." name="description"> .">

MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS"

Transcrição

1 MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS Prof. Dr. Richard Schütz Referência: SCHÜTZ, Ricardo. "Motivação e Desmotivação no Aprendizado de Línguas" English Made in Brazil <http://www.sk.com.br/sk-motiv.html>. Online. 10 de novembro de MOTIVAÇÃO A motivação pode ser definida como o conjunto de fatores circunstanciais e dinâmicos que determina a conduta de um indivíduo. A motivação é uma força interior propulsora, de importância decisiva no desenvolvimento do ser humano. Assim como na aprendizagem em geral, o ato de se aprender línguas é ativo e não passivo. Não se trata de se submeter a um tratamento, mas sim de construir uma habilidade. Não é o professor que ensina nem o método que funciona; é o aluno que aprende. Por isso, a motivação do aprendiz no aprendizado de línguas é um elemento chave. A motivação pode ser ativada tanto por fatores internos como externos. A origem da motivação é sempre o desejo de se satisfazer necessidades. O ser humano é um animal social por natureza e, como tal, tem uma necessidade absoluta de se relacionar com os outros de seu ambiente. Essa tendência integrativa da pessoa é o principal fator interno ativador da motivação para muitos de seus atos. Por exemplo, se estivermos em um ambiente caracterizado pela presença de uma língua estrangeira, naturalmente teremos uma forte e imediata motivação para assimilarmos essa ferramenta que nos permite interagir no ambiente, dele participar e nele atuar. Aprender uma língua fora do ambiente de sua cultura seria como aprender a nadar fora d'água. As características dos ambientes que freqüentamos representam fatores externos. Por exemplo, se o ambiente em que o aprendizado da língua deve ocorrer for autêntico e proporcionar atividades voltadas aos interesses do aprendiz, o grau de motivação será alto. Entretanto, se o ambiente carecer de

2 autenticidade, de elementos da cultura estrangeira, como por exemplo uma sala de aula com um número excessivo de alunos e um professor de proficiência limitada, onde a L2 dificilmente se impõe sobre a L1, e se as atividades nesse ambiente forem ditadas por um plano didático predeterminado em vez de centradas na pessoa e nos interesses do aprendiz, o grau de motivação será baixo. Outra necessidade que buscamos satisfazer (principalmente crianças, adolescentes e jovens adultos) é a necessidade de se explorar o desconhecido. Esta característica do ser humano também demonstra a importância do ambiente de aprendizado da língua estar autenticado pela marca e presença da cultura estrangeira. Na criação de ambientes especificamente para o ensino e o aprendizado de uma língua, mapas, fotografias, filmes e música podem ajudar, mas nada substitui a pessoa estrangeira. O falante nativo é a personificação da língua e da cultura estrangeira, e por isso forte fator estimulador da motivação. O contato intercultural mostra ao aprendiz a funcionalidade da língua e leva-o a se identificar com a cultura estrangeira e a desejar integrar-se a ela, produzindo, como conseqüência, o desejo de imitar, de pensar e falar igual. Além de poder ser ativada por fatores internos e externos, a motivação pode ser classificada em direta e indireta. Motivação direta seria aquela que nos impulsiona diretamente ao objeto que satisfaz uma necessidade nossa. Por exemplo: você admira e se identifica com uma cultura estrangeira e investe todos seus esforços no aprendizado da respectiva língua. Motivação indireta ou instrumental é aquela que nos impulsiona em direção a um objetivo intermediário, por exemplo, aprender inglês, que, por sua vez, possibilitará a satisfação de uma necessidade maior. Esta é provavelmente a forma mais freqüente de motivação no aprendizado de línguas. Veja os exemplos abaixo: 1 Exemplo 1: Você tem um forte desejo de conhecer a técnica da fotografia e dispõe de excelente literatura sobre o assunto, em

3 inglês. Embora você não entenda textos em inglês, vai aplicar todo seu esforço para decifrar a língua e assim obter as informações ali contidas. 2 Exemplo 2: Se um jovem norte-americano se apaixona por uma jovem de origem hispânica, que vive numa das muitas comunidades hispânicas nos EUA, ele poderá investir esforços no aprendizado do espanhol para conquistar a simpatia da jovem e de sua família. 3 Exemplo 3: Uma pessoa ambiciosa, extremamente motivada em direção ao sucesso em sua carreira profissional, embora sem talento nem motivação para línguas, poderá investir exaustivos esforços em seu aprendizado, o qual indiretamente, possibilitará a realização de um objetivo (satisfação de uma necessidade) maior. 4 Exemplo 4: Você busca o aprendizado da língua estrangeira porque reconhece nela uma ferramenta indispensável tanto em sua carreira acadêmica como profissional, ou simplesmente porque quer ser ouvido e reconhece no inglês um poderoso meio de expressão neste mundo globalizado. É interessante observar que freqüentemente uma motivação indireta acaba dando origem à motivação direta. Ou seja, a pessoa inicialmente impulsionada em seu ato por um objetivo indireto maior, acaba "tomando gosto", descobrindo valores antes desconhecidos, destruindo imagens estereotipadas, encontrando no "sacrifício" intermediário um objeto de motivação direta. Isto ocorre na medida em que a experiência de aprendizado da língua é complementada com o aprendizado da respectiva cultura, passando ambos a fazer parte da coleção de experiências de vida da pessoa. DESMOTIVAÇÃO Se a motivação se origina no desejo de se satisfazer uma necessidade, não havendo necessidade, não haverá motivação. Pelo contrário, a reação normal da pessoa, quando compelida a uma atividade não resultante de um desejo de satisfazer uma necessidade, é a desmotivação.

4 Um ambiente de sala de aula voltada ao ensino formal de uma língua estrangeira, sem a presença de autênticos representantes dessa língua e de sua cultura, é um exemplo de ambiente que não evidencia necessidade, não produz motivação e não estimula o aprendizado. O que se encontra atualmente no ensino de inglês, são inúmeros fatores desmotivadores: salas de aula com muitos alunos, professores com proficiência limitada, cobrança através de exames de avaliação com questões truculentas que nada avaliam, repetição oral mecânica, etc. Esses fatores desmotivadores podem ser observados tanto na rede de escolas de ensino médio, onde o ensino de inglês ficou encalhado no método de tradução e gramática do início do século, como nos cursos particulares de línguas, que ficaram encalhados no método audiolingüístico dos anos 60. Nem um nem outro mostra resultados imediatos motivadores nem permite que o aluno alcance a proficiência desejada, gerando inevitavelmente uma certa frustração que, em maior ou menor grau, destrói a motivação. Também aquele aprendiz que não se identifica com a cultura estrangeira, - ou que às vezes até a despreza, - normalmente por falta de maior informação a respeito da mesma ou por informações estereotipadas que o professor não soube corrigir, estará desmotivado a aprender sua língua. O problema da desmotivação é freqüentemente observado em salas de aula que enfatizam language learning. Por outro lado, em programas que enfatizam language acquisition, observa-se facilmente a ocorrência natural de motivação para o aprendizado de línguas, independente de idade. A pessoa que tiver oportunidade de ter contato com a língua estrangeira em situações reais de comunicação, em ambientes autênticos dessa língua e de sua cultura, onde a língua está presente como meio de interação e não ausente, ministrada em doses pequenas e amargada pela repetição mecânica descontextualizada, ou pela dissecação gramatical, vai certamente alcançar fluência. O caso do Jonas, narrado em nosso Fórum de Discussões em 24 de abril de 2003, é bastante ilustrativo: "Fiz vários cursos no Brasil, inclusive todos os níveis (12 books). Mas quando vim para cá (EUA) pra morar e trabalhar percebi como não era fluente

5 em inglês, principalmente na parte oral. A minha motivação meio que baixou um pouco; eu me sentia frustrado. Como trabalho com informática, praticamente não conversava com meus co-workers. Mas com o tempo fui fazendo amizades e hoje acho que desenvolvi bastante. Depois de 12 livros, cumprindo diligentemente a receita prescrita pelo curso, reprimindo a desmotivação com força de vontade, o aluno descobre ao chegar no ambiente de língua e cultura inglesa que não havia alcançado o objetivo principal. A desmotivação que ele sentiu foi uma espécie de efeito retardado, que outros, com menos força de vontade, não conseguem reprimir por tanto tempo e desistem antes do Livro 12. Só a partir do momento em que ele constrói um círculo de convívio humano, num ambiente autêntico, com situações reais de comunicação, é que reencontra motivação e finalmente alcança seu objetivo. Isto nos leva à conclusão de que, em vez de nos preocuparmos em motivar nossos alunos, talvez devêssemos nos esforçar mais para não desmotivá-los. Se não pudermos despertar neles a motivação natural para o aprendizado de línguas, subjacente em todos, pelo menos cuidemos para não destruí-la e sim preservá-la para quando encontrarem a oportunidade certa.

RESPOSTA FÍSICA TOTAL

RESPOSTA FÍSICA TOTAL RESPOSTA FÍSICA TOTAL Valdelice Prudêncio Lima UEMS João Fábio Sanches Silva UEMS O método apresentado é baseado na coordenação da fala e da ação, desenvolvido por James Asher, professor de psicologia

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Referência: CHAGURI, J. P. A Importância do Ensino da Língua Inglesa nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental. In: O

Leia mais

CURSOS INGLÊS RÁPIDO Liberdade de Escolha

CURSOS INGLÊS RÁPIDO Liberdade de Escolha 1 Nossos cursos são dirigidos a adolescentes, jovens e adultos que querem aprender inglês de forma rápida e eficiente. Pessoas que já tentaram estudar inglês e tiveram dificuldades vão se surpreender com

Leia mais

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira.

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Precisa falar inglês no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Aprender um novo idioma é se sentir como uma criança novamente: faltam palavras para se expressar e a insegurança

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA WIZARD E Aspuv

PROPOSTA DE PARCERIA WIZARD E Aspuv PROPOSTA DE PARCERIA WIZARD E Aspuv Viçosa Agosto 2015 APRESENTAÇÃO A Wizard Idiomas é a maior rede de franquias no segmento de ensino de idiomas do Brasil. Os dados são da Associação Brasileira de Franchising

Leia mais

Erros Críticos. 11 Erros Que Você Está Provavelmente Cometendo Nos Seus Estudos...

Erros Críticos. 11 Erros Que Você Está Provavelmente Cometendo Nos Seus Estudos... Erros Críticos 11 Erros Que Você Está Provavelmente Cometendo Nos Seus Estudos......E Como Você Pode Evitá-Los, Para Aprender Qualquer Idioma Em Meses E Não Em Anos. Olá, meu nome é Frank Florida, gringo

Leia mais

BATEL R. Saldanha Marinho, 1850 Fones: (41) 3323-2438 e (41) 3323-2536. PRADO VELHO R. Jóquei Clube, 310 Fones: (41) 3334-5532 e (41) 3334-5552.

BATEL R. Saldanha Marinho, 1850 Fones: (41) 3323-2438 e (41) 3323-2536. PRADO VELHO R. Jóquei Clube, 310 Fones: (41) 3334-5532 e (41) 3334-5552. APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL O Centro Cultural Brasil Estados Unidos de Curitiba - Inter Americano foi fundado em 94. Há 70 anos é a referência de qualidade no ensino da língua inglesa em Curitiba. O Inter

Leia mais

Trabalhando com o lúdico: motivação nas aulas de língua estrangeira para crianças. Temática: Aquisição de linguagem, variação e ensino: um balanço

Trabalhando com o lúdico: motivação nas aulas de língua estrangeira para crianças. Temática: Aquisição de linguagem, variação e ensino: um balanço Trabalhando com o lúdico: motivação nas aulas de língua estrangeira para crianças Deise Anne Terra Melgar (UNIPAMPA)¹ Vanessa David Acosta (UNIPAMPA)² Orientadora: Cristina Pureza Duarte Boéssio Temática:

Leia mais

Manual do aluno. Curso Master

Manual do aluno. Curso Master Manual do aluno Curso Master Sumário A escola... 3 Inglês por nível... 3 Material Didático Interchange Fourth Edition... 4 Série complementar pós-interchange:... 5 Metodologia do curso Master:... 5 Em

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

Carlos Fabiano de Souza IFF (carlosfabiano.teacher@gmail.com; carlos.souza@iff.edu.br) Mestrando em Estudos de Linguagem (UFF)

Carlos Fabiano de Souza IFF (carlosfabiano.teacher@gmail.com; carlos.souza@iff.edu.br) Mestrando em Estudos de Linguagem (UFF) RELAÇÕES DICOTÔMICAS NO ENSINO DE INGLÊS EM CURSOS DE IDIOMAS: as implicaturas da (de)formação do professor de línguas que atua nesse contexto de ensinoaprendizagem de língua estrangeira Carlos Fabiano

Leia mais

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Oi! Meu nome é David. Atualmente estou em Imperatriz, Maranhão ajudando pessoas como você aprenderem inglês. Já faz

Leia mais

PROJETO LÍNGUA DE FORA

PROJETO LÍNGUA DE FORA DESCRIÇÃO PROJETO LÍNGUA DE FORA O, de responsabilidade dos professores da disciplina de estágio supervisionado das línguas espanhola, francesa e inglesa, corresponde a 50 horas de estágio, das 200 horas

Leia mais

Proposta Pedagógica. Os alunos do CBL são expostos a uma diversidade de atividades e vivências tais como: Jogos; Dramatizações; Discussões e debates;

Proposta Pedagógica. Os alunos do CBL são expostos a uma diversidade de atividades e vivências tais como: Jogos; Dramatizações; Discussões e debates; Proposta Pedagógica Os cursos de idiomas do Centro Batista de Línguas são desenvolvidos com base no Common European Framework (Quadro Europeu de referência para idiomas) e visam atender não apenas os alunos

Leia mais

ATIVIDADE DA TUTORIA 1. Parte I: De qual/quais estratégia(s) você faz uso ao aprender inglês? Discuta com um colega e faça uma lista no espaço abaixo.

ATIVIDADE DA TUTORIA 1. Parte I: De qual/quais estratégia(s) você faz uso ao aprender inglês? Discuta com um colega e faça uma lista no espaço abaixo. ATIVIDADE DA TUTORIA 1 CURSO: CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS DISCIPLINA: Produção Oral e Escrita em Língua Inglesa I PERIODO: 3º Estratégias de Aprendizagem Parte I: De qual/quais estratégia(s)

Leia mais

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC Coordenação de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa Ciclo de Aprendizagem I e II MARCOS

Leia mais

Principais informações sobre o exame

Principais informações sobre o exame Principais informações sobre o exame A chave para o inglês essencial Key English Test (KET) A chave para o inglês essencial Ao obter sucesso no Cambridge English: Key você demonstra que conquistou os conceitos

Leia mais

A Prática do Inglês nas Escolas Públicas Brasileiras

A Prática do Inglês nas Escolas Públicas Brasileiras A Prática do Inglês nas Escolas Públicas Brasileiras Luciana Virgília Amorim de Souza¹ RESUMO O trabalho busca questionar os métodos ensinados para praticar a Língua Inglesa nas escolas. O inglês, no Brasil,

Leia mais

Histórias de. Comunidade de Aprendizagem. Histórias de Comunidade de Aprendizagem 1

Histórias de. Comunidade de Aprendizagem. Histórias de Comunidade de Aprendizagem 1 Histórias de Comunidade de Aprendizagem Histórias de Comunidade de Aprendizagem 1 Introdução O projeto Comunidade de Aprendizagem é baseado em um conjunto de atuações de êxito voltadas para a transformação

Leia mais

A ABORDAGEM DE QUESTÕES AMBIENTAIS NAS AULAS DE INGLÊS DO NONO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

A ABORDAGEM DE QUESTÕES AMBIENTAIS NAS AULAS DE INGLÊS DO NONO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL A ABORDAGEM DE QUESTÕES AMBIENTAIS NAS AULAS DE INGLÊS DO NONO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Rafaela Alves Melo RESUMO O presente projeto buscou investigar a presença de temas que envolvem questões ambientais

Leia mais

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames.

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames. C U R S O S ESPECIAIS I n s t i t u t o C e r v a n t e s d e B r a s i l i a CURSOS ESPECIAIS O Instituto Cervantes de Brasília dispõe de uma ampla oferta de cursos especiais para se adaptar as necessidades

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) INGLÊS INTERMEDIÁRIO Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor de Ensino Vicente

Leia mais

Educação especial: um novo olhar para a pessoa com deficiência

Educação especial: um novo olhar para a pessoa com deficiência Educação especial: um novo olhar para a pessoa com deficiência INOCÊNCIO, Sibelle Williane Dias dos Santos DAXENBERGER, Ana Cristina Silva Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências Agrárias Departamento

Leia mais

Quem somos? Por que, no KLUB, o aprendizado é tão rápido?

Quem somos? Por que, no KLUB, o aprendizado é tão rápido? plano pedagógico As línguas estrangeiras são seu passaporte intelectual para viagens internacionais, possibilidades acadêmicas e sucesso profissional. Através das línguas, você pode conhecer culturas,

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC em Espanhol Básico. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC em Espanhol Básico. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

PRINCIPAIS MOTIVAÇÕES DOS ALUNOS DESCENDENTES DE JAPONESES NO APRENDIZADO DA LÍNGUA JAPONESA

PRINCIPAIS MOTIVAÇÕES DOS ALUNOS DESCENDENTES DE JAPONESES NO APRENDIZADO DA LÍNGUA JAPONESA 1226 PRINCIPAIS MOTIVAÇÕES DOS ALUNOS DESCENDENTES DE JAPONESES NO APRENDIZADO DA LÍNGUA JAPONESA Clara Yoshiko Hori Takigawa 1, Mitiko Hori 2 1 Engenharia de Produção FEPP UNOESTE. 2 Especialização em

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES CAMBRIDGE ENGLISH E UNOi

PERGUNTAS FREQUENTES CAMBRIDGE ENGLISH E UNOi PERGUNTAS FREQUENTES CAMBRIDGE ENGLISH E UNOi ANTES DO EXAME O que é a parceria entre UNOi e Cambridge English? Por que eu devo prestar os exames Cambridge English? Quais são os exames? O que é o Placement

Leia mais

GUIA DE INTERPRETAÇÃO DO CELLA DA FLÓRIDA

GUIA DE INTERPRETAÇÃO DO CELLA DA FLÓRIDA GUIA DE INTERPRETAÇÃO DO CELLA DA FLÓRIDA INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O CELLA A Flórida utiliza o CELLA (Comprehensive English Language Learning Assessment, Avaliação Abrangente do Aprendizado de Língua Inglesa)

Leia mais

CRENÇAS DE UMA ALUNA INICIANTE NO CURSO DE LETRAS INGLÊS ACERCA DA ORALIDADE

CRENÇAS DE UMA ALUNA INICIANTE NO CURSO DE LETRAS INGLÊS ACERCA DA ORALIDADE CRENÇAS DE UMA ALUNA INICIANTE NO CURSO DE LETRAS INGLÊS ACERCA DA ORALIDADE Marrine Oliveira Sousa (UFG) Tatiana Diello Borges (UFG) marrine_@hotmail.com tatiana.diello@gmail.com 1. Introdução No exterior,

Leia mais

AUTORAS ROSANGELA SOUZA

AUTORAS ROSANGELA SOUZA AUTORAS ROSANGELA SOUZA Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e Professora de Estratégia na Pós-Graduação da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico

Leia mais

SEU INGLÊS ESTÁ PRONTO PARA O CANADÁ?

SEU INGLÊS ESTÁ PRONTO PARA O CANADÁ? SEU INGLÊS ESTÁ PRONTO PARA O CANADÁ? Se você quer aplicar para conseguir o visto de residência permanente no Canadá, vai precisar, antes de mais nada, de um certificado que ateste a sua proficiência na

Leia mais

LINHA DE PESQUISA E DE INTERVENÇÃO METODOLOGIAS DA APRENDIZAGEM E PRÁTICAS DE ENSINO (LIMAPE)

LINHA DE PESQUISA E DE INTERVENÇÃO METODOLOGIAS DA APRENDIZAGEM E PRÁTICAS DE ENSINO (LIMAPE) História da profissão docente em São Paulo: as estratégias e as táticas em torno dos fazeres cotidianos dos professores primários a instrução pública paulista de 1890 a 1970 Linha de Pesquisa: LINHA DE

Leia mais

www.spellenglish.com.br

www.spellenglish.com.br www.spellenglish.com.br São Paulo, 2010 The future of learning Apresentação A Spell English é uma empresa de Consultoria e Assessoria Idiomática, que desenvolve um processo personalizado de aprendizado

Leia mais

ACENSA IDIOMAS. Início das aulas 04 de março.

ACENSA IDIOMAS. Início das aulas 04 de março. ACENSA IDIOMAS Início das aulas 04 de março. AS AULAS - Apoiados em material de última geração, com livros e Cds produzidos Inglaterra, as aulas são dinâmicas, explorando farto material visual, para fixar

Leia mais

MANUAL DO AUTODIDATA EM INGLÊS

MANUAL DO AUTODIDATA EM INGLÊS 1 MANUAL DO AUTODIDATA EM INGLÊS Introdução Há muitos anos eu comecei a estudar inglês por conta própria, sozinho. Principalmente por não ter condições financeiras para pagar um curso de inglês, pois era

Leia mais

O TEXTO E O ENSINO DA LÍNGUA ESTRANGEIRA

O TEXTO E O ENSINO DA LÍNGUA ESTRANGEIRA Anais do 6º Encontro Celsul - Círculo de Estudos Lingüísticos do Sul O TEXTO E O ENSINO DA LÍNGUA ESTRANGEIRA Joiscemara Ferreira TEIXEIRA, Maria José da Costa DAMIANI (UFSC) Observar aulas de línguas

Leia mais

1 CRÍTICA AO MÉTODO ATUAL USADO NAS ESCOLAS PÚBLICAS

1 CRÍTICA AO MÉTODO ATUAL USADO NAS ESCOLAS PÚBLICAS MOTIVAÇÃO E DIVERSIDADE PARA APRENDER A LÍNGUA INGLESA NAS ESCOLAS Luciana Virgília Amorim de Souza Faculdade são Luis de França Aracaju- SE Isabel Maria Amorim de Souza Faculdade são Luis de França Aracaju-

Leia mais

REFLEXÕES ACERCA DO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

REFLEXÕES ACERCA DO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO SILMARA SILVEIRA ANDRADE REFLEXÕES ACERCA DO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA Assunção, Paraguay Março 2015 REFLEXÕES ACERCA DO ENSINO DE LÍNGUA

Leia mais

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 INGLÊS INSTRUMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA NO PROJETO EQUIDADE NA PÓS-GRADUAÇÃO

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 INGLÊS INSTRUMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA NO PROJETO EQUIDADE NA PÓS-GRADUAÇÃO 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

Conexão na Escola, o princípio para a Construção de Conhecimentos.

Conexão na Escola, o princípio para a Construção de Conhecimentos. Conexão na Escola, o princípio para a Construção de Conhecimentos. Elizabeth Sarates Carvalho Trindade 1 Resumo: A utilização e articulação das tecnologias e mídias pela educação no processo de aprendizagem

Leia mais

WORKSHOPS DE INGLÊS TEENS

WORKSHOPS DE INGLÊS TEENS WORKSHOPS DE INGLÊS TEENS Avenida dos Bombeiros Voluntários de Algés, 29-2º 1495-024 Algés Portugal T. 214102910 www.imagineacademies.com business@imagineacademies.com NIF - 508.835.445 Capital Social

Leia mais

Estratégias de Aprendizado da Língua Estrangeira 1. Introdução

Estratégias de Aprendizado da Língua Estrangeira 1. Introdução Estratégias de Aprendizado da Língua Estrangeira Gedeon Santos de Medeiros Gerley Machado de Oliveira 1. Introdução A escolha de determinadas experiências de aprendizagem em qualquer contexto educacional,

Leia mais

Os 3 erros mais comuns na adoção dos tablets na sala de aula - e como você pode evitá-los

Os 3 erros mais comuns na adoção dos tablets na sala de aula - e como você pode evitá-los Os 3 erros mais comuns na adoção dos tablets na sala de aula - e como você pode evitá-los Visite mosyle.com e blog.mosyle.com 2015 Mosyle. Todos os direitos reservados. Nos últimos anos, as escolas passaram

Leia mais

Directive. Ensino especializado de idiomas com foco em sua área de atuação. Inglês e Espanhol para adultos

Directive. Ensino especializado de idiomas com foco em sua área de atuação. Inglês e Espanhol para adultos Directive Professional Language School Business and Management School Inglês e Espanhol para adultos Ensino especializado de idiomas com foco em sua área de atuação Professores Para ser um professor da

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA À DISTÂNCIA: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA À DISTÂNCIA: CAMINHOS E POSSIBILIDADES O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA À DISTÂNCIA: CAMINHOS E POSSIBILIDADES SILVEIRA, Danubia Gisele Santos1 ¹Graduada em Letras Inglês e especialista em Ensino de Língua Inglesa e Educação a Distância pela Universidade

Leia mais

A LUDICIDADE E A INTERAÇÃO VERBAL NO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA NAS SÉRIES INICIAIS

A LUDICIDADE E A INTERAÇÃO VERBAL NO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA NAS SÉRIES INICIAIS A LUDICIDADE E A INTERAÇÃO VERBAL NO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA NAS SÉRIES INICIAIS HORTA, Gabriela Alias (UNESP- FCT) RESUMO: Este trabalho tem por objetivo discutir a importância das atividades lúdicas

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS COMO PARCEIRAS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA.

AS NOVAS TECNOLOGIAS COMO PARCEIRAS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA. AS NOVAS TECNOLOGIAS COMO PARCEIRAS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA. MORAES, Camilla Santos 1 Palavras-chave: ensino-aprendizagem de inglês, novas tecnologias, ensino mediado pelo computador.

Leia mais

O TRABALHO COM MÚSICA NAS AULAS DE LI ATRAVÉS DO MÉTODO CLL

O TRABALHO COM MÚSICA NAS AULAS DE LI ATRAVÉS DO MÉTODO CLL O TRABALHO COM MÚSICA NAS AULAS DE LI ATRAVÉS DO MÉTODO CLL Leandro Gomes do Nascimento Silvânia Enedino da Silva Orientador: Prof. Dr. Leônidas José da Silva Jr. Universidade Estadual da Paraíba (PIBID/CAPES)

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO Ensino e Aprendizagem de Língua Inglesa para Comunicação em Contextos Acadêmicos Professora Responsável: Sandra Mari Kaneko Marques

CURSO DE EXTENSÃO Ensino e Aprendizagem de Língua Inglesa para Comunicação em Contextos Acadêmicos Professora Responsável: Sandra Mari Kaneko Marques INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS SÃO CARLOS CURSO DE EXTENSÃO Ensino e Aprendizagem de Língua Inglesa para Comunicação em Contextos Acadêmicos Professora Responsável:

Leia mais

Curso em grupo DEUTSCH online (Níveis A1 e A2)

Curso em grupo DEUTSCH online (Níveis A1 e A2) Curso em grupo DEUTSCH (Níveis A1 e A2) Seite 1 Seite 2 Gruppenkurs DEUTSCH Vantagens das aulas à distância Flexibilidade Ritmo de aprendizagem individual Acompanhamento individual pelo tutor, durante

Leia mais

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha MODERNA.COMPARTILHA: INTEGRAR TECNOLOGIA E CONTEÚDOS A FAVOR DO APRENDIZADO. Os alunos deste século estão conectados com novas ideias, novas

Leia mais

PASSOS PARA MELHORAR SUA

PASSOS PARA MELHORAR SUA PASSOS PARA MELHORAR SUA English Experts Premium Para baixar os outros ebooks da coleção e ter acesso aos cursos do English Experts, assine: http://www.englishexperts.com.br/premium/ 15 Passos Para Melhorar

Leia mais

DIFICULDADES NO ENSINO DA ORALIDADE EM AULAS DE LÍNGUA INGLESA

DIFICULDADES NO ENSINO DA ORALIDADE EM AULAS DE LÍNGUA INGLESA DIFICULDADES NO ENSINO DA ORALIDADE EM AULAS DE LÍNGUA INGLESA Maria do Socorro Silva RESUMO: O artigo aqui presente trata-se de uma pesquisa realizada em turmas de 9º ano, de duas escolas de rede publica

Leia mais

A SKILL IDIOMAS. Fundada em 1973 (41 anos de mercado); Mais de 200 unidades no Brasil; 150 mil alunos anualmente;

A SKILL IDIOMAS. Fundada em 1973 (41 anos de mercado); Mais de 200 unidades no Brasil; 150 mil alunos anualmente; A SKILL IDIOMAS Fundada em 1973 (41 anos de mercado); Mais de 200 unidades no Brasil; 150 mil alunos anualmente; Uma das maiores redes de Idiomas do país; Premiações por alta qualidade em franquias; 2000

Leia mais

INTERPRETANDO AS DIFICULDADES E AS FACILIDADES DE ALUNOS DE LÍNGUA ESPANHOLA NO CURSO DE LETRAS/ESPANHOL COM IDADE IGUAL OU SUPERIOR A 40

INTERPRETANDO AS DIFICULDADES E AS FACILIDADES DE ALUNOS DE LÍNGUA ESPANHOLA NO CURSO DE LETRAS/ESPANHOL COM IDADE IGUAL OU SUPERIOR A 40 INTERPRETANDO AS DIFICULDADES E AS FACILIDADES DE ALUNOS DE LÍNGUA ESPANHOLA NO CURSO DE LETRAS/ESPANHOL COM IDADE IGUAL OU SUPERIOR A 40 Caroline Emanuele Tiago dos Santos ¹; Luís Otávio Batista² 1 Bolsista

Leia mais

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 AJUDANDO O ADOLESCENTE APRENDIZ A SE COMUNICAR MELHOR

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 AJUDANDO O ADOLESCENTE APRENDIZ A SE COMUNICAR MELHOR 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA AJUDANDO

Leia mais

Faculdade CNEC Gravataí (Facensa) IDIOMAS. Inscrições Abertas! Você pronto para dialogar com o mundo.

Faculdade CNEC Gravataí (Facensa) IDIOMAS. Inscrições Abertas! Você pronto para dialogar com o mundo. Faculdade CNEC Gravataí (Facensa) IDIOMAS Inscrições Abertas! Você pronto para Os Diferenciais - O estudante aprende a Língua Inglesa em turmas reduzidas e ainda pode continuar praticando depois das aulas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS Conhecimentos e Competências Saber, Saber Fazer Atitudes e Comportamentos Saber Estar 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico Ano Letivo 2013/2014 Os professores dos grupos disciplinares de línguas estrangeiras

Leia mais

APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA NA TERCEIRA IDADE: MEDIAÇÃO DO COMPUTADOR EM SESSÕES TELETANDEM RESUMO

APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA NA TERCEIRA IDADE: MEDIAÇÃO DO COMPUTADOR EM SESSÕES TELETANDEM RESUMO Paula de Melo Bacci UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO - Faculdade de Ciências e Letras de Assis paulinha_mb@yahoo.com.br APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA NA TERCEIRA IDADE: MEDIAÇÃO

Leia mais

Aprenda inglês da maneira certa! Como Aprender Inglês. Mairo Vergara

Aprenda inglês da maneira certa! Como Aprender Inglês. Mairo Vergara Aprenda inglês da maneira certa! Como Aprender Inglês o guia definitivo Mairo Vergara Índice Introdução 7 Como usar este guia 7 Capítulo zero: preparação para sua jornada 9 Aprender a aprender, o grande

Leia mais

A realidade dos alunos trazida para a sala de aula. Ao ser perguntado Que possibilidade(s) de escrita(s) os seus alunos

A realidade dos alunos trazida para a sala de aula. Ao ser perguntado Que possibilidade(s) de escrita(s) os seus alunos INTERAÇÕES EM SALA DE AULA Autor: CARDON, Felipe Raskin Felipe Raskin Cardon 1 Resumo: Neste Estudo Piloto, relacionar-se-ão algumas citações do artigo A construção social da linguagem escrita na criança,

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica O BOM PROFESSOR DE LÍNGUA ESTRANGEIRA E A SUA RELAÇÃO COM OS MÉTODOS DE ENSINO Ângela Cristina de Jesus Jancitsky 1 ; Marília Moreira de Souza 1 ; Pollyanna Morais Espíndola 2 ; Ms. Marcelo da Silva Pericoli

Leia mais

A seleção de textos para o ensino de português-por-escrito a surdos em diferentes níveis de aprendizagem

A seleção de textos para o ensino de português-por-escrito a surdos em diferentes níveis de aprendizagem A seleção de textos para o ensino de português-por-escrito a surdos em diferentes níveis de aprendizagem Daniele Marcelle Grannier e Regina Maria Furquim-Freire da Silva, UnB Introdução O conhecimento

Leia mais

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR Já pensou um bairro inteirinho se transformando em escola a

Leia mais

E FOLDER INSTITUCIONAL

E FOLDER INSTITUCIONAL E FOLDER INSTITUCIONAL Tel. 55 11 3862 1421 atendimento@bird.com.br www.bird.com.br A MEDIDA CERTA PARA EXECUTAR SUA ESTRATÉGIA DE T&D EM IDIOMAS benchmarking indicadores de resultados diagnósticos & desenvolvimento

Leia mais

Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos

Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos Paula Botelho Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da UFMG. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação de Surdos (GEPES),

Leia mais

ROSETTA STONE LANGUAGE LEARNING SUITE PARA O SETOR PÚBLICO

ROSETTA STONE LANGUAGE LEARNING SUITE PARA O SETOR PÚBLICO ROSETTA STONE LANGUAGE LEARNING SUITE PARA O SETOR PÚBLICO Garanta o sucesso da missão. Garanta o sucesso da missão. A Rosetta Stone ajuda organizações governamentais e sem fins lucrativos a capacitar

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D Questão CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D Ensino Médio Códigos e Linguagens Conteúdo 1 Leitura de tirinha em língua portuguesa Variedades linguísticas letra de 2 música Habilidade da Matriz da EJA/FB H5, H7, H8,

Leia mais

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil!

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Implemente esses 3 passos para obter resultados fantásticos no Inglês! The Meridian, 4 Copthall House, Station Square, Coventry, Este material pode ser redistribuído,

Leia mais

Assimilação natural x Estudo formal

Assimilação natural x Estudo formal Escolhemos adaptar este texto para inaugurar o novo site do CEI porque ele apresenta duas abordagens do aprendizado de idiomas como sendo propostas contrastantes. No entanto, acreditamos que o ensino na

Leia mais

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A escola católica será uma instituiçao com mística evangelizadora UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS UMA ESCOLA COM

Leia mais

MÉTODOS DE ENSINO DA LÍNGUA ESPANHOLA DESDE A EDUCAÇÃO INFANTIL ATÉ A FASE ADULTA

MÉTODOS DE ENSINO DA LÍNGUA ESPANHOLA DESDE A EDUCAÇÃO INFANTIL ATÉ A FASE ADULTA MÉTODOS DE ENSINO DA LÍNGUA ESPANHOLA DESDE A EDUCAÇÃO INFANTIL ATÉ A FASE ADULTA Tânia Janaína Borda Landi (CEETEPS- Ipaussu/SP) Janice Zilio Martins Pedroso (CEETEPS- Ipaussu/SP) Resumo: O presente trabalho

Leia mais

ANÁLISE DE ALGUNS EXERCÍCIOS DE COMPREENSÃO AUDITIVA DA COLEÇÃO AMERICAN HEADWAY NA PERSPECTIVA DA SOCIOLINGUÍSTICA

ANÁLISE DE ALGUNS EXERCÍCIOS DE COMPREENSÃO AUDITIVA DA COLEÇÃO AMERICAN HEADWAY NA PERSPECTIVA DA SOCIOLINGUÍSTICA ANÁLISE DE ALGUNS EXERCÍCIOS DE COMPREENSÃO AUDITIVA DA COLEÇÃO AMERICAN HEADWAY NA PERSPECTIVA DA Cristiane Toffanello Mestranda UniRitter/Laureate International Universities Cristoffi@hotmail.com SOCIOLINGUÍSTICA

Leia mais

Estagio Supervisionado I Língua Inglesa

Estagio Supervisionado I Língua Inglesa Introdução O objetivo geral desse Estágio Supervisionado de Língua Inglesa I, bem como as etapas realizadas nesse período de pesquisa e busca do acadêmico do curso de Letras visando levá-lo a conhecer

Leia mais

Alfabetização e Letramento

Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento Material Teórico A Escrita no Processo de Alfabetização Responsável pelo Conteúdo e Revisor Textual: Profª. Ms Denise Jarcovis Pianheri Unidade A Escrita no Processo de Alfabetização

Leia mais

O bê-á-bá das finanças

O bê-á-bá das finanças 14/10/2014 às 05h00 O bê-á-bá das finanças Por Luciana Seabra De São Paulo Annamaria Lusardi: "É bom lembrar que o analfabetismo financeiro é regressivo. É um imposto sobre o pobre" A decepção das pessoas

Leia mais

Inglesar.com.br. asasasadsddsçlf

Inglesar.com.br. asasasadsddsçlf 1 Sumário Introdução...04 Passo 1...04 Passo 2...05 Passo 3...05 É possível Aprender Inglês Rápido?...07 O Sonho da Fórmula Mágica...07 Como Posso Aprender Inglês Rápido?...09 Porque isto Acontece?...11

Leia mais

O discurso acerca do bom ensino de línguas estrangeiras nas propagandas dos cursos privados: a tecnologia como protagonista?

O discurso acerca do bom ensino de línguas estrangeiras nas propagandas dos cursos privados: a tecnologia como protagonista? O discurso acerca do bom ensino de línguas estrangeiras nas propagandas dos cursos privados: a tecnologia como protagonista? Isaura Barbio (UERJ/FFP) Eixo Temático - Tecnologia: pra que te quero? Resumo

Leia mais

INGLÊS EM. SUCESSO EM diversos PAÍSES

INGLÊS EM. SUCESSO EM diversos PAÍSES INGLÊS EM 7 DIAS SUCESSO EM diversos PAÍSES Índice O que é? Como funciona O que você vai aprender? Diferenciais Aprimore seu Conhecimento Vídeos Certi cação Local Data Investimento Formas de Pagamento

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

A relação professor-aluno no ensino-aprendizagem de Língua Inglesa em centros de idiomas.

A relação professor-aluno no ensino-aprendizagem de Língua Inglesa em centros de idiomas. A relação professor-aluno no ensino-aprendizagem de Língua Inglesa em centros de idiomas. Katarine LIMA Centro de Comunicação e Letras, Universidade Presbiteriana Mackenzie São Paulo, São Paulo, 01241-001,

Leia mais

Bruna Vignetti dos Santos Centro de Comunicação e Letras Universidade Presbiteriana Mackenzie Rua Piauí, 143 01241-001 São Paulo SP

Bruna Vignetti dos Santos Centro de Comunicação e Letras Universidade Presbiteriana Mackenzie Rua Piauí, 143 01241-001 São Paulo SP Competência Comunicativa: um contraste entre os métodos Audiovisual e Gramática-Tradução Communicative Competence: a contrast between the Audiovisual and the Grammar- Translation methods Bruna Vignetti

Leia mais

Escritório de Carreiras PUCRS - Carreira Internacional

Escritório de Carreiras PUCRS - Carreira Internacional ESTUDO/ TRABALHO: 1. Qual critério que devo utilizar para escolher o meu local de estudo/trabalho? Quando chega o momento de escolher o local de estudo/ trabalho devemos considerar alguns pontos importantes.

Leia mais

Como criar. um artigo. em 1h ou menos. Por Natanael Oliveira

Como criar. um artigo. em 1h ou menos. Por Natanael Oliveira Como criar um artigo em 1h ou menos Por Natanael Oliveira 1 Como escrever um artigo em 1h ou menos Primeira parte do Texto: Gancho Inicie o texto com perguntas ou promessas, algo que prenda atenção do

Leia mais

A Jornada Começa Aqui

A Jornada Começa Aqui Inglês Intensivo Preparação Universitária Crédito Universitário Certificados Formação de Professores A Jornada Começa Aqui NA CIDADE COM A MELHOR QUALIDADE DE VIDA DOS EUA San Diego é a Cidade Com Melhor

Leia mais

Gilberto Dimenstein, jornalista, ex-aluno do Peretz. imagens: Shirly Glikas

Gilberto Dimenstein, jornalista, ex-aluno do Peretz. imagens: Shirly Glikas Colégio I.L.Peretz No Peretz ganhei o que de mais importante um aluno e um cidadão podem ganhar: a capacidade de refletir e assumir suas reflexões em quaisquer circunstâncias. Educar não é acumular conhecimento.

Leia mais

Learning by Ear Aprender de Ouvido Globalização 08 Exito na integração na Alemanha

Learning by Ear Aprender de Ouvido Globalização 08 Exito na integração na Alemanha Learning by Ear Aprender de Ouvido Globalização 08 Exito na integração na Alemanha Reportagem: Konstanze von Kotze Redacção: Sandrine Blanchard 3 vozes: - um locutor 1 Daniel Machava - uma locutora 1 Nádia

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL LÍNGUA INGLESA ESCOLA: PROFESSOR: /DISCILPLINA: LÍNGUA INGLESA CICLO DE APRENDIZAGEM: / ANO: PERÍODO

PLANEJAMENTO ANUAL LÍNGUA INGLESA ESCOLA: PROFESSOR: /DISCILPLINA: LÍNGUA INGLESA CICLO DE APRENDIZAGEM: / ANO: PERÍODO PLANEJAMENTO ANUAL LÍNGUA INGLESA ESCOLA: PROFESSOR: /DISCILPLINA: LÍNGUA INGLESA CICLO DE APRENDIZAGEM: / ANO: PERÍODO HABILIDADES CONTEÚDOS ORIENTAÇÂO DIDÁTICA Listening RECURSO AVALIAÇÃO Ouve e entende

Leia mais

P-08 - Criando o Líder de Líderes. Qual é o Papel do RH? Daniel Castello

P-08 - Criando o Líder de Líderes. Qual é o Papel do RH? Daniel Castello P-08 - Criando o Líder de Líderes. Qual é o Papel do RH? Daniel Castello Contexto Aprendizados Formar Líderes de alto nível é muito diferente de formar simples líderes operacionais. A âncora do processo

Leia mais

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online.

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Assunto E-commerce Metodologia Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Quantidade de entrevistas realizadas: 1.652 mulheres Perfil: 18 a 50 anos Mercado: Brasil

Leia mais

O ensino de línguas estrangeiras via redes sociais 1

O ensino de línguas estrangeiras via redes sociais 1 O ensino de línguas estrangeiras via redes sociais 1 Gabriel Belinazo 2 gbelinazo@inf.ufsm.br Abstract: In this review article, the main goal is to review and analyze information about social networks

Leia mais

Dificuldades encontradas por professores de língua inglesa de instituições privadas de ensino superior

Dificuldades encontradas por professores de língua inglesa de instituições privadas de ensino superior Artigos Revista Semioses Rio de Janeiro Vol. 01 N. 05 Agosto de 2009 Semestral Dificuldades encontradas por professores de língua inglesa de instituições privadas de ensino superior RESUMO: Este artigo

Leia mais

O PENSAMENTO DEWEYANO, A MOTIVAÇÃO E O INTERESSE DO ALUNO NO CONTEXTO DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

O PENSAMENTO DEWEYANO, A MOTIVAÇÃO E O INTERESSE DO ALUNO NO CONTEXTO DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA 1 O PENSAMENTO DEWEYANO, A MOTIVAÇÃO E O INTERESSE DO ALUNO NO CONTEXTO DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DEWEY S EDUCATIONAL IDEAS, STUDENT S MOTIVATION AND INTEREST RELATED TO THE TEACHING OF FOREIGN

Leia mais

Future School Idiomas

Future School Idiomas Future School Idiomas Sumário Quem somos... pag 2 Sobre o curso... pag 3 Sobre a aula... pag 4 Vantagens em se fazer nosso curso on line... pag 5 Objetivo do curso... pag 6 Como entrar na sala de aula...

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS- EJA

O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS- EJA O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS- EJA RESUMO Alba Patrícia Passos de Sousa 1 O presente artigo traz como temática o ensino da língua inglesa na educação de jovens e adultos (EJA),

Leia mais

LINGUÍSTICA APLICADA AO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

LINGUÍSTICA APLICADA AO ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA SPADA, Nina. Linguística Aplicada ao Ensino de Língua Estrangeira: uma entrevista com Nina Spada. Revista Virtual de Estudos da Linguagem - ReVEL. Vol. 2, n. 2, 2004. Tradução de Gabriel de Ávila Othero.

Leia mais

ESCOLA PIRLILIM /ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE

ESCOLA PIRLILIM /ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE ESCOLA PIRLILIM /ANO 2015 PLANO DE UNIDADE GRUPO: 7 PERÍODO: / / ÁREA DO CONHECIMENTO: LÍNGUA INGLESA CARGA HORÁRIA: 1 AULA SEMANAL PLANO DA I UNIDADE COMPETÊNCIAS E HABILIDADES *Apresentar-se, cumprimentar

Leia mais

ANO 2014. As provas do DELE são compostas por seis níveis. Cada um deles é obtido após a aprovação do mesmo.

ANO 2014. As provas do DELE são compostas por seis níveis. Cada um deles é obtido após a aprovação do mesmo. REGULAMENTO PARA A INSCRIÇÃO EM PROVA DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA ESPANHOLA PARA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA INTERNACIONAL UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL 1. ABERTURA ANO 2014 A Universidade

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos O ENSINO DA HABILIDADE ORAL DA LÍNGUA INGLESA NAS ESCOLAS PÚBLICAS Laís Teixeira Lima (UENF) laisbj@gmail.com Sonia Maria de Fonseca Souza (CUSJI)

Leia mais