REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES I 2008 / 2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES I 2008 / 2009"

Transcrição

1 Departamento de Engenharia Electrotécnica REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES I 2008 / 2009 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 4º ano 7º semestre 2º Trabalho Prático: Localização e troca de ficheiros através de multicast em IPv6 Luis Bernardo/Rodolfo Oliveira

2 1. Objectivos Familiarização com a programação usando endereços IPv6, o ambiente gráfico Gnome/Gtk+, e os mecanismos de gestão de processos e de comunicação entre processos no sistema operativo Linux. O trabalho consiste no desenvolvimento de uma aplicação para troca de ficheiros numa rede dual stack. A aplicação regista-se num endereço IPv6 Multicast, e envia os pacotes de pesquisa para esse endereço sempre que o utilizador desencadeia uma pesquisa. Desta forma, cada participante recebe o pedido respondendo caso possua o ficheiro. Em seguida, a aplicação descarrega o ficheiro em paralelo a partir de vários pares, utilizando sub-processos (através de sockets ). O trabalho consiste no desenvolvimento de um executável: fileexchange. 2. Especificações A aplicação fileexchange necessita de dois parâmetros de configuração: o endereço IP Multicast do grupo (por defeito vai-se usar o endereço "ff18:10:33::1") e o número de porto UDP (por defeito vai-se usar o porto 20000). fileexchange fileexchange UDP????? UDP????? Canal Multicast IPv6 UDP fileexchange UDP????? fileexchange????? A aplicação fileexchange realiza a pesquisa por ficheiros utilizando um socket datagrama. Para receber pedidos para o grupo usa um socket UDP associado ao grupo e configurado para o número de porto. Para enviar pedidos e receber resposta usa outro socket UDP privado (com um porto único). Para trocar ficheiros são usados um socket para receber ligações (com um porto único) mais um número arbitrário de sockets para enviar ficheiros. A aplicação fileexchange começa por aguardar que o utilizador configure o canal Multicast IPv6 (endereço IPv6 + número de porto) onde pretende escutar. Após o utilizador premir um botão, a aplicação arranca com os três sockets, e fica preparada para enviar ou receber mensagens UDP ou ligações. Paralelamente, a aplicação permite modificar a lista de ficheiros partilhados. Quando o utilizador escolher a pesquisa de um ficheiro especifica quantas ligações pretende usar para o descarregar (N). A aplicação começa por enviar para o grupo o pedido e fica à

3 espera de N respostas até um tempo máximo de espera. Caso tenha tido pelo menos uma resposta, deve lançar um sub-processo por cada ligação, que cria um socket temporário para receber um fragmento do ficheiro. Caso falhe uma das ligações, deve tentar usar outro servidor para receber o fragmento omisso. Depois de receber todos os fragmentos, deve criar um ficheiro completo, numa directoria de saída definida na interface gráfica. Após a recepção de uma nova ligação, também deve ser criado um sub-processo para enviar o ficheiro pedido. A janela principal deve listar todos os sub-processos activos, os ficheiros recebidos, e os bytes transferidos ou o ritmo de transferência. Para facilitar o desenvolvimento do trabalho, é fornecido um ficheiro de especificação de interface "gui_t2.glade" com a janela principal do programa, mais algumas funções adicionais de acesso à interface gráfica e de interacção com sockets, e todas as funções de manipulação da lista de ficheiros partilhados. Estes ficheiros já incluem o arranque do socket UDP privado e o esqueleto da callback de dados UDP (que processa os pedidos). Para reduzir a carga horária do trabalho, reduziu-se o trabalho apenas à componente de pedido e recepção de ficheiros, deixando-se como opcional o módulo de distribuição de ficheiros Pesquisa de ficheiros A partir do momento em que ficar activa, a aplicação pode enviar um pacote de pesquisa de ficheiro para o grupo. O nome a pesquisar não deve incluir o caminho (nomes de directórios) e deve ser terminado com o carácter '\0'. Este pacote identifica o utilizador (pelo número de porto) e o número de pesquisa (número de sequência), permitindo a existência de vários pedidos simultaneamente. A mensagem de pedido enviada para o grupo consiste num octeto com o tipo de mensagem, seguida do número de porto do socket (ou do socket UDP privado, para quem não realizar o envio de ficheiros), o número de sequência único, e de uma cadeia de caracteres com o nome que se pretende registar (terminado com o caracter '\0'). Mensagem pesquisa de ficheiro: { sequência contígua de } unsigned char tipo; // tipo de mensagem - Query= 60 unsigned short portoe; // porto do socket (id único) int seq; // número de sequência de pedido char *nome; // array de caracteres terminado por '\0' strlen(nome)+1 Query tipo= 10 tipo portoe seq nome O utilizador pode especificar o número de feixes que pretende para descarregar o ficheiro. A aplicação deve aguardar pela recepção de respostas ao pedido até que recolha um número de respostas igual ao número de feixes pedidos pelo utilizador, até um tempo máximo de cinco segundos. Caso não receba nenhuma resposta deve abortar a transferência. Extra: Ao receber o pacote de pedido a aplicação fileexchange deve comparar o nome do ficheiro com os nomes de ficheiros partilhados (excluindo o caminho) e devolver um pacote de resposta ao emissor, onde indica as características do ficheiro encontrado (o comprimento e o valor de hash) e o número de porto onde o emissor se deve ligar e a partir de onde pode descarregar o ficheiro. Inclui ainda os dados do emissor, para permitir realizar a associação ao pedido (quando existem vários pedidos em paralelo). 3

4 A mensagem de resposta enviada para o emissor do pedido consiste num octeto com o tipo de mensagem, seguida do número de porto enviado pelo emissor, do número de sequência enviado pelo emissor, do nome do ficheiro pedido, do porto do socket onde recebe ligações, do comprimento do ficheiro, e do valor de hash do conteúdo do ficheiro. Mensagem encontrou ficheiro: { sequência contígua de } unsigned char tipo; // tipo de mensagem - Hit=70 unsigned short portoe; // porto do emissor (id de emissor) int seq; // número de sequência de pedido char *nome; // array de caracteres terminado por '\0' unsigned short portos; // porto do servidor long len; // Comprimento do ficheiro encontrado int hash; // Valor de hash do ficheiro encontrado strlen(nome)+1 tipo portoe seq nome portos len hash Hit tipo= 20 O envio da resposta a uma Query e o envio de ficheiros deve ser realizada apenas após estar concluída a pesquisa e recepção de ficheiros. Extra: A aplicação pode realizar apenas uma pesquisa de cada vez, ou suportar várias pesquisas em paralelo. Sugere-se que se realize várias pesquisas por ficheiros diferentes em paralelo apenas após realizar as funcionalidades básicas (transferência de um ficheiro de cada vez, e envio de ficheiro) Transferência de ficheiros Depois de reunir as várias respostas, a aplicação deverá seleccionar um número de servidores igual (ou menor, se não houve respostas suficientes) ao número pedido pelo utilizador (N), e descarregar o ficheiro em N segmentos. Deve calcular qual a dimensão dos segmentos que pretende de cada servidor, e descarregar cada segmento individualmente. A leitura e escrita dos segmentos de ficheiro deve ser realizada em sub-processos criados no emissor e no receptor do ficheiro. Após seleccionar um servidor, o receptor do ficheiro (que enviou a Query) deve criar um sub-processo de recepção (descarga) de ficheiro (1), que cria um socket temporário para receber o ficheiro. Após o subprocesso estabelecer ligação (2), é disparada no emissor (que enviou o Hit) a callback de aceitação de ligações. Esta callback deverá também lançar um sub-processo (3), que envia o ficheiro pretendido. 4

5 fileexchange fileexchange pipe sinal SIGUSR1 (1) (2) (4)????? pipe (3) sinal SIGUSR1 (5) No canal de comunicação entre o receptor e o emissor, a comunicação deve iniciar-se com o envio de um pedido de ficheiro (4). O receptor indica ao emissor os dados recebidos no pacote Hit (nome, hash e len), e indica qual o segmento que pretende receber do emissor (os caracteres a começar na posição n0 até à posição n1-1). O emissor deve validar os dados do pedido e em seguida deve enviar o conteúdo do segmento pedido pelo receptor (5): Pedido de ficheiro no canal : { sequência contígua de } int len_filename; // Comprimento do nome do ficheiro (máx. 256 bytes) char *filename; // array de caracteres terminado por '\0' int hash; // Valor de hash do ficheiro encontrado long len; // Comprimento do ficheiro encontrado int n0; // Primeiro byte a enviar (começa em 0 o ficheiro) int n1; // Byte final (transmitir até n1-1) 4 len_filename len_filename filename hash len n0 n1 Os sub-processos poderão comunicar com os processos pai através de um pipe criado antes da separação do sub-processo, enviando mensagens com uma estrutura arbitrária, que informem o processo pai de: conteúdo do cabeçalho para preenchimento da interface gráfica (no caso do emissor de ficheiros); informação sobre evolução da transferência; fim da transferência (com informação sobre se houve erro, tempo de transferência e número de bytes). Como estas mensagens são internas ao programa, não são normalizadas no enunciado, devendo ser os alunos a definir a sua estrutura. O processo pai apenas vai comunicar com os sub-processos quando os quiser parar, utilizando o sinal SIGUSR1 para esse efeito. O processo pai também vai poder seguir o que está a ocorrer nos sub-processos através da rotina de tratamento do sinal SIGCHLD, corrida quando morre um dos seus filhos. Através da análise do motivo de saída (_exit ou sinal) e do valor do _exit, é possível detectar se o processo enviou uma mensagem através do pipe, ou se falhou. Extra: A aplicação pode usar apenas uma ligação por emissor, ou criar várias ligações para o mesmo emissor em paralelo. Sugere-se que deixe este extra para o fim. 5

6 3. Desenvolvimento da aplicação Configuração do grupo Botão de arranque Dados da aplicação Lista de ficheiros partilhados Gestão da lista de ficheiros partilhados Pedido de ficheiro Parar transferência Nº feixes pretendido Directoria onde coloca ficheiros recebidos Lista de subprocessos activos Janela de Log Para facilitar o desenvolvimento da aplicação é fornecido um programa de teste totalmente funcional, mais um ficheiro glade-2 com a definição da interface gráfica do programa de teste, representada acima. Também o núcleo inicial do programa, e um conjunto de funções para gerir as tabelas gráficas (acrescentar e retirar elementos, pesquisar elementos), ficheiros (calcular comprimentos, valor de hash, juntar ficheiros, abrir directorias, apagar ficheiros, etc.), sockets (ficheiro sock.c), etc. A interface contém uma linha inicial onde se configura o endereço IPv6 multicast e o número de porto, e onde a aplicação escreve o número de porto onde recebe ligações e o número de processo. O botão "Activo" controla o arranque do servidor. Na segunda e terceira linha contém uma tabela (do tipo GtkCList) com a lista de ficheiros partilhados (representa o nome de ficheiro, o comprimento, e o valor de hash do conteúdo do ficheiro). A linha seguinte contém os comandos da lista de ficheiros: permite acrescentar ou remover um ficheiro, e gravar ou ler um ficheiro com uma lista de ficheiros, com o nome representado na caixa à direita. A linha seguinte controla a transferência de ficheiros: permite pedir ficheiros definindo o número de segmentos a usar, parar uma transferência, e escreve a directoria onde os ficheiros temporários, com os segmentos, e o ficheiro final, são escritos. O nome da directoria resulta da concatenação do "output" com o pid do processo. O nome dos ficheiros de saída resulta da concatenação do nome, com o pid, com o número de pedido, e no caso dos segmentos, com o número de segmento. Esta linha inclui ainda um botão para limpar a janela de texto da última linha. A sexta linha contém a lista de sub-processos activos num dado instante, com o número de pid, de pipe, se é emissor (SND) ou receptor (RCV), o valor de "n0 - n1" do fragmento transmitido, a percentagem de bytes transferidos/recebidos, e o nome do ficheiro. A sexta, e última linha, contém uma caixa para escrever mensagens. 6

7 O trabalho deve ser desenvolvido em várias fases distintas: 1. ler e compreender o código que é fornecido com o enunciado do trabalho (ANTES DA PRIMEIRA AULA); 2. terminar a programação da rotina que envia o pacote "Query" e arma o temporizador (de forma a ter apenas um pedido de cada vez); 3. terminar a programação da rotina de recepção de dados UDP, que recebe e trata os pacotes "Hit", guardando-os numa lista; 4. programação da rotina que analisa a lista de resposta, e lança os sub-processos de recepção de ficheiros; 5. Programação das rotinas de recepção de segmento de ficheiro. O ficheiro deve ser guardado na directoria que é criada no botão de arranque para esse efeito. Deve ainda enviar o estado e o resultado final através do pipe; 6. Programação da rotina de recepção de dados do pipe, no programa principal, que actualizam a janela, e que reúnem os vários segmentos do ficheiro, no ficheiro final (é fornecido o código); 7. Programação da rotina de recuperação de erros, caso falhe uma transmissão de segmento de ficheiro. Deve pedir o segmento a outro servidor. 8. Se tiver tempo, programação do emissor de ficheiros criar socket, programar rotina que recebe pedido de ligação e lança sub-processo, que recebe pedido (por ) e envia o ficheiro pedido. 9. Se tiver tempo, teste de velocidade na transferência de ficheiro, modificando a dimensão dos buffers de envio e recepção de dados no nível e no ciclo de envio e recepção do ficheiro nos sub-processos, e o número de feixes em paralelo. Observe-se que o programa de teste é intencionalmente lento porque inclui um 'usleep' no ciclo de envio de ficheiro, que o faz "dormir" durante 5 ms entre envios de blocos do ficheiro. Planeamento (ver o calendário na última página): 1. começar a fase (3) durante a semana 7; 2. começar a fase (5) durante a semana 8; 3. começar a fase (6) durante a semana 9; 4. começar a fase (7) durante a semana 10. Não se esqueça que no dia 28 de Novembro vai ser necessário entregar TODOS os trabalhos. Não deixe para a última semana o que pode fazer ao longo das cinco primeiras semanas, porque NÃO VAI CONSEGUIR FAZER TODOS OS TRABALHOS NESSA SEMANA. Postura dos Alunos Cada grupo deve ter em consideração o seguinte: Não perca tempo com a estética de entrada e saída de dados Programe de acordo com os princípios gerais de uma boa codificação (utilização de indentação, apresentação de comentários, uso de variáveis com nomes conformes às suas funções...) e Proceda de modo a que o trabalho a fazer fique equitativamente distribuído pelos dois membros do grupo. 7

8 DATAS LIMITE O quadro seguinte mostra a datas de entrega o trabalho de avaliação (P): Setembro 2008 Outubro Novembro 2008 Dezembro P

REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES I 2003 / 2004

REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES I 2003 / 2004 UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências e Tecnologia Departamento de Engenharia Electrotécnica REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES I 2003 / 2004 Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de

Leia mais

Sistemas de Telecomunicações 2012/2013

Sistemas de Telecomunicações 2012/2013 Departamento de Engenharia Electrotécnica Sistemas de Telecomunicações 2012/2013 Trabalho 1: Aplicação sobre sockets Mestrado integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores http://tele1.dee.fct.unl.pt

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar - Aula 1-1. A CAMADA DE ENLACE DE DADOS (Parte 1) Relembrando as aulas do semestre passado quando estudamos os modelos de referência, lembramos que a Camada de Enlace de Dados é a camada responsável pela

Leia mais

REDES AD HOC E DE SENSORES 2011 / 2012

REDES AD HOC E DE SENSORES 2011 / 2012 Departamento de Engenharia Electrotécnica REDES AD HOC E DE SENSORES 2011 / 2012 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 4º/5º ano 7º/9º semestre 2º Trabalho Prático: Aplicação anti-roubo

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte - Parte II Prof. Thiago Dutra Agenda n Parte I n Introdução n Protocolos de Transporte Internet n Multiplexação e Demultiplexação n

Leia mais

Manual do Utilizador do Connection Manager

Manual do Utilizador do Connection Manager Manual do Utilizador do Connection Manager Edição 1.0 2 Índice Sobre a aplicação Gestor de ligações 3 Actualizar a aplicação Gestor de ligações 9 Resolução de problemas de ligação 10 Como começar 3 Abrir

Leia mais

Volnys Bernal 1. Trabalho Chat UDP. PSI 2653 Meios Eletrônicos Interativos I

Volnys Bernal 1. Trabalho Chat UDP. PSI 2653 Meios Eletrônicos Interativos I 2007-2017 Volnys Bernal 1 Trabalho PSI 2653 Meios Eletrônicos Interativos I 2007-2017 Volnys Bernal 2 Objetivo: Desenvolvimento de um programa chat UDP (cliente e servidor) Grupo Cada grupo deve escolher

Leia mais

Sistemas de Entrada e Saídas II

Sistemas de Entrada e Saídas II Sistemas de Entrada e Saídas II José Costa Introdução à Arquitetura de Computadores Departamento de Engenharia Informática (DEI) Instituto Superior Técnico 2013-12-11 José Costa (DEI/IST) Sistemas de Entrada

Leia mais

PT MANUAL UTILIZADOR. Aplicação Comelit disponível na App Store e Google Play

PT MANUAL UTILIZADOR. Aplicação Comelit disponível na App Store e Google Play PT MANUAL UTILIZADOR Aplicação Comelit disponível na App Store e Google Play Índice Introdução... 2 Registrazione Smart... 3 Utilização... 4 Legenda das teclas...4 MENU...4 Gestão de sistemas...4 HOME

Leia mais

Programação. Folha Prática 10. Lab. 10. Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Portugal. Copyright 2010 All rights reserved.

Programação. Folha Prática 10. Lab. 10. Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Portugal. Copyright 2010 All rights reserved. Programação Folha Prática 10 Lab. 10 Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Portugal Copyright 2010 All rights reserved. 1. Revisão. 2. Objectivos. 3. Exercícios LAB. 10 10ª semana

Leia mais

Canais de Comunicação

Canais de Comunicação Canais de Comunicação February 24, 2010 Sumário Comunicação via Mensagens Propriedades dum Canal de Comunicação Protocolos da Internet UDP TCP Aplicação Distribuída O que é? É uma aplicação que consiste

Leia mais

Trabalho Prático 1 P2P-SDIS

Trabalho Prático 1 P2P-SDIS Trabalho Prático 1 P2P-SDIS Sistemas Distribuídos Nuno Machado Matos - 080509140 Tiago Daniel Sá Cunha 080509142 25 de Março de 2011 Introdução O propósito deste trabalho é a implementação de um sistema

Leia mais

Trabalho Prático Nº6 Porta USB Processo de Enumeração

Trabalho Prático Nº6 Porta USB Processo de Enumeração Trabalho Prático Nº6 Porta USB Processo de Enumeração 1. OBJECTIVOS - Compreender o funcionamento geral de um dispositivo USB. - Entender e descrever em detalhe o processo de enumeração de um dispositivo

Leia mais

aplicação arquivo Condições Gerais de Utilização

aplicação arquivo Condições Gerais de Utilização aplicação arquivo Condições Gerais de Utilização Manual das condições gerais que regulam a utilização dos serviços disponibilizados pela aplicação Arquivo, plataforma de gestão de informação, do Municipio

Leia mais

Programação. MEAer e LEE. Manipulação de ficheiros de texto. Bertinho Andrade da Costa. Instituto Superior Técnico. 2010/2011 1º Semestre

Programação. MEAer e LEE. Manipulação de ficheiros de texto. Bertinho Andrade da Costa. Instituto Superior Técnico. 2010/2011 1º Semestre Programação MEAer e LEE Bertinho Andrade da Costa 2010/2011 1º Semestre Instituto Superior Técnico Manipulação de ficheiros de texto Programação 2010/2011 IST-DEEC Manipulação de Ficheiros 1 Sumário Ficheiros

Leia mais

Funcionalidades da camada de rede

Funcionalidades da camada de rede Camada de Rede Objetivo Conhecer as características, funcionalidades e protocolos da camada de rede, especialmente os protocolos IP e ICMP Entender as principais características e princípios operacionais

Leia mais

Trabalho do Curso de Redes de Computadores COS765/MAB /1

Trabalho do Curso de Redes de Computadores COS765/MAB /1 Trabalho do Curso de Redes de Computadores COS765/MAB731 2015/1 Universidade Federal do Rio de Janeiro Rosa M.M. Leão e Daniel Sadoc Menasché Primeiro Período de 2015 1 Introdução O objetivo deste trabalho

Leia mais

Serviços de Comunicações Capítulo 3

Serviços de Comunicações Capítulo 3 Capítulo 3 A Camada de Transporte da Arquitectura TCP/IP 3.1 Portos e Sockets 3.2 O Protocolo UDP 3.3 O Protocolo TCP 1 3.1. Portos e Sockets A Camada de Transporte fornece transferência de dados fim-a-fim

Leia mais

Sistema de Controlo com Acesso Remoto

Sistema de Controlo com Acesso Remoto Trabalho de Laboratório Programação de Sistemas - LEE IST - 2007/2008 Sistema de Controlo com Acesso Remoto 1 Introdução Um sistema de controlo é, normalmente, constituído por vários processos controladores

Leia mais

Capítulo 5 Sumário. Formato das Mensagens ICMP. Tipos de Mensagens ICMP

Capítulo 5 Sumário. Formato das Mensagens ICMP. Tipos de Mensagens ICMP 1 Capítulo 5 Sumário Formato das Mensagens ICMP Tipos de Mensagens ICMP Solicitação de Eco / Resposta de Eco Destino Inatingível Tempo Esgotado (time-out) Source Quench Redirecionamento 2 Aplicação Telnet

Leia mais

Laboratório - Uso do Wireshark para examinar uma captura UDP DNS

Laboratório - Uso do Wireshark para examinar uma captura UDP DNS Laboratório - Uso do Wireshark para examinar uma captura UDP DNS Topologia Objetivos Parte 1: Registrar as informações de configuração IP de um PC Parte 2: Usar o Wireshark para capturar consultas e respostas

Leia mais

O Manual do Remote Desktop Connection. Brad Hards Urs Wolfer Tradução: José Pires

O Manual do Remote Desktop Connection. Brad Hards Urs Wolfer Tradução: José Pires O Manual do Remote Desktop Connection Brad Hards Urs Wolfer Tradução: José Pires 2 Conteúdo 1 Introdução 5 2 O protocolo do Remote Frame Buffer 6 3 Usar o Remote Desktop Connection 7 3.1 Ligar o Remote

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores LEIC-T 2015/16 Guia de Laboratório 3 Programação com sockets, camada rede e protocolo IP Objectivos Este guia tem por objectivo a aquisição de conhecimentos sobre a programação de

Leia mais

ATM MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES REDES COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS. Enunciado do 1º Trabalho de Laboratório

ATM MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES REDES COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS. Enunciado do 1º Trabalho de Laboratório MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES REDES COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS Enunciado do 1º Trabalho de Laboratório ATM 1ª Parte: Utilização do Comutador ATM versão 4: Paulo Rogério

Leia mais

Arquitetura Von Neumann Dados e instruções são obtidos da mesma forma, simplificando o desenho do microprocessador;

Arquitetura Von Neumann Dados e instruções são obtidos da mesma forma, simplificando o desenho do microprocessador; 1 Microprocessador Um microprocessador é um circuito eletrônico capaz de realizar diversas tarefas conforme os comandos específicos. Para isso ele deve ler esses comandos da memória de programa (ROM) e

Leia mais

PROTOCOLOS DE COMUNICAÇÃO

PROTOCOLOS DE COMUNICAÇÃO PROTOCOLOS DE COMUNICAÇÃO 3º ANO / 2º SEMESTRE 2014 INFORMÁTICA avumo@up.ac.mz Ambrósio Patricio Vumo Computer Networks & Distribution System Group Serviços de Transporte na Internet Arquitectura TCP/IP

Leia mais

Trabalho 10: Simulação de Roteador IPv6

Trabalho 10: Simulação de Roteador IPv6 Trabalho 10: Simulação de Roteador IPv6 Redes de Computadores 1 Descrição Este trabalho pode ser feito por até três acadêmicos. Neste trabalho vocês implementarão dois programas, de forma similar ao trabalho

Leia mais

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace Redes de Computadores II Módulo 1 Introdução e a camada de enlace 1 Comunicação de Dados e Redes de Computadores O problema fundamental da comunicação é reproduzir em um ponto exatamente ou aproximadamente

Leia mais

BMLABEL MANUAL DO UTILIZADOR

BMLABEL MANUAL DO UTILIZADOR MANUAL DO UTILIZADOR Ao executar o programa abre-se uma janela com a lista das empresas registadas e 2 menus activos: Menu Seleccionar para seleccionar a empresa. Menu Sair para sair da aplicação. Para

Leia mais

Redes de Computadores (LTIC) 2013/14. Grupo 1 (9 valores) 2º Teste (Frequência) 19 de Junho de Nome:

Redes de Computadores (LTIC) 2013/14. Grupo 1 (9 valores) 2º Teste (Frequência) 19 de Junho de Nome: Redes de Computadores (LTIC) 2013/14 Departamento de Informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa 2º Teste (Frequência) 19 de Junho de 2014 ATENÇÃO: A duração da prova é de 1,5 horas

Leia mais

Tabela de Conteúdo. Pág. 2

Tabela de Conteúdo. Pág. 2 Pág. 1 Tabela de Conteúdo 1. Introdução à Teleaula... 3 1.1 Funcionalidades da Teleaula... 3 2. Iniciação rápida... 3 2.1 A barra de ferramentas... 4 2.2 Iniciar/ Terminar uma ligação... 5 3. Videoconferência...

Leia mais

Funções da Camada de

Funções da Camada de Camada de Transporte Funções da Camada de Transporte Responsável pela movimentação de dados, de forma eficiente e confiável, entre processos em execução nos equipamentos conectados a uma rede de computadores,

Leia mais

Configuração da Notificação do Sistema. Mike McBride Tradução: José Pires

Configuração da Notificação do Sistema. Mike McBride Tradução: José Pires Configuração da Notificação do Sistema Mike McBride Tradução: José Pires 2 Conteúdo 1 Configuração da Notificação do Sistema 4 1.1 Aplicações.......................................... 4 1.1.1 Mudar uma

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Transporte 2 Camada de Transporte Função: Fornecer comunicação lógica entre processos de aplicação em diferentes hospedeiros. Os protocolos de transporte são

Leia mais

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Barramento Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Componentes do Computador; Funções dos Computadores; Estrutura de Interconexão; Interconexão de Barramentos Elementos de projeto de barramento;

Leia mais

Partilha de ficheiros por rede entre Mac e Windows

Partilha de ficheiros por rede entre Mac e Windows Partilha de ficheiros por rede entre Mac e Windows Date : 4 de Janeiro de 2010 Hoje temos um post com qualidade extra! Muitos de nós têm mais de um computador em casa, sejam Mac's, Windows, Linux,... E,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais UFMG/DCC Redes de Computadores

Leia mais

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 6 de Janeiro de o Teste A

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 6 de Janeiro de o Teste A Número: Nome: Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 6 de Janeiro de 2006 3 o Teste A Duração: 1 hora O teste é sem consulta O teste deve ser resolvido

Leia mais

Classes de endereços IP - Os bits de endereços IP são reservados um para a classe de rede e os outros para computador (host).

Classes de endereços IP - Os bits de endereços IP são reservados um para a classe de rede e os outros para computador (host). Administração de redes Endereço IP Endereço IP - O endereço IP, na versão 4 (IPv4), é um número de 32 bits (IPV4), contendo 4 bytes (vale lembrar que 1 byte contém 8 bits), portanto 4 bytes contém 32 bits,

Leia mais

Administrador de condomínio Art. 1456B Vdc. Art 1456B PT MANUAL TÉCNICO A2 A3 A4

Administrador de condomínio Art. 1456B Vdc. Art 1456B PT MANUAL TÉCNICO A2 A3 A4 PT MANUAL TÉCNICO B Art 1456B + - 40-56 Vdc SOLO CON CAVO ROSSO COMELIT 2E7T000500 ONLY WITH COMELIT RED CABLE 2E7T000500 FIXED POE SETTABLE POE N0 POE A1 A2 A3 A4 Administrador de condomínio Art. 1456B

Leia mais

Serviços de Informática :: Divisão de Infraestruturas e Serviços :: Universidade de Évora

Serviços de Informática :: Divisão de Infraestruturas e Serviços :: Universidade de Évora Guia de utilização do Colibri Instalação do software Criar Sessão Consultar as sessões criadas Participar numa sessão Gravação de Sessões Iniciar a gravação de uma sessão Descarregar a gravação Versões

Leia mais

Rede de computadores Protocolos TCP. Professor Carlos Muniz

Rede de computadores Protocolos TCP. Professor Carlos Muniz Rede de computadores Professor Carlos Muniz Transmission Control Protocol O TCP (acrônimo para o inglês Transmission Control Protocol) é um dos protocolos sob os quais assenta o núcleo da Internet. A versatilidade

Leia mais

Comunicação entre Processos

Comunicação entre Processos Comunicação entre Processos Prof. Dr. André Carvalho andre@icomp.ufam.edu.br Agenda n Comunicação entre Processos n Características dos mecanismos de comunicação Comunicação direta ou indireta, sincronismos,

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIADO RIO GRANDE DO NORTE IFRN

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIADO RIO GRANDE DO NORTE IFRN INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIADO RIO GRANDE DO NORTE IFRN Disciplina: Arquitetura de redes de computadores Professor: M. Sc. Rodrigo Ronner T. da Silva E-mail: rodrigo.tertulino@ifrn.edu.br

Leia mais

Manual do aluno Novembro de 2007

Manual do aluno Novembro de 2007 Manual do aluno Novembro de 2007 Iniciar o e-portefólio Inicia o teu e-portefólio clicando no botão Continuar Este é o teu e-portefólio. Visita cada uma das secções para verificares qual o seu aspecto.

Leia mais

Manual de Configuração.

Manual de Configuração. O NX WiFi é um conversor de Serial e Ethernet para WiFi, com isso eliminando o cabeamento em suas instalações e deixando-os equipamentos com mais mobilidade. NX WiFi Modo STA Modo STA Neste modo o NXWiFi

Leia mais

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede Nível de Enlace Enlace: caminho lógico entre estações. Permite comunicação eficiente e confiável entre dois computadores. Funções: fornecer uma interface de serviço à camada de rede; determinar como os

Leia mais

Correio electrónico. Agrupamento de Escolas de Albufeira

Correio electrónico. Agrupamento de Escolas de Albufeira Correio electrónico 1 1 Primeiros Passos Para aceder ao email do Agrupamento pode digitar directamente no seu browser (Internet Explorer, Firefox, Chrome, ) o endereço: webmail.aealbufeira.pt O correio

Leia mais

Bomgar Connect Apoio Técnico a Dispositivos Apple ios

Bomgar Connect Apoio Técnico a Dispositivos Apple ios Bomgar Connect Apoio Técnico a Dispositivos Apple ios TC: 8/22/2016 Índice Fornecer Apoio Técnico a Dispositivos ios Apple com o Bomgar 3 O que o seu Cliente Vê: O Cliente ios 4 Cliente ios 5 Utilizar

Leia mais

FORCE. João Manuel R. S. Tavares

FORCE. João Manuel R. S. Tavares FORCE Editor e Compilador de FORTRAN: Apresentação João Manuel R. S. Tavares Apresentação O FORCE é um sistema de desenvolvimento de programas em FORTRAN, de domínio público, que inclui um editor e ferramentas

Leia mais

Nome: Nº de aluno: 2ª Ficha de Avaliação Teórica Data Limite de Entrega: 06/11/2016

Nome: Nº de aluno: 2ª Ficha de Avaliação Teórica Data Limite de Entrega: 06/11/2016 Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Área Departamental de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Redes de Internet (LEIC/LEETC/LEIM/MEIC) Nome: Nº de aluno: 2ª Ficha de Avaliação

Leia mais

Níkolas Timóteo Paulino da Silva Redes de Computadores I ADS 2ºTermo

Níkolas Timóteo Paulino da Silva Redes de Computadores I ADS 2ºTermo Níkolas Timóteo Paulino da Silva Redes de Computadores I ADS 2ºTermo 1) Desenhe duas redes com 7 e 8 computadores e defina a configuração IP de cada máquina com classe B e C, respectivamente. REDE A (7

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

Configuração Base X64 Nas configurações de Terminais podemos configurar os comando X64.

Configuração Base X64 Nas configurações de Terminais podemos configurar os comando X64. Configuração X64 Configuração Base X64 Nas configurações de Terminais podemos configurar os comando X64. Figura1 Activar configurações X64 Active a checkbox Utiliza comandos X64, e ficam disponíveis as

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 2006/2007. Programação 2. Trabalho Prático P2B

Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 2006/2007. Programação 2. Trabalho Prático P2B Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 2006/2007 Programação 2 2º Semestre Trabalho Prático P2B Efectue as tarefas de programação descritas abaixo, usando a linguagem C++ em

Leia mais

Lista de exercícios - 1º bimestre 2016 REDES

Lista de exercícios - 1º bimestre 2016 REDES Lista de exercícios - 1º bimestre 2016 REDES Jean Nicandros Stragalinos Neto. Prontuário: 1616251. Curso: ADS 2º Módulo. 1) Desenhe duas redes com 7 e 8 computadores e defina a configuração IP de cada

Leia mais

mail.pt correio electrónico... abrir o programa pag.. 14 registo de um endereço pag.. 8 e 9 caixa de correio...

mail.pt  correio electrónico... abrir o programa pag.. 14 registo de um endereço pag.. 8 e 9 caixa de correio... mail.pt 1 http://www.uarte.mct. correio electrónico...... pag.. 2 abrir o programa...... pag.. 3 registo de um endereço...... pag.. 4 a 7 caixa de correio...... pag.. 8 e 9 escrever e enviar uma mensagem...

Leia mais

Módulo 3 Nível Transporte

Módulo 3 Nível Transporte Nível Transporte Redes de Computadores - LTIC António Casimiro 2º Semestre 2014/15 Adaptado a partir de: Computer Networking: A Top Down Approach, 6 th edition. Jim Kurose, Keith Ross, Addison Wesley,

Leia mais

Manual de utilizador do Sistema PUC para dispositivos móveis

Manual de utilizador do Sistema PUC para dispositivos móveis TRABALHO FINAL DE CURSO do Curso de LICENCIATURA EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E DE COMPUTADORES (LEIC) Departamento de Engenharia Informática Ano Lectivo 2003 / 2004 Manual de utilizador do Sistema PUC para

Leia mais

Sistemas de Gestão De Bases de Dados. Criação de Tabelas na vista estrutura. Módulo 2. A Professora: Vanda Pereira

Sistemas de Gestão De Bases de Dados. Criação de Tabelas na vista estrutura. Módulo 2. A Professora: Vanda Pereira Sistemas de Gestão De Bases de Dados Criação de Tabelas na vista estrutura A Professora: Vanda Pereira Módulo 2 Para criar uma tabela basta clicar no separador Criar grupo Tabela Vai aparecer no lado esquerdo

Leia mais

PCS-2529 Introdução aos Processadores. Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca

PCS-2529 Introdução aos Processadores. Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca PCS-2529 Introdução aos Processadores Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca 1 2 Existem 4 esquemas diferentes de E/S possíveis, cada um se aplicando em uma determinada situação. E/S Programada. E/S Acionada

Leia mais

EIC0032, Redes de Computadores 20/jan/2017 Exame Parte 2 (com consulta, 10 valores, 90 minutos) Nome:

EIC0032, Redes de Computadores 20/jan/2017 Exame Parte 2 (com consulta, 10 valores, 90 minutos) Nome: Exame Parte 2 (com consulta, 10 valores, 90 minutos) 1. Dois equipamentos comunicam usando uma ligação de dados que usa mecanismos ARQ. Assuma que a capacidade do canal (em cada sentido) é de 1 Mbit/s,

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Ciência da Computação

Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Ciência da Computação Redes de Computadores Camada de Transporte Capítulo 3 Kurose & Ross Prof: José Marcos Silva Nogueira Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Ciência da Computação Belo Horizonte - 2006 Capítulo

Leia mais

Sockets e Threads em Java

Sockets e Threads em Java Sockets e Threads em Java U N I V E R S I D A D E T E C N O L Ó G I C A F E D E R A L D O P A R A N Á D E P A R T A M E N T O A C A D Ê M I C O D E E L E T R Ô N I C A P R O F. V I T O R Y A N O Comunicação

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO DESCRIÇÃO DO PRODUTO... 3 CARACTERÍSTICAS... 3 CONFIGURAÇÃO USB... 4 CONFIGURAÇÃO... 5 PÁGINA

Leia mais

GEP Gabinete de Estratégia e Planeamento. Rua Castilho, Nº 24 Lisboa Lisboa Homepage :

GEP Gabinete de Estratégia e Planeamento. Rua Castilho, Nº 24 Lisboa Lisboa Homepage : Versão 1.0 GEP Gabinete de Estratégia e Planeamento. Rua Castilho, Nº 24 Lisboa 1250-069 Lisboa Homepage : http://www.gep.mtss.gov.pt Índice Folha 2 ÍNDICE Folha 1 - Requisitos ------------------------------------------------------------

Leia mais

Lista de Exercícios. Camada de Enlace de Dados

Lista de Exercícios. Camada de Enlace de Dados Lista de Exercícios Camada de Enlace de Dados 1. Um pacote de uma camada superior de redes é dividido em 10 quadros, e cada quadro tem 80% de chances de chegar sem danos. Se o protocolo de enlace de dados

Leia mais

Dispositivos Welch Allyn Connex - Cartãode referência rápida. Portuguese

Dispositivos Welch Allyn Connex - Cartãode referência rápida. Portuguese Dispositivos Welch Allyn Connex - Cartãode referência rápida Portuguese 80019400 Dispositivos Welch Allyn Connex - Cartãode referência rápida Modo de activação/poupança de energia de ecrã Localizado no

Leia mais

Partilha de Recursos. Através da Plataforma DropBox

Partilha de Recursos. Através da Plataforma DropBox Partilha de Recursos Através da Plataforma DropBox Autor: Fernando Rui Campos Licenciamento: Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal Versão 1.0 9 Janeiro 2011 Página 1 de 10 Introdução

Leia mais

e Protocolos de Streaming Aplicações Multimídia Multimídia Aplicações jitter Variação de retardo Efeito do jitter

e Protocolos de Streaming Aplicações Multimídia Multimídia Aplicações jitter Variação de retardo Efeito do jitter Departamento de Engenharia de Telecomunicações - UFF e Protocolos de Streaming Profa. Débora Christina Muchaluat Saade deborams@telecom.uff.br multimídia (mídia contínua) Sensíveis ao retardo e variação

Leia mais

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Telecomunicações e Controle PTC2550 - Redes de Comunicação de Dados e Transporte Multimídia 1o semestre 2017 Lista de Exercícios

Leia mais

O Manual do Kanagram. Danny Allen Tradução: José Pires

O Manual do Kanagram. Danny Allen Tradução: José Pires Danny Allen Tradução: José Pires 2 Conteúdo 1 Introdução 5 2 Usar o Kanagram 6 2.1 Jogar um jogo........................................ 7 3 Configurar o Kanagram 8 3.1 Vocabulários.........................................

Leia mais

Registo de Acompanhamento de Projecto

Registo de Acompanhamento de Projecto Registo de Acompanhamento de Projecto O SharpFlow, para além de gerir individualmente as tarefas relacionadas com um projecto, permite também controlar o fluxo e evolução do próprio projecto ao longo do

Leia mais

Outlook Tudo sobre Correio Electrónico

Outlook Tudo sobre Correio Electrónico Outlook Tudo sobre Correio Electrónico Curso MAO104 3 Dia(s) 10:30 Horas Introdução O presente curso foi desenvolvido tendo em vista a aquisição de conhecimentos e competências na manipulação do correio

Leia mais

elaboração da aplicação, estamos dependentes do software usado pelo Helpdesk. Por exemplo, como usam activamente o sistema operativo Linux,

elaboração da aplicação, estamos dependentes do software usado pelo Helpdesk. Por exemplo, como usam activamente o sistema operativo Linux, Este documento contém os requisitos do projecto #FF0000. Esta secção descreve de forma resumida em que consiste o projecto e o que pode ser encontrado neste documento. 1.1 Objectivo Este documento fornece

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores s de Computadores Prof. Macêdo Firmino Modelo TCP/IP e OSI Macêdo Firmino (IFRN) s de Computadores Setembro de 2011 1 / 19 Modelo de Camadas Para que ocorra a transmissão de uma informação entre o transmissor

Leia mais

Instale facilmente o OpenVPN num Mac com o Tunnelblick

Instale facilmente o OpenVPN num Mac com o Tunnelblick Instale facilmente o OpenVPN num Mac com o Tunnelblick Date : 11 de Janeiro de 2017 Cada vez mais devemos considerar usar uma VPN para podermos garantir que não temos "espiões" no meio do nosso circuito

Leia mais

divisão tecnológica Documentação da Plataforma Moçambique

divisão tecnológica Documentação da Plataforma Moçambique divisão tecnológica Documentação da Plataforma [@unipiaget.ac.mz] Moçambique 1 Correio Electrónico Todos os estudantes matriculados na Universidade Jean Piaget de Moçambique possuem um endereço de correio

Leia mais

Capítulo6-7 Redes de Computadores Camada 2 Conceitos

Capítulo6-7 Redes de Computadores Camada 2 Conceitos Há três formas de se calcular o frame check sum: cyclic redundancy check (CRC) - executa cálculos polinomiais sobre os dados paridade bidimensional - adiciona um 8 th oitavo bit que faz uma seqüência de

Leia mais

Programação em Sockets visando verificar a diferença entre transmissão confiável (TCP) e não confiável (UDP)

Programação em Sockets visando verificar a diferença entre transmissão confiável (TCP) e não confiável (UDP) II - UFRGS Programação em Sockets visando verificar a diferença entre transmissão confiável (TCP) e não confiável (UDP) Valter Roesler Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Instituto de Informática

Leia mais

Redes de Computadores (LTIC) 2014/15. Parte 1 (8 valores) Exame Final (1ª Época) 24 de junho de Nome:

Redes de Computadores (LTIC) 2014/15. Parte 1 (8 valores) Exame Final (1ª Época) 24 de junho de Nome: Redes de Computadores (LTIC) 2014/15 Exame Final (1ª Época) 24 de junho de 2015 ATENÇÃO: A duração da prova é de 2,5 horas (150 minutos). Só poderá haver desistências após 60 minutos. Todas as respostas

Leia mais

MS Outlook Tudo sobre Correio Electrónico

MS Outlook Tudo sobre Correio Electrónico MS Outlook 2003 - Tudo sobre Correio Electrónico Curso MA0035 5 Dia(s) 17:30 Horas Introdução O presente curso corresponde a um grupo de três cursos de Outlook. Foi desenvolvido tendo em vista a aquisição

Leia mais

Segurança em Sistemas Operativos

Segurança em Sistemas Operativos Segurança em Sistemas Operativos André Zúquete Segurança Informática e nas Organizações 1 Sistema Operativo Servidor Aplicação modo utilizador: Execução no modo normal do CPU, sem acesso a instruções privilegiadas

Leia mais

REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES II 2005 / 2006

REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES II 2005 / 2006 UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências e Tecnologia Departamento de Engenharia Electrotécnica REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES II 2005 / 2006 Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e

Leia mais

Tutorial de apoio ao estudante

Tutorial de apoio ao estudante Sumário: No final da leitura deste tutorial o estudante será capaz de utilizar algumas das funcionalidades básicas da plataforma elearning.ul.pt: 1 - Como editar o perfil 2 Como participar/publicar num

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DESKTOP OPEN SOURCE

CONFIGURAÇÃO DESKTOP OPEN SOURCE Fernando Rui Russell Pinto - ee09213 CONFIGURAÇÃO DESKTOP OPEN SOURCE CONFIGURAÇÃO DESKTOP OPEN SOURCE Introdução O estado da arte Parametrização do projecto Estudo e definição da especificação Prova de

Leia mais

TUTORIAL DO SOFTWARE SMART NOTEBOOK 10

TUTORIAL DO SOFTWARE SMART NOTEBOOK 10 TUTORIAL DO SOFTWARE SMART NOTEBOOK 10 Índice 1. BARRA DE FERRAMENTAS... 2 2. BARRA DE MENUS:... 3 Menu FICHEIRO... 3 -GUARDAR PÁGINA COMO ITEM DA GALERIA... 3 - IMPRIMIR... 4 Menu EDITAR... 4 - CLONAR...

Leia mais

Ordenação. Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas. Universidade da Beira Interior 07/08

Ordenação. Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas. Universidade da Beira Interior 07/08 Ordenação Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas Universidade da Beira Interior 07/08 Benjamim Marques M1440 Daniel Félix M1441 João Duarte a14951 Índice Introdução Problema FIFO Ordenação Causal

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica de Telecomunicações de Computadores Guia de utilização do Moodle (Versão 1.6.2) Vista do Professor Versão 2.0 Outubro

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Bitmap Font Writer

Leia mais

Conferência de via verde PEGAF 17 Procedimento Específico de Gestão Administrativo Financeira

Conferência de via verde PEGAF 17 Procedimento Específico de Gestão Administrativo Financeira Pagina 1/13 1. Objectivo Este procedimento tem por objectivo definir como é efectuado a conferência da via verde bem como a distribuição por centros de custos 2. Âmbito Este procedimento aplica-se a todas

Leia mais

Esta primeira parte do manual do Moodle está destinada para orientações em como acessar o curso, atualizar o perfil e realizar as atividades.

Esta primeira parte do manual do Moodle está destinada para orientações em como acessar o curso, atualizar o perfil e realizar as atividades. MANUAL DO ALUNO MOODLE Sanmia Shunn de Oliveira Jesus Costa 1 Walex Milto Martins dos Santos 2 PRIMEIRA PARTE Esta primeira parte do manual do Moodle está destinada para orientações em como acessar o curso,

Leia mais

Mestrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 2009/2010 Redes Móveis e Sem Fios 2º Exame 6 de Julho de 2010 Duração 2h30

Mestrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 2009/2010 Redes Móveis e Sem Fios 2º Exame 6 de Julho de 2010 Duração 2h30 Mestrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 2º Exame 6 de Julho de 2010 1. Considere uma rede móvel CDMA com sequências de chip de 8 símbolos em que o sinal recebido na base é -2, -4, -2, 1, -1,

Leia mais

Modelo OSI. Marcelo Assunção 10º13. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Disciplina: Redes de Comunicação

Modelo OSI. Marcelo Assunção 10º13. Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Disciplina: Redes de Comunicação Modelo OSI Marcelo Assunção 10º13 Curso Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Disciplina: Redes de Comunicação 2013/2014 Índice Modelo OSI Open System Interconnection (OSI)

Leia mais

COMUNICAÇÃO ENTRE APLICAÇÕES. Laboratórios de Informática João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes

COMUNICAÇÃO ENTRE APLICAÇÕES. Laboratórios de Informática João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes COMUNICAÇÃO ENTRE APLICAÇÕES Laboratórios de Informática 2014-2015 João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes Comunicação Aplicações interagem de várias formas com o utilizador (stdin, stdout, stderr)

Leia mais

Manual do utilizador do representado da Bomgar

Manual do utilizador do representado da Bomgar Manual do utilizador do representado da Bomgar Índice remissivo Introdução 2 Cliente representante 2 Descrição geral do cliente representante 4 Configurações 5 Painel 6 Teclas de sessão 6 Filas 6 Jumpoint

Leia mais

OpenTouch Conversation One

OpenTouch Conversation One OpenTouch Conversation One Manual de utilizador R2.2 8AL90647PTABed02 1625 1. OpenTouch Conversation One... 3 2. Instalação... 3 3. Iniciar o OpenTouch Conversation... 3 3.1 Terminar sessão... 3 4. Página

Leia mais

Manual de Autoavaliação

Manual de Autoavaliação Índice 1 Objetivo... 3 2 Pré-requisitos e acesso ao sistema... 3 2.1 Pré-requisitos... 3 2.2 Acesso ao sistema... 3 3 Primeiro Passo da Autoavaliação verificar se o avaliador já registou data de aceitação...

Leia mais