Integralidade do Cuidado: da Promoção ao Cuidado Paliativo. Cuidado Paliativo Oncológico. Thiago Martins Técnico de Enfermagem HCIV - INCA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Integralidade do Cuidado: da Promoção ao Cuidado Paliativo. Cuidado Paliativo Oncológico. Thiago Martins Técnico de Enfermagem HCIV - INCA"

Transcrição

1 Integralidade do Cuidado: da Promoção ao Cuidado Paliativo. Cuidado Paliativo Oncológico Thiago Martins Técnico de Enfermagem HCIV - INCA

2 Cuidados Paliativos 1 1 CONCEITO Cuidados Paliativos é uma abordagem que aprimora a qualidade de vida, dos pacientes e famílias que enfrentam problemas associados com doenças ameaçadoras adoras de vida, através s da prevenção e alívio do sofrimento, por meios de identificação precoce, avaliação correta e tratamento da dor e outros problemas de ordem física, f psicossocial e espiritual. WORLD HEALT ORGANIZATION. Cancer pain relief and palliative care report. Geneva : WHO, 2002.

3 PRINCÍPIOS DOS CUIDADOS PALIATIVOS 2 Promover o alívio da dor e demais sintomas angustiantes; Afirmar a vida e reconhecer a morte como um processo natural; Não buscar antecipar nem adiar a morte; Integrar os aspectos psicológicos e espirituais como parte dos cuidados ao paciente; Oferecer um sistema de suporte para ajudar o paciente a viver tão ativamente quanto possível até a morte; Oferecer um sistema de suporte à família que permita que ela cuide do 2 paciente até o final. PIMENTA, CAM et al. Dor e Cuidados Paliativos enfermagem, medicina e psicologia. São Paulo: Manole, 2006

4 Hospice& Cuidados Paliativos 3

5 PALIATIVO Pallium - Manto, capote, disfarce TERMINOLOGIA 4 Palliare - Proteger, amparar, abrigar HOSPICE Latin hospes significa desconhecido, forasteiro Posteriormente, hospitalis que derivou hospitalidade hospital, hospedaria, hotel e hospice SAUNDERS, CM. Oxford Textbook of Palliative Medicine. Nova York: Oxford University Press, ª ed.

6 TERMINOLOGIA HOSPICE - continuação 5 Hospice, é um termo utilizado para significar a filosofia do cuidado integral e multiprofissional ao paciente com uma doença incurável, em qualquer fase dela Hospice passou a representar um local que combinava a especificidade de um hospital e a hospitalidade de uma casa de repouso Hospedaria, é designado como um dos locais onde este cuidado, chamado de Cuidado Paliativo, é prestado ao doente e a família SAUNDERS, CM. Oxford Textbook of Palliative Medicine. Nova York: Oxford University Press, ª ed. ; DOYLE, Derek. Bilhete de plataforma : vivências em cuidados paliativos. Tradutores: FIGUEIREDO, MTA e FIGUEIREDO, MGMCA. São Paulo : Difusão Editora, 2009.

7 6 Hospice e Cuidados Paliativos São sinônimos no sentido de que consiste em minorar o máximo possível a dor e demais sintomas dos doentes e, simultaneamente possibilitar a maior autonomia e independência dos mesmos Réplica da Pietá, de Michelângelo, na Catedral de Brasília AISENGANT RACHEL M, Em Busca da boa morte, Antropologia dos Cuidados Palitivos, Editoras: Fiocruz e Garamond Universitária, ria, RJ, p.53-82, 2004.

8 HISTÓRIA 8 Séc.XX Cicely Saunders fundou em Londres, o Saint Christopher s Hospice e deu início ao que se chama hoje de Movimento Hospice Moderno, ampliando o entendimento da palavra hospice. Cicely Saunders era enfermeira, assistente social e médica. Foi pioneira na medicina paliativa. Focando o tratamento não apenas na doença mas também, no indivíduo. Cunhou o conceito de DOR TOTAL.

9 Séc. XX O encontro de Cicely com a psiquiatra norteamericana Elizabeth Klüber-Ross, nos Estados Unidos, fez crescer também lá o movimento Hospice; 1975 O cirurgião canadence Balfour Mount funda a primeira unidade de Cuidados Paliativos no interior do Royal Victoria Hospital de Montreal; 1982 Os Cuidados Paliativos começam a ser oferecidos na Argentina. No ano de 2000, o Ministério da Saúde argentino reconhece e normatiza essa especialidade; Desde a década de 1970, os Cuidados Paliativos / Hospices foram se multiplicando na Europa, América, Austrália, África do Sul, Ásia, Japão, Taiwan, China e Coréia do Sul.

10 Séc. XX / XXI Brasil Criada unidade de Cuidados Paliativos no Rio Grande do Sul Criada unidade de Cuidados Paliativos em São Paulo Programa de Atendimento aos clientes Fora de Possibilidades Terapêuticas Atuais (Pro-FPTA) no Hospital do Câncer II / INCA, Rio de Janeiro Criada unidade de Cuidados Paliativos em Santa Catarina 1989 Serviço de Suporte Terapêutico Oncológico (visitas domiciliares) de Suporte Terapêutico Oncológico (STO) / Grupo Especial de Suporte Terapêutico Oncológico (GESTO) entidade filantrópica, teve a finalidade de apoiar o STO

11 Séc. XX / XXI Brasil continuação Criado o serviço de Cuidados Paliativos no HCI / INCA-RJ Centro de Suporte Terapêutico Oncológico CSTO 1997 Fundada a Associação Brasileira de Cuidados Palaitivos (ABCP) Centro de Suporte Terapêutico Oncológico (CSTO), desde então, essa unidade tornou-se referência nacional em Cuidados Paliativos, tanto no ensino e treinamento de profissionais, como no atendimento aos doentes e familiares 2004 O CSTO passa a ser denominado de Hospital do Câncer IV Selo de Acreditação Hospitalar pela Joint Commission International AISENGANT RACHEL M, Em busca da boa morte, Antropologia dos Cuidados Paliativos, Editoras: Fiocruz e Garamond Universitária, ria, RJ, p.53-82, 2004.

12 LEGISLAÇÃO 13 O Ministério da Saúde vem consolidando formalmente os Cuidados Paliativos no âmbito do Sistema de Saúde do país através de Portarias. Portaria N 19, 03 de janeiro de 2002 Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) o Programa Nacional de Assistência à Dor e Cuidados Paliativos. Portaria N 1319, 23 de julho de 2002 Criou no âmbito do SUS os Centros de Referência em Tratamento da Dor Crônica.

13 LEGISLAÇÃO 14 Portaria N 2439, 08 de dezembro de 2005 Política Nacional de Atenção Oncológica: Promoção, Prevenção, Diagnóstico, Tratamento, Reabilitação e Cuidados Paliativos. PLS 524/09 - Dispõe do direito das pessoas em fase terminal de doença. O Projeto de Lei, diz em um de seus parágrafos que pessoas em fase terminal de doenças, têm direito, sem prejuízo de outros procedimentos terapêuticos que se mostrarem cabíveis, a cuidados paliativos e mitigadores do sofrimento, proporcionais e adequados á situação.

14 CONHECENDO O HOSPITAL DO CÂNCER IV HC IV / INCA 1 5

15 1 6

16 1 7

17 1 8

18 1 9

19

REQUERIMENTO N de de outubro de 2009 (Do Sr. Dr. Talmir)

REQUERIMENTO N de de outubro de 2009 (Do Sr. Dr. Talmir) REQUERIMENTO N de de outubro de 2009 (Do Sr. Dr. Talmir) Requer o envio de indicação ao Exmo. Sr. Ministro de Estado da Saúde. Senhor Presidente Nos termos do art. 113, inciso I e 1º, do Regimento Interno

Leia mais

Cuidados Paliativos. Dra. Ana Paula Abranches Fernandes Peixoto* I- CONCEITO E IMPORTÂNCIA REVISÃO HISTÓRICA CUIDADOS PALIATIVOS NO MUNDO

Cuidados Paliativos. Dra. Ana Paula Abranches Fernandes Peixoto* I- CONCEITO E IMPORTÂNCIA REVISÃO HISTÓRICA CUIDADOS PALIATIVOS NO MUNDO Cuidados Paliativos Dra. Ana Paula Abranches Fernandes Peixoto* I- CONCEITO E IMPORTÂNCIA II- REVISÃO HISTÓRICA III- CUIDADOS PALIATIVOS NO MUNDO IV- CUIDADOS PALIATIVOS NO BRASIL V- CUIDADOS PALIATIVOS

Leia mais

CUIDADOS PALIATIVOS:HISTÓRICO.

CUIDADOS PALIATIVOS:HISTÓRICO. CUIDADOS PALIATIVOS:HISTÓRICO. PINOTTI, Elaine Cristina 1 GAZZOLA, Ms.Rangel Antonio 2 RESUMO O objetivo deste estudo é apresentar como os cuidados paliativos podem promover o bem estar e a qualidade de

Leia mais

ESPERANÇA E SERVIÇO DA REALIDADE À REALIZAÇÃO

ESPERANÇA E SERVIÇO DA REALIDADE À REALIZAÇÃO ESPERANÇA E SERVIÇO DA REALIDADE À REALIZAÇÃO QUE REALIDADE É ESTA QUE SE DEPARA O PACIENTE QUE TEM UMA DOENÇA GRAVE E INCURÁVEL? A MEDICINA MODERNA TEM MOSTRADO TENDÊNCIA A FOCALIZAR SUA ATENÇÃO APENAS

Leia mais

Modelos de Atuação em Cuidados Paliativos

Modelos de Atuação em Cuidados Paliativos Simpósio de Cuidados Paliativos para os Institutos e Hospitais Federais do Rio de Janeiro Cuidados Paliativos - construindo uma rede Agosto 2012 Modelos de Atuação em Cuidados Paliativos Cláudia Naylor

Leia mais

CARTA DE PRAGA. Apela se aos governantes para aliviarem o sofrimento e assegurarem o direito e acesso aos cuidados paliativos

CARTA DE PRAGA. Apela se aos governantes para aliviarem o sofrimento e assegurarem o direito e acesso aos cuidados paliativos CARTA DE PRAGA Apela se aos governantes para aliviarem o sofrimento e assegurarem o direito e acesso aos cuidados paliativos A Associação Europeia de Cuidados Paliativos (EAPC), a Associação Internacional

Leia mais

CUIDADOS PALIATIVOS História e Evolução

CUIDADOS PALIATIVOS História e Evolução UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE NEUROCIÊNCIAS E CIÊNCIAS DO COMPORTAMENTO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL CUIDADOS PALIATIVOS História e Evolução Profª Drª

Leia mais

CUIDADO PALIATIVO: INTERFACES SOBRE MORTE, MORRER E COMUNICAÇÃO. Sandra Regina Gonzaga Mazutti

CUIDADO PALIATIVO: INTERFACES SOBRE MORTE, MORRER E COMUNICAÇÃO. Sandra Regina Gonzaga Mazutti CUIDADO PALIATIVO: INTERFACES SOBRE MORTE, MORRER E COMUNICAÇÃO. Sandra Regina Gonzaga Mazutti MORTE- ANTIGUIDADE DOMADA Evento público, Social Casa ao lado dos familiares e amigos Espaço para dor e sofrimento,

Leia mais

Cuidados Paliativos em Câncer

Cuidados Paliativos em Câncer Cuidados Paliativos em Câncer Temos assistido nas últimas décadas a um envelhecimento progressivo da população, assim como o aumento da prevalência do câncer. O avanço tecnológico alcançado, associado

Leia mais

INTRODUÇÃO (WHO, 2007)

INTRODUÇÃO (WHO, 2007) INTRODUÇÃO No Brasil e no mundo estamos vivenciando transições demográfica e epidemiológica, com o crescente aumento da população idosa, resultando na elevação de morbidade e mortalidade por doenças crônicas.

Leia mais

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA DAL BEN: SUA PARCEIRA EM CUIDADOS ASSISTENCIAIS A saúde no Brasil continua em constante transformação. As altas taxas de ocupação dos hospitais brasileiros demandam dos profissionais

Leia mais

BIOÉTICA E CUIDADOS PALIATIVOS: UM DESAFIO PARA A ENFERMAGEM.

BIOÉTICA E CUIDADOS PALIATIVOS: UM DESAFIO PARA A ENFERMAGEM. BIOÉTICA E CUIDADOS PALIATIVOS: UM DESAFIO PARA A ENFERMAGEM. RESUMO Karyn Albrecht SIQUEIRA, 1. Aline MASSAROLI, 2. Ana Paula LICHESKI, 2. Maria Denise Mesadri GIORGI, 3. Introdução: Com os diversos avanços

Leia mais

CUIDADOS PALIATIVOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA EM PACIENTES TERMINAIS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

CUIDADOS PALIATIVOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA EM PACIENTES TERMINAIS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA CUIDADOS PALIATIVOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA EM PACIENTES TERMINAIS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA Jéssyka Cibelly Minervina da Costa Silva (NEPB/UFPB) jessykacibelly@gmail.com Maria Andréa Fernandes

Leia mais

Conheça suas opções:

Conheça suas opções: Conheça suas opções: Guia para pacientes com progressão de doenças graves Em Massachusetts, todos os pacientes com progressão de uma doença grave têm o direito legal de ser informados sobre o seu problema

Leia mais

Lidando com o paciente oncológico C A M I L A M A N O S S O F U N E S J É S S I C A D E O L I V E I R A S T O R R E R

Lidando com o paciente oncológico C A M I L A M A N O S S O F U N E S J É S S I C A D E O L I V E I R A S T O R R E R Lidando com o paciente oncológico C A M I L A M A N O S S O F U N E S J É S S I C A D E O L I V E I R A S T O R R E R As fases do câncer ANTERIOR AO DIAGNÓSTICO RECUPERAÇÃO OU MORTE DIAGNÓSTICO A FASE

Leia mais

CUIDADOS PALIATIVOS DIRECIONADOS A PACIENTES ONCOLÓGICOS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

CUIDADOS PALIATIVOS DIRECIONADOS A PACIENTES ONCOLÓGICOS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA CUIDADOS PALIATIVOS DIRECIONADOS A PACIENTES ONCOLÓGICOS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Júlio César Coelho do Nascimento (Enfermeiro Pós-graduando em Oncologia Clínica- Centro de Especialização em Enfermagem

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Do Srs. Dr. Talmir e Miguel Martini) Dispõe sobre cuidados devidos a pacientes que se encontrem em fase terminal de enfermidade. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Todo paciente,

Leia mais

Instituto Nacional de Câncer Fisioterapia HCII/INCA

Instituto Nacional de Câncer Fisioterapia HCII/INCA Instituto Nacional de Câncer Fisioterapia HCII/INCA QUALIFICAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NOS SERVIÇOS ASSISTENCIAIS DO SUS PARA CÂNCER DE MAMA E CÂNCER DO COLO DO ÚTERO. Fátima Bussinger Chefe da Fisioterapia

Leia mais

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Família Secretaria Municipal de Saúde CASC - Centro de Atenção a Saúde Coletiva Administração Municipal Horizontina RS Noroeste do Estado Distante 520 Km da

Leia mais

C.P-01 Dunlop, R. J. e Hockley, J. M. Terminal care support teams the hospital hospice interface Oxford: University Press, 1990.

C.P-01 Dunlop, R. J. e Hockley, J. M. Terminal care support teams the hospital hospice interface Oxford: University Press, 1990. C.P-01 Dunlop, R. J. e Hockley, J. M. Terminal care support teams the hospital hospice interface Oxford: University Press, 1990. Baseado na prática de cuidados paliativos de sucesso de alguns hospitais,

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO CUIDADO NOS DIFERENTES CAMPOS DE ATUAÇÃO: ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

ORGANIZAÇÃO DO CUIDADO NOS DIFERENTES CAMPOS DE ATUAÇÃO: ASSISTÊNCIA DOMICILIAR Simpósio de Cuidados Paliativos para os Institutos e Hospitais Federais do Rio de Janeiro ORGANIZAÇÃO DO CUIDADO NOS DIFERENTES CAMPOS DE ATUAÇÃO: ASSISTÊNCIA DOMICILIAR Júlio César Silva de Souza Enfermeiro

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem

Leia mais

Tratamento do câncer no SUS

Tratamento do câncer no SUS 94 Tratamento do câncer no SUS A abordagem integrada das modalidades terapêuticas aumenta a possibilidade de cura e a de preservação dos órgãos. O passo fundamental para o tratamento adequado do câncer

Leia mais

Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo CREMESP rayer@usp.br

Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo CREMESP rayer@usp.br Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo CREMESP rayer@usp.br Podemos pensar em duas éticas: a ética do próprio indivíduo e a ética do outro. Das diferenças e semelhanças entre elas é que surgirá

Leia mais

BIOÉTICA E CUIDADOS PALIATIVOS

BIOÉTICA E CUIDADOS PALIATIVOS Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto BIOÉTICA E CUIDADOS PALIATIVOS Profª Drª Marysia Mara Rodrigues do Prado

Leia mais

Um outro objetivo ajudar os doentes a atingirem a aceitação da vida vivida e a aceitarem morte! Ter medo da morte é humano

Um outro objetivo ajudar os doentes a atingirem a aceitação da vida vivida e a aceitarem morte! Ter medo da morte é humano CUIDADOS PALIATIVOS A diversidade das necessidades da pessoa humana em sofrimento intenso e em fim de vida encerram, em si mesmo, uma complexidade de abordagens de cuidados de Saúde a que só uma equipa

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec:Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ENFERMAGEM Qualificação:TÉCNICO

Leia mais

O Hospital. O HCor Hospital do Coração é uma instituição

O Hospital. O HCor Hospital do Coração é uma instituição O Hospital O HCor Hospital do Coração é uma instituição filantrópica que tornou-se um dos principais centros de tratamento de doenças cardiovasculares da América Latina. Além disso, é referência em outras

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC: Rodrigues de Abreu Código: 135 Município: Bauru Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível médio de Técnico em Enfermagem

Leia mais

CUIDADOS PALIATIVOS NO BRASIL: uma questão de ética, de espiritualidade e de família

CUIDADOS PALIATIVOS NO BRASIL: uma questão de ética, de espiritualidade e de família FACULDADE CATÓLICA DE UBERLÂNDIA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TRABALHO SOCIAL COM FAMÍLIAS ELAINE SUELY RODRIGUES CUIDADOS PALIATIVOS NO BRASIL: uma questão de ética, de espiritualidade e de família Uberlândia

Leia mais

Cuidados Paliativos Pediátricos e Neonatais Domiciliares Barreiras x Oportunidades

Cuidados Paliativos Pediátricos e Neonatais Domiciliares Barreiras x Oportunidades Cuidados Paliativos Pediátricos e Neonatais Domiciliares Barreiras x Oportunidades Cleyton Angelelli Pediatra, Home Care Einstein Hospital Israelita Albert Einstein 21 de março de 2012 O que vocês consideram

Leia mais

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Tec. de Enfermagem Claudia Sterque claudiasterque@yahoo.com.br 11 de novembro de 2010 VISÃO DO TÉCNICO ESPECIALISTA Quando comecei

Leia mais

TERMINALIDADE NORMA Nº 643

TERMINALIDADE NORMA Nº 643 Página: 1/7 1- OBJETIVO 1.1- Garantir os Direitos dos pacientes relacionados aos seus valores pessoais, preservando sua individualidade e sua dignidade humana, tais como: 1.2- Diminuir o sofrimento do

Leia mais

Concepções sobre cuidados paliativos: revisão bibliográfica

Concepções sobre cuidados paliativos: revisão bibliográfica Artigo Revisão Concepções sobre cuidados paliativos: revisão bibliográfica Conceptions about palliative care: literature review Concepciones sobre cuidados paliativos: revisión bibliográfica Ednamare Pereira

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

TÍTULO: "SE TOCA MULHER" CONHECIMENTO DAS UNIVERSITÁRIAS SOBRE O CÂNCER DE MAMA

TÍTULO: SE TOCA MULHER CONHECIMENTO DAS UNIVERSITÁRIAS SOBRE O CÂNCER DE MAMA TÍTULO: "SE TOCA MULHER" CONHECIMENTO DAS UNIVERSITÁRIAS SOBRE O CÂNCER DE MAMA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO

Leia mais

15º CBCENF. Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem CUIDADO E PROTEÇÃO DA VIDA.

15º CBCENF. Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem CUIDADO E PROTEÇÃO DA VIDA. 15º CBCENF Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem CUIDADO E PROTEÇÃO DA VIDA. TERMINALIDADE E CUIDADOS PALIATIVOS: produção científica no âmbito da saúde Jocerlania Maria Dias de Morais 1 Thaíza

Leia mais

Bioética e Cuidados e Paliativos em Oncologia Pediátrica Débora de Wylson F. G. Mattos

Bioética e Cuidados e Paliativos em Oncologia Pediátrica Débora de Wylson F. G. Mattos Congresso Brasileiro de Nutrição Oncológica do INCA IV Jornada Internacional de Nutrição Oncológica III Jornada Luso-Brasileira em Nutrição Oncologica Bioética e Cuidados e Paliativos em Oncologia Pediátrica

Leia mais

CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM TRANSTORNO BIPOLAR EM INSTITUIÇÕES DE SAÚDE MENTAL

CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM TRANSTORNO BIPOLAR EM INSTITUIÇÕES DE SAÚDE MENTAL CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM TRANSTORNO BIPOLAR EM INSTITUIÇÕES DE SAÚDE MENTAL Aline Santana dos Santos Graduanda em Enfermagem Maria Aparecida dos Santos Graduanda em Enfermagem Reginaldo Vicente

Leia mais

Tratado do Paris contra o câncer

Tratado do Paris contra o câncer Tratado do Paris contra o câncer portugais portuguese 71 72 Profundamente pertubados pelas repercussões importantes e universais do câncer sobre a vida humana, o sofrimento humano, e sobre a produtividade

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Avaliação e Monitorização do Paciente em Cuidados Paliativos

Diretrizes Assistenciais. Avaliação e Monitorização do Paciente em Cuidados Paliativos Diretrizes Assistenciais Avaliação e Monitorização do Paciente em Cuidados Paliativos Versão eletrônica atualizada em mar/2012 Esta política descreve as ações a serem realizadas para a identificação, avaliação

Leia mais

CUIDADO DE ENFERMAGEM, ÉTICA E INOVAÇÃO

CUIDADO DE ENFERMAGEM, ÉTICA E INOVAÇÃO CUIDADO DE ENFERMAGEM, ÉTICA E INOVAÇÃO Dra. Leila Brito Bergold Hospital Central do Exército Semana de Enfermagem do INCA 2011 Inovação x Ética - Abordagem acerca do Cuidado de Enfermagem através do CARITAS

Leia mais

A HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO HOSPITAL E DA HOSPITALIZAÇÃO M E S T R E E M E N F E R M A G E M ( U E R J )

A HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO HOSPITAL E DA HOSPITALIZAÇÃO M E S T R E E M E N F E R M A G E M ( U E R J ) A HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO HOSPITAL E DA HOSPITALIZAÇÃO MARIA DA CONCEIÇÃO MUNIZ RIBEIRO M E S T R E E M E N F E R M A G E M ( U E R J ) A palavra hospital origina-se do latim hospitalis, que significa "ser

Leia mais

CENTRO HOSPITALAR DA COVA DA BEIRA PROJECTO DE REGULAMENTO

CENTRO HOSPITALAR DA COVA DA BEIRA PROJECTO DE REGULAMENTO CENTRO HOSPITALAR DA COVA DA BEIRA SERVIÇO DE MEDICINA PALIATIVA (HOSPITAL DO FUNDÃO) DE REGULAMENTO 1. DEFINIÇÃO O (SMP) do Centro Hospitalar da Cova da Beira SA, sediado no Hospital do Fundão, desenvolve

Leia mais

CENTRO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA VILA FÁTIMA

CENTRO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA VILA FÁTIMA RELATÓRIO DE 2011 Em 2011, o Vila Fátima deu continuidade aos seus programas de ensino-serviço. Esta unidade acadêmica descentralizada é uma projeção da Universidade ao seu meio, e, como tal, oferece um

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC: DR. JOSÉ LUÍZ VIANA COUTINHO CÓDIGO: 073 EIXO TECNOLÓGICO: HABILITAÇÃO PROFISSIONAL: QUALIFICAÇÃO: MÓDULO: COMPONENTE CURRICULAR: C.H. SEMANAL: PROFESSOR:

Leia mais

Recursos Humanos para a Assistência Domiciliar: risco de apagão?

Recursos Humanos para a Assistência Domiciliar: risco de apagão? Recursos Humanos para a Assistência Domiciliar: Formação e Qualificação, há h risco de apagão? Serviços de Atenção Domiciliar Einstein Perfil da Assistência Domiciliar Hoje Aumento das condições crônicas

Leia mais

Hospital de Clínicas Gaspar Viana

Hospital de Clínicas Gaspar Viana Hospital de Clínicas Gaspar Viana Atendimento de Enfermagem na Clínica Psiquiátrica Enf. Sofia Vasconcelos Alves ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM OBJETIVO:Promover ações terapêuticas voltadas para identificar

Leia mais

CUIDADOS PALIATIVOS: O SIGNIFICADO PARA UMA EQUIPE DE ENFERMAGEM DE UMA UNIDADE ONCOLÓGICA

CUIDADOS PALIATIVOS: O SIGNIFICADO PARA UMA EQUIPE DE ENFERMAGEM DE UMA UNIDADE ONCOLÓGICA 0 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS JUSSEMARA NASCIMENTO VENTURE CUIDADOS PALIATIVOS: O SIGNIFICADO PARA UMA EQUIPE DE ENFERMAGEM DE UMA UNIDADE ONCOLÓGICA Alfenas/MG 2013 1 JUSSEMARA NASCIMENTO VENTURE

Leia mais

Sobre a Dor e a Gestão da Dor. Encontre mais informações no site www.palliativecare.org.au. Department of Health and Ageing

Sobre a Dor e a Gestão da Dor. Encontre mais informações no site www.palliativecare.org.au. Department of Health and Ageing Sobre a Dor e a Gestão da Dor Encontre mais informações no site www.palliativecare.org.au Portuguese - Pain Management Department of Health and Ageing Financiado pelo Governo Australiano, através do Programa

Leia mais

O CUIDADO DA CRIANÇA COM CANCER FORA DE POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS: UM DESAFIO À ENFERMAGEM1

O CUIDADO DA CRIANÇA COM CANCER FORA DE POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS: UM DESAFIO À ENFERMAGEM1 O CUIDADO DA CRIANÇA COM CANCER FORA DE POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS: UM DESAFIO À ENFERMAGEM1 REIS, Thamiza Laureany da Rosa dos 2 ; BIN, Aline 3 1 Trabalho de Pesquisa 2 Curso de Graduação em Enfermagem

Leia mais

GERENCIAMENTO de Casos Especiais

GERENCIAMENTO de Casos Especiais GERENCIAMENTO de Casos Especiais Gerenciamento de Casos Especiais.indd 1 19/10/2015 15:32:28 Gerenciamento de Casos Especiais Objetivo: Facilitar o atendimento aos clientes que apresentam dificuldades

Leia mais

Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD)

Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD) Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD) Patricia de Campos Couto MS/SCTIE/DECIT/CGPC Incentivo Fiscal

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004 MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004 INTRODUÇÃO Última edição do Manual (revista e atualizada): 2006 Objetivo: Implantação do Serviço de Atendimento Móvel às Urgências Atende aos princípios e diretrizes do

Leia mais

Formação Avançada em Cuidados Paliativos em Portugal

Formação Avançada em Cuidados Paliativos em Portugal Apresentação Pública e Oficial Formação Avançada em Cuidados Paliativos em Portugal Raquel Queirós Manuel Luís Capelas Universidade Católica Portuguesa 27 Janeiro 2016 Formação Avançada em Cuidados Paliativos

Leia mais

Serviço Social. DISCURSIVA Residência Saúde 2012 C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL

Serviço Social. DISCURSIVA Residência Saúde 2012 C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A. wwww.cepuerj.uerj.br ATIVIDADE DATA LOCAL HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A Serviço Social DISCURSIVA Residência Saúde 2012 ATIVIDADE DATA LOCAL Divulgação do gabarito - Prova Objetiva (PO) 31/10/2011

Leia mais

Revelação Diagnóstica do HIV A arte de comunicar más notícias Tânia Regina C. de Souza, Karina Wolffenbuttel, Márcia T. F.

Revelação Diagnóstica do HIV A arte de comunicar más notícias Tânia Regina C. de Souza, Karina Wolffenbuttel, Márcia T. F. Revelação Diagnóstica do HIV A arte de comunicar más notícias Tânia Regina C. de Souza, Karina Wolffenbuttel, Márcia T. F. dos Santos A aids é ainda uma doença ameaçadora. Apesar de todos os avanços no

Leia mais

O Instituto: excelência e credibilidade

O Instituto: excelência e credibilidade O Instituto: excelência e credibilidade O Instituto do Câncer do Ceará ICC, é uma entidade filantrópica de direito privado e referência no tratamento integral, no ensino e na pesquisa e em ações de responsabilidade

Leia mais

Ciclo de Palestras O Dia Delas

Ciclo de Palestras O Dia Delas Ciclo de Palestras O Dia Delas INTRODUÇÃO O câncer é uma das doenças que mais provocam temor na população. Esse diagnóstico freqüentemente é compreendido como vergonhoso, incapacitante e incurável. Os

Leia mais

FRENTE PARLAMENTAR DE PREVENÇÃO, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER. MINUTA DA PROPOSTA DO PLANO DE TRABALHO

FRENTE PARLAMENTAR DE PREVENÇÃO, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER. MINUTA DA PROPOSTA DO PLANO DE TRABALHO FRENTE PARLAMENTAR DE PREVENÇÃO, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO CÂNCER. MINUTA DA PROPOSTA DO PLANO DE TRABALHO A- Membros da Coordenação Geral da Frente Parlamentar de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº,DE 2014

PROJETO DE LEI Nº,DE 2014 PROJETO DE LEI Nº,DE 2014 (Do Sr. Alexandre Roso) Acrescenta o inciso IV ao art. 2º da Lei nº 11.664, de 29 de abril de 2008, que dispõe sobre a efetivação de ações de saúde que assegurem a prevenção,

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Área: Estágio de Enfermagem em Saúde do Adulto I e II Campo de Atuação: Santa Casa de Tupã; Instituto de Psiquiatria de Tupã e Hospital São

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology RESIDÊNCIA MÉDICA Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology José Luiz Miranda Guimarães* Neste número estamos divulgando o resultado parcial do Seminário

Leia mais

Cuidados paliativos e a assistência ao luto

Cuidados paliativos e a assistência ao luto Cuidados paliativos e a assistência ao luto O processo de luto tem início a partir do momento em que é recebido o diagnóstico de uma doença fatal ou potencialmente fatal. As perdas decorrentes assim se

Leia mais

Assistência na Fase Final da Vida e Luto: Assistência à Família. Ana Paula M. Bragança dos Santos Assistente Social/INCA

Assistência na Fase Final da Vida e Luto: Assistência à Família. Ana Paula M. Bragança dos Santos Assistente Social/INCA Assistência na Fase Final da Vida e Luto: Assistência à Família Ana Paula M. Bragança dos Santos Assistente Social/INCA De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) "Cuidados Paliativos consistem

Leia mais

PARECER TÉCNICO I ANÁLISE E FUNDAMENTAÇÃO:

PARECER TÉCNICO I ANÁLISE E FUNDAMENTAÇÃO: PARECER TÉCNICO ASSUNTO: Solicitação de parecer acerca de Técnico de Enfermagem lotado no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de transtorno mental acompanhar paciente internado em outra instituição,

Leia mais

Assistência. Assistência no INCA

Assistência. Assistência no INCA Assistência A qualidade do tratamento oferecido aos pacientes pelo Sistema Único de Saúde é de alta prioridade entre as ações desenvolvidas para o controle do câncer no Brasil. Por tratar-se de uma doença

Leia mais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais O mapa da Acreditação no Brasil A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais metodologias Thaís Martins shutterstock >> Panorama nacional Pesquisas da ONA (Organização

Leia mais

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES.

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. ANA LUCIA MESQUITA DUMONT; Elisa Nunes Figueiredo. Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SMSA-BH (Atenção Básica)

Leia mais

Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis. Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil

Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis. Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil Há 17 anos promovendo os direitos dos idosos com qualidade de vida. Nossa História O Grupo

Leia mais

Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar - PNHAH

Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar - PNHAH Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar - PNHAH Relacionamento Inter-Pessoal na Prática Hospitalar End.: www.tenenbaum.com.br Fonte: Centro de Medicina Psicossomática e Psicologia Médica

Leia mais

RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE ENFERMAGEM DA FAMÍLIA

RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE ENFERMAGEM DA FAMÍLIA ENFERMAGEM DA FAMÍLIA A CIÊNCIA É APENAS UM DOS OLHOS POSSÍVEIS NA IMENSA BUSCA DE SIGNIFICADOS INFLUÊNCIAS NAS FAMÍLIAS Valores Tamanho Cuidados de saúde Hábitos sociais EMOÇÕES: MEDO PAZ CULPA ESPERANÇA

Leia mais

Espiritualidade e Saúde: avaliação de uma proposta educacional para a graduação em Medicina e Enfermagem na UNIFESP

Espiritualidade e Saúde: avaliação de uma proposta educacional para a graduação em Medicina e Enfermagem na UNIFESP Espiritualidade e Saúde: avaliação de uma proposta educacional para a graduação em Medicina e Enfermagem na UNIFESP Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde Valdir Reginato Espiritualidade

Leia mais

Matriciamento em saúde Mental. Experiência em uma UBS do Modelo Tradicional de Atenção Primária à Saúde

Matriciamento em saúde Mental. Experiência em uma UBS do Modelo Tradicional de Atenção Primária à Saúde Matriciamento em saúde Mental Experiência em uma UBS do Modelo Tradicional de Atenção Primária à Saúde Matriciamento - conceito O suporte realizado por profissionais e diversas áreas especializadas dado

Leia mais

Linhas de Cuidado na Perspectiva de Redes de Atenção à Saúde

Linhas de Cuidado na Perspectiva de Redes de Atenção à Saúde Linhas de Cuidado na Perspectiva de Redes de Atenção à Saúde Linhas de Cuidado na RELEMBRANDO... Perspectiva de RAS A RAS é definida como arranjos organizativos de ações e serviços de saúde, de diferentes

Leia mais

Cuidados paliativos em oncologia pediátrica: uma perspectiva de atuação psicológica

Cuidados paliativos em oncologia pediátrica: uma perspectiva de atuação psicológica Cuidados paliativos em oncologia pediátrica: uma perspectiva de atuação psicológica Palliative care in oncology pediatric: a perspective of psychological operations Luciana Araújo Gurgel 1 Ana Maria Vieira

Leia mais

Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO

Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO Outonos da Vida Associação para os Cuidados Paliativos e Dor Crónica do Médio Tejo APRESENTAÇÃO OUTONOS DA VIDA Instituição sem fins lucrativos, candidata a IPSS da área da Saúde com interacção com a Segurança

Leia mais

Doenças Graves Doenças Terminais

Doenças Graves Doenças Terminais MINISTÉRIO DA SAÚDE Comissão Nacional de Ética em Pesquisa - CONEP Universidade Federal de Minas Gerais Doenças Graves Doenças Terminais José Antonio Ferreira Membro da CONEP/ MS Depto de Microbiologia

Leia mais

Crack, é possível vencer

Crack, é possível vencer Crack, é possível vencer Prevenção Educação, Informação e Capacitação Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Autoridade Enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas

Leia mais

PARECER COREN-SP 056/2013 CT PRCI n 100.471 Tickets nº 286.256

PARECER COREN-SP 056/2013 CT PRCI n 100.471 Tickets nº 286.256 PARECER COREN-SP 056/2013 CT PRCI n 100.471 Tickets nº 286.256 Ementa: Utilização do método SOAP (Subjetivo, Objetivo, Avaliação e Plano) no Processo de Enfermagem. 1. Do fato Enfermeira que atua em Estratégia

Leia mais

AGENDA A CONFIRMAR* Minneapolis - MN. OptumLabs https://www.optum.com/optumlabs.html. University of Minnesota - School of Public Health

AGENDA A CONFIRMAR* Minneapolis - MN. OptumLabs https://www.optum.com/optumlabs.html. University of Minnesota - School of Public Health Minneapolis - MN OptumLabs https://www.optum.com/optumlabs.html AGENDA A CONFIRMAR* OptumLabs é o primeiro centro aberto e colaborativo de pesquisa e inovação da indústria de Healthcare. Através dos mais

Leia mais

Palliative Care in a Tertiary Assistence School Hospital: a need?

Palliative Care in a Tertiary Assistence School Hospital: a need? Cuidados Paliativos num Hospital Universitário de Assistência Terciária: uma necessidade? Palliative Care in a Tertiary Assistence School Hospital: a need? Raphael Roncarati 1 ; Raquel Mori Pires de Camargo

Leia mais

Normas de cuidados para as pessoas com osteoartrite

Normas de cuidados para as pessoas com osteoartrite Tradução para: Feita por: E mail: 1 1 2 3 4 Normas de cuidados para as pessoas com osteoartrite As pessoas com sintomas de OA devem ter acesso a um profissional de saúde competente para fazer um diagnóstico

Leia mais

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012 Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer SALVADOR/BA ABRIL de 2012 MARCOS HISTÓRICOS 1998: Adesão do Brasil aos princípios diretivos

Leia mais

Há relevância em promover o acesso aos cuidados paliativos como um. direito humano? 1 Alice Batitucci Jorge 2

Há relevância em promover o acesso aos cuidados paliativos como um. direito humano? 1 Alice Batitucci Jorge 2 direito humano? 1 Alice Batitucci Jorge 2 Há relevância em promover o acesso aos cuidados paliativos como um Resumo A morte na sociedade contemporânea é um tabu e, quase sempre, distanciada o mais possível

Leia mais

PALIAR, PALLIUM, MANTO, Paliação

PALIAR, PALLIUM, MANTO, Paliação Sociedade Portuguesa de História da Enfermagem I Encontro Ibérico de HISTORIA DE ENFERMAGEM PALIAR, PALLIUM, MANTO, Paliação O percurso evolutivo dos cuidados paliativos: da origem à actualidade Outubro,

Leia mais

Funcionamento das comissões hospitalares metropolitanas que funcionam sob a gestão do Imip RELATOR: Cons. Mauro Luiz de Britto Ribeiro

Funcionamento das comissões hospitalares metropolitanas que funcionam sob a gestão do Imip RELATOR: Cons. Mauro Luiz de Britto Ribeiro PARECER CFM nº 4/13 INTERESSADO: CRM-PE ASSUNTO: Funcionamento das comissões hospitalares metropolitanas que funcionam sob a gestão do Imip RELATOR: Cons. Mauro Luiz de Britto Ribeiro EMENTA: Em obediência

Leia mais

Ciclo de Debates GV Saúde: Quais as Perspectivas para as Operadoras de Planos de Saúde? Agosto 2014

Ciclo de Debates GV Saúde: Quais as Perspectivas para as Operadoras de Planos de Saúde? Agosto 2014 Ciclo de Debates GV Saúde: Quais as Perspectivas para as Operadoras de Planos de Saúde? Agosto 2014 1 Mercado de Planos de Saúde Impactado por 5 Tendências E o Mercado? Continuará a Crescer? 5 Usuário

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

Modelos para reembolso de medicamentos na América Latina:

Modelos para reembolso de medicamentos na América Latina: Modelos para reembolso de medicamentos na América Latina: A perspectiva do Brasil Dr. José Getulio Martins Segalla Presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica Diretor de Ensino e Pesquisa Hospital

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO 1. A comunicação durante o processo de enfermagem nem sempre é efetiva como deveria ser para melhorar isto, o enfermeiro precisa desenvolver estratégias de

Leia mais

A DIMENSÃO ESPIRITUAL DA FAMILIA

A DIMENSÃO ESPIRITUAL DA FAMILIA A DIMENSÃO ESPIRITUAL DA FAMILIA Para onde vamos? A vida individual é inteiramente integrada e forma um todo com a vida cósmica. Domínio Existencial ou espiritual do cuidar 3 questões fundamentais da existência

Leia mais

Visita Domiciliar e Qualidade de Vida

Visita Domiciliar e Qualidade de Vida Visita Domiciliar e Qualidade de Vida A importância do Nutricionista em Cuidados Paliativos Nut Edna Shibuya ednashibuya@yahoo.com.br Papel da Nutrição Preventivo NUTRIÇÃ ÇÃO Curativo Qualidade de Vida

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2013

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2013 Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Rodrigues de Abreu Código: 135 Município: Bauru/SP Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE CAPACITAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA PARA ESTUDANTES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE CAPACITAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA PARA ESTUDANTES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE CAPACITAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA PARA ESTUDANTES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM MOTA 1, Carla Pimentel; FARIAS 2, Creusa Ferreira; PEDROSA 3, Ivanilda Lacerda 1 Aluno bolsista;

Leia mais

Modelos Assistenciais em Saúde

Modelos Assistenciais em Saúde 6 Modelos Assistenciais em Saúde Telma Terezinha Ribeiro da Silva Especialista em Gestão de Saúde A análise do desenvolvimento das políticas de saúde e das suas repercussões sobre modos de intervenção

Leia mais