Estatuto da Associação dos Orquidofilos de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estatuto da Associação dos Orquidofilos de"

Transcrição

1 Estatuto da Associação dos Orquidofilos de CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Artigo 1º A Associação dos Orquidofilos de, designada pela sigla, fundada em de do ano., Estado de, na Rua, nº,, e foro em. Artigo 2º A Associação tem por finalidade reunir pessoas e organizações interessadas no desenvolvimento da Orquidofilia e da Orquidicultura. Objetivos: 1- Apoiar, estimular, desenvolver e difundir a Orquidicultura; 2- Divulgar os resultados obtidos em trabalhos técnicos e científicos no campo de Orquidofilia e da Orquicultura; 3- Cooperar na solução de problemas técnicos; 4- A preservação e repovoamento de espécie nativas; 5- Apoiar e colaborar com as autoridades, entidades e campanhas que visem a preservação, defesa e recomposição dos ecossistemas regionais e nacionais. Atividades: 1- Promover reuniões, palestras, cursos ou congressos periódicos; 2- Realizar exposições, excursões, conferencias, demonstrações e outros eventos sociais; 3- Manter um periódico para publicações de artigos e boletins; 4- Utilizar outros meios de divulgação de matérias de interesse da Associação; 5- Intermediar a venda de plantas e/ou insumo e prestar assessoria. Artigo 3º No desenvolvimento de suas atividades, a Associação não fará qualquer discriminação de raça, cor, sexo ou religião. Artigo 4º A Associação poderá ter um Regimento Interno, que aprovado pela Assembléia Geral, disciplinará o seu funcionamento. Artigo 5º A fim de cumprir sua(s) finalidade(s), a Associação poderá organizar-se em tantas unidades de prestação de serviços, quantas se fizerem necessárias, as quais se regerão pelo Regimento Interno. CAPITULO II DOS ASSOCIADOS Artigo 6º A Associação é constituída por numero ilimitado de associados podendo ser pessoas físicas o jurídicas, que serão admitidos, a juízo da diretoria, dentre pessoas idones e que se disponham a cumprir o presente estatuto. Artigo 7º Haverá as seguintes categorias de associados: 1- Fundadores: São os que assinarem a ata de fundação da Associação; 2- Beneméritos: São aqueles aos quais a Assembléia Geral conferir esta distinção, espontaneamente ou por proposta da diretoria, em virtude dos relevantes serviços prestados à Associação. 1

2 3- Honorários: São aqueles que se fizerem credores dessa homenagem por serviços de notoriedade prestados à Associação, por proposta da diretoria à Assembléia Geral; 4- Contribuintes: Todos aqueles que pagarem a mensalidade estabelecida pela Diretoria. A admissão de novos sócios será feita mediante proposta assinada pelo candidato e aprovada pela Diretoria. 1 O candidato será notificado de sua admissão e receberá um exemplar do presente estatuto. 2 O novo sócio passará a ter direito de votar e ser votado, após 6 meses de sua admissão. Artigo 8º São direitos dos associados quites com suas obrigações sociais: 1- Votar e ser votado; 2- Comparecer a Assembléia Geral e tomar parte das discussões; 3- Participar das reuniões, exposições, palestras, cursos, congressos e outros eventos promovidos pela Associação; 4- Apresentar trabalhos, palestras e conferencias comunicando previamente por escrito à diretoria para aprovação, fixação de data e posterior divulgação; 5- Participar das vantagens que as atividade da Associação possa proporcionar; 6- Utilizar-se dos livros, revistas, periódicos e jornais da Biblioteca da Associação, de acordo com normas que o regulamento estabelecer; 7- Receber as publicações oficiais e a programação das atividades da Associação; 8- Gozar de outras vantagens que lhes forem atribuídas pela Associação; 9- Fazer suas sugestões e reclamações por escrito e apresentá-las à Diretoria. Parágrafo único. Os associados beneméritos e honorários não terão direito a voto e nem poderão ser votados. Artigo 9º São deveres dos associados Cumprir as clausulas deste estatuto; Acatar e prestigiar os atos e decisões da Diretoria ou aprovadas pela Assembléia Geral; Pagar as contribuições fixadas pela Assembléia Geral; Comparecer na Assembléia Geral; Cooperar para o desenvolvimento da Associação; Manter atualizado seu cadastro junto à Diretoria; Fazer sugestões ou reclamações por escrito e apresentá-la à Diretoria. Parágrafo único: Das penalidades dos Sócios: 1- Será advertido, suspenso ou eliminado o sócio que deixar de cumprir com suas obrigações ou venha a praticar atos que possam causar sua eliminação; 2- A advertência ou suspensão ficará à cargo da Diretoria; 3- A eliminação somente ocorrerá por decisão da Assembléia Geral. Artigo 10º Os associados da entidade não respondem, nem mesmo subsidiariamente, pelas obrigações e encargos sociais da instituição. CAPITULO III DA ADMINISTRAÇÃO Artigo 11º 2

3 A Associação será administrada por: I Assembléia Geral; II Diretoria; e III Conselho Fiscal. Artigo 12º A Assembléia Geral, órgão soberano da instituição, constituir-se-à dos associados em pleno gozo de seus direitos estatutários. Artigo 13º Compete à Assembléia Geral: 1- Eleger a Diretoria e o Conselho Fiscal; 2- Destituir os administradores; 3- Apreciar recursos contra decisões da diretoria; 4- Decidir sobre reformas do Estatuto; 5- Conceder ou cassar titulo de associado beneméritos e honorário por proposta da diretoria; 6- Decidir sobre a conveniência de alienar, transigir, hipotecar ou permutar bens patrimoniais; 7- Decidir sobre a extinção da entidade, nos termos do artigo 33; 8- Aprovar as contas; 9- Aprovar o regimento interno. Artigo 14º A Assembléia Geral realizar-se-à, ordinalmente, uma vez por ano para: 1. Apreciar o relatório anual da Diretoria; 2. Discutir e homologar as contas e o balanço aprovado pelo Conselho Fiscal. Artigo 15º A Assembléia Geral realizar-se-à, extraordinariamente, quando convocada: I Pelo presidente da Diretoria; II Pela Diretoria; III Pelo Conselho Fiscal; IV Por requerimento de 1/5 dos associados quites com as obrigações sociais. Artigo 16º A convocação da Assembléia Geral será feita por meio de edital afixado na sede da Instituição, por circulares ou outros meios convenientes, com antecedência mínima de 8 (oito) dias. Parágrafo único Qualquer Assembléia instalar-se-à em primeira convocação com a maioria dos associados e, em segunda convocação, com qualquer numero, não exigindo a lei quorum especial. Artigo 17º A Diretoria será constituída por um Presidente, um Vice-Presidente, Primeiro e Segundo Secretários, Primeiro e Segundo Tesoureiros. Parágrafo Único O mandato da diretoria será de (Dois) anos, vedada mais de uma reeleição consecutiva. 3

4 Artigo 18º Compete à Diretoria: 1. Elaborar e executar programa anual de atividades; 2. Administrar os fundos da Associação e elaborar e apresentar, à Assembléia Geral, o relatório anual; 3. Estabelecer o valor da mensalidade para os sócios contribuintes; 4. Entrosar-se com instituições publicas e privadas para mutua em atividades de interesse comum; 5. Contratar e demitir funcionários; 6. Convocar a assembléia geral; 7. Nomear comissões para finalidades especificas; 8. Realizar Eleições; 9. Executar e fazer executar as deliberações da Assembléia Geral. Artigo 19º A diretoria reunir-se à no mínimo uma vez por mês Artigo 20º Compete ao Presidente: 1. Representar a Associação ativa e passivamente, judicial e extrajudicialmente; 2. Cumprir e fazer cumprir este Estatuto e o Regimento Interno; 3. Convocar e presidir a Assembléia Geral; 4. Convocar e presidir as reuniões da Diretoria; 5. Assinar, com o primeiro tesoureiro, todos os cheques, ordens de pagamento e títulos que representem obrigações financeiras da Associação; 6. Assinar a correspondência juntamente com o Secretario. Artigo 21º Compete ao Vice-Presidente: 1. Substituir o Presidente em suas faltas ou impedimentos; 2. Assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu termino; 3. Prestar, de modo geral, a sua colaboração ao Presidente. Artigo 22º Compete o Primeiro Secretario: 1. Secretariar as reuniões da Diretoria e Assembléia Geral e redigir e proceder leitura das atas; 2. Publicar todas as noticias das atividades da entidade; 3. Assinar com o presidente toda a correspondência; 4. Organizar e manter sob sua guarda o arquivo da Associação; 5. Manter atualizado o cadastro dos sócios; 6. Distribuir as correspondências aos associados. Artigo 23º Compete ao Segundo Secretario: 1. Substituir o Primeiro Secretario em suas faltas ou impedimentos; 2. Assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu termino; e 4

5 3. Prestar, de modo geral, a sua colaboração ao primeiro secretario. Artigo 24º Compete ao Primeiro Tesoureiro: 1. Arrecadar e contabilizar as contribuições dos associados, rendas, auxílios e donativos, mantendo em dia a escrituração; 2. Pagar as contas autorizadas pelo presidente; 3. Apresentar relatórios de receitas e despesas, sempre que forem solicitados; 4. Apresentar o relatório financeiro para ser submetido à Assembléia Geral; 5. Apresentar semestralmente o balancete ao Conselho Fiscal; 6. Conservar, sob sua guarda e responsabilidade, os documentos relativos à tesouraria; 7. Manter um pequeno caixa no valor de um salário mínimo para eventuais despesas, o restante manter em estabelecimento de credito; 8. Assinar com o presidente, todos os cheques, ordens de pagamento e títulos que representem obrigações financeiras da Associação; Artigo 25º Compete ao Segundo Tesoureiro: 1. Substituir o Primeiro Tesoureiro em suas faltas ou impedimentos; 2. Assumir o mandato, em caso de vacância, até o término; 3. Prestar, de modo geral, a sua colaboração ao Primeiro Tesoureiro. Artigo 26º Compete ao Segundo Tesoureiro: 1. Substituir o Primeiro Tesoureiro em suas Faltas ou impedimentos; 2. Assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu termino; 3. Prestar, de modo geral, a sua colaboração ao Primeiro Tesoureiro. Artigo 27º O Conselho Fiscal será constituído por 3 (Três) membros, e seus respectivos suplentes, eleitos pela Assembléia Geral. 1º - O mandato do Conselho Fiscal será coincidente com o mandato da Diretoria. 2º - Em caso de vacância, o mandato será assumido pelo respectivo suplente, até seu termino. Artigo 28º Compete ao Conselho Fiscal: 1. Examinar os livros de escrituração da entidade; 2. Examinar o balancete semestral apresentado pelo tesoureiro, opinando a respeito; 3. Apresentar relatórios de receitas e despesas, sempre que forem solicitados; 4. Opinar sobre a aquisição de bens. Parágrafo Único- O Conselho reunir-se-à ordinalmente a cada 3 (três) meses e, extraordinariamente, sempre que necessário. Artigo 29º 5

6 As atividades dos diretores e conselheiros, bem como as dos associados, serão inteiramente gratuitas, sendo-lhes vedado o recebimento de qualquer lucro, gratificação ou vantagem. Artigo 30º A instituição não distribuirá lucros, resultados, dividendos, bonificações, participações ou parcela de seu patrimônio, sob nenhuma forma pretexto. Artigo 31º A Associação manter-se-à através de contribuições dos associados e de outras atividades, sendo que essas rendas, recursos e eventual resultado operacional serão aplicados integralmente na manutenção e desenvolvimento dos objetivos institucionais, no território nacional. Capitulo IV DO PATRIMONIO Artigo 32º O patrimônio da Associação será constituído de bens moveis, imóveis, veículos, semoventes, ações a apólices de divida publica. Artigo 33º No caso de dissolução da Instituição congênere, com personalidade jurídica, que esteja registrada no Conselho Nacional de Assistência Social CNAS ou Entidade Publica. Capitulo V DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 34º A Associação será dissolvida por decisão da Assembléia Geral Extraordinária, especialmente convocada para esse fim, quando se tornar impossível a continuação de suas atividades. Artigo 35º O presente estatuto poderá ser reformado, em qualquer tempo, por decisão de 2/3 (dois terços) dos presentes à assembléia geral especialmente convocada para esse fim, não podendo ela deliberar, em primeira convocação, sem a maioria absoluta dos associados, ou com menos de 1/3 (um terço) nas convocações seguintes, e entrará em vigor na data de seu registro em cartório. Artigo 36º Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria e referendados pela Assembléia Geral. Presente estatuto foi aprovado pela Assembléia Geral realizada no dia / /., de de. 6

7 ATA DE FUNDAÇÃO Associação Círculo ou Núcleo. Realizada aos dias, mês, ano no município de, Estado de, na Rua, e foro em, sob a presidência de e eu, fui convidado para secretariar esta reunião que teve por principal motivo a fundação do(a) e eleger a primeira diretoria, cujo mandato será por dois (2) anos a contar desta data. O Presidente abriu a seção com a presença das seguintes pessoas que assinaram esta ata de fundação e passam a ser os seguintes sócios fundadores: (colocar os nomes, endereços e assinatura dos participantes da reunião e eleger a diretoria com os seguintes membros) 7

União Campineira de Aeromodelistas

União Campineira de Aeromodelistas ESTATUTO SOCIAL UNIÃO CAMPINEIRA DE AEROMODELISTAS UCA CAPÍTULO 1- DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1 - A União Campineira de Aeromodelistas UCA, também designada pela sigla UCA, fundada em 11 de outubro

Leia mais

AMAPIJS Associação Municipal dos Aposentados e Pensionistas do ISSEM de Jaraguá do Sul

AMAPIJS Associação Municipal dos Aposentados e Pensionistas do ISSEM de Jaraguá do Sul AMAPIJS Associação Municipal dos Aposentados e Pensionistas do ISSEM de Jaraguá do Sul CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E AFINS. Art. 1º- A Associação Municipal dos Aposentados e Pensionistas de Jaraguá

Leia mais

ESTATUTO Modelo de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO Modelo de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS LEGENDA Texto em NEGRITO: Claúsulas que devem necessariamente constar do Estatuto, por força da Lei nº 9.790/99. Texto em Itálico: observações pertinentes ESTATUTO Modelo de Organização da Sociedade Civil

Leia mais

Instituto Dignidade de Valorização da Vida

Instituto Dignidade de Valorização da Vida ESTATUTO da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público INSTITUTO DIGNIDADE DE VALORIZAÇÃO DA VIDA Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O Instituto Dignidade de Valorização da Vida,

Leia mais

MODELO DE ESTATUDO DE INSTITUTO DE NATUREZA ASSOCIATIVA

MODELO DE ESTATUDO DE INSTITUTO DE NATUREZA ASSOCIATIVA MODELO DE ESTATUDO DE INSTITUTO DE NATUREZA ASSOCIATIVA CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Artigo 1.O INSTITUTO/ASSOCIAÇÃO XXXXXXXXXXXXX, também designado pela sigla XXX, fundado em do mês de do

Leia mais

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. ESTATUTO DA AAPCEU TÍTULO I - DA ENTIDADE Capítulo Único - Da Denominação, Sede e Objeto ART. 1º - A Associação dos Aposentados e Pensionistas da Caixa dos Empregados da Usiminas, doravante denominada

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS AMIGOS DOS ANIMAIS DE JOAÇABA, HERVAL D OESTE E LUZERNA - SC. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS AMIGOS DOS ANIMAIS DE JOAÇABA, HERVAL D OESTE E LUZERNA - SC. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS AMIGOS DOS ANIMAIS DE JOAÇABA, HERVAL D OESTE E LUZERNA - SC Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º - A ASSOCIAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS AMIGOS DOS ANIMAIS DE JOAÇABA,

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO CAPITULO I DA DENOMI NAÇÃO, SEDE SOCIAL E FINS SOCIAIS

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO CAPITULO I DA DENOMI NAÇÃO, SEDE SOCIAL E FINS SOCIAIS ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO CAPITULO I DA DENOMI NAÇÃO, SEDE SOCIAL E FINS SOCIAIS Artigo 1 - A Associação de Amigos do Instituto Estadual de Música, também designada pela sigla AMIEM, fundada em 03 de Agosto

Leia mais

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO - SEDE - FINS E DURAÇÃO

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO - SEDE - FINS E DURAÇÃO - ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DA JUVENTUDE RURAL DE ARROIO DO TIGRE - Arroio do Tigre/RS. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO - SEDE - FINS E DURAÇÃO Artigo 1 - A ASSOCIAÇÃO DA JUVENTUDE RURAL DE ARROIO DO TIGRE, fundada

Leia mais

ESTATUTO DO GRUPO DO LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS

ESTATUTO DO GRUPO DO LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS ESTATUTO DO GRUPO DO LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art.1 - O GRUPO DO LEITE, da Universidade Federal de Lavras (UFLA), entidade civil, apartidária, sem fins lucrativos,

Leia mais

Registre no Cartório de Títulos e Documentos de sua cidade. Com o Estatuto registrado, tire o CNPJ, no órgão apropriado em sua cidade.

Registre no Cartório de Títulos e Documentos de sua cidade. Com o Estatuto registrado, tire o CNPJ, no órgão apropriado em sua cidade. ESTATUTO / ATA DE FUNDAÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS Para criar uma Associação de Amigos de seu Município, que é a nossa recomendação para atuar economicamente no Programa As Minas Gerais, você poderá

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art.1 o - A (o) também designada (o) pela sigla, (se usar sigla), fundada (o) em de de é uma associação, sem

Leia mais

Estatuto da Associação dos Fabricantes de Placas para Veículos do Estado do Paraná

Estatuto da Associação dos Fabricantes de Placas para Veículos do Estado do Paraná 1 Estatuto da Associação dos Fabricantes de Placas para Veículos do Estado do Paraná Capítulo I A Associação dos Fabricantes de Placas para Veículos do Estado do Paraná e seus Fins Artigo 1º. A Associação

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ASSISTENCIAL- AEA

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ASSISTENCIAL- AEA ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ASSISTENCIAL- AEA CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º Art. 2º A ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ASSISTENCIAL AEA, também designada pela sigla AEA, constituída

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA AOS SERVIDORES DO CEFET-MG

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA AOS SERVIDORES DO CEFET-MG ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA AOS SERVIDORES DO CEFET-MG CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º A ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA AOS SERVIDORES DO CEFET-MG, também designada pela sigla ASCEFET,

Leia mais

TERCEIRA ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO SOFTWARE LIVRE.ORG CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES

TERCEIRA ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO SOFTWARE LIVRE.ORG CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES TERCEIRA ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO SOFTWARE LIVRE.ORG CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Art. 1º - A Associação Software Livre.Org é uma pessoa jurídica de

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO JORNAL BRASIL POPULAR

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO JORNAL BRASIL POPULAR ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO JORNAL BRASIL POPULAR CAPÍTULO I Da Denominação, Dos Fins e da Sede: Art. 1º: A Associação Jornal Brasil Popular, também designada pela sigla AJBP, fundada em 23 de Julho de 2015,

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DE SANTA RITA

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DE SANTA RITA ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DE SANTA RITA Este Estatuto foi aprovado em Assembléia Extraordinária realizada em 18 de dezembro de 2004. Capítulo I Da Fundação - Denominação - Fins e Sede Art. 1º - A Associação

Leia mais

COLÉGIO FRANCISCANO SANT ANNA SANTA MARIA - RS ESTATUTO ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES APM

COLÉGIO FRANCISCANO SANT ANNA SANTA MARIA - RS ESTATUTO ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES APM COLÉGIO FRANCISCANO SANT ANNA SANTA MARIA - RS ESTATUTO ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES APM 2009 SUMÁRIO TÍTULO I Da denominação, caráter, duração, sede, foro e finalidades... 3 Capítulo I Da denominação,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE LOJISTAS DE SHOPPING DO ESTADO DE PERNAMBUCO

ASSOCIAÇÃO DE LOJISTAS DE SHOPPING DO ESTADO DE PERNAMBUCO ASSOCIAÇÃO DE LOJISTAS DE SHOPPING DO ESTADO DE PERNAMBUCO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO, SEDE E OBJETIVOS. Art. 1º A ASSOCIAÇÃO DE LOJISTAS DE SHOPPING DO ESTADO DE PERNAMBUCO, é uma

Leia mais

ESTATUTO DO CENTRO DE PESQUISAS AVANÇADAS EM QUALIDADE DE VIDA CPAQV

ESTATUTO DO CENTRO DE PESQUISAS AVANÇADAS EM QUALIDADE DE VIDA CPAQV ESTATUTO DO CENTRO DE PESQUISAS AVANÇADAS EM QUALIDADE DE VIDA CPAQV Título I DA DENOMINAÇÃO, CRIAÇÃO, DURAÇÃO, OBJETIVO, FINALIDADES, SEDE E PATRIMÔNIO Artigo 1 º - O Centro de Pesquisas Avançadas em

Leia mais

Associação Paulista de Saúde Pública ESTATUTO 1

Associação Paulista de Saúde Pública ESTATUTO 1 Associação Paulista de Saúde Pública ESTATUTO 1 CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Fins Art. 1 º. A Associação Paulista de Saúde Pública, APSP, fundada em 15 de dezembro de 1972, Sociedade Civil, sem fins

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE HIGIENIZAÇÃO E LAVANDERIA DA REGIÃO SUL - APHILAV. APROVADO EM ASSEMBLÉIA GERAL DO DIA 30/03/2005

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE HIGIENIZAÇÃO E LAVANDERIA DA REGIÃO SUL - APHILAV. APROVADO EM ASSEMBLÉIA GERAL DO DIA 30/03/2005 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE HIGIENIZAÇÃO E LAVANDERIA DA REGIÃO SUL - APHILAV. APROVADO EM ASSEMBLÉIA GERAL DO DIA 30/03/2005 Capítulo 1 TITULO, DESTINAÇÃO, SEDE, FORO Artigo 1 A ASSOCIAÇÃO

Leia mais

Da Atividade da Associação. Dos Sócios

Da Atividade da Associação. Dos Sócios REGULAMENTO GERAL INTERNO Associação Trilhos da Boa Viagem (ATBV) Artigo 1º Da Atividade da Associação Objetivos e Atividades 1 A ATBV é uma associação de carácter desportivo, recreativo, cultural e educativo,

Leia mais

NOVO ESTATUTO CAPÍTULO I DA SEDE, FORO, BASE TERRITORIAL, TEMPO DE DURAÇÃO E FINALIDADES

NOVO ESTATUTO CAPÍTULO I DA SEDE, FORO, BASE TERRITORIAL, TEMPO DE DURAÇÃO E FINALIDADES 1 ESTATUTO DO SINDICATO DOS SERVIDORES DO PODER LEGISLATIVO DO ESTADO DA PARAÍBA NOVO ESTATUTO CAPÍTULO I DA SEDE, FORO, BASE TERRITORIAL, TEMPO DE DURAÇÃO E FINALIDADES Art. 1º - O SINDICATO DOS SERVIDORES

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL JEEP CLUBE DO PARÁ - JCP. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E OBJETIVOS

ESTATUTO SOCIAL JEEP CLUBE DO PARÁ - JCP. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E OBJETIVOS ESTATUTO SOCIAL JEEP CLUBE DO PARÁ - JCP Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E OBJETIVOS Artigo 1º - O Jeep Clube do Pará, também designada pela sigla JCP, constituída em 20/05/2002, inscrita no

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA DE MEDICINA ESPORTIVA Capítulo I da Liga e seus fins Art. 1º A Liga de Medicina Esportiva é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão da da Universidade

Leia mais

ESTATUTO FUNDAÇÃO CULTURA ARTÍSTICA DE LONDRINA

ESTATUTO FUNDAÇÃO CULTURA ARTÍSTICA DE LONDRINA ESTATUTO FUNDAÇÃO CULTURA ARTÍSTICA DE LONDRINA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO DE DURAÇÃO E FINALIDADES Art. 1º - Fundação Cultura Artística de Londrina, Funcart, com sede e foro na cidade de Londrina,

Leia mais

ESTATUTO CDL JOVEM SALVADOR. Capítulo I Da Constituição e Finalidade

ESTATUTO CDL JOVEM SALVADOR. Capítulo I Da Constituição e Finalidade ESTATUTO CDL JOVEM SALVADOR Capítulo I Da Constituição e Finalidade Art. 1º- A Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem de Salvador é um departamento oriundo e órgão estrutural da Câmara de Dirigentes Lojistas

Leia mais

SOCIEDADE DE ASTRONOMIA DO MARANHÃO - SAMA - Alteração do Estatuto. Capítulo I - Da Constituição, Sede, Fins e Prazo

SOCIEDADE DE ASTRONOMIA DO MARANHÃO - SAMA - Alteração do Estatuto. Capítulo I - Da Constituição, Sede, Fins e Prazo SOCIEDADE DE ASTRONOMIA DO MARANHÃO - SAMA - Alteração do Estatuto Capítulo I - Da Constituição, Sede, Fins e Prazo Artigo 1 - A Sociedade de Astronomia do Maranhão, fundada em 16/12/1976, também designada

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação, Caráter, Sede, Finalidade e Duração

ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação, Caráter, Sede, Finalidade e Duração ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I Da Denominação, Caráter, Sede, Finalidade e Duração Art 1º - Sob a denominação de CPDoc - Centro de Pesquisa e Documentação Espírita, fica constituída uma associação civil espírita

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE DIRIGENTES CRISTÃOS DE EMPRESAS - RS ADCE Regional da Serra

ASSOCIAÇÃO DE DIRIGENTES CRISTÃOS DE EMPRESAS - RS ADCE Regional da Serra ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE DIRIGENTES CRISTÃOS DE EMPRESAS Regional da Serra CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, DURAÇÃO E FINS Art. 1º. A Associação de Dirigentes Cristãos de Empresas Regional da Serra,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação, da Sede, do Foro e do Prazo de Duração.

ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação, da Sede, do Foro e do Prazo de Duração. ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I Da Denominação, da Sede, do Foro e do Prazo de Duração. Art. 1º - A Brigada 1, também designada pela sigla B1, constituída aos vinte e três dias de março de dois mil e três,

Leia mais

ESTATUTOS DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS DA ASSOCIAÇÃO

ESTATUTOS DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS DA ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS DA ASSOCIAÇÃO Art. 1 o A Associação Luso-Brasileira de Arabistas (ALBA) é uma sociedade civil, de caráter exclusivamente cultural, com sedes e foros nas cidades do

Leia mais

PROPOSTA DE ESTATUTO DA NAPA CPII

PROPOSTA DE ESTATUTO DA NAPA CPII PROPOSTA DE ESTATUTO DA NAPA CPII ESTATTUTO DA NOVA ASSOCIAÇÃO DE PAIS, MÃES E RESPONSÁVEIS DE ALUNOS E ALUNAS DO COLÉGIO PEDRO II -CAMPI SÃO CRISTÓVÃO - NAPA CPII CAPÍTULOI Da Denominação, da Natureza,da

Leia mais

Estatuto da Associação Mães que Oram Pelos Filhos Arquidiocese de Vitoria/ES - AMOF-AVES

Estatuto da Associação Mães que Oram Pelos Filhos Arquidiocese de Vitoria/ES - AMOF-AVES Estatuto da Associação Mães que Oram Pelos Filhos Arquidiocese de Vitoria/ES - AMOF-AVES Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Associação de Mães que oram pelos Filhos doravante

Leia mais

ESTATUTO DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA HORUS FACULDADES CAPITULO I

ESTATUTO DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA HORUS FACULDADES CAPITULO I ESTATUTO DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DA HORUS FACULDADES CAPITULO I Art. 1º - Fica criado o DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES DCE, órgão exclusivo de representação dos os acadêmicos da HORUS FACULDADES,

Leia mais

REGIMENTO DA DIRETORIA DO IBAPE/SP. Art. 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32 e 33 do Estatuto

REGIMENTO DA DIRETORIA DO IBAPE/SP. Art. 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32 e 33 do Estatuto REGIMENTO DA DIRETORIA DO IBAPE/SP Art. 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32 e 33 do Estatuto 1. OBJETIVO: A Diretoria do IBAPE/SP tem por objetivo: 1.1) Dirigir as atividades, administrar

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DA BIBLIOTECA E CULTURA DA UFV - ABC CAPÍTULO 1 DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DA BIBLIOTECA E CULTURA DA UFV - ABC CAPÍTULO 1 DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DA BIBLIOTECA E CULTURA DA UFV - ABC CAPÍTULO 1 DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º - A ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DA BIBLIOTECA E CULTURA DA UFV - ABC é uma associação civil,

Leia mais

ESTATUTO - SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL (SBFV) CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE DA ASSOCIAÇÃO E FUNCIONAMENTO.

ESTATUTO - SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL (SBFV) CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE DA ASSOCIAÇÃO E FUNCIONAMENTO. ESTATUTO - SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL (SBFV) CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE DA ASSOCIAÇÃO E FUNCIONAMENTO. Art. 1 - A SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL, fundada em

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA ONCOLOGIA - ONCOLOGIA Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A ONCOLOGIA é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão da da Universidade José do

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DAS ARTES DE BRASÍLIA BRASIL AMABRA ESTATUTO

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DAS ARTES DE BRASÍLIA BRASIL AMABRA ESTATUTO ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DAS ARTES DE BRASÍLIA BRASIL AMABRA ESTATUTO Capítulo I - Da denominação, sede, duração e natureza. Art. 1º- A Associação dos Amigos das Artes de Brasília Brasil, também chamada AMABRA,

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO REGIONAL AMAZÔNIA ORIENTAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO

REGIMENTO DO NÚCLEO REGIONAL AMAZÔNIA ORIENTAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO REGIMENTO DO NÚCLEO REGIONAL AMAZÔNIA ORIENTAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO I - DA NATUREZA E FINALIDADES Art. 1º - O Núcleo Regional Amazônia Oriental da Sociedade Brasileira de Ciência

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NEUROLOGIA E PSIQUIATRIA INFANTIL E PROFISSÕES AFINS - CAPÍTULO RIO DE JANEIRO ABENEPI - RJ

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NEUROLOGIA E PSIQUIATRIA INFANTIL E PROFISSÕES AFINS - CAPÍTULO RIO DE JANEIRO ABENEPI - RJ ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NEUROLOGIA E PSIQUIATRIA INFANTIL E PROFISSÕES AFINS - CAPÍTULO RIO DE JANEIRO ABENEPI - RJ CAPÍTULO I DA ASSOCIAÇÃO, SEUS FINS SEDE E DURAÇÃO Artigo 1º A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CONTADORES ESCRIVÃES E DISTRIBUIDORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL A C E D I J U S / R S

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CONTADORES ESCRIVÃES E DISTRIBUIDORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL A C E D I J U S / R S 1 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CONTADORES ESCRIVÃES E DISTRIBUIDORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL A C E D I J U S / R S CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINS, SEDE, DURAÇÃO E FORO: Art. 1 A associação

Leia mais

Estatuto Social da Associação dos Revendedores de Veículos Automotores de Pernambuco A S S O V E P E. Capítulo I

Estatuto Social da Associação dos Revendedores de Veículos Automotores de Pernambuco A S S O V E P E. Capítulo I Estatuto Social da Associação dos Revendedores de Veículos Automotores de Pernambuco A S S O V E P E Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E OBJETO Art. 1º. A Associação dos Revendedores de Veículos

Leia mais

ESTATUTO DO GRÊMIO ESCOLA DE SAMBA ESTOPIM DA FIEL TORCIDA.

ESTATUTO DO GRÊMIO ESCOLA DE SAMBA ESTOPIM DA FIEL TORCIDA. ESTATUTO DO GRÊMIO ESCOLA DE SAMBA ESTOPIM DA FIEL TORCIDA. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO Art. 1º - O Grêmio Escola de Samba Estopim da Fiel Torcida, fundada em 05/01/1979, com

Leia mais

Associação Nacional de Pesquisa e PósGraduação em Música. ANPPOM - Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música ESTATUTO SOCIAL

Associação Nacional de Pesquisa e PósGraduação em Música. ANPPOM - Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música ESTATUTO SOCIAL ANPPOM - Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO l DA FUNDAÇÃO, DENOMINAÇÃO, FINS, DURAÇÃO, MANUTENÇÃO, SEDE E FORO Artigo 1º - Associação Nacional de Pesquisa

Leia mais

UNEMAT - UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAEPA - CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL

UNEMAT - UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAEPA - CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL UNEMAT - UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAEPA - CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL ESTATUTO CAPÍTULO I DA ENTIDADE ART. 1º. O Centro Acadêmico de Engenharia de Produção Agroindustrial,

Leia mais

ESTATUTOS DA ACADEMIA DE LETRAS DE TRÁS-OS-MONTES CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, DURAÇÃO E SEDE

ESTATUTOS DA ACADEMIA DE LETRAS DE TRÁS-OS-MONTES CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, DURAÇÃO E SEDE ESTATUTOS DA ACADEMIA DE LETRAS DE TRÁS-OS-MONTES CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, DURAÇÃO E SEDE Artigo 1º Constituição e denominação É constituída uma associação civil sem fins lucrativos denominada Academia

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES DO COLÉGIO SCALABRINIANO NOSSA SENHORA MEDIANEIRA CAPÍTULO I

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES DO COLÉGIO SCALABRINIANO NOSSA SENHORA MEDIANEIRA CAPÍTULO I ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES DO COLÉGIO SCALABRINIANO NOSSA SENHORA MEDIANEIRA CAPÍTULO I Da instituição, da Natureza e Finalidade da Associação de Pais e Mestres. Seção I Da instituição Artigo

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO JUVENIL

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO JUVENIL ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO JUVENIL CAPÍTULO I Princípios Gerais Artigo 1º - Natureza e Sede A Associação adopta a designação de (nome da Associação), e tem a sua sede provisória no Concelho de (designação

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DA SANEPAR EM TOLEDO-AESTO

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DA SANEPAR EM TOLEDO-AESTO ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DA SANEPAR EM TOLEDO-AESTO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ARTIGO PRIMEIRO: A Associação dos Empregados da Sanepar em Toledo, CNPJ nº 78.679.156/0001-38,

Leia mais

A U G U S TA E R E S P E IT ÁV E L L O J A S IM B Ó L IC A PARAGEM DE OURO FINO GLESP - Nº 542

A U G U S TA E R E S P E IT ÁV E L L O J A S IM B Ó L IC A PARAGEM DE OURO FINO GLESP - Nº 542 A Augusta e Respeitável Loja Simbólica Paragem de Ouro Fino, número 542, associação maçônica, fundada no município de Ribeirão Pires, no estado de São Paulo, constituída pôr cidadãos livres e de bons costumes

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA CULTURAL DE COMUNICAÇÃO DE TIMÓTEO

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA CULTURAL DE COMUNICAÇÃO DE TIMÓTEO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA CULTURAL DE COMUNICAÇÃO DE TIMÓTEO CAPÍTULO I DA ASSOCIAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO ARTIGO 1º Sob a denominação de ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA CULTURAL DE COMUNICAÇÃO DE

Leia mais

Estatutos da Musikarisma Associaça o

Estatutos da Musikarisma Associaça o Estatutos da Musikarisma Associaça o SECÇÃO I DA ASSOCIAÇÃO Artigo 1º A Musikarisma é uma Associação Cultural, Sem Fins Lucrativos, tendo a sua sede na Rua José Estêvão, com o número cento e treze, na

Leia mais

Centro da Memória da Eletricidade no Brasil MEMÓRIA DA ELETRICIDADE ESTATUTO. CAPÍTULO I. Da Denominação, Objeto, Sede e Duração.

Centro da Memória da Eletricidade no Brasil MEMÓRIA DA ELETRICIDADE ESTATUTO. CAPÍTULO I. Da Denominação, Objeto, Sede e Duração. Centro da Memória da Eletricidade no Brasil MEMÓRIA DA ELETRICIDADE ESTATUTO CAPÍTULO I. Da Denominação, Objeto, Sede e Duração. Art. 1º - O Centro da Memória da Eletricidade no Brasil - MEMÓRIA DA ELETRICIDADE

Leia mais

Leis /2002, /2003 e , de 28 de junho de 2005.

Leis /2002, /2003 e , de 28 de junho de 2005. CDT - TELEFONE: 3248.1018 / 3248.1019 - PESSOAS JURÍDICAS - e-mail: pj@cdtsp.com.br SUGESTÃO de texto para estatuto de constituição de Organização Religiosa. Observação: As informações deste arquivo deverão

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA

REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA SUMÁRIO Capítulo I Objeto do Regimento Interno... 3 Capítulo II Missão da Diretoria... 3 Capítulo III Competência... 3 Capítulo

Leia mais

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 23 de setembro de Série. Número 166

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 23 de setembro de Série. Número 166 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 23 de setembro de 2016 Série 2.º Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ES- COLA DA AJUDA

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO CAPITULO I ARTIGO 1.º (Denominação, natureza, sede e âmbito) 1. A Associação adopta a designação de Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Louros. 2. É uma

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO OBRIGADO PORTUGAL. Capítulo I Princípios Gerais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO OBRIGADO PORTUGAL. Capítulo I Princípios Gerais ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO OBRIGADO PORTUGAL Capítulo I Princípios Gerais Artigo 1º Denominação, sede e duração 1. A Associação, sem fins lucrativos, adota a denominação ASSOCIAÇÃO OBRIGADO PORTUGAL. 2. A

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO AO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DE ITAJUBÁ ESTATUTO ITAJUBÁ MG

FUNDAÇÃO DE APOIO AO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DE ITAJUBÁ ESTATUTO ITAJUBÁ MG FUNDAÇÃO DE APOIO AO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DE ITAJUBÁ ESTATUTO ITAJUBÁ MG ÍNDICE I. Da Denominação, Regime Jurídico, Sede, Foro e Duração... 01 II. Dos Objetivos... 01 III. Do Patrimônio... 03 IV.

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS EM LINGUAGENS, LEITURA E ESCRITA

NÚCLEO DE ESTUDOS EM LINGUAGENS, LEITURA E ESCRITA NÚCLEO DE ESTUDOS EM LINGUAGENS, LEITURA E ESCRITA CAPÍTULO I DA NATUREZA, DA SEDE E DOS OBJETIVOS Art. 1 O Núcleo de Estudos em Linguagens, Leitura e Escrita, também identificado pela sigla NELLE, entidade

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ASSISTENCIAL - AEA

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ASSISTENCIAL - AEA ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ASSISTENCIAL - AEA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1 A ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ASSISTENCIAL AEA, também designada pela sigla "AEA", constituída sob a

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA AMA ASSOCIAÇÃO DO VOLUNTÁRIO AMIGO

ESTATUTO SOCIAL DA AMA ASSOCIAÇÃO DO VOLUNTÁRIO AMIGO ESTATUTO SOCIAL DA AMA ASSOCIAÇÃO DO VOLUNTÁRIO AMIGO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO E SEDE Artigo Primeiro A AMA ASSOCIAÇÃO DO VOLUNTÁRIO AMIGO é uma Associação civil, pessoa jurídica de direito privado, constituída

Leia mais

São Paulo, 08 de dezembro de CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS CAPÍTULO II - DOS ASSOCIADOS

São Paulo, 08 de dezembro de CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS CAPÍTULO II - DOS ASSOCIADOS CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS São Paulo, 08 de dezembro de 2014. Art. 1 o. A Associação Instituto Brasileiro de Avaliação Imobiliária também designada e doravante denominada simplesmente IBRAVI,

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ATRICON Nº XX/2013

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ATRICON Nº XX/2013 PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ATRICON Nº XX/2013 Altera o Estatuto da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil, visando, entre outras providências, a ampliação da sua fonte de financiamento Resumo:

Leia mais

ESTATUTO DO INSTITUTO BRASILEIRO DE ATUÁRIA - IBA CAPÍTULO - I DA DENOMINAÇÃO E DOS OBJETIVOS

ESTATUTO DO INSTITUTO BRASILEIRO DE ATUÁRIA - IBA CAPÍTULO - I DA DENOMINAÇÃO E DOS OBJETIVOS ESTATUTO DO INSTITUTO BRASILEIRO DE ATUÁRIA - IBA CAPÍTULO - I DA DENOMINAÇÃO E DOS OBJETIVOS Art. 1º - O INSTITUTO BRASILEIRO DE ATUÁRIA, abreviadamente designado por IBA, é uma associação, com sede na

Leia mais

Estatuto do Grêmio. Capítulo 1 Da denominação, sede, fins e duração.

Estatuto do Grêmio. Capítulo 1 Da denominação, sede, fins e duração. Estatuto do Grêmio Capítulo 1 Da denominação, sede, fins e duração. Art.1º- O grêmio estudantil do Colégio Elvira Brandão fundado em 2005 funcionará no referido estabelecimento de ensino com duração ilimitada.

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E FUNCIONÁRIOS DA CRECHE / PRÉ ESCOLA CENTRAL - APEF

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E FUNCIONÁRIOS DA CRECHE / PRÉ ESCOLA CENTRAL - APEF ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E FUNCIONÁRIOS DA CRECHE / PRÉ ESCOLA CENTRAL - APEF CONSOLIDAÇÃO DO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I Da Instituição, da Natureza e Finalidade da Associação de Pais e Funcionários

Leia mais

Estatutos da Associação de Estudantes da ETPZP

Estatutos da Associação de Estudantes da ETPZP CAPÍTULO I Princípios Gerais Artigo 1º Denominação, âmbito e sede 1. A Associação de Estudantes adiante designada por Associação, é a organização representativa dos alunos da (ETPZP). 2. A presente Associação,

Leia mais

ORDEM DOS PASTORES BATISTAS DO BRASIL ESTATUTO DA OPBB

ORDEM DOS PASTORES BATISTAS DO BRASIL ESTATUTO DA OPBB ESTATUTO DA OPBB CAPÍTULO I DO NOME, SEDE, ESTRUTURA E CONSTITUIÇÃO Art. 1º - A Ordem dos Pastores Batistas do Brasil, fundada em 1940, por tempo indeterminado, com sede e foro na comarca do Rio de Janeiro,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CAXIAS DO SUL TURISMO, FEIRAS E EVENTOS CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO, OBJETIVO, PATRIMÔNIO E ÂMBITO DE ATUAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CAXIAS DO SUL TURISMO, FEIRAS E EVENTOS CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO, OBJETIVO, PATRIMÔNIO E ÂMBITO DE ATUAÇÃO ESTATUTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CAXIAS DO SUL TURISMO, FEIRAS E EVENTOS CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO, OBJETIVO, PATRIMÔNIO E ÂMBITO DE ATUAÇÃO Art. 1º - Sob a denominação de Associação Caxias do

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO AMIGOS DA ATROFIA MUSCULAR ESPINHAL - AAME ÍNDICE CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO...

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO AMIGOS DA ATROFIA MUSCULAR ESPINHAL - AAME ÍNDICE CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO... ESTATUTO ASSOCIAÇÃO AMIGOS DA ATROFIA MUSCULAR ESPINHAL - AAME ÍNDICE CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO... CAPÍTULO II DA FINALIDADE E MISSÃO... CAPÍTULO III DOS OBJETIVOS E ATIVIDADES... CAPÍTULO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2011. A CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE TURISMO CNTur, no âmbito das atribuições que lhe conferem os estatutos sociais,

RESOLUÇÃO Nº 001/2011. A CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE TURISMO CNTur, no âmbito das atribuições que lhe conferem os estatutos sociais, RESOLUÇÃO Nº 001/2011 A CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE TURISMO CNTur, no âmbito das atribuições que lhe conferem os estatutos sociais, CONSIDERANDO o interesse em divulgar nos estados brasileiros os seus ideais

Leia mais

CAPÍTULO I Da Natureza, Sede, Foro e Objetivos. CAPÍTULO II Dos Associados

CAPÍTULO I Da Natureza, Sede, Foro e Objetivos. CAPÍTULO II Dos Associados ESTATUTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ICTIOLOGIA Versão Revisada Aprovada na Assembléia Geral Extraordinária realizada em Manaus, AM, em 03 de fevereiro de 2011 durante o XIX Encontro Brasileiro de Ictiologia

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS IBR CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO, FINALIDADES E PATRIMÔNIO

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS IBR CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO, FINALIDADES E PATRIMÔNIO 1 ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS IBR CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO, FINALIDADES E PATRIMÔNIO Art. 1º O INSTITUTO BRASILEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO

Leia mais

Estatuto da Associação dos Professores Municipais de Colombo / APMC-Sindicato dos Trabalhadores em Educação

Estatuto da Associação dos Professores Municipais de Colombo / APMC-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Estatuto da Associação dos Professores Municipais de Colombo / APMC-Sindicato dos Trabalhadores em Educação A APMC - Sindicato dos Trabalhadores em Educação é a entidade responsável pela defesa de todos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Estatuto Social da Ser Educacional S.A. ( Companhia ), estabelece procedimentos a serem observados

Leia mais

Grêmio Integração da Escola de Aplicação da Faculdade de Educação da USP-Gestão

Grêmio Integração da Escola de Aplicação da Faculdade de Educação da USP-Gestão Estatuto do Grêmio Integração da Escola de Aplicação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo Capítulo 1 Da denominação, sede, finalidades e duração da gestão Artigo 1º O grêmio estudantil

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE ARTE E CULTURA PERIFERIA INVISÍVEL

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE ARTE E CULTURA PERIFERIA INVISÍVEL ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE ARTE E CULTURA PERIFERIA INVISÍVEL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º. A Associação de Arte e Cultura Periferia Invisível é uma associação civil de direito privado,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO REGIONAL DOS SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DA CONCAM-MICROREGIÃO DE CAMPO MOURÃO (CRESEMS)

REGIMENTO INTERNO CONSELHO REGIONAL DOS SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DA CONCAM-MICROREGIÃO DE CAMPO MOURÃO (CRESEMS) REGIMENTO INTERNO CONSELHO REGIONAL DOS SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DA CONCAM-MICROREGIÃO DE CAMPO MOURÃO (CRESEMS) CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E ÁREA DE ATUAÇÃO ARTIGO 1º- O Conselho

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA ESTATUTO. Capítulo I DA CONSTITUIÇÃO, DENOMINAÇÃO E DURAÇÃO

SOCIEDADE BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA ESTATUTO. Capítulo I DA CONSTITUIÇÃO, DENOMINAÇÃO E DURAÇÃO SOCIEDADE BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA ESTATUTO TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO Capítulo I DA CONSTITUIÇÃO, DENOMINAÇÃO E DURAÇÃO Artigo 1º - A SOCIEDADE BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA (antiga Sociedade de Sociologia de

Leia mais

Capítulo II - DOS ASSOCIADOS - ADMISSÃO, EXCLUSÃO DOS ASSOCIADOS

Capítulo II - DOS ASSOCIADOS - ADMISSÃO, EXCLUSÃO DOS ASSOCIADOS ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO ECOVILA TIBÁ DE SÃO CARLOS. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADE Artigo 1º- A "ECOVILA TIBÁ DE SÃO CARLOS" fundada em 27 de abril de 2006, é uma sociedade civil, sem fins

Leia mais

ESTATUTO TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL. Art. 2 - A sede e foro da UBEA é na Av. Ipiranga, 6681, em Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul.

ESTATUTO TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL. Art. 2 - A sede e foro da UBEA é na Av. Ipiranga, 6681, em Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul. ESTATUTO CAPÍTULO I Da Denominação TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL Art. 1 - A UNIÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E ASSISTÊNCIA, doravante denominada pela sigla UBEA, fundada em 11 de setembro de 1963,

Leia mais

Estatutos para associações, clubes e colectividades

Estatutos para associações, clubes e colectividades Estatutos para associações, clubes e colectividades Artigo 1.º Designação e Objectivos O/A (nome da colectividade ou associação), adiante designada por (sigla) é uma associação de fins (concretização dos

Leia mais

Estatuto da Associação dos Engenheiros-Agrônomos de Vacaria - ASAV

Estatuto da Associação dos Engenheiros-Agrônomos de Vacaria - ASAV Associação dos Engenheiros-Agrônomos de Vacaria - ASAV Rua Silveira Martins, 199, Sala 42 - Fone: (54) 3232-8444 Cep: 95200-000 - Vacaria - RS E-mail: agrosav@uol.com.br Estatuto da Associação dos Engenheiros-Agrônomos

Leia mais

ESTATUTO da Equipe UFFORCE AERODESIGN

ESTATUTO da Equipe UFFORCE AERODESIGN ESTATUTO da Equipe UFFORCE AERODESIGN CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Fins Art. 1º - O projeto da Equipe UFFORCE AERODESIGN da Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta redonda, criada por

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO - AAJB ESTATUTO

ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO - AAJB ESTATUTO 1 ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO - AAJB ESTATUTO Capítulo I - Denominação, sede, duração e objetivos Artigo 1 o A Associação de Amigos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, ou

Leia mais

Academia Olímpica de Portugal Regulamento Geral

Academia Olímpica de Portugal Regulamento Geral Academia Olímpica de Portugal Regulamento Geral Artigo 1.º Natureza Jurídica, Denominação e Sede 1. A Academia Olímpica de Portugal, adiante designada por AOP, é uma entidade integrada no, adiante designado

Leia mais

COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO

COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO Regimento Interno Art. 1 º A Comissão de Direito Securitário é composta de: I Membros Efetivos, dentre eles o Presidente, o Vice-Presidente, Secretário e Membros Consultores;

Leia mais

FEDERAÇÂO PAULISTA DE FUTEBOL DIGITAL E VIRTUAL

FEDERAÇÂO PAULISTA DE FUTEBOL DIGITAL E VIRTUAL FEDERAÇÂO PAULISTA DE FUTEBOL DIGITAL E VIRTUAL São Paulo SP ESTATUTO CAPÍTULO I - DA FEDERAÇÃO E SEUS FINS Art. 1º - A FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL DIGITAL E VIRTUAL, também designada pela sigla FPFDV,

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA SEÇÃO PARAÍBA (ANPUH-Seção PB) TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FORO E SEDE

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA SEÇÃO PARAÍBA (ANPUH-Seção PB) TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FORO E SEDE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA SEÇÃO PARAÍBA (ANPUH-Seção PB) TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FORO E SEDE Art. 1º - A ANPUH - Seção PB é entidade civil sem fins lucrativos, com duração por tempo

Leia mais

Estatuto Social da Associação Águas do Nordeste ANE. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO

Estatuto Social da Associação Águas do Nordeste ANE. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO Estatuto Social da Associação Águas do Nordeste ANE Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO Artigo 1º. A Associação Águas do Nordeste, denominada abreviadamente de ANE, é uma associação civil, sem fins

Leia mais

ESTATUTO IGREJA BATISTA VIDA. CAPÍTULO I Da Denominação, Duração, Sede, Finalidades, Manutenção, Departamentos e Vinculação.

ESTATUTO IGREJA BATISTA VIDA. CAPÍTULO I Da Denominação, Duração, Sede, Finalidades, Manutenção, Departamentos e Vinculação. ESTATUTO IGREJA BATISTA VIDA CAPÍTULO I Da Denominação, Duração, Sede, Finalidades, Manutenção, Departamentos e Vinculação. Art. 1º. A Igreja Batista Vida, fundada aos 26 de agosto de 2009, doravante designada

Leia mais

Associação Alentejo de Excelência ESTATUTOS. Artigo 1º Denominação, Sede e Duração

Associação Alentejo de Excelência ESTATUTOS. Artigo 1º Denominação, Sede e Duração Associação Alentejo de Excelência ESTATUTOS Artigo 1º Denominação, Sede e Duração 1. A associação, sem fins lucrativos, adopta a denominação de Alentejo de Excelência - Associação para a Competitividade,

Leia mais

UNIÃO NACIONAL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

UNIÃO NACIONAL DOS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO 1 E S T A T U T O TÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, ABRANGÊNCIA E FINALIDADE CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E DA SEDE Art. 1º- A União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação, doravante denominada UNCME, entidade

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO

CONSTITUIÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO CONSTITUIÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO MODELO DE ESTATUTOS CAPÍTULO I Princípios Gerais Artigo 1º (Natureza e Sede) 1 - A Associação X, adiante designada por Associação, é constituída por jovens 18 aos 30 anos

Leia mais

REGIMENTO CÍRCULO DE PAIS E PROFESSORES DO COLÉGIO SINODAL

REGIMENTO CÍRCULO DE PAIS E PROFESSORES DO COLÉGIO SINODAL CAPÍTULO I DO CÍRCULO E SEUS FINS Art. 1º O Círculo de Pais e Professores do Colégio Sinodal CPP, é um departamento do Colégio Sinodal, constituído em 23 de abril de 1964, por tempo indeterminado, na cidade

Leia mais