Relatório Parcial SÃO PAULO, Av. Afrânio Peixoto, São Paulo (SP) - Brasil Tel/Fax (55) (11)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Parcial SÃO PAULO, Av. Afrânio Peixoto, 412 - São Paulo (SP) - Brasil - 05507-000 Tel/Fax (55) (11) 3816.2737"

Transcrição

1 1 AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE INSUMOS (ÁGUA, ENERGIA ELÉTRICA E GÁS) EM CHUVEIRO ELÉTRICO, AQUECEDOR A GÁS, CHUVEIRO HÍBRIDO, AQUECEDOR SOLAR E AQUECEDOR DE ACUMULAÇÃO ELÉTRICO. Relatório Parcial SÃO PAULO, Abril de 2009

2 2 APRESENTAÇÃO A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS AQUÁTICAS - FUNDESPA, constituída em 1989 pelos docentes, técnicos e alunos do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo - IOUSP, é uma instituição de caráter educacional e científico, de direito privado e sem fins lucrativos, voltada ao estudo, pesquisa e desenvolvimento de projetos ambientais. A FUNDESPA celebra convênios, acordos ou contratos com pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado, executando suas análises através de um corpo de técnicos e consultores do mais alto nível nacional e internacional. A Fundação de Estudos e Pesquisas Aquáticas FUNDESPA vem atuando em diagnósticos e monitoramentos com diversas empresas localizadas em pólos industriais, em situações semelhantes ao do presente caso. O objetivo dos diversos estudos tem sido o monitoramento da qualidade ambiental, avaliação dos efeitos de lançamentos de efluentes, diagnósticos de características oceanográficas, avaliação de áreas atingidas por vazamentos, além da elaboração de estudos de impactos ambientais e respectivo relatório de impacto do meio ambiente, entre outros. O Centro Internacional de Referência em reuso de Água CIRRA/IRCWR é uma entidade sem fins lucrativos, vinculada à Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Esta característica institucional privilegiada permite a integração a uma infra-estrutura científica atualizada, composta por membros qualificados, com potencial para atender às demandas do setor. Com o objetivo de promover e disponibilizar recursos técnicos e humanos para estimular práticas conservacionistas, o CIRRA, tem como funções básicas desenvolver pesquisas e tecnologias adequadas, proporcionar treinamento e divulgar informações visando à promoção, a institucionalização e a regulamentação da prática de REUSO no Brasil. Assim, a FUNDESPA e o CIRRA têm a satisfação de apresentar o Relatório Técnico Parcial intitulado Avaliação do consumo de insumos (água, energia elétrica e gás) em chuveiro elétrico, aquecedor a gás, chuveiro híbrido (aquecedor solar/chuveiro elétrico), aquecedor solar e aquecedor de acumulação elétrico.

3 3 1. MATERIAIS E MÉTODOS Para a coleta de dados de consumo de água, energia elétrica e gás em 5 tipos de chuveiros distintos foi construído um sistema experimental nas dependências do FCTH Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica USP. Os motivos da construção do sistema nesse local foram: disponibilidade de local apropriado para a instalação do sistema; facilidade de acesso ao local para manutenção e operação dos equipamentos de medição de dados; disponibilidade de pessoal (funcionários) para uso do sistema experimental. Foram selecionados 30 voluntários para o uso dos chuveiros. Esses voluntários foram divididos em 6 equipes de 5 pessoas. Cada equipe fará uso de todos os chuveiros e duchas através de um rodízio que ocorrerá a cada 3 meses. O sistema experimental para coleta de dados de consumo de água, energia e gás é composto por 2 chuveiros elétricos, 1 aquecedor de passagem a gás, 1 chuveiro híbrido (solar e chuveiro elétrico), 1 aquecedor solar e 1 aquecedor de acumulação elétrico. A medição do consumo de água e gás é efetuada através de hidrômetros com saída de sinal digital, que são conectados a módulos remotos de rede eletrônica, levando todas as informações de consumo individual até um Controlador Digital. Este Controlador tem como objetivo principal o armazenamento de dados e facilitar o acesso às medições. Os dados são enviados em seguida a um computador onde registra as leituras de data, tempo de banho e vazão de água e gás a cada minuto. Esses dados são coletados semanalmente e tratados estatisticamente em planilhas do Excel. Já o consumo de energia elétrica é registrado em medidores eletrônicos digitais instalados individualmente para cada chuveiro. As leituras de consumo de energia são realizadas ao término de cada mês. Os equipamentos de aquecimento de água, chuveiros e duchas utilizados no sistema experimental foram os seguintes:

4 4 - Chuveiros elétricos: Ducha elétrica Cardal modelo Compacta; - Aquecedor de passagem a gás: Aquecedor Lorenzetti modelo L8; - Aquecedor solar: 3 coletores solares Transsen modelo Copacabana horizontal, nas dimensões de 1,71m x 1,00m e 1 reservatório térmico de 300 litros, nas dimensões de 61cm x 145 cm fabricado com isolamento térmico em poliuretano e acabamento em alumínio naval com pés em aço carbono. Neste sistema foi utilizado ainda um controlador digital de temperatura que aciona o ligamento da resistência elétrica no reservatório térmico em dias nublados para o aquecimento da água; - Aquecedor de acumulação elétrico (boiler): uma aquecedor de acumulação elétrico Transsem de 300 litros nas dimensões de 61cm x 145 cm fabricado com isolamento térmico em poliuretano e acabamento em alumínio naval com pés em aço carbono. Todas as tubulações de água quente e fria foram instaladas com vista aparente para facilitar o acesso para manutenção e instalação dos medidores de vazão. Nos pontos de utilização alimentados pelos aquecedores a gás, solar e de acumulação foram instaladas duchas Cardal modelo Big Ducha CR. Abaixo são mostradas algumas fotos do sistema experimental em fase de instalação e depois de finalizado. Foto 1: Distribuição de água fria e quente dos chuveiros

5 5 Foto 2: Medidores de água e energia dos chuveiros (em instalação) Foto 3: Medidores de água e energia dos chuveiros (instalado)

6 6 Foto 4: Instalação dos misturadores e registros nos chuveiros Foto 5: Chuveiros e duchas instalados

7 7 Foto 6: Aquecedor a gás Foto 7: GLP e medidor de consumo de gás

8 8 2. RESULTADOS OBTIDOS NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2009 A instalação do sistema experimental iniciou em fevereiro de 2008 e as medições foram iniciadas em janeiro de A tabela 1 mostra os dados coletados nos meses de janeiro, fevereiro e março de Os dados coletados são os seguintes: volume total de água consumido, número de banhos, consumo total de energia elétrica, consumo total de gás, volume médio de água gasto por banho, tempo médio de banho e consumo médio de água por tipo de chuveiro/ducha. Esses três últimos são também apresentados em médias mensais, trimestrais e totais para os meses citados. São apresentados ainda informações sobre os insumos como custo de água, energia elétrica e gás, custo de cada equipamento utilizado e custo de instalação. Os valores referentes à água, energia elétrica e gás são considerados para São Paulo e não estão inclusos impostos como PIS/PASEP, COFINS, ICMS, etc. Neste estudo também não foram considerados custos de tubos e conexões para água quente e fria e material elétrico utilizado na instalação do sistema experimental.

9 9 Tabela 1: Resultados obtidos nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2009 Medição mensal individualizada Ponto 1 Ponto 2 Ponto 3 Ponto 4 Ponto 5 Ponto 6 DADOS COLETADOS Chuv. Elétrico Chuv. Elétrico Gás Híbrido Solar Boiler elétrico 1 2 Volume médio gasto por banho (litros) 35,4 26,2 72,7 41,3 69,0 64,9 Mediçõe Tempo médio de banho (min.) 9,1 6,9 7,7 10,6 8,1 7,6 janeiro de 2009 Consumo médio por tipo de chuveiro (l/min.) 3,9 3,8 9,5 3,9 8,6 8,6 Volume total de água (litros) Número de banhos Consumo total de energia (kw) Consumo total de gás (kg) 0 0 2, Temperatura Média no mês¹ 23,0 C Volume médio gasto por banho (litros) 33,1 37,1 69,9 39,7 63,1 62,6 Tempo médio de banho (min.) 8,0 9,1 7,8 9,6 7,1 7,4 fevereiro de 2009 Consumo médio por tipo de chuveiro (l/min.) 4,1 4,1 9,0 4,1 8,9 8,4 Volume total de água (litros) Número de banhos Consumo total de energia (kw) Consumo total de gás (kg) 0 0 2, Temperatura Média no mês¹ 24,7 C Volume médio gasto por banho (litros) 34,9 29,3 63,4 37,2 61,5 59,1 Tempo médio de banho (min.) 8,6 7,2 7,1 8,6 7,3 7,1 Consumo médio por tipo de chuveiro (l/min.) 4,0 4,1 8,9 4,3 8,5 8,3 março de 2009 Volume total de água (litros) Número de banhos Consumo total de energia (kw) Consumo total de gás (kg) 0 0 4, Temperatura Média no mês¹ 24,3 C Volume médio (litros) 34,5 30,9 68,7 39,4 64,5 62,2 Médias Trimestrais por Chuveiro Tempo médio (min.) 8,6 7,7 7,5 9,6 7,5 7,4 Consumo médio (l/min.) 4,0 4,0 9,1 4,1 8,7 8,4 Médias Totais Volume médio total (litros) Tempo médio total (min.) Consumo médio total (l/min.) 50,0 8,1 6,4 ¹ Fonte: disponível no Instituto Nacional de Meteorologia em s

10 10 Tabela 2: Informações adicionais do sistema experimental Custo da água Custo da energia elétrica Custo do GLP (R$/m 3 ) (R$/kWh) (R$/Kg ) INFORMAÇÕES ADICIONAIS 3,88 0, ,78 Custo de cada equipamento Custo de instalação Custo total Custo % relativo ao custo de chuveiro elétrico Ponto 1 Ponto 2 Ponto 3 Ponto 4 Ponto 5 Ponto 6 Chuv. Elétrico Chuv. Elétrico Gás Híbrido Solar Boiler elétrico 31,00 31,00 825,00 688, , ,00 0,00 0,00 120,00 200,00 350,00 350,00 31,00 31,00 945,00 888, , , % 2.765% % 5.884%

11 11 Tabela 3: Gasto mensal de água, energia elétrica e gás nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2009 GASTO MENSAL Ponto 1 Ponto 2 Ponto 3 Ponto 4 Ponto 5 Ponto 6 Chuv. Elétrico Chuv.Elétrico Gás Híbrido Solar Boiler elétrico Água 6,37 7,00 5,65 4,99 8,41 9,82 Energia elétrica 6,41 6,15 0,00 3,74 3,21 25,39 Gás 0,00 0,00 8,07 0,00 0,00 0,00 Custo Total Mensal 12,78 13,15 13,72 8,73 11,62 35,21 Número de banhos janeiro de Custo/banho 0,24 0,22 0,62 0,23 0,40 0,82 Custo de banho / minuto 0,0265 0,0318 0,0810 0,0217 0,0495 0,1077 Tempo médio de banho (min.) 9,1 6,9 7,7 10,6 8,1 7,6 Custo de banho de 8 minutos 0,21 0,25 0,65 0,17 0,40 0,86 Água 9,81 7,32 6,62 7,67 7,80 13,28 Energia elétrica 4,28 4,01 0,00 4,54 0,27 24,32 Gás 0,00 0,00 6,12 0,00 0,00 0,00 Custo Total Mensal 14,09 11,33 12,74 12,21 8,07 37,60 Número de banhos fevereiro de Custo/banho 0,22 0,20 0,53 0,24 0,29 0,66 Custo de banho / minuto 0,0271 0,0218 0,0681 0,0254 0,0406 0,0891 Tempo médio de banho (min.) 8,0 9,1 7,8 9,6 7,1 7,4 Custo de banho de 8 minutos 0,22 0,17 0,54 0,20 0,32 0,71 Água 10,00 8,19 17,32 11,03 16,58 19,49 Energia elétrica 7,75 5,88 0,00 6,41 0,53 38,49 Gás 0,00 0,00 13,52 0,00 0,00 0,00 Custo Total Mensal 17,75 14,07 30,84 17,44 17,11 57,98 Número de banhos março de Custo/banho 0,25 0,23 0,50 0,29 0,31 0,68 Custo de banho / minuto 0,0291 0,0326 0,0701 0,0338 0,0426 0,0961 Tempo médio de banho (min.) 8,6 7,2 7,1 8,6 7,3 7,1 Custo de banho de 8 minutos 0,23 0,26 0,56 0,27 0,34 0,77

12 12 3. COMENTÁRIOS PRELIMINARES Nas medições obtidas durante os meses de janeiro, fevereiro e março de 2009, é possível verificar que o tempo médio gasto por banho é de 8,1 minutos e o consumo médio de água (média de consumo considerando todos os 6 sistemas) foi de 6,4 l/minutos. No Comparativo Chuveiro elétrico, Aquecedor a gás e Aquecedor solar da ABINEE de 28/06/2007 os valores arbitrados foram os seguintes: para chuveiro elétrico a duração de banho é de 8 minutos e para aquecedores solares e a gás é de 10 minutos. Nas medições realizadas para este estudo o tempo médio de duração do banho para chuveiro elétrico - 1 ponto - foi de 8,6 minutos, para o 2 ponto foi de 7,7 minutos, para chuveiro de passagem a gás foi de 7,5 minutos, para o chuveiro híbrido foi de 9,6 minutos, para o aquecedor solar foi de 7,5 minutos e para o aquecedor de acumulação elétrico foi de 7,4 minutos. Observa-se que os valores do comparativo ABINEE foram próximos aos obtidos no experimento com exceção do chuveiro híbrido que apresentou valor pouco acima do arbitrado. Já o consumo de água para o Comparativo ABINEE foi de 3 litros/minuto para chuveiro elétrico, 7 litros/minutos para chuveiro a gás e 10 litros/minutos para aquecedor solar. No sistema experimental foi obtido um volume médio de 4,0 para os chuveiros elétricos (ponto 1 e 2), 9,1 para aquecedor de passagem a gás, 4,1 para chuveiro híbrido, 8,7 para aquecedor solar e 8,4 para aquecedor de acumulação elétrico. De modo geral, é possível observar o maior consumo de água em aquecedores a gás e aquecedores solares e elétricos. O aquecedor a gás obteve um consumo de 128% maior que o consumo do chuveiro elétrico que foi de 4,0 litros/minuto (ponto 1 e 2). Já o aquecedor solar teve consumo 118% maior e o aquecedor de acumulação elétrico consumo 110% maior. Observa-se na tabela 2 que o custo de cada sistema apresenta variação bastante significativa, sendo de R$ 31 reais para chuveiro elétrico, R$ 945 reais para aquecedor a gás, R$ 888 reais para o híbrido, R$ 4045 reais para o aquecedor solar e R$ 1855 reais para o aquecedor de acumulação elétrico. Com base nos resultados obtidos nos três primeiros meses de estudo (janeiro, fevereiro e março de 2009), podemos concluir que o chuveiro elétrico vem sendo o sistema de aquecimento de água que menos pesa no bolso do consumidor (R$ 0,23 por banho contra R$

13 13 0,25 do chuveiro híbrido solar + chuveiro elétrico; R$ 0,33 do solar, R$ 0,55 do a gás e R$ 0,72 do boiler elétrico). O Chuveiro híbrido também apresentou bons resultados em termos de economia de água e energia elétrica. Esse estudo mostra, nestes primeiros três meses, que uma família de quatro pessoas (onde cada pessoa toma um banho por dia) que optar pelo chuveiro elétrico economiza, em média, R$ 12,00 por mês se compararmos com o sistema de aquecimento solar de água. Esse resultado pode ser justificado, principalmente, pelo menor consumo de água do chuveiro elétrico. Precisamos levar em consideração que esse resultado parcial está baseado nos dados obtidos nos meses de janeiro, fevereiro e março, meses de verão com alta incidência de sol e muito calor. Apesar disso, o sistema solar de aquecimento de água consumiu a metade da energia do chuveiro elétrico no mês de janeiro DE É bom ressaltar ainda que não existe nenhum controle sobre o tempo de banho, maior ou menor abertura do registro de água ou qualquer outro fator que induza um banho diferente. Os voluntários são apenas divididos por grupos e, cada grupo, por determinado período, é obrigado a tomar banho no ponto x. Nenhum voluntário sabe se o se banho está sendo num chuveiro a gás, solar, elétrico, híbrido ou boiler.

Uma pesquisa elaborada pelo CIRRA (Centro Internacional de Referência em Reuso de Água), entidade vinculada à Escola Politécnica da Universidade de

Uma pesquisa elaborada pelo CIRRA (Centro Internacional de Referência em Reuso de Água), entidade vinculada à Escola Politécnica da Universidade de ESTUDO DA USP MOSTRA CHUVEIRO ELÉTRICO COMO OPÇÃO MAIS ECONÔMICA PARA O BANHO Uma pesquisa elaborada pelo CIRRA (Centro Internacional de Referência em Reuso de Água), entidade vinculada à Escola Politécnica

Leia mais

Chamamos de sistema individual quando um equipamento alimenta um único aparelho.

Chamamos de sistema individual quando um equipamento alimenta um único aparelho. AULA 11 SISTEMA PREDIAIS DE ÁGUA QUENTE 1. Conceito e classificação O sistema de água quente em um edificação é totalmente separado do sistema de água-fria. A água quente deve chegar em todos os pontos

Leia mais

Sistemas de aquecimento de água residencial e o ASBC: Aquecedor Solar de Baixo Custo Por Felipe Marques Santos Aluno do curso de Engenharia de Energia Projeto Coordenado por Prof. Dr. Rogério Gomes de

Leia mais

3º Relatório Técnico Semestral PLANO BÁSICO AMBIENTAL DA DRAGAGEM DE APROFUNDAMENTO DO PORTO DE SANTOS

3º Relatório Técnico Semestral PLANO BÁSICO AMBIENTAL DA DRAGAGEM DE APROFUNDAMENTO DO PORTO DE SANTOS PLANO BÁSICO AMBIENTAL DA DRAGAGEM DE APROFUNDAMENTO DO PORTO DE SANTOS 3º Relatório Técnico Semestral Programa de Monitoramento Ambiental da Área de Disposição Oceânica de Materiais Dragados da Região

Leia mais

Gás LP x Energia Elétrica Aquecimento de água. Estudo comparativo feito pelo Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP

Gás LP x Energia Elétrica Aquecimento de água. Estudo comparativo feito pelo Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP x Energia Elétrica Aquecimento de água Estudo comparativo feito pelo Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP Apresentação O projeto Análise de custos de infra-estrutura Análise de custos para o cliente

Leia mais

TRANSFORME SEU BANHO EM UM MOMENTO INESQUECÍVEL.

TRANSFORME SEU BANHO EM UM MOMENTO INESQUECÍVEL. NOVA LINHA TRANSFORME SEU BANHO EM UM MOMENTO INESQUECÍVEL. AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS DE PASSAGEM LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO O novo grau de conforto. VOCÊ PEDIU E A RHEEM ATENDEU Linha Completa de

Leia mais

Informações do sistema

Informações do sistema RELAÇÃO ENTRE RESERVATÓRIOS E COLETOR SOLAR Informações do sistema Volume do Reservatório (l) RR AP 400 500 600 Região I 4,00 5,01 6,01 Região II 4,37 5,45 6,55 Região III 4,81 6,01 7,21 Região IV 6,86

Leia mais

O chuveiro elétrico. continua. sendo um problema no período de ponta! Demanda de energia é problema para a ANEEL. Prof. Racine T. A.

O chuveiro elétrico. continua. sendo um problema no período de ponta! Demanda de energia é problema para a ANEEL. Prof. Racine T. A. Aquecimento solar de água em habitações de interesse social Prof. Racine T. A. Prado Demanda de energia é problema para a ANEEL O chuveiro elétrico continua O chuveiro elétrico permanece um problema no

Leia mais

Estamos apresentando nossa proposta em resposta a sua carta convite enviada em 13/05/08.

Estamos apresentando nossa proposta em resposta a sua carta convite enviada em 13/05/08. Rio de Janeiro, 11 de junho de 2008 A Aquastore A/c. Eng.Jano Grossmann End. Bairro. Cid. Rio de Janeiro Est. RJ Tel. (0xx21) 2523-7582 CEL. 9418-6179 e-mail. janog@aquastore.com.br Ref.: Proposta comercial

Leia mais

Novo Aquecedor de Água a Gás de Passagem. Aquecedor de Água para Banho. O novo grau de conforto.

Novo Aquecedor de Água a Gás de Passagem. Aquecedor de Água para Banho. O novo grau de conforto. Novo Aquecedor de Água a Gás de Passagem Aquecedor de Água para Banho O novo grau de conforto. SOFISTICAÇÃO Aparelhos na cor branca e novo acabamento em toda a chapa do gabinete, fi caram mais elegantes

Leia mais

Aquecimento de Água. Linha a Gás de Passagem para Banho. Linha Completa para o Conforto Térmico

Aquecimento de Água. Linha a Gás de Passagem para Banho. Linha Completa para o Conforto Térmico Aquecimento de Água Linha a Gás de Passagem para Banho Linha Completa para o Conforto Térmico Aquecedor de Água Apresentação Aquecedor de água para banho a gás de passagem para uso residencial ou comercial.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO. Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá Campus de Guaratinguetá

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO. Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá Campus de Guaratinguetá UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá Campus de Guaratinguetá Trabalho de Conclusão de Curso Análise comparativa entre os aquecedores solares industrial

Leia mais

Manual do Usuário. Importante Antes de usar o seu Aquecedor Solar Solquent, leia este manual. Imagem Ilustrativa

Manual do Usuário. Importante Antes de usar o seu Aquecedor Solar Solquent, leia este manual. Imagem Ilustrativa Manual do Usuário Imagem Ilustrativa Importante Antes de usar o seu Aquecedor Solar Solquent, leia este manual. * Este Manual inclui Certificado de Garantia. ÍNDICE Apresentação... 03 Instruções de Segurança...

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Depósitos Gama S ZB-Solar. www.vulcano.pt. Novembro 2014

FICHA TÉCNICA. Depósitos Gama S ZB-Solar. www.vulcano.pt. Novembro 2014 Departamento Comercial e Assistência Técnica: Av. Infante D. Henrique, lotes 2E-3E - 1800-220 LISBOA * Tel.: +351.218 500 300 Novembro 2014 FICHA TÉCNICA Depósitos Gama S ZB-Solar www.vulcano.pt FICHA

Leia mais

Texto: Agua: pague menos Engenheiro Plinio Tomaz 22 de fevereiro de 2014. Agua: pague menos

Texto: Agua: pague menos Engenheiro Plinio Tomaz 22 de fevereiro de 2014. Agua: pague menos Agua: pague menos A melhor maneira de o usuário da rede pública de abastecimento de água potável diminuir o seu consumo mensal, isto é, pagar menos, é tomar uma das quatro atitudes ou várias delas na seguinte

Leia mais

Aquecedor Solar. Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 1 29/03/2010 15:47:15

Aquecedor Solar. Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 1 29/03/2010 15:47:15 Aquecedor Solar Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 1 29/03/2010 15:47:15 Aquecedores de Água a Gás Pisos Condicionadores de Ar Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 2 29/03/2010 15:47:21 SUA VIDA COM KOMECO

Leia mais

A maneira mais inteligente de aquecer água.

A maneira mais inteligente de aquecer água. A maneira mais inteligente de aquecer água. A JAMP O uso consciente de energia é um dos princípios que rege as atividades da JAMP, responsável pela introdução no País de soluções inovadoras no campo de

Leia mais

Viabilidade Ec E onômic onômic Aquecimen to Solar

Viabilidade Ec E onômic onômic Aquecimen to Solar Viabilidade Econômica Aquecimento Solar Sistema Aquecimento Solar - SAS Breve Histórico no Brasil A história do aquecedor solar no Brasil é recente. O primeiro aquecedor solar apareceu no Brasil na década

Leia mais

Paulo Sérgio Ferrari Mazzon

Paulo Sérgio Ferrari Mazzon Tecnologia de Aquecimento Solar de Água Abyara, São Paulo, 03 de Julho de 2008 Paulo Sérgio Ferrari Mazzon Luciano Torres Pereira Grupo Soletrol Soletrol Industria e Comércio Soletrol l Tecnologia Universidade

Leia mais

Análise de especificação de chuveiro elétrico

Análise de especificação de chuveiro elétrico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA Análise de especificação de chuveiro elétrico RELATÓRIO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

NOÇÕES DE HIDRÁULICA. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

NOÇÕES DE HIDRÁULICA. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho NOÇÕES DE HIDRÁULICA Tratamento da água Medição da água Medição da água PLANTA VISTA FRONTAL CORTE Dimensões da Caixa de Hidrômetro Tipos de Abastecimento Abastecimento direto Tipos de Abastecimento Abastecimento

Leia mais

Roberto Oliveira Diretor Comercial. Aquecedores de Piscina a Gás por Imersão. Brasil : Fins Terapêuticos Demais Países: Sem restrição

Roberto Oliveira Diretor Comercial. Aquecedores de Piscina a Gás por Imersão. Brasil : Fins Terapêuticos Demais Países: Sem restrição Roberto Oliveira Diretor Comercial Aquecedores de Piscina a Gás por Imersão 2015 Brasil : Fins Terapêuticos Demais Países: Sem restrição Sobre a RK Metalúrgica - Experiência com a área de alta tensão desde

Leia mais

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar A América Latina escolheu a REFRISAT Seu processo pede a REFRISAT faz. Desde sua fundação em 1976, a REFRISAT é reconhecida principalmente por sua

Leia mais

11º Seminário Tecnologia de Sistemas Prediais SindusConSP. Agua: pague menos

11º Seminário Tecnologia de Sistemas Prediais SindusConSP. Agua: pague menos 11º Seminário Tecnologia de Sistemas Prediais SindusConSP Agua: pague menos Atitudes para o usuário diminuir o consumo de água da rede pública: 1. Peças que economizam água 2. Medição individualizada e

Leia mais

COBRE: TUBOS E OBRAS ARTESANAIS

COBRE: TUBOS E OBRAS ARTESANAIS COBRE: TUBOS E OBRAS ARTESANAIS EMPRESA PARANAPANEMA JULHO - 2013 COBRE INTRODUÇÃO - Fundamental no desenvolvimento das primeiras civilizações, o cobre mantém-se como o melhor e mais indicado material

Leia mais

Manual do Proprietário

Manual do Proprietário Manual do Proprietário 1 Índice SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR TÉRMICO... 2 INTRODUÇÃO... 2 USO CORRETO... 2 APLICAÇÕES... 3 MANUTENÇÃO... 3 LIMPEZA DO VIDRO DOS COLETORES... 3 TROCA DO TERMOSTATO... 1 TROCA

Leia mais

Instalações prediais de gases combustíveis água quente. Construção de Edifícios 5. Arquitetura e Urbanismo FAU USP. J.

Instalações prediais de gases combustíveis água quente. Construção de Edifícios 5. Arquitetura e Urbanismo FAU USP. J. Instalações prediais de gases combustíveis água quente Construção de Edifícios 5 Arquitetura e Urbanismo FAU USP J. Jorge Chaguri Jr Para que gás? Principais Normas NBR 15526 NBR 13103 Edifícios prumada

Leia mais

Linha a Gás de Passagem para Banho

Linha a Gás de Passagem para Banho QUECIMENTO DE ÁGU Linha a Gás de Passagem para Banho Made in Japan QUECEDOR DE ÁGU Linha a Gás de Passagem para Banho CRCTERÍSTICS E BENEFÍCIOS Sistema computadorizado. cendimento eletrônico automático

Leia mais

PRESSURIZADOR PL - 9 MANUAL DE INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO, FUNCIONAMENTO E GARANTIA. ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR 0800 0 17 28 44 www.lorenzetti.com.

PRESSURIZADOR PL - 9 MANUAL DE INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO, FUNCIONAMENTO E GARANTIA. ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR 0800 0 17 28 44 www.lorenzetti.com. PRESSURIZADOR ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR 0800 0 17 28 44 www.lorenzetti.com.br Lorenzetti S.A. Indústrias Brasileiras Eletrometalúrgicas Av. Presidente Wilson, 1230 - CEP 03107-901 Mooca - São Paulo - SP

Leia mais

Workshop de Aquecimento Solar em habitações de interesse social

Workshop de Aquecimento Solar em habitações de interesse social Workshop de Aquecimento Solar em habitações de interesse social Carlos Faria Café Coordenador da iniciativa cidades solares brasil Diretor Executivo do Depto Nacional de Aquecimento solar da ABRAVA Instalações

Leia mais

MANUAL EXPERIMENTAL DE INSTRUÇÃO DE MANUFATURA E USO DO

MANUAL EXPERIMENTAL DE INSTRUÇÃO DE MANUFATURA E USO DO MANUAL EXPERIMENTAL DE INSTRUÇÃO DE MANUFATURA E USO DO ASBC DE PORTE MÉDIO PARA AGRICULTURA E ENTIDADES ASSISTENCIAIS VOLUME DE 1000 LITROS Elaborado por SoSol - Sociedade do Sol ASBC instalado no IPEC

Leia mais

Água Quente: Objetivos de Projeto

Água Quente: Objetivos de Projeto Água Quente: Objetivos de Projeto FINALIDADE DO USO E TEMPERATURA ADEQUADA Hospitais e laboratórios : 100 C ou mais Lavanderias : 75 a 85 C Cozinhas : 60 a 70 C Uso pessoal e banhos : 35 a 50 C MODALIDADES

Leia mais

Aquecimento alternativo

Aquecimento alternativo 34_Aquecedor domestico.qxd 17/11/2004 16:34 Page 90 AQUECEDOR DOMÉSTICO DE ÁGUA Divulgação Abrava/DASol Aquecimento alternativo Popularizar o produto é um dos objetivos do setor para 2005 Atualmente podemos

Leia mais

Homologado pelos fabricantes de equipamentos

Homologado pelos fabricantes de equipamentos Homologado pelos fabricantes de equipamentos Confiabilidade e durabilidade são indispensáveis. A suspensão de uma sessão de radioterapia ou a perda de hélio em uma ressonância magnética precisam ser evitadas

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM AQUECIMENTO SOLAR ABRAVA/DASOL 2011

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM AQUECIMENTO SOLAR ABRAVA/DASOL 2011 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM AQUECIMENTO SOLAR ABRAVA/DASOL 2011 MÓDULO 2 Projetista SAS Pequeno Porte Passo a Passo de Instalação ABRAVA -São Paulo,Maio de 2011 Luciano Torres Pereira Leonardo Chamone Cardoso

Leia mais

AQUECIMENTO SOLAR PISCINA RESIDENCIAL GRANDE PORTE CDT

AQUECIMENTO SOLAR PISCINA RESIDENCIAL GRANDE PORTE CDT CONHECENDO O SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR CENTER SOL Componentes do Sistema de Aquecimento Reservatório de Água Fria: É o reservatório principal de água que possui uma ligação direta com o Reservatório

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

Plano Básico Ambiental

Plano Básico Ambiental Estaleiro e Base Naval para a Construção de Submarinos Convencionais e Plano Básico Ambiental SEÇÃO VI - PROGRAMA DE GERENCIAMENTO RADIOLÓGICO Projeto 4 Monitoramento Meteorológico 0 Emissão inicial 14/06/2010

Leia mais

Sua solução - todos os dias

Sua solução - todos os dias Sua solução - todos os dias A produção de um leite de qualidade depende de diversos fatores, entre eles a higiene da ordenha e do tanque, a manutenção dos equipamentos, a disponibilidade de um ambiente

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II ÁGUA QUENTE 1 UTILIZAÇÃO Banho Especiais Cozinha Lavanderia INSTALAÇÕES

Leia mais

Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência.

Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência. Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência. 2 Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Therm 8000 S Soluções de aquecimento de água para altas

Leia mais

Livro: Água pague menos água Engenheiro Plinio Tomaz pliniotomaz@uol.com.br 11/12/2010. Capítulo 2. Nitro PDF Trial

Livro: Água pague menos água Engenheiro Plinio Tomaz pliniotomaz@uol.com.br 11/12/2010. Capítulo 2. Nitro PDF Trial Capítulo 2 Medição individualizada e Monitoramento do consumo Estima-se que 80% de todas as moléstias e mais de um terço dos óbitos dos países em desenvolvimento sejam causados pelo consumo de águas contaminadas

Leia mais

TITUDES ANDO A UMIN IL

TITUDES ANDO A UMIN IL chegaram as novas LÂMPADAS LORENZETTI uma ideia ligada em você ILUMINANDO ATITUDES A Lorenzetti, a marca que você confia, apresenta uma nova linha de Lâmpadas Fluorescentes compactas, econômicas e de grande

Leia mais

Livro: Agua: pague menos Engenheiro Plinio Tomaz 12 de dezembro de 2010

Livro: Agua: pague menos Engenheiro Plinio Tomaz 12 de dezembro de 2010 Capitulo 01- Peças que economizam água 1.1 Objetivo A primeira atitude de autoridade que quer economizar água é a instalação de peças que economizem água, sem criar problemas com a segurança da qualidade

Leia mais

Os hospitais e a preservação do planeta: Oportunidade e ações necessárias. Palestrante: Maria Cecília Barbosa Araújo

Os hospitais e a preservação do planeta: Oportunidade e ações necessárias. Palestrante: Maria Cecília Barbosa Araújo Os hospitais e a preservação do planeta: Oportunidade e ações necessárias. Palestrante: Maria Cecília Barbosa Araújo Localização Microrregião da Alta Sorocabana de Presidente Prudente Colegiado do Alto

Leia mais

INTENSIFIQUE CADA MINUTO DO SEU BANHO. AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS POR ACUMULAÇÃO. O novo grau de conforto. LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO

INTENSIFIQUE CADA MINUTO DO SEU BANHO. AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS POR ACUMULAÇÃO. O novo grau de conforto. LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO TO EN M A Ç N LA INTENSIFIQUE CADA MINUTO DO SEU BANHO. AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS POR ACUMULAÇÃO LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO 00579mn01.indd 1 O novo grau de conforto. 13/02/2015 14:40:57 NOVIDADE

Leia mais

Processos de medição das grandezas elétricas e térmicas em prédios comerciais e públicos

Processos de medição das grandezas elétricas e térmicas em prédios comerciais e públicos Processos de medição das grandezas elétricas e térmicas em prédios comerciais e públicos 1.0 Apresentação Este Relatório Preliminar apresenta uma sugestão de processos de medição dos resultados da aplicação

Leia mais

AQUECIMENTO DE ÁGUA POR ENERGIA SOLAR

AQUECIMENTO DE ÁGUA POR ENERGIA SOLAR AQUECIMENTO DE ÁGUA POR ENERGIA SOLAR Tecnólogo Mecânico, Professor do CEFET-SP Especialista em Ensino de Física pela Universidade de São Paulo Diariamente o sol transmite uma grande quantidade de energia

Leia mais

TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL

TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL A ampla linha de tanques de armazenamento e aquecimento de asfalto da Terex

Leia mais

Informação de Imprensa

Informação de Imprensa Informação de Imprensa Estudo aponta alternativa de chuveiro mais ecoeficiente para banho quente Análise de Ecoeficiência desenvolvida pela Fundação Espaço ECO comparou o desempenho econômico e ambiental

Leia mais

Com expansão do mercado de aquecimento solar, setor vidreiro tem mais um nicho a explorar

Com expansão do mercado de aquecimento solar, setor vidreiro tem mais um nicho a explorar Tecnologia Isto é sustentabilidade! Com expansão do mercado de aquecimento solar, setor vidreiro tem mais um nicho a explorar Divulgação Transsen iminente de que o pro- Dblema se repita, pode-se notar

Leia mais

Conviver Rural Jaíba. Para se ter eficiência energética é preciso ter inteligência. Grandes resultados para os pequenos produtores do Jaíba.

Conviver Rural Jaíba. Para se ter eficiência energética é preciso ter inteligência. Grandes resultados para os pequenos produtores do Jaíba. Para se ter eficiência energética é preciso ter inteligência Desde 1998, por lei, toda distribuidora de energia precisa investir em ações que reduzam o desperdício de energia elétrica. Uma determinação

Leia mais

Sistema de aquecimento solar Bosch. Tecnologia de alta eficiência para aquecimento de água.

Sistema de aquecimento solar Bosch. Tecnologia de alta eficiência para aquecimento de água. Sistema de aquecimento solar Bosch. Tecnologia de alta eficiência para aquecimento de água. 2 Sistema Solar Bosch Aquecimento solar com a confiabilidade da marca Bosch O Grupo Bosch há mais de 100 anos

Leia mais

CHECK LIST PARA AQUISIÇÃO DE AUTOCLAVE À VAPOR

CHECK LIST PARA AQUISIÇÃO DE AUTOCLAVE À VAPOR Informações Principais Registro no Ministério da Saúde Capacidade em Litros Dimensões externas (L X A X P) Peso do equipamento Dimensões da câmara (L X A X P) Dispõe de jaqueta Tipo de aço da câmara Tipo

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

RELATÓRIO FINAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca CEFET/RJ Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIPPG Coordenadoria de Pesquisa e Estudos Tecnológicos COPET RELATÓRIO FINAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber.

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA QUENTE Norma NBR 7198 (ABNT,1998) Projeto e execução de instalações prediais deágua quente. Condições

Leia mais

SOLUÇÕES DESMONTÁVEIS PARA CANTEIROS DE OBRAS

SOLUÇÕES DESMONTÁVEIS PARA CANTEIROS DE OBRAS SOLUÇÕES DESMONTÁVEIS PARA CANTEIROS DE OBRAS Fundada em 2006, a Tuksen Equipamentos atua na área de fabricação e venda de equipamentos para construção civil e área agrícola. Lançou em 2009 os Containers

Leia mais

DIFERENÇA ENTRE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA E TÉRMICA DAVANTISOLAR.COM.BR

DIFERENÇA ENTRE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA E TÉRMICA DAVANTISOLAR.COM.BR DIFERENÇA ENTRE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA E TÉRMICA DAVANTISOLAR.COM.BR ÍNDICE 01. Sol 02. Energia Solar 03. Térmica 04. Como funciona? 05. Fotovoltaica 06. Como Funciona? 07. Por que investir em Energia

Leia mais

Manual de Instrucoes. Pass-Through Refrigerado. o futuro chegou a cozinha. refrigeracao coccao linha modular exposicao distribuicao apoio

Manual de Instrucoes. Pass-Through Refrigerado. o futuro chegou a cozinha. refrigeracao coccao linha modular exposicao distribuicao apoio Manual de Instrucoes Pass-Through Refrigerado o futuro chegou a cozinha refrigeracao coccao linha modular exposicao distribuicao apoio Obrigado por ter adquirido Equipamentos ELVI É com satisfação que

Leia mais

AQUECEDOR SOLAR ESFERICO NADO LIVRE

AQUECEDOR SOLAR ESFERICO NADO LIVRE AQUECEDOR SOLAR ESFERICO NADO LIVRE PISCINAS INDUSTRIAS E AGUA DE CONSUMO RESIDENCIAIS /COMERCIAIS /ESPORTIVAS /ACADEMIAS/INDUSTRIA ALTO RENDIMENTO/ ALTA EFICIENCIA FORMATO ESFERICO EM POLICARBONATO APROVEITAMENTO

Leia mais

Aspectos práticos da implantação de sistemas de aquecimento solar em edifícios de múltiplos pavimentos.

Aspectos práticos da implantação de sistemas de aquecimento solar em edifícios de múltiplos pavimentos. Realização: Parceiro: Aspectos práticos da implantação de sistemas de aquecimento solar em edifícios de múltiplos pavimentos. José Jorge Chaguri Jr. Diretor da Chaguri Consultoria e Engenharia de Projetos.

Leia mais

Aquecedor Solar de Baixo Custo SEM RESERVATÓRIO DE ÁGUA QUENTE

Aquecedor Solar de Baixo Custo SEM RESERVATÓRIO DE ÁGUA QUENTE Aquecedor Solar de Baixo Custo SEM RESERVATÓRIO DE ÁGUA QUENTE Projeto: Eng.º Thomas Ulf Nilsson Revisão 1. 20/01/2015 Aquecedor solar BC de cano grosso de PVC www.thomasnilsson.com.br 1 CONTEÚDO: 1. Base

Leia mais

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Produzidos com os melhores componentes disponíveis no mundo e projetados com foco em economia de energia e facilidade de operação e manutenção,

Leia mais

TECNOLOGIAS ÁGUA AGENDA ÁGUA

TECNOLOGIAS ÁGUA AGENDA ÁGUA TECNOLOGIAS ÁGUA AGENDA ÁGUA Carla Sautchúk 21/06/2011 1 Cenário da água PANORAMA DA ÁGUA NO BRASIL Detém 12% da água do mundo e 53% da água do continente sul americano; 90% dos recursos hídricos são utilizados

Leia mais

Prepare o local para a instalação

Prepare o local para a instalação Em uma época em que a economia de energia é algo importante para todos, ter um aquecedor de água a gás é mais do que uma questão de conforto, é algo que beneficia seu bolso e contribui com a sociedade.

Leia mais

Proteja a qualidade do seu leite Tanques resfriadores DeLaval

Proteja a qualidade do seu leite Tanques resfriadores DeLaval DeLaval Brasil Rodovia Campinas Mogi-Mirim - KM 133,10 - S/N Bairro Roseira - Jaguariúna/SP - CEP: 13820-000 Telefone: (19) 3514-8201 comunicacao@delaval.com www.delaval.com.br Sua revenda DeLaval Proteja

Leia mais

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA QUENTE

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA QUENTE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA QUENTE Apresentação Introdução Classificação dos Sistemas Prediais de Água Quente: Quanto à Concepção: Sistema Individual Sistema Central Privado Sistema Central Coletivo Quanto

Leia mais

Aquecedor Solar Tubos de Vácuo.

Aquecedor Solar Tubos de Vácuo. Aquecedor Solar Tubos de Vácuo. Manual de instalação Ultrasolar Tel: (11) 3361 3328 Fax: (11) 3361 5810 www.ultrasolar.com.br Aquecedor Solar de Agua. Os aquecedores solares de água a vácuo Ultrasolar,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA MECÂNICA ENERGIA E FENÔMENOS DE TRANSPORTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA MECÂNICA ENERGIA E FENÔMENOS DE TRANSPORTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA MECÂNICA ENERGIA E FENÔMENOS DE TRANSPORTE ENERGIAS ALTERNATIVAS ENG03371 Módulo de sistemas solares térmicos Prof. Paulo Smith

Leia mais

Vamos Poupar Energia!!! www.facebook.com/experimenta.energia

Vamos Poupar Energia!!! www.facebook.com/experimenta.energia Vamos Poupar Energia!!! www.facebook.com/experimenta.energia Que podemos nós fazer? Eficiência Energética Utilização Racional da Energia, assegurando os níveis de conforto e de qualidade de vida. Como?

Leia mais

Esplanada sem desperdício: preservando o meio ambiente.

Esplanada sem desperdício: preservando o meio ambiente. Implementar ações voltadas ao uso racional de recursos sustentabilidade naturais para promover a ambiental e socioeconômica na Administração Pública Federal. A Esplanada terá metas de racionalização do

Leia mais

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL Obrigado por escolher equipamentos FLUHYDRO SYSTEMS. Os sistemas óleo hidráulicos são hoje, as melhores, mais seguras e econômicas

Leia mais

SOLUÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS ARTIGOS PUBLICADOS PUBLICAÇÃO MENSAL

SOLUÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS ARTIGOS PUBLICADOS PUBLICAÇÃO MENSAL REVISTA SOLUÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS VOLUME 5 - N 57 - Setembro / 2010 ISSN - 1809-3957 ARTIGOS PUBLICADOS Nesta edição PUBLICAÇÃO MENSAL COMPARAÇÃO DAS VANTAGENS DO SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR

Leia mais

FORMULÁRIOS DR PARANÁ ELABORAÇÃO DE SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM

FORMULÁRIOS DR PARANÁ ELABORAÇÃO DE SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM FORMULÁRIOS DR PARANÁ ELABORAÇÃO DE SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM SENAI/PR 1 PLANO DE SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM N.º 1 (1) Seleção de capacidades, conteúdos formativos e definição da estratégia Unidade do SENAI:

Leia mais

USO DE ENERGIA LIMPA NA INDÚSTRIA. Sugestão de tema a ser estudado, transformado em curso ou disciplina e disseminado no meio acadêmico técnico.

USO DE ENERGIA LIMPA NA INDÚSTRIA. Sugestão de tema a ser estudado, transformado em curso ou disciplina e disseminado no meio acadêmico técnico. USO DE ENERGIA LIMPA NA INDÚSTRIA Sugestão de tema a ser estudado, transformado em curso ou disciplina e disseminado no meio acadêmico técnico. Justificativa: A desmobilização de Carbono que demorou centenas

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR POPULAR

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR POPULAR MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR POPULAR INTRODUÇÃO Parabéns por adquirir um Sistema de Aquecimento Solar KOMECO, desenvolvido para oferecer maior conforto e bem estar com muito mais economia

Leia mais

MDV4+ R. Máximo conforto em sistema VRF com refrigeração e aquecimento simultâneos para grandes aplicações. VRF com recuperação de calor.

MDV4+ R. Máximo conforto em sistema VRF com refrigeração e aquecimento simultâneos para grandes aplicações. VRF com recuperação de calor. MDV4+ R VRF com recuperação de calor Máximo conforto em sistema VRF com refrigeração e aquecimento simultâneos para grandes aplicações. Um produto VENTILADOR DC A velocidade do motor se ajusta rapidamente

Leia mais

Minha Casa Minha Vida ALTERNATIVAS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Minha Casa Minha Vida ALTERNATIVAS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Minha Casa Minha Vida ALTERATIVAS DE EFICIÊCIA EERGÉTICA Envoltória para Verão Envoltória para Inverno Aquecimento de Água - AQ Envoltória se refrigerada artificialmente PRÉ-REQUISITOS BR 15220 BR 15575

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA INTERMINISTERIAL N o 298, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008. OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, E DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

Eficiência Energética com Aquecimento Solar. Eng. Luiz Antonio dos Santos Pinto Presidente da ANDESOL Diretor da Solis Aquecedor Solar

Eficiência Energética com Aquecimento Solar. Eng. Luiz Antonio dos Santos Pinto Presidente da ANDESOL Diretor da Solis Aquecedor Solar Eficiência Energética com Aquecimento Solar Eng. Luiz Antonio dos Santos Pinto Presidente da ANDESOL Diretor da Solis Aquecedor Solar Mercado Tecnologia Mercado e Oportunidades Aplicação 384,7 Milhões

Leia mais

CDHU Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano CBCS Conselho Brasileiro da Construção Sustentável

CDHU Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano CBCS Conselho Brasileiro da Construção Sustentável CDHU Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano CBCS Conselho Brasileiro da Construção Sustentável Seminário i Eficiência Energética e HIS no Estado de São Paulo Sistemas Prediais e a Medição Individualizada

Leia mais

Dicas de segurança: permaneça com o multímetro desconectado do circuito quando fizer uso da chave seletora!

Dicas de segurança: permaneça com o multímetro desconectado do circuito quando fizer uso da chave seletora! Orientações Como usar o multímetro: Para as medidas da corrente elétrica, tensão e resistência nos circuitos elétricos pode ser utilizado um multímetro digital de baixo custo, como mostra a figura 7. Observe

Leia mais

Linha completa de aquecimento para banho e piscina

Linha completa de aquecimento para banho e piscina Linha completa de aquecimento para banho e piscina Aquecedor solar Aquecedor de piscina Bomba de calor www.heliotek.com.br Coletores solares Heliotek A força da nova geração Ao contrário dos coletores

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA MECÂNICA ENERGIA E FENÔMENOS DE TRANSPORTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA MECÂNICA ENERGIA E FENÔMENOS DE TRANSPORTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA ENGENHARIA MECÂNICA ENERGIA E FENÔMENOS DE TRANSPORTE ENERGIAS ALTERNATIVAS ENG03371 Módulo de sistemas solares térmicos Prof. Paulo Smith

Leia mais

CONFORTO EM ÁGUA QUENTE

CONFORTO EM ÁGUA QUENTE CONFORTO EM ÁGUA QUENTE 2 TERMOACUMULADORES ELÉCTRICOS Rigorosamente testado A fiabilidade dos termoacumuladores da Gorenje é garantida pelo controlo rigoroso de qualidade: % Testado sobre pressão; % Testado

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina X-015 - MONITORAMENTO VIA INTERNET DE UMA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO TIPO

Leia mais

TRANSSEN. TECNOLOGIA E PESQUISA PARA VOCÊ E O MUNDO. CATÁLOGO DE PRODUTOS

TRANSSEN. TECNOLOGIA E PESQUISA PARA VOCÊ E O MUNDO. CATÁLOGO DE PRODUTOS TRANSSEN. TECNOLOGIA E PESQUISA PARA VOCÊ E O MUNDO. CATÁLOGO DE PRODUTOS CONQUISTAS NOSSAS CONQUISTAS As parcerias da Transsen com órgãos reconhecidos nacionalmente agregam qualidade e eficiência a toda

Leia mais

EMPREENDIMENTO SUL 1

EMPREENDIMENTO SUL 1 EMPREENDIMENTO SUL 1 LOCALIZAÇÃO: Endereço: Av. Juca Batista nº 9742, nas proximidades do melhor condomínio de alto padrão de Porto Alegre, TERRA VILLE BELÉM NOVO GOLF CLUB. PRAZO DE ENTREGA: A previsão

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO.

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

ESQUENTADORES SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE

ESQUENTADORES SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE ESQUENTADORES Sensor Compacto SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Sensor Compacto O novo grau de exigência Tecnologia, conforto e poupança Há um novo grau de exigência na gama de esquentadores Vulcano: o Sensor Compacto.

Leia mais

Acumuladores de Calor

Acumuladores de Calor Acumuladores de Calor Em virtude da atividade de muitas pessoas se desenvolver, diariamente, no interior de edifícios, tal obriga a que as condições de conforto, principalmente as relacionadas com a qualidade

Leia mais

1 DIFERENCIAIS. de CO do forno são até 200% menores do que exige a legislação.

1 DIFERENCIAIS. de CO do forno são até 200% menores do que exige a legislação. FORNO CREMATŁRIO JUNG - CR270012 1 2 Obs.: As imagens acima são meramente ilustrativas. O equipamento das fotos é semelhante ao modelo cotado, entretanto, sua aparência, acessórios e funcionalidade podem

Leia mais

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C 1. Um trocador de calor consiste em uma serpentina, pela qual circulam 18 litros de água por minuto. A água entra na serpentina à temperatura ambiente (20 C) e sai mais quente. Com isso, resfria-se o líquido

Leia mais

MANUAL COM DICAS SOBRE CONSUMO DE ENERGIA

MANUAL COM DICAS SOBRE CONSUMO DE ENERGIA SISTEMA SOLAR DE AQUECIMENTO DE ÁGUA a) Quando for adquirir um sistema de aquecimento solar dê sempre preferência aos modelos com o Selo Procel. b) Dimensione adequadamente o sistema (coletores e reservatórios)

Leia mais

<< www.hiperclima.pt >> Inisol EASYLIFE

<< www.hiperclima.pt >> Inisol EASYLIFE solar biomassa bombas de calor Condensação gasóleo/gás Inisol A.Q.S. solar individual EASYLIFE O sol para cada um, o solar para todos >> Significativas economias >> Zero emissão de CO2 >> Conforto garantido

Leia mais

ANALISADORES DE GASES

ANALISADORES DE GASES BGM BOMBA DE SUCÇÃO SÉRIE COMPACTA ANALISADORES DE GASES Descrição: Gera uma depressão no processo, succionando a amostra e criando a vazão exata para atender o tempo necessário de condicionamento do gás

Leia mais

Dimensionamento. Dimensionamento. Área Coletora e Kit Instalação. Aquecimento Auxiliar. Tubulação. Bomba Hidráulica

Dimensionamento. Dimensionamento. Área Coletora e Kit Instalação. Aquecimento Auxiliar. Tubulação. Bomba Hidráulica Dimensionamento Dimensionamento Área Coletora e Kit Instalação Aquecimento Auxiliar Tubulação Objetivos: 1 - Dimensionar área coletora e kit instalação 2 - Dimensionar aquecimento auxiliar 3 - Dimensionar

Leia mais

w w w. v a l t t e c. c o m. b r

w w w. v a l t t e c. c o m. b r www.valttec.com.br Institucional A Valttec Ar-Condicionado surgiu em 2003 com o propósito de oferecer instalação e manutenção de equipamentos. Entretanto o mercado abriu novas tendências e a empresa voltou-se

Leia mais

AR CONDICIONADO. Componentes

AR CONDICIONADO. Componentes AR CONDICIONADO AR CONDICIONADO Basicamente, a exemplo do que ocorre com um refrigerador (geladeira), a finalidade do ar condicionado é extrair o calor de uma fonte quente, transferindo-o para uma fonte

Leia mais