Instrumentos Aeronauticos. Parte II

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instrumentos Aeronauticos. Parte II"

Transcrição

1 Instrumentos Aeronauticos Parte II

2 Indicador de ângulo de ataque

3 Alarme AOA

4 Medidor de AOA

5 Medidor de AOA

6 Medidor de AOA

7 Circuito

8 Pontas de prova

9 Termômetros Mecânicos dilatação linear Eletrônicos termo resistores, termopares, semicondutores

10 Termômetro de dilatação

11 Termo resistores RTD Resistance Temperature Detectors A resistência elétrica dos metais varia com a temperatura A platina é o material mais utilizado Mais comuns PT25,5, PT100, PT120, PT130 e PT500 o número expressa a resistência em 0 C.

12 Termoresistores Parâmetro Platina Cobre Níquel Molibdênio Span ( C) -200 a s a a α (0 C) K -1 0, , , , R (0 C) [Ω] 25, 50, 100, 200, 500, 1000, 2000 Resistividade a 20 C [µωm] 10 (20 C) 50, 100, , 200, 500, 1000, ,6 1,673 6,844 5,7 R = R 0 (1 + α(t T 0 ))

13 Termoresistores

14 RTD

15 Termistores

16 Tipos NTC - Coeficiente de temperatura negativo resistência diminui com a temperatura PTC - Coeficiente de temperatura positivo São identificados conforme a resistência elétrica na temperatura de 25 C (ex NTC-10k) R PTC = R ,15K + T 298,15k 2,3

17 NTC

18 NTC

19 NTC Faixa de temperatura -100 C a 450 C Resistência a 25 C 0,5 a 100MΩ β 2000K a 5000K Temperatura máxima 600 C intermitente Constante de dissipação 1mW/K no ar / 8mW/K óleo Constante de tempo térmica 1ms a 22s Máxima dissipação de potência 1W

20 Efeito Seebeck Este efeito termoelétrico foi descoberto por Seebeck por volta de Quando junções de dois (ou mais) materiais condutores distintos estão em temperaturas diferentes, surge uma força eletromotriz Este tipo de sensor pode ser utilizado para medir temperaturas de 20 a 2.400K

21 Efeito Seebeck

22 Efeito Seebeck Mudanças no nível de Fermi: Como o nível de Fermi varia em função da temperatura, os níveis de Fermi em ambas as extremidades serão diferentes, causando uma diferença de potencial em circuito aberto. Variação de banda-proibida: Em sólidos os elétrons podem ocupar somente determinados estados de energia, ou bandas. Nos metais estas bandas se sobrepõem, diferentemente do que ocorre em semicondutores e isolantes, onde existe uma diferença de energia entre as bandas de energia permitidas. Nos metais estas bandas estão praticamente cheias de portadores de carga, ao passo que em semicondutores e isolantes estas bandas podem estar praticamente vazias. Como a diferença de energia das bandas varia com a temperatura isto fará com haja um fluxo de cargas da junção quente para a junção fria. Variação na concentração de portadores e mudanças de gradiente de concentração: A concentração de portadores em um semicondutor depende da temperatura. Deste modo a diferença de temperatura irá causar uma diferença de concentração de portadores entre as duas junções, que irá forçar um fluxo de portadores ao longo do condutor. Mudanças nos coeficientes de difusão: A difusão de partículas é descrita pelo coeficiente de difusão, que é relacionado ao livre caminho médio entre duas colisões e a mobilidade dos portadores. Como estas quantidades são função da temperatura, este efeito pode causar um fluxo de partículas ao longo do condutor. Termo-difusão: A energia cinética das partículas assim como as das partículas portadoras de carga é dependente da temperatura. No lado quente do condutor a energia cinética é maior do que no lado frio. A velocidade térmica das partículas do lado quente é maior que as do lado frio, isto resulta em um acumulo de cargas no lado frio. Arrasto de fonons: O gradiente de temperatura causa um fluxo de calor ao longo da barra. Este fluxo de calor é levado pelos portadores e por fonons. Por analogia a um fóton, um fônon é uma quantidade de energia vibracional da rede cristalina. Devido a forte interação entre os fônons e os portadores de carga, estes últimos serão arrastados pelos fônons do lado quente para o lado frio.

23 Coeficiente relativo de Seebeck

24 Leis dos termopares

25 Tipos de termopares

26 Modelo do termopar

27 Termopar em aviões

28 Medidor de temperatura estática

29 Total Air Temperature Probe

30 TAT probe

Propriedades Elétricas

Propriedades Elétricas Propriedades Elétricas Lei de Ohm V RI J E V - voltagem entre terminais separados por distância l R - resistência elétrica I - corrente elétrica que atravessa uma seção transversal de área A R onde l

Leia mais

Universidade Paulista - UNIP Instituto de Ciência Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia Elétrica Modalidade Eletrônica. Instrumentação e Controle

Universidade Paulista - UNIP Instituto de Ciência Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia Elétrica Modalidade Eletrônica. Instrumentação e Controle Universidade Paulista - UNIP Instituto de Ciência Exatas e Tecnológicas Curso de Engenharia Elétrica Modalidade Eletrônica Instrumentação e Controle TERMORESISTENCIAS 1.0 TERMORESISTENCIAS 1.1 Introdução

Leia mais

Sensores de Temperatura

Sensores de Temperatura Sensores de Temperatura Principais tipos: RTD (altas temperaturas) Termopar (altas temperaturas) NTC / PTC (alta sensibilidade) Junções semicondutoras (facilidade de uso) Temperatura - RTD RTD Resistance

Leia mais

Cap. 3 Resistência Elétrica e Lei de Ohm

Cap. 3 Resistência Elétrica e Lei de Ohm Cap. 3 Resistência Elétrica e Lei de Ohm Instituto Federal Sul-rio-grandense Curso Técnico em Eletromecânica Disciplina de Eletricidade Básica Prof. Rodrigo Souza 3.1 Resistência Elétrica Resistência Elétrica

Leia mais

Sensores de temperatura: efeitos mecânicos; termoresistências: RTDs, Termistores e Termopares; semicondutores

Sensores de temperatura: efeitos mecânicos; termoresistências: RTDs, Termistores e Termopares; semicondutores Sensores de temperatura: efeitos mecânicos; termoresistências: RTDs, Termistores e Termopares; semicondutores Prof. Osvaldo Ishizava Fatec Catanduva 2013 Efeitos Mecânicos Termômetros de expansão de líquidos

Leia mais

Temperatura. Termometria INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE. Escalas termométricas. Conceitos importantes. Relação entre as escalas 2/6/2011

Temperatura. Termometria INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE. Escalas termométricas. Conceitos importantes. Relação entre as escalas 2/6/2011 Termometria INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE Professor Miguel Neto Temperatura É a ciência que estuda e desenvolve os instrumentos de medidas de temperatura. Está divida em: Pirometria: Medição de altas temperaturas,

Leia mais

Ciência e Tecnologia dos Materiais Elétricos. Aula 8. Prof.ª Letícia chaves Fonseca

Ciência e Tecnologia dos Materiais Elétricos. Aula 8. Prof.ª Letícia chaves Fonseca Ciência e Tecnologia dos Materiais Elétricos Aula 8 Prof.ª Letícia chaves Fonseca Aula 7 Capítulo 4 Teoria dos Semicondutores Teoria dos semicondutores 7.1) Introdução Eletrônica Ciência e tecnologia do

Leia mais

Universidade de Coimbra. Biosensores e Sinais Biomédicos (2007-2008)

Universidade de Coimbra. Biosensores e Sinais Biomédicos (2007-2008) Universidade de Coimbra Biosensores e Sinais Biomédicos (2007-2008) Trabalho Prático N 1 ESTUDO DO COMPORTAMENTO DE SENSORES DE TEMPERATURA: Objectivo TERMOPARES E TERMÍSTORES Determinação da resposta

Leia mais

Fundamentos de Automação. Sensores

Fundamentos de Automação. Sensores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Sensores

Leia mais

3 Transdutores de temperatura

3 Transdutores de temperatura 3 Transdutores de temperatura Segundo o Vocabulário Internacional de Metrologia (VIM 2008), sensores são elementos de sistemas de medição que são diretamente afetados por um fenômeno, corpo ou substância

Leia mais

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C DIFERENÇA DE POTENCIAL (DDP) CRIAR UMA DIFERENÇA ENTRE DOIS PONTOS. NUM DOS PONTOS HÁ EXCESSO E NO OUTRO FALTA DE ELETRONS QUANTO MAIOR A DIFERENÇA, MAIOR VAI

Leia mais

BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Disciplina: Instrumentação Eletrônica Prof.: Dr. Pedro Bertemes Filho

BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Disciplina: Instrumentação Eletrônica Prof.: Dr. Pedro Bertemes Filho Definição: Termoresistores (RTD) São metais condutores que variam sua resistência ôhmica com a temperatura (dado que sua geometria é bem definida e conhecida). Equação: R T R n a T a T 2 a T n 0 1 1 Onde:

Leia mais

1 Medição de temperatura

1 Medição de temperatura 1 Medição de temperatura 1.1 Medidores de temperatura por dilatação/expansão 1.1.1 Termômetro à dilatação de líquido Os termômetros à dilatação de líquidos baseiam -se na lei de expansão volumétrica de

Leia mais

Sensores de Temperatura

Sensores de Temperatura Sensores de Temperatura Principais tipos: RTD (altas temperaturas) Termopar (altas temperaturas) NTC / PTC (alta sensibilidade) Junções semicondutoras (facilidade de uso) Temperatura - RTD RTD Resistance

Leia mais

1ª Aula do cap. 19 Termologia

1ª Aula do cap. 19 Termologia 1ª Aula do cap. 19 Termologia T e m p e r a t u r a O valor da temperatura está associada ao nível de agitação das partículas de um corpo. A temperatura é uma medida da agitação térmica das partículas

Leia mais

SENSORES DE TEMPERATURA

SENSORES DE TEMPERATURA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA TECNOLOGIA EM AUTOMATIZAÇÃO INDUSTRIAL DISCIPLINA DE INSTRUMENTAÇÃO SENSORES DE TEMPERATURA PROFESSOR: Valner Brusamarello COMPONENTES:

Leia mais

Fundamentos de Automação. Sensores 17/03/2015. Sensores. Sensores Analógicos e Sensores Digitais. Sensores Analógicos e Sensores Digitais

Fundamentos de Automação. Sensores 17/03/2015. Sensores. Sensores Analógicos e Sensores Digitais. Sensores Analógicos e Sensores Digitais Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Sensores

Leia mais

Introdução a Física do Estado Sólido: Propriedades Elétricas, Óticas e Magnéticas de Materiais Prof. André Avelino Pasa Departamento de Física UFSC

Introdução a Física do Estado Sólido: Propriedades Elétricas, Óticas e Magnéticas de Materiais Prof. André Avelino Pasa Departamento de Física UFSC Introdução a Física do Estado Sólido: Propriedades Elétricas, Óticas e Magnéticas de Materiais Prof. André Avelino Pasa Departamento de Física UFSC 2. Modelo de Gás de Elétrons Clássico ou de Drude 2.1.

Leia mais

Ligação metálica corrente elétrica

Ligação metálica corrente elétrica Ligações Metálicas Ligação metálica É o tipo de ligação que ocorre entre os átomos de metais. Quando muitos destes átomos estão juntos num cristal metálico, estes perdem seus elétrons da última camada.

Leia mais

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA FÍSICA (Eletromagnetismo) Nos capítulos anteriores estudamos as propriedades de cargas em repouso, assunto da eletrostática. A partir deste capítulo

Leia mais

Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua).

Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua). Um circuito DC é aquele cuja alimentação parte de uma fonte DC (do inglês Direct Current), ou em português, CC (corrente contínua). Como vimo anteriormente, para que haja fluxo de corrente pelo circuito,

Leia mais

Arduino Lab 06 Leitura de um sensor de temperatura do tipo NTC com o Arduino

Arduino Lab 06 Leitura de um sensor de temperatura do tipo NTC com o Arduino Arduino Lab 06 Leitura de um sensor de temperatura do tipo NTC com o Arduino Imagem montagem Resumo Neste Lab trataremos da leitura de temperatura utilizando um sensor do tipo NTC (Negative Temperature

Leia mais

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo ELETRICIDADE Eletrodinâmica Eletrostática Eletromagnetismo Átomo Núcleo Prótons carga positiva (+e). Nêutrons carga neutra. Eletrosfera Eletrons carga negativa (-e). Carga Elétrica Elementar e = 1,6 x

Leia mais

CAPÍTULO V MATERIAIS SEMICONDUTORES

CAPÍTULO V MATERIAIS SEMICONDUTORES CAPÍTULO V MATERIAIS SEMICONDUTORES 5.1 - Introdução Vimos no primeiro capítulo desta apostila uma maneira de classificar os materiais sólidos de acordo com sua facilidade de conduzir energia. Desta forma

Leia mais

2.2.1 Efeito Hall e Magnetoresistência Condutividade Elétrica AC Corrente Elétrica em um Campo Magnético

2.2.1 Efeito Hall e Magnetoresistência Condutividade Elétrica AC Corrente Elétrica em um Campo Magnético Conteúdo 1 Revisão de Física Moderna 1 1.1 Equação de Schrödinger; Autoestados e Valores Esperados.. 1 1.2 O Poço de Potencial Innito:Quantização da Energia.............................. 7 1.3 O Oscilador

Leia mais

Roteiro 07 Transistor Bipolar Operação como chave 2

Roteiro 07 Transistor Bipolar Operação como chave 2 Roteiro 07 Transistor Bipolar Operação como chave 2 Equipe: Objetivos: Data: / / 16 Visto Assiduidade Verificar e interpretar o funcionamento do transistor bipolar NPN como chave eletrônica em circuito

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA MEDIÇÃO DE TEMPERATURA UTILIZANDO TERMOPARES RELATÓRIO DE PROJETO DE INSTRUMENTAÇÃO

Leia mais

Ligação metálica É o tipo de ligação que ocorre entre os átomos de metais. Quando muitos destes átomos estão juntos num cristal metálico, estes

Ligação metálica É o tipo de ligação que ocorre entre os átomos de metais. Quando muitos destes átomos estão juntos num cristal metálico, estes Ligações Metálicas Ligação metálica É o tipo de ligação que ocorre entre os átomos de metais. Quando muitos destes átomos estão juntos num cristal metálico, estes perdem seus elétrons da última camada.

Leia mais

Profs. Nunes - Marcílio - Larissa

Profs. Nunes - Marcílio - Larissa UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA Departamento de Engenharia Mecatrônica e Sistemas Mecânicos Grupo de Mecânica dos Sólidos e Impacto em Estruturas Sensores e transdutores Profs. Nunes - Marcílio

Leia mais

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR.

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR. Resistores A existência de uma estrutura cristalina nos condutores que a corrente elétrica percorre faz com que pelo menos uma parte da energia elétrica se transforme em energia na forma de calor, as partículas

Leia mais

a - coeficiente de temperatura da resistência, W/W(ºC)

a - coeficiente de temperatura da resistência, W/W(ºC) As termoresistências, ou termómetros de resistência, são sensores de alta precisão e excelente repetibilidade de leitura. O seu funcionamento baseia-se na variação da resistência eléctrica de modo proporcional

Leia mais

Termistor. Termistor

Termistor. Termistor Termistor Aplicação à disciplina: EE 317 - Controle e Automação Industrial Este artigo descreve os conceitos básicos sobre termistores. 1 Conteúdo 1 Introdução:...3 2 Operação básica:...4 3 Equação de

Leia mais

Propriedades termicas Termopares Tipo T

Propriedades termicas Termopares Tipo T Propriedades termicas Tipos de termopares- linearização-uso de tabela Cabos de compensação e normas Correção por efeito da junta de referencia na medição Termistores PTC e NTC Resistores de referencia

Leia mais

ni.com Série de conceitos básicos de medições com sensores

ni.com Série de conceitos básicos de medições com sensores Série de conceitos básicos de medições com sensores Medições de temperatura Renan Azevedo Engenheiro de Produto, DAQ & Teste NI Henrique Sanches Marketing Técnico, LabVIEW NI Pontos principais Diferentes

Leia mais

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS Faculdade Sudoeste Paulista Engenharia Civil/Produção Notas de aula: CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS PROPRIEDADES TÉRMICAS Prof. Msc. Patrícia Corrêa Avaré, 2014 Propriedades de materiais: 1. Térmica

Leia mais

Unidade 8. Eletricidade e Magnetismo

Unidade 8. Eletricidade e Magnetismo Unidade 8 Eletricidade e Magnetismo Eletrostática e Eletrodinâmica Os fenômenos elétricos estão associados aos elétrons. Cargas Elétricas As cargas elétricas podem ser positivas ou negativas Cargas opostas

Leia mais

Medição de Temperatura

Medição de Temperatura Medição de Temperatura Fonte: Simone Massulini Acosta Conceitos Básicos TERMOMETRIA PIROMETRIA: medição de altas temperaturas, na faixa onde os efeitos de radiação térmica visíveis passam a se manifestar.

Leia mais

Prof. Dr. Mário Luiz Tronco

Prof. Dr. Mário Luiz Tronco Sensores em Robótica Prof. Dr. Mário Luiz Tronco Mário Prof. Mário Luiz Tronco Luiz Tronco ROBÓTICA Duas Grandes Áreas do Conhecimento: Engenharias Computação Elétrica Mecânica Mecatrônica Mário Luiz Tronco

Leia mais

BC 0205 Fenômenos Térmicos

BC 0205 Fenômenos Térmicos BC 0205 Fenômenos Térmicos Experimento 4 Roteiro Calorimetria parte 2 Professor: Data: / /2016 Turma: Turno: login Tidia: Nome: RA: Proposta Como continuação dos experimentos relacionados à calorimetria,

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE Curso: Ensino Médio Disciplina: Física Professores: Elisângela Schons. Aproveitamento: 100% JUSTIFICATIVA:

PLANO DE TRABALHO DOCENTE Curso: Ensino Médio Disciplina: Física Professores: Elisângela Schons. Aproveitamento: 100% JUSTIFICATIVA: . Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos Cursos: Ensino Fundamental Fase II e Ensino Médio. Rua Monteiro Lobato, 1038 Cep. 85950-000 Fone/Fax (44) 3649-5214 Site: www.potceebjapalotina.seed.pr.gov.br

Leia mais

Instrumentação e Técnicas de Medidas. Sensores Resistivos

Instrumentação e Técnicas de Medidas. Sensores Resistivos Instrumentação e Técnicas de Medidas Sensores Resistivos Sensores resistivos (potenciômetros, termistores, rtd, strain-gage,...) Instrumentação e Técnicas de Medida UFRJ, 2013/1 1 Controle de Versões 2013

Leia mais

Distância de acionamento. Distância sensora nominal (Sn) Distância sensora efetiva (Su) Distância sensora real (Sr) 15/03/2015

Distância de acionamento. Distância sensora nominal (Sn) Distância sensora efetiva (Su) Distância sensora real (Sr) 15/03/2015 Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Sensores São dispositivos que

Leia mais

SENSORES DE TEMPERATURA

SENSORES DE TEMPERATURA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO DEPARTAMNETO ACADÊMICO DE ELETROELETRÔNICA E SISTEMA DA INFORMAÇÃO Disciplina Controle e Instrumentação Industrial SENSORES DE TEMPERATURA

Leia mais

Eletricidade e magnetismo

Eletricidade e magnetismo Eletricidade e magnetismo Circuitos elétricos Prof. Luís Perna 014/15 Corrente elétrica Qual a condição para que haja corrente elétrica entre dois condutores A e B? Que tipo de corrente elétrica se verifica?

Leia mais

Propriedades elétricas em Materiais

Propriedades elétricas em Materiais FACULDADE SUDOESTE PAULISTA Ciência e Tecnologia de Materiais Prof. Msc. Patrícia Correa Propriedades elétricas em Materiais PROPRIEDADES ELÉTRICAS CONDUTIVIDADE e RESISTIVIDADE ELÉTRICA ( ) É o movimento

Leia mais

ELT030 INSTRUMENTAÇÃO - Medição de Temperatura

ELT030 INSTRUMENTAÇÃO - Medição de Temperatura 1. INTRODUÇÃO A temperatura é uma das principais variáveis de processos industriais, e sua medição e controle, embora difíceis, são vitais para a qualidade do produto e a segurança não só das máquinas

Leia mais

AULA 5 - SENSORES DE PRESENÇA E TEMPERATURA

AULA 5 - SENSORES DE PRESENÇA E TEMPERATURA AULA 5 - SENSORES DE PRESENÇA E TEMPERATURA Prof. Fabricia SENSORES DE PRESENÇA Sensores de Presença; Sensores e Posição; Sensores Ópticos; Sensores de Velocidade. Sensores Industriais Sensores Ópticos;

Leia mais

UFRGS - VESTIBULAR 2008 RESOLUÇÃO DA PROVA DE FÍSICA

UFRGS - VESTIBULAR 2008 RESOLUÇÃO DA PROVA DE FÍSICA UFRGS - ESTIULR 008 RESOLUÇÃO D PRO DE FÍSIC COMENTÁRIO D PRO UFRGS apresentou uma prova de Física muito bem elaborada, abrangendo bem o conteúdo proposto pelo programa. Como é tradição no vestibular da

Leia mais

Teoria dos Semicondutores e o Diodo Semicondutor. Prof. Jonathan Pereira

Teoria dos Semicondutores e o Diodo Semicondutor. Prof. Jonathan Pereira Teoria dos Semicondutores e o Diodo Semicondutor Prof. Jonathan Pereira Bandas de Energia Figura 1 - Modelo atômico de Niels Bohr 2 Bandas de Energia A quantidade de elétrons

Leia mais

Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm. 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor.

Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm. 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor. Respostas Questões relativas ao resultado Etapa 1: Questões relativas aos resultados Lei de Ohm 1.1 A partir dos dados tabelados, calcule o valor médio da resistência do resistor. Resposta: O valor encontrado

Leia mais

Física. B) Determine a distância x entre o ponto em que o bloco foi posicionado e a extremidade em que a reação é maior.

Física. B) Determine a distância x entre o ponto em que o bloco foi posicionado e a extremidade em que a reação é maior. Física 01. Uma haste de comprimento L e massa m uniformemente distribuída repousa sobre dois apoios localizados em suas extremidades. Um bloco de massa m uniformemente distribuída encontra-se sobre a barra

Leia mais

Sensores - Parte 2 SUMÁRIO 1) SENSORES DE PRESSÃO 2) SENSORES DE TEMPERATURA 3) SENSORES DE VAZÃO 4) SENSORES DE NÍVEL LÍQUIDO REFERÊNCIA

Sensores - Parte 2 SUMÁRIO 1) SENSORES DE PRESSÃO 2) SENSORES DE TEMPERATURA 3) SENSORES DE VAZÃO 4) SENSORES DE NÍVEL LÍQUIDO REFERÊNCIA Sensores - Parte 2 SUMÁRIO 1) SENSORES DE PRESSÃO 2) SENSORES DE TEMPERATURA 3) SENSORES DE VAZÃO 4) SENSORES DE NÍVEL LÍQUIDO REFERÊNCIA KILIAN, Christopher. Modern Control Technology: Components & Systems,

Leia mais

09/09/12 Resistor Wikipédia, a enciclopédia liv re. Resistor. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

09/09/12 Resistor Wikipédia, a enciclopédia liv re. Resistor. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Resistor Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Um resistor (frequentemente chamado de resistência, que é na verdade a sua medida) é um dispositivo elétrico muito utilizado em eletrônica, ora com a finalidade

Leia mais

Física do Estado Sólido: Sólidos Condutores

Física do Estado Sólido: Sólidos Condutores Física do Estado Sólido: Sólidos Condutores Trabalho de Física Moderna II Professor Marcelo Gameiro Munhoz 7 de maio de 2012 André E. Zaidan Cristiane Calil Kores Rebeca Bayeh Física do Estado Sólido -

Leia mais

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO - TEMPERATURA

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO - TEMPERATURA MÉTODO DE MEDIÇÃO Podemos dividir os medidores de temperatura em dois grandes grupos, conforme a tabela abaixo: 1º grupo (contato direto) Termômetro à dilatação de líquidos de sólido Termômetro à pressão

Leia mais

Aula 5_3. Condutores, Isolantes, Semicondutores e Supercondutores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 5

Aula 5_3. Condutores, Isolantes, Semicondutores e Supercondutores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 5 Aula 5_3 Condutores, Isolantes, Semicondutores e Supercondutores Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 5 Conteúdo Semicondutores Supercondutores Capítulo: 5, 10 Isolantes, Semicondutores

Leia mais

Edital 064/ Área 21 Engenharia

Edital 064/ Área 21 Engenharia CAMPUS PELOTAS PELOTAS INSTRUÇÕES GERAIS 1 - Este caderno de prova é constituído por 40 (quarenta) questões objetivas. 2 - A prova terá duração máxima de 04 (quatro) horas. 3 - Para cada questão são apresentadas

Leia mais

Medir a variação da resistência elétrica de um enrolamento de fio de Cu e um diodo com a temperatura;

Medir a variação da resistência elétrica de um enrolamento de fio de Cu e um diodo com a temperatura; 29 4.3 Experimento 3: Variação da Resistência com a Temperatura 4.3.1 Objetivos Medir a variação da resistência elétrica de um enrolamento de fio de Cu e um diodo com a temperatura; Realizar ajustes lineares

Leia mais

(definição de corrente)

(definição de corrente) 26-1 O que é física? Nos últimos capítulos discutimos eletrostática, ou seja, a física das cargas estacionárias. Neste capítulo e no que se segue vamos discutir correntes elétricas, isto é as cargas em

Leia mais

Eletrodinâmica. CORRENTE ELÉTRICA é o movimento ordenado dos portadores de cargas elétricas, ou seja, um fluxo de cargas elétricas.

Eletrodinâmica. CORRENTE ELÉTRICA é o movimento ordenado dos portadores de cargas elétricas, ou seja, um fluxo de cargas elétricas. Corrente Elétrica Eletrodinâmica Nos condutores metálicos, existe, movimentando-se desordenadamente uma verdadeira nuvem de elétrons, os elétrons livres. Em certas condições, esses elétrons podem ser colocados

Leia mais

Mecanismos de Condução nos Condutores - Exercícios

Mecanismos de Condução nos Condutores - Exercícios UFPI - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA DE MATERIAIS ELÉTRICOS PROF. MARCOS ZURITA FEVEREIRO DE 2011 Mecanismos de Condução nos Condutores

Leia mais

Instrumentos de Temperatura 1. Instrumentação Industrial. Autor: Perez

Instrumentos de Temperatura 1. Instrumentação Industrial. Autor: Perez Instrumentos de Temperatura 1 Instrumentação Industrial Autor: Perez AULA III - Instrumentos de Temperatura Instrumentos de Temperatura 2 Objetivos Estudar Elementos e Transmissores de Temperatura Mais

Leia mais

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO. Resp. D

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO. Resp. D 10) Antes de medir a temperatura de um paciente, uma enfermeira verifica que o termômetro clínico indica 35 C. Em seguida, usando esse termômetro, ela mede a temperatura do paciente, encontrando o valor

Leia mais

FÍSICA Vestibular UFU 2ª Fase 16 de Janeiro de 2011

FÍSICA Vestibular UFU 2ª Fase 16 de Janeiro de 2011 PRIMEIR QUESTÃO Com o crescimento das cidades, a quantidade de carros trafegando nas ruas tende a aumentar. ssim, os condutores de veículos precisam estar cada vez mais preparados para lidar com situações

Leia mais

CAPÍTULO 6 TEMPERATURA DO AR E DO SOLO

CAPÍTULO 6 TEMPERATURA DO AR E DO SOLO CAPÍTULO 6 TEMPERATURA DO AR E DO SOLO 1. Temperatura A matéria compõe-se de moléculas constituídas por diferentes tipos de átomos. Esses átomos interagem eletricamente entre si e também obedecem às leis

Leia mais

Caracterização de Termopares

Caracterização de Termopares Roteiro Experimental n 1 da disciplina de Materiais Elétricos COMPONENTES DA EQUIPE: NOTA: Data: / / 1. OBJETIVOS: Conhecer os princípios de funcionamento de um Termopar Extrair curva de Temperatura x

Leia mais

Capítulo 21 Temperatura

Capítulo 21 Temperatura Capítulo 21 Temperatura 21.1 Temperatura e equilíbrio térmico Mecânica: lida com partículas. Variáveis microscópicas: posição, velocidade, etc. Termodinâmica: lida com sistemas de muitas partículas. Variáveis

Leia mais

No circuito em questão, temos a resistência interna da fonte, a resistência da carga e a resistência do fio.

No circuito em questão, temos a resistência interna da fonte, a resistência da carga e a resistência do fio. Os resistores são provavelmente os componentes mais utilizados em todos os tipos de circuitos eletrônicos, desde pequenos circuitos eletrônicos, como rádios, gravadores, etc. até computadores mais sofisticados.

Leia mais

QUESTÕES DE FÍSICA A RESUMO BIMESTRAL AULA 25 A 32

QUESTÕES DE FÍSICA A RESUMO BIMESTRAL AULA 25 A 32 Processo Avaliativo AVP - 3º Bimestre/2016 Disciplina: Física 2ª série EM A Data: Nome do aluno Nº Turma Atividade Avaliativa: entregar a resolução de todas as questões. ATENÇÃO: Esta lista é o trabalho

Leia mais

Transdutores metálicos Termístores Termopares Transdutores de outros tipos

Transdutores metálicos Termístores Termopares Transdutores de outros tipos INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLO CAPÍTULO III Transdutores de temperatura 2012/2013 Índice do capítulo Introdução Transdutores metálicos Termístores Termopares Transdutores de outros tipos Luis Filipe Baptista

Leia mais

Temperatura Conceitos Temperatura: Grandeza física que mede o estado de agitação das partículas de um corpo, caracterizando o seu estado térmico.

Temperatura Conceitos Temperatura: Grandeza física que mede o estado de agitação das partículas de um corpo, caracterizando o seu estado térmico. Conceitos Temperatura: Grandeza física que mede o estado de agitação das partículas de um corpo, caracterizando o seu estado térmico. Energia Térmica: É a somatória das energias cinéticas dos seus átomos,

Leia mais

6. Transdutores, Sensores e Atuadores

6. Transdutores, Sensores e Atuadores UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENG. DE PRODUÇÃO E SISTEMAS - DEPS INFORMÁTICA INDUSTRIAL IFD 6. Transdutores, Sensores e Atuadores Igor

Leia mais

FÍSICA TÉRMICA. Prof. Neemias Alves de Lima Instituto de Pesquisa em Ciência dos Materiais Universidade Federal do Vale do São Francisco 1

FÍSICA TÉRMICA. Prof. Neemias Alves de Lima Instituto de Pesquisa em Ciência dos Materiais Universidade Federal do Vale do São Francisco 1 FÍSICA TÉRMICA Prof. Neemias Alves de Lima Instituto de Pesquisa em Ciência dos Materiais Universidade Federal do Vale do São Francisco 1 Domínio da Física Térmica Como pode água aprisionada ser ejetada

Leia mais

Exercícios 6 1. real 2. Resp: 3. o sentido convencional Resp: 4. Resp: 5. (a) (b) (c) Resp: (b) (c) Resp:

Exercícios 6 1. real 2. Resp: 3. o sentido convencional Resp: 4. Resp: 5. (a) (b) (c) Resp: (b) (c) Resp: Exercícios 6 1. A corrente elétrica real através de um fio metálico é constituída pelo movimento de: a) Cargas positivas do maior para o menor potencial. b) Cargas positivas. c) Elétrons livres no sentido

Leia mais

Cabos nus de alumínio para eletrificação rural

Cabos nus de alumínio para eletrificação rural Cabos nus de alumínio para eletrificação rural Introdução Este catálogo apresenta os cabos nus de alumínio (CA) e alumínio com alma de aço (CAA), de fabricação Prysmian, nas bitolas padronizadas para distribuição

Leia mais

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências CARGO AGENTE DE MANUTENÇÃO DE VEÍCULOS Área de Concentração: Elétrica de Autos 1. O movimento ordenado de elétrons livres em um condutor

Leia mais

instalação para que, no dia mais quente do verão, a separação entre eles seja de 1 cm? a) 1,01 b) 1,10 c) 1,20 d) 2,00 e) 2,02

instalação para que, no dia mais quente do verão, a separação entre eles seja de 1 cm? a) 1,01 b) 1,10 c) 1,20 d) 2,00 e) 2,02 1. (Ufg) Uma longa ponte foi construída e instalada com blocos de concreto de 5 m de comprimento a uma temperatura de 20 C em uma região na qual a temperatura varia ao longo do ano entre 10 C e 40 C. O

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL APLICADA À INDÚSTRIA DE PETRÓLEO

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL APLICADA À INDÚSTRIA DE PETRÓLEO INSTUMENTAÇÃO INDUSTIAL APLICADA À INDÚSTIA DE PETÓLEO Professor Valner Brusamarello - UFGS Encontro III Efeitos Mecânicos Termômetros de expansão de líquidos em bulbos de vidro Termômetro de mercúrio

Leia mais

ANALOGIA ENTRE INTENSIDADE DE CORRENTE ELÉCRICA E CAUDAL DE UM LÍQUIDO

ANALOGIA ENTRE INTENSIDADE DE CORRENTE ELÉCRICA E CAUDAL DE UM LÍQUIDO ANALOGA ENTRE NTENSDADE DE CORRENTE ELÉCRCA E CADAL DE M LÍQDO Exemplo de revisão do conceito de caudal: Para medir o caudal de uma torneira, podemos encher um balde com água e medir o tempo que o balde

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA SÉRIE DE EXERCÍCIO #A3 (1A) CONVERSÃO TEMPERATURA-TENSÃO (A) Determine

Leia mais

ENEM 2013 Resolução de Física Caderno ROSA = 5 40 = 0,125

ENEM 2013 Resolução de Física Caderno ROSA = 5 40 = 0,125 ENEM 203 Resolução de Física Caderno ROSA 47. Alternativa (B) Sendo uma troca de calor, podemos resolver da seguinte orma: Q q Q p m q c T m c T m q.. (70 30) m.. (25 30) m q. 40 m. 5 m q m 5 40 0,25 49.

Leia mais

CTM Segunda Lista de Exercícios

CTM Segunda Lista de Exercícios CTM Segunda Lista de Exercícios 1) Considere a liga 40%Ag 60%Cu e o diagrama de fases abaixo, no qual os campos monofásicos já estão identificados. L L L Esta liga foi aquecida a 800 o C. a. (0,5) Quais

Leia mais

Posição x Deslocamento

Posição x Deslocamento 1 SENSORES Parte 5 Prof. Dr.-Ing. Fernando A.N. Castro Pinto Curso de Pós Graduação em Mecatrônica Universidade Federal do Rio de Janeiro Depto/Programa LAVI Engenharia Mecânica Lab. Acústica & Vibrações

Leia mais

Experiência 07 Diodos de Junção PN e Fotodiodos

Experiência 07 Diodos de Junção PN e Fotodiodos Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos EEL 7051 Professor Clóvis Antônio Petry Experiência 07 Diodos de Junção PN e Fotodiodos Fábio

Leia mais

As figuras acima mostram as linhas de indução de um campo magnético uniforme B r

As figuras acima mostram as linhas de indução de um campo magnético uniforme B r 1) No sistema mostrado abaixo, as roldanas e os fios são ideais e o atrito é considerado desprezível. As roldanas A, B, e C são fixas e as demais são móveis sendo que o raio da roldana F é o dobro do raio

Leia mais

Mecanismos de transferência de calor. Anjo Albuquerque

Mecanismos de transferência de calor. Anjo Albuquerque Mecanismos de transferência de calor 1 Mecanismos de transferência de calor Quando aquecemos uma cafeteira de alumínio com água ao lume toda a cafeteira e toda a água ficam quentes passado algum tempo.

Leia mais

Condutores Elétricos

Condutores Elétricos Condutores Elétricos Aspectos construtivos e aplicações Giovanni Manassero Junior Depto. de Engenharia de Energia e Automação Elétricas Escola Politécnica da USP 14 de março de 2013 EPUSP Giovanni Manassero

Leia mais

A A A A A A A A A A A A A A A

A A A A A A A A A A A A A A A FÍSIC 1 Em uma prova de atletismo, um corredor, que participa da prova de 100 m rasos, parte do repouso, corre com aceleração constante nos primeiros 50 m e depois mantém a velocidade constante até o final

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG CAMPUS DIVINÓPOLIS MEDIÇÃO DE TEMPERATURA TERMÔMETROS, TERMOPARES, TERMORESISTÊNCIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG CAMPUS DIVINÓPOLIS MEDIÇÃO DE TEMPERATURA TERMÔMETROS, TERMOPARES, TERMORESISTÊNCIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG CAMPUS DIVINÓPOLIS MEDIÇÃO DE TEMPERATURA TERMÔMETROS, TERMOPARES, TERMORESISTÊNCIA Breno Rios Fabricia Mara Fernanda Nayara Izabella Guimarães Janaina Mariano

Leia mais

2º Experimento 1ª Parte: Lei de Ohm

2º Experimento 1ª Parte: Lei de Ohm 2º Experimento 1ª Parte: Lei de Ohm 1. Objetivos: Verificar a lei de Ohm. Determinar a resistência elétrica através dos valores de tensão e corrente. 2. Teoria: No século passado, George Ohm enunciou:

Leia mais

Identificação de Princípios e Leis da Física em aplicações tecnológicas inseridas no cotidiano

Identificação de Princípios e Leis da Física em aplicações tecnológicas inseridas no cotidiano PROCESSO SELETIVO FÍSICA 1. EIXO TEMÁTICO: PRINCÍPIOS E LEIS QUE REGEM A FÍSICA Objetivo Geral: Compreensão dos Conceitos, Princípios e Leis da Física no estudo do movimento dos corpos materiais, calor,

Leia mais

Corrente elétrica pode ser entendida como sendo a quantidade de elétrons que atravessa a secção de um condutor em um segundo.

Corrente elétrica pode ser entendida como sendo a quantidade de elétrons que atravessa a secção de um condutor em um segundo. Corrente, Tensão, Resistência, Potência e Freqüência. Conceitos Básicos Mesmo pensando somente em Informática, temos que conhecer algumas grandezas elétricas básicas. Essas grandezas são: Corrente, tensão,

Leia mais

Materiais Elétricos - Teoria. Aula 04 Materiais Magnéticos

Materiais Elétricos - Teoria. Aula 04 Materiais Magnéticos Materiais Elétricos - Teoria Aula 04 Materiais Magnéticos Bibliografia Nesta aula Cronograma: 1. Propriedades gerais dos materiais; 2. ; 3. Materiais condutores; 4. Materiais semicondutores; 5. Materiais

Leia mais

PSI 3263 Práticas de Eletricidade e Eletrônica I 2016

PSI 3263 Práticas de Eletricidade e Eletrônica I 2016 PSI 3263 Práticas de Eletricidade e Eletrônica I 2016 Relatório da Experiência 6 Condutores e Dispositivos de Proteção Nomes: N o USP: 1. Procedimento experimental 1.1 - Levantamento de curva de aquecimento

Leia mais

CÁLCULOS RECUPERAÇÃO 3º ANOS 2º DIA 2º SEMESTRE MATEMÁTICA

CÁLCULOS RECUPERAÇÃO 3º ANOS 2º DIA 2º SEMESTRE MATEMÁTICA RECUPERAÇÃO º ANOS º DIA º SEMESTRE MATEMÁTICA 1. Um candidato foi aprovado no Vestibular da UCS para um dos cursos de Engenharia. Supondo que quatro cursos de Engenharia são oferecidos no Campus de Bento

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV E HABILIDADES REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV 2 Vídeo - Primeira Lei de Newton - Lei da Inércia 3 As três leis de Newton do movimento Sir Isaac Newton desenvolveu as três

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO

ESTUDO DIRIGIDO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO - IFPE CAMPUS GARANHUNS CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE EM ELETROELETRÔNICA Disciplina: Instrumentação Industrial UNIDADE 2 Período Letivo: 2012.2

Leia mais

4 Termometria termoelétrica 4.1 Fenômeno termoelétrico

4 Termometria termoelétrica 4.1 Fenômeno termoelétrico 4 Termometria termoelétrica 4.1 Fenômeno termoelétrico Um termopar é um transdutor formado simplesmente por dois pedaços de fios de diferentes metais ou ligas, unidos eletricamente apenas em suas extremidades

Leia mais

GERADORES E RECEPTORES:

GERADORES E RECEPTORES: COLÉGIO ESTADUAL JOSUÉ BRANDÃO 3º Ano de Formação Geral Física IV Unidade_2009. Professor Alfredo Coelho Resumo Teórico/Exercícios GERADORES E RECEPTORES: Anteriormente estudamos os circuitos sem considerar

Leia mais

CAPÍTULO 5 DIODOS ESPECIAIS ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 05

CAPÍTULO 5 DIODOS ESPECIAIS ELETRÔNICA ANALÓGICA AULA 05 CAPÍTULO 5 DIODOS ESPECIAIS Aluno turma ANALÓGICA AULA 05 CAPÍTULO 5 - DIODOS ESPECIAIS Desde o descobrimento da junção semicondutora PN, muitos estudos têm sido realizados com os materiais semicondutores,

Leia mais