maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas"

Transcrição

1 Exercícios preparatórios para P7 Literatura Prof. Ítalo Puccini 1) I. A terra Esta terra, Senhor, me parece que, da ponta que mais contra o sul vimos até outra ponta que contra o norte vem, de que nós deste ponto temos vista, será tamanha que haverá nela bem vinte ou vinte e cinco lé- guas por costa. Tem, ao longo do mar, em algumas partes, grandes barreiras, algumas vermelhas, outras brancas; e a terra por cima toda chã e muito cheia de grandes arvoredos. De ponta a ponta é tudo praia redonda, muito chã e muito formosa. [...] Nela até agora não pudemos saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal ou ferro; nem lho vimos. Porém a terra em si é de muito bons ares, assim frios e temperados como os de Entre-Douro e Minho. [...] Águas são muitas; infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas que tem. (CAMINHA, Pero Vaz de. A Carta de Pero Vaz de Caminha. Rio de Janeiro: Livros de Portugal, 1943, p. 204.)

2 II. Carta de Pero Vaz A terra é mui graciosa, Tão fértil eu nunca vi. A gente vai passear, No chão espeta um caniço, No dia seguinte nasce Bengala de castão de oiro. Tem goiabas, melancias, Banana que nem chuchu. Quanto aos bichos, tem-nos muitos, De plumagens mui vistosas. Tem macaco até demais. Diamantes tem à vontade, Esmeralda é para os trouxas. Reforçai, Senhor, a arca, Cruzados não faltarão, Vossa perna encanareis, Salvo o devido respeito. Ficarei muito saudoso Se for embora daqui. (MENDES, Murilo. História do Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991, p. 13.) No texto de Murilo Mendes, os versos Banana que nem chuchu, Tem macaco até demais e Esmeralda é para os trouxas exprimem a representação literária da visão do colonizador de maneira:

3 a) séria. b) irônica. c) ingênua. d) leal e) revoltada. 2) Os dois textos, representantes de dois períodos literários distantes, revelam duas perspectivas diferentes. Indique: A diferença entre o texto original e o segundo, em função da descrição da terra; 3) (UFPA) A gênese da nossa formação literária se encontra no século XVI. Dela fazem parte: a. Os relatos dos cronistas viajantes. b. As obras produzidas pelos degredados que eram obrigados a se instalar no Brasil. c. Os escritos que os donatários das capitanias hereditárias faziam ao rei de Portugal. d. As produções arcádicas. e. A poesia de Gregório de Matos. 4) (FUVEST-SP) Entende-se por literatura informativa no Brasi: a. A história dos jesuítas que aqui estiveram no século XVI. b. As obras escritas com finalidade de catequese do indígena. c. Os poemas do padre José de Anchieta. d. O conjunto de relatos de viajantes e missionários europeus, sobre a natureza e o homem brasileiro. e. Os sonetos de Gregório de Matos.

4 5) (Fuvest) - Assinale V (verdadeiro) ou F (falso), após analisar as afirmações que se seguem sobre o Quinhentismo: ( ) A literatura de informação ressalta a importância do trabalho com o estilo, com a forma. ( ) A atitude de Caminha em frente à terra recém-descoberta é de decepção e de repulsa pelo índio. ( ) A produção informativa do Quinhentismo frente à terra tem maior valor histórico-documental que literário. ( ) Autores românticos e modernistas valeram-se de sugestões temáticas e formais das crônicas de viagem. ( ) A literatura dos viajantes é ocorrência exclusiva brasileira, não tendo nenhum similar em nenhuma outra parte do mundo. A sequência é: a) F, F, V, V, F b) F, F, F, V, V c) F, F, F, F, F d) V, V, V, V, V e) V, V, F, F, V 6) Leia as afirmações abaixo e assinale as que não correspondem com as características do Barroco e do Arcadismo. 01. O jogo de ideias e de palavras confirmou-se como um dos aspectos preponderantes da estética barroca. 02. O Arcadismo está associado ao movimento filosófico que marcou o século XVIII, chamado Iluminismo, cujas palavras-chave são razão e ciência. 04. O Barroco trata-se, basicamente, do embate entre os valores antropocêntricos gregos e os valores teocêntricos medievais que acabavam de ser estabelecidos. 08. O Iluminismo influencia tanto o Barroco quando o Arcadismo, daí que o segundo é uma extensão das ideias do primeiro. 16. Sob o ponto de vista literário, o Arcadismo reagiu contra o Barroco, retomando a simplicidade e o bucolismo dos clássicos. ( )

5 7) (UFViçosa-MG/adaptada) Observe as afirmações: I. A temática amorosa árcade apresenta-se como expressão de contenção emocional e da simplicidade da vida pastoril. II. Revigorando a estética clássica, o Arcadismo enfatiza o racionalismo e o bucolismo. III. No Arcadismo a natureza torna-se também personagem, cúmplice do sujeito poético e totalmente integrada às suas emoções. IV. Os poemas árcades O Uruguay e Caramuru antecipam a temática indianista, posteriormente revigorada pelo ideal nacionalista romântico. a. Somente uma afirmação está errada. Qual delas? Por quê? b. A afirmação II contém a ideia de que o Arcadismo revigora o bucolismo. O que se entende por bucolismo? 8) Destaque nos versos abaixo um par de versos que tenha uma figura de oposição muito comum ao Barroco, nomeando-a com o nome de figura de linguagem que recebe. Senhora Dona Bahia, nobre e opulenta cidade, madrasta dos Naturais, E dos Estrangeiros madre. Dizei-me por vida vossa, em que fundais o ditame de exaltar, os que aí vêm,

6 e abater, os que ali nascem? (Gregório de Matos) 9) Assinale as alternativas corretas e faça a somatória. 01. Gregório de Matos é considerado o autor mais importante do Barroco brasileiro por ter introduzido a estética no país e ter escrito poemas épicos, de herança camoniana, em louvor à pátria, traço do nativismo literário da época. 02. Neoclássicos e inconfidentes, Cláudio Manoel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga tiveram em comum a prática do estilo arcádico e a rebeldia contra os desmandos do poder colonial em Minas Gerais. 04. Nos sermões do Padre Vieira, o estilo barroco sustenta o entrelaçamento dos assuntos de fé aos históricos. 08. É bastante comum, nos versos dos poetas árcades, a proposição de que se aproveite o presente na forma simples junto à natureza. ( ) GABARITO 1 B 2 O texto de Murilo Mendes é uma paródia da Carta de Caminha. A carta, dirigida a el-rei, é informativa e séria, o poema de Murilo é crítico e irônico. 3 A 4 D 5 A = 12 7 a. R: afirmação III, porque a natureza é decorativa, não personagem. A fusão indivíduo e paisagem vai se observar no Romantismo.

7 b. R: tema pastoril. Pressupõe os amores do pastor e sua relação com a cena convencional de um campo ideal, em que, além das ovelhas, acolhe uma pastora delicada e perfeita. 8 R: exaltar e abater: antítese = 14

A figura apresenta as fronteiras entre os países envolvidos na Questão Palestina e um corte, no mapa, da área indicada.

A figura apresenta as fronteiras entre os países envolvidos na Questão Palestina e um corte, no mapa, da área indicada. ENEM/2001 19 e A figura apresenta as fronteiras entre os países envolvidos na Questão Palestina e um corte, no mapa, da área indicada. 20 a Atualmente, sistemas de purificação de emissões poluidoras estão

Leia mais

Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário Habilidades: Conhecer o trabalho missionário jesuítico na figura de seu principal mentor: Padre José de Anchieta Revisão 1º Período

Leia mais

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS DE LITERATURA PARA EXAME FINAL 2014 Conteúdo: QUINHENTISMO/ BARROCO PROFESSORA ROSANA 1 ANO

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS DE LITERATURA PARA EXAME FINAL 2014 Conteúdo: QUINHENTISMO/ BARROCO PROFESSORA ROSANA 1 ANO 2ª LISTA DE EXERCÍCIOS DE LITERATURA PARA EXAME FINAL 2014 Conteúdo: QUINHENTISMO/ BARROCO PROFESSORA ROSANA 1 ANO 01 Qual a importância da Literatura de Informação? 02 Qual a obra que marca o início da

Leia mais

A Literatura no Brasil está dividida em duas grandes eras: Que parâmetros foram utilizados para estabelecer tais era?

A Literatura no Brasil está dividida em duas grandes eras: Que parâmetros foram utilizados para estabelecer tais era? A Literatura no Brasil está dividida em duas grandes eras: Era Colonial Era Nacional Que parâmetros foram utilizados para estabelecer tais era? Evolução Política Evolução Econômica Essas eras apresentam

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA DEPARTAMENTO DE LETRAS E ARTES DLA LICENCIATURA EM LETRAS COM A LÍNGUA INGLESA LITERATURA BRASILEIRA I Professor: Manoel Anchieta Nery JOÃO BOSCO DA SILVA (prof.bosco.uefs@gmail.com)

Leia mais

AVALIAÇÃO Testes escritos e seminários.

AVALIAÇÃO Testes escritos e seminários. CARGA HORÁRIA: 60 horas-aula Nº de Créditos: 04 (quatro) PERÍODO: 91.1 a 99.1 EMENTA: Visão panorâmica das literaturas produzidas em Portugal, Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São

Leia mais

MATERIAL DE APOIO. A primeira e mais importante dessas obras foi a Carta de Pêro Vaz de Caminha, escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral.

MATERIAL DE APOIO. A primeira e mais importante dessas obras foi a Carta de Pêro Vaz de Caminha, escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral. NOSSA PRIMEIRA LITERATURA I - LITERATURA INFORMATIVA O que é? MATERIAL DE APOIO É um tipo de literatura composta por documentos a respeito das condições gerais da terra conquistada, as prováveis riquezas,

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

Quinhentismo. Você conhece a Carta de Pero Vaz de Caminha? Leia a seguir alguns fragmentos. Carta a el-rei Dom Manuel sobre o achamento do Brasil

Quinhentismo. Você conhece a Carta de Pero Vaz de Caminha? Leia a seguir alguns fragmentos. Carta a el-rei Dom Manuel sobre o achamento do Brasil Quinhentismo Quinhentismo é a denominação genérica de todas as manifestações literárias ocorridas no Brasil durante o século XVI, no momento em que a cultura europeia foi introduzida no país. Note que,

Leia mais

AULA 06 LITERATURA BARROCO NO BRASIL

AULA 06 LITERATURA BARROCO NO BRASIL AULA 06 LITERATURA PROFª Edna Prado BARROCO NO BRASIL 1. DIVISÃO DA LITERATURA BRASILEIRA Como já vimos em outras aulas, as manifestações literárias são dividas didaticamente, em grandes eras e em períodos

Leia mais

Atividade extra. Lingua falada. Lingua escrita e gêneros textuais. Questão 1. Língua Portuguesa e Literatura

Atividade extra. Lingua falada. Lingua escrita e gêneros textuais. Questão 1. Língua Portuguesa e Literatura Atividade extra Lingua falada. Lingua escrita e gêneros textuais Questão 1 Sabemos que linguagem é todo sistema de signos que serve de meio de comunicação entre indivíduos, e pode ser percebido pelos diversos

Leia mais

QUINHENTISMO NO BRASIL LÍNGUA PORTUGUESA 1º ANO

QUINHENTISMO NO BRASIL LÍNGUA PORTUGUESA 1º ANO QUINHENTISMO NO BRASIL LÍNGUA PORTUGUESA 1º ANO Prof. Weverson Dadalto O problema das origens da nossa literatura não pode formular-se em termos de Europa, onde foi a maturação das grandes nações modernas

Leia mais

Leia o poema abaixo de João Ruiz de Castelo-Branco, composto do século XVI, para responder às questões 1, 2 e 3.

Leia o poema abaixo de João Ruiz de Castelo-Branco, composto do século XVI, para responder às questões 1, 2 e 3. Leia o poema abaixo de João Ruiz de Castelo-Branco, composto do século XVI, para responder às questões 1, 2 e 3. Senhora, partem tão tristes meus olhos por vós, meu bem, que nunca tão tristes vistes outros

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 1ª TURMA(S): DISCIPLINA:

Leia mais

Resoluções das atividades

Resoluções das atividades Resoluções das atividades Sumário Aula 1 Quinhentismo...1 Aula 2 Barroco...2 Aula 3 Arcadismo... 3 Aula 4 Romantismo no Brasil Primeira geração: Poesia indianista... 4 Aula 1 Quinhentismo 01 a) É perceptível

Leia mais

Introdução à literatura negra Professora Doutora Márcia Maria de Jesus Pessanha. Do silêncio ao canto épico do negro na literatura brasileira

Introdução à literatura negra Professora Doutora Márcia Maria de Jesus Pessanha. Do silêncio ao canto épico do negro na literatura brasileira Introdução à literatura negra Professora Doutora Márcia Maria de Jesus Pessanha Do silêncio ao canto épico do negro na literatura brasileira Palavras iniciais Sementes antes do plantio O presente trabalho

Leia mais

Catequese sobre José O pai adoptivo de Jesus

Catequese sobre José O pai adoptivo de Jesus Catequese sobre José O pai adoptivo de Jesus S. José modelo e protector de todos os pais materialdecatequese.webnode.pt 1 A terra de José (Mapa) O seu país era a Palestina e a aldeia onde morava chamava-se

Leia mais

1º Ensino Médio. Professor(a): Biel Matéria:Química Valor: 6,0 Data: 11/09/2014 Prova: P 28 Bimestre: 3. C H O + 3O ë 2CO + 3H O

1º Ensino Médio. Professor(a): Biel Matéria:Química Valor: 6,0 Data: 11/09/2014 Prova: P 28 Bimestre: 3. C H O + 3O ë 2CO + 3H O Professor(a): Biel Matéria:Química Valor: 6,0 01- (Valor 2,0) Qual nº de moléculas de H 2 SO 4, produzidas a partir de 44,8L de SO 3 (g) na CNTP. Admita que essa reação ocorre com 40% de rendimento. SO

Leia mais

PORTUGAL. Trovadorismo (séculos XII -XIII - XIV)

PORTUGAL. Trovadorismo (séculos XII -XIII - XIV) CENTRO DE ENSINO MÉDIO 02 DO GAMA DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR: CIRENIO SOARES NOME: N : TURMA: PORTUGAL Trovadorismo (séculos XII -XIII - XIV) Época do florescimento das cantigas medievais

Leia mais

Exercícios de Quinhentismo

Exercícios de Quinhentismo Exercícios de Quinhentismo 1. Os textos produzidos no período quinhentista eram escritos por viajantes portugueses e estrangeiros que aqui chegavam e descreviam suas primeiras impressões sobre o Brasil.

Leia mais

quinhentismo história da literatura

quinhentismo história da literatura CONTEXTO HISTÓRICO.: A Europa, no século XVI, está no auge do Renascimento, numa época na qual as grandes navegações consolidam o capitalismo mercantil, com o desenvolvimento da manufatura e do comércio

Leia mais

Textos base para o Arcadismo

Textos base para o Arcadismo Nome: Nº: Turma: Português 2º ano Textos base para o Arcadismo João J Mai/09 Marília de Dirceu de Tomaz Antonio Gonzaga Textos base para o Arcadismo PARTE I Lira I Eu, Marília, não sou algum vaqueiro,

Leia mais

AULA 05 LITERATURA COLONIAL (2): ARCADISMO

AULA 05 LITERATURA COLONIAL (2): ARCADISMO AULA 05 LITERATURA COLONIAL (2): ARCADISMO SÉCULO 18: SÉCULO DAS LUZES Na Europa No Velho Mundo, a partir da segunda metade do século 18, começa a surgir o Iluminismo, uma corrente do pensamento que preconizava

Leia mais

Cronistas do descobrimento. Antônio Carlos Olivieri Marco Antônio Villa (org.)

Cronistas do descobrimento. Antônio Carlos Olivieri Marco Antônio Villa (org.) Cronistas do descobrimento Antônio Carlos Olivieri Marco Antônio Villa (org.) O quinhentismo é um período da Era Colonial no Brasil, que ocorreu entre 1500 à 1601, um século. É também a denominação genérica

Leia mais

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Edição oficial do CICLUMIG Flor do Céu De acordo com revisão feita pelo Sr. Luiz Mendes do Nascimento, zelador do hinário. www.mestreirineu.org 1 01 - DIVINO PAI

Leia mais

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo

Século XIX na Europa as inovações na arte. Predomínio do neoclassicismo ou academicismo Século XIX na Europa as inovações na arte { Predomínio do neoclassicismo ou academicismo ANTIGUIDADE CLÁSSICA IDADE MÉDIA NEOCLASSICISMO OU ACADEMICISMO ROMANTISMO RENASCIMENTO BARROCO ROCOCÓ NEOCLÁSSICO

Leia mais

A Literatura no Brasil Colonial

A Literatura no Brasil Colonial A Literatura no Brasil Colonial Slides Periodização da literatura brasileira O século XVI no Brasil O Barroco O Arcadismo Imagem 45130352 pag. 3 O índio é tema recorrente em toda a história da literatura

Leia mais

Exercícios de História Descobrimento

Exercícios de História Descobrimento Exercícios de História Descobrimento 1. (Fuvest) Sobre o Tratado de Tordesilhas, assinado em 7 de junho de 1494, pode-se afirmar que objetivava: a) demarcar os direitos de exploração dos países ibéricos,

Leia mais

Barroco Simbolismo Cruz e Souza Modernismo 2ª fase Cecília Meireles Drummond

Barroco Simbolismo Cruz e Souza Modernismo 2ª fase Cecília Meireles Drummond O CÓDIGO DAS ÁGUAS Lindolf Bell, Timbó, 1938 Gênero: Poesia lírica 34 poemas, divididos em cinco partes: Poemas, Desterro, Minifúndio, Poema do Andarilho, Poemas Finais Publicação 1984 Literatura Catarinense

Leia mais

ESQUEMA DE LITERATURA BRASILEIRA

ESQUEMA DE LITERATURA BRASILEIRA ESQUEMA DE LITERATURA BRASILEIRA QUINHENTISMO NO BRASIL (1500 1601) * Os anos de 1500 no Brasil não tiveram o mesmo padrão de desenvolvimento cultural da Europa. * Não tivemos uma proposta literária, mas,

Leia mais

Século XII Idade Média TROVADORISMO. Cristianismo. - Temas profanos. - Predomínio da emoção. - Influência das tradições populares

Século XII Idade Média TROVADORISMO. Cristianismo. - Temas profanos. - Predomínio da emoção. - Influência das tradições populares Século XII Idade Média TROVADORISMO Cristianismo - Temas profanos - Predomínio da emoção - Influência das tradições populares - Ambiente cortês, rural ou marítimo - Exaltação do ideal cavaleiresco - Emprego

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA

LITERATURA BRASILEIRA LITERATURA BRASILEIRA 01 Leia o poema Pintura admirável de uma beleza, de Gregório de Matos. Vês esse sol de luzes coroado? Em pérolas a aurora convertida? Vês a lua de estrelas guarnecida? Vês o céu de

Leia mais

BARROCO O que foi? O barroco foi uma manifestação que caracterizava-se pelo movimento, dramatismo e exagero. Uma época de conflitos espirituais e religiosos, o estilo barroco traduz a tentativa angustiante

Leia mais

História da Música Ocidental

História da Música Ocidental História da Música Ocidental A Música na Idade Média e no Renascimento Música medieval é o nome dado à música típica do período da Idade Média. Essas práticas musicais aconteceram há quase 1500 anos atrás.

Leia mais

ARCADISMO MOMENTO HISTÓRICO, CARACTERÍSTICAS E AUTORES

ARCADISMO MOMENTO HISTÓRICO, CARACTERÍSTICAS E AUTORES ARCADISMO MOMENTO HISTÓRICO, CARACTERÍSTICAS E AUTORES ASPECTOS GERAIS a) Duração no Brasil: 1768 a 1836 (século XVIII). b) Livro inaugurador: Obras Poéticas (poesias), de Cláudio Manuel da Costa. c) Outros

Leia mais

Contexto Histórico. Temas frequentes na Literatura Barroca. - fugacidade da vida e instabilidade das coisas;

Contexto Histórico. Temas frequentes na Literatura Barroca. - fugacidade da vida e instabilidade das coisas; Contexto Histórico Após o Concílio de Trento, realizado entre os anos de 1545 e 1563 e que teve como consequência uma grande reformulação do Catolicismo, em resposta à Reforma protestante, a disciplina

Leia mais

Objetivos: - ANALISAR a expansão comercial europeia, demonstrando seus efeitos sobre as áreas e povos atingidos.

Objetivos: - ANALISAR a expansão comercial europeia, demonstrando seus efeitos sobre as áreas e povos atingidos. Objetivos: - ANALISAR a expansão comercial europeia, demonstrando seus efeitos sobre as áreas e povos atingidos. - COMPARAR os processos de colonização promovidos pelos espanhóis na América. - COMENTAR

Leia mais

Introdução à Literatura de um modo geral

Introdução à Literatura de um modo geral I. Arte Manifestação plena de transcendência Introdução à Literatura de um modo geral É a forma mais elevada do espírito e inteligência humana: música, dança, pintura, literatura II. Literatura A arte

Leia mais

MODULO 1 PORTUGUÊS. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Texto 2 CARTA DE PERO VAZ. As questões 1 e 2 referem-se aos dois textos seguintes:

MODULO 1 PORTUGUÊS. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Texto 2 CARTA DE PERO VAZ. As questões 1 e 2 referem-se aos dois textos seguintes: especial_ita 19/02/10 14:20 Page I especial_ita 19/02/10 14:20 Page II especial_ita 19/02/10 14:20 Page 1 Linguagens, Códigos e suas Tecnologias PORTUGUÊS MODULO 1 As questões 1 e 2 referem-se aos dois

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES. História

CADERNO DE ATIVIDADES. História COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES História Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação O que é História. Identificar a História como ciência. Reconhecer que

Leia mais

A Ocupação do Litoral e a Expansão Territorial. Introdução:

A Ocupação do Litoral e a Expansão Territorial. Introdução: COLÉGIO MILITAR DE JUIZ DE FORA 2007 HISTÓRIA - 5ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL Nº: NOME: TURMA: A Ocupação do Litoral e a Expansão Territorial. Introdução: Durante o século XVI, as povoações geralmente

Leia mais

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé.

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé. 1 Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9 Introdução: Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre. Não se deixem levar pelos diversos ensinos estranhos. É bom que o nosso coração seja

Leia mais

DATA: DEZEMBRO/2014 VALOR: 20 PONTOS NOTA: Leia os textos a seguir e responda à questão 1. Dois tiros e D. Maria quase perde a vida.

DATA: DEZEMBRO/2014 VALOR: 20 PONTOS NOTA: Leia os textos a seguir e responda à questão 1. Dois tiros e D. Maria quase perde a vida. DISCIPLINA: LITERATURA PROFESSORA: GLENDA/TEREZA DATA: DEZEMBRO/2014 VALOR: 20 PONTOS NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 1ª EM TURMA: NOME COMPLETO: TEXTO 1 Leia os textos a seguir e responda

Leia mais

Língua Portuguesa Ensino Médio

Língua Portuguesa Ensino Médio Língua Portuguesa Ensino Médio Sumário Episódio 5: O que é literatura? 1. Apresentação 2. Orientações sobre literatura 2.1. Sobre o conceito de literariedade Capítulo 1 1. Introdução 1.1 Objetivos 1.2.

Leia mais

Algumas premissas básicas: O Brasil não foi descoberto por acaso Entreposto para a viagem para o oriente. Não foi imediatamente valorizado O índio

Algumas premissas básicas: O Brasil não foi descoberto por acaso Entreposto para a viagem para o oriente. Não foi imediatamente valorizado O índio QUINHENTISMO Algumas premissas básicas: O Brasil não foi descoberto por acaso Entreposto para a viagem para o oriente. Não foi imediatamente valorizado O índio brasileiro era ágrafo e, via de regra, nômade

Leia mais

Literatura sem fins pragmáticos

Literatura sem fins pragmáticos Literatura sem fins pragmáticos Vanessa Regina Ferreira da Silva (UNESP/Assis) O ensino de literatura, nas instâncias de ensino, como escolas e cursinhos pré-vestibulares, principalmente estes, encontra

Leia mais

O SR. ISAÍAS SILVESTRE (PSB-MG) pronuncia o. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,

O SR. ISAÍAS SILVESTRE (PSB-MG) pronuncia o. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, O SR. ISAÍAS SILVESTRE (PSB-MG) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, gostaria de Parabenizar o Dep. Adelor Vieira pela iniciativa louvável de requerer esta Sessão

Leia mais

SILVÉRIO BENEDITO PARA UMA LEITURA DA «CASTRO» E POEMAS LUSITANOS DE ANTÓNIO FERREIRA

SILVÉRIO BENEDITO PARA UMA LEITURA DA «CASTRO» E POEMAS LUSITANOS DE ANTÓNIO FERREIRA SILVÉRIO BENEDITO PARA UMA LEITURA DA «CASTRO» E POEMAS LUSITANOS DE ANTÓNIO FERREIRA EDfTORIAL LM I PRESENÇA ÍNDICE PREFACIO 11 I. PERSPECTIVAS GLOBAIS 13 1. O homem e a obra 13 2. Contextualização sociocultural

Leia mais

Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL

Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL Educador: Luciola Santos C. Curricular: História Data: / /2013 Estudante: 7 Ano Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL 7º Ano Cap 1e 2 Feudalismo e Francos Cap 6 Mudanças no feudalismo Cap 7 Fortalecimento

Leia mais

Português. 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede:

Português. 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede: Português Leitura de texto 3 os anos Wilton fev/11 Nome: Nº: Turma: 1. Leia os seguintes poemas e faça o que se pede: Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino escreve! No aconchego Do claustro, na

Leia mais

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS:

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: Romantismo Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: 1. ( C ) Foi a primeira e forte reação ao Neoclassicismo. 2. ( E ) O romantismo não valorizava a

Leia mais

Expansão do território brasileiro

Expansão do território brasileiro Expansão do território brasileiro O território brasileiro é resultado de diferentes movimentos expansionistas que ocorreram no Período Colonial, Imperial e Republicano. Esse processo ocorreu através de

Leia mais

BARROCO. Pintura. 8º Ano Artes 2º bimestre

BARROCO. Pintura. 8º Ano Artes 2º bimestre 8º Ano Artes 2º bimestre BARROCO A arte barroca desenvolveu-se no século XVII, num período muito importante da história da civilização ocidental, pois nele ocorreram mudança que deram nova feição à Europa

Leia mais

Livros Históricos 2 SEFO 2013 Livros de 1 e 2 Crônicas- 2ª Aula

Livros Históricos 2 SEFO 2013 Livros de 1 e 2 Crônicas- 2ª Aula Livros Históricos 2 SEFO 2013 Livros de 1 e 2 Crônicas- 2ª Aula Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Madureira Campo de Mogi das Cruzes Conteúdo Programático Seção Título Slide 1. Introdução

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara Denotação x Conotação Sentido denotativo: Meus alunos comeram uns doces. Sentido conotativo: Meus alunos são uns doces. Figuras

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

A relação turismo e literatura: um processo de construção dos espaços turísticos brasileiros

A relação turismo e literatura: um processo de construção dos espaços turísticos brasileiros A relação turismo e literatura: um processo de construção dos espaços turísticos brasileiros Patrícia Fabiane Amaral da Cunha* RESUMO Este trabalho tem o intuito de discutir o papel exercido pelo discurso

Leia mais

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Comentário: Comentário:

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Comentário: Comentário: A primeira frase do emissor do texto denota inicialmente sua intenção de se pôr em uma situação simétrica, e não submissa ou inferior, aos não índios. O código de vocês, adotado como contato e respeitado

Leia mais

Bandeira de Portugal Significado, cores e história da bandeira portuguesa

Bandeira de Portugal Significado, cores e história da bandeira portuguesa UNIDADE: Viagem a Portugal / Portugal SITUAÇÃO DE USO Seleção de roteiro turístico. EXPETATIVAS DE APRENDIZAGEM - Selecionar informações; - Formular questões; - Utilizar o verbo representar ; - Produzir

Leia mais

O ENSINO DE LITERATURA NO ENSINO MÉDIO: UMA TENTATIVA DE ALIAR O CONHECIMENTO AO PRAZER DA LEITURA.

O ENSINO DE LITERATURA NO ENSINO MÉDIO: UMA TENTATIVA DE ALIAR O CONHECIMENTO AO PRAZER DA LEITURA. O ENSINO DE LITERATURA NO ENSINO MÉDIO: UMA TENTATIVA DE ALIAR O CONHECIMENTO AO PRAZER DA LEITURA. JULIANA SYLVESTRE DA SILVA CESILA (UNICAMP). Resumo O desafio do professor de colocar o aluno em contato

Leia mais

Exercícios de Economia Açucareira, União Ibérica e O Brasil Holandês

Exercícios de Economia Açucareira, União Ibérica e O Brasil Holandês Exercícios de Economia Açucareira, União Ibérica e O Brasil Holandês 1. (Enem) O açúcar e suas técnicas de produção foram levados à Europa pelos árabes no século VIII, durante a Idade Média, mas foi principalmente

Leia mais

500 anos: O Brasil Colônia na TV

500 anos: O Brasil Colônia na TV 500 anos: O Brasil Colônia na TV Episódio 5: A Conquista da terra e da gente Resumo O episódio 5, A Conquista da terra e da gente, parte da série 500 anos: O Brasil Colônia na TV, apresenta o processo

Leia mais

Questão 26. Questão 28. Questão 29. Questão 27. alternativa C. ver comentário. alternativa B

Questão 26. Questão 28. Questão 29. Questão 27. alternativa C. ver comentário. alternativa B Questão 26 O trecho publicitário a seguir apresenta uma transgressão gramatical bastante comum: Esta empresa se preocupa com economia de energia muito antes que você se preocupasse com isso. Leia as frases

Leia mais

QUINHENTISMO BRASILEIRO

QUINHENTISMO BRASILEIRO LITERATURA QUINHENTISMO BRASILEIRO 1. LITERATURA INFORMATIVA / JESUÍTI- CA (1500 A 1601) Naturalmente a Literatura Informativa sobre o Brasil começa em 1500. Portugal, nessa época, está vivendo a transição

Leia mais

O Arcadismo no Brasil

O Arcadismo no Brasil E O Arcadismo no Brasil m Ouro Preto, palco da Inconfidência Mineira, viveram e atuaram os principais escritores do Arcadismo brasileiro. O Arcadismo no Brasil tem seu surgimento marcado por dois aspectos

Leia mais

Gabarito Língua Portuguesa e Literatura Brasileira Grupos D, E, F e G. Texto I. Texto II

Gabarito Língua Portuguesa e Literatura Brasileira Grupos D, E, F e G. Texto I. Texto II Mas já que se há de escrever que ao menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas. Clarice Lispector. Os melhores contos. Texto I Nós, os escritores nacionais, se quisermos ser entendidos de nosso

Leia mais

(A) Regionalismo (caráter da literatura que se baseia em costumes e tradições regionais).

(A) Regionalismo (caráter da literatura que se baseia em costumes e tradições regionais). ENEM 2002 Comer com as mãos era um hábito comum na Europa, no século XVI. A técnica empregada pelo índio no Brasil e por um português de Portugal era, aliás, a mesma: apanhavam o alimento com três dedos

Leia mais

1530 O regime de capitanias hereditárias é instituído por D. João III. Primeira expedição colonizadora chefiada por Martim Afonso de Sousa.

1530 O regime de capitanias hereditárias é instituído por D. João III. Primeira expedição colonizadora chefiada por Martim Afonso de Sousa. Vera, Use a seguinte legenda: Amarelo: o documento para o link encontra-se neste site: http://www.info.lncc.br/wrmkkk/tratados.html Rosa: o documento para o link encontra-se neste site: http://www.webhistoria.com.br

Leia mais

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome:

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: 5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: 1) De 1500 até hoje, são alguns séculos de história. Para situar os fatos históricos do Brasil, os estudiosos costumam reuni-los

Leia mais

NOME DO CURSO ORAR É AÇÃO EBA. Nome do professor

NOME DO CURSO ORAR É AÇÃO EBA. Nome do professor ORAR É AÇÃO EBA Aprendendo a ORAR com Paulo Ef. 1:15-19. Por isso também eu, tendo ouvido da fé que há entre vós no Senhor Jesus e o amor para com todos os santos, não cesso de dar graças por vós, fazendo

Leia mais

Aula 39.1 Conteúdos: Figuras de Linguagem de pensamento e palavras. LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Aula 39.1 Conteúdos: Figuras de Linguagem de pensamento e palavras. LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 39.1 Conteúdos: Figuras de Linguagem de pensamento e palavras. 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades:

Leia mais

Livros Históricos. Introdução

Livros Históricos. Introdução Livros Históricos Introdução Em nosso Cânon, os livros históricos são doze: Josué, Juízes, Rute, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis, 1 e 2 Crônicas, Esdras, Neemias e Ester. Cânon Judaico: Josué, Juízes, 1 e 2 Samuel,

Leia mais

A COESÃO TEXTUAL NA OBRA DE MURILO MENDES

A COESÃO TEXTUAL NA OBRA DE MURILO MENDES A COESÃO TEXTUAL NA OBRA DE MURILO MENDES Roseli Cabral Calil (Unifran) Juscelino Pernambuco (Unifran) Introdução Esta pesquisa terá como objetivo analisar a construção dos versos desse poeta, buscando

Leia mais

Paulo Stuck Moraes. Tópicos de genealogia capixaba

Paulo Stuck Moraes. Tópicos de genealogia capixaba Paulo Stuck Moraes Tópicos de genealogia capixaba 2012 2 Paulo Stuck Moraes Tópicos de genealogia capixaba Vitória Edição do autor 2012 3 Tópicos de genealogia capixaba Copyright by Paulo Stuck Moraes

Leia mais

A HEGEMONIA JESUÍTICA (1549-1759) - Sônia Maria Fonseca

A HEGEMONIA JESUÍTICA (1549-1759) - Sônia Maria Fonseca A HEGEMONIA JESUÍTICA (1549-1759) - Sônia Maria Fonseca É consensual afirmar que, nos trinta primeiros anos da colonização do Brasil, Portugal dedicou-se exclusivamente à exploração das riquezas sem efetivo

Leia mais

A DESTRUIÇÃO DA ALMA INDÍGENA: UMA LEITURA DO PROCESSO RELIGIOSO E POLÍTICO NA OBRA DE JOSÉ DE ANCHIETA

A DESTRUIÇÃO DA ALMA INDÍGENA: UMA LEITURA DO PROCESSO RELIGIOSO E POLÍTICO NA OBRA DE JOSÉ DE ANCHIETA 1 A DESTRUIÇÃO DA ALMA INDÍGENA: UMA LEITURA DO PROCESSO RELIGIOSO E POLÍTICO NA OBRA DE JOSÉ DE ANCHIETA Daiane da Fonseca Pereira (UNEB) daypereyra@yahoo.com.br Em o Tratado da terra do Brasil, Pero

Leia mais

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005 FESTA DO Pai-Nosso Igreja de S. José de S. Lázaro 1º ano 1 7 de Maio de 2005 I PARTE O acolhimento será feito na Igreja. Cada criança ficará com os seus pais nos bancos destinados ao seu catequista. Durante

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

ARTES VISUAIS PROVA DE CRIAÇÃO. 2 a Etapa HABILIDADE ESPECÍFICA II SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Duração da prova: DUAS HORAS E 30 MINUTOS.

ARTES VISUAIS PROVA DE CRIAÇÃO. 2 a Etapa HABILIDADE ESPECÍFICA II SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Duração da prova: DUAS HORAS E 30 MINUTOS. ARTES VISUAIS - HABILIDADE ESPECÍFICA II - PROVA DE CRIAÇÃO - 2 a Etapa ARTES VISUAIS 2 a Etapa HABILIDADE ESPECÍFICA II PROVA DE CRIAÇÃO SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se

Leia mais

CAMÕES E A BÍBLIA: INTERTEXTUALIDADE NA LITERATURA PORTUGUESA

CAMÕES E A BÍBLIA: INTERTEXTUALIDADE NA LITERATURA PORTUGUESA CAMÕES E A BÍBLIA: INTERTEXTUALIDADE NA LITERATURA PORTUGUESA Maria Aparecida da Costa Gonçalves Ferreira 1 RESUMO: O estudo analisa o soneto Sete anos de pastor Jacob servia, de Camões, levando em consideração

Leia mais

HISTÓRIA DA MÚSICA BRASILEIRA

HISTÓRIA DA MÚSICA BRASILEIRA HISTÓRIA DA MÚSICA BRASILEIRA A Formação da música brasileira A música do Brasil se formou a partir da mistura de elementos europeus, africanos e indígenas, trazidos respectivamente por colonizadores portugueses,

Leia mais

CONFLITOS E ALIANÇAS ENTRE ÍNDIOS GUARANI, JESUÍTAS, BANDEIRANTES E ENCOMENDEIROS NO ITATIM.

CONFLITOS E ALIANÇAS ENTRE ÍNDIOS GUARANI, JESUÍTAS, BANDEIRANTES E ENCOMENDEIROS NO ITATIM. CONFLITOS E ALIANÇAS ENTRE ÍNDIOS GUARANI, JESUÍTAS, BANDEIRANTES E ENCOMENDEIROS NO ITATIM. Neimar Machado de Sousa (UCDB) RESUMO: Esta comunicação tem por objeto as missões jesuíticas, especificamente,

Leia mais

Uma igreja viva Pr. Harry Tenório

Uma igreja viva Pr. Harry Tenório Uma igreja viva Pr. Harry Tenório (Romanos 12.1) - Peço-lhes (Rogo-vos), pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso

Leia mais

Fragmento do filme Caramuru, a invenção do Brasil. http://www.youtube.com/watch?v=nv04qj93pwu. (Terra Papagalli - Mandamento 4)

Fragmento do filme Caramuru, a invenção do Brasil. http://www.youtube.com/watch?v=nv04qj93pwu. (Terra Papagalli - Mandamento 4) É aquela terra onde tudo está à venda e não há nada que não se possa comprar, seja água ou madeira, cocos ou macacos. Mas o que mais lá se vende são homens, que trocam-se por qualquer mercadoria e são

Leia mais

Os Móveis da Casa Reis

Os Móveis da Casa Reis Os Móveis da Casa Reis 1 Este texto tem como objectivo dar a conhecer os móveis que fazem parte da riqueza da Ourivesaria Reis, no Porto. Foi fundada em 1880 por António Alves dos Reis, pai de Seraphim

Leia mais

Edição: Rodrigo Amorim DESENHOS: Lavínya Vieira CORDEL: 1º ANO A 02

Edição: Rodrigo Amorim DESENHOS: Lavínya Vieira CORDEL: 1º ANO A 02 O Cordel, Paixão e Poesia: Castro Alves o poeta da Bahia foi feito pelos alunos do 1º ano A (IF Baiano campus Itapetinga). O cordel é uma grande homenagem ao grande poeta baiano Castro Alves, conhecido

Leia mais

208. Assinale a única frase correta quanto ao uso dos pronomes pessoais: 209. Assinale o exemplo que contém mau emprego de pronome pessoal:

208. Assinale a única frase correta quanto ao uso dos pronomes pessoais: 209. Assinale o exemplo que contém mau emprego de pronome pessoal: 207. Complete com eu ou mim : CLASSES DE PALAVRAS PRONOME: - eles chegaram antes de. - há algum trabalho para fazer? - há algum trabalho para? - ele pediu para elaborar alguns exercícios; - para, viajar

Leia mais

A Igreja nas Casas. Revolução ou Reforma? Jamê Nobre

A Igreja nas Casas. Revolução ou Reforma? Jamê Nobre A Igreja nas Casas Revolução ou Reforma? Jamê Nobre I g r e j a s n a s C a s a s P á g i n a 2 A IGREJA NAS CASAS REVOLUÇÃO OU REFORMA? (Jamê Nobre) As revoluções têm como característica mudar algumas

Leia mais

PROVA NACIONAL ESCRITA DE LÍNGUA PORTUGUESA 12º ANO

PROVA NACIONAL ESCRITA DE LÍNGUA PORTUGUESA 12º ANO PROVA NACIONAL ESCRITA DE LÍNGUA PORTUGUESA 12º ANO Equipa Responsável pela Elaboração e Correção da Prova: Prof. Doutor Rui Estrada Prof.ª Doutora Elsa Simões Prof.ª Doutora Sandra Tuna Duração da Prova:

Leia mais

Diz respeito ao que vamos realizar em Cristo, pelo poder do Espírito Santo para cumprir a nossa missão:

Diz respeito ao que vamos realizar em Cristo, pelo poder do Espírito Santo para cumprir a nossa missão: II) NOSSA VISÃO Diz respeito ao que vamos realizar em Cristo, pelo poder do Espírito Santo para cumprir a nossa missão: A) Adorar a Deus em espírito e verdade Queremos viver o propósito para o qual Deus

Leia mais

CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA

CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA PE. GREGÓRIO LUTZ Certamente o título deste artigo não causa estranheza à grande maioria dos leitores da Revista de Liturgia. Mas mesmo assim me parece conveniente

Leia mais

Catequese e adoração das crianças ao Santíssimo Sacramento

Catequese e adoração das crianças ao Santíssimo Sacramento Catequese e adoração das crianças ao Santíssimo Sacramento Paróquia de Calheiros, 1 e 2 de Março de 2008 Orientadas por: Luís Baeta CÂNTICOS E ORAÇÕES CÂNTICOS CRISTO VIVE EM MIM Cristo vive em mim, que

Leia mais

Mas isso irá requerer uma abordagem pessoal, persistente, muita oração e uma ferramenta poderosa para nos ajudar a fazer isso!

Mas isso irá requerer uma abordagem pessoal, persistente, muita oração e uma ferramenta poderosa para nos ajudar a fazer isso! 2015 NOSSO CONTEXTO GLOBAL: Quase 3 bilhões de pessoas online Quase 2 bilhões de smartphones 33% de toda a atividade online é assistindo a vídeos BRAZIL: Mais de 78% dos jovens (15-29) usam internet. São

Leia mais

PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO

PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO PANORAMA DO NOVO TESTAMENTO 1 MANUSCRITOLOGIA BÍBLICA 2 Quem escreveu a Bíblia? O 2 Pedro 1:20-21 sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA BRASIL COLÔNIA

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA BRASIL COLÔNIA EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA BRASIL COLÔNIA 01) São características econômicas do período Pré-Colonial no Brasil: a) latifúndios escravidão monocultura exportação. b) servidão coletiva policultura

Leia mais

Misericordiosos))como))o))Pai!

Misericordiosos))como))o))Pai! CartadeNatal2015doAbadeGeralOCist Misericordiosos))como))o))Pai Roma,8dedezembrode2015 SolenidadedaImaculada Caríssimos Vos escrevo esta carta de Natal, justo quando inicia o Jubileu da Misericórdia, e

Leia mais

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Diálogos - Revista do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História ISSN: 1415-9945 rev-dialogos@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil de Alencar Arnaut de Toledo, Cézar

Leia mais

(Disponível em: http://www.nomismatike.hpg.ig.com.br/grecia/etruria.htm. Acesso em: 3 jun. 2005.)

(Disponível em: http://www.nomismatike.hpg.ig.com.br/grecia/etruria.htm. Acesso em: 3 jun. 2005.) 2 o PROCESSO SELETIVO/2005 1 O DIA GABARITO 1 33 HISTÓRIA QUESTÕES DE 51 A 60 51. Analise o mapa e o texto a seguir: (Disponível em: http://www.nomismatike.hpg.ig.com.br/grecia/etruria.htm. Acesso em:

Leia mais

Faz muito tempo. Texto: Ruth Rocha Ilustrações: Helena Alexandrino. Elaboração Anna Flora

Faz muito tempo. Texto: Ruth Rocha Ilustrações: Helena Alexandrino. Elaboração Anna Flora Faz muito tempo Texto: Ruth Rocha Ilustrações: Helena Alexandrino Elaboração Anna Flora Brincadeira 1: Navegando na história Material necessário (Cálculo para uma classe de 30 alunos) Para o aluno: 2 folhas

Leia mais

I CONGRESSO EUCARÍSTICO PAROQUIAL

I CONGRESSO EUCARÍSTICO PAROQUIAL I CONGRESSO EUCARÍSTICO PAROQUIAL De 20 a 27 de Setembro de 2009 TEMA: Fazei isto em memória de mim (Lc 22,19b) PROGRAMAÇÃO Dia 20 de Setembro DOMINGO ABERTURA DO CONGRESSO 19h30min Celebração Eucarística

Leia mais