Manual de Práticas de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente para Prestadores de Serviço

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Práticas de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente para Prestadores de Serviço"

Transcrição

1 Manual de Práticas de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente para Prestadores de Serviço O Manual de Boas Práticas possui a compilação de normas internas de segurança, saúde e meio ambiente que devem ser adotadas nas Empresas Randon pelas Empresas Prestadoras de Serviço

2 Índice: 1. Objetivos 3 2. Cadastramento da empresa prestadora de serviços 3 3. Classificação da Categoria de Risco do Trabalho 3 4. Documentação a ser apresentada pelo prestador de serviços 6 5. Forma de apresentação da documentação 8 6. Exames médicos 8 7. Requisitos de Segurança do Trabalho Treinamento no Manual Integração de Prestadores de Serviços Análise Preliminar de Riscos (APR) Permissão de Trabalho (PT) Qualificação Profissional Recomendações Gerais Uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) Calçadas, faixas de segurança e sinalização Isolamento de áreas de trabalho e sinalização de segurança Máquinas, equipamentos e ferramentas Trabalhos em altura condições gerais Trabalhos em altura utilização de plataforma de trabalho aéreo Trabalhos em altura utilização de escadas Trabalhos em altura utilização de andaimes Trabalhos em altura trabalhos sobre estruturas e telhados Trabalhos com veículos automotores Trabalhos com uso de guindastes Trabalhos com varredeiras, lavadoras industriais, rebocadores Trabalhos com empilhadeiras e tratores Empilhamento e deposição de materiais Equipamentos de guindar: uso de talhas e pontes rolantes Material inflamável, tóxico, corrosivo ou radioativo Ar comprimido, redes de gás e redes de fluídos Trabalhos com eletricidade Trabalhos com eletricidade manutenção, limpeza e reparos em máquinas, equipamentos e painéis elétricos de baixa tensão Trabalhos com eletricidade manutenção de quadros elétricos Trabalhos com corte, solda, lixamento e com chamas abertas ou que produzam fagulhas Trabalhos com solda elétrica Trabalhos com solda e corte oxi-acetilênica Trabalhos em espaço confinado Trabalhos com escavações Procedimento em situações de emergência Equipamentos de combate à incêndios e macas Descumprimento de norma de segurança Controle de treinamento realizado neste manual Declaração de atendimento ao atestado de saúde ocupacional (exigido para empresas classificadas como CATEGORIA 1) Termo de responsabilidade pelas informações do ASO (exigido para empresas classificadas como CATEGORIA 2 e 3) Termo adicional de compromisso 40 2

3 1. Objetivo O objetivo deste manual é divulgar um programa mínimo de Segurança, Saúde e Meio Ambiente, exigidos das empresas que prestam serviços às Empresas RANDON. Com a definição e divulgação destas normas, procedimentos, controles, documentações, além dos requisitos legais aplicáveis, visamos garantir a integridade física e saúde de todas as pessoas que prestam serviços para as Empresas RANDON, bem como a preservação do Meio Ambiente. Exigências relacionadas à Segurança do Trabalho, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente, se fundamentam na Portaria 3214, de 8 de julho de 1978, do Ministério do Trabalho, suas Normas Regulamentadoras, e demais requisitos legais aplicáveis. 2. Cadastramento da empresa prestadora de serviços: As empresas que forem prestar serviços às Empresas RANDON deverão realizar cadastramento prévio, conforme consta neste Manual. Será exigida documentação conforme legislação pertinente à atividade e ao local onde será prestado o serviço, bem como exigências específicas das Empresas RANDON. Para identificar a documentação necessária, para a prestação de serviços, deverá ser definida a categoria de risco das atividades a serem realizadas. 3. Classificação da Categoria de Risco do Trabalho As empresas RANDON classificam os trabalhos a serem prestados conforme categorias de risco abaixo: - Categoria 1 (relativo a baixo risco); - Categoria 2 (relativo a risco moderado); - Categoria 3 (relativo a alto risco). Para a classificação de categoria de risco do trabalho, a empresa prestadora de serviços deverá juntamente com o contratante do serviço (funcionário das empresas RANDON responsável pela contratação do serviço) responder o questionário a seguir, referente às atividades que serão realizadas. Para as atividades em que a empresa não irá executar, devese marcar a coluna Não aplicável. 3

4 Item Pergunta As atividades serão executadas em áreas administrativas (salas, escritórios, auditórios,...) sem acesso à áreas operacionais/industriais? As atividades serão executadas em áreas administrativas (salas, escritórios, auditórios,...) com acesso à áreas operacionais/industriais, porém, sem exposições permanentes a riscos/agentes agressivos (ruído, calor, etc.)? Trabalhos até 30 dias Trabalhos de 30 à 90 dias Trabalhos acima de 90 dias Haverá trabalhos com manipulação de alimentos? Haverá atividades de jardinagem, limpeza, conservação? Haverá trabalhos de obras civis ou manutenção predial de pequeno porte (pedreiro, marceneiro, carpinteiro, vidraceiro, pintor, encanador, chaveiro, ou ajudantes)? Haverá atividades com exposições a resíduos biológicos (lixo, faxinas, esgotos,...)? Haverá atividades de motorista (direção de caminhões, carros e motocicletas)? Haverá atividades de motorista para transporte de pessoas (direção de carros, ônibus, vans,...)? Haverá atividades de transporte de cargas perigosas? Haverá atividades de vigilância (segurança)? Haverá trabalhos a quente (soldador, caldeireiro)? Haverá trabalhos envolvendo produtos químicos perigosos classificados pela ONU como tóxicos, inflamáveis, corrosivos ou explosivos? Haverá trabalhos com escavações, demolições ou perfurações maiores que 1,25 metros? Haverá trabalhos com fontes de energia elétrica (maior que 110V)? Haverá trabalhos com fontes de energia mecânica, pneumática, hidráulica, etc.? Haverá trabalhos com utilização de máquinas ou equipamentos móveis de movimentação de cargas ou içamento (gruas, munks, guindastes, retroescavadeiras, motoniveladoras, empilhadeiras, plataformas móveis, tratores, etc.)? Haverá atividades com exposição ao benzeno, hidrocarbonetos aromáticos, PCB, amianto ou defensivos agrícolas? Haverá atividades com radiações ionizantes ou próximas de fontes radioativas? Haverá atividades de inspeção, montagem ou manutenção em caldeiras, vasos e tubulações sob pressão (tubulações de gases, vapor, líquidos inflamáveis, etc)? Haverá atividades de montagem / desmontagem de máquinas, equipamentos ou estruturas na área industrial? Haverá atividades de limpeza de máquinas, equipamentos ou estruturas na área industrial? Haverá trabalhos em altura igual ou superior a 2 metros? Haverá atividades em áreas sujeitas a poeiras ou exposição à temperaturas extremas? Haverá atividades em espaço confinado (entrada e saída difíceis,restritas ou insuficientes tanques, galerias, dutos, porões, subsolos, túneis, etc)? Não aplicável 4

5 Exemplo de classificação de categoria de risco do trabalho: será contratada uma empresa para transporte de cargas perigosas. Esta empresa será contratada para um período de 4 dias de operação. Item Pergunta As atividades serão executadas em áreas administrativas (salas, escritórios, auditórios,...) sem acesso à áreas operacionais/industriais? As atividades serão executadas em áreas administrativas (salas, escritórios, auditórios,...) com acesso à áreas operacionais/industriais, porém, sem exposições permanentes a riscos/agentes agressivos (ruído, calor, etc.)? Trabalhos até 30 dias Trabalhos de 30 à 90 dias Trabalhos acima de 90 dias Não aplicável X Haverá trabalhos com manipulação de alimentos? X 4. Haverá atividades de jardinagem, limpeza, conservação? X 5. Haverá trabalhos de obras civis ou manutenção predial de pequeno porte (pedreiro, marceneiro, carpinteiro, vidraceiro, pintor, encanador, chaveiro, ou ajudantes)? X 6. Haverá atividades com exposições a resíduos biológicos (lixo, faxinas, esgotos,...)? X 7. Haverá atividades de motorista (direção de caminhões, carros e motocicletas)? Haverá atividades de motorista para transporte de 2 pessoas (direção de carros, ônibus, vans,...)? 2 3 X 9. Haverá atividades de transporte de cargas perigosas? Haverá atividades de vigilância (segurança)? X 11. Haverá trabalhos a quente (soldador, caldeireiro)? X Haverá trabalhos envolvendo produtos químicos perigosos classificados pela ONU como tóxicos, 3 3 inflamáveis, corrosivos ou explosivos? Haverá trabalhos com escavações, demolições ou perfurações maiores que 1,25 metros? Haverá trabalhos com fontes de energia elétrica (maior que 110V)? Haverá trabalhos com fontes de energia mecânica, pneumática, hidráulica, etc.? Haverá trabalhos com utilização de máquinas ou equipamentos móveis de movimentação de cargas ou içamento (gruas, munks, guindastes, retroescavadeiras, motoniveladoras, empilhadeiras, plataformas móveis, tratores, etc.)? Haverá atividades com exposição ao benzeno, hidrocarbonetos aromáticos, PCB, amianto ou defensivos agrícolas? Haverá atividades com radiações ionizantes ou próximas de fontes radioativas? Haverá atividades de inspeção, montagem ou manutenção em caldeiras, vasos e tubulações sob pressão (tubulações de gases, vapor, líquidos inflamáveis, etc)? Haverá atividades de montagem / desmontagem de máquinas, equipamentos ou estruturas na área industrial? Haverá atividades de limpeza de máquinas, equipamentos ou estruturas na área industrial? Haverá trabalhos em altura igual ou superior a 2 metros? Haverá atividades em áreas sujeitas a poeiras ou exposição à temperaturas extremas? Haverá atividades em espaço confinado (entrada e saída difíceis,restritas ou insuficientes tanques, galerias, dutos, porões, subsolos, túneis, etc)? X X X X X X X X X X X X 5

6 Categoria de risco definida para o exemplo acima: será classificada como CATEGORIA 3, pois entre todas as perguntas aplicáveis as atividades que a empresa contratada irá realizar, a de maior pontuação é Documentação a ser apresentada pela empresa prestadora de serviços CATEGORIA 1 Empresa prestadora de serviços Documentos Certidão negativa INSS Receita Federal, contribuições previdenciárias Certidão negativa ISS Receita Municipal Certidão negativa FGTS CRF Certidão negativa Receita Federal Tributos federais GPS Guia Previdência Social INSS Recolhimento mensal GFIP Guia recolhimento FGTS GFIP relação de trabalhadores Contrato social Cartão CNPJ Termo adicional de compromisso (item 13) Apólice de seguro LO Licença de Operação junto ao órgão ambiental. OBS.: caso a atividade não necessite de licença de operação ambiental, enviar a declaração de isenção. Declaração pessoal dos representantes legais da empresa contratada de que todos os funcionários possuem ASO Atestado de saúde ocupacional e os autorizam a exercer as atividades contratadas, responsabilizando-se civil e criminalmente pelas informações prestadas (item 11) Empregado Documentos Ficha de registro do empregado ou livro de registro (ou contrato entre empresa contratada e o subcontratado) Participação no treinamento de Integração de Prestadores de Serviços das empresas RANDON Ficha de EPI Ficha registro dos funcionários CATEGORIA 2 Empresa prestadora de serviços Documentos Certidão negativa INSS Receita Federal, contribuições previdenciárias Certidão negativa ISS Receita Municipal Certidão negativa FGTS CRF Certidão negativa Receita Federal Tributos federais GPS Guia Previdência Social INSS Recolhimento mensal GFIP Guia recolhimento FGTS GFIP relação de trabalhadores Contrato social Cartão CNPJ Termo adicional de compromisso (item 13) Apólice de seguro LO Licença de Operação junto ao órgão ambiental. OBS.: caso a atividade não necessite de licença de operação ambiental, enviar a declaração de isenção. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) específico dos serviços a serem prestados nas empresas RANDON. Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) específico dos serviços a serem prestados nas empresas RANDON. Programa de Condições e Meio Ambiente do Trabalho (PCMAT), somente para Validade semestral semestral mensal semestral mensal mensal Mensal Único Único Único Mensal Anual Anual Validade Anual Anual A disposição para auditoria das empresas RANDON Único Validade Semestral Semestral Mensal Semestral Mensal Mensal Mensal Único Único Único Mensal Anual anual anual anual 6

7 empresa construção civil. Empregado Documentos Ficha de registro do empregado ou livro de registro (ou contrato entre empresa contratada e o subcontratado) Atestado de saúde ocupacional (ASO), descrevendo os exames realizados (ver item 6 - Exames médicos), suas validades e parecer final do médico quanto a estar apto ou não para a atividade a ser desempenhada. Participação no treinamento de Integração de Prestadores de Serviços das empresas RANDON Ficha de EPI Carta assinada pelo representante legal da empresa contratada, se responsabilizando civil e juridicamente pela veracidade das informações nos ASOs de cada funcionário (item 12). Ficha registro dos funcionários CATEGORIA 3 Empresa prestadora de serviços Documentos Certidão negativa INSS Receita Federal, contribuições previdenciárias Certidão negativa ISS Receita Municipal Certidão negativa FGTS CRF Certidão negativa Receita Federal Tributos federais GPS Guia Previdência Social INSS Recolhimento mensal GFIP Guia recolhimento FGTS GFIP relação de trabalhadores Contrato social Cartão CNPJ Termo adicional de compromisso (item 13) Apólice de seguro LO Licença de Operação junto ao órgão ambiental. OBS.: caso a atividade não necessite de licença de operação ambiental, enviar a declaração de isenção. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) específico dos serviços a serem prestados nas empresas RANDON. Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) específico dos serviços a serem prestados nas empresas RANDON. Programa de Condições e Meio Ambiente do Trabalho (PCMAT) Empregado Documentos Ficha de registro do empregado ou livro de registro (ou contrato entre empresa contratada e o subcontratado) Atestado de saúde ocupacional (ASO), descrevendo os exames realizados (ver item 6 - Exames médicos), suas validades e parecer final do médico quanto a estar apto ou não para a atividade a ser desempenhada. OBS.: para trabalhos em altura deve constar: apto para trabalho em altura, conforme definido em legislação. Participação no treinamento de Integração de Prestadores de Serviços das empresas RANDON. Ficha de EPI Carta assinada pelo representante legal da empresa contratada, se responsabilizando civil e juridicamente pela veracidade das informações nos ASOs de cada funcionário (item 12). Comprovação da habilitação e qualificação profissional dos empregados. Certificados de treinamentos de acordo com os cargos da empresa contratada e o serviço a ser executado (trabalho em altura, instalações e serviços em eletricidade, operação de máquinas e equipamentos, etc.) (item 7.5 qualificação profissional). Ficha registro dos funcionários Validade Anual anual ou conforme validade específica anual A disposição para auditoria das empresas RANDON anual Único Validade Semestral semestral mensal semestral mensal mensal mensal único único único mensal anual anual anual anual Validade anual anual ou conforme validade específica anual A disposição para auditoria das empresas RANDON anual anual ou conforme validade específica único 7

8 5. Forma de apresentação da documentação A documentação deve ser apresentada, com 48 horas de antecedência ou mediante negociação prévia com o setor responsável por cada empresa, e a integração deverá ser agendada após a validação da documentação no sistema. Importante: somente poderão participar da integração, os funcionários da empresa prestadora de serviços que estiverem na lista de agendamento. 6. Exames médicos A seguir segue relação de exames médicos (mínimos) necessários de acordo com as atividades específicas a serem desenvolvidas nas empresas RANDON. 8

9 9

10 7. Requisitos de Segurança do Trabalho 7.1. Treinamento no Manual Os representantes legais da empresa contratada devem treinar todos os seus empregados neste manual, e registrar, conforme ficha específica Controle de Treinamento realizado no Manual de Práticas de Segurança, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente para Prestadores de Serviço realizado no Manual de Boas Práticas (item 10) e entregá-la junto com as demais documentações Integração de Prestadores de Serviços Todos os empregados das empresas prestadoras de serviços deverão participar da Integração de Prestadores de Serviços antes do início de suas atividades. A Integração de Prestadores de Serviços é específica para cada empresa do grupo RANDON. Ao final da integração de segurança, será aplicado um questionário ao prestador de serviços que deverá ter um aproveitamento de no mínimo 70%. Em caso de reprovação, o funcionário do prestador deverá vir na empresa e receber novo treinamento de integração e submeter-se a nova avaliação, devendo observar a mesma regra para a aprovação Análise Preliminar de Riscos (APR) Todas as atividades realizadas por empresas prestadoras de serviços necessitam previamente da elaboração de APR, que visa identificar riscos através de análise passo a passo da tarefa, determinando as ações de controle para cada risco identificado. A Análise Preliminar de Riscos (APR) deve ser preenchida, antes do início dos trabalhos, pelo responsável pela contratação do prestador de serviços (funcionário RANDON capacitado pelo SESMT), ou pelo SESMT da contratada (quando houver), identificando os perigos, avaliando os riscos e estabelecendo controles, inclusive a necessidade de emissão de PT. 10

11 7.4. Permissão de Trabalho (PT) Para todas as atividades especiais (listadas abaixo) realizadas por empresas prestadoras de serviços, além da elaboração das respectivas APRs, deverão ser elaboradas Permissões de Trabalho (PT). A PT é uma autorização escrita em formulário padrão, emitida e liberada por pessoal capacitado e autorizado, definindo condições e métodos seguros para a realização de um determinado trabalho, devendo este documento ser de conhecimento de todos os envolvidos na atividade. OBS.: a PT só pode ser liberada por funcionário RANDON. Atividades que necessitam Permissão de Trabalho (PT): Movimentação de máquinas e equipamentos e uso de guindastes. Todas as manutenções de máquinas, equipamentos e edificação. Trabalhos com Inflamáveis: Uso, armazenamento, manuseio e transporte de líquidos inflamáveis. Uso, armazenamento e/ou manipulação de produtos tóxicos, corrosivos, ou radioativos. Acesso a áreas restritas, como central de tintas, central de gás, cabine de pintura, etc. Todos os trabalhos realizados em altura, sobre ou sob telhados, independente da natureza do mesmo. Trabalhos de construção civil, independente da natureza do mesmo, incluindo escavações, levantamento de alvenaria, detonações. Serviços em instalações elétricas ou com possibilidade de energização. Trabalhos próximos às redes vivas ou de alta tensão. Conforme APRs e PTs específicas. Quaisquer trabalhos a quente tais como solda, aquecimento, esmerilhamento, corte, fusão e vazamento e outros que liberam chama aberta, faísca ou calor em locais com risco de incêndio ou explosão. Qualquer trabalho a frio, que conforme avaliação feita no planejamento via APR seja julgado como risco grave e iminente. Qualquer trabalho envolvendo a entrada em espaços confinados (este liberado através da Permissão para Entrada e Trabalho - PET). IMPORTANTE: Poderá haver uma única APR para um conjunto de atividades, entretanto as PTs serão feitas com prazo determinado. 11

12 7.5. Qualificação profissional Abaixo qualificação profissional exigida pelas Empresas RANDON: Perguntas (item 3 - Classificação da Categoria de Risco do Trabalho) 7.Haverá atividades de motorista (direção de caminhões, carros e motocicletas)? 8.Haverá atividades de motorista para transporte de pessoas (direção de carros, ônibus, vans,...)? 9. Haverá atividades de transporte de cargas perigosas? 10. Haverá atividades de vigilância (segurança)? 11. Haverá trabalhos a quente (soldador, caldeireiro)? 12. Haverá trabalhos envolvendo produtos químicos perigosos classificados pela ONU como tóxicos, inflamáveis, corrosivos ou explosivos? 13. Haverá trabalhos com escavações, demolições ou perfurações maiores que 1,25 metros? 14. Haverá trabalhos com fontes de energia elétrica (maior que 110V)? 15. Haverá trabalhos com fontes de energia mecânica, pneumática, hidráulica, etc.? 16. Haverá trabalhos com utilização de máquinas ou equipamentos móveis de movimentação de cargas ou içamento (gruas, munks, guindastes, retro-escavadeiras, motoniveladoras, empilhadeiras, plataformas móveis, tratores, etc.)? 18. Haverá atividades com radiações ionizantes ou próximas de fontes radioativas? 19. Haverá atividades de inspeção, montagem ou manutenção em caldeiras, vasos e tubulações sob pressão (tubulações de gases, vapor, líquidos inflamáveis, etc)? 22. Haverá trabalhos em altura igual ou superior a 2 metros? 24. Haverá atividades em espaço confinado (entrada e saída difíceis, restritas ou insuficientes tanques, galerias, dutos, porões, subsolos, túneis, etc)? Documento exigido Carteira de habilitação com categoria conforme o veículo Carteira de habilitação com categoria conforme o veículo Curso MOPP Movimentação Operacional de Produtos Perigosos Carteira de habilitação com categoria conforme o veículo, e com a descrição de permissão/habilitação para transporte de cargas perigosas, em campo específico da CNH. Certificado de capacitação em vigilância (quando armada) Certificado (soldador, caldeireiro) Certificado NR-22 manuseio, transporte Explosivos Carteira de habilitação (quando utilizadas máquinas e equipamentos móveis) Certificado de operador de equipamentos móveis (quando aplicável) Certificado eletricidade Certificado NR-10 (40h) Certificado de mecânica Carteira de habilitação Certificado de operador (conforme equipamento específico) Certificado treinamento de radiações ionizantes Certificado NR-13: caldeiras Certificado NR-13: vaso sob pressão Certificado treinamento em altura (conforme NR-35) (8h) Certificado NR-33 (16h acesso) Certificado NR-33 (40h supervisor) Validade Conforme CNH Conforme CNH Conforme CNH Conforme CNH 24 meses Indeterminado Indeterminado Conforme CNH Indeterminado Indeterminado 24 meses Indeterminado Conforme CNH Indeterminado Indeterminado Indeterminado Indeterminado 24 meses 12 meses 12 meses 12

13 8. Recomendações gerais 8.1. Uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI) Os equipamentos de Proteção Individual devem ser fornecidos gratuitamente pelas empresas contratadas aos seus funcionários, bem como o treinamento necessário no formato definido na legislação. Independente da área de atuação, havendo necessidade de entrada na área fabril é obrigatório: EPI FINALIDADE UTILIZAÇÃO Proteção auditiva Uso de protetores auditivos, conforme definido no PPRA da Empresa. Proteção para os pés Proteção para os olhos Sapatos ou botas de couro com biqueira de aço ou sem biqueira (de acordo com os riscos da atividade), bem como solado antiderrapante. Botas de borracha ou P.V.C. para trabalhos em locais úmidos. Sapatos ou botas para trabalhos em eletricidade. Uso de óculos de segurança com lentes de vidro oftálmico temperado e ou óculos de segurança com proteção lateral, resistentes a impacto. Óculos para proteção dos olhos para trabalhos em eletricidade. 13

14 Para outros trabalhos serão exigidos EPIs especiais, seguem alguns exemplos abaixo: EPI FINALIDADE UTILIZAÇÃO Proteção para a cabeça Uso de capacete de segurança contra impactos e partículas projetadas. Para trabalhos em altura é necessário o uso de jugular. Capacetes Classe B, para trabalhos em eletricidade. Proteção para o rosto Proteção para o rosto Máscara de solda para proteção dos olhos e do rosto contra radiação ultravioleta com a tonalidade do vidro adequada a amperagem do equipamento. Uso de protetores faciais, envolvendo todo o rosto, podendo ser construídos em acrílico ou tela, dependendo do tipo de atividade. Protetores faciais para trabalhos em eletricidade acoplados aos capacetes. Proteção para os braços Uso de mangas podendo ser de lona, raspa ou plástico, dependendo da atividade desenvolvida. De couro: resistente a calor moderado, aparas e objetos ásperos. Proteção para as mãos De algodão-resistente a abrasão, estilhaços e serviços gerais De PVC- resistentes a produtos químicos. De borracha e sobrepor: adequadas as condições de isolamento elétrico necessárias a cada uma das atividades. Uso de aventais e vestimentas especiais, tais como: De raspa- para serviços de solda. Proteção para o tronco De plástico- para manuseio de ácidos ou produtos químicos e trabalhos com umidade. Proteção Respiratória Trabalho em Altura Vestimenta condutiva para todo o corpo contra choque elétrico. Uso de máscaras semi-faciais que cobrem parcialmente o rosto (face e nariz), e as faciais que cobrem todo o rosto, havendo neste caso um visor panorâmico. Para ambos os modelos existem vários tipos de filtros, que acoplados as máscaras irão proporcionar a proteção adequada contra substâncias nocivas.conforme o respirador definido no PPRA da empresa. Cinto de segurança tipo pára-quedista com dispositivo trava queda e/ou talabarte duplo Importante: EPI s específicos devem seguir orientações contidas na APR e ou PT. 14

15 8.2. Calçadas, faixas de segurança e sinalização - Os deslocamentos de pessoas devem ser feitos observando-se, respeitando e utilizando as calçadas, faixas de segurança, espelhos (internos e externos). - Toda a empresa é sinalizada com placas, obedeça à sinalização. Exemplo: 15

16 8.3. Isolamento de áreas de trabalho e sinalização de segurança Toda área de trabalho deve ser isolada e sinalizada com a utilização de: - cavaletes, postes de base metálica, cones, fita zebrada e/ou correntes de plástico (todos nas cores amarela e preta). O isolamento da área é de responsabilidade da empresa prestadora de serviços. O isolamento deve ser realizado antes do início dos trabalhos, e o local deverá manter a ordem, arrumação e limpeza, observando: - O isolamento deve estar na altura adequada, permitindo uma perfeita visualização, tanto no período diurno como noturno. Após o uso o material deve ser retirado e devidamente armazenado. - No caso de uso de andaime, este deve atender as especificações contidas no item da NR18. - Todo trabalho em altura deve ter sua parte inferior devidamente sinalizada e isolada, proibindo o trânsito e movimentação de pessoas e veículos. - Em qualquer atividade que obstrua o livre trânsito deve-se providenciar uma passagem segura e sinalizada com placas de advertência para pessoas e veículos. - Ao instalar e atravessar fios elétricos, mangueiras, etc., suspensos sobre ruas ou passagens, estes, somente, podem ser colocados a uma altura que não interfira com a passagem de veículos e pessoas. Na impossibilidade de instalar os mesmos altos, estes devem ser colocados sob proteções para evitar danos. - Em buracos e escavações no solo, de forma a evitar quedas acidentais de pessoas e/ou objetos, estes devem ser cobertos e sinalizados; - No caso de canteiro de obras deve apresentar-se organizado, limpo e desimpedido, sobretudo nas vias de circulação, passagens e escadas, sendo retiradas ou rebatidas as madeiras e os pregos expostos. - Em trabalhos de quebra ou corte de piso a superfície deve ser umidificada evitando geração de poeira. - Todo material usado deve ser imediatamente removido após conclusão do serviço. 16

17 8.4. Máquinas, equipamentos e ferramentas - Somente será permitido utilizar máquinas, equipamentos e ferramentas em perfeitas condições de uso, que correspondam às normas de segurança do trabalho e proteção contra incêndios. - As máquinas e equipamentos deverão estar com as partes móveis protegidas, serem adequadas a cada finalidade e em boas condições de uso. - Utilizar somente máquinas, equipamentos e ferramentas elétricas compatíveis com a tensão fornecida pela concessionária local e que possuam dispositivos de segurança e carcaças aterradas. - Utilizar equipamentos pneumáticos com mangueiras adequadas à pressão de trabalho, providas de terminais ou engates com trava. - Só será liberada a entrada de máquinas, equipamentos e ferramentas após a avaliação e liberação da empresa, com conferência do cadastro das máquinas; - Verificado que o equipamento não está em condições de uso, as Empresas Randon, reservam-se o direito de interditar o uso dos mesmos. - Cuidar para que ferramentas manuais não sejam abandonadas sobre telhados, passagens, escadas, andaimes e outros locais de trabalho ou de circulação. - Utilizar somente recipientes sob pressão que atendam à NR-13 - Caldeiras e Vasos de Pressão da Portaria 3214 do MTE, sendo nestes casos exigido o Livro de Inspeção e Laudo de Condições atualizados, devendo a documentação permanecer com o SESMT. - Utilizar caixas portáteis para guarda e transporte de ferramentas manuais e cinto porta-ferramenta para trabalhos em altura. - Instruir e treinar os funcionários para utilização segura e adequada das ferramentas. - No término dos trabalhos é necessário que o local fique limpo e desobstruído com a correta destinação dos resíduos. Somente após esta condição estar atendida poderá ser feito o fechamento da PT. Importante: Somente é permitida a operação de prensas, dobradeiras, guilhotinas, fresas, tornos e outras máquinas e equipamentos similares após a apresentação de treinamentos específicos conforme determina a NR

18 8.5. Trabalhos em altura condições gerais Como condições gerais, para trabalhos em altura, deve-se: - Ter profissionais capacitados, conforme exigido na NR Usar de cinto de segurança tipo paraquedista com talabarte duplo e capacete com jugular, além dos demais EPI s exigidos em função da área ou atividade. - Emitir PT para cada posicionamento. - Usar de cinto de ferramentas com as mesmas amarradas, evitando o risco de queda de altura. - Envolver, sempre, no mínimo dois funcionários para realizar a atividade. - Definir os EPI s necessários na Análise Preliminar de Riscos (APR). - Realizar procedimento de trabalho em altura conforme item c da NR Realizar o isolamento das áreas de trabalho e a sinalização de segurança, conforme item Isolamento de áreas de trabalho e sinalização de segurança, deste manual. - garantir que todo o raio de movimentação e trabalho esteja isolado, sinalizado e de acesso restrito. - Não permitir o trabalho em altura, em locais abertos em dias de chuva, vento forte, ou com telhas úmidas, bem como próximo a chaminés que possam emanar fumos. A PT poderá ser encerrada a qualquer momento nesta situação. - Garantir que quando da necessidade do uso de cadeira suspensa, a mesma deverá apresentar na sua estrutura, em caracteres indeléveis e bem visíveis a razão social e registro no CNPJ de Pessoa Jurídica. Ser dotada de trava dupla de segurança para subida e descida. O usuário deverá estar usando cinto de segurança tipo páraquedista, preso a um trava quedas que deverá ter um cabo guia independente do cabo da cadeira, sempre que possível ser dotada de encosto para a coluna vertebral e iniciar e completar todas as operações com a cadeira ao nível do solo. 18

19 8.6. Trabalhos em altura utilização de plataforma de trabalho aéreo (PTA) Para trabalhos em altura, utilizando-se PTA, deve-se: - Ter profissionais capacitados, conforme exigido na NR Ter profissionais capacitados, especificamente em operação com plataforma de trabalho aéreo (PTA). - Garantir que a movimentação de pessoas, em altura, deve ser feita em equipamentos destinados e projetados para essa finalidade, devendo ser observados os seguintes cuidados: Cuidados com a PTA 1- Somente inicie o trabalho após a liberação do técnico de segurança, via PT; - Ao subir na PTA prenda seu cinto de segurança no apoio destinado ao mesmo. 2- NUNCA, utilize escadas ou outros dispositivos para viabilizar acesso a partes altas que não sejam possíveis acessar com a plataforma. É proibido subir no guarda corpo da plataforma 3- Evite manobras bruscas e mantenha o cinto sempre conectado. 4-Não é permitido o deslocamento em superfícies que não sejam planas ou que contenham obstáculos, durante a execução das atividades. 19

20 5-Verifique a capacidade de carga máxima da PTA, NUNCA ultrapasse a capacidade definida pelo fabricante. 6-Cuidado no momento de posicionar a plataforma, devido a risco de esmagamento e colisão. O trabalho somente pode ser realizado por duas pessoas, onde uma fique em solo e outra sobre a PTA. 7-Ao movimentar a PTA através de portas verifique se o vão livre permite a passagem da mesma, sem colisões. 8- NUNCA trabalhe na área sinalizada e ou isolada sem uso de capacete. Verifique sempre a posição de ferramentas sobre a PTA. 9- NUNCA escale a PTA, a mesma deve estar no ponto inferior para que você possa acessá-la com segurança. - Garantir que somente profissionais capacitados e autorizados operem PTA. - Retirar todo o material usado, imediatamente, após a conclusão do serviço. - Antes da liberação da utilização de PTA deve ser apresentado certificado de manutenção periódica atestando que a mesma se encontra em condições adequadas para utilização. Importante: - a utilização de cestos aéreos somente será liberada caso sejam atendidas todas as normativas da NR 12 (anexo 12) referente à matéria. 20

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida.

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. Campanha do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul e Campo Alegre contra os Acidentes de Trabalho

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS 1 O SESMT Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho elaborou esta norma com o objetivo de estabelecer as condições mínimas no cumprimento

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO 1 Objetivo Promover a permanente melhoria e contínua compatibilização do trabalho com a prevenção da vida, integridade e patrimônio do SAAE Sorocaba e a promoção da saúde e segurança dos profissionais.

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA: Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações Aula

Leia mais

Segurança do trabalho para paradas gerais. Guia básico

Segurança do trabalho para paradas gerais. Guia básico Segurança do trabalho para paradas gerais Guia básico Segurança do trabalho para paradas gerais 13 Guia básico Este material destina-se as empresas contratadas que prestam serviços e desenvolvem seus trabalhos

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP PCMSO/GEAP 6.1.23.1 Providenciar atestados e exames Todo trabalho em eletricidade deve ser planejado, organizado e executado por empregado capacitado e autorizado. Para executar trabalhos em altura, o

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3 Curso Técnico Segurança do Trabalho Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3 Instalações Elétricas a) Manter quadros de distribuição trancados e circuitos identificados;

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS DO DAEB

MANUAL DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS DO DAEB MANUAL DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS DO DAEB 1 ÍNDICE Introdução... 3 Documentação necessária...3 RESPONSABILIDADE DA CONTRATADA Pessoal... 5 Local do Serviço......5 Máquinas, equipamentos

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR LOGO DA EMPRESA EMPRESA: DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: LOCAL DA ATIVIDADE: ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR FOLHA: 01 DE 10. DATA DE EMISSÃO: DATA DE APROVAÇÂO: REVISÃO: HORÁRIO: ASSINATURA DOS ENVOLVIDOS NA

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1. Do Objeto A Empresa que firmar contrato com a Universidade São Judas Tadeu, obriga-se a cumprir integralmente os Procedimentos

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Equipamentos de Transporte

Leia mais

Higiene e Segurança no Trabalho

Higiene e Segurança no Trabalho Curso Técnico em Mecânica Integrado ao Ensino Médio. Higiene e Segurança no Trabalho EPI & EPC Joinville, outubro de 2014 Medidas de Proteção no Trabalho Quando se fala em Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

Treinamento e qualificação de operadores de Plataformas de Trabalho Aéreo

Treinamento e qualificação de operadores de Plataformas de Trabalho Aéreo Treinamento e qualificação de operadores de Plataformas de Trabalho Aéreo Principais tipos de plataformas aéreas Mastro Telescópica Tesoura Unipessoal Articulada A segurança As plataformas foram desenvolvidas

Leia mais

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim)

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PROCEDIMENTO DE SMS Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PR-99-993-CPG-009 Revisão: 00 Aprovação: 30/05/2014 Página: 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer requisitos de segurança para

Leia mais

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial.

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial. manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR Sumário Andaime Tubular...03 Montagem Especial...04 Acessórios...05 Modos e Pontos de Ancoragem...06 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09

Leia mais

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Sinalização Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Materiais VINIL AUTO-ADESIVO PVC / PS Utilizado em ambientes internos e externos. Pode ser confeccionado com

Leia mais

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS INTRODUÇÃO Nos slides a seguir, estamos divulgando a APT que é uma ferramenta que complementa a AST, analisando o passo a passo e pontos de atenção das

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

A SEGURANÇA EM TRABALHOS DE MANUTENÇÃO 1 1/35

A SEGURANÇA EM TRABALHOS DE MANUTENÇÃO 1 1/35 A SEGURANÇA EM TRABALHOS DE MANUTENÇÃO 1 1/35 1. Análise de riscos 2. Ferramentas de uso comum 3. Máquinas e ferramentas pneumáticas 4. Pedras de esmeril 5. Máquinas ferramenta 6. Escadas portáteis 7.

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Por que eu devo utilizar equipamentos de segurança e onde encontrá-los? Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) foram feitos para evitar

Leia mais

CALDEIREIRO. De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977

CALDEIREIRO. De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977 : 1/5 De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977 Capítulo V Da Segurança e da Medicina do Trabalho Art 157 - Cabe às empresas: I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do

Leia mais

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO e MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO Trabalho em Altura Uma das principais causas de acidentes de trabalho graves e fatais se deve a eventos envolvendo quedas de trabalhadores de diferentes

Leia mais

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO Andaime Tubo Equipado...03 Acessórios...04 Modos e Pontos de Ancoragem...05 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09 Fotos Obras...10 Atualização

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Porque este assunto preocupa? Impacto dos Acidentes envolvendo Quedas - 40% das fatalidades

Leia mais

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO Elaborado por Ana Karolina Kalil Visto Aprovado por Márcio Flávio Ribeiro Pereira Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 25/04/2014 - Emissão inicial 1. OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

Anexo contratual: Health and Safety (HAS)

Anexo contratual: Health and Safety (HAS) Com a premissa fundamental de perpetuar a visão preventiva e o controle eficaz dos riscos operacionais, este anexo contratual determina os princípios legais e gerenciais para a manutenção da integridade

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela.

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÂO POP 005000-OM -06 1/2 PINTURA DE PAREDE COM USO DE ANDAIME REVISÃO: 00 FOLHA 1- OBJETIVO ESTE PROCEDIMENTO ESTABELECE OS REQUISITOA MÍNIMOS DE SEGURANÇA NO TRABALHO DE PINTURA.

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO MECÂNICA DMED E DMEE

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO MECÂNICA DMED E DMEE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO MECÂNICA DMED E DMEE 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As Normas Regulamentadoras aplicáveis aos serviços a

Leia mais

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs Seja bem Vindo! Curso NR 8 Edificações CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 30hs Conteúdo programático: Introdução Circulação Atividades em Edificações com Risco de Queda Cuidados Extras na Circulação

Leia mais

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA;

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; CONTEÚDO DO TRABALHO Doenças ocupacionais e riscos da construção civil; Quedas; Choque elétrico; Soterramento. A construção é um dos ramos mais antigos do

Leia mais

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As empreiteiras que admitam trabalhadores deverão cumprir a Norma Regulamentadora nº

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil.

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil. FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª MarivaldoOliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de prevenção

Leia mais

Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18. Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009

Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18. Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009 Perspectivas e modificações previstas no âmbito da NR-18 Sinduscon-SP 06 de Fevereiro de 2009 Cestos aéreosa GT- Cesto Aéreo(em discussão no CPN) É proibido a utilização de equipamentos de guindar

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO Ref.: IT 001/Seg PADRÕES MÍNIMOS DE SEGURANÇA PARA CONTRATADAS

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO Ref.: IT 001/Seg PADRÕES MÍNIMOS DE SEGURANÇA PARA CONTRATADAS Página 1 de 13 1 Objetivo Promover a permanente melhoria e contínua compatibilização do trabalho com a prevenção da vida, integridade e patrimônio do SAAE Sorocaba, e a promoção da saúde e segurança dos

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão. Andre Cavalcanti Santos Téc. em saúde e segurança do trabalho E-mail: cavalcanti_sst@hotmail.com Sumário Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA ANDAIME TUBULAR ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÃO TÉCNICA... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 4 2.1. USO DOS ANDAIMES TUBULARES... 5 2.2. MANUTENÇÃO (DIRETRIZES

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS GERAIS DE EMERGÊNCIA EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS GERAIS DE EMERGÊNCIA EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS GERAIS DE EMERGÊNCIA EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO Autor(es) Lisandro DSSO Data: Julho / 2007 REVISÃO Autor(es)

Leia mais

SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PONTES ROLANTES

SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PONTES ROLANTES SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de Objetivos Sensibilizar os operadores de Ponte Rolante quanto à necessidade de neutralizar ao máximo a possibilidade de ocorrência de acidentes. Adotar procedimentos de rotina,

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

ISO 9001:2000 Certificate Nº FM37608 INJETORAS MANUAL DE SEGURANÇA

ISO 9001:2000 Certificate Nº FM37608 INJETORAS MANUAL DE SEGURANÇA ISO 9001:2000 Certificate Nº FM37608 INJETORAS MANUAL DE SEGURANÇA ISO 9001:2008 capítulo 3 segurança e procedimentos Seção Conteúdo Pag. 3.1 3.2 3.3 3.4 3.5 3.6 3.7 Segurança Geral Sinais de aviso Sinais

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

TÉCNICO. manual BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA

TÉCNICO. manual BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA manual TÉCNICO BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA Sumário Balancim Individual - Cadeirinha...03 Instrução de Montagem...05 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização da NR-18...11 Balancim Individual -

Leia mais

Riscos adicionais. Riscos adicionais. Altura COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1

Riscos adicionais. Riscos adicionais. Altura COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1 Riscos adicionais Riscos adicionais De altura; De ambientes confinados; De áreas classificadas; De umidade; Condições atmosféricas; Ataque de animais peçonhentos/domésticos. Altura Trabalho em altura é

Leia mais

Cesto Aéreo Rev_03 16/05/06

Cesto Aéreo Rev_03 16/05/06 Cesto Aéreo Rev_03 16/05/06 1.Cesto aéreo é um equipamento de trabalho móvel, para trabalho em altura, destinado a transportar um ou mais trabalhadores, para atividades ou acesso em locais de uma obra,

Leia mais

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR 10: Portaria n.º 598, de 07/12/2004 (D.O.U. de 08/12/2004 Seção 1) Ementas: Portaria n.º 126, de 03/06/2005 (D.O.U. de 06/06/2005 Seção 1) NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

Leia mais

Cesto Aéreo Rev_03 16/05/06 (Opção 01)

Cesto Aéreo Rev_03 16/05/06 (Opção 01) Cesto Aéreo Rev_03 16/05/06 (Opção 01) 1 - É proibida a utilização de equipamentos de guindar para o transporte de pessoas, em cesto aéreo suspenso, exceto nos casos de operação assistida, nos seguintes

Leia mais

Manual de Instruções FURADEIRA PARAFUSADEIRA ELÉTRICA PE 735

Manual de Instruções FURADEIRA PARAFUSADEIRA ELÉTRICA PE 735 Manual de Instruções FURADEIRA PARAFUSADEIRA ELÉTRICA PE 735 ADVERTÊNCIA: Leia atentamente este manual antes de usar o produto. ÍNDICE SEÇÃO PÁGINA Introdução 3 Normas gerais de segurança 3 Uso e cuidados

Leia mais

Núcleo de Pós-GraduaçãoPitágoras EscolaSatélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-GraduaçãoPitágoras EscolaSatélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-GraduaçãoPitágoras EscolaSatélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho RENATO REIS DOS PASSOS renatoreisperito@oi.com.br Engenheiro Agrimensor Engº Especializado

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

Manual do Locatário ANDAIME TUBULAR Instruções para Instalação e Operação e Manutenção CARIMBO DO ASSOCIADO ANDAIMES Andaimes são estruturas metálicas tubulares para acesso à altura para trabalho aéreo

Leia mais

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS INTRODUÇÃO Nos slides a seguir, estamos divulgando a APT que é uma ferramenta que complementa a AST, analisando o passo a passo e pontos de atenção das

Leia mais

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação:

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação: ANEXO Nº I Item: SERVIÇO Unidade Requisitante: Código Cadastro: Empresa Contratada Especificações de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho para realização de integração na contratante. 1) Itens obrigatórios

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS ANTES DO INÍCIO DOS TRABALHOS Fornecer cópia deste manual a sua equipe de liderança, e exigir o seu cumprimento de acordo com o Artigo 157 Item I

Leia mais

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes?

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Publicado em 13 de outubro de 2011 Por: Tônia Amanda Paz dos Santos (a autora permite cópia, desde que citada a fonte e/ou indicado

Leia mais

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0)

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1. Instalações e áreas de trabalho. NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1.1. Os pisos dos locais de trabalho onde se instalam máquinas e equipamentos devem ser vistoriados e limpos, sempre

Leia mais

Sinalização de Segurança. As cores na segurança do trabalho

Sinalização de Segurança. As cores na segurança do trabalho Sinalização de Segurança As cores na segurança do trabalho Funções das cores na segurança Prevenção de Acidentes; Identificar os equipamentos de segurança; Delimitando áreas; Identificação de Tubulações

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Título: Tipo do Documento: SubTipo: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Trabalho em espaços confinados

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 -

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Informativo 21/2011 NR 12 NOVO ANEXO (XII - EQUIPAMENTOS DE GUINDAR PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABALHO

Leia mais

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. CLAUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO. 1.1. Estabelecer diretrizes de

Leia mais

Anexo 3 - Questionário específico - construção

Anexo 3 - Questionário específico - construção Anexo 3 - Questionário específico - construção 85 Empresa: Morada: Localidade: Cód. Postal: Distrito: Telefone: NIF: Código de CAE-Rev. 2/92: Actividade principal da empresa: Categoria da Actividade: Número

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA EM SERVIÇOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

MANUAL DE SEGURANÇA EM SERVIÇOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL MANUAL DE SEGURANÇA EM SERVIÇOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL OUT / 2011 Versão preliminar: 1 ELABORAÇÃO José Felipe de Oliveira Filho Lillian Caroline Pereira da Silva Roberto da Cunha Thais

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE SAÚDE, SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE PARA EMPRESAS CONTRATADAS E PRESTADORAS DE SERVIÇO

PROCEDIMENTOS DE SAÚDE, SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE PARA EMPRESAS CONTRATADAS E PRESTADORAS DE SERVIÇO Departamento de SSMA- CENU PROCEDIMENTOS DE SAÚDE, SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE PARA EMPRESAS CONTRATADAS E PRESTADORAS DE SERVIÇO Data de elaboração: Jan 2008 Data da última Revisão: Agosto 2014 Próxima

Leia mais

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Introdução A Engemix possui uma equipe de Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente capacitada para dar todo subsídio técnico para implantação, operação e desmobilização

Leia mais

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Mãos e dedos Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Nenhum empregado foi exposto ao perigo para produzir esse material. As fotos simulam possíveis situações de risco no seu dia de

Leia mais

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços Procedimento de Segurança para Execução de Serviços 1. OBJETIVO: Este procedimento tem como objetivo estabelecer requisitos básicos de segurança na execução de serviços realizados por empresa contratada

Leia mais

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA Página: 1/11 DO-OP-01/P-2 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia na operação de chaves fusíveis e chaves facas. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas

Leia mais

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL EM TRANSFORMADOR, EM REDE DESENERGIZADA.

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL EM TRANSFORMADOR, EM REDE DESENERGIZADA. Página: 1/8 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para Substituição e Manutenção de Chaves Fusíveis de Transformador em rede desenergizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento

Leia mais

ANEXO XII NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA MANUTENÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONCORRÊNCIA 001/2014

ANEXO XII NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA MANUTENÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONCORRÊNCIA 001/2014 ANEXO XII NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA MANUTENÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONCORRÊNCIA 001/2014 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As normas aplicáveis aos serviços a serem realizados

Leia mais

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho;

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho; Curso: Técnico de Segurança do Trabalho Curso Reconhecido pelo MEC: PORTARIA N 959/2007 Apresentação: O curso de Técnico de Segurança do Trabalho da Conhecer Escola Técnica é reconhecido pela excelência

Leia mais

ANEXO 46 P16 MODELO DO RELATÓRIO GERENCIAL. RELATÓRIO Nº XX/20XX, referente ao mês XX/20XX (Medição nº XX)

ANEXO 46 P16 MODELO DO RELATÓRIO GERENCIAL. RELATÓRIO Nº XX/20XX, referente ao mês XX/20XX (Medição nº XX) ANEXO 46 P16 MODELO DO RELATÓRIO GERENCIAL OBJETIVO DO REQUISITO: Demonstrar mensalmente os resultados qualitativos e quantitativos dos serviços, avaliando o cumprimento das obrigações e metas estabelecidas

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Indústria da Panificação PROGRAMAÇÃO: Palestra Segurança Geral - SESI - Segurança do Trabalho; - Riscos Ambientais e Acidentes do Trabalho; - PPRA/PCMSO; - Normas regulamentadoras;

Leia mais

NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA. ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem.

NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA. ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem. NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem. NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA 26.1.1 Esta Norma Regulamentadora NR tem por objetivo fixar as

Leia mais

3/4. APOSTILA Normas de Segurança na Operação de Empilhadeiras

3/4. APOSTILA Normas de Segurança na Operação de Empilhadeiras 3/4 APOSTILA Normas de Segurança na Operação de Empilhadeiras Prezados Colaboradores O tema abordado nesta edição é sobre empilhadeiras. Após analisar os relatórios dos acidentes, as informações dos trabalhadores,

Leia mais

Manual de Instruções SATA 67595

Manual de Instruções SATA 67595 1. Conheça o produto...2 2. Âmbito do fornecimento...5 3. Dados técnicos...6 4. Modo de atuação da unidade de limpeza de ar com adsorvente de carvão ativo e do cinto sem adsorvente de carvão ativo...7

Leia mais

n o 7 Solda GUIAS BÁSICOS DE SEGURANÇA

n o 7 Solda GUIAS BÁSICOS DE SEGURANÇA n o 7 Solda GUIAS BÁSICOS DE SEGURANÇA 1. INTRODUÇÃO Trabalhos de corte e soldas são realizados com muita freqüência, sendo que estas operações representam 7% das ocorrências de incêndios em ambientes

Leia mais

ANEXO IX. 1.1. As normas aplicáveis aos serviços a serem realizados existentes na Portaria 3214/MTB/78 deverão ser seguidas integralmente.

ANEXO IX. 1.1. As normas aplicáveis aos serviços a serem realizados existentes na Portaria 3214/MTB/78 deverão ser seguidas integralmente. ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA SERVIÇOS DE REFORMA, CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO PREVENTINA DE EQUIPAMENTOS DE SUBESTAÇÃO E USINAS 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As normas

Leia mais

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: INSTALAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO DE PÁRA-RAIOS EM TANQUE DE TRANSFORMADOR, EM REDE ENERGIZADA.

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: INSTALAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO DE PÁRA-RAIOS EM TANQUE DE TRANSFORMADOR, EM REDE ENERGIZADA. Página: 1/7 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para instalação e substituição de pára-raios em tanque de transformador, em rede energizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento

Leia mais

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho Manual de Segurança e Saúde do Trabalho 1 INTRODUÇÃO A política de recursos humanos da Toledo do Brasil abrange as áreas de recrutamento, seleção, treinamento e desenvolvimento de pessoal; administração

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO E NOS PORTOS. João Gama Godoy. Técnico de Segurança do Trabalho. Senac - 2009

ÁREAS DE ATUAÇÃO E NOS PORTOS. João Gama Godoy. Técnico de Segurança do Trabalho. Senac - 2009 ACINTES ÁREAS ATUAÇÃO João Gama Godoy Técnico de Segurança do Trabalho Senac - 2009 É proibida a reprodução do conteúdo desta apresentação em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização

Leia mais

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas. Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO Os incêndios e explosões, ainda que representem uma porcentagem

Leia mais

DOU 201 21/01/2011 24/01/2011) * O

DOU 201 21/01/2011 24/01/2011) * O 18.15. Andaimes. 18.15.1.1 Os projetos de andaimes do tipo fachadeiro, suspensos e em balanço devem ser acompanhados pela respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica. (Nova redação dada pela Portaria

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único Curso Técnico Segurança do Trabalho Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único SeÄÅo IX Das InstalaÄÉes ElÑtricas Art. 179 - O Ministério do Trabalho disporá sobre as condições de segurança e as medidas

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual (EPI)

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) Equipamentos de Proteção Individual (EPI) SEGURANÇA NA SOLDAGEM Segurança na Soldagem 1.1 - Principais riscos para um soldador 1.1.1 - Poluição por fumos de soldagem 1.1.2 - Radiações visíveis e invisíveis

Leia mais

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL SUBGERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em

Leia mais

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Cozinha Industrial Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Serviços de alimentação Este tipo de trabalho aparenta não ter riscos, mas não é bem assim, veja alguns exemplos: Cortes

Leia mais