APOSTILA DE REFRIGERAÇÃO PRINCIPAIS ACESSÓRIOS ELÉTRICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APOSTILA DE REFRIGERAÇÃO PRINCIPAIS ACESSÓRIOS ELÉTRICOS"

Transcrição

1 APOSTILA DE REFRIGERAÇÃO PRINCIPAIS ACESSÓRIOS ELÉTRICOS setembro/2010

2 1.TERMOSTATOS PRINCIPAIS ACESSÓRIOS ELÉTRICOS Os termostatos são interruptores que regulam, de forma automática, o funcionamento do refrigerador, com a finalidade de conservar a temperatura desejada no evaporador e na câmara. Indicam variações de temperatura e fecham ou abrem os contatos elétricos Classificação dos Termostatos Os termostatos podem ser classificados de acordo com o elemento de medição de temperatura. Termostato com bulbo sensor de temperatura; Termostato bimetálico; Termostato eletrônico Termostato com bulbo sensor de temperatura: o bulbo contém um gás ou um líquido que quando a temperatura no bulbo aumenta, há também aumento de pressão no fluido que é transmitido ao fole do termostato. O movimento do fole proporciona o fechamento ou abertura dos contatos através do mecanismo de alavanca Bimetálico: o tipo de termostato chamado bimetálico funciona com uma expansão ou contração de metais, devido às mudanças de temperatura. Esses termostatos são projetados para controlar o calor e o resfriamento nas 2 2

3 unidades de ar-condicionado, câmaras frigoríficas, estufas para plantas, bobinas de ventilador, etc. Como se vê na figura, dois metais, cada um tendo um coeficiente diferente de dilatação, são soldados juntos para formar uma lâmina bimetálica. Com uma lâmina presa em uma extremidade, forma-se um circuito e os dois pontos de contato são fechados pela passagem de uma corrente elétrica. Devido ao fato de que uma corrente elétrica produz calor em sua passagem pela lâmina bimetálica, os metais na lâmina começam a se dilatar, mas em proporções diferentes. Os metais são dispostos de modo que o que tem coeficiente de dilatação mais elevado seja colocado embaixo da unidade. Depois de um certo intervalo de tempo, a temperatura de operação é atingida, e os pontos de contato ficam separados, desligando desse modo a entrada de corrente. Depois de um curto período, a lâmina se torna suficientemente fria para provocar os pontos de contato a se ligarem, restabelecendo dessa maneira o circuito, e permitindo que a corrente ative novamente o circuito. O ciclo precedente se repete várias vezes e dessa maneira evita que a temperatura aumente muito ou caia muito Termostato eletrônico: basicamente, qualquer que seja o modelo do termostato eletrônico, a temperatura interna do ambiente refrigerado é medida por um sensor elétrico (NTC ou PTC), que envia o sinal para um circuito eletrônico. Esse circuito, por sua vez, liga ou desliga o compressor Vantagens do Termostato eletrônico: Proporciona um controle mais preciso da temperatura e garante um melhor processo de medição, resultando num grau melhor de conservação dos alimentos. Permite funcionalidades adicionais como: resfriamento rápido e indicação visual da temperatura, sem grande acréscimo de custo Funcionamento defeituoso do termostato O funcionamento defeituoso do termostato pode impedir a partida do motocompressor. Normalmente as causas podem ser: O elemento térmico perdeu parcialmente ou totalmente a carga de gás ou líquido, permanecendo os contatos sempre abertos e impedindo o arranque do motocompressor, ou o funcionamento se dá de maneira descontínua; Ruptura de qualquer componente do dispositivo, ou os contatos elétricos estão sujos ou queimados; Contatos elétricos grudados por fusão (neste caso o funcionamento do motocompressor é contínuo). É possível remediar qualquer dos defeitos supra-referidos, mas é aconselhável proceder à substituição completa do termostato. Em caso de dúvida, é suficiente fazer uma ponte com um pedacinho de fio, entre os dois terminais do termostato; se o motocompressor funcionar, é evidente que o termostato esteja defeituoso. 3 3

4 2.PRESSOSTATOS Os pressostatos são interruptores elétricos comandados pela pressão. O ajuste da pressão se faz por meio de um parafuso. Em alguns modelos o diferencial de pressão (diferença entre pressão de desarme e rearme) é regulável. O rearme pode ser automático ou manual. Os pressostatos com rearme manual são mais usados quando o dispositivo tem a função de proteção. É de grande importância checar o motivo de seu desarme, assegurando que o sistema só seja religado quando estiver pronto para operar dentro dos limites de pressão adequados. Nos casos em que o pressostato atua no controle, o rearme automático é a melhor opção Classificação dos Pressostatos Pressostatos de baixa pressão: desligam, quando a pressão de sucção se torna menor do que um determinado valor; Pressostatos de alta pressão: desligam, quando a pressão de descarga se torna maior do que um determinado valor; Pressostatos de alta e baixa: reúnem os dois tipos anteriores num único aparelho; Pressostatos diferenciais: destinados ao controle da pressão do óleo de lubrificação dos compressores, que desligam quando a diferença entre a pressão da bomba e o cárter do compressor é insuficiente para uma lubrificação adequada. 3.RELÉ DE PARTIDA O relé de partida é o dispositivo elétrico que comanda a operação liga/desliga do enrolamento de partida, que permite que este seja ligado para auxiliar a partida do motor e desligando-o pouco antes do motor atingir a sua rotação nominal ou velocidade normal. A ação conjunta do relé de partida e do protetor térmico assegura um controle preciso do tempo de funcionamento do enrolamento auxiliar, evitando o superaquecimento do bobinado e protegendo o equipamento contra danos mais sérios. No momento da partida, quando o controle de temperatura fecha o circuito elétrico, um impulso de corrente elétrica passa através do enrolamento principal do motor e através da bobina do relê. Essa energiza o relê de partida fechando os contatos do enrolamento de partida. A corrente através do enrolamento de partida introduz um segundo campo magnético defasado no estator e arranca o motor. Quando a velocidade do motor aumenta, a corrente do enrolamento de andamento é reduzida. A uma condição predeterminada, a corrente do enrolamento de marcha cai a um valor abaixo do necessário para manter a armadura do relê de partida. A armadura cai e abre os 4 4

5 contatos do enrolamento de partida e retira-o do circuito. A seguir, o motor continua a funcionar pelo enrolamento de marcha, como um motor de indução Tipos de relés de partida Relé de corrente magnética; Relé térmico; Relé voltimétrico; Relé PTC Relé de corrente magnética É o tipo mais usado nos atuais equipamentos de refrigeração, também conhecido por relé de corrente. O relé magnético apresenta uma bobina ligada em série com o enrolamento principal ou de marcha e uma armadura com platinado de ambos os lados, aos quais por sua vez, estão montados com pesos e molas. Funcionamento do relé de corrente magnética: Quando o equipamento é ligado de alguma forma ou pelo acionamento do termostato ou quando é ligado a rede de distribuição de eletricidade, faz com que um fluxo de corrente passe pela bobina do relé e pela bobina de marcha. Esta corrente que passa inicialmente pode atingir valores dez vezes maiores que a corrente de funcionamento. O enrolamento principal é responsável pelo valor da corrente inicial que, ao passar pela bobina do relé, cria um campo magnético muito forte capaz de fechar o platinado (contatos do relé), este fenômeno ocorre porque o campo magnético criado pela bobina é diretamente proporcional à corrente elétrica que passa por ela. A bobina do relé atua como um eletroímã, fechando os platinados e permitindo que o fluxo de corrente também se dirija para os enrolamentos de partida do motocompressor. Quando o motor atinge de 70 a 80% de sua rotação nominal, a intensidade da corrente diminui e com isso também diminui o fluxo do campo magnético no relé, por esta razão, as armaduras com platinados descem, retomando a sua posição inicial e desligando a bobina auxiliar. O motor, enquanto estiver energizado, segue trabalhando com o enrolamento de marcha, que é a bobina principal Relé Térmico Este tipo de relé contém um dispositivo bimetálico de sobrecarga. Ao ser ligado, o termostato permite a passagem da corrente elétrica para os platinados do relé térmico. Como estes estão fechados, a corrente passa para os enrolamentos auxiliar e de marcha, dando a partida do motor. A corrente de partida do compressor aquece o fio térmico e 5 5

6 provoca a sua dilatação, permitindo que a lâmina do balancim se curve o suficiente para possibilitar a abertura dos platinados, com isso, o fluxo da corrente para o enrolamento auxiliar é interrompido, e continua somente através do enrolamento de marcha. O relé térmico é cuidadosamente projetado para permitir que o enrolamento auxiliar deixe de trabalhar quando o motor atingir cerca de 80% da sua velocidade nominal. Enquanto o motor estiver operando, em condições normais, o fluxo da corrente mantém as platinados de partida abertos e os de marcha fechados. O relé térmico apresenta internamente uma proteção de sobrecarga, que é constituída pelo próprio fio térmico, que atua quando a corrente elétrica ultrapassa os limites estabelecidos pelo fabricante Relé Voltimétrico Também é conhecido por relé de potencial, relé de tensão magnética ou relé de tensão. Os relés voltimétricos estão ligados em paralelo com a rede elétrica e, por essa razão, trabalham com a tensão que lhes fornece. Os relés voltimétricos somente funcionam com capacitores de partida e de fase, pois são utilizados em compressores que necessitam de alto torque de partida e cuja referência comercial que consta nos catálogos dos fabricantes diz acima de 3/4 de HP. Em relação aos demais tipos de relés, o relé voltimétrico apresenta platinados já fechados na partida do compressor, o que é uma vantagem, pois evita a formação de centelha elétrica, no caso de alta corrente elétrica. O relé voltimétrico está ligado em paralelo com o borne comum e o borne do auxiliar de partida do compressor. Funcionamento do relé voltimétrico: Na partida, verifica-se uma queda de tensão, através do enrolamento de partida. Conforme o motor atinge a sua velocidade nominal de marcha, a tensão na bobina de partida aumenta, atingindo um nível acima do inicial, produzindo um forte campo magnético na bobina de relé. A armadura sobe, interrompendo o circuito para o enrolamento de partida e a bobina do relé se mantém magnetizada, enquanto o aparelho estiver energizado Relé PTC O relé PTC, cujo nome é retirado das palavras Coeficiente de Temperatura Positiva. Em temperatura ambiente, o relé PTC apresenta baixa resistência ôhmica e, caso se estabeleça uma ligação no circuito, o PTC permite a passagem da corrente elétrica. Quando o compressor parte, a corrente da bobina auxiliar passa pelo PTC, aumentando a sua temperatura. Com isso, a resistência do PTC aumenta até atingir um valor tão elevado, que impede a passagem da corrente elétrica para a bobina auxiliar. Este fenômeno ocorre porque a corrente procura sempre percorrer os caminhos de menor resistência. Diz-se que o PTC se encontra em funcionamento normal quando sofre um aquecimento devido a uma corrente elétrica que passou por ele na partida e, neste caso, o valor da resistência se eleva, impedindo a passagem de corrente elétrica para a bobina auxiliar e o motocompressor segue funcionado somente com a bobina de marcha energizada. Os PTCs não geram distúrbios elétricos, são mais silenciosos que os relés magnéticos e ainda podem ser utilizados em conjunto com capacitores de 6 6

7 funcionamento e, portanto, em compressores de alto rendimento. Mas a corrente necessária para manter o PTC aquecido durante o funcionamento aumenta o consumo do compressor Relé defeituoso Um relé defeituoso pode ser a causa da falta de arranque do motocompressor. Um circuito aberto ou interrompido da bobina, uma solda nomentânea dos contatos, fazem com que o protetor térmico interrompa o circuito. Em qualquer caso podem-se também fundir os fusíveis da casa. Se um relé está em bom estado, e se agita no sentido vertical, deve-se ouvir o ruído do núcleo metálico móvel. Entretanto, tendo-se dúvida se o relé seja defeituoso, proceder à partida do motocompressor diretamente. RELÉ PTC x RELÉ DE CORRENTE MAGNÉTICA Relé PTC Relé Magnético Responde à corrente da bobina auxiliar do compressor. Responde à corrente da bobina principal do compressor. Pastilha do PTC se aquece com a A corrente da bobina principal diminui passagem de corrente elétrica, com o aumento da rotação do motor, aumentando a resistência ôhmica. Isso reduz praticamente a zero a passagem de proporcionando a abertura do platinado e a desativação da bobina auxiliar. corrente para a bobina auxiliar. Consumo residual em torno de 2W. Consumo residual <1 W. Um único PTC serve para vários motores de mesma voltagem. Um tipo específico para cada modelo de motor. Existe modelo para aplicação com Não compatível para aplicações com capacitor de partida e/ou capacitor de capacitores de funcionamento. funcionamento (marcha). Não possui partes móveis, não há possibilidade de produzir faiscamento no momento de liga/desliga. Necessita de tempo para resfriar a pastilha antes de permitir nova partida. Não existem partes móveis. Sistema de liga/desliga pode produzir faísca e provocar eventuais incêndios nos casos de vazamento de gás de cozinha. Permite nova partida instantaneamente. Provoca um pequeno ruído, em função do movimento do platinado na partida. 4.PROTETOR TÉRMICO Como o próprio nome diz, o protetor térmico serve para proteger o compressor, evitando que trabalhe em condições adversas e diferentes daquelas para as quais foi projetado. Seu objetivo maior é impedir que o 7 7

8 motor do compressor aqueça até uma temperatura que o danifique ou até o queime, através de falta de funcionamento de arranque, bloqueio do rotor, curto-circuito, elevada temperatura dos enrolamentos, sobrecarga contínua ou freqüente, baixa tensão, etc. Ele atua ao perceber que a corrente do compressor e a temperatura de bobina (motor) ou carcaça do compressor estão atingindo um nível crítico. É constituído de uma resistência elétrica em contato com um disco bimetálico. Quando no motor persiste urna tensão de corrente 2 a 3 vezes superior à de regime, a resistência vai aquecendo e deformando o disco bimetálico, o qual abre os contatos elétricos interrompendo o circuito do motor; isto se dá em 2 a 5 segundos. A anormalidade pode durar até que o técnico reparador localize a causa. O distúrbio se verifica freqüentemente quando se interrompe e se liga o circuito elétrico quase ao mesmo tempo, sem ter esperado 2 a 3 minutos para dar possibilidade às duas pressões, alta e baixa, de equilibrar-se. O protetor térmico trata-se, assim, de um item de segurança do compressor, que precisa ser bem conhecido de todos os refrigeristas. O protetor térmico pode ser interno (ou seja, estar dentro do compressor) ou externo. A maioria está mais familiarizada com o protetor térmico externo, que fica montado no terminal hermético do compressor, junto ao relé. Todos os compressores fabricados pela Embraco no Brasil possuem esse tipo de protetor térmico, que pode atuar por excesso de corrente ou temperatura de carcaça. Os protetores térmicos internos são usados em alguns modelos Embraco Aspera, fabricados fora do Brasil. O protetor interno avalia a temperatura do motor diretamente no componente e, por isso, é muito preciso e confiável. Por não saber da existência de protetores internos, alguns refrigeristas cometem um erro básico: examinam o compressor e chegam à conclusão de que ele veio sem protetor. Assim, em caso de dúvida, verifique no esquema elétrico se o protetor térmico é interno. Cada compressor possui seu protetor térmico específico, que é testado em diversas condições de temperatura e tensão. O modelo de protetor é selecionado para permitir que o refrigerador trabalhe em sua condição normal, atuando sempre que ocorre algum risco para o compressor. Portanto, deve-se sempre aplicar o protetor térmico indicado, colocando-o na posição descrita no manual. Com isso, evita-se que o protetor atue indevidamente ou permita que o compressor queime Causas da atuação do protetor térmico São quatro as principais causas de atuação do protetor térmico. A primeira delas é a temperatura de condensação elevada, que pode ser causada por uma parada do ventilador ou obstrução do condensador. O protetor também atua quando as tensões de funcionamento são muito baixas ou acima do especificado. A terceira causa são as partidas com pressões desequalizadas. E, finalmente, o protetor atua quando o compressor funciona continuamente. Esse problema é muitas vezes causado por vazamentos do refrigerante, por gaxetas de porta muito velhas ou porque a porta do refrigerador foi esquecida aberta. Isso faz com que as temperaturas internas e a condensação aumentem e que o compressor não cicle. 5.CAPACITORES O capacitor é um componente usado em quase topo tipo de dispositivo eletrônico. Ele permite armazenar cargas elétricas na forma de um campo eletrostático e mantê-la durante um certo período, mesmo que a alimentação elétrica seja cortada. Existem vários tipos de capacitores entre eles podemos citar: poliéster, cerâmico, eletrolítico, etc. 8 8

9 Internamente, um capacitor eletrolítico é composto por duas folhas de alumínio, separadas por uma camada de óxido de alumínio, enroladas e embebidas em um eletrólito líquido (composto predominantemente de ácido bórico, ou borato de sódio), que acaba evaporando em pequenas quantidades durante o uso. Como o capacitor é hermeticamente selado, isto com o tempo gera uma pressão interna que faz com que ele fique estufado. Esse é o sinal visível de que o capacitor está no final de sua vida útil. Em alguns casos, o eletrólito pode vazar, corroendo as trilhas e outros componentes próximos e assim causando uma falha prematura do equipamento. Em circuitos elétricos de refrigeração, os capacitores são classificados em dois tipos principais de acordo com suas finalidades: de partida e de funcionamento Capacitores de partida: visam aumentar o torque de partida dos compressores, auxiliando-os nos momentos da partida. Os compressores com motores de baixo torque de partida (LST Low Starting Torque) foram projetados para trabalhar sem o capacitor de partida. Mas em situações em que existem problemas com a rede de distribuição de energia elétrica (baixa tensão), a utilização do capacitor é necessária. Em situações em que os sistemas de refrigeração podem partir com as pressões desequalizadas, o capacitor de partida também é recomendado. É muito comum sua utilização em sistemas comerciais. Nos motores de alto torque de partida (HST - High Starting Torque) a utilização do capacitor de partida é obrigatória. Esses compressores podem trabalhar em sistemas de refrigeração em que é utilizada válvula de expansão. Nessa aplicação as pressões de alta e baixa nunca se equalizam, o que requer um esforço extra do compressor, no momento da partida Capacitores de funcionamento: são normalmente encontrados em motores com alta eficiência energética, com partida a PTC. Basicamente, esse tipo de capacitor permite a passagem de corrente pela bobina auxiliar do compressor após a sua partida, fazendo com que o enrolamento auxiliar também contribua para o funcionamento do motor. Os motores que utilizam o capacitor de funcionamento já foram previamente projetados para isto. Isso porque, com a aplicação do capacitor de funcionamento, existirá a passagem de energia pelo enrolamento de partida e esse enrolamento obrigatoriamente deve ser projetado para suportar esse tipo de trabalho. A aplicação equivocada de um capacitor de funcionamento poderá provocar a queima da bobina auxiliar e, consequentemente, a queima do compressor Capacitor de partida defeituoso: um capacitor de partida defeituoso impede o funcionamento do circuito de arranque. Se for interrompido, estando o motor parado, os enrolamentos do motor são atravessados por uma forte passagem de corrente; se for um curto-circuito, pode fazer funcionar ou não o compressor, porém a corrente nos enrolamentos é sempre excessiva. As causas podem ser: Corrosão interna por ter sido usado um capacitor de qualidade deficiente; Voltagem superior à capacidade do capacitor; Curto-circuito em um dos enrolamentos do motor; Funcionamento defeituoso do relé; Paradas e partidas freqüentes do compressor; Aquecimento devido à colocação não correta do capacitor. 9 9

10 6. PRINCIPAIS PROBLEMAS E SOLUÇÕES EM EQUIPAMENTOS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL 7.1. O equipamento refrigera muito O termostato pode estar com bulbo solto ou fora da posição original. Fixe-o da forma indicada pelo fabricante. Verifique também se o modelo do termostato é o indicado pelo fabricante. Caso contrário substitua-o; Outra possibilidade é o termostato não estar desligando. Gire o botão do termostato até a posição que indica o mínimo (menos frio) e verifique se o compressor desliga. Se não desligar, substitua o termostato O equipamento refrigera pouco As mesmas verificações citadas acima deverão ser feitas; Outras causas podem estar ligadas ao não desligamento da lâmpada. Nesse caso, deverá ser verificado o interruptor, analisando se existe mau contato ou fixação incorreta; O protetor também pode estar com mau funcionamento. Verifique se existe oxidação nos terminais e se há passagem de corrente entre eles. Em caso de avaria ou de não passagem de corrente, substitua o protetor (quando for um protetor tipo 3/4, o relé de partida também deverá ser substituído) Ocorre choque elétrico no contato com o equipamento A fiação ou componentes elétricos podem estar em contato com partes metálicas. Verifique a isolação e, se estiver defeituosa, refaça-a; A ligação na caixa de conexões pode ser outra causa. Verifique as ligações, comparando com o esquema elétrico do refrigerador. Na maioria dos casos o aterramento é o principal causador: verifique se está bem feito e, se tiver dúvidas, refaça-o; O encharcamento do isolamento (lã de vidro) é outra possibilidade. Nesse caso, deve-se achar o ponto onde ocorre a passagem de umidade e eliminá-la Ruído excessivo As razões mais comuns são componentes soltos ou mal posicionados. Verifique se o compressor não está encostado no gabinete e se sua base não está mal nivelada. Com o compressor funcionando, verifique as partes metálicas em contato (capilar em contato com o filtro secador, condensador mal fixado ao gabinete etc.); A expansão de fluido refrigerante no evaporador também causa ruído. Mas nesse caso o ruído quase sempre é um fato normal; O compressor pode gerar um ruído. Isto é uma característica dos compressores modernos que funcionam em velocidades maiores que os modelos antigos, apresentando melhor desempenho e menor consumo de energia; A contração e dilatação dos componentes internos, devida à variação de temperatura, pode gerar pequenos estalos em seu Refrigerador

11 7.5. Alto consumo de energia As causas podem ser muitas, por isso é importante uma boa análise. Verifique se existe algum tipo de obstrução na passagem de ar no condensador, que também pode estar sujo. Faça uma limpeza geral, pois a sujeira evita a troca de calor, aumentando a necessidade de funcionamento do compressor. OBS: Não pendure roupas, panos ou objetos no condensador (parte traseira do refrigerador), pois isso prejudica seu funcionamento, provoca desgaste em seu compressor (motor) e aumenta o consumo de energia; O excesso de gás refrigerante no sistema é outra causa potencial. Verifique se há condensação na linha de retorno e, caso ocorra, faça a carga de refrigerante correta no sistema. A baixa carga de gás também provoca esse problema, pois as temperaturas de condensação e evaporação não são atingidas, necessitando maior tempo de funcionamento do compressor. Verifique se existe formação irregular de gelo no evaporador: se houver, coloque nova carga de gás no sistema; A má vedação da porta é outra possibilidade. Abra e feche a porta do equipamento, verificando se possui uma boa vedação (um bom colamento ). Veja se não existe nenhum desnivelamento na porta, problemas nas gaxetas de vedação ou descolamentos. Se detectar alguma dessas anomalias, corrija-a; O funcionamento da lâmpada interna (quando existe) pode levar ao aumento do consumo. Verifique se o interruptor está fixado incorretamente ou se tem mau contato; O problema pode ainda ser causado por tensão muito alta. Para tensões superiores a 132V (nominal 115V) e 240V (nominal 220V), é recomendado o uso de um estabilizador; O não desligamento do termostato faz com que o compressor fique funcionando. Verifique o funcionamento desse componente e também se a fixação do bulbo está correta O compressor não liga / O protetor térmico não atua A primeira checagem é se existe tensão na tomada. Depois disso, verifique os fios e cabos de força, com uma lâmpada-teste ou um multímetro. Veja se as ligações estão corretas, observando o esquema elétrico do refrigerador; Os protetores podem estar com defeito. Cheque se existe oxidação nos terminais e se há passagem de corrente entre eles. Em caso de avaria ou de não passagem de corrente, substitua o protetor (quando for um protetor tipo ¾, o relé de partida também deverá ser substituído); O termostato pode estar desligado. Gire o botão do termostato até o ponto máximo (mais frio) e observe se o compressor dá partida; O enrolamento (bobina) do motor do compressor pode estar interrompido ou queimado. Para verificar, utilize o multímetro, medindo as resistências dos enrolamentos principal e auxiliar. É importante lembrar que a resistência ôhmica pode variar mais ou menos 8%. Caso não utilize lâmpada de teste, verifique se há interrupção no enrolamento, colocando as pontas de prova nos bornes dos enrolamentos principal e auxiliar. Se a lâmpada não acender, troque o compressor. Caso ela acenda, o enrolamento não está interrompido

12 7.7. O compressor não liga / O protetor térmico atua Esse diagnóstico deve começar pela tensão. Se estiver muito baixa, pode ocorrer esse problema. É recomendado o uso de estabilizadores para eliminar os problemas de tensões inferiores a 103V (nominal 115V) e 198V (nominal 220V); Outra verificação é se o compressor está ligado em tensão diferente do especificado. Nesse caso, deve-se usar um transformador, ou trocar o compressor por um compatível com a tensão utilizada; O protetor também pode estar aplicado de forma incorreta. Verifique se é o modelo correto para a aplicação em questão e, se não for, substitua-o; No caso de compressor com capacitor de partida, veja se está aplicado corretamente, verificando se os valores de capacitância e de tensão são adequados para o modelo; O enrolamento (bobina) do motor do compressor pode estar interrompido ou queimado. Para verificar, siga as instruções descritas no item anterior; Se não for nenhum dos problemas relacionados aqui, o compressor deverá se r substituído, pois está trancado, o que leva à atuação do protetor, porque as temperaturas se elevam O compressor liga / O protetor térmico atua O primeiro passo é a checagem das tensões, verificando se estão baixas ou altas. Se estiverem, deve-se utilizar um estabilizador; Pode também estar ocorrendo a obstrução parcial da tubulação, que normalmente ocorre devido a uma brasagem mal feita (excesso de material de adição), partículas sólidas provenientes de deterioração do dessecante do filtro secador ou dobra excessiva de tubo. Deve-se verificar com cuidado, inclusive os pontos críticos como filtro secador (telas) e a entrada do tubo capilar; O condensador sujo, coberto ou com falta de circulação de ar também pode ser a causa desse problema. Nesse caso, deve-se lavá-lo, retirar materiais que possam estar cobrindo-o e posicionar o equipamento de forma a melhorar a circulação de ar; Caso não seja nenhum dos problemas listados aqui, o compressor deverá ser trocado, pois está com alta amperagem (corrente elevada). Mas vale lembrar que esse defeito só acontece se o protetor estiver atuando

Springer - Carrier. Índice

Springer - Carrier. Índice Índice Página 1 - Diagnóstico de Defeitos em um Sistema de Refrigeração... 8 1.1 - Falha: Compressor faz ruído, tenta partir, porém não parte... 8 1.2 - Falha: Compressor funciona, porém não comprime...

Leia mais

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo.

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo. BOLETIM DE GARANTIA (N o 05 / 2013) Código de erro do Cassete e Piso-Teto No. TIPO DESCRIÇÃO Flash Blink Código Nota 1 Falha 2 Falha 3 Falha 4 Falha 5 Falha 6 Falha Placa acusa erro no sensor de temperatura

Leia mais

ANÁLISE DE DEFEITOS. Antes de chamar o serviço de manutenção, confira os seguintes pontos.

ANÁLISE DE DEFEITOS. Antes de chamar o serviço de manutenção, confira os seguintes pontos. 6 ANÁLISE DE DEFEITOS Antes de chamar o serviço de manutenção, confira os seguintes pontos. Inoperante O fusível de proteção está queimado ou o disjuntor desarmou. A pilha do controle remoto está fraca.

Leia mais

Catálogo de Seleção e Aplicação de Unidades Condensadoras.

Catálogo de Seleção e Aplicação de Unidades Condensadoras. Catálogo de Seleção e Aplicação de Unidades Condensadoras. 1 CILINDRO 2 CILINDROS 60 Hz R-22 / R-404A R-134a / HP81 (R-402B) Unidades Condensadoras Compact Line. CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO Unidades equipadas

Leia mais

ERRO. Ao ligar e se deparar com o erro E4, devem ser feitos os testes abaixo indicados antes de trocar a placa da evaporadora:

ERRO. Ao ligar e se deparar com o erro E4, devem ser feitos os testes abaixo indicados antes de trocar a placa da evaporadora: ERRO E-4 O erro ocorre quando o sensor de imersão da serpentina da evaporadora informa à placa principal da própria evaporadora que a serpentina está numa temperatura anormal (ou muito fria ou muito quente

Leia mais

Bomba Circuladora SLX-PMP/6A. Manual do Usuário

Bomba Circuladora SLX-PMP/6A. Manual do Usuário Bomba Circuladora SLX-PMP/6A Manual do Usuário Manual do Usuário SOLX - Bomba Circuladora - SLX-PMP/6A Reservados os direitos de alteração sem prévio aviso. Versão 1 - outubro/2013 Permitida a reprodução

Leia mais

ANEXO III PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO

ANEXO III PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC- 005/2006 1 Equipamento : Chillers ANEXO III PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO 1. PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA Verificar a existência de ruídos e vibrações anormais

Leia mais

MANUAL TÉCNICO MÁQUINA DE GELO EM ESCAMAS EGE 300M VÁLIDO PARA EQUIPAMENTOS PRODUZIDOS A PARTIR DE JULHO/05.

MANUAL TÉCNICO MÁQUINA DE GELO EM ESCAMAS EGE 300M VÁLIDO PARA EQUIPAMENTOS PRODUZIDOS A PARTIR DE JULHO/05. MANUAL TÉCNICO MÁQUINA DE GELO EM ESCAMAS EGE 300M VÁLIDO PARA EQUIPAMENTOS PRODUZIDOS A PARTIR DE JULHO/05. ÍNDICE 01 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS GERAIS 02 INFORMAÇÕES GERAIS E INSTALAÇÕES 03 ESQUEMA TÍPICO

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO 1 DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO Durante um curto-circuito, surge uma corrente de elevada intensidade

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela:

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela: ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO DA LICITAÇÃO 1.1 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA COM REPOSIÇÃO PARCIAL DE PEÇAS ORIGINAIS DOS EQUIPAMENTOS DE REFRIGERAÇÃO

Leia mais

Filtros e Bombas. A Piscina dos seus Sonhos.

Filtros e Bombas. A Piscina dos seus Sonhos. Dúvidas Filtros e Bombas A Piscina dos seus Sonhos. - Filtros Água vazando para o esgoto. Nas opções filtrar e recircular, observo através do visor de retrolavagem que a água continua indo para o esgoto

Leia mais

AUTO-DIAGNÓSTICO KOC G1

AUTO-DIAGNÓSTICO KOC G1 AUTO-DIAGNÓSTICO KOC G1 Unidade Interna Sensor de temperatura do evaporador em (somente frio/quente) Bóia ou bomba do dreno DEF./FAN ALARM Unidade Externa Os modelos Cassete Trifásicos possuem uma placa

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSA 8.1/25 - WTA 8.1/25-1 ESTÁGIO - 116 psig CSA 8.5/25-1 ESTÁGIO - 120 psig

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSA 8.1/25 - WTA 8.1/25-1 ESTÁGIO - 116 psig CSA 8.5/25-1 ESTÁGIO - 120 psig CT MSA./2 WTA./2 CSA./2 CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR MSA./2 WTA./2 ESTÁGIO psig CSA./2 ESTÁGIO psig TÉRMINO DE COMERCIALIZAÇÃO ABRIL/ (PRODUTO 0% IMPORTADO) MSA./2 TÉRMINO DE FABRICAÇÃO NOVEMBRO/ WAYNE

Leia mais

Contatores Contatores são dispositivos de manobra mecânica, eletromagneticamente, construídos para uma elevada freguência de operação.

Contatores Contatores são dispositivos de manobra mecânica, eletromagneticamente, construídos para uma elevada freguência de operação. Contatores Contatores são dispositivos de manobra mecânica, eletromagneticamente, construídos para uma elevada freguência de operação. De acordo com a potência (carga), o contator é um dispositivo de comando

Leia mais

Concurso Público Federal Edital 06/2015

Concurso Público Federal Edital 06/2015 PROVA Concurso Público Federal Edital 06/2015 Área: Refrigeração e Climatização QUESTÕES OBJETIVAS Conhecimentos Específicos 01 a 30 Nome do candidato: Nº de Inscrição: INSTRUÇÕES 1º) Verifique se este

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig SCHULZ: INÍCIO DE FABRICAÇÃO - ABRIL/005 CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/ - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 10 psig CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ISENTO DE ÓLEO L C DESLOCAMENTO TEÓRICO pés /min PRESSÃO MÁX.

Leia mais

ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA

ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA FINATEC - EDIFÍCIO SEDE ENDEREÇO: LOCALIZAÇÃO DO EQUIPAMENTO: UNIDADE MOD.: Nº DE SÉRIE: CÓDIGO

Leia mais

Sistemas de Accionamento Electromecânico

Sistemas de Accionamento Electromecânico Sistemas de Accionamento Electromecânico Comando e protecção de motores Introdução SISTEMAS de ACCIONAMENTO ELECTROMECÂNICO, O que são? Sistemas capazes de converter energia eléctrica em energia mecânica

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Manual de Operação e Instalação LC110 Chave de nível multipontos Cod: 073AA-057-122M Março / 2009 S/A Rua João Serrano, 250 Bairro do Limão São Paulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999 FAX: (11) 3488-8980

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções TMC 370 E +55 (16) 33833818 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com.

bambozzi Manual de Instruções TMC 370 E +55 (16) 33833818 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com. A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 33833818 bambozzi Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

Dispositivos de Proteção

Dispositivos de Proteção 4 Dispositivos de Proteção Todos os circuitos deverão ser protegidos, a fim de garantir a integridade física das pessoas das instalações e equipamentos. Para isso, existem diversos dispositivos e equipamentos

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Central de Iluminação de Emergência 12 V(cc), 20 A, com Capacidade de 240 W. Código AFB240 A central de iluminação de emergência é alimentada pela rede elétrica predial (110 ou 220 volts) e também possui

Leia mais

RELÉS CONTATORES - BOTOEIRAS

RELÉS CONTATORES - BOTOEIRAS RELÉS CONTATORES - BOTOEIRAS Análise de Circuitos Contatores/Relés Aula 02 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 3 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Sobrecarga

Leia mais

BOMBA DE PRESSURIZAÇÃO PARA REDE HIDRÁULICA

BOMBA DE PRESSURIZAÇÃO PARA REDE HIDRÁULICA BOMBA DE PRESSURIZAÇÃO PARA REDE HIDRÁULICA (com fluxostato interno) MODELOS: BOMBA COM CORPO DE FERRO (revestimento cerâmico) RPHSBFP 11 (127V 120W) RPHSBFP 12 (220V 120W) MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO INFORMAÇÕES

Leia mais

DISPOSITIVOS DE COMANDO - CONTATORES

DISPOSITIVOS DE COMANDO - CONTATORES 11 DISPOSITIVOS DE COMANDO - CONTATORES 11.1 INTRODUÇÃO Freqüentemente os projetos e as instalações de engenharia elétrica de potência apresentam um ou mais equipamentos elétricos, instalados ao longo

Leia mais

Como funciona o motor de corrente contínua

Como funciona o motor de corrente contínua Como funciona o motor de corrente contínua Escrito por Newton C. Braga Este artigo é de grande utilidade para todos que utilizam pequenos motores, principalmente os projetistas mecatrônicos. Como o artigo

Leia mais

CIRCUITO DE POTÊNCIA. Chaves com comando a distância

CIRCUITO DE POTÊNCIA. Chaves com comando a distância ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PEA Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas Eletrotécnica Geral DISPOSITIVOS DE COMANDO Índice 1 Objetivo... 1 2... 1 2.1 Generalidades......

Leia mais

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto. Este manual traz

Leia mais

Manual de instalação, operação e manutenção. Bomba centrífuga CS

Manual de instalação, operação e manutenção. Bomba centrífuga CS Manual de instalação, operação e manutenção Bomba centrífuga CS .Segurança. Informação Importante.2 Sinais de Aviso Este manual salienta os procedimentos incorretos e outras informações importantes. Os

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO GELADEIRA DE 2 PORTAS NV-5284

MANUAL DO USUÁRIO GELADEIRA DE 2 PORTAS NV-5284 MANUAL DO USUÁRIO GELADEIRA DE 2 PORTAS NV-5284 PREZADO CLIENTE A fim de obter o melhor desempenho de seu produto, por favor, leia este manual do usuário cuidadosamente antes de começar a usá-lo, e mantê-lo

Leia mais

Eletromecânicos de Manutenção Industrial

Eletromecânicos de Manutenção Industrial Eletromecânicos de Manutenção Industrial 2013/ 2014 1 Motor de indução trifásico Máquina capaz de transformar energia elétrica em energia mecânica 2 Motor elétrico Noções fundamentais Máquina destinada

Leia mais

Gas-Lift - Vantagens

Gas-Lift - Vantagens Gas-Lift - Vantagens Método relativamente simples para operar O equipamento necessário é relativamente barato e é flexível Podem ser produzidos baixos ou altos volumes É efetivo sob condições adversas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO 34 4.4 Experimento 4: Capacitância, capacitores e circuitos RC 4.4.1 Objetivos Fundamentar o conceito de capacitância e capacitor; Realizar leituras dos valores de capacitância de capacitores; Associar

Leia mais

O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como:

O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como: Resumo - Alternador O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como: Não ligar a bateria com polaridade invertida; Não ligar o alternador sem carga ou retirar a carga com alternador

Leia mais

MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO

MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 INTRODUÇÃO... 2 SIMBOLOGIA UTILIZADA... 3 RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA... 4 DESEMBALAGEM... 5 INSTALAÇÃO... 6 FUNCIONAMENTO... 8 INFORMAÇÕES GERAIS DO COMPRESSOR...

Leia mais

CONHECIMENTOS TÉCNICOS DE AERONAVES

CONHECIMENTOS TÉCNICOS DE AERONAVES CONHECIMENTOS TÉCNICOS DE AERONAVES MÓDULO 2 Aula 4 Professor: Ricardo Rizzo MAGNETISMO É uma propriedade muito conhecida dos imãs, de atrair o ferro. Um imã possui dois pólos magnéticos denominados norte

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO 2/3 (segundo de três) Período: de 02/04/2012 a 21/05/2012

RELATÓRIO DE ESTÁGIO 2/3 (segundo de três) Período: de 02/04/2012 a 21/05/2012 Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Mecânica Coordenadoria de Estágio do Curso de Engenharia Mecânica CEP 88040-970 - Florianópolis - SC - BRASIL www.emc.ufsc.br/estagiomecanica

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções TRR 3110S NM +55 (16) 33833818 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com.

bambozzi Manual de Instruções TRR 3110S NM +55 (16) 33833818 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com. A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 33833818 bambozzi Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS Eng. Eduardo Linzmayer RESUMO Avaliação e levantamento das emissões de fluidos nos sistemas de refrigeração; Importância

Leia mais

,DISPOSITIVOS DE EXPANSÃO

,DISPOSITIVOS DE EXPANSÃO ,DISPSITIVS DE EXPASÃ Dispositivos de expansão são os componentes do sistema de refrigeração que têm por finalidades provocar a perda de pressão do refrigerante, que é acompanhada de um decréscimo de temperatura,

Leia mais

MOTORES DE INDUÇÃO MONOFÁSICOS CAPÍTULO 05

MOTORES DE INDUÇÃO MONOFÁSICOS CAPÍTULO 05 MOTORES DE INDUÇÃO MONOFÁSICOS CAPÍTULO 05 2 5.1 Introdução Os motores elétricos pertencem a dois grandes grupos: os de corrente contínua e os de corrente alternada. Os motores de indução se enquadram

Leia mais

Assunto: Característica do Termostato Eletromecânico Modelos: Vários Marca: Brastemp e Consul

Assunto: Característica do Termostato Eletromecânico Modelos: Vários Marca: Brastemp e Consul Assunto: Característica do Termostato Eletromecânico Modelos: Vários Marca: Brastemp e Consul BT0128 07.10.96 Este Boletim Técnico tem como finalidade informar as características, cuidados e como avaliar

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM E OPERAÇÃO AR CONDICIONADO PARA PAINEL ELÉTRICO

MANUAL DE MONTAGEM E OPERAÇÃO AR CONDICIONADO PARA PAINEL ELÉTRICO MANUAL DE MONTAGEM E OPERAÇÃO AR CONDICIONADO PARA PAINEL ELÉTRICO 1 P á g i n a ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 1.1. Finalidade deste Manual... Pg 03 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 2.1. Descrição Geral... Pg 03 2.2.

Leia mais

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A V01R12 Atenção: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Akiyama Tecnologia se reserva no direito de fazer alterações sem aviso

Leia mais

Manual de Operação. Lixadeira pneumática de alta velocidade 5"- TESM5P

Manual de Operação. Lixadeira pneumática de alta velocidade 5- TESM5P Manual de Operação Lixadeira pneumática de alta velocidade 5"- TESM5P . DADOS TÉCNICOS LIXADEIRA ORBITAL Modelo: Velocidade sem carga: Pressão de ar: Entrada de ar: Disco de lixa: Consumo de ar: TESM5P

Leia mais

Instruções e Manual do Usuário

Instruções e Manual do Usuário Máquina de solda MIG Instruções e Manual do Usuário Favor ler atentamente antes de usar. GUARDAR estas instruções para futura referência. Obrigado por escolher nossa máquina de solda MIG. A máquina de

Leia mais

Condensação. Ciclo de refrigeração

Condensação. Ciclo de refrigeração Condensação Ciclo de refrigeração Condensação Três fases: Fase 1 Dessuperaquecimento Redução da temperatura até a temp. de condensação Fase 2 Condensação Mudança de fase Fase 3 - Subresfriamento Redução

Leia mais

23. SISTEMAS DE IGNIÇÃO

23. SISTEMAS DE IGNIÇÃO 23. SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 23-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 23-1 DESCRIÇÃO DO SISTEMA 23-4 VELA DE 23-9 TESTE DE FAÍSCA 23-10 PONTO DE 23-11 BOBINA DE 23-12 SISTEMA CDI 23-13 SISTEMA DE TRANSISTORIZADA

Leia mais

ATENÇÃO INFORMAÇÕES SOBRE A GARANTIA

ATENÇÃO INFORMAÇÕES SOBRE A GARANTIA ATENÇÃO INFORMAÇÕES SOBRE A GARANTIA Motor vertical 2 tempos LER O MANUAL DO PROPRIETÁRIO. TRABALHE SEMPRE COM ROTAÇÃO CONSTANTE, NO MÁXIMO 3.600 RPM EVITE ACELERAR E DESACELERAR O EQUIPAMENTO. NÃO TRABALHE

Leia mais

VALIDAÇÃO DA GARANTIA I IA CE/ I BT LV

VALIDAÇÃO DA GARANTIA I IA CE/ I BT LV VALIDAÇÃO DA GARANTIA INSTRUÇÕES PARA VALIDAÇÃO DA GARANTIA Os produtos deverão estar dentro do período de 12 meses de garantia contados a partir da NF de fornecimento ao cliente; A análise de cada produto

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEGÔHMETRO DIGITAL MODELO MG-3100

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEGÔHMETRO DIGITAL MODELO MG-3100 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEGÔHMETRO DIGITAL MODELO MG-3100 Leia cuidadosamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do megôhmetro ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

Controle do regulador de volume de combustível - faixa/funcionamento do circuito

Controle do regulador de volume de combustível - faixa/funcionamento do circuito Todos os códigos EOBD que começam por P seguidos de zero possuem um significado padrão independentemente da marca ou modelo de veículo. Para obter o significado dos códigos EOBD que não começam por P seguidos

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO MD-1600

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO MD-1600 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO MD-1600 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. REGRAS DE SEGURANÇA...3

Leia mais

APLICATIVOS GM BOSCH MOTRONIC M1.5.4 P

APLICATIVOS GM BOSCH MOTRONIC M1.5.4 P CAPITULO 64 APLICATIVOS GM BOSCH MOTRONIC M1.5.4 P VECTRA 2.0-8V - 97 VECTRA 2.0-16V - 97 KADETT 2.0-97 S10 2.2 VECTRA 2.2 COMO FUNCIONA O SISTEMA. Este sistema de injeção eletrônica é um sistema digital

Leia mais

MODELOS HD 660 HD 800 HD 1200 HDS 660 HDS 800 HDS 1200. Nominal (l/h) 660 800 1200 660 800 1200

MODELOS HD 660 HD 800 HD 1200 HDS 660 HDS 800 HDS 1200. Nominal (l/h) 660 800 1200 660 800 1200 9.356-039.0 Rev. 0 1. APRESENTAÇÃO 1. Características da Máquina MODELOS HD 660 HD 800 HD 1200 HDS 660 HDS 800 HDS 1200 VAZÃO Nominal (l/h) 660 800 1200 660 800 1200 Válvula de vapor (l/h) - - - - - 800

Leia mais

8. MANUTENÇÃO EM MOTORES ELÉTRICOS

8. MANUTENÇÃO EM MOTORES ELÉTRICOS 8. MANUTENÇÃO EM MOTORES ELÉTRICOS 8.1 INTRODUÇÃO Os motores elétricos são responsáveis por grande parte da energia consumida nos segmentos onde seu uso é mais efetivo, como nas indústrias, onde representam

Leia mais

GERADORES MECÂNICOS DE ENERGIA ELÉTRICA

GERADORES MECÂNICOS DE ENERGIA ELÉTRICA GERADORES MECÂNICOS DE ENERGIA ELÉTRICA Todo dispositivo cuja finalidade é produzir energia elétrica à custa de energia mecânica constitui uma máquina geradora de energia elétrica. O funcionamento do

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES REFRIGERADOR PARA ÔNIBUS MOD. CHANFRADO - RCMT

MANUAL DE INSTRUÇÕES REFRIGERADOR PARA ÔNIBUS MOD. CHANFRADO - RCMT MANUAL DE INSTRUÇÕES Compact Indústria de Produtos Termodinâmicos Ltda. Fábrica: Est. BR-116 KM 152,3, 21940 Pavilhão 1 Bairro Planalto Caxias do Sul - RS - CEP 95070-070 Fone (0XX) 54-2108-3838- Fax:

Leia mais

Coldex Tosi Ar Condicionado

Coldex Tosi Ar Condicionado Coldex Tosi Ar Condicionado Condicionadores de Ar Self Contained 5 a 40 TR tipo ROOF-TOP ESPECIFICAÇÕES A linha SELF CONTAINED TOSI foi projetada visando obter a melhor relação custo-beneficio do mercado,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO FL.: 1/8 SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO SISTEMA DO AR CONDICIONADO CENTRO DE CULTURA, MEMÓRIA E ESTUDOS DA DIVERSIDADE SEXUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. LOJAS 515 e 518 - METRÔ REPÚBLICA

Leia mais

CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno

CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno 1.0 Introdução Existe um crescimento enorme em termos de instalação

Leia mais

Capítulo VII. Sistema de manutenção planejada e em motores elétricos. Manutenção elétrica industrial. Características. Conceitos. Organização do SMP

Capítulo VII. Sistema de manutenção planejada e em motores elétricos. Manutenção elétrica industrial. Características. Conceitos. Organização do SMP 50 Capítulo VII Sistema de manutenção planejada e em motores elétricos Por Igor Mateus de Araújo e João Maria Câmara* O Sistema de Manutenção Planejada (SMP) é formado por instruções, listas e detalhamento

Leia mais

Operação e Regras de segurança...01. Manutenção Geral...02. Lubrificação de motores...03. Limpeza...04. Armazenamento...05. Identificando falhas...

Operação e Regras de segurança...01. Manutenção Geral...02. Lubrificação de motores...03. Limpeza...04. Armazenamento...05. Identificando falhas... Índice Operação e Regras de segurança...01 Manutenção Geral...02 Lubrificação de motores...03 Limpeza...04 Armazenamento...05 Identificando falhas...06 Certificado de Garantia...07 Operando seu gerador

Leia mais

Oar contém uma quantidade variável de vapor de água, que determina o grau de umidade de um

Oar contém uma quantidade variável de vapor de água, que determina o grau de umidade de um Algumas noções sobre a umidade relativa do ar Oar contém uma quantidade variável de vapor de água, que determina o grau de umidade de um ambiente. A capacidade do ar de reter vapor de água é tanto maior

Leia mais

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Desumidificador Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Obrigado por escolher esse produto. Por favor, leia esse manual de instrução antes de usar o aparelho. Índice: Introdução do Produto... 1 Instrução de Uso...

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO ALICATE DIGITAL AC/DC TRUE RMS MODELO AD-7920

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO ALICATE DIGITAL AC/DC TRUE RMS MODELO AD-7920 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO ALICATE DIGITAL AC/DC TRUE RMS MODELO AD-7920 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...2

Leia mais

Manual de instruções

Manual de instruções Manual de instruções Compressores: TC24L-1 TC24L-2 Sumário 1.Introdução... 3 2.Instalação e preparação. Verifique:... 3 3.Liga/desliga... 3 4.Precauções... 4 5.Ajuste do interruptor de pressão.... 4 7.Guia

Leia mais

Reassentamentos de IRAPÉ: apoio à manutenção e melhoria da gestão dos sitemas de abastecimento de água.

Reassentamentos de IRAPÉ: apoio à manutenção e melhoria da gestão dos sitemas de abastecimento de água. Reassentamentos de IRAPÉ: apoio à manutenção e melhoria da gestão dos sitemas de abastecimento de água. Apresentação Esta cartilha tem como objetivo auxiliar os moradores dos reassentamentos de Irapé

Leia mais

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C Manual de Instruções e Lista de Peças Máquina de Corte Circular de Tecido 950C 104A 104B Singer é uma marca registrada da The Singer Company Limited ou suas afiliadas. 2009 Copyright The Singer Company

Leia mais

DD-27 GERADOR DE OZÔNIO

DD-27 GERADOR DE OZÔNIO DD-27 GERADOR DE OZÔNIO MANUAL DE INSTRUÇÕES & OPERAÇÃO DE MÁQUINA www.deox.com.br Página 1 de 6 SUMÁRIO 1 INSTRUÇÕES GERAIS... 2 2 ESPECIFICAÇÕES DO EQUIPAMENTO... 2 3 INSTALAÇÃO... 3 3.1 SOLICITAÇÕES

Leia mais

Manual do Usuário. Climatizador de Ar

Manual do Usuário. Climatizador de Ar Climatizador de Ar SUMÁRIO TERMO DE GARANTIA...03 PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA...04 INFORMAÇÕES IMPORTANTES...05 VISTA GERAL DO APARELHO...06 PAINEL DE CONTROLE KC05LFM...07 RETIRADA E LIMPEZA DO FILTRO...08

Leia mais

M A N U A L DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Compressores de ar D 1 / D 2 / D 3

M A N U A L DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Compressores de ar D 1 / D 2 / D 3 Rev.03-06/23 M A N U A L DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Compressores de ar D 1 / D 2 / D 3 Rua Major Carlos Del Prete, 19 - Bairro Cerâmica CEP 09530-0 - São Caetano do Sul - SP - Brasil Fone/Fax: (11) 4224-3080

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO IK-1000

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO IK-1000 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO DIGITAL MODELO IK-1000 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. Introdução...01 2. Regras de segurança...01

Leia mais

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A V01R12 Atenção: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Akiyama Tecnologia se reserva no direito de fazer alterações sem aviso

Leia mais

PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CORRENTES

PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CORRENTES 9 PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CORRENTES 9.1 INTRODUÇÃO O aumento da temperatura nos condutores de uma instalação elétrica, devido a circulação de corrente (efeito Joule), projetada para o funcionamento normal,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO ANALÓGICO MODELO SK-20 rev. 01/2006

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO ANALÓGICO MODELO SK-20 rev. 01/2006 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MULTÍMETRO ANALÓGICO MODELO SK-20 rev. 01/2006 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE

Leia mais

Refrigerador CRM35 / CRM38 / CRM43

Refrigerador CRM35 / CRM38 / CRM43 Como funciona seu produto Comece por aqui. Se você quer tirar o máximo proveito da tecnologia contida neste produto, leia o Guia Rápido por completo. Refrigerador CRM35 / CRM38 / CRM43 Frost Free Seu refrigerador

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES Usuário Versão 1.1 BEBEDOUROS TROPICAL. Bebedouros Tropical www.bebedourostropical.com.br. Produtos com Certificação Inmetro

MANUAL DE INSTRUÇÕES Usuário Versão 1.1 BEBEDOUROS TROPICAL. Bebedouros Tropical www.bebedourostropical.com.br. Produtos com Certificação Inmetro MANUAL DE INSTRUÇÕES Usuário Versão 1.1 Bebedouros Tropical www.bebedourostropical.com.br BEBEDOUROS TROPICAL LEIA E SIGA TODAS AS REGRAS DE SEGURANÇA E INSTRUÇÕES OPERACIONAIS ANTES DE USAR. sac@bebedourostropical.com.br

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA 2 MÓDULO

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA 2 MÓDULO CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA 2 MÓDULO 2015 2 Reed Switch Muitos associam os reed switches aos alarmes, pensando que talvez esta seja sua única aplicação possível. No entanto, os reed switches ou interruptores

Leia mais

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda.

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Confiança e economia na qualidade da energia. Recomendações para a aplicação de capacitores em sistemas de potência Antes de iniciar a instalação,

Leia mais

Instrumentação Industrial e Medidas Eléctricas - IPT - DEE Carlos Ferreira

Instrumentação Industrial e Medidas Eléctricas - IPT - DEE Carlos Ferreira Sensores Amedição das grandezas físicas é uma necessidade. Para essa função são utilizados sensores estes convertem a grandeza a medir noutra. No caso da instrumentação a variável de saída é normalmente

Leia mais

Eletricidade: acionamento de motores elétricos

Eletricidade: acionamento de motores elétricos Eletricidade: acionamento de motores elétricos A UU L AL A Como se pode converter energia elétrica em energia mecânica? Considere a situação descrita a seguir. Tic-tac, blamp-blump, zuuuummmm... São as

Leia mais

A iluminação além da imaginação

A iluminação além da imaginação A iluminação além da imaginação 2014 Índice Introdução... 4 Aplicações...5 Conhecendo o Iluminador... 6 Instalação e Uso... 7 Recomendações Elétricas... 8 Solucionando problemas... 13 Especificações técnicas...

Leia mais

Aplicação. Manual de. de Compressores. www.embraco.com.br. A Embraco é signatária do Pacto Global das Nações Unidas.

Aplicação. Manual de. de Compressores. www.embraco.com.br. A Embraco é signatária do Pacto Global das Nações Unidas. Brasil Rui Barbosa, 1020 - Caixa Postal 91 89219-901 - Joinville - SC - Brasil Fone: +55 47 3441-2121 Fax: +55 47 3441-2780 Manual de Aplicação de Compressores ^ Itália Eslováquia Via Buttigliera 6 10020

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD ANALÓGICA CONJUGADA FERRO + AR QUENTE MODELO DK2850

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD ANALÓGICA CONJUGADA FERRO + AR QUENTE MODELO DK2850 DEKEL MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE SOLDA SMD ANALÓGICA CONJUGADA FERRO + AR QUENTE MODELO DK2850 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE

Leia mais

Como funciona um sistema de refrigeração composto de câmara de congelados e câmara de resfriados

Como funciona um sistema de refrigeração composto de câmara de congelados e câmara de resfriados Como funciona um sistema de refrigeração composto de câmara de congelados e câmara de resfriados O diagrama abaixo representa uma instalação de refrigeração comercial composta de um evaporador para câmara

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO Pág.: 1 de 10 Identificação do equipamento ELEVADOR DE PASSAGEIROS E CARGAS Com Relação às Torres: Prumo; Espessura da parede do tubo; Resistência e nivelamento da base; Estaiamento; Aterramento elétrico

Leia mais

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Instruções de Operação Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Conteúdo Instruções de segurança... pág. 03 Função e características... pág. 04 Montagem... pág. 04 Conexão elétrica... pág. 05

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO M A N U A L B A T E R I A C H U M B O - Á C I D A S E L A D A MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO BATERIAS CHUMBO-ÁCIDAS SELADAS COM RECOMBINAÇÃO DE GÁS POWERSAFE VF ÍNDICE 1.0 INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA

Leia mais

AS NORMAS ABNT. ABNT NBR IEC 60335-2-76 Trata especificamente sobre equipamentos eletrificadores de cercas. Foi publicada em 03/12/2007

AS NORMAS ABNT. ABNT NBR IEC 60335-2-76 Trata especificamente sobre equipamentos eletrificadores de cercas. Foi publicada em 03/12/2007 AS NORMAS ABNT INTRODUÇÃO ABNT NBR IEC 60335-2-76 Trata especificamente sobre equipamentos eletrificadores de cercas. Foi publicada em 03/12/2007 NBR NM-IEC 335-1 Trata sobre a segurança de equipamentos

Leia mais

COMPRESSOR DE AR 8,5/25L

COMPRESSOR DE AR 8,5/25L *Imagens meramente ilustrativas COMPRESSOR DE AR 8,5/25L Manual de Instruções www.v8brasil.com.br Prezado Cliente Este manual tem como objetivo orientá-lo na instalação e operação do seu COMPRESSOR DE

Leia mais

Manual de Instruções Lavadora Tanquinho

Manual de Instruções Lavadora Tanquinho Manual de Instruções Lavadora Tanquinho Lavadora Tanquinho LIBELL 1 - MANUAL DE USUÁRIO Parabéns por ter escolhido a Libell Eletrodomésticos Ltda. para fazer parte do seu dia a dia. Neste manual você encontrará

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO BF CD3004 BF CC3004

MANUAL DO USUÁRIO BF CD3004 BF CC3004 MANUAL DO USUÁRIO BF CD3004 BF CC3004 BF CD3004 e BF CC3004 Câmera infravermelho Parabéns, por adquirir um produto Braforce. Todos os modelos produzem imagens coloridas quando o ambiente dispuser de iluminação

Leia mais

COMPRESSORES PARAFUSO

COMPRESSORES PARAFUSO COMPRESSORES PARAFUSO PARTE 1 Tradução e adaptação da Engenharia de Aplicação da Divisão de Contratos YORK REFRIGERAÇÃO. Introdução Os compressores parafuso são hoje largamente usados em refrigeração industrial

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO 1- INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO 1- INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO 1- INSTALAÇÃO 1.1 LOCAL DE INSTALAÇÃO O local onde o equipamento será instalado deve ser coberto bem arejado e livre da ação dos raios solares, bem como distante de fogões,

Leia mais

Eletroímã VERSÃO DO MANUAL

Eletroímã VERSÃO DO MANUAL Eletroímã VERSÃO DO MANUAL 1.1 de 25/04/2013 3045 Sumário 1. Apresentação... 3 2. Itens que Acompanham... 3 2.1. FECHBEM SUPER FS 150 e FS 200... 3 2.2. AUTOMAG F300 E F600... 4 3. Especificações Técnicas...

Leia mais

Condicionador de Ar Portátil

Condicionador de Ar Portátil Condicionador de Ar Portátil Manual do Usuário GP8-12L GP8-22L GP10-12L GP10-22L 1 Untitled-5 1 2 Untitled-5 2 Índice Resumo...4 Príncipio de funcionamento...5 Especificação técnica...7 Estrutura...8 Esquema

Leia mais

Válvulas de Pressão Constante

Válvulas de Pressão Constante Válvulas de Pressão Constante Catálogo 201VPC-1 - Agosto 2009 Válvulas de Expansão de Pressão Constante Séries AS e A7 Características Técnicas Construção Conexão para Soldagem Faixa de Ajuste do Ponto

Leia mais

Novo. Nuevo. New. Nosso informativo volta com nova roupagem e agora totalmente conectado aos leitores. Novos Desafios para o Ar Condicionado.

Novo. Nuevo. New. Nosso informativo volta com nova roupagem e agora totalmente conectado aos leitores. Novos Desafios para o Ar Condicionado. Fonte de Informação ao Cliente Tecumseh Ano 18 nº 77 Junho 2010 Nuevo Novo New Nosso informativo volta com nova roupagem e agora totalmente conectado aos leitores Totaline O sucesso da rede de lojas especializadas

Leia mais