PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA CLÍNICA ESCOLA DE FISIOTERAPIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA CLÍNICA ESCOLA DE FISIOTERAPIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS"

Transcrição

1 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA CLÍNICA ESCOLA DE FISIOTERAPIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS COSTA, Yago da 1 ; ALVES, Beatriz Rodrigues 2 ; FELIX, Jefferson Ferreira 3 ; PACHECO, Lílian Fernanda 4 ; SILVA, Tânia Cristina Dias da 5 ; FORMIGA, Cibelle Kayenne Martins Roberto 6. Palavras-chave: educação em saúde; prevenção; fisioterapia. Introdução Educação e Saúde são áreas indissociáveis no atendimento às pessoas com necessidades especiais. A articulação e complementaridade das duas áreas é premissa básica para a promoção da qualidade de vida desses indivíduos. São ações que devem ocorrer de forma contínua e simultânea ao processo de reabilitação (GLAT; FERNANDES; PONTES, 2006). O conceito de saúde abrange um conjunto de fatores como socioeconômico, alimentação, meio ambiente, saneamento básico, entre outros. De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Fisioterapia (BRASIL, 2002) os profissionais de saúde, dentro de seu âmbito profissional, devem estar aptos a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo. Nesse contexto, a Fisioterapia, como todas as áreas da saúde no Brasil, preocupa-se em ampliar seu objeto de trabalho assumindo a responsabilidade básica de participar, não só do tratamento e recuperação, como também da Resumo revisado pela Profa. Dra. Cibelle Kayenne Martins Roberto Formiga, Coordenadora da Ação Programa de promoção e educação em saúde para usuários do serviço da clínica escola de fisioterapia da ESEFFEGO UEG. Código: 2011PRE Escola Superior de Educação Física e Fisioterapia de Goiás (ESEFFEGO), Universidade Estadual de Goiás (UEG). 2 Escola Superior de Educação Física e Fisioterapia de Goiás (ESEFFEGO), Universidade Estadual de Goiás (UEG). 3 Escola Superior de Educação Física e Fisioterapia de Goiás (ESEFFEGO), Universidade Estadual de Goiás (UEG). 4 Escola Superior de Educação Física e Fisioterapia de Goiás (ESEFFEGO), Universidade Estadual de Goiás (UEG). 5 Escola Superior de Educação Física e Fisioterapia de Goiás (ESEFFEGO), Universidade Estadual de Goiás (UEG). 6 Escola Superior de Educação Física e Fisioterapia de Goiás (ESEFFEGO), Universidade Estadual de Goiás (UEG).

2 promoção da saúde individual e coletiva como iniciativa fundamental na melhoria da organização dos serviços e práticas profissionais, com o intuito de fazer da satisfação do paciente um elemento de status de saúde por si próprio (GOUVEIA et al., 2005; MAGALHÃES; SOUZA, 2004). A Clínica Escola de Fisioterapia da Universidade Estadual de Goiás (UEG) foi criada em 1998 com intuito de oferecer atendimento fisioterapêutico em caráter ambulatorial, gratuito e de forma agendada à população de baixa renda. É evidente a importância da Clínica Escola no desenvolvimento das atividades do curso de Fisioterapia ao estabelecer o intercâmbio entre a tríade ensino, pesquisa e extensão. O Programa de Extensão intitulado Programa de promoção e educação em saúde para usuários do serviço da Clínica Escola de Fisioterapia da UEG- ESEFFEGO é uma ação extensionista da UEG, que vem sendo realizada desde 2011 com a participação de uma equipe interdisciplinar composta por docentes, discentes e técnicos administrativos da instituição. O objetivo do presente estudo é descrever o perfil dos usuários da clínica escola, a satisfação destes com o serviço oferecido e os principais temas de interesse da referida comunidade para o programa de educação em saúde. Metodologia O Programa de promoção e educação em saúde para usuários do serviço da Clínica Escola de Fisioterapia da UEG-ESEFFEGO possui três etapas distintas: a) primeira etapa - conhecimento do perfil e das necessidades dos usuários da Clínica-Escola da ESEFFEGO-UEG. Esta etapa foi realizada por meio de entrevista semi-estruturada com os usuários da Clínica-escola por meio do Questionário de Conhecimento das Necessidades dos Usuários da Clínica-Escola de Fisioterapia. O instrumento utilizado foi um questionário elaborado pelos próprios pesquisadores dividido em: informações pessoais; informações sobre aspectos clínicos e o atendimento fisioterapêutico; opinião sobre as atividades de educação em saúde e opinião sobre a clínica escola. b) segunda etapa - desenvolvimento de ações de Promoção e Educação em Saúde conforme o interesse dos Usuários da Clínica-Escola. Esta etapa vem sendo realizada por meio de oficinais de educação em saúde voltada para os temas de

3 interesse da comunidade-alvo com participação ativa dos mesmos no processo de aprendizagem. c) terceira etapa - avaliação do Programa de Extensão nos aspectos gerais de satisfação dos Usuários por meio de entrevista semi-estruturada com os usuários da Clínica-escola. A equipe executora envolve docentes, servidores e acadêmicos do curso de Fisioterapia, incluindo os estagiários da clínica Escola. No presente trabalho serão apresentados os resultados obtidos com a execução da primeira etapa do Programa. Os resultados resultaram em um estudo de natureza descritiva, de abordagem quantitativa e de corte transversal. Resultados e discussão Participaram da primeira fase do programa de extensão 129 pacientes que frequentam a Clínica Escola de Fisioterapia da ESEFFEGO - UEG. Verificou-se no estudo que a maioria dos participantes era do sexo feminino (65%), com idade média de 47 anos, de cor/etnia parda (51%), casados (47%), com nível fundamental de escolaridade (55%), vivem com uma renda entre um a dois salários mínimos (53%), não possuem plano de saúde além do Sistema Único de Saúde (70%) e não recebe benefício financeiro governamental (56%). Os resultados relacionados aos indicadores biológicos e socioeconômicos dos participantes são semelhantes ao encontrados na literatura, em que a população que se encontrava em tratamento fisioterapêutico foi predominantemente do gênero feminino (MENDONÇA; GUERRA, 2007), oriundos de classes econômicas menos favorecidas e com idade média entre 40 e 50 anos (DIAS et al., 2011; SUDA; UEMURA; VELASCO, 2009). Em relação às condições de saúde dos entrevistados, 50% responderam que possuem alguma doença crônica e 11% possuem mais de um tipo. Observou-se que a doença crônica mais predominante entre os participantes foi a hipertensão arterial (38%). A maioria dos entrevistados não praticam atividade física regular (57%), não necessitam de ajuda para realizar as atividades de vida diária (63%) e 80% perceberam benefícios após o início do tratamento fisioterápico. Considerando o tratamento realizado na clínica escola de fisioterapia, verificou-se que 73% recebem a assistência fisioterapêutica na área musculoesquelética e 35% na área neurofuncional, sendo que alguns pacientes frequentam mais de uma área de atendimento na clínica.

4 A avaliação da satisfação em relação aos serviços de saúde pelos próprios usuários é de natureza multidimensional e particular, envolvendo suas expectativas e experiências (SUDA; UEMURA; VELASCO, 2009), a relação terapeuta-paciente, e o fator socioeconômico que o indivíduo está inserido (WEISS, 1998). Os resultados em relação ao nível de satisfação dos usuários revelaram que a maioria dos usuários classifica positivamente o serviço prestado na clínica escola quanto aos aspectos de atendimento de secretárias, estrutura física, limpeza, atendimento dos estagiários e tratamento recebido. Os entrevistados também foram questionados a respeito de sugestões de mudanças no atendimento oferecido pela clínica. Verificou-se que 82% dos participantes apontaram necessidade de mudanças, enquanto 18% destacaram mudanças na estrutura física da clínica. Em relação aos temas sugeridos no programa de educação em saúde, os resultados revelaram que o tema mais escolhido foi o desejo de saber mais sobre a própria patologia (45%), seguido de alimentação saudável (25%), hipertensão arterial (23%), estresse, ansiedade e depressão (21%); orientação postural (16%), importância do sono (16%), saúde da mulher (15%), dentre outros. Conclusões Por meio dos resultados apresentados foi possível conhecer melhor o perfil socioeconômico, condições de saúde e o nível de satisfação dos usuários da clínica escola de Fisioterapia da ESEFFEGO-UEG. Além disso, foi possível verificar os temas de maior interesse da comunidade para a realização das atividades de educação em saúde. Esses resultados são fundamentais para a execução da segunda e terceira etapas do programa de extensão, pois permitem que a atividade extensionista proposta seja voltada para as necessidades do público-alvo. Referências bibliográficas BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Superior. Resolução Nº CNE/CES nº 4, de 19 de fevereiro de Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Fisioterapia. Disponível em: Acesso em: 20 de abril de 2012.

5 DIAS, A. O.; SOUZA; C. B.; PORTO, G. M.; GOMES, N. C. P.; SOARES, T. K.; CARREIRO, D. L.; COUTINHO, L. T. M.; JÚNIOR, R. F. C. M.; COUTINHO, W. L. M. Avaliação da satisfação dos usuários em relação ao atendimento fisioterapêutico prestado em clínica escola. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 15, Nº 153, Febrero, p. 1-5, GLAT, R.; FERNANDES, E. M.; PONTES M. L. Educação e saúde no atendimento integral e promoção da qualidade de vida de pessoas com deficiências. Revista Linhas, Florianópolis, v. 7, n. 2, p. 1-16, GOUVEIA, G. C.; SOUZA W. V.; LUNA, C. F.; SOUZA-JÚNIOR, P. R. B.; SZWARCWALD, C. L. Health care users' satisfaction in Brazil, Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, p , MAGALHÃES, M. S.; SOUZA, F. J. P. Avaliação da assistência fisioterapêutica sob a ótica do usuário. Revista Fisioterapia Brasil, Rio de Janeiro, v. 5, n. 5, p , set./out MENDONÇA, K. M. P. P.; GUERRA, R. O. Desenvolvimento e avaliação de um instrumento de medida da satisfação do paciente com a fisioterapia. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, v. 11, n. 5, p , set./out SUDA, E. Y.; UEMURA, M. D.; VELASCO, E. Avaliação da satisfação dos pacientes atendidos em uma clínica-escola de Fisioterapia de Santo André, SP. Fisioterapia e Pesquisa, São Paulo, v. 16, n. 2, p , WEISS, I. G. Patient satisfaction with primary medical care: evaluation of sociodemografich and predispositional factors. Medical Care, v. 26, p , FONTE FINANCIADORA: Ministério da Educação/SESu/ Edital PROEXT 2010.

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

PROJETOS COM OBJETIVOS QUE INTEGRAM ENSINO. Claudianny Amorim Noronha

PROJETOS COM OBJETIVOS QUE INTEGRAM ENSINO. Claudianny Amorim Noronha PROJETOS COM OBJETIVOS QUE INTEGRAM ENSINO Claudianny Amorim Noronha A PERSPECTIVA DE ENSINO NO EDITAL DE AÇÕES INTEGRADAS Melhoria do processo de ensino e aprendizagem dos cursos de graduação e pós-graduação,

Leia mais

RELATÓRIO GERAL PESQUISA SAPES SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO DOS EGRESSOS DO

RELATÓRIO GERAL PESQUISA SAPES SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO DOS EGRESSOS DO RELATÓRIO GERAL PESQUISA SAPES SISTEMA DE ACOMPANHAMENTO DOS EGRESSOS DO SENAI - 1ª ETAPA Alunos Concluintes 2009 Faculdade de Tecnologia Senai Ítalo Bologna SENAI Departamento Regional de Goiás Avaliação

Leia mais

O Futuro do Ensino Médico no Brasil. Mílton de Arruda Martins Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

O Futuro do Ensino Médico no Brasil. Mílton de Arruda Martins Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo O Futuro do Ensino Médico no Brasil Mílton de Arruda Martins Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo MEDICAL EDUCATION IN THE UNITED STATES AND CANADA A REPORT TO THE CARNEGIE FOUNDATION FOR

Leia mais

INSERÇÃO DO PROFISSIONAL DE NUTRIÇÃO NA SAÚDE PUBLICA

INSERÇÃO DO PROFISSIONAL DE NUTRIÇÃO NA SAÚDE PUBLICA INSERÇÃO DO PROFISSIONAL DE NUTRIÇÃO NA SAÚDE PUBLICA RESUMO Sidnéia Mardegan¹ Fabiana Skiavine Moya da Silva² ¹Acadêmica do Curso de Nutrição UNIAMERICA ²Nutricionista docente da Faculdade União das Américas

Leia mais

CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA DO EXAME CITOPATOLÓGICO NA PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO DAS MULHERES USUÁRIAS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA DO EXAME CITOPATOLÓGICO NA PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO DAS MULHERES USUÁRIAS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA DO EXAME CITOPATOLÓGICO NA DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO DAS MULHERES USUÁRIAS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE GARCIA, Thaynara Soares 1 ; MAGALHÃES, Juliana Cristina; AMARAL, Rita

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES FLORIANÓPOLIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E R N O F E D E

Leia mais

ARAÚJO, Dyego Carlos Souza Anacleto 1 ; CARNEIRO, César Alves 2 ; DUARTE, Maira Ludna 3 ; SILVA, Daiane Farias 4 ; BATISTA, Leônia Maria 5 RESUMO

ARAÚJO, Dyego Carlos Souza Anacleto 1 ; CARNEIRO, César Alves 2 ; DUARTE, Maira Ludna 3 ; SILVA, Daiane Farias 4 ; BATISTA, Leônia Maria 5 RESUMO AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO E DA UTILIZAÇÃO DA FITOTERAPIA POR PROFISSIONAIS DE UMA UNIDADE INTEGRADA DE SAÚDE DA FAMÍLIA DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA - PB ARAÚJO, Dyego Carlos Souza Anacleto 1 ; CARNEIRO,

Leia mais

APÊNDICES. Apêndice 1: Modelo e Orientações para a confecção do relatório individual de estágio

APÊNDICES. Apêndice 1: Modelo e Orientações para a confecção do relatório individual de estágio APÊNDICES Apêndice 1: Modelo e Orientações para a confecção do relatório individual de estágio UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Araraquara Curso de Química - Licenciatura

Leia mais

ENADE 2010 ENADE. Relatório da IES EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES

ENADE 2010 ENADE. Relatório da IES EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES ENADE EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DE ESTUDANTES ENADE 2010 Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE NATAL G Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas

Leia mais

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo O Que é Defensoria Pública? Defensoria Pública é instituição prevista na Constituição Federal (art.

Leia mais

PLANO DE CURSO PRÉ-REQUISITO:

PLANO DE CURSO PRÉ-REQUISITO: CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 COMPONENTE CURRICULAR: Ergonomia e Fisioterapia do Trabalho CÓDIGO: Fisio 231 CH TOTAL: 60 horas PRÉ-REQUISITO:

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 São Luis- MA 2011 1 RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA - 2011 Programa de sensibilização de discente, coordenadores

Leia mais

EXERCÍCIO FÍSICO NA TERCEIRA IDADE: NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DOS ALUNOS DA UNIVERSIDADE ABERTA A MATURIDADE EM LAGOA SÊCA/PB

EXERCÍCIO FÍSICO NA TERCEIRA IDADE: NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DOS ALUNOS DA UNIVERSIDADE ABERTA A MATURIDADE EM LAGOA SÊCA/PB EXERCÍCIO FÍSICO NA TERCEIRA IDADE: NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DOS ALUNOS DA UNIVERSIDADE ABERTA A MATURIDADE EM LAGOA SÊCA/PB Alfredo Rosas de Lima Júnior (1); Kátia Ramalho Bento Souza

Leia mais

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul PROJETO RADIOLOGIA E COMUNIDADE

29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul PROJETO RADIOLOGIA E COMUNIDADE 29º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul PROJETO RADIOLOGIA E COMUNIDADE Área temática Saúde Juliana Almeida Coelho (Coordenadora da ação de extensão) Autores: Juliana Almeida Coelho 1, Caroline

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas 1. APRESENTAÇÃO Faça um resumo claro e objetivo do projeto, considerando a situação do idoso, os dados

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO 2013.1 DADOS DO ESTÁGIO CÓDIGO ÁREA CARGA HORÁRIA PERÍODO HORÁRIO Nutrição Social 230h 7 7h30 às 12h30 SUPERVISOR(A) Eliete

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL E PROMOÇÃO AO CPC E ENADE PROENADE

POLÍTICA INSTITUCIONAL E PROMOÇÃO AO CPC E ENADE PROENADE POLÍTICA INSTITUCIONAL E PROMOÇÃO AO CPC E ENADE PROENADE POLÍTICA INSTITUCIONAL E PROMOÇÃO AO CPC E ENADE PROENADE A Política Institucional de Promoção ao CPC e ENADE PROENADE nos Cursos de Graduação

Leia mais

Fisioterapia na Atenção Primária à Saúde

Fisioterapia na Atenção Primária à Saúde Fst. Ms. Priscylla Knopp Mestre em Psicologia/ Psicologia social e da saúde UFJF/PPG-Psi Pesquisadora do Grupo de estudo e práticas sociais em Saúde Coletiva UFJF 30 out Fisioterapia na Atenção Primária

Leia mais

A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) NO MUNICÍPIO DE SANTA INÊS/MA: OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) NO MUNICÍPIO DE SANTA INÊS/MA: OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS (PAR) NO MUNICÍPIO DE SANTA INÊS/MA: OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES Eriveth Silva Teixeira¹ ¹Acadêmica do 7º período do curso

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PIRIPIRIENSE DE ENSINO SUPERIOR APES CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ - CHRISFAPI EDITAL Nº 001/2016

ASSOCIAÇÃO PIRIPIRIENSE DE ENSINO SUPERIOR APES CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ - CHRISFAPI EDITAL Nº 001/2016 ASSOCIAÇÃO PIRIPIRIENSE DE ENSINO SUPERIOR APES CHRISTUS FACULDADE DO PIAUÍ - CHRISFAPI DIRETORIA DE ENSINO EDITAL Nº 001/2016 PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA PROJETOS DE EXTENSÃO O Núcleo de Iniciação

Leia mais

Grupo de Indicadores de Clientes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) 13 de novembro de 2013

Grupo de Indicadores de Clientes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) 13 de novembro de 2013 Grupo de Indicadores de Clientes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) 13 de novembro de 2013 Relatório de Indicadores elaborado pelo Grupo de Indicadores de Clientes versão 2010 Taxa de Satisfação

Leia mais

GRAU DE SATISFAÇÃO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE NO COMÉRCIO DE VESTUÁRIO DE SÃO FRANCISCO DO SUL - SC

GRAU DE SATISFAÇÃO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE NO COMÉRCIO DE VESTUÁRIO DE SÃO FRANCISCO DO SUL - SC GRAU DE SATISFAÇÃO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE NO COMÉRCIO DE VESTUÁRIO DE SÃO FRANCISCO DO SUL - SC Larissa Vezu Baglione de Oliveira¹ Andreia Luciana da Rosa Scharmach² ¹IFC Campus São Francisco do Sul

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL APLICADA À NEUROLOGIA

Leia mais

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA AUTOR(ES):

Leia mais

ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NA PERSPECTIVA INCLUSIVA: UMA ANÁLISE DA REESTRUTURAÇÃO DAS PRÁTICAS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL

ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NA PERSPECTIVA INCLUSIVA: UMA ANÁLISE DA REESTRUTURAÇÃO DAS PRÁTICAS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NA PERSPECTIVA INCLUSIVA: UMA ANÁLISE DA REESTRUTURAÇÃO DAS PRÁTICAS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Tânia Gonçalves Martins 1 Sergio Vasconcelos de Luna 2 Rua Jacuí, 40; bl.09, apto. 402 - Floresta.

Leia mais

ATENÇÃO PRIMÁRIA AMBIENTAL: O CONHECIMENTO DO ENFERMEIRO QUE ATUA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA *

ATENÇÃO PRIMÁRIA AMBIENTAL: O CONHECIMENTO DO ENFERMEIRO QUE ATUA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA * ATENÇÃO PRIMÁRIA AMBIENTAL: O CONHECIMENTO DO ENFERMEIRO QUE ATUA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA * Andréia Centenaro 1 Elizabeth Maria Lazzarotto 2 INTRODUÇÃO: O presente estudo é centrado na atenção

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL SATISFAÇÃO

Leia mais

Como acontece a inclusão das pessoas com deficiência nos projetos de extensão em praticas aquáticas na FEF/UFG.

Como acontece a inclusão das pessoas com deficiência nos projetos de extensão em praticas aquáticas na FEF/UFG. Como acontece a inclusão das pessoas com deficiência nos projetos de extensão em praticas aquáticas na FEF/UFG. Cunha, Maycon Vasconcelos 1 ; Lima, Amanda Fonseca de 2 ; Nascimento, Oromar Augusto dos

Leia mais

EDITAL N.º 262/2016 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDITAL N.º 262/2016 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EDITAL N.º 262/216 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O VICE-REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna pública

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM FACULDADE DO NORTE GOIANO OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM Objetivos do curso O Curso de Graduação em Enfermagem tem por objetivo formar bacharel em enfermagem (enfermeiro) capaz de influenciar na construção

Leia mais

UNIOESTE - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL N 0 018/2016-PROEX

UNIOESTE - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL N 0 018/2016-PROEX UNIOESTE - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL N 0 018/2016-PROEX SELEÇÃO DE DOCENTES OPERAÇÃO TOCANTINS/ PROJETO RONDON A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE RIBEIRÃO PRETO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE RIBEIRÃO PRETO NORMAS QUE REGULARIZAM O PROGRAMA DE TUTORIA OFERECIDO AOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA FORP-USP CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA Artigo 1º - Os objetivos do Programa de Tutoria são: I Gerais: Contribuir

Leia mais

10 ANOS DE LIGA DA MAMA: AÇÃO DE EXTENSÃO VOLTADA PARA PREVENÇÃO E COMBATE DAS DOENÇAS MAMÁRIAS

10 ANOS DE LIGA DA MAMA: AÇÃO DE EXTENSÃO VOLTADA PARA PREVENÇÃO E COMBATE DAS DOENÇAS MAMÁRIAS 10 ANOS DE LIGA DA MAMA: AÇÃO DE EXTENSÃO VOLTADA PARA PREVENÇÃO E COMBATE DAS DOENÇAS MAMÁRIAS SOUZA-NETO, José Augusto; FREITAS-JUNIOR, Ruffo; CABERO, Flávia Vidal; FREITAS, Thaís Castanheira; TERRA,

Leia mais

O NÍVEL DE SERVIÇO LOGÍSTICO: SATISFAÇÃO DO CLIENTE NA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

O NÍVEL DE SERVIÇO LOGÍSTICO: SATISFAÇÃO DO CLIENTE NA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR O NÍVEL DE SERVIÇO LOGÍSTICO: SATISFAÇÃO DO CLIENTE NA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR Debora Lindoso Mamede* 1 Thatiele Guedes de Oliveira *² Inimá Indio do Brasil Júnior*³ RESUMO: O presente estudo versa

Leia mais

A avaliação de projetos pelo públicoalvo: um estudo exploratório de uma instituição universitária. Marilda Angioni

A avaliação de projetos pelo públicoalvo: um estudo exploratório de uma instituição universitária. Marilda Angioni A avaliação de projetos pelo públicoalvo: um estudo exploratório de uma instituição universitária Marilda Angioni Roteiro Avaliação Universidade Extensão Universitária Delimitação do Estudo Resultados

Leia mais

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ

ENADE Relatório da IES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ ENADE 2011 Relatório da IES G Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MOSSORÓ O V E R N O F E D E R A L PAÍS RICO

Leia mais

II FÓRUM DE INTEGRAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UFG, CAMPUS JATAÍ: A CONSTRUÇÃO DE UM ESPAÇO DE INTEGRAÇÃO E FORMAÇÃO.

II FÓRUM DE INTEGRAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UFG, CAMPUS JATAÍ: A CONSTRUÇÃO DE UM ESPAÇO DE INTEGRAÇÃO E FORMAÇÃO. II FÓRUM DE INTEGRAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UFG, CAMPUS JATAÍ: A CONSTRUÇÃO DE UM ESPAÇO DE INTEGRAÇÃO E FORMAÇÃO. PACHECO 1, Jade Alves de Souza; SOARES 2, Nayana Carvalho; SILVA 3, Bianca Fernandes

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MS/ME Nº 3.019, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007

PORTARIA INTERMINISTERIAL MS/ME Nº 3.019, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 PORTARIA INTERMINISTERIAL MS/ME Nº 3.019, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - Pró-Saúde - para os cursos de graduação da área

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia em Pneumologia Código: Fisio 219 Pré-requisito: Fisioterapia em Neurologia

Leia mais

CPA-UFPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

CPA-UFPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ 1 CPA-UFPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PLANO DE TRABALHO julho 2010/março 2011 JULHO/2010 Requisição, junto às instâncias superiores, da legitimação e participação da

Leia mais

PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA E BEM ESTAR DO FUNCIONÁRIO DA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA E BEM ESTAR DO FUNCIONÁRIO DA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE UNIVERSIDADE DE RIO VERDE PRÓ-REITORIA DE ETENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA E BEM ESTAR DO FUNCIONÁRIO DA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE 2013/1 FORMULÁRIO PARA PROJETOS DAS AÇÕES

Leia mais

O CARRO-BIBLIOTECA DA ECI/UFMG: 38 ANOS

O CARRO-BIBLIOTECA DA ECI/UFMG: 38 ANOS Adriana Bogliolo Sirihal Duarte Cíntia de Azevedo Lourenço Organizadoras O CARRO-BIBLIOTECA DA ECI/UFMG: 38 ANOS Rona Editora Belo Horizonte 2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Ciência

Leia mais

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Pais/Encarregados de Educação CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia Agrupamento de Escolas de Arganil 2º/3º CEB e Secundário

Leia mais

Formação de Merendeiras: análise das formações pelos Cecanes. Lorena Chaves Nutricionista/RT COTAN/FNDE Cecane UnB Mestranda Unifesp

Formação de Merendeiras: análise das formações pelos Cecanes. Lorena Chaves Nutricionista/RT COTAN/FNDE Cecane UnB Mestranda Unifesp Formação de Merendeiras: análise das formações pelos Cecanes Lorena Chaves Nutricionista/RT COTAN/FNDE Cecane UnB Mestranda Unifesp Estrutura de apresentação Levantamento bibliográfico Projeto de pesquisa

Leia mais

Proposta de auto avaliação continuada do curso de Jornalismo

Proposta de auto avaliação continuada do curso de Jornalismo UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS COMUNICAÇÃO SOCIAL JORNALISMO Proposta de auto avaliação continuada do curso de Jornalismo Apresentador: Giulia Micheli POZZOBON

Leia mais

PROMOÇÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS: UMA INICIATIVA DO PET- SAÚDE

PROMOÇÃO DE SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS: UMA INICIATIVA DO PET- SAÚDE 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

A PRÁTICA CURRICULAR E AS TECNOLOGIAS NAS ESCOLAS MUNICIPAIS E ESTADUAIS: desafios e possibilidades

A PRÁTICA CURRICULAR E AS TECNOLOGIAS NAS ESCOLAS MUNICIPAIS E ESTADUAIS: desafios e possibilidades 1 A PRÁTICA CURRICULAR E AS TECNOLOGIAS NAS ESCOLAS MUNICIPAIS E ESTADUAIS: desafios e possibilidades Mariana dos Reis Alexandre UNESP, Bauru/SP e-mail: mari.agd@hotmail.com Thais Cristina Rodrigues Tezani

Leia mais

LEVANTAMENTO DE DEMANDA DOS CURSOS DO PRONATEC NOS CENTROS DE REFERÊNCIAS DOS BAIRROS CENTENÁRIO E UNIÃO

LEVANTAMENTO DE DEMANDA DOS CURSOS DO PRONATEC NOS CENTROS DE REFERÊNCIAS DOS BAIRROS CENTENÁRIO E UNIÃO LEVANTAMENTO DE DEMANDA DOS CURSOS DO PRONATEC NOS CENTROS DE REFERÊNCIAS DOS BAIRROS CENTENÁRIO E UNIÃO BOA VISTA/RR 2012 Apresentação Criado no dia 26 de Outubro de 2011 com a sanção da Lei de nº 12.513/2011

Leia mais

Processo Seletivo Programa de Estágio Petrobrás CICLO 2012

Processo Seletivo Programa de Estágio Petrobrás CICLO 2012 Processo Seletivo Programa de Estágio Petrobrás CICLO 2012 O Instituto Euvaldo Lodi IEL/MA está realizando o processo seletivo para o Programa de Estágio da Petrobrás. O objetivo deste estágio é que o

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Enfermagem. Educação em Saúde. Período Pós-Parto

PALAVRAS-CHAVE Enfermagem. Educação em Saúde. Período Pós-Parto 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PROJETO CONSULTA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Pró-Reitoria de Graduação Av. dos Estados, 5001 Bairro Santa Terezinha Santo André - SP CEP 09210-580 Fone: (11) 4996.7983 gabinete.prograd@ufabc.edu.br

Leia mais

Clima Organizacional

Clima Organizacional slide 1 Clima Organizacional Maria Cristina Bohnenberger cristin@feevale.br Conceitos de Clima organizacional É a qualidade ou propriedade do ambiente organizacional que é percebida ou experimentada pelos

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação PROPOSTA DE QUALIFICAÇÃO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA NO BRASIL Brasília, Junho/2004

Leia mais

O questionário a seguir é parte do processo de avaliação de nossa Instituição. Suas respostas serão protegidas pelo mais absoluto sigilo.

O questionário a seguir é parte do processo de avaliação de nossa Instituição. Suas respostas serão protegidas pelo mais absoluto sigilo. Cuiabá, Agosto de 2008. Prezado Professor/Coordenador, O questionário a seguir é parte do processo de avaliação de nossa Instituição. Precisamos da sua participação. Para tanto, você deve responder a todas

Leia mais

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS HORIZONTINA - RS 2011 PAE Programa de Acompanhamento de Egressos I HISTÓRICO Desde 2006, ano em que formou a sua primeira turma,

Leia mais

PROGRAMA EDUCATIVO INDIVIDUAL

PROGRAMA EDUCATIVO INDIVIDUAL PROGRAMA EDUCATIVO INDIVIDUAL Decreto-Lei nº 3/2008 de 7 de janeiro Pela 1ª vez: Revisão (final de ciclo) : ESCOLA: Ano Letivo: 1. Identificação do Aluno: Nome: Data de nascimento: / / Ano: Turma: Nível

Leia mais

BLOG DA SAÚDE. Autores: Grazieli Ferreira da Rosa 1 ; Alessandra Domingues Malheiro 2 ; Ana Paula Saccol 3 ; Anderson de Souza 4 INTRODUCÃO

BLOG DA SAÚDE. Autores: Grazieli Ferreira da Rosa 1 ; Alessandra Domingues Malheiro 2 ; Ana Paula Saccol 3 ; Anderson de Souza 4 INTRODUCÃO BLOG DA SAÚDE Autores: Grazieli Ferreira da Rosa 1 ; Alessandra Domingues Malheiro 2 ; Ana Paula Saccol 3 ; Anderson de Souza 4 INTRODUCÃO Tendo o IFC a missão de proporcionar educação profissional comprometida

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA QUESTIONÁRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS ALUNOS EGRESSOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA QUESTIONÁRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS ALUNOS EGRESSOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA QUESTIONÁRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS ALUNOS EGRESSOS O acompanhamento dos discentes egressos do curso de Fisioterapia da UFSC tem o objetivo geral de promover uma avaliação

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem.

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Serafina Corrêa. Pesquisa C0006 Administrativa

Serafina Corrêa. Pesquisa C0006 Administrativa RELATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Serafina Corrêa Pesquisa C0006 Serafina Corrêa Página 1/1 METODOLOGIA Objetivo: Levantar junto aos eleitores da área em estudo, opiniões relacionadas a assuntos

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO DIRETOR

QUESTIONÁRIO DO DIRETOR QUESTIONÁRIO DO DIRETOR Caro Diretor(a): este questionário faz parte de uma importante pesquisa sobre a educação nosso estado o SPAECE. O objetivo principal é conhecer os Gestores, suas práticas de gestão

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO IV

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO IV RECEBIDO EM: / / PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO IV CURSOS DE EXTENSÃO N o TÍTULO DO CURSO ATENDIMENTO AO CLIENTE PROPONENTE IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Nome: Rosana Martins Duarte Brandestini

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA Normatiza a realização dos estágios supervisionados previstos nas Matrizes Curriculares dos Cursos Superiores de Licenciatura

Leia mais

EDITAL VER-SUS CARIRI 2ª EDIÇÃO

EDITAL VER-SUS CARIRI 2ª EDIÇÃO EDITAL VER-SUS CARIRI 2ª EDIÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO DO PROJETO DE VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DO BRASIL (VER-SUS CARIRI/BRASIL) As Secretarias de saúde de Barbalha, Juazeiro

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES 2015/1

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES 2015/1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES 2015/1 Em resposta ao Of. Circular Nº 170/2014, da Secretaria de

Leia mais

VULNERABILIDADE SOCIAL. com ênfase ao atendimento à população em situação de rua

VULNERABILIDADE SOCIAL. com ênfase ao atendimento à população em situação de rua VULNERABILIDADE SOCIAL com ênfase ao atendimento à população em situação de rua Introdução A população atendida pela Defensoria Pública é caracterizada pela hipossuficiência financeira, condição exigida

Leia mais

Banca: Prof. Dr. Wilson Galhego Garcia- Orientador - (FOA/Unesp) Profa. Dra. Nemre Adas Saliba - Orientadora - FOA/Unesp)

Banca: Prof. Dr. Wilson Galhego Garcia- Orientador - (FOA/Unesp) Profa. Dra. Nemre Adas Saliba - Orientadora - FOA/Unesp) Nome: LUIZA NAKAMA Nível: Doutorado defesa em 12/08/1999 Orientador: Wilson Galhego Garcia Banca: Prof. Dr. Wilson Galhego Garcia- Orientador - (FOA/Unesp) Profa. Dra. Nemre Adas Saliba - Orientadora -

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS Centro de Referência (CREP) PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO Coordenador: Michelle Regina

Leia mais

Conhecendo a Estratégia Nacional para o Autocuidado em

Conhecendo a Estratégia Nacional para o Autocuidado em Conhecendo a Estratégia Nacional para o Autocuidado em Diabetes Mellitus MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção a Saúde - SAS Departamento de Atenção Básica - DAB Coordenação Nacional de Hipertensão

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO PARA A QUALIDADE DE VIDA DE UM GRUPO DE IDOSAS RESIDENTES NO CONJUNTO PAJUÇARA EM NATAL RN

A IMPORTÂNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO PARA A QUALIDADE DE VIDA DE UM GRUPO DE IDOSAS RESIDENTES NO CONJUNTO PAJUÇARA EM NATAL RN A IMPORTÂNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO PARA A QUALIDADE DE VIDA DE UM GRUPO DE IDOSAS RESIDENTES NO CONJUNTO PAJUÇARA EM NATAL RN Manoel Rogério Freire da Silva roger12edufisi@hotmail.com Centro Universitário

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL MÓDULO B 2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER COMISSÃO PRÓPRIA DE

Leia mais

EDITAL N. 01, DE 13 DE OUTUBRO DE 2016

EDITAL N. 01, DE 13 DE OUTUBRO DE 2016 SELEÇÃO DE FACILITADOR DE APRENDIZAGEM CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA A ESTIMULAÇÃO PRECOCE EM CRIANÇAS COM MICROCEFALIA O Instituto de Educação do Hospital do Coração de São Paulo, por meio do Programa

Leia mais

LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS

LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS iii LISTA DE FIGURAS, GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS Capítulo I Tabela nº 1 Composição da amostragem: professores e alunos em relação às quantidades de questionários enviados/recebidos na pesquisa.. 6 Tabela

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: e-mail: INSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA Objetivo Geral Objetivos Específicos Metodologia: tratamento individualizado

TÍTULO: AUTORES: e-mail: INSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA Objetivo Geral Objetivos Específicos Metodologia: tratamento individualizado TÍTULO: PROGRAMA DE FISIOTERAPIA DO TRABALHO PROFIT LER/DORT AUTORES: Karina Duarte Souza; Ana Edite Gonçalves; Maria Aparecida Alves; Bethânia Medeiros Lopes; Gaspar de Brito Cavalcante; Adriana Araújo

Leia mais

Módulo 1 / Semestre 1 Carga horária total: 390ch Unidade Curricular. Semestral

Módulo 1 / Semestre 1 Carga horária total: 390ch Unidade Curricular. Semestral Curso Técnico Subsequente em Curso Técnico em Enfermagem Nome do Curso - Curso Técnico em Enfermagem CÂMPUS Florianópolis/SC MATRIZ CURRICULAR Módulo 1 / Semestre 1 Carga horária total: 390ch Unidade Curricular

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA (FATECIB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS, PESQUISA E EXTENSÃO (NEPE)

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA (FATECIB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS, PESQUISA E EXTENSÃO (NEPE) FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA (FATECIB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS, PESQUISA E EXTENSÃO (NEPE) 1. OBJETIVO GERAL O Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

A ENFERMAGEM E A SAÚDE DO TRABALHADOR: A EXPERIÊNCIA DE UM TRABALHO EDUCATIVO

A ENFERMAGEM E A SAÚDE DO TRABALHADOR: A EXPERIÊNCIA DE UM TRABALHO EDUCATIVO A ENFERMAGEM E A SAÚDE DO TRABALHADOR: A EXPERIÊNCIA DE UM TRABALHO EDUCATIVO Aldenôra Laísa Paiva de Carvalho 1 Cinthia Rafaela Santos Assis 1 Flaviane de Freitas Palma 1 Josiane Ribeiro Garbazza 2 Natalia

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia em Angiologia Código: Fisio 228 Pré-Requisito: ------- Período Letivo:

Leia mais

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Área de Gestão de Saúde Estrutura Organizacional Área de Gestão de Saúde Núcleo Técnico Administrativo Unidade Saúde Corporativa

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PARTICULAR: VISÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA.

EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PARTICULAR: VISÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA. EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO MÉDIO EM UMA ESCOLA PARTICULAR: VISÃO DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA. Beatriz A. Barboza do Nascimento Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho UNESP Mestranda do programa

Leia mais

CNC-CENTRO DE NEFROLOGIA DE CANINDÉ

CNC-CENTRO DE NEFROLOGIA DE CANINDÉ CNC-CENTRO DE NEFROLOGIA DE CANINDÉ Praça Frei Aurélio 1397,Centro-Canindé-Ce CEP:62.700-000 Fone:(85)3343-1826 Fax:(85)3343-1838 E-mail:cnccaninde@yahoo.com.br RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 6CCSDFTMT11 PROPOSTA DE ATIVIDADES DE UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO DA DOR PARA OS ACADÊMICOS DE FISIOTERAPIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Liliane Abrantes de Sena (1), Mariana Domingues de Miranda Pontes

Leia mais

PERFIL DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL DE ANÁPOLIS

PERFIL DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL DE ANÁPOLIS PERFIL DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL DE ANÁPOLIS Deyvison Dias Gomes1 Polyana Pâmela Ferreira Vitorino 2, Joana D arc Bardella 3 1 Graduando do curso de Ciências Econômicas do Campus Anápolis de CSEH/UEG.

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A DISCIPLINA DE CIÊNCIAS E OS ALUNOS DO 9 ANO DA ESCOLA MUNICIPAL SILVESTRE FERNANDES ROCHA, EM ZÉ DOCA (MA).

A RELAÇÃO ENTRE A DISCIPLINA DE CIÊNCIAS E OS ALUNOS DO 9 ANO DA ESCOLA MUNICIPAL SILVESTRE FERNANDES ROCHA, EM ZÉ DOCA (MA). A RELAÇÃO ENTRE A DISCIPLINA DE CIÊNCIAS E OS ALUNOS DO 9 ANO DA ESCOLA MUNICIPAL SILVESTRE FERNANDES ROCHA, EM ZÉ DOCA (MA). Rosy Caroline Sousa Amorim Lima (1); Vera Rejane Gomes (2); Mailson Martinho

Leia mais

APÊNDICE A Questionários Aplicados

APÊNDICE A Questionários Aplicados APÊNDICE A Questionários Aplicados CPA Comissão Própria de Avaliação 60 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS SERTÃOZINHO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA AUTOAVALIAÇÃO

Leia mais

ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS (AACC) EM FISIOTERAPIA

ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS (AACC) EM FISIOTERAPIA ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS (AACC) EM FISIOTERAPIA As AACC são componentes curriculares obrigatórios propostos para complementar a formação do aluno e futuro profissional. Conforme a legislação

Leia mais

Caracterização dos usuários com incontinência urinária atendidos na região Leste-Nordeste de saúde de Porto Alegre

Caracterização dos usuários com incontinência urinária atendidos na região Leste-Nordeste de saúde de Porto Alegre Caracterização dos usuários com incontinência urinária atendidos na região Leste-Nordeste de saúde de Porto Alegre Alessandra Garcia de Figueiredo Agostini Sandra Maria Cezar Leal Silvana Mara Janning

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO PATRULHENSE MERCADO DE TRABALHO: APOSENTADOS E JOVENS PERMANENTEMENTE NA LUTA. Orientadora: Carmem Zeli de Vargas

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO PATRULHENSE MERCADO DE TRABALHO: APOSENTADOS E JOVENS PERMANENTEMENTE NA LUTA. Orientadora: Carmem Zeli de Vargas ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO PATRULHENSE MERCADO DE TRABALHO: APOSENTADOS E JOVENS PERMANENTEMENTE NA LUTA Orientadora: Carmem Zeli de Vargas Santo Antônio da Patrulha 2008 2 ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO

Leia mais

METODOLOGIA RESULTADOS

METODOLOGIA RESULTADOS Popularização de Kefir no Recôncavo da Bahia: um Relato de Experiência Edleuza Oliveira Silva, i Adna de Oliveira Barbosa, Carla Alves Barbosa ii, Ferlando Lima Santos iii, INTRODUÇÃO Embora o kefir seja

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

A ATIVIDADE LÚDICA NOS PROJETOS SOCIAIS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO BOLA E CIDADANIA

A ATIVIDADE LÚDICA NOS PROJETOS SOCIAIS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO BOLA E CIDADANIA A ATIVIDADE LÚDICA NOS PROJETOS SOCIAIS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO BOLA E CIDADANIA Prof. Bruno Martins Andrade Prof. Esp. Tiago Aquino da Costa e Silva FMU Faculdades Metropolitanas Unidas/SP

Leia mais

Cadernos de Avaliação Institucional

Cadernos de Avaliação Institucional CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIRETORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO - CPA Cadernos de Avaliação Institucional Engenharia de Minas Araxá Resultado da Avaliação

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 NATAL/RN MARÇO/2012

Leia mais

PROCESSO ELEITORAL DE MEMBROS DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA COM SERES HUMANOS, DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE (CEP-UFAC)

PROCESSO ELEITORAL DE MEMBROS DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA COM SERES HUMANOS, DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE (CEP-UFAC) EDITAL N º 01, de 28 de março de 2016 O Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal do Acre (CEP-UFAC), no uso de suas atribuições e na forma do seu Regimento Interno, torna público

Leia mais

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS Escolaridade de nível superior de acordo com a NOB/RH/2006

Leia mais

RESUMO DO PROJETO DE RE-ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL DE SAÚDE/ENFERMAGEM PRÓ-SAÚDE

RESUMO DO PROJETO DE RE-ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL DE SAÚDE/ENFERMAGEM PRÓ-SAÚDE RESUMO DO PROJETO DE RE-ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL DE SAÚDE/ENFERMAGEM PRÓ-SAÚDE Trata-se de um projeto que procurou implementar a proposta curricular organizado por competência, implantada no Curso de

Leia mais

Contribuição da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI)/UERJ à formação de Cuidadores de Idosos

Contribuição da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI)/UERJ à formação de Cuidadores de Idosos Contribuição da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI)/UERJ à formação de Cuidadores de Idosos Silvia Maria Magalhães Costa Rio de Janeiro, 2016 Envelhecimento Populacional: uma conquista e um desafio

Leia mais