Fórum Regional PROMINP-BA Salvador, 12/07/2004

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fórum Regional PROMINP-BA Salvador, 12/07/2004"

Transcrição

1 Fórum Regional PROMINP-BA Salvador, 12/07/2004

2 Objetivo do PROMINP Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis,, na implantação de projetos de óleo e gás no Brasil e no exterior.

3 Foco de Atuação do PROMINP Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis, na implantação de projetos de petróleo e gás no Brasil e no exterior. Capacidade de Atendimento? da Indústria Nacional em Bases Competitivas e Sustentáveis PROMINP (Carteira de Projetos para Mobilização e Capacitação da Indústria) Agente Balizador PETROBRAS

4 Gestão do PROMINP Comitê Diretivo Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Comitê Executivo Coordenador Executivo EP Comitês Setoriais TM GE e TD ABAST IND PG Temas Estratégicos e Carteira de Projetos do PROMINP

5 Estrutura do Programa Temas Estratégicos Diagnóstico e Planejamento Levantamento de Informações Análise das Informações Áreas Temáticas Diagnóstico da Demanda de BENS E SERVIÇOS Diagnóstico da CAPACIDADE DE ATENDIMENTO da Indústria Diagnóstico das QUESTÕES LEGAIS IDENTIFICAÇÃO DAS LACUNAS: Legal, Financeira, Infraestrutura e Recursos Humanos Capacitação Política Industrial Desempenho Empresarial Capacitação Instrumentos de Política Industrial Desempenho Empresarial Capacitação Tecnológica Capacitação Industrial Financiamento Regulação Sustentabilidade Competitividade Qualificação Profissional 30 Política Tributária Fomento à Pequena e Média Empresa 88 SMS 99 Total: 47 Projetos

6 Carteira de Projetos EP Transporte Marítimo Abastecimento GE TD Indústria de PG Áreas Temáticas Lacunas Const Offshore Consol gargs EP e TM Capacitação Fornec MateriaisEquip Fornec MateriaisEquip Fornec MateriaisEquip Fornec MateriaisEquip Consol MateriaisEquip Recursos Projetos Eng Cons Rec Projetos Eng Recursos Projetos Eng Recursos Projetos Eng Recursos Projetos Eng Diagnóstico Proj CM UPGN Recursos CM Recursos CM Desenvolv Produto Desenvolv Produto Desenvolv Produto Desenvolv Produto Plataforma Tecnológica Ofic Manut Turbinas EVTE Dique Seco Desenv Indust Sísmica Operação Sondas MTr Oficiais Marinha Merc Inspetor Duto Terrestre Pessoal Engenharia Pessoal CM Gerentes de Empreend Capacitação Tecnológica Capacitação Industrial Qualificação Profissional Garantias Finan CNaval Ensino à Distância Financ. Proj. PROMINP Mec Financ Antec Pgto Conteúdo Nacional Inclusão PME Desoneração Forn BS Desoneração Agentes BS Zona Franca Política Industrial Financiamento Regulação Inclusão PME Política Tributária Desempenho Empresarial Fom Perfuração offshore Indução fornecim local Formas Relac Comerc Impacto nova refinaria Exportação BS Sustentabilidade Monit Investimento OG Produtividade Cias CM Normatização Competitividade Licenciamento Ambiental SMS

7 PROMINP Linha do Tempo 2003 Abr - Dez 2004 Jan - Jul Concepção do Programa 1º Ciclo: Dignóstico 2º Ciclo: Capacitação Estruturação e Oficialização do PROMINP pelo MME 10/jul/03 WS Temático 07 e 08/ago/2003 Aprovação da Carteira de Projetos 01/set/03 Levantamento e Consolidação da Matriz Oferta x Demanda de out/03 a jun/04 Ações de Capacitação mar/04 em diante Lançamento do PROMINP pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva 19/dez/03 Decreto N o 4925

8 1º Ciclo: Diagnóstico da Indústria Nacional MATRIZ DEMANDA X OFERTA Levantamento de Informações Análise das Informações Diagnóstico da Demanda de Bens e Serviços Diagnóstico da Capacidade de Atendimento da Indústria Levantamento de Lacunas

9 Diagnóstico da Demanda de Bens e Serviços Levantamento da Carteira de Projetos da Petrobras Levantamento da Quantidade de para os Cronogramas dos Projetos Projeto A Projeto B Projeto C Total Recurso X Demanda Planejada - Recurso Crítico X

10 Diagnóstico da Demanda de Bens e Serviços Demanda de Oferta de ENGENHARIA Lacunas ENGENHARIA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS (Conjunto de projetos) CONSTRUÇÃO MONTAGEM Lacunas CONSTRUÇÃO MONTAGEM CAPACIDADE DA INDÚSTRIA MATERIAIS EQUIPAMENTOS Lacunas MATERIAIS EQUIPAMENTOS

11 Diagnóstico da Demanda de Bens e Serviços EP CARTEIRA DE INVESTIMENTOS (Conjunto de projetos) Demanda de ENGENHARIA CONSTRUÇÃO MONTAGEM MATERIAIS EQUIPAMENTOS EP-9 EP-6 EP-7 Oferta de ENGENHARIA CONSTRUÇÃO MONTAGEM MATERIAIS EQUIPAMENTOS CAPACIDADE DA INDÚSTRIA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS (Conjunto de projetos) ENGENHARIA Demanda de ENGENHARIA EP-10 Oferta de ENGENHARIA CAPACIDADE DA INDÚSTRIA Demanda de ENGENHARIA TM - 6 Oferta de ENGENHARIA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS CONSTRUÇÃO CONSTRUÇÃO TM TM - 4 (Conjunto de projetos) MONTAGEM MONTAGEM CAPACIDADE DA INDÚSTRIA CONSTRUÇÃO MONTAGEM MATERIAIS EQUIPAMENTOS TM - 5 MATERIAIS EQUIPAMENTOS Demanda de Oferta de ABAST CARTEIRA DE INVESTIMENTOS (Conjunto de projetos) Demanda de ENGENHARIA CONSTRUÇÃO MONTAGEM MATERIAIS EQUIPAMENTOS ABAST- 5 ABAST- 7 ABAST- 4 Oferta de ENGENHARIA CONSTRUÇÃO MONTAGEM MATERIAIS EQUIPAMENTOS CAPACIDADE DA INDÚSTRIA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS (Conjunto de projetos) CONSTRUÇÃO MONTAGEM Lacunas TM - 4 ABAST- 7 CONSTRUÇÃO MONTAGEM CAPACIDADE DA INDÚSTRIA MATERIAIS EQUIPAMENTOS Demanda de Oferta de Demanda de ENGENHARIA GETD - 2 Oferta de ENGENHARIA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS (Conjunto de projetos) CAPACIDADE DA INDÚSTRIA GETD CARTEIRA DE INVESTIMENTOS (Conjunto de projetos) CONSTRUÇÃO MONTAGEM GETD - 4 CONSTRUÇÃO MONTAGEM CAPACIDADE DA INDÚSTRIA MATERIAIS EQUIPAMENTOS EP-8 MATERIAIS EQUIPAMENTOS MATERIAIS EQUIPAMENTOS GETD - 1 MATERIAIS EQUIPAMENTOS

12 Diagnóstico da Demanda de Bens e Serviços HISTOGRAMA Recurso Crítico X ILUSTRATIVO 0 jan/03 fev/03 mar/03 abr/03 mar/09 abr/09 mai/09 jun/09

13 Diagnóstico da Capacidade de Atendimento da Indústria Levantamento da Oferta de junto às Associações HISTOGRAMA Recurso Crítico X OFERTA 10 5 ILUSTRATIVO 0 jan/03 fev/03 mar/03 abr/03 mar/09 abr/09 mai/09 jun/09

14 Diagnóstico da Capacidade de Atendimento da Indústria Consolidação dos Resultados HISTOGRAMA Recurso Crítico X Demanda não atendida LACUNAS 15 OFERTA 10 5 ILUSTRATIVO 0 jan/03 fev/03 mar/03 abr/03 mar/09 abr/09 mai/09 jun/09

15 1º Ciclo: Diagnóstico da Indústria Nacional Resultados: Histogramas de Demanda ENGENHARIA - ENGENHEIRO DE TUBULAÇÃO

16 1º Ciclo: Diagnóstico da Indústria Nacional Famílias de Materiais e Equipamentos Analisadas Equipamentos Elétricos Geradores Motores Elétricos Painel de Controle Painel Elétrico de Distribuição Reatores Elétricos Subestação Transformadores a óleo Transformadores seco Válvulas e City Gates Aço Carbono Latão Aço Inox Aço Liga Aço Carbono Ferro Fundido Aço Inox Aço Liga City Gate Equipamentos Onshore Bomba de Fundo Haste de Bombeio Unidade de Bombeio Caldeiraria e Estruturas Air Coolers Chapas de Aço Carbono Chapas de Aço Inox Chapas de Aços Especiais Caldeiras Filtros Forno Reformador Forno de Aquecimento Pré-aquecedores de ar Queimadores (Flare) Reatores (ABAST) Tambores de Coque Tanques (ABAST) Tanques (EP) Tinta Torres Trocadores de Calor Vasos Ventiladores Tubos e conexões Conexões para tubulações Tubos de condução Equipamentos Mecânicos Bombas Compressores Guindastes Guinchos Motores à Gás / Diesel Sist.. Abertura Mecanizada de Tambor de Coque Turbinas Subsea, TM e Ancoragem Amarras Aço / Poliéster Âncoras (Estacas-Torpedo) Molinetes / Cabos de Aço Árvore de Natal Molhada Cabo Elétrico da BCS Cabos Elétricos / Óticos Linha de Injeção de Água Linha de Produção Linha de Serviço Linha para Injeção de Gás Lift PLEM / PLET Manifolds Submarinos Umbilical Cabeça de Poço Submarina ESDV Submarinos

17 1º Ciclo: Diagnóstico da Indústria Nacional Famílias de Materiais e Equipamentos Analisadas Equipamentos Elétricos Geradores Motores Elétricos Painel de Controle Equipamento Painel Elétrico de Distribuição Reatores Elétricos Subestação Transformadores a óleo Transformadores seco Válvulas e City Gates Aço Carbono Tubos de condução Latão Aço Inox Aço Liga Aço Carbono Ferro Fundido Aço Inox Aço Liga City Gate Números - Materiais e Equipamentos Grandes Grupos Equipamentos Onshore Bomba de Fundo Famílias de Equipamentos Haste de Bombeio Itens criados Unidade de Bombeio Caldeiraria e Estruturas Air Coolers Chapas de Aço Carbono Chapas de Aço Inox Material Tipo Chapas de Aços Especiais Com costura Caldeiras Filtros Aço Carbono Forno Reformador Sem Costura Forno de Aquecimento Pré-aquecedores de ar Com costura Queimadores (Flare) Reatores (ABAST) Aço Liga Tambores de Coque Sem Costura Tanques (ABAST) Tanques (EP) N/A Tinta Aço Inox Torres Trocadores de Calor Vasos Ventiladores Tubos e conexões Conexões para tubulações Tubos de condução Equipamentos Mecânicos Bombas Compressores Guindastes Diâmetro Guinchos Ref. PROMINP Até 7" Motores à Gás / Diesel tub-02 Maior que 7" até Sist.. 14" Abertura Mecanizada tub-03 de Maior que 14" Tambor de Coque tub-04 Até 14" Turbinas tub-05 Maior que 14" Subsea, TM e Ancoragem tub-06 Até 7" tub-07 Amarras Aço / Poliéster Maior que 7" até 14" tub-08 Âncoras (Estacas-Torpedo) Maior que 14" tub-09 Molinetes / Cabos de Aço Até 14" tub-10 Árvore de Natal Molhada Maior que 14" tub-11 Cabo Elétrico da BCS Até 20 mm tub-12 Cabos Elétricos / Óticos Maior 20 mm até 6" tub-13 Linha de Injeção de Água Maior 6" até 12" tub-14 Linha de Produção Maior que 12" tub-15 Linha de Serviço Linha para Injeção de Gás Lift PLEM / PLET Manifolds Submarinos Umbilical Cabeça de Poço Submarina ESDV Submarinos

18 1º Ciclo: Diagnóstico da Indústria Nacional Chapas de Aço TM

19 1º Ciclo: Diagnóstico da Indústria Nacional Desdobramentos: Ações para Capacitação Engenharia Demanda de Oferta de ENGENHARIA EP-10 ENGENHARIA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS (Conjunto de projetos) CAPACIDADE DA INDÚSTRIA Construção Montagem Demanda de Oferta de Ações para adequação de Projetos de Qualificação Profissional CARTEIRA DE CAPACIDADE INVESTIMENTOS CONSTRUÇÃO CONSTRUÇÃO DA Lacunas (Conjunto de projetos) INDÚSTRIA MONTAGEM MONTAGEM TM - 4 ABAST- 7 Materiais Equipamentos Pessoal (Recursos Humanos) Infra Estrutura Projetos de Capacitação Industrial Demanda de Oferta de CARTEIRA DE INVESTIMENTOS (Conjunto de projetos) CAPACIDADE DA INDÚSTRIA MATERIAIS EQUIPAMENTOS EP-8 MATERIAIS EQUIPAMENTOS

20 Sistemática para Qualificação Profissional Identificação das lacunas de RH Identificação do Nível de Capacitação Mapeamento do Mercado de Capacitação Demanda atendida pelo mercado Identificação das Entidades de Ensino para desenvolvimento de Novos Cursos Desenvolvimento do Conteúdo Programático baseado em Metodologia adequada Aplicação dos Cursos CATEGORIAS PROFISSIONAIS 118 Nível Superior Nível Técnico Demanda atendida pelo mercado UFRJ USP SENAI UFBA? CEFET FBTS? DESENVOLVIMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DESENVOLVIMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

21 Selo PROMINP

22 Ações de Qualificação Profissional Centro de Excelência em Projetos 3D Projetos EP 9 e Ind. PG 14 PETROBRAS FUNCEFET CENTRO DE EXCELÊNCIA EM PDS SISGRAPH ABCE/ ABEMI ORACLE Treinamento de Técnicos de Projeto 3D e Administrador de Sistema 3D

23 Inauguração 07/06/2004

24 Ações de Qualificação Profissional Curso de Encanadores Industriais Projeto Ind. PG 13 Curso piloto, realizado em Março/04 no SENAI do Tatuapé / SP Objetivo Curso-piloto Primeira Turma Expectativa de Demanda Treinar encanadores industriais no perfil do padrão internacional, que incorpora as tarefas de corte, lixamento e ponteação, barateando custos e otimizando tempo. SENAI - Tatuapé/SP, em Mar/04, SENAI - Macaé, em Jun/04. Cerca de 1500 profissionais apenas em Macaé.

25 Ações de Qualificação Profissional Curso de Gerentes de EPC Projeto Ind. PG 12 FGV SENAI FIA/USP Público-alvo Carga horária Duração Previsão de Início Local do Curso Gerentes de EPC em busca de aperfeiçoamento e engenheiros que busquem atuar na função. 400 horas Em torno de 18 meses. Julho Aula Inaugural ABEMI/SP.

26 Ações de Qualificação Profissional Ações Emergenciais em curso Engenharia Projeto Ind. PG 14 CONVÊNIOS Universidade 1 Universidade 2 Engenheiro de Segurança Engenheiro de Automação/ Instrumentação Engenheiro de Processo Engenheiro de Tubulação Carga horária: 360 a 400 horas Duração: Em torno de 7 meses Público-alvo: profissionais das empresas de Engenharia e profissionais em busca de capacitação Carga horária: Processo 400 horas Tubulação 200 horas Duração: Processo 7 meses Tubulação 4 meses Público-alvo: profissionais das empresas de Engenharia e profissionais em busca de capacitação

27 Estudo de Viabilidade de Construção de um Novo Dique Seco Bases Conceituais Projeto TM 1 Construção offshore, naval de grande porte, conversões, reparos... Acesso rodo-ferroviário, infra-estrutura e MO locais, rota comercial... Lay-out preliminar e dimensões do complexo industrial Boca 100m ; Compr. 470m ; Calado 12m ; Área 1MM m 2 Pátio de montagem, Cais de load-out e acabamento, oficinas e instalações Oferta e Demanda 26% 96% 108% 52% 59% 64% 66% 66% 66% 67% Média Anos Oferta: Considerado na oferta os 9 principais estaleiros Demanda: Construção e docagem de 223 embarcações Transpetro, PB, Syndarma até Considerados os cronogramas das obras Saturação em 2005/06 para embarcações > TPB (Sermetal 2) Orçamento e EVTE 4, ,963 4,783 12,553 27, ,972 Serviços Equipamentos Miscelânea C. Indiretos Contingência Total Preliminares e Instalações Dados de fontes especializadas para orçamento do complexo Instalações, Equipamentos e Serviços Modelo de receitas e despesas (Semi, FPSO, Panamax, Aframax, Suezmax e Claros). Cronograma das obras e prazos de docagem Transpetro e PB Investimentos U$ 165MM ; Prazo de construção 18 meses

28 Conteúdo Nacional Fornecimento de Bens e Serviços Questões: 1. Metodologia de Aferição de Conteúdo Nacional Projeto IND PG 5 - Cartilha de Aferição de Conteúdo Nacional 2. Metas de Conteúdo Nacional Política Industrial para Maximização de Conteúdo Nacional

29 Política Industrial para Maximização de Conteúdo Nacional Fornecimento de Bens e Serviços % Conteúdo Nacional 100 Zona de Importação ( Impossibilidade Fática de Suprimento Nacional ) Atendimento com importação Desenvolvimento fornecedores Zona de Sobrepreço (Ações de fomento) Zona de Conforto ( Ampliação da Zona de Atendimento Competitivo ) Atendimento não competitivo Atendimento competitivo com iniciativas Ações de Fomento Objetivo Do PROMINP Zona de Atendimento Atual (Zona de Perda) Atendimento competitivo 0 t 0 t 1 Tempo Infra-estrutura, Capacitação de Pessoal e Competitividade da Indústria crescentes

30 Fórum Regional PROMINP Principais Objetivos Atender as demandas regionais não mapeadas na Carteira de Investimentos do Setor Incentivar fornecimento de BensServiços pela indústria local Inserir Pequenas e Micro Empresas na Cadeia de Petróleo e Gás Fornecimento de Bens e Serviços Composição do Comitê Regional Fornecedores Regionais Mercado Externo Comitê Regional UN s Petrobras Governo do Estado Federação das Indústrias Universidades Sebrae Demanda Regional Demanda Nacional (Carteira de Investimentos) Carteira de Projetos Regionais BA 12/Jul RN 05/Mar ES A definir

31 Interface do Fórum Regional com a Estrutura de Gestão do PROMINP Comitê Diretivo Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Comitê Executivo Coordenador Executivo EP Comitês Setoriais TM GE e TD ABAST IND PG Temas Estratégicos e Carteira de Projetos do PROMINP Comitê Regional Carteira de Projetos Regionais do PROMINP

32 Fórum Regional PROMINP-BA Salvador, 12/07/2004

33 Macro Fluxo do PROMINP Fórum Regional BA Workshop para geração de propostas preliminares de projetos (PPP) Aprovação da Carteira de Projetos do Fórum Regional BA Lançamento do Fórum Regional BA (12/07) Preparação para Workshop (13/07 à 19/09) Workshop Fórum Regional BA (20 e 21/09) Reunião com o Comitê Executivo Apresentação do Modelo do Fórum Regional BA Trabalho das Entidades para geração das propostas preliminares de projetos (PPP) Balanço e atualização de temas e Carteira Anual Reuniões do Comitê Regional Bimestral Reuniões do Comitê Diretivo Semestral Reuniões do Comitê Executivo Trimestral Acompanhamento da Carteira de Projetos do Fórum Regional BA

34 Proposta Preliminar de Projeto - PPP GETD-1 Título: Identificação de Lacunas no Fornecimento de Materiais e Equipamentos na Área de GETD Matriz Demanda X Oferta Tema Estratégico: Capacitação Industrial Proponente: ONIP e Petrobras Descrição: Este projeto consiste em: Levantamento da demanda e a oferta de itens específicos para a área de GETD no Brasil Identificação as lacunas no fornecimento de itens específicos para área de GETD no Brasil, e propostas de soluções Objetivo: Este projeto visa identificar as lacunas no fornecimento de itens específicos referentes à a área de GETD no Brasil, com propostas de soluções para equacionamento dos mesmos. Justificativa: Tendo em vista um cenário favorável em relação à demanda, torna-se necessária a identificação de gargalos para fornecimento dos equipamentos e materiais e prestação de serviço de pós-venda no Brasil. Produtos Pretendidos: Relatório com as demandas e ofertas de itens específicos referentes à construção de infra-estrutura necessária para indústria de gás e energia Relatório com as lacunas identificados no fornecimento de itens específicos para a área de GETD Relatório com propostas para equacionamento das lacunas no fornecimento de itens específicos para a área de GETD Coordenador: Victor Ishii (ABITAM) Prazo do Projeto Inicio Previsto: Setembro de 2003 Final Previsto: Dezembro de 2003 Custo do Projeto Fonte de Recursos: Participantes Custo Estimado: A ser definido Observações: ---

35

36 Fórum Regional PROMINP-BA Salvador, 12/07/2004

Workshop Regional de Minas Gerais 23/03/2005

Workshop Regional de Minas Gerais 23/03/2005 Workshop Regional de Minas Gerais 23/03/2005 CARTEIRA DE PROJETOS PROMINP 2004 e 2005 Carteira de Projetos PROMINP 2004 11 7 7 5 16 E&P Transporte Marítimo Abastecimento GE & TD Recursos Engenharia Consolidação

Leia mais

Fórum Regional de Sergipe. Aracaju 26 de Julho de 2006

Fórum Regional de Sergipe. Aracaju 26 de Julho de 2006 Fórum Regional de Sergipe Aracaju 26 de Julho de 2006 Objetivo do PROMINP Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis,, na implantação de projetos

Leia mais

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO Objetivo Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis, na implantação de projetos de óleo e gás no Brasil e no exterior. 1 Desafios Históricos:

Leia mais

Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década

Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década Roberto Gonçalves Gerente Executivo da Engenharia da Petrobras 8º Encontro Nacional do Prominp 23 de Novembro-São Luis, MA

Leia mais

Apresentação ao Comitê Diretivo

Apresentação ao Comitê Diretivo Ações de Desenvolvimento Tecnológico Industrial 31 de Março de 2011 Apresentação ao Comitê Diretivo Política Industrial Dirigida por Demanda Elementos Conceituais e Papel dos Agentes Indústria Nacional

Leia mais

Resultados Comitê Setorial de E&P. 3 º Workshop Nacional do PROMINP. 17 de novembro de 2005

Resultados Comitê Setorial de E&P. 3 º Workshop Nacional do PROMINP. 17 de novembro de 2005 Resultados Comitê Setorial de E&P 3 º Workshop Nacional do PROMINP 17 de novembro de 2005 Carteira de Projetos CARTEIRA 2004 CARTEIRA 2005 PROPOSTA CARTEIRA 2006 E&P-01 E&P-02 E&P-03 E&P-04 E&P-05 E&P-06

Leia mais

01/07/ /10/2004

01/07/ /10/2004 Apresentação Status dos ao Projetos Comitê de de Negócios E&P 2 o Workshop 01/07/2004 Nacional 28/10/2004 E&P - 1 Implantação de Oficinas de Manutenção de Turbinas Resultados Alcançados Relação inicial

Leia mais

Apresentação ao Comitê Diretivo. 27 de outubro de 2004

Apresentação ao Comitê Diretivo. 27 de outubro de 2004 Apresentação ao Comitê Diretivo 27 de outubro de 2004 PROMINP Linha do Tempo 2003 Abr - Dez Etapa Zero: Concepção do Programa 1º Ciclo: Diagnóstico da Indústria 2004 Jan - Out 2º Ciclo: METAS INDICADORES

Leia mais

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 23 de novembro de 2006

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 23 de novembro de 2006 Resultados Comitê Setorial de IND P&G 23 de novembro de 2006 Carteira de Projetos CARTEIRA 2004 CARTEIRA 2005 CARTEIRA 2006 PROPOSTA CARTEIRA 2007 IND PG 1 IND PG 2 16 projetos IND PG 6 IND PG 8 13 projetos

Leia mais

Reunião Comitê Setorial de IND P&G. São Paulo - 24 de novembro de 2006

Reunião Comitê Setorial de IND P&G. São Paulo - 24 de novembro de 2006 Reunião Comitê Setorial de IND P&G São Paulo - 24 de novembro de 2006 Proposta Carteira 2007 Ações Ações Regulação Selecionar para cada comitê um projeto piloto para aferição de conteúdo local através

Leia mais

Resultados Comitê Setorial de TM. 23 de novembro de 2006

Resultados Comitê Setorial de TM. 23 de novembro de 2006 Resultados Comitê Setorial de TM 23 de novembro de 2006 Carteira de Projetos CARTEIRA 2004 CARTEIRA 2005 CARTEIRA 2006 PROPOSTA CARTEIRA 2007 TM 1 TM 2 TM 3 7 projetos 4 projetos 7 projetos TM 4 TM 5 TM

Leia mais

Regional de São Paulo. FIESP, São Paulo 23 de Março o de 2007

Regional de São Paulo. FIESP, São Paulo 23 de Março o de 2007 Lançamento amento do Fórum F Regional de São Paulo FIESP, São Paulo 23 de Março o de 2007 Objetivo do PROMINP Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e

Leia mais

Apresentação ao Comitê de Negócios 01/07/2004

Apresentação ao Comitê de Negócios 01/07/2004 Fórum Regional do PROMINP - PE Apresentação ao Comitê de Negócios Pré Workshop 18/01/2006 01/07/2004 Fórum Regional do PROMINP MG Estabelecimento da REDE PETRO-MG, como rede inicial da Rede Brasil de Tecnologia

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PROJETO N º COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO PROJETO: RELATÓRIO FINAL DO PROJETO IND P&G-13

RELATÓRIO FINAL DE PROJETO N º COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO PROJETO: RELATÓRIO FINAL DO PROJETO IND P&G-13 RELATÓRIO FINAL DE PROJETO N º IND P&G-13 NOME DO PROJETO: COMITÊ SETORIAL: IND P&G 1 de 8 COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL: ENTIDADE: Cláudia Prates BNDES COORDENADOR DO PROJETO: ENTIDADE: Carlos Maurício

Leia mais

Competitividade da Indústria Brasileira de Bens e Serviços para a Indústria de Petróleo e Gás

Competitividade da Indústria Brasileira de Bens e Serviços para a Indústria de Petróleo e Gás Competitividade da Indústria Brasileira de Bens e Serviços para a Indústria de Petróleo e Gás Equipe Coordenação Geral (Instituto de Economia UFRJ) Adilson de Oliveira Coordenações de Estudos Específicos

Leia mais

PETROBRAS EMPRESA ÂNCORA

PETROBRAS EMPRESA ÂNCORA PETROBRAS EMPRESA ÂNCORA Missão da Petrobras Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional, fornecendo produtos e serviços adequados às

Leia mais

Carteira de Investimentos 2003 a 2007

Carteira de Investimentos 2003 a 2007 Workshop Temático - PROMINP Carteira de Investimentos 2003 a 2007 Empresas de petróleo (exceto Petrobras) Angra dos Reis, 07 de Agosto de 2003 A carteira de investimentos prevista pela indústria de petróleo

Leia mais

Capacitação da Indústria. Nacional e Perspectivas de. Ampliação do Fornecimento. Local de Bens e Serviços para o. Setor de Óleo e Gás

Capacitação da Indústria. Nacional e Perspectivas de. Ampliação do Fornecimento. Local de Bens e Serviços para o. Setor de Óleo e Gás Capacitação da Indústria Nacional e Perspectivas de Ampliação do Fornecimento Local de Bens e Serviços para o Setor de Óleo e Gás 1 Agentes Governamentais Indústria Nacional Operadoras de P&G Missão Maximizar

Leia mais

FORNECIMENTO DE ITENS CRÍTICOS E DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES DE ENGENHARIA PARA A PETROBRAS. Agosto / 08

FORNECIMENTO DE ITENS CRÍTICOS E DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES DE ENGENHARIA PARA A PETROBRAS. Agosto / 08 FORNECIMENTO DE ITENS CRÍTICOS E DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES DE ENGENHARIA PARA A PETROBRAS Agosto / 08 1 Tópicos Estratégia de suprimento de bens e serviços Itens Críticos Estratégia de desenvolvimento

Leia mais

Workshop Capacitação e Certificação de Inspetores 30/03/2005

Workshop Capacitação e Certificação de Inspetores 30/03/2005 Workshop Capacitação e Certificação de Inspetores 30/03/2005 DIAGNÓSTICO RESULTADOS LEVANTAMENTO DE LACUNAS DE RECURSOS HUMANOS Resultados: Diagnóstico Levantamento de Lacunas Recursos Humanos UNIVERSO

Leia mais

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G Área de Insumos Básicos Novembro de 2011 1 1. BNDES e a Indústria de P&G Principais Objetivos A. Contribuir para o desenvolvimento competitivo e sustentável da Indústria

Leia mais

RS, SC, PR, PE, MG, RJ,

RS, SC, PR, PE, MG, RJ, Nossa História Fundação: 1937 Representa uma classe com cerca de 4.500 indústrias Sede nacional em São Paulo; Sedes Regionais: RS, SC, PR, PE, MG, RJ, Piracicaba (SP), Rib. Preto (SP), S. J. Campos (SP)

Leia mais

Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Bacia de Santos UN-BS

Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Bacia de Santos UN-BS Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Bacia de Santos UN-BS Novos Empreendimentos previstos para a UN-BS no Plano de Negócios 2007-2011 da Petrobras José Luiz Marcusso Gerente-Geral São Paulo,

Leia mais

Apresentação do Comitê Regional e da Carteira de Projetos do Fórum Regional de Paulínia

Apresentação do Comitê Regional e da Carteira de Projetos do Fórum Regional de Paulínia Apresentação do Comitê Regional e da Carteira de Projetos do Fórum Regional de Paulínia Mauro Garcez Pereira Engenheiro de Equipamentos Sênior Petrobras - Refinaria de Paulínia Comitê Diretivo Secretaria

Leia mais

Reunião PETROBRAS e ONIP Setembro de 2005

Reunião PETROBRAS e ONIP Setembro de 2005 Reunião PETROBRAS e ONIP Setembro de 2005 Investimentos Planejados em E&P Projetos de Exploração e Produção (2006-2010) No Brasil Internacional Total $ 28,0 bilhões $ 6,1 bilhões $ 34,1 bilhões Exploração

Leia mais

Estrutura de Gestão. Estabelecimento de Estratégias e Diretrizes. Coordenação Executiva. Coordenações Setoriais. Carteiras de Projetos

Estrutura de Gestão. Estabelecimento de Estratégias e Diretrizes. Coordenação Executiva. Coordenações Setoriais. Carteiras de Projetos Fases do Prominp PROGRAMA DE MOBILIZAÇÃO DA INDÚSTRIA NACIONAL DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL Estrutura de Gestão MME MDIC PETROBRAS ONIP BNDES IBP Comitê Diretivo Comitê Executivo SPG/MME, MDIC, Petrobras

Leia mais

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Reservas Petrolíferas do Pré-Sal Audiência Pública

Leia mais

RBNA Sociedade Classificadora

RBNA Sociedade Classificadora Prezado Concessionário e Fornecedor de Concessionário da ANP O Concessionário é o responsável pelas informações referentes ao, devendo prever em seus contratos de compra de bens e serviços que os fornecedores

Leia mais

PROMINP Programa de Mobilizaçã. Pernambuco 28 de Novembro de 2005 (parte 2)

PROMINP Programa de Mobilizaçã. Pernambuco 28 de Novembro de 2005 (parte 2) PROMINP Programa de Mobilizaçã ção o da Indústria Nacional de Petróleo e Gás G s Natural Pernambuco 28 de Novembro de 2005 (parte 2) Resultados do Programa ABAST E&P GE&TD IND P&G TM Metodologia de Criação

Leia mais

EMPRESAS IMPEDIDAS DE CONTRATAR

EMPRESAS IMPEDIDAS DE CONTRATAR DATAVIX INFORMÁTICA 00.271.751* SUSPENSÃO 25/jun/2013 SERVIÇOS DE GESTÃO DOCUMENTAL FEMADE TECNOLOGIA 31.135.346* SUSPENSÃO 01/jul/2013 SERVIÇOS DE GESTÃO DOCUMENTAL LM COMÉRCIO E MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

Leia mais

Oportunidades, desafios e competitividade para rede de fornecedores da indústria de O&G Eloi Fernández y Fernández

Oportunidades, desafios e competitividade para rede de fornecedores da indústria de O&G Eloi Fernández y Fernández Oportunidades, desafios e competitividade para rede de fornecedores da indústria de O&G Eloi Fernández y Fernández FIESP, São Paulo, 06 de agosto de 2013 Quem é a ONIP? A ONIP - Organização Nacional da

Leia mais

CENÁRIO E PERSPECTIVAS DO SETOR PETRÓLEO 4º CAMPETRO CAMPINAS OIL & GAS

CENÁRIO E PERSPECTIVAS DO SETOR PETRÓLEO 4º CAMPETRO CAMPINAS OIL & GAS CENÁRIO E PERSPECTIVAS DO SETOR PETRÓLEO 4º CAMPETRO CAMPINAS OIL & GAS Alfredo Renault Campinas, 11 de novembro de 2015 SUMÁRIO I. PETROBRAS PLANO DE NEGÓCIOS II. PRÉ-SAL III. PRIORIDADES E DESINVESTIMENTOS

Leia mais

Modelo Aluno Empresa de Qualificação Profissional 20 de julho de 2012

Modelo Aluno Empresa de Qualificação Profissional 20 de julho de 2012 Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo & Gás Natural - PROMINP Modelo Aluno Empresa de Qualificação Profissional 20 de julho de 2012 Temas 1. Introdução Prominp e o Modelo Aluno Empresa

Leia mais

Apresentação. Ipatinga 10/08/2010

Apresentação. Ipatinga 10/08/2010 Apresentação pública Ipatinga 10/08/2010 Roteiro 1. Contextualização 2. Catálogo Navipeças 3. Funcionalidades 4. Comitê Gestor 5. Vantagens 6. Próximos passos 1 Contextualização 1. Contextualização Crescimento

Leia mais

Fórum Regional Rio Grande do Norte Grandes Resultados 07 de Abril de 2006

Fórum Regional Rio Grande do Norte Grandes Resultados 07 de Abril de 2006 Fórum Regional Rio Gran do Norte Grans Resultados 07 Abril 2006 Fórum Regional do Rio Gran do Norte Estruturação - 1 o Fórum regional Fornecimento Bens e Serviços Composição do Comitê Regional Regionais

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica www.abinee.org.br Associação de Classe de âmbito nacional Entidade sem fins lucrativos Fundada em setembro de 1963 Cerca de 600 associadas (em 1.500

Leia mais

NOVA MODELAGEM DO BANCO DE DADOS DO GIS-SUB (SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DE ENGENHARIA SUBMARINA)

NOVA MODELAGEM DO BANCO DE DADOS DO GIS-SUB (SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DE ENGENHARIA SUBMARINA) NOVA MODELAGEM DO BANCO DE DADOS DO GIS-SUB (SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS DE ENGENHARIA SUBMARINA) Marcos Ferreira dos Santos Alessandro da Silva André Luís Neves de Souza Carlos Henrique Soares

Leia mais

Questões Internas à Indústria. Luís Cláudio (joca) Sousa Costa Gerente de Relacionamento com a Comunidade de C&T Centro de Pesquisas da Petrobras

Questões Internas à Indústria. Luís Cláudio (joca) Sousa Costa Gerente de Relacionamento com a Comunidade de C&T Centro de Pesquisas da Petrobras Questões Internas à Indústria Luís Cláudio (joca) Sousa Costa Gerente de Relacionamento com a Comunidade de C&T Centro de Pesquisas da Petrobras Objetivo do Painel Promover uma ampla discussão sobre temas

Leia mais

8 Encontro Nacional do Prominp. Empregabilidade. São Luís, 25nov11

8 Encontro Nacional do Prominp. Empregabilidade. São Luís, 25nov11 8 Encontro Nacional do Prominp Painel 4 Qualificação Profissional e Empregabilidade São Luís, 25nov11 Parecer: CNE / CES 279/2008 Portaria MEC: 154/2009 Cursos IBP HISTÓRICO Histórico 45 anos de experiência

Leia mais

Objetivo do programa. Desenvolvimento competitivo e sustentável. Promoção de parcerias estratégicas. Produtividade. Valor agregado. Ganho de qualidade

Objetivo do programa. Desenvolvimento competitivo e sustentável. Promoção de parcerias estratégicas. Produtividade. Valor agregado. Ganho de qualidade Objetivo do programa Desenvolvimento competitivo e sustentável Produtividade Promoção de parcerias estratégicas Valor agregado Ganho de qualidade Contextualização Os 3 Pilares para o desenvolvimento da

Leia mais

Carlos Filipe Rizzo Assessor da Presidência do Grupo FELS Setal S.A. Oportunidades na Indústria Naval - P-52

Carlos Filipe Rizzo Assessor da Presidência do Grupo FELS Setal S.A. Oportunidades na Indústria Naval - P-52 Carlos Filipe Rizzo Assessor da Presidência do Grupo FELS Setal S.A. Oportunidades na Indústria Naval P-51 - P-52 P-52 - FPU Campo Roncador Estrutura Contratual P-52 - FPU Campo Roncador PETROBRAS P.N.B.V.

Leia mais

EMPRESAS IMPEDIDAS DE CONTRATAR

EMPRESAS IMPEDIDAS DE CONTRATAR DATAVIX INFORMÁTICA 00.271.751* SUSPENSÃO 25/jun/2013 SERVIÇOS DE GESTÃO DOCUMENTAL FEMADE TECNOLOGIA 31.135.346* SUSPENSÃO 01/jul/2013 SERVIÇOS DE GESTÃO DOCUMENTAL LM COMÉRCIO E MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior A Política Industrial Brasileira A Política industrial brasileira tem claro foco em inovação e adensamento produtivo

Leia mais

OFERTA DE SERVIÇOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

OFERTA DE SERVIÇOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL Lançamento do PROMINP na Bahia Auditório FIEB OFERTA DE SERVIÇOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL SENAI - IEL OFERTA DE SERVIÇOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A CADEIA

Leia mais

Evolução recente da indústria e importância do varejo de materiais de construção

Evolução recente da indústria e importância do varejo de materiais de construção Evolução recente da indústria e importância do varejo de materiais de construção Walter Cover (Presidente Executivo - ABRAMAT) Evento Fórum Momentos e Tendências do Varejo Brasileiro Para Materiais de

Leia mais

Os Novos Desafios do Pré-Sal Estadão São Paulo 16 de agosto de Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral da ONIP

Os Novos Desafios do Pré-Sal Estadão São Paulo 16 de agosto de Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral da ONIP Oportunidades e Desafios da Agenda de Competitividade para Construção de uma Politica Industrial na Área de Petróleo: Propostas para um Novo Ciclo de Desenvolvimento Industrial Eloi Fernández y Fernández

Leia mais

A Empresa. Soluções Integradas. Qualidade de Gestão

A Empresa. Soluções Integradas. Qualidade de Gestão A Empresa A ES Engenharia, empresa dedicada à engenharia de equipamentos surgiu, em 2009, da união de engenheiros e técnicos qualificados e experientes, oriundos de indústrias químicas e petroquímicas.

Leia mais

Demandas Tecnológicas das Unidades Operacionais da Petrobras em Sergipe. Eng. Aladio Antonio de Sousa Consultor da Petrobras

Demandas Tecnológicas das Unidades Operacionais da Petrobras em Sergipe. Eng. Aladio Antonio de Sousa Consultor da Petrobras Demandas Tecnológicas das Unidades Operacionais da Petrobras em Sergipe Mar Hotel Recife PE 20/07/2012 Eng. Aladio Antonio de Sousa Consultor da Petrobras Índice PARTE 1: Macroprocesso do Convênio Petrobras-Sebrae

Leia mais

PROMEF Oportunidades em Navipeças Rio de Janeiro - RJ

PROMEF Oportunidades em Navipeças Rio de Janeiro - RJ PROMEF Oportunidades em Navipeças Rio de Janeiro - RJ Sergio Machado Presidente da Transpetro 11 de Fevereiro de 2009 TRANSPETRO EMPRESA DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA DA PETROBRAS 11 MIL COLABORADORES 46 TERMINAIS

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. POLÍTICA INDUSTRIAL SETORIAL demanda induzida do setor offshore desoneração na compra de insumos/partes/ peças financiamento com

Leia mais

EMPRESAS IMPEDIDAS DE CONTRATAR

EMPRESAS IMPEDIDAS DE CONTRATAR DATAVIX INFORMÁTICA 00.271.751* SUSPENSÃO 25/jun/2013 SERVIÇOS DE GESTÃO DOCUMENTAL FEMADE TECNOLOGIA 31.135.346* SUSPENSÃO 01/jul/2013 SERVIÇOS DE GESTÃO DOCUMENTAL LM COMÉRCIO E MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

Leia mais

Apoio do BNDES para o Setor de P&G

Apoio do BNDES para o Setor de P&G Apoio do BNDES para o Setor de P&G Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Setembro / 2013 MERCADO de P&G BRASILEIRO É importante ter a dimensão desse desafio Pré-sal: um

Leia mais

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades Workshop sobre o Marco Regulatório do Pré-Sal CNI 01.10.2009 Mensagem Inicial Pré-sal: Grande oportunidade para o Brasil Investimentos pré-sal:

Leia mais

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES REVISÃO 01 SETEMBRO/2011 INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES - TNC Informações operacionais do Terminal Aquaviário Norte Capixaba - Espírito Santo ELABORADO PELA Gerência de Comercialização de Serviços de Terminais

Leia mais

CURSO DE ENCANADORES INDUSTRIAIS. Carlos Maurício Lima de Paula Barros

CURSO DE ENCANADORES INDUSTRIAIS. Carlos Maurício Lima de Paula Barros CURSO DE ENCANADORES INDUSTRIAIS Carlos Maurício Lima de Paula Barros PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS A B E M I / PROMINP OBJETIVO IMPLEMENTAR PROGRAMAS DE QUALIFICAÇÃO E/OU CERTIFICAÇÃO

Leia mais

ANP - Seminários Jurídico-Fiscal e Técnico Sétima Rodada de Licitações 16/05/2005. Conteúdo Local. Vitor Lisboa

ANP - Seminários Jurídico-Fiscal e Técnico Sétima Rodada de Licitações 16/05/2005. Conteúdo Local. Vitor Lisboa ANP - Seminários Jurídico-Fiscal e Técnico Sétima Rodada de Licitações 16/05/2005 Conteúdo Local Vitor Lisboa Objetivo do PROMINP Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases

Leia mais

Seminário O Papel do Congresso Nacional na inovação tecnológica. Painel III O setor produtivo e a inovação tecnológica

Seminário O Papel do Congresso Nacional na inovação tecnológica. Painel III O setor produtivo e a inovação tecnológica Seminário O Papel do Congresso Nacional na inovação tecnológica Painel III O setor produtivo e a inovação tecnológica Roberto Murilo Carvalho de Souza Gerente de Estratégia Tecnológica CENPES PETROBRAS

Leia mais

As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Campinas 26/11/2013

As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Campinas 26/11/2013 As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado Eng. Virgilio Calças Filho Campinas 26/11/2013 Em geologia, camada pré-salrefere-se a um tipo de rochas sob a crosta terrestre

Leia mais

Ilton José Rossetto Filho

Ilton José Rossetto Filho Dados Pessoais Ilton José Rossetto Filho NOME COMPLETO: Ilton Jose Rossetto Filho ESTADO CIVIL: Casado NACIONALIDADE: Brasileiro DATA DE NASCIMENTO: 15.10.1964 NATURALIDADE: Salvador IDADE: 50 NOME DO

Leia mais

Resultados Comitê Setorial de ABAST. 24 de Novembro de 2006

Resultados Comitê Setorial de ABAST. 24 de Novembro de 2006 Resultados Comitê Setorial de ABAST 24 de Novembro de 2006 Agenda Propostas encaminhadas Grupos de Trabalho Programa de Capacitação Profissional Participantes do Grupo de Trabalho Entidade Alziro da Cunha

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papel do BNDES no desenvolvimento brasileiro nos próximos anos ANEFAC São Paulo, 30 de julho de 2012 Luciano Coutinho Presidente Papel dos Bancos de Desenvolvimento no mundo Apoiar e financiar o desenvolvimento

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA PLANO DE TRABALHO Bacabeira-MA 2015 1. INTRODUÇÃO O presente Plano de Trabalho refere-se ao contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Bacabeira e a empresa de consultoria especializada de razão

Leia mais

Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis

Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Perspectivas para os Setores Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Marco Antônio Martins Almeida Secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis spg@mme.gov.br Rio de Janeiro, 21

Leia mais

PONTOS CRÍTICOS DE SUCESSO E FRACASSO DOS PROJETOS PREVISTOS NO PLANO DECENAL DE EXPANSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

PONTOS CRÍTICOS DE SUCESSO E FRACASSO DOS PROJETOS PREVISTOS NO PLANO DECENAL DE EXPANSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PONTOS CRÍTICOS DE SUCESSO E FRACASSO DOS PROJETOS PREVISTOS NO PLANO DECENAL DE EXPANSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Diretor Técnico da Eletronuclear TÓPICOS Projeções da Indústria Nuclear Estruturação do Projeto

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO N º COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO PROJETO:

IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO N º COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO PROJETO: ABAST-10 COMITÊ SETORIAL: IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO N º COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO PROJETO: ABASTECIMENTO 1 de 17 ALAN KARDEC JOSÉ EDUARDO GORINI LOBATO DE CAMPOS ENTIDADE: ENTIDADE:

Leia mais

PROJETO START EXPORT/PAIIPME. Florianópolis, 28/11/2008

PROJETO START EXPORT/PAIIPME. Florianópolis, 28/11/2008 PROJETO START EXPORT/PAIIPME Florianópolis, 28/11/2008 Estrutura da Apresentação ü Histórico ü Fundamentos ü Público-alvo ü Descrição do produto ü Etapas de desenvolvimento na empresa ü Principais benefícios

Leia mais

RELATÓRIO DE MENSAL SIMPLIFICADO RMS RMS N. 14

RELATÓRIO DE MENSAL SIMPLIFICADO RMS RMS N. 14 RELATÓRIO DE MENSAL SIMPLIFICADO RMS RMS N. 14 PERÍODO: 01 de fevereiro de 2016 a 29 de fevereiro de 2016 DATA: 01/03/2016 INTRODUÇÃO Este relatório tem como objetivo atender as demandas estabelecidas

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Montagem Industrial e Tubulação Mecânica APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Segurança Qualidade Pontualidade SOBRE A ECOTEC Fundada em Setembro de 2008 a ECOTEC vem crescendo a cada dia e é uma empresa solida

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

Fórum Regional 01/07/2004 da Bacia de Campos 07 de abril de 2006

Fórum Regional 01/07/2004 da Bacia de Campos 07 de abril de 2006 Apresentação Acompanhamento ao Comitê dos projetos de Negócios do Fórum Regional 01/07/2004 da Bacia de Campos 07 de abril de 2006 Fórum Regional da Bacia de Campos Composição do Comitê Entidade PETROBRAS

Leia mais

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional,

Leia mais

Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas

Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas Setembro 2014 07/10/2014 1 A Dinamus Somos uma empresa de consultoria e inteligência de mercado especializada no desenvolvimento de negócios

Leia mais

CAIXA. Segmento Petróleo e Gás. Reunião da Diretoria do SINAVAL. Antonio Gil Silveira Gerente Regional

CAIXA. Segmento Petróleo e Gás. Reunião da Diretoria do SINAVAL. Antonio Gil Silveira Gerente Regional CAIXA Segmento Petróleo e Gás Reunião da Diretoria do SINAVAL Antonio Gil Silveira Gerente Regional Rio de Janeiro, 15 de Fevereiro de 2012 AGENDA CAIXA Resultados 2011 Experiência CAIXA Estratégia CAIXA

Leia mais

VAGAS EDITAL 6 o CICLO - POR ESTADO, CIDADE, NÍVEL E CATEGORIA PROFISSIONAL

VAGAS EDITAL 6 o CICLO - POR ESTADO, CIDADE, NÍVEL E CATEGORIA PROFISSIONAL VAGAS EDITAL 6 o CICLO - POR ESTADO, CIDADE, NÍVEL E CATEGORIA PROFISSIONAL ESTADO LOCALIDADE DOS CURSOS NÍVEL CATEGORIAS Total AM MANAUS BÁSICO CM - CALDEIREIRO 96 CM - ENCANADOR INDUSTRIAL 48 CM - LIXADOR

Leia mais

Financiamento de Projetos de Infra-estrutura da Indústria de Petróleo e Gás no Brasil

Financiamento de Projetos de Infra-estrutura da Indústria de Petróleo e Gás no Brasil Financiamento de Projetos de Infra-estrutura da Indústria de Petróleo e Gás no Brasil João Carlos Cavalcanti Superintendente da Área de Infra-Estrutura Salvador, 16 de novembro de 2005 www.bndes.gov.br

Leia mais

SECRETARIA DE ENERGIA Subsecretaria de Petróleo e Gás. Série Informações Energéticas, 004. Resumo Executivo. Petróleo e Gás

SECRETARIA DE ENERGIA Subsecretaria de Petróleo e Gás. Série Informações Energéticas, 004. Resumo Executivo. Petróleo e Gás 2º trimestre/2013 R SECRETARIA DE ENERGIA Subsecretaria de Petróleo e Gás Série Informações Energéticas, 004 Resumo Executivo Petróleo e Gás Resumo Executivo São Paulo V.02 02/2013 agosto / 2013 Resumo

Leia mais

O caminho da Inovação Tecnológica em Petróleo e Gás no Espírito Santo ESPECIAL PARA A AMEAR 23/09/2015

O caminho da Inovação Tecnológica em Petróleo e Gás no Espírito Santo ESPECIAL PARA A AMEAR 23/09/2015 O caminho da Inovação Tecnológica em Petróleo e Gás no Espírito Santo ESPECIAL PARA A AMEAR 23/09/2015 Gestor: Ricardo Coelho dos Santos Versão: 15/09/2015 A necessidade de se criar um mercado fornecedor

Leia mais

POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA

POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS A CONSOLIDAÇÃO DE UMA INFRAESTRUTURA PRODUTIVA Solange Guedes Diretora do E&P PRÉ-SAL: confirma sua posição de província petrolífera de classe mundial... Grandes reservatórios

Leia mais

Estratégia Tecnológica da Petrobras

Estratégia Tecnológica da Petrobras Câmara Britânica de Comércio e Indústria no Brasil Rio de Janeiro, 1º de setembro de 2011 Estratégia Tecnológica da Petrobras Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do CENPES Petrobras no mundo

Leia mais

Novas Formas de Relacionamento Comercial

Novas Formas de Relacionamento Comercial Oportunidades de Negócios no Setor de Petróleo e Gás Novas Formas de Relacionamento Comercial Geraldo L. A. Pinto Gerente Setorial de Orientação de Suprimento MATERIAIS gap@petrobras.com.br 0xx21 25341751

Leia mais

Apresentação. 12 e 13 de Novembro Centro Empresarial Rio

Apresentação. 12 e 13 de Novembro Centro Empresarial Rio 12 e 13 de Novembro Centro Empresarial Rio Apresentação As dificuldades enfrentadas pelas empresas de montagem industrial e soldagem para cumprir determinadas exigências e normas, principalmente de corporações

Leia mais

Complexo Industrial em Cubatão: fábrica de blocos navais

Complexo Industrial em Cubatão: fábrica de blocos navais Complexo Industrial em Cubatão: fábrica de blocos navais Osmar Martins Luz Superintendente de Planejamento Estratégico 09/08/10 Sobre a Usiminas Mecânica 2 Estrutura Organizacional ORGANOGRAMA Diretor

Leia mais

SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS. Proposta Técnica. Norma de Desempenho Adequação de Processos. Construção Civil ATENDIMENTO EM REDE SENAI DR-PR

SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS. Proposta Técnica. Norma de Desempenho Adequação de Processos. Construção Civil ATENDIMENTO EM REDE SENAI DR-PR SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS Proposta Técnica Norma de Desempenho Adequação de Processos ATENDIMENTO EM REDE SENAI DR-PR Construção Civil 1 OBJETIVO Este documento tem por finalidade apresentar os

Leia mais

Painel I: Os investimentos necessários para seguirmos crescendo

Painel I: Os investimentos necessários para seguirmos crescendo Painel I: Os investimentos necessários para seguirmos crescendo José Sergio Gabrielli de Azevedo Presidente da Petrobras São Paulo, 24 de novembro de 2010 1 Plano de Negócios 2010-2014 Grandes Oportunidades

Leia mais

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional São Paulo, 15 de Março de 2015 Agenda

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO N º RF-E&P07-CI COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL:

IDENTIFICAÇÃO DO DOCUMENTO N º RF-E&P07-CI COMITÊ SETORIAL: COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL: E&P-7 COMITÊ SETORIAL: E&P 1 de 26 COORDENADOR DO COMITÊ SETORIAL: ENTIDADE: JOSÉ ANTONIO DE FIGUEIREDO PETROBRAS COORDENADOR DO PROJETO: ENTIDADE: CORRADO VALLO ABIMAQ RELATÓRIO FINAL NOME DO PROJETO:

Leia mais

Comunicação & Relações Governamentais

Comunicação & Relações Governamentais Plano de Ação Comunicação & Relações Governamentais Data: 06.dezembro.2013 Eng. Antonio E. F. Müller Presidente História Associação Brasileira de Engenharia Industrial Entidade civil sem fins lucrativos

Leia mais

MILTON LUIZ DE MELO SANTOS Diretor Presidente

MILTON LUIZ DE MELO SANTOS Diretor Presidente MILTON LUIZ DE MELO SANTOS Diretor Presidente Instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente e de longo

Leia mais

CONTEÚDO LOCAL DESAFIOS E OPORTUNIDADES

CONTEÚDO LOCAL DESAFIOS E OPORTUNIDADES CONTEÚDO LOCAL DESAFIOS E OPORTUNIDADES CADFOR São Paulo Organização Nacional da Indústria do Petróleo - ONIP CONTEÚDO LOCAL SIGNIFICA O VALOR AGREGADO NO PAÍS PARA A PRODUÇÃO DE UM BEM, SISTEMA OU SERVIÇO

Leia mais

FÓRUM REGIONAL DA BAHIA

FÓRUM REGIONAL DA BAHIA FÓRUM REGIONAL DA BAHIA Desenvolvimento da Indústria Naval na Bahia Federação das Indústrias do Estado da Bahia - FIEB 12 de julho de 2004 Evolução e Perspectivas da Produção de Óleo Mil bpd 2.500 2.000

Leia mais

REDE PETRO BC UM CASO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL - EMPRESARIAL

REDE PETRO BC UM CASO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL - EMPRESARIAL REDE PETRO BC UM CASO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL - EMPRESARIAL José Francisco de Oliveira Neto PETROBRAS Unidade de Negócio de Exploração e Produção Bacia de Campos Macaé (RJ), 10.11.2004 Fundamento

Leia mais

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho São Paulo, 23/04/2014

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho São Paulo, 23/04/2014 NAGI PG NÚCLEO DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO NA CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado Eng. Virgilio Calças Filho São Paulo, 23/04/2014

Leia mais

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO PMI 3101 - Introdução à Engenharia para a Indústria Mineral Prof. Eduardo

Leia mais

INSTITUTO SENAI DE TECNOLOGIA EM MEIO AMBIENTE E QUIMICA ELABORAÇÃO DO PLANO DE LOGISTICA REVERSA VESTUÁRIO E TÊXTIL

INSTITUTO SENAI DE TECNOLOGIA EM MEIO AMBIENTE E QUIMICA ELABORAÇÃO DO PLANO DE LOGISTICA REVERSA VESTUÁRIO E TÊXTIL INSTITUTO SENAI DE TECNOLOGIA EM MEIO AMBIENTE E QUIMICA ELABORAÇÃO DO PLANO DE LOGISTICA REVERSA VESTUÁRIO E TÊXTIL SINDICATOS PARTICIPANTES SINDICOURO Sindicato das Indústrias de Artefatos de Couro do

Leia mais

Destaques Operacionais do E&P

Destaques Operacionais do E&P Destaques Operacionais do E&P DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS DE 2015 Rio de Janeiro, março de 2016 DE&P Superação da meta de produção pela primeira vez nos últimos 13 anos Crescimento de 5,5 % na produção de

Leia mais

Curso Tecnólogo em Processos Químicos Apresentação Processos Industriais Inorgânicos. Prof. Fábio C. Caires Contato:

Curso Tecnólogo em Processos Químicos Apresentação Processos Industriais Inorgânicos. Prof. Fábio C. Caires Contato: Apresentação Processos Industriais Inorgânicos Prof. Fábio C. Caires Contato: fabioc@anchieta.br 5º semestre Competências Reconhecer a importância dos processos industriais inorgânicos. Conhecer procedimentos

Leia mais

PETRÓLEO & ENERGIAS RENOVÁVEIS. Programa Petróleo e Gás

PETRÓLEO & ENERGIAS RENOVÁVEIS. Programa Petróleo e Gás PETRÓLEO & ENERGIAS RENOVÁVEIS OBJETIVO DO PROGRAMA Promover a competitividade de Empresas Fornecedoras (Bens e Serviços), bem como apoiar a inserção dessas empresas na Cadeia de Suprimentos de Grandes

Leia mais

Apresentação ao Comitê Diretivo

Apresentação ao Comitê Diretivo Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo & Gás Natural - PROMINP 31 de janeiro 2013 Apresentação ao Comitê Diretivo Objetivo do PROMINP Maximizar a participação da indústria nacional de

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil CLIQUE PARA EDITAR O TÍTULO MESTRE 1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas

Leia mais

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES e o Apoio ao Setor de P&G André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Instrumento chave

Leia mais