A Importância dos Cuidados com o Cuidador. Lívia Kondrat

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Importância dos Cuidados com o Cuidador. Lívia Kondrat"

Transcrição

1 A Importância dos Cuidados com o Cuidador Lívia Kondrat ABRALE 22 de Julho de 2011

2 CÂNCER é uma doença crônica; possui tratamentos com possibilidade de cura; traz consigo estigmas; está cercada por mitos, mistérios e crenças;

3 CÂNCER gera dependência e sentimentos muitas vezes contraditórios: culpa, medo, punição, injustiça, vergonha, raiva, tristeza, angústia; provoca impacto tanto na vida dos pacientes como também de seus familiares, amigos, vizinhos

4 FAMÍLIA desperta diferentes imagens para cada um; novas configurações ampliação do conceito de família Família: passa a abranger não somente os laços de sangue, mas também os laços de afeto

5 FAMÍLIA A família passa por várias fases: saída da casa dos pais, casamento, nascimento dos filhos, filhos adolescentes, saída dos próprios filhos de casa, chegada dos netos, velhice CADA FASE VAI EXIGIR NOVAS TAREFAS!!!

6 FAMÍLIA O adoecimento de alguém da família gera uma ruptura do equilíbrio: novas tarefas, novas realidades, idas e vindas ao hospital, medicação, dores, medos, insegurança, raiva, impotência... MUDANÇAS!!! Reestruturação e redefinição dos papeis familiares flexibilidade!!!

7 FAMÍLIA a doença vai ter um significado diferente para cada membro familiar e cada um vai enfrentar essa nova situação a seu próprio modo SOMOS DIFERENTES!!! Todos são afetados pelo adoecimento, cada um a seu modo, mas, em geral, é apenas uma pessoa quem assume o papel de cuidador principal

8 CUIDAR O QUE É CUIDAR???

9 CUIDAR DICIONÁRIO: 1. cogitar, imaginar, pensar, refletir; 2. considerar-se; 3. ocupar-se de, tratar de; 4. precaver-se de; 5. zelar pelo bem-estar ou pela saúde de, tratar da saúde de, sustentar; 6. tratar da própria saúde ou zelar pelo próprio bem-estar

10 CUIDAR CUIDADO COM O OUTRO E CONSIGO MESMO!!!

11 O CUIDADO o cuidado com o outro só é possível quando se tem algum tipo de vínculo com a pessoa que necessita desse cuidado, quando aquela pessoa possui algum significado para nós!!! é permeado pelo afeto

12 O CUIDADO se dá quando nos preocupamos e nos importamos de alguma forma com o outro que necessita de cuidados a qualidade e o tipo de cuidado vai depender do tipo de relação estabelecida com aquela pessoa e com a história de vida de cada um

13 O CUIDADOR Pode ser dividido em vários tipos: profissional; leigo; familiar

14 O CUIDADOR O processo de cuidar não se limita à identificação dos sinais e sintomas da doença!!!! auxiliar nas atividades de vida diária (cuidar da casa, pagar contas, preparar refeições), no auto-cuidado (banho, vestir, alimentar, andar); no tratamento; proporcionar conforto; oferecer apoio emocional, afeto, confiança, fazer companhia, conversar; facilitar a comunicação e a demonstração de afeto

15 ESTAR DO LADO!!! O PACIENTE NÃO ESTARÁ SOZINHO!!!

16 O CUIDADOR a função de cuidador permite a ressignificação da própria vida, dos próprios valores, das próprias crenças; as necessidades de cuidado se modificam de acordo com a fase da doença e ao longo do tratamento exigências diferentes e adaptações constantes por parte do cuidador e da família

17 O CUIDADOR Ser o responsável principal pelos cuidados de outra pessoa pode gerar muitos sentimentos... - prazer - raiva - cansaço - gratificação - satisfação - culpa - sobrecarga - plenitude - estresse - irritabilidade

18 O CUIDADOR Passa a não ter mais tempo para si, para cuidar de si, para sair, passear, conversar com outras pessoas isolamento, depressão, doenças somáticas, ansiedade, problemas de memória, dificuldades para dormir

19 O CUIDADOR CUIDAR DE SI

20 O CUIDADOR Quando conseguimos delegar tarefas e funções para outras pessoas podemos manter algumas de nossas atividades, projetos e planos SAÚDE MENTAL

21 O CUIDADOR Ser cuidador por um longo período de tempo pode ser desgastante tanto fisicamente quanto emocionalmente... CUIDADOR DEVE CUIDAR DE SI PARA PODER CUIDAR DO OUTRO!!! EQUILÍBRIO EMOCIONAL!!!

22 AGRADECIMENTOS ABRALE CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde PAD (Programa de Assistência Domiciliar HU/USP) CRISTIANE VIZZONE (Psicóloga) FAMILIARES E PACIENTES

23 OBRIGADA!!! Lívia Kondrat, psicóloga

Sinais visíveis de transtornos psicológicos: como identificar e lidar com estes pacientes?

Sinais visíveis de transtornos psicológicos: como identificar e lidar com estes pacientes? Sinais visíveis de transtornos psicológicos: como identificar e lidar com estes pacientes? Sávia M. Emrich Pinto Psicóloga Serviço de Radioterapia Sinais visíveis de transtornos psicológicos: como identificar

Leia mais

Enfrentamento da Dor. Avaliação de Situação 10/05/2013. Enfrentamento da Dor Crônica. Processo de Avaliação Cognitiva. Profa. Dra. Andréa G.

Enfrentamento da Dor. Avaliação de Situação 10/05/2013. Enfrentamento da Dor Crônica. Processo de Avaliação Cognitiva. Profa. Dra. Andréa G. Enfrentamento da Dor Crônica Enfrentamento da Dor Profa. Dra. Andréa G. Portnoi BIO PSICO SOCIAL Sensação Incapacitação Diagnóstico Medicamentos Procedimentos Tratamentos Emoção Cognição Comportamento

Leia mais

WHOQOL-100 Versão em português ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE AVALIAÇÃO DE QUALIDADE DE VIDA

WHOQOL-100 Versão em português ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE AVALIAÇÃO DE QUALIDADE DE VIDA WHOQOL-100 Versão em português ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE AVALIAÇÃO DE QUALIDADE DE VIDA Coordenação do Grupo WHOQOL no Brasil Dr. Marcelo Pio de Almeida Fleck Departamento de Psiquiatria e Medicina

Leia mais

A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original. Albert Einstein. Olá! Prepare se para um mergulho profundo em si mesmo.

A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original. Albert Einstein. Olá! Prepare se para um mergulho profundo em si mesmo. PLANO DE TRATAMENTO PROGRAMA SAÚDE INTEGRAL Os objetivos do PLANO DE TRATAMENTO são os seguintes: ensinar uma nova forma de pensar e agir, com o objetivo de atingir um estado optimum de saúde; ensinar

Leia mais

Depressão: o que você precisa saber

Depressão: o que você precisa saber Depressão: o que você precisa saber Se você acredita que tem depressão, ou conhece alguém que talvez sofra desse transtorno, leia este material. O que é a depressão? A depressão é um transtorno mental

Leia mais

MEDIDAS DE PREVENÇÃO NA SAÚDE MENTAL. Prof. João Gregório Neto

MEDIDAS DE PREVENÇÃO NA SAÚDE MENTAL. Prof. João Gregório Neto MEDIDAS DE PREVENÇÃO NA SAÚDE MENTAL Prof. João Gregório Neto PREVENÇÃO Ato ou efeito de prevenir-se Disposição ou preparo antecipado e preventivo Precaução, cautela Modo de ver antecipado, premeditado

Leia mais

Trabalhando a ansiedade do paciente

Trabalhando a ansiedade do paciente Trabalhando a ansiedade do paciente Juliana Ono Tonaki Psicóloga Hospitalar Título SOFRIMENTO... principal Sofrimento humano como condição à todos; Cada um sente à sua forma e intensidade; Manifestação

Leia mais

Depressão: Os Caminhos da Alma... (LÚCIA MARIA)

Depressão: Os Caminhos da Alma... (LÚCIA MARIA) (LÚCIA MARIA) 1 Dedicatória: A todos os que sofrem de depressão, uma doença cruel e invisível, mas que pode ser vencida. 2 Sinopse: Muito embora, o título comece com uma expressão diferente, a intenção

Leia mais

2 CHAKRA Sexual Localização Cor Cristais relacionados : Parte associadas Informações: Desequilíbrios físicos:

2 CHAKRA Sexual Localização Cor Cristais relacionados : Parte associadas Informações: Desequilíbrios físicos: 2 CHAKRA Sexual Localização: Quatro dedos abaixo do umbigo; Cor: Laranja; Cristais relacionados: Laranja e marrom; Parte associadas: Gônadas (testículos e ovários) e funções corporais metabólicas. Informações:

Leia mais

Cuidados paliativos com foco no cuidador: criança x cuidador

Cuidados paliativos com foco no cuidador: criança x cuidador Encontro Nacional Unimed de Assistentes Sociais Cuidados paliativos com foco no cuidador: criança x cuidador Elaine de Freitas Assistente Social Instituto da Criança - HCFMUSP Família A família, desde

Leia mais

A ABORDAGEM HOLÍSTICA DO CUIDADO DE ENFERMAGEM NA DOENÇA A DE HUNTINGTON

A ABORDAGEM HOLÍSTICA DO CUIDADO DE ENFERMAGEM NA DOENÇA A DE HUNTINGTON A ABORDAGEM HOLÍSTICA DO CUIDADO DE ENFERMAGEM NA DOENÇA A DE HUNTINGTON Introdução Quando o indivíduo duo se encontra doente, ele pode aceitar ou pode ser imposto um papel dependente. Nessas condições,

Leia mais

3 CHAKRA Plexo solar ou umbilical

3 CHAKRA Plexo solar ou umbilical 3 CHAKRA Plexo solar ou umbilical Localização: Quatro dedos acima do umbigo (diafragma); Cor: Amarela; Cristais associados: Amarelos e dourados. Partes associadas: Pâncreas, fígado, glândulas suprarrenais,

Leia mais

A pren den do a. n o processo saú de / doen ça. Profª.Graça Pimenta UCSal

A pren den do a. n o processo saú de / doen ça. Profª.Graça Pimenta UCSal A pren den do a cu i dar da cri an ça n o processo saú de / doen ça Profª.Graça Pimenta UCSal CUIDAR Ato básico que resulta na satisfação das necessidades da criança mantendo seu bemestar pessoal. CUIDAR

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR. Teste Seus Chakras

MATERIAL COMPLEMENTAR. Teste Seus Chakras MATERIAL COMPLEMENTAR Teste Seus Chakras IMPORTANTE: Este teste tem como objetivo a percepção de si mesmo e o autoconhecimento. FUNCIONAMENTO A seguir você verá uma tabela com os principais sintomas de

Leia mais

Redes sociais, afectos e pessoas idosas

Redes sociais, afectos e pessoas idosas Redes sociais, afectos e pessoas idosas António M. Fonseca afonseca@porto.ucp.pt CONVERSAS DE FIM DE TARDE VISEU, 29 JUNHO 2012 Uma vida mais longa A esperança média de vida tem aumentado de forma dramática:

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA MANTER A ESTABILIDADE EMOCIONAL. Silvana Lopes Ribeiro Futura Diretora Executiva Mary Kay

A IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA MANTER A ESTABILIDADE EMOCIONAL. Silvana Lopes Ribeiro Futura Diretora Executiva Mary Kay A IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA MANTER A ESTABILIDADE EMOCIONAL OBJETIVO Apenas quando conseguimos equilibrar nossa vida espiritual-pessoal-profissional, vislumbramos as reais possibilidades em

Leia mais

Motivados para o Sucesso Agora você vai criar uma vida com impacto e prosperar financeiramente

Motivados para o Sucesso Agora você vai criar uma vida com impacto e prosperar financeiramente Motivados para o Sucesso Agora você vai criar uma vida com impacto e prosperar financeiramente Motivados para o Sucesso - http://cristina-teixeira.com 1 O Meu Mapa Financeiro- Confidencial Dinheiro Tóxico

Leia mais

Qualidade de Vida 02/03/2012

Qualidade de Vida 02/03/2012 Prof. Dr. Carlos Cezar I. S. Ovalle Descreve a qualidade das condições de vida levando em consideração fatores como saúde, educação, expectativa de vida, bem estar físico, psicológico, emocional e mental.

Leia mais

Impacto da falta de recursos no cuidador. Cristina Campos Psicóloga Carlos Filipe Correia Psicólogo

Impacto da falta de recursos no cuidador. Cristina Campos Psicóloga Carlos Filipe Correia Psicólogo Impacto da falta de recursos no cuidador Cristina Campos Psicóloga Carlos Filipe Correia Psicólogo Novos desafios Aumento da esperança de vida Envelhecimento demográfico Esfera socioeconómica Família Sociedade

Leia mais

Mente Sã Corpo São! Abanar o Esqueleto - Os factores que influenciam as doenças osteoarticulares. Workshop 1

Mente Sã Corpo São! Abanar o Esqueleto - Os factores que influenciam as doenças osteoarticulares. Workshop 1 Abanar o Esqueleto - Os factores que influenciam as doenças osteoarticulares. Workshop 1 Mente Sã Corpo São! Unidade de Cuidados na Comunidade Centro de Saúde de Alfândega da Fé Elaborado por: Rosa Correia

Leia mais

ACOMPANHAMENTO PSICOSSOCIAL DE CRIANÇAS E JOVENS DIABÉTICOS

ACOMPANHAMENTO PSICOSSOCIAL DE CRIANÇAS E JOVENS DIABÉTICOS ACOMPANHAMENTO PSICOSSOCIAL DE CRIANÇAS E JOVENS DIABÉTICOS ACES Porto Oriental / Centro de Saúde de Campanhã Emília Aparício, Assistente Social Cristina Campos, Psicóloga INTRODUÇÃO Desde 2007, o Serviço

Leia mais

Depressão em mulheres

Depressão em mulheres Depressão em mulheres Por que a depressão é maior em mulheres? O que é depressão? A depressão é um distúrbio de alteração do humor sério e por vezes incapacitante. Causa sentimentos de tristeza, desespero,

Leia mais

Como inovar transformando velhos dilemas em novas práticas.

Como inovar transformando velhos dilemas em novas práticas. Como inovar transformando velhos dilemas em novas práticas. Letícia Andrade Assistente Social HC-FMUSP: Ambulatório de Cuidados Paliativos e Núcleo de Assistência Domiciliar Interdisciplinar Cuidados Paliativos:

Leia mais

SUICÍDIO COMO IDENTIFICAR?

SUICÍDIO COMO IDENTIFICAR? COMO IDENTIFICAR? Ludmila Palhano 1 O detalhamento do conhecimento dos fatores de risco auxilia na delimitação da populações nas quais os eventos poderão ocorrer com maior frequência. ABP, 2014 Dois principais

Leia mais

ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO JUNTO AO PACIENTE COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA

ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO JUNTO AO PACIENTE COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO JUNTO AO PACIENTE COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA SANTOS, Eduardo Araujo Acadêmico do Curso de Psicologia (FAEF). e-mail: eduardopsicologia@live.com CARDOSO, Edivania Messias Barbalho

Leia mais

O floral para um ano novo de verdade

O floral para um ano novo de verdade O floral para um ano novo de verdade Floral especial para acreditar mais em você em 2015 e vencer! Como é que você vai entrar em 2015? A) Ansioso(a) B) Com medo C) Sentindo-se muito só D) Alegre mas com

Leia mais

OS MEDIA E A SAÚDE MENTAL ENTREVISTAS COM JORNALISTAS. Julho 2016

OS MEDIA E A SAÚDE MENTAL ENTREVISTAS COM JORNALISTAS. Julho 2016 OS MEDIA E A SAÚDE MENTAL ENTREVISTAS COM JORNALISTAS Julho 2016 AMOSTRA AMOSTRA Entre os dia 20 e 29 de junho, foram entrevistados 10 jornalistas que escrevem sobre saúde, nos seguintes meios: / CONTEXTO

Leia mais

Inteligência Emocional para Vencer. Diretora Senior Fernanda Groba

Inteligência Emocional para Vencer. Diretora Senior Fernanda Groba Inteligência Emocional para Vencer Diretora Senior Fernanda Groba Bem-Vindas!!! O que é Inteligencia Emocional? Em 1995 o psicólogo Daniel Goleman criou este conceito e difundiu para o mundo. Inteligência

Leia mais

Competências Pessoais e Sociais I Inteligência Emocional Sessão 2 20 e 21 de Outubro. Isabel Paiva de Sousa

Competências Pessoais e Sociais I Inteligência Emocional Sessão 2 20 e 21 de Outubro. Isabel Paiva de Sousa Competências Pessoais e Sociais I Sessão 2 20 e 21 de Outubro Isabel Paiva de Sousa isabelmpsousa@netcabo.pt Outubro 2015 1 Alegria Confiança Apego Prazer Alivio Esperança Euforia Surpresa Raiva Tristeza

Leia mais

Como Prevenir o Suicídio?

Como Prevenir o Suicídio? Como Prevenir o Suicídio? Profa. Ana Carolina Schmidt de Oliveira Psicóloga CRP 06/99198 Especialista em Dependência Química (UNIFESP) Doutoranda (UNIFESP) anacarolina@vidamental.com.br vidamental.com.br

Leia mais

Grupo Bem-me-quero: Intervenção para pais na APAE em Juiz de Fora/MG

Grupo Bem-me-quero: Intervenção para pais na APAE em Juiz de Fora/MG Apresentação em pôster Grupo Bem-me-quero: Intervenção para pais na APAE em Juiz de Fora/MG Júlia Magna Silva Teixeira¹; Laís Lage de Carvalho²; Ana Carolina da Silva Toledo³, Rafaela Toledo Dias 4 ; Giselle

Leia mais

Inteligência Emocional + Coaching = Alta Performance Pessoal e Profissional

Inteligência Emocional + Coaching = Alta Performance Pessoal e Profissional Inteligência Emocional + Coaching = Alta Performance Pessoal e Profissional TAUILY CLAUSSEN D ESCRAGNOLLE TAUNAY PSICÓLOGO CRP 11/05595 MESTRE E DOUTORANDO EM CIENCIAS MEDICAS (FAMED/UFC) PROFESSOR DO

Leia mais

Engagement, Burnout e Rotatividade: Que relação, fatores e impactos? alexandra marques pinto

Engagement, Burnout e Rotatividade: Que relação, fatores e impactos? alexandra marques pinto Engagement, Burnout e Rotatividade: Que relação, fatores e impactos? alexandra marques pinto Agenda Stress profissional nos enfermeiros e seus impactos Burnout profissional Engagement com o trabalho Preditores

Leia mais

Depressão. Um distúrbio que tem solução.

Depressão. Um distúrbio que tem solução. Depressão Um distúrbio que tem solução. DEPRESSÃO Depressão é um transtorno psiquiátrico sem causa definida. Afeta o humor, levando à perda de interesse e de prazer por quase todas as atividades do dia

Leia mais

3.15 As psicoses na criança e no adolescente

3.15 As psicoses na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.15 As psicoses na criança e no adolescente Introdução As psicoses são doenças mentais raras que, geralmente, se iniciam no fim da adolescência

Leia mais

Estresse. Saiba identifi car o excesso de preocupação e nervosismo.

Estresse. Saiba identifi car o excesso de preocupação e nervosismo. Estresse Saiba identifi car o excesso de preocupação e nervosismo. EsTREssE O estresse é uma reação física e mental diante de estímulos que podem ser positivos ou negativos. As pessoas não reagem da mesma

Leia mais

Superando os momentos difíceis

Superando os momentos difíceis Superando os momentos difíceis Valdir José de Castro Superando os momentos difíceis para viver melhor Direção editorial: Claudiano Avelino dos Santos Assistente editorial: Jacqueline Mendes Fontes Revisão:

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ATIVIDADE FÍSICA 1 a Atividade Física 2013.indd 1 09/03/15 16 SEDENTARISMO é a falta de atividade física suficiente e pode afetar a saúde da pessoa. A falta de atividade física

Leia mais

PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil

PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil PONTA DELGADA AÇORES 08 a 10 de MAIO de 2013 Emmanuel Fortes S. Cavalcanti 3º Vice Presidente CFM - Brasil Trabalho de educação continuada desenvolvido pelo CRM-AL em 2002. Atendimento de profissionais

Leia mais

Atuação do Psicólogo na Radioterapia. Psicóloga: Alyne Lopes Braghetto

Atuação do Psicólogo na Radioterapia. Psicóloga: Alyne Lopes Braghetto Atuação do Psicólogo na Radioterapia Psicóloga: Alyne Lopes Braghetto Hospital Israelita Albert Einstein 650 leitos História Década de 50: nascimento da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert

Leia mais

Você, sua família e a doença crônica

Você, sua família e a doença crônica HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI MANUAL DO PACIENTE - VOCÊ, SUA FAMÍLIA E A DOENÇA CRÔNICA - EDIÇÃO REVISADA 01/2006 Você, sua família e a doença crônica Estamos

Leia mais

Análise do Artigo para leitura

Análise do Artigo para leitura Conflitos e gerações Análise do artigo solicitado para leitura; Conflitos geracionais no ambiente de trabalho; Stress e conflitos organizacionais; Stress, conflitos e doenças do trabalho. Prof. Dr. Alexandre

Leia mais

Males da Alma......são transtornos que causam sofrimento intenso, comprometem a rotina da pessoa afetada, alteram

Males da Alma......são transtornos que causam sofrimento intenso, comprometem a rotina da pessoa afetada, alteram Males da Alma......são transtornos que causam sofrimento intenso, comprometem a rotina da pessoa afetada, alteram seu comportamento e trazem prejuízos em todas as áreas da vida de quem está doente. Ansiedade,

Leia mais

Avaliação da prevalência de ansiedade e depressão dos pacientes estomizados da microregião de Divinopólis/Santo Antonio do Monte-MG

Avaliação da prevalência de ansiedade e depressão dos pacientes estomizados da microregião de Divinopólis/Santo Antonio do Monte-MG Avaliação da prevalência de ansiedade e depressão dos pacientes estomizados da microregião de Divinopólis/Santo Antonio do Monte-MG Juliano Teixeira Moraes 1,Isabela Teixeira Rezende Guimarães 2, Magda

Leia mais

6 Conclusão e Recomendação para estudos futuros 6.1. Conclusão

6 Conclusão e Recomendação para estudos futuros 6.1. Conclusão 6 Conclusão e Recomendação para estudos futuros 6.1. Conclusão Este estudo foi feito com o objetivo de determinar quais os atributos e estados psicilógicos individuais existentes como barreiras intrapessoais,

Leia mais

Qualidade de vida do idoso. Juliana Amaral

Qualidade de vida do idoso. Juliana Amaral Qualidade de vida do idoso Juliana Amaral Conceito Expressão da moda nos últimos 25 anos Popular e tema de debates públicos e políticos Maior expectativa de vida x qualidade de vida Relacionado a bem estar

Leia mais

& SENTIMENTOS DE ADOLESCENTES COM CÂNCER:

& SENTIMENTOS DE ADOLESCENTES COM CÂNCER: & SENTIMENTOS DE ADOLESCENTES COM CÂNCER: Um Estudo Qualitativo 1 Estefânia Cazarolli 2 Carmem Lúcia Colomé Beck 2 Cynthia Helena Ferreira Machado 2 Alexa Pupiara Flores Coelho 2 Suraia Estácia Ambrós

Leia mais

Comunicação Definição: A comunicação humana é um processo que envolve a troca de informações e utiliza os sistemas simbólicos como suporte para este f

Comunicação Definição: A comunicação humana é um processo que envolve a troca de informações e utiliza os sistemas simbólicos como suporte para este f Comunicação em Cuidados Paliativos Ana Valeria de Melo Mendes Comunicação Definição: A comunicação humana é um processo que envolve a troca de informações e utiliza os sistemas simbólicos como suporte

Leia mais

Mitos e Verdades sobre a Adaptação Escolar

Mitos e Verdades sobre a Adaptação Escolar Mitos e Verdades sobre a Adaptação Escolar Se a criança gostar do espaço e das tias, ela não irá chorar. O choro é uma forma da criança expressar seus anseios e inseguranças. Ao chegar a um ambiente novo,

Leia mais

pare de fumar agora!

pare de fumar agora! pare de fumar agora! Parar de fumar é muito mais fácil do que você pensa! O sistema Como Parar de Fumar Cigarro é tão eficiente porque ensina não só como deixar de fumar, mas também ensina a nunca mais

Leia mais

Conhecendo o Processo de Adoecimento e Hospitalização da Criança. Profª Graça Pimenta UCSal

Conhecendo o Processo de Adoecimento e Hospitalização da Criança. Profª Graça Pimenta UCSal Conhecendo o Processo de Adoecimento e Hospitalização da Criança Profª Graça Pimenta UCSal CRIANÇA SADIA Conceito Ser em constante evolução biopsicosocial, tem características próprias, e reage de modo

Leia mais

Mães Guerreiras: o que é ter um filho com doença genética rara no Brasil

Mães Guerreiras: o que é ter um filho com doença genética rara no Brasil Mães Guerreiras: o que é ter um filho com doença genética rara no Brasil Objetivo A Aliança Brasil MPS juntamente com o Ibope realizou uma pesquisa com cuidadores de pacientes com Mucopolissacaridose -

Leia mais

a natureza da vida o luto: dimensão geral o luto: tipos e particularidades

a natureza da vida o luto: dimensão geral o luto: tipos e particularidades Curso de Formação curso acreditado sociedade portuguesa de estudo e intervenção n temas da formação a natureza da vida : dimensão geral : tipos e particularidades 1 Tears in the heaven o que é? quais as

Leia mais

COMO AJUDAR QUEM PERDEU PESSOAS QUERIDAS

COMO AJUDAR QUEM PERDEU PESSOAS QUERIDAS COMO AJUDAR QUEM PERDEU PESSOAS QUERIDAS OPÇÕES DE LOGO 1. Psicotraumatologia Clínica 2. PSICOTRAUMATOLOGIA CLÍNICA psicotraumatologia clínica Todos já perdemos ou perderemos pessoas queridas e, geralmente,

Leia mais

Marcos S. Lapa Médico Geriatra II SIMPÓSIO GESEN. Londrina, 15 de setembro 2012

Marcos S. Lapa Médico Geriatra II SIMPÓSIO GESEN. Londrina, 15 de setembro 2012 Marcos S. Lapa Médico Geriatra II SIMPÓSIO GESEN Londrina, 15 de setembro 2012 TRÊS MODALIDADE 1. CONSULTA DOMICILIAR: paciente prefere ser atendido no domicílio, não necessariamente apresenta alguma limitação

Leia mais

Andréia de Conto Garbin

Andréia de Conto Garbin Andréia de Conto Garbin Promoção: DVST - CEREST ESTADUAL/SP São Paulo, 12 de novembro de 2015 O nexo causal dos Transtornos mentais relacionados ao trabalho e a importância da anamnese ocupacional Por

Leia mais

PROGRAMA PSICO-EDUCATIVO PARA FAMÍLIAS EM RISCO GENÉTICO: O CASO DOS CANCROS HEREDITÁRIOS 1. PRESSUPOSTOS

PROGRAMA PSICO-EDUCATIVO PARA FAMÍLIAS EM RISCO GENÉTICO: O CASO DOS CANCROS HEREDITÁRIOS 1. PRESSUPOSTOS PROGRAMA PSICO-EDUCATIVO PARA FAMÍLIAS EM RISCO GENÉTICO: O CASO DOS CANCROS HEREDITÁRIOS Universidade de Aveiro, Portugal Secção Autónoma de Ciências da Saúde, Grupo de Investigação Saúde Familiar e Comunitária

Leia mais

UNIDADE DE CUIDADOS NA COMUNIDADE DE CASTELO BRANCO. Valor da Sexualidade na Adolescência

UNIDADE DE CUIDADOS NA COMUNIDADE DE CASTELO BRANCO. Valor da Sexualidade na Adolescência UNIDADE DE CUIDADOS NA COMUNIDADE DE CASTELO BRANCO Valor da Sexualidade na Adolescência energia que nos motiva a procurar amor, contacto, ternura e intimidade; que se integra no modo como nos sentimos,

Leia mais

O Questionário RX. 1 - Você está acima do peso? E se está, sabe exatamente quantos quilos tem hoje?

O Questionário RX. 1 - Você está acima do peso? E se está, sabe exatamente quantos quilos tem hoje? O Questionário RX As respostas nesse questionário são apenas pra você, para o seu autoconhecimento. Isso vai servir pra você tomar consciência de várias coisas que precisam ser trabalhadas, muitas delas

Leia mais

E-BOOK CO M L O U R O

E-BOOK CO M L O U R O BENZIMENTO E-BOOK CO M L O U R O Quem somos? Nós somos Bruno Gimenes e Patrícia Cândido e neste material especial nós vamos lhe ensinar algumas técnicas especiais de aplicação e resultados rápidos, para

Leia mais

Minhas inquietações. Por que a maioria dos tratamentos para a obesidade fracassam? Como uma sociedade que produz obesos os marginaliza?

Minhas inquietações. Por que a maioria dos tratamentos para a obesidade fracassam? Como uma sociedade que produz obesos os marginaliza? Obesidade na faixa etária pediátrica compreendendo o problema na sua integralidade Minhas inquietações Por que o obeso é tão culpabilizado? Por que a maioria dos tratamentos para a obesidade fracassam?

Leia mais

ABORDAGEM PSICOTERÁPICA ENFERMARIA

ABORDAGEM PSICOTERÁPICA ENFERMARIA I- Pressupostos básicos: 1- Definição: aplicação de técnicas psicológicas com a finalidade de restabelecer o equilíbrio emocional da pessoa pp. fatores envolvidos no desequilibrio emocional conflitos psicológicos

Leia mais

COMO MUDAR O COMPORTAMENTO ALIMENTAR NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL. Annie Bello, PhD Prof. Adjunta de Nutrição Clínica - UERJ

COMO MUDAR O COMPORTAMENTO ALIMENTAR NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL. Annie Bello, PhD Prof. Adjunta de Nutrição Clínica - UERJ COMO MUDAR O COMPORTAMENTO ALIMENTAR NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL Annie Bello, PhD Prof. Adjunta de Nutrição Clínica - UERJ 4 CHAVES PARA A MUDANÇA DO COMPORTAMENTO ALIMENTAR Módulo 2 COMER INTUITIVO + COMER

Leia mais

SÍNDROME DE BURNOUT das causas ao cuidado

SÍNDROME DE BURNOUT das causas ao cuidado SÍNDROME DE BURNOUT das causas ao cuidado PELA MANHÃ VOCÊ SE SENTE ASSIM? E NO TRABALHO, VOCÊ SE SENTE ASSIM? SUA VIDA ESTA ASSIM? OU TUDO ESTA ASSIM? ESTRESSE Ocorre diante de uma situação (real ou imaginária)

Leia mais

COMO MANTER O LAR LIVRE DA DROGA

COMO MANTER O LAR LIVRE DA DROGA COMO MANTER O LAR LIVRE DA DROGA A PREVENÇÃO AO USO DO CRACK COMEÇA DENTRO DE CASA: Estudos apontam que pais ausentes ou superprotetores podem favorecer a queda dos filhos na dependência química. A PREVENÇÃO

Leia mais

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE Grave violação dos direitos fundamentais de toda criança e adolescente, no entanto muito comum. Cerca de 10% das crianças e adolescentes que chegam

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE VIDA DAS PACIENTES NO PERÍODO PUERPÉRIO Carla Suely Coutinho Amaral 1, Nelimar Ribeiro de Castro 2. Introdução

ORIENTAÇÃO DE VIDA DAS PACIENTES NO PERÍODO PUERPÉRIO Carla Suely Coutinho Amaral 1, Nelimar Ribeiro de Castro 2. Introdução ORIENTAÇÃO DE VIDA DAS PACIENTES NO PERÍODO PUERPÉRIO Carla Suely Coutinho Amaral 1, Nelimar Ribeiro de Castro 2 Resumo: Este trabalho referiu-se a uma atividade acadêmica na área de Psicologia Hospitalar

Leia mais

14:35 15:10 -Persona, Jornada e Analogia + Cases 15:10 15:20 Sharing com cluster 15:30 16:00 Persona 16:00 16:30 Jornada 16:30 16:50 Analogia +

14:35 15:10 -Persona, Jornada e Analogia + Cases 15:10 15:20 Sharing com cluster 15:30 16:00 Persona 16:00 16:30 Jornada 16:30 16:50 Analogia + AQUECIMENTO 14:35 15:10 -Persona, Jornada e Analogia + Cases 15:10 15:20 Sharing com cluster 15:30 16:00 Persona 16:00 16:30 Jornada 16:30 16:50 Analogia + Redefinição Desafio 16:50 17:00 D.Brief em grupos

Leia mais

PSICOLOGIA DA SAÚDE. Conceitos, Personalidade, Comportamento e Transtornos Mentais no Trabalho

PSICOLOGIA DA SAÚDE. Conceitos, Personalidade, Comportamento e Transtornos Mentais no Trabalho PSICOLOGIA DA SAÚDE Conceitos, Personalidade, Comportamento e Transtornos Mentais no Trabalho Boas vindas e Objetivo Contribuir com os Participantes no Desenvolvimento de Mudanças e Repertorio técnico

Leia mais

Gestão de Pessoas A contribuição dos modelos de Acreditação Hospitalar para os resultados da Organização.

Gestão de Pessoas A contribuição dos modelos de Acreditação Hospitalar para os resultados da Organização. Gestão de Pessoas A contribuição dos modelos de Acreditação Hospitalar para os resultados da Organização. Rosangela Martha Gerente Recursos Humanos O RH estratégico é capaz de influenciar não apenas o

Leia mais

Mostra de Iniciação Científica OS BENEFÍCIOS QUE A INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA HOSPITALAR TRAZ PARA OS FAMILIARES DOS PACIENTES TERMINAIS

Mostra de Iniciação Científica OS BENEFÍCIOS QUE A INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA HOSPITALAR TRAZ PARA OS FAMILIARES DOS PACIENTES TERMINAIS Mostra de Iniciação Científica OS BENEFÍCIOS QUE A INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA HOSPITALAR TRAZ PARA OS FAMILIARES DOS PACIENTES TERMINAIS Gisele Ross 1 Letícia Montemezzo 2 Camila Scheifler Lang 3 INTRODUÇÃO

Leia mais

CUIDADORES INFORMAIS BREVE ABORDAGEM ENFERMEIRO RUI FONTES

CUIDADORES INFORMAIS BREVE ABORDAGEM ENFERMEIRO RUI FONTES CUIDADORES INFORMAIS BREVE ABORDAGEM ENFERMEIRO RUI FONTES ENQUADRAMENTO HISTÓRICO Envelhecimento da População Falta de recursos/ Recursos caros Preferência do Idoso Contexto cultural Imposição modelo

Leia mais

Qualidade de vida de cuidadores de idosos portadores de doenças crônicas: uma análise da sobrecarga de trabalho

Qualidade de vida de cuidadores de idosos portadores de doenças crônicas: uma análise da sobrecarga de trabalho Qualidade de vida de cuidadores de idosos portadores de doenças crônicas: uma análise da sobrecarga de trabalho Isabela Cristina da Silva 1 ; Lívia Loamí Ruyz Jorge de Paula 2 Resumo O objetivo deste trabalho

Leia mais

LEVANTAMENTO DE SINAIS E SINTOMAS SUGESTIVOS DA SÍNDROME DO CUIDADOR EM CUIDADORES DE PACIENTES PORTADORES DE ALZHEIMER

LEVANTAMENTO DE SINAIS E SINTOMAS SUGESTIVOS DA SÍNDROME DO CUIDADOR EM CUIDADORES DE PACIENTES PORTADORES DE ALZHEIMER LEVANTAMENTO DE SINAIS E SINTOMAS SUGESTIVOS DA SÍNDROME DO CUIDADOR EM CUIDADORES DE PACIENTES PORTADORES DE ALZHEIMER Isabella Barros Almeida Faculdade de Ciências Medicas de Campina Grande FCM (bella_barros@hotmail.com.br)

Leia mais

CUIDANDO DE QUEM CUIDA O PAPEL DO PSICÓLOGO COM CUIDADORES DE PACIENTES PALIATIVOS

CUIDANDO DE QUEM CUIDA O PAPEL DO PSICÓLOGO COM CUIDADORES DE PACIENTES PALIATIVOS CUIDANDO DE QUEM CUIDA O PAPEL DO PSICÓLOGO COM CUIDADORES DE PACIENTES PALIATIVOS Adriana Aparecida de Faria; Angélica Muniz Aparecido; Giovanna Lima da Cruz; Eduardo Khater Resumo A proposta dos Cuidados

Leia mais

DICAS DE SAÚDE. Quais as opções de tratamento disponíveis para depressão?

DICAS DE SAÚDE. Quais as opções de tratamento disponíveis para depressão? DICAS DE SAÚDE Quais as opções de tratamento disponíveis para depressão? André Gordilho, Pisiquiatria, Depressão O tratamento principal é feito à base de medicações, através do uso isolado ou combinado

Leia mais

2. Ao longo do livro, no "Momento

2. Ao longo do livro, no Momento SEJA BEM-VINDO AO MEU NOVO LIVRO. ESTE VOLUME VEM ACOMPANHADO DE UMA APP GRATUITA, CRIADA A PENSAR EM SI. SIGA AS INDICAÇÕES E ENFRENTE A VIDA DE CORAÇÃO ABERTO! 1. Pode efetuar o download gratuito da

Leia mais

RESSIGNIFICAR: PSICOLOGIA E ONCOLOGIA 1. Jacson Fantinelli Dos Santos 2, Flávia Flach 3.

RESSIGNIFICAR: PSICOLOGIA E ONCOLOGIA 1. Jacson Fantinelli Dos Santos 2, Flávia Flach 3. RESSIGNIFICAR: PSICOLOGIA E ONCOLOGIA 1 Jacson Fantinelli Dos Santos 2, Flávia Flach 3. 1 Trabalho de Extensão Departamento de Humanidades e Educação, Curso de Graduação em Psicologia 2 Acadêmico do 8ºsemestre

Leia mais

ESTRESSE E QUALIDADE DE VIDA. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

ESTRESSE E QUALIDADE DE VIDA. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior ESTRESSE E QUALIDADE DE VIDA Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior O QUE É ESTRESSE? Estresse não é um diagnóstico, doença, ou síndrome. Estresse é um conjunto de sintomas emocionais ou físicos, não

Leia mais

Ao longo deste ano, fizeram-me muitas perguntas sobre temas variados relacionados com a sexualidade, perguntas essas feitas em diferentes contextos,

Ao longo deste ano, fizeram-me muitas perguntas sobre temas variados relacionados com a sexualidade, perguntas essas feitas em diferentes contextos, INTRODUÇÃO Falemos de Sexo sem Tabus, de uma forma simples, directa e de fácil compreensão, a todos os portugueses, homens e mulheres, curiosos e interessados em melhorar a sua sexualidade. Falar sobre

Leia mais

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE Maio de 2010 Estresse O estresse é um conjunto de sinais que o corpo usa para mostrar que a pessoa está num estado que não corresponde ao que ela realmente

Leia mais

coleção Conversas #12 - SETEMBRO é no Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #12 - SETEMBRO é no Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. a s coleção Conversas #12 - SETEMBRO 2014 - Eu sinto a I tr s ç o ã o por c é no r r m ia a nç a l? s. Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

TERAPIA DO ESQUEMA PARA CASAIS

TERAPIA DO ESQUEMA PARA CASAIS TERAPIA DO ESQUEMA PARA CASAIS CONVERSANDO SOBRE KELLY PAIM Busca por relacionamentos satisfatórios Relações que trazem prejuízo e sofrimento O que acontece então? RELAÇÕES ÍNTIMAS VULNERABILIDADE HUMANA

Leia mais

Dedicatória. Juliana Braga Gomes. Cristiane Flôres Bortoncello

Dedicatória. Juliana Braga Gomes. Cristiane Flôres Bortoncello Dedicatória Dedico este livro aos meus familiares, que nutrem o meu amor todos os dias, em especial aos meus pais, avós, irmãos e meu marido Henrique. Aos meus sobrinhos Pedro, Alice e Marina, que trazem

Leia mais

Unidade IV Os seres vivos e o meio ambiente.

Unidade IV Os seres vivos e o meio ambiente. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Unidade IV Os seres vivos e o meio ambiente. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL

Leia mais

Isolamento na Velhice

Isolamento na Velhice Isolamento na Velhice Grupo de Trabalho Fórum para a Governação Integrada 2014/2015 Coordenador: Mário Rui André Equipa: Carla Ribeirinho, Catarina Cruz, Isabel Vaz Pinto, Maria José Domingos, Maria Helena

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR PROGRAMA DE ATENÇÃO DOMICILIAR UNIMED-BH CAMILA CARNEIRO DA FONSECA Assistente Social Serviço de Atenção Domiciliar Atenção Domiciliar

Leia mais

3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente

3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.5 Medos e ansiedade na criança e no adolescente Introdução À medida que cresce e descobre o mundo à sua volta, a criança vai-se apercebendo como

Leia mais

Então o Senhor Deus declarou: "Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda".

Então o Senhor Deus declarou: Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda. Então o Senhor Deus declarou: "Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda". Gênesis 2:18 Disse então o homem: "Esta, sim, é osso dos meus ossos e carne da minha

Leia mais

TÍTULO: O IMPACTO DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM PACIENTES OSTOMIZADOS POR CÂNCER

TÍTULO: O IMPACTO DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM PACIENTES OSTOMIZADOS POR CÂNCER TÍTULO: O IMPACTO DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM PACIENTES OSTOMIZADOS POR CÂNCER CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES

Leia mais

Infarto Agudo do Miocárdio Avaliação de Saúde Mental. Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2009

Infarto Agudo do Miocárdio Avaliação de Saúde Mental. Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2009 Infarto Agudo do Miocárdio Avaliação de Saúde Mental Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2009 Grupo de Trabalho: Dra. Ana Luiza Camargo Psicóloga Ana Lucia Martins da Silva Implementação do Protocolo:

Leia mais

3.4 A criança que não vai à escola (Recusa escolar e Gazeta às aulas)

3.4 A criança que não vai à escola (Recusa escolar e Gazeta às aulas) Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.4 A criança que não vai à escola (Recusa escolar e Gazeta às aulas) Introdução É relativamente frequente que, pontualmente, a criança se recuse

Leia mais

HISTÓRIA DO SRT DE CAXIAS DO SUL: CRIAÇÃO E AMPLIAÇÃO

HISTÓRIA DO SRT DE CAXIAS DO SUL: CRIAÇÃO E AMPLIAÇÃO HISTÓRIA DO SRT DE CAXIAS DO SUL: CRIAÇÃO E AMPLIAÇÃO Sonia Rossetti 1 Tatiana Minoia Almada 2 INTRODUÇÃO Por um longo período no município de Caxias do Sul os únicos recursos para atendimento das pessoas

Leia mais

22ª JORNADA DA AMINT NOVEMBRO/2008 DEPRESSÃO E TRABALHO. MARIA CRISTINA PALHARES MACHADO PSIQUIATRA MÉDICA DO TRABALHO mcris1989@hotmail.

22ª JORNADA DA AMINT NOVEMBRO/2008 DEPRESSÃO E TRABALHO. MARIA CRISTINA PALHARES MACHADO PSIQUIATRA MÉDICA DO TRABALHO mcris1989@hotmail. 22ª JORNADA DA AMINT NOVEMBRO/2008 DEPRESSÃO E TRABALHO MARIA CRISTINA PALHARES MACHADO PSIQUIATRA MÉDICA DO TRABALHO mcris1989@hotmail.com DEPRESSÃO 1. Afeta pelo menos 12% das mulheres e 8% dos homens

Leia mais

Enfrentar a velhice e a doença crónica: um programa de apoio a doentes com AVC e seus familiares

Enfrentar a velhice e a doença crónica: um programa de apoio a doentes com AVC e seus familiares Enfrentar a velhice e a doença crónica: um programa de apoio a doentes com AVC e seus familiares Liliana Sousa Universidade de aveiro Lilianax@cs.ua.pt Elementos da equipa de investigação José Rente, Eunice

Leia mais

Tratamento do Câncer Miguel Gabriel Prazeres de Carvalho

Tratamento do Câncer
Miguel Gabriel Prazeres de Carvalho Direitos - Tratamento do Câncer Miguel Gabriel Prazeres de Carvalho Direitos dos Pacientes Fonte: http://www.oncoguia.org.br/direitos-dos-pacientes/ Fonte: http://www.oncoguia.org.br/direitos-dos-pacientes//

Leia mais

O DIA DO ENEM CHECKLIST PASSO A PASSO PARA. 1. Introdução. 2. Tenha uma boa noite de sono. 3. Cuide da alimentação. 4. Reveja as regras do edital

O DIA DO ENEM CHECKLIST PASSO A PASSO PARA. 1. Introdução. 2. Tenha uma boa noite de sono. 3. Cuide da alimentação. 4. Reveja as regras do edital CHECKLIST PASSO A PASSO PARA O DIA DO ENEM 1. Introdução 2. Tenha uma boa noite de sono 3. Cuide da alimentação 4. Reveja as regras do edital 5. Planeje a sua ida 6. Elimine o estresse 7. Faça uma revisão

Leia mais

PRÉ-NATAL DE ALTO RISCO

PRÉ-NATAL DE ALTO RISCO Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE PSICOLOGIA POP nº 09 PSI/HU Hospital Universitário Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina PRÉ-NATAL DE ALTO RISCO

Leia mais

1 ª sessão. Sessão com o treinador. Participantes. Treinador. Psicólogo. Motivação para o programa

1 ª sessão. Sessão com o treinador. Participantes. Treinador. Psicólogo. Motivação para o programa 1 ª sessão Sessão com o treinador Treinador Motivação para o programa Discussão sobre a importância das competências psicológicas Descrição do programa Importância do reforço Importância da colaboração

Leia mais

PSICÓLOGO RAFAEL A. PRADO

PSICÓLOGO RAFAEL A. PRADO PSICÓLOGO RAFAEL A. PRADO As síndromes depressivas têm como elementos mais salientes o humor triste e o desânimo; Entretanto, elas caracterizam-se por uma multiplicidade de sintomas afetivos, instintivos

Leia mais