Carência é o número mínimo de contribuições mensais indispensáveis para que o segurado tenha direito aos benefícios do INSS.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Carência é o número mínimo de contribuições mensais indispensáveis para que o segurado tenha direito aos benefícios do INSS."

Transcrição

1 Apresentação A Cartilha das Aposentadorias tem o objetivo de ajudar os segurados a compreender os direitos e as regras previstas nas leis que regem as APOSENTADORIAS do Regime Geral de Previdência Social-INSS. Selecionamos os temas que geram mais dúvidas, pois ao esclarecêlos, esperamos que os segurados consigam usufruir de todos os seus direitos com maior plenitude e segurança. Cálculo das aposentadorias As aposentadorias são calculadas com base na média aritmética simples dos maiores saláriosde-contribuição correspondentes a 80% do que foi contribuído desde julho/1994 até a data do pedido de aposentadoria. Antes da Lei 9.876, de , o salário-de-benefício era calculado com base na média aritmética simples dos últimos 36 meses, apurados em período não-superior a 48 meses. Carência Carência é o número mínimo de contribuições mensais indispensáveis para que o segurado tenha direito aos benefícios do INSS. Aposentadoria por invalidez = carência de 12 contribuições mensais. Aposentadoria por idade, especial e por tempo de contribuição = carência de 180 contribuições mensais..em casos especiais previstos em lei a carência pode ser menor ou inexigível. Fator Previdenciário O fator previdenciário é uma fórmula matemática que leva em consideração a idade, a expectativa de sobrevida e o tempo de contribuição do segurado ao se aposentar. Ele é sempre aplicado às aposentadorias por tempo de contribuição integral e proporcional, não é aplicado às aposentadorias especial e por invalidez e é opcionalmente aplicado à aposentadoria por idade. Vejamos a fórmula: f = Tc x a x [1 + (Id + Tc x a)] Es 100 f = fator previdenciário; Es = expectativa de sobrevida no momento da aposentadoria; Tc = tempo de contribuição até o momento da aposentadoria;

2 Id = idade no momento da aposentadoria; a = alíquota de contribuição correspondente a 0,31. Tabela atualizada do fator previdenciário ,4824 0,4971 0,5140 0,5302 0,5489 0,5669 0,5859 0,6060 0,6294 0,6520 0,6760 0,6987 0, ,5123 0,5297 0,5464 0,5657 0,5843 0,6038 0,6245 0,6486 0,6719 0,6966 0,7200 0, ,5455 0,5627 0,5826 0,6017 0,6218 0,6431 0,6679 0,6919 0,7173 0,7414 0, ,5790 0,5995 0,6191 0,6399 0,6617 0,6873 0,7119 0,7381 0,7628 0, ,6165 0,6367 0,6580 0,6804 0,7067 0,7320 0,7589 0,7844 0, ,6543 0,6761 0,6992 0,7262 0,7522 0,7798 0,8060 0, ,6944 0,7181 0,7458 0,7725 0,8008 0,8277 0, ,7370 0,7654 0,7928 0,8219 0,8495 0, ,7851 0,8132 0,8430 0,8713 0, ,8337 0,8642 0,8932 0, ,8855 0,9152 0, ,9373 0, ,9962 Linha horizontal: idade Linha vertical: tempo de contribuição Tabela retirada do site Exemplo de aplicação: um segurado que tenha contribuído 35 anos e tenha 50 anos de idade, irá se aposentar com 0,6060 de sua média de contribuições (conforme explicado no tópico Cálculo das aposentadorias). Média das contribuições = R$2.000,00 x 0,6060 = R$1.212,00. Aposentadoria por tempo de contribuição integral.essa aposentadoria é devida ao homem que comprova 35 anos de contribuição e à mulher que comprova 30 anos de contribuição, cumprida a carência prevista em lei..não é exigida idade mínima..para o homem: o tempo especial é geralmente multiplicado por 40% e somado com o tempo comum..para a mulher: o tempo especial é geralmente multiplicado por 20% e somado com o tempo comum..código no INSS: B42 Aposentadoria por tempo de contribuição proporcional.homem: a) comprovar 30 anos de contribuição; b) ter no mínimo 53 anos de idade; c) cumprir o pedágio, que corresponde a um período adicional de contribuição equivalente a 40% do tempo que em faltaria para atingir 30 anos de contribuição; d) cumprir a carência prevista em lei;

3 e) o tempo especial é geralmente multiplicado por 40% e somado com o tempo comum..mulher: a) comprovar 25 anos de contribuição; b) ter no mínimo 48 anos de idade; c) cumprir o pedágio, que corresponde a um período adicional de contribuição equivalente a 40% do tempo que em faltaria para atingir 25 anos de contribuição; d) cumprir a carência prevista em lei; e) o tempo especial é geralmente multiplicado por 20% e somado com o tempo comum..valor da aposentadoria: a) A soma dos 30 anos de contribuição, se homem, ou dos 25 anos de contribuição, se mulher, com o pedágio = 70% da aposentadoria; b) A cada ano que supera o tempo mínimo somado ao pedágio, a aposentadoria é acrescida de 5%..Código no INSS: B42 Aposentadoria por invalidez.a aposentadoria por invalidez é devida ao segurado que for considerado incapaz de exercer atividades que lhe garantam a subsistência..a incapacidade tem que ser total, que impeça o segurado de exercer qualquer atividade laborativa, e definitiva, que não haja possibilidade de recuperação..o aposentado por invalidez que voltar à atividade terá sua aposentadoria automaticamente cancelada..se o aposentado por invalidez recuperar a capacidade de trabalho, o benefício será cessado de acordo com as regras previstas na lei..o segurado necessita contar com 12 contribuições mensais para ter direito ao benefício. No entanto, se a incapacidade decorreu de acidente de qualquer natureza ou de doença especificada em listas elaboradas pelo Ministério da Saúde, da Previdência e da Assistência Social, não há a exigência de contribuição mínima..o aposentado por invalidez que necessita de assistência permanente de outra pessoa tem direito a um acréscimo de 25%..O aposentado por invalidez deve submeter-se a exames médicos a cargo da Previdência Social, sob pena de sustação do pagamento do benefício, mas não é obrigado a submeter-se a procedimento cirúrgico nem transfusão de sangue..código no INSS: B32

4 Aposentadoria por idade A aposentadoria por idade é devida ao segurado/trabalhador urbano aos 65 anos de idade, se homem, e aos 60 anos de idade, se mulher, cumprida a exigência de 15 anos de contribuição..para os segurados que se inscreveram na Previdência Social até , o tempo de contribuição é menor, conforme tabela prevista em lei..para o segurado/trabalhador rural, a aposentadoria por idade é concedida 5 anos mais cedo: 60 anos de idade, se homem, e 55 anos de idade, se mulher. Alguns trabalhadores rurais não precisam comprovar o pagamento das contribuições, bastando que comprovem o exercício de atividade rural na forma estabelecida em lei..a aposentadoria por idade consiste numa renda mensal correspondente a 70% do salário-debenefício, mais 1% por grupo de 12 contribuições, até o máximo de 30%. O fator previdenciário só deve ser aplicado se melhorar o valor da aposentadoria..a aposentadoria por idade pode ser requerida pela empresa, desde que o segurado tenha cumprido a carência, quando completar setenta anos de idade, se homem, e sessenta e cinco, se mulher. A aposentadoria compulsória do INSS não impõe o afastamento automático do emprego..a aposentadoria por idade poderá ser decorrente da transformação de aposentadoria por invalidez ou auxílio-doença, desde que requerida pelo segurado, observada a carência do benefício a ser transformado..o segurado que pretende se aposentar por idade e recolhe sobre o salário mínimo pode aplicar o percentual de 11% (acima de um salário mínimo, o percentual será de 20%)..Código no INSS: B41 Aposentadoria especial.a aposentadoria especial é devida aos segurados, homens e mulheres, que tiverem trabalhado 15 anos, 20 anos ou 25 anos sujeitos a condições especiais que prejudiquem sua saúde ou integridade física, cumprida a carência prevista em lei..não é exigida idade mínima..os períodos de atividade comum não entram na contagem de tempo..os períodos de descanso determinados pela legislação trabalhista, inclusive férias, os de afastamento decorrentes de auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez acidentários e os de percepção de salário-maternidade são contados como especiais, desde que à data do afastamento, o segurado estivesse exercendo atividade considerada especial..desde janeiro/2004 a comprovação da atividade especial é feita pelo PPP, mas os antigos formulários SB-40, DISES-BE 5235, DSS-8030 e DIRBEN-8030 (acompanhados pelo laudo técnico, quando necessário) podem comprovar tempo especial até , desde que emitidos em época própria.

5 .Segundo o Decreto 3.048/99, os segurados que trabalham em mineração subterrânea afastados das frentes de produção ou expostos aos asbestos, aposentam-se com 20 anos de serviço; os que trabalham em atividades permanentes no subsolo de minerações subterrâneas em frentes de produção, aposentam-se com 15 anos de serviço; os que trabalham expostos aos demais agentes nocivos, aposentam-se com 25 anos de serviço..código no INSS: B46 Cooperados A partir de , data da publicação da Medida Provisória n.83, a aposentadoria especial também poderá ser concedida aos cooperados filiados à cooperativa de trabalho ou de produção. Equipamento de Proteção Individual EPI.Conforme estabelece a Instrução Normativa n.20, de , o uso de EPI só deve descaracterizar a insalubridade se comprovadamente neutralizar/eliminar a nocividade causada pelos agentes nocivos. Entretanto, observa-se na prática que basta a empresa informar que fornece EPI eficaz para que o médico perito do INSS não reconheça a insalubridade..o Poder Judiciário vem firmando o entendimento de que a simples informação de que a empresa fornece EPI eficaz não é suficiente para descaracterizar a insalubridade..a NR-15, Subitem , estabelece que: A eliminação ou neutralização da insalubridade ficará caracterizada através de avaliação pericial por órgão competente, que comprove a inexistência do risco à saúde do trabalhador. : o que não é feito pelo INSS..A Turma de Uniformização de Jurisprudência dos Juizados Especiais Federais proferiu a Súmula nº 9, nos seguintes termos: O uso de equipamento de proteção individual (EPI), ainda que elimine a insalubridade, no caso de exposição a ruído, não descaracteriza o tempo de serviço especial prestado..sendo assim, quando o INSS não reconhece a insalubridade em função do uso de EPI, devese recorrer ao Judiciário para comprovar as condições especiais de trabalho e garantir a aposentadoria especial..segundo a Instrução Normativa n.20, de , o INSS deve reconhecer a insalubridade até , mesmo quando a empresa informa que fornece EPI eficaz. Histograma.O histograma é um documento que representa graficamente dados organizados em uma tabela de distribuição de freqüências..em relação ao ruído, é usado para mostrar um padrão de variação e comunicar visualmente a informação sobre a variação das intensidades.

6 .A Instrução Normativa n. 27, de , passou a exigir esse documento para a comprovação de exposição ao ruído para o período de até , apesar da lei não fazer essa exigência. Documentos exigidos pelo INSS para requerer a aposentadoria.carteira de Identidade e CPF (original e xérox).comprovante de endereço.carteira de Trabalho (original e xérox).formulários que comprovam tempo especial (SB40, DSS8030, DIRBEN8030, PPP).Cópia dos Recibos de Entrega de EPI.Histograma ou Memória de Cálculos (se o agente nocivo for o ruído, conforme exposto no tópico Histograma).Procuração da empresa que confere poderes ao seu representante legal para assinar o PPP. O segurado deve ligar para o telefone 135 e agendar o protocolo da aposentadoria. Conversão da aposentadoria por tempo de contribuição em aposentadoria especial.a aposentadoria por tempo de contribuição pode ser convertida em aposentadoria especial, se o segurado tiver trabalhado 25 anos em atividade especial..a conversão é vantajosa para quem se aposentou após , porque a partir dessa data o fator previdenciário passou a ser aplicado à aposentadoria por tempo de contribuição mas não passou a ser aplicado à aposentadoria especial..se algum tempo especial não foi reconhecido pelo INSS é aconselhável verificar se é possível comprová-lo no Judiciário. Desistência da aposentadoria.o segurado pode desistir da aposentadoria concedida desde que não tenha sacado o primeiro pagamento depositado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), nem o FGTS ou o PIS..O Decreto n , de , eliminou o prazo de 30 dias para a desistência. Agora, o cancelamento pode ser pedido a qualquer momento e somente com a efetivação do saque a aposentadoria ficará confirmada..em caso de desistência, o processo de requerimento do benefício já concedido será arquivado e o segurado poderá aguardar a data que melhor lhe convier para entrar com novo requerimento de aposentadoria.

7 ENCARTE ACORDO ENTRE SINDICATOS E GOVERNO (Fonte: Jornal Agora) Fator 85/95: Se a soma da idade com o tempo de contribuição for igual a 85, para as mulheres, e 95, para os homens, a aposentadoria será integral sem a aplicação do fator previdenciário. O fator previdenciário continuará a ser aplicado se a soma não atingir os 85/95, entretanto, quando o segurando atingir o tempo mínimo de contribuição (30 anos para as mulheres e 35 anos para os homens), a tabela do fator ficará congelada, ou seja, não sofrerá a influência do aumento da expectativa de vida. As aposentadorias passarão a ser calculadas com base nos 70% maiores salários de contribuição do período básico de cálculo (hoje são 80%). Estabilidade de emprego de um ano antes da aposentadoria. O período de seguro-desemprego e aviso-prévio serão contados como tempo de contribuição mediante recolhimento para o INSS. Todas as alterações irão compor um projeto, que será votado pelo Congresso, e só passarão a valer após sua aprovação.

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com. Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.br SEGURIDADE SOCIAL Sistema de Seguridade Social Múltipla filiação Filiação

Leia mais

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário.

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. 1) Cálculo de Benefícios - Continuação 1.1) Aposentadoria por tempo de contribuição Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. Fator Previdenciário

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA 1.1 Aposentadoria por invalidez Destina-se aos professores cuja incapacidade ao trabalho é confirmada pelo setor de perícias médicas do INSS. Uma vez concedida

Leia mais

19/02/2015. Auxílio Doença

19/02/2015. Auxílio Doença Lei 8213/91 (alterada pela MP 664) Auxílio Doença Art. 60. O auxílio-doença será devido ao segurado que ficar incapacitado para seu trabalho ou sua atividade habitual, desde que cumprido, quando for o

Leia mais

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes.

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes. CARTILHA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO O REGIME GERAL DA PREVIDENCIA SOCIAL É REGIDO PELAS LEIS 8.212 E 8.213/91 E TEM POR FINALIDADE ASSEGURAR À SEUS FILIADOS RECEBER BENEFÍCIOS QUE SUBSTITUAM SUA RENDA.

Leia mais

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 20 PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS Benefícios e Serviços As prestações compreendidas pelo Regime Geral de Previdência Social são expressas em benefícios

Leia mais

PARECER JURÍDICO- PREVIDENCIÁRIO

PARECER JURÍDICO- PREVIDENCIÁRIO PARECER JURÍDICO- PREVIDENCIÁRIO CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Cuida o presente trabalho de parecer cujo objeto consiste na análise da situação jurídico-previdenciária do consulente com o objetivo de lhe

Leia mais

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição p. 32 Substituir pelo texto abaixo: 45. 2009 (15/06) Ratificada pelo Brasil, a Convenção 102, de 1952, da OIT, aprovada pelo Decreto Legislativo 269, de 19.09.2008, do Congresso Nacional. 1 46. 2011 Lei

Leia mais

AUXÍLIO-DOENÇA. Prof. DANILO CÉSAR SIVIERO RIPOLI

AUXÍLIO-DOENÇA. Prof. DANILO CÉSAR SIVIERO RIPOLI AUXÍLIO-DOENÇA Prof. DANILO CÉSAR SIVIERO RIPOLI Lei nº. 8.213/91, art. 59 à 63 e RPS, art. 71 à 80. Contingência: incapacidade temporária do segurado para o seu trabalho habitual. Porém, somente será

Leia mais

Art. 32... Art. 39... IV -...

Art. 32... Art. 39... IV -... DECRETO Nº 8.145, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2013 Art. 1 o O Regulamento da Previdência Social - RPS, aprovado pelo Decreto n o 3.048, de 6 de maio de 1999, passa a vigorar com as seguintes alterações: Art. 19.

Leia mais

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDO E DEFESA DAS RELAÇÕES DE CONSUMO CARTILHA DA PREVIDÊNCIA EDIÇÃO ESPECIAL: Aposentadoria do INSS Tudo que o Trabalhador e o Aposentado precisa saber sobre seus direitos junto

Leia mais

BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Requisitos: Segurado definitivamente incapaz sem possibilidade de reabilitação para o exercício de atividade que lhe garanta a subsistência. Carência: 12 contribuições mensais, (art.26, II) exceto para

Leia mais

Curso de Extensão em Direito Previdenciário

Curso de Extensão em Direito Previdenciário Curso de Extensão em Direito Previdenciário Teoria Básica dos Benefícios Previdenciários Requisitos específicos g) Aposentadoria por idade Art. 48 da Lei 8.213/91: A aposentadoria por idade será devida

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL 55 No Brasil, há benefícios devidos ao segurado e àqueles que dependem do segurado. Para ter direito aos benefícios, é preciso estar inscrito no INSS e manter suas contribuições em dia. Na maior parte

Leia mais

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA SEGURADA DO RGPS CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE CÁLCULOS

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA SEGURADA DO RGPS CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE CÁLCULOS APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA SEGURADA DO RGPS CONSIDERAÇÕES INICIAIS SOBRE CÁLCULOS A presidenta Dilma Rousseff sancionou no dia 8 de maio de 2013 a Lei Complementar n. 142, que regulamenta

Leia mais

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA AUXÍLIO-DOENÇA - PROCEDIMENTOS LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Sumário 1. Introdução 2. Conceito Auxílio-doença 2.1 Tipos de auxílio-doença 3. pagamento 4. Carência - Conceito 4.1 Independe de carência 4.2 Depende

Leia mais

Categorias de Segurados

Categorias de Segurados INSTITUTO NACIONAL DA SEGURALIDADE SOCIAL - INSS A Previdência Social é o seguro social para a pessoa que contribui. É uma instituição pública que tem como objetivo reconhecer e conceder direitos aos seus

Leia mais

Tudo o que você quer saber sobre a Previdência Social. 2 edição

Tudo o que você quer saber sobre a Previdência Social. 2 edição Tudo o que você quer saber sobre a Previdência Social a 2 edição Ministério da Previdência e Assistência Social MPAS Secretaria Executiva SE Secretaria de Previdência Social SPS Assessoria de Comunicação

Leia mais

CARTILHA SOBRE DIREITO À APOSENTADORIA ESPECIAL APÓS A DECISÃO DO STF NO MANDADO DE INJUNÇÃO Nº 880 ORIENTAÇÕES DA ASSESSORIA JURIDICA DA FENASPS

CARTILHA SOBRE DIREITO À APOSENTADORIA ESPECIAL APÓS A DECISÃO DO STF NO MANDADO DE INJUNÇÃO Nº 880 ORIENTAÇÕES DA ASSESSORIA JURIDICA DA FENASPS CARTILHA SOBRE DIREITO À APOSENTADORIA ESPECIAL APÓS A DECISÃO DO STF NO MANDADO DE INJUNÇÃO Nº 880 ORIENTAÇÕES DA ASSESSORIA JURIDICA DA FENASPS 1. Que entidades conseguiram no Supremo Tribunal Federal

Leia mais

A ANFIP, com o objetivo de esclarecer os segurados do Regime

A ANFIP, com o objetivo de esclarecer os segurados do Regime A ANFIP, com o objetivo de esclarecer os segurados do Regime Geral da Previdência Social (INSS) sobre a forma de estabelecer o valor da aposentadoria, vem através destas transparências demonstrar como

Leia mais

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque.

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque. Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem empresarial dos temas em destaque. Professora: Luciana Saldanha Advogada, especialista em direito trabalhista e previdenciário.

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL

APOSENTADORIA ESPECIAL FUNDAMENTO LEGAL Artigo 201, 1º, CF/88 Artigo 57 e 58 da Lei 8213/91 Artigo 64 a 70, do Decreto 3048/99 Artigo 246 a 299 da IN 77/2015 CONCEITO É o benefício previdenciário devido ao segurado que tenha

Leia mais

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Perguntas e respostas Ministério da Previdência Social Auxílio-Doença Benefício pago ao segurado em caso de incapacitação temporária para o trabalho por doença ou acidente

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO B

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO B JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200870610012515/PR RELATOR : Juíza Narendra Borges Morales RECORRENTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS RECORRIDO : ILDETE VIANA AMORIM DE MORAIS VOTO

Leia mais

CURSO CETAM BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

CURSO CETAM BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS CURSO CETAM BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Profª. Msc. Iza Amélia de C. Albuquerque Outubro/2015 AUXÍLIO-DOENÇA Carência 12 contribuições. Evento - incapacidade para o seu trabalho ou para a sua atividade

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL- RGPS ELABORAÇÃO: LIZEU

Leia mais

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23-09-2005 Altera dispositivos do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

CURSO DE CÁLCULOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS PARTE 2. Professor Roberto de Carvalho Santos www.ieprev.com.br roberto@ieprev.com.

CURSO DE CÁLCULOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS PARTE 2. Professor Roberto de Carvalho Santos www.ieprev.com.br roberto@ieprev.com. CURSO DE CÁLCULOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS PARTE 2 Professor Roberto de Carvalho Santos www.ieprev.com.br roberto@ieprev.com.br PLANEJAMENTO PREVIDENCIARIO Documentos necessários CNIS DETALHADO: relação

Leia mais

Quais os documentos exigidos para a concessão da aposentadoria por tempo de contribuição?

Quais os documentos exigidos para a concessão da aposentadoria por tempo de contribuição? Aposentadoria por Tempo de Contribuição Quem tem direito? Para ter direito à aposentadoria integral o trabalhador homem deve comprovar pelo menos 35 anos de contribuição e a trabalhadora mulher, 30 anos.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 22 DE JULHO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 22 DE JULHO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 22 DE JULHO DE 2010 (Publicada no D.O.U. de 27/07/2010) Atualizada até 26/05/2014 Estabelece instruções para o reconhecimento, pelos Regimes Próprios de Previdência Social

Leia mais

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. C/C Itaú. Quando e como receberei o meu benefício?

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. C/C Itaú. Quando e como receberei o meu benefício? Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. O Itaú quer estar presente em todos os momentos da sua vida. Por isso, criamos este material para ajudar você com

Leia mais

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios

Leia mais

Perguntas e Respostas. Previdência Social

Perguntas e Respostas. Previdência Social Perguntas e Respostas Previdência Social 1. Plano Simplificado de Previdência Social - PSPS 2. Categorias de segurados 3. Dependentes 4. Carência 5. Aposentadoria especial 6. Aposentadoria por idade 7.

Leia mais

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo

Direito Previdenciário - Prof. Ítalo 51 BOAS DICAS DE BENEFÍCIOS Professor Italo Romano DICA 1 São 10 os benefícios previdenciários (REGRA 4 3 2 1). DICA 2 São 6 os segurados da Previdência Social (CADES F). DICA 3 Os beneficiários do sistema

Leia mais

Prof. Adilson Sanchez Lei nº 8.213 (DOU de 25.07.91) Plano de Benefícios da Previdência Social PBPS

Prof. Adilson Sanchez Lei nº 8.213 (DOU de 25.07.91) Plano de Benefícios da Previdência Social PBPS Prof. Adilson Sanchez Prof. Adilson Sanchez www.adilsonsanchez.adv.br Lei nº 8.213 (DOU de 25.07.91) Plano de Benefícios da Previdência Social PBPS TÍTULO III Do Regime Geral de Previdência Social RGPS

Leia mais

AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS. a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória

AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS. a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória A contribuição previdenciária só incide sobre o salário (espécie) e não

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1- DEFINIÇÃO APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1.1 Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos calculados de acordo com a média aritmética das maiores remunerações,

Leia mais

BENEFÍCIOS DO SERVIDOR PÚBLICO

BENEFÍCIOS DO SERVIDOR PÚBLICO BENEFÍCIOS DO SERVIDOR PÚBLICO Simulador de aposentadoria do Servidor Público? A Controladoria-Geral da União (CGU) disponibiliza, em seu site (http://www.cgu.gov.br/simulador/index.asp), um simulador

Leia mais

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA ESPECIAL APOSENTADORIA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA. São Bernardo do Campo, setembro de 2013

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA ESPECIAL APOSENTADORIA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA. São Bernardo do Campo, setembro de 2013 APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA ESPECIAL APOSENTADORIA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA São Bernardo do Campo, setembro de 2013 As regras constitucionais sobre aposentadoria por invalidez EC 41/2003:

Leia mais

ANEXO II. Relação de documentos necessários à propositura das ações previdenciárias no JEF Canoas

ANEXO II. Relação de documentos necessários à propositura das ações previdenciárias no JEF Canoas ANEXO II Relação de documentos necessários à propositura das ações previdenciárias no JEF Canoas 1. AÇÕES REVISIONAIS A. IRSM inicial) e a DIB (data do início do benefício); mensal inicial do benefício;

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664 DE 30.12.2014 (DOU 30.12.2014 ED. EXTRA; REP. DOU DE 02.01.2015) Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004,nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

1ª REGRA APOSENTADORIA POR IDADE E TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

1ª REGRA APOSENTADORIA POR IDADE E TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 5.1.1.Aposentadoria As informações aqui explicitam de forma objetiva os benefícios previdenciários dos RPPS Regimes Próprios de Previdência Social, em especial os do IPMB Instituto de Previdência do Município

Leia mais

Advogados: Marcio Chachamovich e Guilherme Portanova Av. Soledade, 442 Porto Alegre RS Fone: (51) 30263811

Advogados: Marcio Chachamovich e Guilherme Portanova Av. Soledade, 442 Porto Alegre RS Fone: (51) 30263811 Advogados: Marcio Chachamovich e Guilherme Portanova Av. Soledade, 442 Porto Alegre RS Fone: (51) 30263811 Esta modalidade de serviço é voltada para os trabalhadores em atividade, e consiste na realização

Leia mais

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO Fevereiro/2012 Apresentação Prezado participante, Com o objetivo de mostrar como funciona a Fundação Coelce de Seguridade Social Faelce e o Plano de Benefícios Definidos,

Leia mais

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Projeto Legalize sua doméstica e pague menos INSS = Informalidade ZERO CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Realização Jornal Diario de Pernambuco

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O 0 0 1 / 2 0 1 5

R E S O L U Ç Ã O 0 0 1 / 2 0 1 5 R E S O L U Ç Ã O 0 0 1 / 2 0 1 5 Estabelece instruções para o reconhecimento do tempo de serviço público exercido sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física pelo Instituto

Leia mais

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas.

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. O Itaú quer estar presente em todos os momentos da sua vida. Por isso, criou este material para ajudar você com as

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 01/2015 SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Foi publicado no Diário Oficial da

Leia mais

ISALUBRIDADE ATIVIDADE ESPECIAL PROFISSÕES QUE DAVAM DIREITO A CONTAGEM ESPECIAL ATÉ 28/04/1995.

ISALUBRIDADE ATIVIDADE ESPECIAL PROFISSÕES QUE DAVAM DIREITO A CONTAGEM ESPECIAL ATÉ 28/04/1995. ISALUBRIDADE ATIVIDADE ESPECIAL PROFISSÕES QUE DAVAM DIREITO A CONTAGEM ESPECIAL ATÉ 28/04/1995. Quem exerce atividade insalubre poderá conseguir a aposentadoria especial, que exige 15,20 ou 25 anos de

Leia mais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais

As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais As diversas opções de aposentadoria para os Servidores Públicos Federais Secretaria de Estudos, Pesquisas e Políticas Públicas e Secretaria de Formação Política e Sindical. SINDICATO DOS TRABALHADORES

Leia mais

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 13/10/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Aposentadoria por Invalidez 2.1 - Concessão

Leia mais

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES 1) Já completei 25 anos como professora em sala de aula, tenho hoje 45 anos de idade, com esta idade vou aposentar

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO B

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO B TURMA RECURSAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200870560023390/PR RELATORA : Juíza Luciane Merlin Clève Kravetz RECORRENTE : LUIZ ROBERTO GUIMARÃES RECORRIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS VOTO O autor

Leia mais

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio.

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio. ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS PARA OS SEGURADOS 1. APOSENTADORIA Aposentadoria por Invalidez No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para

Leia mais

ã ã Maria do Rosário B. Leite Recife, PE

ã ã Maria do Rosário B. Leite Recife, PE ã ã Maria do Rosário B. Leite Recife, PE Declaração de Conflito de Interesse Nenhum conflito de interesse a declarar relacionado a esta apresentação Por que falar em aposentadoria para os que na maioria

Leia mais

PALESTRA: PPP PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO 22-06-2012

PALESTRA: PPP PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO 22-06-2012 PALESTRA: PPP PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO 22-06-2012 NILZA MACHADO nilza@intersystem.com.br Só um grupo que entende as necessidades de uma empresa, pode ter as melhores soluções para o RH VOCÊ

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO QUE PROMOVE A CÂMARA DE NEGOCIAÇÃO DEDESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

GRUPO DE TRABALHO QUE PROMOVE A CÂMARA DE NEGOCIAÇÃO DEDESENVOLVIMENTO ECONÔMICO GRUPO DE TRABALHO QUE PROMOVE A CÂMARA DE NEGOCIAÇÃO DEDESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DESTINADA A DISCUTIR PROPOSTAS QUE INTERESSAM À CLASSE TRABALHADORA E AOS EMPRESÁRIOS EMENDA SUBSTITUTIVA GLOBAL

Leia mais

Previdência Social sob a forma de Regime Geral

Previdência Social sob a forma de Regime Geral Previdência Social sob a forma de Regime Geral Estrutura do Sistema Previdenciário no Brasil Regime Geral de Previdência Social (RGPS) Administrado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); Obrigatório,

Leia mais

A PREVIDÊNCIA SOCIAL BENEFÍCIOS DO RGPS. A Proteção Social no Brasil

A PREVIDÊNCIA SOCIAL BENEFÍCIOS DO RGPS. A Proteção Social no Brasil A PREVIDÊNCIA SOCIAL BENEFÍCIOS DO RGPS A Proteção Social no Brasil Seguridade Social ART. 194 da CRFB/88 A SEGURIDADE SOCIAL COMPREENDE UM CONJUNTO INTEGRADO DE AÇÕES DE INICIATIVA DOS PODERES PÚBLICOS

Leia mais

Aposentadoria: quem tem direito?

Aposentadoria: quem tem direito? Aposentadoria: quem tem direito? M uitas dúvidas dos diretores regionais do SINTEA/PR referente à aposentadoria e ao tempo de aprendizado profissional foram sanadas durante o 35º Encontro Estadual de Técnicos

Leia mais

MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social. Aposentadoria Especial Servidor PúblicoP Impacto decisões STF

MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social. Aposentadoria Especial Servidor PúblicoP Impacto decisões STF MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social Aposentadoria Especial Servidor PúblicoP Impacto decisões STF Aposentadoria Especial Art. 40 4º Constituição Federal

Leia mais

Aposentadoria Especial

Aposentadoria Especial Aposentadoria Especial O novo modelo. Bases éticas e legais o conceito O laudo Técnico e o DSS Starling@sti.com.br tel.: (11) 208.06.98 Perito Assistente técnico. Evolução Histórica Instituída pela Lei

Leia mais

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO

ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL E JAPÃO 63 ACORDO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL BRASIL - JAPÃO Acordo internacional Brasil/Japão, que foi assinado em 29 de julho de 2010 e entrou em vigor em 1º de março de

Leia mais

Contagem, Minas Gerais, maio de 2013.

Contagem, Minas Gerais, maio de 2013. Apresentação Durante muitos anos no Brasil, a previdência social foi tratada como sendo um assunto exclusivo de aposentados e pensionistas. Trata-se de um grave erro. Felizmente, mais recentemente, a questão

Leia mais

CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é?

CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é? CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é? Documento histórico-laboral do trabalhador que reúne informações administrativas, ambientais e biológicas, durante todo o período em que prestou serviço para

Leia mais

O CÁLCULO DO VALOR DO SALÁRIO DE BENEFÍCIO DAS APOSENTADORIAS POR INVALIDEZ DE ACORDO COM O INCISO II DO ART. 29 DA LEI N. 8.

O CÁLCULO DO VALOR DO SALÁRIO DE BENEFÍCIO DAS APOSENTADORIAS POR INVALIDEZ DE ACORDO COM O INCISO II DO ART. 29 DA LEI N. 8. O CÁLCULO DO VALOR DO SALÁRIO DE BENEFÍCIO DAS APOSENTADORIAS POR INVALIDEZ DE ACORDO COM O INCISO II DO ART. 29 DA LEI N. 8.213/91 AUTOR: SÉRGIO ROBERTO LEAL DOS SANTOS. Procurador Federal, Mestre em

Leia mais

www.prevfacil.com CONHEÇA NOSSOS SERVIÇOS: Aposentadoria por tempo de serviço Revisão judicial LOAS - Lei Orgânica da Assistência Social

www.prevfacil.com CONHEÇA NOSSOS SERVIÇOS: Aposentadoria por tempo de serviço Revisão judicial LOAS - Lei Orgânica da Assistência Social CONHEÇA NOSSOS SERVIÇOS: Aposentadoria por tempo de serviço Revisão judicial LOAS - Lei Orgânica da Assistência Social Aposentadoria por idade Aposentadoria especial Auxílio doença Pensão por morte EMPRESA

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

Orientações sobre Benefícios do INSS

Orientações sobre Benefícios do INSS Orientações sobre Benefícios do INSS A PREFEITURA DE GUARULHOS MANTÉM UM CONVÊNIO COM O INSS AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DE GUARULHOS PARA REQUERIMENTO DOS SEGUINTES BENEFÍCIOS: AUXÍLIO DOENÇA PREVIDENCIÁRIO,

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com servidores de Betim - Maio/2015 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS)

Leia mais

SISTEMAS ESPECIAIS DE PREVIDÊNCIA

SISTEMAS ESPECIAIS DE PREVIDÊNCIA Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 36 SISTEMAS ESPECIAIS DE PREVIDÊNCIA Congressistas deputados federais e senadores tinham até 1997 um regime próprio de Previdência Social (I.P.C.)

Leia mais

Fim do fator previdenciário para quem atingir a. fórmula 95 para homens e 85 para mulheres.

Fim do fator previdenciário para quem atingir a. fórmula 95 para homens e 85 para mulheres. Fim do fator previdenciário para quem atingir a fórmula 95 para homens e 85 para mulheres. Pelas regras atuais, um trabalhador precisa ter 35 anos de contribuição e 63 anos e quatro meses de idade para

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS INTRODUÇÃO Como o objetivo de facilitar o entendimento da matéria relacionada à reforma previdenciária, teceremos alguns comentários

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E RECONHECIMENTO DO DIREITO AOS SERVIDORES PÚBLICOS

APOSENTADORIA ESPECIAL PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E RECONHECIMENTO DO DIREITO AOS SERVIDORES PÚBLICOS 2015 APOSENTADORIA ESPECIAL PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E RECONHECIMENTO DO DIREITO AOS SERVIDORES PÚBLICOS Márcia Touni Advocacia 18/03/2015 APOSENTADORIA ESPECIAL PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E RECONHECIMENTO

Leia mais

Direitos do Empregado Doméstico

Direitos do Empregado Doméstico Direitos do Empregado Doméstico Com a aprovação da Emenda Constitucional n 72, que ocorreu em 02/04/2013, o empregado doméstico passou a ter novos direitos. Alguns deles independem de regulamentação e,

Leia mais

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico.

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico. Apresentação Este é o MANUAL DO PARTICIPANTE da PRECE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, material explicativo que descreve, em linguagem simples e precisa, as características gerais do Plano CD, com o objetivo

Leia mais

MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS 7.4 AUXÍLIO-DOENÇA ESTE FASCÍCULO SUBSTITUI O DE IGUAL NÚMERO ENVIADO ANTERIORMENTE AOS NOSSOS ASSINANTES. RETIRE O FASCÍCULO SUBSTITUÍDO, ANTES DE ARQUIVAR O NOVO,

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e, DECRETO N.º 2297 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Dispõe sobre procedimentos para concessão de licenças médicas para os servidores públicos

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A doença do empregado e o contrato de trabalho Rodrigo Ribeiro Bueno*. A COMPROVAÇÃO DA DOENÇA DO EMPREGADO A justificação da ausência do empregado motivada por doença, para a percepção

Leia mais

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente;

APOSENTADORIAS. Aposentadoria por invalidez permanente; APOSENTADORIAS Aposentadoria é o direito que o servidor tem à inatividade remunerada, em decorrência de invalidez, da idade, ou oriunda da conjugação de vários requisitos, quais sejam: tempo de exercício

Leia mais

Revisado em 15/08/2011

Revisado em 15/08/2011 CARTILHA DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 Revisado em 15/08/2011 Esta cartilha foi estruturada com perguntas e respostas para apresentar e esclarecer aos Participantes as informações

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

Instrução normativa INSS/PRES nº 11, de 20 de setembro de 2006 (DOU de 21/9/2006) parcial, atualizada até ago/07)

Instrução normativa INSS/PRES nº 11, de 20 de setembro de 2006 (DOU de 21/9/2006) parcial, atualizada até ago/07) Instrução normativa INSS/PRES nº 11, de 20 de setembro de 2006 (DOU de 21/9/2006) parcial, atualizada até ago/07) Estabelece critérios a serem adotados pela área de Benefícios Da Aposentadoria Especial

Leia mais