Unidade III SISTEMÁTICA DE. Profa. Lérida Malagueta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Unidade III SISTEMÁTICA DE. Profa. Lérida Malagueta"

Transcrição

1 Unidade III SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Profa. Lérida Malagueta

2 Pontos de vista da exportação Exportação: é o ato de vender os produtos e serviços de sua empresa em um mercado fora do território nacional Pontos de vista: Economia Nacional: a necessidade que o país tem para pagar suas importações Empresarial: o exportador absorve tecnologia e atinge novos mercados,

3 Exportação PARTICIPAÇÃO % DAS EXPORTAÇÕES NO PIB DO BRASIL 1997 / ,56 13,22 13,43 12,91 11,98 10,51 8,18 8,54 6,08 6, Fonte: Ministério do Desenvolvimento da Indústria e Comércio (MDIC)

4 Exportação por que exportar? Aumentar sua margem de lucro Diminuição da carga tributária Diminuição da dependência das vendas no mercado interno Aumento da capacidade inovadora Aprimoramento do RH Imagem da empresa

5 Tipos de exportação Direta Indireta

6 Tipos de exportação Exportação Direta: quando o exportador fatura e remete o produto ao importador Isenção de IPI e não ocorre a incidência do ICMS, além de se beneficiar dos créditos fiscais (ICMS) que incidem sobre os insumos utilizados no processo produtivo; Pis e Cofins. Trading Companies: empresas comerciais exportadoras

7 Tipos de exportação Exportação Indireta: o produtor vende o produto a um intermediário, estabelecido no mesmo país do produtor, com o objetivo de exportá-lo O intermediário pode ser: Uma empresa comercial exclusivamente exportadora - Trading Company Uma empresa que atua com exportação e importação; Uma cooperativa ou consórcio de exportadores.

8 Exportação impostos Isenção da COFINS (7,6%), tanto para exportações diretas ou indiretas de: produtos primários (matéria-prima) produtos manufaturados (resultante do processo de industrialização da matéria-prima) produtos semi-elaborados (Substância ou mistura de substâncias ainda sob processo de fabricação) Serviços

9 Exportação impostos Isenção do PIS (1,65%) para as exportações diretas e vendido através de trading companies: produtos primários produtos manufaturados produtos semi-elaborados Serviços

10 Interatividade Qual dos impostos abaixo são isentos para empresas de exportação direta? a) Somente IPI e ICMS b) IPI, ICMS, PIS e COFINS c) Somente PIS e Cofins d) Somente ICMS e) N.D.A

11 SISCOMEX Sistema informatizado do comércio exterior brasileiro que integra todas as atividades que envolvem: registro, acompanhamento e controle das operações de exportação e importação entre empresas nacionais e estrangeiras. Promove a integração das atividades de todos os órgãos gestores do comércio exterior, inclusive o câmbio, permitindo o acompanhamento, orientação e controle das diversas etapas do processo exportador e importador

12 Nomenclatura e classificação fiscal Sistema Harmonizado de Designação e Codificação de Mercadorias, ou somente: Sistema Harmonizado (SH) A composição do SH por seis dígitos, sendo seção, capítulo, posição e subposição. A seguir, exemplo:

13 Nomenclatura e classificação fiscal O produto amendoim descascado é identificado no SH com o código , conforme a seguir:

14 Nomenclatura e classificação fiscal NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul), que é composta por oito dígitos, sendo: 6 primeiros dígitos pela SH 2 últimos dígitos pelo Mercosul

15 Nomenclatura e classificação fiscal Fonte:

16 Interatividade Qual das siglas abaixo simboliza a nomenclatura utilizada no Mercosul? a) TEC b) NCM c) NALADI d) SH e) N.D.A

17 Documentos exigidos para a exportação Referentes ao exportador Referentes ao Contrato de Exportação Referentes à mercadoria (acompanham a mercadoria durante todo o processo): Registro de Exportação no SISCOMEX; Registro de Operação de Crédito (RC); Registro de Venda (RV);

18 Documentos exigidos para a exportação Solicitação de Despacho (SD); Nota Fiscal; Conhecimento de Embarque (bill of lading); Fatura Comercial (commercial invoice); Romaneio (packing list); Certificado de origem; Outros documentos, como: Legalização Consular, Certificado ou Apólice de Seguro, Borderô ou Carta de Entrega.

19 Modalidade de exportação Exportações diretas Exportações indiretas Exportações temporárias Exportações em consignação Exportação simplificada

20 Formação de preço na exportação determinar corretamente o preço Conhecer a composição do produto e os custos e as peculiaridades do mercadoalvo concorrência qualidade, prazo de pagamento e de entrega

21 Fatores que influenciam na elaboração do preço para exportação Os custos de produção e transporte; Os tributos incidentes sobre à exportação; Os encargos incidentes sobre os financiamentos à exportação; As despesas vinculadas à exportação. O preço praticado pelos concorrentes no país do importador;

22 Fatores que influenciam na elaboração do preço para exportação Os preços praticados por concorrentes em potencial; O comportamento dos consumidores; As novas tecnologias envolvidas.

23 Formação do preço para exportação na prática

24 Interatividade Para um exportador poder atuar no mercado externo, ele deve ter qual registro? a) Registro de declaração de exportação b) Registro de inscrição no Siscomex c) REI Registro de Exportador e Importador d) Registro de exportador do CACEX e) Alternativa A e C estão corretas

25 Dicas Excluir todos os impostos e contribuições inclusos no preço ao mercado interno Recalcular ou deduzir todos os elementos do mercado interno que não ocorrerão na exportação, por exemplo: Comissões de vendedores; Custos com embalagens; Despesas com distribuição; Despesas com promoção; Margem de lucro (caso se deseje outra para a exportação).

26 Dicas Custos com embalagem e rótulo para exportação; Custos com deslocamento até o local de embarque; Comissão do intermediário no exterior

27 Fontes de financiamento BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento O valor a ser financiado: considerar a estimativa de acréscimo das exportações comparada aos últimos 12 meses O prazo para pagamento: varia entre 12 e 30 meses

28 Fontes de financiamento ACC - Adiantamento sobre Contrato de Câmbio Adiantamento sobre Cambiais de Exportação ACE Programa de Financiamento às Exportações PROEX Proex Financiamento Proex Equalização Letras de Exportação

29

30 Interatividade Qual a principal função do PROEX? a) Financiar diretamente ao exportador com recursos do Tesouro Nacional b) Financiar diretamente ao importador com recursos do Tesouro Nacional c) Financiar diretamente ao importador com recursos do Banco Central d) Financiar diretamente ao exportador com recursos do Banco do Brasil e) Alternativas A e C estão corretas

31 ATÉ A PRÓXIMA!

Exportação Passo a Passo

Exportação Passo a Passo Sumário 3 4 5 6 1. INTRODUÇÃO 7 2. IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE EXPORTADORA POR QUE EXPORTAR? 9 2.1. A internacionalização da empresa 10 2.2. Etapas da internacionalização da empresa 2.3. Considerações importantes

Leia mais

Fatores para o cálculo do preço de exportação

Fatores para o cálculo do preço de exportação Fatores para o cálculo do preço de exportação No cálculo do preço de exportação devem ser levados em conta, entre outros fatores: IPI - IMUNIDADE do Imposto sobre Produtos Industrializados, na saída de

Leia mais

MÓDULO 7 A política brasileira para exportar

MÓDULO 7 A política brasileira para exportar MÓDULO 7 A política brasileira para exportar Sob o ponto de vista da economia nacional, um dos principais motivos para um país exportar é a necessidade que ele tem para pagar suas importações. Já, analisando

Leia mais

Aprendendo a Exportar Registro de Exportação, Registro de Exportação Simplificada e Registro de Crédito. Vision Co.

Aprendendo a Exportar Registro de Exportação, Registro de Exportação Simplificada e Registro de Crédito. Vision Co. Aprendendo a Exportar Registro de Exportação, Registro de Exportação Simplificada e Registro de Crédito Vision Co. Grupo Giovanni Pizzighini, Beatriz Assakawa, Renata Tsumura, Lucas Jordani, Lucas Progin,

Leia mais

1.1 Tributação nas Importações. 1.3 Tributação nas Exportações. 1.4 Regimes Aduaneiros Especiais

1.1 Tributação nas Importações. 1.3 Tributação nas Exportações. 1.4 Regimes Aduaneiros Especiais 1.1 Tributação nas Importações 1.2 Preferências Tarifárias 1.3 Tributação nas Exportações 1.4 Regimes Aduaneiros Especiais 1.1 Tributação nas Importações 1.2 Preferências Tarifárias 1.3 Tributação nas

Leia mais

Gerência Regional de Araraquara. Financiamentos às Exportações

Gerência Regional de Araraquara. Financiamentos às Exportações Gerência Regional de Araraquara Financiamentos às Exportações BB no mundo Experiência: Há mais de 70 anos em comércio exterior, inclusive com embaixadas e consulados; Cobertura internacional: mais de 30

Leia mais

Programa Comex Infoco. Tema: Domine os Trâmites Documentais na Exportação

Programa Comex Infoco. Tema: Domine os Trâmites Documentais na Exportação Programa Comex Infoco Tema: Domine os Trâmites Documentais na Exportação Apresentação do Professor André Renato Gomes Graduado em Administração de Empresas com Ênfase em Comércio Exterior pela Universidade

Leia mais

Estrutura de Apoio Rede de Atendimento Interna

Estrutura de Apoio Rede de Atendimento Interna Estrutura de Apoio Rede de Atendimento Interna Recife Salvador Brasília Ribeirão Preto Campinas São Paulo (3) 105 Gerentes de Negócios Internacionais Belo Horizonte 80 Consultores Rio de Janeiro Curitiba

Leia mais

Diretoria de Comércio Exterior GECEX Campinas Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior

Diretoria de Comércio Exterior GECEX Campinas Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior Diretoria de Comércio Exterior GECEX Campinas Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior CÂMBIO E POLÍTICA CAMBIAL Câmbio: compra e venda de moedas ou papéis conversíveis. Divisas - São as disponibilidades

Leia mais

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO 1. PLANEJAMENTO Novos mercados; Mais lucros; Mais empregos Separar uma parte da produção para o mercado interno e outra para o mercado externo, pois a exportação é um processo

Leia mais

Guia para Cálculo de Impostos de Importação

Guia para Cálculo de Impostos de Importação Guia para Cálculo de Impostos de Importação Ao importar algo no exterior e solicitar o envio para o Brasil, além do valor do produto e do frete é importante saber todos os encargos que incidem sobre a

Leia mais

FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA.

FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA. FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA gleicilene@unifei.edu.br Formação do Preço de Venda Fatores que influenciam a formação de preço de um produto ou serviço: Decisões da Concorrência: preço corrente, limitação

Leia mais

Jose Lopes Vazquez. Comercio. Exterior. Brasileiro. 11- Edigäo

Jose Lopes Vazquez. Comercio. Exterior. Brasileiro. 11- Edigäo Jose Lopes Vazquez Comercio Exterior Brasileiro 11- Edigäo SÄO PAULO EDITORA ATLAS S.A. - 2015 Sumärio Prefacio ä 5 ä edi$äo, xiii Prefdcio ä 2 a edigäo, xv Introdugäo, 1 1 COMERCIO EXTERIOR, 3 1.1 Cenärio

Leia mais

Prof.Msc.Ricardo Lozano PUCGOIAS 2014

Prof.Msc.Ricardo Lozano PUCGOIAS 2014 Prof.Msc.Ricardo Lozano PUCGOIAS 2014 FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO 1 - PLANEJAMENTO Novos mercados Mais lucros Mais empregos Maior escala de produção e vendas Separar uma parte da produção para o mercado interno

Leia mais

Consultorias. Ensaios Laboratoriais. Cursos in Company. Apoio Tecnológico

Consultorias. Ensaios Laboratoriais. Cursos in Company. Apoio Tecnológico Consultorias Ensaios Laboratoriais Apoio Tecnológico Cursos in Company ÁREA DE GESTÃO E ALIMENTOS E BEBIDAS Consultoria em Planejamento e Controle dos Processos Produtivos; Consultoria para Atendimento

Leia mais

ABRACOMEX Guia Básico do Siscomex Exportação

ABRACOMEX Guia Básico do Siscomex Exportação ABRACOMEX Guia Básico do Siscomex Exportação 0800.7183810 Apresentação do Professor Douglas Cândido Graduação em Administração c/ Hab. em Comércio Exterior pela Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina

Leia mais

Código de Situação Tributária

Código de Situação Tributária Código de Situação O código da situação tributária será composto de três dígitos, onde o 1 dígito indicará a origem da mercadoria, com base na Tabela A e os dois últimos dígitos a tributação pelo ICMS,

Leia mais

06/10/2016. PROEX Programa de Financiamento às Exportações

06/10/2016. PROEX Programa de Financiamento às Exportações 1 PROEX Programa de Financiamento às Exportações 2 Banco do Brasil e o Exportador Garantias Crédito Serviços Mecanismos de Apoio às Exportações 3 ACC/ACE Banco do Brasil e o Exportador Linhas de Crédito

Leia mais

www.commex.com.br cursos@commex.com.br

www.commex.com.br cursos@commex.com.br CURSO DE INICIAÇÃO À EXPORTAÇÃO Módulo IV www.commex.com.br cursos@commex.com.br 1 SUMÁRIO 1. EXPORTAÇÃO EM CONSIGNAÇÃO... 03 2. DECLARAÇÃO SIMPLIFICADA DE EXPORTAÇÃO DSE... 2.1 Finalidade... 2.2 Vantagens

Leia mais

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE Profa. Lérida Malagueta Unidade IV SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Importação Importar consiste em uma operação de compra de produtos no mercado exterior e sua respectiva entrada em um país Necessidade

Leia mais

Passo a Passo para Iniciar uma Exportação

Passo a Passo para Iniciar uma Exportação Passo a Passo para Iniciar uma Exportação Apresentação do Professor Professor: Douglas Cândido. Administrador com ênfase em Comércio Exterior pela Estácio de Sá, MBA em Gestão de Negócios Internacionais

Leia mais

Tributos sobre importação

Tributos sobre importação Tributos sobre importação Valor Aduaneiro,é a base de cálculo para apurar o Imposto de Importação e os demais impostos. O valor aduaneiro é composto:: a) A valoração da mercadoria importada, como regra

Leia mais

Processos Aduaneiros Especiais. SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR NO PEC NORDESTE FORTALEZA julho/2017 1

Processos Aduaneiros Especiais. SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR NO PEC NORDESTE FORTALEZA julho/2017 1 Processos Aduaneiros Especiais SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR NO PEC NORDESTE FORTALEZA julho/2017 1 Regimes Aduaneiros COMUM (ou geral): em que há pagamento de direitos aduaneiros, ou que confere isenção

Leia mais

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS NA COMPRA DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE. Julho / 2005

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS NA COMPRA DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE. Julho / 2005 ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS NA COMPRA DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE Julho / 2005 TRIBUTOS QUE PODERÃO INCIDIR SOBRE A ENERGIA ELÉTRICA Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Imposto

Leia mais

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO Agência para a Promoção de Investimento e Exportações MANUAL DO EXPORTADOR Procedimentos Administrativos Luanda, 10 de Julho de 2015 INDICE I. INTRODUÇÃO 2 II. PREAMBULO...2 III.

Leia mais

Aprendendo a Exportar Formação do Preço de Exportação e Faturamento da Exportação Conex

Aprendendo a Exportar Formação do Preço de Exportação e Faturamento da Exportação Conex Aprendendo a Exportar Formação do Preço de Exportação e Faturamento da Exportação Conex Grupo Jéssica Scarance, Mário Frasson, Nina França, Isadora de Gorga, Mariane Miguel, Cecília Robalinho, Thaís Camargo

Leia mais

BRITCHAM - CORPORATE DAY

BRITCHAM - CORPORATE DAY BRITCHAM - CORPORATE DAY PAINEL 4 - FINANCIAMENTO Antonio Giglio Neto 23 de março de 2016 SUMÁRIO DA APRESENTAÇÃO I O Papel do Mercado Financeiro e de Capitais na Atividade Econômica II Legislação Relevante

Leia mais

SUSPENSÃO ISENÇÃO RESTITUIÇÃO

SUSPENSÃO ISENÇÃO RESTITUIÇÃO SUSPENSÃO ISENÇÃO RESTITUIÇÃO DRAWBACK 1. CONCEITO Drawback é o regime especial que consiste na importação com suspensão, isenção ou restituição dos tributos, de insumos destinados a integrar produtos

Leia mais

PARECER Nº, DE 2014. RELATOR: Senador ANA AMÉLIA I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2014. RELATOR: Senador ANA AMÉLIA I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2014 Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES, sobre o Projeto de Lei do Senado Federal (PLS) nº 3, de 2014, do Senador Ricardo Ferraço, que altera a Medida Provisória nº 2.158-35, de 24 de agosto

Leia mais

Relatório Aprendendo a Exportar. Encontro 4

Relatório Aprendendo a Exportar. Encontro 4 Relatório Aprendendo a Exportar Encontro 4 Grupo 1: ProExport Consultoria Tratamento Tributário e Financiamento Está associado às taxas de impostos que o governo cobra, embora este tenha buscado a isenção

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 660, de 17 de julho de Impressão

Instrução Normativa SRF nº 660, de 17 de julho de Impressão Page 1 of 6 Instrução Normativa SRF nº 660, de 17 de julho de 2006 DOU de 25.7.2006 Dispõe sobre a suspensão da exigibilidade da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins incidentes sobre a venda de produtos

Leia mais

Personal E RP. Módulo Fiscal. Personal Soft Informática Ltda Me. Celular: (19) Consultor: Edcarlos Ferraz dos Reis.

Personal E RP. Módulo Fiscal. Personal Soft Informática Ltda Me. Celular: (19) Consultor: Edcarlos Ferraz dos Reis. Personal Soft Informática Ltda Me Personal E RP Módulo Fiscal Consultor: Edcarlos Ferraz dos Reis Celular: (19) 8133-0809 edcarlos@personalsoft.com.br (19) 3471-0001 Figura 1 Introdução Classificações

Leia mais

1 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA POLÍTICA DE PREÇOS... 15

1 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA POLÍTICA DE PREÇOS... 15 Sumário Prefácio à 5 a Edição... xxi Prefácio à 1 a Edição... xxv Introdução... 1 PARTE I ASPECTOS ESTRATÉGICOS E MERCADOLÓGICOS DO PREÇO... 13 1 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA POLÍTICA DE PREÇOS... 15 1.1

Leia mais

Classificação Fiscal de Mercadorias Conceitos Básicos. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Classificação Fiscal de Mercadorias Conceitos Básicos. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Classificação Fiscal de Mercadorias Conceitos Básicos Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Classificação Fiscal de Mercadorias O que é a classificação fiscal de mercadorias? É um código numérico, composto

Leia mais

PIS e COFINS. Aspectos conceituais. Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto

PIS e COFINS. Aspectos conceituais. Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto PIS e COFINS Aspectos conceituais Núcleo de Estudos em Controladoria e Contabilidade Tributária Prof. Amaury

Leia mais

1ºRegistro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão importados.

1ºRegistro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão importados. 1 IMPORTAR FÁCIL IMPORTAÇÃO FÁCIL: SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1ºRegistro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão importados.

Leia mais

Valor Aduaneiro. O valor aduaneiro deve ser entendido como o montante que servirá como base de cálculo do Imposto de importação.

Valor Aduaneiro. O valor aduaneiro deve ser entendido como o montante que servirá como base de cálculo do Imposto de importação. Valor Aduaneiro O valor aduaneiro deve ser entendido como o montante que servirá como base de cálculo do Imposto de importação. Daí a importância de se estabelecer, com o devido rigor técnico,a base de

Leia mais

Formação Analista em Comércio Exterior

Formação Analista em Comércio Exterior Formação Analista em Comércio Exterior Objetivo: Habilitar os participantes para exercer a profissão de Analista em Comércio Exterior e trabalhar com a análise das operações, planejamento, coordenação

Leia mais

O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de Câmbio)

O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de Câmbio) O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas,

Leia mais

Preenchimento do cadastro de produtos para adequação ao SAT ou NFC-e - Rev1.0

Preenchimento do cadastro de produtos para adequação ao SAT ou NFC-e - Rev1.0 PASSO-A-PASSO Preenchimento do cadastro de produtos para adequação ao SAT ou NFC-e - Rev1.0 JS SoftCom Documentação Automação Dropbox Pasta 07 Manuais e Procedimentos Configurações Retaguarda Informações

Leia mais

Sistemática de Comércio Exterior

Sistemática de Comércio Exterior Sistemática de Comércio Exterior Comércio Exterior 6 ADN 1 Prof. Charles Chelala Informações Básicas Exportar: para quê? Amplia as chances de melhores resultados para a empresa Aumenta a produtividade

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior A Política Industrial Brasileira A Política industrial brasileira tem claro foco em inovação e adensamento produtivo

Leia mais

Curso Prático de: Tributação nos Processos de Compras

Curso Prático de: Tributação nos Processos de Compras Curso Prático de: Tributação nos Processos de Compras Por que fazer este curso? Para uma empresa, comprar bem não significa comprar pelo menor preço. O processo de compras está cada vez mais complexo,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Planejamento e

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Planejamento e MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior - DEPLA Aspectos Relevantes

Leia mais

Unidade III. Unidade III

Unidade III. Unidade III Unidade III 6 O ACESSO AO MERCADO INTERNACIONAL 1 Vamos iniciar explicando o que é exportar: é o ato de vender os produtos de sua empresa em um mercado fora do território nacional. Essa operação de venda,

Leia mais

Por que exportar? Tiago Terra Supervisor de Competitividade Apex-Brasil

Por que exportar? Tiago Terra Supervisor de Competitividade Apex-Brasil Por que exportar? Tiago Terra Supervisor de Competitividade Apex-Brasil Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros

Leia mais

INTERAGRO - SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR

INTERAGRO - SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR INTERAGRO - SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR Painel IX: Como financiar suas exportações Fortaleza, 07 de julho Wagner Parente CEO, Barral M Jorge Wagner.parente@barralmjorge.com.br Matheus Andrade Consultor,

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/11/2010.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/11/2010. OPERAÇÃO BACK TO BACK - Aspectos Contábeis Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/11/2010. 1 - INTRODUÇÃO 2 - TRATAMENTO FISCAL 3 - TRATAMENTO CONTÁBIL 1 - INTRODUÇÃO As chamadas operações

Leia mais

Orçamento de Vendas. Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr.

Orçamento de Vendas. Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr. Orçamento de Vendas Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr. Orçamento de Vendas Conceito: É a planificação futura das vendas para determinado período, relacionando em suas projeções os produtos e/ou serviços

Leia mais

Curso de Legislação Aduaneira para AFRFB. Prof. Thális Andrade

Curso de Legislação Aduaneira para AFRFB. Prof. Thális Andrade Curso de Legislação Aduaneira para AFRFB Prof. Thális Andrade -Professor -Importância da matéria de Legislação Aduaneira -Bibliografia básica BRASIL. Ministério da Fazenda. Disponível em: .

Leia mais

CIRCULAR Nº Art. 7º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação.

CIRCULAR Nº Art. 7º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. CIRCULAR Nº 2825 Documento normativo revogado pela Circular 3280, de 09/03/2005. Estabelece, altera e sistematiza os procedimentos cambiais relativos às exportações financiadas. A Diretoria Colegiada do

Leia mais

VOL. I. Importação e Exportação

VOL. I. Importação e Exportação Coleção de Importação e Exportação VOL. I Tratamento Administrativo e Aduaneiro da Importação e Exportação José Marcelo Fernandes Araújo Analista de Exportação pela Olivetti do Brasil S/A - Analista de

Leia mais

INTERAGRO - SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR

INTERAGRO - SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR INTERAGRO - SEMINÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR Painel VIII: Como financiar suas exportações Campo Grande, 19 de julho Matheus Andrade Consultor, Barral M Jorge Matheus.andrade@barralmjorge.com.br A Barral

Leia mais

Paradiplomacia regional de empresas na América do Sul

Paradiplomacia regional de empresas na América do Sul Federal University of Roraima, Brazil From the SelectedWorks of Elói Martins Senhoras Winter January 1, 2011 Paradiplomacia regional de empresas na América do Sul Prof. Dr. Eloi Martins Senhoras Available

Leia mais

Métodos de Importação para Pesquisa Científica

Métodos de Importação para Pesquisa Científica Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul Métodos de Importação para Pesquisa Científica Setor de Importação FUNDECT Marcelo Alves Teixeira importacao@fundect.ms.gov.br

Leia mais

CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO. Prof. André Gomes

CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO. Prof. André Gomes CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO Prof. André Gomes 1 Contribuição para PIS/PASEP PIS contribuição para o Programa de Integração Social funcionários das empresas do setor privado; PASEP contribuição

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.336, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2001. Institui Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a importação e

Leia mais

A1. TAXA DE JUROS COMPETITIVA, FACE AOS PRINCIPAIS CONCORRENTES INTERNACIONAIS, PARA FINANCIAMENTO DE BKM - BENS DE CAPITAL MECÂNICOS BRASILEIROS;

A1. TAXA DE JUROS COMPETITIVA, FACE AOS PRINCIPAIS CONCORRENTES INTERNACIONAIS, PARA FINANCIAMENTO DE BKM - BENS DE CAPITAL MECÂNICOS BRASILEIROS; A. FINANCIAMENTO A1. TAXA DE JUROS COMPETITIVA, FACE AOS PRINCIPAIS CONCORRENTES INTERNACIONAIS, PARA FINANCIAMENTO DE BKM - BENS DE CAPITAL MECÂNICOS BRASILEIROS; A2. ACESSO FACILITADO AO CRÉDITO, COM

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO

DIREITO TRIBUTÁRIO III: IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DIREITO TRIBUTÁRIO III: E EXPORTAÇÃO Prof. Thiago Gomes HIPÓTESE DE INCIDÊNCIA Incidente sobre a inserção, no território nacional, de bens procedentes de outros países. (Fundamento Legal: Art. 153, I,

Leia mais

Número de empregados; Seguro da força de trabalho;

Número de empregados; Seguro da força de trabalho; Número de empregados; Volume de vendas; Valor dos ativos; Seguro da força de trabalho; Volume de depósitos. TIPO DE EMPRESAS Microempresas Pequenas Empresas Médias Empresas Grandes Empresas RECEITA OPERACIONAL

Leia mais

CARTILHA NACIONAL SIMPLES. Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa.

CARTILHA NACIONAL SIMPLES. Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa. CARTILHA NACIONAL SIMPLES Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa. O que é Simples Nacional? Como enquadro minha empresa no Nacional Simples? O Simples Nacional é um regime tributário

Leia mais

Aula Demonstrativa. Legislação Aduaneira Professores: Rodrigo Luz e Luiz Missagia

Aula Demonstrativa. Legislação Aduaneira Professores: Rodrigo Luz e Luiz Missagia Aula Demonstrativa Legislação Aduaneira Professores: Rodrigo Luz e Luiz Missagia Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 Demonstrativa 22/07 01 Jurisdição Aduaneira e Controle Aduaneiro

Leia mais

PÚBLICO ATENDIDO. Courriers

PÚBLICO ATENDIDO. Courriers PÚBLICO ATENDIDO Importadores e Exportadores Trading Companies Agentes de Cargas NVOCC Comissárias de Despachos Agências Marítimas Armadores Corretoras de Câmbio Escritórios de Advocacia Operadorasde Turismo

Leia mais

Organização: Confederação Nacional da Indústria

Organização: Confederação Nacional da Indústria Videoconferência do Grupo Técnico do Siscoserv com a Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN) Organização: Confederação Nacional da Indústria CNI, Brasília, 19 de Abril de 2012

Leia mais

SEMINÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL: CENÁRIO ANTIGLOBALIZAÇÃO E RESTRIÇÕES DA OMC A POLÍTICAS INDUSTRIAIS 27/04/2016

SEMINÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL: CENÁRIO ANTIGLOBALIZAÇÃO E RESTRIÇÕES DA OMC A POLÍTICAS INDUSTRIAIS 27/04/2016 SEMINÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL: CENÁRIO ANTIGLOBALIZAÇÃO E RESTRIÇÕES DA OMC A POLÍTICAS INDUSTRIAIS 27/04/2016 EQUIPE Programas brasileiros contestados Inovar-Auto Lei de Informática PADIS PATVD

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL: UMA ANÁLISE DA PDP INSTITUTO BRASILEIRO DE EXECUTIVOS DE FINANÇAS / IBEF-SP São Paulo, 28

Leia mais

ANO XXVII ª SEMANA DE AGOSTO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 33/2016

ANO XXVII ª SEMANA DE AGOSTO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 33/2016 ANO XXVII 2016 3ª SEMANA DE AGOSTO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 33/2016 IMPORTAÇÃO/EXPORTAÇÃO REGIME ESPECIAL DE DRAWBACK... Pág. 213 ICMS - MG DIFERIMENTO DO ICMS EM OPERAÇÕES INTERESTADUAIS COM DESPERDÍCIOS

Leia mais

Um despachante aduaneiro é o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitam por alfândegas (aduana)

Um despachante aduaneiro é o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitam por alfândegas (aduana) DESPACHO ADUANEIRO Um despachante aduaneiro é o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitam por alfândegas (aduana) Um despachante oficial em Portugal é um representante por

Leia mais

Logística Internacional

Logística Internacional PLANO DE ENSINO 2014.2 Logística Internacional Semestre: 4º Carga Horária: 47 h Ementa Introdução aos conceitos e aplicação prática do fluxo de funcionamento da Logística Internacional abrangendo as diferentes

Leia mais

TRIBUTAÇÃO SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR Imposto de Importação Imposto de Exportação. Prof. Marcelo Alvares Vicente

TRIBUTAÇÃO SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR Imposto de Importação Imposto de Exportação. Prof. Marcelo Alvares Vicente TRIBUTAÇÃO SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR Imposto de Importação Imposto de Exportação Prof. Marcelo Alvares Vicente Tributação sobre o Comércio Exterior Necessidade de análise sistemática do Ordenamento jurídico

Leia mais

Entraves às exportações brasileiras. Soraya Rosar Gerente Executiva Unidade de Negociações Internacionais

Entraves às exportações brasileiras. Soraya Rosar Gerente Executiva Unidade de Negociações Internacionais Entraves às exportações brasileiras Soraya Rosar Gerente Executiva Unidade de Negociações Internacionais Introdução Apesar de ser a sétima economia do mundo, o Brasil ocupa só a 22º colocação no ranking

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Lei Transparencia Valor Tributos

Orientações Consultoria de Segmentos Lei Transparencia Valor Tributos Lei 27/10/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Lei da Transparência... 4 3.2 Documento fiscal - Indicação dos tributos...

Leia mais

TOTVS - Microsiga Protheus Comércio Exterior

TOTVS - Microsiga Protheus Comércio Exterior 30/06/2011 Sumário Sumário... 2 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 Novas funcionalidades... 3 1.2 Demurrage por Contêiner... 3 1.3 Importação por Conta e Ordem... 3 1.4 Workflor... 4 1.5 Custeio de Armazenagem...

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA No 609, DE 8 DE MARÇO DE 2013

MEDIDA PROVISÓRIA No 609, DE 8 DE MARÇO DE 2013 MEDIDA PROVISÓRIA No 609, DE 8 DE MARÇO DE 2013 Reduz a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP, da COFINS, da Contribuição para o PIS/PASEP-Importação e da COFINS-Importação incidentes sobre

Leia mais

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art.

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art. Tributos aduaneiros Os tributos sobre o comércio exterior têm natureza predominantemente extrafiscal, ou seja, de interferência no domínio econômico, com importante papel no desempenho das exportações,

Leia mais

GESTÃO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

GESTÃO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA GESTÃO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA Silvério das Neves Graduado em Contabilidade e Administração pela Universidade Mackenzie. MBA Executivo em Gestão de Negócios pelo INPG. Participou da

Leia mais

Dúvidas. Remessas Expressas Perguntas e Respostas. 1 O que é? 2 Tributação. 3 Valor Máximo dos bens. 4 Bens que podem ser enviados

Dúvidas. Remessas Expressas Perguntas e Respostas. 1 O que é? 2 Tributação. 3 Valor Máximo dos bens. 4 Bens que podem ser enviados Dúvidas Remessas Expressas Perguntas e Respostas 1 O que é? 2 Tributação 3 Valor Máximo dos bens 4 Bens que podem ser enviados 5 Bens que NÃO podem ser enviados 6 Diferença entre Remessa Expressa e Postal

Leia mais

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar?

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar? Tiago Terra Apex-Brasil Por que exportar? Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros no exterior e atrair

Leia mais

Medidas de Fortalecimento da Indústria

Medidas de Fortalecimento da Indústria Medidas de Fortalecimento da Indústria Estímulo às Exportações e à Reestruturação Produtiva Junho de 2007 1 Medidas de Fortalecimento Industrial de Setores Intensivos em Mão de Obra Objetivos: Combater

Leia mais

Dados do fabricante x despacho aduaneiro: redobre a sua atenção

Dados do fabricante x despacho aduaneiro: redobre a sua atenção Dados do fabricante x despacho aduaneiro: redobre a sua atenção O conceito de fabricante é do conhecimento de todos porque de fácil assimilação: fabricante é todo aquele que fabrica um produto. Porém,

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material

Leia mais

proex Programa de Financiamento às Exportações Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar

proex Programa de Financiamento às Exportações Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar proex Programa de Financiamento às Exportações Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar BRASÍLIA, 2016 PROEX PROGRAMA DE financiamento ÀS EXPORTAÇÕES Como as micro, pequenas e médias

Leia mais

REPETRO Benefícios do Estado

REPETRO Benefícios do Estado REPETRO Benefícios do Estado O que é o REPETRO? Regime aduaneiro especial que permite a importação de equipamentos para serem utilizados diretamente nas atividades de pesquisa e lavra das jazidas de petróleo

Leia mais

Aula 3 Imposto de Renda Pessoa Jurídica CSLL Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Prof. Dr. Érico Hack

Aula 3 Imposto de Renda Pessoa Jurídica CSLL Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Prof. Dr. Érico Hack Aula 3 Imposto de Renda Pessoa Jurídica CSLL Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Prof. Dr. Érico Hack IR Pessoa Jurídica Pessoa Física equiparada à pessoa jurídica (Empresas individuais) Empresário

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior- DECEX Coordenação de Operações de Importação de

Leia mais

Aprendendo a Exportar Formas de Comercialização e Modalidades de Pagamento MEDE

Aprendendo a Exportar Formas de Comercialização e Modalidades de Pagamento MEDE Aprendendo a Exportar Formas de Comercialização e Modalidades de Pagamento MEDE Grupo Renata Buscato, Ana Carolina Arantes, Thássio Rocha, João Paulo Teodoro, Rodrigo Fagundes César, Caio Mitidieiro e

Leia mais

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior Decex DRAWBACK INTEGRADO Normas, Procedimentos e DúvidasD DECEX CGEX Coordenação-Geral de Mecanismos de Exportação

Leia mais

Unidade I SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO. Profa. Lérida Malagueta

Unidade I SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO. Profa. Lérida Malagueta Unidade I SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Profa. Lérida Malagueta Sistemática de importação e exportação - conteúdo O Comércio Internacional Legislação e a estrutura brasileira Termos internacionais

Leia mais

Relatório Aprendendo a Exportar

Relatório Aprendendo a Exportar Relatório Aprendendo a Exportar Encontro 3 Grupo 1: Correios Os Correios Os correios é a empresa responsável por 85% do fluxo postal da América Latina, e foi eleito o melhor correio do mundo pela revista

Leia mais

Data da Emissão: / / Assinatura do Representante

Data da Emissão: / / Assinatura do Representante Declaração: 17/0131482-9 Data do Registro: 24/01/2017 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB PORTO DE SANTOS EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO Modalidade do Despacho: NORMAL Quantidade

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Controle Administrativo no Comércio Exterior São Paulo, 18 de setembro de 2013 Controle administrativo 1. O que é o controle administrativo? 2. Aspectos

Leia mais

Aprendendo na Prática Siscomex

Aprendendo na Prática Siscomex Aprendendo na Prática Siscomex Apresentação do Professor Professor: Douglas Cândido. Administrador com ênfase em Comércio Exterior pela Estácio de Sá, MBA em Gestão de Negócios Internacionais pela FGV,

Leia mais

Fiscal Configurar Impostos Fiscais

Fiscal Configurar Impostos Fiscais Fiscal Configurar Impostos Fiscais Objetivo Configurar todos os impostos que refletirão na Nota Fiscal de Saída. Pré- Requisitos As Taxas Tributárias dos Produtos devem ser devidamente cadastradas ( Fiscal

Leia mais

ANO XXVII ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 50/2016

ANO XXVII ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 50/2016 ANO XXVII - 2016 3ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 50/2016 IPI TRADING COMPANY OU COMERCIAL EXPORTADORA... Pág. 302 ICMS - RS ALÍQUOTA INTERESTADUAL DE 4%... Pág. 306 LEGISLAÇÃO - RS PORTARIA

Leia mais

Encontro 4 Tratamento Administrativo das Exportações

Encontro 4 Tratamento Administrativo das Exportações Encontro 4 Tratamento Administrativo das Exportações ENCONTRO 04 Tratamento Administrativo das Exportações Tópico 1: Contextualizando o encontro Olá! No encontro anterior você conheceu um pouco a nomenclatura

Leia mais

INTERPRETAÇÃO TÉCNICA DO IBRACON Nº 01/04

INTERPRETAÇÃO TÉCNICA DO IBRACON Nº 01/04 INTERPRETAÇÃO TÉCNICA DO IBRACON Nº 01/04 CONTABILIZAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES PARA O PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL (PIS) E PARA O FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL (COFINS) Em 31 de dezembro de 2002 e em

Leia mais

(61) EQN 102/103, Lote 1 - Asa Norte

(61) EQN 102/103, Lote 1 - Asa Norte DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO Entendendo os procedimentos do Drawback, um estímulo a mais para exportar.

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços. Reunião aberta da Câmara de Comércio Exterior FIESC

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços. Reunião aberta da Câmara de Comércio Exterior FIESC Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços Reunião aberta da Câmara de Comércio Exterior FIESC SISCOSERV Florianópolis, 19 de agosto de 2014 Cenário

Leia mais

O Sistema Harmonizado (SH) abrange:

O Sistema Harmonizado (SH) abrange: Sistema Harmonizado O Sistema Harmonizado (SH), é um método internacional de classificação de mercadorias, baseado em uma estrutura de códigos e suas respectivas descrições. Tem como objetivo padronizar

Leia mais

NORMAS DE PROCEDIMENTO PARA EMISSÃO DO CERTIFICADO DE ORIGEM DO ACE 55

NORMAS DE PROCEDIMENTO PARA EMISSÃO DO CERTIFICADO DE ORIGEM DO ACE 55 NORMAS DE PROCEDIMENTO PARA EMISSÃO DO CERTIFICADO DE ORIGEM DO ACE 55 BRASIL - MÉXICO APROVADO PELO DECRETO Nº 4.458 DE 05/11/2002 ACE55 /kb 1 Notas Explicativas 1. Declaração 1.1. As solicitações de

Leia mais