PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA E BEM ESTAR DO FUNCIONÁRIO DA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA E BEM ESTAR DO FUNCIONÁRIO DA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE ETENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA E BEM ESTAR DO FUNCIONÁRIO DA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE 2013/1

2 FORMULÁRIO PARA PROJETOS DAS AÇÕES DE ETENSÃO E CULTURA I - IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA Título: Programa Qualidade de vida e bem estar dos funcionários da Universidade de Rio Verde Cadastro Recadastramento Programa Caráter da Ação: ( ) Curso ( ) Evento ( ) Publicação ( x ) Prestação de Serviço ( ) Outros Grande área de conhecimento: CIÊNCIAS DA SAÚDE Linha programática: SAÚDE Área temática: SAÚDE Unidade/órgão responsável: Faculdade de Educação Física Parcerias: Associação dos Professores Local de realização: Academia de Musculação, Blocos II, III e IV da Universidade de Rio Verde. Público alvo: Funcionários técnicos administrativos e professores da Universidade de Rio Verde Público previsto: 300 idosos Carga horária: 72 horas Período de realização: 04 de Março de 2013 a 20 de dezembro de 2013 II - RESUMO: A Universidade de Rio Verde através da Faculdade de Educação Física tem a desígnio de promover projetos de extensão à comunidade rio verdense, por meio de atividades voltadas a indissociabilidade da teoria e prática, do Curso de Educação Física Bacharelado. Neste Sentido, estamos conceituando extensão, com o olhar voltado ao PROET que é um instrumento que abrange programas e projetos de extensão universitária, com ênfase na formação dos alunos e na inclusão social nas suas mais diversas dimensões, visando aprofundar ações politicas que venham fortalecer a institucionalização da extensão no âmbito das instituições Federais, Estaduais e Municipais de Ensino Superior. Temos o compromisso de: Potencializar e ampliar os patamares de qualidade da extensão universitária na formação dos alunos associando a sua natureza pedagógica á missão das instituições de ensino superior públicas; Estimular o desenvolvimento social e o espirito de critica dos estudantes, bem como a atuação profissional pautada na cidadania e na função social da educação superior; Contribuir para a melhoria da qualidade de educação brasileira por meio do contato direto dos estudantes extensionistas com realidades concretas e da troca de saberem acadêmicos e populares; A Universidade e a Faculdade de Educação Física toma para si a definição de extensão do PROET, qual seja: processo interdisciplinar, educativo, cultural, científico e politico que promove a interação transformadora entre a universidade e outros setores da sociedade, mediada por alunos de graduação orientados por um ou mais professores, dentro

3 do principio constitucional da indissociabilidade com o ensino e a pesquisa ainda salienta-se neste sentido que Entende-se como extensão o conjunto de ações processuais continua de caráter educativo, social, cultural ou tecnológico, com objetivo especifico e prazo determinado e Entende se como programa de extensão o conjunto articulado de projetos e outras ações de extensões, de caráter multidisciplinar e integrado a atividade de pesquisa e de ensino. O que o Proext busca é um caráter orgânico institucional com integração no território e/ou grupos populacionais, com diretrizes e orientação para um objetivo comum, sendo executado a médio e longo prazo por alunos orientados aqui por um ou mais professores da instituição. III - DESCRIÇÃO DO PROJETO Justificativa: O curso de Bacharelado em Educação Física tem como proposito articular o ensino, a pesquisa e a extensão, visando à formação profissional para a atuação na área da saúde. Durante o curso serão desenvolvidos conteúdos e atividades sistematizadas, voltados aos serviços de saúde, visando à inserção dos futuros profissionais em equipes multidisciplinares, tendo como metas à promoção da saúde e da qualidade de vida, bem como a prevenção e o tratamento de doenças, especialmente as de caráter crônico e de saúde publica. Os eixos nucleares do curso de Bacharelado em Educação Física tem como referencia a produção do conhecimento acadêmico cientifico e a intervenção profissional em Educação Física, direcionada aos diferentes espaços e praticas social (esportes, lazer, cultura, politicas sociais), com ênfase nas questões que envolvem a saúde humana. Objetivo Geral: Promover entre a comunidade dos funcionários da Universidade de Rio Verde, exercícios diários que levem a uma melhoria na qualidade de vida. Objetivos Específicos: Objetivos Fisiológicos, Sociais e Educacionais: Ativação fisiológica do organismo promovendo respostas, que auxiliarão na capacidade funcional do organismo; Proporcionar melhorias nas condições do dia a dia; Prevenir o desencadeamento de outras doenças; Realizar momentos de relacionamento social; Transmitir, educar a importância do exercício físico para promoção da qualidade de vida. Metodologia: As atividades serão realizadas no período vespertino de Terça a Sexta das 15h00 às 19h00 nos Blocos II, III e IV da Universidade de Rio Verde e na Associação dos Professores (APROFE) e Sala de Musculação da Faculdade de Educação Física da Universidade de Rio Verde. Nos horários entre 15h00 e 17h00 os monitores responsáveis estarão realizando Ginástica laboral entre os funcionários Técnico administrativos e professores dos Blocos citados. Nos horários entre 17h00 e 19h00 os monitores estarão acompanhando e supervisionando Exercícios resistidos na Sala de Musculação, Hidroginástica ou ginástica localizada, ou Step ou Jump e o Futebol Society.

4 IV - IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR DO PROJETO Nome: Mauro Felício Barbosa Mulati Título: Programa Qualidade de Vida e Bem Estar dos Funcionários da Universidade de Rio Verde Endereço Residencial: Filadelfo Cruvinel Quadra 01 Lote 18 CEP: Cidade: Rio Verde Fone/ V - IDENTIFICAÇÃO DA EQUIPE DE TRABALHO

5 Nome Docentes Alunos Faculdade Téc.-Adm. Externo Outra Instit. Mauro Felício Barbosa Mulati EDF Carlos Henrique Alves de Paiva Danielle da Cruz Menezes Viviane Rodrigues Faria Willian Vieira da Silva Almeida

6 VI - RECURSOS INSTITUCIONAIS (recursos humanos e materiais devem ser posteriormente relacionados.) VII - PLANEJAMENTO FINANCEIRO Qtde. Natureza despesa Fonte concedente Valor unitário Total VIII - CERTIFICAÇÃO Certificados/alunos : 14 Quantidade: Critérios para emissão ( 100% ) freqüência mínima ( ) avaliação(média) = 7,0 I - PROCESSO DE APROVAÇÃO 1-Da Unidade Acadêmica Diretor da Faculdade/Órgão Data: / / 2- Do Coordenador do Projeto Coordenador do Núcleo de Pesquisa e Extensão da Faculdade a que está vinculado Data: / / 3- Parecer Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis

PROJETO DE EXTENSÃO ACADEMIA DA TERCEIRA IDADE

PROJETO DE EXTENSÃO ACADEMIA DA TERCEIRA IDADE UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE ETENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS PROJETO DE ETENSÃO ACADEMIA DA TERCEIRA IDADE 2013/1 FORMULÁRIO PARA PROJETOS DAS AÇÕES DE ETENSÃO E CULTURA I - IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art 1º. A Extensão Acadêmica se constitui em uma prática permanente de interação universidade-sociedade, articulada ao ensino

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento do Núcleo de Extensão Universitária da Universidade São Francisco USF.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento do Núcleo de Extensão Universitária da Universidade São Francisco USF. RESOLUÇÃO CONSUN 5/2014 APROVA O REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NEXT DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. O Presidente do Conselho Universitário CONSUN, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO- BRASILEIROS E INDÍGENAS DA FACULDADE DO NORTE GOIANO (FNG)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO- BRASILEIROS E INDÍGENAS DA FACULDADE DO NORTE GOIANO (FNG) 1-6 CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO NORTE GOIANO FACULDADE DO NORTE GOIANO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO- BRASILEIROS E INDÍGENAS DA FACULDADE DO NORTE GOIANO (FNG) Porangatu/GO 2015 2-6 SUMÁRIO

Leia mais

LDB Lei de Diretrizes e Bases

LDB Lei de Diretrizes e Bases PEDAGOGIA LDB Lei de Diretrizes e Bases Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional O pedagogo estuda as teorias da ciência da educação e do ensino É

Leia mais

PROJETO LIBRAS. 1. TÍTULO Curso de Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais:

PROJETO LIBRAS. 1. TÍTULO Curso de Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais: 3 PROJETO LIBRAS 1. TÍTULO Curso de Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais: 2. NATUREZA DO PROJETO Curso de Extensão 3. IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Professor Sérgio Vaz Mendes 4. ÁREA RESPONSÁVEL

Leia mais

FACULDADE DE MAUÁ FAMA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO - BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL

FACULDADE DE MAUÁ FAMA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO - BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL FACULDADE DE MAUÁ FAMA CURSO BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO - BACHAREL EM SERVIÇO SOCIAL MAUÁ, 2013/2014/2015 0 1 ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades complementares,

Leia mais

EDITAL PIBEX-01/ BOLSAS DE EXTENSÃO

EDITAL PIBEX-01/ BOLSAS DE EXTENSÃO EDITAL PIBEX-01/2016 - BOLSAS DE EXTENSÃO A torna pública a abertura das inscrições destinadas a selecionar Programas e Projetos de extensão universitária, para o Programa de Bolsas de Extensão da UNIFESP

Leia mais

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09 MISSÃO O Serviço Social tem como missão dar suporte psico-social e emocional ao colaborador e sua família. Neste sentido, realiza o estudo de casos, orientando e encaminhando aos recursos sociais da comunidade,

Leia mais

Faculdade de Balsas REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CULTURA, ESPORTE E LAZER

Faculdade de Balsas REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CULTURA, ESPORTE E LAZER Faculdade de Balsas REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CULTURA, ESPORTE E LAZER (Aprovado pela Resolução COP nº 05/2011 de 10 de setembro de 2011) Mantenedora: Unibalsas Educacional Ltda Balsas MA 2011 1 CAPÍTULO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB AUTORIZAÇÃO: DECRETO Nº92937/86, DOU RECONHECIMENTO: PORTARIA Nº909/95, DOU

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB AUTORIZAÇÃO: DECRETO Nº92937/86, DOU RECONHECIMENTO: PORTARIA Nº909/95, DOU ANEXO 2 DO EDITAL PIBID UNEB CAPES Nº. 010/2014 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Candidato (a) Matrícula Curso / Depto. UNEB (iniciação à docência) Escola (supervisão) ENDEREÇO:...Nº... BAIRRO:...CIDADE:... CEP.:...

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO - IFPE

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO - IFPE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS

Leia mais

IVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA

IVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA Normatiza as Atividades Formativas previsto na Reforma Curricular do Curso de Odontologia Processo N o 23075.64471/05-92 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O presente regulamento tem o propósito de normatizar as

Leia mais

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA SUGESTÃO Desde os anos 1980, observam-se transformações significativas

Leia mais

CRAS. Rua São Caetano 822 Jardim Alvorada - Fone Programa de Atenção Integral á família - PAIF

CRAS. Rua São Caetano 822 Jardim Alvorada - Fone Programa de Atenção Integral á família - PAIF CRAS O Centro de Referência da Assistência Social é uma unidade publica estatal que atende em áreas específicas com maior vulnerabilidade social. Oferece serviços destinados á família, dentre eles, o Programa

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS CURSO DE EXTENSÃO JOGOS COOPERATIVOS NO CENTRO COMUNITÁRIO DE PSICOLOIGA EM AÇÃO 2013/1 FORMULÁRIO PARA PROJETOS DAS AÇÕES

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS - COPPETEC.

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS - COPPETEC. FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS - COPPETEC. CHAMADA PÚBLICA PARA CONTRATAÇÃO DE AGENTES DE DESENVOLVIMENTO SOLIDÁRIO DO PROJETO BRASIL LOCAL ETNODESENVOLVIMENTO E ECONOMIA

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 NATAL/RN MARÇO/2012

Leia mais

Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania.

Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania. Marta Lima Gerente de Políticas Educacionais de Educação em Direitos Humanos, Diversidade e Cidadania. FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DEMOCRACIA REGIME PAUTADO NA SOBERANIA POPULAR E NO RESPEITO

Leia mais

METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TCCE- METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO

METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TCCE- METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TCCE- METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO Pretende-se com a implementação dessa metodologia uma maior integração

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF REGULAMENTO N. 007 /2015 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NUEMA DA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF GARÇA/SP Vanessa Zappa, Diretora da FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR

Leia mais

PANORAMA DOS NAPNES DO IF CATARINENSE. Campi Araquari, Camboriú, Concórdia, Rio do Sul, Sombrio e Videira.

PANORAMA DOS NAPNES DO IF CATARINENSE. Campi Araquari, Camboriú, Concórdia, Rio do Sul, Sombrio e Videira. PANORAMA DOS NAPNES DO IF CATARINENSE Campi Araquari, Camboriú, Concórdia, Rio do Sul, Sombrio e Videira. 2010 DIRETRIZES Disseminação da cultura da inclusão no âmbito do IFC através de projetos, assessorias

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS DIRETORIA DE EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS DIRETORIA DE EXTENSÃO PROCESSO SELETIVO PARA BOLSISTA DE EXTENSÃO EDITAL/UFU/PROEX/ N 36/2014 A Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis da Universidade Federal de Uberlândia, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 2015-2019 Plano de Desenvolvimento Institucional CENÁRIO PDI - 2016 METODOLOGIA DE TRABALHO SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO PAINEL DE BORDO DISPONIBILIDADE NO SITE DA UFERSA PRESENCIAL PAINEL DE BORDO

Leia mais

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade:

Resolução n 225, de 21 de junho R E S O L V E: Art. 1º - Alterar a redação do parágrafo 2º artigo 12 do Regimento Geral da Universidade: Resolução n 225, de 21 de junho 2016. Aprova emendas ao Regimento Geral da Universidade, cria setores e dá outras providências. O Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade do Planalto Catarinense

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 004/2011 CONSUNI/CGRAD Institui o Programa de Monitorias no âmbito da UFFS e dá outras providências. A Câmara de Graduação do Conselho Universitário CGRAD/CONSUNI, da Universidade Federal

Leia mais

EDITAL 004/2016 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO

EDITAL 004/2016 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO EDITAL 004/2016 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO ABERTURA O Diretor Geral do câmpus Araraquara do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, torna pública,

Leia mais

PORTFÓLIO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO EQUIPE DA COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ CAMPUS DE ITABIRA

PORTFÓLIO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO EQUIPE DA COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ CAMPUS DE ITABIRA PORTFÓLIO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO EQUIPE DA COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ CAMPUS DE ITABIRA A EXTENSÃO NO CAMPUS ITABIRA 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 A extensão

Leia mais

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO Escola SENAI Anchieta Sumário Página 01 Prática Profissional / Estágio 03 02 Da carga horária da Prática Profissional / Estágio

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS VIII JORNADA DE EDUCAÇÃO FÍSICA O PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA ÁREA DA SAÚDE DA FAMÍLIA 2013/1 FORMULÁRIO PARA PROJETOS

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 104/2012-CONSET/SEHLA/G/UNICENTRO, DE 11 DE SETEMBRO DE 2012. Altera o 2º, do Art. 1 e os Anexos I e II, da Resolução nº 033/2010-CONSET/SEHLA/G/ UNICENTRO, de 20 de maio de 2010, e aprova

Leia mais

PROJETO ESCOLA DE PAIS E FILHOS

PROJETO ESCOLA DE PAIS E FILHOS PROJETO ESCOLA DE PAIS E FILHOS EMEF-I Prof. Manoel Ignácio de Moraes Professor(es) Apresentador(es): Sônia Maria Romano Rosemary de Almeida Teixeira Oliveira Realização: Foco do Projeto A programação

Leia mais

Avaliação Institucional Docentes

Avaliação Institucional Docentes Avaliação Institucional Docentes A avaliação é um processo fundamental para a qualidade do trabalho desenvolvido nas Instituições de Ensino Superior. Nesse sentido, a Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Leia mais

Regulamento do Programa Institucional de Bolsas de Extensão para Discentes PIBED do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais IFNMG

Regulamento do Programa Institucional de Bolsas de Extensão para Discentes PIBED do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais IFNMG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA NORTE DE MINAS GERAIS Regulamento do Programa Institucional de Bolsas de Extensão

Leia mais

PROJETOS COM OBJETIVOS QUE INTEGRAM ENSINO. Claudianny Amorim Noronha

PROJETOS COM OBJETIVOS QUE INTEGRAM ENSINO. Claudianny Amorim Noronha PROJETOS COM OBJETIVOS QUE INTEGRAM ENSINO Claudianny Amorim Noronha A PERSPECTIVA DE ENSINO NO EDITAL DE AÇÕES INTEGRADAS Melhoria do processo de ensino e aprendizagem dos cursos de graduação e pós-graduação,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE GEAM UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIENCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE- GEAM PROJETO I ENCONTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA UFPA: OS DEZ ANOS DO GRUPO DE ESTUDOS

Leia mais

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil

Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Políticas Públicas para Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil Marcelo Machado Feres Secretário de Educação Profissional e Tecnológica SETEC Ministério da Educação São Paulo, 01 de setembro

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS DE APROFUNDAMENTO DO CURSO PEDAGOGIA/EAD LICENCIATURA CAPITULO I DA REGULAMENTAÇÃO

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS DE APROFUNDAMENTO DO CURSO PEDAGOGIA/EAD LICENCIATURA CAPITULO I DA REGULAMENTAÇÃO REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS DE APROFUNDAMENTO DO CURSO PEDAGOGIA/EAD LICENCIATURA CAPITULO I DA REGULAMENTAÇÃO Art. 1 o O presente Regulamento disciplina os procedimentos para oferta,

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA (FATECIB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS, PESQUISA E EXTENSÃO (NEPE)

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA (FATECIB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS, PESQUISA E EXTENSÃO (NEPE) FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA (FATECIB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS, PESQUISA E EXTENSÃO (NEPE) 1. OBJETIVO GERAL O Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

Tema 2 - Avaliação do estudante no ENADE

Tema 2 - Avaliação do estudante no ENADE Eixo 3 - Processos de avaliação na formação de qualidade em Enfermagem Tema 2 - Avaliação do estudante no ENADE Prof. Dr. Marcos Antonio Ferreira Júnior Universidade Federal do Rio Grande do Norte Comissão

Leia mais

A Extensão Universitária como Componente Curricular Obrigatório nos Cursos de Graduação. Profa. Rejane Maria Gomes da Silva

A Extensão Universitária como Componente Curricular Obrigatório nos Cursos de Graduação. Profa. Rejane Maria Gomes da Silva A Extensão Universitária como Componente Curricular Obrigatório nos Cursos de Graduação Profa. Rejane Maria Gomes da Silva AS BASES LEGAIS Art. 207 da Constituição Federal Art. 43 da Lei 9.394 de 20.12.96

Leia mais

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que?

EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional* Título da Ação (o que? ANEXO 2 PLANO DE AÇÃO COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO CCSH Questão Geral 1.1 Como você percebe a utilização dos resultados da autoavaliação como subsídio à revisão, proposição e implementação das ações

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO. Código: EST-II Carga Horária: 72h Créditos: 5

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO. Código: EST-II Carga Horária: 72h Créditos: 5 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO Curso: Pedagogia a Distância Departamento: Departamento de Pedagogia a Distância Disciplina:

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano 2014 Título do Projeto: Cozinha da igreja São Pedro Tipo de Projeto:

Leia mais

Programa COMUNIDADE ESCOLA

Programa COMUNIDADE ESCOLA Programa COMUNIDADE ESCOLA A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. Paulo Freire COMUNIDADE ESCOLA MISSÃO Valorizar as escolas como centros irradiadores da vida

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CEUMA UniCEUMA CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NAC NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ

UNIVERSIDADE DO CEUMA UniCEUMA CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NAC NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ PROJETO VISITAS TÉCNICAS EM BRASÍLIA/DF EDITAL NAC DE SELEÇÃO nº06/2016 A Coordenadoria Geral do Curso de Direito da Universidade Ceuma, através de seu Núcleo de Atividades Complementares NAC e do Núcleo

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

CONTEXTO HISTÓRICO DE CRIAÇÃO DOS IF E DO IFB. Maria Cristina Madeira da Silva

CONTEXTO HISTÓRICO DE CRIAÇÃO DOS IF E DO IFB. Maria Cristina Madeira da Silva CONTEXTO HISTÓRICO DE CRIAÇÃO DOS IF E DO IFB Maria Cristina Madeira da Silva TRAJETÓRIA DA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA 1909 ESCOLA DE APRENDIZES ARTÍFICES 1937 LICEUS DE ARTES

Leia mais

VI SEMANA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA: EXTENSÃO: CAMINHOS POSSÍVEIS PARA O ENFRENTAMENTO DAS DIVERSAS FORMAS DE POBREZA UEPB

VI SEMANA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA: EXTENSÃO: CAMINHOS POSSÍVEIS PARA O ENFRENTAMENTO DAS DIVERSAS FORMAS DE POBREZA UEPB VI SEMANA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA: EXTENSÃO: CAMINHOS POSSÍVEIS PARA O ENFRENTAMENTO DAS DIVERSAS FORMAS DE POBREZA UEPB Período: 18 a 21 DE OUTUBRO de 2011 Campus I da UEPB ASSUNTO:

Leia mais

REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA CURSO DE PEDAGOGIA ASSIS CHATEAUBRIAND PR 1 REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA Título I BRINQUEDOTECA Capítulo I Princípios e Diretrizes Art. 1º. A brinquedoteca do curso de Pedagogia

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PRPDI Orientação Geral O Plano de Desenvolvimento Institucional -PDI, elaborado para um período de 5

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MS/ME Nº 3.019, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007

PORTARIA INTERMINISTERIAL MS/ME Nº 3.019, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 PORTARIA INTERMINISTERIAL MS/ME Nº 3.019, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - Pró-Saúde - para os cursos de graduação da área

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE INTEGRAÇÃO ENTRE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE INTEGRAÇÃO ENTRE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE INTEGRAÇÃO ENTRE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO TERMO DE ABERTURA DO PROJETO AMPLIADO Portfólio de Projetos Estratégicos de 2013 Objetivo Estratégico: Aumentar em 36,84% os investimentos

Leia mais

Universidade Federal da Grande Dourados CNPJ: /

Universidade Federal da Grande Dourados CNPJ: / PLANO DE AÇÃO 2011 Dourados MS Maio/2011 ÍNDICE PROJETOS EM EXECUÇÃO... 3 PROJETO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA E CIDADANIA... 3 PROJETO CURSOS DE GRADUAÇÃO EM LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO

Leia mais

Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI

Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI 2ª REUNIÃO DO COMITÊ DE LÍDERES DA MEI DE 2016 Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI Gilberto Peralta GE 13 de maio de 2016 MARCO INSTITUCIONAL Emenda Constitucional nº 85 Inserção da inovação

Leia mais

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Pró-Reitoria de Ensino NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS

Leia mais

Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma. Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental. no âmbito do

Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma. Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental. no âmbito do OBJETIVO Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental no âmbito do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC DOCUMENTOS DE

Leia mais

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ Reconhecida pelo Decreto Governamental n.º 70.906 de 01/08/72 e Portaria n.º 1.062

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E LETRAS COORDENAÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO MANUAL DE MONITORIA

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E LETRAS COORDENAÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO MANUAL DE MONITORIA MANUAL DE MONITORIA A Coordenação de Ensino, Pesquisa e Extensão da Faculdade FACEL acredita na importância do processo de monitoria para o desenvolvimento dos acadêmicos, desta forma estabeleceu uma normatização

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília/DF, jun. 2015

Leia mais

REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS

REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA FACULDADE ARTHUR THOMAS Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) 3031-5050 CEP: 86.061-450 1 REGULAMENTO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO EDITAL Nº 02/2011 CHAMADA PÚBLICA GRUPO DE TRABALHO RÁDIO UFT EDUCATIVA A Universidade Federal do Tocantins, por meio

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID SELEÇÃO DE PROFESSOR SUPERVISOR EDITAL PIBID FEEVALE Nº. 06/2013

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID SELEÇÃO DE PROFESSOR SUPERVISOR EDITAL PIBID FEEVALE Nº. 06/2013 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID SELEÇÃO DE PROFESSOR SUPERVISOR EDITAL PIBID FEEVALE Nº. 06/2013 A Pró-reitora de Ensino da Universidade Feevale, no uso de suas atribuições,

Leia mais

E I X O S

E I X O S 0011 0010 1010 1101 0001 0100 1011 5 E I X O S 10 dimensões 5 eixos 8- Planejamento e Avaliação. 1- Missão e Plano de Desenvolvimento Institucional. 0011 3- Responsabilidade 0010 1010 1101 Social 0001

Leia mais

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX

INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX INSTITUTO METODISTA IZABELA HENDRIX CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX RELATÓRIO AVALIAÇÃO DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA PERÍODO 2015 TABELA 1 Adesão de docentes e discentes na avaliação 2015

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS Centro de Referência (CREP) PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO Coordenador: Michelle Regina

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE DE GUARARAPES - FAG

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE DE GUARARAPES - FAG REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA FACULDADE DE GUARARAPES - FAG CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO Art. 1º - O presente regulamento tem como finalidade normatizar e dinamizar o uso dos recursos oferecidos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS RESOLUÇÃO N o 14/2013, DE 02 DE JULHO DE 2013 Reedita, com alterações, a Resolução n o 03/2006, de 29 de junho de 2006, que aprovou o Regimento do Centro de Microscopia da UFMG. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO II - MODELO DA PROPOSTA DE PROJETO PRÓ-EXTENSÃO EDITAL nº 0/03 PROEXT Campus: Projeto de Extensão Inserir aqui o Título de Projeto N o (PROEXT) - PRÓ-EXTENSÃO - Programa Institucional de Incentivo

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR EIXO TECNOLÓGICO: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Meio Ambiente Subsequente COMPONENTE CURRICULAR: METODOLOGIA DE PESQUISA E CÓDIGO: APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS TÉCNICOS Currículo:

Leia mais

PROJETO DE FORMAÇÃO DOCENTE. CURSO: NORMAL SUPERIOR ANOS INICIAIS ÁREA DE CONHECIMENTO EDUCAÇÃO TITULO DO CURSO

PROJETO DE FORMAÇÃO DOCENTE. CURSO: NORMAL SUPERIOR ANOS INICIAIS ÁREA DE CONHECIMENTO EDUCAÇÃO TITULO DO CURSO INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA Rua Pinheiro Machado, n 189 Centro Ponta Grossa - PR CEP 84.010-310 Fone (0**42) 224-0301 Endereço Eletrônico: www.interponta.com.br/santana PROJETO DE FORMAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CEUMA UniCEUMA. Curso de Direito. Núcleo de Atividades Complementares NAC

UNIVERSIDADE DO CEUMA UniCEUMA. Curso de Direito. Núcleo de Atividades Complementares NAC 1 EDITAL NAC nº01/2016 NÚCLEO DE ESTUDOS EM VIOLÊNCIA E CIDADANIA NEVIC PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC A Coordenação do, através de seu Núcleo de Atividades Complementares

Leia mais

EDITAL Nº 007/2016 POSEDUC/UERN

EDITAL Nº 007/2016 POSEDUC/UERN Campus Central BR 1 KM 46 Rua Prof. Antônio Campos, s/n - Costa e Silva. CEP: 59.633-0 - Caixa Postal 70 - Mossoró RN / Telefones: (84) 3314-3452 FAX: (84) 3314-3452 EDITAL Nº 007/2016 POSEDUC/UERN A Coordenação

Leia mais

Características Educação SESI

Características Educação SESI EDUCAÇÃO SESI Características Educação SESI Atendimento prioritário ao Trabalhador da indústria e seus dependentes Gratuidade nos cursos EJA Atuação nas 27 Unidades Federativas 32% de evasão na EJA Cenário

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC REGULAMENTO

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC REGULAMENTO Texto Aprovado CONSU Nº 2010-08 - Data: 10/06/10 PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC REGULAMENTO 1. O programa se destina a apoiar os discentes do UNASP

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA E NÃO BOLSISTA

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA E NÃO BOLSISTA EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA E NÃO BOLSISTA O Programa de Educação Pelo Trabalho em Saúde PET/Vigilância, torna público, para conhecimento dos interessados, que estão abertas as inscrições ao processo

Leia mais

REGULAMENTO DA COORDENADORIA DE PROGRAMAS SOCIAIS

REGULAMENTO DA COORDENADORIA DE PROGRAMAS SOCIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRO-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS E COMUNITARIOS COORDENADORIA DE PROGRAMAS SOCIAIS REGULAMENTO DA COORDENADORIA DE PROGRAMAS SOCIAIS Lavras Agosto 2012 CAPITULO I DA COORDENADORIA

Leia mais

PROJETO DE ENSINO. Gestor do Projeto: Setor ou Colegiado do Curso:

PROJETO DE ENSINO. Gestor do Projeto: Setor ou Colegiado do Curso: PROJETO DE ENSINO TÍTULO DO PROJETO DE ENSINO Gestor do Projeto: Setor ou Colegiado do Curso: 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. Título do Projeto: 1.2. Dados Completos do Gestor do Projeto: Nome: CPF: RG: Endereço

Leia mais

Prefeitura Municipal da Barra

Prefeitura Municipal da Barra EDITAL Nº 0/26 COMPLEMENTAÇÃO DE CARGA HORARIA O Secretário Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer e GESTOR DA EDUCAÇÃO MUNICIPAL, no uso de suas atribuições de acordo com a Lei Orgânica Municipal

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo O Que é Defensoria Pública? Defensoria Pública é instituição prevista na Constituição Federal (art.

Leia mais

EDITAL PREAE Nº 60, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2015.

EDITAL PREAE Nº 60, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2015. EDITAL PREAE Nº 60, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2015. Institucionalização de Programas de Extensão. O PRÓ-REITOR DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul,

Leia mais

Quando dizemos a margem referimos ao analfabetismo e o baixo nível de escolaridade.

Quando dizemos a margem referimos ao analfabetismo e o baixo nível de escolaridade. O IFNMG Campus Arinos, localiza-se ao noroeste do estado de Minas Gerais, a 250 km de Brasília e a 700 km de Belo Horizonte. Abrange uma circunscrição constituída por 11 municípios, atendendo uma população

Leia mais

LEI N 1175 /2015 ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE PARANATINGA

LEI N 1175 /2015 ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE PARANATINGA LEI N 1175 /2015 Dispõe sobre a revisão e alteração da Lei 1045/2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PARANATINGA, ESTADO DE MATO GROSSO, Srº Vilson Pires, FAZ SABER, QUE A CÂMARA MUNICIPAL APROVOU E ELE SANCIONA

Leia mais

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC -

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - REGULAMENTO INSTITUCIONAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - SUMÁRIO CAPITULO I... 3 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO II... 3 DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES...

Leia mais

DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: formação social e política. Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes/ Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos e

DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: formação social e política. Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes/ Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos e DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: formação social e política MOURA, Amanda da Rocha 1 SILVA, Andréa Benício da 2 SANTOS, Carolina Medeiros Lima dos 3 GUERRA, Suelyna Khivia Torres 4 AMORIM, Ana Luisa

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 047/99 - CEPE/UNICENTRO

R E S O L U Ç Ã O Nº 047/99 - CEPE/UNICENTRO R E S O L U Ç Ã O Nº 047/99 - CEPE/UNICENTRO Convalida a atividade I Colônia de Férias do Campus Universitário de Irati. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o Conselho

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 26-CEPE/UNICENTRO, DE 3 DE MAIO DE 2010. Aprova o projeto de etensão XIX Encontro Anual de Iniciação Científica, EAIC, na modalidade de Evento de Etensão, na categoria de Projeto de Etensão

Leia mais

ORIENTAÇÕES AVALIAÇÃO DA EQUIPE PRONATEC

ORIENTAÇÕES AVALIAÇÃO DA EQUIPE PRONATEC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO- PRONATEC

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO PRÓ-SAÚDE UNIVERSITÁRIA EDUCANDO E PROMOVENDO SAÚDE: CONHECER PARA SE PROTEGER.

PROJETO DE EXTENSÃO PRÓ-SAÚDE UNIVERSITÁRIA EDUCANDO E PROMOVENDO SAÚDE: CONHECER PARA SE PROTEGER. PROJETO DE EXTENSÃO PRÓ-SAÚDE UNIVERSITÁRIA EDUCANDO E PROMOVENDO SAÚDE: CONHECER PARA SE PROTEGER. INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE RIBEIRO,Victor Pena *; MOTA, Dayara Rufino; RODRIGUES, Juliana

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Departamento de Letras Curso de Secretariado Executivo Trilíngue Estágio Curricular Supervisionado MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO NAI ANO LETIVO DE 2009 UNIVERSIDADE DANTA CECÍLIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL É preciso avaliar para mudar RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO ANO LETIVO DE 2009 PERÍODO FEVEREIRO

Leia mais

40% 60% AVALIAÇÃO IFRJ EM DEBATE

40% 60% AVALIAÇÃO IFRJ EM DEBATE AVALIAÇÃO IFRJ EM DEBATE DATA: 14 de março de 2010 LOCAL: Auditório da FIRJAN TEMA: Seminário de Planejamento Estratégico do IFRJ Arranjos Produtivos Locais, Mercado de Trabalho e Indicadores de Gestão.

Leia mais

Volta Redonda, março de 2009

Volta Redonda, março de 2009 Trabalho de Conclusão de Curso TCC Prof. José Maurício dos Santos Pinheiro Núcleo de Graduação Tecnológica Volta Redonda, março de 2009 Agenda Objetivos Alcance Coordenação Orientação O Aluno Pesquisador

Leia mais