A UTILIZAÇÃO DE JOGOS DE TABULEIRO NA EVOLUÇÃO DA APRENDIZAGEM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A UTILIZAÇÃO DE JOGOS DE TABULEIRO NA EVOLUÇÃO DA APRENDIZAGEM"

Transcrição

1 UNIFEOB Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos PROJETO DE PRÁTICAS BEM SUCEDIDAS EM SALA DE AULA MATEMÁTICA LICENCIATURA A UTILIZAÇÃO DE JOGOS DE TABULEIRO NA EVOLUÇÃO DA APRENDIZAGEM PROFESSOR ODAIR JOSÉ DOS SANTOS SÃO JOÃO DA BOA VISTA, SP AGOSTO 2015

2 UNIFEOB Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos PROJETO DE PRÁTICAS BEM SUCEDIDAS EM SALA DE AULA MATEMÁTICA LICENCIATURA PROFESSOR ODAIR JOSÉ DOS SANTOS Relato de experiência apresentado à Banca Examinadora dos cursos de Matemática Licenciatura, como exigência para concorrer ao Projeto de Práticas Bem Sucedidas em Sala de Aula. SÃO JOÃO DA BOA VISTA, SP AGOSTOO 2015

3 SUMÁRIO 1 SÍNTESE DA EXPERIÊNCIA OBJETIVOS DA EXPERIÊNCIA DESCRIÇÃO CLARA E DETALHADA DA EXPERIÊNCIA CONTEXTUALIZAÇÃO JUSTIFICATIVA RESULTADOS OBTIDOS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES GERAIS DO CURSO COMPETÊNCIAS ATITUDINAIS QUE SERÃO DESENVOLVIDAS DURANTE O CURSO COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ATITUDINAIS DO MÓDULO COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ESPECÍFICAS DA UNIDADE DE ESTUDO METODOLOGIAS ESTRATÉGIAS RECURSOS DIDÁTICOS AVALIAÇÃO AUTOAVALIAÇÃO ANEXOS

4 1 SÍNTESE DA EXPERIÊNCIA Neste projeto pudemos verificar o desenvolvimento das competências e habilidades desenvolvidas no módulo. Os alunos desenvolveram principalmente o trabalho em equipe. O método utilizado foi desenvolver jogos na forma de tabuleiro, visando ao desenvolvimento do aprendizado do aluno, que poderá ser aplicada na sua vida profissional. 4

5 2 OBJETIVOS DA EXPERIÊNCIA O objetivo dessa experiência é desenvolver a capacidade de o aluno interagir com os demais colegas da classe e, consequentemente, aplicar as técnicas na sua vida profissional, auxiliando o desenvolvimento do seu aprendizado. A criatividade e o conhecimento prévio do conteúdo facilitam a aplicação e a evolução da atividade. Podemos afirmar que os alunos se destacaram na forma de apresentação e elaboração de cada atividade desenvolvida, tendo sido verificada uma evolução nos trabalhos realizados. O objetivo dessa atividade é demonstrar para o aluno que podemos evoluir no sistema de aprendizado utilizando a elaboração de jogos com tabuleiro na disciplina de Matemática Notamos que os alunos mais retraídos em sala de aula não possuíam o mesmo comportamento ao final das atividades, passando, ao longo do processo, a interagir com o grupo. Os conceitos e os métodos foram aplicados de forma gradativa, fazendo com que o aluno pudesse demonstrar a sua evolução. 5

6 3 DESCRIÇÃO CLARA E DETALHADA DA EXPERIÊNCIA Os alunos tinham como objetivo desenvolver um jogo de tabuleiro com aplicação na disciplina de Matemática. Para realizar e montar os jogos primeiramente foram organizados os grupos; esses grupos foram trabalhados durante toda a experiência de forma igual mas com conteúdo diferentes, podendo assim um grupo avaliar os outros. Após a formação dos grupos foram sorteados os temas a serem trabalhados. Os grupos puderam pesquisar nos diversos suportes utilizados na instituição os conteúdos relacionados ao seu tema. Para a montagem dos tabuleiros foram estabelecidas algumas regras: o número de casas seria fixo; algumas casas conteriam questões relativas ao conteúdo sorteado e, além dessas casas, foi implantado uma casa de penalidade grave, onde o jogador deveria reiniciar o jogo. A penalidade grave ficou a critério dos alunos, onde eles determinaram que a ação de um aluno de uma escola não condiz com a sua formação. Além do tabuleiro, os jogadores utilizam um dado para o deslocamento nas casas. O jogador que tirar o maior valor no dado inicia o jogo. Quando um aluno tirar uma casa onde a questão for referente ao conteúdo trabalhado, ele terá que responder a uma pergunta de um baralho montado com questões e repostas sobre o conteúdo. Quando o aluno acerta a pergunta, ele avança uma casa e, se errar a pergunta, ele recua uma casa.será o ganhador do jogo aquele que completar primeiro todo o tabuleiro. Com base nas regras e no próprio desenvolvimento do tabuleiro, os alunos trabalharam de forma a interagir com os companheiros,discutindosuas ideias. 6

7 4 CONTEXTUALIZAÇÃO Nesse módulo o trabalho realizado foi de fundamental importância ao desenvolvimento profissional dos alunos. O processo de formação de grupos e a interação entre eles fez com que os trabalhos pudessem ser realizados. Os alunos, durante o módulo, assistiram a vídeos demonstrando a importância e influência de um educador na vida do aluno. Os estudantes também utilizaram outros materiais no processo evolutivo, como massa de modelar e giz de cera na preparação de outras atividades. Foi discutido com os alunos a relação professor x aluno nos dias atuais e os fundamentos biológicos da educação, destacando a diferença entre os estudantes, com base no conceito familiar. 7

8 5 JUSTIFICATIVA A utilização de lousa e livros no processo de aprendizagem, não podem ser as únicas ferramentas: o professor deve estar preparado para elaborar métodos que visam ao desenvolvimento do aluno também com outros tipos de ferramentas. A utilização dos jogos se deve ao fato de que os alunos se divertem e realizam uma competição (sadia) entre si. Essa atividade pode ser realizada em qualquer curso, basta modificar as questões dos conteúdos trabalhados. O desenvolvimento do aluno em sala de aula é um fator de destaque nessa metodologia, portanto a metodologia é funcional e tem relevante aplicabilidade no processo de aprendizagem. 8

9 6 RESULTADOS OBTIDOS Os resultados de todas as atividades no processo evolutivo de aprendizagem podem ser ressaltados e comprovados nas fotos do Anexo; a proposta da atividade foi totalmente atendida e os alunos informaram que já estão utilizando os jogos em salas de aula. Os alunos que mais se destacaram foram aqueles que não se relacionavam com os outros, ou se relacionavam muito pouco. Podemos verificar uma redução na ausência dos alunos em sala de aula, pois todos queriam participar das atividades programadas para o dia. Com isso, verificamos que a metodologia atendeu ao seu propósito auxiliando no desenvolvimento das competências e habilidades dos alunos da UNIFEOB. 9

10 7 COMPETÊNCIAS E HABILIDADES GERAIS DO CURSO 1. Ter conhecimento sólido e abrangente na área de atuação, com domínio das técnicas básicas de utilização de laboratórios; 2. Possuir habilidade suficiente em matemática para compreender conceitos de química e de física, para desenvolver formalismos que unifiquem fatos isolados e modelos quantitativos de previsão, com o objetivo de compreender modelos probabilísticos teóricos, e de organizar, descrever, arranjar e interpretar resultados experimentais, inclusive com auxílio de métodos computacionais; 3. Ser capaz de identificar os aspectos filosóficos e sociais que definem a realidade educacional, o processo de ensino aprendizagem como um processo humano em construção, tendo uma visão crítica com relação ao papel social da ciência e a natureza, compreendendo o processo histórico-social e sua construção. 4. Ter competência de trabalhar em equipe e ter boa compreensão das diversas etapas que compõem uma pesquisa educacional, tendo interesse no aperfeiçoamento contínuo, ter curiosidade e capacidade para estudos extracurriculares, buscando soluções individuais e coletivas, relacionando com o ensino da matemática; 5. Ser capaz de identificar e buscar nas fontes de informações relevantes para a matemática, atualizações técnicas, científicas, humanística e pedagógica; 6. Ter competência para ler e compreender os textos científico-tecnológicos, utilizar as diferentes formas de representação (tabela, gráficos, símbolos, expressões, etc.) e avaliar criticamente materiais didáticos, modelos, programas computacionais e materiais alternativos. 10

11 8 COMPETÊNCIAS ATITUDINAIS QUE SERÃO DESENVOLVIDAS DURANTE O CURSO Trabalho em equipe; Comunicação interpessoal; Comprometimento; Ética; Adaptabilidade e flexibilidade; Responsabilidade social; Raciocínio lógico e argumentação; Gestão de tempo; Liderança; Empreendedorismo; Criatividade e inovação e Visão sistêmica. 11

12 9 COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ATITUDINAIS DO MÓDULO Trabalho em equipe, Comunicação interpessoal, Raciocínio lógico e argumentação. 12

13 10 COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ESPECÍFICAS DA UNIDADE DE ESTUDO Desenvolver no aluno a capacidade de elaborar jogos e métodos que facilitem o aprendizado de matemática. Capacitar o aluno a traduzir os resultados obtidos através de novos métodos de aprendizado. 13

14 11 METODOLOGIAS - Contextualização - Estudo de caso - Problematização 14

15 12 ESTRATÉGIAS Dinâmica de grupo Aula teórica Trabalho em grupo Solução de problemas Estudo de texto Debate Dramatização Seminário Aula dialógica 15

16 13 RECURSOS DIDÁTICOS Vídeo Data show Lousa Painel Cartolina Computador Cartazes Jornais Revistas 16

17 14 AVALIAÇÃO Apresentação dos seminários, entrega de trabalhos e relatórios, participação e avaliação escrita. A cada encontro será realizada uma avaliação com base nas competências e habilidades desenvolvidas. 17

18 15 AUTOAVALIAÇÃO Nesse módulo podemos destacar a importância do professor no aprendizado. Quando desenvolvi as atividades, tinha em mente um processo evolutivo e gradativo e verifiquei que o trabalho desenvolvido atendeu às minhas expectativas. O processo de avaliação e aplicação foram destacados no início da atividade e seguido conforme o planejado. Considero que o trabalho foi realizado dentro do planejamento e que foram atendidas, e até superadas, as expectativas. 18

19 ANEXOS 19

20 20

PROJETO DE PRÁTICAS BEM-SUCEDIDAS EM SALA DE AULA CURSO DE DIREITO

PROJETO DE PRÁTICAS BEM-SUCEDIDAS EM SALA DE AULA CURSO DE DIREITO UNIFEOB Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos PROJETO DE PRÁTICAS BEM-SUCEDIDAS EM SALA DE AULA CURSO DE DIREITO PROFESSORA MARIA LUIZA GONÇALVES GOMES SÃO JOÃO DA BOA VISTA, SP AGOSTO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 24 DE MARÇO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 24 DE MARÇO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.954, DE 24 DE MARÇO DE 2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 21 DE NOVEMBRO DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 21 DE NOVEMBRO DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.350, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Química - Licenciatura,

Leia mais

ESTIMULAR O ENSINO-APRENDIZAGEM NA QUÍMICA ATRAVÉS DE JOGO LÚDICO

ESTIMULAR O ENSINO-APRENDIZAGEM NA QUÍMICA ATRAVÉS DE JOGO LÚDICO ESTIMULAR O ENSINO-APRENDIZAGEM NA QUÍMICA ATRAVÉS DE JOGO LÚDICO Raicléia Contadini Sampaio¹; Eva Sobrinha Araújo da Silva ² ; André Luiz dos Santos Ferreira³. 1 Acadêmica do Curso de Licenciatura em

Leia mais

Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia

Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia Universidade Tecnológica Federal do Paraná Curso Ciências Biológicas Licenciatura Campus Santa Helena Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia Docente: Dra. Eduarda Maria Schneider E-mail: emschneider@utfpr.edu.br

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE PLANO DE TRABALHO DOCENTE. É um documento que registra o que se pensa fazer, como fazer, quando fazer, com que fazer e com quem fazer;

ORIENTAÇÕES DE PLANO DE TRABALHO DOCENTE. É um documento que registra o que se pensa fazer, como fazer, quando fazer, com que fazer e com quem fazer; ORIENTAÇÕES DE PLANO DE TRABALHO DOCENTE O QUE É UM PLANO? É um documento que registra o que se pensa fazer, como fazer, quando fazer, com que fazer e com quem fazer; É um norte para as ações educacionais;

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE PLANO DE TRABALHO DOCENTE. É um documento que registra o que se pensa fazer, como fazer, quando fazer, com que fazer e com quem fazer;

ORIENTAÇÕES DE PLANO DE TRABALHO DOCENTE. É um documento que registra o que se pensa fazer, como fazer, quando fazer, com que fazer e com quem fazer; ORIENTAÇÕES DE PLANO DE TRABALHO DOCENTE O QUE É UM PLANO? É um documento que registra o que se pensa fazer, como fazer, quando fazer, com que fazer e com quem fazer; É um norte para as ações educacionais;

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 21 DE NOVEMBRO DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 21 DE NOVEMBRO DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.343, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

Palavras-chave: Formação profissional; Educação matemática; Experiência profissional; Realidade escolar.

Palavras-chave: Formação profissional; Educação matemática; Experiência profissional; Realidade escolar. OFICINAS PEDAGÓGICAS DESENVOLVIDAS NA ESCOLA E. E. MARIO QUINTANA Sandra Mara Marasini 1 Caroline Saúgo 2 Tauana Bianchetti 3 Vanessa Panhossatt 4 Resumo: Este artigo tem por objetivo apresentar algumas

Leia mais

TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA

TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA Profª. Andréa Cardoso MATEMÁTICA-LICENCIATURA 2015/1 Unidade II: Ferramentas computacionais AMBIENTES DE APRENDIZAGEM BASEADOS EM COMPUTADOR 07/04/2015 2 Apropriação

Leia mais

O USO DE NOVAS FERRAMENTAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL FELIPE RODRIGUES DE LIMA BARAÚNA/PB.

O USO DE NOVAS FERRAMENTAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL FELIPE RODRIGUES DE LIMA BARAÚNA/PB. O USO DE NOVAS FERRAMENTAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL FELIPE RODRIGUES DE LIMA BARAÚNA/PB. Judcely Nytyesca de Macedo Oliveira Silva 1 - UFCG - ufcg.juudy@gmail.com;

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos teórico-metodológicos

Leia mais

FOTONOVELA EMEFI PROFESSOR MANOEL IGNÁCIO DE MORAES

FOTONOVELA EMEFI PROFESSOR MANOEL IGNÁCIO DE MORAES FOTONOVELA EMEFI PROFESSOR MANOEL IGNÁCIO DE MORAES sala 5 1ª sessão Professor Apresentador: Danival Mascarini de Souza Realização: Foco O Projeto Fotonovela foi elaborado visando à melhoria do processo

Leia mais

Metodologia Científica. Construindo Saberes

Metodologia Científica. Construindo Saberes Metodologia Científica Construindo Saberes Trabalho com Projetos A pesquisa promove saberes Estímulo ao desenvolvimento da ciência Construção e busca por novos conhecimentos Buscar novos horizontes Desenvolvimento

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULAES NACIONAIS (PCN:1999, PCN+:2002) A REFORMULAÇÃO DO ENSINO MÉDIO E AS ÁREAS DE CONHECIMENTO

PARÂMETROS CURRICULAES NACIONAIS (PCN:1999, PCN+:2002) A REFORMULAÇÃO DO ENSINO MÉDIO E AS ÁREAS DE CONHECIMENTO PARÂMETROS CURRICULAES NACIONAIS (PCN:1999, PCN+:2002) A REFORMULAÇÃO DO ENSINO MÉDIO E AS ÁREAS DE CONHECIMENTO www.mec.gov.br Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB/96) à Ensino Médio como

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. AVA: treinaremcasa.com.br/ava

MANUAL DO ALUNO. AVA: treinaremcasa.com.br/ava MANUAL DO ALUNO A Treinar é uma escola com tradição na área de cursos de Informática, Tecnologia, Desenvolvimento Profissional e Educação a Distância. Oferece cursos do nível básico ao avançado, visando

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 224 aprovado pela portaria Cetec nº 168, de 07/05/2013 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Gestão

Leia mais

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

UMA ALTERNATIVA METODOLÓGICA PARA O ESTUDO DE PROBABILIDADE: O JOGO DOS DISCOS. Apresentação: Jogo dos Discos

UMA ALTERNATIVA METODOLÓGICA PARA O ESTUDO DE PROBABILIDADE: O JOGO DOS DISCOS. Apresentação: Jogo dos Discos UMA ALTERNATIVA METODOLÓGICA PARA O ESTUDO DE PROBABILIDADE: O JOGO DOS DISCOS Apresentação: Jogo dos Discos Autor 1 José Dilmacir Alves de Melo; Orientador 2 Antônio Samuel Alves da Silva Introdução Tomar

Leia mais

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing Curso do Superior de Tecnologia em Objetivos do curso 1.5.1 Objetivo Geral O Curso Superior de Tecnologia em na modalidade EaD da universidade Unigranrio, tem por objetivos gerais capacitar o profissional

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: PEDAGOGIA. Disciplina: TECNOLOGIA NA SALA DE AULA I. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO. Curso: PEDAGOGIA. Disciplina: TECNOLOGIA NA SALA DE AULA I. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: PEDAGOGIA Disciplina: TECNOLOGIA NA SALA DE AULA I Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Histórico da informática, situação atual e

Leia mais

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno)

5. Objetivo geral (prever a contribuição da disciplina em termos de conhecimento, habilidades e atitudes para a formação do aluno) ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

O PIBID E OS JOGOS LÚDICOS COMO METODOLOGIA ALTERNATIVA DO ENSINO-APRENDIZAGEM DA QUÍMICA NO NÍVEL MÉDIO: JOGO DAS TRÊS PISTAS

O PIBID E OS JOGOS LÚDICOS COMO METODOLOGIA ALTERNATIVA DO ENSINO-APRENDIZAGEM DA QUÍMICA NO NÍVEL MÉDIO: JOGO DAS TRÊS PISTAS O PIBID E OS JOGOS LÚDICOS COMO METODOLOGIA ALTERNATIVA DO ENSINO-APRENDIZAGEM DA QUÍMICA NO NÍVEL MÉDIO: JOGO DAS TRÊS PISTAS Aline dos Santos Silva (UFCG); Gerlândia Estevam do Nascimento (UFCG); Israel

Leia mais

HIDROTABULEIRO: UMA PROPOSTA LÚDICA PARA TRABALHAR A HIDROSTÁTICA

HIDROTABULEIRO: UMA PROPOSTA LÚDICA PARA TRABALHAR A HIDROSTÁTICA HIDROTABULEIRO: UMA PROPOSTA LÚDICA PARA TRABALHAR A HIDROSTÁTICA Emmanuelle Dayane de Souza França emmanuelle.vs@gmail.com Marciana Cavalcante da Silva marcianakwy@gmail.com Isabelle Priscila Carneiro

Leia mais

ESTIMULAR O ENSINO-APRENDIZAGEM NA MATEMÁTICA ATRAVÉS DE JOGO LÚDICO

ESTIMULAR O ENSINO-APRENDIZAGEM NA MATEMÁTICA ATRAVÉS DE JOGO LÚDICO ESTIMULAR O ENSINO-APRENDIZAGEM NA MATEMÁTICA ATRAVÉS DE JOGO LÚDICO SAMPAIO, Raicléia¹; FERREIRA, André ² Luiz Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá RESUMO: Este trabalho estimular

Leia mais

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERÊNCIA VIVENCIADA EM CAÇAPAVA DO SUL

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERÊNCIA VIVENCIADA EM CAÇAPAVA DO SUL ISSN 2316-7785 OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERÊNCIA VIVENCIADA EM CAÇAPAVA DO SUL André Martins Alvarenga andrealvarenga@unipampa.edu.br Andressa Sanches Teixeira andressaexatas2013@gmail.com

Leia mais

CURSO: MÚSICA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: MÚSICA EMENTAS º PERÍODO CURSO: MÚSICA EMENTAS - 2017.2 2º PERÍODO DISCIPLINA: TEORIA E PERCEPÇÃO MUSICAL II Desenvolvimento da percepção dos elementos da organização musical, através de atividades práticas; utilização de elementos

Leia mais

Como elaborar um plano de aula

Como elaborar um plano de aula Como elaborar um plano de aula 1º Área do conhecimento Verifique qual ou quais áreas do conhecimento serão trabalhadas nas aulas. A área do conhecimento está relacionada aos diferentes tipos de conhecimento

Leia mais

VIABILIDADE E ACEITAÇÃO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO RECURSO DIDÁTICO NAS AULAS DO ENSINO MÉDIO DE MATEMÁTICA

VIABILIDADE E ACEITAÇÃO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO RECURSO DIDÁTICO NAS AULAS DO ENSINO MÉDIO DE MATEMÁTICA VIABILIDADE E ACEITAÇÃO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO RECURSO DIDÁTICO NAS AULAS DO ENSINO MÉDIO DE MATEMÁTICA Jerniel da Silva Parente 1 1 Graduando em Matemática IFRR. Bolsistas do PIPICT. e-mail: jerni-p@hotmail.comr

Leia mais

SORTE NO JOGO E NA MATEMÁTICA: Aprendendo através de jogos na educação básica e educação profissional

SORTE NO JOGO E NA MATEMÁTICA: Aprendendo através de jogos na educação básica e educação profissional SORTE NO JOGO E NA MATEMÁTICA: Aprendendo através de jogos na educação básica e educação profissional RESUMO CARVALHO, Nelson Pereira 1 RIBEIRO, Márcia Adriana de Faria 2 SANTOS, Deiffson Adriel Silva

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Médio Etec Etec:Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Área de conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias Componente Curricular:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Ciências da Natureza Componente Curricular: Química Série: 1º Eixo Tecnológico:

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM QUÍMICA

CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM QUÍMICA 1 Perfil do Curso O curso de Licenciatura em Química do IF SERTÃO-PE Campus Floresta destina-se a formação de professores para a educação básica, o ensino médio e

Leia mais

IF Baiano / Campus Catu Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

IF Baiano / Campus Catu Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas IF Baiano / Campus Catu Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Seminário Interno. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes Objetivos do ENADE Sobre a Prova 2017 Importância do

Leia mais

JOGO DIDÁTICO COMO FERRAMENTA LÚDICA PARA O ENSINO DO CONCEITO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS DURANTE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO

JOGO DIDÁTICO COMO FERRAMENTA LÚDICA PARA O ENSINO DO CONCEITO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS DURANTE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO JOGO DIDÁTICO COMO FERRAMENTA LÚDICA PARA O ENSINO DO CONCEITO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS DURANTE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO André Antônio da Silva; José Tatiano da Silva; Roberto Araújo Sá Universidade Federal

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROFESSORA NAIR LUCCAS RIBEIRO Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias Componente

Leia mais

A Prática Profissional terá carga horária mínima de 400 horas distribuídas como informado

A Prática Profissional terá carga horária mínima de 400 horas distribuídas como informado INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR UNIDADE ACADÊMICA DE LICENCIATURAS E FORMAÇÃO GERAL CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA CAMPUS JOÃO PESSOA Prática

Leia mais

BINGO DOS POLINÔMIOS. Apresentação: Jogo matemático

BINGO DOS POLINÔMIOS. Apresentação: Jogo matemático BINGO DOS POLINÔMIOS Apresentação: Jogo matemático Gabriel Jorge dos Santos 1 ; Jorge Luiz de Freitas 2 ; Sara Katiana Vieira da Silva 3 ; Taíse Barbosa Santos 4 Introdução Este jogo é voltado para a educação

Leia mais

GUIA BÁSICO PARA CURSO DE FORMAÇÃO EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL

GUIA BÁSICO PARA CURSO DE FORMAÇÃO EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL GUIA BÁSICO PARA CURSO DE FORMAÇÃO EM TECNOLOGIAS

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: AUXILIAR DE ADMINISTRAÇÃO

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: AUXILIAR DE ADMINISTRAÇÃO Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIO Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO Qualificação:

Leia mais

Resumo expandido A IMPORTANCIA DO DOCENTE NO PROCESSO EVOLUTIVO DO ESTUDANTE, NO CONTEXTO DE SUA APRENDIZAGEM

Resumo expandido A IMPORTANCIA DO DOCENTE NO PROCESSO EVOLUTIVO DO ESTUDANTE, NO CONTEXTO DE SUA APRENDIZAGEM A IMPORTANCIA DO DOCENTE NO PROCESSO EVOLUTIVO DO ESTUDANTE, NO CONTEXTO DE ZIMMERMANN, Paulo Introdução: Este Resumo Expandido tratará dos perfis, das competências, habilidades e dos credenciamentos dos

Leia mais

AVALIAÇÕES DIVERSIFICADAS: Matemática

AVALIAÇÕES DIVERSIFICADAS: Matemática AVALIAÇÕES DIVERSIFICADAS: Matemática DISCIPLINA: Matemática DATA DE REALIZAÇÃO/ ENTREGA: 29/04/2016 VALOR: 4.0 pontos DISCIPLINA: Matemática DATA DE REALIZAÇÃO/ ENTREGA: 13/05/2016 VALOR: 2.0 pontos Tema:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente

Plano de Trabalho Docente Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente - 2017 Plano de Curso no. 206 aprovado pela Portaria Cetec 733, de 10-9-2015, publicada no Diário Oficial de 11-9-2015 Poder Executivo

Leia mais

A AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA SERÁ COMPOSTA DE:

A AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA SERÁ COMPOSTA DE: A AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA SERÁ COMPOSTA DE: Trabalhos/Verificações Valor Data V1 (Verificação I) 10 pontos 20 de abr V2 (Verificação II): -5 fichas de leitura (2 pontos) - prova escrita (8 pontos) VT (Verificação

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA Página 1 de 9 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 249, DE 2 DE JUNHO DE 2014 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE Ensino Médio. Professor: Aline Risso Sousa Rodrigues

PLANO DE TRABALHO DOCENTE Ensino Médio. Professor: Aline Risso Sousa Rodrigues PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2014 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Ciências da Natureza Componente Curricular: Biologia Eixo Tecnológico: Informação

Leia mais

O USO DO SOFTWARE LIVRE NA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL RELATO DE EXPERIÊNCIA

O USO DO SOFTWARE LIVRE NA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL RELATO DE EXPERIÊNCIA O USO DO SOFTWARE LIVRE NA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL RELATO DE EXPERIÊNCIA Francisco de Assis da Costa Silva Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), saoassis@yahoo.com.br 1. INTRODUÇÃO No Brasil,

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA A EDUCAÇÃO Prof. André Aparecido da Silva Disponível em:

INFORMÁTICA APLICADA A EDUCAÇÃO Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: INFORMÁTICA APLICADA A EDUCAÇÃO Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/aulas Trabalho Negócios Comunicação TECNOLOGIAS E INFORMÁTICA Relacionamentos Economia Aplicada a...

Leia mais

APLICAÇÃO DE EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU COM MATERIAIS MANIPULÁVEIS: JOGO TRILHA DAS EQUAÇÕES

APLICAÇÃO DE EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU COM MATERIAIS MANIPULÁVEIS: JOGO TRILHA DAS EQUAÇÕES APLICAÇÃO DE EQUAÇÃO DO SEGUNDO GRAU COM MATERIAIS MANIPULÁVEIS: JOGO TRILHA DAS EQUAÇÕES Rafael Pereira da Silva Universidade Estadual da Paraíba rafaelpereira.jt@hotmail.com Jailson Lourenço de Pontes

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROFESSORA NAIR LUCCAS RIBEIRO Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias Componente

Leia mais

Planejamento de ensino

Planejamento de ensino Planejamento de ensino Ensino O ENSINO: é um processo de aprendizagem que objetiva a formação ou transformação da conduta humana. A educação de hoje interessa-se pelo desenvolvimento harmônico do educando

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS. Componente Curricular:

Leia mais

O USO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA POR PROFESSORES NO ENSINO FUNDAMENTAL

O USO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA POR PROFESSORES NO ENSINO FUNDAMENTAL O USO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA POR PROFESSORES NO ENSINO FUNDAMENTAL Matheus Marques de Araújo, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), marquesmatheusaraujo@gmail.com Gardênia Pereira Brito, Universidade

Leia mais

O IMPACTO DA VISITA TÉCNICA COMO RECURSO DIDÁTICO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE FÍSICA E MATEMÁTICA

O IMPACTO DA VISITA TÉCNICA COMO RECURSO DIDÁTICO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE FÍSICA E MATEMÁTICA O IMPACTO DA VISITA TÉCNICA COMO RECURSO DIDÁTICO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE FÍSICA E MATEMÁTICA KINALSKI JÚNIOR, V. 1 ; TESTA, M. J. 2 ; NASCIMENTO, T. B. 3 ; ANDRADE NETO, M. A. 4 RESUMO Este

Leia mais

Métodos de Ensino. Práticas de ensino de algoritmos (Hazzan, Cap. 7) Péricles Miranda

Métodos de Ensino. Práticas de ensino de algoritmos (Hazzan, Cap. 7) Péricles Miranda Métodos de Ensino Práticas de ensino de algoritmos (Hazzan, Cap. 7) Péricles Miranda Objetivos desta aula Apresentar métodos de ensino para educadores de cursos de computação. Discutir as vantagens e desvantagens

Leia mais

Jogos Matemáticos: uma Proposta para a Construção do Conhecimento Tema: Matemática - Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano)

Jogos Matemáticos: uma Proposta para a Construção do Conhecimento Tema: Matemática - Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) Jogos Matemáticos: uma Proposta para a Construção do Conhecimento Tema: Matemática - Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) E.M. Dr. Benedito Laporte Vieira da Motta Apresentador:a Rita de Cássia de Souza

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2016 Plano de Curso nº 213 aprovado pela portaria Cetec nº 134 de 04/10/2012 Etec PROFa. MARIA CRISTINA MEDEIROS Código:

Leia mais

REVÉS CELULAR: UM JOGO DIDÁTICO PARA O ENSINO DE CITOLOGIA

REVÉS CELULAR: UM JOGO DIDÁTICO PARA O ENSINO DE CITOLOGIA REVÉS CELULAR: UM JOGO DIDÁTICO PARA O ENSINO DE CITOLOGIA Rayane Borges Ananias dos Santos 1 (rayanezinh6@hotmail.com); Laís Silva do Vale Cordeiro 1 (laisinhasilva2010@hotmail.com); Carlos Allan de Souza

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: DR JOSÉ LUIZ VIANA COUTINHO Código: 073 Município: JALES Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Diretoria de Ensino Região Centro-Oeste. 6º Seminário dos Profissionais Educadores...Semeando ideias... Valorizando práticas...

Diretoria de Ensino Região Centro-Oeste. 6º Seminário dos Profissionais Educadores...Semeando ideias... Valorizando práticas... Diretoria de Ensino Região Centro-Oeste 6º Seminário dos Profissionais Educadores...Semeando ideias... Valorizando práticas... 2017 Regulamento de Participação 6º Seminário dos Profissionais Educadores...Semeando

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Gestão Escolar IV Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º 1 - Ementa (sumário, resumo) Dimensões da participação: política,

Leia mais

I Educom Sul. Desafios e Perspectivas. Nossas práticas Turno Integral Escola e Centro Social Marista Santa Marta 1

I Educom Sul. Desafios e Perspectivas. Nossas práticas Turno Integral Escola e Centro Social Marista Santa Marta 1 Nossas práticas Turno Integral Escola e Centro Social Marista Santa Marta 1 Luciana Almeida SEVERO 2 Sérgio Adolfo da SILVEIRA 3 Ana Paula Quevedo POSTAL 4 Escola Marista de Ensino Fundamental Santa Marta,

Leia mais

O futuro da graduação na UNESP: planejamento e expectativas Iraíde Marques de Freitas Barreiro

O futuro da graduação na UNESP: planejamento e expectativas Iraíde Marques de Freitas Barreiro O futuro da graduação na UNESP: planejamento e expectativas Iraíde Marques de Freitas Barreiro Assessora da Pró-Reitoria de Graduação e-mail: iraide@reitoria.unesp.br Agenda da apresentação 1. Proposta

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio ETEC Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: Teodoro Sampaio Área de conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias. Componente

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO EQUIPE TÉCNICO-PEDAGÓGICA PLANO DE ENSINO

COORDENAÇÃO DE ENSINO EQUIPE TÉCNICO-PEDAGÓGICA PLANO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE ENSINO EQUIPE TÉCNICO-PEDAGÓGICA PLANO DE ENSINO 1 - IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico Subsequente em Informática DISCIPLINA/ COMPONENTE CURRICULAR: Fundamentos Matemáticos para Informática ANO/

Leia mais

AS DIFICUDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA PARA ALUNOS SURDOS NA EREM MACIEL MONTEIRO NO MUNICÍPIO DE NAZARÉ DA MATA, PE

AS DIFICUDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA PARA ALUNOS SURDOS NA EREM MACIEL MONTEIRO NO MUNICÍPIO DE NAZARÉ DA MATA, PE AS DIFICUDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA PARA ALUNOS SURDOS NA EREM MACIEL MONTEIRO NO MUNICÍPIO DE NAZARÉ DA MATA, PE Suzana Ferreira da Silva Universidade de Pernambuco, suzanasilva.sf@gmail.com Introdução

Leia mais

CURSO: MÚSICA LICENCIATURA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: MÚSICA LICENCIATURA EMENTAS º PERÍODO CURSO: MÚSICA LICENCIATURA EMENTAS - 2016.2 2º PERÍODO DISCIPLINA: LINGUAGEM E ESTRUTURAÇÃO MUSICAL II Teoria e Percepção Musical II. Desenvolvimento da leitura musical em quatro claves de referência:

Leia mais

Representações de conteúdo inseridas no plano de ensino de professores em formação continuada

Representações de conteúdo inseridas no plano de ensino de professores em formação continuada Representações de conteúdo inseridas no plano de ensino de professores em formação continuada Prado Kamila Ferreira; Zuliani Silvia Regina Quijadas Aro, Bombonato; Maria Terezinha Siqueira Resumo A partir

Leia mais

INTERVENÇÃO Game of Life ou Jogo das células Por Ana Caroline Machado Gonçalves Plano de Intervenção

INTERVENÇÃO Game of Life ou Jogo das células Por Ana Caroline Machado Gonçalves Plano de Intervenção INTERVENÇÃO Game of Life ou Jogo das células Por Ana Caroline Machado Gonçalves Plano de Intervenção CONTEXTUALIZAÇÃO O ensino de ciências nas escolas é bastante dificultoso, tanto para quem quer aprender

Leia mais

ETAPA 3 COMPETÊNCIAS GERAIS DA BNCC PARA PROFESSORES

ETAPA 3 COMPETÊNCIAS GERAIS DA BNCC PARA PROFESSORES ETAPA 3 COMPETÊNCIAS GERAIS DA BNCC PARA PROFESSORES Módulo de Formação Orientações Módulo Preparação Objetivos: Discutir as competências gerais da BNCC. Refletir sobre as necessidades de transformação

Leia mais

PROJETO DE REFORÇO ESCOLAR:

PROJETO DE REFORÇO ESCOLAR: PROJETO DE REFORÇO ESCOLAR: NOS CAMINHOS DA ALFABETIZAÇÃO E DO LETRAMENTO ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO: NOS CAMINHOS DA ALFABETIZAÇÃO E DO LETRAMENTO JUSTIFICATIVA: Produzir bons leitores é o grande desafio

Leia mais

Ana Maria de Jesus Ferreira DINÂMICA GRUPAL. No processo ensino-aprendizagem

Ana Maria de Jesus Ferreira DINÂMICA GRUPAL. No processo ensino-aprendizagem Ana Maria de Jesus Ferreira DINÂMICA GRUPAL No processo ensino-aprendizagem Rio de Janeiro 2005 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO VEZ DO MESTRE DINÂMICA GRUPAL OBJETIVOS: Estudar

Leia mais

UNIFEOB. Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos PROJETO DE PRÁTICAS BEM SUCEDIDAS EM SALA DE AULA

UNIFEOB. Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos PROJETO DE PRÁTICAS BEM SUCEDIDAS EM SALA DE AULA UNIFEOB Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos PROJETO DE PRÁTICAS BEM SUCEDIDAS EM SALA DE AULA CURSO CIENCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO SÃO JOÃO DA BOA VISTA, SP AGOSTO 2015 UNIFEOB

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS NO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR SOBRE O USO DE JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DO QUÍMICA

A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS NO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR SOBRE O USO DE JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DO QUÍMICA A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS NO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR SOBRE O USO DE JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DO QUÍMICA Nataly Roberta de Lima Santos 1 ; Ana Paula Freitas da Silva 2 1 Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação. Plano de Ensino 2º Quadrimestre de Caracterização da disciplina Práticas de Ensino de Biologia l NHT

Pró-Reitoria de Graduação. Plano de Ensino 2º Quadrimestre de Caracterização da disciplina Práticas de Ensino de Biologia l NHT Código da disciplina: NHT1083-15 Nome da disciplina: Caracterização da disciplina Práticas de Ensino de Biologia l Créditos (T- P-I): Código da turma: Docente(s) responsável(is): (2-1-4) Carga horária:

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA E DIVERSIDADE JUSTIFICATIVA DA OFERTA DO CURSO

EDUCAÇÃO INCLUSIVA E DIVERSIDADE JUSTIFICATIVA DA OFERTA DO CURSO EDUCAÇÃO INCLUSIVA E DIVERSIDADE JUSTIFICATIVA DA OFERTA DO CURSO A palavra inclusão vem sendo amplamente discutida, em diferentes áreas das Ciências Humanas, principalmente nos meios educacionais, sendo

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE JOGOS DE TABULEIROS COMO MOTIVADOR PARA UM ENSINO EM GRUPO

UTILIZAÇÃO DE JOGOS DE TABULEIROS COMO MOTIVADOR PARA UM ENSINO EM GRUPO UTILIZAÇÃO DE JOGOS DE TABULEIROS COMO MOTIVADOR PARA UM ENSINO EM GRUPO Edimara Cantú de Pinho 1 ; Edemar Benedetti Filho 2 1 Estudante do Curso de Química (licenciatura) da UEMS, Unidade Universitária

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Matemática Componente Curricular: Matemática Série: 1ª Eixo Tecnológico:

Leia mais

Formação Continuada Nova EJA. Plano de Ação 3

Formação Continuada Nova EJA. Plano de Ação 3 Nome: José Eugenio Pires Matilde Regional: Metropolitana VI Tutor: Nilton Miguel da Silva Formação Continuada Nova EJA Plano de Ação 3 1. INTRODUÇÃO Este Plano de Ação está sendo elaborado com o intuito

Leia mais

EDUCAÇÃO 4.0: conheça quais são as mudanças da nova educação

EDUCAÇÃO 4.0: conheça quais são as mudanças da nova educação EDUCAÇÃO 4.0: conheça quais são as mudanças da nova educação Estamos presenciando as inovações tecnológicas da Indústria 4.0 em diversas situações no modo como vivemos. Nesse novo modelo, a tecnologia

Leia mais

Uma reflexão sobre o uso de materiais digitais em atividades de Matemática

Uma reflexão sobre o uso de materiais digitais em atividades de Matemática Uma reflexão sobre o uso de materiais digitais em atividades de Matemática Jurema de Souza Dalabona Justificativa: Um dos objetivos do CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO Qualificação de

Leia mais

NAGEH Pessoas. Eixo: Capacitação e Desenvolvimento de Pessoal 28/09/2015. Compromisso com a Qualidade Hospitalar

NAGEH Pessoas. Eixo: Capacitação e Desenvolvimento de Pessoal 28/09/2015. Compromisso com a Qualidade Hospitalar Eixo: Capacitação e Desenvolvimento de Pessoal 28/09/2015 Agenda: 28/09/2015 8:30 as 9:00 h Recepção dos participantes 9:00 as 11:00 h Eixo: Capacitação e Desenvolvimento 11:00 as 11:30 h Análise de Indicadores

Leia mais

ALUNO DIGITAL Formação para Estudantes Monitores do PROUCA Ensino Fundamental 6º, 7º e 8º 30 horas Erechim, maio de 2014.

ALUNO DIGITAL Formação para Estudantes Monitores do PROUCA Ensino Fundamental 6º, 7º e 8º 30 horas Erechim, maio de 2014. ALUNO DIGITAL Formação para Estudantes Monitores do PROUCA Ensino Fundamental 6º, 7º e 8º 30 horas Erechim, maio de 2014. Prefeitura de Erechim Prefeito Paulo Alfredo Polis Vice-Prefeita Ana Lúcia de Oliveira

Leia mais

ENSINANDO PROGRAMAÇÃO E LÓGICA COMPUTACIONAL PARA A OLIMPÍADA BRASILEIRA DE INFORMÁTICA EM DOURADOS

ENSINANDO PROGRAMAÇÃO E LÓGICA COMPUTACIONAL PARA A OLIMPÍADA BRASILEIRA DE INFORMÁTICA EM DOURADOS ENSINANDO PROGRAMAÇÃO E LÓGICA COMPUTACIONAL PARA A OLIMPÍADA BRASILEIRA DE INFORMÁTICA EM DOURADOS Felipe José Carbone (1) ; Gláucia Gabriel Sass (2) ; Discente do Curso de Ciência da Computação da UEMS,

Leia mais

Apresentação de Seminário

Apresentação de Seminário SENAI - UO- CAMPO GRANDE Apresentação de Seminário Cariacica 2013 Introdução O seminário é instrumento pedagógico que tem como objetivo, permitir a um ou mais expositores, transmitirem informações para

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALHOÇA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA ANTONIETA SILVEIRA DE SOUZA ENSINO FUNDAMENTAL I (4º e 5º ANO)

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALHOÇA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA ANTONIETA SILVEIRA DE SOUZA ENSINO FUNDAMENTAL I (4º e 5º ANO) PREFEITURA MUNICIPAL DE PALHOÇA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA ANTONIETA SILVEIRA DE SOUZA ENSINO FUNDAMENTAL I (4º e 5º ANO) CASSIANO CASTRO DANIELLA ANGELITA MARQUES ELISABETE MARIA R. CAMPOS VANIA

Leia mais

Elaboração e aplicação do jogo didático Jogando com Hidrocarbonetos

Elaboração e aplicação do jogo didático Jogando com Hidrocarbonetos 1 2 Elaboração e aplicação do jogo didático Jogando com Hidrocarbonetos G. D. S. Souza¹, I. G. Pinto¹, F. P. da S. NETO, A. G. B. Gama², E. B. de M. Júnior², Alunos do Curso de Licenciatura em Química

Leia mais

Os jogos nas aulas de matemática

Os jogos nas aulas de matemática Os jogos nas aulas de matemática Materiais necessários para esta aula: Giz de cera Papel grande (cartolina, pardo etc.) Dados Cartas de baralho JOGO DOS PONTOS Que habilidades ou conceitos podem ser trabalhados

Leia mais

Inclusão escolar. Educação para todos

Inclusão escolar. Educação para todos Inclusão escolar Educação para todos Aprender com as diferenças O movimento das escolas para promover uma educação inclusiva O tema é tão complexo quanto polêmico, mas já é possível contabilizar avanços

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Médio Etec PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular: FÍSICA

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL AUSTRÍLIO CAPILÉ CASTRO PROJETO CONTEXTUALIZANDO O RACIOCÍNIO.

ESCOLA ESTADUAL AUSTRÍLIO CAPILÉ CASTRO PROJETO CONTEXTUALIZANDO O RACIOCÍNIO. ESCOLA ESTADUAL AUSTRÍLIO CAPILÉ CASTRO PROJETO CONTEXTUALIZANDO O RACIOCÍNIO. NOVA ANDRADINA - MS 2015 ESCOLA ESTADUAL AUSTRÍLIO CAPILÉ CASTRO PROJETO CONTEXTUALIZANDO O RACIOCÍNIO. Diretor(a): JORGE

Leia mais

OBJETOS DE APRENDIZAGEM: UMA POSSIBILIDADE NO ENSINO

OBJETOS DE APRENDIZAGEM: UMA POSSIBILIDADE NO ENSINO OBJETOS DE APRENDIZAGEM: UMA POSSIBILIDADE NO ENSINO Marcelle Moro Bitencourt; Tamine Santos; Catiane M Paniz; Acadêmica do Curso de Licenciatura em Biologia do Instituto Federal Farroupilha Câmpus São

Leia mais

Os games e as funções matemáticas: uma aplicabilidade do Tribal Wars no cotidiano escolar do ensino médio

Os games e as funções matemáticas: uma aplicabilidade do Tribal Wars no cotidiano escolar do ensino médio UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - UEPB Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Centro de Ciências e Tecnologia CCT Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática Os games e as funções matemáticas:

Leia mais

Nessa concepção Planejamento:

Nessa concepção Planejamento: PLANEJAMENTO A Escola existe para propiciar a aquisição dos instrumentos que possibilitam o acesso ao saber elaborado (ciência), bem como o próprio acesso aos rudimentos desse saber (SAVIANE, 1984, p.9).

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Metodologia da Pesquisa Aplicada à Educação IV. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 8º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Metodologia da Pesquisa Aplicada à Educação IV. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 8º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia da Pesquisa Aplicada à Educação IV Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 8º 1 - Ementa (sumário, resumo) Espaço destinado a acompanhar

Leia mais

V Jornada das Licenciaturas da USP/IX Semana da Licenciatura em Ciências Exatas - SeLic: A

V Jornada das Licenciaturas da USP/IX Semana da Licenciatura em Ciências Exatas - SeLic: A O JOGO RELAÇÕES ECOLÓGICAS COMO INSTRUMENTO DE ENSINO. Crislaine de Almeida, Mariana da Silva Lopes, Taitiany Kárita Bonzanini Universidade de São Paulo USP/ Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Matemática. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Matemática. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Matemática Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) História, contexto e aplicações da matemática. Conjuntos Numéricos

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Estatística Aplicada à Educação. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 2º

PLANO DE ENSINO. Curso: Pedagogia. Disciplina: Estatística Aplicada à Educação. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 2º PLANO DE ENSINO 2016 Curso: Pedagogia Disciplina: Estatística Aplicada à Educação Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 2º 1 - Ementa (sumário, resumo) Estatística: história e importância das

Leia mais

Guia do Professor OA Pontos em Batalha

Guia do Professor OA Pontos em Batalha Guia do Professor OA Pontos em Batalha Introdução No geral, em Geometria Analítica no ensino médio, trabalha-se apenas a maneira formal, com a utilização de fórmulas e técnicas de resolução, sem a devida

Leia mais