Capítulo I: Elementos de Fixação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo I: Elementos de Fixação"

Transcrição

1 Capítulo I: Elementos de Fixação Profª. Luziane M. Barbosa 1 Profª. Luziane M. Barbosa 2 1

2 Profª. Luziane M. Barbosa 3 Uniões Móveis Permanentes Profª. Luziane M. Barbosa 4 2

3 PINOS Funções: Possibilitar articulação entre duas peças; Servir como guia em operações de montagem; Fixar peças; Profª. Luziane M. Barbosa 5 Profª. Luziane M. Barbosa 6 3

4 Profª. Luziane M. Barbosa 7 Profª. Luziane M. Barbosa 8 4

5 Tipos de pinos Os pinos se diferenciam-se de acordo com a utilização, e variam: Forma; Tolerâncias dimensionais; Acabamento superficial; Material; Tratamento térmico. Profª. Luziane M. Barbosa 9 Pinos O principal esforço a que os pinos estão sujeitos, de modo geral é ao cisalhamento e flexão; Quanto menor a distância entre os pinos para alinhamento maior será a precisão no ajuste; Profª. Luziane M. Barbosa 10 5

6 Esforços Profª. Luziane M. Barbosa 11 Cilíndrico paralelo ou pino de juste Profª. Luziane M. Barbosa 12 6

7 Liso com furo para cupilha Profª. Luziane M. Barbosa 13 Com cabeça e furo para cupilhas Profª. Luziane M. Barbosa 14 7

8 Com cabeça e ponta roscada Profª. Luziane M. Barbosa 15 Pino de segurança É usado principalmente em máquinasferramentas. Em caso de sobrecarga este pino rompe impedindo que componentes mais caros sejam danificados. Profª. Luziane M. Barbosa 16 8

9 Pino Cônico Usado na construção de máquinas, pois permite várias desmontagens sem prejudicar o alinhamento de seus componentes. Permite compensar desgastes; Função: Centragem Profª. Luziane M. Barbosa 17 Pinos Cônicos Profª. Luziane M. Barbosa 18 9

10 Pino Guia Serve para alinhar elementos de máquinas. A distância entre os pinos deve ser bem calculada para evitar o risco de ruptura. Profª. Luziane M. Barbosa 19 Pino Elástico Também conhecido como pino elástico, é fabricado de fita de aço mpla enrolada. Quando introduzido, a fenda permanece aberta gerando o aperto. Este elemento tem grande emprego como pino de fixação, de segurança e de ajuste. Seu uso dispensa alargador. Profª. Luziane M. Barbosa 20 10

11 Pino Elástico Connex exige maior força no ajuste Profª. Luziane M. Barbosa 21 Cavilha As cavilhas, também, são chamados pinos estriados, pinos entalhados, pinos ranhurados. Profª. Luziane M. Barbosa 22 11

12 Pino ou Cavilha? A diferença entre pinos e cavilhas leva em conta o formato dos elementos e suas aplicações. Pinos são usados para junções de peças que se articulam entre si. Cavilhas são utilizadas em conjuntos sem articulações; Profª. Luziane M. Barbosa 23 Cavilhas A forma e o comprimento dos entalhes determinam os tipos de cavilha. Profª. Luziane M. Barbosa 24 12

13 Classificação Cavilhas Profª. Luziane M. Barbosa 25 Cupilhas e Contrapinos Profª. Luziane M. Barbosa 26 13

14 ANÉIS ELÁSTICOS Profª. Luziane M. Barbosa 27 ANÉIS ELÁSTICOS Profª. Luziane M. Barbosa 28 14

15 Funções: Evitar deslocamento axial de peças ou componentes. Posicionar ou limitar o curso de uma peça ou conjunto deslizante sobre o eixo. Profª. Luziane M. Barbosa 29 Aplicações Profª. Luziane M. Barbosa 30 15

16 Material Aço Mola Profª. Luziane M. Barbosa 31 Pontos importantes A dureza do anel deve ser adequada aos elementos que trabalham com ele. As condições de operação são caracterizadas por meio de vibrações, impacto, flexão, alta temperatura ou atrito excessivo. A igualdade de pressão em volta da canaleta assegura aderência e resistência. O anel nunca deve estar solto, mas alojado no fundo da canaleta, com certa pressão. Dimensionamento correto do anel e do alojamento. Profª. Luziane M. Barbosa 32 16

17 Continuação... A superfície do anel deve estar livre de rebarbas, fissuras e oxidações. Em aplicações sujeitas à corrosão, os anéis devem receber tratamento anticorrosivo adequado. Utilizar ferramentas adequadas na montagem para evitar danos ao anel. Profª. Luziane M. Barbosa 33 Montagem Profª. Luziane M. Barbosa 34 17

18 Dimensionamento Profª. Luziane M. Barbosa 35 Dimensionamento Profª. Luziane M. Barbosa 36 18

19 CHAVETAS Profª. Luziane M. Barbosa 37 Chavetas As chavetas, tem por finalidade ligar dois elementos mecânicos permitindo a transmissão de movimentos. Profª. Luziane M. Barbosa 38 19

20 CHAVETAS Profª. Luziane M. Barbosa 39 CHAVETAS As chavetas tem por finalidade ligar dois elementos mecânicos permitindo a transmissão de movimentos. Profª. Luziane M. Barbosa 40 20

21 Chavetas Como já vimos, chaveta é um corpo prismático que pode ter faces paralelas ou inclinadas. Alguns tipos de chaveta: Profª. Luziane M. Barbosa 41 Chavetas Padronizadas Chavetas Paralelas conforme Norma Din 6885 Chavetas Meia Lua conforme Norma Din 6888 Aplicação: CG, ML, Cargo, Today, Titan 125 Profª. Luziane M. Barbosa 42 21

22 Chavetas com cabeça Chaveta com cabeça conforme a norma Din 6887 Permite ajuste firme. Perfil para chavetas no comprimento de 500mm. Fabricante em aço 1045, retificadas em alturas e larguras tolerâncias h9. Profª. Luziane M. Barbosa 43 Chavetas Especiais Chavetas Especiais conforme o desenho Função: Serve de Aperto. Chaveta AÇO INOX. Profª. Luziane M. Barbosa 44 22

23 Exemplos de chavetas.2 Chaveta meia-lua ou de disco Chaveta meia-lua, paralelas, e chavetas roscadas. Profª. Luziane M. Barbosa 45 Classificação Chavetas de cunha; Chavetas paralelas; Chavetas de disco. Profª. Luziane M. Barbosa 46 23

24 Rosca Rosca é um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica. As roscas permitem a união e desmontagem de conjuntos mecânicos como também é usada para movimentar peças. Profª. Luziane M. Barbosa 47 ROSCAS Os parafusos que fixam a morsa na base e o parafuso que movimenta a mandíbula servem como exemplo. Profª. Luziane M. Barbosa 48 24

25 Características das roscas Entrada é o início da rosca. As roscas podem ter uma ou mais entradas. As roscas com mais de uma entrada são usadas quando é necessário um avanço mais rápido do parafuso na porca ou vice-versa. Avanço (A) é a distância que o parafuso ou a porca percorre em relação ao seu eixo, quando completa uma rotação. Rotação (R) é uma volta completa do parafuso ou da porca em relação ao seu eixo. Quando o avanço é igual ao passo, diz-se que a porca é de uma entrada. Passo (P) é a distância entre dois filetes consecutivos. Profª. Luziane M. Barbosa 49 Profª. Luziane M. Barbosa 50 25

26 Número de entradas Profª. Luziane M. Barbosa 51 Rosca à direita é aquela em que o parafuso ou a porca avança girando no sentido dos ponteiros do relógio. Profª. Luziane M. Barbosa 52 26

27 Rosca esquerda Rosca à esquerda é aquela em que o parafuso ou a porca avança girando no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. Profª. Luziane M. Barbosa 53 Tipos de roscas Profª. Luziane M. Barbosa 54 27

28 Profª. Luziane M. Barbosa 55 Elementos de Fixação Profª. Luziane M. Barbosa 56 28

29 Profª. Luziane M. Barbosa 57 Profª. Luziane M. Barbosa 58 29

30 Profª. Luziane M. Barbosa 59 Profª. Luziane M. Barbosa 60 30

31 Profª. Luziane M. Barbosa 61 Profª. Luziane M. Barbosa 62 31

32 Profª. Luziane M. Barbosa 63 Profª. Luziane M. Barbosa 64 32

33 Parafusos Profª. Luziane M. Barbosa 65 Porcas Profª. Luziane M. Barbosa 66 33

34 Profª. Luziane M. Barbosa 67 Porcas Profª. Luziane M. Barbosa 68 34

35 Arruelas Profª. Luziane M. Barbosa 69 Arruelas Profª. Luziane M. Barbosa 70 35

36 Rebites Profª. Luziane M. Barbosa 71 Rebites Profª. Luziane M. Barbosa 72 36

37 Profª. Luziane M. Barbosa 73 Tipos de rebite Profª. Luziane M. Barbosa 74 37

38 Profª. Luziane M. Barbosa 75 Profª. Luziane M. Barbosa 76 38

39 Profª. Luziane M. Barbosa 77 Profª. Luziane M. Barbosa 78 39

40 Profª. Luziane M. Barbosa 79 Processo manual Profª. Luziane M. Barbosa 80 40

41 Processo mecânico Profª. Luziane M. Barbosa 81 41

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo IV Aula 03 Conjuntos O desenho de conjunto representa um grupo de peças montadas tais como: dispositivos, ferramentas, máquinas, motores, equipamentos

Leia mais

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas A U A UL LA Pinos e cupilhas Introdução Até agora você estudou rebites que constituem um dos principais elementos de fixação. Mas existem outros elementos que um mecânico deve conhecer como pinos, cavilhas

Leia mais

Introdução. Elementos de fixação

Introdução. Elementos de fixação A U A UL LA Introdução aos elementos de fixação Introdução Elementos de fixação constitui uma unidade de 3 aulas que faz parte do módulo Elementos de Máquinas. Nessa unidade, você vai estudar os principais

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio ELMA3 AULA 5 Prof. Carlos Fernando Dispositivos de Fixação Pinos, Cupilhas, Cavilhas, Roscas, Mancais de Deslizamento

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502)

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502) DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502) Aula 10 Tolerância de forma e posição, roscas, parafusos e porcas 10. 02 Aula 10 Tolerância de forma e posição, roscas, parafusos e porcas TOLERÂNCIA GEOMÉTRICA: FORMA

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II. Aula 02 Mancais, Anéis Elásticos e Retentores. Desenho Técnico Mecânico II

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II. Aula 02 Mancais, Anéis Elásticos e Retentores. Desenho Técnico Mecânico II DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II Aula 02 Mancais, Anéis Elásticos e Retentores 1.0. Mancais 1.1. Definição: Mancais são elementos que servem de apoio para eixos girantes, deslizantes ou oscilantes e que suportam

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II. Aula 01 Chavetas, rebites, molas, polias e correias. Desenho Técnico Mecânico II

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II. Aula 01 Chavetas, rebites, molas, polias e correias. Desenho Técnico Mecânico II DESENHO TÉCNICO MECÂNICO II Aula 01 Chavetas, rebites, molas, polias e correias 1.0. Chavetas 1.1. Definição: Chavetas são elementos mecânicos que permitem a transmissão do movimento de um eixo para cubos

Leia mais

Módulo 08 DESENHO TÉCNICO. Luiz Fontanella

Módulo 08 DESENHO TÉCNICO. Luiz Fontanella Módulo Luiz Fontanella 2 ÍNDICE SCRIÇÃO PÁG. ÍNDICE 2 ROSCAS 3 TIPOS 4 SENTIDO DIREÇÃO 4 NOMENCLATURA 5 ROSCAS TRIANGULARES 5 o ROSCA MÉTRICA 6 o ROSCA WHITWORTH 6 PARAFUSOS 7 PARAFUSOS PASSANTES 7 PARAFUSOS

Leia mais

Acesse:

Acesse: Segurando as pontas As operações de tornear superfícies cilíndricas ou cônicas, embora simples e bastante comuns, às vezes apresentam algumas dificuldades. É o que acontece, por exemplo, com peças longas

Leia mais

Universidade de Fortaleza Centro de Ciencias Tecnologicas Curso de Engenharia deprodução/mecânica. Desenho Mecânico. Prof.

Universidade de Fortaleza Centro de Ciencias Tecnologicas Curso de Engenharia deprodução/mecânica. Desenho Mecânico. Prof. Universidade de Fortaleza Centro de Ciencias Tecnologicas Curso de Engenharia deprodução/mecânica Desenho Mecânico Prof. José Rui Barbosa Componentes mecânicos Elementos de ligação - Roscas - Parafusos

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA PLACA ARRASTADORA E ARRASTADOR São acessórios do torno que servem para transmitir o movimento de rotação do eixo principal em peças a serem usinadas entrepontas

Leia mais

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde.

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde. Moldes Plástico. Na seqüência de desenvolvimento de uma peça injetada, desde o primeiro rascunho até a extração na máquina, o molde de injeção é o último elo, porém não é o menos importante. A precisão

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: COSSINETES São ferramentas de corte construídas de aço especial, com rosca temperada e retificada; é similar a uma porca, com cortes radiais dispostos convenientemente

Leia mais

Acesse:

Acesse: Roda, roda, gira... Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Você já parou para pensar em quanto sua vida depende de parafusos, pinos, rebites e da qualidade das montagens dos muitos conjuntos mecânicos que

Leia mais

Prof. MSc. David Roza José -

Prof. MSc. David Roza José - 1/139 Elementos de Fixação Veremos, nesta aula, o quê são e para quê servem os elementos de fixação. Conheceremos também os principais elementos de fixação: Rebites; Pinos e cupilhas;. Parafusos e roscas;

Leia mais

FEPI , Page 1 Tecnologia Mecânica II

FEPI , Page 1 Tecnologia Mecânica II 28.09.2009, Page 1 APLAINAMENTO O Aplainamento consiste em obter superfícies planas em posição horizontal, vertical ou inclinada. A ferramenta utilizada tem apenas uma aresta cortante que retira o sobremetal

Leia mais

USINAGEM USINAGEM. Prof. M.Sc.: Anael Krelling

USINAGEM USINAGEM. Prof. M.Sc.: Anael Krelling USINAGEM Prof. M.Sc.: Anael Krelling 1 No processo de Usinagem uma quantidade de material é removido com auxílio de uma ferramenta de corte produzindo o cavaco, obtendo-se assim uma peça com formas e dimensões

Leia mais

Conjuntos mecânicos V

Conjuntos mecânicos V A U A UL LA Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Conjuntos mecânicos V Introdução Os funcionários acharam importante a aula anterior porque puderam conhecer bem o calço-regulável e as diversas formas pelas

Leia mais

Chavetas. Agora você já tem uma noção dos elementos

Chavetas. Agora você já tem uma noção dos elementos A UU L AL A Chavetas Agora você já tem uma noção dos elementos de máquinas mais usados para fixar peças: rebite, pino, cavilha, contrapino ou cupilha, parafuso, porcas, arruela e anéis elásticos. Para

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio TDUA2 Aula 2 Prof. Carlos Fernando Torno Mecânico Peças e Acessórios do Torno Mecânico. Operações Realizadas com

Leia mais

Elementos de Transmissão Correias

Elementos de Transmissão Correias Elementos de Transmissão Correias Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Transmissão por polias e correias Transmissão por polias e correias As polias são peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo

Leia mais

Aula 5 e 6: Capítulo 3. Eixos, árvores, mancais e guias. Luziane Barbosa

Aula 5 e 6: Capítulo 3. Eixos, árvores, mancais e guias. Luziane Barbosa Aula 5 e 6: Capítulo 3 Eixos, árvores, mancais e guias História Árvore: Elemento que gira transmitindo potência. Submetido à esforços de flexão. Exemplo de árvore O virabrequim transforma movimento circular

Leia mais

As molas são usadas, principalmente, nos casos de armazenamento de energia, amortecimento de choques, distribuição de cargas, limitação de vazão,

As molas são usadas, principalmente, nos casos de armazenamento de energia, amortecimento de choques, distribuição de cargas, limitação de vazão, MOLAS As molas são usadas, principalmente, nos casos de armazenamento de energia, amortecimento de choques, distribuição de cargas, limitação de vazão, preservação de junçõeses ou contatos. MOLAS HELICOIDAIS

Leia mais

Auxiliar de Manutenção Mecânica - FIC 25 de Novembro de 2016 Estudo Dirigido Prof. David Roza José Aluno(a):

Auxiliar de Manutenção Mecânica - FIC 25 de Novembro de 2016 Estudo Dirigido Prof. David Roza José Aluno(a): Auxiliar de Manutenção Mecânica - FIC 25 de Novembro de 2016 Estudo Dirigido Prof. David Roza José Aluno(a): NOTA 1. A união de peças é feita com elementos de máquinas de: (a) transmissão; (b) fixação;

Leia mais

ARTIGOS. Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil

ARTIGOS. Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil fotolia.com ARTIGOS Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil Dr. Ing. Mauro M. de Souza Juliano Savoy Paulo Cesar Sigoli Marcelo A. do C. Silva Elevadas cargas axiais aplicadas

Leia mais

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS LINHA ASTM A325 TIPO 1 São fixadores específicos de alta resistência, empregados em ligações parafusadas estruturais e indicados em montagens de maior responsabilidade.

Leia mais

Tels.: Campinas-sp Itupeva-sp

Tels.: Campinas-sp Itupeva-sp Principais características: Inserção do tipo mandíbula Pode ser entregue a prova de falha ou a favor do rompimento Reduz vibrações Materiais: EN-GJL-250 (GG-25) Alta resistência ao desgaste Desenho compacto

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Conceitos Classificação Tipos Conceitos Função: Elementos de vedação são peças que impedem a saída de fluido de um ambiente fechado. Evitar poluição do ambiente. Geralmente,

Leia mais

Meios de Ligação. Ligações nas Estruturas Metálicas Aço. O uso do Aço na Arquitetura 1 Aluízio Fontana Margarido. Objetivo.

Meios de Ligação. Ligações nas Estruturas Metálicas Aço. O uso do Aço na Arquitetura 1 Aluízio Fontana Margarido. Objetivo. O uso do Aço na Arquitetura 1 Aluízio Fontana Margarido Meios de Ligação 4 Objetivo Conhecer os sistemas de ligação utilizados nas estruturas de aço Ligações nas Estruturas Metálicas Aço As ligações nas

Leia mais

EDITAL Nº. 07:2016. Período de 01 de julho de 2016 a 31 de julho de 2016 PROPOSTAS DE CANCELAMENTO DE NORMAS BRASILEIRAS

EDITAL Nº. 07:2016. Período de 01 de julho de 2016 a 31 de julho de 2016 PROPOSTAS DE CANCELAMENTO DE NORMAS BRASILEIRAS EDITAL Nº. 07:2016 Período de 01 de julho de 2016 a 31 de julho de 2016 PROPOSTAS DE CANCELAMENTO DE NORMAS BRASILEIRAS As Propostas de Cancelamento de Normas da ABNT podem ser visualizadas pelo site www.abnt.org.br/consultanacional.

Leia mais

Profa. Janaina Fracaro Engenharia Mecânica MAIO/2014

Profa. Janaina Fracaro Engenharia Mecânica MAIO/2014 Profa. Janaina Fracaro Engenharia Mecânica MAIO/2014 Leitura no Sistema Inglês : Fração Ordinária Goniômetro simples O goniômetro simples, também conhecido como transferidor de grau, é utilizado em medidas

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 08

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 08 8 PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 08 QUESTÃO 21: São tipos de manutenção: a) Preventiva, Corretiva, Preditiva b) Preventiva, Temporária, Corretiva c) Corretiva, Casual, Programada d) Previsiva, Corretiva,

Leia mais

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca Rosca Sistema Métrico Normal Fina Machos de roscar Rosca Sistema Whitworth Para Parafusos Normal - BSW Fina - BSF Para Tubos - BASP - BSPT Rosca

Leia mais

Manual de Manutenção. Cabeçote Inferior Robofil 290P

Manual de Manutenção. Cabeçote Inferior Robofil 290P Manual de Manutenção Cabeçote Inferior Robofil 290P 1 Sumário 1- Elementos 2- Desmontagem 2.1 - Ferramentas Necessárias 2.2 - Retirada do cabeçote 2.3 - Desmontagem do cabeçote 3- Pontos Críticos 4 - Montagem

Leia mais

Rolamentos. Rolamentos Autocompensadores de Esferas. Rolamentos Rígidos de Esferas

Rolamentos. Rolamentos Autocompensadores de Esferas. Rolamentos Rígidos de Esferas Rolamentos Desde a invenção da roda as civilizações mais antigas tinham a necessidade de substituir o atrito e o deslizamento provocado pelos contatos que dois materiais causavam. Relatos de que os Romanos

Leia mais

Anel de fixação MMP - Principais Características

Anel de fixação MMP - Principais Características Anel de fixação MMP - Principais Características Os anéis de fixação MMP oferecem as vantagens de um sistema de ajuste forçado, com uma simplificada instalação e remoção. Estão baseados no sistema de cunha:

Leia mais

RADEX -N Composite Instruções de Operação/Montagem

RADEX -N Composite Instruções de Operação/Montagem 1 de 9 RADEX -N é um acoplamento em aço flexível de lâminas, torcionalmente rígido, capaz de compensar desalinhamentos causados por expansão devido ao calor, por exemplo. Conteúdo 1 Dados técnicos 2 Avisos

Leia mais

Ajustagem Mecânica. Convenções para Acabamento de Superfícies. Material elaborado por Prof.MEng.Ivandro Bonetti

Ajustagem Mecânica. Convenções para Acabamento de Superfícies. Material elaborado por Prof.MEng.Ivandro Bonetti Convenções para Acabamento de Superfícies Ajustagem Mecânica Rugosidade Rugosidade são erros microgeométricos existentes nas superfícies das peças. Símbolo sem indicação de rugosidade A ABNT adota o desvio

Leia mais

Manual de Montagem e Manutenção - RSK. DDG

Manual de Montagem e Manutenção - RSK.  DDG Manual de Montagem e Manutenção - www.antaresacoplamentos.com.br DDG 0800.9701.909 Modelo Potência kw a 1000 RPM Torque Contínuo Máximo DADOS TÉCNICOS Torque de Pico em Sobrecarga RPM Máximo Massa Und.

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 30/08/2009

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 30/08/2009 Questão 1 Conhecimentos Específicos - Fabricação Sobre a montagem de engrenagens para abertura de roscas em um torno, é correto afirmar: Deve-se garantir que a folga entre os dentes das engrenagens seja

Leia mais

Preparativos Antes da Montagem

Preparativos Antes da Montagem Preparativos Antes da Montagem Manter o local da montagem seco e livre de poeira. Observar a limpeza do eixo, alojamento e das ferramentas. Organizar a área de trabalho. Selecionar as ferramentas adequadas

Leia mais

Linha Roscável 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Conduzir água fria; Aplicações: Instalações prediais e indústria.

Linha Roscável 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: 2. BENEFÍCIOS: Função: Conduzir água fria; Aplicações: Instalações prediais e indústria. Linha Roscável Localização no Website Tigre: Obra Predial Água Fria ROSCÁVEL Função: Conduzir água fria; Aplicações: Instalações prediais e indústria. 2.1/2 3 4 5 6 B 13,2 14,5 16,8 19,1 19,1 23,4 26,7

Leia mais

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW As flanges de fixação STW pertencem às uniões por meio de pressão, com a finalidade de unir cubos com eixos lisos. Este tipo de união transmite

Leia mais

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba E Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo Diego Rafael Alba 1 Roscas É um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica; Podem ser internas e externas. 2 Perfil de rosca Triangular;

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS DE AÇO

ESTRUTURAS METÁLICAS DE AÇO ESTRUTURAS METÁLICAS DE AÇO LIGAÇÕES POR CONECTORES Edson Cabral de Oliveira TIPOS DE CONECTORES E DE LIGAÇÕES O conector é um meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas. Tipos de conectores:

Leia mais

Desenho Explodido - Furadeira de Bancada Hobby - FBH130

Desenho Explodido - Furadeira de Bancada Hobby - FBH130 337 Desenho Explodido - Furadeira de Bancada Hobby - FBH130 Lista de Peças - Modelo - FBH-130 Nº Código Ref. Descrição Modelo Nº Código Ref. Descrição Modelo 01 00008440.4 BASE USINADO FBH FBH-130 31 00008441.2

Leia mais

CHUMBADORES CBA COM PARAFUSO. Central de Relacionamento : (11)

CHUMBADORES CBA COM PARAFUSO. Central de Relacionamento : (11) CHUMBADORES CBA COM PARAFUSO Descrição do Produto Chumbador de expansão controlada por torque, composto por parafuso, arruela, jaqueta e cone. Prolongador incluso conforme comprimento. - Cone com desenho

Leia mais

ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Oficina Mecânica para Automação - OMA

ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Oficina Mecânica para Automação - OMA II. AJUSTE & TOLERÂNCIA: Livro recomendado: Tolerâncias, Ajustes, Desvios e Análise de Dimençôes. Autores: Osvaldo Luiz Agostinho; Antonio Carlos dos Santos Rodrigues e Joâo Lirani. Editora Edgard Blucher

Leia mais

Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011

Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011 Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011 1. Qual a definição de aço-carbono? Aço é a liga ferro-carbono que contém de 0,008% a 2,11% de carbono em sua composição e é obtido a partir do

Leia mais

Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico

Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico Engenharia de Aplicação BGL Vídeo 09: MONTAGEM de BUCHA DE DESMONTAGEM sob ROLAMENTO Veja o passo-a-passo

Leia mais

Preparativos Antes da Montagem

Preparativos Antes da Montagem Preparativos Antes da Montagem Manter o local da montagem seco e livre de poeira. Observar a limpeza do eixo, alojamento e das ferramentas. Organizar a área de trabalho. Selecionar as ferramentas adequadas

Leia mais

Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo

Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo As buchas ETP são mecanismos de fixação que, apesar de simples, tem tido sua eficiência comprovada através de anos de uso.

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 8 DESENHO DE CONJUNTO E ELEMENTOS DE MÁQUINA (UNIÃO E FIXAÇÃO)

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 8 DESENHO DE CONJUNTO E ELEMENTOS DE MÁQUINA (UNIÃO E FIXAÇÃO) DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 8 DESENHO DE CONJUNTO E ELEMENTOS DE MÁQUINA (UNIÃO E FIXAÇÃO) Notas de Aulas v.2016 DESENHO DE CONJUNTO E DE DETALHE DEFINIÇÕES Conjuntos Mecânicos Peças justapostas

Leia mais

VISTA 01 BC Nº CÓDIGO DESCRIÇÃO QTD TAMPA FRONTAL BRAÇO BC ARRUELA DIN M PARAF. CAB. PANELA M4 X TA

VISTA 01 BC Nº CÓDIGO DESCRIÇÃO QTD TAMPA FRONTAL BRAÇO BC ARRUELA DIN M PARAF. CAB. PANELA M4 X TA VISTA 01 BC 2600-3 Nº CÓDIGO DESCRIÇÃO QTD 1 2087 TAMPA FRONTAL BRAÇO BC 2600 1 2 5001 ARRUELA DIN M4 11 3 5023 PARAF. CAB. PANELA M4 X 8 15 4 2089 TAMPA SUPERIOR BRAÇO BC 2600 1 5 2090 TAMPA MESA CENTRAL

Leia mais

Buchas e acessórios. Buchas 392. Porcas e anilhas 404. Porcas autobloqueantes de precisão 410

Buchas e acessórios. Buchas 392. Porcas e anilhas 404. Porcas autobloqueantes de precisão 410 Buchas 392 Definição 392 Séries 392 Variantes 392 Elementos de montagem e desmontagem 392 Sufixos 395 Características 396 Bucha de fixação (cotas em metros) 396 Bucha de fixação (cotas em polegadas) 399

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNO MEC. HORIZONTAL (NOMENCL./CARACT./ACESSÓRIOS) DEFINIÇÃO: É a máquina-ferramenta usada para trabalhos de torneamento, principalmente de metais que, através da realização

Leia mais

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação Acoplamento Introdução Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, percebeu um estranho ruído na roda. Preocupada, procurou um mecânico. Ao analisar o problema, o mecânico concluiu que o defeito estava

Leia mais

3.4 MEDIDAS MATERIALIZADAS MEDIDAS

3.4 MEDIDAS MATERIALIZADAS MEDIDAS METROLOGIA APLICADA 3.4 MEDIDAS MATERIALIZADAS MEDIDAS MATERIALIZADAS 3.4 Calibradores 3.4.1 Introdução - Calibradores são instrumentos que estabelecem os limites máximo e mínimo das dimensões que desejamos

Leia mais

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I SEM 0564 - DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Notas de Aulas v.2016 Aula 09 Componentes de transmissão e união I: eixos, chavetas, polias, correias Prof. Assoc. Carlos Alberto Fortulan Departamento de Engenharia

Leia mais

Mesas de Medição. Série 7 Modelo padrão. Série 7 Modelo padrão com mesa grande

Mesas de Medição. Série 7 Modelo padrão. Série 7 Modelo padrão com mesa grande Mesas de Medição Modelo padrão Coluna de aço cromada e temperado. Três modelos de batentes intercambiáveis: lisa, convexa e com ranhura. Ø 30 Batente: Ø 58 168 x 110 Ø 8 7002 Ø 3 /8 7003 Afuste fino: Acessório

Leia mais

Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos

Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos Buchas, Porcas e Arruelas para Rolamentos Agosto / 2002 êndice êndice Histórico / Informações Técnicas...03 Buchas de Fixação...04 Buchas de Fixação...05 Buchas de Fixação...06 Buchas de Desmontagem...07

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO DESENHO TÉCNICO MECÂNICO Unidade 3 Roscas e Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Mendes da Silva 1. Engrenagens: Engrenagens são rodas com dentes padronizados que servem para transmitir movimento

Leia mais

Rosca é um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica.

Rosca é um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica. A UU L AL A Parafusos I Um motorista, distraído, passou com o carro sobre um grande buraco. Sentiu que o carro começou a se desgovernar. Parou acostamento e, para seu espanto, viu uma roda quase solta.

Leia mais

CALIBRAÇÕES. Goniômetro º 04. Nível de Bolha até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6") Nível Eletrônico até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6")

CALIBRAÇÕES. Goniômetro º 04. Nível de Bolha até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6) Nível Eletrônico até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6) CALIBRAÇÕES DESCRIÇÃO DO SERVIÇO DIMENSIONAL INSTRUMENTOS E GABARITOS DE MEDIÇÃO DE ÂNGULO Goniômetro 360 00º 04 Nível Goniômetro 360 Nível de Bolha até 20 mm/m 0,0029 mm/m (0,6") Nível Eletrônico até

Leia mais

Catálogo ZF - Veicular DEZ-2008 Figura Transmissão: 16S 2280 TO Iveco Nº ZF:

Catálogo ZF - Veicular DEZ-2008 Figura Transmissão: 16S 2280 TO Iveco Nº ZF: Figura 1 01.630.010 01.630.020 01.600 01.510 01.620 01.340 01.310 2 01.030 1 Carcaça 1316 201 110 01.140 4 Pino cilindrico 0731 201 563 01.200.010 1 Bujão 0636 304 049 01.200.020 1 Anel de vedação 0730

Leia mais

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I SEM 0564 - DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Notas de Aulas v.2016 Aula 11 Componentes de transmissão e união II: engrenagens, pinos, cavilhas. Prof. Assoc. Carlos Alberto Fortulan Departamento de Engenharia

Leia mais

Catálogo de Peças JF Plataforma de Capim

Catálogo de Peças JF Plataforma de Capim Catálogo de Peças JF 00 Plataforma de Capim 3 ITEM QTDE. do Produto 0.9 Plataforma JF00 s/ Eixo Longo da Coroa Helicoidal 0.00 Eixo Longo da Coroa Helicoidal 3 0.0 Tampa c/ Furo da Caixa das Engrenagens

Leia mais

UNIRONS. Esteiras Série E50LF

UNIRONS. Esteiras Série E50LF UNIRONS s Série E50LF Série E50LF: Especialmente desenvolvida para a indústria alimentícia, a série E50LF possui sistema de dentes cônicos arredondados e superfície inferior lisa com nervura central que

Leia mais

INFORMATIVO TÉCNICO REGRAS SIMPLES PARA SE SABER QUANDO SUBSTITUIR OS PORTA-FERRAMENTAS DOS CENTROS DE USINAGEM

INFORMATIVO TÉCNICO REGRAS SIMPLES PARA SE SABER QUANDO SUBSTITUIR OS PORTA-FERRAMENTAS DOS CENTROS DE USINAGEM INFORMATIVO TÉCNICO REGRAS SIMPLES PARA SE SABER QUANDO SUBSTITUIR OS PORTA-FERRAMENTAS DOS CENTROS DE USINAGEM Um item muitas vezes considerado de terceiro nível de importância, que porém é responsável

Leia mais

Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico

Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico Engenharia de Aplicação BGL Vídeo 05: MONTAGEM de BUCHA DE FIXAÇÃO HIDRÁULICA sob ROLAMENTO Veja o passo-a-passo

Leia mais

DESENHO TÉCNICO PARA ENGENHARIA MECÂNICA

DESENHO TÉCNICO PARA ENGENHARIA MECÂNICA DESENHO TÉCNICO PARA ENGENHARIA MECÂNICA Apostila - Versão 1-2011 Professor: Armando Carlos de Pina Filho Universidade Federal do Rio de Janeiro - Escola Politécnica Departamento de Expressão Gráfica 0

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES - APOIOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá

ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES - APOIOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES - APOIOS Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá LIGAÇÕES Edificações Ligações entre vigas; Ligações entre viga e coluna; Emenda de colunas; Emenda de vigas; Apoio de colunas;

Leia mais

DE TETO PARA PLASMA/LCD

DE TETO PARA PLASMA/LCD SUPORTE ARTICULÁVEL DE TETO PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação no teto. - Articulações que permitem diversas combinações de movimentos laterais e angulares para baixo. -

Leia mais

Parafusos II. roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos.

Parafusos II. roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos. A UU L AL A Parafusos II Na aula anterior você teve noções gerais de roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos. Introdução Parafusos Parafusos são elementos de fixação,

Leia mais

Novos produtos. Fabrico de ferramentas de estampagem Sistema de guiamento para ferramentas modulares. Sistema de guiamento compacto

Novos produtos. Fabrico de ferramentas de estampagem Sistema de guiamento para ferramentas modulares. Sistema de guiamento compacto Novos produtos Fabrico de ferramentas de estampagem 2014 CD 5.8.3.1 Catálogo em e lin Catálogo on Ampliámos novamente a nossa gama de produtos, indo de encontro às suas necessidades e sugestões. Desta

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MESA DE HALL PÚBLICO MHP 02 ERG REVOGA: REVOGA DESENHO: DT-498/3 CÓDIGO ERP: ORGÃO DEMANDANTE: DERAT

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MESA DE HALL PÚBLICO MHP 02 ERG REVOGA: REVOGA DESENHO: DT-498/3 CÓDIGO ERP: ORGÃO DEMANDANTE: DERAT EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MESA DE HALL PÚBLICO MHP 02 ERG NÚMERO: 122010 DESENHO: DT-498/4 EMISSÃO: FEV/2012 VALIDADE: FEV/2017 REVOGA: 082027 REVOGA DESENHO: DT-498/3

Leia mais

Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro

Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro Profª: Janaina Fracaro de Souza Gonçalves Micrômetro Micrômetro: tipos e usos Jean Louis Palmer apresentou, pela primeira vez, um micrômetro para requerer

Leia mais

Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico

Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico Instruções de Montagem e Desmontagem de Buchas sob Rolamentos Autocompensadores com Furo Cônico Engenharia de Aplicação BGL Vídeo 10: MONTAGEM de BUCHA DE DESMONTAGEM HIDRÁULICA sob ROLAMENTO autocompensador

Leia mais

Desde 2002 atuando em todo território nacional, oferecemos produtos de altíssima qualidade, aliados a excelência em atendimento aos clientes, nos

Desde 2002 atuando em todo território nacional, oferecemos produtos de altíssima qualidade, aliados a excelência em atendimento aos clientes, nos Desde 00 atuando em todo território nacional, oferecemos produtos de altíssima qualidade, aliados a excelência em atendimento aos clientes, nos seguimentos de injeção de plásticos, construção de ferramentas

Leia mais

MANUTENÇÃO BÁSICA VALE A PENA! SOLUÇÕES PARA PROBLEMAS DE CORTE ÍNDICE DE CONTEÚDOS G U I A PA R A S E R R A S D E F I TA

MANUTENÇÃO BÁSICA VALE A PENA! SOLUÇÕES PARA PROBLEMAS DE CORTE ÍNDICE DE CONTEÚDOS G U I A PA R A S E R R A S D E F I TA MANUTENÇÃO BÁSICA VALE A PENA! São necessárias manutenções periódicas nas máquinas de serras de fita para manter um corte apropriado e eficiente, para as superligas atuais, isto é mais importante do que

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS PARTS CATALOG CEIFADEIRA DE ARRASTO CF-250

CATÁLOGO DE PEÇAS PARTS CATALOG CEIFADEIRA DE ARRASTO CF-250 CATÁLOGO DE PEÇAS PARTS CATALOG CEIFADEIRA DE ARRASTO CF-0 ANO 0 YEAR 0 PLANTÃO DE VENDAS(SALES SERVICE): 0-0 COLHEFORT INDÚSTRIA DE MÁQUINAS AGRICOLAS LTDA. ESTRADA - C, S/N, QD.0 Lt. BAIRRO DELTA VILLAGE

Leia mais

COLHEFORT. CF Escala : 1:20 Peso : 1312,5 kg C

COLHEFORT. CF Escala : 1:20 Peso : 1312,5 kg C 0 A A 0 B B C C 0 0.0.00 0..0 0.0.000 PORCA AT M D 0 Parafuso sext. M X 0 RP ARRUELA LISA /" REGULADOR SOLDADO DA GARGANTA MF0 CF0 0000 EIXO DO GIRO INFERIOR MF0 CF0 00000 0..000 0..000 0.0.00 CHAPA DE

Leia mais

Descritivo Técnico Adaptador Sensor Hall

Descritivo Técnico Adaptador Sensor Hall Folha 1 de 7 Folha 2 de 7 Sumário 1 Descrição geral... 3 2 Funcionamento... 3 2.1 Operação... 3 2.2 Programação, configuração e comunicação... 3 2.3 Descritivo de aplicação... 3 2.4 Exemplo de aplicação...

Leia mais

SEM534 Processos de Fabricação Mecânica. Professor - Renato G. Jasinevicius. Aula: Máquina ferramenta- Torno. Torno

SEM534 Processos de Fabricação Mecânica. Professor - Renato G. Jasinevicius. Aula: Máquina ferramenta- Torno. Torno SEM534 Processos de Fabricação Mecânica Professor - Renato G. Jasinevicius Aula: Máquina ferramenta- Torno Torno Torno Existe uma grande variedade de tornos que diferem entre si pelas dimensões, características,

Leia mais

Catálogo de Peças RT 220

Catálogo de Peças RT 220 Catálogo de Peças 09 0 9 0 RT 0 edição 0-0 edição 0-0 0 edição 0-0 09 RT 0 : RT 0 : Dimensional capa seca SAE Relação de redução : : CV máximo 0 RPM máximo 00 Torque de transmissão (N.m) 0 Pressão de óleo

Leia mais

Foi pedido a um mecânico que vedasse

Foi pedido a um mecânico que vedasse A U A UL LA Junções I Introdução Foi pedido a um mecânico que vedasse injetores de motores diesel. Ele não sabia se a vedação deveria ser direta ou com elementos intermediários. Resolveu consultar o supervisor.

Leia mais

Manual de serviço FS-X406. Eaton Transmissions. Desmontagem/Montagem torre de controle com PPA (Assistência Pneumática para Engates)

Manual de serviço FS-X406. Eaton Transmissions. Desmontagem/Montagem torre de controle com PPA (Assistência Pneumática para Engates) Manual de serviço Eaton Transmissions Desmontagem/Montagem torre de controle com PPA (Assistência Pneumática para Engates) FS-X406 Junho de 2010 Índice Informações Gerais... 3 Ferramentas especiais...

Leia mais

3 REFERÊNCIAS 4 DISPOSIÇÕES GERAIS

3 REFERÊNCIAS 4 DISPOSIÇÕES GERAIS Elaborador: Mário Sérgio de Medeiros Damascena ET - 05.117.01 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de pino de isolador para utilização

Leia mais

09 - Parafusos Imperdíveis de Aperto Rápido, Série 09 Parafusos Tamanho pequeno

09 - Parafusos Imperdíveis de Aperto Rápido, Série 09 Parafusos Tamanho pequeno 482 09 - Parafusos Imperdíveis de Aperto Rápido, Série 09 Parafusos Tamanho pequeno de baixo carbono cementado, zincado, bicromatizado e selador, ou aço Como selecionar o seu parafuso: 1. Determine a espessura

Leia mais

MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS

MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS Instalações em Sistemas Industriais Profa. Roberta Leone Aula 04 MEIOS DE LIGAÇÃO Para que serve? Ligação tubo a tubo, ou a dispositivos, equipamentos tanques

Leia mais

MÁQUINA REBITADEIRA MR77

MÁQUINA REBITADEIRA MR77 ÍNDICE Pág. Informações Gerais 2 Solução de Problemas 3 4 Roteiro para Solicitação de Peças 5 Máquina Visão Geral 6 Grupo da Alimentação Lado Macho Figura 01 7-8 Grupo da Alimentação Lado Fêmea Figura

Leia mais

Parte 2: Catálogo de Peças Lancer Sêmea 3000 e 5000

Parte 2: Catálogo de Peças Lancer Sêmea 3000 e 5000 93 Parte 2: Catálogo de Peças Lancer Sêmea 3000 e 5000 94 LANCER SÊMEA 3000 01 21604300 Suporte 01 02 23402500 Haste 02 03 23402700 Haste 01 04 23402900 Haste 01 05 23500001 Depósito 01 06 23500004 Eixo

Leia mais

Colhedora de Forragem JF92-Z10 Rev. 00

Colhedora de Forragem JF92-Z10 Rev. 00 0 9 8 6 6 9 9 7 8 0 7 9 6 0 8 6 0 6 7 7 6 8 9 0 8 9 8 7 7 0.089 JF-9 Z0 Pág. / 6 Colhedora de Forragem JF9-Z0 Rev. 00 ITEM QTDE. do Produto 0.06898 Carcaça JF9-Z0 (Completa) 0.067 Conjunto da Plataforma

Leia mais

TIPOS DE CONECTORES. Conector: Meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas.

TIPOS DE CONECTORES. Conector: Meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas. ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES COM CONECTORES Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá TIPOS DE CONECTORES Conector: Meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas. Rebites; Parafusos comuns;

Leia mais

Torno Mecânico. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc.

Torno Mecânico. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Torno Mecânico Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. EVOLUÇÃO DOS TORNOS O PRINCIPIO TORNO TIPOS DE TORNOS PARTES FUNDAMENTAIS DO TORNO HORIZONTAL ACESSÓRIOS SISTEMA DE FIXAÇÃO DA FERRAMENTA DE CORTE ANÉIS GRADUADOS

Leia mais

ROSCA 26-D PARA EXTRUSORA DE TUBO DE PVC

ROSCA 26-D PARA EXTRUSORA DE TUBO DE PVC ROSCA 26-D PARA EXTRUSORA DE TUBO DE PVC ALIMENTAÇÃO PRÉ -COMPRESSÃO COMPRESSÃO/BLOQUEIO COMPRESSÃO TRANSPORTE TRANSPORTE PRÉ-COMPRESSÃO DEGASAGEM MISTURA CONSTRUÇÃO As roscas são fabricadas em aço especial

Leia mais

Intelligent Drivesystems, Worldwide Services NORD GRIPMAXX TM SISTEMA DE FIXAÇÃO POR BUCHA SEM CHAVETA

Intelligent Drivesystems, Worldwide Services NORD GRIPMAXX TM SISTEMA DE FIXAÇÃO POR BUCHA SEM CHAVETA Intelligent Drivesystems, Worldwide Services NORD GRIPMAXX TM BR PT SISTEMA DE FIXAÇÃO POR BUCHA SEM CHAVETA Fixação por Buchas NORD GRIPMAXX Sistema de Fixação por Buchas sem Chaveta Visão Geral do Conceito

Leia mais

PROPRIEDADES MECÂNICAS DE

PROPRIEDADES MECÂNICAS DE DE MATERIAIS METÁLICOS CONCEITO DE TENSÃO E DEFORMAÇÃO Formas de aplicação de carga: 2 1 COMPORTAMENTO ELÁSTICO E PLÁSTICO 3 COMPORTAMENTO ELÁSTICO E PLÁSTICO 4 2 COMPORTAMENTO ELÁSTICO 5 COMPORTAMENTO

Leia mais

44 Fresando ranhuras retas - I

44 Fresando ranhuras retas - I A U A UL LA Fresando ranhuras retas - I Na aula passada você aprendeu como fresar superfícies planas e superfícies planas inclinadas. Viu como escolher os dispositivos para fixação da peça e da fresa de

Leia mais

SUPORTE DE TETO PARA PROJETOR THIN COM HASTES MÓVEIS

SUPORTE DE TETO PARA PROJETOR THIN COM HASTES MÓVEIS SUPORTE DE TETO PARA PROJETOR THIN COM HASTES MÓVEIS MANUAL DE 1UTILIZAÇÃO Características: - Disponível em dois tamanhos: - Ajuste de altura de 485 a 735 mm - Ajuste de altura de 1,25 a 2,00 metros -

Leia mais