Prazo legal para realização da Assembleia Geral Ordinária após o término do exercício social

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prazo legal para realização da Assembleia Geral Ordinária após o término do exercício social"

Transcrição

1 Prazo legal para realização da Assembleia Geral Ordinária após o término do exercício social Belo Horizonte, 24 de Abril de 2014

2 1. Introdução Atualmente, nos meios jurídico-empresariais, surge debates envolvendo a aplicação do artigo 132, da Lei nº 6.404/76 (Lei das Sociedades Anônimas - LSA), acerca de uma possível flexibilização e não obediência ao prazo legal de 4 (quatro) meses, contados do encerramento do exercício social, para a realização da Assembleia Geral Ordinária das Companhias. Por tal motivo, entendemos necessário uma discussão sobre a própria finalidade da realização da Assembleia Geral Ordinária no âmbito das Sociedades Anônimas, a fim de avaliarmos não apenas as consequências jurídicas do não cumprimento do prazo legal, mas também o impacto que tal descumprimento pode gerar frente a ética empresarial da Sociedade.

3 2. Assembleia Geral Ordinária: Conceito e Previsão Legal A Assembleia Geral Ordinária AGO é de realização obrigatória nas Sociedades Anônimas, tem periodicidade certa e matérias próprias de sua exclusiva competência. As matérias de competência da AGO tratam-se de norma de ordem pública, portanto, é ilegal qualquer dispositivo do estatuto social que disponha em sentido contrário. O artigo 132 da LSA prevê: Art Anualmente, nos 4 (quatro) primeiros meses seguintes ao término do exercício social, deverá haver 1 (uma) assembleia geral para: I. tomar as contas dos administradores, examinar, discutir e votar as demonstrações financeiras; II. deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício e a distribuição de dividendos; III. eleger os administradores e os membros do conselho fiscal, quando for o caso; IV. aprovar a correção da expressão monetária do capital social (artigo 167).

4 3. Convocação da AGO A AGO precisa ser convocada para que seja devidamente instalada e possa deliberar regularmente. Assim, a convocação dos acionistas é obrigatória, a fim de que eles possam comparecer no dia e local designados no edital. A competência para convocação é, em regra, do Conselho de Administração e, na ausência desse órgão, dos Diretores. Retardando a convocação por mais de 30 (trinta) dias, o Conselho Fiscal será competente para convocar a Assembleia. Se o retardamento for superior a 60 (sessenta) dias, qualquer acionista poderá fazê-lo. Acionistas Fim do 4 meses Exerc. Social (Fim do prazo) 30dias 60dias Conselho Fiscal Prazo para:1 - Conselho de Administração 2 - Diretoria

5 4. Exercício Social O exercício social é o período de levantamento das contas e apuração do resultado da companhia. A anualidade do exercício social é princípio de ordem pública e, portanto, inderrogável. O encerramento do exercício social impõe à companhia a obrigação de elaborar, com base na escrituração mercantil, as demonstrações contábeis que compreendem: I. Balanço patrimonial (Artigos 178 e 185); II. Demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados (Artigo 186); III. Demonstração do resultado do exercício (Artigo 187); IV. Demonstração dos fluxos de caixa e do valor adicionado (Artigo 188).

6 Sociedade anônima Convocação de assembleia geral ordinária Inobservância do prazo legal Admissibilidade Reembolso das despesas com ato convocatório Redução do valor de reembolso Recursos providos em parte e improvido o agravo retido. Inobservado o prazo legal para convocação da assembleia geral ordinária, por mais de sessenta dias, qualquer acionista poderá convocá-la, nos termos do artigo 123 da Lei das Sociedades Anônimas. Nestes casos, o Tribunal já entendeu que as despesas devem ser suportadas pela própria sociedade empresária. (TJ/SP, Apelação nº , de 28/10/2010)

7 Modo de Convocação: 3 publicações, no mínimo: em órgão oficial da União ou do Estado e em outro jornal de grande circulação editado na localidade em que está situada a sua sede (art. 289); Sempre no mesmo jornal qualquer mudança será precedida de aviso aos acionistas no extrato da ata da AG. ( 3º); Companhias Abertas: CVM poderá determinar que as publicações também sejam feitas em jornal de grande circulação nas localidades em que os valores mobiliários da companhia sejam negociados em Bolsa de Valores ou em mercado de balcão (art. 289, 1º).

8 Modo de Convocação: Companhia Fechada: 1ª convocação: 8 (oito) dias de antecedência, no mínimo, contado o prazo da publicação do primeiro anúncio. 2ª convocação: 5 (cinco) dias de antecedência. Companhia Aberta: 1ª convocação: 15 (quinze) dias de antecedência; 2ª convocação: 8 (oito) dias de antecedência.

9 5. Prazo legal para a realização da AGO Tendo em vista que as companhias são obrigadas a elaborar as suas demonstrações financeiras ao fim de cada exercício social, a LSA estabeleceu a periodicidade anual da Assembleia Geral Ordinária que, nos termos do caput do art. 132, deve ser realizada nos 4 (quatro) primeiros meses seguintes ao término do exercício social. Logo, só pode ser realizada uma única AGO por ano. Ainda que a AGO seja realizada após o período de 4 (quatro) meses seguintes ao término do exercício social, ela continuará sendo uma AGO, pois a competência é estabelecida ratione materiae e não ratione temporis.

10 6. Arquivamento da AGO feito fora do prazo legal As Juntas Comerciais não podem recusar ao arquivamento da AGO realizada fora do prazo, pois a Lei das S.A. não estabelece nenhuma sanção para hipótese de ser esse prazo ultrapassado. Nesse sentido, vejamos a previsão da Instrução Normativa do Departamento Nacional de Registro do Comércio - DNRC nº 100/2006, no seu item 2.2.6: AGO REALIZADA FORA DO PRAZO DE 4 MESES É admissível o arquivamento da ata de assembleia geral ordinária realizada fora do prazo legal. Ainda, explana o Parecer CVM/SJU nº 051/1978: Quanto ao Registro de Comércio, é manifesto que este não pode recusar o arquivamento da AGO realizada fora do prazo legal. A lei não comina nenhuma sanção especial para a hipótese de ser aquele prazo ultrapassado. Segue-se, então, que o prazo tem por objetivo apenas, conforme já mencionado, precisar a data em que, após o seu decurso, começa a definir-se a responsabilidade civil dos administradores.

11 7. JUCEMG Entendimento Assembleia Geral Ordinária: Realização extemporânea. É admissível o registro de assembleia ordinária realizada fora do prazo legal. A apreciação do retardamento da realização da AGO é matéria de exclusiva competência dos acionistas. Forma de arquivamento: AGO ou AGE?

12 SOCIEDADE ANÔNIMA Assembleia Geral Ordinária Não convocação no prazo legal Realização posteriormente como ordinária Impossibilidade Convocação que deveria ser a forma de extraordinária Ata não arquivada pela Junta Comercial Legalidade Segurança cassada Inteligência do art. 132 do Código Comercial Declarações de votos vencedor e vencido. Se não se reunir regularmente a assembleia geral ordinária, nos quatro meses seguintes ao término do exercício social, aquela matéria somente poderá ser discutida e cotada por assembleia geral extraordinária. - TJ/SP, APELAÇÃO CÍVEL Nº , de (...) a falta de realização das assembleias gerais ordinárias não acarreta consequências, salvo a responsabilidade dos administradores frente aos acionistas. (...) apresentar as contas em exercício posterior significa fazê-lo de forma extraordinária, mesmo porque, no mesmo exercício, outras contas deverão ser ordinariamente apresentadas. Mas compreenda-se, se não se reunir regularmente a assembleia geral ordinária, nos quatro primeiros meses seguintes ao término do exercício social, aquela matéria somente poderá ser discutida e votada por assembleia geral extraordinária. (REQUIÃO, Rubens. Curso de direito Comercial. Ed. Saraiva., 1977, V II. Pg. 156.)

13 Nossa lei vigente estabelece o critério de competência, e não o temporal, para distinção entre assembleia ordinária e extraordinária. Dessa forma, mesmo convocada fora do prazo estatutário ou do quadrimestre, para deliberar sobre assuntos de sua competência, será sempre considerada assembleia geral ordinária. Portanto, a convocação dentro dos quatro meses seguintes ao encerramento do exercício não se refere à qualificação da assembleia nem à sua validade, mas apenas à responsabilidade dos administradores. (Modesto Carvalhosa) Ainda que a assembleia geral ordinária seja realizada após o período de 4 (quatro) meses seguintes ao término do exercício social, ela continuará sendo uma assembleia geral ordinária, pois a competência é estabelecida ratione materiae e não ratione temporis. (Nelson Eizirik)

14 8. JUCERJA Enunciado N 14 - Sociedade Anônima Realização de Assembleia Geral Ordinária fora do Prazo Legal Embora a lei determine a realização da Assembleia Geral Ordinária ("AGO") em até 4 (quatro) meses contados do encerramento do exercício social da Sociedade Anônima, é admissível o registro na Junta Comercial da ata de AGO realizada após o decurso do prazo legal. Parágrafo Único - A AGO realizada fora do prazo continuará sendo denominada "AGO", sem necessidade de considerá-la AGE. Se, entretanto, for designada AGE, poderá igualmente ser registrada.

15 9. JUCESP 11. SOCIEDADE POR AÇÕES REALIZAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA FORA DO PRAZO LEGAL Embora a lei determine a realização da assembleia geral ordinária (AGO) em até 4 (quatro) meses contados do encerramento do exercício social da sociedade por ações, é admissível o registro na Junta Comercial da ata de AGO realizada após o decurso do prazo legal. A AGO realizada fora do prazo continuará sendo denominada AGO, sem necessidade de considerá-la assembleia geral extraordinária (AGE). Se, entretanto, for designada AGE, poderá igualmente ser registrada.

16 10. Consequências do não cumprimento do prazo legal A única consequência que pode advir da extemporaneidade é a responsabilização dos administradores que retardaram a convocação da Assembleia pelos danos resultantes do atraso. A LSA prevê em seu artigo 158, 2º: Os administradores são solidariamente responsáveis pelos prejuízos causados em virtude do não cumprimento dos deveres impostos por lei para assegurar o funcionamento normal da companhia, ainda que, pelo estatuto, tais deveres não caibam a todos eles.

17 11. Referências CARVALHOSA, Modesto. Comentários à Lei de Sociedades anônimas. Vol. II. São Paulo: Saraiva, 2011 EIZIRIK, Nelson. A Lei das S/A Comentada. Vol. II Arts. 121 a 188. São Paulo: Quartier Latin, EIZIRIK, Nelson. Sociedades Anônimas - Jurisprudência. Rio de Janeiro: Renovar, GONÇALVES NETO, Alfredo de Assis. Manual das Companhias ou Sociedades Anônimas. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, BRASIL. Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de Disponível em: Acesso em: 18 jun BRASIL. Lei nº 6.385, de 05 de dezembro de Disponível em: Acesso em: 18 jun CVM. Instrução nº 480, de 07 de dezembro de Disponível em: Acesso em: 18 jun. 2013

Sociedades por Ações

Sociedades por Ações Rua Gomes de Carvalho, 1329 8º andar 04547-005 São Paulo SP T +55 11 3043 4999 www.vbso.com.br Fevereiro de 2017 Prazo para Realização de AGOs e Reunião Anual de Sócios Tendo em vista a aproximação do

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Publicações legais de sociedades anônimas e limitadas Mariangela Monezi * -------------------------------------------------------------------------------- A presente matéria visa

Leia mais

TOTVS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 15 DE MARÇO DE 2016

TOTVS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 15 DE MARÇO DE 2016 TOTVS S.A. CNPJ/MF nº 53.113.791/0001-22 NIRE 35.300.153.171 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 15 DE MARÇO DE 2016 1. - DATA, HORA E LOCAL DA REUNIÃO: Realizada no dia 15 de março

Leia mais

CNPJ/MF n / NIRE

CNPJ/MF n / NIRE 1 Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF n 52.548.435/0001-79 NIRE 35.300.362.683 MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DA JSL S.A. (AGOE) A SE REALIZAR EM 29

Leia mais

O Regime da Sociedade Anônima Simplificada - SAS. Rodrigo R. Monteiro de Castro Walfrido Jorge Warde Jr.

O Regime da Sociedade Anônima Simplificada - SAS. Rodrigo R. Monteiro de Castro Walfrido Jorge Warde Jr. O Regime da Sociedade Anônima Simplificada - SAS Rodrigo R. Monteiro de Castro Walfrido Jorge Warde Jr. [Parte I] O RE-SAS E SEUS FUNDAMENTOS O que é o RE-SAS e quais as suas finalidades? O RE-SAS é uma

Leia mais

BATTISTELLA ADMINISTRAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CVM N o CNPJ/MF N o / NIRE

BATTISTELLA ADMINISTRAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CVM N o CNPJ/MF N o / NIRE 1 1. DATA, HORA E LOCAL: Aos 28 dias do mês de abril de 2017, às 14h00, na sede social da Battistella Administração e Participações S.A. ( Companhia ), situada na Alameda Bom Pastor, nº 3.700, Lote A,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL. DESENVOLVE SP Agência de Fomento do Estado de São Paulo S.A.

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL. DESENVOLVE SP Agência de Fomento do Estado de São Paulo S.A. REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DESENVOLVE SP Agência de Fomento do Estado de São Paulo S.A. Regimento Interno do Conselho Fiscal Art. 1º - O Conselho Fiscal da Desenvolve SP - Agência de Fomento

Leia mais

LINX S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ: / NIRE:

LINX S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ: / NIRE: LINX S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ: 06.948.969/0001-75 NIRE: 35.300.316.584 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 13 DE FEVEREIRO DE 2017 1 DATA, HORA E LOCAL: Aos

Leia mais

Manual para Participação dos Acionistas na Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária

Manual para Participação dos Acionistas na Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária Manual para Participação dos Acionistas na Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária 2017 Sumário Manual para Participação dos Acionistas na Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária 2017 Mensagem

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM EVENTO: Reunião do Conselho de Administração Ata lavrada em forma de sumário.

ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM EVENTO: Reunião do Conselho de Administração Ata lavrada em forma de sumário. M. DIAS BRANCO S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOS CNPJ 07.206.816/0001-15 NIRE 2330000812-0 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 28.02.2011 1. EVENTO: Reunião do Conselho de Administração

Leia mais

TELINI Advogados Associados

TELINI Advogados Associados ATA DE REUNIÃO OU DE ASSEMBLEIA DE SÓCIOS Fundamento Legal Todas as empresas, exceto as sociedades anônimas e cooperativas que têm legislação própria, devem, através de reunião ou assembleia de sócios,

Leia mais

assembléia geral ordinária

assembléia geral ordinária assembléia geral ordinária 2. DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA ESPECIFICAÇÃO Requerimento (Capa de Processo) com assinatura do administrador, acionista, procurador, com poderes específicos, ou terceiro interessado

Leia mais

CAIXA SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF / NIRE Subsidiária Integral

CAIXA SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF / NIRE Subsidiária Integral CAIXA SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF 22.543.331/0001-00 NIRE 53.3.0001645-3 Subsidiária Integral realizada em 28 de abril de 2017 Data, Horário e Local: Em vinte e oito de abril de dois mil e dezessete,

Leia mais

BANCO ABC BRASIL S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº / NIRE

BANCO ABC BRASIL S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº / NIRE BANCO ABC BRASIL S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº 28.195.667/0001-06 NIRE 35.300.138.023 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 12 DE ABRIL DE 2.010 1 - DATA, HORA E LOCAL: Aos 12 dias

Leia mais

ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE

ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF nº 06.082.980/0001-03 NIRE 33.3.0028176-2 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINARIA E EXTRAORDINÁRIA DA ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. (Lavrada sob a forma de sumário 1º

Leia mais

EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta

EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº 15.413.826/0001-50 NIRE 54.300.000.566 Companhia Aberta Campo Grande - MS, 04 de outubro de 2010. Aos Srs. Acionistas da ENERSUL. PROPOSTA

Leia mais

MAHLE METAL LEVE S.A. C.N.P.J/MF / COMPANHIA ABERTA FATO RELEVANTE

MAHLE METAL LEVE S.A. C.N.P.J/MF / COMPANHIA ABERTA FATO RELEVANTE MAHLE METAL LEVE S.A. C.N.P.J/MF 60.476.884/0001-87 COMPANHIA ABERTA FATO RELEVANTE Os administradores de Mahle Metal Leve S.A. ("Companhia"), na forma e para os fins das Instruções CVM nºs 319/99 e 358/02,

Leia mais

Assembléia Geral Ordinária de 27 de Abril de 2007 PAUTA VOTO DA ENTIDADE JUSTIFICATIVA

Assembléia Geral Ordinária de 27 de Abril de 2007 PAUTA VOTO DA ENTIDADE JUSTIFICATIVA FUNDAÇÃO ITAUBANCO PARTICIPAÇÃO EM ASSEMBLÉIA DE ACIONISTAS Em cumprimento ao disposto na Resolução CGPC nº 23 de 06 de dezembro de 2006, a qual estabelece que as Entidades Fechadas de Previdência Complementar

Leia mais

BM&FBOVESPA S.A. - BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS. CNPJ/MF n / NIRE Companhia Aberta

BM&FBOVESPA S.A. - BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS. CNPJ/MF n / NIRE Companhia Aberta BM&FBOVESPA S.A. - BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS CNPJ/MF n 09.346.601/0001-25 NIRE 35.300.351.452 Companhia Aberta EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA Ficam os

Leia mais

CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. CNPJ/MF nº / NIRE

CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. CNPJ/MF nº / NIRE CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF nº 73.178.600/0001-18 NIRE - 35.300.137.728 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DATA, HORA E LOCAL: 23 de março de 2016, às 10:00

Leia mais

INFORMAÇÕES ADICIONAIS - INSTRUÇÃO CVM 481/09

INFORMAÇÕES ADICIONAIS - INSTRUÇÃO CVM 481/09 PROPOSTA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS, A SER SUBMETIDA À DELIBERAÇÃO DOS ACIONISTAS EM ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CONVOCADA

Leia mais

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. Companhia Aberta NIRE CNPJ/MF nº /

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. Companhia Aberta NIRE CNPJ/MF nº / DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. Companhia Aberta NIRE 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 24 DE MARÇO DE 2014 Data, Hora e Local: Realizada

Leia mais

RODONORTE CONCESSIONÁRIA DE RODOVIAS INTEGRADAS S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Nº COMPANHIA ABERTA

RODONORTE CONCESSIONÁRIA DE RODOVIAS INTEGRADAS S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Nº COMPANHIA ABERTA ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 11 DE ABRIL DE 2017 ATA LAVRADA SOB A FORMA DE SUMÁRIO CONFORME FACULTA O ARTIGO 130, PARÁGRAFO 1º, DA LEI Nº 6.404, DE 15.12.1976 ( LSA ) 1. DATA, HORA E

Leia mais

VULCABRAS S/A. CNPJ nº / NIRE ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 04 DE JUNHO DE 2004

VULCABRAS S/A. CNPJ nº / NIRE ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 04 DE JUNHO DE 2004 VULCABRAS S/A CNPJ nº 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910 ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 04 DE JUNHO DE 2004 1. DATA, HORA E LOCAL DA ASSEMBLÉIA: Realizada aos 04 (quatro) dias do mês

Leia mais

MANUAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE

MANUAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE MANUAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 7 DE JANEIRO DE 2016 ÍNDICE 1. Glossário, Abreviaturas e Termos Definidos 3 2. Introdução 5 3. Edital de Convocação 6 4. Instruções 8 5. Proposta da Administração

Leia mais

ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF nº / d NIRE

ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF nº / d NIRE ALIANSCE SHOPPING CENTERS S.A. CNPJ/MF nº 06.082.980/0001-03d NIRE 33.3.0028176-2 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA (Lavrada sob a forma de sumário 1º do art. 130 da Lei 6.404/76) 1. Data, Hora e Local:

Leia mais

I DELIBERAÇÕES CONSTANTES DO ATO TRAZIDO A ARQUIVAMENTO

I DELIBERAÇÕES CONSTANTES DO ATO TRAZIDO A ARQUIVAMENTO Proc: 00-2007/006754-6 MODAL PARTICIPAÇÕES LTDA NIRE: 3320533856-6 Na distribuição de dividendos e no pagamento de juros sobre capital próprio, deve-se indicar a fonte de seu pagamento. É ilegal a previsão

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. (R$) 864.940.364,29 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES DA PARAÍBA S/A C.G.C. Nº / NIRE

TELECOMUNICAÇÕES DA PARAÍBA S/A C.G.C. Nº / NIRE TELECOMUNICAÇÕES DA PARAÍBA S/A C.G.C. Nº 08.827.313/0001-20 NIRE 253.0000.706-1 Ata das Assembléias Gerais Ordinária e Extraordinária da Telecomunicações da Paraíba S.A, realizada no dia 27 de abril de

Leia mais

AULA 19. Ilícito praticado por ação, a responsabilidade é individual.

AULA 19. Ilícito praticado por ação, a responsabilidade é individual. Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professor: Leandro Antunes Monitor: André Manso AULA 19 Da responsabilidade Qualquer ato praticado pelo administrador que venha a prejudicar

Leia mais

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO Ecorodovias Infraestrutura e Logística S.A. ( Companhia ) convida seus

Leia mais

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. ESTATUTO DA AAPCEU TÍTULO I - DA ENTIDADE Capítulo Único - Da Denominação, Sede e Objeto ART. 1º - A Associação dos Aposentados e Pensionistas da Caixa dos Empregados da Usiminas, doravante denominada

Leia mais

Preparação para as Assembleias Gerais Ordinárias 25/02/2016

Preparação para as Assembleias Gerais Ordinárias 25/02/2016 Preparação para as Assembleias Gerais Ordinárias 25/02/2016 Índice: Atualizações Normativas Principais Obrigações Periódicas Proposta da Administração Voto Múltiplo Formulário de Referência Atualizações

Leia mais

AZEVEDO & TRAVASSOS S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE N

AZEVEDO & TRAVASSOS S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE N AZEVEDO & TRAVASSOS S.A. CNPJ/MF Nº 61.351.532/0001-68 NIRE N 35.300.052.463 COMPANHIA ABERTA ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 LOCAL, DATA E HORA - Na sede social à Rua

Leia mais

ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94

ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94 ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94 1. Sociedades Seguradoras Nacionais, Sociedades de Capitalização e Sociedades de Previdência Privada Aberta com fins lucrativos. 1.1- ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA - AGE

Leia mais

ÓLEO E GÁS PARTICIPAÇÕES S.A. EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL CNPJ: / NIRE: Companhia Aberta

ÓLEO E GÁS PARTICIPAÇÕES S.A. EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL CNPJ: / NIRE: Companhia Aberta ÓLEO E GÁS PARTICIPAÇÕES S.A. EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL CNPJ: 07.957.093/0001-96 NIRE: 33.3.0027845-1 Companhia Aberta ATA DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 28 ABRIL DE 2017 I. DATA, HORA E LOCAL:

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL CAPÍTULO I DA CONCEITUAÇÃO E DA FINALIDADE Art. 1º. O Conselho Fiscal é o órgão de fiscalização dos atos dos administradores da ATIVOS S.A. Companhia Securitizadora

Leia mais

Estatutos do Clube Bonsai do Algarve CAPITULO I

Estatutos do Clube Bonsai do Algarve CAPITULO I Estatutos do Clube Bonsai do Algarve CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º-Designação O Clube Bonsai do Algarve, é um clube sem fins lucrativos, de duração ilimitada, e que se rege pelos presentes estatutos.

Leia mais

ANO XXIII ª SEMANA DE MARÇO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2012 ASSUNTOS SOCIETÁRIOS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA

ANO XXIII ª SEMANA DE MARÇO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2012 ASSUNTOS SOCIETÁRIOS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2012 ASSUNTOS SOCIETÁRIOS SOCIEDADES ANÔNIMAS - ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA - NORMAS A OBSERVAR Introdução - Procedimentos Para Validade

Leia mais

Companhia de Gás de São Paulo - COMGÁS Formulário de Referência

Companhia de Gás de São Paulo - COMGÁS Formulário de Referência ANEXO 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício de 2009 foi de R$ 367.867 mil. 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

LATAM Airlines Group S.A. Companhia Estrangeira CVM nº CNPJ nº / Avenida Presidente Riesco nº 5711, 20º andar Santiago, Chile

LATAM Airlines Group S.A. Companhia Estrangeira CVM nº CNPJ nº / Avenida Presidente Riesco nº 5711, 20º andar Santiago, Chile LATAM Airlines Group S.A. Companhia Estrangeira CVM nº 80128 CNPJ nº 33.937.681/0001-78 Avenida Presidente Riesco nº 5711, 20º andar Santiago, Chile MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

Leia mais

Prof. José Darcísio Pinheiro Presidente

Prof. José Darcísio Pinheiro Presidente Resolução n 002/2010-CD Aprova o Regimento Interno do Conselho Diretor da Universidade Federal de Roraima. O PRESIDENTE DO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias

Leia mais

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos Apresentação Introdução Aplicabilidade... 21

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos Apresentação Introdução Aplicabilidade... 21 Sumário Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos... 15 Apresentação... 17 Introdução... 19 Aplicabilidade... 21 CAPÍTULO I Características e Natureza da Companhia ou Sociedade Anônima Características...

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA DA CIELO S.A. ( Regimento )

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA DA CIELO S.A. ( Regimento ) REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA DA CIELO S.A. ( Regimento ) I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Estatuto Social da Cielo S.A. ( Companhia ), estabelece procedimentos

Leia mais

PROPOSTA DA DIRETORIA

PROPOSTA DA DIRETORIA PROPOSTA DA DIRETORIA Senhores Acionistas: A Diretoria da COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO ( Companhia ) vem propor à Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária o Plano de Investimentos para o ano

Leia mais

Associação dos Blogueiros do Estado de Pernambuco

Associação dos Blogueiros do Estado de Pernambuco ASSOCIAÇÃO DOS BLOGUEIROS DO ESTADO DE PERNAMBUCO - ABLOGPE EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA, CONSELHO FISCAL E ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA EDITAL Nº 001/2017 O Presidente da Comissão Eleitoral

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Estatuto Social da Ser Educacional S.A. ( Companhia ), estabelece procedimentos a serem observados

Leia mais

ANEXO 20 (Instrução CVM nº 481/09) DIREITO DE RECESSO

ANEXO 20 (Instrução CVM nº 481/09) DIREITO DE RECESSO ANEXO 20 (Instrução CVM nº 481/09) DIREITO DE RECESSO 1. Descrever o evento que deu ou dará ensejo ao recesso e seu fundamento jurídico Resposta: A incorporação pela Braskem S.A. ( Braskem ) de ações da

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,02

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,02 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. 937.418.802,02 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. (subsidiária integral do Banco do Brasil S.A.)

BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. (subsidiária integral do Banco do Brasil S.A.) BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. (subsidiária integral do Banco do Brasil S.A.) ATA DAS ASSEMBLEIAS GERAIS EXTRAORDINÁRIA E ORDINÁRIA REALIZADA EM 22 DE FEVEREIRO DE 2013 I. DATA, HORA E LOCAL: Em 22 de

Leia mais

USINA TÉRMICA IPATINGA S. A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

USINA TÉRMICA IPATINGA S. A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração USINA TÉRMICA IPATINGA S. A. O presente Estatuto Social é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 11-08-2000 - arquivada na JUCEMG em 16-08-2000, sob o nº 3130001496-7,

Leia mais

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 13 DE OUTUBRO DE 2016

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 13 DE OUTUBRO DE 2016 MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 13 DE OUTUBRO DE 2016 MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO Ecorodovias Infraestrutura e Logística S.A. ( Companhia ) convida

Leia mais

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício de 2012 foi de R$ 1.448.887.908,07

Leia mais

CAMARGO CORRÊA INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURA S.A.

CAMARGO CORRÊA INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURA S.A. CAMARGO CORRÊA INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURA S.A. 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, DA ESPÉCIE QUIROGRAFÁRIA COM GARANTIA FIDEJUSSÓRIA, EM DUAS SÉRIES. Relatório Anual do

Leia mais

BR HOME CENTERS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº / NIRE nº

BR HOME CENTERS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº / NIRE nº BR HOME CENTERS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 11.102.250/0001-59 NIRE nº 52300013836 COMPANHIA ABERTA PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA (AGO) DE 28 DE ABRIL DE 2017 Prezados Senhores,

Leia mais

Aula 6 Assembleias gerais e especiais. Prof. Manoel de Queiroz Pereira Calças

Aula 6 Assembleias gerais e especiais. Prof. Manoel de Queiroz Pereira Calças Aula 6 Assembleias gerais e especiais Prof. Manoel de Queiroz Pereira Calças Assembleia Geral Órgão de deliberação máxima e funcionamento obrigatório em todas as sociedades anônimas. Participam todos os

Leia mais

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DA BRASKEM S.A. DE 09 DE ABRIL DE 2014

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DA BRASKEM S.A. DE 09 DE ABRIL DE 2014 MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DA BRASKEM S.A. DE 09 DE ABRIL DE 2014 ÍNDICE ÍNDICE... 2 Mensagem da Administração... 3 Orientações para a Participação de Acionistas

Leia mais

PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA A SER REALIZADA EM SUMÁRIO

PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA A SER REALIZADA EM SUMÁRIO PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 12.04.2017 SUMÁRIO 1. ASSUNTO, CONVOCAÇÃO 1 2. DECISÕES ANTERIORES 3 3. REGRAS PARA INSTALAÇÃO E APROVAÇÃO DAS MATÉRIAS

Leia mais

UNIVERCIDADE TRUST DE RECEBÍVEIS S/A

UNIVERCIDADE TRUST DE RECEBÍVEIS S/A UNIVERCIDADE TRUST DE RECEBÍVEIS S/A 2ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2004 UNIVERCIDADE TRUST DE RECEBÍVEIS S/A 2ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente

Leia mais

Segmento(s): (Caso o Normativo Interno seja aplicado a uma unidade menor que a estrutura acima)

Segmento(s): (Caso o Normativo Interno seja aplicado a uma unidade menor que a estrutura acima) Aplicável a: Grupo(s) de negócio(s): ( X ) Todo Conglomerado (Não preencher as demais) ( ) VP Operações ( ) VP Finanças ( ) Auditoria Interna ( ) VP Riscos & Crédito ( ) Recursos Humanos Segmento(s): (Caso

Leia mais

sociedade anônima características

sociedade anônima características sociedade anônima características capital social dividido em ações (títulos de crédito) responsabilidade limitada dos sócios denominação : SOCIEDADE ANONIMA ou S/A. no início ou no final do nome COMPANHIA

Leia mais

Proposta de destinação do lucro líquido do exercício de 2009 (conforme Anexo 9-1-II da ICVM 481/2009)

Proposta de destinação do lucro líquido do exercício de 2009 (conforme Anexo 9-1-II da ICVM 481/2009) Proposta de destinação do lucro líquido do exercício de 2009 (conforme Anexo 9-1-II da ICVM 481/2009) Apesar de, no exercício de 2009, a Braskem S.A. ( Companhia ) ter apurado um lucro líquido (R$ 917.228

Leia mais

BANCO BTG PACTUAL S.A. CNPJ/MF nº / NIRE:

BANCO BTG PACTUAL S.A. CNPJ/MF nº / NIRE: BANCO BTG PACTUAL S.A. CNPJ/MF nº 30.306.294/0001-45 NIRE: 33.300.000.402 MAPA SINTÉTICO DE VOTAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA E ORDINÁRIA REALIZADA EM 29 DE ABRIL DE 2016 O Banco BTG Pactual S.A.,

Leia mais

GRENDENE S.A. Companhia Aberta - CNPJ n.º / NIRE n.º CE

GRENDENE S.A. Companhia Aberta - CNPJ n.º / NIRE n.º CE GRENDENE S.A. Companhia Aberta - CNPJ n.º 89.850.341/0001-60 - NIRE n.º 23300021118-CE ATA DA 55ª REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 1. Data, Hora e Local: Realizada aos 13 dias do mês de fevereiro de

Leia mais

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA, REALIZADA EM 29 DE ABRIL DE 2010 1. DATA, HORA E LOCAL: Realizada às 10:00 (dez) horas

Leia mais

VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, REALIZADA EM 02 DE JANEIRO DE 2013.

VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, REALIZADA EM 02 DE JANEIRO DE 2013. VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF nº 33.041.260/0652-90 NIRE 33.300.141.073 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, REALIZADA EM 02 DE JANEIRO DE 2013. 1. DATA, HORA E LOCAL: 02 de janeiro de 2013, às 10:00 horas,

Leia mais

Electro Aço Altona S/A

Electro Aço Altona S/A Electro Aço Altona S/A Companhia Aberta - CVM nº 5380 CNPJ nº 82.643.537/0001-34 NIRE nº 42300011304 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA (AGE) EM 07 de Julho de 2016, às 11h.

Leia mais

Transparência Corporativa

Transparência Corporativa Transparência Corporativa Transparência como qualidade corporativa e os seus desdobramentos na esfera fiscal Ana Teresa Lima Rosa Bruno Nepomuceno Laura Romano Campedelli PÚBLICA Maioria dos estudos está

Leia mais

ITAQUI GERAÇÃO DE ENERGIA S.A. CNPJ nº / NIRE nº ATA DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2014

ITAQUI GERAÇÃO DE ENERGIA S.A. CNPJ nº / NIRE nº ATA DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2014 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2014 (Lavrada sob a forma de sumário de acordo com a autorização contida no parágrafo 1º do Artigo 130 da Lei 6.404/76) 1. Data, hora e local

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, OBJETO E DURAÇÃO Artigo 1º Artigo 2º Artigo 3º I COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET, é uma sociedade por ações, de economia mista, que se regerá

Leia mais

MERCANTIL DO BRASIL LEASING S. A. ARRENDAMENTO MERCANTIL. Sede: Belo Horizonte - Minas Gerais Rua Rio de Janeiro, 654/680 E S T A T U T O

MERCANTIL DO BRASIL LEASING S. A. ARRENDAMENTO MERCANTIL. Sede: Belo Horizonte - Minas Gerais Rua Rio de Janeiro, 654/680 E S T A T U T O 1 MERCANTIL DO BRASIL LEASING S. A. ARRENDAMENTO MERCANTIL CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Prazo Sede: Belo Horizonte - Minas Gerais Rua Rio de Janeiro, 654/680 E S T A T U T O Art. 1º - A MERCANTIL

Leia mais

JOÃO FORTES ENGENHARIA S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF: /

JOÃO FORTES ENGENHARIA S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF: / JOÃO FORTES ENGENHARIA S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF: 33.035.536/0001-00 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 20 DE JUNHO DE 2013 ANEXO 14 (Instrução CVM nº481 de 17 de dezembro

Leia mais

BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S/A

BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S/A BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S/A 2016 PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 31/12/2016 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Srs. Acionistas, O Conselho de Administração do BANDES submete

Leia mais

SMI-SOCIEDADE MAÇÔNICA DE INVESTIMENTOS S/A

SMI-SOCIEDADE MAÇÔNICA DE INVESTIMENTOS S/A SMI-SOCIEDADE MAÇÔNICA DE INVESTIMENTOS S/A ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E PRAZO. Artigo 1º Sob a denominação de SMI Sociedade Maçônica de Investimentos S.A., é constituída uma

Leia mais

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Flávio Smania Ferreira 5 termo ADMINISTRAÇÃO GERAL e-mail: flavioferreira@live.estacio.br blog: http://flaviosferreira.wordpress.com Demonstrações Contábeis: Representa

Leia mais

FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE (Companhia Aberta)

FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE (Companhia Aberta) FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF 00.924.429/0001-75 NIRE 313001187-9 (Companhia Aberta) ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 11 DE OUTUBRO DE 2016 1. DATA, HORA E LOCAL: Realizada

Leia mais

FRENTE PARLAMENTAR MISTA EM DEFESA DO COMÉRCIO, SERVIÇO E EMPREENDEDORISMO

FRENTE PARLAMENTAR MISTA EM DEFESA DO COMÉRCIO, SERVIÇO E EMPREENDEDORISMO ESTATUTO DA FRENTE PARLAMENTAR MISTA EM DEFESA DO COMÉRCIO,. I. DA CARACTERIZAÇÃO, DA DURAÇÃO E DA SEDE Art. 1º. A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviço e Empreendedorismo, constituída

Leia mais

PROPOSTA À ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

PROPOSTA À ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA SENHORES ACIONISTAS: CONSIDERANDO PROPOSTA À ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA ASSUNTO: Proposta de destinação do lucro líquido do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2014 e da distribuição de dividendos

Leia mais

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. CNPJ/MF n.º / NIRE

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. CNPJ/MF n.º / NIRE ÁPICE SECURITIZADORA S.A. CNPJ/MF n.º 12.130.744/0001-00 NIRE 35.300.444.957 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE TITULARES DOS CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DA 65ª SÉRIE DA 1ª EMISSÃO DA

Leia mais

POLÍTICA PARA PROPOSTA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

POLÍTICA PARA PROPOSTA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO POLÍTICA PARA PROPOSTA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS PELO TEXT_SP 7478196v1 6947/5 SUMÁRIO 1. OBJETIVOS... 3 2. DIRETRIZES... 3 3. POLÍTICA PARA PROPOSTA DE DIVIDENDOS COMPLEMENTARES... 3 4. DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

CAPITALIZAÇÃO DE RESERVA ESTATUTÁRIA PARA MARGEM OPERACIONAL - Aumento do capital autorizado - Alteração dos artigos 7º e 8º do Estatuto Social

CAPITALIZAÇÃO DE RESERVA ESTATUTÁRIA PARA MARGEM OPERACIONAL - Aumento do capital autorizado - Alteração dos artigos 7º e 8º do Estatuto Social CAPITALIZAÇÃO DE RESERVA ESTATUTÁRIA PARA MARGEM OPERACIONAL - Aumento do capital autorizado - Alteração dos artigos 7º e 8º do Estatuto Social Srs. Acionistas, Submeto à apreciação de V. Sas. proposta

Leia mais

CETIP S.A. MERCADOS ORGANIZADOS CNPJ nº / NIRE

CETIP S.A. MERCADOS ORGANIZADOS CNPJ nº / NIRE Página 1 de 5. CETIP S.A. MERCADOS ORGANIZADOS CNPJ nº 09.358.105/0001-91 NIRE 33.300.285.601 ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA, REALIZADA EM 28 DE ABRIL DE 2014. DATA, HORA E LOCAL: No dia 28

Leia mais

BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S/A

BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S/A BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S/A 2014 PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 31/12/2014 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Srs. Acionistas, O Conselho de Administração do BANDES submete

Leia mais

AULA 16. Tem como obrigação integralizar a quota-parte dele (aquilo que foi subscrito por ele).

AULA 16. Tem como obrigação integralizar a quota-parte dele (aquilo que foi subscrito por ele). Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professor: Carolina Lima Monitor: André Manso AULA 16 Dos Acionistas Tem como obrigação integralizar a quota-parte dele (aquilo que foi subscrito

Leia mais

Instituto CicloBR de Fomento à Mobilidade Sustentável

Instituto CicloBR de Fomento à Mobilidade Sustentável REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO CICLOBR DE FOMENTO À MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DA ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO INSTITUTO Art. 1. Para o cumprimento do conjunto de diretrizes e princípios previstos nos Estatutos

Leia mais

1. Destinação do resultado

1. Destinação do resultado 1 Módulo 6 Egbert 2 Conteúdo: 16 Demonstração de lucros ou prejuízos acumulados: forma de apresentação de acordo com a Lei nº 6.404/1976. 17 Demonstração de Mutações do Patrimônio Líquido: forma de apresentação

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL II - CCJ0027 DIREITO EMPRESARIAL II (22/07/2014) Contextualização

DIREITO EMPRESARIAL II - CCJ0027 DIREITO EMPRESARIAL II (22/07/2014) Contextualização DIREITO EMPRESARIAL II - CCJ0027 DIREITO EMPRESARIAL II (22/07/2014) Contextualização O Direito Societário, dentro do sistema jurídico brasileiro, está distribuído em duas etapas: a Teoria Geral do Direito

Leia mais

GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A. C.N.P.J. n.º / N.I.R.E

GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A. C.N.P.J. n.º / N.I.R.E GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A. C.N.P.J. n.º 06.164.253/0001-87 N.I.R.E. 35.300.314.441 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 26 DE MARÇO DE 2012 Data, Horário e Local: 26 de março

Leia mais

BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº / NIRE

BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº / NIRE BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº 90.400.888/0001-42 NIRE 35.300.332.067 ATA DAS ASSEMBLÉIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA REALIZADAS EM 26 DE ABRIL DE

Leia mais

ANEXO II. Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A.

ANEXO II. Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A. ANEXO II Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A. INVEPAR I. DO OBJETO 1.1. Em atendimento à Instrução da Comissão de Valores

Leia mais

WHIRLPOOL S.A. Valor absoluto em Reais

WHIRLPOOL S.A. Valor absoluto em Reais WHIRLPOOL S.A. Proposta de Destinação do Lucro Liquido do Exercício de 2011 Informações do ANEXO 9-1-II, Instrução 481 CVM 1. Informar o lucro líquido do exercício. _ O lucro líquido do exercício foi de

Leia mais

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF nº / COMPANHIA ABERTA BRML3

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF nº / COMPANHIA ABERTA BRML3 BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF nº 06.977.745/0001-91 COMPANHIA ABERTA BRML3 BOLETIM DE VOTO À DISTÂNCIA REFERENTE À ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 28 DE ABRIL DE 2017,

Leia mais

FPC Par Corretora de Seguros S.A. Assembleia Geral Extraordinária 03 de maio de 2017 (11hs) Proposta da Administração

FPC Par Corretora de Seguros S.A. Assembleia Geral Extraordinária 03 de maio de 2017 (11hs) Proposta da Administração FPC Par Corretora de Seguros S.A. Assembleia Geral Extraordinária 03 de maio de 2017 (11hs) Proposta da Administração 1 ÍNDICE 1. Edital de Convocação... 3 2. Proposta da Administração... 5 2.1. Substituição

Leia mais

ROSAL ENERGIA S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

ROSAL ENERGIA S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração ROSAL ENERGIA S.A. O presente Estatuto Social é uma consolidação do aprovado pela Assembléia Geral de Constituição, em 07-10-1999 - cuja ata foi arquivada na JUCESP em 13-10-1999, sob o nº 35300173911,

Leia mais

CETIP S.A. MERCADOS ORGANIZADOS CNPJ/MF Nº / NIRE COMUNICADO AO MERCADO PEDIDO PÚBLICO DE PROCURAÇÃO

CETIP S.A. MERCADOS ORGANIZADOS CNPJ/MF Nº / NIRE COMUNICADO AO MERCADO PEDIDO PÚBLICO DE PROCURAÇÃO CETIP S.A. MERCADOS ORGANIZADOS CNPJ/MF Nº. 09.358.105/0001-91 NIRE 33.300.285.601 COMUNICADO AO MERCADO PEDIDO PÚBLICO DE PROCURAÇÃO Rio de Janeiro, 17 de março de 2016 - A Cetip S.A. Mercados Organizados

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO Art. 1º - Este Regulamento disciplina os procedimentos que regem as eleições previstas no artigo 69 do Estatuto Social da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO

Leia mais

Sociedades Anônimas. Disciplina: Direito Empresarial (Sociedades Anônimas). Professor: Ricardo Henrique e Silva Guerra 2º Semestre/2016

Sociedades Anônimas. Disciplina: Direito Empresarial (Sociedades Anônimas). Professor: Ricardo Henrique e Silva Guerra 2º Semestre/2016 Sociedades Anônimas Disciplina: Direito Empresarial (Sociedades Anônimas). Professor: Ricardo Henrique e Silva Guerra 2º Semestre/2016 VALORES MOBILIÁRIOS VALORES MOBILIÁRIOS O que veremos na aula de hoje...

Leia mais

Egbert Buarque

Egbert Buarque Egbert Buarque egbert.buarque@yahoo.com.br 1. Competência e Processo A incorporação, fusão ou cisão podem ser operadas entre sociedades de tipos iguais ou diferentes e deverão ser deliberadas na forma

Leia mais

HAGA S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMPANHIA ABERTA CNPJ / PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA AQUISIÇÃO DE EMPRESA EPP

HAGA S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMPANHIA ABERTA CNPJ / PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA AQUISIÇÃO DE EMPRESA EPP HAGA S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMPANHIA ABERTA CNPJ 30.540.991/0001-66 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA AQUISIÇÃO DE EMPRESA EPP Senhores acionistas, Os Administradores da Haga S.A. Indústria e Comercio,

Leia mais

POLÍTICA DE PAGAMENTO DE DIVIDENDOS E/OU JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO DO BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A

POLÍTICA DE PAGAMENTO DE DIVIDENDOS E/OU JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO DO BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A POLÍTICA DE PAGAMENTO DE DIVIDENDOS E/OU JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO DO BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A DICRI/NURIN JUNHO/2017 Política de Pagamento de Dividendos e/ou Juros Sobre Capital Próprio do Índice

Leia mais