Benefícios. segurados e Reabilitação profissional dependentes. Serviços. es Serviço social

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Benefícios. segurados e Reabilitação profissional dependentes. Serviços. es Serviço social"

Transcrição

1 Benefícios Serviços PRESTAÇÕES DO RGPS Aposentadoria por invalidez Aposentadoria por idade Aposent. por tempo de contribuição Aposentadoria especial P/ segurados Aposent. da pessoa com deficiência ia Auxílio-doença Auxílio-acidente Salário-maternidade Salário-família Pensão por morte P/ dependentes es Auxílio-reclusão P/ segurados e Reabilitação profissional dependentes es Serviço social

2 Distribuiçãoição das Prestações PRESTAÇÃO: Empregadoe e CI,facultativoe ativo Segurado Trabalhador empregado BENEFÍCIO/SERVIÇO especial ecial Avulso Doméstico Dependente Aposentadoriapor invalidez Sim Sim Sim Não Aposentadoriapor idade (inclusiveda pessoa c/ defic.) Sim Sim Sim Não Aposent. tempo contribuição içã (inclusiveda pessoa c/ defic.) Sim Sim(Obs.1) Obs. 2 Não Aposentadoriaespecial especi special Sim Não (Obs.3) Não Não Auxílio-doença Sim Sim Sim Não Auxílio-acidente Sim Não Sim Não Salário-maternidade Sim Sim Sim Não Salário-família Sim Não Não Não Pensãopor morte Não Não Não Sim Auxílio-reclusão Não Não Não Sim Reabilitaçãoprofissional of Sim Sim Sim Sim ServiçoSocialSocial Sim Sim Sim Sim

3

4

5 CARÊNCIA É operíodo correspondente a um número mínimo de contribuições mensais para que obeneficiário tenha direito ao benefício.

6 Requisitos e RMI PRESTAÇÃO: BENEFÍCIO/SERVIÇO Fato gerador Carência RMI Aposentadoriaporpor invalidez Aposentadoriaporpor idade Aposentadoriapor por tempo de contribuição Aposentadoriaespecialespecial AnexoIV Auxílio-doença Auxílio-acidente Salário-maternidade Salário-família Pensãopor morte Auxílio-reclusão Reabilitaçãoprofissional ServiçoSocial

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20 Aposentadoria proporcional Para filiados ao RGPS até 16/12/98 que cumpram três requisitos: (1) Idade mínima: 53 anos (H), 48 anos (M); (2) Tempo de Contribuição mínimo: 30 anos de contribuição (H), 25 anos de contribuição (M); (3) Pedágio: adicional de 40% do tempo que, em 16/12/98, faltava para atingir olimite de 30 anos de contribuição (H), e25 anos de contribuição (M). RMI =70% do SB +5% acada ano que superar asoma de (2) +(3)

21 Aposentadoria proporcional (exemplo) > Em 16/12/98, 12/98, Marinete contava com 15 anos de contribuição e34 anos de idade. > Em 16/12/98, faltavam 10 anos para Marinete atingir 25 anos de contribuição. > Pedágio =4anos (40% de 10 anos). > No dia 16/12/2012, Marinete adquiriu direito à aposentadoria proporcional, poisnessa data elacompletou 48 anos de idade, 29 anos de contribuição eterá cumprido opedágio. > RMI =70% do SB. > Se Marinete tivesse trabalhado mais um ano armi seria 100% do SB.

22 Aposentadoria da pessoa com deficiência Regulamenta o 1ºdo art. 201 da CF. Pessoa com deficiência: aquela que tem impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena eefetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas (LC 142/2013, art. 2º). Sensorial: relativa aos sentidos.

23 Aposentadoria por tempo de contribuição da pessoa com deficiência (LC 142/2013, art. 3º) Deficiência Tempo de contribuição Homem Mulher Grave Moderada Leve RMI: 100% do SB FP só entra se for para aumentar armi.

24 Aposentadoria por idade da pessoa com deficiência (LC 142/2013, art. 3º) Tempo de contribuição Deficiência Homem Idade Mulher 15 anos, desde que comprovada a existência de deficiência durante igual período. Independe do grau RMI: 70% do SB +1% acada grupo 12 contribuições mensais. Limitado a100% do SB FP só entrase forparaaumentar armi.

25 BENEFÍCIO Aposentadoria por idade, aposentadoria por tempo de contribuição e aposentadoria da pessoa com deficiência Aposentadoria por invalidez, aposentadoria especial, auxílio-doença eauxílioacidente CÁLCULO DO SB SALÁRIO-DE-BENEFÍCIO Média aritmética simples dos maiores salários-de-contribuição correspondente a80% de todo o período contributivo, multiplicada pelo fator previdenciário. FP -obrigatório na aposentadoria por tempo de contribuição e facultativo na por idade e na da pessoa com deficiência. Média aritmética simples dos maiores salários-de-contribuição correspondentes a80% de todo o período contributivo.

26 FATOR PREVIDENCIÁRIO Será calculado considerando-se a idade, a expectativa de sobrevida eotempo de contribuição do segurado ao se aposentar, mediante afórmula: f = fator previdenciário; f = fator previdenciário; Es =expectativa de sobrevida no momento da aposentadoria; Tc = tempo de contribuição até o momento da aposentadoria; Id =idade no momento da aposentadoria; e a=alíquota de contribuição correspondente a0,31.

27 Tábua de expectativa de vida IBGE 2012 (ambos os sexos) Idade exata (em anos) Expectativa de vida (em anos) Idade exata (em anos) Expectativa de vida (em anos) 45 33, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,3

28 Exemplo de cálculo do Fator Previdenciário JoaquimJosé,65anos deidade,após completar34anos decontribuição,requereuaposentadoriaporidade.sua expectativadesobrevida,deacordo com atabelado IBGE, é de18anos.qual é ovalordofator previdenciário? f = 34x0,31 (65+34x0,31) X 18 [ ] =1,03

29 Exemplo de cálculo do Fator Previdenciário MariaMarta,47anos deidade,contribuiparaa previdênciadesdeos 17 anosdeidade,contandocom 30 anosdecontribuição.suaexpectativadesobrevida,de acordocomatabeladoibge, é de32,1anos. Qual é o valordofatorprevidenciário? f = 35x0,31 (47+35x0,31) x 32,1 [ ] =0,53

30 Salário maternidade para homem Art. 71-A. Ao segurado ou segurada da Previdência Social que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança édevido salário-maternidade pelo período de 120 dias. 1º Osalário-maternidade de que trata este artigo será pago diretamente pela Previdência Social. 2º Ressalvado o pagamento do salário maternidade à 2º Ressalvado o pagamento do salário-maternidade à mãe biológica e o disposto no art. 71-B, não poderá ser concedido obenefício amais de um segurado, decorrente do mesmo processo de adoção ou guarda, ainda que os cônjuges ou companheiros estejam submetidos aregime Próprio de Previdência Social.

31 Salário maternidade para homem Art. 71-B. No caso de falecimento da segurada ou segurado que fizer jus ao recebimento do maternidade, obenefício será pago, por todo operíodo ou salário- pelo tempo restante aque teria direito, ao cônjuge ou companheiro sobrevivente que tenha aqualidade de segurado, exceto no caso do falecimento do filho ou de seu abandono, observadas as normas aplicáveis ao saláriomaternidade. 1º Opagamento do benefício de que trata ocaput deverá ser requerido até o último dia do prazo previsto para o término do salário-maternidade originário. 2º Obenefício de que trata ocaput será pago diretamente pela Previdência Social durante operíodo entre adata do óbito eoúltimo dia do término do salário-maternidade originário eserá calculado sobre: [...]

32

33 PRESTAÇÃO: BENEFÍCIO/SERVIÇO Aposentadoriapor invalidez Aposentadoriaporpor idade Aposentadoriaporpor tempo de contribuição Aposentadoriaespecialespecial Requisitos e RMI Fato gerador Anexo IV Carência RMI Aposent. Pessoa com deficiência Auxílio-doença Auxílio-acidente Salário-maternidade Salário-família Pensãopor morte Auxílio-reclusão Reabilitaçãoprofissional ServiçoSocial

34

35

36 SALÁRIO-FAMÍLIA Fatogerador Beneficiários Carência Rendamensal inicial Ser seguradodebaixarenda(scdeatée renda de até R$1.025,81); e terfilho(ouou equiparado)até 14anosouinválido a)seguradoempregadoetrabalhadoravulso; empregado e avulso; b) Aposentadoporpor invalidezou poridade; e c)demais aposentadosapartirdos a partir 65 anosde idade, sehomem,ou ou 60 anosdeidade,semulher. se Não é exigida. Umacotaemrelaçãoacadafilho(ouequiparado)até ação a cada equiparado) até 14anos deidadeou e inválido.o valor dacota é de: I-R$ 35,00, paraoseguradocomremuneração mensalnãosuperiorar$ não superior a 682,50; e II-R$ I 24,66, paraoseguradocomremuneração mensalsuperiorar$ superior a 682,50 eigualouinferiora infe a R$1.025,81.

37

38

39

40

41

42

43 Aposentadoria proporcional Para filiados ao RGPS até 16/12/98 que cumpram três requisitos: (1) Idade mínima: 53 anos (H), 48 anos (M); (2) Tempo de Contribuição mínimo: 30 anos de contribuição (H), 25 anos de contribuição (M); (3) Pedágio: adicional de 40% do tempo que, em 16/12/98, faltava para atingir olimite de 30 anos de contribuição (H), e25 anos de contribuição (M). RMI =70% do SB +5% acada ano que superar asoma de (2) +(3)

44

45 Aposentadoria proporcional (exemplo) > Em 16/12/98, 12/98, Marinete contava com 15 anos de contribuição e34 anos de idade. > Em 16/12/98, faltavam 10 anos para Marinete atingir 25 anos de contribuição. > Pedágio =4 anos (40% de 10 anos). > No dia 16/12/2012, Marinete adquiriu direito à aposentadoria proporcional, pois nessa data ela completou 48 anos de idade, 29 anos decontribuição eterá cumprido opedágio. > RMI =70% do SB. > Se Marinete tivesse trabalhado mais um ano armi seria 100% do SB.

46

47

48

49

50

51 BENEFÍCIO Aposentadoria por idade, aposentadoria por tempo de contribuição e aposentadoria da pessoa com deficiência Aposentadoria por invalidez, aposentadoria especial, auxílio-doença eauxílioacidente CÁLCULO DO SB SALÁRIO-DE-BENEFÍCIO Média aritmética simples dos maiores salários-de-contribuição correspondente a80% de todo o período contributivo, multiplicada pelo fator previdenciário. FP -obrigatório na aposentadoria por tempo decontribuição e facultativo na por idade e na da pessoa com deficiência. Média aritmética simples dos maiores salários-de-contribuição correspondentes a80% de todo o o período contributivo.

52 FATOR PREVIDENCIÁRIO Será calculado considerando-se aidade, a expectativa de sobrevida eotempo de contribuição do segurado ao se aposentar, mediante afórmula: f = fator previdenciário; Es =expectativa de sobrevida no momento da aposentadoria; Tc = tempodecontribuiçãoaté omomentoda aposentadoria; Id = idade no momento da aposentadoria; e a=alíquota alíquota de contribuição correspondente a0,31.

53 Tábua de expectativa de vida IBGE 2012 (ambos os sexos) Idade exata (em anos) Expectativa de vida (em anos) Idade exata (em anos) Expectativa de vida (em anos) 45 33, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,3

54 Exemplo de cálculo do Fator Previdenciário JoaquimJosé, 65anos deidade,após completar 34 anos de contribuição,requereu aposentadoriapor por idade.sua expectativadee sobrevida,de acordo comatabela do IBGE, é de18 anos.qual é ovalor do fator previdenciário? f = 34x0,31 ( x0,31) X 18 [ ] =1,03

55 Exemplo de cálculo do Fator Previdenciário Maria Marta, 47 anos de idade, de, contribuipara a previdênciadesdeos 17 anosde idade, contando com 30 anosde contribuição.sua expectativade sobrevida,de acordo comatabelado IBGE, é de 32,1 anos. Qual é o valordo fator previdenciário? f = 35x0,31 ( x0,31) x 32,1 [ ] =0,53

56

57

58 Aux.-doença e aposentadoria por invalidez Doenças que dispensam carência a) tuberculose ativa; b) hanseníase; c) alienação mental; d) neoplasia maligna; e) cegueira; f) paralisia irreversível eincapacitante; g) cardiopatia grave; h) doença de Parkinson; i) espondiloartrose anquilosante; j) nefropatia grave; l) estado avançado da doença de Paget (osteíte deformante); m) Síndrome da Imunodeficiência Adquirida - AIDS; n) contaminação por radiação com base em conclusão da medicina especializada; ou o) hepatopatia grave.

59 CARÊNCIA É operíodo correspondente a um númeromínimode contribuições mensais para que obeneficiário tenha direito ao benefício.

60

61

62

63

64

65

66

67

68

69

70

71

72

73

74

75 Aposentadoria da pessoa com deficiência Regulamenta o 1ºdo art. 201 da CF. Pessoa com deficiência: aquela que tem impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetivana sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas (LC 142/2013, art. 2º). Sensorial: relativa aos sentidos.

76 Aposentadoria por tempo de contribuição da pessoa com deficiência (LC 142/2013, art. 3º) Deficiência Tempo de contribuição Homem Mulher Grave Moderada Leve RMI: 100% do SB FP só entra se for para aumentar armi.

77 Aposentadoria por idade da pessoa com deficiência (LC 142/2013, art. 3º) Tempo de contribuição Deficiência Homem Idade Mulher 15 anos, desde que comprovadaa existência de deficiência durante igual período. Independe do grau RMI: 70% do SB +1% acada grupo 12 contribuições mensais. Limitado a100% do SB FP só entra se for para aumentar armi.

78 Salário maternidade para homem Art. 71-A. Ao segurado ou segurada da Previdência Social que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança édevido salário-maternidade pelo período de 120 dias. 1º O salário-maternidade de que trata este artigo será pago diretamente pela Previdência Social. 2º Ressalvado o pagamento do salário maternidade à 2º Ressalvado o pagamento do salário-maternidade à mãe biológica e o disposto no art. 71-B, não poderá ser concedido obenefício amais de um segurado, decorrente do mesmo processo de adoção ou guarda, ainda que os cônjuges ou companheiros estejam submetidos aregime Próprio de Previdência Social.

79 Salário maternidade para homem Art. 71-B. No caso de falecimento da segurada ou segurado que fizer jus ao recebimento do maternidade, obenefício será pago, por todo o período ou pelo tempo restante aque teria direito, ao cônjuge ou salário- companheirosobrevivente que tenha a qualidade de segurado, exceto no caso do falecimento do filho ou de seu abandono, observadas as normas aplicáveis ao saláriomaternidade. 1º Opagamento do benefício de que trata ocaput deverá ser requerido até o último dia do prazo previsto para o término do salário-maternidade originário. 2º Obenefício de que trata ocaput será pago diretamente pela Previdência Social durante operíodo entre adata do óbito eoúltimo dia do término do salário-maternidade originário eserá calculado sobre: [...]

80

81 DIB BENEFÍCIO Aposentadoria por invalidez Data do iníciodo benefício I Precedida de auxílio-doença dia imediato ao da cessação do auxílio-doença. II Não precedida de auxílio-doença: Parao segurado empregado: acontardo 16º dia do afastamento da atividade ou apartir da data da entrada do requerimento, se entre oafastamento eaentrada do requerimento decorrerem mais de 30 dias; e Para os demais segurados: acontar da data do início da incapacidade ou da data da entrada do requerimento, se entre essas datas decorrerem mais de 30 dias. Aposentadoria por idade e Aposentadoria por tempo de contribuição I Para os segurados empregado e empregado doméstico: Apartir da data do desligamento do emprego, quando requerido no prazo de 90 dias, contados da data do desligamento; ou Apartirdadata dorequerimento, quando não houver desligamento do emprego ou quando for requerida depois de 90 dias, contados da data do desligamento; II para os demais segurados, da dataa da entrada do requerimento. i ento.

82 DIB BENEFÍCIO Data do início do benefício Aposentadoria especial I Para osegurado empregado: egado a) Apartir da data do desligamento do emprego, quando requerido no prazo de 90 dias, contados da data do desligamento; ou b) Apartir dadata do requerimento, quando não houver desligamento do emprego ou quando for requerida depois de 90 dias, contados da data do desligamento; II para o trabalhador avulso e o cooperado filiadof à cooperativa de trabalho ou de produção: apartir da data do requerimento. Auxílio doença Auxílio acidente I Quando requerido até o 30º dia do afastamento t da atividade: idade a) para o segurado empregado: acontar do 16º dia do afastamento da atividade; b) para os demais segurados: acontar da data do início da incapacidade. II quando requerido após o 30º dia do afastamento da atividade: acontar da data de entrada do requerimento, para todos os segurados. Apartirdo dia seguinte ao da cessação do auxílio-doença.

83 DIB BENEFÍCIO Salário Maternidade Salário-família Data do início do benefício Coincidirá com adata do fato gerador, mas se adat for anterior ao nascimento da criança, adib será fixada conforme atestado médico original específico apresentado entado pela segurada. Apartir da data da apresentação da certidão de nascimento do filho ou da documentação relativa ao equiparado, estando condicionado ionado à apresentação anual de atestado de vacinação obrigatória, até 6 anos de idade, e de comprovaçãoo semestral de frequência à escola do filho ou equiparado, apartir dos 7anos de idade.

84 DIB BENEFÍCIO Pensão por morte Auxílio reclusão Data do início do benefício I Requerida até 30 dias do óbito: DIB edip data do óbito; II -Requerida após 30 dias do óbito: DIB data do óbito; DIP data do requerimento; III Nos casos de morte presumida: Data da sentença declaratória de ausência, expedida por autoridade judiciária; ou Data da ocorrência do desaparecimentododo segurado por motivo de catástrofe,acidente t acidente e ou desastre,mediante prova hábil. Data do efetivo recolhimento do segurado à prisão, se requeridoaté 30 dias depois desta, ou nadata do requerimento, se posterior.

85

86 DCB BENEFÍCIO Aposentadoria por invalidez Aposentadoria por idade e Aposentadoria por tempo de contribuição Aposentadoria especial Auxílio-doença Auxílio-acidente Data da cessação do benefício Retorno voluntário à atividade; idade Recuperação da capacidade laborativa; e Morte do segurado. Somente com amorte do segurado. Em regra, com a morte do segurado. Mas também cessará se o segurado retornar à atividade que osujeite aosagentes nocivos, queprejudiquem suasaúde ouintegridade física. Recuperação da capacidade; Transformação em aposentadoria por invalidez; Transformação em auxílio-acidente; ou Morte do segurado. Aposentadoria do segurado; Morte do segurado; Emissão de certidão de tempo de contribuição.

87 Art. 47. Verificada arecuperação da capacidade de trabalho do aposentado por invalidez, será observado oseguinte procedimento: I-quando arecuperação ocorrer dentro de 5anos, contados da data do início da aposentadoria por invalidez ou do auxílio-doença que aantecedeuantecedeu sem interrupção,obenefício cessará: a) de imediato, para osegurado empregado egado que tiver direito aretornar à função que desempenhava na empresa quando se aposentou, na forma da legislação trabalhista, valendocomodocumento, paratal fim, ocertificadode capacidade fornecidopela Previdência Social; ou b) após tantos meses s quantos forem os anos de duração do auxílio-doença ou da aposentadoria por invalidez, para os demais segurados; s; II -quando arecuperação for parcial, ou ocorrer orrerr após operíodo do inciso I, ou ainda quando osegurado for declarado apto para oexercício de trabalho diverso do qual habitualmente t exercia, aaposentadoria será mantida, sem prejuízo da volta à atividade: a) no seu valor integral, durante 6meses contados da data em que for verificada arecuperação da capacidade; b) com redução de 50%, no período seguinte de 6meses; c) com redução de 75%, também por igual períodode 6meses, ao término do qual cessará definitivamente. i te.

88

89 DCB BENEFÍCIO Salário família Salário maternidade Data da cessação do benefício por morte do filho ou equiparado, acontar do mês seguinte ao do óbito; quando ofilho ou equiparado completar 14 anos de idade, salvo se inválido, acontar do mês seguinte ao da data do aniversário; pela recuperação da capacidade do filho ou equiparado inválido, acontar do mês seguinte ao da cessação da incapacidade; id d pelo desemprego do segurado; ou pela morte do segurado. a) Após odecurso do prazo legal (período de duração); b) Pelo óbito do(a) segurado(a); c) Para asegurada empregada, pela dispensa sem justa causa durante operíodo de estabilidade.

90 DCB Pensão por morte Cessação do pagamento da cota individual (Lei 8.213/91, art. 77, 2º ) Cessação do benefício Data da cessação do benefício a) Pela morte do pensionista b) Para o filho, apessoa aele equiparada ou o irmão, de ambos os sexos, pela emancipação ou ao completar 21 anos de idade, salvo se forinválido ou com deficiência intelectual ou mental que o torne absoluta ou relativamente incapaz, assim declarado judicialmente; c) Paraopensionista inválido pela cessação dainvalidez eparao pensionista com deficiência intelectual ou mental, pelo levantamento da interdição; d) Pela adoção, para o filho adotado que receba pensão por morte dospais biológicos a) Com a extinção da cota do último pensionista, a pensão por morteserá encerrada b) No caso de morte presumida, verificado oreaparecimento do segurado, o pagamento da pensão cessa imediatamente

91 RPS Art O pagamento da cota individual da pensão por morte cessa: I-pela morte do pensionista; II -para opensionista menor de idade, ao completar vinte eum anos, salvo se for inválido, ou pela emancipação, ainda que inválido, exceto, nestecaso, se a emancipação for decorrente de colação de grau científico em curso de ensino superior; ou III -para o pensionista inválido, pela cessação da invalidez, verificada em exame médico-pericial acargo da previdência social. IV -pela adoção, para o filho adotado que receba pensão por mortedos pais biológicos.

92

93 DCB Auxílio reclusão Cessação do pagamento da cota individual Cessação do benefício Data da cessação do benefício a) Pela morte do dependente b) Parao filho, apessoa aele equiparada ou oirmão, de ambosossexos, pelaemancipação ouaocompletar21 anos de idade, salvo se forinválido ou com deficiência intelectual ou mental que o torne absoluta ou relativamente incapaz, assim declarado judicialmente; c) Paraopensionistainválido pela cessação dainvalidez e para o pensionista com deficiência intelectual ou mental, pelo levantamento da interdição. a) Na data do livramento do segurado b) Na data do falecimento do segurado c) Se osegurado passar areceber r aposentadoria ou d) Se osegurado passar acumprir pena em regime aberto, trabalhando para determinada empresa com vínculo trabalhista

94 Abono anual RPS, Art Será devido abono anual ao segurado eao dependente que, durante oano, recebeu doença, auxílio-acidente, aposentadoria, saláriomaternidade, pensão por morte ou auxílio- auxílio-reclusão. 1º Oabono anual será calculado, no que couber, da mesma forma que agratificação natalina dos trabalhadores, tendo por base o valor da renda mensal do benefício do mês de dezembro de cada ano. 2º Ovalor do abono anual correspondente ao período de duração do salário-maternidade será pago, em cada exercício, juntamente com aúltima parcela do benefício nele devida.

95

96 Acumulação de benefícios Salvo no caso de direito adquirido, não épermitido o recebimento conjunto dos seguintes benefícios do RGPS: I-aposentadoria eauxílio-doença; II -mais de uma aposentadoria; III -aposentadoria eabono de permanência em serviço; IV -salário-maternidade eauxílio-doença; oen a; V - mais de um auxílio-acidente; acidente; VI -mais de uma pensão deixada por cônjuge ou companheiro, ressalvado o direito de opção pela mais vantajosa. a VII -auxílio-acidente com qualquer aposentadoria. É vedado o recebimento conjunto do seguro-desemprego com qualquer benefício do RGPS, exceto pensão por morte, reclusão, auxílio-acidente, auxílio-suplementar ou abono de auxílio- permanência em serviço (RPS, art. 167, 2º).

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo 51 BOAS DICAS DE BENEFÍCIOS Professor Italo Romano DICA 1 São 10 os benefícios previdenciários (REGRA 4 3 2 1). DICA 2 São 6 os segurados da Previdência Social (CADES F). DICA 3 Os beneficiários do sistema

Leia mais

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 20 PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS Benefícios e Serviços As prestações compreendidas pelo Regime Geral de Previdência Social são expressas em benefícios

Leia mais

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica. Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica. Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo INSS - DIRETORIA DE BENEFÍCIOS XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo Filomena Maria Bastos Gomes Coordenadora Geral de Benefícios por Incapacidade

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664 DE 30.12.2014 (DOU 30.12.2014 ED. EXTRA; REP. DOU DE 02.01.2015) Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004,nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015 ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/215 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/215 1. Na Lei n.º 8.213/1991 foi alterada a definição dos dependentes da 3.ª Classe: Art. 16. São beneficiários do Regime

Leia mais

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com. Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.br SEGURIDADE SOCIAL Sistema de Seguridade Social Múltipla filiação Filiação

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário.

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. 1) Cálculo de Benefícios - Continuação 1.1) Aposentadoria por tempo de contribuição Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. Fator Previdenciário

Leia mais

19/03/2015 Dir. Previdenciário Prof. Marcos Dir. Previdenciário Prof. Marcos Dir. Previdenciário Prof. Marcos 1

19/03/2015 Dir. Previdenciário Prof. Marcos Dir. Previdenciário Prof. Marcos Dir. Previdenciário Prof. Marcos 1 1 Lei 8213/91 alterada pela Lei nº 12.873/2013 Salário Maternidade Art. 71-A. Ao segurado ou segurada da Previdência Social que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança é devido

Leia mais

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios

Leia mais

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S A D V O G A D O S A S S O C I A D O S QUEM É SEGURADO PELO INSS? É toda pessoa que contribui para a Previdência Social, mantida pelo INSS. Podem também ser beneficiários do Regime Geral da Previdência

Leia mais

Curso de Extensão em Direito Previdenciário

Curso de Extensão em Direito Previdenciário Curso de Extensão em Direito Previdenciário 2º Encontro Teoria Básica dos Benefícios Previdenciários do RGPS Requisitos para a concessão de benefícios previdenciários 1) Requisitos Genéricos a) Adquirir

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 01/2015 SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Foi publicado no Diário Oficial da

Leia mais

REGRA DO 4 3 2 1 C A D E S REGRA DO CADES F 51 BOAS DICAS DE BENEFÍCIOS. Direito Previdenciário - Prof. Ítalo. Direito Previdenciário - Prof.

REGRA DO 4 3 2 1 C A D E S REGRA DO CADES F 51 BOAS DICAS DE BENEFÍCIOS. Direito Previdenciário - Prof. Ítalo. Direito Previdenciário - Prof. DICA 1 São 10 os benefícios previdenciários (REGRA 4 3 2 1). REGRA DO 4 3 2 1 Por tempo de contribuição 4 APOSENTADORIAS Por idade Invalidez Especial Doença 3 S Acidente Reclusão 2 SALÁRIOS Família Maternidade

Leia mais

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes.

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes. CARTILHA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO O REGIME GERAL DA PREVIDENCIA SOCIAL É REGIDO PELAS LEIS 8.212 E 8.213/91 E TEM POR FINALIDADE ASSEGURAR À SEUS FILIADOS RECEBER BENEFÍCIOS QUE SUBSTITUAM SUA RENDA.

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA 1.1 Aposentadoria por invalidez Destina-se aos professores cuja incapacidade ao trabalho é confirmada pelo setor de perícias médicas do INSS. Uma vez concedida

Leia mais

Digite o título aqui. Informativo 17/2015

Digite o título aqui. Informativo 17/2015 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui Informativo 17/2015 PUBLICADA LEI QUE PROMOVE ALTERAÇÕES NOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Lei nº 13.135, de 17 de junho de 2015 - DOU de

Leia mais

FILIAÇÃO E INSCRIÇÃO NO RGPS Filiação

FILIAÇÃO E INSCRIÇÃO NO RGPS Filiação FILIAÇÃO E INSCRIÇÃO NO RGPS Filiação Filiação é o vínculo jurídico existente entre o trabalhador e o Regime Geral de Previdência Social - RGPS, sendo, sobretudo, a condição material que assegura o direito

Leia mais

19/02/2015. Auxílio Doença

19/02/2015. Auxílio Doença Lei 8213/91 (alterada pela MP 664) Auxílio Doença Art. 60. O auxílio-doença será devido ao segurado que ficar incapacitado para seu trabalho ou sua atividade habitual, desde que cumprido, quando for o

Leia mais

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio.

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio. ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS PARA OS SEGURADOS 1. APOSENTADORIA Aposentadoria por Invalidez No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para

Leia mais

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 13/10/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Aposentadoria por Invalidez 2.1 - Concessão

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC. Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CARIACICA - IPC Principais procedimentos Perícia Médica e Benefícios Previdenciários APRESENTAÇÃO DE ATESTADO À CHEFIA IMEDIATA As licenças

Leia mais

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho

Aposentadoria por invalidez pressupõe a existência de uma incapacidade total e definitiva para o trabalho A. Aposentadoria por invalidez Decreto Federal nº 3.048, de 06 de maio de 1999 (Regulamento da Previdência Social), que regulamentou a Lei Federal nº 8.122, de 24 de julho de 1991 (Lei Orgânica da Seguridade

Leia mais

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição p. 32 Substituir pelo texto abaixo: 45. 2009 (15/06) Ratificada pelo Brasil, a Convenção 102, de 1952, da OIT, aprovada pelo Decreto Legislativo 269, de 19.09.2008, do Congresso Nacional. 1 46. 2011 Lei

Leia mais

PESCADOR INDUSTRIAL DIREITOS E DEVERES PREVIDENCIÁRIOS ODILON TEODORO DA CRUZ/ASSISTENTE TÉCNICO

PESCADOR INDUSTRIAL DIREITOS E DEVERES PREVIDENCIÁRIOS ODILON TEODORO DA CRUZ/ASSISTENTE TÉCNICO Ministério da Previdência Social SECRETARIA DE POLITICA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COORDENAÇÃO-GERAL DE LEGISLAÇÃO E NORMAS- CGLN PESCADOR INDUSTRIAL DIREITOS E DEVERES PREVIDENCIÁRIOS ODILON TEODORO DA CRUZ/ASSISTENTE

Leia mais

RESUMO DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO Atualização da 6ª para a 7ª edição Hugo Goes

RESUMO DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO Atualização da 6ª para a 7ª edição Hugo Goes RESUMO DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO Atualização da 6ª para a 7ª edição Hugo Goes Orientações : Para realizar as alterações, usaremos o seguinte método: 1. Os textos que serão EXCLUÍDOS estão tachados e realçados

Leia mais

COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE

COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA NA FONTE Ano Calendário/ 2010 Quer entender um pouco mais sobre este documento? Conheça as informações que devem constar em cada quadro

Leia mais

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23-09-2005 Altera dispositivos do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

Capítulo VII Conceitos Introdutórios de Benefícios

Capítulo VII Conceitos Introdutórios de Benefícios Capítulo VII Conceitos Introdutórios de Benefícios 297 Capítulo VII Conceitos Introdutórios de Benefícios QUESTÕES 1. CARÊNCIA 01. (FUNRIO Analista do Seguro Social INSS/2013) Independe de carência a concessão

Leia mais

DISTORÇÕES NA CONCESSÃO DA PENSÃO POR MORTE. Exemplos reais nos RPPS e no RGPS

DISTORÇÕES NA CONCESSÃO DA PENSÃO POR MORTE. Exemplos reais nos RPPS e no RGPS Os RPPS e as alterações nas regras de concessão do benefício de pensão por morte 1 DISTORÇÕES NA CONCESSÃO DA PENSÃO POR MORTE Exemplos reais nos RPPS e no RGPS 2 Caso 1 Homem nascido em 1920 que se aposentou

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

A Constituição Federal88 determina em seu art. 201 a garantia do benefício de salário-família aos trabalhadores de baixa renda.

A Constituição Federal88 determina em seu art. 201 a garantia do benefício de salário-família aos trabalhadores de baixa renda. SALÁRIO-FAMÍLIA - Considerações Gerais Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 07/05/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 - Salário-Família 3 - Beneficiários 3.1 - Filho - Equiparação 3.2 - Verificação

Leia mais

LEI Nº 0881/1998. Dispõe sobre a concessão de benefícios pelo erário do Município de Dois Vizinhos.

LEI Nº 0881/1998. Dispõe sobre a concessão de benefícios pelo erário do Município de Dois Vizinhos. LEI Nº 0881/1998 Dispõe sobre a concessão de benefícios pelo erário do Município de Dois Vizinhos. A Câmara Municipal de Vereadores aprovou, e eu, Jaime Guzzo, Prefeito de Dois Vizinhos, sanciono a seguinte,

Leia mais

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL E JAPÃO 63 ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO Acordo internacional Brasil/Japão, que foi assinado em 29 de julho de 2010 e entrou em vigor em 1º de março de

Leia mais

ALTERAÇÕES MEDIDAS PROVISÓRIAS Nº 664 E 665 E LEI Nº 13.063/2014 Melissa FOLMANN

ALTERAÇÕES MEDIDAS PROVISÓRIAS Nº 664 E 665 E LEI Nº 13.063/2014 Melissa FOLMANN ALTERAÇÕES MEDIDAS PROVISÓRIAS Nº 664 E 665 E LEI Nº 13.063/2014 Melissa FOLMANN 1 Lei nº 13.063/2014 1.1 Conteúdo da Lei: - Altera a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, para isentar o aposentado por

Leia mais

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA)

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA) ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA (ELA) Recebi o diagnóstico de ELA e agora? Orientações básicas sobre direitos previdenciários Esta cartilha surgiu com a intenção de esclarecer dúvidas frequentes, quando

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

Art. 32... Art. 39... IV -...

Art. 32... Art. 39... IV -... DECRETO Nº 8.145, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2013 Art. 1 o O Regulamento da Previdência Social - RPS, aprovado pelo Decreto n o 3.048, de 6 de maio de 1999, passa a vigorar com as seguintes alterações: Art. 19.

Leia mais

MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS 7.4 AUXÍLIO-DOENÇA ESTE FASCÍCULO SUBSTITUI O DE IGUAL NÚMERO ENVIADO ANTERIORMENTE AOS NOSSOS ASSINANTES. RETIRE O FASCÍCULO SUBSTITUÍDO, ANTES DE ARQUIVAR O NOVO,

Leia mais

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA AUXÍLIO-DOENÇA - PROCEDIMENTOS LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Sumário 1. Introdução 2. Conceito Auxílio-doença 2.1 Tipos de auxílio-doença 3. pagamento 4. Carência - Conceito 4.1 Independe de carência 4.2 Depende

Leia mais

Categorias de Segurados

Categorias de Segurados INSTITUTO NACIONAL DA SEGURALIDADE SOCIAL - INSS A Previdência Social é o seguro social para a pessoa que contribui. É uma instituição pública que tem como objetivo reconhecer e conceder direitos aos seus

Leia mais

DIÁLOGOS SOCIAIS. Junho de 2015

DIÁLOGOS SOCIAIS. Junho de 2015 DIÁLOGOS SOCIAIS Resumo das regras das Leis nºs 13.135/2015 (MP nº 664/2014) e 13.134/2015 (MP nº 665/2014) relativas ao Ministério da Previdência Social Junho de 2015 Diálogos Sociais I. Benefícios Relacionados

Leia mais

O seu futuro em boas mãos

O seu futuro em boas mãos O seu futuro em boas mãos Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Previdência Social de Campina Grande do Sul Paraná Março 1994 Aposentadoria por Tempo de Contribuição Os Servidores Públicos

Leia mais

MEMO Nº 06/2015. Assunto: Alterações provocadas pela MEDI DA PROVI SÓRI A Nº 664, DE 30/12/2014 PREVIDÊNCIA SOCIAL

MEMO Nº 06/2015. Assunto: Alterações provocadas pela MEDI DA PROVI SÓRI A Nº 664, DE 30/12/2014 PREVIDÊNCIA SOCIAL Aos Clientes Visão Consultoria MEMO Nº 06/2015 Tarumã,SP, 29 de Janeiro de 2015. Assunto: Alterações provocadas pela MEDI DA PROVI SÓRI A Nº 664, DE 30/12/2014 PREVIDÊNCIA SOCIAL Prezados (as) Senhores

Leia mais

MPS - Ministério da Previdência Social Instituto Nacional do Seguro Social Gerência Executiva/RJ Centro

MPS - Ministério da Previdência Social Instituto Nacional do Seguro Social Gerência Executiva/RJ Centro MPS - Ministério da Previdência Social Instituto Nacional do Seguro Social Gerência Executiva/RJ Centro BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS E ASSISTENCIAIS PEP PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Assistentes Sociais

Leia mais

A PREVIDÊNCIA SOCIAL BENEFÍCIOS DO RGPS. A Proteção Social no Brasil

A PREVIDÊNCIA SOCIAL BENEFÍCIOS DO RGPS. A Proteção Social no Brasil A PREVIDÊNCIA SOCIAL BENEFÍCIOS DO RGPS A Proteção Social no Brasil Seguridade Social ART. 194 da CRFB/88 A SEGURIDADE SOCIAL COMPREENDE UM CONJUNTO INTEGRADO DE AÇÕES DE INICIATIVA DOS PODERES PÚBLICOS

Leia mais

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Professor Cláudio José Vistue Rios E-mail: claudiorios05@hotmail.com APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CF 05/10/1988 Art. 201 1º; Lei

Leia mais

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Perguntas e respostas Ministério da Previdência Social Auxílio-Doença Benefício pago ao segurado em caso de incapacitação temporária para o trabalho por doença ou acidente

Leia mais

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA SEGURADA DO RGPS CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE CÁLCULOS

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA SEGURADA DO RGPS CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE CÁLCULOS APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA SEGURADA DO RGPS CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE CÁLCULOS A presidenta Dilma Rousseff sancionou no dia 8 de maio de 2013 a Lei Complementar n. 142, que regulamenta

Leia mais

PORTARIA Nº 025/2009. CONSIDERANDO o elevado volume de perícias judiciais realizadas mensalmente no Jef de Santo André,

PORTARIA Nº 025/2009. CONSIDERANDO o elevado volume de perícias judiciais realizadas mensalmente no Jef de Santo André, PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DE SANTO ANDRÉ 26ª Subseção da Seção Judiciária do Estado de São Paulo Av. Pereira Barreto, nº 1.299, Paraíso Santo André SP CEP 09190-610 PORTARIA Nº 025/2009

Leia mais

CURSO CETAM BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

CURSO CETAM BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS CURSO CETAM BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Profª. Msc. Iza Amélia de C. Albuquerque Outubro/2015 AUXÍLIO-DOENÇA Carência 12 contribuições. Evento - incapacidade para o seu trabalho ou para a sua atividade

Leia mais

LEI N. 4.691/2003 (Dispõe sobre a previdência social dos servidores do Município de Rio Verde) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II

LEI N. 4.691/2003 (Dispõe sobre a previdência social dos servidores do Município de Rio Verde) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II 1 LEI N. 4.691/2003 (Dispõe sobre a previdência social dos servidores do Município de Rio Verde) A CÂMARA MUNICIPAL DE RIO VERDE-GO APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art.

Leia mais

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDO E DEFESA DAS RELAÇÕES DE CONSUMO CARTILHA DA PREVIDÊNCIA EDIÇÃO ESPECIAL: Aposentadoria do INSS Tudo que o Trabalhador e o Aposentado precisa saber sobre seus direitos junto

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO SUL Alameda Montevideu, 244 - Bairro Nossa Srª da Dores - CEP 97050030 - Santa Maria - RS - www.jfrs.jus.

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO SUL Alameda Montevideu, 244 - Bairro Nossa Srª da Dores - CEP 97050030 - Santa Maria - RS - www.jfrs.jus. : SEI / TRF4-1584178 - Decisão :: http://sei.trf4.jus.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_... de 1 26/09/2013 18:29 SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO SUL Alameda Montevideu, 244 - Bairro Nossa

Leia mais

AS NOVAS MUDANÇAS SOBRE O AUXÍLIO-DOENÇA

AS NOVAS MUDANÇAS SOBRE O AUXÍLIO-DOENÇA AS NOVAS MUDANÇAS SOBRE O AUXÍLIO-DOENÇA *Juliana de Oliveira Xavier Ribeiro **Cibeli Espíndola dos Santos 1- Introdução O governo anunciou no final do mês de março um pacote de medidas, cujas principais

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 03/08/2011.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 03/08/2011. AUXÍLIO-DOENÇA - Considerações Gerais Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 03/08/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Auxílio-doença 2.1 - Exclusão do Benefício 3 - Carência 3.1 - Dispensa

Leia mais

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque.

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque. Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem empresarial dos temas em destaque. Professora: Luciana Saldanha Advogada, especialista em direito trabalhista e previdenciário.

Leia mais

FONTES DO DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL

FONTES DO DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 8 FONTES DO DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL As fontes do Direito da Seguridade Social podem ser material e formal. As fontes formais são as formas

Leia mais

PARECER JURÍDICO- PREVIDENCIÁRIO

PARECER JURÍDICO- PREVIDENCIÁRIO PARECER JURÍDICO- PREVIDENCIÁRIO CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Cuida o presente trabalho de parecer cujo objeto consiste na análise da situação jurídico-previdenciária do consulente com o objetivo de lhe

Leia mais

Previdência Social sob a forma de Regime Geral

Previdência Social sob a forma de Regime Geral Previdência Social sob a forma de Regime Geral Estrutura do Sistema Previdenciário no Brasil Regime Geral de Previdência Social (RGPS) Administrado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); Obrigatório,

Leia mais

Francisco Luiz de Andrade Bordaz Advogado. À Cebracoop Central Brasileira das Cooperativas de Trabalho.

Francisco Luiz de Andrade Bordaz Advogado. À Cebracoop Central Brasileira das Cooperativas de Trabalho. À Cebracoop Central Brasileira das Cooperativas de Trabalho. Att. Consulta Formulada. Quesitos: 1) Quais são os direitos que os cooperados e seus dependentes, como segurados da Previdência Social, possuem?

Leia mais

1. Segurados do Regime Geral continuação:

1. Segurados do Regime Geral continuação: 1 DIREITO PREVIDENCIÁRIO PONTO 1: Segurados do Regime Geral continuação PONTO 2: Alíquotas de Contribuição dos Segurados Obrigatórios PONTO 3: Requisitos para Concessão do Beneficio PONTO 4: Dependentes

Leia mais

LEGISLAÇÃO. Inscrição e Filiação: Artigo 17 da Lei 8213/91; Artigo 18 do Decreto 3048/99; Artigo 3º e seguintes da IN 77

LEGISLAÇÃO. Inscrição e Filiação: Artigo 17 da Lei 8213/91; Artigo 18 do Decreto 3048/99; Artigo 3º e seguintes da IN 77 FILIAÇÃO É o vínculo que as pessoas estabelecem com a Previdência Social a partir do momento em que passam a exercer uma atividade remunerada ou a recolher as contribuições previdenciárias. Com a filiação,

Leia mais

A Previdência Social oferece:

A Previdência Social oferece: POPULAÇÃO BRASILEIRA Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas sticas de 2010, a população brasileira era de 191 milhões de habitantes, sendo o 5º 5 País s mais populoso do mundo (china,

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL- RGPS ELABORAÇÃO: LIZEU

Leia mais

A ANFIP, com o objetivo de esclarecer os segurados do Regime

A ANFIP, com o objetivo de esclarecer os segurados do Regime A ANFIP, com o objetivo de esclarecer os segurados do Regime Geral da Previdência Social (INSS) sobre a forma de estabelecer o valor da aposentadoria, vem através destas transparências demonstrar como

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES - IPREM IPREM Instituto de Previdência Municipal APRESENTAÇÃO Prezado Servidor, A Lei Complementar nº 35 de 05 de julho de

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO ATUALIZAÇÃO LEGISLATIVA E JURISPRUDENCIAL BÁSICA DA EDIÇÃO 2015-5ª EDIÇÃO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO ATUALIZAÇÃO LEGISLATIVA E JURISPRUDENCIAL BÁSICA DA EDIÇÃO 2015-5ª EDIÇÃO DIREITO PREVIDENCIÁRIO ATUALIZAÇÃO LEGISLATIVA E JURISPRUDENCIAL BÁSICA DA EDIÇÃO 2015-5ª EDIÇÃO AUTORA: ADRIANA MENEZES www.adrianamenezes.com Página no facebook: https://www.facebook.com/profadrianamenezes

Leia mais

Batendo um papo. Você sabia que em nosso país existem hoje três grandes regimes previdenciários? São eles:

Batendo um papo. Você sabia que em nosso país existem hoje três grandes regimes previdenciários? São eles: Apresentação A cartilha é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Administração, aprovada pelo Conselho Curador do Fundo Municipal de Assistência e Previdência - Fumap. O objetivo da produção deste material

Leia mais

www.adrianamenezes.com.br www.facebook.com/profadrianamenezes DICAS DE OUTUBRO / 2014

www.adrianamenezes.com.br www.facebook.com/profadrianamenezes DICAS DE OUTUBRO / 2014 DICAS DE OUTUBRO / 2014 DICA 01 É de dez anos o prazo de decadência de todo e qualquer direito ou ação do segurado ou beneficiário para a revisão do ato de concessão de benefício, a contar do dia primeiro

Leia mais

MANUTENÇÃO E PERDA DA QUALIDADE DE SEGURADO

MANUTENÇÃO E PERDA DA QUALIDADE DE SEGURADO A manutenção da qualidade do segurado é essencial porque sem ela inexiste a prestação previdenciária. Tal proteção só é dada a quem é segurado, ou a dependente de quem é segurado, nunca a ex-segurado!!!

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 10 - Data 14 de agosto de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: Imposto sobre a Renda de Pessoa Física - IRPF Os valores recebidos

Leia mais

SISTEMAS ESPECIAIS DE PREVIDÊNCIA

SISTEMAS ESPECIAIS DE PREVIDÊNCIA Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 36 SISTEMAS ESPECIAIS DE PREVIDÊNCIA Congressistas deputados federais e senadores tinham até 1997 um regime próprio de Previdência Social (I.P.C.)

Leia mais

E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP

E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP APOSENTADORIAS E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP Valéria Porto Diretora do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Brasília, 26 de outubro de 2010 Regras de Aposentadorias

Leia mais

Resumo das regras nas medidas provisórias nº 664 e nº 665

Resumo das regras nas medidas provisórias nº 664 e nº 665 Resumo das regras nas medidas provisórias nº 664 e nº 665 Cenário Aumentou o emprego e a formalização: 15,5 milhões no setor privado de 2003 a 2013 Base de segurados da previdência aumentou em 30 milhões

Leia mais

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA

PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Rio de Janeiro, 07 de janeiro de 2015. CIRCULAR 01/2015 JURÍDICO PUBLICADAS MEDIDAS PROVISÓRIAS QUE ALTERAM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA Publicadas no Diário Oficial da União de 30/12/2014,

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

PEQUENAS COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE PREVIDÊNCIA (SOCIAL E PRIVADA) UNIVILLE Departamento de Economia

PEQUENAS COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE PREVIDÊNCIA (SOCIAL E PRIVADA) UNIVILLE Departamento de Economia 50 PEQUENAS COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE PREVIDÊNCIA (SOCIAL E PRIVADA) UNIVILLE Departamento de Economia Joinville SC, 2009 Elaboração: Prof. Airton Nagel Zanghelini 1 PREVIDÊNCIA: O QUE É ISSO?

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA INVALIDEZ PERMANENTE LIVRO II

MANUAL DE APOSENTADORIA INVALIDEZ PERMANENTE LIVRO II ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS DIRETORIA DE PREVIDÊNCIA GERÊNCIA DE

Leia mais

Contagem, Minas Gerais, maio de 2013.

Contagem, Minas Gerais, maio de 2013. Apresentação Durante muitos anos no Brasil, a previdência social foi tratada como sendo um assunto exclusivo de aposentados e pensionistas. Trata-se de um grave erro. Felizmente, mais recentemente, a questão

Leia mais