Treinamento Esportivo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Treinamento Esportivo"

Transcrição

1 Treinamento Esportivo Introdução Fundamentos Aplicação dos conteúdos e foco Conceitos Atletas Não Atletas Treinamento Treinamento Esportivo Significado Esporte Composição Alto Rendimento Coordenação e Comissão Técnica Três Preparações Controle Variáveis Influenciadoras e Condicionantes Administração e Marketing Plano Temporada Periodização

2 Desempenho do aluno/atleta Planejamento e aplicação do programa de treinamento Princípios do treinamento Fundamentos: conceitos, composição do treinamento, identificação clara de metas e objetivos Pedagogia do professor, visando uma sociedade democrática, justa e humana (saudável), para formação de um cidadão com dignidade

3 Unidade I Fundamentos do Treinamento Esportivo Conceito de Treinamento Conceito de Treinamento Esportivo

4 Conceito de Treinamento

5 Conceito de Treinamento Treinamento É um processo pelo qual se submete alguém à busca de melhoria de alguma coisa. Processo Visa a melhoria pois envolve diversas etapas que podem ir desde o aprendizado ao aperfeiçoamento, até chegar à especialização. faz parte do próprio ser humano que, historicamente, assume ações com tendências evolutivas, seja durante a fase da infância, juventude, vida adulta ou na velhice.

6 Conceito Treinamento Esportivo

7 Conceito Treinamento Esportivo Significado de Esporte Fenômeno Social

8 Fenômeno Social: que sociedade é essa?

9 Fenômeno Social: que sociedade é essa?

10 Fenômeno Social: que sociedade é essa?

11 ES?

12 Conceitos de Esporte nos Diferentes Contextos Históricos (Tubino, 2003) Esporte Antigo Período/fatos: Olimpíadas Gregas até primeira metade século XIX. Disputas envolvidas em apostas e celebrações, festivais sagrados e eventos atléticos com significância religiosa. Esporte Moderno Período/fatos: 1º Jogos Olímpicos da Era Moderna Atenas 1896 até início década de 80. Alto Rendimento e uso político e ideológico dos resultados. Esporte Contemporâneo Período/fatos: Carta Internacional de EF e Desportos da UNESCO direito de todos às práticas esportivas. Esporte Educação Esporte Lazer Esporte de Rendimento

13 ESPORTE ANTIGO

14 ESPORTE MODERNO

15 ESPORTE MODERNO

16

17

18 Jogos da XXXII Olimpíada Tóquio 2020

19

20 Manifestações Sociais do Esporte Contemporâneo Nas perspectivas de Esporte Educação (Esporte Educacional e Esporte Escolar), Esporte Lazer, e Esporte de Rendimento Necessidade do Treinamento Esportivo adaptar-se e aumentar a sua abrangência

21 Manifestações de Esporte Contemporâneo Esporte Educação Esporte Educacional: para todos, apoiado em princípios sócioeducativos finalidade propiciar vivências educativas para jovens. Esporte Escolar: mais seletivo, permite aos jovens com talentos e genética adequada, se desenvolverem nas suas opções esportivas, mas sem que o processo dispense a formação para a cidadania. Esporte Lazer Da pessoa comum, como é uma prática esportiva voluntária, o prazer torna-se essencial. As regras e as formas do jogo variam de acordo com as convenções episódicas de cada caso. Esporte de Rendimento Perspectiva única anterior, tornou-se negócio, e com isto mexeu nas formas de disputa, cada vez em maior número, devido à necessidade de marketing das marcas patrocinadoras e demandas de TVs.

22 ESPORTE CONTEMPORÂNEO Esporte Educacional / Esporte Escolar

23 ESPORTE CONTEMPORÂNEO Esporte Lazer

24 ESPORTE CONTEMPORÂNEO De Rendimento

25 RENDIMENTO? EDUCACIONAL / ESCOLAR? LAZER / PARTICIPAÇÃO? ÊNFASE A QUE MANIFESTAÇÃO SOCIAL DO ESPORTE?

26 GALINDO, A.G. Lecturas: Educación Física y Deportes Revista Digital - ISSN Buenos Aires - Año 15 - Nº Mayo de 2010

27 A QUEM APLICAR OS CONTEÚDOS DO TREINAMENTO?

28 Aplicação dos conteúdos e foco Atletas Não Atletas

29 Disponível em acesso 13/09/2014 atleta em Latim, athleta, em Grego athletes, competidor nos jogos. Vem de athlein, competir por um prêmio, relacionado a athlos, disputa e a athlon, prêmio.

30 Disponível em acesso 13/09/2014

31 ARAUJO, C. G. S.; SCHARHAG, J. Athlete: a working definition for medical and health sciences research. Scand J Med Sci Sports, Copenhagen, v. 26, p. 4 7, doi: /sms Para fornecer uma definição inequívoca para uso médico e em pesquisas das ciências da saúde, os autores propõem quatro critérios que devem ser simultaneamente cumpridos para o sujeito ser considerado um atleta: A) estar treinando nos esportes com o objetivo de melhorar o seu desempenho ou resultados; B) estar participando ativamente em competições desportivas; C) estar formalmente registrado em instituição esportiva, regional ou federação esportiva nacional como um participante; e D) ter participação no esporte competitivo como principal atividade ou foco de interesse, quase sempre dedicando várias horas em todos ou na maioria dos dias para estas atividades esportivas, superando o tempo alocado para outra atividade profissional ou atividades de lazer.

32 Atletas Profissionais Rendimento FOCO Não Atletas Fitness/Saúde Atletas Amadores Rendimento

33 Diferentes aplicações para o Conceito de Treinamento ATLETA PROFISSIONAL OU AMADOR participa de competições NÃO ATLETA não objetiva competição profissionalização classificação em níveis atividade física regular objetivos principais ligados à saúde e prazer rendimento máximo

34 Diferentes aplicações para o Conceito de Treinamento NÃO ATLETA

35

36

37 Definir o FOCO do programa de treinamento Atletas Profissionais: manifestação esporte de rendimento Atletas Amadores: manifestação esporte rendimento e escolar Não Atletas (Fitness/Saúde): manifestação esporte educacional e lazer

38 Definir o FOCO do programa de treinamento No fundo o que todos querem é o prestígio, ele descreve importância social, alta consideração e sólida reputação. Instituições, prêmios e eventos podem ser descritos como "prestigiosos"; neste caso, seria favorável estar associado a eles. Frequentemente, prestígio também carrega um ar de associação com a elite. Este é o uso mais comum da palavra nos dias de hoje, familiar para todas as classes sociais.

39 Componentes para conceituar Treinamento Esportivo 3 manifestações Identificação clara das metas e dos objetivos a serem atingidos e quando se pretende alcançá-los Três preparações (técnico-tática, física e psicológica) Sistematização e organização dos componentes e das variáveis relacionadas direta ou indiretamente com o processo O controle baseado nas variáveis fisiológicas, biomecânicas, cinesiológicas, nutricionais, de doenças, de hábitos de vida Administração dos recursos humanos, materiais e financeiros que envolvem o programa de treinamento e o marketing esportivo Variáveis influenciadoras e condicionantes, como: clima, altitude, material esportivo e outros

40 Conceito Treinamento Esportivo O Treinamento Desportivo é o conjunto de procedimentos utilizados na preparação de pessoas/atletas para as diversas perspectivas de exercício do direito às práticas esportivas, em suas diferentes manifestações: no esporte educação (educacional e escolar), lazer e de rendimento (Tubino, 2003).

41 Conceito Treinamento Esportivo "[...] é conjunto de procedimentos e meios utilizados para se conduzir um atleta a sua plenitude física, técnica e psicológica dentro de um planejamento racional, visando executar uma performance máxima num período determinado". Dantas (2003, p. 28) "[...] é a forma básica de preparação do atleta. É a preparação sistematicamente organizada por meio de exercícios que de fato constitui um processo pedagogicamente estruturado de condução de desenvolvimento do atleta na busca de elevados desempenhos [...]". Matvéiev (1986, p. 32) "[...] sugere a definição de treinamento esportivo como sendo o processo ativo complexo regular planificado e orientado para melhoria do aproveitamento e desempenho esportivo" (Carl, apud Weineck 1999, p. 10)

42 Unidade I Conceito Treinamento Esportivo Tarefa (individual) Considerando os componentes que fazem parte do conceito de treinamento esportivo vistos na aula, compare-os com os conceitos apresentados pelos 4 autores citados.

43 COMPOSIÇÃO DO TREINAMENTO ESPORTIVO DE ALTO RENDIMENTO

44 COMPOSIÇÃO DO TREINAMENTO ESPORTIVO DE ALTO RENDIMENTO Os componentes deverão ser aplicados, na medida do possível e com as devidas proporções, às outras manifestações de esporte: lazer e educação

45 COMPOSIÇÃO DO TREINAMENTO ESPORTIVO DE ALTO RENDIMENTO PREPARAÇÕES * FÍSICA * PSICOLÓGICA * TÉCNICO-TÁTICA ADMINISTRAÇÃO E MARKETING CONTROLE Médico Odontológico Alimentar Hábitos de vida VARIÁVEIS INFLUENCIADORAS E CONDICIONANTES *

46 COMPOSIÇÃO DO TREINAMENTO ESPORTIVO DE ALTO RENDIMENTO PREPARAÇÕES Psicológica % ou 0-10% Técnico-tática 30-50% Física 40-80%

47 COMPOSIÇÃO DO TREINAMENTO ESPORTIVO DE ALTO RENDIMENTO Variáveis Influenciadoras Material Esportivo Condicionantes Clima Altitude

48 QUEM PLANEJA, APLICA E CONTROLA ESSES COMPONENTES?

49 Coordenador e Comissão Técnica Preparações: Física / Técnico- Tática / Psicológica Variáveis influenciadoras e condicionantes Coordenação do treinamento Controle Administração e Marketing

50 Comissão Técnica Grupo de pessoas reunidas num processo de treinamento que trazem especializações nos diferentes componentes do treinamento.

51 Plano de Expectativa Metas e Objetivos Comissão Técnica Componentes do Treinamento Plano de Treinamento

52 Tarefa (grupos) Escolher duas pessoas conhecidas praticantes de exercício físico regular, uma atleta e outra não atleta. Faça descrição delas, justificando o porque da diferença de uma ser atleta e a outra não atleta. Responda sobre elas: a) Elas seguem plano de treinamento? b) Sim ou não, e porque.

53 DANTAS, E. H. M. A prática da preparação física. 5. ed. Rio de Janeiro: Shape, MATVÉIEV. C. P. Horizontes da cultura física fundamentos do treino desportivo. Lisboa: Livros Horizontes. LDA, PEREZ, A.J. Quem são os atletas e os não-atletas no processo de treinamento? Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 21(2/3): , TUBINO, MJG; Moreira, SB. Metodologia científica do treinamento desportivo. Rio de Janeiro: Shape, WEINECK. J. Treinamento ideal. São Paulo: Manole,

54 Treinamento Esportivo Introdução Fundamentos Aplicação dos conteúdos e foco Conceitos Atletas Não Atletas Treinamento Treinamento Esportivo Significado Esporte Composição Alto Rendimento Coordenação e Comissão Técnica Três Preparações Controle Variáveis Influenciadoras e Condicionantes Administração e Marketing Plano Temporada Periodização

Treinamento Esportivo

Treinamento Esportivo Treinamento Esportivo Introdução Fundamentos Aplicação dos conteúdos e foco Conceitos Atletas Não Atletas Treinamento Treinamento Esportivo Significado Esporte Composição Alto Rendimento Coordenação e

Leia mais

Treinamento Esportivo

Treinamento Esportivo Treinamento Esportivo Introdução Fundamentos Aplicação dos conteúdos e foco Conceitos Atletas Não Atletas Treinamento Treinamento Esportivo Significado Esporte Composição Alto Rendimento Coordenação e

Leia mais

Fundamentos do TE 27/11/2012

Fundamentos do TE 27/11/2012 Unidade I Fundamentos do Esportivo Conceito de Conceito de Esportivo Processo Conceito de É um processo pelo qual se submete alguém à busca de melhoria de alguma coisa. Visa a melhoria pois envolve diversas

Leia mais

Treinamento Esportivo

Treinamento Esportivo Treinamento Esportivo Introdução Fundamentos Aplicação dos conteúdos e foco Conceitos Atletas Não Atletas Treinamento Treinamento Esportivo Significado Esporte Composição Alto Rendimento Coordenação e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DEPARTAMENTO DE DESPORTOS PROGRAMA DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DEPARTAMENTO DE DESPORTOS PROGRAMA DE ENSINO CAMPUS: Goiabeiras - CEFD CURSO: Educação Física UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PROGRAMA DE ENSINO 2016.2 HABILITAÇÃO: Licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DEPARTAMENTO DE DESPORTOS PROGRAMA DE ENSINO 2016/1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DEPARTAMENTO DE DESPORTOS PROGRAMA DE ENSINO 2016/1 CAMPUS: Goiabeiras - CEFD CURSO: Educação Física PROGRAMA DE ENSINO 2016/1 HABILITAÇÃO: Licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL:

Leia mais

FUNDAMENTOS PARA O TREINAMENTO DOS EXERCÍCIOS CORPORAIS E PARA OS ESPORTES Anselmo José Perez

FUNDAMENTOS PARA O TREINAMENTO DOS EXERCÍCIOS CORPORAIS E PARA OS ESPORTES Anselmo José Perez Capítulo 4 - Identificação do atleta e do não atleta Como já apresentado por Perez (2000), as diferenças entre os dois estados, ou seja, estar atleta e estar não atleta, é apresentada no Quadro 2. Essa

Leia mais

Combinação das cargas de treinamento no processo de preparação desportiva Carga ondulatória durante o processo de preparação desportiva...

Combinação das cargas de treinamento no processo de preparação desportiva Carga ondulatória durante o processo de preparação desportiva... Treinamento desportivo 13 Sumário INTRoDUÇÃO...19 1 Princípios científicos da preparação desportiva...21 preparação desportiva, leis e regras... 21 princípios pedagógicos da preparação desportiva... 21

Leia mais

Planejamento plurianual. Formação do atleta e Plano de expectativa

Planejamento plurianual. Formação do atleta e Plano de expectativa Planejamento plurianual Formação do atleta e Plano de expectativa Planejamento de longo prazo Procedimento determinante na formação de um atleta de alto desempenho É comum estruturações de treinamentos

Leia mais

O ESPORTE COMO CONTEÚDO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: SEUS MITOS, SUAS VERDADES E SUA REALIDADE CULTURAL, ECONÔMICA E POLÍTICA NA SOCIEDADE ATUAL.

O ESPORTE COMO CONTEÚDO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: SEUS MITOS, SUAS VERDADES E SUA REALIDADE CULTURAL, ECONÔMICA E POLÍTICA NA SOCIEDADE ATUAL. O ESPORTE COMO CONTEÚDO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: SEUS MITOS, SUAS VERDADES E SUA REALIDADE CULTURAL, ECONÔMICA E POLÍTICA NA SOCIEDADE ATUAL. Prof. Mestre Gilberto Santiago Ferreira Macapá / AP Novembro

Leia mais

JOGOS OLÍMPICOS DA JUVENTUDE: UM NOVO MEGAEVENTO ESPORTIVO DE SENTIDO EDUCACIONAL FOCADO EM VALORES

JOGOS OLÍMPICOS DA JUVENTUDE: UM NOVO MEGAEVENTO ESPORTIVO DE SENTIDO EDUCACIONAL FOCADO EM VALORES JOGOS OLÍMPICOS DA JUVENTUDE: UM NOVO MEGAEVENTO ESPORTIVO DE SENTIDO EDUCACIONAL FOCADO EM VALORES Marcio Turini, Marta Gomes, Ana Miragaya e Lamartine DaCosta YOUTH OLYMPIC GAMES JOGOS OLÍMPICOS DA

Leia mais

Aspectos Positivos do Esporte

Aspectos Positivos do Esporte Aspectos Positivos do Esporte O esforço, a superação exigida treina o homem para a vida e aponta o caminho para a autonomia Mantenedor de valores éticos Efeitos sobre os centros nervosos, a circulação,

Leia mais

5/3/2009. Antonio Carlos Gomes, PhD

5/3/2009. Antonio Carlos Gomes, PhD Antonio Carlos Gomes, PhD Estratégias voltadas para a Formação integral do atleta 1 ? QUAIS SÃO AS ESTRATÉGIAS Ações na preparação a longo prazo 2 Fábrica? Usina? Indústria? MEDALHA OLÍMPICA? VOU SER CAMPEÃO?

Leia mais

TREINAMENTO CORPORAL HUMANO: fundamentos para o treinamento dos exercícios corporais e para os esportes

TREINAMENTO CORPORAL HUMANO: fundamentos para o treinamento dos exercícios corporais e para os esportes Capítulo 3 Identificação do atleta e do não atleta Neste capítulo você terá: Identificação do atleta e do não atleta Diferenciação entre a condição de atleta e de não atleta Conceitos de atleta e suas

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO DE VOLEIBOL DESTINADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA

PROGRAMA DE TREINAMENTO DE VOLEIBOL DESTINADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA PROGRAMA DE TREINAMENTO DE VOLEIBOL DESTINADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA Vitor Hugo Fernando de Oliveira, Flávio da Rosa Júnior, Fábio Santos Mello Acadêmicos do Curso de Educação Física da UFSC Juarez

Leia mais

Prof.Esp.Moisés Mendes

Prof.Esp.Moisés Mendes Prof.Esp.Moisés Mendes TREINAMENTO CONCEITO: É o planejamento geral e detalhado da utilização do tempo disponível para treinamento de acordo com objetivos intermediários perfeitamente estabelecidos e respeitando-se

Leia mais

Bases Metodológicas do Treinamento Desportivo

Bases Metodológicas do Treinamento Desportivo Bases Metodológicas do Treinamento Desportivo Unidade I Princípios do Treinamento Prof. Esp. Jorge Duarte Princípios do Treinamento A teoria e a metodologia do treinamento desportivo possuem princípios

Leia mais

TÍTULO: ANALISE DA INCIDÊNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE EM JUDOCAS INFANTO-JUVENIL PARTICIPANTES DE CAMPEONATO REGIONAL DE JUDÔ CATEGORIA: CONCLUÍDO

TÍTULO: ANALISE DA INCIDÊNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE EM JUDOCAS INFANTO-JUVENIL PARTICIPANTES DE CAMPEONATO REGIONAL DE JUDÔ CATEGORIA: CONCLUÍDO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ANALISE DA INCIDÊNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE EM JUDOCAS INFANTO-JUVENIL PARTICIPANTES DE

Leia mais

Estrutura do Processo de Treino

Estrutura do Processo de Treino Estrutura do Processo de Treino http://www.cdnacional.pt/press.asp Índice do tema: 1- Passos Antecedentes à Elaboração de Planeamento de Treino; 2 Modelos de Periodização do Treino; 3 Organização das Estruturas

Leia mais

CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA - BACHARELADO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA - BACHARELADO EMENTAS º PERÍODO CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA - BACHARELADO EMENTAS - 2016.2 2º PERÍODO DISCIPLINA: BIOQUÍMICA CELULAR Componentes responsáveis pelo funcionamento bioquímico dos seres vivos, em especial o ser humano, manifestos

Leia mais

DESPORTO EDUCAÇÃO PARA A PAZ, FRATERNIDADE E INTERCULTURALIDADE

DESPORTO EDUCAÇÃO PARA A PAZ, FRATERNIDADE E INTERCULTURALIDADE DESPORTO EDUCAÇÃO PARA A PAZ, FRATERNIDADE E INTERCULTURALIDADE 19 DESPORTO PARA A INCLUSÃO ALTA COMPETIÇÃO 20 A sua importância...estendendo-se...aos domínios: Afetivo Ético Social Formação Pessoal e

Leia mais

Explicação dos Testes & Cronograma das Avaliações para a Equipe de Voleibol Master. Street Volei / Barra Music

Explicação dos Testes & Cronograma das Avaliações para a Equipe de Voleibol Master. Street Volei / Barra Music Explicação dos Testes & Cronograma das Avaliações para a Equipe de Voleibol Master Street Volei / Barra Music Nelso Kautzner Marques Junior kautzner123456789junior@gmail.com 2016 2 Índice Introdução, 3

Leia mais

O macrociclo. Teoria de Matveiev Prof.: Msd.: Ricardo Luiz Pace Júnior

O macrociclo. Teoria de Matveiev Prof.: Msd.: Ricardo Luiz Pace Júnior O macrociclo Teoria de Matveiev Prof.: Msd.: Ricardo Luiz Pace Júnior O macrociclo É um constituinte do plano de expectativa. Consiste em o atleta: Construir * P. preparatório Manter * P. competitivo Perder

Leia mais

A PRÁTICA DO ATLETISMO ESCOLAR COMO PROPOSTA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA RESUMO

A PRÁTICA DO ATLETISMO ESCOLAR COMO PROPOSTA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA RESUMO A PRÁTICA DO ATLETISMO ESCOLAR COMO PROPOSTA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA BARETTA, Elisabeth; GRIGOLLO, Leoberto Ricardo. RESUMO O desenvolvimento de atividades de extensão por meio do I Festival Unoesc de

Leia mais

FESTIVAL DE INICIAÇÃO ESPORTIVA

FESTIVAL DE INICIAÇÃO ESPORTIVA FESTIVAL DE INICIAÇÃO ESPORTIVA Projeto: Festival de Iniciação Esportiva Publicação no D.O.U 28/12/2015 Seção 1 Pág 125 Beneficiários Diretos: 300 crianças/adolescentes Valor Total aprovado: R$ 302.681,74

Leia mais

A proposição foi distribuída a três Comissões: Esporte; Educação; e Constituição e Justiça e de Cidadania.

A proposição foi distribuída a três Comissões: Esporte; Educação; e Constituição e Justiça e de Cidadania. COMISSÃO DE ESPORTE PROJETO DE LEI N o 1.966, DE 2015 Institui o reconhecimento do caráter educacional e formativo da capoeira em suas manifestações culturais e esportivas e permite a celebração de parcerias

Leia mais

Bases do treinamento aeróbio para Corrida e Emagrecimento. Profª Ma. Kamilla Bolonha Gomes Profº Dr. Anselmo José Perez

Bases do treinamento aeróbio para Corrida e Emagrecimento. Profª Ma. Kamilla Bolonha Gomes Profº Dr. Anselmo José Perez Bases do treinamento aeróbio para Corrida e Emagrecimento Profª Ma. Kamilla Bolonha Gomes Profº Dr. Anselmo José Perez Unidade 3 - Plano de treinamento para a corrida 3.1 Processo do treinamento: metas,

Leia mais

ESTRUTURA E PREPARAÇÃO DO TREINAMENTO RICARDO LUIZ PACE JR.

ESTRUTURA E PREPARAÇÃO DO TREINAMENTO RICARDO LUIZ PACE JR. ESTRUTURA E PREPARAÇÃO DO TREINAMENTO RICARDO LUIZ PACE JR. Todo planejamento deve iniciar-se através da identificação das variáveis intervenientes no processo de preparação da estrutura do treinamento.

Leia mais

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Batatais Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal da Estância Turística de Batatais Estado de São Paulo PROCESSO SELETIVO - EDITAL Nº 01/2016 ANEXO II PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DAS FUNÇÕES RETIFICAÇÃO Nomenclatura Professor de Educação Básica I - Ensino Fundamental e Educação Infantil Fundamental (Arte) PRINCIPAIS

Leia mais

INICIAÇÃO DESPORTIVA INICIAÇÃO AO FUTSAL Prof.: Msd.: Ricardo Luiz Pace Jr.

INICIAÇÃO DESPORTIVA INICIAÇÃO AO FUTSAL Prof.: Msd.: Ricardo Luiz Pace Jr. INICIAÇÃO DESPORTIVA INICIAÇÃO AO FUTSAL Prof.: Msd.: Ricardo Luiz Pace Jr. INICIAÇÃO DESPORTIVA Primeiro contato da criança com o esporte de interesse. Suas regras, fundamentos, movimentações vão sendo

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE REMO CAMINHO DA SELEÇÃO SELEÇÃO BRASILEIRA DE REMO TEMPORADA 2017 PLANO ANUAL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE REMO CAMINHO DA SELEÇÃO SELEÇÃO BRASILEIRA DE REMO TEMPORADA 2017 PLANO ANUAL CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE REMO CAMINHO DA SELEÇÃO SELEÇÃO BRASILEIRA DE REMO TEMPORADA 2017 PLANO ANUAL Planejamento, Processo Seletivo e Calendário SELEÇÃO BRASILEIRA DE REMO PLANO ANUAL TEMPORADA 2017

Leia mais

O TREINAMENTO DA VELOCIDADE PARA AS CORRIDAS DE FUNDO: CONSIDERAÇÃO SOBRE O MÉTODO FARTLEK *

O TREINAMENTO DA VELOCIDADE PARA AS CORRIDAS DE FUNDO: CONSIDERAÇÃO SOBRE O MÉTODO FARTLEK * O TREINAMENTO DA VELOCIDADE PARA AS CORRIDAS DE FUNDO: CONSIDERAÇÃO SOBRE O MÉTODO FARTLEK * Prof. Marcelo Augusti Técnico em Corridas de Fundo Especialização em Fisiologia do Exercício e Treinamento Desportivo

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Áreas de investigação Edital Normativo 03/2014 A Comissão de Pós-Graduação da Escola de Educação Física, conforme disposto no subitem VIII.11 do Regulamento da Comissão Coordenadora do Programa, baixado

Leia mais

Instituto Olímpico Brasileiro

Instituto Olímpico Brasileiro Instituto Olímpico Brasileiro Departamento de educação do COB - Linha do tempo 2007/2008 Projetos / SOI 2010 Área funcional 2011 Superintendência 1995 Universidade do Esporte 2009 Lançamento oficial do

Leia mais

Ginástica Geral. Prof. Dra. Bruna Oneda 2012

Ginástica Geral. Prof. Dra. Bruna Oneda 2012 Ginástica Geral Prof. Dra. Bruna Oneda 2012 professora@brunaoneda.com.br Ginástica Geral (GG) Compreende um vasto leque de atividades físicas, nas quais acontecem manifestações gímnicas e/ou culturais.

Leia mais

REGULAMENTO PARA TÉCNICOS E INSTRUTORES DE TIRO COM ARCO NO BRASIL

REGULAMENTO PARA TÉCNICOS E INSTRUTORES DE TIRO COM ARCO NO BRASIL REGULAMENTO PARA TÉCNICOS E INSTRUTORES DE TIRO COM ARCO NO BRASIL INTRODUÇÃO Diante da necessidade de estabelecer as titulações, a CBTARCO junto as Federações estaduais, vem através deste normatizar a

Leia mais

SUGESTÃO DE ITENS PARA PROPOSTA DE EVENTO. Disciplina: Organização e Administração Desportiva Professor: Edson Farret

SUGESTÃO DE ITENS PARA PROPOSTA DE EVENTO. Disciplina: Organização e Administração Desportiva Professor: Edson Farret SUGESTÃO DE ITENS PARA PROPOSTA DE EVENTO Disciplina: Organização e Administração Desportiva Professor: Edson Farret EVENTOS Por categoria Institucional ou promocional; Por área de interesse: esportivo,

Leia mais

PROJETO FESTIVAL DE CICLISMO DE PISTA - 2ª Etapa Americana TERMO DE ABERTURA Preparado por Estevam Mancini Gerente do Projeto Versão: 01

PROJETO FESTIVAL DE CICLISMO DE PISTA - 2ª Etapa Americana TERMO DE ABERTURA Preparado por Estevam Mancini Gerente do Projeto Versão: 01 PROJETO FESTIVAL DE CICLISMO DE PISTA - 2ª Etapa Americana TERMO DE ABERTURA Preparado por Estevam Mancini Gerente do Projeto Versão: 01 1.1 Resumo das condições do projeto Se analisarmos o contexto olímpico

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

Calendário Nacional Remo Brasil

Calendário Nacional Remo Brasil Planejamento Estratégico Remo Brasil 2017 2024 Calendário Nacional Remo Brasil A estruturação do Calendário Nacional faz parte do Plano Estratégico de Longo Prazo 2017 2024, e visa contribuir para o crescimento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO KODOKAN. Projeto Kodokan

ASSOCIAÇÃO KODOKAN. Projeto Kodokan ASSOCIAÇÃO KODOKAN Projeto Kodokan INFORMAÇÕES BÁSICAS NOME DO PROJETO: KODOKAN ORGANIZAÇÃO PROPONENTE: ASSOCIAÇÃO DE JUDÔ KODOKAN ABRANGÊNCIA DO PROJETO: NOVA MUTUM/MT LINHA DE ATUAÇÃO DO PROJETO: ATENDIMENTO

Leia mais

A PEDAGOGIA DO ESPORTE NA ATUAÇÃO PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA.

A PEDAGOGIA DO ESPORTE NA ATUAÇÃO PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA. A PEDAGOGIA DO ESPORTE NA ATUAÇÃO PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Marcos Vinicius Morais Ferreira¹ (IC), André Luís dos Santos Seabra² (PQ) marcos-moraisf@hotmail.com Universidade Estadual

Leia mais

Revisão de PE Projeto Empresarial

Revisão de PE Projeto Empresarial Revisão de PE Projeto Empresarial EMPRESA: CBVela COORDENADOR TÉCNICO: Mauro Pumar DATA: 22/8/2017 PARTICIPANTES DA REUNIÃO: Daniel (Diretor), Torben, Jônatas (Facilitador PAEX), Andrea (parte), Alexandre,

Leia mais

DITADURA MILITAR Atos Institucionais Poder ao executivo Eleições indiretas Recesso do Congresso Constituição de 1967

DITADURA MILITAR Atos Institucionais Poder ao executivo Eleições indiretas Recesso do Congresso Constituição de 1967 DITADURA MILITAR Atos Institucionais Poder ao executivo Eleições indiretas Recesso do Congresso Constituição de 1967 GOLPE MILITAR 1964 1964 Castelo Branco AI nº 1, 2, 3, 4 Instituição do poder ditatorial

Leia mais

Encontrar a maneira prática, segura e objetiva de expandir a Patinagem Micaelense

Encontrar a maneira prática, segura e objetiva de expandir a Patinagem Micaelense Introdução: Encontrar a maneira prática, segura e objetiva de expandir a Patinagem Micaelense A Direção da, dando cumprimento ao preceituado nos seus Estatutos, apresenta o Plano de Atividades e Orçamento

Leia mais

UNIVERSIDADE INTERNACIONAL IBEROAMERICA. Nome e sobrenome: Samuel Winesse

UNIVERSIDADE INTERNACIONAL IBEROAMERICA. Nome e sobrenome: Samuel Winesse UNIVERSIDADE INTERNACIONAL IBEROAMERICA Nome e sobrenome: Samuel Winesse Usuário: BeiFPMME1710729 Grupo: fp_mme_2015-06_pt_2 Data: 11/07/2016 Concurso de Olimpiadas-FUNIBER Título dotrabalho: O ESPORTE

Leia mais

DADOS MINISTERIO DO ESPORTE ÓRGÃO CONCEDENTE MINISTERIO DO ESPORTE CONVENENTE/CONTRATADO MINAS TENIS CLUBE

DADOS MINISTERIO DO ESPORTE ÓRGÃO CONCEDENTE MINISTERIO DO ESPORTE CONVENENTE/CONTRATADO MINAS TENIS CLUBE DADOS OBJETO DO CONVÊNIO: Aquisição de Blocos de Saída para Treinamentos e Competições no desenvolvimento de Atletas Olímpicos para a Natação - Minas Tênis Clube Rio 2016. : : CNPJ: 17217951000110 UF:

Leia mais

OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola;

OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola; OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola; Introdução ao Atletismo; 1 PCN Parâmetro Curricular Nacional A

Leia mais

PRINCÍPIOS DO TREINAMENTO

PRINCÍPIOS DO TREINAMENTO PRINCÍPIOS DO TREINAMENTO A teoria e metodologia do treinamento esportivo têm princípios específicos baseados nas ciências biológicas, psicológicas e pedagógicas. Esses princípios refletem as particularidades

Leia mais

Prof. Ms. Heitor de Andrade Rodrigues. Apresentação:

Prof. Ms. Heitor de Andrade Rodrigues. Apresentação: Prof. Ms. Heitor de Andrade Rodrigues Apresentação: É formado em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista (UNESP-RC), possui mestrado em Ciências da Motricidade (UNESP-RC)

Leia mais

Fundada em 04 de setembro de 2000, tem desempenhado suas propostas desportivas e sociais de forma cada vez mais organizada e profissional.

Fundada em 04 de setembro de 2000, tem desempenhado suas propostas desportivas e sociais de forma cada vez mais organizada e profissional. INSTITUCIONAL A ASSOCIAÇÃO PARADESPORTIVA JR nasceu com a finalidade de contribuir com a integração da Pessoa com Deficiência na sociedade através do esporte. É pioneira neste tipo de projeto social, ou

Leia mais

DADOS MINISTERIO DO ESPORTE ÓRGÃO CONCEDENTE MINISTERIO DO ESPORTE CONVENENTE/CONTRATADO MINAS TENIS CLUBE

DADOS MINISTERIO DO ESPORTE ÓRGÃO CONCEDENTE MINISTERIO DO ESPORTE CONVENENTE/CONTRATADO MINAS TENIS CLUBE DADOS OBJETO DO CONVÊNIO: Preparação de Atletas de Alto Rendimento de Ginástica Artística do Minas Tênis Clube, a fim de contribuir para o treinamento, competição e a evolução dos atletas da entidade,

Leia mais

DEPARTAMENTO TÉCNICO FORMAÇÃO DESPORTIVA DOS JOVENS PRATICANTES

DEPARTAMENTO TÉCNICO FORMAÇÃO DESPORTIVA DOS JOVENS PRATICANTES DEPARTAMENTO TÉCNICO PROJECTO FORMAÇÃO DESPORTIVA DOS JOVENS PRATICANTES ÍNDICE I. INTRODUÇÃO II. OBJECTIVOS III. APLICAÇÃO ÉPOCA 2010/2011 I. INTRODUÇÃO É urgente perceber que a competição e formação

Leia mais

Educação Física. 1º Bloco Eixo Temático Articulador: Educação e Sociedade

Educação Física. 1º Bloco Eixo Temático Articulador: Educação e Sociedade Educação Física 1º Bloco Eixo Temático Articulador: Educação e Sociedade Aspectos Filosóficos da Educação Física 60h Análise da contribuição da Filosofia enquanto referências para o processo de construção

Leia mais

#CARANOVA RESUMO PLANO DE GESTÃO. Ricardo Barbosa Vice-Presidente. Cyro Delgado Presidente CHAPA CARA NOVA - CBDA

#CARANOVA RESUMO PLANO DE GESTÃO. Ricardo Barbosa Vice-Presidente. Cyro Delgado Presidente CHAPA CARA NOVA - CBDA RESUMO PLANO DE GESTÃO CHAPA CARA NOVA - CBDA Cyro Delgado Presidente Ricardo Barbosa Vice-Presidente NOSSA VISÃO GERAL QUEM É, E PORQUE CYRO DELGADO? Cyro Delgado é ex-atleta, medalhista olímpico e conhece

Leia mais

DISCIPLINA: TREINAMENTO ESPORTIVO II Professor: Paulo César Neves

DISCIPLINA: TREINAMENTO ESPORTIVO II Professor: Paulo César Neves DISCIPLINA: TREINAMENTO ESPORTIVO II Professor: Paulo César Neves 2012 PLANEJAMENTO DE TRABALHO PERIODIZAÇÃO Periodização é o planejamento geral do tempo disponível para o treinamento, de acordo com as

Leia mais

PECP Programa Einstein na Comunidade de Paraisopolis. Lidio Moreira

PECP Programa Einstein na Comunidade de Paraisopolis. Lidio Moreira PECP Programa Einstein na Comunidade de Paraisopolis Lidio Moreira 1. Estrutura Organizacional SBIBAE SOCIEDADE BENEFICENTE ISRAELITA BRASILEIRA ALBERT EINSTEIN Dept. de Voluntários I I R S INSTITUTO ISRAELITA

Leia mais

EMENTAS DE DISCIPLINAS - LICENCIATURA NÍVEL I

EMENTAS DE DISCIPLINAS - LICENCIATURA NÍVEL I EMENTAS DE DISCIPLINAS - LICENCIATURA 31157-04 Anatomia Humana NÍVEL I Estudo sobre a estruturação do organismo humano com ênfase nas características morfológicas dos sistemas anatômicos respiratório,

Leia mais

ESTRUTURAS / SISTEMAS DE ESPORTE

ESTRUTURAS / SISTEMAS DE ESPORTE ESTRUTURAS / SISTEMAS DE ESPORTE Lars Grael sou do esporte dez 2015 O que é sucesso no esporte de alto rendimento no contexto internacional? Green e Oakley (2001) Encontrar pontos em comum na estrutura

Leia mais

Prof. Dr. Bruno Pena Couto PLANEJAMENTO A LONGO PRAZO (PERIODIZAÇÃO) Encontro Multiesportivo de Técnicos Formadores Solidariedade Olímpica / COI

Prof. Dr. Bruno Pena Couto PLANEJAMENTO A LONGO PRAZO (PERIODIZAÇÃO) Encontro Multiesportivo de Técnicos Formadores Solidariedade Olímpica / COI Prof. Dr. Bruno Pena Couto PLANEJAMENTO A LONGO PRAZO (PERIODIZAÇÃO) Encontro Multiesportivo de Técnicos Formadores Solidariedade Olímpica / COI Visão Geral - Importância do Planejamento a Longo Prazo

Leia mais

EACH oferece palestras, cursos e disciplinas para idosos 23/07/2010

EACH oferece palestras, cursos e disciplinas para idosos 23/07/2010 Edição 18 de 20 a 26 de julho de 2010 VISITE A PÁGINA DA SALA DE IMPRENSA DA EACH. ALÉM DO CLIPPING SEMANAL, VOCÊ PODERÁ ENCONTRAR OUTRAS NOTÍCIAS IMPORTANTES SOBRE A NOSSA ESCOLA http://each.uspnet.usp.br/each/sala-imprensa.php

Leia mais

Promovendo o esporte e a inclusão social.

Promovendo o esporte e a inclusão social. Em resposta à 1º DILIGÊNCIA ANÁLISE TÉCNICA EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS ESPORTIVOS 01/2015, recebida em 24/02/2016 1. Identificação do executor: Associação Ajudôu CNPJ: 05.444.603/0001-04 Nome do Projeto

Leia mais

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE E DE LAZER. Programa Esporte e Lazer da Cidade - PELC

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE E DE LAZER. Programa Esporte e Lazer da Cidade - PELC MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE E DE LAZER Programa Esporte e Lazer da Cidade - PELC 2010 Estrutura Ministério do Esporte Secretaria Executiva Secretaria Nacional

Leia mais

Início data da assinatura do Convênio. Término , coincidindo com o final do mandato do prefeito municipal.

Início data da assinatura do Convênio. Término , coincidindo com o final do mandato do prefeito municipal. Programa Integração AABB Comunidade Anexo 2 Informações e orientações destinadas à apresentação do Programa às potenciais convenentes prefeituras municipais 1. Apresentação Com 27 anos de existência, o

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA EM ÁREAS DE ESPORTE DE CLUBES reposicionando a área de esporte do clube. Palestrante: Roberto Libardi

GESTÃO ESTRATÉGICA EM ÁREAS DE ESPORTE DE CLUBES reposicionando a área de esporte do clube. Palestrante: Roberto Libardi GESTÃO ESTRATÉGICA EM ÁREAS DE ESPORTE DE CLUBES reposicionando a área de esporte do clube Palestrante: !Administrador de Clubes atuando neste mercado há 34 anos;!diretor da RL Soluções para Clubes;!Consultor

Leia mais

CURSOS / OFICINAS DE ENSINO 1º SEMESTRE 2017 (2016.2)

CURSOS / OFICINAS DE ENSINO 1º SEMESTRE 2017 (2016.2) CURSOS / OFICINAS DE ENSINO 1º SEMESTRE 2017 (2016.2) MUNICIPIOS CURSO / OFICINA / CH OBJETIVO PÚBLICO ALVO DATAS Água Branca Amarante Anísio de Abreu Estatística Básica aplicada a Educação 30h Computação

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ESGRIMA

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ESGRIMA Rio de Janeiro, 14 de abril de 2016. OF / CBE / PRES / Nº 2016.408. Do Presidente da Confederação Brasileira de Esgrima CBE. Aos Senhores (as) Responsáveis pelas Entidades de Prática Desportiva EPDs Filiadas,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL JOGOS ESCOLARES PARALÍMPICOS DO DISTRITO FEDERAL 2016 TÍTULO I CAPÍTULO I DA REALIZAÇÃO

REGULAMENTO GERAL JOGOS ESCOLARES PARALÍMPICOS DO DISTRITO FEDERAL 2016 TÍTULO I CAPÍTULO I DA REALIZAÇÃO REGULAMENTO GERAL JOGOS ESCOLARES PARALÍMPICOS DO DISTRITO FEDERAL 2016 TÍTULO I CAPÍTULO I DA REALIZAÇÃO Art. 1º - Os Jogos Escolares Paralímpicos do Distrito Federal - JEDF é uma realização anual da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017 PRIMEIRA RETIFICAÇÃO A Prefeitura Municipal de Guaíra, Estado de São Paulo, torna público que realizará por meio do INSTITUTO EXCELÊNCIA LTDA - ME, na forma prevista no artigo 37, inciso IX, da Constituição

Leia mais

Acadêmica do Curso de Educação Física, ULBRA SM. Bolsista do Pibid/ Capes. 2

Acadêmica do Curso de Educação Física, ULBRA SM. Bolsista do Pibid/ Capes. 2 DESENVOLVIMENTO SOCIAL E CULTURAL DOS ATLETAS DE FUTSAL DA EMEF ALTINA TEIXEIRA Nabil Ferreira El Hodali 1 Thierri Caruccio Guerra 2 Leonardo Gasparine Fernandes 3 Lurian da Rocha Alves 4 Janaina Gomes

Leia mais

O PAPEL DOS JOGOS COOPERATIVOS E COMPETITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO INDIVÍDUO INTEGRAL ROBERTO CARDÔZO MELCHIOR

O PAPEL DOS JOGOS COOPERATIVOS E COMPETITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO INDIVÍDUO INTEGRAL ROBERTO CARDÔZO MELCHIOR O PAPEL DOS JOGOS COOPERATIVOS E COMPETITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO INDIVÍDUO INTEGRAL ROBERTO CARDÔZO MELCHIOR RESUMO O objetivo do presente estudo foi analisar e discutir

Leia mais

Parte Teórica: Ministração de palestras por profissionais do esporte, na área de esporte, saúde, disciplina e convivência em grupo.

Parte Teórica: Ministração de palestras por profissionais do esporte, na área de esporte, saúde, disciplina e convivência em grupo. O Projeto A prática de qualquer atividade física, sendo bem orientada por profissionais capacitados, já deixou comprovado que melhora a saúde, ajuda no desenvolvimento escolar e aumenta a capacidade de

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Pedagogia do Esporte. Metodologia. Iniciação Esportiva. Futsal.

PALAVRAS-CHAVE Pedagogia do Esporte. Metodologia. Iniciação Esportiva. Futsal. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE TREINADORES NO BRASIL: Possibilidades de Formação em Longo Prazo. Michel Milistetd Universidade Federal de Santa Catarina

DESENVOLVIMENTO DE TREINADORES NO BRASIL: Possibilidades de Formação em Longo Prazo. Michel Milistetd Universidade Federal de Santa Catarina DESENVOLVIMENTO DE TREINADORES NO BRASIL: Possibilidades de Formação em Longo Prazo Michel Milistetd Universidade Federal de Santa Catarina Roteiro: Aprendizagem de treinadores esportivos; Panorama da

Leia mais

Listagem de ações de formação contínua acreditadas no CCPFC (2º ciclo; 3º ciclo e DSES)

Listagem de ações de formação contínua acreditadas no CCPFC (2º ciclo; 3º ciclo e DSES) Nº Registo CCPFC Valido : Valido até: A CRIANÇA, O JOGO E O DESPORTO 1 45 CCPFC/ACC 56808/09 13 03 2009 13 03 2012 Professores dos Grupos 260 e Professores dos Grupos 260 e ANÁLISE DA COMPETIÇÃO 1 45 CCPFC/ACC

Leia mais

I ENCONTRO ESTADUAL DE COORDENADORES REGIONAIS. Defesa de Direitos e Mobilização Social. Informática e Comunicação. Artes

I ENCONTRO ESTADUAL DE COORDENADORES REGIONAIS. Defesa de Direitos e Mobilização Social. Informática e Comunicação. Artes I ENCONTRO ESTADUAL DE COORDENADORES REGIONAIS Defesa de Direitos e Mobilização Social Informática e Comunicação Artes FENAPAES FEDERAÇÃO NACIONAL DAS APAEs Sede em Brasília DF Detentora da marca APAE

Leia mais

INDICE. 1. Introdução Condições de Integração e Usufruto dos Apoios Condições e Critérios de acesso ao Regime...

INDICE. 1. Introdução Condições de Integração e Usufruto dos Apoios Condições e Critérios de acesso ao Regime... INDICE 1. Introdução...3 2. Condições de Integração e Usufruto dos Apoios...4 2.1. Condições e Critérios de acesso ao Regime...4 2.2. Legenda das Categorias...4 2.3. Categorias e respectivas prestações

Leia mais

Processo para o ensino e desenvolvimento do futebol e futsal: ESTÁGIOS DE INICIANTES, AVANÇADOS E DE DOMÍNIO

Processo para o ensino e desenvolvimento do futebol e futsal: ESTÁGIOS DE INICIANTES, AVANÇADOS E DE DOMÍNIO Processo para o ensino e desenvolvimento do futebol e futsal: ESTÁGIOS DE INICIANTES, AVANÇADOS E DE DOMÍNIO Processo para o ensino do futebol/ futsal A metodologia para o ensino do futebol até a especialização

Leia mais

Profª Drª Luciana Perez Bojikian Detecção de Talentos. Encontro Multiesportivo de Técnicos Formadores Solidariedade Olímpica / COI

Profª Drª Luciana Perez Bojikian Detecção de Talentos. Encontro Multiesportivo de Técnicos Formadores Solidariedade Olímpica / COI Profª Drª Luciana Perez Bojikian Detecção de Talentos Encontro Multiesportivo de Técnicos Formadores Solidariedade Olímpica / COI Profª Drª Luciana Perez Bojikian Profª Drª Maria Tereza Silveira Böhme

Leia mais

PROJETOS INCENTIVADOS Minas Tênis Clube. Projeto Formação e Desenvolvimento de Atletas por meio da Integração das Ciências do Esporte

PROJETOS INCENTIVADOS Minas Tênis Clube. Projeto Formação e Desenvolvimento de Atletas por meio da Integração das Ciências do Esporte PROJETOS INCENTIVADOS Minas Tênis Clube Projeto Formação e Desenvolvimento de Atletas por meio da Integração das Ciências do Esporte Lei de Incentivo ao Esporte PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS TRIBUTADAS PELO

Leia mais

Pedagogia. 1º Semestre. Biologia Educacional EDC602/ 60h

Pedagogia. 1º Semestre. Biologia Educacional EDC602/ 60h Pedagogia 1º Semestre Biologia Educacional EDC602/ 60h Ementa: Identificar os processos biológicos fundamentais diretamente relacionados à situação ensino-aprendizagem. Análise dos fatores genéticos e

Leia mais

PROJETO SOCIAL DE KARATE 2017

PROJETO SOCIAL DE KARATE 2017 1 PROJETO SOCIAL DE KARATE 2017 Alunos: João da Silva Parcerias: MEDIANEIRA KARATÊ CLUBE MEDIANEIRA - PR 2017 2 PROJETO DE KARATÊ JUSTIFICATIVA Este projeto justifica-se, pela vontade do Medianeira Karatê

Leia mais

Fase do movimento Fundamental e Especializado A base para a utilização motora

Fase do movimento Fundamental e Especializado A base para a utilização motora Fase do movimento Fundamental e Especializado A base para a utilização motora Fase do Movimento Fundamental O Foco da infância deve ser o desenvolvimento da competência motora básica e de mecanismos corporais

Leia mais

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

esforço próprio Luta contra a dopagem Ação Inteligência Jogo Limpo Valor do bom exemplo Justiça saúde Prevenção Normatização

esforço próprio Luta contra a dopagem Ação Inteligência Jogo Limpo Valor do bom exemplo Justiça saúde Prevenção Normatização Informação Justiça Inteligência Jogo Limpo esforço próprio saúde Respeito aos princípios éticos fundamentais Educação Normatização Valor do bom exemplo Luta contra a dopagem Ação Global Coach House Jogos

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA - EAD (Currículo iniciado em 2016)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA - EAD (Currículo iniciado em 2016) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA - EAD (Currículo iniciado em 2016) ANATOMIA HUMANA APLICADA À EDUCAÇÃO FÍSICA D0041/I 68 H Introdução ao estudo da anatomia humana.

Leia mais

AÇÕES DE FORMAÇÃO CREDITADAS PARA TREINADORES 2016 AGS

AÇÕES DE FORMAÇÃO CREDITADAS PARA TREINADORES 2016 AGS AÇÕES DE FORMAÇÃO CREDITADAS PARA TREINADORES 2016 AGS Ações Creditadas pelo PNFT 2016 Preços de Inscrição: 1) Ações de 0,8 créditos (4h) - 15,00 a. Preço para Filiados - 10,00 2) Ações de 1,4 créditos

Leia mais

PREPARAÇÃO FÍSICA. Qualidades físicas e métodos de treinamento. 30/09/2014 Anselmo Perez

PREPARAÇÃO FÍSICA. Qualidades físicas e métodos de treinamento. 30/09/2014 Anselmo Perez PREPARAÇÃO FÍSICA Qualidades físicas e métodos de treinamento PREPARAÇÃO FÍSICA ou Treinamento Físico Conceito: componente que compreende os meios utilizados para o desenvolvimento das qualidades físicas

Leia mais

OS EFEITOS POSITIVOS DA PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA PARA A SAÚDE RESUMO

OS EFEITOS POSITIVOS DA PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA PARA A SAÚDE RESUMO OS EFEITOS POSITIVOS DA PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA PARA A SAÚDE Acadêmico: Daniel Nunes Professoras Orientadoras: Elis Regina Frigeri e Sandra Fachineto RESUMO O esporte como conteúdo da Educação Física

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA E CULTURAL SHINRAI

ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA E CULTURAL SHINRAI ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA E CULTURAL SHINRAI Associação fundada em 11 de fevereiro de 2014 tendo personalidade jurídica e de duração indeterminada com CNPJ: 20.044.290/0001-82. Com Escritório na Avenida 36

Leia mais

Curso de Treinadores de Futebol UEFA C - Raízes / Grau I Curso Novo Regime /2016. Componente de Formação Geral Pedagogia do Desporto

Curso de Treinadores de Futebol UEFA C - Raízes / Grau I Curso Novo Regime /2016. Componente de Formação Geral Pedagogia do Desporto Curso de Treinadores de Futebol UEFA C - Raízes / Grau I Curso Novo Regime - 2015/2016 Componente de Formação Geral Pedagogia do Desporto Rui Pedro Lima Pinho Rui.pedro.pinho84@gmail.com Curso de Treinadores

Leia mais

A adrenalina vai entrar na pista... e sua marca também. BICICROSS

A adrenalina vai entrar na pista... e sua marca também. BICICROSS A adrenalina vai entrar na pista...... e sua marca também. BICICROSS PROJETO ESCOLA DE BICICROSS Ser cidadão. Ser campeão. Fundada em 1998 na cidade de Paulínia/SP, o projeto Escola de Bicicros é atualmente

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA, ESPORTE E LAZER

CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA, ESPORTE E LAZER CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA, ESPORTE E LAZER Este documento apresenta os resultados dos debates desenvolvidos pelo Grupo de Trabalho Capoeira, Esporte e Lazer, do 1º Encontro Regional do Programa Nacional

Leia mais

ESCOLA NACIONAL DE PISTA

ESCOLA NACIONAL DE PISTA CONGRESSO INTERNACIONAL DE CICLISMO ESCOLA NACIONAL DE PISTA ANADIA, JULHO 2012 GABRIEL MENDES UVP-FPC RESUMO ESCOLA DE CICLISMO DE PISTA O CONTEXTO OS OBJECTIVOS MODELO DE DESENVOLVIMENTO BASE DO SUCESSO

Leia mais

ÁREA - CONHECIMENTOS. 9º Ano

ÁREA - CONHECIMENTOS. 9º Ano ÁREA - CONHECIMENTOS 9º Ano EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTO A BASE DO SISTEMA EDUCATIVO É O ALUNO, E A ESCOLA UMA VIA INSTITUCIONAL ENTRE OUTRAS, DE ACESSO À EDUCAÇÃO E IMPLICITAMENTE À PRÁTICA DE ATIVIDADES

Leia mais

Gestão Esportiva no Primeiro Setor

Gestão Esportiva no Primeiro Setor Gestão Esportiva no Primeiro Setor 1 S E T O R P Ú B L I C O Claudio Rocha Objetivos da aula 2 1. A N A L I S A R O S S E T O R E S D A S O C I E D A D E O N D E A G E S T Ã O E S P P O D E S E R C O N

Leia mais

Análise da Qualidade da Detecção, Seleção e Promoção de Talentos Esportivos na realidade brasileira. (Relatório Parcial)

Análise da Qualidade da Detecção, Seleção e Promoção de Talentos Esportivos na realidade brasileira. (Relatório Parcial) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE DEPARTAMENTO DO ESPORTE Grupo de Pesquisa em Esporte e Treinamento Infanto-Juvenil (GEPETIJ) Grupo de Pesquisa em Administração Esportiva (GEPAE)

Leia mais

1ª Série. 6DES134 BASQUETEBOL Histórico e evolução. Estudo teórico e prático dos fundamentos. Noções básicas dos sistemas. Regras básicas.

1ª Série. 6DES134 BASQUETEBOL Histórico e evolução. Estudo teórico e prático dos fundamentos. Noções básicas dos sistemas. Regras básicas. 1ª Série 6MOR026 ANATOMIA HUMANA SISTÊMICA Anatomia dos sistemas: ósseo, muscular, articular, tegumentar, digestivo, respiratório, circulatório, cardiovascular, urogenital, nervoso e endócrino. 6DES133

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC)

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) Ano letivo 2014/2015 Ano/Semestre curricular 3º ano 1ª semestre Curso Unidade Curricular [designação e tipo/se é do tipo obrigatório ou optativo] Língua de ensino ECTS

Leia mais

Terra Mãe, Enfrentando Desafios e Conquistando Vitórias!

Terra Mãe, Enfrentando Desafios e Conquistando Vitórias! Terra Mãe, Enfrentando Desafios e Conquistando Vitórias! No decorrer deste ano 2016 muitas maravilhas o Senhor nos agraciou, dando condições de gerar igualdade de oportunidades para nossa juventude carente

Leia mais