Guia de Configuração de uma VPN funcional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de Configuração de uma VPN funcional"

Transcrição

1 Guia de Configuração de uma VPN funcional Guia de Configuração do Wingate VPN Por que eu quero uma VPN? Uma VPN, por definição, cria uma rede privada e segura através de um meio inseguro. Esta facilidade permite a você conectar escritórios e pessoas de todo o mundo, usando uma rede publica (a Internet) para compartilhar dados e softwares. A verdadeira vantagem encontra-se em sua aplicação : Garante ao Administrador acessar a rede sob sua responsabilidade de um local remoto Funcionários podem acessar a rede de qualquer lugar do mundo onde exista acesso à Internet, inclusive de sua residência. Permite que pequenas redes de amigos se comuniquem para jogos multiplayer. Em qualquer cenário onde houver a necessidade de comunicação entre dois computadores ou redes, sem que exista a possibilidade de instalação de cabos entre eles, o Wingate VPN poderá ser a solução. Este documento exemplifica algumas configurações que poderão ser feitas com o WinGate VPN. Entretanto, o principio básico de configuração é o mesmo : conectar duas redes através da Internet. O uso do cliente é a única diferença entre algumas configurações que precisam ser feitas em diferentes cenários. A. Um escritório único com usuários externos, remotos. Este cenário é usado tipicamente para dar acesso para funcionários que estão em casa, à rede da empresa. Pode ser aplicado também a funcionários que estão viajando e precisam acessar a rede da empresa. Para um guia de configuração dessa situação, clique aqui. B. Conectando dois escritórios. Este cenário é usado tipicamente para criar uma grande rede entre dois ou mais escritórios. Ele cria uma rede transparente e única, que permite aos usuários de qualquer escritório compartilhar arquivos e dados. Para um guia de configuração deste tipo, clique aqui. C. Conectando dois escritórios com usuários externos, remotos. Este cenário é uma mistura das duas situações anteriores. Para um guia de configuração dessa situação, clique aqui. Page 1 of 1

2 ATENÇÃO : Este documento exemplifica apenas a configuração da WinGate VPN. Problemas internos, como configuração de sua rede, autenticação e configuração de domínios e afins, não constam neste documento. Terminologia Para a finalidade deste guia, usaremos a seguinte terminologia: Servidor VPN (VPN Server) Cliente VPN (VPN Client) Nó VPN (VPN Node) Pariticpante VPN (VPN Participant) A maquina que hospeda a VPN A maquina acessa a VPN Servidor VPN ou Cliente VPN Uma máquina na subrede atrás do Servidor VPN Server ou VPN Cliente Page 2 of 2

3 Como funciona o licenciamento para a VPN? Licenciamento está baseado no número de participantes VPN em cada Nó VPN. (Vide ilustração acima). Se você está conectando três clientes remotos em um escritório, sendo que cada cliente remoto é um laptop e o escritório com um Servidor VPN e mais 10 computadores na rede, você irá precisar de: 1 x WinGate VPN de 1 usuário para cada cliente remoto 1 x WinGate VPN de 12 usuários para o escritório Se você está conectando dois escritórios, um com 10 computadores na rede e outro com 4 computadores na rede, você irá precisar de : 1 x WinGate VPN 12 usuários para o maior escritório 1 x WinGate VPN 6 usuários para o menor escritório Page 3 of 3

4 Escritório único com clientes remotos A. Escritório único com clientes remotos Primeiro, configure o Servidor VPN. O mesmo será o ponto de acesso entre sua rede local, na qual os clientes remotos irão conectar. Deve ser em uma máquina com acesso permanente a internet, preferencialmente com endereço IP público estático. Se um endereço estático não estiver disponível, será possível utilizar uma ferramenta de DNS Dinâmico como o DNS2GO Esta seção irá lhe guiar na configuração do Servidor VPN. Existem algumas considerações adicionais para este tipo de configuração de servidor A primeira é com as máquinas da rede, com exceção do servidor VPN : para poder acessar essas máquinas, você precisará efetuar algumas configurações especiais para cada uma delas. Clique aqui para mais informações a respeito. 2. Se você deseja compartilhar todas as máquinas na rede do Servidor VPN, você deverá configurar sua participação local para Rede Local. 3. Deverá também, ter certeza que os usuários possuem as permissões apropriadas para acessar os compartilhamentos. Quando o servidor VPN estiver configurado, você deverá distribuir o arquivo de configuração que foi exportado para os clientes VPN, configurando cada um deles. Clique aqui para um guia de configuração dos clientes VPN. Existem algumas considerações adicionais para a configuração dos clientes. 1. Se um cliente remoto estiver em sua própria rede ao invés de ser um PC isolado (standalone), você deve assegurar que cada cliente remoto esteja em uma subrede distinta. 2. Se o cliente remoto pertence a uma rede e deseja obter acesso a todas máquinas na rede do servidor VPN, você deverá efetuar Page 4 of 4

5 sua configuração no item "Local Participation" para "Local Network". 3. Dependendo da vontade de seus clientes remotos em disponibilizar ou não os seus dados, você poderá instruí-los a permitir ou negar a implementação de túneis VPN com outros clientes remotos. 4. Quando da conexão de um cliente remoto a um escritório você provavelmente irá preferir que o cliente remoto controle sua conexão e desconexão da VPN, o que significa que a conexão VPN deverá ser estabelecida manualmente por ele. Definir claramente que o cliente VPN deva sempre se reconectar é uma boa idéia. Os clientes remotos irão, após estabelecer uma conexão com a internet, conectar-se à VPN onde possuam direitos de acesso. Page 5 of 5

6 Dois escritórios Você deverá escolher qual escritório será o servidor VPN. Normalmente, o que possua IP estático ou conexão de Internet dedicada. Como antes, você deverá configurar o servidor VPN primeiro. O servidor VPN será o ponto de acesso para sua rede privada na qual o segundo escritório irá conectar-se. Esta seção irá auxiliá-lo na configuração do servidor VPN. Uma vez que você tenha configurado o servidor, envie o arquivo de configuração exportado para o outro escritório. No outro escritório configure o cliente VPN para acessar a rede remota. Esta seção irá guiá-lo na configuração do cliente VPN. Algumas considerações adicionais para este tipo de configuração. 1. A primeira é com as maquinas da rede e o outro com os nós VPN. Para estar apto a acessar essas máquinas você precisa efetuar algumas configurações especiais para cada uma. Por favor, clique aqui para instruções. 2. Se você deseja compartilhar todas as máquinas no nó VPN da rede, você deverá configurar a participação local das máquinas para Rede Local ("Local Netowork"). 3. Adicionalmente, você deve assegurar que os usuários possuem as permissões apropriadas para acessar os compartilhamentos. 4. Se você permitir acesso de máquinas clientes nos dois escritórios, terá que configurar um servidor VPN em cada escritório, exportando e importando as configurações para criar o cliente VPN apropriado. 5. Em muitos casos, estes escritórios estão atrás de um dispositivo NAT. Clique aqui para verificar possíveis problemas com dispositivos NAT. 6. Para um link escritorio-a-escritorio você provavelmente irá querer que uma conexão seja estabelecida de maneira permanente. Você terá que especificar que o link VPN deve ser estabelecido sempre que o WinGate iniciar e deve se reconectar automaticamente. Page 6 of 6

7 Dois escritórios com clientes remotos Esta configuração segue a mesma lógica dos exemplos anteriores. Determine qual escritório será o servidor VPN e instale o programa. Assim que tiver configurado a VPN exporte a configuração. Veja detalhes de configuração clicando aqui. O arquivo de configuração exportado pode ser enviado ao outro escritório onde o cliente VPN será criado. Veja os detalhes da configuração do cliente VPN clicando aqui. Você deverá mandar também o arquivo de configuração para cada cliente remoto que deseja acessar a VPN. Eles precisarão instalar também o software e importar a configuração, da mesma maneira que o cliente VPN. Algumas considerações adicionais para esse tipo de configuração. 1. A primeira é com as maquinas da rede e o outro com os nós VPN. Para estar apto a acessar essas máquinas você precisa efetuar algumas configurações especiais para cada uma. Por favor, clique aqui para instruções. 2. Se você deseja compartilhar todas as máquinas conectadas ao nó VPN da rede, você deverá configurar a participação local das máquinas para Rede Local ("Local Network"). 3. Adicionalmente, você deve assegurar que os usuários possuem as permissões apropriadas para acessar os compartilhamentos. 4. Se você permitir o acesso de máquinas clientes nos dois escritórios, terá que configurar um servidor VPN em cada um, exportando e importando as configurações para criar o cliente VPN apropriado. 5. Em muitos casos, estes escritórios estão atrás de um dispositivo NAT. Clique aqui para verificar possíveis problemas com dispositivos NAT. 6. Se um cliente remoto estiver em sua própria rede ao invés de ser um PC isolado ( standalone ), você deverá assegurar que cada cliente remoto esteja em uma sub-rede distinta. 7. Se o cliente remoto está em uma rede própria e você deseja permitir acesso a todas as máquinas da rede, você precisa configurar a sua participação local para Rede Local ("Local Network"). 8. Dependendo da vontade de seus clientes remotos em disponibilizar ou não os seus dados, você poderá instruí-los a permitir ou negar a implementação de túneis VPN com outros clientes remotos. 9. Para um link escritorio-a-escritorio você provavelmente irá querer uma conexão estabelecida de modo permanente, então, você terá que especificar que o link Page 7 of 7

8 VPN deverá ser estabelecido sempre que o WinGate iniciar e deverá se reconectar automaticamente. 10. Quando da conexão de um cliente remoto a um escritório você provavelmente irá preferir que o cliente remoto controle sua conexão e desconexão da VPN, o que significa que a conexão VPN deverá ser estabelecida manualmente por ele. idéia. Definir claramente que o cliente VPN deva sempre se reconectar é uma boa Page 8 of 8

9 O que instalar / configurar no servidor? O servidor deve ter acesso à Internet e ser capaz de receber conexões da Internet. Em alguns casos isso envolve a configuração de um dispositivo de hardware para permitir a conexão através do servidor VPN. Se você suspeitar que possui este dispositivo, leia esta seção para configurações adicionais necessárias. Você deve instalar o software apropriado. Ele pode ser o WinGate (com uma licença VPN) ou WinGate VPN. Assim que tiver instalado e reiniciado a máquina, você terá que configurar a VPN. Se você está usando o WinGate, veja esta seção para um passo a passo de configuração da VPN. Se você está usando o WinGate VPN, veja esta seção para um passo a passo de configuração da VPN. Page 9 of 9

10 Eu estou usando o WinGate Se você está utilizando o WinGate para compartilhar seu acesso a internet, você precisa adicionar uma licença VPN ao software. Para maiores informações sobre licenças VPN, clique aqui. 1. Abra o GateKeeper clicando duas vezes no icone WinGate Engine Monitor na barra de tarefas. 2. Abra a aba System, Clique duas vezes no icone VPN para acessar a configuração VPN. 3. Abra a aba VPNs to Host, clique no botão Add para adicionar uma nova configuração VPN. 1. Na aba General, coloque os seguintes valores: 1.1. Name um nome fácil de recordar para a sua VPN. O nome de sua rede ou local é uma boa escolha Local Participation determina como a VPN irá compartilhar sua rede. No Participation Local Machine Local Network Essa rede não participa da VPN Apenas este computador participa da VPN Este computador e todos os outros da rede participam da VPN 1.3. Encryption deixe essa opção como Strong 2. Na aba X509, gere um certificado associado a essa VPN clicando no botão Generate. Você será direcionado para a tela de configuração do Certificado. Page 10 of 10

11 2.1. Na aba Encryption, deixe tudo com os valores padrão. Você deverá digitar e confirmar uma frase-senha. Use algo que contenha uma mistura de letras e números. Você não precisará recordar esse valor Na aba Certificate, preencha o maior número de campos possíveis. Nenhuma informação é necessária, mas seu certificado ficará mais detalhado com maiores informações inseridas Confirme seus detalhes e clique OK. O certificado não será gerado imediatamente. Isso será feito quando você clicar OK e aceitar a configuração VPN. 3. Na aba Policies, determine quais usuários poderão conectar a essa VPN. Isto é para estabelecer controle sobre o canal de comunicação entre servidor e cliente. Ela não se aplica a operação de rede através da VPN. 4. Uma vez que a configuração esteja feita, clique OK para aceitar a configuração VPN. O certificado será gerado. Você deverá receber uma informação no próprio GateKeeper, na aba SYSTEM MESSAGES sobre a criação. 5. Recebendo a mensagem, você poderá exportar as informações para os clientes que irão conectar a VPN. Você fará isso selecionando a VPN e clicando no botão Export Config. Você será direcionado para o assistente de configuração. 6. Aqui você irá digitar o nome ou endereço IP usado para achar sua VPN na Internet. Se você estiver usando IP dinâmico ou um nome DNS associado ao seu IP, use este nome. Ouro caso, você precisará digitar seu endereço IP aqui. Quando clicar em OK, você irá salvar essas informações. Salve em um local de fácil acesso. Você irá precisar desse arquivo para a configuração do cliente. Page 11 of 11

12 Eu estou usando WinGate VPN 1. Abra o GateKeeper clicando duas vezes no VPN Monitor na barra de tarefas. 2. Na aba VPN, clique em Add a new VPN para adicionar uma nova configuração VPN. 3. Na aba General, coloque os seguintes valores: 3.1. Name um nome fácil de recordar para a sua VPN. O nome de sua rede ou local é uma boa escolha Local Participation determina como a VPN irá compartilhar sua rede. No Participation Local Machine Local Network Essa rede não participa da VPN Apenas este computador participa da VPN Este computador e todos os outros da rede participam da VPN 3.3. Encryption deixe essa opção como Strong 4. Na aba X509, gere um certificado associado a essa VPN clicando no botão Generate. Você será direcionado para a tela de configuração do Certificado Na aba Encryption, deixe tudo com os valores padrão. Você deverá digitar e confirmar uma frase-senha. Use algo que contenha uma mistura de letras e números. Você não precisará recordar esse valor Na aba Certificate, preencha o maior número de campos possíveis. Nenhuma informação é necessária, mas seu certificado ficará mais detalhado com maiores informações inseridas. Page 12 of 12

13 4.3. Confirme seus detalhes e clique OK. O certificado não será gerado imediatamente. Isso será feito quando você clicar OK e aceitar a configuração VPN. 5. Na aba Policies, determine quais usuários poderão conectar a essa VPN. Isto é para estabelecer controle sobre o canal de comunicação entre servidor e cliente. Ela não se aplica a operação de rede através da VPN. 6. Uma vez que a configuração esteja feita, clique OK para aceitar a configuração VPN. O certificado será gerado. Você deverá receber uma informação no próprio GateKeeper, na aba SYSTEM MESSAGES sobre a criação. 7. Recebendo a mensagem, você poderá exportar as informações para os clientes que irão conectar a VPN. Você fará isso selecionando a VPN e clicando no botão Export Config. Você será direcionado para o assistente de configuração VPN. 8. Aqui você irá digitar o nome ou endereço IP usado para achar sua VPN na Internet. Se você estiver usando IP dinâmico ou um nome DNS associado ao seu IP, use este nome. Ouro caso, você precisará digitar seu endereço IP aqui. Quando clicar em OK, você irá salvar essas informações. Salve em um local de fácil acesso. Você irá precisar desse arquivo para a configuração do cliente. Page 13 of 13

14 O que instalar / configurar no cliente VPN? O cliente deve ter acesso à internet e estar apto a fazer conexões externas na Internet usando os protocolos UDP e TCP. Deve estar apto também a receber tráfego de Internet em uma porta UDP. Em alguns casos isso envolve a configuração de dispositivos de hardware para permitir a conexão através do nó VPN. Se você possuir este tipo de dispositivo, verifique esta seção. Você deve instalar o software apropriado. Ele pode ser o WinGate (com uma licença VPN) ou WinGate VPN. Assim que tiver instalado e reiniciado a máquina, você terá que configurar a VPN. Se você está usando o WinGate, clique aqui para um "passo-a-passo" de configuração da VPN. Se você está usando o WinGate VPN, clique aqui para um "passo-a-passo" de configuração da VPN. Page 14 of 14

15 Eu estou usando WinGate Se você está utilizando o WinGate para compartilhar sua conexão de Internet, você deverá adicionar sua licença ao WinGate. Para maiores informações sobre licença VPN, clique aqui. 1. Clique duas vezes no arquivo de configuração VPN que você recebeu do Administrador do servidor VPN. 2. GateKeeper irá iniciar automaticamente perguntando se você deseja adicionar a informação ao sistema. Clique Yes para adicionar a configuração. Você será direcionado para a tela de configuração VPN. 3. A maioria das informações estará presente para você. É recomendável, porém, checar se as mesmas estão corretas. Na seção Remote Server, verifique os valores : 3.1. Server IP or DNS Name Nome ou IP que você irá acessar o servidor. Deve ser visível na Internet Server Port A porta configurado onde o servidor VPN estará recebendo informações. A porta padrão é 809 (TCP) Name of Remote VPN Nome fácil de memorização da VPN. Esse nome deve ser exatamente o mesmo designado a VPN pelo Administrador Server SSL Fingerprint este valor é gerado pelo servidor e utilizado pelo cliente remoto para validar que a comunicação está sendo feita ao servidor 1 Não confunda nome VPN com endereço VPN (Nome DNS) Page 15 of 15

16 VPN correto. 4. Na seção User Authentication, coloque os seguintes valores: 4.1. Username nome do usuário WinGate a quem foi dado acesso através das policies para acessar o WinGate VPN Password senha para o usuário WinGate configurado acima. Estes valores NUNCA são transmitidos com a configuração você deverá contactar o Administrador do servidor VPN para descobrir os valores a utilizar. 5. Na seção Connection Options, verifique os seguintes valores: 5.1. When to Join VPN determina quando o WinGate VPN irá conectar a VPN remota. On Engine Start Manually Disabled Conectar quando o WinGate for iniciado O usuário estabelece a conexão no GateKeeper Essa VPN não pode ser conectada 5.2. Reconnect Esta opção reconecta a VPN se a conexão for perdida Local Participation Determina como a VPN irá compartilhar a rede No Participation Local Machine Local Network Esta rede nao participa da VPN Apenas este PC participa da VPN Este PC e todos os PCs da rede participam da VPN 5.4. Tunnel Creation determina quais nós esta VPN permite estabelecer tuneis com. To/from all Nodes Only with Master Todos clientes conectando ao servidor podem estabelecer um tunel de dados com esse nó e acessar qualquer recurso que esta VPN publicar. Isso em adição ao tunel de dados com o servidor VPN Esta opção não irá permitir outros clientes conectando ao mesmo servidor a estabelecer tuneis com este cliente. O tunel ao servidor é estabelecido normalmente. 6. Assim que você verificar todas as configurações, clique OK para fechar a tela de dialogo. Você irá retornar a interface principal do GateKeeper, aonde você poderá conectar a VPN se for necessário. Page 16 of 16

17 Estou usando WinGate VPN Para configurar a VPN você deverá exportar o arquivo de configuração do servidor VPN. 7. Clique duas vezes no arquivo de configuração VPN que você recebeu do Administrador do servidor VPN. 8. GateKeeper irá iniciar automaticamente perguntando se você deseja adicionar a informação ao sistema. Clique Yes para adicionar a configuração. Você será direcionado para a tela de configuração VPN. 9. A maioria das informações estará presente para você. É recomendável, porém, checar se as mesmas estão corretas. Na seção Remote Server, verifique os valores : 9.1. Server IP or DNS Name Nome ou IP que você irá acessar o servidor. Deve ser visível na Internet Server Port A porta configurada onde o servidor VPN estará recebendo informações. A porta padrão é 809 (TCP) Name of Remote VPN Nome fácil de memorização da VPN. Esse nome deve ser exatamente o mesmo designado a VPN pelo Administrador Server SSL Fingerprint este valor é gerado pelo servidor e utilizado pelo cliente remoto para validar que a comunicação está sendo feita ao servidor VPN. 2 Não confunda nome VPN com endereço VPN (Nome DNS) Page 17 of 17

18 10. Na seção User Authentication, coloque os seguintes valores: Username nome do usuário WinGate a quem foi dado acesso através das policies para acessar o WinGate VPN Password senha para o usuário WinGate configurado acima. Estes valores NUNCA são transmitidos com a configuração você deverá contactar o Administrador do servidor VPN para descobrir os valores a utilizar. 11. Na seção Connection Options, verifique os seguintes valores: When to Join VPN determina quando o WinGate VPN irá conectar a VPN remota. On Engine Start Manually Disabled Conectar quando o WinGate for iniciado O usuário estabelece a conexão no GateKeeper Essa VPN não pode ser conectada Reconnect Esta opção reconecta a VPN se a conexão for perdida Local Participation Determina como a VPN irá compartilhar a rede No Participation Local Machine Local Network Esta rede não participa da VPN Apenas este PC participa da VPN Este PC e todos os PCs da rede participam da VPN Tunnel Creation determina quais nós esta VPN permite estabelecer tuneis com. To/from all Nodes Only with Master Todos clientes conectando ao servidor podem estabelecer um tunel de dados com esse nó e acessar qualquer recurso que esta VPN publicar. Isso em adição ao tunel de dados com o servidor VPN Esta opção não irá permitir outros clientes conectando ao mesmo servidor a estabelecer tuneis com este cliente. O tunel ao servidor é estabelecido normalmente. 12. Assim que você verificar todas as configurações, clique OK para fechar a tela de dialogo. Você irá retornar a interface principal do GateKeeper, aonde você poderá conectar a VPN se for necessário. Page 18 of 18

19 Resolução Problemas Gerais Os passos básicos para a resolução dos principais problemas são: Determine se você consegue estabelecer uma conexão com o servidor VPN. Este passo requer uma conexão ativa à Internet e um servidor VPN rodando. Seu servidor VPN deve estar a receber conexões na porta VPN (Padrão 809) da Internet. Se a conexão puder ser estabelecida com sucesso, os dois nós da VPN podem trocar informações de controle. Esta é a conexão de controle e utiliza TCP. O próximo passo é verificar se as rotas estão mostrando as informações Disabled (Desabilitada) ou In conflict (Em conflito). Este problema é mais comum em cenários onde diferentes nós VPN estão na mesma subrede. Se o servidor VPN pertencer à subrede *** e o cliente VPN à subrede *** nenhum dos dois poderá determinar para onde enviar os pacotes para uma máquina com endereço IP , pois a mesma poderá estar em qualquer uma das redes. Se nenhuma rota está apresentando erros, você deve verificar o túnel. Faça isto pingando o endereço IP interno do servidor VPN através do cliente VPN e vice e versa. Se o resultado for positivo o canal está funcionando. Se houver falha, pode ser um problema com um dispositivo NAT intermediário. Verifique esta seção para maiores informações. Se o ping for efetuado com exito, mas os participantes da VPN continuarem aparecendo como não acessiveis, seu problema pode ser com navegação ou com a configuração das máquinas clientes. As maquinas da rede no seu servidor VPN ou as maquinas na rede cliente devem conseguir alcançar as maquinas na outra rede. Isto significa que ou elas utilizam uma rota padrão para alcançar essas maquinas ou tenham rotas específicas configuradas. De outra maneira elas irão recusar o envio de pacotes mesmo se tenham recebido algum. Clique aqui para visualizar possíveis soluções para máquinas clientes. Eu possuo um dispositivo NAT que me oferece acesso a Internet Se você possui um dispositivo NAT ou um firewall ele pode estar interferindo no canal de dados VPN. O mesmo utiliza o protocolo UDP para transferir informações de rede de uma rede para outra. Este é um protocolo de comunicação, o que geralmente significa que firewalls, etc. devem ser configurados para permitir o tráfego ou rotear o mesmo para um servidor VPN especifico. Por padrão, o WinGate VPN utiliza a porta 809 para o canal de dados. Você poderá encontrar o número da porta na configuração VPN, na aba General. Eu consigo ver todos os compartilhamentos, mas não consigo navegar ou abrir nenhum arquivo Em alguns tipos de conexão existe uma redução no MTU ("Maximum Transmission Unit" ou Unidade Maxima de Transmissão, que é a medida do maior pacote que pode ser enviado sobre uma interface de rede ou de um link de um ponto a outro.). Conexões PPPoE reduzem o MTU para 8 bytes. O valor padrão do MTU para Ethernet é 1500 bytes, oque significa que você poderá ter até 1500 bytes sobre a Ethernet. O frame Ethernet possui um "header" (cabeçalho) de 14 bytes, e portanto o tamanho máximo de pacote (ao contrário do MTU) é O WinGate VPN também reduz o Page 19 of 19

20 MTU, já que a criptografia e o tunelamento consomem bytes por pacote. Se existem problemas com o MTU, você irá perceber que grandes pacotes (tamanho máximo) poderão ser perdidos. Isto produz estranhos efeitos como : Possibilidade de conectar-se à um compartilhamento na rede, solicitação de senhas, etc.. mas impossibilitado de navegar em grandes diretórios ou transferir arquivos. Mapeamentos de drives são desconectados e muitas vezes pouco confiáveis. Usando o ping você pode enviar pacotes de qualquer tamanho. O Wingate VPN fragmenta os pacotes (se permitido)quando os transfere através da VPN. Portanto, você deverá ser capaz de enviar pacotes grandes de ping através da VPN se tudo estiver funcionando de modo adequado. Caso contrário, a partir do momento em que vc. passe a receber pacotes de certo tamanho eles pararão de funcionar. Para enviar pacotes de um certo tamanho, use a notação "-I" no comando ping. Por exemplo : ping l 1422 Este procedimento irá enviar um pacote de ping com uma carga de 1422 bytes ICMP. É importante notar que o tamanho padrão do pacote de ping 2 28 bytes maior que este, pois o IP mais o header ICMP usam 26 bytes. Portanto, o exemplo acima irá enviar um pacote de 1450 bytes (não incluindo o header Ethernet). O header Ethernet não é levado em conta o mesmo é retirado e não enviado pela VPN. Trabalhando o tamanho do pacote que funciona versus o que não funciona, é possível calcular qual o valor mais adequado do MTU. Em conexões dialup e algumas placas de rede, é possível modificar o MTU para que suas estações de trabalho não mais enviem pacotes muito grandes. Tenho dificuldade para acessar computadores Fazer a navegação da rede através do Ambiente de Rede (Explorer do Windows) é um processo cliente-servidor. O navegador do cliente (usando o Ambiente de Rede) deve estar apto a se comunicar com um servidor de navegação (chamado normalmente de navegador master) ou qualquer máquina que tenha uma lista de navegador, como um Controlador de Domínio ou um servidor Active Directory. Se esta máquina está localizada atrás do nó VPN, você deve assegurar que ela responde às requisições apropriadas do navegador. Clique aqui para informações sobre como fazer as máquinas ficarem acessíveis através da VPN. Não consigo acessar nenhuma máquina atrás de um servidor VPN ou cliente VPN Se você não conseguir acessar nenhuma máquina, elas irão aparecer como Not Accessible (Não acessíveis) no GateKeeper. O primeiro passo para solucionar esse problema é verificar se você configurou a respectiva máquina para conectar a VPN. O Wingate VPN é uma solução de roteamento. Para que a mesma funcione, os dois extremos da VPN e todos os participantes devem estar cientes em como acessar a rede remota. Existem três maneiras de se efetuar isso : Gateway Padrão Page 20 of 20

21 Na tela de configuração de TCP/IP, você deve configurar o gateway padrão apontando para o nó apropriado da VPN (servidor VPN ou cliente VPN). Isso força todo o tráfico da rede que o participante VPN não sabe como rotear para o nó VPN, e o mesmo irá rotear o tráfico apropriado para a rede remota. RIP Listener O WinGate VPN pode transmitir atualizações de rotas, assim que ficar ciente de novas VPNs disponíveis. Se você instalar o RIP v 2 no participante VPN ele irá receber essas transmissões RIP e estará apto a rotear o tráfico destinado da subrede remota ao nó VPN. Se o seu nó VPN não for seu gateway de Internet é possível que seu gateway de Internet suporte o RIP v 2. (A maioria dos dispositivos DSL/NAT possui suporte ao RIP v 2 Listener). Se esse for o caso, habilite o mesmo no gateway. Rota estática Adicionando uma rota estática você pode explicitar para cada participante como rotear para a subrede remota. Por exemplo, a rede no servidor VPN utiliza o range de IP ***. O servidor VPN é A rede do cliente VPN utiliza o range de IP ***. Se você deseja adicionar uma rota estática em um participante atrás do cliente VPN, você deve especificar: route add MASK Essa rota irá enviar todo tráfego destinado a qualquer máquina na subrede *** para o servidor VPN processar. Nada nos meus clientes remotos está visível através da VPN É importante ressaltar que se você está em uma interface única (modem dialup, cable modem ou similar) sem uma placa de rede interna, você deverá habilitar o Compartilhamento de Arquivos e Impressoras na interface que lhe oferece acesso a Internet. Habilitando essa opção você estará permitindo ao subsistema de rede iniciar-se, o que por sua vez permitirá a você navegar e compartilhar arquivos através da rede. O Firewall do WinGate irá proteger o acesso ao computador de pessoas não autorizadas. Se você não tiver o Compartilhamento de Arquivos e Impressoras habilitado em ao menos uma interface você não terá acesso a nenhum destes serviços. Eu posso utilizar MAC ou Linux para com WinGate VPN? Uma máquina MAC ou Linux poder ser um participante VPN, mas não um nó VPN. Verifique este guia de configuração para garantir que o participante pode verificar a rede. TESTES MAIS COMUNS Teste 1 ping <nome da máquina > D:\>ping blade Page 21 of 21

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Manual do Suporte LZT LZT Soluções em Informática Sumário VPN...3 O que é VPN...3 Configurando a VPN...3 Conectando a VPN... 14 Possíveis erros...16 Desconectando

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E O que é roteamento e acesso remoto? Roteamento Um roteador é um dispositivo que gerencia o fluxo de dados entre segmentos da rede,

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL Documento: Tutorial Autor: Iuri Sonego Cardoso Data: 27/05/2005 E-mail: iuri@scripthome.cjb.net Home Page: http://www.scripthome.cjb.net ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

Leia mais

GUIA DE CONFIGURAÇÃO CONEXÕES VPN SSL (CLIENT TO SERVER)

GUIA DE CONFIGURAÇÃO CONEXÕES VPN SSL (CLIENT TO SERVER) GUIA DE CONFIGURAÇÃO CONEXÕES VPN SSL (CLIENT TO SERVER) Conexões VPN SSL (Client to Server) 1- Introdução Uma VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) é, como o nome sugere, uma rede virtual,

Leia mais

WinGate - Passo a passo

WinGate - Passo a passo WinGate - Passo a passo Configurando os Computadores de sua rede Nesta etapa, mostraremos como preparar os computadores de sua rede para a instalação do WinGate. 1ª Parte É necessário que os computadores

Leia mais

Acesso Remoto Geovision

Acesso Remoto Geovision Inviolável Segurança Acesso Remoto Geovision Manual de apoio para configuração do acesso remoto no sistema Geovision no Windows e Internet Explorer. Luan Santos da Silva luan@w7br.com versão: 1.0 By: Luan

Leia mais

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Página 1 de 14 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2-NA Este guia irá ajudá-lo a instalar o seu ATA,

Leia mais

Manual B.P.S ATA 5xxx Índice

Manual B.P.S ATA 5xxx Índice Manual B.P.S ATA 5xxx Índice 1. Conectando o Adaptador para Telefone Analógico (ATA)...02 2. Configurações básicas...05 2.1 Configuração dos parâmetros de usuário e senha para acessos de banda larga do

Leia mais

Winco VPN - SSL Manual do Usuário

Winco VPN - SSL Manual do Usuário Winco VPN - SSL Manual do Usuário 1 1. Introdução...3 1.1. Características Técnicas...3 1.2. Vantagens da Winco VPN - SSL...4 2. Requisitos de Instalação...5 2.1. Sistemas Operacionais com suporte...5

Leia mais

Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas 1 Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas 1- Para realizar a configuração de redirecionamento de portas o computador deve estar conectado via cabo Ethernet em uma das portas LAN do

Leia mais

Configuração da rede Wi-fi da Faculdade de Educação no Windows Vista

Configuração da rede Wi-fi da Faculdade de Educação no Windows Vista Configuração da rede Wi-fi da Faculdade de Educação no Windows Vista Este tutorial irá guiá-lo a configurar o Windows Vista para acessar a rede Wi-fi da Faculdade de Educação (fe.unicamp.br). Atenção:

Leia mais

O Servidor de impressão DP-300U atende a seguinte topologia: Podem ser conectadas 2 impressoras Paralelas e 1 USB.

O Servidor de impressão DP-300U atende a seguinte topologia: Podem ser conectadas 2 impressoras Paralelas e 1 USB. O Servidor de impressão DP-300U atende a seguinte topologia: Podem ser conectadas 2 impressoras Paralelas e 1 USB. 1 1- Para realizar o procedimento de configuração o DP-300U deve ser conectado via cabo

Leia mais

O Servidor de impressão DP-301U atende a seguinte topologia: Com o DP-301U pode ser conectada uma impressora USB.

O Servidor de impressão DP-301U atende a seguinte topologia: Com o DP-301U pode ser conectada uma impressora USB. O Servidor de impressão DP-301U atende a seguinte topologia: Com o DP-301U pode ser conectada uma impressora USB. 1 1- Para realizar o procedimento de configuração o DP-301U deve ser conectado via cabo

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Se você tem mais que um computador ou outros dispositivos de hardware, como impressoras, scanners ou câmeras, pode usar uma rede para compartilhar

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3 Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3 http://www.dslink.com.br/ Índice Como conectar o modem DSLink 260E ao meu computador?... 3 Configurando o modem como

Leia mais

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows XP

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows XP TeamWork Manual do Utilizador Para Windows XP V3.2_XP Fevereiro 2008 ÍNDICE TeamWork Para que serve... 3 TeamWork Como instalar e configurar... 4 TeamWork Como utilizar... 4 Apoio para instalação e configuração.

Leia mais

Aula Pratica 3 Configurações de Rede Ethernet com Protocolo TCP/IP

Aula Pratica 3 Configurações de Rede Ethernet com Protocolo TCP/IP 1 Aula Pratica 3 Configurações de Rede Ethernet com Protocolo TCP/IP Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como configurar equipamentos em redes Ethernet com os protocolos TCP/IP.

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 5: VPN Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) criada para interligar duas redes distantes, através

Leia mais

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows Vista

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows Vista TeamWork Manual do Utilizador Para Windows Vista V3.2_Vista Fevereiro 2008 ÍNDICE TeamWork Para que serve... 3 TeamWork Como instalar e configurar... 4 TeamWork Como utilizar... 4 Apoio para instalação

Leia mais

Configurando DDNS no Stand Alone

Configurando DDNS no Stand Alone Configurando DDNS no Stand Alone Abra o seu navegador de internet e acesse o endereço http://www.advr.com.tw(ou, http://59.124.143.151 ). Clique em Register para efetuar o cadastro de um novo grupo.(foto

Leia mais

Configuração de acesso VPN

Configuração de acesso VPN 1. OBJETIVO 1 de 68 Este documento tem por finalidade auxiliar os usuários na configuração do cliente VPN para acesso a rede privada virtual da UFBA. 2. APLICAÇÃO Aplica-se a servidores(técnico-administrativos

Leia mais

GUIA RÁPIDO de INSTALAÇÃO e CONFIGURAÇÃO

GUIA RÁPIDO de INSTALAÇÃO e CONFIGURAÇÃO GUIA RÁPIDO de INSTALAÇÃO e CONFIGURAÇÃO ROTEADORES WIRELESS 802.11G Modelos s: TL-WR541G/ TL- -WR542G/ TL- -WR641G/ TL- -WR642G 1. 2. 3. 4. 5. As 1. 2. 3. 4. 5. As 1. 2. 3. 4. 5. As As As s s ções ções

Leia mais

TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR.

TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR. TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR. Neste senário temos um roteador de internet que vai ser nosso gateway do MK1,

Leia mais

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Índice 1 Introdução... 4 Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Verificação dos itens recebidos... 6 Painel Frontal... 7 Painel Traseiro... 8 3 Conectando o

Leia mais

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte)

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) 1 Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como testar a conectividade de uma

Leia mais

Capítulo 5 Noções sobre TCP/IP

Capítulo 5 Noções sobre TCP/IP Capítulo 5 Noções sobre TCP/IP Endereços IP Arquitetura TCP/IP DHCP Redes classe A, B e C Protocolos TCP/IP Estudos complementares 3 Estudos complementares Consulte os capítulos 5 e 12 do livro: Capítulo

Leia mais

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice Wireless Network Global Solutions WiNGS Wireless Gateway Manual Índice Pagina Características Técnicas 3 Descrição do Aparelho 4 Quick Start 5 Utilizando a interface de administração WEB 7 Login 7 Usuários

Leia mais

Acesso Remoto Placas de captura

Acesso Remoto Placas de captura Acesso Remoto Placas de captura 1 instalar o DVR Siga os passos de instalação informados na caixa do produto, após seu perfeito funcionamento vá para próximo passo. 2 Configurá-lo na rede Local O computador

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo Router Static IP.

Procedimentos para configuração em modo Router Static IP. O equipamento DWL-G730AP tem 3 modos possíveis de configuração: Router, Access Point ou Client. Em baixo do equipamento há um chaveador para que seja efetuada a mudança de modo de configuração. Neste caso,

Leia mais

Utilizando License Server com AnywhereUSB

Utilizando License Server com AnywhereUSB Utilizando License Server com AnywhereUSB 1 Indice Utilizando License Server com AnywhereUSB... 1 Indice... 2 Introdução... 3 Conectando AnywhereUSB... 3 Instalação dos drivers... 3 Configurando AnywhereUSB...

Leia mais

UFBA Universidade Federal da Bahia CPD Central de Processamento de Dados. Rede VPN UFBA. Procedimento para configuração

UFBA Universidade Federal da Bahia CPD Central de Processamento de Dados. Rede VPN UFBA. Procedimento para configuração UFBA Universidade Federal da Bahia CPD Central de Processamento de Dados Rede VPN UFBA Procedimento para configuração 2013 Íncide Introdução... 3 Windows 8... 4 Windows 7... 10 Windows VISTA... 14 Windows

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS Se todos os computadores da sua rede doméstica estiverem executando o Windows 7, crie um grupo doméstico Definitivamente, a forma mais

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE REDES E FIREWALL

CONCEITOS BÁSICOS DE REDES E FIREWALL Secretaria Municipal de Educação SME Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação CTIC Núcleo de Tecnologia Municipal NTM CONCEITOS BÁSICOS DE REDES E FIREWALL Amauri Soares de Brito Mário Ângelo

Leia mais

Obs: É necessário utilizar um computador com sistema operacional Windows 7.

Obs: É necessário utilizar um computador com sistema operacional Windows 7. Instalando os Pré-Requisitos Os arquivos dos 'Pré-Requisitos' estão localizados na pasta Pré-Requisitos do CD HyTracks que você recebeu. Os arquivos também podem ser encontrados no servidor. (www.hytracks.com.br/pre-requisitos.zip).

Leia mais

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Terra VOIP PAP2 Rev. 1 Ago/06 1 de 15 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2-NA Este guia irá ajudá-lo

Leia mais

Configurações para utilização de IPv6.

Configurações para utilização de IPv6. Configurações para utilização de IPv6. Devido a escassez de endereços IPv4 muitos países começaram a utilizar o IPv6 para solucionar este problema. Entretanto, para continuar utilizando os recursos do

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores s de Computadores s de Computadores s de Computadores 2 1 Roteamento como visto cada gateway / host roteia mensagens não há coordenação com outras máquinas Funciona bem para sistemas estáveis e sem erros

Leia mais

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário Página 1 de 20 Security Shop MRS Media Relay System Manual do Usuário Página 2 de 20 Conteúdos: Conteúdos:... 2 Figuras:... 3 1. Introdução... 4 1.1 Âmbito do Documento... 4 1.2 Terminologia... 4 2. GERAL...

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO Descrição do Produto... 3 Características... 3 Configuração USB... 4 Configuração... 5 Página

Leia mais

Centro de Inteligência em Tecnologia da Informação e Segurança Tutorial Ammyy admin

Centro de Inteligência em Tecnologia da Informação e Segurança Tutorial Ammyy admin Tutorial Ammyy admin Hoje em dia, quase tudo pode ser feito remotamente, a grande dificuldade seria o acesso remoto com segurança mas sem se preocupar em fazer enormes ajustes no FIREWALL, felizmente existem

Leia mais

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s):

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s): Professor(es): Fernando Pirkel Descrição da(s) atividade(s): Definir as tecnologias de redes necessárias e adequadas para conexão e compartilhamento dos dados que fazem parte da automatização dos procedimentos

Leia mais

Passo a Passo da instalação da VPN

Passo a Passo da instalação da VPN Passo a Passo da instalação da VPN Dividiremos este passo a passo em 4 partes: Requisitos básicos e Instalação Configuração do Servidor e obtendo Certificados Configuração do cliente Testes para saber

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc. Endereços IP Endereços IP IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.) precisam ter endereços. Graças

Leia mais

Configurando o sistema em rede Local

Configurando o sistema em rede Local O SHOficina, SHPet e o SHSap podem ser utilizados como monousuário ou em rede de até 3 computadores (1 Servidor + 2 estações). Se você tem conhecimento intermediário em informática conseguirá seguir este

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure em um

Leia mais

Manual de Configuração de Ipsec

Manual de Configuração de Ipsec Manual de Configuração de Ipsec Versão 0 BRA-POR Definições de observações Utilizamos o ícone a seguir ao longo deste Manual do Usuário: Os ícones de ensinam como agir em determinada situação ou fornecem

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo WDS

Procedimentos para configuração em modo WDS Procedimentos para configuração em modo WDS 1- WDS (Wireless Distribution System) permite o acesso de um DAP-1353 com o outro DAP-1353 de um modo padronizado. Dessa forma pode simplificar a infraestrutura

Leia mais

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Interconexão de Redes Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Software IP nos hosts finais O software IP nos hosts finais consiste principalmente dos seguintes módulos: Camada Aplicação; DNS (Domain name system)

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

Configurando o IIS no Server 2003

Configurando o IIS no Server 2003 2003 Ser ver Enterprise Objetivo Ao término, você será capaz de: 1. Instalar e configurar um site usando o IIS 6.0 Configurando o IIS no Server 2003 Instalando e configurando o IIS 6.0 O IIS 6 é o aplicativo

Leia mais

GUIA RÁPIDO SUPLEMENTO. Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5013 Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5014 PORTUGUÊS

GUIA RÁPIDO SUPLEMENTO. Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5013 Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5014 PORTUGUÊS GUIA RÁPIDO SUPLEMENTO Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5013 Dome de câmera de rede PTZ AXIS M5014 PORTUGUÊS Guia Rápido Suplemento da câmera AXIS M5013/M5014 Página 3 AXIS M5013/M5014 Guia Rápido Suplemento

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo Router PPPOE

Procedimentos para configuração em modo Router PPPOE O equipamento DWL-G730AP tem 3 modos possíveis de configuração: Router, Access Point ou Client. Em baixo do equipamento há um chaveador para que seja efetuada a mudança de modo de configuração. Neste caso,

Leia mais

Câmera IP Sem/Com Fio. Manual de Instalação Rápida. (Para Windows OS)

Câmera IP Sem/Com Fio. Manual de Instalação Rápida. (Para Windows OS) Câmera IP Sem/Com Fio Manual de Instalação Rápida (Para Windows OS) Modelo:FI8904W Modelo:FI8905W ShenZhen Foscam Intelligent Technology Co., Ltd Manual de Instalação Rápida Conteúdo da Embalagem 1) Câmera

Leia mais

Configurando o DDNS Management System

Configurando o DDNS Management System Configurando o DDNS Management System Solução 1: Com o desenvolvimento de sistemas de vigilância, cada vez mais usuários querem usar a conexão ADSL para realizar vigilância de vídeo através da rede. Porém

Leia mais

Autenticação e VPN rede sem fio PPGIA - Windows 7

Autenticação e VPN rede sem fio PPGIA - Windows 7 Autenticação e VPN rede sem fio PPGIA - Windows 7 1. Configuração autenticação wireless rede PPGIA Estão sendo incorporadas novas bases wireless na infra-estrutura do PPGIA. As mesmas permitem integrar

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do Sistema Cali LAB View

Manual de Instalação e Configuração do Sistema Cali LAB View Manual de Instalação e Configuração do Sistema Cali LAB View www.cali.com.br - Manual de Instalação e Configuração do Sistema Cali LAB View - Página 1 de 29 Índice INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO (FIREBIRD E

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo Router Dynamic IP

Procedimentos para configuração em modo Router Dynamic IP O equipamento DWL-G730AP tem 3 modos possíveis de configuração: Router, Access Point ou Client. Em baixo do equipamento há um chaveador para que seja efetuada a mudança de modo de configuração. Neste caso,

Leia mais

ATA. manual do usuário. Version 1.0 ATA 010001

ATA. manual do usuário. Version 1.0 ATA 010001 Version 1.0 ATA 010001 CONTEÚDO DO KIT FLIP ATA - Adaptador de Analógico (Terminal FLIP) Fonte de energia elétrica AC/DC Cabo de Cabo de Rede Manual do Usuário ESPECIFICAÇÃO LED RING LNK/ACT STATUS PWR

Leia mais

Gateway TT211S/S+/O/O+/SO/SO+

Gateway TT211S/S+/O/O+/SO/SO+ Guia Rápido de Instalação TT211S/S+/O/O+/SO/SO+ v120511 Índice Introdução 2 Procedimentos para Instalação 2 Conectando o Hardware 2 Configuração Inicial 3 Configuração Network 3 Configuração do DNS (Domain

Leia mais

Manual para configuração. Linksys/Sipura SPA-2102

Manual para configuração. Linksys/Sipura SPA-2102 Manual para configuração Linksys/Sipura SPA-2102 Indice Guia de Instalação Sipura - Modelo SPA-2102... 3 Conhecendo o SPA... 4 Conectando a SPA... 5 Instruções para conectar a SPA... 5 Usando o menu interativo

Leia mais

Laboratório - Configuração de NAT dinâmico e estático

Laboratório - Configuração de NAT dinâmico e estático Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão Objetivos Gateway G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/1 209.165.201.18 255.255.255.252 N/A ISP

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Uma tabela de roteamento contém as informações necessárias para que um pacote IP seja encaminhado para o destino certo.

Uma tabela de roteamento contém as informações necessárias para que um pacote IP seja encaminhado para o destino certo. RIP (Protocolo de Informação de Rotemento) como o próprio nome diz é um protocolo de roteamento: isso significa que ele é responsável por manter as tabelas de roteamento entre os roteadores da mesma rede

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO 2011 SUMÁRIO 1 PROTOCOLOS (CONTINUAÇÃO) ÇÃO)... 1 1.1 O que é DHCP...1 1.1.1 Funcionamento do DHCP...2 1.1.2 Breve histórico do DHCP...3 1.1.3

Leia mais

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows XP

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows XP Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows XP O Express First Net Internet Kit da D-Link permitirá que você conecte seu escritório com o mundo, compartilhe o acesso à Internet com grande

Leia mais

O CD-ROM possui um software de configuração passo a passo para o D810R.

O CD-ROM possui um software de configuração passo a passo para o D810R. GUIA DE CONFIGURAÇÃO Instalação de hardware 1. Conecte o adaptador de energia (incluso) na entrada PWR do modem e ligue-o na tomada de energia. 2. Utilize o cabo Ethernet RJ45 (incluso) para conectar a

Leia mais

TUTORIAL PARA A INSTALAÇÃO EM AMBIENTE DE REDE WINDOWS DO SERVIDOR FIREBIRD

TUTORIAL PARA A INSTALAÇÃO EM AMBIENTE DE REDE WINDOWS DO SERVIDOR FIREBIRD TUTORIAL PARA A INSTALAÇÃO EM AMBIENTE DE REDE WINDOWS DO SERVIDOR FIREBIRD Este tutorial foi preparado com o objetivo de orientar os passos necessários para a instalação do SGBD relacional Firebird, em

Leia mais

DSL-500B Configuração modo Router PPPoE

DSL-500B Configuração modo Router PPPoE DSL-500B Configuração modo Router PPPoE 1- Antes de iniciar qualquer procedimento de configuração verifique se os cabos estão conectados conforme o diagrama de instalação abaixo: Se você possui uma tomada

Leia mais

SUMÁRIO 1. AULA 8 INTRODUÇÃO À REDES PONTO A PONTO = PARTE 2:... 2

SUMÁRIO 1. AULA 8 INTRODUÇÃO À REDES PONTO A PONTO = PARTE 2:... 2 SUMÁRIO 1. AULA 8 INTRODUÇÃO À REDES PONTO A PONTO = PARTE 2:... 2 1.1 Introdução... 2 1.2 Instalando Impressoras da Rede... 3 1.3 Compartilhamento de Impressoras... 6 1.4 Mapeamento de Unidades de Rede...

Leia mais

COMPARTILHAMENTO DO DISCO E PERMISSÕES DE REDE PÚBLICAS E DE GRUPOS DE TRABALHO.

COMPARTILHAMENTO DO DISCO E PERMISSÕES DE REDE PÚBLICAS E DE GRUPOS DE TRABALHO. COMPARTILHAMENTO DO DISCO E PERMISSÕES DE REDE PÚBLICAS E DE GRUPOS DE TRABALHO. 1. Compartilhar a máquina servidor clicando com o botão direito do mouse em disco local e no menu de contexto não pção Propriedades.

Leia mais

1. Capturando pacotes a partir da execução do traceroute

1. Capturando pacotes a partir da execução do traceroute Neste laboratório, iremos investigar o protocolo IP, focando o datagrama IP. Vamos fazê-lo através da analise de um trace de datagramas IP enviados e recebidos por uma execução do programa traceroute (o

Leia mais

Instalando o Mikrotik e configurando para usar com modem bridge (Velox) Caso já tenha o sistema instalado pode pular para a parte de configuração.

Instalando o Mikrotik e configurando para usar com modem bridge (Velox) Caso já tenha o sistema instalado pode pular para a parte de configuração. Ola amigo, primeiramente você deverá fazer a configuração seguindo este tutorial. Depois que fizer a configuração você deverá consultar o outro arquivo em PDF para fazer o cadastro de clientes. Instalando

Leia mais

REDE PRIVADA VIRTUAL (VPN)

REDE PRIVADA VIRTUAL (VPN) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA CENTRO INTEGRADO DE TELEMÁTICA DO EXÉRCITO (CITEX) REDE PRIVADA VIRTUAL (VPN) Manual do Usuário - Versão 2.0 Acesso Remoto

Leia mais

Guia DIE-100 para ADSL e sistema operacional Windows 98

Guia DIE-100 para ADSL e sistema operacional Windows 98 Guia DIE-100 para ADSL e sistema operacional Windows 98 O Express First Net Internet Kit da D-Link permitirá que você conecte seu escritório com o mundo, compartilhe o acesso à Internet com grande velocidade

Leia mais

W-R2000nl Guia de instalação

W-R2000nl Guia de instalação W-R2000nl Guia de instalação Sumário Introdução...3 Instalação...5 Configurando seu computador...6 Acessando a tela de configurações...7 Configuração de Roteamento...8 Trocando senha de sua rede sem fio...13

Leia mais

CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2

CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2 CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2 1. Antes de começar A tabela a seguir lista as informações que você precisa saber antes de configurar um servidor VPN de acesso remoto. Antes de

Leia mais

Recuperando a comunicação com o seu Modem DSL-500G

Recuperando a comunicação com o seu Modem DSL-500G Recuperando a comunicação com o seu Modem DSL-500G Sugestões e correções para melhoria deste Documento devem ser enviadas para o e_mail dsl-500gowner@yahoogrupos.com.br, mencionando no campo Assunto (Subject),

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Rua Coronel Botelho, 64 - Alto da Lapa - CEP: 05088-020 São Paulo - SP - Brasil +55 (11) 3832-6102 PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 - MANUAL

Leia mais

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede Entregar um relatório contendo introdução, desenvolvimento e conclusão. A seção desenvolvimento pode conter

Leia mais

TUTORIAL DE CONFIGURAÇÃO DE ACESSO VPN. O que é VPN? Como a DGTI provê este serviço? Como configurar. 3.1 Em computadores executando Windows XP

TUTORIAL DE CONFIGURAÇÃO DE ACESSO VPN. O que é VPN? Como a DGTI provê este serviço? Como configurar. 3.1 Em computadores executando Windows XP TUTORIAL DE CONFIGURAÇÃO DE ACESSO VPN O que é VPN? A Rede Particular Virtual (Virtual Private Network - VPN) ) é uma rede de comunicações privada normalmente utilizada por uma empresa ou um conjunto de

Leia mais

Manual Motorola SBG900 Wireless Cable Modem Gateway. Manual Motorola SBG900 Wireless Cable Modem Gateway

Manual Motorola SBG900 Wireless Cable Modem Gateway. Manual Motorola SBG900 Wireless Cable Modem Gateway Iniciando o Programa de Configuração do SBG900 1 Em um computador ligado ao SBG900 pela Ethernet ou USB, abra um navegador. Não tente configurar o SBG900 em uma conexão sem fio. 2 No campo de endereço,

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação 1 - Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure. O Netdeep Secure é uma distribuição Linux, isto é, um pacote já

Leia mais

Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor.

Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor. Como configurar o SSL para VPN Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor. Dividiremos o tutorial em cinco partes: Parte A: Como criar uma conta de SSL. Parte B: Como configurar a segurança

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Realizando Comunicação através do TERMINAL SERVER Windows 2008 (Utilizando a DarumaFramework.dll)

STK (Start Kit DARUMA) Realizando Comunicação através do TERMINAL SERVER Windows 2008 (Utilizando a DarumaFramework.dll) STK (Start Kit DARUMA) Realizando Comunicação através do TERMINAL SERVER Windows 2008 (Utilizando a DarumaFramework.dll) Este STK dividiu-se em três etapas, que são: Configuração do Windows 2008 server;

Leia mais

Roteiro para Prática 01 GNS e comandos da Cisco

Roteiro para Prática 01 GNS e comandos da Cisco Ponto de Presença da RNP na Bahia PoP-BA/RNP Universidade Federal da Bahia Departamento de Ciência da Computação Curso de Extensão em Administração de Redes Instrutor: Italo Valcy Roteiro para Prática

Leia mais

1. Considerações...3. 2. Introdução...3. 3. Arquitetura...3. 3.1. Topologia Básica...4. 3.2. Hardware mínimo recomendado...5

1. Considerações...3. 2. Introdução...3. 3. Arquitetura...3. 3.1. Topologia Básica...4. 3.2. Hardware mínimo recomendado...5 ÍNDICE 1. Considerações...3 2. Introdução...3 3. Arquitetura...3 3.1. Topologia Básica...4 3.2. Hardware mínimo recomendado...5 3.3. Sistemas Operacionais...5 4. Configurações Necessárias...6 4.1. Nas

Leia mais

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina;

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina; Aula prática Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Objetivo Nesta aula, você aprenderá a utilizar alguns utilitários de rede que podem ajudá-lo a identificar problemas na rede. No windows existem

Leia mais