Direito Civil. Doação. Professora Tatiana Marcello.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Direito Civil. Doação. Professora Tatiana Marcello."

Transcrição

1 Direito Civil Doação Professora Tatiana Marcello

2

3 Direito Civil LEI Nº , DE 10 DE JANEIRO DE Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: (...) PARTE ESPECIAL TÍTULO VI Das Várias Espécies de Contrato CAPÍTULO IV DA DOAÇÃO Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS Art Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra. Art O doador pode fixar prazo ao donatário, para declarar se aceita ou não a liberalidade. Desde que o donatário, ciente do prazo, não faça, dentro dele, a declaração, entender-se-á que aceitou, se a doação não for sujeita a encargo. Art A doação feita em contemplação do merecimento do donatário não perde o caráter de liberalidade, como não o perde a doação remuneratória, ou a gravada, no excedente ao valor dos serviços remunerados ou ao encargo imposto. Art A doação far-se-á por escritura pública ou instrumento particular. Parágrafo único. A doação verbal será válida, se, versando sobre bens móveis e de pequeno valor, se lhe seguir incontinenti a tradição. Art A doação feita ao nascituro valerá, sendo aceita pelo seu representante legal. Art Se o donatário for absolutamente incapaz, dispensa-se a aceitação, desde que se trate de doação pura. Art A doação de ascendentes a descendentes, ou de um cônjuge a outro, importa adiantamento do que lhes cabe por herança. Art A doação em forma de subvenção periódica ao beneficiado extingue-se morrendo o doador, salvo se este outra coisa dispuser, mas não poderá ultrapassar a vida do donatário. Art A doação feita em contemplação de casamento futuro com certa e determinada pessoa, quer pelos nubentes entre si, quer por terceiro a um deles, a ambos, ou aos filhos que, de futuro, houverem um do outro, não pode ser impugnada por falta de aceitação, e só ficará sem efeito se o casamento não se realizar. Art O doador pode estipular que os bens doados voltem ao seu patrimônio, se sobreviver ao donatário. Parágrafo único. Não prevalece cláusula de reversão em favor de terceiro. Art É nula a doação de todos os bens sem reserva de parte, ou renda suficiente para a subsistência do doador. 3

4 Art Nula é também a doação quanto à parte que exceder à de que o doador, no momento da liberalidade, poderia dispor em testamento. Art A doação do cônjuge adúltero ao seu cúmplice pode ser anulada pelo outro cônjuge, ou por seus herdeiros necessários, até dois anos depois de dissolvida a sociedade conjugal. Art Salvo declaração em contrário, a doação em comum a mais de uma pessoa entende- -se distribuída entre elas por igual. Parágrafo único. Se os donatários, em tal caso, forem marido e mulher, subsistirá na totalidade a doação para o cônjuge sobrevivo. Art O doador não é obrigado a pagar juros moratórios, nem é sujeito às conseqüências da evicção ou do vício redibitório. Nas doações para casamento com certa e determinada pessoa, o doador ficará sujeito à evicção, salvo convenção em contrário. Art O donatário é obrigado a cumprir os encargos da doação, caso forem a benefício do doador, de terceiro, ou do interesse geral. Parágrafo único. Se desta última espécie for o encargo, o Ministério Público poderá exigir sua execução, depois da morte do doador, se este não tiver feito. Art A doação a entidade futura caducará se, em dois anos, esta não estiver constituída regularmente. Seção II DA REVOGAÇÃO DA DOAÇÃO Art A doação pode ser revogada por ingratidão do donatário, ou por inexecução do encargo. Art Não se pode renunciar antecipadamente o direito de revogar a liberalidade por ingratidão do donatário. Art Podem ser revogadas por ingratidão as doações: I se o donatário atentou contra a vida do doador ou cometeu crime de homicídio doloso contra ele; II se cometeu contra ele ofensa física; III se o injuriou gravemente ou o caluniou; IV se, podendo ministrá-los, recusou ao doador os alimentos de que este necessitava. Art Pode ocorrer também a revogação quando o ofendido, nos casos do artigo anterior, for o cônjuge, ascendente, descendente, ainda que adotivo, ou irmão do doador. Art A revogação por qualquer desses motivos deverá ser pleiteada dentro de um ano, a contar de quando chegue ao conhecimento do doador o fato que a autorizar, e de ter sido o donatário o seu autor. Art O direito de revogar a doação não se transmite aos herdeiros do doador, nem prejudica os do donatário. Mas aqueles podem prosseguir na ação iniciada pelo doador, continuando-a contra os herdeiros do donatário, se este falecer depois de ajuizada a lide. Art No caso de homicídio doloso do doador, a ação caberá aos seus herdeiros, exceto se aquele houver perdoado. Art A doação onerosa pode ser revogada por inexecução do encargo, se o donatário incorrer em mora. Não havendo prazo para o cumprimento, o doador poderá notificar judicialmente o donatário, assinando-lhe prazo razoável para que cumpra a obrigação assumida. Art A revogação por ingratidão não prejudica os direitos adquiridos por terceiros, nem obriga o donatário a restituir os frutos percebidos antes da citação válida; mas sujeita-o a pagar os posteriores, e, quando não possa restituir em espécie as coisas doadas, a indenizá-la pelo meio termo do seu valor. Art Não se revogam por ingratidão: I as doações puramente remuneratórias; II as oneradas com encargo já cumprido; III as que se fizerem em cumprimento de obrigação natural; IV as feitas para determinado casamento. 4

5 Direito Civil Doação Profª Tatiana Marcello SLIDES DOAÇÃO DOAÇÃO Disposições Gerais Art Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra. Principais Espécies de doação: Pura e simples efetivada por mera liberalidade/generosidade, não havendo qualquer exigêncaia ao donatário; Modal ou Com Encargo efetivada com a imputação de um dever jurídico ao donatário, que se não cumprido, gera a revogação da doação (art. 555); Remuneratória não é um ato de liberalidade e sim uma contraprestação pela execução de um serviço. Art O doador pode fixar prazo ao donatário, para declarar se aceita ou não a liberalidade. Desde que o donatário, ciente do prazo, não faça, dentro dele, a declaração, entender-se-á que aceitou, se a doação não for sujeita a encargo. Para o aperfeiçoamento da doação, há a necessidade de manifestação de aceitação do donatário. Para tanto, o doador pode fixar um prazo para essa resposta. No silêncio do donatário, entende-se que aceitou (se a doação não for sujeita a encargo); é a chamada aceitação tácita. Se for doação Modal ou com Encargo, há necessidade de aceitação expressa, já que nesse caso a doação é onerosa e envolve ônus ou cumprimento de obrigação pelo donatário. 5

6 Art A doação far-se-á por escritura pública ou instrumento particular. Parágrafo único. A doação verbal será válida, se, versando sobre bens móveis e de pequeno valor, se lhe seguir incontinenti a tradição. Requisito forma para a doação - A doação é um contrato solene e que terá validade se respeitar a forma exigida pela lei: a) por instrumento particular, em se tratando de bem móvel de considerável valor; b) por escritura pública, sendo bem imóvel; c) verbalmente, se for bem móvel de pequeno valor, aperfeiçoando-s com a tradição da coisa. Art A doação feita ao nascituro valerá, sendo aceita pelo seu representante legal. Mesmo aceita a doação, se o nascituro nascer morto, considera-se que a mesma caducou. Se tiver algum instante de vida, o benefício será transmitido aos seus sucessores. Art Se o donatário for absolutamente incapaz, dispensa-se a aceitação, desde que se trate de doação pura. Donatário absolutamente incapaz sendo doação pura e simples, dispensa-se aceitação; sendo com encargo, a aceitação terá que ser expressa do seu representante legal. 6

7 Direito Civil Doação Profª Tatiana Marcello Art A doação de ascendentes a descendentes, ou de um cônjuge a outro, importa adiantamento do que lhes cabe por herança. Doação de ascendente para descendente ou de um cônjuge a outro, considera-se adiantamento de legítima, devendo ser conferido por ocasião do inventário do doador (colação). Porém, há a possibilidade de o doador dispensar essa conferência, sendo considerada como doação da parte disponível. Art A doação feita em contemplação de casamento futuro com certa e determinada pessoa, quer pelos nubentes entre si, quer por terceiro a um deles, a ambos, ou aos filhos que, de futuro, houverem um do outro, não pode ser impugnada por falta de aceitação, e só ficará sem efeito se o casamento não se realizar. Trata-se de doação sob condição suspensiva. Dispensa aceitação, tendo eficácia simplesmente com a celebração do casamento. Art O doador pode estipular que os bens doados voltem ao seu patrimônio, se sobreviver ao donatário. Parágrafo único. Não prevalece cláusula de reversão em favor de terceiro. No contrato de doação, poderá haver cláusula prevendo que o bem volte ao doador caso o donatário morra antes; não sendo admitido que se reverta a terceiros. Art É nula a doação de todos os bens sem reserva de parte, ou renda suficiente para a subsistência do doador. O ordenamento evita essa liberalidade excessiva, a fim de garantir ao doador um mínimo de bens para assegurar-lhe uma vida digna. 7

8 Art Nula é também a doação quanto à parte que exceder à de que o doador, no momento da liberalidade, poderia dispor em testamento. Se a pessoa tiver herdeiros necessários (descendente, ascendente ou cônjuge), só poderá dispor de metade de seu patrimônio em testamento. Portanto, em caso de doação, será nula se exceder ao que o doador poderia dispor em um testamento, ou seja, se exceder metade de seu patrimônio do momento da liberalidade. Art A doação do cônjuge adúltero ao seu cúmplice pode ser anulada pelo outro cônjuge, ou por seus herdeiros necessários, até dois anos depois de dissolvida a sociedade conjugal. Poderá ser anulada pelo outro cônjuge na constância do matrimônio, ou pelos herdeiros até 2 anos após dissolvido casamento. Art O donatário é obrigado a cumprir os encargos da doação, caso forem a benefício do doador, de terceiro, ou do interesse geral. Parágrafo único. Se desta última espécie for o encargo, o Ministério Público poderá exigir sua execução, depois da morte do doador, se este não tiver feito. Na doação modal ou com encargo, o donatário é obrigado a cumprir o encargo. No caso de encargo de interesse geral (ex.: doação de um terreno com o encargo de construir um hospital), se o donatário não cumprir esse encargo, o MP tem legitimidade para exigir a execução. 8

9 Direito Civil Doação Profª Tatiana Marcello Da Revogação da Doação Art A doação pode ser revogada por ingratidão do donatário, ou por inexecução do encargo. Art Não se pode renunciar antecipadamente o direito de revogar a liberalidade por ingratidão do donatário. Art Podem ser revogadas por ingratidão as doações: I - se o donatário atentou contra a vida do doador ou cometeu crime de homicídio doloso contra ele; II - se cometeu contra ele ofensa física; III - se o injuriou gravemente ou o caluniou; IV - se, podendo ministrá-los, recusou ao doador os alimentos de que este necessitava. Obs.: Trata-se de um rol exemplificativo, podendo, excepcionalmente haver outras hipóteses. 9

10 Art Pode ocorrer também a revogação quando o ofendido, nos casos do artigo anterior, for o cônjuge, ascendente, descendente, ainda que adotivo, ou irmão do doador. Art A revogação por qualquer desses motivos deverá ser pleiteada dentro de um ano, a contar de quando chegue ao conhecimento do doador o fato que a autorizar, e de ter sido o donatário o seu autor. Art No caso de homicídio doloso do doador, a ação caberá aos seus herdeiros, exceto se aquele houver perdoado. Art A doação onerosa pode ser revogada por inexecução do encargo, se o donatário incorrer em mora. Não havendo prazo para o cumprimento, o doador poderá notificar judicialmente o donatário, assinando-lhe prazo razoável para que cumpra a obrigação assumida. Art Não se revogam por ingratidão: I - as doações puramente remuneratórias; II - as oneradas com encargo já cumprido; III - as que se fizerem em cumprimento de obrigação natural; IV - as feitas para determinado casamento. 10

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA. DOAÇÃO Artigos 538 a 554 do Código Civil

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA. DOAÇÃO Artigos 538 a 554 do Código Civil DOAÇÃO Artigos 538 a 554 do Código Civil 1. Conceito Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra. 2. Elementos

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2015

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2015 1 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2015 Altera a redação do art. 538 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2001 Código Civil. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º O art. 538 da Lei nº 10.406,

Leia mais

Compra e Venda Artigo 481 a 504 do Código de Processo Civil

Compra e Venda Artigo 481 a 504 do Código de Processo Civil Compra e Venda Artigo 481 a 504 do Código de Processo Civil Um dos contratantes se obriga a transferir o domínio de certa coisa, e o outro, a pagar-lhe certo preço em dinheiro. Compra e venda pura As partes

Leia mais

Prof. MARCELO JESUS PARTE GERAL DOS CONTRATOS CONTRATOS EM ESPÉCIE

Prof. MARCELO JESUS PARTE GERAL DOS CONTRATOS CONTRATOS EM ESPÉCIE Prof. MARCELO JESUS PARTE GERAL DOS CONTRATOS CONTRATOS EM ESPÉCIE PARTE GERAL DOS CONTRATOS CONCEITO: acordo de duas ou mais vontades, na conformidade da ordem jurídica, com o escopo de adquirir, modificar

Leia mais

Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra.

Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra. Lição 14. Doação Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra. Na doação deve haver, como em qualquer outro

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Durval Salge Júnior (Aula 02/10/2017).

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Durval Salge Júnior (Aula 02/10/2017). CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Durval Salge Júnior (Aula 02/10/2017). Continuação de contrato de doação. Doação pura não pede nenhuma coisa em troca. Doação remuneratória

Leia mais

DIREITO CIVIL IV TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS. Foed Saliba Smaka Jr. Aula 29 17/11/2015.

DIREITO CIVIL IV TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS. Foed Saliba Smaka Jr. Aula 29 17/11/2015. DIREITO CIVIL IV TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS. Foed Saliba Smaka Jr. Aula 29 17/11/2015. Espécies: Doação Pura: é aquela simples, de plena liberalidade / generosidade, sem nenhuma exigência,

Leia mais

FADISP PROFESSOR MESTRE DR. ANDERSON GREJANIN

FADISP PROFESSOR MESTRE DR. ANDERSON GREJANIN FADISP PROFESSOR MESTRE DR. ANDERSON GREJANIN DA COMPRA E VENDA CONCEITO: É O CONTRATO PELO QUAL UM DOS CONTRATANTES SE OBRIGA A TRANSFERIR O DOMÍNIO DE CERTA COISA, E O OUTRO, A PAGAR-LHE CERTO PREÇO

Leia mais

Direito Civil. Dos Contratos II. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Dos Contratos II. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Dos Contratos II Prof. Marcio Pereira Efeitos O contrato como típico instituto de direito pessoal gera efeitos interpartes, em regra, o que é consagração da máxima res interalios (coisa entre

Leia mais

Direito Civil. Da Cláusula Penal Inadimplemento das Obrigações. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Da Cláusula Penal Inadimplemento das Obrigações. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Da Cláusula Penal Inadimplemento das Obrigações Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O

Leia mais

Direito Civil. Das Arras ou Sinal Inadimplemento das Obrigações. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Das Arras ou Sinal Inadimplemento das Obrigações. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Das Arras ou Sinal Inadimplemento das Obrigações Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002. Institui o Código Civil.

Leia mais

Direito Civil. Disposições Gerais Negócio Jurídico. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Disposições Gerais Negócio Jurídico. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Disposições Gerais Negócio Jurídico Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES. (Colação Arts /2118 ) SECÇÃO III Colação Artigo 2104.º (Noção)

DIREITO DAS SUCESSÕES. (Colação Arts /2118 ) SECÇÃO III Colação Artigo 2104.º (Noção) DIREITO DAS SUCESSÕES (Colação Arts. 2104 /2118 ) Profa. Dra. Zamira de Assis SECÇÃO III Colação Artigo 2104.º (Noção) 1. Os descendentes que pretendam entrar na sucessão do ascendente devem restituir

Leia mais

WÉt ûé `öüv t cxä áátü

WÉt ûé `öüv t cxä áátü 1 DOAÇÃO 1.1 Conceito: é contrato, translativo de domínio (ato inter vivos), pelo qual o doador, em ato espontâneo e de liberalidade (aninus donandi), transfere, a título gratuito, bens e vantagens que

Leia mais

Direito Civil. Dos Vícios Redibitórios Contrato. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Dos Vícios Redibitórios Contrato. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Dos Vícios Redibitórios Contrato Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE

Leia mais

Direito Civil. Obrigação Solidária. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Obrigação Solidária. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Obrigação Solidária Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

Direito Civil. Empréstimo. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Empréstimo. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Empréstimo Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002. Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber

Leia mais

O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres.

O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres. Casamento O casamento é a união plena entre duas pessoas, na qual ambos têm os MESMOS direitos e deveres. PRAZO PARA DAR ENTRADA No mínimo 40 (quarenta) dias antes da data prevista para celebração do casamento.

Leia mais

Faculdades Santa Cruz DOAÇÃO

Faculdades Santa Cruz DOAÇÃO Faculdades Santa Cruz DOAÇÃO Trabalho elabora pelo Aluno Eduardo Agottani Erichsen da turma DIR 5SA noturno, Profº Fernando. Curitiba 14/10/2014 INTRODUÇÃO O presente trabalho versa sobre o Contrato de

Leia mais

Princípios Básicos ENTRE OS CÔJUGES. Princípios Básicos. Princípios Básicos

Princípios Básicos ENTRE OS CÔJUGES. Princípios Básicos. Princípios Básicos DO REGIME DE BENS ENTRE OS CÔJUGES 1. Irrevogabilidade ATENÇÃO -> A imutabilidade do regime de bens não é, porém, absoluta no novo Código Civil. O art. 1639, 2º., admite a sua alteração. 1. Irrevogabilidade

Leia mais

Direito Civil. Da Extinção do Contrato. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Da Extinção do Contrato. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Da Extinção do Contrato Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

Direito Civil. Da Formação dos Contratos. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Da Formação dos Contratos. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Da Formação dos Contratos Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA

Leia mais

Direito Civil. Da Evicção Contrato. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Da Evicção Contrato. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Da Evicção Contrato Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

Direito Civil. Transação. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Transação. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Transação Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que

Leia mais

DOAÇÃO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 538 a 564 do CC. 2. Conceito e características da doação

DOAÇÃO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 538 a 564 do CC. 2. Conceito e características da doação 1. Referência legal do assunto Arts. 538 a 564 do CC. DOAÇÃO 2. Conceito e características da doação O art. 538 do CC define a doação como um contrato pelo qual uma pessoa, por liberalidade, transfere

Leia mais

SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL. Aspectos Relevantes

SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL. Aspectos Relevantes SEPARAÇÃO E SUCESSÃO NO CASAMENTO E NA UNIÃO ESTÁVEL Aspectos Relevantes 1 2 Introdução O presente trabalho não tem o intuito de exaurir o tema, haja vista sua extensão e as particularidades de cada caso,

Leia mais

Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO PACTO ANTENUPCIAL

Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO PACTO ANTENUPCIAL Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO PACTO ANTENUPCIAL P A R T E E S P E C I A L LIVRO IV DO DIREITO DE FAMÍLIA TÍTULO

Leia mais

Nulidade relativa: apenas as partes podem requerer, pois viola interesses privados.

Nulidade relativa: apenas as partes podem requerer, pois viola interesses privados. Turma e Ano: Turma Regular Master A Matéria / Aula: Direito Civil Aula 11 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitora: Fernanda Manso de Carvalho Silva DIFERENÇAS ENTRE NULIDADE ABSOLUTA E NULIDADE RELATIVA

Leia mais

Direito Civil III Contratos

Direito Civil III Contratos Direito Civil III Contratos Doação Art. 538 à 564 Prof. Andrei Brettas Grunwald 2011.1 1 Conceito Artigo 538 Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio

Leia mais

Direito Civil. Do Pagamento. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Do Pagamento. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Do Pagamento Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber

Leia mais

Direito Civil. Invalidade do Negócio Jurídico. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Invalidade do Negócio Jurídico. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Invalidade do Negócio Jurídico Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE

Leia mais

CONTRATOS CONTRATOS EM ESPÉCIE

CONTRATOS CONTRATOS EM ESPÉCIE CONTRATOS EM ESPÉCIE COMPRA E VENDA 1. Aspectos Gerais Art. 481. Pelo contrato de compra e venda, um dos contratantes se obriga a transferir o domínio de certa coisa, e o outro, a pagar-lhe certo preço

Leia mais

Direito Civil. Posse e sua Classificação. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Posse e sua Classificação. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Posse e sua Classificação Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

Direito Civil III Contratos

Direito Civil III Contratos Direito Civil III Contratos Troca ou Permuta Art. 533 Prof. Andrei Brettas Grunwald 2011.1 1 Conceito É o contrato pelo meio do qual uma parte se obriga a entregar uma coisa diversa de dinheiro a outra,

Leia mais

FATOS E NEGOCIOS JURIDICOS

FATOS E NEGOCIOS JURIDICOS FATOS E NEGOCIOS JURIDICOS (Questões extraídas da Disciplina Online) 1- Os fatos jurídicos "lato sensu" não dependem da vontade humana. 2- O ato ilícito gera a produção de direitos e deveres para ambas

Leia mais

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança Sumário 1. Noções Introdutórias 1.1 Sucessão. Compreensão do Vocábulo. O Direito das Sucessões 1.2 Direito das Sucessões no Direito Romano 1.3 Ideia Central do Direito das Sucessões 1.4 Noção de Herança

Leia mais

Direito do Consumidor

Direito do Consumidor Direito do Consumidor Cláusulas Abusivas Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br Direito do Consumidor LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990 CÓDIGO DE DEFESA

Leia mais

Aula 15. Na denunciação à lide, o evicto pode exigir do alienante todas as hipóteses do art. 450, CC. In verbis:

Aula 15. Na denunciação à lide, o evicto pode exigir do alienante todas as hipóteses do art. 450, CC. In verbis: Turma e Ano: CAM MASTER B 2015 Matéria / Aula: Direito Civil Obrigações e Contratos Aula 15 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitor: Mário Alexandre de Oliveira Ferreira Aula 15 Exemplo: A e B celebram

Leia mais

Conteúdo: Negócio Jurídico: Elementos; Planos; Teoria das Nulidades.

Conteúdo: Negócio Jurídico: Elementos; Planos; Teoria das Nulidades. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Civil (Parte Geral) / Aula 12 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: Negócio Jurídico: Elementos; Planos; Teoria das Nulidades. 3. NEGÓCIO JURÍDICO: 3.4

Leia mais

- Doação a incapaz, terá de o ser sem encargos (puras) e produz efeitos independentemente da aceitação (presumida). (951. nº. 1 e 2 CC).

- Doação a incapaz, terá de o ser sem encargos (puras) e produz efeitos independentemente da aceitação (presumida). (951. nº. 1 e 2 CC). Noção Contrato pelo qual uma Pessoa Jurídica, por espírito de liberalidade e à custa do seu património, dispõe gratuitamente de uma coisa ou de um direito, ou assume uma obrigação, em benefício do outro

Leia mais

CÓDIGO CIVIL - EXTRATO

CÓDIGO CIVIL - EXTRATO CÓDIGO CIVIL - EXTRATO Aprovado pelo Decreto-Lei n.º 47 344, de 25 de novembro de 1966. Entrada em vigor: 01-06-1967. Alterações aos artigos deste extrato: Decreto-Lei n.º 236/80, de 18 de julho, retificado

Leia mais

9/26/17. Contratos. ! Conceito: Contrato. Fontes obrigacionais no direito civil brasileiro. - Direito obrigacional

9/26/17. Contratos. ! Conceito: Contrato. Fontes obrigacionais no direito civil brasileiro. - Direito obrigacional Fontes obrigacionais no direito civil brasileiro! Lei! *! Atos ilícitos e o abuso de direito! Atos unilaterais! Títulos de crédito! Conceito: Contrato - Direito obrigacional - Relação jurídica transitória:

Leia mais

TÍTULO VI Das Várias Espécies de Contrato. CAPÍTULO I Da Compra e Venda. Seção I Disposições Gerais

TÍTULO VI Das Várias Espécies de Contrato. CAPÍTULO I Da Compra e Venda. Seção I Disposições Gerais TÍTULO VI Das Várias Espécies de Contrato CAPÍTULO I Da Compra e Venda Seção I Disposições Gerais Art. 481. Pelo contrato de compra e venda, um dos contratantes se obriga a transferir o domínio de certa

Leia mais

160715B21 Direito Civil. Parte Geral Obrigações Contratos

160715B21 Direito Civil. Parte Geral Obrigações Contratos 160715B21 Direito Civil Parte Geral Obrigações Contratos Direito Civil Parte Geral Obrigações Contratos VÍCIO REDIBITÓRIO - GARANTIA IMPLÍCITA IMPOSTA AO ALIENANTE Defeito Material (contratos onerosos

Leia mais

Institutos de Direito Aula - Garantias

Institutos de Direito Aula - Garantias Institutos de Direito Aula - Garantias CAMILA VILLARD DURAN CAMILADURAN@USP.BR Garantias! Conceito e classificação! Garantias reais e pessoais 1% Garantias! Conceito! Direitos e obrigações acessórios (em

Leia mais

Planejamento Patrimonial. Questionamento para mulheres de executivos

Planejamento Patrimonial. Questionamento para mulheres de executivos Planejamento Patrimonial Questionamento para mulheres de executivos Bueno, Mesquita e Advogados O Bueno, Mesquita e Advogados é um escritório de advocacia empresarial com foco em empresas familiares e

Leia mais

I. SUCESSÃO POR CAUSA DA MORTE E PLANEAMENTO SUCESSÓRIO

I. SUCESSÃO POR CAUSA DA MORTE E PLANEAMENTO SUCESSÓRIO Índice 167 Abreviaturas e siglas 9 Introdução 11 I. SUCESSÃO POR CAUSA DA MORTE E PLANEAMENTO SUCESSÓRIO 17 1. O património e a sua transmissão por causa da morte 18 1.1. O problema sucessório 18 1.2 O

Leia mais

Direito Civil Prof. Conrado Paulino Rosa

Direito Civil Prof. Conrado Paulino Rosa DIREITO DE REPRESENTAÇÃO 1. Direito de representação: Por direito próprio: o Herdeiros descendentes recebem de forma direta, sucedendo por cabeça ou por direito próprio, sem nenhuma representação entre

Leia mais

Direito Civil. Aquisição da Propriedade Móvel. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Aquisição da Propriedade Móvel. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Aquisição da Propriedade Móvel Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil LEI NO 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES. (DA SUCESSÃO EM ESPÉCIE - Legítima e Legitimária) TÍTULO II Da sucessão legítima CAPÍTULO I Disposições gerais

DIREITO DAS SUCESSÕES. (DA SUCESSÃO EM ESPÉCIE - Legítima e Legitimária) TÍTULO II Da sucessão legítima CAPÍTULO I Disposições gerais DIREITO DAS SUCESSÕES (DA SUCESSÃO EM ESPÉCIE - Legítima e Legitimária) Profa. Dra. Zamira de Assis TÍTULO II Da sucessão legítima CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 2131.º (Abertura da sucessão legítima)

Leia mais

A PROMESSA DE DOAÇÃO NO DIREITO CIVIL BRASILEIRO CIVIL LAW X COMMON LAW

A PROMESSA DE DOAÇÃO NO DIREITO CIVIL BRASILEIRO CIVIL LAW X COMMON LAW A PROMESSA DE DOAÇÃO NO DIREITO CIVIL BRASILEIRO CIVIL LAW X COMMON LAW FERNANDO REGO BARROS FILHO LUNA CARLA SÁ SZLACHTA RESUMO: O objetivo principal deste artigo é propor uma reflexão sobre doação de

Leia mais

Direito Civil. Sucessão em Geral. Professora Alessandra Vieira.

Direito Civil. Sucessão em Geral. Professora Alessandra Vieira. Direito Civil Sucessão em Geral Professora Alessandra Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX DO DIREITO SUCESSÓRIO Considerações Gerais: A abertura da sucessão se dá no exato instante

Leia mais

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS MÓDULO I Direito das Sucessões; Conceito; Formas de Sucessão; Abertura da Sucessão; Sucessão Universal e Singular; Da Capacidade para

Leia mais

DAS IMPLICAÇÕES JURÍDICAS DAS DOAÇÕES DE TERRA REALIZADAS DE PAI(S) PARA FILHO(S) PARA FINS DE MANUTENÇÃO DA QUALIDADE DE SEGURADO ESPECIAL

DAS IMPLICAÇÕES JURÍDICAS DAS DOAÇÕES DE TERRA REALIZADAS DE PAI(S) PARA FILHO(S) PARA FINS DE MANUTENÇÃO DA QUALIDADE DE SEGURADO ESPECIAL DAS IMPLICAÇÕES JURÍDICAS DAS DOAÇÕES DE TERRA REALIZADAS DE PAI(S) PARA FILHO(S) PARA FINS DE MANUTENÇÃO DA QUALIDADE DE SEGURADO ESPECIAL 1. CONSULTA: Trata-se de consulta interna visando a estabelecer

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Durval Salge Júnior (Aula 18/09/2017). Vício Redibitório e Evicção. Elementos do Negócio Jurídico. Elementos essências art. 104. Elementos

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO CIVIL. Aula Ministrada pelo Prof. Durval Salge Júnior (Aula 28/09/2017). Continuação de extinção dos contratos. Extinção dos contratos. Rescisão a extinção pela rescisão

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES

DIREITO DAS SUCESSÕES DIREITO DAS SUCESSÕES Profa. Dra. Zamira de Assis 2016-2017 LEGISLAÇÃO PERTINENTE 1) Decreto-Lei n 47.344/1966 de 25 de Novembro (Código Civil) 2) Decreto-Lei n.º 131/1995 de 06 de Junho (Código do Registro

Leia mais

Direito Civil IV Aula 26. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2

Direito Civil IV Aula 26. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Direito Civil IV Aula 26 Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Aula 26 04/11/2015 Da Compra e Venda: Consequências Jurídicas: Obrigação de entregar a coisa com todos os acessórios;

Leia mais

Direito Civil. Do Regime de Bens. Professora Alessandra Vieira.

Direito Civil. Do Regime de Bens. Professora Alessandra Vieira. Direito Civil Do Regime de Bens Professora Alessandra Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil CÓDIGO CIVIL DE 2002 Do Regime de Bens entre os Cônjuges Art. 1.639. É lícito aos nubentes, antes

Leia mais

Direito das Sucessões. Sucessão testamentária

Direito das Sucessões. Sucessão testamentária Direito das Sucessões Sucessão testamentária OBJETIVO Conhecer o instituto da Sucessão testamentária e seus elementos constitutivos. ROTEIRO! Direito de acrescer! Das substituições! Redução das disposições

Leia mais

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES DIREITO DAS SUCESSÕES I. SUCESSÃO EM GERAL II. SUCESSÃO LEGÍTIMA III. SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA IV. INVENTÁRIO E PARTILHA SUCESSÃO LEGÍTIMA 1. Conceito 2. Parentesco 3. Sucessão por direito próprio e por

Leia mais

Direito e legislação. Tópico III Direito das obrigações Contratos

Direito e legislação. Tópico III Direito das obrigações Contratos Direito e legislação Tópico III Direito das obrigações Contratos Direito das Obrigações Credor Devedor Espécies das Obrigações Obrigação de dar (certa e incerta) Coisa Certa é aquela em que o devedor se

Leia mais

Direito Empresarial. Aula 20. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Empresarial. Aula 20. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Empresarial Aula 20 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

7. Casamento inválido. 7. Casamento inválido -> Casamento Inexistente. São de três espécies: Requisitos de Exisitência:

7. Casamento inválido. 7. Casamento inválido -> Casamento Inexistente. São de três espécies: Requisitos de Exisitência: 7. Casamento inválido São de três espécies: A) Casamento Inexistente B) Casameto Nulo 7. Casamento inválido -> Casamento Inexistente Requisitos de Exisitência: 1. Deferença de sexo 2. Consentimento 3.

Leia mais

Aula Introdução às Obrigações Solidárias: Por Marcelo Câmara

Aula Introdução às Obrigações Solidárias: Por Marcelo Câmara Por Marcelo Câmara texto Sumário: texto 3. Introdução às Obrigações Solidárias: 3.1. Conceito: 3.2 Natureza jurídica: 3.3. Princípios Gerais: 3.4 Espécies de obrigações solidárias: texto Desenvolvimento:

Leia mais

Instituições de Direito Público e Privado. Parte X Herança

Instituições de Direito Público e Privado. Parte X Herança Instituições de Direito Público e Privado Parte X Herança 1. Sucessão Conceito Sucessão A palavra suceder tem o sentido genérico de virem os fatos e fenômenos jurídicos uns depois dos outros (sub + cedere).

Leia mais

DIREITO CIVIL. Aula 11. Obrigações II. Prof. Wander Garcia

DIREITO CIVIL. Aula 11. Obrigações II. Prof. Wander Garcia DIREITO CIVIL Aula 11 Obrigações II Prof. Wander Garcia 5. Transmissão das obrigações (alteração subjetiva) 5.1. Cessão de crédito 5.1.1. Conceito: transferência da posição de credor - cedente: credor

Leia mais

DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS

DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS CLASSIFICAÇÃO DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS: (a) unilaterais bilaterais e plurilaterais; (b) gratuitos e onerosos neutros e bifrontes; (c) inter vivos e mortis causa ; (d) principais e

Leia mais

Modular Direito de Família Invalidade do Casamento Fernando Viana Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Modular Direito de Família Invalidade do Casamento Fernando Viana Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Modular Direito de Família Invalidade do Casamento Fernando Viana 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Invalidade do Casamento Casamento Nulo Art. 1.548. É nulo

Leia mais

Direito das Sucessões

Direito das Sucessões Direito das Sucessões OBJETIVO Conhecer o instituto da Sucessão legítima. ROTEIRO! Introdução! Ordem de vocação hereditária! Herdeiros necessários! Sucessão por cabeça e por estirpe! Direito de transmissão

Leia mais

Direito Civil. Da Pessoa Natural Domicílio. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Da Pessoa Natural Domicílio. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Da Pessoa Natural Domicílio Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE

Leia mais

1ª FASE - EXTENSIVO MATUTINO Disciplina: Direito Civil Prof.: Brunno Giancoli Data: 07/10/2008 Aula: 8/13

1ª FASE - EXTENSIVO MATUTINO Disciplina: Direito Civil Prof.: Brunno Giancoli Data: 07/10/2008 Aula: 8/13 TEMAS TRATADOS EM SALA Contrato de Compra e Venda - bilateral; - oneroso; - comutativo; - consensual; Elementos - preço, não pode ser fixado a livre arbítrio de uma das partes. - mercadoria. Restrições

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES. (9) ACEITAÇÃO e REPÚDIO DA HERANÇA. Profa. Dra. Zamira de Assis. CHAMAMENTO (vocação) ABERTURA ACEITAÇÃO SOBREVIVÊNCIA REPÚDIO

DIREITO DAS SUCESSÕES. (9) ACEITAÇÃO e REPÚDIO DA HERANÇA. Profa. Dra. Zamira de Assis. CHAMAMENTO (vocação) ABERTURA ACEITAÇÃO SOBREVIVÊNCIA REPÚDIO DIREITO DAS SUCESSÕES (9) ACEITAÇÃO e REPÚDIO DA HERANÇA Profa. Dra. Zamira de Assis herança jacente ABERTURA DELAÇÃO DEVOLUÇÃO CHAMAMENTO (vocação) SOBREVIVÊNCIA REPÚDIO ACEITAÇÃO CAPACIDADE REPRESENTAÇÃO

Leia mais

XXII EXAME DE ORDEM DIREITO CIVIL: FAMÍLIA E SUCESSÕES PROF.ª CARLA CARVALHO

XXII EXAME DE ORDEM DIREITO CIVIL: FAMÍLIA E SUCESSÕES PROF.ª CARLA CARVALHO XXII EXAME DE ORDEM DIREITO CIVIL: FAMÍLIA E SUCESSÕES PROF.ª CARLA CARVALHO XXII EXAME DE ORDEM DIREITO DE FAMÍLIA Temas recorrentes FAMÍLIA casamento; regime de bens partilha Alteração SUCESSÕES vocação

Leia mais

Direito das Sucessões

Direito das Sucessões Direito das Sucessões OBJETIVO Conhecer o instituto da herança e da vocação hereditária. ROTEIRO! Da herança! Ordem de vocação hereditária! Quem pode suceder! Quem não pode suceder! Da aceitação e renúncia

Leia mais

DELEGADO DE POLÍCIA DO ESTADO DE PERNAMBUCO

DELEGADO DE POLÍCIA DO ESTADO DE PERNAMBUCO COMENTÁRIOS DA PROVA DE DIREITO CIVIL PROFESSOR: LAURO ESCOBAR www.pontodosconcursos.com.br 1 (CESPE PC/PE Delegado de Polícia 2016) Com base nas disposições do Código Civil, assinale a opção correta a

Leia mais

ANEXO VIII TERMO DE DOAÇÃO DE BEM MÓVEL 1

ANEXO VIII TERMO DE DOAÇÃO DE BEM MÓVEL 1 ANEXO VIII TERMO DE DOAÇÃO DE BEM MÓVEL 1 TERMO DE DOAÇÃO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO, POR INTERMÉDIO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE XXXXX E XXXXXXXX. Pelo presente instrumento, o MUNICÍPIO

Leia mais

FCC = TRT 20ª REGIÃO/SE = OJAF. Comentários da Prova de Direito Civil ANALISTA JUDICIÁRIO = OFICIAL DE JUSTIÇA TRT 20ª REGIÃO FCC 2016

FCC = TRT 20ª REGIÃO/SE = OJAF. Comentários da Prova de Direito Civil ANALISTA JUDICIÁRIO = OFICIAL DE JUSTIÇA TRT 20ª REGIÃO FCC 2016 ANALISTA JUDICIÁRIO = OFICIAL DE JUSTIÇA TRT 20ª REGIÃO FCC 2016 DA PROVA DE DIREITO CIVIL = PROFESSOR: LAURO ESCOBAR = www.pontodosconcursos.com.br 1 ANALISTA JUDICIÁRIO = OFICAL DE JUSTIÇA AVALIADOR

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO. Aula Ministrada pelo Prof. Durval Salge Jr. 1-) Contrato de Compra e Venda Imobiliária: Para poder existir a venda de um imóvel, há necessidade daquele que

Leia mais

DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos

DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos Direito Matrimonial o Conceito: o Natureza jurídica do casamento: o Finalidades do casamento: o Princípios do casamento: o Esponsais

Leia mais

Direito Civil. Direito das Sucessões. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Direito das Sucessões. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Direito das Sucessões Prof. Marcio Pereira Sucessões (art. 1.784 do CC) É a transmissão de bens, direitos e obrigações de uma pessoa para outra que se dá em razão de sua morte. Aberta a successão,

Leia mais

Nucleo de Aposentados e Pensionistas APRESENTAÇÃO - JURÍDICO

Nucleo de Aposentados e Pensionistas APRESENTAÇÃO - JURÍDICO Nucleo de Aposentados e Pensionistas APRESENTAÇÃO - JURÍDICO Herança O artigo 1784 do Código Civil dispõe: Art. 1.784. Aberta a sucessão, a herança transmite-se, desde logo, aos herdeiros legítimos e testamentários.

Leia mais

SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA

SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA Profa. Dra. Cíntia Rosa Pereira de Lima 1 Introdução: Sucessão testamentária = ato de última vontade; Sucessão legítima = supletiva (vontade presumida do de cujus pela lei); Fonte

Leia mais

DA DOAÇÃO. É o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens e vantagens para o de outra

DA DOAÇÃO. É o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens e vantagens para o de outra DAS VÁRIAS ESPÉCIES DE CONTRATO DA DOAÇÃO É o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens e vantagens para o de outra Unilateral, porque envolve prestação de uma só das

Leia mais

Aula 09 TEORIA GERAL DOS CONTRATOS

Aula 09 TEORIA GERAL DOS CONTRATOS Turma e Ano: CAM MASTER B 2015 Matéria / Aula: Direito Civil Obrigações e Contratos Aula 9 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitor: Mário Alexandre de Oliveira Ferreira Aula 09 TEORIA GERAL DOS CONTRATOS

Leia mais

EXERCÍCIO 1. EXERCÍCIO 1 Continuação

EXERCÍCIO 1. EXERCÍCIO 1 Continuação Direito Civil Contratos Aula 1 Exercícios Professora Consuelo Huebra EXERCÍCIO 1 Assinale a opção correta com relação aos contratos. a) O contrato preliminar gera uma obrigação de fazer, no entanto não

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Exame de Recurso Professor Doutor Luís Menezes Leitão 21 de julho de 2015 Duração da prova: 90 minutos

DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Exame de Recurso Professor Doutor Luís Menezes Leitão 21 de julho de 2015 Duração da prova: 90 minutos DIREITO DAS SUCESSÕES 2.º Ano Turma A (Dia) Exame de Recurso Professor Doutor Luís Menezes Leitão 21 de julho de 2015 Duração da prova: 90 minutos GRELHA DE CORREÇÃO A morte de A desencadeia a abertura

Leia mais

Direito Civil. Efeitos da Posse. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Efeitos da Posse. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Efeitos da Posse Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Civil LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 4.121, DE 27 DE AGOSTO DE 1962. Dispõe sôbre a situação jurídica da mulher casada. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO.

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO. Aula Ministrada pelo Prof. Durval Salge Junior 1-) Contrato de Seguro: a) Conceito: Pelo contrato de seguro uma empresa especializada obriga-se para com outro,

Leia mais

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril:

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A evolução da sua situação jurídica em Alexandra Teixeira de Sousa Maio de 2011. A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: evolução da situação jurídica

Leia mais

Instituições de Direito Público e Privado. Parte VII Casamento

Instituições de Direito Público e Privado. Parte VII Casamento Instituições de Direito Público e Privado Parte VII Casamento 1. Casamento Conceito Casamento é Instituição Antiquíssima, Já Registrado no Antigo Egito e Babilônia Casamento é o vínculo jurídico entre

Leia mais

Regime de comunhão universal, cláusula de incomunicabilidade, fideicomisso

Regime de comunhão universal, cláusula de incomunicabilidade, fideicomisso Curso de Direito - Parte Especial - Livro IV - Do Direito de Família - Prof. Ovídio Mendes - Fundação Santo André 1 / 5 DO REGIME DE COMUNHÃO UNIVERSAL P A R T E E S P E C I A L LIVRO IV DO DIREITO DE

Leia mais

Sexta da Família: planejamento sucessório

Sexta da Família: planejamento sucessório Sexta da Família: planejamento sucessório LUIZ KIGNEL Advogado militante; Especialista em Direito Privado pela USP; Membro do IBDFam e do IBGC. Planejamento Sucessório Luiz Kignel kignel@plkc.com.br www.plkc.com.br

Leia mais

Lei n.º 2/92. De 6 de Abril (*) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. ARTIGO 1º - Objecto. ARTIGO 2º - Modalidade

Lei n.º 2/92. De 6 de Abril (*) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. ARTIGO 1º - Objecto. ARTIGO 2º - Modalidade Lei n.º 2/92 De 6 de Abril (*) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º - Objecto A presente lei estabelece as condições de atribuição, aquisição, perda e requisição da Nacionalidade Guineense. ARTIGO 2º

Leia mais

Código Civil Lei , 10 de Janeiro de 2002

Código Civil Lei , 10 de Janeiro de 2002 Código Civil Lei 10.406, 10 de Janeiro de 2002 DA PERSONALIDADE E DA CAPACIDADE Art. 1o Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil. Art. 2o A personalidade civil da pessoa começa do nascimento

Leia mais

AULA 23. Em que momento se tem a realização da compra e venda?

AULA 23. Em que momento se tem a realização da compra e venda? Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professora: Carolina Lima Monitor: André Manso AULA 23 Da compra e venda empresarial Elementos da compra e venda: Consentimento; Objeto; Preço.

Leia mais

Classificação das Obrigações

Classificação das Obrigações DN DireitoNet Resumos Classificação das Obrigações Quanto ao objeto, seus elementos, de meio e de resultado, civis e naturais, puras e simples, condicionais, a termo e modais, de execução instantânea,

Leia mais

Direito Civil. Espécies de Obrigações. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Espécies de Obrigações. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Espécies de Obrigações Prof. Marcio Pereira Obrigações Alternativas ou Disjuntivas São aquelas que embora existam diversos objetos da prestação, o devedor se exonera satisfazendo um deles.

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO CURSO DE DIREITO ROBERTO FREIRE CURSO DE DIREITO FLORIANO PEIXOTO

ESCOLA DE DIREITO CURSO DE DIREITO ROBERTO FREIRE CURSO DE DIREITO FLORIANO PEIXOTO 3ª. Série 06 09 21 22 25 38 CONHECIMENTOS GERAIS DIR. ADMINISTRATIVO DIR. PENAL DIR. PENAL DIR. PENAL DIR. (conteúdo cumulado) A questão trata da temática do Êxodo, decorrente de infortúnios provisórios,

Leia mais