Prof. MSc. Paulo José dos Santos de Morais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. MSc. Paulo José dos Santos de Morais"

Transcrição

1 Prof. MSc. Paulo José dos Santos de Morais

2 AVALIAÇÃO FÍSICA: Testes de Aptidão em Escolares ( 7 17 anos) O Proesp-BR Considerando: a) Carência de estrutura física das escolas brasileiras em sua estrutura física; b) Precária disponibilidade de materiais para as aulas de educação física e esporte educacional; Desenvolveu uma bateria de testes para avaliação de parâmetros de saúde e desempenho motor para o uso dos professores de educação física, independentemente de suas condições de trabalho, selecionando instrumentos de medida e avaliação de muito baixo custo, com o mínimo de materiais sofisticados, de fácil acesso e aplicação e, evidentemente, cumprindo rigorosamente as exigências de validade, fidedignidade e objetividade. Adotou a simplicidade, funcionalidade e eficiência como postulados essenciais na criação da bateria de testes. Incorporou a máxima de Galileu Galilei: A simplicidade é o grau máximo de sofisticação.

3 AVALIAÇÃO FÍSICA: Testes de Aptidão MEDIDAS DE CRESCIMENTO COPORAL Massa Corporal (peso) Estatura (altura) Envergadura TESTES DE APTIDÃO FÍSICA PARA SAÚDE Composição corporal Índice de Massa Corporal (IMC) Aptidão cardiorrespiratória Teste da corrida/caminhada dos 6 minutos Flexibilidade Teste de sentar e alcançar Resistência muscular localizada Nº de abdominais em 1 minuto Sit-up TESTES DE APTIDÃO PARA O DESEMPENHO ESPORTIVO Força explosiva de membros Superiores Arremesso de medicineball (2 kg) Força explosiva de membros inferiores Salto horizontal (em distância) Agilidade Teste do quadrado (4 metros de lado) Velocidade Corrida de 20 metros Aptidão cardiorrespiratória Corrida de 6 minutos GAYA et al. (2012)

4 AVALIAÇÃO FÍSICA: Testes de Aptidão Teste de Flexibilidade (Sentar-e-alcançar) Material: Fita métrica e fita adesiva Orientação: Estenda uma fita métrica no solo. Na marca de 38 cm desta fita coloque um pedaço de fita adesiva de 30 cm em perpendicular. A fita adesiva deve fixar a fita métrica no solo. O sujeito a ser avaliado deve estar descalço. Os calcanhares devem tocar a fita adesiva na marca dos 38 centímetros e estarem separados 30 centímetros. Com os joelhos estendidos e as mãos sobrepostas, o avaliado inclina-se lentamente e estende as mãos para frente o mais distante possível. O avaliado deve permanecer nesta posição o tempo necessário para a distância ser anotada. Serão realizadas duas tentativas Anotação: O resultado é medido em centímetros a partir da posição mais longínqua que o aluno pode alcançar na escala com as pontas dos dedos. Registram-se os resultados com uma casa após a vírgula. Para a avaliação será utilizado o melhor resultado. GAYA et al. (2012)

5 AVALIAÇÃO FÍSICA: Testes de Aptidão GAYA et al. (2012)

6 AVALIAÇÃO FÍSICA: Testes de Aptidão Teste de resistência abdominal (sit up) Material: Colchonetes e cronômetro. Orientação: O sujeito avaliado se posiciona em decúbito dorsal com os joelhos flexionados a 45 graus e com os braços cruzados sobre o tórax. O avaliador, com as mãos, segura os tornozelos do estudante fixando-os ao solo. Ao sinal o aluno inicia os movimentos de flexão do tronco até tocar com os cotovelos nas coxas, retornando a posição inicial (não é necessário tocar com a cabeça no colchonete a cada execução). O aluno deverá realizar o maior número de repetições completas em 1 minuto. Anotação: O resultado é expresso pelo número de movimentos completos realizados em 1 minuto. GAYA et al. (2012)

7 AVALIAÇÃO FÍSICA: Testes de Aptidão Teste de Aptidão Cardiorrespiratória (corrida/caminhada dos 6 minutos) Material: Local plano com marcação do perímetro da pista. Trena métrica. Cronômetro e ficha de registro. Orientação: Divide se os alunos em grupos adequados às dimensões da pista. Informa se aos alunos sobre a execução do testes dando ênfase ao fato de que devem correr o maior tempo possível, evitando piques de velocidade intercalados por longas caminhadas. Durante o teste, informa se ao aluno a passagem do tempo 2, 4 e 5 ( Atenção: falta 1 minuto). Ao final do teste soará um sinal (apito) sendo que os alunos deverão interromper a corrida, permanecendo no lugar onde estavam (no momento do apito) até ser anotada ou sinalizada a distância percorrida. Anotação: Os resultados serão anotados em metros com uma casa após a vírgula. GAYA et al. (2012)

8 AVALIAÇÃO FÍSICA: Testes de Aptidão em Adultos Composição corporal Aptidão cardiorrespiratória Flexibilidade TESTES DE APTIDÃO FÍSICA PARA SAÚDE Índice de Massa Corporal (IMC) Teste da corrida/caminhada dos 12 minutos Teste da milha Teste de sentar e alcançar (com ou sem banco) Resistência muscular localizada Nº de abdominais em 1 minuto Sit-up Flexão de cotovelos (Apoio sobre o solo) TESTES DE APTIDÃO PARA O DESEMPENHO ESPORTIVO (EXEMPLOS) Força de membros Superiores Força explosiva de membros inferiores Agilidade Velocidade Aptidão cardiorrespiratória Composição Corporal Arremesso de medicineball; Dinamometria de mão Sargent Jump Test; Salto horizontal (em distância) Shuttle run Corrida de 50 metros Corrida de 12 minutos Dobras cutâneas; Bioimpedância; DEXA; etc.

9 Sentar e Alcançar Modificado - Masculino - sem banco (em Centímetros) Idade Classificação Alta 48 45, ,5 38 Média 33-45,5 30, ,5 25, ,5 Abaixo da Média 25,5 30, , Baixa < 23 < 20 < 18 < 15 < 12,5 Sentar e Alcançar Modificado - Feminino - sem banco (em Centímetros) Idade Classificação Alta 56 53, ,5 45,5 Média 40,5-53, ,5 48, ,5 30,5 43 Abaixo da Média ,5 35, ,5 30, Baixa < 30,5 < 28 < 25,5 < 23 < 20 Programa de Condicionamento Físico do ACSM (1999)

10 H o m e n s Testes abdominais Número de repetições em 60 seg. Idade Excelente Bom Médio Regular Fraco M u l h e r e s Idade Excelente Bom Médio Regular Fraco Pollock & Wilmore (1993)

11 AVALIAÇÃO FÍSICA: Testes de Aptidão Teste de Cooper (12 ) Objetivo: Predizer o consumo máximo de oxigênio (VO2máx), através da relação entre a distância percorrida e o VO2máx. Características: Teste Contínuo Teste de esforço submáximo Metabolismo predominantemente aeróbio Protocolo: Para administração do teste é necessária uma pista de 400m ou um percurso com distância conhecida e marcada. Marcas devem ser colocadas de 50 em 50m, dessa forma a distância exata a distância percorrida nos 12 minutos pode ser determinada com precisão.o avaliado deve ser instruído a percorrer a maior distância possível em 12 minutos, é permitido caminhar. Ao final do teste é calculada a distância percorrida em metros.permita ao avaliado caminhar por 3 a 5 minutos para promover a volta a calma. Cálculo: VO2máx (ml/kg/min) = [distância (m) - 504,9]/44,73 FERNANDES FILHO (2003)

12 AVALIAÇÃO FÍSICA: Aptidão Cardiorrespiratória: O componente cardiorrespiratório está diretamente associado aos níveis de saúde de um indivíduo, logo, é um importante coadjuvante em sua obtenção, manutenção e recuperação. Habilidade de realizar atividades físicas de caráter dinâmico que envolvam grande massa muscular com intensidade de moderada a alta por períodos prolongados. É dependente do estado funcional dos sistemas respiratório, cardiovascular, muscular e de suas relações fisiológico-metabólicos. Obtém-se sua avaliação através da medida da capacidade aeróbia máxima (VO2máx) Quanto maior o VO2máx de um indivíduo, maior sua capacidade energética de sustentar esforços submáximos por períodos prolongados. FERNANDES FILHO (2003)

13 AVALIAÇÃO FÍSICA: Importância de medir o VO2máx: 1. Aceito internacionalmente como melhor parâmetro fisiológico para avaliar em conjunto, a capacidade funcional do sistema cardiorrespiratório; 2. Parâmetro fisiológico e metabólico para avaliar a capacidade metabólica oxidativa (aeróbia) durante trabalhos musculares acima do metabolismo basal; 3. Parâmetro ergométrico utilizado para avaliação da capacidade de trabalho do homem, em diferentes atividades ocupacionais (Medicina do Trabalho); 4. Parâmetro fisiológico para prescrever atividades físicas sob a forma de condicionamento físico normal (sedentários, obesos e idosos), especial (cardiopatas, pneumopatas, diabéticos, etc.), ou de treinamento físico (preparação física de atletas) ou ainda para prescrever atividades ocupacionais no ambiente de trabalho; 5. Usado em estudos epidemiológicos para a comparação de capacidades físicas entre os povos e atletas. FERNANDES FILHO (2003)

14 Classificação da Aptidão Cardiorrespiratória American Heart Association Mulheres Valores em: ml(kg.min.) -1 Faixa etária Muito fraca Fraca Regular Boa Excelente < < < < < Homens Valores em: ml(kg.min.) -1 Faixa etária Muito fraca Fraca Regular Boa Excelente < < < < < FERNANDES FILHO (2003)

15 Teste de Rockport Teste de uma milha Objetivo: determinar o VO2máx. Em sujeitos de baixa condição física Método: Percorrer caminhando segundo o ritmo de cada indivíduo a distância de uma milha(1609,3 m), controlando a FC ao terminar o percurso, assim como o tempo gasto Equação para determinação do VO2máx. VO2máx = 132,6 (0,17 x PC) (0,39 x idade) + (6,31 x S) (3,27 x T) (0,156 x FC) Onde; PC: peso corporal; S: sexo (0: mulheres, 1: homens); T: tempo em minutos; FC: frequência cardíaca. Material e instalações: Cronômetro, pista de atletismo ou terreno plano sem muitas curvas bem demarcado. FERNANDES FILHO (2003)

PROJETO ESPORTE BRASIL. Manual de Aplicação de Medidas e Testes, Normas e Critérios de Avaliação. Porto Alegre RS. Adroaldo Cezar Araujo Gaya

PROJETO ESPORTE BRASIL. Manual de Aplicação de Medidas e Testes, Normas e Critérios de Avaliação. Porto Alegre RS. Adroaldo Cezar Araujo Gaya PROJETO ESPORTE BRASIL. Manual de Aplicação de Medidas e Testes, Normas e Critérios de Avaliação. Porto Alegre RS. Adroaldo Cezar Araujo Gaya 2009 PROJETO ESPORTE BRASIL PROESP Adroaldo Gaya (Coordenador

Leia mais

Avaliação da Composição Corporal. Profª Tatianne Estrela

Avaliação da Composição Corporal. Profª Tatianne Estrela Avaliação da Composição Corporal Profª Tatianne Estrela Constituição, Tamanho e Composição Corporais Constituição: Muscularidade; Linearidade; Gordura. Tamanho: Estatura; Massa. Constituição, Tamanho e

Leia mais

PROJETO ESPORTE BRASIL PROESP-Br. Manual de testes e avaliação Versão 2015

PROJETO ESPORTE BRASIL PROESP-Br. Manual de testes e avaliação Versão 2015 PROJETO ESPORTE BRASIL PROESP-Br Manual de testes e avaliação Versão 2015 Adroaldo Gaya; Adriana Lemos; Anelise Gaya; Débora Teixeira; Eraldo Pinheiro & Rodrigo Moreira 1. O QUE É O PROESP-Br? O é um instrumento

Leia mais

COLÉGIO MATER DEI MANUAL DE TESTES DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA

COLÉGIO MATER DEI MANUAL DE TESTES DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA CLÉG ATER DE AUAL DE TESTES DE AVALAÇÃ EDUCAÇÃ FÍSCA 2015 1 SUÁR 1-EDDAS DE CRESCET CRPRAL...03 assa corporal (Peso)...03 Estatura (Altura)...03 Índice de assa Corporal (C)...04 2-TESTES DE APTDÃ FÍSCA

Leia mais

CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO. pindiceconicidade.exe 19/08/2014

CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO. pindiceconicidade.exe 19/08/2014 CAPACIDADE AERÓBICA pindiceconicidade.exe CAPACIDADE DO ORGANISMO EM SE ADAPTAR A ESFORÇOS FÍSICOS MODERADOS, ENVOLVENDO A PARTICIPAÇÃO DOS GRANDES GRUPOS MUSCULARES, POR PERÍODOS DE TEMPO RELATIVAMENTE

Leia mais

Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet

Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet MENSURAÇÃO DAS CAPACIDADES ENERGÉTICAS Existe um nível mínimo de energia necessária para manter as funções vitais do organismo no estado

Leia mais

1ª OLIMPÍADA ESCOLAR CTPM/UBERLÂNDIA

1ª OLIMPÍADA ESCOLAR CTPM/UBERLÂNDIA NONA REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR COLÉGIO TIRADENTES DA POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS/UBERLÂNDIA 1ª OLIMPÍADA ESCOLAR CTPM/UBERLÂNDIA - 2016 - PROJETO 1. Tema: 1ª OLIMPÍADA ESCOLAR DO CTPM/UBERLÂNDIA 2016.

Leia mais

Torneio de Atletismo de Pavilhão Local: Centro Escolar do Cávado - Monsul

Torneio de Atletismo de Pavilhão Local: Centro Escolar do Cávado - Monsul Local: Centro Escolar do Cávado - Monsul Data: 5 de março de 2016 Horário: 09h30 às 12h30 Organização: *Centro de Formação Desportiva de Atletismo Gonçalo Sampaio Agrupamento de Escolas Gonçalo Sampaio

Leia mais

Como evitar os riscos e aumentar os benefícios??

Como evitar os riscos e aumentar os benefícios?? Como evitar os riscos e aumentar os benefícios?? RISCOS BENEFÍCIOS RISCO DE MORTE POR DOENÇAS 100 % CARDIOVASCULARES 80 Diminuição de 34% 66% 60 40 20 0 AGITA São Paulo Sedentário Pouco Ativo Ativo Muito

Leia mais

Dados da Avaliação. Objetivos. Protocolo de Imagem Corporal Marins e Marins (2010) Foto Auto-Imagem Objetivo. Exame de Sangue. Posturais - Anterior

Dados da Avaliação. Objetivos. Protocolo de Imagem Corporal Marins e Marins (2010) Foto Auto-Imagem Objetivo. Exame de Sangue. Posturais - Anterior Data: Avaliador: Avaliado: 07/03/2013 Flávio Modelo Bem Vindo ao AVAESPORTE! Esporte Sistemas Incubadora de Empresas UFV (31)3892-5117 31-9332-3136 contato@esportesistemas.com.br www.esportesistemas.com.br

Leia mais

Métodos de avaliação em ergonomia. Profª Ms. Évelin Moreno

Métodos de avaliação em ergonomia. Profª Ms. Évelin Moreno Métodos de avaliação em ergonomia Profª Ms. Évelin Moreno Objetivos Abordar os principais check lists e instrumentos utilizados em ergonomia. Explicar o objetivo de aplicação de cada check list e demais

Leia mais

ANEXO I - DAS PROVAS PARA O TESTE DE APTIDÃO FÍSICA BOMBEIRO MILITAR 1. DA PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO DINÂMICO EM BARRA FIXA MASCULINO

ANEXO I - DAS PROVAS PARA O TESTE DE APTIDÃO FÍSICA BOMBEIRO MILITAR 1. DA PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO DINÂMICO EM BARRA FIXA MASCULINO ANEXO I - DAS PROVAS PARA O TESTE DE APTIDÃO FÍSICA BOMBEIRO MILITAR 1. DA PROVA DE FLEXÃO DE COTOVELO DINÂMICO EM BARRA FIXA MASCULINO 1.1. Posição inicial: a) pegada na barra com as mãos em pronação

Leia mais

Correlação entre Índice de Massa Corporal e Circunferência de Cintura de Adolescentes do Município de Botucatu SP

Correlação entre Índice de Massa Corporal e Circunferência de Cintura de Adolescentes do Município de Botucatu SP Correlação entre Índice de Massa Corporal e Circunferência de Cintura de Adolescentes do Município de Botucatu SP Nadine Herreria dos Santos 2 ; Talita Poli Biason 1 ; Valéria Nóbrega da Silva 1 ; Anapaula

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Professor: João Carmo ELEMENTOS DO DESENHO TÉCNICO Os desenhos no papel continuam a ter importância, em particular para a fabricação,

Leia mais

MÉTODOS de Treinamento

MÉTODOS de Treinamento Metodologia do TREINAMENTO FÍSICO AULA 7 MÉTODOS de Treinamento MÉTODOS de Treinamento Métodos CONTÍNUOS Métodos INTERVALADOS Métodos FRACIONADOS Métodos em CIRCUITO Métodos ADAPTATIVOS São as DIFERENTES

Leia mais

Balança Digital BEL - 00237

Balança Digital BEL - 00237 Balança Digital BEL - 00237 l l! Instrumento não submetido a aprovação de modelo/verifi cação. Não legal para uso no comércio. Não legal para prática médica. Conforme portaria INMETRO 236/94 Plebal Plenna

Leia mais

PROJETO DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTES TESTE DE APTIDÃO FÍSICA GARI

PROJETO DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTES TESTE DE APTIDÃO FÍSICA GARI PROJETO DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTES TESTE DE APTIDÃO FÍSICA GARI PARANAGUÁ 2011 TESTE DE APTIDÃO FÍSICA PARA SELEÇÃO DE GARI O candidato do sexo masculino que não alcançar a pontuação mínima de 50

Leia mais

TÉCNICAS E EXERCÍCIOS DO ESTILO COSTAS * Autor: Antonio Hernández Tradução: Leonardo de Arruda Delgado

TÉCNICAS E EXERCÍCIOS DO ESTILO COSTAS * Autor: Antonio Hernández Tradução: Leonardo de Arruda Delgado TÉCNICAS E EXERCÍCIOS DO ESTILO COSTAS * Autor: Antonio Hernández Tradução: Leonardo de Arruda Delgado Neste artigo você encontrará o índice das técnicas e exercícios disponíveis para o estilo costas.

Leia mais

Documento de Apoio de Atletismo

Documento de Apoio de Atletismo Documento de Apoio de Atletismo Foi na antiga Grécia, onde as actividades atléticas tinham particular relevância na educação, que o Atletismo surgiu como uma modalidade desportiva, que era objecto de competição,

Leia mais

GDC I AULA PRÁTICA 1

GDC I AULA PRÁTICA 1 GDC I AULA PRÁTICA 1 Apresentação. Apresentação do enunciado do 1º exercício prático. Exercício prático 1 1ª fase: Representação de objectos ou partes de objectos do espaço da sala de aula em desenhos

Leia mais

ANEXO I PROGRAMA DAS PROVAS ESCRITAS DAS FASES PRELIMINAR, INTERMEDIÁRIA E FINAL DO CONCURSO PARA DELEGADO DE POLÍCIA.

ANEXO I PROGRAMA DAS PROVAS ESCRITAS DAS FASES PRELIMINAR, INTERMEDIÁRIA E FINAL DO CONCURSO PARA DELEGADO DE POLÍCIA. ANEXO I PROGRAMA DAS PROVAS ESCRITAS DAS FASES PRELIMINAR, INTERMEDIÁRIA E FINAL DO CONCURSO PARA DELEGADO DE POLÍCIA. LÍNGUA PORTUGUESA Leitura e interpretação de texto; Significação das palavras: sinônimo,

Leia mais

Mini-curso. Formação de professores e avaliação: instrumentos para avaliação processual em sala de aula

Mini-curso. Formação de professores e avaliação: instrumentos para avaliação processual em sala de aula Mini-curso Formação de professores e avaliação: instrumentos para avaliação processual em sala de aula Professor responsável Prof. Dr. Daniel Abud Seabra Matos (UFOP) Mariana 2014 2 Prezados/as professores/as,

Leia mais

Gabarito dos exercícios de estimativa da taxa metabólica basal e de gasto energético em atividade física para a disciplina de Nutrição Normal

Gabarito dos exercícios de estimativa da taxa metabólica basal e de gasto energético em atividade física para a disciplina de Nutrição Normal 1 Gabarito dos exercícios de estimativa da taxa metabólica basal e de gasto energético em atividade física para a disciplina de Nutrição Normal 1) GET (gasto energético total); NAF (nível de atividade

Leia mais

PROVA COMENTADA. Carga acidental (Q) = 0,5 kn/m² Carga permanente (G) = (0,12 cm X 25 kn/m³) + 1,0 kn/m² + 1,0 kn/m² = 4,0 kn/m²

PROVA COMENTADA. Carga acidental (Q) = 0,5 kn/m² Carga permanente (G) = (0,12 cm X 25 kn/m³) + 1,0 kn/m² + 1,0 kn/m² = 4,0 kn/m² ? Graute Um primeiro objetivo seria proporcionar a integração da armadura com a alvenaria, no caso de alvenaria estrutural armada ou em armaduras apenas de caráter construtivo. O segundo objetivo seria

Leia mais

Introdução ao Projeto de Máquinas Elementos de Máquinas 1. Prof. Alan Dantas

Introdução ao Projeto de Máquinas Elementos de Máquinas 1. Prof. Alan Dantas Introdução ao Projeto de Máquinas Elementos de Máquinas 1 Prof. Alan Dantas Ein Mann der konstruieren will, der schaue erst mal und denke Gustav Niemann Aspectos de projeto Analisar Resultados; Fatores

Leia mais

PROTOCOLOS DE AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA RELACIONADA AO DESEMPENHO ESPORTIVO

PROTOCOLOS DE AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA RELACIONADA AO DESEMPENHO ESPORTIVO PROTOCOLOS DE AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA RELACIONADA AO DESEMPENHO ESPORTIVO Índice TESTE DE AGILIDADE... 3 TESTE DE IMPULSÃO HORIZONTAL... 4 TESTE DE IMPULSÃO VERTICAL (SARGENT JUMP TEST)... 5 TESTE

Leia mais

Resolução de Problemas

Resolução de Problemas Resolução de Problemas 1. (Enem PPL) Para um principiante em corrida, foi estipulado o seguinte plano de treinamento diário: correr 300 metros no primeiro dia e aumentar 00 metros por dia, a partir do

Leia mais

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores que contribui efetivamente para uma melhor qualidade de vida do indivíduo.

Leia mais

AARAM. Benjamins. Programa de Provas Fun Athletics. Associação de Atletismo da Região Autónoma da Madeira

AARAM. Benjamins. Programa de Provas Fun Athletics. Associação de Atletismo da Região Autónoma da Madeira AARAM Associação de Atletismo da Região Autónoma da Madeira Benjamins Programa de Provas Fun Athletics 2015/2016 COMPETIÇÕES PARA O ESCALÃO DE BENJAMINS B (10-11 ANOS) O presente programa tem como objectivo

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DO 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2012 MATEMÁTICA

Leia mais

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Nesta aula iremos aprender sobre o conceito, as causas e as consequências da obesidade e a importância da atividade física para a prevenção e controle desta

Leia mais

TESTES FÍSICOS E MOTORES DAS VARIÁVEIS NEUROMUSCULARES

TESTES FÍSICOS E MOTORES DAS VARIÁVEIS NEUROMUSCULARES TESTES FÍSICOS E MOTORES DAS VARIÁVEIS NEUROMUSCULARES As variáveis neuromusculares são aquelas em que a performance física depende dos componentes neurais e musculares. Dessa forma, os resultados expressarão

Leia mais

Por que devemos avaliar a força muscular?

Por que devemos avaliar a força muscular? Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com Docência Docência Personal Trainer Por que devemos avaliar a força muscular? Desequilíbrio Muscular;

Leia mais

Escala de Equilíbrio de Berg

Escala de Equilíbrio de Berg DEPARTAMENTO DE TERAPIA OCUPACIONAL - UFPR DISCIPLINA DE TERAPIA OCUPACIONAL APLICADA Á NEUROLOGIA CLÍNICA-ESCOLA DE TERAPIA OCUPACIONAL - UFPR ESCALA DE AVALIAÇÃO FUNCIONAL NOME: IDADE: SEXO DIAGNÓSTICO:

Leia mais

PROESP-BR Observatório Permanente dos Indicadores de saúde e fatores de prestação esportiva em crianças e jovens

PROESP-BR Observatório Permanente dos Indicadores de saúde e fatores de prestação esportiva em crianças e jovens PROESP-BR Observatório Permanente dos Indicadores de saúde e fatores de prestação esportiva em crianças e jovens MANUAL DE APLICAÇÃO DE MEDIDAS E TESTES, NORMAS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Adroaldo Gaya Gustavo

Leia mais

Manual do Usuário BALANÇA DIGITAL & ANALISADOR CORPORAL W905

Manual do Usuário BALANÇA DIGITAL & ANALISADOR CORPORAL W905 Manual do Usuário BALANÇA DIGITAL & ANALISADOR CORPORAL W905 Obrigado por escolher esta balança eletrônica de medição de gordura corporal e porcentagem de água, dentre os nossos produtos. Para garantir

Leia mais

Cinesiologia e Biomecânica Prof. Sandro de Souza

Cinesiologia e Biomecânica Prof. Sandro de Souza CINESIOLOGIA E BIOMECANICA CINÉTICA ANGULAR CINÉTICA - Ramo da mecânica que estuda as causas do movimento. CINÉTICA ANGULAR Ramo da mecânica que estuda as causas do movimento angular. 1) TORQUE É definido

Leia mais

- A mecânica é a parte da Física que estuda os movimentos; - Estuda o movimento dos corpos sem abordar as causas desse movimento. RESPONDA!

- A mecânica é a parte da Física que estuda os movimentos; - Estuda o movimento dos corpos sem abordar as causas desse movimento. RESPONDA! CAPÍTULO 11 O MOVIMENTO COM VELOCICADE CONSTANTE - A mecânica é a parte da Física que estuda os movimentos; - Ela pode ser dividida em: A) CINEMÁTICA - Estuda o movimento dos corpos sem abordar as causas

Leia mais

Coelhinha da Playboy malha para ter corpo sequinho e bumbum grande

Coelhinha da Playboy malha para ter corpo sequinho e bumbum grande Uol - SP 08/11/2014-20:39 Coelhinha da Playboy malha para ter corpo sequinho e bumbum grande Da Redação Uma das regras da coelhinha da Playboy é comer de três em três horas, portanto ela não se incomoda

Leia mais

EVENTOS NACIONAIS: Equipamentos: Eventos onde as regras serão observadas: Responsabilidade: Patch: PATCH COSTURADO Patch COSTURADO costura

EVENTOS NACIONAIS: Equipamentos: Eventos onde as regras serão observadas: Responsabilidade: Patch: PATCH COSTURADO Patch COSTURADO costura EVENTOS NACIONAIS: Este documento baseado no JUDOGUI REQUERIMENTS AND JUDOGUI CONTROL PROCEDURE da Federação Internacional de Judô FIJ, visa estabelecer o padrão nacional para a utilização dos judoguis

Leia mais

ESTATÍSTICA BÁSICA AULA 05

ESTATÍSTICA BÁSICA AULA 05 ESTATÍSTICA BÁSICA AULA 05 TÁ NA MÉDIA! FILIPE S. MARTINS ESTATÍSTICA - ROTEIRO DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIAS TABELA PRIMITIVA E ROL DISTRIBUIÇÃO DE FREQUENCIA ELEMENTOS DE UMA DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 1 PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO E CONTROLE DE AGENTES BIOLÓGICOS Objetivo: Determinar a natureza, grau e o tempo de exposição dos trabalhadores

Leia mais

Auto-avaliação 1.º Semestre Ano Lectivo 2010/2011

Auto-avaliação 1.º Semestre Ano Lectivo 2010/2011 O presente relatório é o resultado do processo de auto-avaliação realizado no 1.º semestre do ano lectivo 2010/2011. Os dados foram obtidos através das respostas dos alunos aos questionários de auto-avaliação,

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

DISTRIBUIÇÕES ESPECIAIS DE PROBABILIDADE DISCRETAS

DISTRIBUIÇÕES ESPECIAIS DE PROBABILIDADE DISCRETAS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS E DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADES 1 1. VARIÁVEIS ALEATÓRIAS Muitas situações cotidianas podem ser usadas como experimento que dão resultados correspondentes a algum valor, e tais situações

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DO NÍVEL DA APTIDÃO FÍSICA DOS ALUNOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA SEGUNDO TEMPO DO NÚCLEO IFSULDEMINAS CÂMPUS MUZAMBINHO.

CLASSIFICAÇÃO DO NÍVEL DA APTIDÃO FÍSICA DOS ALUNOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA SEGUNDO TEMPO DO NÚCLEO IFSULDEMINAS CÂMPUS MUZAMBINHO. MATEUS RIBEIRO SANTANELLI RENAN JÚLIO SILVA CLASSIFICAÇÃO DO NÍVEL DA APTIDÃO FÍSICA DOS ALUNOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA SEGUNDO TEMPO DO NÚCLEO IFSULDEMINAS CÂMPUS MUZAMBINHO. Trabalho de Conclusão de

Leia mais

O Treino da Resistência Aeróbia na Escola

O Treino da Resistência Aeróbia na Escola O Treino da Resistência Aeróbia na Escola Leiria, 27 de Janeiro 2006 Análise da Situação Aumento da obesidade juvenil 1 terço das crianças (dos 7 aos 11 anos) é obesa Sedentarismo juvenil Jogam mais computador

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA RECOMENDAÇÕES SOBRE O TESTE DE AVALIAÇÃO DO CONDICIONAMENTO FÍSICO (TACF) AO(À) FUTURO(A) ESTAGIÁRIO(A) DO EAOT/EIAC - 2013 PREPARE-SE

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO EDUCAÇÃO FÍSICA

DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO EDUCAÇÃO FÍSICA CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVO GERAL Favorecer o desenvolvimento corporal e mental harmônicos, consolidar hábitos

Leia mais

II Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Centro-Oeste. Dr. Maurício Milani

II Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Centro-Oeste. Dr. Maurício Milani Teste ergométrico II Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Centro-Oeste Dr. Maurício Milani 15/08/2009 Teste ergométrico Método para avaliar a resposta cardiovascular ao esforço físico

Leia mais

MOMENTO DE INÉRCIA DE UM CORPO RÍGIDO

MOMENTO DE INÉRCIA DE UM CORPO RÍGIDO Departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa T4 FÍSICA EXPERIMENTAL I - 007/08 MOMENTO DE INÉRCIA DE UM CORPO RÍGIDO 1. Objectivo Estudo do movimento de rotação de um corpo

Leia mais

O Instituto de Medicina do Esporte Sistema de Saúde Mãe de Deus

O Instituto de Medicina do Esporte Sistema de Saúde Mãe de Deus CORPA O Instituto de Medicina do Esporte Sistema de Saúde Mãe de Deus Promover a melhora da performance e o cuidado da saúde dos esportistas e atletas de rendimento do Rio Grande do Sul, através de soluções

Leia mais

TESTES PARA O SIMULADO COC

TESTES PARA O SIMULADO COC TESTES PARA O SIMULADO COC 1-) Para obter certo resultado, Rodrigo deverá pensar em um número natural, multiplicá-lo por 2, subtrair 3 do resultado e, finalmente, subtrair o quadrado do número pensado.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Xingu, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 7493,63 km² IDHM 2010 0,657 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5240 hab. Densidade

Leia mais

Antropometria. Antropometria. Antropometria. Diferenças individuais

Antropometria. Antropometria. Antropometria. Diferenças individuais Antropometria Antropometria Prof. Carlos Cezar I. S. Ovalle A antropometria é o ramo das Ciências Sociais que lida com as medidas do corpo, particularmente com as medidas do tamanho e a forma. Fornece

Leia mais

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo PROGRAMA DE PROVAS DOS ESCALÕES JOVENS VERSÃO FINAL (Infantis, Iniciados e juvenis) SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas 60m 150m 4x 60m 80m 250m 4x 80m 100m 200m 300m 4x 100m Barreiras

Leia mais

FAT PRECISION RM-MG2009 MANUAL DE INSTRUÇÕES

FAT PRECISION RM-MG2009 MANUAL DE INSTRUÇÕES FAT PRECISION RM-MG2009 MANUAL DE INSTRUÇÕES Índice 1. CUIDADOS... Erro! Indicador não definido. 2. LIMPEZA... Erro! Indicador não definido. 3. AJUSTES... Erro! Indicador não definido. 4. DICAS PARA MEDIR

Leia mais

MELHORE SEU DESEMPENHO NA EXECUÇÃO EM SUA BATERIA Walter Torres Música finalidade da bateria/percussão

MELHORE SEU DESEMPENHO NA EXECUÇÃO EM SUA BATERIA Walter Torres Música finalidade da bateria/percussão MELHORE SEU DESEMPENHO NA EXECUÇÃO EM SUA BATERIA Walter Torres torres@waltertorres.com.br Música finalidade da bateria/percussão Resumo Este artigo tem como objetivo melhorar a absorção de exercícios,

Leia mais

Exemplo Regressão Binomial Dados Emparelhados

Exemplo Regressão Binomial Dados Emparelhados Exemplo Regressão Binomial Dados Emparelhados Gilberto A. Paula Departamento de Estatística IME-USP, Brasil giapaula@ime.usp.br 2 o Semestre 2013 G. A. Paula (IME-USP) Desenvolvimento de Diabetes 2 o Semestre

Leia mais

Versão: Dezembro/2012. O aluno poderá integralizar os créditos referentes às disciplinas ACH 2017 e ACH 2018 das seguintes formas:

Versão: Dezembro/2012. O aluno poderá integralizar os créditos referentes às disciplinas ACH 2017 e ACH 2018 das seguintes formas: Normas para Realização do Projeto Supervisionado ou Trabalho de Graduação para o Curso de Sistemas de Informação da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, da Universidade de São Paulo Versão: Dezembro/2012

Leia mais

Bateria de Medidas e Testes. Centros de Formação de Jogadores Federação Portuguesa de Voleibol

Bateria de Medidas e Testes. Centros de Formação de Jogadores Federação Portuguesa de Voleibol Bateria de Medidas e Testes Centros de Formação de Jogadores Federação Portuguesa de Voleibol 2004 Nota Introdutória A bateria de medidas e testes a ser aplicada nos centros de formação resulta de um conjunto

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Professor: João Carmo INTRODUÇÃO O TELHADO é uma categoria de COBERTURA, em geral caracterizado por possuir um ou mais planos

Leia mais

O remédio certo na dose certa!

O remédio certo na dose certa! O remédio certo na dose certa! Programa DC-DinsmoreCompass de Avaliação e Desenvolvimento de Competências em Gestão de Projetos A DC-DinsmoreCompass, com base em padrões de referência publicados pelo PMI

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA GINÁSTICA ARTÍSTICA JERNS 2014

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA GINÁSTICA ARTÍSTICA JERNS 2014 GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO, DA EDUCAÇÃO E DA CULTURA. COORDENADORIA DE DESPORTOS DESPORTO ESCOLAR CODESP REGULAMENTO ESPECÍFICO DA GINÁSTICA ARTÍSTICA JERNS 2014 Art.

Leia mais

Por que devemos avaliar a força muscular?

Por que devemos avaliar a força muscular? Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com Docência Docência Personal Trainer Por que devemos avaliar a força muscular? Desequilíbrio Muscular;

Leia mais

REGRAS DAS PROVAS RELÂMPAGO

REGRAS DAS PROVAS RELÂMPAGO REGRAS DAS PROVAS RELÂMPAGO BALÃO Cada equipe apresentará um componente para esta prova. Os participantes deverão soprar o balão até estourar. Será estabelecida a ordem de classificação pelo tempo de estouro

Leia mais

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde.

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Professora de Educação Física HelenaMiranda FITNESSGRAM O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Todos os elementos incluídos no Fitnessgram foram

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2015 REGULAMENTO

CAMPEONATO ESTADUAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2015 REGULAMENTO CAMPEONATO ESTADUAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2015 CATEGORIAS FEMININAS: REGULAMENTO Pré-Mirim: até 6 anos Mirim: 7 e 8 anos, completos no ano da competição Pré-Infantil: 09 e 10 anos, completos

Leia mais

Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento

Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento Nome: WALMAR DE HOLANDA CORREA DE ANDRADE Matrícula: 004905 Sexo: Masculino Data Avaliação Funcional: Idade: 31 anos Professor: Email: EURIMAR

Leia mais

III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL

III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL 1 www.fpatletismo.pt III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL Organização da Carreira Desportiva no Atletismo 2 www.fpatletismo.pt Treino com Jovens: Análise da Situação Actual

Leia mais

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ 1º Exame de Qualificação 011 Vestibular 011 Utilize as informações a seguir para responder às questões de números e 3. Um

Leia mais

TEMA ESCOLHIDO - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO

TEMA ESCOLHIDO - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO AUTOR : José Aquiles Baesso Grimoni - POLI TEMA ESCOLHIDO - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO ÍNDICE DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. PROJETO E PLANEJAMENTO 2. DEMANDA 3. TARIFAS 4. DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES

Leia mais

Anamnese Clínica. Dados pessoais. Geral. Patologias. Nome: Modelo Masculino. Sexo: Masculino. Idade: 32 anos Avaliador: André Almeida

Anamnese Clínica. Dados pessoais. Geral. Patologias. Nome: Modelo Masculino. Sexo: Masculino. Idade: 32 anos Avaliador: André Almeida Nome: Modelo Masculino Idade: 32 anos Avaliador: André Almeida Sexo: Masculino Data da Avaliação: 23/07/2010 Hora: 16:11:09 Anamnese Clínica Dados pessoais Nome: Modelo Masculino Data de Nascimento: 23/12/1977

Leia mais

Projecto Mega Sprinter. Federação Portuguesa de Atletismo Ministério da Educação - Desporto Escolar PROJECTO

Projecto Mega Sprinter. Federação Portuguesa de Atletismo Ministério da Educação - Desporto Escolar PROJECTO Federação Portuguesa de Atletismo Ministério da Educação - Desporto Escolar PROJECTO SETEMBRO 2004 1 ESCALÕES ETÁRIOS ESCALÃO ÉPOCAS 2004/2005 2005/2006 2006/2007 2007/2008 INFANTIS A 94/95 95/96 96/97

Leia mais

NOÇÃO DE MEDIDA. O ato de medir está sempre associado ao ato de comparar. Utilizamos como base de comparação uma unidade de medida,

NOÇÃO DE MEDIDA. O ato de medir está sempre associado ao ato de comparar. Utilizamos como base de comparação uma unidade de medida, NOÇÃO DE MEDIDA O ato de medir está sempre associado ao ato de comparar. Utilizamos como base de comparação uma unidade de medida, Medir uma dada grandeza consiste em comparar o seu valor com a respetiva

Leia mais

II TRAIL DOS PATUDOS ALPIARÇA 13 SETEMBRO ,00H

II TRAIL DOS PATUDOS ALPIARÇA 13 SETEMBRO ,00H II TRAIL DOS PATUDOS ALPIARÇA 13 SETEMBRO 2015 09,00H REGULAMENTO Apoio técnico: www.temostalentos.pt Regulamento 1) ÂMBITO O II Trail dos Patudos realiza-se no próximo dia 13 de Setembro de 2014, com

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2014 CATEGORIA PRÉ INFANTIL B CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE GINÁSTICA

REGULAMENTO TÉCNICO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2014 CATEGORIA PRÉ INFANTIL B CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE GINÁSTICA REGULAMENTO TÉCNICO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2014 CATEGORIA PRÉ INFANTIL B Faixa etária - 9 e 10 anos, completos no ano da competição. Provas a) Salto (altura da mesa 1,10 metro); b) Barras

Leia mais

TOPOGRAFIA ALTIMETRIA: CÁLCULO DE COTAS

TOPOGRAFIA ALTIMETRIA: CÁLCULO DE COTAS TOPOGRAFIA ALTIMETRIA: CÁLCULO DE COTAS Prof. Dr. Daniel Caetano 2013-1 Objetivos O que é uma cota Como se determina uma cota Nivelamento geométrico simples COTA E ALTITUDE O que é cota? Cota: altura com

Leia mais

PERFIL SOCIAL E DA APTIDÃO FUNCIONAL DE IDOSOS RESIDÊNTES NO MUNICÍPIO DE TRIUNFO - PE

PERFIL SOCIAL E DA APTIDÃO FUNCIONAL DE IDOSOS RESIDÊNTES NO MUNICÍPIO DE TRIUNFO - PE PERFIL SOCIAL E DA APTIDÃO FUNCIONAL DE IDOSOS RESIDÊNTES NO MUNICÍPIO DE TRIUNFO - PE INTRODUÇÃO JOSÉ MORAIS SOUTO FILHO SESC, Triunfo,Pernambuco, Brasil jmfilho@sescpe.com.br O Brasil vem sofrendo nas

Leia mais

Medidas Gerais do Corpo Humano Arranjadas em Diálogo e Método Fácil para uso da Real Aula de Desenho, e Pintura da Ilha da Madeira, em 1810

Medidas Gerais do Corpo Humano Arranjadas em Diálogo e Método Fácil para uso da Real Aula de Desenho, e Pintura da Ilha da Madeira, em 1810 Joaquim Leonardo da Rocha Medidas Gerais do Corpo Humano Arranjadas em Diálogo e Método Fácil para uso da Real Aula de Desenho, e Pintura da Ilha da Madeira, em 1810 O Ilustríssimo e Excelentíssimo Senhor

Leia mais

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 30 Cargas Atuantes nas Asas, na Empenagem, na Fuselagem e no Trem de Pouso

Introdução ao Projeto de Aeronaves. Aula 30 Cargas Atuantes nas Asas, na Empenagem, na Fuselagem e no Trem de Pouso Introdução ao Projeto de Aeronaves Aula 30 Cargas Atuantes nas Asas, na Empenagem, na Fuselagem e no Trem de Pouso Tópicos Abordados Cargas Atuantes nas Asas. Cargas na Empenagem. Cargas Atuantes na Fuselagem.

Leia mais

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores Avaliação de Desempenho Orientações aos relatores 1. Referenciais de avaliação 1.1. Legislação 1. Referenciais de avaliação 1.2. Referentes internos: a. Projeto Educativo do Agrupamento, b. Projeto Curricular

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Olho D'Água das Flores, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 183,96 km² IDHM 2010 0,565 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Esportes de Interação com a Natureza

Esportes de Interação com a Natureza Esportes de Interação com a Natureza Aula 4 Ciclismo, ciclismo BMX e paraciclismo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais três esportes da categoria ESPORTES DE INTERAÇÃO COM A NATUREZA e suas

Leia mais

ANEXO A PORTARIA Nº 09/DFNSP/SENASP/MJ PROTOCOLO GERAL DE TESTE DE APTIDÃO FÍSICA

ANEXO A PORTARIA Nº 09/DFNSP/SENASP/MJ PROTOCOLO GERAL DE TESTE DE APTIDÃO FÍSICA ANEXO A PORTARIA Nº 09/DFNSP/SENASP/MJ PROTOCOLO GERAL DE TESTE DE APTIDÃO FÍSICA CAPÍTULO I Art. 1º - O presente trabalho visa avaliar os militares em condições normais de saúde, já mobilizados ou que

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MUNICIPAL SEMSA / BONFIM Nº 001/2015 COMISSÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PARA PROVA DE CAPACITAÇÃO FÍSICA

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MUNICIPAL SEMSA / BONFIM Nº 001/2015 COMISSÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PARA PROVA DE CAPACITAÇÃO FÍSICA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MUNICIPAL SEMSA / BONFIM Nº 001/2015 COMISSÃO DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL PARA PROVA DE CAPACITAÇÃO FÍSICA 1. Participarão desta etapa os candidatos aprovados/classificados

Leia mais

EXPERIÊNCIA 05. Nome Número Turma Data. Figura 5.1 Plano inclinado

EXPERIÊNCIA 05. Nome Número Turma Data. Figura 5.1 Plano inclinado Faculdade de Engenharia de Sorocaba Laboratório de Física Física Experimental I EXPERIÊNCIA 05 Nome Número Turma Data Plano Inclinado 5.1 Fundamentos Teóricos Componente do Peso Considere o plano inclinado

Leia mais

Junta de Freguesia de Marvila

Junta de Freguesia de Marvila Junta de Freguesia de Marvila MARVILA RUN PELOURO DO DESPORTO E JUVENTUDE JFM Marvila maio de 2016 Conteúdo Artigo 1º - Organização... 2 Artigo 2º - Objetivos... 2 Artigo 3º - Participação... 2 Artigo

Leia mais

PROTOCOLO DE REABILITAÇÃO

PROTOCOLO DE REABILITAÇÃO ef POR boekje.indd 1 01-07-2011 08:29:29 PROTOCOLO DE REABILITAÇÃO APÓS A IMPLEMENTAÇÃO DE ef POR boekje.indd 2 01-07-2011 08:29:29 É muito importante seguir o programa definido neste folheto informativo

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A PROVA DE APTIDÃO FÍSICA PARA O CARGO DE AGENTE DE DEFESA CIVIL

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A PROVA DE APTIDÃO FÍSICA PARA O CARGO DE AGENTE DE DEFESA CIVIL ANEXO III DO EDITAL N o 075/2011 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA A PROVA DE APTIDÃO FÍSICA PARA O CARGO DE AGENTE DE DEFESA CIVIL 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 - Os testes de aptidão física, de caráter

Leia mais

Este documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à Prova Final a Nível de Escola:

Este documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à Prova Final a Nível de Escola: 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da Prova Final a Nível de Escola, nos termos das orientações gerais das condições especiais na realização de provas finais de ciclo para

Leia mais

1ª Lista de Exercícios - Problemas de Otimização

1ª Lista de Exercícios - Problemas de Otimização Cálculo Diferencial e Integral II Prof. Robson Rodrigues www.robson.mat.br email: robsonmat@uol.com.br 1ª Lista de Exercícios - Problemas de Otimização Problema 1. Utilizando 40 m de tela e um muro como

Leia mais

Cadeira de Nutrição Clínica. Avaliação Nutricional

Cadeira de Nutrição Clínica. Avaliação Nutricional Cadeira de Nutrição Clínica Avaliação Nutricional PESO CORPORAL Energia Água MASSA GORDA Proteínas Glicogénio LIC LEC Minerais MASSA MAGRA COMPOSIÇÃO CORPORAL MASSA GORDA Gordura 80% Água 18% Proteína

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA AUTO APLICAÇÃO DE INSULINA

ORIENTAÇÕES PARA AUTO APLICAÇÃO DE INSULINA rte INFORMAÇÕES GERAIS Em caso de dúvidas, alterações no estado de saúde do paciente, você pode entrar em contato com o Ambulatório da ALA I do HUSM através do telefone 3220 8538. Telefones úteis: Bombeiros:

Leia mais

AVALIAÇÃO DE TÍTULOS PARA OS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR. Valor Máximo para o conjunto Doutorado 1 0,2 0,2 Mestrado 1 0,2 0,2.

AVALIAÇÃO DE TÍTULOS PARA OS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR. Valor Máximo para o conjunto Doutorado 1 0,2 0,2 Mestrado 1 0,2 0,2. ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE CENTRO NOVO DO MARANHÃO A v. J u s c e l i n o K u b i t s c h e c k s / n. º C e n t r o - C E P : 6 5. 2 9 9-0 0 0. C N P J ( M F ) : 0 1. 6 1 2. 3 2 3 / 0

Leia mais

Atividade Física. Corpo saudável é corpo em movimento.

Atividade Física. Corpo saudável é corpo em movimento. Atividade Física Corpo saudável é corpo em movimento. AtividAde física O sedentarismo pode ser definido como falta de atividade física suficiente e é considerado um dos principais fatores de risco para

Leia mais

TESTES DE APTIDÃO FÍSICA A SEREM REALIZADOS PELO SESI

TESTES DE APTIDÃO FÍSICA A SEREM REALIZADOS PELO SESI TESTES DE APTIDÃO FÍSICA A SEREM REALIZADOS PELO SESI 1 DOS TESTES 1.1 Os Testes de Aptidão Física, de caráter eliminatório, serão aplicados no dia e horários indicados no telegrama de convocação, individualmente

Leia mais

Redes de Petri. 1 Introdução. José de Oliveira Guimarães DC-UFSCar

Redes de Petri. 1 Introdução. José de Oliveira Guimarães DC-UFSCar Redes de Petri José de Oliveira Guimarães DC-UFSCar jose@dc.ufscar.br 1 Introdução Uma rede de petri (RP) é uma quádrupla (P, T, F, M 0 ) onde P é um conjunto de lugares, T um conjunto de transições, F

Leia mais

PRESCRIÇÃO DO TREINAMENTO PARA EMAGRECIMENTO. obesa envolve um plano de ação muito mais complexo, sendo prescrito de acordo com a condição

PRESCRIÇÃO DO TREINAMENTO PARA EMAGRECIMENTO. obesa envolve um plano de ação muito mais complexo, sendo prescrito de acordo com a condição PRESCRIÇÃO DO TREINAMENTO PARA EMAGRECIMENTO Em condições normais a obesidade deveria ser prevenida, porem o tratamento da pessoa obesa envolve um plano de ação muito mais complexo, sendo prescrito de

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 5/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 5/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 5/2014 CARGO E UNIDADES: Professor de Educação Física (Mossoró) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 3 (três) horas.

Leia mais