Palavras-chaves: Convenção sobre os Direitos das Criança, Leis de Infância e Adolescência na América Latina.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palavras-chaves: Convenção sobre os Direitos das Criança, Leis de Infância e Adolescência na América Latina."

Transcrição

1 VI Seminário Internacional, Direitos Humanos, Violência e Pobreza: a situação de crianças e adolescentes na América Latina - Universidade do Estado Rio de Janeiro Data: 19, 20 e 21 de outubro de 2016 Grupo de Trabalho GT V: Direitos Humanos e a questão da Violência Contra Crianças e Adolescentes na América Latina Título: A Convenção dos Direitos da Criança e as legislações protetivas infanto-juvenis na américa latina: uma análise preliminar. Autora: Gabrieli Branco Martins Titulação e Instituição: Assistente Social graduada pela Universidade Federal Fluminense. Pós-graduanda da Residência Multiprofissional em Oncologia do INCA. RESUMO: Ao longo do século XX, um dos marcos mais importantes nos direitos das crianças e adolescentes para a grande maioria dos países do mundo foi a Convenção sobre Direitos da Criança (CDC), realizada pela Assembléia Geral das Nações Unidas em Como a maioria dos países ocidentais, todos os países da América Latina assinaram e ratificaram a CDC logo após sua aprovação. Este trabalho, em suma, busca compreender a influência deste tratado internacional na elaboração das legislações protetivas para crianças e adolescentes após esta convenção na realidade latino-americana. Palavras-chaves: Convenção sobre os Direitos das Criança, Leis de Infância e Adolescência na América Latina. ABSTRACT: Throughout the twentieth century, one of the most important milestones in the rights of children and adolescents for the vast majority of the world's countries was the Convention on the Rights of the Child (CRC) held by the United Nations General Assembly in As most Western countries, all Latin American countries have signed and ratified the CRC immediately after its approval. This work, in short, seeks to understand the influence of this international treaty in the preparation of protective legislation for children and adolescents after this Convention in the Latin American reality. Keywords: Convention on the Rights of the Child, Laws of Children and Adolescents in Latin America.

2 INTRODUÇÃO A Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC) realizada pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 1989, inova na abordagem da infância e adolescência, colocando o Estado e a sociedade enquanto co-responsáveis na concepção e implementação de políticas públicas para este público, além de elaborar a concepção de criança como pessoa sob proteção, reconhecida como sujeito de direito, dotado de capacidade de viver, ter saúde, educação, vida familiar, identidade e dignidade. A ratificação da CDC em 1989 entre os países da América Latina, foi um quadro de referência importante para as leis protetivas da infância e juventude desses países. O conteúdo da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC) obedece a uma estrutura que contém uma grande lista de direitos de crianças e adolescentes. Seus princípios gerais são: a não descriminação (artigo 2º), os interesses da criança (artigo 3º), direito à vida e à sobrevivência (artigo 6º) e respeito pelos pontos de vista da criança (artigo 12 ). A pauta da Convenção sobre os Direitos da Criança foi reproduzida em muitos Códigos de Crianças e Adolescentes de diferentes países do mundo, inclusive os latino-americanos que, em sua esmagadora maioria, discorrem sobre as responsabilidades do Estado, da sociedade e das políticas de família para atender às necessidades de crianças (ROSEMBERG e MARIANO, 2010). AS LEGISLAÇÕES DA CRIANÇA NA AMÉRICA LATINA Como se pode observar na tabela abaixo, a maior parte dos códigos existentes foram emitidos a partir de 1999 ou em datas muito próximas. Apenas o Brasil, Honduras e Panamá fizeram seus códigos válidos até Os outros países, ou a emissão foi em datas posteriores ou foram duramente reformulados. Há também os casos de Cuba e Chile, cujos códigos são anteriores a CDC, o que não quer dizer que

3 não há proteção da criança, mas sim que a legislação nacional é diluída em várias políticas para defender os direitos das crianças e dos adolescentes. País Nome do Código Ano Argentina Ley de Protección Integral de la Niñez, la Adolescencia y la Familia. Ley de Protección Integral de los Derechos de las Niñas, Niños y Adolescentes y Decreto 415/ Bolívia Código del Niño, Niña y Adolescente Brasil Estatuto da Criança e do Adolescente Chile Ley Orgánica de Creación del Servicio Nacional de Menores Colômbia Código del Menor. Código de la Infancia y la Adolescencia Costa Rica Rica Código de la Niñez y la Adolescencia Cuba Código de la Infancia y la Juventud 1978 Equador Código de la Niñez y Adolescencia El Salvador Ley del Instituto Salvadoreño para el Desarrollo Integral de la Niñez y la Adolescencia. Ley de Protección Integral de la Niñez y 1993

4 Adolescencia 2009 Guatemala Ley de Protección Integral de la Niñez y Adolescencia Honduras Código de la Niñez y de la Adolescencia México Ley para la Protección de los Derechos de Niñas, Niños y Adolescentes Nicaragua Código de la Niñez y la Adolescencia Panamá Código de la Familia Paraguai Código de la Niñez y la Adolescencia 2001 Perú Código de los niños y adolescentes 2000 República Dominicana Código para el Sistema de Protección de los Derechos y fija el texto de su Ley Orgánica Uruguai Código de la Niñez y la Adolescencia 2004 Venezuela Ley Orgánica de Protección del Niño y del Adolescente Tabela 1: Legislação específica para crianças e adolescentes nos países da América Latina e ano de aprovação.

5 Embora os contextos históricos e políticos de cada país sejam diferentes, ao realizar uma leitura detalhada de cada código percebe-se um consenso em suas estruturas, uma vez que é possível identificar referências claras aos tratados internacionais - tanto sobre direitos humanos quanto sobre os direitos das crianças e adolescentes - especialmente à Convenção dos Direitos da Criança. A primeira afirmação que podemos fazer é que os códigos de infância e adolescência, no momento da sua preparação, teve muita influência do conteúdo da Convenção sobre Direitos da Criança. No que diz respeito aos princípios gerais, inclusive muitos deles fazem menção explícita à CDC. Expressamente fazem tais referências os códigos de Bolívia, Colômbia, Costa Rica, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru e República Dominicana. No entanto, há três casos em que esta declaração é muito mais geral que são os da Argentina, Uruguai e Venezuela, nesses casos a CDC é invocada como fonte de interpretação. Outro aspecto importante que atravessa todos os códigos é a questão relacionada com a definição de criança, porque apesar da Convenção sobre os Direitos da Criança conceituar como "todo ser humano com idade inferior a 18 anos", sem especificar quando começa, a maioria dos códigos dos países latino americanos, com exceção do Brasil e México, diz que a criança será considerada a partir do momento da concepção, de acordo com as tradições religiosas e regulamentos legais antiaborto. CONCLUSÃO A partir de análise documental realizada entre as legislações protetivas das crianças e adolescentes dos países da américa latina entende-se que a Convenção sobre os Direitos da Criança inspirou os códigos específicos das crianças e

6 adolescentes na realidade latino-americana, trazendo avanços em todos os países. Embora haja alguns onde têm maior consistência (Brasil, Bolívia, Colômbia, Guatemala, Uruguai e Venezuela), enquanto os demais são ambíguos quando se trata de traduzir os princípios básicos da CDC. Podemos dizer ainda, que o discurso dominante entre as leis protetivas da infância e adolescência nos diferentes países da América Latina segue, majoritariamente, o ponto de vista dos direitos humanos e da criança como sujeito de direitos. BIBLIOGRAFIA ARGENTINA. Ley de Protección Integral de la Niñez, la Adolescencia y la Familia Ley de Protección Integral de los Derechos de las Niñas, Niños y Adolescentes y Decreto 415/2006, 2005 BOLÍVIA. Código del Niño, Niña y Adolescente,1999 BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente, CHILE. Ley Orgánica de Creación del Servicio Nacional de Menores, COLOMBIA. Código del Menor Código de la Infancia y la Adolescencia.,2006 COSTA RICA. Rica Código de la Niñez y la Adolescencia, 1998 CUBA. Código de la Infancia y la Juventud, 1998 ECUADOR. Código de la Ninez y Adolescencia EL SALVADOR. Ley del Instituto Salvadoreño para el Desarrollo Integral de la Niñez y la Adolescencia, Ley de Protección Integral de la Niñez y Adolescencia, GUATEMALA. Ley de Protección Integral de la Niñez y Adolescencia, HONDURAS. Código de la Niñez y de la Adolescencia, INSTITUTO INTERAMERICANO DEL NIÑO. La Planificación de Políticas de Infancia en América Latina. Hacia un Sistema de Protección Integral y una Perspectiva de

7 Derechos, Disponível em: MEXICO. Ley para la Protección de los Derechos de Niñas, Niños y Adolescentes, NICARAGUA. Código de la Niñez y la Adolescencia, PANAMA. Código de la Familia, PARAGUAY. Código de la Niñez y la Adolescencia, PERU. Código de los niños y adolescentes, REPÚBLICA DOMINICANA. Código para el Sistema de Protección de los Derechos y fija el texto de su Ley Orgánica ROSEMBERG, Fúlvia; MARIANO, Carmem Lúcia Sussel. A Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança: debates e tensões. In: Cadernos de Pesquisa, v.40, n.141, set./dez UNICEF: Convenção sobre os Direitos da Criança. Disponivel em: URUGUAY. Código de la Niñez y la Adolescencia, VENEZUELA. Ley Orgánica de Protección del Niño y del Adolescente,2000.

Meninas casadas até os 18 anos na América Latina (%) Meninas casadas até os 15 anos (%) Bolivia (Plurinational State Costa Rica (17º) Brazil (3º)

Meninas casadas até os 18 anos na América Latina (%) Meninas casadas até os 15 anos (%) Bolivia (Plurinational State Costa Rica (17º) Brazil (3º) Nicaragua (1º) Dominican Republic (2º) Brazil (3º) Honduras (4º) Guatemala (5º) Equatorial Guinea (6º) Panama (7º) Cuba (8º) El Salvador (9º) Uruguay (10º) Colombia (11º) Guyana (12º) Mexico (13º) Ecuador

Leia mais

Trata-se aqui de uma interpretação gramatical do dispositivo invocado, uma vez que dispõe o art. 26: comprometem-se a adotar as providências

Trata-se aqui de uma interpretação gramatical do dispositivo invocado, uma vez que dispõe o art. 26: comprometem-se a adotar as providências Questão 16 Considere as seguintes assertivas: I - A Convenção Americana sobre Direitos Humanos, de 1969, não trata dos direitos econômicos, sócias e culturais, à exceção do artigo 26 que simplesmente determina

Leia mais

C. PLANO DE AÇÃO PARA O REFORÇO DAS ESTATÍSTICAS VITAIS E DE SAÚDE

C. PLANO DE AÇÃO PARA O REFORÇO DAS ESTATÍSTICAS VITAIS E DE SAÚDE - 13 - Anexo C C. PLANO DE AÇÃO PARA O REFORÇO DAS ESTATÍSTICAS VITAIS E DE SAÚDE Introdução 39. A finalidade deste documento é informar aos Órgãos Diretivos da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)

Leia mais

América Latina Caderno de atividades

América Latina Caderno de atividades TURMA: América Latina Caderno de atividades Grupo: IDH Integrantes do grupo: NOME: Nº NOME: Nº NOME: Nº NOME: Nº NOME: Nº Data de início da elaboração do mapa: / / Data de conclusão da elaboração do mapa:

Leia mais

Assembleia Plenária que desejem oferecer seu país como anfitrião da 14ª Assembleia Plenária (2017) devem completar o Formulário D

Assembleia Plenária que desejem oferecer seu país como anfitrião da 14ª Assembleia Plenária (2017) devem completar o Formulário D Anúncio de eleições Cargo Conselho de Administração Presidente/a Vice-presidente/a Representante da América Central Representante do Caribe Representante do Caribe Representante da América do Sul Representante

Leia mais

Assembleia Plenária que desejem oferecer seu país como anfitrião da 14ª Assembleia Plenária (2017) devem completar o Formulário D

Assembleia Plenária que desejem oferecer seu país como anfitrião da 14ª Assembleia Plenária (2017) devem completar o Formulário D Anúncio de eleições Cargo Conselho de Administração Presidente/a Vice-presidente/a do Norte do Norte Central Representante do Caribe Representante do Caribe do Sul do Sul País Anfitrião da 13ª Assembleia

Leia mais

Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem

Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem economicamente? Thomas J Trebat Centro de Estudos Brasileiros Columbia University Junho de 2011 Uma visão mais favorável sobre

Leia mais

Saúde e Crescimento Econômico na América Latina

Saúde e Crescimento Econômico na América Latina Saúde e Crescimento Econômico na América Latina Associações com o Informe sobre Investimento em Saúde e Crescimento Econômico André Medici - LCSHH Banco Mundial 1 2 Sumário Saúde e crescimento da economia

Leia mais

Criminalidade no Brasil

Criminalidade no Brasil Criminalidade no Brasil Instituto Avante Brasil Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenação e elaboração de pesquisa: Flávia Mestriner Botelho CRIMINALIDADE NO BRASIL De acordo com um levantamento

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina DIVISÃO CENTRAL DE MARISTELA CRISTINA MARTINS

Universidade Estadual de Londrina DIVISÃO CENTRAL DE MARISTELA CRISTINA MARTINS DIVISÃO CENTRAL DE ESTÁGIOS E INTERCÂMBIOS MARISTELA CRISTINA MARTINS Estágios ESTÁGIO CURRICULAR LEI N 11.788 DE 25 DE SETEMBRO DE 2008 ESTÁGIO NA UEL DIREITO DO ESTAGIÁRIO ASSINATURA DO TERMO DE COMPROMISSO

Leia mais

Zheng Bingwen, Professor & Director-General

Zheng Bingwen, Professor & Director-General ILAS CASS & IBRE FGV Seminar MIDDLE INCOME TRAP: PERSPECTIVES OF BRAZIL AND CHINA Ultrapassando a Armadilha da Renda Média : Vantagens e Desafios da China comparativo com América Latina (abertura 10 minutos)

Leia mais

TRATADO DE CRIAÇÃO DO CONSELHO IBERO-AMERICANO DO DESPORTO. Resolução da Assembleia da República n.º 31/2000

TRATADO DE CRIAÇÃO DO CONSELHO IBERO-AMERICANO DO DESPORTO. Resolução da Assembleia da República n.º 31/2000 TRATADO DE CRIAÇÃO DO CONSELHO IBERO-AMERICANO DO DESPORTO Resolução da Assembleia da República n.º 31/2000 TRATADO DE CRIAÇÃO DO CONSELHO IBERO-AMERICANO DO DESPORTO...4 ESTATUTOS DO CONSELHO IBERO-AMERICANO

Leia mais

MEDIA KIT. Encontre-nos:

MEDIA KIT. Encontre-nos: MEDIA KIT 2017 Encontre-nos: AméricaEconomia é a única revista que chega a toda América Latina. São mais de 120 mil leitores da revista impressa na América Latina. Com mais de 30 anos de experiência na

Leia mais

Introdução à comunicação científica em saúde. Bases de dados e índices bibliográficos internacionais e nacionais

Introdução à comunicação científica em saúde. Bases de dados e índices bibliográficos internacionais e nacionais Introdução à comunicação científica em saúde. Bases de dados e índices bibliográficos internacionais e nacionais Seminário eportuguêse Como melhorar o acesso à informação científica e técnica em saúde

Leia mais

SIREVA no Brasil: funcionamento apresentação de dados

SIREVA no Brasil: funcionamento apresentação de dados SIREVA no Brasil: funcionamento apresentação de dados SIREVA: Sistema Regional de Vacinas OPAS, WDC Maria Cristina de Cunto Brandileone Instituto Adolfo Lutz São Paulo Outubro, 2007 IAL Objetivo Geral

Leia mais

VII. VIAGENS DO SECRETÁRIO-GERAL E DO SECRETÁRIO-GERAL ADJUNTO

VII. VIAGENS DO SECRETÁRIO-GERAL E DO SECRETÁRIO-GERAL ADJUNTO VII. VIAGENS DO SECRETÁRIO-GERAL E DO SECRETÁRIO-GERAL ADJUNTO Viagens do Secretário-Geral Visita oficial à Espanha e participação no ciclo de conferências Iberoamérica: discursos claves, auspiciado pela

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

INTERCAMBISTAS NO RIO GRANDE DO SUL

INTERCAMBISTAS NO RIO GRANDE DO SUL C R E M E R S INTERCAMBISTAS NO RIO GRANDE DO SUL Total de Intercambistas atualmente no RS: 1010 (mil e dez) Informações sobre a localização dos intercambistas, por Delegacias Seccionais: Delegacia Seccional

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS. ESPANHA COMO PLATAFORMA E DESTINO DE INVESTIMENTO.

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS. ESPANHA COMO PLATAFORMA E DESTINO DE INVESTIMENTO. INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS BRASILEIRAS. ESPANHA COMO PLATAFORMA E DESTINO DE INVESTIMENTO. RIO DE JANEIRO, 29 DE SETEMBRO DE 2015. SÃO PAULO, 1 DE OUTUBRO DE 2015. ESPANHA COMO DESTINO DE INVESTIMENTO

Leia mais

4º Seminário A Responsabilidade Social com Foco nos Stakeholderes Abrares. Elvira Cruvinel Ferreira Ventura

4º Seminário A Responsabilidade Social com Foco nos Stakeholderes Abrares. Elvira Cruvinel Ferreira Ventura Responsabilidade d Social e Inclusão Financeira: projetos estratégicos do Banco Central do Brasil 4º Seminário A Responsabilidade Social com Foco nos Stakeholderes Abrares RJ, outubro de 2009 Elvira Cruvinel

Leia mais

48% dos jovens ibero-americanos encara o voluntariado como uma mais-valia para quem procura emprego. 51% já realizou algum tipo de voluntariado

48% dos jovens ibero-americanos encara o voluntariado como uma mais-valia para quem procura emprego. 51% já realizou algum tipo de voluntariado Opinião dos jovens sobre a importância do voluntariado 48% dos jovens ibero-americanos encara o voluntariado como uma mais-valia para quem procura emprego 51% já realizou algum tipo de voluntariado 95%

Leia mais

Relatório e Contas da AIA-CTS 2014 e 2015

Relatório e Contas da AIA-CTS 2014 e 2015 Relatório e Contas da AIA-CTS 2014 e 2015 I. Relatório de Atividades A Associação Ibero-Americana CTS na Educação em Ciência (AIA-CTS) é uma associação científica de direito privado, sem fins lucrativos

Leia mais

Revista de negócios líder na América Latina. Informação de líder para líder.

Revista de negócios líder na América Latina. Informação de líder para líder. Revista de negócios líder na América Latina. Informação de líder para líder. AméricaEconomia Brasil AméricaEconomia é a única revista brasileira que oferece cobertura econômica da América Latina em contexto

Leia mais

Impacto do envelhecimento no setor saúde na América Latina: desafios e oportunidades

Impacto do envelhecimento no setor saúde na América Latina: desafios e oportunidades Impacto do envelhecimento no setor saúde na América Latina: desafios e oportunidades Paulo M. Saad CELADE-Divisao de Populacao da CEPAL Envelhecimento Populacional: Ações e Desafios para o Sistema de Saúde

Leia mais

A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT)

A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT) A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT) É A AGÊNCIA PÚBLICA NACIONAL PARA A INVESTIGAÇÃO E A INOVAÇÃO EM PORTUGAL WWW.FCT.PT A VISÃO DA FCT É: TORNAR PORTUGAL UMA REFERÊNCIA MUNDIAL EM CIÊNCIA,

Leia mais

AS OBRAS CARITATIVAS DE JOÃO PAULO II EM 2004

AS OBRAS CARITATIVAS DE JOÃO PAULO II EM 2004 "Brilhe a vossa luz!" PERGUNTE E RESPONDEREMOS 518 agosto 2005 AS OBRAS CARITATIVAS DE JOÃO PAULO II EM 2004 Em síntese: Anualmente a Santa Sé publica o relatório da aplicação do dinheiro que o Papa recebe

Leia mais

Amizade Autêntica OPEN CALL - CONvOCAtóriA

Amizade Autêntica OPEN CALL - CONvOCAtóriA Amizade Autêntica OPEN CALL - Convocatória ENQUADRAMENTO Considerada uma das mais relevantes cidades europeias no âmbito da produção plástica em graffiti e street art, Lisboa vai acolher a 2ª edição do

Leia mais

Consideras a possibilidade de trabalhar no estrangeiro?

Consideras a possibilidade de trabalhar no estrangeiro? Inquérito Universia e Trabalhando 94% dos jovens portugueses considera a possibilidade de trabalhar no estrangeiro Lisboa, 29 de Novembro de 2012. O Universia Portugal (http://), a rede de universidades

Leia mais

A Transição da Economia Informal à Economia Formal: o Cenário Internacional

A Transição da Economia Informal à Economia Formal: o Cenário Internacional A Transição da Economia Informal à Economia Formal: o Cenário Internacional Peter Poschen Diretor, Departamento de Empresas, OIT Seminário SEBRAE OIT Brasilia, 6 de Maio 2014 1 Conteúdos Economia informal

Leia mais

Formação dos Estados e do Poder. Economia e guerra na formação dos Estados latino-americanos. Prof.: Rodrigo Cantu

Formação dos Estados e do Poder. Economia e guerra na formação dos Estados latino-americanos. Prof.: Rodrigo Cantu Formação dos Estados e do Poder Economia e guerra na formação dos Estados latino-americanos Prof.: Rodrigo Cantu 50 45 40 Carga tributária (2001): Países da OCDE vs América Latina 35 30 25 20 15 10 5 0

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL CONSIDERANDO:

DECLARAÇÃO FINAL CONSIDERANDO: DECLARAÇÃO FINAL As Ministras, Ministros e Responsáveis de na América Latina, reunidos na Conferência de Ministros da realizada na cidade de Medellín, Colômbia, reiteramos nosso compromisso para construir

Leia mais

UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA CRISTIANE TEREZA COSTA

UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA CRISTIANE TEREZA COSTA UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA CRISTIANE TEREZA COSTA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE COMO SUJEITOS DE DIREITOS: OS REFLEXOS JURÍDICOS DA CONVENÇÃO INTERNACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA NO ESTATUTO DA

Leia mais

9. América Latina: lutas pela emancipação política. Páginas 04 à 17.

9. América Latina: lutas pela emancipação política. Páginas 04 à 17. 9. América Latina: lutas pela emancipação política Páginas 04 à 17. Mas por que essa parte da América é denominada latina? TROCA DE IDEIAS LEITURA DO TEXTO PÁGINA 04. QUESTÕES 1 e 2 PÁGINA 05. América

Leia mais

Competitividade na indústria brasileira e momento econômico. Ricardo L. C. Amorim Especialista em Análise Econômica da ABDI

Competitividade na indústria brasileira e momento econômico. Ricardo L. C. Amorim Especialista em Análise Econômica da ABDI Competitividade na indústria brasileira e momento econômico Ricardo L. C. Amorim Especialista em Análise Econômica da ABDI Julho/2016 Evolução do PIB a preços de mercado (em US$ correntes) Fonte: World

Leia mais

53 o CONSELHO DIRETOR 66 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL DA OMS PARA AS AMÉRICAS

53 o CONSELHO DIRETOR 66 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL DA OMS PARA AS AMÉRICAS 53 o CONSELHO DIRETOR 66 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL DA OMS PARA AS AMÉRICAS Washington, D.C., EUA, 29 de setembro a 3 de outubro de 2014 Tema 8.6 da Agenda Provisória CD53/INF/6 18 de agosto de 2014 Original:

Leia mais

Ecoclubes. Juventude no Presente

Ecoclubes. Juventude no Presente Ecoclubes Juventude no Presente A Visão Procura-se jovem com um profundo desejo de mudar o mundo Espaço de participação juvenil, onde se promove a capacitação e organização dos jovens para que se assumam

Leia mais

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 Tabela 3.26 - ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 ALUNOS REGULARES / UNIDADE ALEMANHA - - - - - 1 - - - - 1 - - - - - - - - - 2 ANGOLA - - - - - - - 1-1 -

Leia mais

CONVENÇÕES RELATIVAS AO RECONHECIMENTO DE HIPOTECAS MARITIMAS ESTRANGEIRAS

CONVENÇÕES RELATIVAS AO RECONHECIMENTO DE HIPOTECAS MARITIMAS ESTRANGEIRAS CONVENÇÕES RELATIVAS AO RECONHECIMENTO DE HIPOTECAS MARITIMAS ESTRANGEIRAS CAMILA MENDES VIANNA CARDOSO Sócia 2 DE SETEMBRO DE 2016 CONVENÇÕES RELATIVAS AO RECONHECIMENTO DE HIPOTECAS MARITIMAS ESTRANGEIRAS

Leia mais

Español en Toledo ESTO Cursos de Espanhol para Estrangeiros PROGRAMA ESTO

Español en Toledo ESTO Cursos de Espanhol para Estrangeiros PROGRAMA ESTO PROGRAMA ESTO 2017 POR QUE PARTICIPAR DE UM INTERCÂMBIO? Aprendizado Intercultural; Conhecimento de outra língua; Oportunidade de conhecer pessoas de outros países; Enriquecimento pessoal e profissional;

Leia mais

Convenções sobre Segurança Social

Convenções sobre Segurança Social www.pwc.com Convenções sobre Segurança Social Carla Matos 8 Universidade Católica Portuguesa - Lisboa Porque surgem as convenções de Segurança Social? Processo de industrialização originou a deslocação

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDÉIAS PARA A DENOMINAÇÃO DA ALIANÇA IBERO-AMERICANA PARA A MOBILIDADE

REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDÉIAS PARA A DENOMINAÇÃO DA ALIANÇA IBERO-AMERICANA PARA A MOBILIDADE REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDÉIAS PARA A DENOMINAÇÃO DA ALIANÇA IBERO-AMERICANA PARA A MOBILIDADE ANTECEDENTES A mobilidade internacional de estudantes, professores e investigadores traz vantagens acadêmicas,

Leia mais

mensário estatístico - exportação Fevereiro 2011 ALCOOL ETILICO

mensário estatístico - exportação Fevereiro 2011 ALCOOL ETILICO mensário estatístico - ALCOOL ETILICO CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido, distribuído

Leia mais

Emissões de CO 2 na geração de energia

Emissões de CO 2 na geração de energia Emissões de CO 2 na geração de energia São Paulo, 03 de junho de 2008 Danielle Magalhães Ministério da Ciência e Tecnologia Coordenação-Geral de Mudança Global de Clima Compromissos dos Países na Convenção-Quadro

Leia mais

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio Camila Sande Especialista em Negociações CNA 16 de junho de 2016 Agronegócio consumo doméstico e exportação Exportação Consumo Doméstico

Leia mais

Indexação de periódicos científicos em bases de dados

Indexação de periódicos científicos em bases de dados Indexação de periódicos científicos em bases de dados Fabiana Montanari Lapido Unidade SciELO Oficina para Editores Científicos (SES-SP) São Paulo, 2 de dezembro de 2009 Tópicos Introdução Bases de dados

Leia mais

Monitoring Brazilian FDI in Latin America

Monitoring Brazilian FDI in Latin America Monitoring Brazilian FDI in Latin America About us A Research Center which seeks to generate and disseminate knowledge about internationalization process of Brazilian firms. Products Scanning of Brazilian

Leia mais

Apoio do BNDES às Exportações

Apoio do BNDES às Exportações Apoio do BNDES às Exportações ABINEE São Paulo outubro/2015 Classificação: Documento Ostensivo - Unidade Gestora AEX Objetivos Objetivos Apoiar a exportação de bens e serviços de alto valor agregado; Aumentar

Leia mais

erikammartins@gmail.com

erikammartins@gmail.com Erika Moreira Martins Doutoranda PPGE/FE/UNICAMP erikammartins@gmail.com O Todos Pela Educação não é um projeto de uma organização específica, mas sim um projeto de Nação. É uma união de esforços, em que

Leia mais

Introduction to Latin American Economies. Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP

Introduction to Latin American Economies. Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP Introduction to Latin American Economies Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP América Latina México América Central Guianas América Andina América Platina Brasil México América Latina México América Central

Leia mais

Biblioteca Virtual em Saúde e o controle bibliográfico da produção científica da América Latina e Caribe: o sistema de bases de dados LILACS

Biblioteca Virtual em Saúde e o controle bibliográfico da produção científica da América Latina e Caribe: o sistema de bases de dados LILACS Anexo 2 BIREME/OPAS/OMS Biblioteca Virtual em Saúde e o controle bibliográfico da produção científica da América Latina e Caribe: o sistema de bases de dados LILACS O núcleo principal da produção científico

Leia mais

Coletiva de Imprensa Lançamento Sistema de Informação Estatística sobre TIC do OSILAC/CEPAL. Mariana Balboni osilac@cepal.org

Coletiva de Imprensa Lançamento Sistema de Informação Estatística sobre TIC do OSILAC/CEPAL. Mariana Balboni osilac@cepal.org Coletiva de Imprensa Lançamento Sistema de Informação Estatística sobre TIC do OSILAC/CEPAL Mariana Balboni osilac@cepal.org Agenda I. Programa Sociedade da Informação II. Sistema de Informação estatística

Leia mais

América. Divisões: 35 países e 18 dependências. População total: habitantes.

América. Divisões: 35 países e 18 dependências. População total: habitantes. América Divisões: 35 países e 18 dependências. Área total: 42.189.120 km². População total: 902.892.047 habitantes. Densidade: 21 hab./km². Idiomas principais: espanhol, inglês, português, francês, holandês,

Leia mais

B 32: CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS "PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA"

B 32: CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA B 32: CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS "PACTO DE SAN JOSÉ DA COSTA RICA" (Assinada em San José, Costa Rica, em 22 de novembro de 1969, na Conferência Especializada Interamericana sobre Direitos

Leia mais

ATA DE CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES

ATA DE CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES Linha Temática A A CONSOLIDAÇÃO DA PAZ, DA CONFIANÇA, DA SEGURANÇA E DA COOPERAÇÃO NAS AMÉRICAS Subtema I Desenvolver Mecanismos para Fortalecer a Paz, a Segurança e a Cooperação no Hemisfério Equador

Leia mais

MAYORS CHALLENGE 2016 América Latina e Caribe

MAYORS CHALLENGE 2016 América Latina e Caribe MAYORS CHALLENGE 2016 América Latina e Caribe Uma competição para cidades da América Latina e do Caribe que visa gerar novas ideias de impacto que resolvam desafios urbanos e melhorem a vida nas cidades

Leia mais

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL SEGUNDA GUERRA MUNDIAL 1939-45 11/3/2010 TIS 1 CLC_7 FERNANDO GUITA GRUPO: JOÃO ALEXANDRE, TOMÉ E THEODORE DEFINIÇÃO A segunda guerra mundial foi um acontecimento que teve impacto no mundo inteiro. 11/3/2010

Leia mais

ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS 1 ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS Ernesto Friedrich de Lima Amaral 28 de setembro de 2011 Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia Departamento de Sociologia e Antropologia

Leia mais

Panorama da Educação Superior na América Latina e Caribe:

Panorama da Educação Superior na América Latina e Caribe: Panorama da Educação Superior na América Latina e Caribe: a importância da expansão quantitativa e qualitativa da pesquisa e da pós-graduação ANA LÚCIA GAZZOLA OUTUBRO 2008 Cenáriosda da Educação Superior

Leia mais

RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2009 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC)

RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2009 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2009 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) Referências ao Brasil Uso de drogas entre jovens Na América do Sul, dados comparativos sobre tendência

Leia mais

BIREME/OPAS/OMS Comitê Assessor Nacional do Convênio de Manutenção da BIREME I Reunião do ano 2004, BIREME, São Paulo, 06 de agosto de 2004

BIREME/OPAS/OMS Comitê Assessor Nacional do Convênio de Manutenção da BIREME I Reunião do ano 2004, BIREME, São Paulo, 06 de agosto de 2004 BIREME/OPAS/OMS Comitê Assessor Nacional do Convênio de Manutenção da BIREME I Reunião do ano 2004, BIREME, São Paulo, 06 de agosto de 2004 Anexo 2 Biblioteca Virtual em Saúde e o controle bibliográfico

Leia mais

B. IMPLANTAÇÃO DA ESTRATÉGIA MUNDIAL E DO PLANO DE AÇÃO SOBRE SAÚDE PÚBLICA, INOVAÇÃO E PROPRIEDADE INTELECTUAL

B. IMPLANTAÇÃO DA ESTRATÉGIA MUNDIAL E DO PLANO DE AÇÃO SOBRE SAÚDE PÚBLICA, INOVAÇÃO E PROPRIEDADE INTELECTUAL Página 6 B. IMPLANTAÇÃO DA ESTRATÉGIA MUNDIAL E DO PLANO DE AÇÃO SOBRE SAÚDE PÚBLICA, INOVAÇÃO E PROPRIEDADE INTELECTUAL 17. Neste relatório de progresso se destina a oferecer uma visão integral da maneira

Leia mais

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS PROF. DE GEOGRAFIA: BIANCA 1º TRIM - GEOGRAFIA 2016 INTRODUÇÃO Para a formação dos blocos econômicos, os países firmam acordos comerciais, estabelecendo medidas que visam

Leia mais

Regras Especiais de Procedimento para o Comitê de Políticas Especiais e Descolonização (SpecPol)

Regras Especiais de Procedimento para o Comitê de Políticas Especiais e Descolonização (SpecPol) Regras Especiais de Procedimento para o Comitê de Políticas Especiais e Descolonização (SpecPol) 1. Fluxo do debate 1.1. No debate formal, o tempo limite para discurso será de 2 (dois) minutos. 1.2. Nos

Leia mais

Projeto Simon: Medindo a conec*vidade entre paises. Darío Gómez, dario @ lacnic.net

Projeto Simon: Medindo a conec*vidade entre paises. Darío Gómez, dario @ lacnic.net Projeto Simon: Medindo a conec*vidade entre paises Darío Gómez, dario @ lacnic.net Projecto Simon Os Começos O projeto começou em 2009 como um esforço colabora*vo, aberto e que procura a integração da

Leia mais

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas.

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas. BRIEF INSTITUCIONAL 2015 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

154 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO

154 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO 154 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO Washington, D.C., EUA, 16 a 20 junho 2014 Tema 7.6 da Agenda Provisória CE154/INF/6 9 abril 2014 Original: espanhol C. PLANO DE AÇÃO PARA ACELERAR A REDUÇÃO DA MORTALIDADE

Leia mais

O ESTUDO PRÉVIO DE IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL Á LUZ DA CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS: REQUISITOS E LIMITAÇÕES

O ESTUDO PRÉVIO DE IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL Á LUZ DA CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS: REQUISITOS E LIMITAÇÕES O ESTUDO PRÉVIO DE IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL Á LUZ DA CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS: REQUISITOS E LIMITAÇÕES Tamires da Silva Lima 1 RESUMO O presente trabalho tem por objeto de estudo uma

Leia mais

Programa Comex Infoco. Tema: Potenciais de Exportação para a América Latina

Programa Comex Infoco. Tema: Potenciais de Exportação para a América Latina Programa Comex Infoco Tema: Potenciais de Exportação para a América Latina Apresentação do Professor Professor Lellis Pós graduado em Gestão de empresas e docência pela FGV, ampla vivência comercial na

Leia mais

Censo do Setor de TI Principais Resultados

Censo do Setor de TI Principais Resultados Censo do Setor de TI Principais Resultados 2013-2015 Introdução Histórico do Censo Processo iniciado em 2010 Planejamento Estratégico Assespro Com plano de internacionalização 2011: estruturação inicial

Leia mais

AVISO DO PRODUTO. Anomalia na pré-carga de inversores CA PowerFlex 753 e 755

AVISO DO PRODUTO. Anomalia na pré-carga de inversores CA PowerFlex 753 e 755 Product Safety Group 1201 South Second Street Milwaukee, WI EUA 53204 productsafety@ra.rockwell.com AVISO DO PRODUTO Aviso sobre possível problema com o produto A Rockwell Automation emite um Aviso do

Leia mais

+138MM LÍDER DE MERCADO. de usuários registrados. 1.6 BI 479 MM

+138MM LÍDER DE MERCADO. de usuários registrados. 1.6 BI 479 MM AUTOMOTIVO LÍDER DE MERCADO Somos a empresa de tecnologia líder no desenvolvimento de soluções de comércio eletrônico na América Latina desde 1999. México Guatemala Panamá Colômbia República Dominicana

Leia mais

AMBEV DIVULGA INFORMAÇÕES FINANCEIRAS NÃO AUDITADAS DE 2008 EM IFRS

AMBEV DIVULGA INFORMAÇÕES FINANCEIRAS NÃO AUDITADAS DE 2008 EM IFRS Bovespa (São Paulo) NYSE (Nova Iorque) AMBV4 Preferenciais AMBV3 Ordinárias ABV Preferenciais ABVc Ordinárias AMBEV DIVULGA INFORMAÇÕES FINANCEIRAS NÃO AUDITADAS DE 2008 EM IFRS São Paulo, 30 de junho

Leia mais

AVISO DO PRODUTO Aviso sobre um possível problema com o produto

AVISO DO PRODUTO Aviso sobre um possível problema com o produto Grupo de segurança de produto 1201 South Second Street Milwaukee, WI EUA 53204 productsafety@ra.rockwell.com AVISO DO PRODUTO Aviso sobre um possível problema com o produto Cód. cat. 20A, inversor CA PowerFlex

Leia mais

Título do relatório/ publicação, ano Hidden in plain sight: a statistical analysis of violence against children, 2014.

Título do relatório/ publicação, ano Hidden in plain sight: a statistical analysis of violence against children, 2014. Síntese de relatórios sobre o tema Anexo do paper Vitimização fatal de crianças no espaço público em decorrência da violência interpessoal comunitária: um diagnóstico da magnitude e contextos de vulnerabilidade

Leia mais

Taxas de Retorno, Custos e Investimentos em Educação no Brasil e na América Latina

Taxas de Retorno, Custos e Investimentos em Educação no Brasil e na América Latina Taxas de Retorno, Custos e Investimentos em Educação no Brasil e na América Latina Autoria: Fabio Alvim Klein Resumo: O presente artigo discute as limitações do uso de cálculos de taxas internas de retorno

Leia mais

INDICADORES PARA A INCLUSÃO DIGITAL NO BRASIL E AMÉRICA LATINA

INDICADORES PARA A INCLUSÃO DIGITAL NO BRASIL E AMÉRICA LATINA INDICADORES PARA A INCLUSÃO DIGITAL NO BRASIL E AMÉRICA LATINA 8 de junho de 2006 Porto Alegre V Oficina para a Inclusão Digital Comitê Gestor da Internet no Brasil Agenda O que é o CGI.br ID na América

Leia mais

CONVENÇÃO INTERAMERICANA PARA A ELIMINAÇÃO DE TODAS AS FORMAS DE DISCRIMINAÇÃO CONTRA AS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA

CONVENÇÃO INTERAMERICANA PARA A ELIMINAÇÃO DE TODAS AS FORMAS DE DISCRIMINAÇÃO CONTRA AS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA http://www.oas.org/juridico/portuguese/treaties/a-65.htm CONVENÇÃO INTERAMERICANA PARA A ELIMINAÇÃO DE TODAS AS FORMAS DE DISCRIMINAÇÃO CONTRA AS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA OS ESTADOS PARTES NESTA

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL PROGRAMA ARCUS. INTEGRAÇÃO POLÍTICA E ECONOMICA DA AMÉRICA DO SUL Intercâmbios Universitários Brasil-Chile-França

SEMINÁRIO INTERNACIONAL PROGRAMA ARCUS. INTEGRAÇÃO POLÍTICA E ECONOMICA DA AMÉRICA DO SUL Intercâmbios Universitários Brasil-Chile-França SEMINÁRIO INTERNACIONAL PROGRAMA ARCUS INTEGRAÇÃO POLÍTICA E ECONOMICA DA AMÉRICA DO SUL Intercâmbios Universitários Brasil-Chile-França O Brasil e a América do Sul: Cenários Geopolíticos e os Desafios

Leia mais

R E M J A VIII lia,, Brasil

R E M J A VIII lia,, Brasil R E M J A VIII Brasília lia,, Brasil 24, 25 e 26 de fevereiro de 2010 Sumário da apresentação I. O Proceso das REMJA e sua Institucionalização II. As REMJA: um proceso com resultados concretos III. O tema

Leia mais

RESOLUÇÃO TJ/OE/RJ Nº11/2016 (TEXTO CONSOLIDADO)

RESOLUÇÃO TJ/OE/RJ Nº11/2016 (TEXTO CONSOLIDADO) RESOLUÇÃO TJ/OE/RJ Nº11/2016 (TEXTO CONSOLIDADO) Dispõe sobre a reorganização e consolidação da Coordenadoria Judiciária de Articulação das Varas da Infância e da Juventude e do Idoso do Tribunal de Justiça

Leia mais

PANEL Dinâmica Demográfica y su Consideración en las Políticas Públicas

PANEL Dinâmica Demográfica y su Consideración en las Políticas Públicas PANEL Dinâmica Demográfica y su Consideración en las Políticas Públicas Eduardo L.G. Rios-Neto Cedeplar/UFMG CNPD SEMINÁRIO REGIONAL- Avances y Acciones Clave para la Implementación del Programa de Acción

Leia mais

THE UNITED NATIONS WORLD WATER ASSESSMENT PROGRAMME

THE UNITED NATIONS WORLD WATER ASSESSMENT PROGRAMME THE UNITED NATIONS WORLD WATER ASSESSMENT PROGRAMME Encarando os desafios JUNTOS PARA UM MUNDO SUSTENTÁVEL Angela R. C. Ortigara UN WWAP UNESCO Foz do Iguaçu, 18 de Março de 2016 Família UNESCO para a

Leia mais

POLIONU LISTA DE PAÍSES

POLIONU LISTA DE PAÍSES AGH Bolívia 2 Brasil 2 Chile 2 China 2 Colômbia 2 Cuba 2 Equador 2 Espanha 2 Estados Unidos da América 2 França 2 Honduras 2 Israel 2 Itália 2 México 2 Nigéria 2 Panamá 2 Peru 2 Reino Unido 2 Senegal 2

Leia mais

Declaração de Montevidéu. Os representantes das instituições dos países abaixo- assinados reunidos em Montevidéu, os dias 22,23 e 24 de outubro 2012.

Declaração de Montevidéu. Os representantes das instituições dos países abaixo- assinados reunidos em Montevidéu, os dias 22,23 e 24 de outubro 2012. Declaração de Montevidéu VI Encontro Ibero- americano de Museus: Museu: território de conflitos? Olhar contemporâneo aos 40 anos da Mesa redonda do Santiago do Chile Montevidéu, 22, 23 e 24 de outubro

Leia mais

O Presente e Futuro do Setor Florestal Brasileiro XIV Seminário de Atualização sobre Sistemas de Colheita de Madeira e Transporte Florestal

O Presente e Futuro do Setor Florestal Brasileiro XIV Seminário de Atualização sobre Sistemas de Colheita de Madeira e Transporte Florestal O Presente e Futuro do Setor Florestal Brasileiro XIV Seminário de Atualização sobre Sistemas de Colheita de Madeira e Transporte Florestal Miguel Sampol Pou Diretor Geral, Klabin S.A. Curitiba, PR Agosto

Leia mais

Educação + Diversão = Ciência Divertida

Educação + Diversão = Ciência Divertida Quem Somos? Cência Divertida é a empresa líder em atividades interativas e oficinas para crianças entre 04 e 17 anos. Nossos programas educativos estão focados no Meio Ambiente, Nutrição, Astronomia, Saúde

Leia mais

The clients guide to the region s leading law firms

The clients guide to the region s leading law firms The clients guide to the region s leading law firms Editorial submission request Brasil You can also download submission guidelines on Argentina, Bolivia, Chile, Colombia, Costa Rica, Dominican Republic,

Leia mais

A presente Ata e seus Anexos ficam Ad Referendum da Delegação da Venezuela, nos termos da Dec.CMC N 4/93 e da Res. GMC N 26/01.

A presente Ata e seus Anexos ficam Ad Referendum da Delegação da Venezuela, nos termos da Dec.CMC N 4/93 e da Res. GMC N 26/01. MERCOSUL/RAADDHH/GTP-NIÑ@SUR/ATA N 04/06 IV REUNIÃO DO GRUPO DE TRABALHO PERMANENTE PARA A COORDENAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DAS AÇÕES RELATIVAS À INICIATIVA NIÑ@SUR PARA A PROMOÇÃO E PROTEÇÃO DOS DIREITOS DA

Leia mais

Acordos Internacionais de Previdência Social no âmbito do MERCOSUL

Acordos Internacionais de Previdência Social no âmbito do MERCOSUL Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Distrito Federal Congresso Sulamericano de Integração Jurídica Acordos Internacionais de Previdência Social no âmbito do MERCOSUL LEANDRO MADUREIRA SILVA SUBCOORDENADOR

Leia mais

Código de conduta de fornecedores

Código de conduta de fornecedores Código de conduta de fornecedores Código de Conduta de Fornecedores 1 Caro fornecedor: A Cargill atua no mercado de maneira ética e responsável. Ser confiável implica ter integridade em todas as relações

Leia mais

DEZEMBRO 2014 INFORMATIVO DAS EXPORTAÇÕES DE ROCHAS

DEZEMBRO 2014 INFORMATIVO DAS EXPORTAÇÕES DE ROCHAS INFORMATIVO DAS EXPORTAÇÕES DE ÍNDICE: 1. Exportações Brasileiras de Rochas dezembro 2013 x 2014 Pg.02 2. Exportações Capixabas Rochas dezembro 2013 x 2014 Pg.02 3. Participação das Exportações Capixabas

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA SÉRIE ORGANIZAÇÕES CAMPONESAS

APRESENTAÇÃO DA SÉRIE ORGANIZAÇÕES CAMPONESAS APRESENTAÇÃO DA SÉRIE ORGANIZAÇÕES CAMPONESAS Esta série contempla documentação das organizações de camponeses da América Hispânica. São documentos de organizações da Colômbia, Chile, Costa Rica, República

Leia mais

ARQUIVO MÁRIO SOARES

ARQUIVO MÁRIO SOARES ARQUIVO MÁRIO SOARES PASTA N.º 2106,002 Imagem n.º: 2 Tipo de Documento: Separador Título: Descrição: Nota de arquivo: Reunião dos Dirigentes Políticos da Europa e América em prol da Solidariedade Democrática

Leia mais

AVISO DO PRODUTO. Inversores CA PowerFlex 753 e 755 Anomalia de sobreposição de parâmetro com seu padrão

AVISO DO PRODUTO. Inversores CA PowerFlex 753 e 755 Anomalia de sobreposição de parâmetro com seu padrão Product Safety Group 1201 South Second Street Milwaukee, WI EUA 53204 productsafety@ra.rockwell.com AVISO DO PRODUTO Aviso sobre possível problema com o produto A Rockwell Automation emite um Aviso do

Leia mais

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas.

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas. BRIEF COMERCIAL 2015 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

JUNHO 2015 INFORMATIVO DAS EXPORTAÇÕES DE ROCHAS

JUNHO 2015 INFORMATIVO DAS EXPORTAÇÕES DE ROCHAS INFORMATIVO DAS EXPORTAÇÕES DE ÍNDICE: 1. Exportações Brasileiras de Rocha Pg.02 2. Exportações Capixabas Rochas Pg.02 3. Participação das Exportações Capixabas Pg.02 4. Exportações Brasileiras de Rochas

Leia mais

Perspectivas da Comunidade Energética no Mundo e na América Latina

Perspectivas da Comunidade Energética no Mundo e na América Latina Perspectivas da Comunidade Energética no Mundo e na América Latina FURNAS, 29/08/2012 Desafios da Indústria Elétrica na América Latina É natural pensar na interligação da região! Sob o ponto de vista energético,

Leia mais

Os desafios da intermediação financeira no setor informal

Os desafios da intermediação financeira no setor informal Os desafios da intermediação financeira no setor informal VI Seminário Banco Central de Microfinanças 14.06.2007 Porto Alegre - RS Dinheiro, segundo o provérbio, chama dinheiro. Quando se tem um pouco,

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE AGOSTO 2012 FRANCA 01) População 02) Piso salarial do sapateiro 03) Número de funcionários na indústria de calçados 04) Admissões e demissões do setor calçadista

Leia mais

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO 1. 2. 3. 4. Unidade 2 a) A globalização pode ser entendida como o conjunto de transformações recentes na economia do planeta. (V) b) O processo de

Leia mais