A vacina tríplice página 1 os factos. imunização. o modo mais seguro de proteger o seu bebé para o resto da vida

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A vacina tríplice página 1 os factos. imunização. o modo mais seguro de proteger o seu bebé para o resto da vida"

Transcrição

1 A vacina tríplice página 1 os factos imunização o modo mais seguro de proteger o seu bebé para o resto da vida

2 página 2 O sarampo, a papeira, a rubéola e a vacina VASPR (ou vacina contra o sarampo-papeira-rubéola) Aqui estão alguns factos sobre o sarampo, a papeira, a rubéola e a vacina VASPR: _ O programa de inoculação da VASPR, ou MMR em inglês, foi iniciado na Grã- Bretanha em Por essa altura, nos Estados Unidos, já as crianças andavam a tomar a vacina VASPR há mais de quinze anos, sem haver qualquer problema de segurança. _ Já se administraram, pelo mundo fora, mais de 500 milhões de doses da vacina VASPR em mais de 100 países. _ A Organização Mundial de Saúde afirma, sobre a vacina VASPR, que 'o seu registo de segurança é exemplar'. _ No ano anterior ao da introdução da vacina do Reino Unido, crianças apanharam sarampo e, dessas, 16 faleceram. _ Por causa da vacina VASPR, a última vez que morreu uma criança no Reino Unido devido a um ataque agudo de sarampo foi em _ Antes da vacina ter sido introduzida, a papeira era a causa mais comum da meningite viral em crianças. _ Graças à vacina VASPR, estamos agora prestes a erradicar a papeira nas crianças. _ Antes da vacina VASPR ter sido introduzida, a rubéola continuava a causar grandes defeitos nalgumas crianças antes de nascerem. _ Graças à vacina VASPR, estamos agora prestes a erradicar a rubéola. _ No Reino Unido nunca houve um programa de administração de vacinas individuais contra o sarampo, a papeira e a rubéola.

3 página 3 Estamos constantemente a ouvir dizer que a vacina VASPR está relacionada com o autismo. É verdade? _ Não. Este folheto apresenta-lhe os factos. Então porque se tem relacionado a VASPR com o autismo? _ A especulação sobre uma relação entre a vacina VASPR e o autismo começou em 1998, altura em que alguns cientistas publicaram um documento sobre 12 crianças autísticas que tinham também problemas nos intestinos. Embora os cientistas tivessem indicado claramente não haver provas de uma relação entre o autismo e a vacina VASPR, a publicidade que daí resultou deu às pessoas a impressão de que existia uma relação entre os dois fenómenos. _ Há muitos anos que o número de crianças com um diagnóstico de anomalia do espectro autístico (ou doenças relacionadas com o autismo) tem estado a aumentar. Algumas pessoas consideraram que isso fosse indicativo de que tal aumento teria sido causado pela vacina VASPR. _ Muitos pais e mães de crianças autísticas reconhecem, numa fase bastante inicial da vida da criança, que a criança em questão é diferente das outras. Mas alguns bebés parecem desenvolver sintomas de autismo quando são mais crescidos. Este tipo de autismo, denominado autismo regressivo, tinha já sido identificado muito antes de se ter introduzido a vacina VASPR. Os sintomas do autismo regressivo começam muitas vezes a manifestar-se mais ou menos na mesma altura em que a primeira dose da vacina VASPR é administrada. Portanto, é de compreender que os pais se preocupem com a possibilidade de existir uma relação entre os dois acontecimentos. Como é que se pode determinar se existe realmente uma relação? _ Se a vacina VASPR e o autismo estivessem relacionados, o autismo regressivo havia de ser um fenómeno muito mais vulgar nas crianças vacinadas do que nas que não tivessem recebido a vacina. Na realidade, não é esse o caso.

4 Página 4 _ Se a vacina VASPR causasse autismo, ter-se-ia dado um aumento súbito de casos quando a vacina foi introduzida na Grã-Bretanha. Ora isso não sucedeu. Seria também de esperar que se desse uma diminuição dos casos de autismo se a vacina VASPR tivesse sido retirada. Isso não sucedeu no Japão, onde se deixou de utilizar a vacina MMR, que foi substituída por vacinas individuais contra o sarampo e a rubéola. _ Efectuaram-se na Dinamarca, Suécia, Finlândia, Estados Unidos e Reino Unido, investigações extensivas sobre a possibilidade de uma relação entre a vacina VASPR e o autismo, incluindo-se, em tais investigações, centenas de milhar de crianças. Não se descobriu qualquer relação entre os dois eventos. _ Vários especialistas do mundo inteiro, incluindo da Organização Mundial de Saúde, acreditam não existir qualquer relação entre a vacina VASPR e o autismo. Verificou-se algum aumento súbito de casos de autismo a seguir à introdução da vacina VASPR? Não. A seguir à introdução da vacina VASPR não se verificou nenhum aumento súbito de casos de autismo em país nenhum. Ora isso não teria acontecido se a vacina VASPR causasse autismo. Portanto qual será a verdadeira causa do autismo? É provável que as anomalias do espectro autístico sejam resultado de uma série de causas. A evidência mais forte que se conseguiu obter até à data aponta para a existência de uma relação genética. As possibilidades de determinada criança começar a sofrer de autismo não sofrem qualquer alteração se a criança receber uma vacina VASPR combinada ou vacinas individuais contra o sarampo, a papeira e a rubéola, ou se não receber vacina nenhuma. Todas as investigações recentemente efectuadas demonstram não existir qualquer evidência que indique que a vacina VASPR causa autismo. Continuam a fazer-se investigações até se determinar as verdadeiras causas da doença.

5 Página 5 Porque é que o/a meu/minha filho/filha não pode apanhar vacinas individuais? _ Toda a evidência que existe demonstra que a vacina VASPR constitui a forma mais segura de proteger o seu filho ou filha contra o sarampo, a papeira e a rubéola. _ Nos intervalos de tempo entre as três vacinas as crianças encontrar-se-iam desprotegidas contra as doenças em relação às quais não tivessem ainda sido imunizadas. Assim, dar-se-ia um aumento dos casos de sarampo, papeira e rubéola, resultando em doenças e possivelmente até mortes. Além disso, as crianças desprotegidas podem transmitir estas doenças a outras crianças em risco, bem como a mulheres grávidas. _ É importante termos a possibilidade de escolher, mas o NHS (serviço nacional de saúde britânico) não nos pode oferecer uma selecção de vacinas individuais, o qual coloque as crianças em risco. _ Nem toda a gente terá possibilidade de concluir o tratamento de seis injecções (dose inicial e segunda dose), pelo que algumas crianças permanecerão desprotegidas. _ A Organização Mundial de Saúde aconselha que não utilizemos vacinas separadas, o que colocaria as crianças em risco sem lhes conferir benefícios alguns. Não existe mais nenhum país do mundo onde se recomende que as crianças sejam imunizadas contra o sarampo, a papeira e a rubéola através de três vacinas individuais, administradas duas vezes cada uma. Mas não é perigoso sobrecarregar o sistema imunológico do/da meu/minha filho/filha com três vírus de uma só vez? Logo desde o seu nascimento que os sistemas imunológicos dos bebés os protegem contra os germes que os rodeiam. Sem esta protecção, os bebés não teriam possibilidade de lidar com as dezenas de milhar de bactérias e vírus que cobrem a sua pele, nariz, garganta e intestinos. Esta protecção continua durante o resto da vida da criança. Um bebé pode reagir de forma segura e efectiva a cerca de vacinas administradas de uma única vez. Portanto o sistema imunológico do bebé tem capacidade para receber e integrar sem dificuldades a vacina VASPR.

6 Página 6 As doenças O sarampo O que é o sarampo? O sarampo é causado por um vírus altamente infeccioso. Quase todas as pessoas que apanham este vírus sofrem de febres altas, uma erupção cutânea e um mal-estar geral. As crianças ficam de cama por volta de cinco dias e podem ter de faltar até dez dias à escola. É provável que os adultos fiquem doentes durante mais tempo. Não é possível predizer quais as pessoas que serão mais gravemente afectadas pelo sarampo. As complicações do sarampo afectam uma em cada 15 crianças. Entre estas complicações contamse as infecções pulmonares, convulsões, encefalites (dilatação do cérebro) e lesões cerebrais. Em casos muito graves, o sarampo mata. Como é transmitida o sarampo? O sarampo é uma das doenças mais infecciosas que existe. Basta uma tosse ou um espirro para espalhar o vírus do sarampo por uma grande área. Como se trata de um vírus muito infeccioso, é provável que o/a seu/sua filho/filha apanhe sarampo, a não ser que tenha sido protegido/a. A papeira O que é a papeira? A papeira é causada por um vírus que dá febres, dores de cabeça e dilatação e dores em glândulas localizadas na cara, pescoço e mandíbulas. Esta doença pode resultar em surdez permanente, meningite viral (inflamação do revestimento do cérebro) e encefalite. Em casos raros, a doença causa a dilatação dolorosa dos testículos, em indivíduos do sexo masculino, e dos ovários, em pessoas do sexo feminino. A papeira dura de sete a dez dias. Como é transmitida? A papeira é transmitida da mesma forma que o sarampo, e é mais ou menos tão infecciosa como a gripe.

7 Página 7 A rubéola O que é a rubéola? A rubéola é uma doença causada por um vírus. Nas crianças a doença é geralmente leve, podendo até passar sem ser identificada. A doença causa uma erupção cutânea que pouco tempo dura, bem como a dilatação de glândulas e dores de garganta. A rubéola é uma doença muito grave para os bebés ainda por nascer, pois pode causar lesões na sua vista, ouvidos, coração e cérebro. As infecções de rubéola contraídas nos primeiros três meses de gravidez causam lesões nos fetos em nove de cada dez casos. Esta condição é denominada Síndrome Congénito da Rubéola (SCR). Em muitos casos, as mulheres grávidas apanham rubéola dos seus próprios filhos ou dos filhos dos amigos. Como é transmitida? A rubéola é transmitida da mesma forma que o sarampo e a papeira. É mais ou menos tão infecciosa como a gripe.

8 A vacina O que é a vacina VASPR? Página 8 T _ A vacina VASPR contém versões enfraquecidas dos vírus vivos do sarampo, da papeira e da rubéola. Como os vírus se encontram enfraquecidos, as pessoas que tenham sido vacinadas recentemente não podem infectar os outros. Como e quando se administra a vacina? _ A vacina é injectada no músculo do braço ou da coxa. A vacina é administrada às crianças pouco depois do seu primeiro aniversário, uma altura em que a imunidade natural que os bebés herdam das mães começa a esmorecer. As crianças recebem nova dose da vacina entre os três e os cinco anos de idade. Quão efectiva é a vacina VASPR? _ A vacina VASPR é altamente efectiva e, desde que foi introduzida, em 1988, quase que erradicou estas três doenças. Os gráficos da página em frente demonstram este facto. Quais são os efeitos secundários da vacina? Os três diferentes vírus da vacina actuam em alturas diferentes e podem produzir os seguintes efeitos secundários: _ _ De seis a dez dias depois da imunização algumas crianças sofrem uma leve subida de temperatura (isto observa-se em cerca de uma em cada dez crianças). Algumas crianças exibem uma erupção cutânea semelhante à do sarampo e perdem o apetite, à medida que a parte da vacina semelhante ao sarampo começa a funcionar. _ Cerca de uma em cada 1000 crianças vacinadas poderá sofrer uma convulsão como resultado da febre. Dá-se a estas convulsões o nome de 'convulsões febris'. Contudo, se as crianças não forem imunizadas e contraírem o sarampo, a probabilidade de virem a ter uma convulsão febril é cinco vezes mais elevada.

9 Página 9 Antes da vacina VASPR ter sido introduzida, em 1988, havia epidemias frequentes de sarampo, papeira e rubéola. Sarampo Número de casos registados (milhares) Vacina do sarampo introduzida (1968) Vacina VASPR introduzida (1988) Papeira Número de casos por pessoas Vacina VASPR introduzida Rubéola A papeira Número de casos em mulheres grávidas Vacina VASPR introduzida A rubéola

10 Página 10 Em casos raros, as crianças podem ter sintomas semelhantes aos da papeira (febre e glândulas inflamadas) cerca de três semanas depois de terem sido imunizadas, à medida que a parte da vacina correspondente à papeira começa a funcionar. _ As crianças podem ainda (em casos muito raros) exibir uma erupção cutânea de pintas pequenas, tipo nódoas negras, nas seis semanas subsequentes à data da inoculação. Esta erupção é geralmente causada pelas partes da vacina correspondentes ao sarampo ou à rubéola. Se observar, no corpo da criança, pintas semelhantes às que foram descritas, deve levar a criança ao médico, para que seja observada. O médico indicar-lhe-á como tratar do problema e como proteger o/a seu/a filho/a de futuro. _ Menos de uma em cada milhão de crianças apanha uma encefalite (ou infecção cerebral) depois de ter apanhado a vacina VASPR, havendo muito pouca evidência que indique que a encefalite é realmente causada pela vacina. Contudo, se a criança ficar doente com sarampo, a possibilidade de fazer uma encefalite sobe para entre 1 em 200 e 1 em Condições causadas pelas doenças e comparadas com as condições causadas pela vacina Condição Crianças afectadas após a doença natural Crianças afectadas depois da primeira dose da vacina VASPR Convulsões Uma em 200 Uma em 1000 Meningite ou encefalite Condições que afectam a coagulação do sangue SSPE (uma complicação retardada do sarampo que causa lesões cerebrais e a morte) Mortes Uma em 200 a uma em 5000 Uma em 3000 (rubéola) Uma em 6000 (sarampo) Uma em 8000 crianças (com menos de 2 anos de idade) Uma em 2500 a uma em 5000 (dependendo da idade) Menos de uma em um milhão Uma em

11 Página 11 Como determinar se o/a meu/a filho/a está com febre? Algumas crianças ficam com febre depois de terem sido imunizadas. Uma febre é uma temperatura de mais de 37,5º C. Se, ao tocar na cara do/da seu/sua filho/filha, esta lhe parecer quente, e se a criança tiver um aspecto afogueado ou corado, pode ser que esteja com febre. Pode tirar a temperatura da criança com um termómetro. A febre é um fenómeno bastante comum nas crianças. Geralmente estas febres são baixas, mas é importante saber o que fazer se o/a seu/sua filho/filha tiver febre. Como tratar uma febre? _ Mantenha a criança fresca. Para tal: certifique-se de que a criança não tem muitas camadas de vestuário ou cobertores, e dê à criança muitas bebidas frescas. _ Dê ainda à criança um xarope contra a febre, tal como paracetamol líquido ou ibuprofen. Leia com atenção as instruções fornecidas no panfleto do frasco, dando à criança a dose apropriada para a sua idade. Poderá ser necessário dar à criança uma segunda dose deste xarope, quatro a seis horas depois da primeira. Nunca dê aspirina a uma criança com menos de 16 anos de idade. Se estiver preocupado/a com o/a seu/sua filho/filha, obedeça aos seus instintos e telefone ao seu médico ou telefone para os serviços directos do NHS, no n.º Telefone imediatamente ao médico se o/a seu/sua filho/filha: tiver uma temperatura de 39 C ou mais; ou sofrer uma convulsão. Se o consultório do médico estiver encerrado e não for possível contactar com ele, leve a criança à secção de urgências do hospital mais próximo.

12 Página 12 Haverá alguma razão para não dar esta vacina ao/à meu/minha filho/filha? Existe um número muito pequeno de crianças que não podem ser vacinadas. Se tiver faltado a uma consulta marcada para dar a vacina VASPR ao seu filho ou filha, pode marcar outra consulta para qualquer outra altura. Alergias e outros problemas Até mesmo uma criança com uma reacção anafilática aos ovos (uma erupção cutânea na cara e corpo, boca e garganta inchadas, problemas de respiração e choque) pode ser vacinada com a VASPR. Numa situação deste tipo, explique-a ao seu médico ou enfermeira de família, para que eles possam fazer preparativos especiais para administrarem a vacina ao/à seu/sua filho/filha. Se a criança tiver uma reacção anafilática depois de uma dose de vacina VASPR previamente administrada, ou se o sistema imune da criança estiver suprimido (por exemplo, devido ao facto de ela estar a receber tratamento para uma condição grave, tal como um transplante ou um cancro), o médico ou enfermeira de consultório devem, por sua vez, consultar um médico especialista de crianças. Onde poderei obter mais informações? Visite os sites e onde encontrará mais pormenores sobre a vacina VASPR. Pode ainda falar com o seu médico, enfermeira social, enfermeira de consultório ou enfermeira distrital, ou telefonar para o NHS Direct no n.º Informações de imunização do NHS Publicações do departamento de saúde Tel.: Teletexto (para utilizadores de minicom): para os deficientes auditivos, 8 h da manhã às 6 h da tarde, Segunda a Sextafeira Crown copyright 2004 Imprimido na Grã-Bretanha p 150k Mar 03 (BEL) Concepção de REDHOUSE LANE Fotografia de Helen Marsden

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA:

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA: Portuguese VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA: informação para pais de crianças com mais de seis meses e menos de cinco anos de idade Gripe. Proteja-se a si e aos outros. 1 Índice Sobre este folheto 3 O que

Leia mais

[cover] Depois de a sua criança ser vacinada

[cover] Depois de a sua criança ser vacinada [cover] Depois de a sua criança ser vacinada Vacinar a sua criança significa que tomou uma decisão importante para a proteger contra uma ou mais doenças infecciosas. Para que saiba o que esperar depois

Leia mais

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA: o que precisa de saber

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA: o que precisa de saber Portuguese VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA: o que precisa de saber Gripe. Proteja-se a si e aos outros. 1 Índice O que é a gripe suína? 3 Sobre a vacina contra a gripe suína 3 Que mais preciso de saber?

Leia mais

Vacinação para o seu filho do 6º ano do ensino básico (P6) Portuguese translation of Protecting your child against flu - Vaccination for your P6 child

Vacinação para o seu filho do 6º ano do ensino básico (P6) Portuguese translation of Protecting your child against flu - Vaccination for your P6 child Proteger o seu filho da gripe Vacinação para o seu filho do 6º ano do ensino básico (P6) Portuguese translation of Protecting your child against flu - Vaccination for your P6 child Proteger o seu filho

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a gripe? É uma doença infecciosa aguda das vias respiratórias, causada pelo vírus da gripe. Em

Leia mais

Gripe pandémica. Factos que deve conhecer acerca da gripe pandémica

Gripe pandémica. Factos que deve conhecer acerca da gripe pandémica Gripe pandémica Factos que deve conhecer acerca da gripe pandémica De que trata esta brochura? Esta brochura apresenta informações acerca da gripe pandémica. Dá resposta a 10 perguntas importantes acerca

Leia mais

A GRIPE SAZONAL Porque deve ser vacinado

A GRIPE SAZONAL Porque deve ser vacinado A GRIPE SAZONAL Porque deve ser vacinado A Gripe. Proteja-se a si e aos outros. A GRIPE SAZONAL: PORQUE DEVE SER VACINADO É possível que, recentemente, tenha ouvido falar bastante sobre diversos tipos

Leia mais

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE MAIO - 2001 Ministério da Saúde Departamento de Saúde da Comunidade 1 INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE No mês de Julho de 2001, o Programa

Leia mais

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA Este folheto contém informação importante para o ajudar a si e à sua família Guarde-o Bem Contactos Úteis Para se manter informado acerca da gripe suína telefone

Leia mais

Tuberculosis Portuguese Tuberculose A tuberculose a doença, o tratamento e a prevenção

Tuberculosis Portuguese Tuberculose A tuberculose a doença, o tratamento e a prevenção Tuberculosis Portuguese Tuberculose A tuberculose a doença, o tratamento e a prevenção A tuberculose é uma doença infecciosa que normalmente afecta os pulmões, embora também possa afectar qualquer parte

Leia mais

M F. Nome da vacina Dosagem Instituição/Nome do médico/data da administração Nome da vacina. Instituição: Nome do médico:

M F. Nome da vacina Dosagem Instituição/Nome do médico/data da administração Nome da vacina. Instituição: Nome do médico: Questionário de avaliação para vacinação de [ Endereço Nome da criança Nome do pai/mãe/responsável M F ポルトガル 語 版 Formulário 2 ] (bebês/crianças em idade escolar) Temperatura corporal antes da entrevista

Leia mais

Vacinação dos bebés até aos 12 meses

Vacinação dos bebés até aos 12 meses Portuguese translation of Immunisation for babies up to a year old Vacinação dos bebés até aos 12 meses Introdução Este guia destina-se a pais de bebés até 12 meses de idade. Fornece informações sobre

Leia mais

A guide to childhood immunisations for babies up to 13 months of age. (PORTUGUESE)

A guide to childhood immunisations for babies up to 13 months of age. (PORTUGUESE) A guide to childhood immunisations for babies up to 13 months of age. (PORTUGUESE) [p.1] Guia de vacinação para bebés até 13 meses de idade Vacinação a melhor forma de proteger o seu filho [p.2] As duas

Leia mais

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches The Commonwealth of Massachusetts Executive Office of Health and Human Services Department of Public Health Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches 18 de setembro, 2009 A gripe H1N1 (suína) voltará

Leia mais

Vacinação para bebés até ao primeiro ano de idade

Vacinação para bebés até ao primeiro ano de idade Portuguese translation of Immunisation for babies up to a year old Vacinação para bebés até ao primeiro ano de idade Introdução Este é um guia para pais com bebés até ao primeiro ano de idade. Disponibiliza

Leia mais

A vacina contra o HPV - perguntas e respostas para pais de raparigas no 9º ano a partir de setembro de 2014

A vacina contra o HPV - perguntas e respostas para pais de raparigas no 9º ano a partir de setembro de 2014 Portuguese translation of Beating cervical cancer The HPV vaccine questions and answers for parents of girls in Year 9 from September 2014 Combater o cancro do colo do útero A vacina contra o HPV - perguntas

Leia mais

Cefaleia Cefaleia tipo tensão tipo tensão

Cefaleia Cefaleia tipo tensão tipo tensão Cefaleia tipo tensão Cefaleia tipo tensão O que é a cefaleia tipo tensão? Tenho dores de cabeça que duram vários dias de cada vez e sinto-me como se estivesse a usar um chapéu muito apertado - mais como

Leia mais

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR?

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? O NÚMERO DE PESSOAS AFETADAS POR DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EVITÁVEIS NÃO PÁRA DE AUMENTAR. AS CRIANÇAS E OS MAIS VELHOS SÃO OS MAIS ATINGIDOS. SÃO DOENÇAS

Leia mais

Mulheres grávidas ou a amamentar*

Mulheres grávidas ou a amamentar* Doença pelo novo vírus da gripe A(H1N1) Fase Pandémica 6 OMS Mulheres grávidas ou a amamentar* Destaques: A análise dos casos ocorridos, a nível global, confirma que as grávidas constituem um grupo de

Leia mais

IMPFDIENST. Brochura informativa para Pais e Alunos

IMPFDIENST. Brochura informativa para Pais e Alunos IMPFDIENST Brochura informativa para Pais e Alunos Serviço de Vacinação Exmos. Pais e Encarregados de Educação Caros alunos Em colaboração com os médicos escolares e o Serviço de Medicina Cantonal (Departamento

Leia mais

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT APOIO: Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD Casa de Cultura da Beira/CCB CERjovem ATENÇAÕ MULHER MENINA! Fundação Portugal - África RESPOSTAS

Leia mais

Sinais de alerta perante os quais deve recorrer à urgência:

Sinais de alerta perante os quais deve recorrer à urgência: Kit informativo Gripe Sazonal A gripe Sazonal é uma doença respiratória infeciosa aguda e contagiosa, provocada pelo vírus Influenza. É uma doença sazonal benigna e ocorre em todo o mundo, em especial,

Leia mais

Gripe H1N1 ou Influenza A

Gripe H1N1 ou Influenza A Gripe H1N1 ou Influenza A A gripe H1N1 é uma doença causada por vírus, que é uma combinação dos vírus da gripe normal, da aviária e da suína. Essa gripe é diferente da gripe normal por ser altamente contagiosa

Leia mais

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque é um parceiro VIH positivo numa relação com um homem.

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque é um parceiro VIH positivo numa relação com um homem. Informação ao participante e consentimento informado para o parceiro VIH positivo Estudo PARTNER O estudo PARTNER é um estudo levado a cabo com casais em que: (i) um parceiro é VIH positivo e o outro é

Leia mais

Derrotar o cancro do útero

Derrotar o cancro do útero Portuguese translation of Beating cervical cancer The HPV vaccine questions and answers for parents of girls in Year 9 Derrotar o cancro do útero A vacina HPV perguntas e respostas para os pais de jovens

Leia mais

GRIPE sempre deve ser combatida

GRIPE sempre deve ser combatida GRIPE sempre deve ser combatida Aviária Estacional H1N1 SAZONAL suína GRIPE = INFLUENZA Que é a INFLUENZA SAZONAL? É uma doença própria do ser humano e se apresenta principalmente durante os meses de inverno

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS UFPR

HOSPITAL DE CLÍNICAS UFPR HOSPITAL DE CLÍNICAS UFPR HC UFPR COMITÊ DE INFLUENZA SUÍNA 27 de abril DIREÇÃO DE ASSISTÊNCIA SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA INFECTOLOGIA CLÍNICA - ADULTO E PEDIÁTRICA SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Leia mais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar Informação para alunos e Pais O que éo vírus da Gripe A(H1N1)v? O vírus A(H1N1)v é um novo vírus da gripe, que afecta os seres humanos. Esta nova estirpe,

Leia mais

Coisas que deve saber sobre a pré-eclâmpsia

Coisas que deve saber sobre a pré-eclâmpsia Coisas que deve saber sobre a pré-eclâmpsia A pré-eclâmpsia é muito mais comum do que a maior parte das pessoas pensa na realidade ela é a mais comum das complicações graves da gravidez. A pré-eclâmpsia

Leia mais

Informação para o paciente

Informação para o paciente Informação para o paciente Introdução Viramune é um medicamento para tratar as infecções de VIH (HIV). Este folheto é apenas uma informação básica sobre o Viramune. Esta publicação oferece-lhe informações

Leia mais

Cefaleia crónica diária

Cefaleia crónica diária Cefaleia crónica diária Cefaleia crónica diária O que é a cefaleia crónica diária? Comecei a ter dores de cabeça que apareciam a meio da tarde. Conseguia continuar a trabalhar mas tinha dificuldade em

Leia mais

PANDEMIA DE GRIPE. Informação importante para si e para a sua família

PANDEMIA DE GRIPE. Informação importante para si e para a sua família PANDEMIA DE GRIPE Informação importante para si e para a sua família Os peritos da Organização Mundial de Saúde estão actualmente a prever uma pandemia de gripe. O presente folheto descreve uma pandemia

Leia mais

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010

Informação e Recomendações para Escolas. Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 Informação e Recomendações para Escolas Segundo a Direcção-Geral de Saúde Ano lectivo 2009/2010 O vírus da Gripe A(H1N1) é um novo subtipo de vírus que afecta os seres humanos. Este novo subtipo, contém

Leia mais

Quinta Edição/2015 Quinta Região de Polícia Militar - Quarta Companhia Independente

Quinta Edição/2015 Quinta Região de Polícia Militar - Quarta Companhia Independente GRIPE X RESFRIADO GRIPE e RESFRIADO são as mesmas coisas? Não. A gripe é uma doença grave, contagiosa, causada pelo vírus Influenza (tipos A,B e C) e o resfriado é menos agressivo e de menor duração, causado

Leia mais

Adultos e idosos também precisam se vacinar

Adultos e idosos também precisam se vacinar ANO VII N.º 10 Abril 2013 Canal de Comunicação da Sistel para os Usuários de Saúde Adultos e idosos também precisam se vacinar Na hora de cuidar da própria saúde, muitos adultos e idosos não dão importância

Leia mais

Amamentar. Introdução

Amamentar. Introdução Amamentar Introdução O leite materno é o melhor alimento para o bebé. Tem um valor nutritivo equilibrado e fornece a quantidade perfeita de proteínas, hidratos de carbono, gorduras, vitaminas e ferro para

Leia mais

Transfusão de sangue UHN. Informação para os pacientes sobre os benefícios, riscos e alternativas

Transfusão de sangue UHN. Informação para os pacientes sobre os benefícios, riscos e alternativas Transfusão de sangue Blood Transfusion - Portuguese UHN Informação para os pacientes sobre os benefícios, riscos e alternativas Quais são os benefícios da transfusão de sangue? A transfusão de sangue pode

Leia mais

Informação para o paciente

Informação para o paciente Informação para o paciente Viramune - nevirapina 18355 BI Viramune brochure POR_V2.indd 1 14-12-11 14:19 Introdução Viramune é um medicamento para o tratamento do HIV. Este prospecto contém informação

Leia mais

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina)

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) Influenza João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) O que éinfluenza Também conhecida como gripe, a influenza éuma infecção do sistema respiratório

Leia mais

Novas e velhas epidemias: os vírus

Novas e velhas epidemias: os vírus Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Novas e velhas epidemias: os vírus A UU L AL A - Maria, veja só o que eu descobri nesta revista velha que eu estava quase jogando fora! - Aí vem coisa. O que é, Alberto?

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

Vacina pneumocócica polissacárida conjugada (13-valente, adsorvida)

Vacina pneumocócica polissacárida conjugada (13-valente, adsorvida) EMA/90006/2015 EMEA/H/C/001104 Resumo do EPAR destinado ao público Vacina pneumocócica polissacárida conjugada (13-valente, adsorvida) Este é um resumo do Relatório Público Europeu de Avaliação (EPAR)

Leia mais

Diabetes Gestacional

Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional Introdução O diabetes é uma doença que faz com que o organismo tenha dificuldade para controlar o açúcar no sangue. O diabetes que se desenvolve durante a gestação é chamado de diabetes

Leia mais

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo.

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo. Informação ao participante e consentimento informado para o parceiro VIH positivo Estudo PARTNER O estudo PARTNER é um estudo levado a cabo com casais em que: (i) um parceiro é VIH positivo e o outro é

Leia mais

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da 2 A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da inflamação, o que dificulta a realização das trocas gasosas.

Leia mais

Brochura informativa Síndrome Hemolítico Urémico atípico (SHUa)

Brochura informativa Síndrome Hemolítico Urémico atípico (SHUa) Brochura informativa Síndrome Hemolítico Urémico atípico (SHUa) Doente/ Pais/ Cuidadores de Doentes Informação de Segurança Importante INTRODUÇÃO Este guia é para doentes adultos e adolescentes que sofrem

Leia mais

Rastreio de Diagnóstico Precoce em recém-nascidos para o seu bebé

Rastreio de Diagnóstico Precoce em recém-nascidos para o seu bebé Rastreio de Diagnóstico Precoce em recém-nascidos para o seu bebé Na primeira semana após o nascimento, é-lhe oferecida a possibilidade de efetuar um rastreio de diagnóstico precoce ao seu bebé. Porque

Leia mais

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Secretaria Regional da Saúde Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Na sequência dos comunicados emitidos pela Direcção Regional da Saúde e atendendo à informação oficial disponível,

Leia mais

BROCHURA para o DOENTE com ARTRITE IDIOPÁTICA JUVENIL POLIARTICULAR (AIJp) em TRATAMENTO com RoACTEMRA

BROCHURA para o DOENTE com ARTRITE IDIOPÁTICA JUVENIL POLIARTICULAR (AIJp) em TRATAMENTO com RoACTEMRA BROCHURA para o DOENTE com ARTRITE IDIOPÁTICA JUVENIL POLIARTICULAR (AIJp) em TRATAMENTO com RoACTEMRA Esta brochura fornece informação de segurança importante para o doente com AIJp e para os seus pais/responsáveis

Leia mais

Podem ser portadores e formar uma rede de transmissão. Não, porque contêm químicos e está clorada.

Podem ser portadores e formar uma rede de transmissão. Não, porque contêm químicos e está clorada. Influenza A H1N1 /GRIPE SUÍNA PERGUNTAS E RESPOSTAS: PERGUNTA 1. Quanto tempo o vírus da gripe suína permanece vivo numa maçaneta ou superfície lisa? 2. O álcool em gel é útil para limpar as mãos? 3. Qual

Leia mais

Gripe A. Plano de Contingência da ThyssenKrupp Elevadores. ThyssenKrupp Elevadores. GRIPE A Plano de Contingência

Gripe A. Plano de Contingência da ThyssenKrupp Elevadores. ThyssenKrupp Elevadores. GRIPE A Plano de Contingência GRIPE A - 1 Gripe A Plano de Contingência da Adaptado de: Pandemic contingency planning at ThyssenKrupp Elevator Dr. Jörg Arnold, Saúde & Segurança Dortmund, 30 de Junho de 2009 GRIPE A - 2 Contextualização

Leia mais

Objectivos Pedagógicos

Objectivos Pedagógicos Programa de Ciências da Natureza 6º Ano Tema: Ambiente de Vida Capítulo II- Agressões do meio e integridade do organismo 1) A Higiene Este capítulo tem como objectivo ensinar aos alunos que a falta de

Leia mais

Guia para o tratamento com Lucentis (ranibizumab) Para a perda de visão devida a Edema Macular Diabético (EMD) Informação importante para o doente

Guia para o tratamento com Lucentis (ranibizumab) Para a perda de visão devida a Edema Macular Diabético (EMD) Informação importante para o doente Guia para o tratamento com Lucentis (ranibizumab) Para a perda de visão devida a Edema Macular Diabético (EMD) Informação importante para o doente Secção 1 Sobre o Lucentis Este caderno de informação foi

Leia mais

Gripe: o que você pode fazer. Cuidados em casa

Gripe: o que você pode fazer. Cuidados em casa Gripe: o que você pode fazer Cuidados em casa Para mais informações, confira: www.mass.gov/dph/flu Gripe: o que você pode fazer Cuidados em casa ÍNDICE: O que é a gripe? 2 Prevenção da gripe 6 Cuidados

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Doença pelo novo vírus da gripe A (H1N1)v - Mulheres grávidas ou a amamentar Nº: 26/DSR DATA: 28/07/09 Para: Contacto na DGS: Todos os estabelecimentos

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Montelucaste Generis 10 mg Comprimidos Montelucaste de sódio Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento -Conserve este folheto. Pode

Leia mais

Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias

Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias Texto elaborado pelos Drs Pérsio Roxo Júnior e Tatiana Lawrence 1. O que é imunodeficiência? 2. Estas alterações do sistema imunológico são hereditárias?

Leia mais

Rede Pública ou Particular?

Rede Pública ou Particular? Vacinar seu filho na feito com carinho para você ganhar tempo! Rede Pública ou Particular? guia rápido das vacinas e principais diferenças Um guia de utilidade pública com as fichas de 10 vacinas para

Leia mais

Boletim Epidemiológico Volume 01, Nº 2, 04 de Julho 2013.

Boletim Epidemiológico Volume 01, Nº 2, 04 de Julho 2013. Boletim Epidemiológico Volume 0, Nº 2, 04 de Julho 20. Influenza O controle da Influenza no país continua sendo feito por monitoramento - vigilância de Síndrome Gripal (SG) e da Síndrome Respiratória Aguda

Leia mais

Um guia para doentes e suas famílias

Um guia para doentes e suas famílias Primárias: Mantenha-se saudável! Um guia para doentes e suas famílias Imunodeficiências Mantenha-se saudável! Um guia para doentes e suas famílias Imunodeficiências Primárias Imunodeficiências Primárias:

Leia mais

Para a obtenção de informações complementares, poderá ainda consultar os seguintes links da Direcção Geral de Saúde: A AICOPA LINHA DE SAÚDE AÇORES

Para a obtenção de informações complementares, poderá ainda consultar os seguintes links da Direcção Geral de Saúde: A AICOPA LINHA DE SAÚDE AÇORES Diversos Circular n.º 72/2009 15 de Julho de 2009 Assunto: Gripe A (H1N1) Algumas considerações importantes. Caro Associado: Considerando a nova estirpe de vírus da Gripe A (H1N1), e perante o seu risco

Leia mais

Actualizado em 21-09-2009* Doença pelo novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 Mulheres grávidas ou a amamentar

Actualizado em 21-09-2009* Doença pelo novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 Mulheres grávidas ou a amamentar Doença pelo novo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 Mulheres grávidas ou a amamentar Destaques A análise dos casos ocorridos, a nível global, confirma que as grávidas constituem um grupo de risco, pelo

Leia mais

Os antibióticos - inúteis contra. os vírus! Não aos antibióticos contra os vírus

Os antibióticos - inúteis contra. os vírus! Não aos antibióticos contra os vírus Os antibióticos - inúteis contra os vírus! Não aos antibióticos contra os vírus Os antibióticos - inúteis contra os vírus! Uma doença infecciosa pode ser provocada por um VÍ- RUS, por uma BACTÉRIA ou por

Leia mais

Será que doses elevadas de creatina "atrasam o início clínico" da doença de Huntington? Porquê a creatina?

Será que doses elevadas de creatina atrasam o início clínico da doença de Huntington? Porquê a creatina? Notícias científicas sobre a Doença de Huntington. Em linguagem simples. Escrito por cientistas. Para toda a comunidade Huntington. Será que doses elevadas de creatina "atrasam o início clínico" da doença

Leia mais

Fique atento ao abuso de antibióticos na pediatria

Fique atento ao abuso de antibióticos na pediatria Fique atento ao abuso de antibióticos na pediatria Criado em 22/04/15 10h50 e atualizado em 22/04/15 11h27 Por Sociedade Brasileira de Pediatria Para se ter sucesso no tratamento da criança alérgica ou

Leia mais

Actualizado em 21-09-2009* Doentes com Diabetes mellitus 1

Actualizado em 21-09-2009* Doentes com Diabetes mellitus 1 Doentes com Diabetes mellitus 1 Estas recomendações complementam outras orientações técnicas para protecção individual e controlo da infecção pelo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009. Destaques - Os procedimentos

Leia mais

Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite

Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite HEPATITE A hepatite é uma inflamação do fígado provocada na maioria das vezes por um vírus. Diferentes tipos de vírus podem provocar hepatite aguda, que se

Leia mais

Hereditariedade ligado ao X

Hereditariedade ligado ao X 12 Porto: Instituto de Genética Médica Tel.: (+351).22.607.03.00 Email: genetica@igm.min-saude.pt www.igm.min-saude.pt Hereditariedade ligado ao X Centro de Genética Preditiva e Preventiva IBMC, Univ.

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. SINGULERGY 10 mg comprimidos revestidos por película montelucaste

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. SINGULERGY 10 mg comprimidos revestidos por película montelucaste FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR SINGULERGY 10 mg comprimidos revestidos por película montelucaste APROVADO EM Leia com atenção todo este folheto antes de tomar este medicamento. - Conserve

Leia mais

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida?

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Para NÃO APANHAR nas relações intimas e sexuais: 1. Não fazer sexo enquanto não se sentir preparado para usar o preservativo (pode experimentar primeiro

Leia mais

Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos!

Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos! Brochura de informação Usar mal um medicamento, este torna-se ineficaz! Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos! z6creation.net Uma iniciativa europeia em matéria de saúde. Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos!

Leia mais

Febre Reumática Sociedade Brasileira de Reumatologia

Febre Reumática Sociedade Brasileira de Reumatologia Febre Reumática CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: CREDITO IMAGEM DA CAPA: http://www.guildford.gov.uk/play EDITORAÇÃO: Rian Narcizo Mariano PRODUÇÃO: www.letracapital.com.br Copyright SBR-, 2011 O conteúdo desta

Leia mais

www.bowelscreeningwales.org.uk

www.bowelscreeningwales.org.uk Rastreio Screening ao per intestino i tumori intestinali Mais Ulteriori análises investigazioni 4 www.bowelscreeningwales.org.uk Rastreio ao intestino - Mais análises O resultado do seu teste mostra vestígios

Leia mais

Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1

Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1 Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1 DOCUMENTO PARA O PÚBLICO EM GERAL Coordenação: Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) Associação Médica Brasileira (AMB) Apoio e participação:

Leia mais

As causas das doenças

As causas das doenças CAPÍTULO 2 As causas das doenças As pessoas têm maneiras diferentes de explicar a causa duma doença. Um bebé está com diarreia. Mas porquê? Em certas comunidades, talve digam que isso aconteceu porque

Leia mais

ATCHIM!! Gripe Suína. Influenza A. Conheça essa doença que está assustando todo mundo...

ATCHIM!! Gripe Suína. Influenza A. Conheça essa doença que está assustando todo mundo... ATCHIM!! Gripe Suína Influenza A Conheça essa doença que está assustando todo mundo... Coordenadoria de Assistência Social da Universidade de São Paulo Divisão de Promoção Social Educação em Saúde São

Leia mais

Gripe A. Dr. Basil Ribeiro. Prof. Doutor Manuel Teixeira Veríssimo. Faculdade de Medicina de Coimbra Medicina Interna e Medicina Desportiva

Gripe A. Dr. Basil Ribeiro. Prof. Doutor Manuel Teixeira Veríssimo. Faculdade de Medicina de Coimbra Medicina Interna e Medicina Desportiva Gripe A Dr. Basil Ribeiro Medicina Desportiva Prof. Doutor Manuel Teixeira Veríssimo Faculdade de Medicina de Coimbra Medicina Interna e Medicina Desportiva Vírus H1N1 - Introdução Gripe dos porcos altamente

Leia mais

Brochura com informação de segurança para o doente sobre KEYTRUDA. (pembrolizumab)

Brochura com informação de segurança para o doente sobre KEYTRUDA. (pembrolizumab) Brochura com informação de segurança para o doente sobre KEYTRUDA (pembrolizumab) Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Isto irá permitir a rápida identificação de nova informação de

Leia mais

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa NSW Health Factsheet - Portuguese A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa The connection between TB and HIV Esta é uma folha informativa sobre tuberculose (TB) e o Vírus de Imunodeficiência

Leia mais

Prevenção da Gripe A(H1N1)v

Prevenção da Gripe A(H1N1)v Prevenção da Gripe A(H1N1)v Recomendações DSD Departamento da Qualidade na Saúde Quais os Sintomas? Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal: Febre de início súbito (superior a 38ºC) Tosse Dores

Leia mais

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com VIROSES Prof. Edilson Soares www.profedilson.com CATAPORA OU VARICELA TRANSMISSÃO Saliva Objetos contaminados SINTOMAS Feridas no corpo PROFILAXIA Vacinação HERPES SIMPLES LABIAL TRANSMISSÃO Contato

Leia mais

Orientação sobre Vacinação. Para proteger a criança contra as doenças contagiosas

Orientação sobre Vacinação. Para proteger a criança contra as doenças contagiosas 31 Orientação sobre Vacinação Para proteger a criança contra as doenças contagiosas A cidade de Yokohama realiza vários tipos de vacinações, com a colaboração da Associação Médica de Yokohama. Antes de

Leia mais

GRIPE SUÍNA PERGUNTAS E RESPOSTAS: Até 10 horas.

GRIPE SUÍNA PERGUNTAS E RESPOSTAS: Até 10 horas. GRIPE SUÍNA PERGUNTAS E RESPOSTAS: PERGUNTA 1.- Quanto tempo dura vivo o vírus suíno numa maçaneta ou superfície lisa? 2. - Quão útil é o álcool em gel para limpar-se as mãos? 3.- Qual é a forma de contágio

Leia mais

Radioterapia no Cancro do Pulmão

Radioterapia no Cancro do Pulmão Editado em: Novembro de 2006 Apoio: Radioterapia no Cancro do Pulmão Comissão de Pneumologia Oncológica Sociedade Portuguesa de Pneumologia ÍNDICE A Comissão de Pneumologia Oncológica agradece ao autor

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina Leia atentamente este folheto antes de tomar Livazo. Conserve este folheto.

Leia mais

ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS)

ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS) ANEXO III 58 ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS) Adições aparecem em itálico e sublinhado; rasuras

Leia mais

1 O que é Urografina (Forma farmacêutica e Categoria farmacoterapêutica)

1 O que é Urografina (Forma farmacêutica e Categoria farmacoterapêutica) O nome do seu medicamento é: UROGRAFINA Leia atentamente este folheto antes de utilizar o medicamento. Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler. Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico

Leia mais