INFLUÊNCIA DO TEMPO DE ARMAZENAMENTO DA AMOSTRA SOBRE OS PARÂMETROS HEMATOLÓGICOS DE CÃES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFLUÊNCIA DO TEMPO DE ARMAZENAMENTO DA AMOSTRA SOBRE OS PARÂMETROS HEMATOLÓGICOS DE CÃES"

Transcrição

1 INFLUÊNCIA DO TEMPO DE ARMAZENAMENTO DA AMOSTRA SOBRE OS PARÂMETROS HEMATOLÓGICOS DE CÃES Liamara A. LEIDENTZ, Daiane LAZAROTTO. Orientador: Wanderson A. B. Pereira. Introdução O hemograma é um dos exames mais requisitados, por trazer diferentes informações sobre o estado geral do paciente (GROTTO, 2009). Diante disso, o interesse pela pesquisa na área da hematologia veterinária cresceu consideravelmente nas últimas décadas, principalmente relacionado ao melhoramento das técnicas laboratoriais, buscando respostas aos problemas clínicos dos animais (ROCHA, et al 1998). O exame hematológico compreende os testes laboratoriais que são utilizados para examinar os três tipos de células do sangue periférico: série eritrocitária (células vermelhas), série leucocitária (células brancas) e série plaquetária (MIRANDA, 2012). A série eritrocitária permite avaliar o estudo das células vermelhas do sangue, que compreende a avaliação do hematócrito, contagem das hemácias e concentração de hemoglobina, cujos valores obtidos dão origem aos índices eritrocitários que são o volume corpuscular médio (VCM), hemoglobina corpuscular média (HCM) e a concentração de hemoglobina corpuscular média (CHCM) (ROCHA, et al 1998). A série leucocitária é a parte do hemograma que reflete as alterações quantitativas e qualitativas do leucograma e compreende a contagem global e diferencial dos leucócitos, sendo geralmente utilizada para analisar e supervisionar os processos inflamatórios (COELHO, 2006). A série plaquetária corresponde às menores células do sangue, com grande importância na manutenção da homeostasia. As principais anormalidades incluem a trombocitose, que é o aumento do número de plaquetas e a trombocitopenia que é a diminuição do número de plaquetas (HLAVAC, 2012). As amostras de sangue são obtidas por punção venosa, sem deixar o sangue coagular, através da homogeneização da amostra com um anticoagulante, sendo o ácido etilenodiaminatetracético (EDTA) o de escolha (SINK, FELDMAN 2006). O tempo para o procedimento de um hemograma refrigerado com poucas alterações nos valores da

2 série vermelha é de até 24 horas após a colheita, sendo preservadas as amostras de sangue em uma temperatura de 4ºC (OLIVEIRA, 2009). Entretanto, Franco et al., analisaram 10 amostras de cães, mantendo o sangue refrigerado por até 24 horas em 6ºC, observando que o número de células diminuíram, tanto na série vermelha como na branca, principalmente nos valores de hematócrito, proteínas plasmáticas, leucócitos totais e plaquetas, quando refrigeradas por 12 horas. O hemograma é um dos exames mais solicitados na medicina veterinária, porém, faltam estudos que mostram as condições do armazenamento de amostras, pois nem sempre as mesmas podem ser processadas imediatamente após a colheita do sangue. Sendo assim, o presente trabalho teve como objetivo analisar a ocorrência de alterações no hemograma de cães, causadas pelo tempo de refrigeração da amostra de sangue, verificando sua influência na interpretação do exame hematológico. Material e Métodos Para desenvolver o protocolo experimental, foram utilizados 30 cães, com raças e idades variadas, machos e fêmeas, que foram atendidos na rotina do Centro de Práticas Clínicas e Cirúrgicas do Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia. Após a anti-sepsia local, as amostras de sangue foram colhidas por venipunção jugular, utilizando agulhas e seringas descartáveis. Foram coletadas amostras com aproximadamente 4 ml de sangue, sendo depositadas em tubos a vácuo contendo anticoagulante ácido etilenodiaminotetracético (EDTA). Após a colheita, as amostras foram enviadas ao Laboratório de Análises Clínicas do IFC Campus Concórdia, submetidas à condições diferentes de armazenamento, no qual, o exame foi realizado até 48 horas após a colheita das amostras. Para a realização do hemograma as amostras de sangue foram analisadas em três momentos. M1: a amostra foi processada em um tempo máximo de 2 horas após a colheita em temperatura ambiente. Somente as amostras que apresentaram os resultados com valores de referências normais foram armazenadas para o experimento. M2: armazenou-se a amostra a 4 C por 24 horas. M3: armazenagem da amostra a 4ºC por 48 horas. As análises foram realizadas 15 minutos após terem sido retiradas da refrigeração, para que as mesmas estivessem à temperatura ambiente durante a realização dos testes.

3 Foram analisados os seguintes parâmetros: hematócrito, proteína plasmática, contagem total de hemácias, contagem total de leucócitos e contagem diferencial de leucócitos (neutrófilos segmentados e linfócitos) e contagem de plaquetas em esfregaço sanguíneo, nos três momentos das amostras. Após a realização das avaliações e obtenção dos resultados, os mesmos foram avaliados pela análise de variância (One way ANOVA), sendo as medidas comparadas pelo teste de Tukey, ambos com 5% de significância. Resultados e Discussão Na avaliação da contagem de hemácias (x10 6 /µl) houve uma redução significativa dos valores médios 6.15 (p < 0.05) no M3 em relação aos momentos M1: 6.71 e M2: Tal fato, foi citado por Oliveira que considerou esse decréscimo provavelmente por lise das hemácias durante o período de estocagem. Entretanto, esses achados discordam de Coelho e Dorigam que relataram estabilidade das hemácias quando refrigeradas. Com relação aos resultados apresentados para a avaliação da proteína plasmática (g/dl) houve um aumento significativo na média 7.45 (p < 0.05), ocorrido no M3 em relação aos momentos M1: 7.02 e M2: 7.18 do experimento. Esses dados corroboram com Oliveira que relatou que o aumento foi determinado pela hemólise no plasma. Os dados obtidos para o hematócrito (%) não mostraram diferenças estatisticamente significativas na média (p > 0.05), M1: 43.86, M2: e M3: 46.33, durante todo o período de estocagem, considerando-se um parâmetro estável por até 48 horas de refrigeração. Estes dados corroboram com Coelho e Oliveira. Os resultados obtidos para a contagem total de leucócitos (x10 3 /µl) não mostraram alterações significativas na média (p > 0.05), M1: 10.72, M2: e M3: Estes valores corroboram com Oliveira e também com Coelho que relatou estabilidade por até 96 horas. A partir dos dados apresentados para neutrófilos segmentados (x10 3 /µl), com média no M1: 75.33, M2: e M3: e os resultados de linfócitos (x10 3 /µl) com média no M1: 22.50, M2: e M3: 22.03, não mostraram diferenças significativas (p > 0.05), permanecendo estáveis nos três momentos analisados. Estes dados corroboram Coelho. Os demais parâmetros do diferencial de leucócitos no esfregaço sanguíneo: bastonetes, monócitos e eosinófilos, também foram analisados, permanecendo-se estáveis, porém, não foram incluídos na análise estatística.

4 Os valores médios obtidos pela contagem de plaquetas (x10 3 /µl) não apresentaram diferenças significativas (p > 0.05), com média no M1: 15.66, M2: e M3: 14.53, mantendo-se estáveis durante todo o protocolo experimental. Esses resultados são semelhantes ao estudo de Oliveira. Entretanto, no estudo de Dalanhol et al., que analisaram as amostras em contador Sysmex XT2000i, observou-se que os valores diminuíram significativamente, provavelmente por consequência de aglutinação ou satelitismo plaquetário. A Tabela 1, indica os valores médios e os desvios padrões dos parâmetros nos três momentos avaliados. Tabela 1: Valores Médios e s Padrões dos parâmetros hematológicos avaliados, nos três momentos (M1, M2, M3) do estudo. MOMENTOS M1 M2 M3 Parâmetros Hematológicos Hematócrito (%) 43,86 4,86 44,56 4,68 46,33 4,88 Proteína Plasmática (g/dl) 7,02 0,54 7,18 0,52 7,45 0,59 Hemácias (x10 6 /µl) 6,71 0,84 6,31 0,92 6,15 0,75 Leucócitos (x10 3 /µl) 10,72 2,79 10,19 2,47 9,62 2,33 Segmentados (x10 3 /µl) 75,33 6,36 75,70 6,68 75,60 6,32 Linfócitos (x10 3 /µl) 22,50 6,70 22,00 6,58 22,03 6,35 Plaquetas (x10 3 /µl) 15,66 3,95 14,80 3,20 14,53 3,54 Conclusão Diante dos resultados obtidos pode-se concluir que os valores do hematócrito, contagem total de leucócitos, contagem diferencial de leucócitos e contagem de plaquetas em esfregaço sanguíneo, podem ser realizados em um período de até 48 horas de refrigeração, mantendo boas condições para análise. E a contagem total de hemácias e proteína plasmática podem ser satisfatórios quando realizados com até 24 horas de refrigeração.

5 Referências COELHO, S. P. Influência do Tempo, Temperatura e Recipiente de Estocagem nas Características do hemograma de Cães Adultos Hígidos f. Dissertação (Mestre de Medicina Veterinária Patologia Animal) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias UNESP, São Paulo, DIAS JUNIOR, F. R; ROCHA, A. M; DIAS, A. F. R. Efeito de diferentes concentrações do ácido etilenodiaminotetracético (EDTA) no eritrograma de cães. Semina: Ciências Agrárias. Londrina, v. 19, n.1, p , março, DORIGAM, P. J. de. Influência do tempo e Temperatura de Estocagem de Amostras de Sangue nas Variáveis Hematológicas de Cães Portadores de Enfermidade Renal Crônica f. Dissertação (Mestre em Medicina Veterinária - Patologia Animal) Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias UNESP, São Paulo, FRANCO, F. D. et al. Alterações no Hemograma de Cães Causados pela Refrigeração da Amostra. Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária, n.8, Janeiro de GROTTO, Z. W. H. O hemograma: importância para a interpretação da biópsia. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. Vol. 31, n.3, p , HLAVAC, R. C. N. Avaliação de Parâmetros Plaquetários em Cães Saudáveis: Efeito da Temperatura, Tempo e Tipo de Anticoagulante f. Dissertação (Mestre em Medicina Veterinária) Universidade Federal do Rio Grande do sul UFRGS, Porto Alegre, MIRANDA, A. B. M; CELIS, C. V. V. del; GIRALDO, A. C. B. Valores de referencia del hemograma en perros sanos entre 1 y 6 años de edad, atendidos en el Hospital Veterinario - Universidad de Antioquia, Revista Colombiana de Ciencias Pecuarias. V. 25, p Mayo, OLIVEIRA, C. A. de. Influência da Concentração do EDTA, Tempo e Temperatura de Armazenagem sobre Parâmetros Hematológicos de Cães no Hemograma Automatizado e Manual f. Dissertação (Pós Graduação em Medicina Veterinária) Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais, SINK, A. C; FELDMAN, F. B. Urinálise e Hematologia: Laboratorial para o Clínico de Pequenos Animais. 1 ed. São Paulo: Roca, p. 46, 2006.

TÍTULO: DIFERENÇAS DE VOLUME SANGUÍNEO COLETADO E SUA INFLUÊNCIA NO HEMOGRAMA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

TÍTULO: DIFERENÇAS DE VOLUME SANGUÍNEO COLETADO E SUA INFLUÊNCIA NO HEMOGRAMA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: DIFERENÇAS DE VOLUME SANGUÍNEO COLETADO E SUA INFLUÊNCIA NO HEMOGRAMA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES

Leia mais

31/10/2013 HEMOGRAMA. Prof. Dr. Carlos Cezar I. S. Ovalle. Introdução. Simplicidade. Baixo custo. Automático ou manual.

31/10/2013 HEMOGRAMA. Prof. Dr. Carlos Cezar I. S. Ovalle. Introdução. Simplicidade. Baixo custo. Automático ou manual. 3//3 HEMOGRAMA Prof. Dr. Carlos Cezar I. S. Ovalle Introdução Simplicidade Baixo custo Automático ou manual Muita informação 3//3 Introdução Componentes celulares eritrócitos plaquetas linfócitos leucócitos

Leia mais

Peculiaridades do Hemograma. Melissa Kayser

Peculiaridades do Hemograma. Melissa Kayser Peculiaridades do Hemograma Melissa Kayser melissa.kayser@ifsc.edu.br Introdução Simplicidade Baixo custo Automático ou manual Muita informação Introdução eritrócitos Componentes celulares plaquetas linfócitos

Leia mais

EXAME HEMATOLÓGICO Hemograma

EXAME HEMATOLÓGICO Hemograma EXAME HEMATOLÓGICO Hemograma Profa Dra Sandra Zeitoun Aula 2 Na coleta de sangue para exames são usados anticoagulantes específicos, indicados pela cor da tampa dos frascos. Cor da Tampa Anticoagulante

Leia mais

Procedimentos de coleta de sangue. Práticas de Biomedicina ll Prof: Archangelo Padreca Fernandes

Procedimentos de coleta de sangue. Práticas de Biomedicina ll Prof: Archangelo Padreca Fernandes Procedimentos de coleta de sangue Práticas de Biomedicina ll Prof: Archangelo Padreca Fernandes Fases da realização do exame Fase pré-analítica: 46-68% dos erros. Fase analítica: 7-13% dos erros. Fase

Leia mais

EFEITO DA CONDIÇÃO CORPORAL SOBRE A DINÂMICA DE HEMOGRAMA NO PERIPARTO DE VACAS DA RAÇA HOLANDÊS

EFEITO DA CONDIÇÃO CORPORAL SOBRE A DINÂMICA DE HEMOGRAMA NO PERIPARTO DE VACAS DA RAÇA HOLANDÊS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE VETERINÁRIA NUCLEO DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO EM PECUÁRIA EFEITO DA CONDIÇÃO CORPORAL SOBRE A DINÂMICA DE HEMOGRAMA NO PERIPARTO DE VACAS DA RAÇA HOLANDÊS

Leia mais

Valores Referenciais: Resultado: 180 mg/dl

Valores Referenciais: Resultado: 180 mg/dl Material coletado em: 22/03/2014 às 08:23h GLICOSE Resultado: 91 mg/dl 70 a 99 mg/dl Em 22/03/13: 93 Em 27/06/12: 89 Em 12/08/11: 89 INSULINA Resultado: 32,5 micro U/mL 2,6 a 24,9 micro U/mL COLESTEROL

Leia mais

Contagem eletrônica automatizada realizada em equipamento Sysmex XE-D 2100 Roche.

Contagem eletrônica automatizada realizada em equipamento Sysmex XE-D 2100 Roche. HEMOGRAMA COMPLETO ERITROGRAMA Eritrócitos : 3,24 milhões/mm3 3,9-5,03 Hemoglobina : 11,2 g/dl 12,0-15,5 Hematócrito : 32,8 % 34,9-44,5 VCM : 101,2 fl 81,6-98,3 HCM : 34,6 pg 26,0-34,0 CHCM : 34,1 % 31,0-36,0

Leia mais

03/08/2016. Patologia Clínica e Análises Laboratoriais Prof. Me. Diogo Gaubeur de Camargo

03/08/2016. Patologia Clínica e Análises Laboratoriais Prof. Me. Diogo Gaubeur de Camargo 2 3 4 5 6 Patologia Clínica e Análises Laboratoriais Prof. Me. Diogo Gaubeur de Camargo Especialidade médica Exames complementares Análise: Sangue; Urina; Líquor; Liquído peritoneal; Etc... Hematologia

Leia mais

Sangue: funções gerais

Sangue: funções gerais Sangue Sangue: funções gerais Transporte de nutrientes para órgãos e tecidos; Regulação térmica e hídrica; Transporte de gases para órgãos e tecidos; Defesa do organismo; Coagulação. Componentes do Sangue

Leia mais

Método : HPLC (Cromatografia Líquida de Alta Performance) por troca Iônica. Material: Sangue Edta

Método : HPLC (Cromatografia Líquida de Alta Performance) por troca Iônica. Material: Sangue Edta GLICOSE Resultado: 77 mg/dl 70 a 99 mg/dl Método: Enzimático Material: Soro Resultado(s) Anterior(es) Em 28/04/12: 90 HEMOGLOBINA GLICADA Resultado HbA1c: 5,0 % Não diabéticos: De 4 a 6% Bom controle :

Leia mais

Páginas AGRADECIMENTOS I

Páginas AGRADECIMENTOS I III INDICE GERAL Páginas AGRADECIMENTOS ----------------------------------------------------------------------------I RESUMO ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Não existem valores de referência estabelecidos para essa faixa etária

Não existem valores de referência estabelecidos para essa faixa etária 30/01/2017 0818 DN 25/10/1946 / 70a 3m Página 1 de 7 Protocolo 1701.001.083-6 Documento ACIDO URICO 7,5 mg/dl Enzimático. EXAME REVISTO E CONFIRMADO. 2,5 6,5 mg/dl

Leia mais

UTILIZAÇÃO DOS ÍNDICES HEMATIMÉTRICOS NO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE ANEMIAS MICROCÍTICAS

UTILIZAÇÃO DOS ÍNDICES HEMATIMÉTRICOS NO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE ANEMIAS MICROCÍTICAS UTILIZAÇÃO DOS ÍNDICES HEMATIMÉTRICOS NO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE ANEMIAS MICROCÍTICAS Sandna Larissa Freitas dos Santos 1 ; Victória de Almeida Costa 1 ; Hévilla Suelen Teixeira Tavares 1 ; Karla Bruna

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA 1. DADOS DA DISCIPLINA Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Interpretação de Exames Laboratoriais Carga Horária: 45h. Semestre: 2016.2 Professora: Inalda

Leia mais

1/100 RP Universidade de São Paulo 1/1 INSTRUÇÕES PROCESSO SELETIVO PARA INÍCIO EM ª FASE: GRUPO 5: VETERINÁRIA

1/100 RP Universidade de São Paulo 1/1 INSTRUÇÕES PROCESSO SELETIVO PARA INÍCIO EM ª FASE: GRUPO 5: VETERINÁRIA 1/100 1 1/1 RP 2018 2ª Fase Prova Dissertativa P2 (08/10/2017) ASSINATURA DO CANDIDATO I Universidade de São Paulo Brasil FABDEÇGH ABUIJKLUNÁKUE PEKE H IJLNUQAREK CO34556O 78 98547:;C4< 3M=T4>9O?4554O;

Leia mais

Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados. Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados

Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados. Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados STREPTOCOCCUS B. HEMOLÍTICO, CULTURA Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados Meios utilizados: Ágar chrom ID, Strepto B Material : Swab anal STREPTOCOCCUS B. HEMOLÍTICO,

Leia mais

SÓDIO 139 meq/l Valores de ref erência: 134 a 147 meq/l Material: Soro Anteriores:(11/10/2016): 139 Método: Eletrodo Seletiv o

SÓDIO 139 meq/l Valores de ref erência: 134 a 147 meq/l Material: Soro Anteriores:(11/10/2016): 139 Método: Eletrodo Seletiv o SÓDIO 139 meq/l Valores de ref erência: 134 a 147 meq/l (11/10/2016): 139 Método: Eletrodo Seletiv o POTÁSSIO 3,6 meq/l Valores de ref erência: 3,5 a 5,4 meq/l Método: Eletrodo Seletiv o URÉIA 37 mg/dl

Leia mais

Primeira aula. Apresentação da Disciplina. Características do sangue. Coleta de sangue. Extensão sanguínea e coloração. Hemograma

Primeira aula. Apresentação da Disciplina. Características do sangue. Coleta de sangue. Extensão sanguínea e coloração. Hemograma Primeira aula Apresentação da Disciplina Características do sangue Coleta de sangue Extensão sanguínea e coloração Hemograma Profa Elvira Shinohara Tecido líquido e renovável Plasma Células sanguíneas

Leia mais

Já neste mês estará disponível a troca do LOGIN e

Já neste mês estará disponível a troca do LOGIN e Novidade no acesso aos resultados on-line Já neste mês estará disponível a troca do LOGIN e SENHA para os resultados on line. Estamos assim concretizando um dos pedidos mais recorrentes em nossa pesquisa

Leia mais

Curso de Hematologia RCG0448 Lista de Hemogramas para discussão

Curso de Hematologia RCG0448 Lista de Hemogramas para discussão Curso de Hematologia RCG0448 Lista de Hemogramas para discussão N 0 1 Eritrócitos... 4.800.000 por mm 3 Leucócitos... 6.900 por mm 3 Hemoglobina... 14,0 g/100 ml Hematócrito... 42 ml Bast... 2,0 % Segm...

Leia mais

AVALIAÇÃO DA INTERFERÊNCIA DO EDTA NO HEMOGRAMA RELACIONADO A DIFERENTES CONCENTRAÇÕES SANGUE/ANTICOAGULANTE

AVALIAÇÃO DA INTERFERÊNCIA DO EDTA NO HEMOGRAMA RELACIONADO A DIFERENTES CONCENTRAÇÕES SANGUE/ANTICOAGULANTE 45 AVALIAÇÃO DA INTERFERÊNCIA DO EDTA NO HEMOGRAMA RELACIONADO A DIFERENTES CONCENTRAÇÕES SANGUE/ANTICOAGULANTE EVALUATION OF THE INTERFERENCE OF EDTA IN THE BLOOD COUNT RELATED TO DIFFERENT CONCENTRATIONS

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Avaliação hematológica em cães errantes da região urbana de Maringá-PR

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Avaliação hematológica em cães errantes da região urbana de Maringá-PR PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Avaliação hematológica em cães errantes da região urbana de Maringá-PR Rejane Machado Cardozo 1, Raquel Reis 1, Maria José Baptista Barbosa 1, Camila

Leia mais

HEMOGRAMA Material: Sangue Edta Método: AUTOMATIZADO

HEMOGRAMA Material: Sangue Edta Método: AUTOMATIZADO Página...: 1/5 Qtd. de Procedimentos: 5 / 5 HEMOGRAMA Material: Sangue Edta Método: AUTOMATIZADO ERITROGRAMA Valores encontrados Valores de referência Hemacias 5,58 milhões/mm3 4,3 a 5,7 milhões/mm3 Hemoglobina

Leia mais

Concentração de anticoagulante, tempo e temperatura de armazenagem sobre os parâmetros hematológicos no hemograma automatizado

Concentração de anticoagulante, tempo e temperatura de armazenagem sobre os parâmetros hematológicos no hemograma automatizado Ciência Rural, Concentração Santa Maria, de anticoagulante, v.4, n., p.2521-2526, tempo e temperatura dez, 21 de armazenagem sobre os parâmetros hematológicos. ISSN 13-8478 2521 Concentração de anticoagulante,

Leia mais

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado HEMOGRAMA COMPLETO Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado ERITROGRAMA V.R: Homens Mulheres Hemacias em milhoes/mm3...: 5,07 4,5 a 5,9 4,0 a 5,4

Leia mais

PATOLOGIA DO SISTEMA HEMATOPOIÉTICO

PATOLOGIA DO SISTEMA HEMATOPOIÉTICO PATOLOGIA DO SISTEMA HEMATOPOIÉTICO Rafael Fighera Laboratório de Patologia Veterinária Hospital Veterinário Universitário Universidade Federal de Santa Maria LEUCEMIA LINFOBLÁSTICA AGUDA EM GATOS Rafael

Leia mais

UREIA CREATININA...: Nome...: CESAR AUGUSTO CAVALARI Prontuário.: Destino...: HZS - PS (PÓS CONSULTA)

UREIA CREATININA...: Nome...: CESAR AUGUSTO CAVALARI Prontuário.: Destino...: HZS - PS (PÓS CONSULTA) Destino...: HZS - PS (PÓS CONSULTA) Pág.: 1 /8 UREIA Material: Soro Coletado em: 11/01/2017 13:16 Método: Enzimático Automatizado URÉIA...: 15 mg/dl 10 a 52 mg/dl CREATININA CREATININA...: 0,73 mg/dl TGO

Leia mais

TÍTULO: COMPARAÇÃO DA CONTAGEM DE PLAQUETAS ENTRE O MÉTODO DE FÔNIO E O MÉTODO SEMI-AUTOMATIZADO

TÍTULO: COMPARAÇÃO DA CONTAGEM DE PLAQUETAS ENTRE O MÉTODO DE FÔNIO E O MÉTODO SEMI-AUTOMATIZADO TÍTULO: COMPARAÇÃO DA CONTAGEM DE PLAQUETAS ENTRE O MÉTODO DE FÔNIO E O MÉTODO SEMI-AUTOMATIZADO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

DOSAGEM DE HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE (TSH) - ULTRA-SENSÍVEL

DOSAGEM DE HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE (TSH) - ULTRA-SENSÍVEL DOSAGEM DE HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE (TSH) - ULTRA-SENSÍVEL Método: Quimioluminescência. Resultado: 4,26 uui/ml. Confirmado e reanalisado na mesma amostra. Valores de Referência: Crianças (Idade) - 1 ano

Leia mais

HEMOGRAMA COMPLETO Método : Análise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância "XE2100-Sysmex" Material: SANGUE TOTAL COM EDTA

HEMOGRAMA COMPLETO Método : Análise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância XE2100-Sysmex Material: SANGUE TOTAL COM EDTA Unidade : VICENTE PIRES Página: 1/7 HEMOGRAMA COMPLETO Método : Análise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância "XE2100-Sysmex" Material: SANGUE TOTAL COM EDTA Eritrograma Valores de

Leia mais

SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgG. SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgM

SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgG. SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgM SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgG Método: Eletroquimioluminescência. Resultado: 500,00 Não reagente = Menor que 0,50 U/mL. Indeterminado = De 0,50 a 0,99 U/mL. Reagente = Maior ou Igual

Leia mais

DOSAGEM DE 25 - HIDROXIVITAMINA D

DOSAGEM DE 25 - HIDROXIVITAMINA D DOSAGEM DE 25 - HIDROXIVITAMINA D Método: Quimioluminescência. Resultado: 25,7 ng/ml. Valores de Referência: Deficiência : Menor que 20,0 ng/ml. Insuficiência : 20,0 a 29,9 ng/ml. Suficiência : Igual ou

Leia mais

VANDERLEI DE AMORIM ANTONIO C. P. OLIVEIRA. GLICOSE...: 98 mg/dl Data Coleta: 06/05/2013. COLESTEROL TOTAL...: 230 mg/dl Data Coleta: 06/05/2013

VANDERLEI DE AMORIM ANTONIO C. P. OLIVEIRA. GLICOSE...: 98 mg/dl Data Coleta: 06/05/2013. COLESTEROL TOTAL...: 230 mg/dl Data Coleta: 06/05/2013 GLICOSE...: 98 mg/dl V.R. 70 a 99 mg/dl : Normal 100 a 120 mg/dl : Intolerancia a glicose (investigar) > de 126 mg/dl : Sugere Diabetes (investigar) NOTA: Valores obtidos com base na Sociedade Brasileira

Leia mais

Método : HPLC (Cromatografia Líquida de Alta Performance) por troca Iônica. Material: Sangue Edta

Método : HPLC (Cromatografia Líquida de Alta Performance) por troca Iônica. Material: Sangue Edta ÁCIDO ÚRICO Resultado: 6,1 mg/dl Homens : 3,4 a 7,0 mg/dl Mulheres: 2,4 a 5,7 mg/dl GLICOSE Resultado: 89 mg/dl 70 a 99 mg/dl Resultado(s) Anterior(es) Em 12/08/11: 89 Em 24/01/11: 82 Em 01/10/10: 78 HEMOGLOBINA

Leia mais

INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA EM GATOS

INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA EM GATOS INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA EM GATOS Rafael Fighera Laboratório de Patologia Veterinária Hospital Veterinário Universitário Universidade Federal de Santa Maria SUSPEITANDO DE INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA

Leia mais

Resultado(s) Anterior(es) Em 30/03/16: 2,54 Em 11/02/15: 2,29 Em 29/10/14: 4,43

Resultado(s) Anterior(es) Em 30/03/16: 2,54 Em 11/02/15: 2,29 Em 29/10/14: 4,43 TSH ULTRA-SENSÍVEL Resultado: 4,66 uui/ml 0,27 a 4,20 uui/ml Em 30/03/16: 2,54 Em 11/02/15: 2,29 Em 29/10/14: 4,43 T4 LIVRE - TIROXINA LIVRE Resultado: 1,21 ng/dl 0,93 a 1,70 ng/dl Em 30/03/16: 1,05 Em

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA COLETA ACONDICIONAMENTO DAS AMOSTRAS DE SANGUE

ORIENTAÇÕES PARA COLETA ACONDICIONAMENTO DAS AMOSTRAS DE SANGUE VetinLab ORIENTAÇÕES PARA COLETA ACONDICIONAMENTO DAS AMOSTRAS DE SANGUE PADRONIZAÇÃO DE TUBOS E COLETORES Como os resultados obtidos pelo laboratório são, em boa parte, consequência da qualidade das amostras

Leia mais

HEMOGRAMA COMPLETO Método : Analise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância "XE2100-Sysmex" Material: SANGUE TOTAL COM EDTA

HEMOGRAMA COMPLETO Método : Analise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância XE2100-Sysmex Material: SANGUE TOTAL COM EDTA Unidade : GAMA LESTE Página: 1/5 HEMOGRAMA COMPLETO Método : Analise realizada por Citometria de fluxo fluorescente e impedância "XE2100-Sysmex" Material: SANGUE TOTAL COM EDTA Eritrograma Resultados Homens

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM HEMOGRAMA COMPLETO - SÉRIE VERMELHA

AVALIAÇÃO DE UM HEMOGRAMA COMPLETO - SÉRIE VERMELHA AVALIAÇÃO DE UM HEMOGRAMA COMPLETO - SÉRIE VERMELHA INTRODUÇÃO O hemograma completo inclui todos os testes laboratoriais utilizados para examinar as células contidas no sangue periférico. As células são

Leia mais

Hemograma Material...: SANGUE COM E.D.T.A. Equipamento: PENTRA 120 DX

Hemograma Material...: SANGUE COM E.D.T.A. Equipamento: PENTRA 120 DX Endereço Fone : : R Herculano De Freitas (11) 3237-1518 Hemograma Material...: SANGUE COM E.D.T.A. Equipamento: PENTRA 120 DX Eritrograma Eritrócitos... 7,13 milhões/mm³ 5,7 A 7,4 milhões/mm³ Hemoglobina...

Leia mais

ALTERAÇÕES NO HEMOGRAMA DE CÃES CAUSADAS PELA REFRIGERAÇÃO DA AMOSTRA

ALTERAÇÕES NO HEMOGRAMA DE CÃES CAUSADAS PELA REFRIGERAÇÃO DA AMOSTRA REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA - ISSN 1679-7353 PUBLICAÇÃO CI ENTÍFICA DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DE GARÇA/FAMED ANO IV, NÚMERO, 08, JANEIRO DE 2007. PERIODICIDADE:

Leia mais

AÉCIO CARLOS DE OLIVEIRA

AÉCIO CARLOS DE OLIVEIRA AÉCIO CARLOS DE OLIVEIRA INFLUÊNCIA DA CONCENTRAÇÃO DO EDTA, TEMPO E TEMPERATURA DE ARMAZENAGEM SOBRE PARÂMETROS HEMATOLÓGICOS DE CÃES NO HEMOGRAMA AUTOMATIZADO E MANUAL Dissertação apresentada à Universidade

Leia mais

Layout de Importação de Resultados de Exames

Layout de Importação de Resultados de Exames Layout de Importação de Resultados de Exames O processo de atualização dos resultados de exames laboratoriais é uma tarefa extensa e exaustiva. Para tal, foi implementada uma rotina no Nefrodata-ACD que

Leia mais

HEMOGRAMA LUCAS WILBERT MARILIA DE N. C. BERGAMASCHI

HEMOGRAMA LUCAS WILBERT MARILIA DE N. C. BERGAMASCHI HEMOGRAMA ERITROGRAMA Hemácias milhões/mm3...: 4,67 4,00 a 5,10 Hemoglobina g/dl...: 13,00 11,20 a 15,10 Hematócrito %...: 37,80 34,00 a 43,00 Vol. Glob. Média em fl...: 80,94 78,00 a 92,00 Hem. Glob.

Leia mais

Método: RESISTIVIDADE - IMPEDÂNCIA - MICROSCOPIA

Método: RESISTIVIDADE - IMPEDÂNCIA - MICROSCOPIA HEMOGRAMA COMPLETO Método: RESISTIVIDADE - IMPEDÂNCIA - MICROSCOPIA ERITOGRAMA: Referências Hemácias...: 4,45 milhões/mm³ 3,9 a 5,3 milhões/mm³ Hemoglobina...: 12,2 g/dl 12,0 a 16,0 g/dl Hematócrito...:

Leia mais

HEMOGRAMA HERMES ARTUR KLANN PAULO ROBERTO WEBSTER

HEMOGRAMA HERMES ARTUR KLANN PAULO ROBERTO WEBSTER HEMOGRAMA ERITROGRAMA Hemácias milhões/mm3...: 5,49 3,90 a 5,40 Hemoglobina g/dl...: 15,20 11,00 a 16,10 Hematócrito %...: 44,50 35,00 a 47,00 Vol. Glob. Média em fl...: 81,06 80,00 a 98,00 Hem. Glob.

Leia mais

Hematologia. 1. Coleta de sangue 14/08/2014. Coleta com anticoagulante adequado. Identificação do paciente. Rotulagem prévia dos frascos de coleta.

Hematologia. 1. Coleta de sangue 14/08/2014. Coleta com anticoagulante adequado. Identificação do paciente. Rotulagem prévia dos frascos de coleta. Hematologia Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br Coleta com anticoagulante adequado. Identificação do paciente. Rotulagem prévia dos frascos de coleta.

Leia mais

TÍTULO: USO DO PLASMA SANGUÍNEO EM GEL NA CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE

TÍTULO: USO DO PLASMA SANGUÍNEO EM GEL NA CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: USO DO PLASMA SANGUÍNEO EM GEL NA CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

INTRODUÇÃO AO LINFOMA EM GATOS

INTRODUÇÃO AO LINFOMA EM GATOS INTRODUÇÃO AO LINFOMA EM GATOS Rafael Fighera Laboratório de Patologia Veterinária Hospital Veterinário Universitário Universidade Federal de Santa Maria Linfoma em gatos (sinônimos) Linfoma Século XXI

Leia mais

ÁCIDO ÚRICO DIHIDROTESTOSTERONA ANTICORPOS ANTI-MICROSSOMAL/TPO ANTICORPO ANTI-TIREOGLOBULINA

ÁCIDO ÚRICO DIHIDROTESTOSTERONA ANTICORPOS ANTI-MICROSSOMAL/TPO ANTICORPO ANTI-TIREOGLOBULINA ÁCIDO ÚRICO Resultado: 4,8 mg/dl Homens : 3,4 a 7,0 mg/dl Mulheres: 2,4 a 5,7 mg/dl DIHIDROTESTOSTERONA Resultado: 70,1 pg/ml Pre-Pubere : < 50 pg/ml Homem : 122 a 473 pg/ml Mulher fase folicular: 50 a

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA CURSO DE HEMATOLOGIA

DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA CURSO DE HEMATOLOGIA DEPARTAMENTO DE CLÍNICA MÉDICA CURSO DE HEMATOLOGIA Nº 1 Sexo feminino, 40 anos GV (3.9-5.0 x 10 6 /µl ) 4.75 GB (3500-10500) - 5.200 Hb (12.0-15.5 d/dl) 14.3 Blastos - Ht (35-45%) 43 Promielócitos - VCM

Leia mais

PSA - ANTÍGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/ :05 PROSTÁTICO LIVRE. PSA - ANTIGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/ :05 PROSTÁTICO TOTAL

PSA - ANTÍGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/ :05 PROSTÁTICO LIVRE. PSA - ANTIGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/ :05 PROSTÁTICO TOTAL AUTENTICIDADE: 31BA47 Set.Tecnico Imunoensaio PSA - ANTÍGENO ESPECÍFICO Coleta: 20/11/2004 07:05 PROSTÁTICO LIVRE Resultado 0.15 ng/ml Metodo: Eletroquimioluminescência (ECLIA) Referencial: Até 0.72 ng/ml

Leia mais

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado HEMOGRAMA COMPLETO Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado ERITROGRAMA V.R: Homens Mulheres Hemacias em milhoes/mm3...: 5,38 4,5 a 5,9 4,0 a 5,4

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Hematologia Clínica Código: FAR - 121 Pré-requisito: Sem pré-requisitos Período

Leia mais

Hematologia de preguiças de três dedos Bradypus variegatus (Bradypodidae, Xenarthra) da praça tiradentes em Teófilo Otoni MG

Hematologia de preguiças de três dedos Bradypus variegatus (Bradypodidae, Xenarthra) da praça tiradentes em Teófilo Otoni MG - 1 - Ministério da Educação Brasil Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM Minas Gerais Brasil Revista Vozes dos Vales: Publicações Acadêmicas Reg.: 120.2.095 2011 UFVJM ISSN: 2238-6424

Leia mais

GABARITO APÓS RECURSO 02. E 12. B 03. B 13. A 05. A 15. D 06. C 16. A 07. C 17. B 08. D 18. D 09. A 19. E 10. D 20. D

GABARITO APÓS RECURSO 02. E 12. B 03. B 13. A 05. A 15. D 06. C 16. A 07. C 17. B 08. D 18. D 09. A 19. E 10. D 20. D FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ÁREA PROFISSIONAL DA SAÚDE EM SAÚDE ANIMAL E COLETIVA EDITAL N.º 01/2016 GABARITO APÓS RECURSO 01. ANULADA 11. D 02. E 12. B 03. B 13. A 04. ANULADA 14.

Leia mais

Avaliação Hematológica, Interpretação e Importância em Nutrição

Avaliação Hematológica, Interpretação e Importância em Nutrição Interpretação de Exames Laboratoriais Aplicados à Nutrição Clínica Avaliação Hematológica, Interpretação e Importância em Nutrição Prof. Marina Prigol 55% plasma 45% celulas: 99% Eritrócitos

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

Hemograma. Exame laboratorial que expressa a quantidade e a qualidade dos elementos figurados do sangue periférico em 1 microlitro

Hemograma. Exame laboratorial que expressa a quantidade e a qualidade dos elementos figurados do sangue periférico em 1 microlitro Hemograma Exame laboratorial que expressa a quantidade e a qualidade dos elementos figurados do sangue periférico em 1 microlitro CBC = complete blood count Vantagens - Baixo custo - Avaliação inicial

Leia mais

HBS-Ag - Antígeno Austrália Material: Soro VALOR DE REFERÊNCIA RESULTADO: SORO NÃO REAGENTE Soro Não Reagente TRANSAMINASE OXALACETICA (TGO)

HBS-Ag - Antígeno Austrália Material: Soro VALOR DE REFERÊNCIA RESULTADO: SORO NÃO REAGENTE Soro Não Reagente TRANSAMINASE OXALACETICA (TGO) HBS-Ag - Antígeno Austrália VALOR DE REFERÊNCIA RESULTADO: SORO NÃO REAGENTE Soro Não Reagente Página: 1 de 6 Nota: Este é um teste de triagem, cujo resultado, em caso de positividade não pode ser considerado

Leia mais

DIFERENCIAÇÃO HEMATOLÓGICA E BIOMÉTRICA ENTRE MACHOS E FÊMEAS DO LAMBARI DO RABO AMARELO ASTYANAX BIMACULATUS

DIFERENCIAÇÃO HEMATOLÓGICA E BIOMÉTRICA ENTRE MACHOS E FÊMEAS DO LAMBARI DO RABO AMARELO ASTYANAX BIMACULATUS DIFERENCIAÇÃO HEMATOLÓGICA E BIOMÉTRICA ENTRE MACHOS E FÊMEAS DO LAMBARI DO RABO AMARELO ASTYANAX BIMACULATUS Marina de Oliveira PEREIRA 1, Andressa Vieira de MORAES 2, Klayton Natan MORAES 3, Adolfo JATOBÁ

Leia mais

INTERPRETAÇÃO CLÍNICA DO HEMOGRAMA

INTERPRETAÇÃO CLÍNICA DO HEMOGRAMA INTERPRETAÇÃO CLÍNICA DO COMPLETO: É a avaliação qualitativa e quantitativa dos elementos do sangue. Alterações fisiológicas podem ocorrer no hemograma por exercícios físicos e refeições gordurosas. Pode

Leia mais

Disciplina de Imunologia 2013 UNESP/FCAV-Jaboticabal. Msc: Ketherson Rodrigues Silva (Médico Veterinário) Orientador: Prof. Dr. Hélio José Montassier

Disciplina de Imunologia 2013 UNESP/FCAV-Jaboticabal. Msc: Ketherson Rodrigues Silva (Médico Veterinário) Orientador: Prof. Dr. Hélio José Montassier Disciplina de Imunologia 2013 UNESP/FCAV-Jaboticabal Msc: Ketherson Rodrigues Silva (Médico Veterinário) Orientador: Prof. Dr. Hélio José Montassier Antes de entrar no laboratório, o estudante deverá vestir

Leia mais

Isaac de Melo Xavier Junior Fernando Jose Goncalves Cardoso

Isaac de Melo Xavier Junior Fernando Jose Goncalves Cardoso 535C5710 «$E9T"J0 03.362451.01.41:15 Setor Técnico Urinalise Emissão 03/10/2008 SUMARIO DE URINA Coleta: 03/10/2008 ASPECTOS FÍSICO-QUÍMICOS Valores de referência Cor Amarelo claro Amarelo claro - amarelo

Leia mais

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado

Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado HEMOGRAMA COMPLETO Material: Sangue c/edta Método..: Citometria/Automatizado e estudo morfológico em esfregaço corado ERITROGRAMA V.R: Homens Mulheres Hemacias em milhoes/mm3...: 6,31 4,5 a 5,9 4,0 a 5,4

Leia mais

HEMOGRAMA COMPLETO

HEMOGRAMA COMPLETO ERITROGRAMA HEMOGRAMA COMPLETO REFERENCIAIS PARA ADULTOS ------------------------- Homem Mulher Hemácias em Milhoes/mL...: 4,58 4,5 a 6,5 3,9 a 5,8 Hemoglobina em gdl...: 14,7 13,5 a 18,0 11,5 a 16,4 Hematócrito

Leia mais

No. do Exame 001/ Data Entrada..: 20/01/2017

No. do Exame 001/ Data Entrada..: 20/01/2017 HEMOGRAMA SÉRIE VERMELHA VALORES OBTIDOS VALORES DE REFERÊNCIA UNIDADES ERITRÓCITOS 6,48 5,00-8,00 milhões/mm3 HEMOGLOBINA 15,00 12,00-18,00 g/dl HEMATÓCRITO 43,60 37,00-54,00 % V.C.M. 67,28 60,00-77,00

Leia mais

VALOR REFERÊNCIA SÉRIE BRANCA ========================================================= VALORES DE REFERÊNCIA. Acima de 16 anos

VALOR REFERÊNCIA SÉRIE BRANCA ========================================================= VALORES DE REFERÊNCIA. Acima de 16 anos HEMOGRAMA, sangue total VALOR REFERÊNCIA Fem: Acima 16 anos ------------------------------------------------------------------------ ERITRÓCITOS : 4,46 milhões/mm3 3,90 a 5,00 HEMOGLOBINA : 12,3 g/dl 12,0

Leia mais

NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA. HISTÓRICO DAS REVISÕES Versão Revisado por Data Assinatura Aprovado por Data Assinatura

NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA. HISTÓRICO DAS REVISÕES Versão Revisado por Data Assinatura Aprovado por Data Assinatura Versão: 01 Pg: 1/5 NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Gerente da Fernandes Qualidade 01/06/2011 DE ACORDO Dr. Renato de Lacerda Diretor Técnico 01/06/2011 APROVADO POR Dr. Jose Carlos dos

Leia mais

PERFIL METABÓLICO E ENDÓCRINO DE EQUÍDEOS

PERFIL METABÓLICO E ENDÓCRINO DE EQUÍDEOS PERFIL METABÓLICO E ENDÓCRINO DE EQUÍDEOS Autores: Thais de Oliveira Fortes (PIBIC/CNPq) 1, Francisco Armando de Azevedo Souza (Orientador) 2, Emília de Paiva Porto 2, Marcia Fornasieri Domingos 3 e-mail:

Leia mais

CONTAGEM DE CÉLULAS SOMÁTICAS E BACTERIANA DO LEITE CRU REFRIGERADO INDIVIDUAL E COMUNITÁRIO DE PROPRIEDADES RURAIS DO VALE DO RIO DOCE (MG) 1

CONTAGEM DE CÉLULAS SOMÁTICAS E BACTERIANA DO LEITE CRU REFRIGERADO INDIVIDUAL E COMUNITÁRIO DE PROPRIEDADES RURAIS DO VALE DO RIO DOCE (MG) 1 325 CONTAGEM DE CÉLULAS SOMÁTICAS E BACTERIANA DO LEITE CRU REFRIGERADO INDIVIDUAL E COMUNITÁRIO DE PROPRIEDADES RURAIS DO VALE DO RIO DOCE (MG) 1 Thales Marcondes Ferreira Santos 2, Isabela de Castro

Leia mais

O sangue e seus constituintes. Juliana Aquino. O sangue executa tantas funções que, sem ele, de nada valeria a complexa organização do corpo humano

O sangue e seus constituintes. Juliana Aquino. O sangue executa tantas funções que, sem ele, de nada valeria a complexa organização do corpo humano O sangue e seus constituintes Juliana Aquino O sangue executa tantas funções que, sem ele, de nada valeria a complexa organização do corpo humano O sangue e seus constituintes É através da circulação sanguínea

Leia mais

Faculdade de Medicina. Bioquímica I

Faculdade de Medicina. Bioquímica I Faculdade de Medicina Bioquímica I Aprofundar conhecimentos acerca da composição química do sangue Determinar o Hematócrito INTRODUÇÃO O sangue é constituído por plasma e células sanguíneas, de entre as

Leia mais

Doença dos Eritrócitos

Doença dos Eritrócitos Doença dos Eritrócitos Avaliação laboratorial dos Eritrócitos Introdução... 2 Coleta de amostra de Sangue... 4 A Avaliação do Eritrogramaa... 4 O Esfregaço do Sangue Periférico... 5 1 AVALIAÇÃ ÃO LABORATORIAL

Leia mais

Classificação das Anemias

Classificação das Anemias HEMATOLOGIA II Curso de Farmácia 8 º período Classificação das Anemias ANEMIA Problema de saúde de âmbito mundial Diminuição da capacidade de oxigenação tecidual pelas hemácias O Laboratório auxilia o

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DO HEMOGRAMA

INTERPRETAÇÃO DO HEMOGRAMA INTERPRETAÇÃO DO HEMOGRAMA HEMOGRAMA COMPLETO Exame laboratorial simples, de baixo custo Utilidade em relação ao estado geral de saúde do paciente Auxilia no diagnóstico de várias doenças hematológicas

Leia mais

Resultados Anteriores: Data: 17/08/ /02/ /03/ /04/ /01/ /04/2013 Valor:

Resultados Anteriores: Data: 17/08/ /02/ /03/ /04/ /01/ /04/2013 Valor: GLICOSE...: 169 mg/dl V.R. 70 a 99 mg/dl : Normal 100 a 120 mg/dl : Intolerancia a glicose (investigar) > de 126 mg/dl : Sugere Diabetes (investigar) NOTA: Valores obtidos com base na Sociedade Brasileira

Leia mais

PERFIL HEMATOLÓGICO DE VACAS HOLANDESAS CONFORME O PERÍODO DE LACTAÇÃO SUBMETIDAS A DIETA COM INCLUSÃO DE GLICERINA BRUTA 1

PERFIL HEMATOLÓGICO DE VACAS HOLANDESAS CONFORME O PERÍODO DE LACTAÇÃO SUBMETIDAS A DIETA COM INCLUSÃO DE GLICERINA BRUTA 1 PERFIL HEMATOLÓGICO DE VACAS HOLANDESAS CONFORME O PERÍODO DE LACTAÇÃO SUBMETIDAS A DIETA COM INCLUSÃO DE GLICERINA BRUTA 1 Ronaldo Junior Da Silva 2, Denize Da Rosa Fraga 3, Cristiane Beck 4, Julio Viégas

Leia mais

TEORES DE GORDURA E PROTEÍNA DO LEITE CRU REFRIGERADO INDIVIDUAL E COMUNITÁRIO DE PROPRIEDADES RURAIS DO VALE DO RIO DOCE (MG) 1

TEORES DE GORDURA E PROTEÍNA DO LEITE CRU REFRIGERADO INDIVIDUAL E COMUNITÁRIO DE PROPRIEDADES RURAIS DO VALE DO RIO DOCE (MG) 1 575 TEORES DE GORDURA E PROTEÍNA DO LEITE CRU REFRIGERADO INDIVIDUAL E COMUNITÁRIO DE PROPRIEDADES RURAIS DO VALE DO RIO DOCE (MG) 1 Thales Marcondes Ferreira Santos 2, Isabela de Castro Oliveira 2, Jéssica

Leia mais

Hemograma e proteínas do soro sanguíneo de bezerros Canchim-Nelore e da raça Holandesa nos primeiros 30 dias de vida

Hemograma e proteínas do soro sanguíneo de bezerros Canchim-Nelore e da raça Holandesa nos primeiros 30 dias de vida Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.62, n.5, p.1250-1254, 2010 Comunicação [Communication] Hemograma e proteínas do soro sanguíneo de bezerros Canchim-Nelore e da raça Holandesa nos primeiros 30 dias de vida

Leia mais

HEMOGRAMA. Paciente : MARCIA SILVIANE DOS SANTOS ROSA Idade : 45 anos, 10 meses Série/No.: REC2/ ERITROGRAMA

HEMOGRAMA. Paciente : MARCIA SILVIANE DOS SANTOS ROSA Idade : 45 anos, 10 meses Série/No.: REC2/ ERITROGRAMA HEMOGRAMA Amostra: Sangue total com EDTA Metodologia: Laser. Realizado em equipamento automatizado modelo ABBOTT CELL-DYN 3500. ERITROGRAMA Valores de Referência Eritrócitos 4,32 milhões/mm³ 4,50 a 5,90

Leia mais

AVALIAÇÃO DA TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR EM CÃES OBESOS RESUMO

AVALIAÇÃO DA TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR EM CÃES OBESOS RESUMO AVALIAÇÃO DA TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR EM CÃES OBESOS Lidia Maria Melo (¹); Drª. Angela Akamatsu(²) ¹ Monitora do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário de Itajubá- FEPI, na área de Diagnóstico

Leia mais

INFLUÊNCIA DA SINDROME DIARRÉIA NO METABOLISMO OXIDATIVO DOS NEUTRÓFILOS DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ABSTRACT

INFLUÊNCIA DA SINDROME DIARRÉIA NO METABOLISMO OXIDATIVO DOS NEUTRÓFILOS DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ABSTRACT INFLUÊNCIA DA SINDROME DIARRÉIA NO METABOLISMO OXIDATIVO DOS NEUTRÓFILOS DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO Nívea Caroline M. Silva 1 ; Tamires Soares Assis 1, Marcos Roberto A. Ferreira¹, Cecília Nunes Moreira

Leia mais

FACULDADE DE VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA

FACULDADE DE VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA PROGRAMA PARA A PROVA ESCRITA 1. Formação, diferenciação, maturação e funções dos eritrócitos e leucócitos. 2. Citomorfologia dos eritrócitos e leucócitos (normalidade citomorfológica e alterações mais

Leia mais

AVALIAÇÂO DO HEMATÓCRITO E DA PROTEÍNA PLASMÁTICA EM SANGUES HEMODILUÍDOS

AVALIAÇÂO DO HEMATÓCRITO E DA PROTEÍNA PLASMÁTICA EM SANGUES HEMODILUÍDOS AVALIAÇÂO DO HEMATÓCRITO E DA PROTEÍNA PLASMÁTICA EM SANGUES HEMODILUÍDOS GOMES, Keila R. SANTOS, Michelli Gonçalves C. FRANCO, Débora Fernandes PIRES, Rosemeire Batista Alunas do Curso de Medicina Veterinária

Leia mais

INFLUÊNCIA DO TEMPO E DA TEMPERATURA DE ESTOCAGEM DE AMOSTRAS DE SANGUE NAS VARIÁVEIS HEMATOLÓGICAS DE CÃES PORTADORES DE ENFERMIDADE RENAL CRÔNICA

INFLUÊNCIA DO TEMPO E DA TEMPERATURA DE ESTOCAGEM DE AMOSTRAS DE SANGUE NAS VARIÁVEIS HEMATOLÓGICAS DE CÃES PORTADORES DE ENFERMIDADE RENAL CRÔNICA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS CÂMPUS DE JABOTICABAL INFLUÊNCIA DO TEMPO E DA TEMPERATURA DE ESTOCAGEM DE AMOSTRAS DE SANGUE NAS VARIÁVEIS HEMATOLÓGICAS DE

Leia mais

Perfil hematológico de gambás Didelphis aurita e D. albiventris do Estado de São Paulo, Brasil

Perfil hematológico de gambás Didelphis aurita e D. albiventris do Estado de São Paulo, Brasil DOI: 10.4025/actascibiolsci.v31i2.7007 Perfil hematológico de gambás Didelphis aurita e D. albiventris do Estado de São Paulo, Brasil Renata Assis Casagrande 1*, Marina de Oliveira Cesar 1, Maurício Cláudio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ UNIDADE JATOBÁ. Carga Horária Total Carga Horária Semestral Ano Letivo 48 hs Teórica: 32 Prática:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ UNIDADE JATOBÁ. Carga Horária Total Carga Horária Semestral Ano Letivo 48 hs Teórica: 32 Prática: UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ UNIDADE JATOBÁ 1- DADOS DE IDENTIFICAÇÃO CURSO: MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA: LABORATÓRIO CLÍNICO VETERINÁRIO DEPARTAMENTO: CAMPUS JATAÍ PRÉ-REQUISITO: disciplina

Leia mais

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas.

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas. HEMOGRAMA DEFINIÇÃO É o exame mais requisitado pela medicina e nele analisa-se as células sanguíneas. É comum você pegar um laudo dividido em três partes:eritrograma, parte que analisa as células vermelhas

Leia mais

FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Título do Projeto: Frequência dos tipos sanguíneos A, B e AB dos felinos domésticos da encaminhados para o Hospital Veterinário UNISUL Área de Conhecimento

Leia mais

ERROS PRÉ-ANALÍTICOS - HEMOGRAMA

ERROS PRÉ-ANALÍTICOS - HEMOGRAMA INTRODUÇÃO ERROS PRÉ-ANALÍTICOS - HEMOGRAMA Uma boa coleta é essencial para um bom exame. A conduta na coleta de amostras biológicas, nos diversos exames laboratoriais hoje disponíveis para cães e gatos,

Leia mais

DISCIPLINA DE HEMATOLOGIA HEMATÓCRITO

DISCIPLINA DE HEMATOLOGIA HEMATÓCRITO DISCIPLINA DE HEMATOLOGIA HEMATÓCRITO Profª.: Aline Félix HEMATÓCRITO Indica a porcentagem do volume de glóbulos vermelhos presente em uma certa quantidade de sangue. Faz parte de um exame chamado de Hemograma

Leia mais

Estudos hematológicos em pacas sob condições de cativeiro*

Estudos hematológicos em pacas sob condições de cativeiro* Estudos hematológicos em pacas sob condições de cativeiro* Cristiana Gama Pacheco Stradiotti, Gustavo Leite Lopes 2, Deolindo Stradiotti Júnior 3+, Antônio Carlos Cóser 4, Charlene Cândida Rangel 5, Tatiana

Leia mais

LABORATÓRIO. HEMOGRAMA MATERIAL: SANGUE MÉTODO: AUTOMATIZADO Valores de referência:

LABORATÓRIO. HEMOGRAMA MATERIAL: SANGUE MÉTODO: AUTOMATIZADO Valores de referência: HEMOGRAMA MÉTODO: AUTOMATIZADO Valores de referência: HEMÁCIAS : 5.030.000 /mm³ 4.500.000-5.900.000/mm³ HEMOGLOBINA: 14.9 g/dl 13.5-17.5 d/dl HEMATÓCRITO: 43.5 % 41.0-53.0 % VCM : 86.5 fl 78.0-100.0 fl

Leia mais

I Curso de Choque Faculdade de Medicina da UFMG INSUFICIÊNCIA DE MÚLTIPLOS ÓRGÃOS MODS

I Curso de Choque Faculdade de Medicina da UFMG INSUFICIÊNCIA DE MÚLTIPLOS ÓRGÃOS MODS I Curso de Choque Faculdade de Medicina da UFMG INSUFICIÊNCIA DE MÚLTIPLOS ÓRGÃOS MODS Alterações Hematológicas Anatomia. Circulação. Distribuição. Função. Adaptação x Disfunção. Alterações Hematológicas

Leia mais

BANCO DE SANGUE VETERINÁRIO MARCIO MOREIRA SANIMVET UNVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI

BANCO DE SANGUE VETERINÁRIO MARCIO MOREIRA SANIMVET UNVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI BANCO DE SANGUE VETERINÁRIO MARCIO MOREIRA SANIMVET UNVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI INTRODUÇÃO Avanço nos últimos 30 anos Bolsas plásticas múltiplas Máquinas processadoras de sangue Fracionamento do sangue

Leia mais

HEMOGRAMA TATIANA MATIAS MAFRA EDUARDO MIGUEL SCHMIDT

HEMOGRAMA TATIANA MATIAS MAFRA EDUARDO MIGUEL SCHMIDT HEMOGRAMA ERITROGRAMA Hemácias milhões/mm3...: 4,48 3,90 a 5,40 Hemoglobina g/dl...: 12,70 11,00 a 16,10 Hematócrito %...: 38,00 35,00 a 47,00 Vol. Glob. Média em fl...: 84,82 80,00 a 98,00 Hem. Glob.

Leia mais