TRABALHO DE FINAL DE CURSO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRABALHO DE FINAL DE CURSO"

Transcrição

1 i UNIÃO EDUCACIONAL MINAS GERAIS S/C LTDA. FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DE MINAS. Autorizada pela Portaria nº 577/2000 MEC, de 03/05/2000. BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. TRABALHO DE FINAL DE CURSO PROJETO PARA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA CONTROLE DE ESTOQUE NAYARA TUFI COSTA Uberlândia 2004

2 ii NAYARA TUFI COSTA PROJETO PARA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA CONTROLE DE ESTOQUE Trabalho de Final de curso submetido à UNIMINAS como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Bacharel em Sistemas de Informação. Orientador: Prof. Francisco José Muller. Uberlândia 2004

3 iii NAYARA TUFI COSTA PROJETO PARA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA PARA CONTROLE DE ESTOQUE Trabalho de Final de curso submetido à UNIMINAS como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Bacharel em Sistemas de Informação. Banca Examinadora: Uberlândia, 17 de dezembro de Prof. MSc. Francisco José Müller Prof. Esp. Luiz Leonardo Siqueira Prof. Dr. Mauro Hemerly Gazzani

4 iv AGRADECIMENTOS À Deus, em primeiro lugar. Aos meus familiares, pelo estímulo, carinho e presença e a Uniminas pela oportunidade de realizar este curso.

5 v Resumo O objetivo deste trabalho foi utilizar os conceitos e a dinâmica do funcionamento de um controle de estoque para controlar todas as entradas e saídas de mercadorias do estoque da empresa. Para que seja criado um movimento de mercadoria vários fatores são envolvidos como: o tipo de movimento, quantidade de mercadoria, data do movimento, enfim, para cada movimento que atualize o controle de estoque da empresa será personalizada de uma forma diferente. Também foi realizado um estudo sobre como fazer o para gerar esse movimento assim que o funcionário receba ou venda a mercadoria solicitada pelo cliente, e depois de feito todo o movimento o funcionário terá permissão para fazer futuras consultas do estoque como: quantidade mínima de uma mercadoria, ou gerar um relatório das mercadorias mais vendidas da empresa. A linguagem de programação utilizada para a implementação do controle de estoque foi o Visual Basic 6, e foi utilizado como ferramenta de banco de dados o MS-ACCESS da Microsoft. Neste aplicativo é possível selecionar a mercadoria que se deseja realizar o movimento, a quantidade, o tipo de movimento, e vários outros fatores para que seja gerado um movimento no controle de estoque.

6 vi Abstract The objective of this work was to use the concepts and the dynamics of the functioning of a supply control to control all the entrances and exits of merchandises of the supply of the company. So that a merchandise movement is created some factors are involved as: the type of movement, amount of merchandise, date of the movement, at last, for each movement that brings up to date the control of supply of the company will be personalized of a different form. Also a study was carried through on as to make to generate this movement thus that the employee receives or venda the requested merchandise for the customer, and after made all the movement the employee will have permission to make future consultations of the supply as: minimum amount of a merchandise, or to more generate a report of the vendidas merchandises of the company. The programming language used for the implementation of the supply control was Visual beginner's all-purpose symbolic instruction code 6, and was used as tool of data base the MS-ACCESS of the Microsoft. In this applicatory one it is possible to select the merchandise that if it desires to carry through the movement, the amount, the type of movement, and several other factors so that a movement in the supply control is generated.

7 vii LISTA DE FIGURAS P. 1 DER (Diagrama de Entidade e Relacionamento). 6 2 Diagrama de Casos de Uso 13 3 Formato geral do Diagrama de Fluxo de Dados 17 4 Diagrama explicativo do Controle Estoque 18 5 Diagrama Fluxo Dados Cadastros 19 6 Diagrama Fluxo Dados Cadastro Produto 20 7 Diagrama Fluxo Dados Cadastros 21 8 Diagrama Fluxo Dados Cadastros Tipo 22 9 Diagrama Fluxo Dados Relatórios Tela de Cadastro de Produto Tela de Cadastro de Tela de Cadastro Tipo de 31

8 viii LISTA DE TABELAS P. 1 Dicionário de Dados 24 2 Português Estruturado 26

9 ix SUMÁRIO P. 1 Introdução 1 2 Conceitos e Definições 3 3 Análise DER (Diagrama de Entidade e Relacionamento) Modelo de Dados: Modelo do Sistema Diagrama de Casos de Uso Atores Funcionalidades e Permissões Casos de Uso Modelo de Fluxo de Dados Descrição das Funcionalidades Cadastro de Produto Cadastro de Cadastro de Tipo Relatório de Produtos por Ordem Alfabética Relatório de Tipo de s por Ordem Alfabética Relatório de agrupado por data por Ordem Crescente Relatório de agrupado por Tipo de Relatório de Produtos que estão abaixo do Estoque Mínimo Diagrama de Fluxo de Dados: Diagrama do Sistema Dicionário de Dados Português Estruturado 26 4 Prototipação Apresentação das Telas 29 5 Conclusão 33 6 Referências Bibliográficas 33

10 1 1- INTRODUÇÃO A construção de um sistema de computador apresenta a oportunidade de melhorar os conhecimentos na área de informática, obter experiência e adquirir uma melhor colocação no mercado de trabalho. O objetivo a ser alcançado será melhorar e agilizar a parte administrativa da empresa, por exemplo: se o empresário precisar de uma informação, de quanto ele tem para receber ou pagar hoje ou a quantidade de um determinado produto para venda ou para compra, será gerado o relatório em alguns segundos, para que ele possa tomar as devidas decisões as mais rápidas possíveis. Um melhor controle de suas atividades e busca dos novos conhecimentos para ajudar no crescimento da empresa. Nesse projeto será construído um modelo de fluxo de dados que apresenta uma ferramenta de análise de sistemas, para desenhar os componentes procedurais básicos e os dados que passam entre eles, modela as funções executadas por um sistema. Logo após a realização do modelo de fluxo de dados, constrói-se o diagrama de entidade e relacionamento que descreve a diagramação dos dados armazenados e a modelagem de dados que incluí as tabelas relacionadas com seus respectivos atributos e tipo de dados. O projeto desenvolve um sistema para o melhoramento administrativo da empresa utilizando as seguintes funções: validações de dados, inserção de dados, alteração de dados, emissão de relatórios e cálculos de entrada e saída de quantidade do estoque. Para o começo do desenvolvimento serão feitas algumas telas como, por exemplo, a tela de cadastros de produtos, de tipo movimento e um formulário para entrada e saída de quantidade de produtos, fazendo algumas validações dos dados entrados pelo usuário para uma melhor confiabilidade da integridade dos dados.

11 2 Na introdução será abordada a construção de um sistema e qual o objetivo a ser alcançado com o mesmo, no capítulo 2 (definições e conceitos) será abordado sobre o que o sistema irá controlar dentro da empresa, no capítulo 3 (análise) será falado sobre os relacionamento das tabelas do sistema que servem para armazenar as informações referente a empresa e como é gerado esse fluxo de informações no sistema. No capítulo 4 (prototipação) será abordado sobre o desenho das telas do sistema para o usuário que ira utilizá-las, no capítulo 5 (conclusão) será falado sobre o que foi concluído no final do projeto com a junção de todos os capítulos anteriores e como o sistema ajudou na empresa.

12 3 2- DEFINIÇÕES E CONCEITOS O estoque de uma empresa fica responsável pela guarda de produtos é uma das atividades de armazenamento, geralmente este termo é utilizado para produtos acabados. Controle de estoque permite realizar lançamentos de entradas (compras) ou saídas (vendas) de produtos da empresa, verificando a conta corrente de cada produto, as notas fiscais por cliente, consulta ao estoque local e localização do produto no local de armazenamento. Os produtos de reposição do estoque podem ser classificados como de baixo ou de baixíssimo giro, implicando na escolha entre não manter ou sempre manter unidades em estoque com base nos custos totais de armazenamento. A reposição do estoque de produtos será realizada através das compras, tendo em vista que é possível chegar a uma previsão de saídas. Esta previsão serve de base para o cálculo de várias outras informações estatísticas, tais como a sugestão de compra, o estoque mínimo, o estoque máximo e os produtos que estão abaixo do estoque de segurança. Com relação ao estoque mínimo e máximo quando registrado em dias, o sistema calcula automaticamente as quantidades necessárias para atender a demanda de venda do produto dentro do período registrado. O estoque máximo é a quantidade limite de estoque de uma determinada mercadoria. As mercadorias não devem ser mantidas no estoque em quantidade acima do máximo. Através do histórico das vendas dos produtos é possível consultar uma previsão de saídas (demanda). O estoque de segurança é a quantidade permitida de mercadorias dentro do estoque, ela é mantida para quando ocorra uma ocasião de erro de controle, o sistema indica que há menos material do que a existência efetiva no estoque.

13 4 O estoque mínimo é a quantidade limite de estoque de uma determinada mercadoria. As mercadorias não devem ser mantidas no estoque em quantidade abaixo deste mínimo. Uma vez que a quantidade em estoque da mercadoria estiver no limite é necessário que se faça um pedido de compra para esta mercadoria. O valor do estoque mínimo é calculado considerando prazos médios de entrega dos fornecedores, de forma que a quantidade em estoque seja regularizada antes que ocorra a falta de mercadorias.

14 5 3- ANÁLISE 3.1- DER (Diagrama de Entidade e Relacionamento) Um sistema real, de maneira geral, é representado com apenas um Modelo de Dados Físico. A Figura 1 apresenta o modelo exibido de forma a prover um melhor entendimento. A coluna código do produto, por não se repetir nunca em nenhuma das linhas, pode ser considerada como sendo a coluna que identifica unicamente o registro, e sendo possível verificar que o nome da tabela é Produto, código do produto é definido pela coluna Cod_Produto, o nome do produto pela coluna Des_Produto, a data de cadastro pela coluna Dt_Cadastro, a quantidade que se tem no estoque será Estoque_Atual, Estoque_Minimo, Estoque_Maximo o custo que é representado por Custo_Unitario, e finalmente a apresentação do produto como ele será vendido. Também poderão ser verificados os tipos de dados de cada coluna, como integer, que armazenará valores do tipo inteiro, varchar, que armazenará caracteres (letras, números, símbolos), float que armazenará valores do tipo moeda, datetime, que armazenará valores do tipo data e hora e, finalmente, char que também armazenará caracteres, mas com alocação de espaço fixo, pré-determinado. No exemplo abaixo se pode perceber que apenas os tipos de dados char e varchar possuem um número que limita a capacidade máxima da coluna, até no máximo de 50 posições para a coluna Des_Produto. Os tipos de dados integer e datetime ocupam espaço fixo, não sendo possível informar a capacidade dos mesmos. Um dos ítens mais importantes no modelo de dados é o relacionamento. O relacionamento é uma associação entre uma ou mais tabelas do diagrama de entidade e relacionamento. No caso deste diagrama existe apenas um tipo de relacionamento que é de um para n.

15 6 Por exemplo, no cadastro do produto, o banco de dados deve garantir que a apresentação do produto terá informações que possui uma apresentação correspondente na própria tabela. A tabela de origem da informação é denominada tabela pai, enquanto que a tabela que recebe a informação é denominada tabela filha. Portanto, no caso do relacionamento entre as tabelas de produto e movimento, a tabela de produto é a tabela pai, enquanto que a tabela de movimento é a tabela filha, assim terá mais de um movimento para um único produto e também ter mais de um movimento para vários produtos. Uma classe é um conjunto de objetos que compartilham o mesmo atributo, como por exemplo, os atributos das tabelas Produto, e Tipo de, serão, Cod_Produto, Estoque_Atual, Estoque_Minimo, Estoque_Maximo, Cod_Mov, Quantidade, Codigo_Tipo utilizam o mesmo tipo de dados Integer, a Des_Produto, Apresentacao e o Tipo utilizam o tipo de dados Char, o Custo_Unitario, Custo_Venda terão o tipo Float, e a Data_Cadastro o tipo Date. A figura abaixo representa o diagrama de entidade de relacionamento do projeto que descreve os tipos de dados que passam entre eles Modelo de Dados: Modelo do Sistema PRODUTO Cod_Produto: INTEGER Des_Nome: CHAR(50) Estoque_Atual: INTEGER Estoque_Minimo: INTEGER Estoque_Maximo: INTEGER Custo_Unitario: FLOAT Custo_Venda: FLOAT Apresentacao: CHAR(2) MOVIMENTO Cod_Mov: INTEGER Cod_Produto: INTEGER Codigo_Tipo: INTEGER Quantidade: INTEGER Data_Cadastro: DATE TIPO_MOVIMENTO Codigo_Tipo: INTEGER Tipo: CHAR(1) FIGURA 1 DER (Diagrama de Entidade e Relacionamento).

16 Diagrama de Casos de Uso Martin Fowler e kendall Scott (2000, p.49) descreve que o diagrama de casos de uso representam as funções do sistema do ponto de vista do usuário, um cenário é uma seqüência de passos que descreve uma interação entre um usuário e um sistema. Um caso de uso é, portanto, um conjunto de cenários ligados por um objetivo comum de um usuário. O ator representa um papel interpretado por uma pessoa ou algo que interage com o sistema. Os atores são determinados através da observação dos usuários diretos do sistema, daqueles responsáveis por sua utilização e por sua manutenção, assim como dos sistemas que interagem com o sistema sendo desenvolvido. O sistema pode precisar de configuração para vários tipos de usuários, neste caso, cada tipo de usuário é um ator e os casos de uso lhe mostram o que cada ator precisa fazer Atores Definidos no Caso de Uso. Atores: Um ator é uma entidade externa que interage com o sistema, podendo ser uma pessoa real. Neste trabalho foram definidos dois atores, pois foi verificado que na prática não necessitarão mais de duas pessoas para operar o sistema. Os atores definidos foram: usuários do sistema com prioridade baixa e o gerente de vendas com prioridade alta. Ator Usuário: Para toda e qualquer pessoa que utiliza o sistema, a sua prioridade é baixa e poderá somente emitir relatórios, fazer consultas e dar baixas no estoque. Ator Gerente de Vendas: Para toda e qualquer pessoa que utiliza o sistema, a sua prioridade é alta e poderá fazer modificações no sistema de movimentações importantes.

17 Funcionalidades e Permissões: Cadastrar Produto, Alterar Produto, Incluir Produto, Excluir Produto, Incluir, Alterar, Incluir Tipo, Alterar Tipo, Cadastrar Produtos, Cadastrar Tipo de s, Relatórios de Produtos por ordem alfabética, Relatório de Tipo de s por ordem alfabética, Relatório de agrupado por data por ordem crescente, Relatório de agrupado por tipo de movimento, Relatório de Produtos que estão abaixo do estoque mínimo Casos de Uso Caso de Uso: Controle de Estoque Ator: usuário, gerente de vendas. Prioridade: baixa e alta respectivamente. Descrição: O usuário faz manutenção do cadastro de movimento, consulta o produto e pode emitir relatórios. O gerente de vendas faz manutenção do movimento, manutenção do cadastro de produto e manutenção do cadastro de tipo de movimento. Caso de Uso: Cadastrar Produto Ator: gerente de vendas Prioridade: alta Descrição: Terá a função de cadastrar Fluxo Principal 1- Informar dados do produto 2- Gravar produto 3- Emitir mensagem Produto cadastrado Fluxo Secundário 1- Fluxo de exceção: Produto não cadastrado. 2- Emitir mensagem: Cadastrar Produto.

18 9 3- Emitir mensagem: Produto Cadastrado. Caso de Uso: Cadastrar Ator: usuário Prioridade: baixa Descrição: Terá a função de cadastrar dados do movimento. Fluxo Principal 1- Informar dados do movimento. 2- Consultar movimento. 3- Gravar movimento. 4- Emitir mensagem Dados do. Fluxo Secundário 1- Emitir mensagem: Venda do parafuso ¼, 100 pç. Caso de Uso: Cadastrar Tipo Ator: gerente de vendas Prioridade: alta Descrição: Terá a função de alterar dados do produto. Fluxo Principal 1- Informar dados do tipo movimento. 2- Fazer cadastro. 3- Gravar tipo movimento. Fluxo Secundário 1- Emitir mensagem: Código 1 que será uma saída pela venda. Caso de Uso: Incluir Produto Ator: gerente de vendas Prioridade: alta

19 10 Descrição: Terá a função de incluir um produto, caso não esteja cadastrado. Fluxo Principal 1- Informar dados do produto. 2- Fazer cadastramento do produto. 3- Gravar produto. 4- Emitir mensagem Produto Incluído. Fluxo Secundário 1- Emitir mensagem: Produto Inexistente na Base de Dados. 2- Incluir produto na base de dados. Caso de Uso: Excluir Produto Ator: gerente de vendas Prioridade: alta Descrição: Terá a função de excluir o produto na base de dados. Fluxo Principal 1- Informar dados do produto. 2- Excluir produto. 3- Gravar exclusão do produto. 4- Emitir mensagem Produto Excluído. Fluxo Secundário 1- Excluir informações do produto na base. 2- Emitir mensagem: Produto Excluso do Cadastro. Caso de Uso: Incluir Ator: usuário Prioridade: baixa Descrição: Terá a função de incluir ou alterar o movimento.

20 11 Fluxo Principal 1- Informar dados do movimento. 2- Incluir movimento. 3- Gravar inclusão do movimento. Fluxo Secundário 1- Incluir informações do movimento na base. 2- Emitir mensagem: Produto Incluso do Cadastro de. Caso de Uso: Alterar Ator: usuário Prioridade: baixa Descrição: Terá a prioridade de fazer uma consulta. Fluxo Principal 1- Informar dados do movimento. 2- Alterar dados do cadastro de movimento. Fluxo Secundário 1- Emitir mensagem: Venda de 100pç do parafuso 1/4. Caso de uso: Incluir Tipo Ator: gerente de vendas Prioridade: alta Descrição: Terá a função de incluir um o tipo de movimento. Fluxo Principal 1- Informar dados do tipo de movimento. 2- Incluir tipo movimento 3- Gravar inclusão do produto.

21 12 Fluxo Secundário 1- Incluir informações do tipo movimento na base. 2- Emitir mensagem: Produto Incluso do Cadastro de Tipo de. Caso de Uso: Alterar Tipo Ator: gerente de vendas Prioridade: alta Descrição: Terá a função de fazer alteração do tipo movimento. Fluxo Principal 1- Informar dados do tipo movimento. 2- Fazer alteração do tipo movimento. 3- Gravar alteração do tipo movimento. Fluxo Secundário 1- Emitir mensagem: Produto Alterado no cadastro de Tipo de. Caso de Uso: Consultar Tipo Ator: gerente de vendas Prioridade: alta Descrição: Terá a prioridade de fazer uma consulta. Fluxo Principal 1- Informar dados do tipo movimento. 2- Consultar dados do cadastro de tipo movimento. Fluxo Secundário 1- Emitir mensagem: Venda de 100pç do parafuso 1/4. A figura a seguir representa o diagrama de casos de uso geral do projeto mostrando a função de cada ator dentro do controle do estoque.

22 13 Relatório de Produto Ordem Alfabética Relatório de Tipo Ordem Alfabética Consultar Produto Usuário Relatório de Produto Abaixo Estoque Mínimo Relatório de Agrupados Ordem Crescente Relatório de Agrupados Tipo Gerente de Vendas Manutenção Cadastro <<include>> <<include>> Incluir Alterar <<include>> Excluir Produto <<include>> Manutenção Cadastro Tipo <<include>> Manutenção Cadastro Produto <<include>> <<include>> <<include>> Incluir Tipo Incluir Produto Alterar Produto Consultar Tipo Alterar Tipo FIGURA 2 Diagrama de Casos de Uso

23 Modelo de Fluxo de Dados Tom DeMarco (1989) descreve que o modelo de fluxo de dados representa o fluxo global do projeto. É principalmente uma ferramenta de análise de sistemas, para desenhar os componentes procedurais básicos e os dados que passam entre eles. Um exemplo desse modelo é que quando chegam novas mercadorias será verificado na tabela produto se já existe aquele produto cadastrado, se o produto já foi cadastrado será dada à entrada em quantidade daquele produto, caso contrário teremos primeiro que cadastrar o novo produto. Para a saída de mercadorias será somente preciso baixar do estoque a quantidade específica daquele produto. O modelo de fluxo de dados é uma representação em rede de um sistema, ele retrata o sistema em partes de seus componentes Descrição das Funcionalidades A seguir será comentado sobre todas as funcionalidades deste sistema feito por esse autor Cadastro de Produto: O cadastro de produto inclui as funções de inclusão, alteração e exclusão de produtos. Para a inclusão dos produtos será necessário informar todos os campos da tabela produto (descrição, estoque_atual, estoque_máximo, estoque_mínimo, custo_unitário, valor_venda e apresentação), para exclusão é necessário que o usuário informe o código do produto, para alteração será necessário informar o código do produto, os valores dos campos a serem alterados e consultas somente os dados armazenados na base de dados.

24 Cadastro de : O cadastro de movimento inclui as funções de inclusão e alteração do movimento. Para a inclusão do movimento será necessário informar todos os campos da tabela (quantidade e a data), para a alteração será necessário informar o código do movimento e os valores dos campos a serem alterados Cadastro de Tipo : O cadastro de tipo de movimento inclui as funções de inclusões, alterações e consultas. Para a inclusão será necessário informar todos os campos da tabela (tipo, descrição), para a alteração será necessário informar (código, tipo, descrição) e para fazer uma consulta será necessário informar (código, tipo, descrição) Relatórios de Produtos por Ordem Alfabética: Para a emissão do relatório será necessário informar os dados do cadastro de produto (código, descrição, estoque, custo e a apresentação) por ordem alfabética Relatório de Tipo de s por Ordem Alfabética: Para a emissão do relatório será necessário informar os dados do cadastro de tipo movimento (código, tipo, descrição) por ordem alfabética Relatório de agrupado por data por Ordem Crescente: Para a emissão do relatório será necessário informar os dados do cadastro de movimento (código, tipo, produto e quantidade) por ordem crescente.

25 Relatório de agrupado por Tipo de : Para a emissão do relatório será necessário informar os dados do cadastro de movimento (código, tipo, produto e quantidade) por tipo de movimento Relatório de Produtos que estão abaixo do Estoque Mínimo: Para a emissão do relatório será necessário informar os dados do cadastro de produto (código, descrição, estoque, custo e a apresentação) que estão abaixo do estoque mínimo Diagrama de Fluxo de Dados: Diagrama do Sistema Será construído um modelo de fluxo de dados que apresenta uma ferramenta de análise de sistemas, para desenhar os componentes e os dados que passam entre eles.

26 17 A figura abaixo representa o diagrama de fluxo de dados global do sistema, mostrando o fluxo de cadastro de produto, movimentos e tipo de movimento e também emissão de alguns relatórios. Dados-Produto Cadastrar Produto Dados-Tipo- Produto Tipo Editar Direcionar Cadastrar Tipo Dados- Cadastrar Tipo Produto Emitir Relatório Dados- Confirmação Dados Relatório Registrar Dados Produzir Confirmação Produzir Resposta Resposta ao Relatório Usuário Produto Tipo FIGURA 3- Formato geral do Diagrama de Fluxo de Dados

27 18 CONTROLE DE ESTOQUE A figura abaixo representa o diagrama de fluxo de dados, mostrando em detalhe sobre o que o projeto geral possui. Dados- Usuário Cadastros Dados-Produto Gerente Produto Tipo Data- Relatório-Data- Relatórios FIGURA 4- Diagrama explicativo do Controle Estoque

28 A figura abaixo representa o diagrama de fluxo de dados, fazendo em detalhe sobre os cadastros que o sistema possui. 19 Incluir-Produto Gerente Excluir-Produto Alterar-Produto Consultar-Produto Cadastrar Produto 1 Dados-Produto Produto Usuário Incluir- Alterar- Consultar- Cadastrar 2 Dados- Gerente Incluir-Tipo- Consultar-Tipo- Alterar-Tipo- Cadastrar Tipo 3 Dados-Tipo- Tipo- FIGURA 5- Diagrama Fluxo Dados Cadastros

29 20 A figura abaixo representa o diagrama de fluxo de dados mostrando sobre o cadastro de produto que o sistema possui. Dados-Produto Incluir Produto 1.1 Gerente Dados-Produto-Alterado Alterar Produto 1.2 Produto Código-Produto Excluir Produto 1.3 Código-Produto Consultar Produto 1.4 FIGURA 6- Diagrama Fluxo Dados Cadastro Produto

30 21 A figura abaixo representa o diagrama de fluxo de dados, mostrando sobre o cadastro de produto que o sistema possui. Dados- Incluir 2.1 Usuário Dados- Alterar 2.2 Código- Consultar 2.3 FIGURA 7- Diagrama Fluxo Dados Cadastro

31 A figura abaixo representa o diagrama de fluxo de dados mostrando o cadastro de tipo movimento que o sistema possui. 22 Dados-Tipo- Incluir Tipo 3.1 Gerente Dados-Tipo- - Alterado Tipo- Alterar Tipo 3.2 Código-Tipo- Consultar Tipo 3.3 FIGURA 8- Diagrama Fluxo Dados Cadastro Tipo

32 A figura abaixo representa o diagrama de fluxo de dados mostrando sobre a emissão de relatórios que o sistema possui. 23 Dados-Relatório Produto-Ordem- Alfabética Emitir Relatório Produto Ordem Alfabética Produto Dados-Relatório-Produto Abaixo-Estoque-Mínimo Emitir Relatório Produtos Abaixo Estoque Mínimo Usuário Dados Relatório por Tipo Dados-Relatório- Ordem-Crescente Emitir Relatório Agrupado Tipo Dados-Relatório Tipo- Ordem-Alfabética Emitir Relatório Agrupado Data Ordem Crescente Emitir Relatório Tipo s Ordem Alfabética Tipo FIGURA 9- Diagrama Fluxo Dados Relatórios

33 Dicionário de Dados O papel mais importante de qualquer dicionário é fornecer um único lugar para que o dicionário de dados irá desempenhar durante a análise estruturada. A tabela abaixo mostra o dicionário de dados do diagrama principal. Nome PRODUTO *Cadastro de Produto da Loja* MOVIMENTO *Cadastro de * TIPO DE MOVIMENTO *Cadastro de Tipo de * Descrição Produto = Código + Descrição do Produto + Quantidade Estoque + Descrição do Produto + Valor de Custo + Valor de Venda Apresentação = Código + Código Tipo + Produto + Quantidade + Data Tipo de = Código + Tipo Entrada + Tipo Saída + Descrição Venda + Descrição Compra + Descrição Devolução Relatório Produto Ordem Alfabética Relatório = Código + Descrição Produto Ordem Alfabética. Relatório Ordem Crescente Relatório = Código + Ordem-Código Crescente

34 25 Relatório por Tipo Relatório = Código + Tipo Relatório Tipo Ordem Alfabética Relatório Produto Abaixo Estoque Mínimo Relatório = Código + Tipo Ordem Alfabética Relatório = Código + Descrição Produto Abaixo Estoque Mínimo Dados-Produto Produto = Código + Descrição + Estoque + Valor Dados- = Código + Quantidade + Data Dados Tipo Tipo- = Código + Tipo Glossário Código Descrição do produto Quantidade estoque Custo Unitário Custo venda Apresentação Quantidade Data cadastro Tipo Inteiro Caractere Inteiro Moeda Moeda Caractere Inteiro Data Caractere Tabela 1- Dicionário de Dados

35 Português Estruturado Segundo Martin, J. (1991) o português estruturado é uma linguagem de especificação que faz uso de um vocabulário restrito e uma sintaxe limitada. O vocabulário do português estruturado consiste em verbos no imperativo, termos definidos e algumas palavras reservadas a formulação lógica. A tabela abaixo mostra cada processo final explicando cada bolha do diagrama de fluxo de dados. Nome Processo Incluir Produto Português Estruturado Acesse Registro Produto pelo Cadastro Produto Mostre Descrição Produto, Custo, Apresentação do Produto no Registro Produto. Alterar Produto Acesse Registro Produto pelo Cadastro Produto Mostre Descrição Produto, Custo, Quantidade Estoque, Apresentação do Produto no Registro Produto. Excluir produto Acesse Registro Produto pelo Cadastro Produto Mostre Código, Descrição Produto, Apresentação do Produto no Registro Produto. Incluir Acesse Registro pelo Cadastro Escreva Tipo, Produto, Quantidade e Data no Registro.

36 27 Consultar Acesse Registro pelo Cadastro Escreva Código, Tipo, Produto, Quantidade e Data no Registro. Incluir Tipo Acesse Registro Tipo pelo Cadastro Tipo Mostre Código, Tipo, Descrição no registro de Tipo. Consultar Tipo Acesse Registro Tipo pelo Cadastro Tipo Mostre Código, Tipo, Descrição no registro de Tipo. Excluir Tipo Acesse Registro Tipo pelo Cadastro Tipo Mostre Código do Tipo no registro de Tipo. Dados Relatório pelo Cadastro Produto Acesse Registro Relatório Produto Ordem Alfabética Leia Código Produto, Descrição. Dados Relatório pelo Cadastro Acesse Registro Relatório-- Ordem-Crescente Leia Código, Tipo. Dados Relatório pelo Cadastro Produto Tipo Acesse Registro Relatório- por Tipo- Leia Código movimento, Tipo.

37 28 Dados Relatório pelo Cadastro Acesse Registro Relatório- Ordem-Alfabética Leia Código, Tipomovimento. Dados Relatório pelo Cadastro Produto Acesse Registro Relatório Produto Abaixo Estoque-Mínimo Leia Código, Descrição Produto que esteja Abaixo Estoque- Mínimo. Tabela 2- Português Estruturado

38 Apresentação das Telas 4- PROTOTIPAÇÃO Nesta fase irá ser mostrado o modelo das telas utilizadas no sistema e suas respectivas funcionalidades. Para a construção destas telas foi utilizada a linguagem de programação Visual Basic 6. A figura abaixo representa a tela de cadastro dos produtos existente na empresa, onde será possível consultar os produtos vendidos, a quantidade que se tem no estoque, alterar o seu valor de venda, fazer inclusão e até mesmo excluir o produto caso não queira mais vendê-lo. FIGURA 10- Tela de Cadastro de Produto

39 30 A figura abaixo mostra a tela de cadastro de movimento que será a entrada do produto na empresa para fazer uma compra ou uma saída do produto que poderá ser uma venda ou uma transferência de empresas com filiais, fazendo uma inclusão ou uma alteração. FIGURA 11- Tela de Cadastro de (Entrada e Saída de Produtos do Estoque).

40 31 A figura abaixo mostra a tela de cadastro de tipo de movimento que será uma inovação no mercado de programas que aparecerá na tela juntamente, se será uma saída por ser uma venda ou uma entrada do produto por ser uma compra, fazendo inclusão, uma alteração e também uma consulta para verificar no estoque a quantidade especifica para fazer o movimento. FIGURA 12- Tela de Cadastro Tipo de (saída ou entrada; venda ou compra).

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Engenharia de Software III Casos de uso http://dl.dropbox.com/u/3025380/es3/aula6.pdf (flavio.ceci@unisul.br) 09/09/2010 O que são casos de uso? Um caso de uso procura documentar as ações necessárias,

Leia mais

2 Diagrama de Caso de Uso

2 Diagrama de Caso de Uso Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Caso de Uso (Use Case) Autoria:Aristófanes Corrêa

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 16 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

PROJETO DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS

PROJETO DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Universidade Federal de Pernambuco Departamento de Informática Curso de Especialização em Tecnologia da Informação Turma 3 PROJETO DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Professor: Alexandre Vasconcelos

Leia mais

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Especificação de Requisitos e Modelagem Orientada

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

Manual do Almoxarifado SIGA-ADM

Manual do Almoxarifado SIGA-ADM Manual do Almoxarifado SIGA-ADM DIRETORIA DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO(DGTI) MARÇO/2012 Requisição de Almoxarifado Requisições O sistema retornará a tela do menu de Administração. Nela selecione

Leia mais

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional. Unidade 3: Modelagem de requisitos e de soluções (Parte a) 1 Casos de uso 1.1 Conceitos básicos e parâmetros de descrição Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Leia mais

Notas de Aula 05: Aplicação de um caso de uso

Notas de Aula 05: Aplicação de um caso de uso Notas de Aula 05: Aplicação de um caso de uso Objetivos da aula: Aprender a aplicar a técnica de casos de uso em um pequeno problema real Identificar as variáveis relevantes a serem consideradas Modelar

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 15 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

CASO DE USO. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

CASO DE USO. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com CASO DE USO Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Caso de Uso Descreve o modelo funcional (comportamento) do sistema Técnica de especificaçao de requisitos Especifica um serviço que o sistema

Leia mais

LIVRO ENGENHARIA DE SOFTWARE FUNDAMENTOS, MÉTODOS E PADRÕES

LIVRO ENGENHARIA DE SOFTWARE FUNDAMENTOS, MÉTODOS E PADRÕES LIVRO ENGENHARIA FUNDAMENTOS, MÉTODOS E PADRÕES WILSON PADUA PAULA FILHO CAPÍTULO REQUISITOS 1 DEFINIÇÃO DOS REQUISITOS 2 DEFINIÇÃO DOS REQUISISTOS Os pontos mais importantes são as identificações dos

Leia mais

O fluxo de Requisitos

O fluxo de Requisitos O fluxo de Requisitos Objetivo: enunciado completo, claro e preciso dos requisitos de um produto de software; é mais complexo no caso de produtos novos: é mais difícil para os usuários identificar quais

Leia mais

Manual de utilização do SGA - Sistema de Gerenciamento de Almoxarifado

Manual de utilização do SGA - Sistema de Gerenciamento de Almoxarifado Manual de utilização do SGA - Sistema de Gerenciamento de Almoxarifado Setembro/2013 Para acessar o sistema o usuário deverá entrar com os dados mostrados na imagem abaixo: 1. Nessa etapa é possível observar

Leia mais

InfoMix Tecnologia. Soluções em Tecnologia da Informação. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias. Documento Requisitos Versão 1.

InfoMix Tecnologia. Soluções em Tecnologia da Informação. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias. Documento Requisitos Versão 1. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias Documento Requisitos Versão 1.1 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/09/2009 1.0 Elaboração da para análise da 1º versão Marcos Silva do documento

Leia mais

Manual Controle de Estoque

Manual Controle de Estoque 2014 Manual Controle de Estoque ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Manual de Utilização... 3 1 - Cadastro... 3 1.1 Cadastro de Fornecedores... 4 1.2 Grupo de Materiais... 6 1.3 Unidades

Leia mais

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Sistema Gerenciador de Hotel Adriano Douglas Girardello

Leia mais

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática PROJETO DA DISCIPLINA PES II Processo de

Leia mais

Gestão e Tecnologia para o Controle de Vendas em uma Pequena e Média Malharia.

Gestão e Tecnologia para o Controle de Vendas em uma Pequena e Média Malharia. Gestão e Tecnologia para o Controle de Vendas em uma Pequena e Média Malharia. Alceu Antonio da Costa alceuacosta@gmail.com FAQ Claudia Cobero claudia.cobero@terra.com.br FAQ Resumo:: O trabalho apresenta

Leia mais

Casos de Uso. Viviane Torres da Silva viviane.silva@ic.uff.br. http://www.ic.uff.br/~viviane.silva/2012.1/es1

Casos de Uso. Viviane Torres da Silva viviane.silva@ic.uff.br. http://www.ic.uff.br/~viviane.silva/2012.1/es1 Casos de Uso Viviane Torres da Silva viviane.silva@ic.uff.br http://www.ic.uff.br/~viviane.silva/2012.1/es1 O que é? Uma técnica para capturar requisitos funcionais Descreve o sistema sob a perspectiva

Leia mais

Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Componentes do Diagrama

Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Diagrama de Casos de Uso. Componentes do Diagrama DCC / ICEx / UFMG Diagrama de Diagrama de Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Adota uma linguagem simples Acessível ao cliente Objetivo é a compreensão do comportamento externo do sistema

Leia mais

70~======================~

70~======================~ AIMPORT ÂNCIADE UTILIZAR UML PARA MODELAR SISTEMAS: ESTUDO DE CASO João Maria Filgueira Mestre em Análise de Sistemas Professor do CEFET-RN Welbson Siqueira Costa Aluno do CEFET-RN no curso superior Tecnologia

Leia mais

Modelos de Sistemas Casos de Uso

Modelos de Sistemas Casos de Uso Modelos de Sistemas Casos de Uso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Casos de Uso Objetivos Principais dos Casos de Uso: Delimitação do contexto de

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

MANUAL DE INTEGRAÇÃO. Padrão de envio e recebimento de dados. Contato suporte@gtplan.com.br

MANUAL DE INTEGRAÇÃO. Padrão de envio e recebimento de dados. Contato suporte@gtplan.com.br MANUAL DE INTEGRAÇÃO Padrão de envio e recebimento de dados Contato suporte@gtplan.com.br Índice Introdução... 2 Garantia de Funcionamento... 2 Envio de dados pelo cliente... 2 Layouts de integração...

Leia mais

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento Aumente a eficiência de seu negócio O Versa é um poderoso software de gestão de negócios para editoras, distribuidoras e livrarias. Acessível e amigável, o sistema foi desenvolvido especificamente para

Leia mais

Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo

Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo NTI Núcleo de Tecnologia e Informação Fundação Unirg 1. Introdução A utilização da informática surgiu como uma ferramenta

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

Manual (SGA- Sistema de Gerenciamento de Almoxarifado)

Manual (SGA- Sistema de Gerenciamento de Almoxarifado) Manual (SGA- Sistema de Gerenciamento de Almoxarifado) Como acessa o sistema através da INTRANET do DER/RO (PROVISIORIAMENTE). http://www.der.ro.gov/intranet/portalder 1 Nessa etapa é possível observar,

Leia mais

APLICAÇÃO DA MODELAGEM UML NA FASE DE ANÁLISE DE UM PROJETO DE SOFTWARE PARA AGENDAMENTO DE USO DE VEÍCULOS INTERNOS DE UMA EMPRESA

APLICAÇÃO DA MODELAGEM UML NA FASE DE ANÁLISE DE UM PROJETO DE SOFTWARE PARA AGENDAMENTO DE USO DE VEÍCULOS INTERNOS DE UMA EMPRESA APLICAÇÃO DA MODELAGEM UML NA FASE DE ANÁLISE DE UM PROJETO DE SOFTWARE PARA AGENDAMENTO DE USO DE VEÍCULOS INTERNOS DE UMA EMPRESA ANDRE APARECIDO LEAL DE ALMEIDA Discente da AEMS Faculdades Integradas

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

Documentação de um Produto de Software

Documentação de um Produto de Software Documentação de um Produto de Software Versão 3.0 Autora: Profª Ana Paula Gonçalves Serra Revisor: Prof. Fernando Giorno 2005 ÍNDICE DETALHADO PREFÁCIO... 4 1. INTRODUÇÃO AO DOCUMENTO... 6 1.1. TEMA...

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

EMPRESA DE SANEAMENTO DE MATO GROSSO DO SUL S.A. SUMÁRIO. Acessar o sistema MICROSIGA... 3. Elaborar Solicitação de Compra... 5

EMPRESA DE SANEAMENTO DE MATO GROSSO DO SUL S.A. SUMÁRIO. Acessar o sistema MICROSIGA... 3. Elaborar Solicitação de Compra... 5 Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul S.A. SANESUL MANUAL OPERACIONAL COMPRAS Gerência de Suprimentos SUP/GESU SUMÁRIO Acessar o sistema MICROSIGA... 3 Elaborar Solicitação de Compra... 5 Gerar Relatório

Leia mais

Guia Prático do Usuário

Guia Prático do Usuário Guia Prático do Usuário 3. O que esse Manual aborda Esse manual é um guia prático de utilização do sistema, ele aborda noções gerais sobre gerenciamento de sua empresa além de ter informações detalhando

Leia mais

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática.

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. 1 Introdução 1.1 Propósito O propósito deste documento de especificação de requisitos é definir os requisitos

Leia mais

NOVA ROTINA DE INVENTÁRIO FÍSICO

NOVA ROTINA DE INVENTÁRIO FÍSICO NOVA ROTINA DE INVENTÁRIO FÍSICO O Siagri Agribusiness já tinha uma rotina para realizar Contagem e Inventário Físico (Balanço de Estoque Físico). Porém, a rotina não atendia com eficiência as empresas

Leia mais

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Universidade Estadual do Oeste do Paraná Universidade Estadual do Oeste do Paraná Estudo de Requisitos de um software para uma loja de lentes de contato Bruno Eduardo Soares Leonardo Zanotto Baggio Maykon Valério da Silva Cascavel, 10 de Junho

Leia mais

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML)

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Aécio Costa A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Percebeu-se a necessidade de um padrão para a modelagem de sistemas, que fosse aceito e utilizado amplamente. Surge a UML (Unified Modeling Language)

Leia mais

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s Documento de Requisitos Versão Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s 2010 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores 27/04/2010 1.0 Criação da primeira versão

Leia mais

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA Autores Karina de Oliveira Wellington da Silva Rehder Consultores em Informática Editora Viena Rua Regente Feijó, 621 - Centro - Santa Cruz do Rio Pardo - SP CEP 18.900-000 Central de Atendimento (0XX14)

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet www.controlenanet.com.br Copyright 2015 - ControleNaNet Conteúdo Tela Principal... 3 Como imprimir?... 4 As Listagens nas Telas... 7 Clientes... 8 Consulta... 9 Inclusão... 11 Alteração... 13 Exclusão...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 2.0

MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 2.0 SCM Sistema de Controle de Manutenção MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 2.0 Sumário 1 INTRODUÇÃO...1 2 USUÁRIOS E PERFIS...1 3 UTILIZAÇÃO DO SISTEMA...1 4 VISÃO GERAL DO SISTEMA...2 4.1 Fluxo normal...2 4.2 Fluxo

Leia mais

Comex Exportação. Comercial. A partir de integração com o módulo de faturamento, o sistema de controle de exportação,

Comex Exportação. Comercial. A partir de integração com o módulo de faturamento, o sistema de controle de exportação, Comex Exportação A partir de integração com o módulo de faturamento, o sistema de controle de exportação, facilita a impressão dos principais documentos da exportação como fatura comercial, packing list,

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Universidade Federal Rural de Pernambuco Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Docente: Rodrigo Aluna: Thays Melo de Moraes Diagramas do Projeto

Leia mais

Almox Express Especificação de Requisitos

Almox Express Especificação de Requisitos 1. Introdução Almox Express Especificação de Requisitos Este documento descreve um sistema de gerenciamento de almoxarifado, denominado de Almox Express, a ser desenvolvido por um grupo de estudo. Nele

Leia mais

Manual Devolução de Vendas PDV

Manual Devolução de Vendas PDV Manual Devolução de Vendas PDV [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL AVANÇO MANUAL INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP Pouso Alegre MG 2013 SUMÁRIO 1. Introdução.... 6 2. Efetuar Entrada de Material.... 8 2.1. Entrada de Material por Compra.... 8 2.1.1. Cadastro de Empenho...

Leia mais

Figura 1 Diagrama de Casos de Uso do Sistema de Venda

Figura 1 Diagrama de Casos de Uso do Sistema de Venda Campus Cachoeiro de Itapemirim Curso Técnico em Informática Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas Professor: Rafael Vargas Mesquita EXERCÍCIO 01 SOBRE DIAGRAMA DE SEQUENCIA Exercício 1: construa um

Leia mais

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Desenvolvido por Hamilton Dias (31) 8829.9195 Belo Horizonte hamilton-dias@ig.com.br www.h-dias.cjb.net ÍNDICE Introdução...3 Implantação...3 Instalação...3

Leia mais

Especificação de Requisitos

Especificação de Requisitos Projeto/Versão: Versão 11.80 Melhoria Requisito/Módulo: 000552 / Conector Sub-Requisito/Função: Multas Tarefa/Chamado: 01.08.01 País: Brasil Data Especificação: 13/05/13 Rotinas Envolvidas Rotina Tipo

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Roteiro Introdução Descrição: Sistema de Ponto de Vendas Casos de Usos Atores Fluxo de Eventos Cenários Formato de Documentação de Casos de Uso Diagramas de Casos de

Leia mais

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE)

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) 1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) Segundo Tonsig (2003), para conseguir desenvolver um software capaz de satisfazer as necessidades de seus usuários, com qualidade, por intermédio de uma arquitetura sólida

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos Autor: Evandro Bastos Tavares Orientador: Antônio Claudio Gomez

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Computação GEDAI-Grupo de Estudo e Desenvolvimento em Automação Industrial Documento de Requisitos Sistema WEB

Leia mais

Manual de Utilização. Sistema CotaOnline

Manual de Utilização. Sistema CotaOnline Manual de Utilização Sistema CotaOnline Versão usuário final Sistema desenvolvido pela equipe de desenvolvimento ANA/SGH/GPLAN/Telemetria. Versão 2 Agência Nacional de Águas ANA Superintendência da Gestão

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPÚS: JOÃO CÂMARA DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPÚS: JOÃO CÂMARA DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPÚS: JOÃO CÂMARA DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE PROFESSOR: EDMILSON CAMPOS GIB GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÃO DE BIBLIOTECA

Leia mais

SISTEMATIZAÇÂO DOS TIPOS DE INFORMAÇÂO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL E DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO E COMUNICAÇÂO

SISTEMATIZAÇÂO DOS TIPOS DE INFORMAÇÂO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL E DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO E COMUNICAÇÂO SISTEMATIZAÇÂO DOS TIPOS DE INFORMAÇÂO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL E DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO E COMUNICAÇÂO Danilo Freitas Silvas Sistemas de informação CEATEC danilofs.ti@gmail.com Resumo:

Leia mais

Especificação de Caso de Uso

Especificação de Caso de Uso Versão: 1.1 Especificação de Caso de Uso UCCITES04 Versão: 1.1 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 03/09/2008 0.1 Criação do documento. Ana Ornelas 09/09/2008 0.2 Atualização gerais no documento.

Leia mais

O Processo Unificado: Captura de requisitos

O Processo Unificado: Captura de requisitos O Processo Unificado: Captura de requisitos Itana Gimenes Graduação em Informática 2008 Captura de Requisitos Modelagem do negócio: Visão de negócios Modelo de objetos de negócio de negócio Especificação

Leia mais

Especificação dos Requisitos do Software Merci 1.0

Especificação dos Requisitos do Software Merci 1.0 RT 002-01 Especificação dos Requisitos do Software Merci 1.0 Autores: Equipe United Hackers Belo Horizonte - MG Março de 2001 1 1.1.1.1. Aprovação Aprovamos o documento de Especificação de Requisitos do

Leia mais

Documento de Especificação de Casos de Uso ERP do PECE Módulo Estratégico

Documento de Especificação de Casos de Uso ERP do PECE Módulo Estratégico Documento de Especificação de Casos de Uso ERP do PECE Módulo Estratégico Autores: Celso Vital Crivelaro Diego Casarin Fernando Alves Rodrigo Rodrigues da Silva Revisor: Rodrigo Rodrigues da Silva Data

Leia mais

Introdução a Banco de Dados e Access

Introdução a Banco de Dados e Access Roteiro Introdução a Banco de Dados e Access Isabel Harb Manssour. Conceitos Básicos B de Banco de Dados. 3. 4. Porto Alegre, maio de 007 Baseado no material das professoras Miriam Sayão, Adriana Beiler

Leia mais

para outro) 23 ÍNDICE ERP 1- Cadastro de Produtos (Implantação no Almoxarifado) 04

para outro) 23 ÍNDICE ERP 1- Cadastro de Produtos (Implantação no Almoxarifado) 04 1 2 ÍNDICE ERP 1- Cadastro de Produtos (Implantação no Almoxarifado) 04 2- Notas de Compra (Incluindo Quantidades no Almoxarifado) 07 2.1 - Notas complementares 12 2.2 - Desmembramento de bens 13 3- Requisições

Leia mais

Especificação de Caso de Uso

Especificação de Caso de Uso Versão: 1.1 Especificação de Caso de Uso UCCITES015 Versão: 1.1 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 27/08/2008 0.1 Criação do documento. Ana Ornelas 02/09/2008 0.2 Atualização de alguns termos

Leia mais

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Sistema Gerenciador de Locadora Documento de Caso de Uso UC04 Versão 1.1 Responsável: Gustavo Teles UC04 Cadastro de Funcionários Página 1 de

Leia mais

Usuários. Manual. Pergamum

Usuários. Manual. Pergamum Usuários Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-2 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-1 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE USUÁRIOS... 3-2 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO EXPLORER... 3-3 4 CADASTRO...

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127 Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Departamento de Treinamentos BIG SISTEMAS. Certificação em Entradas Configurações Gerais Entrada Manual Entrada NFe Conferência

Departamento de Treinamentos BIG SISTEMAS. Certificação em Entradas Configurações Gerais Entrada Manual Entrada NFe Conferência Departamento de Treinamentos BIG SISTEMAS Certificação em Entradas Configurações Gerais Entrada Manual Entrada NFe Conferência Sumário Índice de Figuras... 3 Histórico de Revisões... 4 Introdução... 5

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Roteiro (1) Método para Modelagem de Casos De Uso Estudo de Caso: Sistema de Controle para Videolocadora Levantamento Inicial dos Casos de Uso Identificação dos Casos

Leia mais

NOVAS FUNCIONALIDADES DO SICONV ORIENTAÇÕES PARA O USUÁRIO

NOVAS FUNCIONALIDADES DO SICONV ORIENTAÇÕES PARA O USUÁRIO Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação NOVAS FUNCIONALIDADES DO SICONV ORIENTAÇÕES PARA O USUÁRIO Abril/2010 ALTERAÇÕES NA FUNCIONALIDADE CADASTRAMENTO

Leia mais

Introdução a Banco de Dados e Access

Introdução a Banco de Dados e Access Introdução a Banco de Dados e Access Edson Ifarraguirre Moreno Porto Alegre, maio de 2011 Baseado no material da professora Isabel Harb Manssour Roteiro 1. Conceitos Básicos de BD 2. Microsoft Access 3.

Leia mais

Manual do Instar Mail Sumário

Manual do Instar Mail Sumário Manual do Instar Mail Sumário 1 - Apresentação do sistema... 2 2 - Menu cliente... 2 3 - Menu Importação... 5 4 - Menu Campanhas... 9 5 - Menu banco de arquivos... 16 6 - Menu agendamento... 16 7 - Menu

Leia mais

Palavras-Chaves: estoque, modelagem, requisitos, UML, vendas.

Palavras-Chaves: estoque, modelagem, requisitos, UML, vendas. UTILIZAÇÃO DA UML NO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE DE VENDAS E ESTOQUE GILBERTO FRANCISCO PACHECO DOS SANTOS Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas JACKSON LUIZ ARROSTI Discente

Leia mais

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

SGA - Sistema de Gerenciamento de Almoxarifado

SGA - Sistema de Gerenciamento de Almoxarifado Manual de utilização do SGA - Sistema de Gerenciamento de Almoxarifado Setembro / 2013 1. O usuário deverá inserir os dados mostrados na imagem abaixo para acessaro SGA : 2. Na etapa posterior, exemplificada

Leia mais

ES-II. Diagrama de Fluxo de Dados. Elementos do DFD. Níveis de representação do DFD. Convenções para ES-II. TE p/ análise orient.

ES-II. Diagrama de Fluxo de Dados. Elementos do DFD. Níveis de representação do DFD. Convenções para ES-II. TE p/ análise orient. TE p/ análise orient. a processos ES-II - Análise Estruturada - Gerson Prando As Técnicas Estruturadas para análise orientada a processos são: Diagrama de Fluxo de Ferramentas para especificação de processos:

Leia mais

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Histórico Diversas metodologias e métodos surgiram para apoiar OO. Evolução a partir de linguagens C++ e SmallTalk. Anos 80 Anos 80-90: diversidade de autores.

Leia mais

Equipe de Treinamentos BIG SISTEMAS. Certificação em Comunicador Processo de Comunicação Entre Filiais Matriz/Filial Filial/Matriz

Equipe de Treinamentos BIG SISTEMAS. Certificação em Comunicador Processo de Comunicação Entre Filiais Matriz/Filial Filial/Matriz Equipe de Treinamentos BIG SISTEMAS Certificação em Comunicador Processo de Comunicação Entre Filiais Matriz/Filial Filial/Matriz Sumário Certificação em Comunicador Índice de Figuras... 3 Histórico de

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DO PARANÁ. Sistema de Gestão Escolar PROJETO FINAL Schola Ratio Versão 8

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DO PARANÁ. Sistema de Gestão Escolar PROJETO FINAL Schola Ratio Versão 8 FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DO PARANÁ Sistema de Gestão Escolar PROJETO FINAL Schola Ratio Versão 8 CURITIBA Nov 2012 DJULLES IKEDA OSNIR FERREIRA DA CUNHA Sistema de Gestão Escolar PROJETO

Leia mais

Diagrama de Caso de Uso e Diagrama de Sequência

Diagrama de Caso de Uso e Diagrama de Sequência Diagrama de Caso de Uso e Diagrama de Sequência Milena Alexandre dos Santos Baesso (Mestranda em Engenharia Elétrica) Agenda Ciclo de Vida de um Sistema A Fase de Análise Análise Orientada à Objetos Diagramas

Leia mais

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de BD Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de informação para nosso êxito no curso. A intenção de elaborar

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS

MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS 127 MODELAGEM VISUAL DE UM SOFTWARE PARA O GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES EM GESTÃO DE PROJETOS VISUAL MODELING OF SOFTWARE FOR COMMUNICATION MANAGEMENT IN PROJECT MANAGEMENT Ricardo Rall 1 Arilson José

Leia mais

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados Artigo apresentado ao UNIS, como parte dos requisitos para obtenção do título de tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados André Luis dos Reis Revair,

Leia mais

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML.

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML. MODELAGEM ORIENTADA A OBJETOS APLICADA À ANÁLISE E AO PROJETO DE SISTEMA DE VENDAS ALTEMIR FERNANDES DE ARAÚJO Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas ANDRE LUIZ DA CUNHA DIAS Discente da

Leia mais

Processo De Engenharia de Software II

Processo De Engenharia de Software II UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Processo De Engenharia de Software

Leia mais

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Nome do Processo: Bônus impresso para premiação do cliente

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Nome do Processo: Bônus impresso para premiação do cliente Pendências 19342 Versão 2006 Release 53 Autor Jaciara Processo: Vendas Nome do Processo: Bônus impresso para premiação do cliente Acesso VENDAS Força de Vendas Bônus Motivação Administrar a distribuição

Leia mais

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados.

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Principais Instruções em SQL Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Atenção: Esta apostila foi desenvolvida com o auxílio on-line do banco MS-ACCESS,

Leia mais

1. Introdução... 2. 2. Instalação máquinas cliente... 2. 3. Configurações gerais... 3. 4. Cadastro de pessoas... 4

1. Introdução... 2. 2. Instalação máquinas cliente... 2. 3. Configurações gerais... 3. 4. Cadastro de pessoas... 4 MANUAL DE UTILIZAÇÃO Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Instalação máquinas cliente... 2 3. Configurações gerais... 3 4. Cadastro de pessoas... 4 5. Cadastro de usuários para o sistema... 6 6. Cadastro de

Leia mais