PAINÉIS COMPACTOS DE MÉDIA TENSÃO SÉRIE BEPAC MINISYS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PAINÉIS COMPACTOS DE MÉDIA TENSÃO SÉRIE BEPAC MINISYS"

Transcrição

1 PAINÉIS COMPACTOS DE MÉDIA TENSÃO SÉRIE BEPAC MINISYS

2 IND. E COM. S./A MATRIZ Rua Cantagalo, Tatuapé - São Paulo - SP Fone: (011) Fax: (011) ligação gratuíta site: FÁBRICA II R. Diamante Preto, CEP Tatuapé - São Paulo - SP Fone / Fax: (011) REPRESENTANTES NAS PRINCIPAIS CAPITAIS ASSISTÊNCIA TÉCNICA AUTORIZADA DIMATÉCNICA - Assistência Técnica Autorizada e Comércio de Reposição de Equipamentos BEGHIM Rua Diamante Preto, CEP Tatuapé - São Paulo - SP Fone: (011) Fax: (011) OBSERVAÇÕES GERAIS: "A BEGHIM IND. E COM. S/A se reserva no direito de alterar ou modificar peças, partes, conjuntos ou até mesmo os equipamentos aqui apresentados, sem pré-aviso, visando o aprimoramento de nossa qualidade e a constante preocupação com a atualização tecnológica. "Eventuais consultas técnicas, inclusive para desenvolvimento de versões especiais, dúvidas ou sugestões, deverão ser encaminhadas ao nosso Departamento de Engenharia. "No caso de reclamações, utilize o telefone: (ligação gratuita).

3 ÍNDICE PÁG. GENERALIDADE DESCRIÇÃO e PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ACOPLAMENTO ENTRE OS MÓDULOS BARRAMENTOS DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA DE OPERAÇÃO MÓDULO DE ENTRADA / SAÍDA MÓDULO DE ENTRADA / SAÍDA COM SECCIONAMENTO MÓDULO DE PROTEÇÃO "DISJUNTOR" A VÁCUO MÓDULO DE PROTEÇÃO "DISJUNTOR" A GÁS MÓDULO DE INTERRUPÇÃO MÓDULO DE TRANSLAÇÃO EXEMPLO I EXEMPLO II TRATAMENTO DAS CHAPAS E PINTURA CONDIÇÕES NORMAIS DE SERVIÇO

4 PAINÉIS COMPACTOS DE MÉDIA TENSÃO SÉRIE BEPAC MINISYS fig.01 GENERALIDADES Os módulos pré-fabricados da série BEPAC MINISYS de Média Tensão são padronizados e desenvolvidos para atender a demanda de mercado de painéis compactos da classe de 17,5kV, (vide fig. 01). Totalmente de fabricação nacional são construídos prevendo necessidades de projeto das mais diversas, principalmente as de redução de espaço, maior confiabilidade e segurança de operação, com diversas aplicações para manobra, sistemas de distribuição e proteção de circuitos elétricos, e de redes de Média Tensão, (vide tabela I). De construção modular pode ser transportado e acoplado a outros módulos em campo, de maneira simples e rápida, todos os elementos que compõem essa série foram previstos e dimensionados a facilitar operações dessa natureza, inclusive de futuras ampliações. Isolados a ar foram projetados para atender a norma NBR IEC , atingindo Grau de Proteção IP 30. 4

5 DESCRIÇÃO Os módulos BEPAC MINISYS são autoportantes de fácil instalação, tamanho e peso reduzidos, construídos em invólucro metálico de chapa de aço estrutural de bitola nominal 1,90mm (14MSG), dobradas e estruturados por perfilados que agregam rigidez mecânica capaz de suportar esforços eletrodinâmicos, por ocasião de eventuais falhas, como a ocorrência de curto-circuito. 94 STT KIRK C/ YALE TC TP fig. 02 fig. 03 fig. 04 Esses módulos de simples acoplamento possibilitam interligações para atender futuras ampliações com outros módulos dessa mesma série. São de fácil verificação visual, manutenção reduzida e acesso frontal. Por serem projetados com equipamentos e componentes eletromecânicos nacionalizados, atendem as mais diversas especificações técnicas e dimensionamento rigoroso, (vide figs. 02, 03 e 04). PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS - TABELA I Tensão Nominal (kv) Corrente Nominal (A) Nível Básico de Impulso (kv) Corrente de Curta Duração por 1s (KA) 17, , FRONTAL DO MÓDULO A parte frontal é fechada por porta de acesso contendo maçaneta com fechadura do tipo Yale, uma grade articulada de proteção com tela de aço quadriculado é fixada na região interna das portas dos módulos, de maneira a permitir o acesso frontal consciente e seguro, (vide fig. 05 e 06). No frontal dos módulos estão localizados os comandos de operação e manobra dos equipamentos internos, e na região mais superior, num compartimento isolado adequadamente, inclusive dos efeitos magnéticos, encerram-se as proteções do comando e controle (quando previsto). Nessa região é que estão fixas plaquetas de identificação técnica do módulo e outras de alerta ou advertência. vista frontal porta fechada fig. 05 vista frontal porta aberta fig. 06 5

6 BARRA DE TERRA Entre os módulos, a conexão da "barra de terra" é feita através da simples aplicação de uma pequena tala, como indicado na fig. 7 e 8, interligando de maneira sólida o terra. Barra de fig. 07 terra fig. 08 Barra de terra LATERAIS As laterais são fechadas de maneira a impedir que qualquer ocorrência se propague aos demais módulos, portanto, ficam assim destinadas ao acoplamento elétrico e mecânico entre módulos, (vide figs 9, 10 e 11). O acoplamento elétrico é realizado através das buchas de passagem, e o mecânico através de parafusos que conectam com elevada rigidez à estrutura de um módulo a outro. Quando o módulo não está previsto para acoplamento, as laterais são fechadas através de uma tampa adicional aparafusada na estrutura, que recebe acabamento de pintura e sinalização adequada. TETO Recebe fechamento através de chapa de aço aparafusada à estrutura, e acabamento de pintura de maneira que impede a entrada natural de pó. O teto é provido de quatro olhais para suspensão, translado e transporte do módulo (vide fig. 12). Vista lateral direita fig. 09 Vista fig. 10 Vista fig. 11 frontal com fechamento lateral esquerda aberta para acoplamento fig. 12 fig. 13 Tampa de despressurização FECHAMENTO INFERIOR A parte inferior do módulo é fechada com chapa de aço aparafusada sobre a estrutura. Somente nos casos de saída inferior é que há disposição das furações relativas aos cabos (vide figs. 15 e 16). fig. 14 PARTE POSTERIOR TRASEIRA È fechada por uma tampa única, aparafusada nas extremidades a estrutura do módulo. Essa tampa que recebe acabamento de pintura e sinalização adequada, contém duas outras tampas de despressurização (vide fig.14), responsáveis pela expansão dos gases no caso de uma eventual falha, aliviando a pressão interna, e obrigando assim o módulo permanecer afastado 300mm da parede ou anteparo. 6 fig. 15 fig. 16 Módulo vista traseira sem fechamento

7 ACOPLAMENTO ENTRE OS MÓDULOS O acoplamento entre módulos é simples, não requer ferramentas especiais e pode ser executado em pouco tempo, de maneira que possibilitam o transporte individualmente e o acoplamento elétrico e mecânico em campo. A conexão mecânica é feita através de parafusos introduzidos na parte estrutural lateral de cada módulo (vide figs. 17 e 18), unindo-os tornando uma única estrutura rígida. O acoplamento elétrico é feito através da conexão entre barras das buchas de passagem interligando um circuito a outro (vide fig. 19). conexão mecânica conexão elétrica fig. 17 fig. 19 interior do módulo acoplado fig. 18 fig. 20 fig. 21 fig. 22 fig. 23 módulo com barramento superior módulo de interligação inferior acoplamento das buchas interligação superior fig. 24 fig. 25 interligação inferior BARRAMENTOS Todo barramento é de cobre eletrolítico, o principal é dimensionado para correntes nominais (IN) de 630A e solicitações de corrente de curta duração (ICD) de até 16kA, identificados das respectivas fases através da fixação de fitas adesivas de acordo com a tabela II, ou de acordo com a especificação da concessionária. TABELA II IDENTIFICAÇÃO DAS BARRAS Tipo cor A vermelho B branco C marrom Neutro azul claro Terra verde 7

8 DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA DE OPERAÇÃO Os módulos dessa série são dispostos de fechaduras com chave mestrada do tipo Yale (vide fig. 26), bloqueio mecânico do tipo Kirk (vide fig. 27), e de intertravamentos mecânicos que impedem manobras indevidas ou involuntárias. LIGADA MÓDULO DE ENTRADA / SAÍDA Módulo de entrada / saída inferior / superior por cabos. A pedido poderá ser acrescido neste módulo 3 pára- raios. fig. 26 fig. 27 entrada superior TABELA - III Dimensões (mm) altura largura profundidade fig. 28 fig. 29 fig. 30 fig. 31 fig. 32 fig. 33 entrada inferior MÓDULO DE ENTRADA / SAÍDA COM SECCIONAMENTO Chave seccionadora do tipo HAL/R de abertura simultânea das três fases, sem carga, de comando frontal rotativo, provida de contatos auxiliares 2NA+2NF e fechadura Yale, (vide tabela IV). Os "pára-raios" (quando solicitado) são poliméricos, com varistores de ZnO - 10kA / 12kV, para rede com neutro aterrado de 13,8kV - 50/60Hz. TABELA - IV MAF D 15.6 CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS HAL/R Tensão nominal Corrente nominal Nível básico de impulso (NBI) Corrente de curta duração (simétrico) KV A KV KA 17,5 24, fig. 34 fig. 35 TABELA - V Dimensões (mm) altura largura profundidade VISTA FRONTAL fig. 36 fig. 37 fig. 38 fig. 39 fig. 40 fig. 41 VISTA FRONTAL COM PORTAS ABERTAS VISTA FRONTAL COM PORTAS E GRADES ABERTAS CORTE FRONTAL DISPOSIÇÃO INTERNA DOS COMPONENTES R CIRCUITO ELÉTRICO EQUIVALENTE 8

9 MÓDULO DE PROTEÇÃO "DISJUNTOR" A VÁCUO Este módulo, (vide fig. 43) utiliza o disjuntor a vácuo da série ARC-O-VAC, (vide fig. 42) contendo as principais características elétricas conforme tabela VII. É equipado com comando manual, manual/motorizado e de mais acessórios como disparadores de abertura e fechamento, contatos auxiliares 6NA+6NF e relé indireto de proteção, atende a norma NBR IEC O relé utilizado para proteção é o URPE 7104 ou URP 1439T, trifásico, microprocessado de função ANSI respectivamente e ou,, 27, 47, 59, 86 e 94, (vide fig. 44) atuando diretamente no disparador do disjuntor. Opcionalmente poderá ser provido da proteção de falta a terra "Ground Sensor" e comunicação serial. TABELA - VI Dimensões (mm) altura 1950 largura 1000 É previsto também o relé de abertura a capacitor do tipo CX-P de fabricação BEGHIM, que tem por finalidade proporcionar a abertura do disjuntor, mesmo quando ocorrer falta da tensão auxiliar. MAF D 15.6 fig. 42 profundidade 800 CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS corrente nominal (A) tensão nominal (kv) capacidade nominal de interrupção (MVA) capacidade de interrupção em curto-circuito (ka) nível básico de impulso NBI (kv) corrente de fechamento (crista) (ka) corrente de curta duração por 1 seg. (ka) tensão de ensaio à freqüência industrial (kv) tempos (ms) ciclos de operação comando ( ) ¹ abertura fechamento arco a 100% da c.i.n. carregamento das molas (seg.) contatos auxiliares: 3NA+3NF ou 6NA+6NF (livres) pesos (kg) opcional fixo 0-3 min - CO - 3 min - CO 0-0,3 seg - CO - 3 min - CO execução básica sobre suporte com rodas ( ) conjunto motorizado¹ TABELA - VII MAF D 15.6 ou MAF E , TIPOS MAF D 24.6 ou MAF E , latateral direito ou lateral esquerdo fig. 43 fig. 44 localização do relé URPE 7104 entrada de energia TP TC fig. 45 VISTA FRONTAL COM PORTAS ABERTAS fig. 46 VISTA FRONTAL COM PORTAS E GRADES ABERTAS fig. 47 DISPOSIÇÃO INTERNA DOS COMPONENTES fig. 48 fig. 49 CIRCUITO ELÉTRICO EQUIVALENTE 9

10 MÓDULO DE PROTEÇÃO "DISJUNTOR A GÁS SF6" Este módulo (vide fig. 51), utiliza o disjuntor a gás SF6, do tipo SF6-MF/B (vide fig. 50), contendo as principais características elétricas, conforme tabela IX. É equipado com comando manual, manual/motorizado e de mais acessórios como disparadores de abertura e fechamento, contatos auxiliares 5NA+5NF e relé indireto de proteção, atendendo a norma NBR IEC O relé utilizado para proteção é o URPE 7104 ou URP 1439T, trifásico, microprocessado de função ANSI respectivamente e ou,, 27, 47, 59, 86 e 94, (vide fig. 52) atuando diretamente no disparador do disjuntor. Opcionalmente poderá ser provido da proteção de falta a terra "Ground Sensor" e comunicação serial. TABELA - VIII Dimensões (mm) altura 1950 É previsto também o relé de abertura a capacitor do tipo CX-P de fabricação BEGHIM, que tem por finalidade proporcionar a abertura do disjuntor, mesmo quando ocorrer falta da tensão auxiliar. SF6-MF/B fig. 50 largura profundidade TABELA - IX Tensão nominal (kv) Nível básico de impulso (kv) Freqüência nominal (Hz) Corrente nominal térmica (A) Capacidade nominal de interrupção (ka) Corrente de curta duração por 3 seg. (ka) tempos Pesos CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ciclo de operação abertura (ms) arco (ms) fechamento (ms) TIPO SF6-MF/B 17,5-24, Tensão de ensaio a freqüência industrial por 1 min. (kv) /60 Capacidade de fechamento (ka) 31,5 / 40 Pressão absoluta do gás SF 6 a 20ºC (kpa) 220 interrupção (ms) Relé de proteção indireto - URPE 7104 Transformador de corrente toroidal min - CO - 3 min - CO / / 60 Temperatura de operação (ºC) (kg) 60 sim sim 145 fig. 52 localização do relé URPE 7104 fig. 51 entrada de energia TP TC fig. 53 VISTA FRONTAL COM PORTAS ABERTAS fig. 54 fig. 55 fig. 56 fig. 57 VISTA FRONTAL COM PORTAS E GRADES ABERTAS DISPOSIÇÃO INTERNA DOS COMPONENTES CIRCUITO ELÉTRICO EQUIVALENTE 10

11 0 0 MÓDULO DE INTERRUPÇÃO Equipado com chave Interruptora do tipo IM6S, (vide característica da tabela X) de abertura simultânea das três fases, sob carga, de comando frontal rotativo, provida de disparador de abertura quando da queima de fusível, contatos auxiliares 2NA+2NF, bloqueio mecânico e base para fusíveis do tipo HH, (vide figs. 62 e 63). Opção sem proteção por fusíveis (vide figs. 58 ). TABELA - XI Dimensões (mm) TABELA - X CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS Tensão nominal KV Tensão da prova á freqüência industrial (50/60Hz) por 1 minuto KV N.B.I (1,2/50 micros) (crista) (isolamento) KV Corrente nominal A Corrente de curta duração e de crista KV por 1 seg. TIPO IM6S 17,5-24, altura largura profundidade fig. 58 fig. 59 fig. 60 fig. 61 módulo com módulo com disposição interruptora interruptora interna dos circuito elétrico fechado aberto componentes equivalente fig. 62 fig. 63 módulo com módulo com interruptora fusível, interruptora fusível, fechado aberto fig. 64 fig. 65 disposição interna dos circuito elétrico componentes equivalente 11

12 MÓDULO DE TRANSLAÇÃO Este módulo permite trasladar o encaminhamento das barras da parte de cima do módulo para a parte de baixo, e vice-versa, (vide figs. 66 a 71). TABELA - XII Dimensões (mm) fig. 66 fig. 67 fig. 68 fig. 69 fig. 70 fig. 71 Translado de barras da parte superior para inferior do módulo, seguindo o sentido da energia. Translado de barras da parte inferior para superior do módulo, seguindo o sentido da energia. altura largura profundidade EXEMPLO I entrada inferior por cabos 3 Ø+N+terra - Vn = 13,8kV - Icd = 16kA 3Pr 10kA/12kV 52.1 Interpretando o diagrama unifilar do circuito elétrico ao lado, aplicamos os módulos da série BEPAC MINISYS. 630A 630A 10A 52.2 A B C alimentadores: A, B e C MÓDULO DE ENTRADA INFERIOR + 3 PÁRA-RAIOS MÓDULO DE PROTEÇÃO GERAL COM DISJUNTOR A VÁCUO MÓDULO DE TRANSLAÇÃO DE BARRAS INFERIOR/SUPERIOR MÓDULO DE SAÍDA COM SECCIONAMENTO (ALIMENTADOR - A ) MÓDULO DE SAÍDA COM SECCIONAMENTO E PROTEÇÃO POR FUSÍVEIS (ALIMENTADOR - B ) MÓDULO DE PROTEÇÃO COM DISJUNTOR A VÁCUO (ALIMENTADOR - C ) circuito elétrico no interior dos módulos fig

13 módulos selecionados fig. 73 módulos acoplados Dimensões finais do conjunto: Altura: 1950mm; Profundidade: 1000mm; Largura máxima: 3600mm; Volume total: 7,02m³ EXEMPLO II fig. 74 L1 L2 entrada inferior por cabos 3 Ø+N+terra - Vn = 13,8kV - Icd = 16kA entrada inferior por cabos 3 Ø+N+terra - Vn = 13,8kV - Icd = 16kA 52.1 K A 10A Pr 10kA/12kV 3Pr 10kA/12kV 3Pr 10kA/12kV 3Pr 10kA/12kV 3Pr 10kA/12kV A B C D E 13

14 Interpretando o diagrama unifilar do circuito elétrico ao lado, aplicamos os módulos da série BEPAC MINISYS. módulos selecionados L1 MÓDULO DE ENTRADA INFERIOR + 3 PÁRA-RAIOS MÓDULO DE PROTEÇÃO GERAL COM DISJUNTOR A VÁCUO MÓDULO DE TRANSLAÇÃO DE BARRAS INFERIOR/SUPERIOR MÓDULO DE PROTEÇÃO COM DISJUNTOR A VÁCUO + 3 PÁRA - RAIOS (ALIMENTADOR - A ) MÓDULO DE PROTEÇÃO COM DISJUNTOR A VÁCUO + 3 PÁRA - RAIOS (ALIMENTADOR - B ) MÓDULO DE PROTEÇÃO/ INTERRUPÇÃO COM DISJUNTOR A VÁCUO MÓDULO DE TRANSLAÇÃO DE BARRAS INFERIOR/SUPERIOR MÓDULO DE PROTEÇÃO COM DISJUNTOR A VÁCUO + 3 PÁRA - RAIOS (ALIMENTADOR - C ) MÓDULO DE PROTEÇÃO COM DISJUNTOR A VÁCUO + 3 PÁRA - RAIOS (ALIMENTADOR - D ) MÓDULO DE SAÍDA COMSECCIONAMENTO E PROTEÇÃO POR FUSÍVEIS (ALIMENTADOR - E ) MÓDULO DE TRANSLAÇÃO DE BARRAS SUPERIOR / INFERIOR MÓDULO DE PROTEÇÃO COM DISJUNTOR A VÁCUO L2 MÓDULO DE ENTRADA INFERIOR + 3 PÁRA-RAIOS fig. 75 módulos acoplados Dimensões finais do conjunto: Altura: 1950mm; Profundidade: 1000mm; Largura máxima: 8200mm; Volume total: 15,99m³ fig. 76 TRATAMENTO DAS CHAPAS E PINTURA As chapas e os perfilados que compõem a estrutura metálica do módulo são tratadas antes de cortadas e trabalhadas para montagem, recebendo desengraxe por tratamento químico à base de banhos alcalinos e fosfatização por via úmida a quente, com aplicação nas duas faces da chapa de pintura texturizada em epóxi do tipo eletrostático a pó, na cor cinza munsell N 6,5 de espessura média de 70 (+/- 10%) micras. CONDIÇÕES NORMAIS DE SERVIÇO Os cubículos padronizados da série BEPAC MINISYS de Média Tensão foram projetados para operar em ambiente abrigado, atingindo Grau de Proteção IP 30. Os módulos deverão ser instalados em local adequado, numa base de fixação nivelada, acima do piso de referência, e livre da presença de pequenos animais roedores, goteiras, infiltrações de água e do risco eminente de inundação. O ar desse ambiente deve ser seco e livre de poeira tóxica e da presença de gases corrosivos ou inflamáveis. A temperatura ambiente deverá ser mantida uniforme entre -5 e + 45ºC. 14

15

16 Rua Cantagalo, Tatuapé - São Paulo - SP Telefone (11) Fax (11)

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

PICCOLO. Empresa. Relatório de Ensaio. Características Gerais. Características Construtivas

PICCOLO. Empresa. Relatório de Ensaio. Características Gerais. Características Construtivas Empresa 08 de maio de 1971 - O Engº Paschoal Graziano, com vasta experiência no mercado de eletroeletrônica, e o filho Engº Nunziante Graziano Neto, com a garra e a determinação de um jovem engenheiro,

Leia mais

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. 1 2 ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. A energia é o núcleo dos acontecimentos,

Leia mais

LINHA Bt200. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt200

LINHA Bt200. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt200 LINHA LINHA CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS Dimensões Altura: 2400mm., Largura: 600/700/800mm., Profundidade: 600/800mm. Outras configurações conforme consulta; Estrutura fabricada em chapa de 2,65mm. (12MSG),

Leia mais

17,5kV P/V-17 Painel de Distribuição CA em Caixa Metálica. MSA CONTROL Indústria Elétrica Ltda.

17,5kV P/V-17 Painel de Distribuição CA em Caixa Metálica. MSA CONTROL Indústria Elétrica Ltda. GE Energy Management Industrial Solutions MSA CONTROL - (11) 3961-1171 - comercial@msacontrol.com.br Gear 17,5kV P/V-17 Painel de Distribuição CA em Caixa Metálica MSA CONTROL Indústria Elétrica Ltda.

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Solução Integrada para Instalações em Alvenaria O kit de entrada em média tensão VBWK

Leia mais

Proteção ao circuitos elétricos Baixo custo Conformidade IEC 60947-2

Proteção ao circuitos elétricos Baixo custo Conformidade IEC 60947-2 Proteção ao circuitos elétricos Baixo custo Conformidade IEC 60947-2 Disjuntores FM101 - Linha de Disjuntores em Caixa moldada Disjuntores FM101 - Linha de Disjuntores em Caixa moldada Os disjuntores FM

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO OBRA: SUBESTAÇÃO 500KVA PROPRIETÁRIO: TRT TRIBUNAL REGIONALDO TRABALHO 12ºREGIÃO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. EMERSON CESAR PADOIN PADOIN ENGENHARIA E PROJETOS LTDA MEMORIAL

Leia mais

CENTRO DE CONTROLE DE MOTORES (CCM) CCM GAVETA

CENTRO DE CONTROLE DE MOTORES (CCM) CCM GAVETA CCM GAVETA Aplicações Os CCMs BT GIMI são utilizados nos mais diversos segmentos do mercado: Químico e Petroquímico Siderurgia e Metalurgica Papel e Celulose Mineração e Cimento Alimentos e Bebidas Características

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR Tel.: (021) 2583 6737 Fax.: (021) 2583 6737 Cel.: (021) 9159 4057 dsp@dsp-rj.com.br 1 / 9 Sumário 1 OBJETIVO... 3 2- NORMAS APLICÁVEIS...

Leia mais

Características Técnicas Série Quasar

Características Técnicas Série Quasar Descrição do Produto A Série Quasar é uma linha de painéis tipo CCMi (centro de controle de motores inteligente) para baixa tensão e correntes até 3150 A, ensaiados conforme a norma NBR/IEC 60439-1 - TTA

Leia mais

DRX caixa moldada Uma linha compacta, versátil e de alto desempenho

DRX caixa moldada Uma linha compacta, versátil e de alto desempenho [ PROTEÇÃO E COMANDO ] Produtos e sistemas DRX caixa moldada Uma linha compacta, versátil e de alto desempenho 1 VANTAGENS Permite a montagem frontal de acessórios elétricos por encaixe simples Fácil conexão

Leia mais

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva Com a linha Geafol, obteve-se um transformador com excelentes características elétricas, mecânicas e térmicas que, adicionalmente, ainda é ecológico. São produzidos sob certificação DQS, ISO 9001 e ISO

Leia mais

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Capacitores Correção do Fator de Potência Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Sumário Tecnoloia dos Capacitores...4 Linha de Produtos...5 UCW - Unidade Capacitiva Monofásica...6

Leia mais

Medium voltage products HD4/R Disjuntores de MT em gás para distribuição secundária. Power and productivity for a better world TM

Medium voltage products HD4/R Disjuntores de MT em gás para distribuição secundária. Power and productivity for a better world TM Medium voltage products HD4/R Disjuntores de MT em gás para distribuição secundária Power and productivity for a better world TM Índice 4 1. Descrição 9 2. Escolha e pedido dos disjuntores 48 3. Características

Leia mais

COMPONENTES. Chave sem carga para o tipo de Título Instalação fixa SW

COMPONENTES. Chave sem carga para o tipo de Título Instalação fixa SW COMPONENTES Chave sem carga para o tipo de Título Instalação fixa SW Informações gerais A chave SW sem carga é uma gama completa projetada para cobrir todas as aplicações a serem cumpridas em subestações

Leia mais

SIMBOX XF. Design Segurança Fácil instalação. Quadros de distribuição de energia. A melhor opção em quadros de distribuição de energia.

SIMBOX XF. Design Segurança Fácil instalação. Quadros de distribuição de energia. A melhor opção em quadros de distribuição de energia. Fabricado no Brasil SIMBOX XF Quadros de distribuição de energia A melhor opção em quadros de distribuição de energia. Design Segurança Fácil instalação www.siemens.com.br/simboxxf SIMBOX XF Por fora muito

Leia mais

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Subestações Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Parte de um sistema de potência, concentrada em um dado local, compreendendo primordialmente as extremidades de linhas de transmissão

Leia mais

www.siemens.com/sion Disjuntores a vácuo SION 3AE5 e 3AE1 Equipamento de média tensão Catálogo HG 11.02 2014 Answers for infrastructure and cities.

www.siemens.com/sion Disjuntores a vácuo SION 3AE5 e 3AE1 Equipamento de média tensão Catálogo HG 11.02 2014 Answers for infrastructure and cities. www.siemens.com/sion Disjuntores a vácuo SION AE5 e AE1 Equipamento de média tensão Catálogo HG 11.0 014 Answers for infrastructure and cities. Disjuntores a vácuo SION AE5 e AE1 R-HG11-8.tif Siemens HG

Leia mais

Catalogo Técnico. Disjuntor Motor BDM-NG

Catalogo Técnico. Disjuntor Motor BDM-NG Catalogo Técnico Disjuntor Motor BDM-NG Disjuntores-Motor BDM-NG Generalidade: O disjuntor-motor BDM-NG,Tripolar, são termomagnéticos compactos e limitadores de corrente. Ideal para o comando e a proteção

Leia mais

CATÁLOGO Network, Datacom e Telecom

CATÁLOGO Network, Datacom e Telecom CATÁLOGO Network, Datacom e Telecom 20 GABINETES Linha EF São diversas opções de gabinetes tanto para ambientes limpos quanto para o chão de fábrica, que comportam de a 1.000 de equipamentos. GABINETES

Leia mais

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA.

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS DE ISOLAÇÃO COM BLINDAGEM APLICAÇÃO Os transformadores monofásicos de isolação com blindagens, magnética e eletrostática, foram desenvolvidos

Leia mais

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado.

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado. NT.005 Requisitos Mínimos para Interligação de Gerador de Consumidor Primário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento e

Leia mais

Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Estrutural) Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Características)

Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Estrutural) Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Características) CATÁLOGO TÉCNICO TRANSFORMADORES A ÓLEO DE MÉDIA E ALTA TENSÃO Índice Transformador de Força Transformador Trifásico de Força Classe até 145kV CST (Estrutural) Transformador Trifásico de Força Classe até

Leia mais

Disjuntores a vácuo SION 3AE5 e 3AE1. Equipamento de média tensão. Totally Integrated Power SION. Catálogo HG 11.02. Edição 2015. siemens.

Disjuntores a vácuo SION 3AE5 e 3AE1. Equipamento de média tensão. Totally Integrated Power SION. Catálogo HG 11.02. Edição 2015. siemens. Disjuntores a vácuo SION AE5 e AE1 Equipamento de média tensão Totally Integrated Power SION Catálogo HG 11.0 Edição 015 siemens.com/sion Disjuntores a vácuo SION AE5 e AE1 R-HG11-8.tif Siemens HG 11.0

Leia mais

C HAVE FUSÍVEL T IPO MZ PARA DISTRIBUIÇÃO

C HAVE FUSÍVEL T IPO MZ PARA DISTRIBUIÇÃO C HAVE FUSÍVEL T IPO MZ PARA DISTRIBUIÇÃO A Chave fusível tipo MZ foi desenvolvida para operar em redes de distribuição com tensões de 15, 27 e 38 kv. Especialmente projetada para proteger transformadores,

Leia mais

Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão

Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão Descrição: QUADRO AUTO-PORTANTE ATÉ 4000A Local de Aplicação QGBT Modelo Fabricante: Fabricante Alternativo Normas NBR 6808, IEC 60439-1 Aplicáveis Critério

Leia mais

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA MODELO TAM TRANSFORMADORES - TIPO TAM Os transformadores a seco moldados em resina epóxi são indicados para operar em locais que exigem segurança, os materiais utilizados em sua construção são de difícil

Leia mais

CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO

CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO 1 CONDIÇÕES PRÉVIAS Antes de iniciar qualquer trabalho de montagem, ou antes de adquirir um posto de transformação (PT),

Leia mais

Disjuntores-Motor BDM-G. Dados Técnicos Características Gerais. Posições das teclas

Disjuntores-Motor BDM-G. Dados Técnicos Características Gerais. Posições das teclas Disjuntores-Motor BDM-G Generalidade: O disjuntor-motor BDM-G,Tripolar, são termomagnéticos compactos e limitadores de corrente. Ideal para o comando e a proteção dos motores. Possuem alta capacidade de

Leia mais

Interruptores Seccionadores SDW Correntes Nominais de 40 a 70 A Versões bipolar, tripolar e tetrapolar

Interruptores Seccionadores SDW Correntes Nominais de 40 a 70 A Versões bipolar, tripolar e tetrapolar Minidisjuntores MBW Correntes nominais de 2 a 70 A Curvas de disparo B e C Versões monopolar, bipolar, tripolar e tetrapolar Interruptores Diferenciais Residuais DRs RBW Sensibilidade de ou 0mA Correntes

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW Relés de Sobrecarga Térmico RW Informações Gerais - Local para identificação - Tecla Reset + Multifunção

Leia mais

Quadros de distribuição de energia elétrica

Quadros de distribuição de energia elétrica Catálogo Técnico Quadros de distribuição de energia elétrica de embutir de sobrepor 206-01/2009-0 Quadros de distribuição de energia elétrica Linha Luxury ÍNDICE Características técnicas...2 Acessórios...4

Leia mais

Capacitores para Correção do Fator de Potência Bobinas de polipropileno metalizado, auto-regenerativo e com dielétrico seco Perdas dielétricas

Capacitores para Correção do Fator de Potência Bobinas de polipropileno metalizado, auto-regenerativo e com dielétrico seco Perdas dielétricas Capacitores para Correção do Fator de Potência Bobinas de polipropileno metalizado, auto-regenerativo e com dielétrico seco Perdas dielétricas menores que 0,4 W/kvar Dispositivo interruptor de segurança

Leia mais

CERTIFICADO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO

CERTIFICADO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 1 Empresa 08 de maio de 1971 - O Engº Paschoal Graziano, com vasta experiência no mercado de eletroeletrônica, e o filho Engº Nunziante Graziano Neto, com a garra e a determinação de um jovem engenheiro,

Leia mais

GE Industrial Solutions. Disjuntores Industriais Norma IEC. TEDi / THEDi. GE imagination at work. GE Consumer & Industrial

GE Industrial Solutions. Disjuntores Industriais Norma IEC. TEDi / THEDi. GE imagination at work. GE Consumer & Industrial GE Consumer & Industrial GE Industrial Solutions Disjuntores Industriais Norma IEC TEDi / THEDi GE imagination at work 2 TEDi e THEDi Características técnicas do produto NBR IEC 609472 TIPO Nº de pólos

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Tintas

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Tintas Capacitores Correção do Fator de Potência Motores Automação Energia Tintas Unidade Capacitiva Monofásica - UCW g As unidades capacitivas monofásicas WEG, tipo UCW, são produzidas com filme de polipropileno

Leia mais

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas Motores Automação Energia Tintas www.weg.net Em um Transformador Seco WEG, há mais de 40 anos de experiência na fabricação de motores elétricos, mais de 25 anos na fabricação de transformadores e toda

Leia mais

Acessórios Desconectáveis 200A

Acessórios Desconectáveis 200A 200A APLICAÇÃO Os Acessórios da Prysmian possuem uma concepção de projeto baseada no sistema plugue - tomada, porém para tensões, permitindo fácil conexão e desconexão de um cabo de potência, de um equipamento,

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

Galtrans MANUAL DE INSTRUÇÕES PAINEL MOD.: CROMATEC EQUIPAMENTOS PARA GALVANOPLASTIA. www.galtrans.com.br

Galtrans MANUAL DE INSTRUÇÕES PAINEL MOD.: CROMATEC EQUIPAMENTOS PARA GALVANOPLASTIA. www.galtrans.com.br MANUAL DE INSTRUÇÕES PAINEL MOD.: CROMATEC A GALTRANS agradece pela compra deste equipamento.para assegurar o total entendimento do seu funcionamento e obter o melhor desempenho possível, leia atentamente

Leia mais

SION Disjuntor a Vácuo para as mais diferentes Aplicações

SION Disjuntor a Vácuo para as mais diferentes Aplicações SION Disjuntor a Vácuo para as mais diferentes Aplicações Siemens Média Tensão Schutzvermerk / Copyright-Vermerk Siemens AG 2012 Índice 1. Dados técnicos 2. Portfolio 3. Características do Produto 4. Detalhes

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

Contatores de Média Tensão 01

Contatores de Média Tensão 01 Março 2001 01 - SL Geral Introdução...2 Características técnicas...2 História...2 Tecnologia... 2 Aplicações... 2 Design e Normas de Ensaio... 2 Características Técnicas dos Contatores (160-400 Amperes)

Leia mais

Disjuntores a Vácuo SION Descrição. Índice. Título Aqui. Seção 1 Disjuntores a Vácuo SION Descrição. Seção 2 Disjuntor Padrão 3AE

Disjuntores a Vácuo SION Descrição. Índice. Título Aqui. Seção 1 Disjuntores a Vácuo SION Descrição. Seção 2 Disjuntor Padrão 3AE Disjuntores a Vácuo Descrição Disjuntores a Vácuo Título Aqui Índice Seção 1 Disjuntores a Vácuo Descrição Seção 2 Disjuntor Padrão 3AE Seção 3 Módulo Deslizante 3AE Anexo Siemens AG 2005 Disjuntores a

Leia mais

Proteção de Sistemas Elétricos Disjuntores, DR e DPS. Júlio Bortolini Engenheiro Eletricista Soprano Eletrometalúrgica e Hid. Ltda

Proteção de Sistemas Elétricos Disjuntores, DR e DPS. Júlio Bortolini Engenheiro Eletricista Soprano Eletrometalúrgica e Hid. Ltda Proteção de Sistemas Elétricos Disjuntores, DR e DPS Júlio Bortolini Engenheiro Eletricista Soprano Eletrometalúrgica e Hid. Ltda DISJUNTORES Definição Disjuntor Disjuntor: dispositivo de seccionamento

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. CAIXA DE MEDIÇÃO EM 34, kv 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de

Leia mais

holec System T-60 Sistema de barramento a l t a s e g u r a n ç a n a b a i x a t e n s ã o

holec System T-60 Sistema de barramento a l t a s e g u r a n ç a n a b a i x a t e n s ã o a l t a s e g u r a n ç a n a b a i x a t e n s ã o 1 Suporte de barramento tripolar T 610 630 A Suporte de barramento para barra de Neutro T 611 Características técnicas O foi projetado para permitir

Leia mais

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES

SUBESTAÇÃO TIPOS DE SUBESTAÇÕES SUBESTAÇÃO Uma subestação elétrica é um grupamento de equipamentos elétricos com a finalidade de dirigir o fluxo de energia elétrica num sistema de potência e de possibilitar a operação segura do sistema,

Leia mais

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br

Fontes CC. Principais características. www.supplier.ind.br A SUPPLIER Indústria e Comércio de Eletroeletrônicos Ltda é uma empresa constituída com o objetivo de atuar no setor das Indústrias Eletroeletrônicas, principalmente na fabricação de fontes de alimentação

Leia mais

Sivacon S4. Segurança na sua forma mais elegante: O painel de distribuição de energia para baixa tensão que determina novos padrões.

Sivacon S4. Segurança na sua forma mais elegante: O painel de distribuição de energia para baixa tensão que determina novos padrões. Segurança na sua forma mais elegante: O painel de distribuição de energia para baixa tensão que determina novos padrões. Sivacon S4 Tudo perfeito devido à distribuição de energia de baixa tensão da Siemens.

Leia mais

Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I

Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I Sistema de Proteção Elétrica em Subestações com Alta e Média Tensão Parte I Prof. Eng. José Ferreira Neto ALLPAI Engenharia Out/14 Parte 1 -Conceitos O Sistema Elétrico e as Subestações Efeitos Elétricos

Leia mais

Chaves comutadoras sob carga 3 posições (I-0-II) Linhas OT, OTM e OEM

Chaves comutadoras sob carga 3 posições (I-0-II) Linhas OT, OTM e OEM Chaves comutadoras sob carga 3 posições (I-0-II) Linhas OT, OTM e OEM As comutadoras da ABB possuem manobra e isolação confiáveis entre a rede primária e a rede secundária de energia, assegurando, assim,

Leia mais

Bastidores para fibra óptica

Bastidores para fibra óptica Apresentação A gama de armários para fibra óptica Olirack foi concebida para a instalação, protecção e isolamento de terminadores e repartidores ópticos. A fibra óptica é um filamento feito de vidro ou

Leia mais

Protegendo e otimizando a instalação elétrica em média tensão com Evokit P

Protegendo e otimizando a instalação elétrica em média tensão com Evokit P Protegendo e otimizando a instalação elétrica em média tensão com Evokit P Disjuntor Evolis Alta durabilidade Durabilidade elétrica: - E2: 10.000 interrupções a corrente nominal Durabilidade mecânica:

Leia mais

Proteção Diferencial

Proteção Diferencial GE Consumer & Industrial GE Energy Management Industrial Solutions Proteção Diferencial DR - Interruptor Diferencial Residual DDR - Disjuntor com Proteção Diferencial DOC (Diff-o-Click) - Blocos Diferenciais

Leia mais

Produtos de Automação. Disjuntor em caixa moldada Baixa tensão Linha Formula

Produtos de Automação. Disjuntor em caixa moldada Baixa tensão Linha Formula Produtos de Automação Disjuntor em caixa moldada Baixa tensão Linha Formula Simplicidade e qualidade A linha de disjuntores em caixa moldada FORMULA é o resultado da longa experiência da ABB ao longo de

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Conceitos modernos de especificação e uso de Subestações e Painéis de média tensão Eng. Nunziante Graziano, M. Sc. AGENDA - NORMAS DE REFERÊNCIA

Leia mais

PCH BARUÍTO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO

PCH BARUÍTO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO PCH BARUÍTO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO CUIABÁ MT OUTUBRO DE 2003 1 PCH BARUITO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO Empreendedor : Global Energia Elétrica S/A Empreendimento:

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CHAVE ESTÁTICA MONOFÁSICA 2 A 6 KVA

MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CHAVE ESTÁTICA MONOFÁSICA 2 A 6 KVA MANUAL DE INSTALAÇÃO DA CHAVE ESTÁTICA MONOFÁSICA 2 A 6 KVA ÍNDICE Introdução 01 Principais aplicações 01 Características técnicas 02 Descrição de funcionamento 03 Instalação 04 Armazenamento 05 Assistência

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA Código NTD-00.024 Data da emissão 05.11.2009 Data da última

Leia mais

www.siemens.com.br/3nj4 Sentron 3NJ4 e 3NJ5 Seccionadores Fusíveis Verticais Maior segurança em soluções compactas

www.siemens.com.br/3nj4 Sentron 3NJ4 e 3NJ5 Seccionadores Fusíveis Verticais Maior segurança em soluções compactas www.siemens.com.br/3nj4 Sentron 3NJ4 e 3NJ5 Seccionadores Fusíveis Verticais Maior segurança em soluções compactas Verticais SENTRON Maior segurança em soluções compactas SENTRON: Dispositivos para distribuição

Leia mais

SUBESTAÇÃO PRIMÁRIA COMPACTA BLINDADA

SUBESTAÇÃO PRIMÁRIA COMPACTA BLINDADA SUBESTAÇÃO PRIMÁRIA COMPACTA BLINDADA IND. E COM. S./A MATRIZ Rua Cantagalo, 2187 - CEP 03319-901 - Tatuapé - São Paulo - SP Fone: (011) 2942-4500 - Fax: (011) 2294-9371 - ligação gratuíta - 0800 13 3322

Leia mais

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO.

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO. Fornecimento de Energia Elétrica Nos banheiros deverão ser instalados um disjuntor bifásico no quadro de energia existente de cada quadrante conforme projeto. Deste quadro sairá a alimentação para os banheiros.

Leia mais

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia e de Controlo de Potência em instalações BTN ÍNDICE

Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia e de Controlo de Potência em instalações BTN ÍNDICE Manual de Execução de Trabalhos em Equipamento de Contagem de Energia e de Controlo de Potência em instalações BTN ÍNDICE 1. Localização e montagem... 2 1.1. Equipamento de contagem... 2 1.2. Dispositivos

Leia mais

Equipamentos de manobra. Chaves Seccionadoras e Comutadoras Answers for industry.

Equipamentos de manobra. Chaves Seccionadoras e Comutadoras Answers for industry. Equipamentos de manobra Chaves Seccionadoras e Comutadoras Answers for industry. s A Índice Seccionadores S31 - tetrapolares... 2 Seccionadores S32, Ergon - tripolares e tetrapolares... 3 Seccionadores

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS DA SE PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA COMPONENTES SUBESTAÇÕES OBJETIVOS Apresentar os principais equipamentos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

Chaves 3 KU Seccionadoras e Comutadoras

Chaves 3 KU Seccionadoras e Comutadoras haves 3 KU Seccionadoras e omutadoras haves Seccionadoras e omutadoras Seccionadoras s chaves Seccionadoras E tipo 3KU1, para cargas de 12 a 1000 em 00 Vca 0- Hz, são apropriadas para uso como chaves gerais

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Manobra de Capacitores

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Manobra de Capacitores Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Automação Contatores para Manobra de Capacitores Manobras de Capacitores para Correção do Fator de Potência A linha de contatores especiais CWMC

Leia mais

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA, TERMOGRAFIA E MANUTENÇÃO CORRETIVA EM SUBESTAÇÕES TRANSFORMADORAS DE PRÉDIOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE 1. OBJETO: Serviços de manutenção

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO MATERIAL CÂMARA TRANSFORMADORA Unid. Quant. V. unit.r$ V. TotalR$ Placa de

Leia mais

RELÉS CONTATORES - BOTOEIRAS

RELÉS CONTATORES - BOTOEIRAS RELÉS CONTATORES - BOTOEIRAS Análise de Circuitos Contatores/Relés Aula 02 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 3 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Sobrecarga

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 4 NOTA TÉCNICA 6.008 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA COM INTERRUPÇÃO

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELOS: AIRES, LUMIAR FÊNIX, FÊNIX CONTR PETIT Obrigado por adquirir o VENTISOL. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura guarde-o

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA DDE Nº 006/2014 DE 10/12/2014

INFORMAÇÃO TÉCNICA DDE Nº 006/2014 DE 10/12/2014 INFORMAÇÃO TÉCNICA DDE Nº 006/2014 DE 10/12/2014 Procedimentos para validação de Subestações Blindadas Classes 15 kv e 36,2 kv Este procedimento se encontra na sua Revisão 2 cancelando e substituindo o

Leia mais

gl2 plus DESCRIção VANTAGENS

gl2 plus DESCRIção VANTAGENS gl2 PLUS gl2 plus CARACTERÍSTICAS - PROJETOR Estanqueidade: IP 66 (*) Resistência ao impacto (vidro): IK 08 (**) Classe de isolamento elétrico: I (*) Tensão nominal: 127 a 277V, 50-60 Hz Peso: 13.6 kg

Leia mais

VD4 Instruções para a instalação e funcionamento 12... 36 kv - 630...3150 A - 16... 50 ka

VD4 Instruções para a instalação e funcionamento 12... 36 kv - 630...3150 A - 16... 50 ka Medium voltage products VD Instruções para a instalação e funcionamento... 36 kv - 630...3150 A - 16... 50 ka Índice Para a sua segurança! 1 I. Introdução 2 II. Programa para a preservação do meio ambiente

Leia mais

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada Notas: Critérios Construtivos do Padrão de Entrada A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada. O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

SUPLEMENTO Nº 03. 1. Com referência ao Pregão Eletrônico PE.GCM.A.00175.2013, informamos que este Suplemento visa alterar:

SUPLEMENTO Nº 03. 1. Com referência ao Pregão Eletrônico PE.GCM.A.00175.2013, informamos que este Suplemento visa alterar: PE.GCM.A.0075.203 /6 SUPLEMENTO Nº 03. Com referência ao Pregão Eletrônico PE.GCM.A.0075.203, informamos que este Suplemento visa alterar:.. Edital, Seção V, Anexo II, Formulário 02 Acessórios e Ferramentas

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO KIT ALARM. www.kitfrigor.com.br Fone: 0XX11 5033-5656

MANUAL DE INSTRUÇÃO KIT ALARM. www.kitfrigor.com.br Fone: 0XX11 5033-5656 MANUAL DE INSTRUÇÃO KIT ALARM www.kitfrigor.com.br Fone: 0XX11 5033-5656 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO... 3 2 - CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS... 4 3 INSTALAÇÃO... 5 4 - OPERAÇÃO... 6 5 SIMBOLOGIA... 7 6 LIMPEZA...

Leia mais

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br

Série Quasar. Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente. www.altus.com.br Série Quasar Quadro Geral de Baixa Tensão Quadro de Distribuição Centro de Controle de Motores Inteligente www.altus.com.br Na medida exata para seu negócio Modular: ampla variedade de configurações para

Leia mais

ENGEMATEC CAPACITORES

ENGEMATEC CAPACITORES ENGEMATEC CAPACITORES CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA Confiança e economia na qualidade da energia. Equipamentos Elétricos e Elêtronicos de Potência Ltda 2 MODELOS DOS CAPACITORES TRIFÁSICOS PADRONIZADOS

Leia mais

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 1 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS

Leia mais

Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 SIPLUX E SIVACON S4

Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 SIPLUX E SIVACON S4 Usina de Inovações Brasil Novembro 2008 SIPLUX E SIVACON S4 Painéis de distribuição e Centro de Controle de Motores para todas as aplicações em Baixa Tensão. O que se espera de um painel de Baixa tensão?

Leia mais

CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T

CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T Introdução Obrigado por ter escolhido nosso CONVERSOR PARA TERMOPAR TRM-270T. Para garantir o uso correto e eficiente do TRM-270T, leia este manual completo e atentamente

Leia mais

Cubículos de média tensão isolados a Ar tipo NXAIR, NXAIR M e NXAIR P, até 24 kv

Cubículos de média tensão isolados a Ar tipo NXAIR, NXAIR M e NXAIR P, até 24 kv Cubículos de média tensão isolados a Ar tipo NXAIR, NXAIR M e NXAIR P, até 24 kv Painel de média tensão Catálogo HA 25.71 2011 Answers for energy R-HA25-338.tif Aplicação industrial R-HA25-351.tif Aplicação

Leia mais

EXAUSTORES LOCALIZADOS Vantagens puras. Extrator ideal para ambientes industriais

EXAUSTORES LOCALIZADOS Vantagens puras. Extrator ideal para ambientes industriais Extrator ideal para ambientes industriais Nova tecnologia em combinação com novos materiais e foco no design fornecem ao Fumex PR muitas vantagens novas e importantes: - Facilidade de manobrabilidade única.

Leia mais

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE 750kVA DESTINADA AO PRÉDIO DA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DE PERNAMBUCO, SITUADO NO MUNICÍPIO DE RECIFE NO ESTADO DE PERNAMBUCO. MEMORIAL DESCRITIVO 1. FINALIDADE:

Leia mais

WattStation Carregador de Veículos Elétricos

WattStation Carregador de Veículos Elétricos GE Industrial Solutions WattStation Carregador de Veículos Elétricos GE imagination at work Design WattStation A segunda coisa mais interessante na sua garagem Por que não escolher um carregador com uma

Leia mais

Capítulo V A IEEE 1584 e os métodos para cálculo de energia incidente e distância segura de aproximação

Capítulo V A IEEE 1584 e os métodos para cálculo de energia incidente e distância segura de aproximação 34 Capítulo V A IEEE 1584 e os métodos para cálculo de energia incidente e distância segura de aproximação Por Alan Rômulo e Eduardo Senger* No artigo anterior foram abordados os métodos previstos na NFPA

Leia mais

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade)

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade) PROJETO ELÉTRICO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA BAHIA CEFET - BA MEMORIAL DESCRITIVO Este projeto visa a unificação de medição de média tensão, reforma da subestação II e instalação de alimentadores

Leia mais

DISTRIBUIDOR DE ALIMENTAÇÃO QDA-10

DISTRIBUIDOR DE ALIMENTAÇÃO QDA-10 DISTRIBUIDOR DE ALIMENTAÇÃO QDA-10 Manual do usuário Distribuidor de Alimentação MAN-DE-QDA10 Rev.: 02.00-08 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso QDA-10. Para garantir o uso correto e eficiente

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

Painéis de distribuição isolados a ar para sistemas de média tensão NXAIR, até 24 kv

Painéis de distribuição isolados a ar para sistemas de média tensão NXAIR, até 24 kv Painéis de distribuição isolados a ar para sistemas de média tensão NXAIR, até 24 kv Painéis de distribuição de média tensão Totally Integrated Power NXAIR Catálogo HA 25.71 Edição 2014 www.siemens.com/nxair

Leia mais