Sugestão de cronograma das aulas de Introdução à Economia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sugestão de cronograma das aulas de Introdução à Economia"

Transcrição

1 Aula Data 1 29/out 1 30/out Ter 2 31/out Qua 2 1/nov Qui Sugestão de cronograma das aulas de Introdução à Economia Conteúd o Especificado Economia: análise (ec. positiva ) e política (ec. normativa ), Ec. normativa e juízos de valor, Escassez e escolha Economia: análise (ec. positiva ) e política (ec. normativa ), Ec. normativa e juízos de valor, Escassez e escolha Análise da escolha; pressupostos do comportamento do consumidor, Escassez e escolha: o orçamento do consumidor (curva de possibilidades de consumo), Escassez e escolha: a curva de possibilidades de produção. Análise da escolha; pressupostos do comportamento do consumidor, Escassez e escolha: o orçamento do consumidor (curva de possibilidades de consumo), Escassez e escolha: a curva de possibilidades de produção. 2 2/nov Sex Feriado AULAS DE EXERCÍCIOS 3 5/nov CPP e a idéia de custo de oportunidade, Trocas: a idéia de vantagem comparativa, Vantagens comparativas e ganhos de troca, Troca e maximização da eficiência produtiva 3 5/nov (/Sex) Análise da escolha; pressupostos do comportamento do consumidor, Escassez e escolha: o orçamento do consumidor (curva de possibilidades de consumo), Escassez e escolha: a curva de possibilidades de produção. 3 6/nov Ter CPP e a idéia de custo de oportunidade, Trocas: a idéia de vantagem comparativa, Vantagens comparativas e ganhos de troca, Troca e maximização da eficiência produtiva 4 7/nov Qua Variações de preços, oferta e demanda, Análise de preços: a idéia do modelo de concorrência perfeita, Pressupostos do modelo: grande número de vendedores e compradores; homogeneidade; livre entrada; informação sem custo, Demanda: fatores que influem, Demanda e preços: a curva de demanda, A lei de demanda ; exceções: bens de Giffen Lista 1 lista 1 4 8/nov Qui Variações de preços, oferta e demanda, Análise de preços: a idéia do modelo de concorrência perfeita, Pressupostos do modelo: grande número de vendedores e compradores; homogeneidade; livre entrada; informação sem custo, Demanda: fatores que influem, Demanda e preços: a curva de demanda, A lei de demanda ; exceções: bens de Giffen 4 9/nov Sex CPP e a idéia de custo de oportunidade, Trocas: a idéia de vantagem comparativa, Vantagens comparativas e ganhos de troca, Troca e maximização da eficiência produtiva

2 5 12/nov Elasticidade-preço da demanda: def., fatores que influem, Elasticidade e formato da curva de demanda, Elasticidade-renda, Deslocamentos da curva de demanda, Bens substitutos e complementares 5 12/nov (/Sex) Variações de preços, oferta e demanda, Análise de preços: a idéia do modelo de concorrência perfeita, Pressupostos do modelo: grande número de vendedores e compradores; homogeneidade; livre entrada; informação sem custo, Demanda: fatores que influem, Demanda e preços: a curva de demanda, A lei de demanda ; exceções: bens de Giffen 5 13/nov Ter 6 14/nov Qua Elasticidade-preço da demanda: def., fatores que influem, Elasticidade e formato da curva de demanda, Elasticidade-renda, Deslocamentos da curva de demanda, Bens substitutos e complementares Oferta: fatores que influem, Oferta e custos crescentes, Oferta com custos decrescentes; ec. de escala, Oferta no curto e longo prazo, Deslocamentos da c. de oferta, Elasticidade-preço da oferta Lista 2A lista 2A 6 15/nov Qui Oferta: fatores que influem, Oferta e custos crescentes, Oferta com custos decrescentes; ec. de escala, Oferta no curto e longo prazo, Deslocamentos da c. de oferta, Elasticidade-preço da oferta 6 16/nov Sex Elasticidade-preço da demanda: def., fatores que influem, Elasticidade e formato da curva de demanda, Elasticidade-renda, Deslocamentos da curva de demanda, Bens substitutos e complementares 7 19/nov Equilíbrio de mercado; preço e quantidade de equilíbrio, Aplicações mercado agrícola: preços mínimos e estoques reguladores; teia de aranha ; mercado de trabalho: salário mínimo; mercados financeiros: importância de expectativas, Impostos e elasticidade. 7 19/nov (/Sex) Oferta: fatores que influem, Oferta e custos crescentes, Oferta com custos decrescentes; ec. de escala, Oferta no curto e longo prazo, Deslocamentos da c. de oferta, Elasticidade-preço da oferta 7 20/nov Ter Equilíbrio de mercado; preço e quantidade de equilíbrio, Aplicações mercado agrícola: preços mínimos e estoques reguladores; teia de aranha ; mercado de trabalho: salário mínimo; mercados financeiros: importância de expectativas, Impostos e elasticidade. Lista 2B

3 8 21/nov Qua Outras formas de mercado, Monopólio: razões; características de formação de preços (supondo simplificadamente custo zero), Monopólio e regulação, Oligopólio, Concorrência monopolística, monopsônio, oligopsônio Lista 2B lista 2B 8 22/nov Qui Outras formas de mercado, Monopólio: razões; características de formação de preços (supondo simplificadamente custo zero), Monopólio e regulação, Oligopólio, Concorrência monopolística, monopsônio, oligopsônio 8 23/nov Sex Equilíbrio de mercado; preço e quantidade de equilíbrio, Aplicações mercado agrícola: preços mínimos e estoques reguladores; teia de aranha ; mercado de trabalho: salário mínimo; mercados financeiros: importância de expectativas, Impostos e elasticidade. 9 26/nov (/Sex) Outras formas de mercado, Monopólio: razões; características de formação de preços (supondo simplificadamente custo zero), Monopólio e regulação, Oligopólio, Concorrência monopolística, monopsônio, oligopsônio Falhas de mercado, Bens públicos, Externalidades 9 26/nov (/Qua) 9 27/nov Ter Falhas de mercado, Bens públicos, Externalidades 10 28/nov Qua Revisão para prova 10 29/nov Qui Revisão para prova 10 30/nov Sex Falhas de mercado, Bens públicos, Externalidades I Aulão 1/dez Sáb I Prova Unidades I e II 11 3/dez I Contabilidade Nacional: o que é, quando e por que se desenvolve, Produto: def., medida Valor bruto da produção e a dupla contagem, A ótica da produção: produto como soma de bens finais ou soma de valores agregados, Ótica da renda; ótica do dispêndio 11 4/dez Ter 12 5/dez Qua 12 6/dez Qui I I I Contabilidade Nacional: o que é, quando e por que se desenvolve, Produto: def., medida Valor bruto da produção e a dupla contagem, A ótica da produção: produto como soma de bens finais ou soma de valores agregados, Ótica da renda; ótica do dispêndio Interno e nacional; bruto e líquido. a custo de fatores e a preços de mercado, Imputações e exclusões, Comparações internacionais; o problema da taxa de câmbio adequada, A taxa de paridade do poder de compra, Comparações no tempo; o problema do deflacionamento Interno e nacional; bruto e líquido. a custo de fatores e a preços de mercado, Imputações e exclusões, Comparações internacionais; o problema da taxa de câmbio adequada, A taxa de paridade do poder de compra, Comparações no tempo; o problema do deflacionamento Lista 3A lista 3A

4 12 7/dez Sex I Interno e nacional; bruto e líquido. a custo de fatores e a preços de mercado, Imputações e exclusões, Comparações internacionais; o problema da taxa de câmbio adequada, A taxa de paridade do poder de compra, Comparações no tempo; o problema do deflacionamento 13 10/dez I Preços correntes e preços constantes; como deflacionar, Índices de preços: o que são, Características dos índices de preços mais usados no Brasil, Problemas na escolha de índices de preços; o caso do IGP /dez Ter I Preços correntes e preços constantes; como deflacionar, Índices de preços: o que são, Características dos índices de preços mais usados no Brasil, Problemas na escolha de índices de preços; o caso do IGP. lista 3B 14 12/dez Qua V Moeda: funções, evolução histórica, Encaixe fracionário e criação de moeda, Crédito, confiança e risco; surgimento dos Bancos Centrais, Moeda escritural; os sistemas monetários modernos. Lista 3B 14 13/dez Qui V Moeda: funções, evolução histórica, Encaixe fracionário e criação de moeda, Crédito, confiança e risco; surgimento dos Bancos Centrais, Moeda escritural; os sistemas monetários modernos /dez Sex V Moeda: funções, evolução histórica, Encaixe fracionário e criação de moeda, Crédito, confiança e risco; surgimento dos Bancos Centrais, Moeda escritural; os sistemas monetários modernos /dez V O multiplicador monetário, Controle da oferta de moeda pelo BC, Demanda por moeda: noções /dez Ter V O multiplicador monetário, Controle da oferta de moeda pelo BC, Demanda por moeda: noções /dez Qua V Inflação: Inflação de demanda; inflação de custos; inflação inercial, Política antiinflacionária 16 20/dez Qui V Inflação: Inflação de demanda; inflação de custos; inflação inercial, Política antiinflacionária 16 21/dez Sex V Inflação: Inflação de demanda; inflação de custos; inflação inercial, Política antiinflacionária Lista 4 lista /jan 17 8/jan Ter V Crescimento econômico, Aumento de produtividade: fatores, Inovações tecnológicas e produtividade, Crescimento e investimento, Crescimento e capital humano, Crescimento e ação do governo; o papel das instituições. Crescimento econômico, Aumento de produtividade: fatores, Inovações tecnológicas e produtividade, Crescimento e investimento, Crescimento e capital humano, Crescimento e ação do governo; o papel das instituições.

5 18 9/jan Qua Investimento e poupança; intermediação financeira, Crescimento econômico aspectos da experiência brasileira: ação do governo, intermediação financeira, Investimento, poupança e o mercado de fundos de empréstimo (economia fechada). Lista 5A lista 5A 18 10/jan Qui Investimento e poupança; intermediação financeira, Crescimento econômico aspectos da experiência brasileira: ação do governo, intermediação financeira, Investimento, poupança e o mercado de fundos de empréstimo (economia fechada) /jan Sex Investimento e poupança; intermediação financeira, Crescimento econômico aspectos da experiência brasileira: ação do governo, intermediação financeira, Investimento, poupança e o mercado de fundos de empréstimo (economia fechada) /jan 19 15/jan Ter 20 16/jan Qua 20 17/jan Qui 20 18/jan Sex Equilíbrio macro de curto prazo: a visão keynesiana, Keynes e os clássicos ; a hipótese de preços inflexíveis, Insuficiência de demanda; a função-consumo. Equilíbrio macro de curto prazo: a visão keynesiana, Keynes e os clássicos ; a hipótese de preços inflexíveis, Insuficiência de demanda; a função-consumo. O multiplicador de renda, O governo como agente estabilizador; política fiscal, A idéia da Curva de Phillips, Comentários sobre desemprego (não-keynesiano) no Brasil. O multiplicador de renda, O governo como agente estabilizador; política fiscal, A idéia da Curva de Phillips, Comentários sobre desemprego (não-keynesiano) no Brasil. O multiplicador de renda, O governo como agente estabilizador; política fiscal, A idéia da Curva de Phillips, Comentários sobre desemprego (não-keynesiano) no Brasil. 19/jan Sáb II Prova Unidades III, IV e V Lista 5B lista 5B II Aulão 21 21/jan Balanço de pagamentos; o que é, Estrutura do B. de P. no Brasil: principais contas, Evolução recente do B. de P. brasileiro. Teorias do Comércio Internacional 21 22/jan Ter Balanço de pagamentos; o que é, Estrutura do B. de P. no Brasil: principais contas, Evolução recente do B. de P. brasileiro. Teorias do Comércio Internacional 22 23/jan Qua Taxa de câmbio, Regimes cambiais: câmbio flexível e câmbio fixo, Câmbio flexível; o mercado de câmbio: oferta e demanda de divisas, Câmbio fixo: o padrão-ouro e o mecanismo equilibrador; câmbio fixo na atualidade, Vantagens e desvantagens dos dois regimes; regimes mistos

6 22 24/jan Qui Taxa de câmbio, Regimes cambiais: câmbio flexível e câmbio fixo, Câmbio flexível; o mercado de câmbio: oferta e demanda de divisas, Câmbio fixo: o padrão-ouro e o mecanismo equilibrador; câmbio fixo na atualidade, Vantagens e desvantagens dos dois regimes; regimes mistos 22 25/jan Sex Taxa de câmbio, Regimes cambiais: câmbio flexível e câmbio fixo, Câmbio flexível; o mercado de câmbio: oferta e demanda de divisas, Câmbio fixo: o padrão-ouro e o mecanismo equilibrador; câmbio fixo na atualidade, Vantagens e desvantagens dos dois regimes; regimes mistos 23 28/jan Taxa de câmbio real: conceito, utilidade, A teoria de paridade do poder de compra, Usos e limitações da PPC, Curiosidade: a taxa Big Mac /jan Ter Taxa de câmbio real: conceito, utilidade, A teoria de paridade do poder de compra, Usos e limitações da PPC, Curiosidade: a taxa Big Mac /jan Qua 24 31/jan Qui Determinação dos fluxos de comércio; vantagens comparativas (cf. 1ª Unidade), Políticas protecionistas, Equilíbrio macro de longo prazo na economia aberta (hipóteses clássicas ), Déficit no B. de P. em conta corrente como poupança externa, Interação entre os mercados de fundos de empréstimo e cambial, A idéia dos déficits gêmeos. Determinação dos fluxos de comércio; vantagens comparativas (cf. 1ª Unidade), Políticas protecionistas, Equilíbrio macro de longo prazo na economia aberta (hipóteses clássicas ), Déficit no B. de P. em conta corrente como poupança externa, Interação entre os mercados de fundos de empréstimo e cambial, A idéia dos déficits gêmeos. Lista 6A lista 6A 24 1/fev Sex Determinação dos fluxos de comércio; vantagens comparativas (cf. 1ª Unidade), Políticas protecionistas, Equilíbrio macro de longo prazo na economia aberta (hipóteses clássicas ), Déficit no B. de P. em conta corrente como poupança externa, Interação entre os mercados de fundos de empréstimo e cambial, A idéia dos déficits gêmeos. 25 4/fev 25 5/fev Ter I Distribuição pessoal de renda medidas, Curva de Lorenz e índice de Gini, Gini: alguns dados internacionais, Distribuição de renda: evolução no Brasil. (Texto de Bruno Rezende e Marcus Vinícius) Distribuição pessoal de renda medidas, Curva de Lorenz e índice de Gini, Gini: alguns dados internacionais, Distribuição de renda: evolução no Brasil. (Texto de Bruno Rezende e Marcus Vinícius)

7 26 6/fev Qua I Distribuição de renda no Brasil: por que tão desigual?, A herança histórica; a corrida (R.P. de Barros), Pobreza; as linhas de pobreza; dados para o Brasil, Indicadores sociais; dados para o Brasil, O problema da desigualdade distributiva: possíveis políticas Lista 6B lista 6B 26 7/fev Qui I Distribuição de renda no Brasil: por que tão desigual?, A herança histórica; a corrida (R.P. de Barros), Pobreza; as linhas de pobreza; dados para o Brasil, Indicadores sociais; dados para o Brasil, O problema da desigualdade distributiva: possíveis políticas 26 8/fev Sex I Distribuição de renda no Brasil: por que tão desigual?, A herança histórica; a corrida (R.P. de Barros), Pobreza; as linhas de pobreza; dados para o Brasil, Indicadores sociais; dados para o Brasil, O problema da desigualdade distributiva: possíveis políticas 27 11/fev Feriado 27 12/fev Ter Feriado 28 13/fev Qua Feriado 28 14/fev Qui 28 15/fev Sex I I A economia brasileira na segunda metade do séc. XX, Protecionismo e industrialização; o papel do Estado, Sucessos e problemas do modelo protecionista; o rápido crescimento do produto até 1980; ineficiências, pressão sobre os gastos públicos, experiências inflacionárias, Planos Cruzado e Real, A crise dos anos 80 e a abertura nos anos 90. A economia brasileira na segunda metade do séc. XX, Protecionismo e industrialização; o papel do Estado, Sucessos e problemas do modelo protecionista; o rápido crescimento do produto até 1980; ineficiências, pressão sobre os gastos públicos, experiências inflacionárias, Planos Cruzado e Real, A crise dos anos 80 e a abertura nos anos /fev I A economia brasileira na segunda metade do séc. XX, Protecionismo e industrialização; o papel do Estado, Sucessos e problemas do modelo protecionista; o rápido crescimento do produto até 1980; ineficiências, pressão sobre os gastos públicos, experiências inflacionárias, Planos Cruzado e Real, A crise dos anos 80 e a abertura nos anos /fev Ter I O período recente estabilização de preços, busca do equilíbrio fiscal, Superávits primários; aumento da carga fiscal; composição dos gastos públicos, O problema previdenciário, Tendências do balanço de pagamentos : a valorização cambial até 99 e os déficits em conta corrente; últimos anos: expansão das exportações, superávits comerciais e em conta corrente, Um novo papel do Estado; regulação.

8 30 20/fev Qua I O período recente estabilização de preços, busca do equilíbrio fiscal, Superávits primários; aumento da carga fiscal; composição dos gastos públicos, O problema previdenciário, Tendências do balanço de pagamentos : a valorização cambial até 99 e os déficits em conta corrente; últimos anos: expansão das exportações, superávits comerciais e em conta corrente, Um novo papel do Estado; regulação. Lista 7 lista /fev Qui I Revisão para prova 30 22/fev Sex I O período recente estabilização de preços, busca do equilíbrio fiscal, Superávits primários; aumento da carga fiscal; composição dos gastos públicos, O problema previdenciário, Tendências do balanço de pagamentos : a valorização cambial até 99 e os déficits em conta corrente; últimos anos: expansão das exportações, superávits comerciais e em conta corrente, Um novo papel do Estado; regulação. 24/fev Sáb III Prova Unidades VI e VII III Aulão

Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas Ciclo Introdutório às Ciências Humanas

Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas Ciclo Introdutório às Ciências Humanas CARGA HORÁRIA: 60 (sessenta) hoas/aula CRÉDITOS: 04 (quatro) EMENTA: Economia: conceitos básicos. Caracterização do problema econômico. Ciências Econômicas em relação às demais ciências sociais. Linhas

Leia mais

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA (CÓD. ENEX60075) PERÍODO: 1º PERÍODO

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA (CÓD. ENEX60075) PERÍODO: 1º PERÍODO PLANO DE AULA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA (CÓD. ENEX60075) PERÍODO: 1º PERÍODO TOTAL DE SEMANAS: 20 SEMANAS TOTAL DE ENCONTROS: 40 AULAS Aulas Conteúdos/ Matéria Tipo de aula Textos, filmes e outros

Leia mais

DEPARTAMENTO CURRICULAR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS. PLANO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ECONOMIA MÓDULOS 1, 2, 3 e 4 10º ANO. Ano Letivo

DEPARTAMENTO CURRICULAR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS. PLANO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ECONOMIA MÓDULOS 1, 2, 3 e 4 10º ANO. Ano Letivo DEPARTAMENTO CURRICULAR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PLANO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ECONOMIA MÓDULOS 1, 2, 3 e 4 10º ANO Ano Letivo 2017-2018 TEMAS/ CONTEÚDOS Módulo 1 A Economia e o Problema Económico

Leia mais

Sumário. ) Importações de Bens e de Serviços Não-Fatores (M nf

Sumário. ) Importações de Bens e de Serviços Não-Fatores (M nf Sumário CAPÍTULO 1 BALANÇO DE PAGAMENTOS... 1 1.1 Conceitos Introdutórios... 1 1.1.1 Definição... 1 1.1.2 Meios (formas) Internacionais de Pagamento... 3 1.1.3 Apresentação da Estrutura Antiga do Balanço

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ECONÔMICO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ECONÔMICO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ECONÔMICO Adam Smith: divisão do trabalho, produtividade e custos David Ricardo: vantagens comparativas Malthus: controle demográfico Marx: mais-valia e crises capitalistas Marx:

Leia mais

4. OS ELEMENTOS FUNDAMENTAIS DA OFERTA E DA PROCURA

4. OS ELEMENTOS FUNDAMENTAIS DA OFERTA E DA PROCURA Licenciatura em Comunicação Social, 2 ano 2002/2003 PROGRAMA de ECONOMIA 1. UNIDADE LECTIVA PRELIMINAR 1.1 Conceitos matemáticos 1.1.1 Conceito de função; funções lineares 1.1.2 Construção e leitura de

Leia mais

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO 1 OBJETIVOS DA AULA 3 Dinâmica dos Mercados em Macroeconomia Contas Nacionais - Quantificando o Desempenho da

Leia mais

Unidade III ECONOMIA E MERCADO. Prof. Rodrigo Marchesin

Unidade III ECONOMIA E MERCADO. Prof. Rodrigo Marchesin Unidade III ECONOMIA E MERCADO Prof. Rodrigo Marchesin Introdução Macroeconomia: Grandes questões econômicas; Comportamento global do sistema; Análise dos grandes agregados econômicos. Estrutura básica

Leia mais

Objetivos e instrumentos de política econômica, 1

Objetivos e instrumentos de política econômica, 1 Sumário Prefácio, xiii i Objetivos e instrumentos de política econômica, 1 1. Objetivo do estudo de economia, 2 2. Objetivos de política econômica, 3 2.1 Crescimento da produção e do emprego, 3 2.2 Controle

Leia mais

Macroeconomia Aberta. CE-571 MACROECONOMIA III Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa Programa 1º semestre.

Macroeconomia Aberta. CE-571 MACROECONOMIA III Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa Programa 1º semestre. Macroeconomia Aberta CE-571 MACROECONOMIA III Prof. Dr. Fernando Nogueira da Costa Programa 1º semestre http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ PARTE I: Determinantes da taxa de câmbio e do balanço

Leia mais

I MACROECONOMIA BÁSICA: AGREGADOS MACROECONÔMICOS,

I MACROECONOMIA BÁSICA: AGREGADOS MACROECONÔMICOS, Sumário Resumido Ordem dos Economistas do Brasil, xiii Apresentação, xv Introdução Teoria Macroeconômica: Evolução e Situação Atual, 1 Parte I MACROECONOMIA BÁSICA: AGREGADOS MACROECONÔMICOS, 17 Apresentação,

Leia mais

,UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO P L A N O D E E N S I N O

,UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO P L A N O D E E N S I N O ,UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO P L A N O D E E N S I N O I IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Administração Disciplina: Economia e Mercado Ano Letivo: 2016 Semestre:

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

Índice ECONOMIA E NEGÓCIOS PARTE I. Índice de caixas, figuras e tabelas 13. Prefácio para os estudantes 19. Prefácio para os professores 21

Índice ECONOMIA E NEGÓCIOS PARTE I. Índice de caixas, figuras e tabelas 13. Prefácio para os estudantes 19. Prefácio para os professores 21 Índice Índice de caixas, figuras e tabelas 13 Prefácio para os estudantes 19 Prefácio para os professores 21 PARTE I ECONOMIA E NEGÓCIOS Capítulo 1 Ambiente empresarial 1.1. Âmbito da economia empresarial

Leia mais

Noções (?) de Economia Concurso de Admissão à Carreira Diplomática. Alterações do Edital 2017

Noções (?) de Economia Concurso de Admissão à Carreira Diplomática. Alterações do Edital 2017 Noções (?) de Economia Concurso de Admissão à Carreira Diplomática Alterações do Edital 2017 Microeconomia Noções Preliminares/ Fundamentos da Oferta e Demanda/ Teoria do Consumidor 1.1 Demanda do Consumidor.

Leia mais

Dilemas de Política Econômica e

Dilemas de Política Econômica e Dilemas de Política Econômica e Recurso ao Câmbio Flexível Contradição entre equilíbrio interno e equilíbrio externo Inconveniência do câmbio fixo Solução aparente no câmbio flexível http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/

Leia mais

(AVALIAÇÃO DO REGIME NÃO PRESENCIAL E AVALIAÇÃO DE RECURSO)

(AVALIAÇÃO DO REGIME NÃO PRESENCIAL E AVALIAÇÃO DE RECURSO) Escola Secundária Cacilhas-Tejo MATRIZ DE EXAME (AVALIAÇÃO DO REGIME NÃO PRESENCIAL E AVALIAÇÃO DE RECURSO) Disciplina: Economia A Módulo 1,2,3 (Um, Dois, Três) ENSINO RECORRENTE MÓDULOS CAPITALIZÁVEIS

Leia mais

Bizú de Noções de Macroeconomia Agente Fiscal de Rendas Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo

Bizú de Noções de Macroeconomia Agente Fiscal de Rendas Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Bizú de Noções de Macroeconomia Agente Fiscal de Rendas Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Olá, Pessoal! A FCC costumeiramente cobra em prova, por meio de questões, praticamente todos os temas

Leia mais

[80] O efeito multiplicador em questão pressupõe que a economia esteja em desemprego.

[80] O efeito multiplicador em questão pressupõe que a economia esteja em desemprego. 1. (EBC, Analista de Empresa de Comunicação Pública Economia, 2011, CESPE) Considerando o fato de que um aumento do gasto governamental provoca um aumento proporcional da renda nacional e sabendo que a

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Universidade de Brasília FACE Departamento de Economia INTRODUÇÃO À ECONOMIA 1º/2011 PROGRAMA INTEGRADO

Universidade de Brasília FACE Departamento de Economia INTRODUÇÃO À ECONOMIA 1º/2011 PROGRAMA INTEGRADO Universidade de Brasília FACE Departamento de Economia INTRODUÇÃO À ECONOMIA 1º/2011 Professores e Turmas: Coordenação da disciplina: Flávio Rabelo Versiani. 1. OBJETIVOS E MÉTODO PROGRAMA INTEGRADO O

Leia mais

Fatores Determinantes do

Fatores Determinantes do Fatores Determinantes do Balanço de Pagamentos Abordagem pela Absorção Abordagem pelos Movimentos de Capital Abordagem Monetária http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Contabilidade das relações externas

Leia mais

SUMÁRIO PARTE UM CONCEITOS BÁSICOS PARTE DOIS MICROECONOMIA: OFERTA, DEMANDA E MERCADOS DE BENS

SUMÁRIO PARTE UM CONCEITOS BÁSICOS PARTE DOIS MICROECONOMIA: OFERTA, DEMANDA E MERCADOS DE BENS SUMÁRIO PARTE UM CONCEITOS BÁSICOS Capítulo 1 Conceitos centrais de Economia... 2 A. Por que estudar Economia?... 2 Por quem os sinos dobram... 2 Escassez e eficiência: os temas gêmeos da economia... 2

Leia mais

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02. Código: DIR 141 CH Total: 60 Pré-requisito: PLANO DE CURSO

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02. Código: DIR 141 CH Total: 60 Pré-requisito: PLANO DE CURSO Componente Curricular: ECONOMIA CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Código: DIR 141 CH Total: 60 Pré-requisito: ------- Período Letivo: 2016.1 Professor: Edilene

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA PLANO DE ENSINO FACULDADE: Faculdade de Ciências Humanas e Exatas CURSO: Administração Período: 3º DISCIPLINA: Macroeconomia Ano: 2016 CARGA HORÁRIA: 80 h/a SEMANAL: 4 aulas TOTAL: 80 horas PRÉ-REQUISITO:

Leia mais

Ministério das Relações Exteriores Instituto Rio Branco. Prova Escrita de Noções de Economia

Ministério das Relações Exteriores Instituto Rio Branco. Prova Escrita de Noções de Economia Ministério das Relações Exteriores Instituto Rio Branco Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata Questão 1 Recorde seus estudos sobre evolução da análise econômica, noções de Economia Internacional

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no de 04/07/01 DOU de 09/07/01

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ECONOMIA Código: CTB-140 Pré-requisito: ------- Período Letivo: 2013.1 CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Professor: WILTON

Leia mais

UNIJUI Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS ECONOMIA PROFESSOR AGENOR CASTOLDI APONTAMENTOS DE ECONOMIA

UNIJUI Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS ECONOMIA PROFESSOR AGENOR CASTOLDI APONTAMENTOS DE ECONOMIA UNIJUI Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS ECONOMIA PROFESSOR AGENOR CASTOLDI APONTAMENTOS DE ECONOMIA MATERIAL DE AUXILIO PARA AULAS DE ECONOMIA CURSOS DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA ANO LETIVO:

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de , DOU de

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de , DOU de CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 Componente Curricular: ECONOMIA Código: ADM 140 Pré-requisito: ----- Período Letivo: 2015.1 Professor:

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Cascais

Agrupamento de Escolas de Cascais 1º PERÍODO -74 TEMPOS LETIVOS ENSINO SECUNDÁRIO Disciplina: Economia A 11.º Ano Planificação Apresentação mútua e da disciplina Estabelecimento de regras e de métodos de trabalho Apresentação/negociação

Leia mais

Introdução ao Estudo da Economia. Contextualização. Aula 3. Instrumentalização. Estruturas de Mercado. Prof. Me. Ciro Burgos

Introdução ao Estudo da Economia. Contextualização. Aula 3. Instrumentalização. Estruturas de Mercado. Prof. Me. Ciro Burgos Introdução ao Estudo da Economia Aula 3 Contextualização Prof. Me. Ciro Burgos É fundamental conhecer as estruturas de mercado, onde a empresa atua, para agir de forma correta Como agem; impactos sobre

Leia mais

ANEXO 9.B. Análise Gráfica do Modelo Mundell-Fleming (IS-LM-BP)

ANEXO 9.B. Análise Gráfica do Modelo Mundell-Fleming (IS-LM-BP) ANEXO 9.B Análise Gráfica do Modelo Mundell-Fleming (IS-LM-BP) A apresentação gráfica desse modelo de macroeconomia aberta com concepção keynesiana ajuda a entender passo-a-passo as dezesseis situações

Leia mais

PLANO DE AULA DISCIPLINA: ECONOMIA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA (CÓD. ENEX60098) PERÍODO: 7º PERÍODO. Aula expositiva com slides.

PLANO DE AULA DISCIPLINA: ECONOMIA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA (CÓD. ENEX60098) PERÍODO: 7º PERÍODO. Aula expositiva com slides. PLANO DE AULA DISCIPLINA: ECONOMIA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA (CÓD. ENEX60098) PERÍODO: 7º PERÍODO TOTAL DE SEMANAS: 20 SEMANAS TOTAL DE ENCONTROS: 40 AULAS Aulas Conteúdos/ Matéria Tipo de aula Textos,

Leia mais

Universidade de Brasília FACE Departamento de Economia INTRODUÇÃO À ECONOMIA 2º/2012

Universidade de Brasília FACE Departamento de Economia INTRODUÇÃO À ECONOMIA 2º/2012 Universidade de Brasília FACE Departamento de Economia INTRODUÇÃO À ECONOMIA 2º/2012 Coordenação da disciplina: Flávio Rabelo Versiani. PROGRAMA INTEGRADO 1. OBJETIVOS E MÉTODO O curso apresenta instrumentos

Leia mais

Princípios de Economia

Princípios de Economia Princípios de Economia Com Bruno Monsanto Currículo resumido do professor Objetivos do curso Público alvo Conteúdo Metodologia Programação completa Investimento e formas de pagamento Promoções e Bônus

Leia mais

Introdução à Microeconomia

Introdução à Microeconomia Fundamentos de economia: introdução à microeconomia e macroeconomia Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br Introdução à Microeconomia Blog: www.marcoarbex.wordpress.com Introdução à Microeconomia

Leia mais

Introdução à. Macroeconomia

Introdução à. Macroeconomia Introdução à Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez IBMEC-RJ / UCP O que é? É o estudo da economia como um todo, pois analisa a economia através de suas variáveis fortemente agregadas. Abrange o comportamento

Leia mais

Ajustamento da Economia em Regime de Câmbio Fixo

Ajustamento da Economia em Regime de Câmbio Fixo Ajustamento da Economia em Regime de Câmbio Fixo Déficit ou Superávit Externo: ajustamento sem ou com esterilização monetária; recessão ou desvalorização. http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Circuito

Leia mais

TÓPICOS DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

TÓPICOS DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS TÓPICOS DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS (EXECÍCIOS DA UNIDADE 2) (PROFª. GLAUCEMIR BARROS) (UNIFOR) Marque a alternativa correta: 1) Caracteriza o escambo: a) ( ) regime de trocas diretas b) ( ) trocas amonetárias

Leia mais

Macroeconomia para executivos de MKT. Lista de questões de múltipla escolha

Macroeconomia para executivos de MKT. Lista de questões de múltipla escolha Macroeconomia para executivos de MKT Lista de questões de múltipla escolha CAP. 3. Ambiente Externo, Cenário Macroeconômico e Mensuração da Atividade Econômica 5.1) A diferença entre Produto Nacional Bruto

Leia mais

121 Ciências Econômicas

121 Ciências Econômicas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional Coordenação de Políticas de Acesso e Permanência Unidade de Ocupação de Vagas Remanescentes PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS

Leia mais

FUNDAMENTOS DE MICROECONOMIA: DEMANDA, OFERTA E EQUILÍBRIO DE MERCADO

FUNDAMENTOS DE MICROECONOMIA: DEMANDA, OFERTA E EQUILÍBRIO DE MERCADO FUNDAMENTOS DE MICROECONOMIA: DEMANDA, OFERTA E EQUILÍBRIO DE MERCADO MICROECONOMIA É a parte da teoria econômica que estuda o comportamento das famílias e das empresas e os mercados nos quais operam.

Leia mais

DOS MAIORES DE 23 ANOS NOME:

DOS MAIORES DE 23 ANOS NOME: Notas: Apresente o seu documento de identificação. Coloque o nome em todas as folhas. Leia atentamente cada questão antes de iniciar a sua resposta. Grupo 1 [10 VALORES] Relativamente a cada questão, assinale

Leia mais

Economia Brasileira Ciclos do Pós-Guerra

Economia Brasileira Ciclos do Pós-Guerra Economia Brasileira Ciclos do Pós-Guerra Hildo Meirelles de Souza Filho Ciclos do crescimento 1947-1980, taxas de crescimento do PIB 15,0 10,0 5,0-1948 1950 1952 1954 1956 1958 1960 1962 1964 1966 1968

Leia mais

REGIMES CAMBIAIS LEITURA OBRIGATÓRIA

REGIMES CAMBIAIS LEITURA OBRIGATÓRIA LEITURA OBRIGATÓRIA CAPÍTULO 23 ECONOMIA ABERTA: REGIMES CAMBIAIS, DETERMINAÇÃO DA RENDA E IMPACTOS DA POLÍTICA ECONÔMICA Pinho, Diva Benevides & Vasconcellos, Marco Antonio S.(Org.), Manual de Economia,

Leia mais

C O M U N I C A D O. 1 O Núcleo de Registro e Controle Acadêmico (NRCA) fará a matrícula dos alunos acima indicados na disciplina indicada.

C O M U N I C A D O. 1 O Núcleo de Registro e Controle Acadêmico (NRCA) fará a matrícula dos alunos acima indicados na disciplina indicada. COMUNICADO CEM/IT 1/2016 DIVULGA RELAÇÃO DE DISCIPLINAS RECOMENDADAS COMO OPTATIVAS PARA O 1º SEMESTRE LETIVO DE 2017 DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DO CAMPUS ITATIBA DA UNIVERSIDADE SÃO

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: ECONOMIA PLANO DE CURSO

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: ECONOMIA PLANO DE CURSO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: ECONOMIA Código: DIR 141 Pré-requisito: ------- Período Letivo: 2013.1 Professor: PRISCILA

Leia mais

Prova de Microeconomia

Prova de Microeconomia Prova de Microeconomia 1) Acerca do comportamento do consumidor pode-se afirmar que: I. A relação de preferência é dita racional se ela é completa e transitiva; II. Somente a relação de preferência racional

Leia mais

Trabalho de Economia para Executivos

Trabalho de Economia para Executivos 1 A Questões conceituais: Trabalho de Economia para Executivos 1- O que você entende pelos seguintes conceitos de economia, listados abaixo? a) Macroeconomia Analisa o comportamento da economia como um

Leia mais

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO 1 OBJETIVOS DA AULA 1 Noções Básicas de Economia e sistemas econômicos Os Problemas Fundamentais da Economia

Leia mais

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária º 4 Semanal Mensal 4 60 ANÁLISE MACROECONÔMICA I

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária º 4 Semanal Mensal 4 60 ANÁLISE MACROECONÔMICA I Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária 020022 5º 4 Semanal Mensal 4 60 Nome da Disciplina ANÁLISE MACROECONÔMICA II Curso CIÊNCIAS ECONÔMICAS ANÁLISE MACROECONÔMICA I Modelo keynesiano simplificado.

Leia mais

12 Flutuações de Curto Prazo

12 Flutuações de Curto Prazo 12 Flutuações de Curto Prazo Flutuações Econômicas de Curto Prazo A atividade econômica flutua de ano para ano. Em quase todos os anos, a produção aumenta. Nem toda flutuação é causada por variação da

Leia mais

Curso Intensivo de Economia TPS 2017 Revisão e Exercícios

Curso Intensivo de Economia TPS 2017 Revisão e Exercícios Curso Intensivo de Economia TPS 2017 Revisão e Exercícios Profa. Michelle Miltons www.michellemiltons.com Curso Intensivo de Revisão e Exercícios Economia TPS 2017 O Teste de Pré-Seleção está se aproximando

Leia mais

INSS Economia Macroeconomia Keynesiana Fábio Lobo

INSS Economia Macroeconomia Keynesiana Fábio Lobo INSS Economia Macroeconomia Keynesiana Fábio Lobo 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. MACROECONOMIA KEYNESIANA Nesta aula, estudaremos que variáveis determinam

Leia mais

Economia Subdesenvolvida

Economia Subdesenvolvida Aula 5 O aluno será capaz de reunir dados, sobre as questões que afetam diretamente as economias subdesenvolvidas, como: a) Estrutura de uma economia subdesenvolvida. b) Crescimento no longo prazo. c)

Leia mais

Introdução ao Estudo da Macroeconomia

Introdução ao Estudo da Macroeconomia Introdução ao Estudo da Macroeconomia Tópicos de Abordagem a) Abrangência da Macroeconomia b) Diferenças e Inter-relações da Micro e Macroeconomia c) Analise Macroeconómica de curto e medio prazos d) Objetivos

Leia mais

Disciplina Economia A Módulo 4,5,6

Disciplina Economia A Módulo 4,5,6 Escola Secundária Cacilhas-Tejo MATRIZ DE EXAME (AVALIAÇÃO DO REGIME NÃO PRESENCIAL E AVALIAÇÃO DE RECURSO) Disciplina Economia A Módulo 4,5,6 ENSINO RECORRENTE MÓDULOS CAPITALIZÁVEIS Duração da Prova:

Leia mais

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h;p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da Apresentação Variáveis- instrumentos:

Leia mais

Marco A.F.H.Cavalcanti (IPEA) XIII Workshop de Economia da FEA-RP Outubro de 2013

Marco A.F.H.Cavalcanti (IPEA) XIII Workshop de Economia da FEA-RP Outubro de 2013 Evolução recente e desafios da economia brasileira Marco A.F.H.Cavalcanti (IPEA) XIII Workshop de Economia da FEA-RP Outubro de 2013 A importância do crescimento Há vários anos, a economia brasileira tem

Leia mais

Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB)

Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB) Federal University of Roraima, Brazil From the SelectedWorks of Elói Martins Senhoras Winter January 1, 2008 Curso de Extensão: Noções de Macroeconomia para RI (PIB) Eloi Martins Senhoras Available at:

Leia mais

Regulação Econômica em Macroeconomia Aberta. Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP

Regulação Econômica em Macroeconomia Aberta. Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP Regulação Econômica em Macroeconomia Aberta Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da apresentação Modelo IS-LM-BP Ajuste econômico com

Leia mais

Recessão brasileira: origens, determinantes e condições de saída

Recessão brasileira: origens, determinantes e condições de saída Recessão brasileira: origens, determinantes e condições de saída Fernando Ferrari Filho Professor Titular da UFRGS e Pesquisador do CNPq http://www.ppge.ufrgs.br/ferrari e ferrari@ufrgs.br e fernandoferrarifilho@gmail.com

Leia mais

EXERCÍCIOS 2007 APOSTILA DE EXERCÍCIOS ECONOMIA BRASILEIRA

EXERCÍCIOS 2007 APOSTILA DE EXERCÍCIOS ECONOMIA BRASILEIRA EXERCÍCIOS 2007 APOSTILA DE EXERCÍCIOS ECONOMIA BRASILEIRA Professor: Flávio Falconeri 1 (Questão 1) A cada um dos três princípios abaixo relacionados é possível associar o fundamento de uma escola de

Leia mais

Exercícios de Macroeconomia

Exercícios de Macroeconomia Exercícios de Macroeconomia 1. Explique porque o PIB é tanto uma variável que mede tanto renda agregada, quanto a despesa agregada e produção. Por que PIB não mede riqueza? Qual a diferença entre PIB real

Leia mais

Ajuste externo: Mecanismos automáticos. Reinaldo Gonçalves

Ajuste externo: Mecanismos automáticos. Reinaldo Gonçalves Ajuste externo: Mecanismos automáticos Reinaldo Gonçalves reinaldogoncalves1@gmail.com 1 2 Tipos de ajuste 1. Automático 1. Preços externos 2. Preços internos 3. Renda 2. Induzido 1. Composição dos gastos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Micro e Macro Economia Código: EPD005 Curso: Engenharia de Produção Faculdade Responsável: Engenharia de

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Ciências Empresariais Licenciatura Marketing Unidade Curricular Macroeconomia Semestre: 1 Nº ECTS: 6,0 Regente Maria Dolores Ferreira Nunes Cabral Assistente Carga

Leia mais

SECRETARIA DE TESOURO NACIONAL ANALISTA DE FINANÇAS E CONTROLE

SECRETARIA DE TESOURO NACIONAL ANALISTA DE FINANÇAS E CONTROLE CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ECONOMIA E GESTÃO GOVERNAMENTAL SECRETARIA DE TESOURO NACIONAL ANALISTA DE FINANÇAS E CONTROLE ÁREA: ECONÔMICO-FINANCEIRA I) PÚBLICO-ALVO: Este curso é indicado para graduados

Leia mais

Universidade de Brasília FACE - Departamento de Economia (ECO) Introdução à Economia 1º/2013 Coordenação da disciplina: Flávio Rabelo Versiani.

Universidade de Brasília FACE - Departamento de Economia (ECO) Introdução à Economia 1º/2013 Coordenação da disciplina: Flávio Rabelo Versiani. Universidade de Brasília FACE - Departamento de Economia (ECO) Introdução à Economia 1º/2013 Coordenação da disciplina: Flávio Rabelo Versiani. PROGRAMA INTEGRADO 1. OBJETIVOS E MÉTODO O curso apresenta

Leia mais

Modelo IS-LM. Exercícios e Questões

Modelo IS-LM. Exercícios e Questões Modelo IS-LM Exercícios e Questões Prof. Waldery Rodrigues Júnior waldery.rodrigues@yahoo.com.br Tópicos: Equilíbrio no Mercado de Bens Demanda por Moeda Oferta de Moeda Equilíbrio no Mercado Monetário

Leia mais

O SETOR EXTERNO Bibliografia: capítulo 6 de Bacha (2004), p. 151 a 158; 165 a 175; 177 e 178. Aula 7

O SETOR EXTERNO Bibliografia: capítulo 6 de Bacha (2004), p. 151 a 158; 165 a 175; 177 e 178. Aula 7 O SETOR EXTERNO Bibliografia: capítulo 6 de Bacha (2004), p. 151 a 158; 165 a 175; 177 e 178 1 Setor externo e modelos econômicos O setor externo é um dos quatro agentes que compõem os modelos macroeconômicos.

Leia mais

A economia é o estudo da organização social através do qual os homens satisfazem suas necessidades de bens e serviços escassos.

A economia é o estudo da organização social através do qual os homens satisfazem suas necessidades de bens e serviços escassos. IMPORTANTE: Tratando-se de uma representação esquematizada das aulas previstas, o material que integra esse Desenvolvimento Programático não é suficiente para o acompanhamento do curso. Sua leitura, sem

Leia mais

. Evidenciar a Economia como uma Ciência Social.. Conhecer o problema fundamental da Economia.

. Evidenciar a Economia como uma Ciência Social.. Conhecer o problema fundamental da Economia. CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RESTAURANTE/BAR PLANIFICAÇÃO MODULAR DISCIPLINA: ECONOMIA 10º9 CONTEÚDOS OBJETIVOS HORAS AVALIAÇÃO. Evidenciar a Economia como uma Ciência Social.. Conhecer o problema

Leia mais

MICROECONOMIA OBJECTIVOS

MICROECONOMIA OBJECTIVOS MICROECONOMIA OBJECTIVOS A microeconomia é uma área básica de um curso de economia. Não só a macroeconomia se constrói a partir da microeconomia, como também certas áreas especializadas da economia, tais

Leia mais

Flutuações Econômicas no Curto Prazo OA e DA CAPÍTULO 33

Flutuações Econômicas no Curto Prazo OA e DA CAPÍTULO 33 Flutuações Econômicas no Curto Prazo OA e DA CAPÍTULO 33 Segunda Prova Dia 01 de julho (quinta-feira) - 19:00 hs. Dúvidas 01/06 à tarde. Dia 24 e 25 de junho não haverá aula. Prova para os que faltaram

Leia mais

Taxa Básica Real de Juro: Evolução e Perspectivas. Nelson Barbosa 14o Fórum de Economia da FGV 12 de setembro de 2017

Taxa Básica Real de Juro: Evolução e Perspectivas. Nelson Barbosa 14o Fórum de Economia da FGV 12 de setembro de 2017 Taxa Básica Real de Juro: Evolução e Perspectivas Nelson Barbosa 14o Fórum de Economia da FGV 12 de setembro de 217 1 1/7/1996 13/3/1997 23/11/1997 5/8/1998 17/4/1999 28/12/1999 8/9/2 21/5/21 31/1/22 13/1/22

Leia mais

INTRODUÇÃO A ECONOMIA AULA 1

INTRODUÇÃO A ECONOMIA AULA 1 INTRODUÇÃO A ECONOMIA espartanos.economia@gmail.com AULA 1 Apresentação elaborada por: Roberto Name Ribeiro/ Francisco Carlos B. dos Santos Adaptado por: Andréa de Souza, MS.c 1 A concepção A economia

Leia mais

Conteúdo Programático

Conteúdo Programático Conteúdo Programático 1. Introdução 1.1 Objetivos do capítulo 1.2 Conceitos fundamentais de economia 1.2.1 Conceito de economia 1.2.2 A escassez da teoria econômica 1.2.3 Os bens econômicos 1.2.4 A curva

Leia mais

Modelo Keynesiano 1. (APO) 2. (ESAF 2009) (ESAF 2006)

Modelo Keynesiano 1. (APO) 2. (ESAF 2009) (ESAF 2006) Modelo Keynesiano 1. (APO) Considere as seguintes informações: Y = 1000 C = 600 I = 300 G = 100 X = 50 M = 50 onde Y = produto agregado; C = consumo agregado; I = investimento agregado; G = gastos do governo;

Leia mais

Componente Específica de Economia

Componente Específica de Economia PROVA PARA AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS 2013/2014 Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo Licenciaturas em Gestão, Gestão Hoteleira e Marketing

Leia mais

C O M U N I C A D O. Art. 2º Dê-se ciência aos interessados e a quem de direito para que o presente produza seus efeitos. Publique-se.

C O M U N I C A D O. Art. 2º Dê-se ciência aos interessados e a quem de direito para que o presente produza seus efeitos. Publique-se. COMUNICADO CTADS/IT 1/2017 DIVULGA RELAÇÃO DE DISCIPLINAS RECOMENDADAS COMO OPTATIVAS PARA O O CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DO CAMPUS ITATIBA DA UNIVERSIDADE SÃO

Leia mais

Deflacionamento e Índices de preços

Deflacionamento e Índices de preços Deflacionamento e Índices de preços DEFLACIONAMENTO DE PREÇOS VALOR NOMINAL VALOR REAL SALÁRIO MÍNIMO NOMINAL Salário mínimo nominal vigente. Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Unidade: R$ SALÁRIO

Leia mais

A teoria macroeconômica de John Maynard Keynes

A teoria macroeconômica de John Maynard Keynes A teoria macroeconômica de John Maynard Keynes Dr. Antony P. Mueller Professor de Economia Universidade Federal de Sergipe www.continentaleconomics.com John Maynard Keynes (1883-1946) Teoria Geral do Emprego,

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

Gestão de Frota na Aviação

Gestão de Frota na Aviação Aula 1 Gestão de Frota na Aviação Perguntas intrigantes sobre economia! O que vale mais: o dinheiro ou o trabalho? O que de fato gera riqueza? O que explica alguns países serem ricos e outros pobres? Se

Leia mais

GRUPO I (7 valores) 3. Identifique uma das principais características do sistema de economia mista.

GRUPO I (7 valores) 3. Identifique uma das principais características do sistema de economia mista. INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO Unidade Orgânica: Escola Superior de Ciências Empresariais Prova de de acesso ao Regime Especial Maiores de 23 anos para o ano letivo 2016/2017 Junho 2016 Leia

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006

Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006 Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006 1 Cenário Econômico Regra básica: Cenário Internacional é dominante. Oscilações de curto prazo são determinadas exogenamente. 2 Cenário Internacional União monetária

Leia mais

Macroeconomia. 5. O Mercado de Bens e Serviços. Francisco Lima. 2º ano 1º semestre 2013/2014 Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial

Macroeconomia. 5. O Mercado de Bens e Serviços. Francisco Lima. 2º ano 1º semestre 2013/2014 Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial Macroeconomia 5. O Mercado de Bens e Serviços Francisco Lima 2º ano 1º semestre 2013/2014 Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial Modelo Macroeconómico Procura Agregada Políticas macroeconómicas

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS INDICADORES ECONÔMICOS Índice de Preços IGP-M IGP-DI Mensal No ano Em 12 meses Mensal No ano Em 12 meses Jan. 0,39 0,39 11,87 0,33 0,33 11,61 Fev. 0,30 0,69 11,43 0,40 0,74 10,86 Mar. 0,85 1,55 11,12 0,99

Leia mais

Gabarito. 5. As necessidades não-econômicas são aquelas satisfeitas com bens que não podem ser produzidos, como o ar que respiramos.

Gabarito. 5. As necessidades não-econômicas são aquelas satisfeitas com bens que não podem ser produzidos, como o ar que respiramos. Gabarito Disciplina: Economia Professor: Otto Nogami CAPÍTULO 1 A ESSÊNCIA DO PROBLEMA ECONÔMICO 1. Ciência econômica é o estudo da alocação dos recursos produtivos escassos para organizar da melhor maneira

Leia mais

Introdução à Macroeconomia. Danilo Igliori Contabilidade Nacional

Introdução à Macroeconomia. Danilo Igliori Contabilidade Nacional Introdução à Macroeconomia Danilo Igliori (digliori@usp.br) Contabilidade Nacional 1 O Fluxo Circular da Renda Mercado de fatores Renda ($) Trabalho Famílias Firmas Bens Despesas ($) Mercado de produtos

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Economia para Engenharia

Economia para Engenharia Economia para Engenharia Eng. Telecomunicações Aula 03 rev. 01 abrul/16 Roteiro» Introdução» Estrutura de mercado» Sistemas econômicos Capitalismo; Socialismo; Economia Mista;» Divisão do estudo econômico»

Leia mais

SISTEMAS ECONÔMICOS. Capitalista Socialista Misto

SISTEMAS ECONÔMICOS. Capitalista Socialista Misto SISTEMAS ECONÔMICOS Capitalista Socialista Misto 1 Sistema Econômico / Organização Econômica Principais formas:. Economia de Mercado (ou descentralizada, tipo capitalista) Sistema de concorrência pura

Leia mais

Economia Internacional e Comércio Exterior I. Prof. Ary Jr.

Economia Internacional e Comércio Exterior I. Prof. Ary Jr. Economia Internacional e Comércio Exterior I Prof. Ary Jr. 1 Bloco I : Introdução e Teorias do Comércio Internacional Bibliografia: KRUGMAN, P. R. e OBSTTFELD, M. Economia internacional: teoria e política.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Ano Semestre letivo 2017 1º 1. Identificação Código 1.1 Disciplina: Direito e Economia 0760.109 1.2 Unidade:

Leia mais

- Desenvolver no aluno aluno a capacidade de raciocinar criticamente por meio das análises microeconômicas.

- Desenvolver no aluno aluno a capacidade de raciocinar criticamente por meio das análises microeconômicas. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PLANO DE ENSINO Disciplina: Fundamentos de Economia

Leia mais

Abordagem Macroeconômica do

Abordagem Macroeconômica do Abordagem Macroeconômica do Balanço de Pagamentos Desvalorização e termos de troca Teorema das elasticidades críticas Limites fundamentais da desvalorização cambial http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/

Leia mais

Para além da política macroeconômica. Geraldo Biasoto Junior

Para além da política macroeconômica. Geraldo Biasoto Junior Para além da política macroeconômica Geraldo Biasoto Junior Agosto de 2010 Política econômica no Brasil Cisão entre a macro e a microeconomia Taxa de juros = instrumento exclusivo de política econômica

Leia mais