PLANILHA GERAL - CIRURGIA I - 1º 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANILHA GERAL - CIRURGIA I - 1º 2014"

Transcrição

1 PLANILHA GERAL - CIRURGIA I - 1º 2014 Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo 7:05 FERNANDA 204 D Apresentação da Disciplina - Formação de Grupos Ambiente cirúrgico, instalações e equipamentos, paramentação e lavagem de 8:00 FERNANDA 204 D mãos TERÇA 11/3/2014 QUARTA 12/3/2014 SEXTA 14/3/2014 7:05 FERNANDA 204 D Material cirúrgico, montagem de mesa, campos cirúrgicos e assepsia cirúrgica TERÇA 18/3/2014 LABORATORIO DE TECNICA CIRURGICA FERNANDA QUARTA 19/3/2014 LABORATORIO DE TECNICA CIRURGICA FABIO SEXTA 21/3/2014 7:05 FERNANDA 204 D Diérese, hemostasia e síntese TERÇA 25/3/2014 QUARTA 26/3/2014 LABORATORIO DE TECNICA CIRURGICA FERNANDA/FABIO/LOBAO SEXTA 28/3/2014

2 7:05 LOBÃO 204 D Tipos de incisões e de feridas 8:00 LOBÃO 204 D Suturas, fios e nós cirúrgicos TERÇA 1/4/2014 QUARTA 2/4/2014 SEXTA 4/4/2014 7:05 LOBÃO 204 D Anestesia para Cirurgia Ambulatorial TERÇA 8/4/2014 QUARTA 9/4/2014 SEXTA 11/4/2014 7:05 LOBÃO 204 D Pré, Per e Pós-operatório TERÇA 15/4/2014 QUARTA 16/4/2014 SEXTA 18/4/ :15 FERIADO 7:05 LOBÃO 204 D Bases e Distúrbios da Cicatrização; Sutura de pele, curativo e retirada de pontos TERÇA 22/4/2014

3 13:15 14:10 QUARTA 23/4/ :15 16:10 17:05 Raphael,Denny 204 D Primeiras Avaliações - Teórica e Prática 18:00 Raphael,Denny 204 D Primeiras Avaliações - Teórica e Prática DENNY - SANDRA SEXTA 25/4/2014 7:05 RAPHAEL 204 D Biopsias TERÇA 29/4/2014 QUARTA 30/4/2014 SEXTA 2/5/ :30 RECESSO 7:05 ANELISE- DERMATOLOGIA 204 D Lesões benignas de pele e tecido celular subcutâneo TERÇA 6/5/2014 QUARTA 7/5/2014 JOAO MARCOS SANDRA SEXTA 9/5/2014 7:05 ANELISE - DERMATOLOGIA 204 D Lesões pré-cancerosas de pele 8:00 ANELISE - DERMATOLOGIA 204 D Lesões pré-cancerosas de pele TERÇA 13/5/2014

4 QUARTA 14/5/2014 SEXTA 16/5/2014 TERÇA 20/5/2014 QUARTA 21/5/2014 SEXTA 23/5/2014 TERÇA 27/5/2014 QUARTA 28/5/2014 SEXTA 30/5/2014 TERÇA 3/6/2014 QUARTA 4/6/2014 FERNANDA 7:05 JOÃO MARCOS 204 D Tumores malignos de pele não melanomas JOAO MARCOS SANDRA 7:05 ANELISE - DERMATOLOGIA 204 D Lesões Pigmentadas Benignas da Pele RAPHAEL FERNANDA 7:05 RAPHAEL 204 D Melanoma

5 QUARTA 4/6/2014 MARCO AURELIO - SANDRA SEXTA 6/6/2014 7:05 SANDRA Infecções bacterianas da pele e do tecido celular subcutâneo, drenagem de 204 D abscessos e antibióticos TERÇA 10/6/2014 QUARTA 11/6/2014 FERNANDA JOAO MARCOS SEXTA 13/6/2014 TERÇA 17/6/2014 7:05 JOGOS DA COPA QUARTA 18/6/2014 SEXTA 20/6/ :15 RECESSO 7: D SANDRA TERÇA 24/6/2014 QUARTA 25/6/2014 RAPHAEL MARCO AURELIO SEXTA 27/6/2014 7: D SANDRA TERÇA 1/7/2014

6 QUARTA 2/7/2014 SEXTA 4/7/2014 TERÇA 8/7/2014 QUARTA 9/7/2014 SEXTA 11/7/2014 TERÇA 15/7/2014 QUARTA 16/7/2014 SEXTA 18/7/2014 TERÇA 22/7/2014 JOAO MARCOS - SANDRA 7:05 MAURO ÉZIO - FÁBIO Princípios de suturas de nervos, tendões, vasos, suturas musculares e 204 D aponeuroses MARCO AURELIO RAPHAEL - FERNANDA 7: D SANDRA SANDRA - MARCO AURELIO 7: D SANDRA - POLICLINICA

7 QUARTA 23/7/2014 SEXTA 25/7/ :15 RAPHAEL - FERNANDA 204 D Segunda Avaliação Prática e Teórica 14:10 RAPHAEL - FERNANDA 204 D Segunda Avaliação Prática e Teórica 15:15 RAPHAEL - FERNANDA 204 D Segunda Avaliação Prática e Teórica 16:10 RAPHAEL - FERNANDA 204 D Segunda Avaliação Prática e Teórica 17:15 RAPHAEL - FERNANDA 204 D Segunda Avaliação Prática e Teórica 18:00 RAPHAEL - FERNANDA 204 D Segunda Avaliação Prática e Teórica Versão inicial: 06/03/2014

ÉZIO/FÁBIO SIMPLICIO PRAT PRAT PRAT ÉZIO/FÁBIO SIMPLICIO PRAT PRAT ÉZIO/FÁBIO SIMPLICIO ÉZIO/FÁBIO SIMPLICIO

ÉZIO/FÁBIO SIMPLICIO PRAT PRAT PRAT ÉZIO/FÁBIO SIMPLICIO PRAT PRAT ÉZIO/FÁBIO SIMPLICIO ÉZIO/FÁBIO SIMPLICIO PLANILHA GERAL - CIRURGIA I 6º Periodo - 2º 2015 Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo 07:05 FÁBIO HENRIQUE 204 D Apresentação da Disciplina - Formação de Grupos 4/8/2015 08:00 FÁBIO HENRIQUE 204 D Amb.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA. Departamento de Cirurgia P R O G R A M A C I R U R G I A 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA. Departamento de Cirurgia P R O G R A M A C I R U R G I A 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA Departamento de Cirurgia P R O G R A M A C I R U R G I A 1 2 o. semestre / 2014 5 o. período COORDENADOR: SUBCOORDENADORA: CHEFE DO DEPARTAMENTO:

Leia mais

CLÍNICA E TÉCNICA CIRÚRGICAS (RCG 321) 2011

CLÍNICA E TÉCNICA CIRÚRGICAS (RCG 321) 2011 CLÍNICA E TÉCNICA CIRÚRGICAS (RCG 321) 2011 OBJETIVOS GERAIS Fornecer ao aluno conhecimento sobre os processos fisiológicos, fisiopatológicos, metabólicos e psicológicos envolvidos no trauma cirúrgico,

Leia mais

Módulo I: Processos Patológicos Gerais (108

Módulo I: Processos Patológicos Gerais (108 Semana Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE Turn Unidades Curiculares Seg Ter Qua Qui Sex o 3 4 5 6 7 Módulo I: Processos Patológicos Gerais ( horas) Profª.

Leia mais

CIRURGIAS DO TRATO URINÁRIO

CIRURGIAS DO TRATO URINÁRIO CIRURGIAS DO TRATO URINÁRIO DEFINIÇÃO Abertura cirúrgica da bexiga. Kystis = bexiga + tomia = incisão INDICAÇÕES: Cálculos principal indicação PRÉ-OPERATÓRIO: Suspeita ou diagnóstico Anamnese Avaliações

Leia mais

PLANO DE ENSINO NOME: CIRURGIA I. Código: CIR014. Carga horária: 75 HORAS-AULA (30 HORAS TEÓRICAS E 45 HORAS PRÁTICAS) Créditos: 05

PLANO DE ENSINO NOME: CIRURGIA I. Código: CIR014. Carga horária: 75 HORAS-AULA (30 HORAS TEÓRICAS E 45 HORAS PRÁTICAS) Créditos: 05 NOME: CIRURGIA I Código: CIR014 Carga horária: 75 HORAS-AULA (30 HORAS TEÓRICAS E 45 HORAS PRÁTICAS) Créditos: 05 Período do curso: 5 PERÍODO Pré-requisitos: IMA002 PED017 EMENTA PLANO DE ENSINO Princípios

Leia mais

Básicos Especiais. Variedade - grande

Básicos Especiais. Variedade - grande Instrumentos Básicos Especiais Variedade - grande Ponta com e sem dente Garra tipo de ranhuras Caixilho (articulação) Hastes - curtas - longas anéis cremalheira - asséptico - fixo TEMPOS CIRÚRGICOS Diérese

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA. Departamento de Cirurgia P R O G R A M A C I R U R G I A 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA. Departamento de Cirurgia P R O G R A M A C I R U R G I A 3 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA Departamento de Cirurgia P R O G R A M A C I R U R G I A 3 1 o. semestre / 2015 7 o. período COORDENADOR: Prof. Dr. Cristiano Xavier Lima SUBCOORDENADORA:

Leia mais

DISCIPLINA DE OTORRINOLARINOGOLOGIA UNESP- BOTUCATU

DISCIPLINA DE OTORRINOLARINOGOLOGIA UNESP- BOTUCATU TRAQUEOTOMIA Profa Livre Docente Regina H. Garcia Martins DISCIPLINA DE OTORRINOLARINOGOLOGIA UNESP- BOTUCATU Unesp TRAQUEOTOMIA X TRAQUEOSTOMIA INDICAÇÕES DE TRAQUEOTOMIA DESOBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS

Leia mais

CIRURGIA AMBULATORIAL

CIRURGIA AMBULATORIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA P R O G R A M A CIRURGIA AMBULATORIAL 1º semestre / 2014 8 o período COORDENADOR: PROF. CRISTIANO XAVIER LIMA SUBCOORDENADOR:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA. Departamento de Cirurgia P R O G R A M A C I R U R G I A 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA. Departamento de Cirurgia P R O G R A M A C I R U R G I A 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA Departamento de Cirurgia P R O G R A M A C I R U R G I A 2 2 o. semestre / 2014 7 o. período COORDENADOR: SUBCOORDENADOR: CHEFE DO DEPARTAMENTO:

Leia mais

Trauma. Primeiros Socorros. Trauma. Trauma. Trauma. Trauma. Conceito. Objetivos: Classificação Mecanismos. Mecanismos. Energia

Trauma. Primeiros Socorros. Trauma. Trauma. Trauma. Trauma. Conceito. Objetivos: Classificação Mecanismos. Mecanismos. Energia Primeiros Socorros Objetivos: Conceito Acontecimentos não previstos e indesejáveis que, de forma mais ou menos violenta, atingem indivíduos neles envolvidos, produzindo-lhes alguma forma de lesão ou dano.

Leia mais

CELIOTOMIA 2/9/2016 CELIOTOMIA. CELIOTOMIA (laparotomia mediana) DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO:

CELIOTOMIA 2/9/2016 CELIOTOMIA. CELIOTOMIA (laparotomia mediana) DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO: Prof a. Dr a. Aline A. Bolzan DEFINIÇÃO Abertura cirúrgica da cavidade abdominal, em qualquer região. Celio (koilia) = abdome + tomia (tome) = corte (laparotomia mediana) CLASSIFICAÇÃO: de acordo com a

Leia mais

Cirurgia de Dentes Inclusos

Cirurgia de Dentes Inclusos Pós-Graduação Cirurgia de Dentes Inclusos 16ª Edição Coordenação 2017-00 Prof. Doutor Francisco Salvado Prof. Doutor Paulo Maia Pós-Graduação Cirurgia de Dentes Inclusos A frequência de retenções dentárias

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS INFECÇÕES DE SÍTIO CIRÚRGICO (ISC)¹ MANUAL DA CCIH. POP nº 10. Versão: 01

CLASSIFICAÇÃO DAS INFECÇÕES DE SÍTIO CIRÚRGICO (ISC)¹ MANUAL DA CCIH. POP nº 10. Versão: 01 PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SÍTIO DE CIRURGIA CARDÍACA OBJETIVO Padronizar a prática de medidas preventivas para minimizar a ocorrência de infecção de sítio cirúrgico, destinadas a equipe multiprofissional

Leia mais

Profº Ms. Paula R. Galbiati Terçariol.

Profº Ms. Paula R. Galbiati Terçariol. Profº Ms. Paula R. Galbiati Terçariol. Cicatrização Após uma lesão, o processo de cicatrização é iniciado. O tecido lesionado passa por 4 fases de reparo da ferida: hemostasia, inflamação, proliferação

Leia mais

FORMULÁRIO TERMO DE CONSENTIMENTO CIRURGIA PLÁSTICA: ORELHAS - OTOPLASTIA

FORMULÁRIO TERMO DE CONSENTIMENTO CIRURGIA PLÁSTICA: ORELHAS - OTOPLASTIA FORMULÁRIO Código: FOR DC / SM nº 082 Data Emissão: 30/01/2017 Versão: 002 TERMO DE CONSENTIMENTO CIRURGIA PLÁSTICA: ORELHAS - OTOPLASTIA 1. PACIENTE NOME No. IDENTIDADE ÓRGÃO EXPEDIDOR DATA NASCIMENTO

Leia mais

Definir Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (IRAS); Definir e classificar a Infecção de Sítio Cirúrgico (ISC);

Definir Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (IRAS); Definir e classificar a Infecção de Sítio Cirúrgico (ISC); OBJETIVOS: Definir Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (IRAS); Definir e classificar a Infecção de Sítio Cirúrgico (ISC); Identificar os fatores predisponentes de ISC; Medidas de prevenção e controle

Leia mais

NOME: Cirurgia II. Código: CIR015. Carga horária: 150 horas. Créditos: 10. Período do curso: 6º período

NOME: Cirurgia II. Código: CIR015. Carga horária: 150 horas. Créditos: 10. Período do curso: 6º período NOME: Cirurgia II Código: CIR015 Carga horária: 150 horas Créditos: 10 Período do curso: 6º período Pré-requisitos: Cirurgia I; Clínica Médica II; Pediatria II; Anatomia Patológica I EMENTA PLANO DE ENSINO

Leia mais

Introdução à Medicina I. Princípios básicos de Técnica Cirurgia

Introdução à Medicina I. Princípios básicos de Técnica Cirurgia Introdução à Medicina I Princípios básicos de Técnica Cirurgia 1. Assepsia cutânea e do campo operatório 2. Posicionamento do cirurgião e do doente 3. Anestesia local 4. Material de corte, dissecção e

Leia mais

Universidade Federal da Bahia

Universidade Federal da Bahia Universidade Federal da Bahia Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia Departamento de Anatomia, Patologias e Clinicas Veterinária MEVA33-Técnica Cirúrgica Veterinária Centro Cirúrgico e Equipe Cirúrgica

Leia mais

TÉCNICAS DE CURATIVOS

TÉCNICAS DE CURATIVOS TÉCNICAS DE CURATIVOS Tipos de Curativos: O Tipo de curativo a ser realizado varia de acordo com: a Natureza Localização Tamanho da ferida. Tipos de Curativos: Em alguns casos é necessária uma compressão,

Leia mais

Dermatologia CADERNO DO PROGRAMA

Dermatologia CADERNO DO PROGRAMA RESIDÊNCIA MÉDICA Dermatologia CADERNO DO PROGRAMA Reprodução autorizada pelo autor somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino, não sendo autorizada sua reprodução para quaisquer fins

Leia mais

Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Miguel Mayer Vaz Integrante da Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Junho de 2013 Ao instrumentador compete: Preparar

Leia mais

Programa para Seleção Clínica Cirúrgica e Obstetrícia de Pequenos Animais

Programa para Seleção Clínica Cirúrgica e Obstetrícia de Pequenos Animais Programa para Seleção Clínica Cirúrgica e Obstetrícia de Pequenos Animais - Princípios cirúrgicos básicos: assepsia/antissepsia; pré, trans e pós-operatório; instrumentação cirúrgica; fundamentos em esterilização

Leia mais

Maria da Conceição Muniz Ribeiro. Mestre em Enfermagem (UERJ)

Maria da Conceição Muniz Ribeiro. Mestre em Enfermagem (UERJ) Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem (UERJ) A principal meta da intervenção perioperatória é a prevenção de infecções na incisão. As ações tomadas pela equipe no perioperatório podem representar

Leia mais

3º É expressamente vedado ao candidato efetivar mais de uma inscrição, sob pena de se anularem todas que fizer.

3º É expressamente vedado ao candidato efetivar mais de uma inscrição, sob pena de se anularem todas que fizer. PROCESSO SELETIVO PROCESSO SELETIVO LACIP 2017 EDITAL Nº 01/2017 A Coordenação da Liga Acadêmica de Cirurgia Plástica (LACIP) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) comunica a abertura das inscrições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UFCG UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS DA VIDA UACV CENTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES CFP

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UFCG UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS DA VIDA UACV CENTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES CFP Liga Acadêmica de Cirurgia Ambulatorial - LACE FIOS CIRÚRGICOS Rayane Figueirêdo Lucena UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UFCG UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS DA VIDA UACV CENTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Leia mais

Resolução CNRM Nº 11, de 10 de agosto de 2005

Resolução CNRM Nº 11, de 10 de agosto de 2005 Resolução CNRM Nº 11, de 10 de agosto de 2005 Dispõe sobre conteúdos do Programa de Residência Médica de Cirurgia Geral e Cirurgia Geral Programa Avançado. O Presidente da Comissão Nacional de Residência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA DISCIPLINA DE TÉCNICA CIRÚRGICA 5 O. PERÍODO P R O G R A M A

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA DISCIPLINA DE TÉCNICA CIRÚRGICA 5 O. PERÍODO P R O G R A M A 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA DISCIPLINA DE TÉCNICA CIRÚRGICA 5 O. PERÍODO P R O G R A M A 2 O. SEMESTRE/2013 COORDENADOR: PROF. LUIZ RONALDO ALBERTI

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

Rol Descrição do Rol de Procedimentos Médicos Unimed Qtdade

Rol Descrição do Rol de Procedimentos Médicos Unimed Qtdade Rol Descrição do Rol de Procedimentos Médicos Unimed Qtdade 0002 Consulta em consultório (no horário normal ou preestabelecido) 00039 Consulta em pronto socorro 00209 Visita hospitalar (paciente internado)

Leia mais

Prof. Diogo Mayer Fernandes Medicina Veterinária Faculdade Anhanguera de Dourados Patologia e Clínica Cirúrgica I

Prof. Diogo Mayer Fernandes Medicina Veterinária Faculdade Anhanguera de Dourados Patologia e Clínica Cirúrgica I Prof. Diogo Mayer Fernandes Medicina Veterinária Faculdade Anhanguera de Dourados Patologia e Clínica Cirúrgica I TÉCNICAS DE ASSEPSIA CIRÚRGICA ÍNDICE DE INFECÇÕES 5.5% IMPLICA NO RESULTADO DO PROCEDIMENTO

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Prof. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município:TUPÃ Eixo Tecnológico:: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Qualificação Técnica de Nível Médio de

Leia mais

INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM NA FERIDA OPERATÓRIA

INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM NA FERIDA OPERATÓRIA Associação Beneficente Pró-Matre INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM NA FERIDA OPERATÓRIA Vitória 2013 Enfª Katiusi R. Christ Associação Beneficente Pró-Matre Instituição Filantrópica; Realiza em média 400 a 450

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO 1. Titulo: RETIRADA DE PONTOS DE SUTURA 2. Definição: Consiste na remoção de pontos de sutura, que são utilizados para fixar um dispositivo ou aproximar as bordas de uma lesão, com o intuito de facilitar

Leia mais

IRAS: Infecção do Sítio Cirúrgico e Prevenção. Magda de Souza da Conceição Infectologista Outubro/2016

IRAS: Infecção do Sítio Cirúrgico e Prevenção. Magda de Souza da Conceição Infectologista Outubro/2016 IRAS: Infecção do Sítio Cirúrgico e Prevenção Magda de Souza da Conceição Infectologista Outubro/2016 Introdução A infecção de sítio cirúrgico (ISC) é responsável por 20% das IRAS nos EUA; Aproximadamente

Leia mais

Sistema PARS para tendão de Aquiles Técnica cirúrgica

Sistema PARS para tendão de Aquiles Técnica cirúrgica Sistema PARS para tendão de Aquiles Técnica cirúrgica Sistema PARS para tendão de Aquiles Sistema PARS para tendão de Aquiles As rupturas do tendão de Aquiles são comuns em atletas de elite e recreacionais

Leia mais

Grupo de Medicina do Esporte e do Exercício HCFMUSP

Grupo de Medicina do Esporte e do Exercício HCFMUSP Dr. Arnaldo Hernandez Dr. André Pedrinelli Dr. Julio Nardelli Dr. Marco Antônio Ambrósio Dr. Adriano Almeida Dr.Thiago Lazzaretti Dr Malcon Botteon João Vitor Bohana MR1 Ortopedia e traumatologia Grupo

Leia mais

PLANILHA GERAL - CIRURGIA III - 1º 2013

PLANILHA GERAL - CIRURGIA III - 1º 2013 Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo 07:05 João Marcos 202 D DRENOS E SONDAS 08:00 Raphael 202 D História da Cirurgia TERÇA 11/3/2014 08:55 Fernanda 202 D CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS 10:00 Raphael 202 D Anatomia

Leia mais

DISCIPLINA: ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO E CENTRO DE MATERIAL

DISCIPLINA: ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO E CENTRO DE MATERIAL DISCIPLINA: ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO E CENTRO DE MATERIAL Disciplina: Enfermagem em Centro Cirúrgico e Centro de Material Carga horária total: 120 horas, sendo 90 teórico-práticas e 30 teóricas Coordenador:

Leia mais

18:30 SESSÃO ANATOMOCLÍNICA E RADIOLÓGICA - Abdome agudo Denny + Fernanda

18:30 SESSÃO ANATOMOCLÍNICA E RADIOLÓGICA - Abdome agudo Denny + Fernanda DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR 31/07/17 17:00 Apresentação do internato Fernanda + Joao Marcos 04/08/17 13:15 Tratamento do trauma agudo - avaliação 1a e 2ária Fernanda 14:10 Trauma Abdominal

Leia mais

CONSÓRCIO PÚBLICO DA REGIÃO POLINORTE (Aracruz Fundão Ibiraçú João Neiva Santa Teresa São Roque do Canaã)

CONSÓRCIO PÚBLICO DA REGIÃO POLINORTE (Aracruz Fundão Ibiraçú João Neiva Santa Teresa São Roque do Canaã) TABELA DE VALORES DE PROCEDIMENTOS CIM POLINORTE Atualizada em 02/12/2011 em reunião no Consórcio Público da Região Polinorte pela Câmara Setorial de Saúde. Nº PROCEDIMENTOS 1. Consulta: Psicologia, Fisioterapia,

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA INSTRUMENTAÇÃO DA GAS- TRECTOMIA À REICHEL-POLYA

SISTEMATIZAÇÃO DA INSTRUMENTAÇÃO DA GAS- TRECTOMIA À REICHEL-POLYA REVISTA DE MEDICINA Maio-Junho, 1945 181 FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO l. a Cadeira de Clínica Cirúrgica: Prof. Alipio Correia Neto SISTEMATIZAÇÃO DA INSTRUMENTAÇÃO DA GAS- TRECTOMIA

Leia mais

(PRECOCE-TARDIO ). *MEDIATO.

(PRECOCE-TARDIO ). *MEDIATO. PÓS-OPERATÓRIO PERÍODOS IMEDIATO. (PRECOCE-TARDIO ). *MEDIATO. PÓS-OPERATÓRIO COMPLICAÇÕES DO P.O. IMEDIATO S.C.V. : PRESSÃO,RITMO,FREQUÊNCIA. (anestesia,volemia,hipóxia ) S.R. : HIPÓXIA (anest.,volemia,mecânica).

Leia mais

RELATO DE CASO OFTALMOLÓGICO CIRÚRGICO DE UM PORQUINHO DA ÍNDIA Cavia porcellus. Introdução

RELATO DE CASO OFTALMOLÓGICO CIRÚRGICO DE UM PORQUINHO DA ÍNDIA Cavia porcellus. Introdução 277 RELATO DE CASO OFTALMOLÓGICO CIRÚRGICO DE UM PORQUINHO DA ÍNDIA Cavia porcellus Carlos Henrique Oliveira Silva¹, Janaíne Adriana Felipe¹, José Daniel de Assis Junior¹, Luís Eugênio Franklin Augusto²,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013

Plano de Trabalho Docente 2013 Plano de Trabalho Docente 2013 ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Auxiliar de Enfermagem Qualificação: Sem qualificação

Leia mais

UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO. Departamento Odontologia

UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO. Departamento Odontologia UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Nome da disciplina Cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial II Departamento Odontologia

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec:Prof. Massuyuki Kawano Código: 136 Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação: Auxiliar

Leia mais

Fulguração: Coagulação superficial elimina pequenas proliferações celulares cutâneas e remove manchas.

Fulguração: Coagulação superficial elimina pequenas proliferações celulares cutâneas e remove manchas. Unidade Eletrocirurgica Conceito O Equipamento Eletrocirúrgico de Alta Frequência (EEAF), também denominado bisturi eletrônico ou unidade eletrocirúrgica (UEC), é um equipamento que permite a passagem

Leia mais

ANEXO PT/SAS/MS Nº 143 DE 13 DE MAIO DE 2009 GRUPO II GRUPO III

ANEXO PT/SAS/MS Nº 143 DE 13 DE MAIO DE 2009 GRUPO II GRUPO III ANEXO PT/SAS/MS Nº 143 DE 13 DE MAIO DE 2009 GRUPO II 0209030011 - HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA Nome: HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA 0209040017 - BRONCOSCOPIA (BRONCOFIBROSCOPIA) CBO: 223120 0301010170 - CONSULTA/AVALIAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO A...4 C...4 D... 6 E... 6 G... 6 H...7 I...7 M...7 N... 8 O... 8 P... 8 Q... 9 R... 9 T... 9 U...10

SUMÁRIO A...4 C...4 D... 6 E... 6 G... 6 H...7 I...7 M...7 N... 8 O... 8 P... 8 Q... 9 R... 9 T... 9 U...10 GLOSSÁRIO CLIENTE INTRODUÇÃO Este glossário foi desenvolvido pela Unimed Vale do Sinos com o objetivo de aproximar o cliente e a comunidade da cooperativa, por meio de esclarecimentos de diversos conceitos

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2014

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2014 Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETE MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA - SP Eixo Tecnológico: SAÚDE Habilitação

Leia mais

CRONOGRAMA ETP/ESAI II - 1º SEMESTRE/2011* MARÇO - 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira 15 PC/PD

CRONOGRAMA ETP/ESAI II - 1º SEMESTRE/2011* MARÇO - 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira 15 PC/PD UFF/EEAAC/MEM/Disciplina: Enfermagem na Saúde do Adulto e do Idoso II Equipe: Profª Dr ª Santana, Prof ª Dr ª Lima, Prof ª Ms ª Gentile, Prof ª Msª Silva Fassarella, Profª Msnda Ribeiro Bitencourt Monitores:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013

Plano de Trabalho Docente 2013 Plano de Trabalho Docente 2013 ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Auxiliar de Enfermagem Qualificação: Sem qualificação

Leia mais

FERNANDO ALVES, VITOR CARVALHEIRO, ALFREDO G. AGOSTINHO, PAULO DONATO, A.O. PINTO, J.F. COSTA

FERNANDO ALVES, VITOR CARVALHEIRO, ALFREDO G. AGOSTINHO, PAULO DONATO, A.O. PINTO, J.F. COSTA RADIOLOGIA DE INTERVENÇÃO FERNANDO ALVES, VITOR CARVALHEIRO, ALFREDO G. AGOSTINHO, PAULO DONATO, A.O. PINTO, J.F. COSTA Clínica Universitária de Radiologia-CHUC Dir: Prof. Doutor F. Caseiro-Alves COIMBRA

Leia mais

Assistência de enfermagem no período pré-operatório. Aline Carrilho Menezes

Assistência de enfermagem no período pré-operatório. Aline Carrilho Menezes Assistência de enfermagem no período pré-operatório Aline Carrilho Menezes Técnico e auxiliar de enfermagem A sua participação é importante e vital no transcorrer do ato anestésico-cirúrgico para a promoção

Leia mais

Parede abdominal Ântero-lateral. Anatomia Aplicada a Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges

Parede abdominal Ântero-lateral. Anatomia Aplicada a Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges Parede abdominal Ântero-lateral Anatomia Aplicada a Medicina IV Prof. Sérvulo Luiz Borges Abdome A parte do tronco entre o tórax e a pelve, possui paredes musculotendíneas, exceto posteriormente onde a

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

Altair da Silva Costa Júnior

Altair da Silva Costa Júnior 1 O seu médico recomendou a cirurgia do pulmão porque é a melhor forma para tratar a sua doença. Provavelmente você deve ter realizado diversos exames para a decisão da cirurgia, em conjunto com seu médico.

Leia mais

APÊNDICE NOMENCLATURA SUS PARA PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS SELECIONADOS

APÊNDICE NOMENCLATURA SUS PARA PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS SELECIONADOS APÊNDICE NOMENCLATURA SUS PARA PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS SELECIONADOS NOMENCLATURA PARA NOTIFICAÇÃO Apendicectomia CRITÉRIO PARA NOTIFICAÇÃO remoção do apêndice (não acidental por outro procedimento), realizada

Leia mais

Suturas. Carlos Mesquita. Hospitais da Universidade de Coimbra

Suturas. Carlos Mesquita. Hospitais da Universidade de Coimbra Carlos Mesquita Hospitais da Universidade de Coimbra - classificação INTERROMPIDAS / PONTOS SEPARADOS os nós são dados e os fios cortados após uma ou duas passagens através dos tecidos cada nó é uma entidade

Leia mais

CIRURGIAS RESPIRATÓRIO CICATRIZAÇÃO RESPIRATORIO CRIPTORQUIDECTOMIA

CIRURGIAS RESPIRATÓRIO CICATRIZAÇÃO RESPIRATORIO CRIPTORQUIDECTOMIA CIRURGIAS RESPIRATÓRIO CICATRIZAÇÃO RESPIRATORIO CRIPTORQUIDECTOMIA Prof. Esp. Walderson Zuza 1 CIRURGIA DO TRATO RESPIRATÓRIO EM EQUINOS 2 TRAQUEOSTOMIA Pode ser realizada de urgência ou eletiva. As situações

Leia mais

Prof. Diogo Mayer Fernandes Técnica Cirúrgica Medicina Veterinária

Prof. Diogo Mayer Fernandes Técnica Cirúrgica Medicina Veterinária Prof. Diogo Mayer Fernandes Técnica Cirúrgica Medicina Veterinária PRIMÁRIA OU POR INTERVENÇÃO CIRÚRGICA EXÓGENO Centro Cirúrgico Equipe Cirúrgica Materiais e Instrumentos Instalações Cirúrgicas ENDÓGENA

Leia mais

LAPAROTOMIA. Profª Paola Castro Moraes

LAPAROTOMIA. Profª Paola Castro Moraes LAPAROTOMIA Profª Paola Castro Moraes DEFINIÇÃO Abertura da cavidade abdominal com a finalidade de se estabelecer um acesso cirúrgico rgico aos órgãos abdominais. APAROTOMIA 1 2 3 A 4 5 6 B 7 8 9 C DIVISÃO

Leia mais

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DE SITIO CIRÚRGICO - ISC

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DE SITIO CIRÚRGICO - ISC PREVENÇÃO INFECÇÃO M Pr04 Data de Emissão: 1 de 10 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial EB, MS RESUMO Considera-se infecção de sitio cirúrgico (ISC)

Leia mais

1, 3, 8, 12, 16, 17, 18, 20, 21, 23, 24, 31, 34, 38, 42, 43, 44, 46, 49, 54, 60, 64, 66, 68, 70, 71, 72, 73, 79, 80, 82, 88, 97, 99, INDEFERIDOS

1, 3, 8, 12, 16, 17, 18, 20, 21, 23, 24, 31, 34, 38, 42, 43, 44, 46, 49, 54, 60, 64, 66, 68, 70, 71, 72, 73, 79, 80, 82, 88, 97, 99, INDEFERIDOS NÍVEL SUPERIOR Questões 1, 3, 8, 12, 16, 17, 18, 20, 21, 23, 24, 31, 34, 38, 42, 43, 44, 46, 49, 54, 60, 64, 66, 68, 70, 71, 72, 73, 79, 80, 82, 88, 97, 99, 100 - INDEFERIDOS QUESTÃO 1 Além de rara (1/35000

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O(A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao

Leia mais

ESCALA DE CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS CIRÚRGICAS EM CADELAS E GATAS

ESCALA DE CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS CIRÚRGICAS EM CADELAS E GATAS ESCALA DE CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS CIRÚRGICAS EM CADELAS E GATAS Flávia Jardim Carneiro de Souza (1) ; Rodolfo Malagó (2) 1 Centro Universitário de Itajubá (FEPI), Medicina Veterinária, flavijard@hotmail.com.

Leia mais

Técnicas em Ortopedia Tratamento das fraturas da diáfise do úmero com pinos intramedulares de Ender

Técnicas em Ortopedia Tratamento das fraturas da diáfise do úmero com pinos intramedulares de Ender Técnicas em Ortopedia Tratamento das fraturas da diáfise do úmero com pinos intramedulares de Ender Dr. Fabiano Rebouças Ribeiro 1, Dr. Rômulo Brasil Filho 2, Dr.Cantidio S. Filardi Filho 3, Dr. Eduardo

Leia mais

CONSÓRCIO PÚBLICO DA REGIÃO POLINORTE (Aracruz Fundão Ibiraçú João Neiva Santa Teresa São Roque do Canaã)

CONSÓRCIO PÚBLICO DA REGIÃO POLINORTE (Aracruz Fundão Ibiraçú João Neiva Santa Teresa São Roque do Canaã) TABELA DE VALORES DE PROCEDIMENTOS CIM POLINORTE Atualizada em 16/02/2012 em reunião no Consórcio Público da Região Polinorte pela Assembléia Geral. Nº VALOR PROCEDIMENTOS R$ 1. Consulta: Psicologia, Fisioterapia,

Leia mais

Palavras-chave: Cirurgia Bucal; Patologia bucal; Drenagem; Controle de Infecções Dentárias.

Palavras-chave: Cirurgia Bucal; Patologia bucal; Drenagem; Controle de Infecções Dentárias. Aspectos relevantes da celulite facial: O que o cirurgiãodentista precisa COMUNICAÇÃO ORAL https://publicacoesacademicas.fcrs.edu.br Cynthia Yanne Bezerra de Carvalho Kaline Hélen Batista Lima Lara Carvalho

Leia mais

Cirurgia Micrográfica de Mohs

Cirurgia Micrográfica de Mohs Cirurgia Micrográfica de Mohs O câncer de pele está cada vez mais predominante, e estima-se que cerca de 20% da população mundial desenvolverá câncer de pele em sua vida. Felizmente, o câncer de pele tem

Leia mais

DISTÚRBIOS DAS PÁLPEBRAS

DISTÚRBIOS DAS PÁLPEBRAS DISTÚRBIO DAS PÁLPEBRAS SAÚDE DO ADULTO PROFª: FLÁVIA NUNES DISTÚRBIOS DAS PÁLPEBRAS As pálpebras são particularmente vulneráveis a infecções por estarem constantemente expostas aos objetos no ambiente,

Leia mais

CONSÓRCIO PÚBLICO DA REGIÃO POLINORTE (Aracruz Fundão Ibiraçú João Neiva Santa Teresa São Roque do Canaã)

CONSÓRCIO PÚBLICO DA REGIÃO POLINORTE (Aracruz Fundão Ibiraçú João Neiva Santa Teresa São Roque do Canaã) TABELA DE VALORES DE PROCEDIMENTOS CIM POLINORTE Atualizada em 16/02/2012 em reunião no Consórcio Público da Região Polinorte pela Assembléia Geral. Nº VALOR PROCEDIMENTOS R$ 1. Consulta: Psicologia, Fisioterapia,

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PIELOLITOTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (CALCULOSE RENAL).

CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PIELOLITOTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (CALCULOSE RENAL). CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PIELOLITOTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (CALCULOSE RENAL). Eu, abaixo assinado, autorizo o Dr....e/ou os seus assistentes a realizar uma PIELOLITOTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (remoção

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIAS. Disciplina:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIAS. Disciplina: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIAS Disciplina: Técnica Cirúrgica e Anestesiologia Veterinárias CCV-005 Prof. Álvaro Enéas Ribeiro

Leia mais

FÍSTULA EM FACE LATERAL DE MEMBRO PÉLVICO DE CADELA, CAUSADA POR REAÇÃO AO FIO DE SUTURA UTILIZADO EM OVÁRIO-HISTERECTOMIA

FÍSTULA EM FACE LATERAL DE MEMBRO PÉLVICO DE CADELA, CAUSADA POR REAÇÃO AO FIO DE SUTURA UTILIZADO EM OVÁRIO-HISTERECTOMIA 187 FÍSTULA EM FACE LATERAL DE MEMBRO PÉLVICO DE CADELA, CAUSADA POR REAÇÃO AO FIO DE SUTURA UTILIZADO EM OVÁRIO-HISTERECTOMIA Liliane Fernandes Moreira 1, Kelly Cristine de Sousa Pontes 2, Sâmara Turbay

Leia mais

Visão quando da proposição do termo, no ambiente hospitalar: Ação obtida com o emprego de um Agente Químico (Antisséptico)

Visão quando da proposição do termo, no ambiente hospitalar: Ação obtida com o emprego de um Agente Químico (Antisséptico) Visão quando da proposição do termo, no ambiente hospitalar: A N T I S E P S I A Antes da Reforma Ortográfica Prevenção, Eliminação,... Que causa Infecção Agentes de Infecção Ação obtida com o emprego

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec:Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: SEM CERTIFICAÇÃO TÉCNICA Qualificação:TÉCNICO

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O(A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao

Leia mais

IMPERMEÁVEL E ABSORVENTE. O Curativo Transparente com Compressa Absorvente consiste de:

IMPERMEÁVEL E ABSORVENTE. O Curativo Transparente com Compressa Absorvente consiste de: 3BOLETIM TÉCNICO TEGADERM TM PAD Curativo transparente com compressa absorvente IMPERMEÁVEL E ABSORVENTE DESCRIÇÃO DO PRODUTO O Curativo Transparente com Compressa Absorvente consiste de: DORSO - Filme

Leia mais

Cuidados Pré, Trans e Pós-Operatório. Prof. Diogo Mayer Fernandes Técnica Cirúrgica Medicina veterinária Faculdade Anhanguera de Dourados

Cuidados Pré, Trans e Pós-Operatório. Prof. Diogo Mayer Fernandes Técnica Cirúrgica Medicina veterinária Faculdade Anhanguera de Dourados Cuidados Pré, Trans e Pós-Operatório Prof. Diogo Mayer Fernandes Técnica Cirúrgica Medicina veterinária Faculdade Anhanguera de Dourados RISCO CIRÚRGICO = INFECÇÃO 1. ÁREAS CIRÚRGICAS 2. PRINCÍPIOS DE

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

PLANO DE CURSO 8 PERÍODO ANO:

PLANO DE CURSO 8 PERÍODO ANO: PLANO DE CURSO 8 PERÍODO ANO: 2013.2 CURSO: MEDICINA DISCIPLINA: ANESTESIOLOGIA CARGA HORÁRIA: 72 horas PROFESSOR TITULAR: MIGUEL DE LEMOS NETO PROFESSORES: ANDERSON TEIXEIRA EMENTA O ensino da disciplina

Leia mais

Reparo do tendão do bíceps distal utilizando o BicepsButton e a técnica Tension-Slide. Técnica cirúrgica. Reparo do bíceps distal

Reparo do tendão do bíceps distal utilizando o BicepsButton e a técnica Tension-Slide. Técnica cirúrgica. Reparo do bíceps distal Reparo do tendão do bíceps distal utilizando o BicepsButton e a técnica Tension-Slide Técnica cirúrgica Reparo do bíceps distal Reparo do tendão do bíceps distal usando o BicepsButton e a técnica Tension-Slide

Leia mais

Lifting da Face - Terço Inferior

Lifting da Face - Terço Inferior Lifting da Face - Terço Inferior A identidade humana é determinada primeiramente pelo rosto sua estrutura, aparência e expressões. As alterações determinadas pela idade que afetam a aparência do rosto

Leia mais