FOI ESCRITO NAS ESTRELAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FOI ESCRITO NAS ESTRELAS"

Transcrição

1 1 FOI ESCRITO NAS ESTRELAS UM O homem corria procurando lugar pra se esconder. Os cães e os homens vasculhavam cada canto. Das janelas moças, senhoras, crianças e jovens queriam saber o que estava acontecendo. Ele ganha a mata depois de ter corrido pela estrada sem asfalto. Cansado,

2 2 confuso e sem saber o que fazer, pôs-se a correr mato adentro sem direção. O alarido dos cães era ouvido ao longe. Iam entrando no mato depois de ter cheirado o pedaço da roupa que tinha ficado grudada no galho. Subiu numa árvore pra se esconder e deixar que passassem sem o vir. Nem notou que perto da árvore havia um prédio. Não

3 3 era muito alto. Os galhos da árvore iam bater na janela de um dos apartamentos e a mulher chegara à janela pra ver o que se passava do lado de fora. Os cães não davam trégua, passaram em baixo da árvore sem notar o homem escondido entre a folhagem se engalfinhado com os cipós. Conseguiu se livrar de algumas

4 4 folhagens e pôs a cabeça pra fora dos galhos, ai foi visto pela mulher que vasculhava com os olhos até onde eles podiam ver. Viu o homem tentando se soltar dos cipós, com a camisa rasgada:- - Tá fazendo o que ai meu jovem? -- Disse ela-- Assustado e confuso falou o que lhe veio à cabeça:- --O meu bichinho subiu e...

5 5 Perdido... ficou se perde. A mulher podia ter fechado a janela. Podia ter gritado, mas não o fez. Ao invés disso, com palavras ásperas mandou que ele entrasse pela janela:- - Como pôde subir tão alto. Cairia da árvore se fosse descer pelo tronco. Sem discutir, entrou pela janela sendo ajudado por

6 6 ela. Que foi até a cozinha, trouxe-lhe um copo de suco, pois o rosto dele estava melado de suor. Em seguida, indicou-lhe o caminho do banheiro pra que se lavasse. Sem discutir, fez tudo que ela quis. Não era daqueles que se olha e se perde de paixão, mas era carismático e tinha a sua beleza natural.

7 7 Forte, pele clara, cabelos nos ombros dentes fortes e limpos parecendo um pedaço de queijo. Já ela morava sozinha num apartamento espaçoso de móveis antigos, sofás antigos e tudo limpo. Puxou conversa depois de passar um bom tempo observando o seu

8 8 jeito:- - Diz pra mim a verdade. Estava espiando quando eu fosse entrar pro meu banho pra me observar, é ou não:- - O que disse senhora?-- Sem essa de senhora, não sou tão velha. Ele não parava de pensar em como sair dali. Passar pelos cães, ganhar a estrada, fugir daquele lugar. Não ouvia mais o que a mulher já se

9 9 engraçando pro seu lado estava falando:- - Não estou entendendo:- - Tá sim! - --Não, é o meu bichinho que me preocupa:- --Pra cima de mim:- - Tenho que ir. Ela olha pra ele firme e muda radicalmente de atitude:- --Eu aqui pensando... Tem, tem razão. Vou deixar pra você tomar o remo.

10 10 Vamos conversar. É conversando que se entende. Ela ajeita a roupa no corpo e senta do seu lado com atitude despretensiosa. O telefone tocou, ela se levantou para atender. Agitado, ele andou até a janela. Viu que tinha alguns homens e cães parados diante do prédio de quatro andares. Um dos homens olhou para

11 11 cima, ele se escondeu atrás da cortina. A mulher continuou a falar no telefone, mas olhava pra ele e mudava a fisionomia de quando em vez. Desligou o telefone e disse em tom engasgado:- - Senta, senta aqui, vou preparar alguma coisa pra você comer, deve está faminto. Ele olha novamente pela janela e vê os homens

12 12 entrando no prédio. Ela vai para a cozinha que ficava no fim do corredor. Sem alternativa ele se preparou pra descer pela árvore, mas o galho que pisara era muito fino quebra, ele despenca de lá. Eli deu um grito, sentou na cama de uma vez só. Estava suado e tinha a respiração ofegante. Retirou o cobertor de

13 13 cima do corpo, levantou-se de um pulo só. Estava vestido com um calção de couro do geito que todo homem acorda. Do peito cabeludo descia as gotas de suor. Ele andou até aporta que dava pra uma varanda. Abriu-a e saiu pra respirar. A respiração tinha voltado ao seu normal. Ele passou a mão na

14 14 cabeça e na barba abastada. Em baixo da varada passava a água sem pressa. No fim do horizonte se podia ver a neve cobrindo a água do rio, que mais parecia um caldeirão em ebulição. E a neve subia até o topo da montanha que rodeava a margem. Ele deu meia volta e se dirigiu pra o banheiro. O rio corria, mas a gente não via as águas

15 15 se movendo. Era como se fosse um braço do mar. Devia haver jacarés, tartarugas e anacondas trafegando pelo canal. Ele conhecia o habitar de todos eles. A sua morada de palafitas incrustada feito um barco em cima das águas do rio manso e extenso era o paraíso. A cerca era feita de montanhas ao seu redor. Pra chegar até

FOI ESCRITO NAS ESTRELAS

FOI ESCRITO NAS ESTRELAS FOI ESCRITO NAS ESTRELAS O homem corria procurando lugar pra se esconder. Os cães e os homens vasculhavam canto por canto. Das janelas moças, senhoras, crianças e jovens queriam saber o que, pra que e

Leia mais

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05 Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/2012 16:19:05 Minha_Vida_Agora.indd 8 11/06/2012 16:19:06 1 Meu nome é Elizabeth, mas ninguém nunca me chamou assim. Meu pai deu uma olhada em mim quando nasci e

Leia mais

O Tigre à Beira do Rio

O Tigre à Beira do Rio O Tigre à Beira do Rio --Baixe-se Moba! Muito bem Didi, o menino birmanês subiu no elefante e fez carinho em sua cabeça. Didi treinara Moba desde bebê. Como era um elefante asiático, Moba não era tão grande

Leia mais

1 von :36

1 von :36 1 von 22 24.05.2006 16:36 2 von 22 24.05.2006 16:36 Era uma vez, numa aldeia pequenina, uma menininha linda como uma flor; sua mãe gostava muito dela, e sua vovozinha ainda mais. 3 von 22 24.05.2006 16:36

Leia mais

A conta-gotas. Ana Carolina Carvalho

A conta-gotas. Ana Carolina Carvalho A conta-gotas Ana Carolina Carvalho Agradeço a Regina Gulla pela leitura atenta e pelas sugestões. Para minha mãe, pela presença. Para Marina, minha afilhada, que quis ler o livro desde o começo. 1 A

Leia mais

Rio de Janeiro, Subúrbio.

Rio de Janeiro, Subúrbio. Rio de Janeiro, Subúrbio. No subúrbio, a correria era total, caixotes eram revirados, alimentos jogados por todos os lados. Um fugitivo corria da polícia com pressa, assustada estava Helena, que tinha

Leia mais

o casamento do fazendeiro

o casamento do fazendeiro o casamento do fazendeiro ERA uma fez um fazendeiro que ele sempre dia mania de ir na cidade compra coisas mais ele tinha mania de ir sempre de manha cedo um dia ele acordou se arrumou e foi pra cidade,

Leia mais

Ilustrações de L. Bandeira

Ilustrações de L. Bandeira Ilustrações de L. Bandeira maior brejo do mundo - MIOLO.indd 3 20/11/2012 14:22:17 Ofereço este trabalho aos amigos Valter e Rosangela, pois se fazem criança e brincam comigo nos momentos mais difíceis

Leia mais

A rapariga e o homem da lua

A rapariga e o homem da lua A rapariga e o homem da lua (conto tradicional do povo tchuktchi) Viveu outrora, entre o povo Tchuktchi, um homem que só tinha uma filha. A filha era a melhor das ajudas que o pai podia ter. Passava o

Leia mais

Título: Poemas da verdade e da mentira. Autor: Luísa Ducla Soares. Ilustação: Ana Cristina Inácio. Edição original: Livros Horizonte, 2005

Título: Poemas da verdade e da mentira. Autor: Luísa Ducla Soares. Ilustação: Ana Cristina Inácio. Edição original: Livros Horizonte, 2005 Título: Poemas da verdade e da mentira Autor: Luísa Ducla Soares Ilustação: Ana Cristina Inácio Edição original: Livros Horizonte, 2005 Edição: Serviço das Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Finisterra-

Leia mais

Às vezes me parece que gosto dele, mas isso não é sempre. Algumas coisas em meu irmão me irritam muito. Quando ele sai, por exemplo, faz questão de

Às vezes me parece que gosto dele, mas isso não é sempre. Algumas coisas em meu irmão me irritam muito. Quando ele sai, por exemplo, faz questão de Às vezes me parece que gosto dele, mas isso não é sempre. Algumas coisas em meu irmão me irritam muito. Quando ele sai, por exemplo, faz questão de sair sozinho. E me chama de pirralho, o que me dá raiva.

Leia mais

Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção. eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora dizia isso.

Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção. eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora dizia isso. Bruno D. Vieira 8 Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção ao consultório da psicóloga, a única coisa que passava em sua mente eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora

Leia mais

Não Fale com Estranhos

Não Fale com Estranhos Não Fale com Estranhos Texto por: Aline Santos Sanches PERSONAGENS Cachorro, Gato, Lobo, Professora, Coelho SINOPSE Cachorro e Gato são colegas de classe, mas Gato é arisco e resolve falar com um estranho.

Leia mais

O segredo do rio. Turma 4 3º/4º anos EB1/JI da Póvoa de Lanhoso. Trabalho realizado no âmbito do PNL. (Plano Nacional de Leitura)

O segredo do rio. Turma 4 3º/4º anos EB1/JI da Póvoa de Lanhoso. Trabalho realizado no âmbito do PNL. (Plano Nacional de Leitura) Turma 4 3º/4º anos EB1/JI da Póvoa de Lanhoso Ano Lectivo 2009/2010 O segredo do rio Trabalho realizado no âmbito do PNL (Plano Nacional de Leitura) Era uma vez um rapaz que morava numa casa no campo.

Leia mais

PROCURA-SE UMA VIÚVA. Por CARLA GIFFONI

PROCURA-SE UMA VIÚVA. Por CARLA GIFFONI PROCURA-SE UMA VIÚVA Por CARLA GIFFONI BN 010.350 carlagiffoni@yahoo.com.br http://recantodasletras.com.br /autores/carlagiffoni 1- CORREDOR DA CAPELA MORTUÁRIA - INT - DIA Matilde e Donana, duas senhoras

Leia mais

Caminhos A vida continua Lucinda Azevedo Reis

Caminhos A vida continua Lucinda Azevedo Reis Caminhos A vida continua Lucinda Azevedo Reis 3 Caminhos Vol 2 Lucinda Azevedo Reis Autor: Lucinda Azevedo Reis Editor: Lucinda Azevedo Reis Edição: Fevereiro 2016 Fotografia: Lucinda Azevedo Reis (Dezembro

Leia mais

O Pequeno Trevo e os Amigos da Rua

O Pequeno Trevo e os Amigos da Rua O Pequeno Trevo e os Amigos da Rua De Pedro Santos de Oliveira Versão COMPLETA Por Pedro Santos de Oliveira Ilustrações de Luis de Lacerda Estrela PLIP009 www.plip.ipleiria.pt 2013 O Pequeno Trevo e os

Leia mais

Assim acontecia também com Minokichi e seu pai, que viviam em uma vila no sopé das montanhas.

Assim acontecia também com Minokichi e seu pai, que viviam em uma vila no sopé das montanhas. A neve caía sem pausa, por dias e dias, cobrindo tudo como um imenso manto branco. Naquela região o inverno era longo e rigoroso. Os moradores, sem poder trabalhar na roça, procuravam caça, aventurando-se

Leia mais

Capítulo Especial 2 O Livro da Vida

Capítulo Especial 2 O Livro da Vida Capítulo Especial 2 O Livro da Vida Der Gevatter Tod Havia dois visitantes sentados no balcão do bar. Um deles era um velho com uma cara ossuda e pele seca. A barba longa e maltratada dele era como as

Leia mais

Cristóbal nasceu num aquário. O mundo dele resumia-se a um pouco de água entre as quatro paredes de vidro. Isso, alguma areia, algas, pedras de divers

Cristóbal nasceu num aquário. O mundo dele resumia-se a um pouco de água entre as quatro paredes de vidro. Isso, alguma areia, algas, pedras de divers Cristóbal nasceu num aquário. O mundo dele resumia-se a um pouco de água entre as quatro paredes de vidro. Isso, alguma areia, algas, pedras de diversos tamanhos e a miniatura em madeira de uma caravela

Leia mais

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes O ATAQUE NA PISCINA Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes de Natália, Bárbara não queria que

Leia mais

T.P. 9º ano Língua Portuguesa -

T.P. 9º ano Língua Portuguesa - T.P. 9º ano Língua Portuguesa - 5 10 15 20 25 30 35 40 O homem nu Ao acordar, disse para a mulher: Escuta, minha filha: hoje é dia de pagar a prestação da televisão; vem aí o sujeito com a conta, na certa.

Leia mais

A Galinha que criava um ratinho

A Galinha que criava um ratinho SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 03 / / 0 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Cap.1- Separação. Um roteiro

Cap.1- Separação. Um roteiro Até quando? Cap.1- Separação Um roteiro de Lucas Luiz SEQ. 1: Sala do apartamento Int. / dia Letícia procura por algo em uma caixa de sapato, sentada no sofá. A sua frente está André, em pé, observando-a.

Leia mais

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares A Procura de Kelly Furlanetto Soares Peça escrita durante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR. Teatro Guaíra, sob orientação de Andrew Knoll, no ano de 2012. 1 Cadeiras dispostas como se

Leia mais

O PEQUENO TREVO E OS AMIGOS DA RUA

O PEQUENO TREVO E OS AMIGOS DA RUA O PEQUENO TREVO E OS AMIGOS DA RUA LEITURA FÁCIL De Pedro Santos de Oliveira Ilustrações de Luis de Lacerda Estrela PLIP009 Adaptação e revisão de texto Ana Cristina Luz Desenvolvido no âmbito do projeto

Leia mais

Era uma tarde quente de verão e todos obedeciam à rotina diária. O labrador Mozart, chefe da matilha e cão mais velho, descansa suas pernas

Era uma tarde quente de verão e todos obedeciam à rotina diária. O labrador Mozart, chefe da matilha e cão mais velho, descansa suas pernas Era uma tarde quente de verão e todos obedeciam à rotina diária. O labrador Mozart, chefe da matilha e cão mais velho, descansa suas pernas doloridas, mas permanece atento a tudo o que acontece: ele é

Leia mais

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: How it is like to live in Uberlândia MG. Context: In this conversation André talks to his aunt Edmárcia, about the city of Uberlândia, in Minas Gerais state. She tells us

Leia mais

Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela

Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela do reino. Era também meiga, inteligente e talentosa. Todos a admiravam. Todos queriam estar perto dela. Todos queriam fazê-la feliz, pois o seu sorriso iluminava

Leia mais

Hoje, às 10h, o H, nosso herói, habitante do abecedário, humilde, honrado e honesto, perdeu uma perna enquanto praticava natação. A perna desapareceu

Hoje, às 10h, o H, nosso herói, habitante do abecedário, humilde, honrado e honesto, perdeu uma perna enquanto praticava natação. A perna desapareceu Hoje, às 10h, o H, nosso herói, habitante do abecedário, humilde, honrado e honesto, perdeu uma perna enquanto praticava natação. A perna desapareceu no horizonte. O que há-de fazer o h? Um dia a letra

Leia mais

era um menino que procurava e procurava e procurava e sempre achava uma saída ou uma entrada pra outra charada.

era um menino que procurava e procurava e procurava e sempre achava uma saída ou uma entrada pra outra charada. O MENINO E O BÚZIO era um menino que procurava e procurava e procurava e sempre achava uma saída ou uma entrada pra outra charada. se cada ida era uma volta para a chegada, cada chegada já emendava noutra

Leia mais

AS AVENTURAS DE MIGUEL - Bernardo S. Schmitt-

AS AVENTURAS DE MIGUEL - Bernardo S. Schmitt- AS AVENTURAS DE MIGUEL - Bernardo S. Schmitt- Era uma vez um menino chamado Miguel. Num dia sua mãe falou: - Olha, filho, hoje você vai para escola de ônibus. E o Miguel falou: - Mas eu não sou pequeno?

Leia mais

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada.

A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. Era Uma Vez A Rata Era uma vez uma rata que estava sozinha na toquinha. Ela morava com sua mãe e seu padrasto no castelo do rei, ela não tinha medo de nada. A ratinha tinha uma felpa de ferro e pensava

Leia mais

Análise e comentário dos desenhos do conto A receita de Mandrágora

Análise e comentário dos desenhos do conto A receita de Mandrágora Análise e comentário dos desenhos do conto A receita de Mandrágora Teberosky, A., Ribera, N. Universidade de Barcelona Índice Página 1 do conto Página 3 do conto Página 4 do conto Página 5 do conto Página

Leia mais

DATA: 02 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 02 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 02 / 05 / 206 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A):

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa Nome: Ano: 5º Ano 2º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Códigos e Linguagens

Leia mais

Após esse relato, como a equipe percebe Miguel?

Após esse relato, como a equipe percebe Miguel? 1 Relato da mãe de Miguel Miguel levantou- se correndo, não quis tomar café e nem ligou para o bolo que eu havia feito especialmente para ele. Só apanhou o maço de cigarros e a caixa de fósforos. Não quis

Leia mais

Helena Vellinho Corso¹, Tania Mara Sperb¹, & Jerusa Fumagalli de Salles¹

Helena Vellinho Corso¹, Tania Mara Sperb¹, & Jerusa Fumagalli de Salles¹ Revista Neuropsicología Latinoamericana ISSN 2075-9479 Vol. 4 No. 2. 2012. Apêndices Desenvolvimento de instrumento de compreensão leitora a partir de reconto e questionário Desarrollo de un instrumento

Leia mais

III - A INEXISTÊNCIA DA MORTE

III - A INEXISTÊNCIA DA MORTE III - A INEXISTÊNCIA DA MORTE Karran sentou-se novamente, recolocando o capacete e a pulseira, e continuou a conversar com o meu companheiro. Pouco depois, ele voltou sua atenção para mim e tivemos a seguinte

Leia mais

Só porque tem o nome de um bárbaro famoso, o Conan acha que é o bambambã da nossa aldeia. A fama subiu ao cabeção dele! E ele tem mesmo um cabeção,

Só porque tem o nome de um bárbaro famoso, o Conan acha que é o bambambã da nossa aldeia. A fama subiu ao cabeção dele! E ele tem mesmo um cabeção, Dia 1 Dia 1 O que você tem nas mãos não é um simples diário. É uma biografia. Quero deixar isso bem claro, já que o Conan me viu comprando este caderno na papelaria e agora vai começar a fazer fofoca.

Leia mais

A Ressurreição de Jesus

A Ressurreição de Jesus A Ressurreição de Jesus Fonte: Lc 24,13-32 ; 24, 50-53; Jo 20,24-29; 21,1-15 Introdução: Antes de morrer, Jesus disse que iria ressuscitar, mas nem todos entenderam! Domingo, de manhã cedo, Maria Madalena

Leia mais

O melhor amigo Interpretação de Texto para 4º e 5º Ano

O melhor amigo Interpretação de Texto para 4º e 5º Ano O melhor amigo Interpretação de Texto para 4º e 5º Ano O melhor amigo Interpretação de Textos para 4º e 5º Ano O melhor amigo A mãe estava na sala, costurando. O menino abriu a porta da rua, meio ressabiado,

Leia mais

MARÍLIA e PEDRO (têm entre si uma porta de madeira) Cai uma chuva de pedras próximo de PEDRO. MARÍLIA (permanece em silêncio e indiferente)

MARÍLIA e PEDRO (têm entre si uma porta de madeira) Cai uma chuva de pedras próximo de PEDRO. MARÍLIA (permanece em silêncio e indiferente) Fernando Giestas O DIA DEPOIS DA NOITE e (têm entre si uma porta de madeira) (está encharcada, deitada numa cama, vestida e calçada debaixo dos cobertores; tem uma pedra numa mão e um guarda- -chuva aberto

Leia mais

Time Code Vídeo Áudio Tema Comentário imperdível (interno ao material)

Time Code Vídeo Áudio Tema Comentário imperdível (interno ao material) Número da fita: 0043 Título: Performance Folia de Reis de D. Mariana Mídia: Mini DV Time Code Vídeo Áudio Tema Comentário imperdível (interno ao material) in out 00:00 01:39 Imagem, com efeito (shutter

Leia mais

Quando o Sol se apaixonou pela Lua. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais 2016

Quando o Sol se apaixonou pela Lua. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais 2016 Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais 2016 Quando o Sol se apaixonou pela Lua Letícia Cruz RA00178896 Linguagem Audiovisual e Games Eliseu Lopes Desenho

Leia mais

Texto 1 Meia Palavra Não Basta

Texto 1 Meia Palavra Não Basta PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 3 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 Meia Palavra Não Basta

Leia mais

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA A menina PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA menina alegre e muito curiosa. O que a diferenciava das outras crianças é que desde muito pequenina ela passava horas na Floresta do Sol conversando

Leia mais

Claro que diziam isto em voz baixa, mas ela ouvia-os e ficava muito triste.

Claro que diziam isto em voz baixa, mas ela ouvia-os e ficava muito triste. Era uma vez uma princesa muito bonita mas que sofria imenso por ser baixinha Sempre que ia passear as outras crianças troçavam: É pequenina como um cogumelo, baixinha como a relva É baixinha demais para

Leia mais

ANEXO 03 O OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO

ANEXO 03 O OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO ANEXO 03 O OPERÁRIO EM CONSTRUÇÃO Vinícius de Moraes Era ele que erguia casas Onde antes só havia chão. Como um pássaro sem asas Ele subia com as casas Que lhe brotavam da mão. Mas tudo desconhecia De

Leia mais

Ziraldo O SEGREDO DE. (com desenhos especiais de Célio César)

Ziraldo O SEGREDO DE. (com desenhos especiais de Célio César) Ziraldo O SEGREDO DE (com desenhos especiais de Célio César) http://groups.google.com/group/digitalsource Era uma vez uma letra que era muito interessante e que se chamava Úrsula. Parece nome de estrela

Leia mais

Uma vida que floresce

Uma vida que floresce Uma vida que floresce Um gato, um sapato e um susto Feito por : Haylin Certo dia, ao voltar da escola,(quando eu ainda morava com a minha avó), fui correndo para o banheiro e tomei um banho bem gostoso.

Leia mais

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula Jardim (3 a 5 anos) Título: Sentimento de Fraternidade

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula Jardim (3 a 5 anos) Título: Sentimento de Fraternidade Plano de Aula 17 Centro Espírita Ismênia de Jesus Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula Jardim (3 a 5 anos) Educadoras: Edma e Priscila Dia: 13/06/2016 Título: Sentimento de Fraternidade

Leia mais

Sinceridade. Aquele que tem por hábito mentir acabará sozinho.

Sinceridade. Aquele que tem por hábito mentir acabará sozinho. Sinceridade 1 Sinceridade Aquele que tem por hábito mentir acabará sozinho. O caminho para a verdade A chuva que caía há dias, parou finalmente nessa tarde. Um suspiro de alívio percorreu a turma toda.

Leia mais

Uma boa leitura e mais uma vez obrigado 1

Uma boa leitura e mais uma vez obrigado 1 Antes de mais nada quero agradecer a todos os apoiadores amigos que deram força e para que esse projeto se tornasse realidade. Graças a vocês não desanimei sequer por um instante até conseguir terminar

Leia mais

Porém este respondeu: Não quero; mais tarde, tocado de arrependimento, foi e fez o que o pai pediu pra ele. BOCA DE FORNO. Regras:

Porém este respondeu: Não quero; mais tarde, tocado de arrependimento, foi e fez o que o pai pediu pra ele. BOCA DE FORNO. Regras: BOCA DE FORNO A1 Regras: O professor comanda a brincadeira, e antes de cada tarefa o refrão: Professor: Boca de forno. Todos: Forno Professor : Tudo que eu pedir para fazer, faz? 2 Sugestões de tarefas

Leia mais

Garoto extraordinário

Garoto extraordinário Garoto extraordinário (adequada para crianças de 6 a 8 anos) Texto: Lucas 2:40-52 Princípio: ser como Jesus Você vai precisar de um fantoche de cara engraçada, um adulto para manipular o fantoche atrás

Leia mais

AUTORES E ILUSTRADORES: FRANCISCO PAGENOTTO LOPES HELENA CHRISTINA ESTER HIDALGO PELICANO 1º - ANO A

AUTORES E ILUSTRADORES: FRANCISCO PAGENOTTO LOPES HELENA CHRISTINA ESTER HIDALGO PELICANO 1º - ANO A AUTORES E ILUSTRADORES: FRANCISCO PAGENOTTO LOPES HELENA CHRISTINA ESTER HIDALGO PELICANO 1º - ANO A APRESENTAÇÃO AO LONGO DESTE SEMESTRE AS CRIANÇAS DO 1º ANO REALIZARAM EM DUPLA UM TRABALHO DE PRODUÇÃO

Leia mais

Constrói a tua história!

Constrói a tua história! VAMOS COLORIR 1º Ciclo ensino básico Constrói a tua história! Imprime esta história e lê-a com a atenção. Já reparaste que não tem imagens? Desenha e pinta uma imagem para cada página para completares

Leia mais

COESÃO TEXTUAL A redação de um bom texto depende da articulação de idéias e palavras. Na elaboração de um texto coeso empregam-se, de forma adequada,

COESÃO TEXTUAL A redação de um bom texto depende da articulação de idéias e palavras. Na elaboração de um texto coeso empregam-se, de forma adequada, COESÃO TEXTUAL A redação de um bom texto depende da articulação de idéias e palavras. Na elaboração de um texto coeso empregam-se, de forma adequada, elementos coesivos que formam uma estrutura clara e

Leia mais

Prefácio Corra, Corra para salvar sua vida. Pensou a garota enquanto corria desesperadamente por um corredor escuro. Uma adaga foi arremessada e por

Prefácio Corra, Corra para salvar sua vida. Pensou a garota enquanto corria desesperadamente por um corredor escuro. Uma adaga foi arremessada e por Prefácio Corra, Corra para salvar sua vida. Pensou a garota enquanto corria desesperadamente por um corredor escuro. Uma adaga foi arremessada e por alguns centímetros não atingiu o pé da garota que estava

Leia mais

História de Carmem Biancho Flores

História de Carmem Biancho Flores História de Carmem Biancho Flores Nascimento: 14 de julho de 1953 Falecimento: 6 de outubro de 2013 Foi no dia 14 de julho de 1953 que Valdemar e Alda Biancho tiveram sua filha Carmen, que passou muitas

Leia mais

Uma história de Margarida Fonseca Santos. Ilustrada por Sandra Serra

Uma história de Margarida Fonseca Santos. Ilustrada por Sandra Serra Uma história de Margarida Fonseca Santos Ilustrada por Sandra Serra Todos compreendem a gravidade da situação? perguntou a professora, enquanto olhava, um a um, para os seus alunos. Vamos então perceber

Leia mais

O que mais me lembro da minha infância era o grande espelho que havia na sala da casa da minha avó paterna. Estava sempre coberto por um grande

O que mais me lembro da minha infância era o grande espelho que havia na sala da casa da minha avó paterna. Estava sempre coberto por um grande historia de terror O que mais me lembro da minha infância era o grande espelho que havia na sala da casa da minha avó paterna. Estava sempre coberto por um grande lençol negro, o que despertava a minha

Leia mais

Nome: Dariane 4ª Série 2ª. Unidade: Bom Jesus Centro Cidade: Curitiba Estado: Paraná. O cachorro e o gato

Nome: Dariane 4ª Série 2ª. Unidade: Bom Jesus Centro Cidade: Curitiba Estado: Paraná. O cachorro e o gato Nome: Dariane 4ª Série 2ª O cachorro e o gato Era uma vez um gato e um cão. Um dia, o cachorro comentou com o gato que estava em apuros. O gato falou: O que houve? E o cachorro disse: Nada. Ha! ha! Porém,

Leia mais

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 1 Altos da Serra Novela de Fernando de Oliveira Escrita por Fernando de Oliveira Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 2 CENA 01. CAPELA / CASAMENTO. INTERIOR.

Leia mais

O QUE SOBE, DESCE... Por. Marcelo Gomes Soares

O QUE SOBE, DESCE... Por. Marcelo Gomes Soares O QUE SOBE, DESCE... Por Marcelo Gomes Soares Copyright 2009 by Marcelo Gomes Soares Todos os direitos resevados. Tel: (71)3314-4483 (71)8889-5015 marcelogomessoares7@gmail.com O QUE SOBE, DESCE... ROTEIRO

Leia mais

Uma Aflição Imperial.

Uma Aflição Imperial. Uma Aflição Imperial. Amanda Silva C. Prefácio Uma aflição Imperial conta a história de uma garota chamada Anna que é diagnosticada com tipo raro de câncer leucemia sua mãe é paisagista e tem apenas um

Leia mais

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar...

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... O pequeno Will A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... Então um dia tomei coragem e corri até mamãe e falei: - Mãeee queria tanto um irmãozinho, para brincar comigo!

Leia mais

Lilico, Coelho. Atrapalhado. Matias Miranda

Lilico, Coelho. Atrapalhado. Matias Miranda Matias Miranda Lilico, Um Coelho Atrapalhado Matias Miranda Dedico este livro a você que esta lendo. Jesus te ama e eu também! Lilico era um coelho muito atrapalhado que vivia com sua mãe, seu pai e seus

Leia mais

Escrita e ilustrada pelos alunos da Escola Básica do Primeiro Ciclo da Benquerença Ano Lectivo 2008/2009

Escrita e ilustrada pelos alunos da Escola Básica do Primeiro Ciclo da Benquerença Ano Lectivo 2008/2009 A Família Desaparecida Escrita e ilustrada pelos alunos da Escola Básica do Primeiro Ciclo da Benquerença Ano Lectivo 2008/2009 NUMA BELA MANHÃ DE PRIMAVERA, UM MENINO CAMI NHAVA JUNTO A UM RIO E OLHAVA

Leia mais

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA A DO CEMITÉRIO Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA TODOS OS DIREITOS RESERVADOS RUA: ALAMEDA PEDRO II N 718 VENDA DA CRUZ SÃO GONÇALO E-MAIL: jfigueiredo759@gmail.com TEL: (21)92303033 EXT.PRAÇA.DIA Praça

Leia mais

ERA UMA VEZ JOÃO. Um Roteiro de. Felipe Diógenes

ERA UMA VEZ JOÃO. Um Roteiro de. Felipe Diógenes ERA UMA VEZ JOÃO Um Roteiro de Felipe Diógenes copyright 2013 Adamastor Editor lipediogenesbh@hotmail.com Todos os direitos reservados 55 (31) 88766985 Personagens: Pipoqueiro João Werner Walquíria Martinha

Leia mais

Little New Disaster Conto por Rayssa Façanha Baseado em Walking/Beautiful Disaster

Little New Disaster Conto por Rayssa Façanha Baseado em Walking/Beautiful Disaster Little New Disaster Conto por Rayssa Façanha Baseado em Walking/Beautiful Disaster ... 7 anos depois... Eu estava nervoso, isso era inegável. As palmas das minhas mãos suavam e trincava os dentes a cada

Leia mais

Vocês cristãos dizem que precisamos ser salvos, que precisamos de um redentor. Mas salvos de quê ou de quem? Eu sou uma pessoa boa e tenho uma boa

Vocês cristãos dizem que precisamos ser salvos, que precisamos de um redentor. Mas salvos de quê ou de quem? Eu sou uma pessoa boa e tenho uma boa Vocês cristãos dizem que precisamos ser salvos, que precisamos de um redentor. Mas salvos de quê ou de quem? Eu sou uma pessoa boa e tenho uma boa vida, não preciso de redenção. Algumas considerações e

Leia mais

DATA: 30 / 11 / 2016 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 2.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: VALOR: 10,0 CORAÇÃO ESPERTO

DATA: 30 / 11 / 2016 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 2.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: VALOR: 10,0 CORAÇÃO ESPERTO SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 30 / / 206 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 2.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A):

Leia mais

Muitas Trombas Tornam o Trabalho Mais Leve

Muitas Trombas Tornam o Trabalho Mais Leve Muitas Trombas Tornam o Trabalho Mais Leve Era uma vez um elefantinho chamado Tolongo. Ele foi criado na savana com sua mãe e algumas outras famílias de elefantes. Eles percorriam os pastos à procura de

Leia mais

TEMA: DUPLA VISTA. NARRADOR 1 Em uma pequena cidade, chamada Amor Perfeito, viviam três garotinhas chamadas: Amanda, Melissa e Carlinha.

TEMA: DUPLA VISTA. NARRADOR 1 Em uma pequena cidade, chamada Amor Perfeito, viviam três garotinhas chamadas: Amanda, Melissa e Carlinha. TEATRO TEMA: DUPLA VISTA NARRADOR 1 Em uma pequena cidade, chamada Amor Perfeito, viviam três garotinhas chamadas: Amanda, Melissa e Carlinha. NARRADOR 2 Elas era super amigas e viviam inventando novas

Leia mais

SAPO QUENTÃO LÁ VEM O SAPO, SAPO, SAPO, QUE NADAVA NO RIO, NO RIO, NO RIO, COM SEU TRAJE VERDE, VERDE, VERDE, QUE MORRIA DE FRIO, DE FRIO, DE FRIO.

SAPO QUENTÃO LÁ VEM O SAPO, SAPO, SAPO, QUE NADAVA NO RIO, NO RIO, NO RIO, COM SEU TRAJE VERDE, VERDE, VERDE, QUE MORRIA DE FRIO, DE FRIO, DE FRIO. SAPO QUENTÃO LÁ VEM O SAPO, SAPO, SAPO, QUE NADAVA NO RIO, NO RIO, NO RIO, COM SEU TRAJE VERDE, VERDE, VERDE, QUE MORRIA DE FRIO, DE FRIO, DE FRIO. A DONA SAPA, SAPA, SAPA, LHE EMPRESTOU UM ROUPÃO, ROUPÃO,

Leia mais

IGREJA CRISTÃ MARANATA PES DEPARTAMENTO DE ENSINO

IGREJA CRISTÃ MARANATA PES DEPARTAMENTO DE ENSINO 1- MARANATA VEM SENHOR JESUS Mãos na boca (sinal de falar) Sinal de vem ( mãos para o alto descendo) Vem buscar Tua igreja. Mão na boca falando (sinal de falar) Sinal de vem ( mãos para o alto descendo)

Leia mais

1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela

1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela anoitecer 1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela chamado pio,bom o cara e legal mas tem um

Leia mais

Perdido. Na Montanha. Uma história verídica! Sejam bem-vindos ao Parque Nacional de Yosemite. Vão passar algunsdias conosco?

Perdido. Na Montanha. Uma história verídica! Sejam bem-vindos ao Parque Nacional de Yosemite. Vão passar algunsdias conosco? Perdido Na Montanha Sejam bem-vindos ao Parque Nacional de Yosemite. Vão passar algunsdias conosco? Uma história verídica! Gostaríamos de acampar aqui durante a noite. Mas claro. Os campings ficam mais

Leia mais

morf.1 25/1/16 10:00 Página 11 O LIVRO DO SENHOR

morf.1 25/1/16 10:00 Página 11 O LIVRO DO SENHOR morf.1 25/1/16 10:00 Página 11 O LIVRO DO SENHOR Há muitas coisas que nós sabemos, e que são tão simples, tão evidentes, tão instintivas, que pensamos que toda a gente as sabe. Estas são aquelas coisas

Leia mais

A namorada vaidosa. Personagens: Clarisse, Teresa e Julinho

A namorada vaidosa. Personagens: Clarisse, Teresa e Julinho A namorada vaidosa Personagens: Clarisse, Teresa e Julinho Quando a peça se inicia, Julinho está deitado no sofá, totalmente coberto e imóvel. Entram Clarisse e Teresa. Estou furiosa, Teresa! Fu-ri-o-sa!

Leia mais

Contos e Novelas Portuguesas

Contos e Novelas Portuguesas Contos e Novelas Portuguesas DO SÉC.XIX Biblioteca Online do Conto Contos e Novelas Portuguesas do Século XIX 2014, Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, IP Orientação: Luísa Costa Gomes Digitalização

Leia mais

O Mistério da bolsa Grande

O Mistério da bolsa Grande O Mistério da bolsa Grande Gisela está indo para casa no Rio de Janeiro, após um mês de férias em Londres. Ela vive em um apartamento no Rio com dois amigos. Ela deixa seu avião às cinco horas. É uma hora

Leia mais

Que Nevão! Teresa Dangerfield

Que Nevão! Teresa Dangerfield Que Nevão! Teresa Dangerfield Que Nevão! Teresa Dangerfield Mamã, Mamã, está tudo branquinho lá fora! gritou o Tomás muito contente assim que se levantou e espreitou pela janela. Mariana, vem ver depressa!

Leia mais

texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello

texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello www.fazendohistoria.org.br texto Fabiana Zayat ilustrações Gil Soares de Mello projeto gráfico Fonte

Leia mais

PEDRO E O PODER DA ORAÇÃO

PEDRO E O PODER DA ORAÇÃO Bíblia para crianças apresenta PEDRO E O PODER DA ORAÇÃO Escrito por: Edward Hughes Ilustrado por: Janie Forest O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem de Hoje 1998

Leia mais

1. OUÇAM A PRIMAVERA!

1. OUÇAM A PRIMAVERA! 1. OUÇAM A PRIMAVERA! Na Mata dos Medos há uma pequena clareira dominada por um pinheiro-manso 1 muito alto. É o largo do Pinheiro Grande. Um pássaro que por lá passarou pôs-se a cantar e acordou o Ouriço,

Leia mais

Lição devôo. Sandra Aymone. Isabela Barbosa Barros Aluna da Fundação Casa Santa Ignes/RJ. "A honestidade começa com pequenos hábitos.

Lição devôo. Sandra Aymone. Isabela Barbosa Barros Aluna da Fundação Casa Santa Ignes/RJ. A honestidade começa com pequenos hábitos. Lição devôo "A honestidade começa com pequenos hábitos." Isabela Barbosa Barros Aluna da Fundação Casa Santa Ignes/RJ Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. ISBN: 978-85-7694-179-8 9

Leia mais

A Professora de Horizontologia

A Professora de Horizontologia A Professora de Horizontologia Já tinha parado a chuva e Clara Luz estava louca que a Gota voltasse. Felizmente a Fada-Mãe veio com uma novidade: Minha filha, hoje vem uma professora nova. Você vai ter

Leia mais

Amarelinho splash não tinha forma. Nem mesmo a forma de uma gema de ovo quando ai! se espalha desastradamente pelo chão da cozinha.

Amarelinho splash não tinha forma. Nem mesmo a forma de uma gema de ovo quando ai! se espalha desastradamente pelo chão da cozinha. Era uma vez um homem que nascera para sábio. Ora, às vezes, tal facto aborrecia o muito. Sempre com o nariz enfiado em livros velhos, sempre a escrevinhar relatórios para enviar aos outros sábios que moravam

Leia mais

Nº 36 C Domingo XXXI do Tempo Comum

Nº 36 C Domingo XXXI do Tempo Comum Nº 36 C Domingo XXXI do Tempo Comum-3.11.13 Como Zaqueu, quero acolher-te e mudar, Senhor Escuta-me, Senhor. Como Zaqueu, quero procurar-te, nem que seja preciso deixar coisas que me enchem a casa e a

Leia mais

Daniel Duarte. 1 a edição

Daniel Duarte. 1 a edição Daniel Duarte 1 a edição Rio de Janeiro 2016 Agradecimentos Agradeço ao Thiago, que me encontrou pela internet adentro e acreditou neste projeto, e que em tão pouco tempo se tornou uma pessoa muito especial

Leia mais

A lenda do homem. ignorante. Samara Caroline dos Santos Torres

A lenda do homem. ignorante. Samara Caroline dos Santos Torres A lenda do homem ignorante Samara Caroline dos Santos Torres Samara Caroline dos Santos Torres A lenda do homem ignorante Meu livro Escrevi este livro, por que no mundo ainda existe pessoas que tratam

Leia mais

Ela não merecia. Por. Stoff Vieira

Ela não merecia. Por. Stoff Vieira Ela não merecia Por Stoff Vieira (63)9211-3384 CENA 01. INT. QUARTO DE ANDRÉ. DIA Uma garrafa de vodka e um copo no chão. André deitado em uma cama velha bagunçada, ele acorda se espreguiça, coloca a mão

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

QUANDO EU TINHA VOCÊ!

QUANDO EU TINHA VOCÊ! QUANDO EU TINHA VOCÊ! Local: Salvador(BA) Data: 02/02/1997 Estúdio:24/12/10 Estilo:Forró arrastapé Tom: C//(Dó sustenido) QUANDO EU TINHA VOCÊ A VIDA ERA TÃO BOA HOJE QUE TE PERDI VIVO COMO UM À TOA. VOCÊ

Leia mais

Existem vários lugares onde você pode iniciar Consultoras. Mas se uma Consultora vem até você e diz que está pensando seriamente em desenvolver um

Existem vários lugares onde você pode iniciar Consultoras. Mas se uma Consultora vem até você e diz que está pensando seriamente em desenvolver um Existem vários lugares onde você pode iniciar Consultoras. Mas se uma Consultora vem até você e diz que está pensando seriamente em desenvolver um time e tornar- se uma Diretora rapidamente e pergunta

Leia mais

Nome: 2) Entender e praticar a boa educação no campo, em relação à preservação da natureza. Verdadeiro ou Falso.

Nome: 2) Entender e praticar a boa educação no campo, em relação à preservação da natureza. Verdadeiro ou Falso. Prova Acampamento I (Atividades Recreativas 01) Nome: 1) Ter pelo menos 10 anos, ou estar no mínimo na quinta série. 2) Entender e praticar a boa educação no campo, em relação à preservação da natureza.

Leia mais