MODELOS, INCLUSÃO E FUNDIÇÃO 1. Descrição Física A área mínima deste laboratório deve ser igual ou superior a 59,00 m 2 ; sala quente com área mínima de 10,00 m² e almoxarifado com 9,50

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 QUESTÃO 31 Com relação aos tecidos dentários, analise as afirmativas abaixo: 1) O esmalte é um tecido duro, que constitui a maior parte do dente, determinando a forma da coroa.

Leia mais

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág. CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: ODONTOLOGIA PRÉ-CLÍNICA I Código: Pré-requisito: ANATOMIA HUMANA

Leia mais

03.2004 Detergente Líquido Ypê Neutro

03.2004 Detergente Líquido Ypê Neutro Página 1 de 7 Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos FISPQ 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1. Nome do louças Ypê Neutro 1.2. Código do Produto: 1.3. Aplicação 03.2004 Detergente

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI EP 300 Base Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere, 198 Jardim

Leia mais

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Paulo Henrique Saraiva Câmara SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Frederico

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO. Revisão: 1 Data: 14/03/2011 Página: 1 /9

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO. Revisão: 1 Data: 14/03/2011 Página: 1 /9 Revisão: 1 Data: 14/03/2011 Página: 1 /9 1. IDENTIFICACÃO DO PRODUTO Nome do produto: Fornecedor: VINISOL WPCH World Wide Partnership Imp. e Exp. Ltda Rua Garça, 174 - Vila Prosperidade 09550-470 - São

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do Produto: VERNIZ PU INCOLOR FLEX (HONDA) Page: 1 SEÇÃO 1-IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: VERNIZ PU INCOLOR FLEX (HONDA) Código do produto: A93881001/00 Fornecedor: DuPont

Leia mais