RELATÓRIO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA"

Transcrição

1 1/ 22 LOCAL: Sala de Reunião Presidência HORÁRIO: 14:00 H Assuntos tratados: 1. Resultados das auditorias internas e das avaliações do atendimento aos requisitos legais e outros subscritos pela organização 2. Comunicação(ões) proveniente(s) de partes interessadas externas, incluindo reclamações 3. O desempenho ambiental, da qualidade e ocupacional da organização 4. Extensão na qual foram atendidos os objetivos e metas 5. Situação das ações corretivas e preventivas 6. Ações de acompanhamento das análises anteriores 7. Recomendações para melhoria do SGI 8. Política do SGI 9. Conclusão PARTICIPANTES PRESIDENTE SUPERINTENDENTE GERAL GERENTES DIRETORIA SUPERINTENDENTES RD-SGI

2 2/ Resultados das auditorias internas e das avaliações do atendimento aos requisitos legais e outros subscritos pela organização 1.1. Resultados de Auditorias 6ª Auditoria Interna: Os resultados desta Auditoria, conforme o Relatório (anexado a esta ata) foram: Resultados da Auditoria: Elementos/Processos Em conformidade Elementos/Processos com Não Conformidade : ISO 9001:2008 ISO 14001:2004 ISO 9001:2008 ISO 14001:2004 TODOS (EXCETO OS DESCRITOS AO LADO) 12 (4.1, 4.2, 4.3.1, 4.3.2, 4.3.3, 4.4.4, 4.4.5, 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, e 4.6) 5.5.3, 6.2.2, 6.3 e , e NÃO CONFORMIDADES por elemento do SGI: NC 1 (item 5.5.3, 6.2.2, 6.3, 6.4 da ISO e item 4.4.1, e da ISO14001:04) NC/E: Não evidenciado o reparo no teto que esta com humidade no departamento de genealogia e não evidenciado obra da parede que esta aberta no departamento financeiro após retirada de ar condicionado. Como consequência desta Auditoria foi estabelecida a RTNC aplicável para aplicação de ação corretiva (001/2015, 002/2015, 003/2015, 004/2015, 005/2015, 006/2015 e 001/2016.) Baseado nos resultados desta Auditoria observa-se que o SGI está em conformidade com os arranjos planejados para a gestão integrada (Qualidade e Meio Ambiente), incluindo-se os requisitos destas Normas e PGI s, e está adequadamente implementado e é mantido eficazmente.

3 3/ Avaliação do atendimento de requisitos legais e outros A BMN-PLANLEG é a empresa designada para identificação e avaliação dos impactos das atualizações das normas legais, aplicáveis aos aspectos ambientais pertinentes aos negócios da empresa. Através de uma análise técnica das mudanças legais, a BMN orienta a ABCZ sobre as ações a serem implementadas no Sistema de Gestão Integrada, sendo o atendimento satisfatório até o momento. O atendimento aos requisitos legais e outros requisitos têm sido acompanhados e verificados pela RD-SGI, conforme procedimento PRO 2 (Controle de Requisitos Legais e Outros Requisitos). Quando necessário são abertos alguns PGI s e RTNC s para o estabelecimento das ações corretivas necessárias para o atendimento aos requisitos legais e outros.

4 4/ Comunicação(ões) proveniente(s) de partes interessadas externas, incluindo reclamações comunicação(ões) proveniente(s) de partes interessadas externas, incluindo reclamações 2.1. Comunicação e Consulta Ambiental Desde o início das atividades do SGI (MAR/11), não houve comunicação recebida pelos órgãos fiscalizadores, tampouco da sociedade vizinha Solicitações de Clientes (incluindo reclamações) Todas as solicitações de Clientes referentes aos serviços da ABCZ são tratadas adequadamente. A resposta a reclamação dos associados é feita diretamente com o departamento responsável, através do sistema que o criador acessa, desse modo o criador pode avaliar o conferente, o técnico e a ABCZ e logo em seguida é feito um feedback para esse mesmo criador em caso de reclamação, sugestão ou orientação, não são abertos relatórios de não-conformidade, apenas são abertos para casos da ISO 14001:04, pois, perder-se-ia muito tempo abrindo relatórios e o sistema esta atendendo a legislação e funcionando de forma eficaz.

5 5/ O desempenho ambiental e da qualidade 3.1. Desempenho Ambiental: Foram definidos objetivos e metas para Meio Ambiente, nos quais foram traçadas metas para alcançá-las através dos PGI s. Essas metas contemplam: ações, responsável, recurso, prazo, data de verificação, comentário e status que foram acompanhados e verificados em reuniões realizadas com a Alta Direção. As situações das metas estão registradas no Programa de Gestão Integrada número 01/2016 e são monitoradas, conforme mostra abaixo:

6 6/ 22

7 7/ 22 PGI QUALIDADE

8 8/ 22

9 9/ 22

10 10/ 22

11 11/ 22 PGI SEGURANÇA

12 12/ 22

13 13/ 22 Comentário: Entendemos que o desempenho ambiental está sendo satisfatório, tendo em vista as ações que estão em andamento para o atendimento aos requisitos legais.

14 14/ 22 Exemplo de painel de indicadores do ABCZstat / SGI

15 15/ Desempenho da Qualidade Para verificar o desempenho do SGQ foram definidos os indicadores de eficácia de processo. Estes indicadores demonstram como estão os resultados do SGQ da Empresa. No ABCZstat estão descritos os resultados, De uma maneira geral pode-se dizer que o desempenho da Qualidade está satisfatório.

16 16/ Extensão na qual foram atendidos os objetivos e metas 4.1. Objetivos, Metas e Programas de Gestão Ambiental: Os Objetivos, Metas e Programas de Gestão Ambiental mantidos estão descritos no item 3.1. Eles foram estabelecidos e são analisados mensalmente e aqueles que não estiverem dentro da meta estabelecida terão Planos de Ação para as readequações necessárias. A revisão dos PGI s ocorrerá na próxima Reunião de Análise Crítica, onde avaliaremos sua eficácia Objetivos e Metas Qualidade: Os Objetivos e Metas estabelecidos para a Gestão da Qualidade levaram em consideração os Processos Gerenciais estabelecidos para o SGI. Naqueles que foi julgado necessário criar uma maneira de acompanhamento, estabeleceu-se os indicadores de monitoramento da eficácia. Os indicadores estão inseridos no ABCZstat (ver item 3.2). Os resultados avaliados atendem as legislações e estão funcionando de forma eficaz, dentro das 4 dimensões definidas que são: Capital Humano e Aprendizado, Economico Financeiro, Mercado e Imagem e Processos Internos e Tecnologias são trabalhados os objetivos e metas e estão disponíveis no abaixo um exemplo de como funciona essas dimensões:

17 17/ Situação das ações corretivas e preventivas 5.1. Situação das ações corretivas e preventivas Ambientais: As não conformidades identificadas em auditorias internas e externas e pelos processos serão tratadas de acordo com o PRO-12. O tratamento da Não Conformidade envolve: O registro da mesma; A forma de identificar e corrigir não conformidade(s) e executar ações para mitigar suas consequências para o SGI A necessidade de investigar e analisar as não conformidades encontradas (incluindo incidentes e acidentes), determinar suas causas e executar ações para evitar sua repetição; A determinação deficiências no SGI subjacentes e outros fatores que possam estar causando ou contribuindo para a ocorrência de incidentes e ou não conformidades, para prevenir que não conformidade(s) não se repita(m) e que ações apropriadas sejam estabelecidas para evitar sua ocorrência; A identificação da necessidade de ações corretivas; A identificação de oportunidades para ações preventivas; A identificação de oportunidades para a melhoria contínua; A forma de comunicar os resultados dos tratamentos destas não conformidades ; O tempo apropriado para a tomada de ações; A identificação da necessidade de ação corretiva ou de oportunidade para ação preventiva; A forma de disponibilizar os resultados das investigações de incidentes e ou de tratamento das não conformidades através da manutenção dos registros envolvidos; A forma de análise critica para verificar a eficácia da(s) ação(ões) corretiva(s) e ação(ões) preventiva(s) executada(s). As não conformidades abertas na auditoria interna foram tratadas e todas elas demostraram ter sido eficaz para eliminar a causa dos desvios originais. Abaixo segue a descrição de todas elas e o encerramento se realizado: RTNC 001/2015: (item 6.3, 6.4 da ISO 9001:08 e item ISO14001:04) NC/E: Não evidenciado o reparo no teto que esta com humidade no departamento de genealogia. - Previsão de conclusão até dezembro de RTNC 002/2015 (item item 6.3, 6.4 da ISO 9001:08 e item ISO14001:04) NC/E: Não evidenciado o reparo da parede após a retirada de ar condicionado - Previsão de conclusão até dezembro de RTNC 003/2015 (item e da ISO 9001:08 e item e da ISO 14001:04) NC/E: Alguns auditados questionaram sobre a comunicação interna e disseram não saber o necessário sobre o SGI - Realizado novo treinamento com os colaboradores, ver lista de presença RH.

18 18/ RTNC 004/2015: (item da ISO 9001:08 e item ISO 14001:04) NC/E: Evidenciado a falta de Registro de Documentos e Lista Mestra. - Previsão de conclusão até Outubro de RTNC 005/2015 (item 4.2.3, e da ISO 9001:08) NC/E: Evidenciado durante a auditoria interna, documento que lista a definição de cargos dos funcionários desatualizados e com modelo antigo, documento não conforme em anexo. - Previsão de conclusão até Fevereiro de RTNC 006/2015: (item da ISO 9001:08 e item ISO 14001:04) NC/E: Evidenciado a falta de Revisão Trienal nos PRO do SGI, o PRO-4 VER 02, mostra como estão controlados todos os registros exigidos pela Norma e outros que o SGI da ABCZ. - Previsão de conclusão até Outubro de RTNC 001/2016 (item 4.2.3, e da ISO 9001:08) NC/E: Evidenciado durante a auditoria interna, extintores fora do local de abastecimento de veículos e falta de organização e identificação dos equipamentos e produtos utilizados no mesmo local - Previsão de conclusão até Setembro de Situação das ações corretivas e preventivas da QUALIDADE: As não conformidades identificadas em auditorias internas e externas e pelos processos serão tratadas de acordo com o PRO-12, o tratamento de não conformidade envolve os mesmos itens mostrados no tópico 5.1 desta página.

19 19/ Ações de acompanhamento das análises anteriores As ações de acompanhamento são feitas por todos os gestores e apresentados a alta gestão e também aos colaboradores através de Boletim Interno enviados a cada quinze dias por e mensagens rápidas, todas as áreas mostram seus objetivos e metas dentro do SGI com foco nas 4 dimensões como citado no item 4.2 deste relatório. O acesso a essas informações também estão disponíveis a todos dentro do dentro de Gestão, Indicadores de Desempenho.

20 20/ Recomendações para melhorias no SGI As melhorias planejadas estão descritas nos objetivos, metas e programas de gestão (PGI) e indicadores de eficácia dos processos (ABCZstat). Através do ABCZstat, são lançados mensalmente as melhorias ocorridas em cada departamento, contento o plano de ação.

21 21/ Política do SGI A Política SGI foi novamente analisada pela Alta Direção, Representante da Direção e demais Superintendentes, quanto a sua adequação, implementação e divulgação. Pois na mudança de presidência foi necessário estudar e saber se a nova gestão estaria de acordo com a política adotada. Comentário: A política se mostrou adequada às diretrizes e objetivos da empresa e a forma utilizada para divulgação, através das placas distribuídas nos setores a inclusão no ABCZstat e boletim interno.

22 22/ Conclusão Com base nas informações demonstradas neste relatório ficam as seguintes decisões e ações relacionadas ao SGI: Observou-se, durante esta análise critica, que o SGI esta implementado e está mantido de acordo com o requerido pelas normas ISO 9001:08 e ISO 14001:04, exceto onde há RTNC s para o tratamento de desvios; Ficam os gestores responsáveis pela divulgação aos seus subordinados quanto aos indicadores de desempenho e suas tratativas quando não alcançadas, mudanças que estão ocorrendo com instalação de novos projetos; Continuar com os treinamentos de todos os envolvidos no SGI sempre reforçando para não deixar cair em esquecimentos; O SGI esta em melhoria continua. Em virtude destas observações entendemos que o SGI está preparado para a Auditoria de Manutenção pela ABS Quality Evaluations.

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos para identificação de não-conformidades, assim como a implantação de ação corretiva e ação preventiva, a fim de eliminar as causas das não-conformidades

Leia mais

Módulo 8. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios

Módulo 8. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios Módulo 8 NBR ISO 14001 - Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios 4.4.6 Controle Operacional A organização deve identificar e planejar aquelas operações

Leia mais

AMPLITUDE 2.1. Todas as atividades realizadas no escopo do SGI da ABCZ.

AMPLITUDE 2.1. Todas as atividades realizadas no escopo do SGI da ABCZ. 1. OBJETIVO Sistematizar em toda a Empresa a forma de identificar o potencial e de atender a acidentes e situações de emergência, bem como para prevenir e mitigar os impactos ambientais que possam estar

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços

Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços Famílias Todos Todos Todas Critério SMS Critério CONJUNTO DE REQUISITOS DE SMS PARA CADASTRO CRITÉRIO DE NOTAS DO SMS Portal do Cadastro SMS MEIO AMBIENTE Certificação ISO 14001 - Sistema de Gestão Ambiental

Leia mais

PROC. 04 ANÁLISE CRÍTICA

PROC. 04 ANÁLISE CRÍTICA 1 de 7 ANÁLISE CRÍTICA MACROPROCESSO GESTÃO DE PROCESSOS PROCESSO ANÁLISE CRÍTICA ANÁLISE CRÍTICA 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÕES...

Leia mais

GERENCIAR MELHORIA AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da última aprovação

GERENCIAR MELHORIA AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da última aprovação GERENCIAR MELHORIA AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 15/03/2013 01 Item 3 Definição de OM e RNCAC; Item 7: Anexo 1 Formulário de Gerenciamento

Leia mais

Banco de Interpretação ISO 9001:2008. Responsabilidade da Direção Seção 5

Banco de Interpretação ISO 9001:2008. Responsabilidade da Direção Seção 5 5.1 a) RFI 102 A subseção 5.1 a) da ISO 9001:2008 é aplicável somente aos requisitos relacionados aos produtos e serviços de uma organização? 5.1 a) RSI 031 A norma requer que a organização deve divulgar

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE Primeira 1/7 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Silvia Helena Correia Vidal Aloísio Barbosa de Carvalho Neto HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

REGISTRAR NÃO CONFORMIDADE HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação

REGISTRAR NÃO CONFORMIDADE HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação REGISTRAR NÃO CONFORMIDADE HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 15/03/2013 01 Item 5.4 Revisão das Notas Elaborado por: Revisado por: Marcela Garrido Saada Chequer

Leia mais

Questões sobre a IS014001

Questões sobre a IS014001 Professor: Carlos William Curso/ Disciplina/Período: Administração/ Gestão Ambiental/ 2º ano Aluno: Lázaro Santos da Silva Questões sobre a IS014001 1. A NBR ISO 14001:2004 foi concebida para estabelecer

Leia mais

Solução de problemas

Solução de problemas Solução de problemas ASSUNTOS ABORDADOS NESTE TREINAMENTO - REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2000 8.3 Controle de produto não conforme 8.5 Melhorias - 8.5.1 Melhoria continua - 8.5.2 Ações corretivas - 8.5.3

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PO Procedimento Operacional E AÇÃO PREVENTIVA PO. 09 10 1 / 5 1. OBJETIVO Descrever a forma como o produto ou serviço não conforme deve ser controlado, a fim de se prevenir a sua utilização ou entrega não intencional ao cliente.

Leia mais

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 7 Revisão 02 AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA PROCEDIMENTO

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 7 Revisão 02 AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA PROCEDIMENTO Página 1 de 7 REGISTRO DE ALTERAÇÕES REV. DATA ALTERAÇÃO EFETUADA 00 23/08/2010 Emissão do Documento 01 05/11/2010 Junção e POP.ADM.008, revisão do procedimento 02 08/11/2011 Alteração da logomarca Claudiane

Leia mais

Módulo 5 Implementação, operação, verificação e análise crítica do SGSSO, exercícios.

Módulo 5 Implementação, operação, verificação e análise crítica do SGSSO, exercícios. Módulo 5 Implementação, operação, verificação e análise crítica do SGSSO, exercícios. 4.4 - Implementação e operação 4.4.1 - Recursos, papéis, responsabilidades e autoridade 4.4.2 - Competência, treinamento

Leia mais

Estágio 2 Auditoria de Certificação. Plano de Ações. Follow up. Emissão do Certificado

Estágio 2 Auditoria de Certificação. Plano de Ações. Follow up. Emissão do Certificado As atividades a serem conduzidas para a Certificação do Sistema de Gestão de sua Empresa serão realizadas de acordo com os requisitos, princípios, critérios e práticas de auditoria, com o objetivo de se

Leia mais

ATA DA REUNIÃO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PELA DIREÇÃO

ATA DA REUNIÃO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PELA DIREÇÃO DATA: 28 / 02 / 2014 ATA DA REUNIÃO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PELA DIREÇÃO PARTICIPANTES: JOÃO LUIZ GARCIA DIRETORIA NILSON MERINO DIRETORIA ODAIR ROCHA REPRESENTANTE DA DIREÇÃO

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL

PROCEDIMENTO GERENCIAL PÁGINA: 1/5 1. OBJETIVO Descrever o procedimento para tratamento dos registros de não conformidades reais e potenciais ocorridas no sistema de gestão da Qualidade do INTS, contemplando o estudo das causas,

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL PRSA 2ª 1 / 7 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 3.1 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 2 3.1.1 DIRETOR RESPONSÁVEL - RESOLUÇÃO 4.327/14... 2 3.1.2 COORDENADOR ESPONSÁVEL PRSA

Leia mais

Alteração do numero do item para 6.1.3; atualização do preenchimento de RNC Exclusão da analise de RNC 6.2.6

Alteração do numero do item para 6.1.3; atualização do preenchimento de RNC Exclusão da analise de RNC 6.2.6 Folha 1 de 6 Controle de revisão Revisão Data Item Descrição das alterações -- 21/05/2007 -- Emissão inicial 01 10/03/2008 6.1 Exclusão da abordagem de processo 6.2 Alteração do numero do item para 6.1;

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) Oficina 07 Política de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho Objetivos, Metas e Programas 4.2 Política de SSTMA A Alta Administração

Leia mais

AÇÃO PREVENTIVA Secretaria de Educação

AÇÃO PREVENTIVA Secretaria de Educação 1. Objetivo Esta norma estabelece o procedimento para elaboração e implementação de ações preventivas no Sistema de Gestão da Qualidade da (Seduc). 2. Documentos complementares 2.1 Norma EDSGQN003 Registros

Leia mais

PROCEDIMENTO PRC -07 Revisão: 17 Data: 14/10/2013 7

PROCEDIMENTO PRC -07 Revisão: 17 Data: 14/10/2013 7 Página 1 de 8 ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2-Campo de Aplicação: 3-Documento de Referência: 4-Definições e Siglas: 5-Descrição do Procedimento: Data da Revisão Nº da Revisão Histórico das Alterações 20/08/200

Leia mais

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 Política de Controles Internos Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 OBJETIVO Garantir a aplicação dos princípios e boas práticas da Governança Corporativa, e que

Leia mais

A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000

A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000 1. A Norma NBR ISO 9001:2000 A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000 A ISO International Organization for Standardization, entidade internacional responsável

Leia mais

AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL NORMA ISO DIRETRIZES\PARA AUDITORIA

AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL NORMA ISO DIRETRIZES\PARA AUDITORIA AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL BALISAR SISTEMA E CORRIGIR FALHAS NORMA ISO 19011 DIRETRIZES\PARA AUDITORIA INSTRUMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL QUE PODE SER APLICADO A QUALQUER EMPREENDIMENTO 1 AUDITORIA

Leia mais

Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página:

Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página: PROCEDIMENTO DO SMS PR-99-991-CPG-005 Registro de Acidentes, Incidentes, Nãoconformidades, Revisão: 04 Ações Corretivas e Preventivas Página: 1/6 1. OBJETIVO Definir metodologia e responsabilidades para

Leia mais

4.6. ATENDIMENTO ÀS METAS DO PLANO/PROGRAMA/PROJETO

4.6. ATENDIMENTO ÀS METAS DO PLANO/PROGRAMA/PROJETO 4.6. ATENDIMENTO ÀS METAS DO PLANO/PROGRAMA/PROJETO A planilha de atendimento às metas do projeto é apresentada na sequência. Metas Proporcionar os elementos necessários para que seja definido o processo

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

ABORDAGEM INICIAL DA INTER-RELAÇÃO DE ITENS DAS NORMAS ISO 9001:2008 e 14001:2004

ABORDAGEM INICIAL DA INTER-RELAÇÃO DE ITENS DAS NORMAS ISO 9001:2008 e 14001:2004 ABORDAGEM INICIAL DA INTER-RELAÇÃO DE ITENS DAS NORMAS ISO 9001:2008 e 14001:2004 JOSÉ EDUARDO DO COUTO BARBOSA 1 ALAN FERNANDO TORRES 2 RESUMO A utilização de sistemas integrados se torna, cada vez mais,

Leia mais

CHECKLIST DE AUDITORIA INTERNA ISO 9001:2008

CHECKLIST DE AUDITORIA INTERNA ISO 9001:2008 4 Sistema de gestão da qualidade 4.1 Requisitos gerais A CICON CONSTRUTORA E INCORPORADORA: Determina, documenta, implementa e mantêm um sistema de gestão da qualidade para melhorar continuamente a sua

Leia mais

Não Conformidades, Ações Corretivas e Preventivas

Não Conformidades, Ações Corretivas e Preventivas 1 Objetivo Estabelecer diretrizes para o tratamento de não conformidades detectadas na unidade de gestão, e estabelecer um método para realizar ações corretivas e ações preventivas que possam ser executadas

Leia mais

Sistema de Gestão da Prevenção em

Sistema de Gestão da Prevenção em Sistema de Gestão da Prevenção em SST Trabalho realizado por: André Andrade nº18990 Curso: Engenharia do Ambiente Data: 29/10/2008 Disciplina: PARP Índice Introdução... 3 Sistema de gestão da prevenção

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade O Comitê - ISO A Organização Internacional de Normalização (ISO) tem sede em Genebra na Suíça, com o propósito

Leia mais

Tratamento de sugestões, reclamações, não-conformidades, ações corretivas e preventivas.

Tratamento de sugestões, reclamações, não-conformidades, ações corretivas e preventivas. 1/8 Palavras-chave: sugestões, reclamações, não-conformidades, corretiva, preventiva. Exemplar nº: umário 1 Objetivo 2 Aplic 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 6 Referências Anexo

Leia mais

TRATAMENTO DE RECLAMAÇÃO, APELAÇÃO E DISPUTA

TRATAMENTO DE RECLAMAÇÃO, APELAÇÃO E DISPUTA Página 1 de 6 PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO TRATAMENTO DE RECLAMAÇÃO, APELAÇÃO E DISPUTA Por ser parte integrante do Sistema de Gestão da Qualidade da BRICS este documento tem vedada sua reprodução

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO DE RESPONSÁVEIS TÉCNICOS E AUDITORES DA PRODUÇÃO INTEGRADA DE FRUTAS. Campinas, 08 de novembro de 2011

CURSO DE FORMAÇÃO DE RESPONSÁVEIS TÉCNICOS E AUDITORES DA PRODUÇÃO INTEGRADA DE FRUTAS. Campinas, 08 de novembro de 2011 CURSO DE FORMAÇÃO DE RESPONSÁVEIS TÉCNICOS E AUDITORES DA PRODUÇÃO INTEGRADA DE FRUTAS Campinas, 08 de novembro de 2011 BOAS PRÁTICAS DE AUDITORIA NBR ISO 19011 Nívea Maria Vicentini, DSc. Pesquisadora

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL A Um Investimentos S/A CTVM atendendo às disposições da Resolução CMN 3.380/06 demonstra através deste relatório a sua estrutura do gerenciamento de risco

Leia mais

FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DE GESTÃO DA QUALIDADE PARTE 1

FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DE GESTÃO DA QUALIDADE PARTE 1 FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DE GESTÃO DA QUALIDADE PARTE 1 Curso realizado de 23 a 26 de agosto /2010 OBJETIVO PARTE 1: Capacitar os participantes para: Ter habilidade para avaliar os requisitos da

Leia mais

Relatório Anual Gerenciamento de Risco Operacional

Relatório Anual Gerenciamento de Risco Operacional Relatório Anual 2015 Gerenciamento de Risco Operacional Sumário Introdução Estrutura de Risco Operacional Responsabilidades Metodologia de Gerenciamento Aprovação e Divulgação Conclusão 1 Introdução Em

Leia mais

Armazenagem Responsável Sistema de Gestão Outubro 2016 rev. 00

Armazenagem Responsável Sistema de Gestão Outubro 2016 rev. 00 Armazenagem Responsável Sistema de Gestão Outubro 2016 rev. 00 Brasil: uma vocação natural para a indústria química País rico em petróleo, gás, biodiversidade, minerais e terras raras Objetivo Desenvolver

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 12 ESTUDOS DE CASOS Casos: [1] da Bahia Sul; [2] da Politeno; [3] do Hospital Taquaral; [4] do 7.o Ofício. Os estudos de casos propostos podem ajudar,

Leia mais

TÍTULO: APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES

TÍTULO: APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES Folha: 1/6 TÍTULO: APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES DATA REVISÃO ITENS REVISADOS APROVAÇÃO 21/07/15 00 Emissão Inicial - Item 5.1.2 e 5.2.1 - Exclusão da referência a tratamento e 16/06/16

Leia mais

Modelo de documentação Universidade de Brasília

Modelo de documentação Universidade de Brasília 1 OBJETIVO Assegurar o bom andamento de um projeto e desenvolvimento, conforme diretrizes regais de qualidade. 2 DEFINIÇÕES 2.1 WBS Work Breakdown Structure. Com base na técnica de decomposição que se

Leia mais

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - QUALIDADE, MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Empresa: Cristal Raidalva Rocha OBJETIVO Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos

Leia mais

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO NORTE INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL Versão 1.0 Vigência Agosto / 2016 Classificação das Informações [ X ] Uso Interno [ ] Uso Público Conteúdo

Leia mais

Módulo 4. Estrutura da norma ISO Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Requisitos 5.4, 5.5 e 5.6 Exercícios

Módulo 4. Estrutura da norma ISO Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Requisitos 5.4, 5.5 e 5.6 Exercícios Módulo 4 Estrutura da norma ISO 9001-2008 Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Requisitos 5.4, 5.5 e 5.6 Exercícios 5.4 - Planejamento 5.4.1 - Objetivos da qualidade Os objetivos da qualidade devem

Leia mais

Normas ISO:

Normas ISO: Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software Normas ISO: 12207 15504 Prof. Luthiano Venecian 1 ISO 12207 Conceito Processos Fundamentais

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 11/01/10 Emissão Inicial N/A

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 11/01/10 Emissão Inicial N/A Página 1 de 9 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 11/01/10 Emissão Inicial N/A Documento via original Assinada OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS

Leia mais

REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A 1 1. SUMÁRIO Em atendimento a Instrução CVM nº 558, o Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A. (doravante denominado simplesmente

Leia mais

A BÍblia. de Segurança

A BÍblia. de Segurança A BÍblia de Segurança Copyright da Katoen Natie e da Dicky para as ilustrações. Esta publicação não pode ser reproduzida ou transmitida, no todo ou em parte, sob qualquer forma ou por qualquer meio eletrônico

Leia mais

1º SEMESTRE DE 2009.

1º SEMESTRE DE 2009. SISTEMA DE GESTÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SIGMAPLASTH 2009 Apresentamos a seguir para os nossos parceiros, clientes e demais partes interessadas, o desempenho do Sistema de Gestão de Responsabilidade

Leia mais

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 6 Revisão 02 AUDITORIA INTERNA PROCEDIMENTO

Primeira Edição: 23/08/2010 Página 1 de 6 Revisão 02 AUDITORIA INTERNA PROCEDIMENTO Página 1 de 6 REGISTRO DE ALTERAÇÕES REV. DATA ALTERAÇÃO EFETUADA 00 23/08/2010 Emissão do Documento 01 05/04/2011 Revisão do procedimento 02 09/11/2011 Alteração da logomarca Claudiane Freire de Oliveira

Leia mais

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 038

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 038 1/6 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável Rubrica Desenvolvimento de novos produtos Vendas Gestão de Contratos

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco Operacional - CPBofAML

Estrutura de Gerenciamento de Risco Operacional - CPBofAML Estrutura de Gerenciamento de Risco Operacional - CPBofAML Dezembro 2016 1 Ouvidoria Telefone: 0800-8862000 e-mail: ouvidoria_bamlbrasil@baml.com Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3400-18º Andar

Leia mais

Operacionalização de Ouvidoria Recursos e Ferramentas de Apoio. Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Julho/2013

Operacionalização de Ouvidoria Recursos e Ferramentas de Apoio. Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Julho/2013 Operacionalização de Ouvidoria Recursos e Ferramentas de Apoio Seminário de Atualização e Implantação de Ouvidoria do Sistema Unimed Julho/2013 Canais de Entrada A Unimed Vitória possui como canais de

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 19011:2012 PROF. NELSON CANABARRO

FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 19011:2012 PROF. NELSON CANABARRO FORMAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DA QUALIDADE ISO 19011:2012 PROF. NELSON CANABARRO PRINCÍPIOS ISO 9001:2015 1. Foco no cliente 2. Liderança 3. Engajamento das pessoas 4. Abordagem de processo 5. Melhoria

Leia mais

PROC. 05 NÃO CONFORMIDADES, AÇÕES PREVENTIVAS, CORRETIVAS E MELHROIAS

PROC. 05 NÃO CONFORMIDADES, AÇÕES PREVENTIVAS, CORRETIVAS E MELHROIAS 1 de 13 NÃO CONFORMIDADES, AÇÕES PREVENTIVAS, CORRETIVAS E MELHORIAS MACROPROCESSO GESTÃO DE PROCESSO NÃO CONFORMIDADES, AÇÕES PREVENTIVAS, CORRETIVAS E MELHORIAS NÃO CONFORMIDADES, AÇÕES PREVENTIVAS,

Leia mais

APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES 1. ESCOPO MANUTENÇÃO ALTERAÇÕES DEFINIÇÕES... 3

APELAÇÕES E RECLAMAÇÕES 1. ESCOPO MANUTENÇÃO ALTERAÇÕES DEFINIÇÕES... 3 Página: 1 de 9 SUMÁRIO 1. ESCOPO... 3 2. MANUTENÇÃO... 3 3. ALTERAÇÕES... 3 4. DEFINIÇÕES... 3 5. PROCEDIMENTO... 3 5.1. GERAL... 3 5.2. APELAÇÃO... 4 5.3. ABERTURA E ANÁLISE CRÍTICA INICIAL DA RECLAMAÇÃO...

Leia mais

ANEXO B CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE LABORATÓRIOS NÃO ACREDITADOS

ANEXO B CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE LABORATÓRIOS NÃO ACREDITADOS Rev. Outubro/2011 Página 1 de 6 Conforme anexo B da NIT DICOR 024 rev. 03 de fevereiro/2010 - Critérios para a Acreditação de Organismo de Certificação de Produto e de Verificação de Desempenho de Produto.

Leia mais

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE Código: PRO.QUALI 006/05 Folhas: 30 Revisão: 16 Data: 14.01.2016 Elaborado por: Mariana Ferraz Fernandes Verificado por: Berilo Gonçalves de Oliveira

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 13:39:41 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 13:39:41 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Andrea Gaspar/BRA/VERITAS em 02/12/2013 Verificado por Cristiane Muniz em 05/12/2013 Aprovado por Denis Fortes/BRA/VERITAS em 06/12/2013 ÁREA GRH Tipo Procedimento Regional Número

Leia mais

CONTPATRI Plano de Garantia de Qualidade. Versão 1.1

CONTPATRI Plano de Garantia de Qualidade. Versão 1.1 CONTPATRI Plano de Garantia de Qualidade Versão 1.1 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 04/05/2013 1.0 Verificação do documento Emerson José Porfírio 21/04/2013 1.0 Elaboração do documento

Leia mais

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 INTRODUÇÃO... 2 OBJETIVOS... 3 CONCEITOS...

Leia mais

PRO REQUISITO LEGAL OU OUTRO REQUISITO APLICÁVEL (E OU PERTINENTE) AOS ASPECTOS AMBIENTAIS

PRO REQUISITO LEGAL OU OUTRO REQUISITO APLICÁVEL (E OU PERTINENTE) AOS ASPECTOS AMBIENTAIS 1. OBJETIVO Sistematizar em toda a ABCZ a forma de identificar, dar acesso, atualizar e comunicar os requisitos legais e outros requisitos aplicáveis (e ou pertinentes) aos aspectos ambientais de suas

Leia mais

(DESENVOLVIMENTO, QUALIFICAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE)

(DESENVOLVIMENTO, QUALIFICAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE) 1/9 (DESENVOLVIMENTO, QUALIFICAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE) Elaborado Aprovado Adilson Ferreira Nunes (Gestor do SGQ) Mauricio de Souza (Supervisor Compras) 2/9 Índice 1. O MANUAL DO FORNECEDOR... 3 INTRUDUÇÃO...

Leia mais

CONCEITO E FÓRMULA DOS INDICADORES DE QUALIDADE DA CGE

CONCEITO E FÓRMULA DOS INDICADORES DE QUALIDADE DA CGE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE CONCEITO E FÓRMULA DOS INDICADORES DE QUALIDADE DA CGE Processo Objetivo Indicador Meta/Prazo Conceito

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho OUVIDORIA IT. 11 11 1 / 5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o atendimento ao profissional, empresa e leigo, bem como, à sociedade em geral que faça uso dos serviços prestados pelos profissionais

Leia mais

Política de Auditoria Interna

Política de Auditoria Interna Política de Auditoria Interna 22 de outubro 2013 Define a missão, a independência, a objetividade, as responsabilidades e regulamenta a função da auditoria interna. ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. PÚBLICO ALVO...

Leia mais

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Securitas Portugal O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Agosto de 2016 1 O Sistema de Gestão da Responsabilidade Social A SECURITAS desenvolveu e implementou um Sistema de Gestão de aspetos de

Leia mais

Correlações: Artigo 4 e Anexo II alterados pela Resolução CONAMA nº 381/06

Correlações: Artigo 4 e Anexo II alterados pela Resolução CONAMA nº 381/06 RESOLUÇÃO CONAMA nº 306, de 5 de julho de 2002 Publicada no DOU n o 138, de 19 de julho de 2002, Seção 1, páginas 75-76 Correlações: Artigo 4 e Anexo II alterados pela Resolução CONAMA nº 381/06 Estabelece

Leia mais

No. Revisão Data. Autor TRATAMENTO DE APELAÇÕES, RECLAMAÇÕES, DISPUTAS E DENÚNCIAS.

No. Revisão Data. Autor TRATAMENTO DE APELAÇÕES, RECLAMAÇÕES, DISPUTAS E DENÚNCIAS. Procedimentos Operacionais No. Revisão Data 1764/00 08 30/04/2012 SGS do Brasil Ltda. Manual de Procedimentos Industrial Autor Aprovado por Fabiane Vencato Marcelo Stenzel TRATAMENTO DE APELAÇÕES, RECLAMAÇÕES,

Leia mais

Manutenção Revisão: 02 Página 1 de 6

Manutenção Revisão: 02 Página 1 de 6 Manutenção Revisão: 02 Página 1 de 6 1. HISTÓRICO DE REVISÕES DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20.08.2013 00 Emissão inicial. Revisão para maior clareza no texto do documento. Adequação da responsabilidade

Leia mais

Sistema da Gestão da Qualidade. Agradecimentos ao Prof. Robson Gama pela criação da apresentação original

Sistema da Gestão da Qualidade. Agradecimentos ao Prof. Robson Gama pela criação da apresentação original Sistema da Gestão da Qualidade Agradecimentos ao Prof. Robson Gama pela criação da apresentação original 1 CONCEITO QUALIDADE O que é Qualidade? 2 Qualidade Conjunto de características de um objeto ou

Leia mais

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS

SUMÁRIO DE REVISÕES. Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS Página 1 de 10 SUMÁRIO DE REVISÕES Rev. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS REVISADOS 0 07/08/2013 Emissão original consolidando práticas adotadas no PSS, anteriormente não documentadas em forma de procedimento

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE OUVIDORIA]

PROCEDIMENTOS DE OUVIDORIA] 2013 CONSÓRCIO UNILANCE TRIXX CONSULTING [MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE OUVIDORIA] De forma a atender aos procedimentos de controle e Direção, bem como agir de acordo com a legislação o Consórcio

Leia mais

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ISO 9001 ISO /03/2015 QUALIDADE! GERENCIAMENTO DE PROJETOS GESTÃO DE QUALIDADE

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ISO 9001 ISO /03/2015 QUALIDADE! GERENCIAMENTO DE PROJETOS GESTÃO DE QUALIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL INTRODUÇÃO 2 GERENCIAMENTO DE PROJETOS Prof.: Heloisa Campos COMPETITIVIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL SATISFAÇÃO DOS CLIENTES! INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

QUALIDADE Grau até o qual um conjunto de características satisfaz as necessidades! Cumprimento dos requisitos pré determinados no Escopo do projeto;

QUALIDADE Grau até o qual um conjunto de características satisfaz as necessidades! Cumprimento dos requisitos pré determinados no Escopo do projeto; SETOR DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL Prof.ª: MSc.: Heloisa Fuganti Campos 2 COMPETITIVIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL INTRODUÇÃO SATISFAÇÃO DOS CLIENTES! INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

AO aula 12 GESTÃO E BENCHMARKING. Prof. Wilson LAPO

AO aula 12 GESTÃO E BENCHMARKING. Prof. Wilson LAPO AO aula 12 GESTÃO E BENCHMARKING Prof. Wilson LAPO 1 Excelência é uma habilidade que se conquista com treinamento e prática. Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um ato,

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE. Certificado NBR ISO 9001

MANUAL DO CLIENTE. Certificado NBR ISO 9001 MANUAL DO CLIENTE Certificado NBR ISO 9001 SEJA BEM VINDO À PRATIKA Prezado cliente, este é o Manual do Cliente Prátika, que apresenta o nosso compromisso com a qualidade e o respeito por quem se relaciona

Leia mais

AVALIAÇÃO. A responsabilidade pela revisão e cancelamento desta Norma é da Cgcre.

AVALIAÇÃO. A responsabilidade pela revisão e cancelamento desta Norma é da Cgcre. AVALIAÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-029 APROVADA EM DEZ/28 Nº 01/06 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Documentos Complementares 5 Siglas 6 Definições 7 Tipos de Avaliação 8 Condições

Leia mais

Por Constantino W. Nassel

Por Constantino W. Nassel NORMA ISO 9000 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 REQUISITOS E LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA IMPLEMENTAÇÃO Por Constantino W. Nassel CONTEÚDOS O que é a ISO? O que é a ISO 9000? Histórico Normas

Leia mais

ABNT NBR ISO Sistemas de Gestão da Segurança Manual do SGS

ABNT NBR ISO Sistemas de Gestão da Segurança Manual do SGS OBJETIVO DO SGS Para aumentar a segurança dos clientes e seus colaboradores, a Alaya Expedições montou um sistema de gestão baseado no princípio da melhoria contínua e na conformidade com a norma ABNT

Leia mais

OHSAS 18001:2007 Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Requisitos

OHSAS 18001:2007 Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Requisitos OHSAS 18001:2007 Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Requisitos Prefácio Esta Norma da Série de Avaliação de Segurança e Saúde Ocupacional Occupational Health and Safety Series (OHSAS)

Leia mais

Controle de Não-Conformidades

Controle de Não-Conformidades CSE-403-4 Tópicos Especiais em Garantia de Missão e de Produto Espaciais Título: Controle de Não-Conformidades Autores: André Eduardo de Oliveira Isabel Geier Maria Helena Geier Sumário 1. Introdução 2.

Leia mais

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Viviane Lanunce Paes Supervisora da Gestão Integrada - CAP Carlos Eduardo Tavares de Castro Superintendente

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO GESTÃO INTEGRADA DE RISCO OPERACIONAL, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE Objetivo Este documento

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DA BIBLIOTECA PROFESSOR ALYSSON DAROWISH. Diana Palhano Ludmila Ventilari

CERTIFICAÇÃO DA BIBLIOTECA PROFESSOR ALYSSON DAROWISH. Diana Palhano Ludmila Ventilari CERTIFICAÇÃO DA BIBLIOTECA PROFESSOR ALYSSON DAROWISH MITRAUD Diana Palhano Ludmila Ventilari O que é Qualidade? Conceito de gestão: Conforme Deming: é a satisfação do cliente e melhoria contínua O que

Leia mais

IX Seminário de Tecnologia em Saneamento Ambiental da Regional São Paulo

IX Seminário de Tecnologia em Saneamento Ambiental da Regional São Paulo (ISO Em Processo de Implantação) IX Seminário de Tecnologia em Saneamento Ambiental da Regional São Paulo Vantagens de um sistema de gestão da qualidade nos serviços de saneamento básico Manoel Carlos

Leia mais

Certificações do PNCQ

Certificações do PNCQ Isabeth Gonçalves Gestão da Qualidade PNCQ Certificações do PNCQ 1 A tendência natural de todos os processos é vigorar em estado caótico e não controlado. Tudo está sujeito a falhas. Não existe perfeição.

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 SOMENTE PARA USO INTERNO Este material foi elaborado pela Atmos Capital Gestão de Recursos Ltda. ( Atmos Capital ou Gestora

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional Base: Setembro/2015

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional Base: Setembro/2015 Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional Base: Setembro/2015 ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL DEFINIÇÃO O BMB entende que uma gestão apropriada do risco operacional é importante,

Leia mais

ABNT NBR SGS MANUAL DO SGS

ABNT NBR SGS MANUAL DO SGS OBJETIVO DO SGS Para aumentar a segurança dos clientes e seus colaboradores, a Alaya Expedições montou um sistema de gestão baseado no principio da melhoria contínua e na conformidade com a norma ABNT

Leia mais

CRIATIVIDADE Relatório de Consultoria

CRIATIVIDADE Relatório de Consultoria ELBI ELÉTRICA LTDA Betim/MG Proposta_ELBI-Betim-7_2015_((Criatividade))_rev.B Este relatório contem um resumo das atividades desenvolvidas na ELBI Betim/MG desde o início das atividades de consultoria

Leia mais

Este procedimento tem por objetivo descrever a sistemática do monitoramento, mensuração e inspeção do Sistema de Gestão de SMS da SMART EXPRESS.

Este procedimento tem por objetivo descrever a sistemática do monitoramento, mensuração e inspeção do Sistema de Gestão de SMS da SMART EXPRESS. 1. OBJETIVO Este procedimento tem por objetivo descrever a sistemática do monitoramento, mensuração e inspeção do Sistema de Gestão de SMS da SMART EXPRESS. Nas inspeções, procura-se identificar, registrar

Leia mais

Risco de Liquidez. Um Investimentos S/A CTVM. Fev/2010 Atualização Set/ 13 Atualização Fev/14. Resolução nº 4090/12

Risco de Liquidez. Um Investimentos S/A CTVM. Fev/2010 Atualização Set/ 13 Atualização Fev/14. Resolução nº 4090/12 Risco de Liquidez Resolução nº 4090/12 Fev/2010 Atualização Set/ 13 Atualização Fev/14 Um Investimentos S/A CTVM Objetivo Estabelecer as diretrizes para o gerenciamento dos riscos de liquidez a assegurar

Leia mais

AUDITORIA AMBIENTAL 2016_2

AUDITORIA AMBIENTAL 2016_2 AUDITORIA AMBIENTAL PROF. DRA. ÉRICA L. ROMÃO. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS E AMBIENTAIS ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA, UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, EEL-USP 2016_2 AS NORMAS DA SÉRIE 14000 Normas ISO

Leia mais