História APRESENTAÇÃO DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "História APRESENTAÇÃO DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 2"

Transcrição

1

2 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 2 História APRESENTAÇÃO O desporto KIN-BALL foi criado no Quebec (Canadá), em 1986, por Mario Demers, bacharel em educação física. É um professor reconhecido e experiente que já formou, com sua equipa, mais de outros professores. O KIN-BALL foi criado para atender aos pedidos e às necessidades específicas dos professores de educação física e de seus programas de ensino. Os valores e as regras do KIN-BALL incentivam a cooperação, o trabalho de equipa, a saúde e o espírito desportivo. A prática deste desporto é regida por uma Carta do Espírito Desportivo (anexo 1) que não aceita nenhum contacto físico nem violência verbal. Este desporto é praticado com uma bola gigante de 1,22 m de diâmetro, que pesa um pouco mais de 1kg, o que o torna divertido e seguro para pessoas de todas as idades. O KIN- BALL pode ser praticado desde a idade escolar e a paixão por este desporto pode durar a vida inteira!

3 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 3 As regras do KIN-BALL são fáceis de aprender e foram criadas para colocar rapidamente os alunos numa situação de êxito. No KIN-BALL, todos os jogadores são iguais. A atribuição de pontos no KIN-BALL faz com que todas as equipas possam marcar pontos e todos os jogadores possam tocar na bola. Nem por isso, ele deixa de ser um desporto competitivo e empolgante. Actualmente, este desporto é praticado no Canadá, Estados Unidos, Japão, Bélgica, Malásia, Alemanha, Espanha, França, Argentina, Suíça e Brasil. Ele provoca um entusiasmo contagiante nos iniciados e estimula a curiosidade daqueles que não o conhecem. Nos países onde ele é praticado actualmente, existem mais de 3,8 milhões de jogadores. O KIN-BALL está em plena efervescência em todos os países onde é praticado.

4 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 4 Os praticantes do KIN-BALL estão reunidos numa federação e o jogo é reconhecido pelas associações nacionais de educadores físicos, assim como pelos governos, através de seus ministérios. Por exemplo, no Japão uma disciplina oficial foi criada no programa de ensino primário para este desporto que constitui uma excelente ferramenta para a aprendizagem da cooperação. A Federação Internacional de KIN-BALL engloba as federações nacionais de KIN-BALL do Canadá, Japão, Bélgica, França, Espanha e Malásia. No Quebec, uma liga de elite foi criada, e o KIN-BALL já deu os primeiros passos em direcção aos Jogos Olímpicos, tendo sido por duas vezes desporto de demonstração na final dos Jogos do Quebec. A primeira competição internacional de grande sucesso foi realizada no Canadá em Junho de 2001.

5 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 5 Resumo do Jogo Objectivo Lançar a bola para uma das equipas adversárias de maneira que os jogadores da outra equipa não consigam sustê-la antes que ela toque o chão. Para a equipa que recebe a bola (é chamada), o objectivo é suster a bola antes que ela toque o chão. Duração Uma partida é composta de três tempos de quinze minutos cada. A equipa que tiver acumulado o maior número de pontos no final dos três tempos ganha a partida. As equipas Cada equipa é constituída por oito elementos. Quatro jogadores de cada equipa jogam ao mesmo tempo no terreno de jogo. Há sempre três equipas (doze jogadores). Os outros jogadores aguardam sentados para substituir aqueles que estão a jogar. As cores oficiais são cinza, rosa e preto. Os jogadores devem utilizar a cor correspondente nas costas para identificar sua equipa.

6 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 6 O Terreno de Jogo A área de jogo tem a dimensão máxima é de 21,4 m x 21,4 m. As paredes, o teto e os objectos no ginásio (cestos de basquetebol, bancos, iluminação, etc.) não fazem parte do jogo e devem ser considerados fora dos limites. O Início do jogo Para lançar a bola, três jogadores de uma mesma equipa ficam agachados, segurando a bola com as mãos acima da cabeça, e o quarto jogador é o lançador.

7 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 7 Os quatro jogadores das duas outras equipas ficam posicionados nos quatro cantos do ginásio, prontos para receber a bola. Os jogadores nesta posição defensiva devem tentar manter esta posição de quadrado o tempo todo para proteger sua parte do terreno de jogo. Antes de lançar, o lançador deve gritar OMNIKIN e anunciar em voz alta a cor de uma das duas equipas adversárias (à escolha) e, em seguida, bater na bola com um ou dois braços numa trajectória ascendente ou horizontal.

8 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 8 A equipa da cor chamada torna-se na equipa receptora. Esta deve controlar a bola antes que ela toque no chão. Pode-se controlar a bola com qualquer parte do corpo (sem imobilizá-la com os braços nem segurá-la pela abertura). Se a equipa receptora deixar cair a bola, isto constitui uma falta e cada uma das duas outras equipas ganha um ponto. Se a equipa receptora segura a bola, seus jogadores devem controlá-la, imobilizá-la e lançá-la de novo. Quando uma falta é cometida, o árbitro apita uma vez e pára o jogo. O árbitro recoloca a bola no local onde a falta foi cometida, passa a bola à equipa que cometeu a falta, apita duas vezes e o jogo recomeça.

9 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 9 Para marcar pontos Se a equipa receptora deixar cair a bola, cada uma das duas outras equipas marca um ponto. Se a equipa que lança a bola (ou o próprio lançador) cometer uma das seguintes faltas, cada uma das duas outras equipas marca um ponto: O lançador envia a bola directamente para fora dos limites (ela bate numa parede, no teto ou em qualquer outro objecto do ginásio, como na cesto de basquetebol, numa lâmpada ou num banco). Se a bola é lançada numa trajectória descendente, isto constitui uma falta (trajectória descendente). Quando a bola é lançada, ela deve atravessar uma distância de pelo menos 1,8 metros, senão, uma falta é cometida (lançamento curto demais). Um jogador não pode lançar a bola duas vezes seguidas, senão, também uma falta é cometida. A equipa receptora também cometerá uma falta se um de seus jogadores tocar na bola e ela for arremessada para fora dos limites do terreno de jogo. Cada vez que uma falta é cometida, cada uma das duas outras equipas marca um ponto. Principais estratégias Velocidade. Lançar a bola rapidamente numa parte livre do terreno de jogo, para que os jogadores não tenham tempo de voltar à sua posição. As equipas devem lançar a bola para a equipa que tem mais pontos a fim de aumentar as hipóteses desta equipa cometer uma falta.

10 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 10 ANEXO 1 Código do Espírito Desportivo Professores, pais, técnicos e atletas e todos os outros participantes são convidados a adoptar uma conduta desportiva por meio do respeito dos artigos do código do espírito desportivo. Cada e toda pessoa deve fazer a sua parte para promover uma prática desportiva mais humana e formativa. 1 - Mostrar espírito desportivo: é o primeiro e o mais importante ponto da carta. Observar e respeitar todas as regras e nunca tentar deliberadamente cometer uma falta; 2 - Mostrar espírito desportivo: é respeitar os árbitros. A presença de árbitros ou juízes é essencial para que a competição aconteça. Eles merecem o mais completo respeito de todos. 3 - Mostrar espírito desportivo: é aceitar todas as decisões do juiz sem nunca questionar sua integridade. 4 - Mostrar espírito desportivo: é aceitar a derrota com dignidade e sem despeito. 5 - Mostrar espírito desportivo: é aceitar a vitória com humildade sem ser arrogante. 6 - Mostrar espírito desportivo: é elogiar a boa jogada, ou bom desempenho de seu oponente. 7 - Mostrar espírito desportivo: é recusar falsear ou usar meios ilegais para vencer. 8 - Mostrar espírito desportivo: é respeitar seu oponente como um igual e tentar vencer realizando o melhor de sua habilidade e talento. 9 - Mostrar espírito desportivo: é encorajar seus colegas de equipa igualmente durante boas e más jogadas Mostrar espírito desportivo: é permanecer digno em todas as horas, manter o auto controle, e não se entregar à violência física ou verbal. (Adaptado do Código de Espírito Desportivo da Federação Internacional de Kin-Ball)

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? O andebol é um jogo desportivo colectivo, praticado por duas equipas, cada uma delas com 7 jogadores em

Leia mais

A história do basquetebol

A história do basquetebol O Basquetebol A história do basquetebol Porque foi criado? Em Dezembro de 1891, o professor de educação física de Springfield College em Massachusetts, Estados Unidos, James Naismith, recebeu uma tarefa

Leia mais

Ficha Técnica Título Edição Contactos Concepção e Paginação Contactos Impressão Tiragem Data Livro de Regras Federação de Andebol de Portugal

Ficha Técnica Título Edição Contactos Concepção e Paginação Contactos Impressão Tiragem Data Livro de Regras Federação de Andebol de Portugal livro de regras para o Mini Andebol... vamos jogar ANDEBOL! Não sabes as regras? Nada mais fácil... Eu explico! Ficha Técnica Título Edição Contactos Concepção e Paginação Contactos Impressão Tiragem Data

Leia mais

História do Basquetebol

História do Basquetebol História do Basquetebol Foi inventado por um professor Canadiano, James Naismith no ano de 1891. Em Dezembro do mesmo ano, teve lugar o primeiro jogo, no Springfield College, nos EUA. O seu primeiro nome

Leia mais

A história do basquetebol

A história do basquetebol O Basquetebol A história do basquetebol Porque foi criado? Em Dezembro de 1891, o professor de educação física de Springfield College em Massachusetts, Estados Unidos, James Naismith, recebeu uma tarefa

Leia mais

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto ì Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto Caraterização! Voleibol! Caraterização Voleibol é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, separadas por uma

Leia mais

TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO. Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP

TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO. Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP TAGUSCUP TORNEIO DE FUTSAL REGRAS DO JOGO Considerações sobre as Leis de Jogo de Futsal aplicadas na TAGUSCUP 1. Diferenças entre as Leis de Jogo do Futsal e as regras aplicadas na TAGUSCUP Não há faltas

Leia mais

LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO

LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO ARTº 1º Os jogos de Futsal serão realizados preferencialmente nos recintos de Andebol (aproveitando as suas marcações) ou em um quarto de campo de futebol de 11 (quando possível

Leia mais

2012 / Arbitrar o Tag-Rugby. Programa Nestum Rugby nas Escolas

2012 / Arbitrar o Tag-Rugby. Programa Nestum Rugby nas Escolas 2012 / 2013 Arbitrar o Tag-Rugby Programa Nestum Rugby nas Escolas AS LEIS DE JOGO DO TAG RUGBY Tamanho da Bola Escalão Infantis (A e B) a bola a utilizar deverá ser a nº3 Escalão Iniciados e Juvenis a

Leia mais

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1 Escola Secundária De São Pedro Da Cova Voleibol 25-01-2011 Ano lectivo 2010/2011 1 índice Serviço Recepção Passe de costas Remates Manchete Situação de jogo Vídeo Objectivo do jogo Terreno de jogo Toques

Leia mais

Prof. Maick da Silveira Viana

Prof. Maick da Silveira Viana Regras do Handebol Prof. Maick da Silveira Viana REGRA 1 A quadra do jogo REGRA 2 - A duração da partida A partida de handebol consiste em dois tempos divididos por um intervalo de 10 minutos. A duração

Leia mais

O que é o VolleySLIDE? História e regras. Escolher o local Espaços e equipamentos. Começar a deslizar Posição inicial e movimentos

O que é o VolleySLIDE? História e regras. Escolher o local Espaços e equipamentos. Começar a deslizar Posição inicial e movimentos O Voleibol sentado é um dos desportos Paralímpicos mais entusiasmantes que está a atrair a atenção por ser competitivo e espetacular e pelo seu potencial para promover mudança social positiva. As próximas

Leia mais

O que é o Basquetebol? O Campo Jogadores

O que é o Basquetebol? O Campo Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? A equipa e o Campo O é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cujos objectivos são introduzir

Leia mais

ALTERAÇÕES ÀS LEIS DO JOGO DO FUTSAL 2011/2012

ALTERAÇÕES ÀS LEIS DO JOGO DO FUTSAL 2011/2012 ALTERAÇÕES ÀS LEIS DO JOGO DO FUTSAL 2011/2012 Para conhecimento geral, informa-se que a FIFA, através da sua Circular Nº 1265, de 09.06.2011, divulgou as alterações às Leis do Jogo do Futsal 2011/2012,

Leia mais

O que é o VolleySLIDE? História e regras. Escolher o local Espaços e equipamentos. Começar a deslizar Posição inicial e movimentos

O que é o VolleySLIDE? História e regras. Escolher o local Espaços e equipamentos. Começar a deslizar Posição inicial e movimentos O Voleibol sentado é um dos desportos Paralímpicos mais entusiasmantes que está a atrair a atenção por ser competitivo e espetacular e pelo seu potencial para promover mudança social positiva. As próximas

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como

Leia mais

JOGOS MUNICIPAIS 2010

JOGOS MUNICIPAIS 2010 R E G U L A M E N T O de modalidades 2010 JOGOS MUNICIPAIS 2010 REGULAMENTO DE MODALIDADES :: PARTICIPAÇÃO Podem participar munícipes federados ou populares, quer em representação de clubes ou equipas,

Leia mais

Torneio das Habilidades

Torneio das Habilidades Torneio das Habilidades de maio de 2016 10:45 h Regulamento Torneio das Habilidades O torneio das habilidades decorrerá no Complexo Desportivo de Amarante, no dia a partir das 10:15h. Este torneio é destinado

Leia mais

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE LEÇA DA PALMEIRA/STA. CRUZ DO BISPO Ano Letivo de 20012/2013 O que é o andebol? REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO O Andebol é um desporto coletivo inventado por um alemão, Karl

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR BADMINTON COLÉGIO TERESIANO BRAGA 1. O CAMPO

DOCUMENTO ORIENTADOR BADMINTON COLÉGIO TERESIANO BRAGA 1. O CAMPO COLÉGIO TERESIANO BRAGA DOCUMENTO ORIENTADOR BADMINTON 1. O CAMPO O jogo realiza-se num campo retangular com 13,40 m x 5,18 metros para jogos de singulares e 13,40 m x 6,10 m para jogos de pares, limitados

Leia mais

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ESTAFETAS 192 DOMÍNIO DAS TÉCNICAS III FASE - APERFEIÇOAMENTO TÉCNICO B FASES / NÍVEIS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS I- Ensino / Aprendizagem - Aquisição da noção de transmissão, através de jogos. - Aquisição

Leia mais

Nome: Inês Rodrigues Número: 10 Turma: 9ºC Disciplina: Ed. Física Professor: Mónica Capitão

Nome: Inês Rodrigues Número: 10 Turma: 9ºC Disciplina: Ed. Física Professor: Mónica Capitão Nome: Inês Rodrigues Número: 10 Turma: 9ºC Disciplina: Ed. Física Professor: Mónica Capitão - BASQUETEBALL O basquete é um desporto coletivo inventado em 1891 pelo professor de educação física canadense

Leia mais

MATERIAL: Tabuleiro e pinos (marcadores). São necessários 20 pinos para os cordeiros e 2 pinos para os tigres.

MATERIAL: Tabuleiro e pinos (marcadores). São necessários 20 pinos para os cordeiros e 2 pinos para os tigres. Cordeiros e tigres MATERIAL: Tabuleiro e pinos (marcadores). São necessários 20 pinos para os cordeiros e 2 pinos para os tigres. 1. O jogo começa com o tabuleiro vazio. 2. Quem está com os tigres ocupa

Leia mais

Entidade Mantenedora: SEAMB Sociedade Espírita Albertino Marques Barreto CNPJ: /

Entidade Mantenedora: SEAMB Sociedade Espírita Albertino Marques Barreto CNPJ: / A5 ATIVIDADES DE MATEMÁTICA Aluno: Complete com os números que faltam: 1 4 6 8 10 12 14 16 17 18 20 Anexo: Conceitos Matemáticos Dinâmica Escolher uma forma criativa para apresentar a situação criada

Leia mais

MOTIVO REGRAS DO JOGO

MOTIVO REGRAS DO JOGO MOTIVO A motivação da elaboração deste material compondo as regras para jogo de taco, provém da recordação desportiva no período de formação escolar, quando a integração entre as camadas sociais se nivelavam

Leia mais

Corfebol. Sinais dos Árbitros

Corfebol. Sinais dos Árbitros Corfebol Sinais dos Árbitros 2006 Este livro deve ser considerado um apêndice às Regras de Corfebol. Contém os sinais aprovados para serem utilizados pelos Árbitros de Corfebol. Todos os sinais devem ser

Leia mais

BEACH HAND 1. As competições de Handebol serão realizadas de acordo com as Regras Internacionais da FIH e os Regulamentos, Normas e Informes da CBDU.

BEACH HAND 1. As competições de Handebol serão realizadas de acordo com as Regras Internacionais da FIH e os Regulamentos, Normas e Informes da CBDU. BEACH HAND 1. As competições de Handebol serão realizadas de acordo com as Regras Internacionais da FIH e os Regulamentos, Normas e Informes da CBDU. 2. O tempo de duração de cada jogo será de 20 (vinte)

Leia mais

REGULAMENTO DESAFIO ACADEMIA DA RUA 3 X 3

REGULAMENTO DESAFIO ACADEMIA DA RUA 3 X 3 REGULAMENTO DESAFIO ACADEMIA DA RUA 3 X 3 As Regras do Jogo de Basquete Oficiais da FIBA são válidas para todas as situações de jogo não especificamente mencionadas nestas Regras do Jogo 3x3. Art. 1 Quadra

Leia mais

Conhecer factores importantes do jogo. Conhecer os elementos diferenciadores de Futebol de 11 e de Futsal. disciplinares

Conhecer factores importantes do jogo. Conhecer os elementos diferenciadores de Futebol de 11 e de Futsal. disciplinares Objectivos Conhecer factores importantes do jogo Conhecer os elementos diferenciadores de Futebol de 11 e de Futsal Conhecer elementos de sanções técnicas e Conhecer elementos de sanções técnicas e disciplinares

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE. Badminton

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE. Badminton ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE Badminton FUNDÃO, MARÇO DE 2010 Professor Frederico Dias APRESENTAÇÃO / CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

Evento de corridas, saltos e lançamentos REGULAMENTO 3. COMPOSIÇÃO DAS EQUIPAS 8. RECEPÇÃO DAS EQUIPAS 13. CENTRAL DE INFORMAÇÃO

Evento de corridas, saltos e lançamentos REGULAMENTO 3. COMPOSIÇÃO DAS EQUIPAS 8. RECEPÇÃO DAS EQUIPAS 13. CENTRAL DE INFORMAÇÃO Kids athletics Evento de corridas, saltos e lançamentos REGULAMENTO 1. 6. REGRAS TREINADOR 11. EQUIPAMENTOS 2. QUADRO COMPETITIVO 7. INSCRIÇÃO DOS ATLETAS 12. SEGUROS 3. COMPOSIÇÃO DAS EQUIPAS 8. RECEPÇÃO

Leia mais

ANDEBOL: ESTUDO DO TEMPO DE JOGO E DO TEMPO DE PAUSA

ANDEBOL: ESTUDO DO TEMPO DE JOGO E DO TEMPO DE PAUSA ANDEBOL: ESTUDO DO TEMPO DE JOGO E DO TEMPO DE PAUSA Análise do Tempo de Jogo e Tempo de Pausa, em função da alteração de uma regra de jogo (reinício de jogo após golo) Sequeira, P. & Alves, R. Instituto

Leia mais

II aeestsp Course Cup

II aeestsp Course Cup II aeestsp Course Cup Regulamento Futebol de 5 INTRODUÇÃO As Leis do Jogo Futsal da Federação Portuguesa de Futebol aplicam-se a este torneio, com adaptação adequada das regras às condições de realização

Leia mais

1 O B J E C T I V O C O M P O S I Ç Ã O

1 O B J E C T I V O C O M P O S I Ç Ã O Página1 REGRAS DE SNOOKER 1 O B J E C T I V O C O M P O S I Ç Ã O São utilizadas uma bola branca e quinze bolas coloridas, numeradas de 1 a 15. Um dos jogadores deverá embolsar as bolas do grupo numerado

Leia mais

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Pressionar a bola torna o drible e o passe mais difíceis, e aumenta as chances de ocorrer um erro do ataque. O objectivo principal é impedir

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA Carlos Sacadura Outubro de 2011 Possibilitar a todas as crianças do nosso distrito a oportunidade de praticar futebol como um desporto de recreação, tempo livre e formação;

Leia mais

FUTSAL. Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3

FUTSAL. Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3 FUTSAL Trabalho realizado por: Helena Rocha 12ºA Nº17 Ana Lúcia 12ºA Nº3 ÍNDICE Índice... i FUTSAL... 1 Fundamentos técnicos:... 1 Posições dos Jogadores no Futsal:... 1 Regras:... 2 Campo... 2 Área de

Leia mais

WFDF Advanced Accreditation Quiz Portuguese Version. Questionário de Acreditação Avançada da WFDF Versão Portuguesa

WFDF Advanced Accreditation Quiz Portuguese Version. Questionário de Acreditação Avançada da WFDF Versão Portuguesa WFDF Advanced Accreditation Quiz Portuguese Version Questionário de Acreditação Avançada da WFDF Versão Portuguesa (Este questionário é de consulta livre open book e baseia-se nas regras do Ultimate WFDF

Leia mais

Associação de Andebol de Viseu. Não sabes as regras??? Nada mais fácil Eu explico!

Associação de Andebol de Viseu. Não sabes as regras??? Nada mais fácil Eu explico! Associação de Andebol de Viseu Não sabes as regras??? Nada mais fácil Eu explico! REGRA 1 Terreno de Jogo Balizas Marcações Zonas de segurança Zona de aquecimento REGRA 2 Tempo de Jogo, Sinal Final e time-out

Leia mais

ALUNO (A): Nº. 2- Quantos jogadores de handebol ficam na reserva? A. 5jogadores. B. 6jogadores. C. 7jogadores. D. 8jogadores. E. 9jogadores.

ALUNO (A): Nº. 2- Quantos jogadores de handebol ficam na reserva? A. 5jogadores. B. 6jogadores. C. 7jogadores. D. 8jogadores. E. 9jogadores. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 6º A, B, C DISCIPLINA:

Leia mais

I Torneio de Voleibol do Cadaval

I Torneio de Voleibol do Cadaval I Torneio de Voleibol do Cadaval MUNICÍPIO DO CADAVAL Serviço de Desporto MUNICÍPIO DO CADAVAL Serviço de Desporto INDICE 1- PARTICIPAÇÃO 03 2- INSCRIÇÕES 03 3- CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS 04 4 REALIZAÇÃO

Leia mais

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto ì Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto Caraterização! Futsal! Caraterização O Futsal é uma modalidade praticada por duas equipas, compostas cada uma por cinco elementos

Leia mais

ANEXO II Federação Portuguesa de Padel CÓDIGO DE CONDUTA. Este código é aplicável a todos os jogadores que participem em qualquer prova oficial.

ANEXO II Federação Portuguesa de Padel CÓDIGO DE CONDUTA. Este código é aplicável a todos os jogadores que participem em qualquer prova oficial. ANEXO II Federação Portuguesa de Padel CÓDIGO DE CONDUTA I JURISDIÇÃO Este código é aplicável a todos os jogadores que participem em qualquer prova oficial. II GERAL Cada jogador deverá comportar-se de

Leia mais

A partida sera jogada por duas equipas, compreendendo cada uma o ma ximo de sete jogadores em campo, um dos quais sera o guarda-redes.

A partida sera jogada por duas equipas, compreendendo cada uma o ma ximo de sete jogadores em campo, um dos quais sera o guarda-redes. Torneio de Futebol Hernâni Gonçalves Regras do jogo NU MERO DE JOGADORES A partida sera jogada por duas equipas, compreendendo cada uma o ma ximo de sete jogadores em campo, um dos quais sera o guarda-redes.

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. (Revisto em setembro de 2015)

REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. (Revisto em setembro de 2015) REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL 2013 2017 (Revisto em setembro de 2015) ÍNDICE 1. Introdução 2 2. Escalões etários 3 3. Constituição das Equipas 4 4. Regulamento Técnico-Pedagógico 5 5. Classificação,

Leia mais

Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras.

Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras. CONCEITOS TÁTICOS E SISTEMAS Conceitos Sistemas: Distribuição ordenada dos componentes de uma equipe em quadra, visando facilitar a aplicação das diferentes manobras. Tipos de sistemas: Sistemas defensivos:

Leia mais

Regulamento do Torneio Regional de Tens Feminino 2016/2017 2

Regulamento do Torneio Regional de Tens Feminino 2016/2017 2 REGULAMENTO DO TORNEIO REGIONAL DE TENS FEMININO 2016/2017 Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Regional de Tens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não

Leia mais

Normas Olimpíadas Desporto

Normas Olimpíadas Desporto Normas Olimpíadas Desporto Atletismo 1. Elementos por equipa Sem critérios 2. Provas As provas escolhidas para as Olimpíadas foram: 60 Metros; 1500 Metros; 3. Sistema de competição 60 Metros: 1ª Fase (+60)

Leia mais

COLÉGIO D. PEDRO II- AMERICANA SP APOSTILA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 8º E 9º ANO FUTSAL

COLÉGIO D. PEDRO II- AMERICANA SP APOSTILA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 8º E 9º ANO FUTSAL COLÉGIO D. PEDRO II- AMERICANA SP APOSTILA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 8º E 9º ANO FUTSAL O futebol é um esporte coletivo jogado principalmente com os pés, como seu nome próprio diz (foot=pé, ball=bola). O futebol

Leia mais

UNIDADE DIDÁCTICA DE ANDEBOL

UNIDADE DIDÁCTICA DE ANDEBOL ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS MARQUÊS DE POMBAL EDUCAÇÃO FÍSICA UNIDADE DIDÁCTICA DE ANDEBOL DOCUMENTO DE APOIO 9º ANO BREVE HISTÓRIA DA MODALIDADE O Andebol era já um jogo bastante difundido na Alemanha

Leia mais

LEI 1 - Superfície de Jogo

LEI 1 - Superfície de Jogo Superfície de Jogo LEI 1 - Superfície de Jogo Zona de Substituições Substitutos Cronometrista Substitutos 25 cm 5 metros 10 metros 5 metros 5 metros Máxim 5 metros a 25 m 6 metros Mínima 3,16 m 10 metros

Leia mais

Textos para Leitura e Exploração

Textos para Leitura e Exploração COMPONENTE CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Textos para Leitura e Exploração Handebol. 8º ano - Ensino Fundamental II Professora: Raísa Prado. 1º Bimestre / 2016. Página 1 História do handebol Em 29 de outubro

Leia mais

Criador: James Naismith. Primeiras Regras. Evolução da Estrutura do Jogo. Difusão da Modalidade. Basquetebol Internacional. Basquetebol Nacional

Criador: James Naismith. Primeiras Regras. Evolução da Estrutura do Jogo. Difusão da Modalidade. Basquetebol Internacional. Basquetebol Nacional Criador: James Naismith Primeiras Regras Evolução da Estrutura do Jogo Difusão da Modalidade Basquetebol Internacional Basquetebol Nacional Prof. Educação Física (N. 1861 F. 1939) Data: Dezembro de 1891

Leia mais

Recuperação Defensiva

Recuperação Defensiva Recuperação Defensiva - - - Moncho Lopez e Rui Alves Clinic da Festa do Basquetebol Juvenil Abril 2009 Introdução: Num desporto como o basquetebol, a utilização das habilidades específicas não se faz de

Leia mais

Associação de Futebol de Aveiro Conselho de Arbitragem Prova Escrita Árbitros FUTSAL Classificativo. Época 2016 /

Associação de Futebol de Aveiro Conselho de Arbitragem Prova Escrita Árbitros FUTSAL Classificativo. Época 2016 / Associação de Futebol de Aveiro Conselho de Arbitragem Prova Escrita Árbitros FUTSAL Classificativo Época 2016 / 2017 03-09-2016 Leia atentamente as instruções seguintes: Para cada questão, escolha uma

Leia mais

Regras do Voleibol. Prof. Ddo. Maick da Silveira Viana

Regras do Voleibol. Prof. Ddo. Maick da Silveira Viana Regras do Voleibol Prof. Ddo. Maick da Silveira Viana Instalações e Equipamentos DIMENSÕES A quadra de jogo é um retângulo medindo 18m x 9m, circundada por uma zona livre de no mínimo 3m de largura em

Leia mais

II Torneio Matraquilhos aeestsp Regulamento

II Torneio Matraquilhos aeestsp Regulamento Associação de Estudantes da Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto Instituto Politécnico do Porto II Torneio Matraquilhos aeestsp Regulamento Índice 1. LOCAL DO TORNEIO... 2 2. SORTEIO E CALENDÁRIO

Leia mais

Velocidade equilíbrio

Velocidade equilíbrio Andas (ou chancas) Velocidade equilíbrio Manter o equilíbrio em cima das andas e chegar o mais rapidamente possível à meta. Terreno de jogo: Espaço amplo ou caminho largo, onde se marca uma linha de partida

Leia mais

REGRAS OFICIAIS (simplificadas) O CAMPO O MATERIAL OS JOGADORES O SORTEIO. O campo deve ser traçado como mostra o diagrama. O volante e a raqueta

REGRAS OFICIAIS (simplificadas) O CAMPO O MATERIAL OS JOGADORES O SORTEIO. O campo deve ser traçado como mostra o diagrama. O volante e a raqueta REGRAS OFICIAIS (simplificadas) O CAMPO O campo deve ser traçado como mostra o diagrama. O MATERIAL O volante e a raqueta OS JOGADORES O jogo pode ser disputado por dois jogadores de cada lado (pares Homens,

Leia mais

Torneio Masculino de Fut3 REGULAMENTO

Torneio Masculino de Fut3 REGULAMENTO REGULAMENTO CAPÍTULO I 1. Generalidades 1.1. Todos os jogos serão realizados no Salão da Associação Cultural e Recreativa de Maceirinha; 1.2. Não são permitidas alterações de horários ou adiamento de jogos;

Leia mais

OLIMPÍADA RIO - BRASIL 2016

OLIMPÍADA RIO - BRASIL 2016 OLIMPÍADA RIO - BRASIL 2016 Fonte: : https://1.bp.blogspot.com/-fabad23toia/vuwn2ulzgii/aaaa AAAAAvM/8CEgQcUKnYE9Cq8pdefEYu9edCGRsZghg/s1600/ interna-esportes-olimpicos.jpg JOGOS OLÍMPICOS Os jogos olímpicos

Leia mais

Regulamento específico das modalidades

Regulamento específico das modalidades Festival de Jogos 6ª a 8ª séries 2013 Regulamento específico das modalidades Colégio Santa Dorotéia TAPABOL (MASC./ FEM.) 1) Os jogos terão 16 minutos de duração. Aos 8 minutos será feita a inversão de

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 1 ANO 4 BIMESTRE PROF: ISMAEL/RUBENS

EDUCAÇÃO FÍSICA 1 ANO 4 BIMESTRE PROF: ISMAEL/RUBENS SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS EDUCAÇÃO

Leia mais

Clube de Atletismo da Nazaré I Convívio de Benjamins e Infantis da Nazaré (II Zona Sul)

Clube de Atletismo da Nazaré I Convívio de Benjamins e Infantis da Nazaré (II Zona Sul) Clube de Atletismo da Nazaré I Convívio de Benjamins e Infantis da Nazaré (II Zona Sul) Pavilhão Gimnodesportivo da Nazaré 09 de Janeiro de 2016, a partir das 10H Organização O I Convívio de Benjamins

Leia mais

PROGRAMAÇÃO BASQUETE TRIO

PROGRAMAÇÃO BASQUETE TRIO PROGRAMAÇÃO BASQUETE TRIO BASQUETE TRIO: CHAVE U 1º SORTEIO KLABIN OC 2º SORTEIO KLABIN CP 3º SORTEIO KLABIN LGS O congresso técnico e sorteio dos confrontos será realizado no dia do evento. Data: 06/07/2016

Leia mais

Torneio de Atletismo de Pavilhão Local: Centro Escolar do Cávado - Monsul

Torneio de Atletismo de Pavilhão Local: Centro Escolar do Cávado - Monsul Local: Centro Escolar do Cávado - Monsul Data: 5 de março de 2016 Horário: 09h30 às 12h30 Organização: *Centro de Formação Desportiva de Atletismo Gonçalo Sampaio Agrupamento de Escolas Gonçalo Sampaio

Leia mais

50 Anos Jogos Juvenis do Barreiro TORNEIO BASQUETEBOL 3 X 3

50 Anos Jogos Juvenis do Barreiro TORNEIO BASQUETEBOL 3 X 3 REGULAMENTO 1 Introdução 50 Anos Jogos Juvenis do Barreiro TORNEIO BASQUETEBOL 3 X 3 2014 O 3x3 (pronunciado 3 por 3), e anteriormente conhecido como FIBA 33, é uma versão formalizada do basquetebol de

Leia mais

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL

GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO DE ANDEBOL 2002/2003 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. ANDEBOL DE 5/7...4 2.1. ESCALÕES ETÁRIOS E VARIANTES DA MODALIDADE...4 2.2 BOLA DE JOGO...4

Leia mais

JOGOS MUNICIPAIS 2016 REGULAMENTO

JOGOS MUNICIPAIS 2016 REGULAMENTO JOGOS MUNICIPAIS 2016 REGULAMENTO PARTICIPAÇÃO Podem participar munícipes federados ou não federados, em representação de clubes, grupos informais e a título individual, de acordo com o regulamento específico

Leia mais

CAPÍTULO. 5.2 Jogos de inteligência e JDICT. criatividade tática. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes

CAPÍTULO. 5.2 Jogos de inteligência e JDICT. criatividade tática. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5 CAPÍTULO JDICT Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5.2 Jogos de inteligência e criatividade tática cap5.2.indd 1 27/05/13 18:16 cap5.2.indd 2 27/05/13 18:16 APRENDIZAGEM

Leia mais

O Corfebol é uma actividade que contém em si originalidades e regras que condicionam comportamentos diferentes das outras modalidades e importantes

O Corfebol é uma actividade que contém em si originalidades e regras que condicionam comportamentos diferentes das outras modalidades e importantes O Corfebol é uma actividade que contém em si originalidades e regras que condicionam comportamentos diferentes das outras modalidades e importantes em termos da formação global dos alunos (Godinho,1992).

Leia mais

REGULAMENTO Jogos Escolares de Massaranduba - JEMA Xadrez

REGULAMENTO Jogos Escolares de Massaranduba - JEMA Xadrez REGULAMENTO Jogos Escolares de Massaranduba - JEMA Xadrez - 2014 DISPOSIÇÕES INICIAIS O presente Regulamento tem por objetivo normalizar as regras de participação e ações referentes aos Jogos Escolares

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL REGULAMENTO ESPECÍFICO DE VOLEIBOL 2009-2013 (Reformulado) INDÍCE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESCALÕES ETÁRIOS, DIMENSÕES DO CAMPO E ALTURA DA REDE... 4 3. CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS... 5 4. REGULAMENTOS... 4

Leia mais

U. D. VILAFRANQUENSE S. L. BENFICA SPORTING C. P ODISSEIA BASKET C. SANTARÉM BASKET U. D. OLIVEIRENSE F. C. BARREIRENSE ATLÉTICO DE REGUENGOS

U. D. VILAFRANQUENSE S. L. BENFICA SPORTING C. P ODISSEIA BASKET C. SANTARÉM BASKET U. D. OLIVEIRENSE F. C. BARREIRENSE ATLÉTICO DE REGUENGOS U. D. VILAFRANQUENSE S. L. BENFICA SPORTING C. P. 2010 ODISSEIA BASKET C. SANTARÉM BASKET U. D. OLIVEIRENSE ATLÉTICO DE REGUENGOS F. C. BARREIRENSE No sentido de garantir mais momentos de prática desportiva

Leia mais

Boletim Final FUTEBOL DE AREIA

Boletim Final FUTEBOL DE AREIA Boletim Final FUTEBOL DE AREIA Blumenau 2016 Comprometimento Orgulho de representar a empresa Motivação Espírito de equipe Respeito EMPRESAS PARTICIPANTES DO FUTEBOL DE AREIA MASCULINO EMPRESA Nº DE EQUIPES

Leia mais

ANO LECTIVO DE 2008/2009 Teste de Física e Química A Dezembro 2008

ANO LECTIVO DE 2008/2009 Teste de Física e Química A Dezembro 2008 ESCOLA SECUNDÁRIA STUART CARVALHAIS ANO LECTIVO DE 008/009 Teste de Física e Química A Dezembro 008 11º ano A final da Taça de Portugal de futebol é um evento desportivo que se realiza do estádio do Jamor

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL SOÇAITE

REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL SOÇAITE REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL SOÇAITE Art. 1º. O Critério de disputa está previsto no REGULAMENTO GERAL. Art.2º. Será realizado nos dias 21 a 23/04/2005, nas dependências do campus da Unemat. Art. 3º. É

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO, DA EDUCAÇÃO E CULTURA. COORDENADORIA DE DESPORTO ESCOLAR

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO, DA EDUCAÇÃO E CULTURA. COORDENADORIA DE DESPORTO ESCOLAR GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO, DA EDUCAÇÃO E CULTURA. COORDENADORIA DE DESPORTO ESCOLAR REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL/2015 CATEGORIA INFANTIL 1. A Competição de Basquetebol

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE Informação Prova de Equivalência à Frequência Prática 3º Ciclo do Ensino Básico 2014/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 julho Aprovado em Conselho Pedagógico de 06

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 VOLEIBOL REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 VOLEIBOL REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 VOLEIBOL REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Voleibol nos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2016 é da responsabilidade da, em colaboração

Leia mais

1. O jogador que receber um cartão amarelo ficará 02 (dois minutos) fora de campo durante o jogo vigente podendo retornar ao jogo após esse tempo.

1. O jogador que receber um cartão amarelo ficará 02 (dois minutos) fora de campo durante o jogo vigente podendo retornar ao jogo após esse tempo. 1. O jogador que receber um cartão amarelo ficará 02 (dois minutos) fora de campo durante o jogo vigente podendo retornar ao jogo após esse tempo. 2. O jogador que receber um cartão azul será excluído

Leia mais

Voleibol. Origem e Regras Origem

Voleibol. Origem e Regras Origem Origem e Regras Origem Originariamente designado por minonette, o jogo foi inventado em 1895, no estado de Massachusetts, EUA, por William G. Morgan, como resposta ao recém-criado basquetebol. Objetivo

Leia mais

Andebol Boletim nº

Andebol Boletim nº Andebol Boletim nº 2 23-06-2016 O grande entusiasmo entre todos os participantes foi o marco do primeiro dia de competição de andebol masculino. Todas as equipas, apesar da enorme vontade de vencer, demonstraram

Leia mais

Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido.

Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido. www.barcodetablefootball.com Como jogar Futebol de Mesa é um jogo emocionante para 2 jogadores combinando intrincada habilidade, tácticas, e pensamento rápido. É o melhor e mais realista de todos os jogos

Leia mais

Associação de Futebol de Vila Real

Associação de Futebol de Vila Real Época 2007/08 Teste Escrito n.º 16 Candidatos aos Quadros acionais (Grupo C) Vila Real, 26 de Janeiro de 2008 Duração de 60 minutos ão Responder apenas Sim ou ão Cotação (Certa 5; parcial/ certa sem falha

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL Época 2010/11 Basquetebol Masculino e Feminino Página 1 de 8 ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo

Leia mais

CAPÍTULO Tirar vantagem tática. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes

CAPÍTULO Tirar vantagem tática. Capacidades táticas. Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5 CAPÍTULO Capacidades táticas Pablo Juan Greco Gustavo de Conti T. Costa Juan Carlos P. Moraes 5.1.3 Tirar vantagem tática cap5.1.3.indd 1 27/05/13 18:07 cap5.1.3.indd 2 27/05/13 18:07 APRENDIZAGEM TÁTICA

Leia mais

CIRCUITO NACIONAL DE RUGBY de 7 Sub 16 e Sub / 2011

CIRCUITO NACIONAL DE RUGBY de 7 Sub 16 e Sub / 2011 CIRCUITO NACIONAL DE RUGBY de 7 Sub 16 e Sub 18 2010 / 2011 O Departamento de Competições da FPR vai organizar o Circuito Nacional de Rugby de 7, para os escalões Sub 16 e Sub 18. Este Circuito realiza-se

Leia mais

O Presidente da Federação Mineira de Basketball, no uso de suas atribuições estatutárias, RESOLVE:

O Presidente da Federação Mineira de Basketball, no uso de suas atribuições estatutárias, RESOLVE: NOTA OFICIAL Nº 066.2016 O Presidente da Federação Mineira de Basketball, no uso de suas atribuições estatutárias, RESOLVE: DA COORDENAÇÃO TÉCNICA 1 Publicar as informações sobre o 2º Encontro Sub 12:

Leia mais

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes Aula Teórica História do Basquetebol Em 1891, o director da secção de Educação Física do Springfield College (USA), pediu o Professor James Naismith para criar um actividade que satisfizesse o interesse

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol. Grau

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol. Grau Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau I Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau I Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Andebol de

Leia mais

DESPORTO NA ESCOLA 2015/16

DESPORTO NA ESCOLA 2015/16 DESPORTO NA ESCOLA 2015/16 TORNEIO CONCELHIO DO JOGO DO MATA Documento orientador CÂMARA MUNICIPAL DE CASCAIS Direção Municipal de Coesão e Capacitação Social Departamento de Educação e Desporto DIVISÃO

Leia mais

Regras Oficiais de Basquetebol 2010

Regras Oficiais de Basquetebol 2010 Regras Oficiais de Basquetebol 2010 Manual de Arbitragem Arbitragem a 3 Árbitros Aprovado por Central Board da FIBA San Juan, Porto Rico, 17 de Abril de 2010 Válido em Portugal a partir de 01 de Outubro

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL

REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. ESCALÕES ETÁRIOS, BOLA, DURAÇÃO DO JOGO E VARIANTES DA MODALIDADE 2. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA 3. ARBITRAGEM 4. QUADRO COMPETITIVO E CRITÉRIOS

Leia mais

UM POR TODOS E TODOS POR UM

UM POR TODOS E TODOS POR UM OFICINA Nº: 01 UM POR TODOS E TODOS POR UM ÁREA: Recreação FAIXA ETÁRIA: 13 a 16 anos. CARGA HORÁRIA: 03 horas. OBJETIVO: Desenvolver o trabalho em equipe, a cooperação, a comunicação, a criatividade e

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ARBITRAGEM CNA ANEXO X ORIENTAÇÕES ÀS MUDANÇAS DAS REGRAS A PARTIR DE 01 DE JULHO

COMISSÃO NACIONAL DE ARBITRAGEM CNA ANEXO X ORIENTAÇÕES ÀS MUDANÇAS DAS REGRAS A PARTIR DE 01 DE JULHO COMISSÃO NACIONAL DE ARBITRAGEM CNA ANEXO X ORIENTAÇÕES ÀS MUDANÇAS DAS REGRAS A PARTIR DE 01 DE JULHO 1. Goleiro como um jogador de quadra. A regra era seis (06) jogadores de quadra + 1 goleiro. Pela

Leia mais

Regulamento de Pebolim - Totó

Regulamento de Pebolim - Totó Regulamento de Pebolim - Totó REGRAS BÁSICAS: As regras básicas são um resumo simplificado das regras oficiais: 1 - INÍCIO DE JOGO O jogo deve começar com os times tirando cara ou coroa (par ou ímpar)

Leia mais

CHAVE DO TESTE TEÓRICO ÁRBITROS NACIONAIS E COMISSÁRIOS NOME CAD

CHAVE DO TESTE TEÓRICO ÁRBITROS NACIONAIS E COMISSÁRIOS NOME CAD CHAVE DO TESTE TEÓRICO ÁRBITROS NACIONAIS E COMISSÁRIOS NOME CAD ASSINALE A CARREGADO AS RESPOSTAS CORRECTAS 1. Durante o último minuto de um período suplementar, B4 converte um cesto. Após a reposição

Leia mais

Associação de Futebol do Porto

Associação de Futebol do Porto RUA ANTÓNIO PINTO MACHADO, 96/100 4100.068 PORTO COMUNICADO OFICIAL Circular n.º 112 = 2015/2016= Para o conhecimento e orientação dos Clubes Filiados, SAD s, SDUQ s, Árbitros, Órgãos de Comunicação Social

Leia mais

Ginásio Clube de Santo Tirso 2012/13 Circuito Interno GCST Santo Tirso

Ginásio Clube de Santo Tirso 2012/13 Circuito Interno GCST Santo Tirso Ginásio Clube de Santo Tirso 2012/13 Circuito Interno GCST Santo Tirso REGULAMENTO 1. Circuito Interno organizado pelo Ginásio Clube de Santo Tirso, realizar-se-ão as seguintes provas: Data Nível Nomes

Leia mais