Mistura: material formado por duas ou mais substâncias, sendo cada uma destas denominada componente.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mistura: material formado por duas ou mais substâncias, sendo cada uma destas denominada componente."

Transcrição

1 SOLUÇÕES

2 Mistura: material formado por duas ou mais substâncias, sendo cada uma destas denominada componente. Fase: numa mistura, é cada uma das porções que apresenta aspecto homogéneo ou uniforme. CLASSIFICAÇÃO DAS MISTURAS Mistura homogénea: toda mistura que apresenta uma única fase. Mistura heterogénea: toda mistura que apresenta pelo menos duas fases.

3 EXEMPLOS Água (H 2 O) + açúcar dissolvido (C 12 H 22 O 11 ) Aspecto visual contínuo uma única fase Óleo (C x H y ) + água (H 2 O) Aspecto visual descontínuo duas fases Água gaseificada Aspecto visual descontínuo duas fases

4 Misturas homogéneas Constituídas por uma só fase Nome Amálgama Vinagre Latão Bronze Aço Componentes principais Mercúrio (Hg) + Prata (Ag) + Estanho (Sn) Água (H 2 O) + ácido acético (CH 3 COOH) Cobre (Cu) + zinco (Zn) Cobre (Cu) + estanho (Sn) Ferro (Fe) + carbono (C) Álcool hidratado Etanol (CH 3 OH) + água (H 2 O)

5 O leite é considerado uma mistura homogénea? A olho nu sim, mas na realidade se observarmos o leite ao microscópico vemos que tem, pequenas gotículas de gordura. Na realidade é considerado uma mistura coloidal. Aspecto homogéneo a olho nu Copo de leite Aspecto heterogéneo ao microscópio Líquido branco com gotículas de gordura Dimensão média das partículas Soluções verdadeiras Soluções coloidais Suspensões Inferiores a 1 nm De 1 nm a 1 µm Superiores a 1 µm

6 Solução: É uma mistura homogénea composta de dois ou mais componentes designados Solvente - é o componente que estiver no mesmo estado físico da solução ou o que estiver em maior quantidade. Se tiverem o mesmo estado físico e estiverem em igual quantidade considera-se o solvente o componente mais volátil. Quando o solvente é a água as soluções chamam-se soluções aquosas. Soluto é a substância que se dispersa/dissemina no seio do solvente. É a substância que se dissolve no solvente. É o componente que se apresenta em menor quantidade.

7 Solução Soluto Solvente Exemplo Sólida Sólido Sólido Liga metálica Cu Ni Líquido Sólido Hg em Cu (amálgama de cobre) H 2 Gasoso Sólido dissolvido em Ni Sólido Líquido NaCl em H 2 O Líquida Líquido líquido Álcool em H 2 O CO 2 Gasoso Líquido dissolvido em H 2 O Sólido Gasoso Poeira no ar atmosférico Gasosa Líquido Gasoso Água no ar atmosférico Gasoso Gasoso Ar atmosférico

8 Quanto à natureza do soluto as soluções são classificadas em Soluções iónicas (eletrolíticas) São aquelas em que o soluto é um composto iónico. Ex: água + sal de cozinha. Soluções moleculares (não eletrolíticas) São aquelas em que o soluto é um composto molecular. Ex: água + açúcar. Nota: os ácidos são compostos moleculares, que em água, originam uma solução eletrolítica.

9 Quanto à quantidade de soluto que é possível dissolver as soluções podem classificar-se em Soluções insaturadas são as que apresentam uma quantidade inferior à quantidade máxima de soluto que é possível dissolver numa dada quantidade de solvente, a uma dada pressão e temperatura. Soluções saturadas são as que apresentam a quantidade máxima de soluto que é possível dissolver numa dada quantidade de solvente, a uma dada pressão e temperatura. Soluções sobressaturadas são soluções em que a concentração de soluto em solução é superior à sua solubilidade a uma dada pressão e temperatura.

10 Solubilidade de uma substância é A máxima quantidade em gramas que é possível dissolver a uma dada temperatura.

11 Curvas de solubilidade Qual é o produto de solubilidade do KBr a 10 ºC? Qual é a massa máxima de KNO 3 que é possível dissolver em 200 g de água a 50 ºC?

12 SOLUÇÕES A concentração de saturação do cloreto de sódio a 0ºC é C s = 35,7 g/100g de H 2 O A concentração de saturação do cloreto de sódio a 25ºC é. C S = 42,0 g/100g de H 2 O 200 g de NaCl 357 g de NaCl 400 g de NaCl 1L de água a 0 C 1L de água a 0 C 1L de água a 0 C Insaturada Saturada Saturada com corpo de fundo

13 SOLUÇÃO SOBRESSATURADA 400 g de NaCl 1L de água a 0 C 1L de água a 25 C 1L de água a 0 C Sobressaturada A concentração na solução final está acima do Ks do NaCl a 0 C.

14 Características de uma solução: Mistura homogénea de 2 ou mais substâncias; Composição variável; Soluto pode ser molecular ou iónico; Pode ser colorida ou transparente; O soluto permanece distribuído uniformemente na solução e não sedimenta com o tempo. Em inumeros casos, o soluto pode ser separado do solvente por processos físicos: destilação, evaporação Uma solução tem a mesma composição química, as mesmas propriedades químicas e as mesmas propriedades físicas em todas as suas partes.

15 Para caraterizar uma solução Não basta saber qual é o solvente e o(s) soluto(s). É muito importante saber quanto soluto existe num determinado volume (ou massa) de solução. A forma mais corrente de expressar a composição quantitativa de uma solução é a concentração em massa, c m, isto é, a massa de soluto por unidade de volume de solução.

16 A concentração de uma solução é definida como o número de moles de soluto num litro (L) ou num decímetro cúbico (dm 3 ) de solução. A unidade de concentração portanto é em mol.l -1 ou mol.dm -3 ou molaridade, abreviadamente M. A designação de molaridade está em desuso. C concentração da solução n s - quantidade de matéria de soluto por unidade de volume de solução V s volume de solução (volume de soluto + volume de solvente) 1 mol = 6,022 x moléculas ou átomos 6,022 x moléculas ou átomos = nº de Avogadro

17 x = 100 ml ou C m concentração em massa m s - massa de soluto por unidade de volume de solução V s volume de solução (volume de soluto + volume de solvente)

18 As diferentes formas de expressar a concentração de uma solução - gramas por litro (g.l -1 ) - percentagem em volume (g.100ml -1 ); - percentagem peso por peso (g.100 g -1 ); - percentagem volume por volume (ml.100ml -1 ) - partes por milhão (ppm), p.ex: mg.l -1 - partes por bilião (ppb), p. ex: µg.l -1

19 Concentração em percentagem Às vezes, a concentração aparece expressa como %, mas, nesse caso, é necessário especificar o estado físico do que se mede. Por exemplo: 2% (m/m) ácido acético = 2 g de ácido acético em 100 g água 2% (m/v) ácido acético = 2 g de ácido acético em 100 ml água 2% (v/v) ácido acético = 2 ml de ácido acético em 100 ml água Por convenção (m/v) ou (v/v) podem ser omitidos para soluções aquosas abaixo de 1%.

20 Formas expressar a concentração de uma solução (%) % massa/massa (g.100 g -1 ) Em soluções gasosas multiplica-se % (V/V) por para obter o valor em ppm. % volume/volume (ml.100 ml -1 ) % massa/volume (g.100 ml -1 )

21 Formas expressar a concentração de uma solução: partes por milhão(ppm) Usa-se para expressar concentrações muito pequenas partes por milhão (ppm) p. ex: mg.l -1

22 Formas expressar a concentração de uma solução (ppb e ppt) partes por bilião (ppb), p. ex: µg.l -1 partes por trilhião (ppt), p. ex: mg.dm -3

23 Formas expressar a concentração de uma solução fração molar Em soluções gasosas multiplica-se x a por 100 para obter o valor em % (V/V) Quantidade de matéria de um componente (um soluto ou um solvente) por unidade de quantidade de matéria de solução (soma das quantidades de matéria dos vários componentes) Não tem unidades

24 DILUIÇÃO As soluções concentradas também podem ser misturadas com solventes para torná-las diluídas. Numa diluição a quantidade de solvente aumenta e a quantidade de soluto permanece constante. O número inicial de moles do soluto é igual ao número de moles do soluto no final. nº de moles antes da diluição = nº de moles após a diluição n i = C i x V i C i x V i = C f x V f (Equação geral da diluição) n i número de moles inicial n f número de moles final V i volume inicial V f volume final

25 Prefixos Em muitos casos, a unidade básica pode ser demasiado pequena ou demasiado grande e, para evitar o uso de muitos zeros nas escalas, deve ser utilizado o prefixo métrico apropriado. Os de uso mais comum estão listados abaixo: Fator multiplicativo Prefixo Símbolo 10 6 mega M 10 3 kilo k Fator submultiplicativo Prefixo Símbolo 10-3 mili m 10-6 micro μ 10-9 nano n pico p por exemplo: 0,001 g = 10-3 g = 1 mg = 1000 μg.

26 Conversões de Unidades Unidade de massa kg g mg µg x 10 3 x 10 3 x 10 3 Unidade de Volume kl L ml µl m 3 dm 3 cm 3 mm 3 x 10 3 x 10 3 x 10 3

27

28 EXERCÍCIO 1. Dissolveram-se 8g de NaOH em 400 ml de solução. Calcule: a) Concentração em g/l b) Concentração em mol/l (dado: M NaOH = 40 g/mol) 2. Uma solução possui concentração de 120 g/l de NaOH. Qual sua concentração molar (mol/l)? 3. Qual a quantidade de água que deve ser adicionada a 100 ml de uma solução de NaCl 1,5 M para se obter 1 litro de solução a 0,15 M?

29 AL 2.1 Preparação de soluções a) - Preparação de uma solução a partir de um soluto sólido: Prepare 250 ml de uma solução de permanganato de potássio com a concentração 0,2 g/dm 3. b) - Preparação de uma solução por diluição a partir da anterior. Prepare 100 ml de uma solução de permanganato de potássio 0,0001 mol/dm 3. c) - Elaboração do relatório.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA II

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA II INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA II ESTRUTURA DA MATÉRIA O termo matéria refere-se a todos os materiais

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL ESTRUTURA DA MATÉRIA O termo matéria refere-se a todos os

Leia mais

Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas

Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas Profª Simone Noremberg Kunz 2 Mol Medidas em química analítica É a quantidade de uma espécie química que contém 6,02x10 23 partículas

Leia mais

Dependendo do diâmetro (Ø) das partículas que constituem o disperso, as dispersões podem ser:

Dependendo do diâmetro (Ø) das partículas que constituem o disperso, as dispersões podem ser: Soluções Químicas A mistura de dois ou mais materiais podem ser uma perfeita dissolução denominada mistura homogênea ou uma separação total das partes constituintes do sistema a qual chamamos mistura heterogênea.

Leia mais

QUÍMICA Tipos de soluções Edson Mesquita

QUÍMICA Tipos de soluções Edson Mesquita QUÍMICA Tipos de soluções Edson Mesquita 1 Soluções Uma solução é uma mistura homogênea de substâncias puras (átomos, moléculas ou íons) na qual não há precipitação. Substância pura: substância com composição

Leia mais

Profº André Montillo

Profº André Montillo Profº André Montillo www.montillo.com.br Definição: É uma Mistura Homogênia de 2 ou mais substâncias. Na Solução não ocorre uma reação química, porque não há formação de novas substâncias e não há alterações

Leia mais

AS SOLUÇÕES. Soluções, colóides e suspensões. disperso), se distribui de maneira uniforme ao longo

AS SOLUÇÕES. Soluções, colóides e suspensões. disperso), se distribui de maneira uniforme ao longo AS SOLUÇÕES Solução é um tipo mistura chamada de dispersão na qual uma substância, sob forma de pequenas partículas ( disperso), se distribui de maneira uniforme ao longo de toda a extensão de uma outra

Leia mais

Introdução. Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas MISTURA

Introdução. Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas MISTURA SOLUÇÕES Introdução MISTURA MISTURA HETEROGÊNEA Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas A mistura seráheterogênea quando apresentar duas ou mais fases perceptíveis.

Leia mais

III.1 Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões.

III.1 Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões. III SOLUÇÕES III.1 Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões. Frequentemente as substâncias químicas (elementos e compostos) encontram-se misturadas umas às outras. O sangue, a água do mar, o solo

Leia mais

Módulo Q2 - Soluções SOLUÇÕES

Módulo Q2 - Soluções SOLUÇÕES Módulo Q2 - Soluções SOLUÇÕES Soluções o que são? Uma grande parte dos materiais que nos rodeiam desde a água do mar ao ar que respiramos são soluções. Uma solução é uma mistura homogénea de duas ou mais

Leia mais

Física e Química- 10º ano Cursos Profissionais. Apontamentos módulo 2 SOLUÇÕES

Física e Química- 10º ano Cursos Profissionais. Apontamentos módulo 2 SOLUÇÕES SOLUÇÕES Composição qualitativa de soluções Uma solução é uma mistura homogénea entre duas ou mais substâncias. Uma solução distingue-se das outras dispersões pelo facto de se constituir numa única fase,

Leia mais

Profº André Montillo

Profº André Montillo Profº André Montillo www.montillo.com.br Dispersão Definição: É colocar uma substância dentro de outra substância, onde a primeira substância se caracteriza por ser uma partícula, ou seja, a substância

Leia mais

Disciplina de Química Geral Profa. Marcia Margarete Meier

Disciplina de Química Geral Profa. Marcia Margarete Meier Soluções 1 Propriedades gerais das soluções Os materiais são feitos geralmente de misturas de substâncias mais simples. Ex.: ar, sangue, água do mar, ligas metálicas, perfumes, etc As composições precisam

Leia mais

gás ou sólido (soluto)

gás ou sólido (soluto) AULA 12 Soluções SOLUÇÃO Qualquer mistura homogênea é uma solução. A solução é formada pela união do soluto e do solvente. Soluto: é a substância que está sendo dissolvida. Solvente: é a substância que

Leia mais

Soluções e Unidades de concentrações

Soluções e Unidades de concentrações Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Química Disciplina Química das Soluções QUI084 I semestre 2017 AULA REVISÃO Soluções e Unidades de concentrações Profa.

Leia mais

conhecida como molaridade é redefinida como concentração em quantidade de matéria. A quantidade de matéria do soluto (nsoluto anteriormente chamada nu

conhecida como molaridade é redefinida como concentração em quantidade de matéria. A quantidade de matéria do soluto (nsoluto anteriormente chamada nu SEGURANÇA E TÉCNICA DE LABORATÓRIO AULA 03: CONCENTRAÇÃO DE SOLUÇÕES TÓPICO 02: UNIDADES DE CONCENTRAÇÃO Uma solução é uma mistura homogênea de duas ou mais substancias. Uma destas substâncias é chamada

Leia mais

79 CONCENTRAÇÕES DE SOLUÇÕES 2.

79 CONCENTRAÇÕES DE SOLUÇÕES 2. CONCENTRAÇÕES DE SOLUÇÕES 2 www.aulasdequimica.com.br Nome ou Marca da Empresa Site /seulink @seunick Página 02 www.aulasdequimica.com.br /dino.quimica @andersondino Página 03 Uma solução é uma mistura

Leia mais

79 CONCENTRAÇÕES DE SOLUÇÕES.

79 CONCENTRAÇÕES DE SOLUÇÕES. 79 CONCENTRAÇÕES DE SOLUÇÕES www.aulasdequimica.com.br 79 Nome ou Marca da Empresa Site /seulink @seunick Página 02 79 www.aulasdequimica.com.br /dino.quimica @andersondino Página 03 Uma solução é uma

Leia mais

Química C Extensivo V. 2

Química C Extensivo V. 2 Química C Extensivo V. 2 Exercícios 01) Alternativa correta: A Agente emulsificador ou emulsificante é uma substância que pode estabilizar uma emulsão e que em geral provoca a redução da tensão interfacial

Leia mais

Experiência 7. PREPARO DE SOLUÇÃO A PARTIR DE SUBSTÂNCIAS SÓLIDAS, LIQUIDAS E DE SOLUÇÃO CONCENTRADA

Experiência 7. PREPARO DE SOLUÇÃO A PARTIR DE SUBSTÂNCIAS SÓLIDAS, LIQUIDAS E DE SOLUÇÃO CONCENTRADA Experiência 7. PREPARO DE SOLUÇÃO A PARTIR DE SUBSTÂNCIAS SÓLIDAS, LIQUIDAS E DE SOLUÇÃO CONCENTRADA 1. Objetivos Após a realização desta aula experimental, espera-se que o graduando do curso de Química

Leia mais

Teoria sobre SOLUÇÕES

Teoria sobre SOLUÇÕES Teoria sobre SOLUÇÕES 1 - Introdução. Um fator importante para que uma reação química ocorra é o choque entre as moléculas dos reagentes. Para que esses choques ocorram é necessário que as partículas possuam

Leia mais

Apostila de Química 21 Soluções

Apostila de Química 21 Soluções Apostila de Química 21 Soluções 1.0 Definições Suspensões: Partículas muito grandes (maiores que 1000 nm). Opacas. Sedimentam-se rapidamente. Separáveis por filtro. Colóides: Partículas grandes (entre

Leia mais

Concentração analítica de soluções

Concentração analítica de soluções LCE-108 Química Inorgânica e Analítica Concentração analítica de soluções Wanessa Melchert Mattos Concentração de soluções: Molaridade Definida como a quantia de soluto por litro de solução Concentração

Leia mais

FORMULÁRIO DE DIVULGAÇÃO DO CONTEÚDO DA PROVA FINAL E RECUPERAÇÃO FINAL

FORMULÁRIO DE DIVULGAÇÃO DO CONTEÚDO DA PROVA FINAL E RECUPERAÇÃO FINAL FORMULÁRIO DE DIVULGAÇÃO DO CONTEÚDO DA PROVA FINAL E RECUPERAÇÃO FINAL A) SÉRIE/ANO: 2º Ano Médio B) DISCIPLINA: Química - Enio C) CONTEÚDO A SER EXIGIDO/ORIENTAÇÃO PARA O ESTUDO: SOLUÇÕES: Coeficiente

Leia mais

1) A principal caracterís0ca de uma solução é:

1) A principal caracterís0ca de uma solução é: 1) A principal caracterís0ca de uma solução é: a) possuir sempre um líquido com outra substância dissolvida. b) ser um sistema com mais de uma fase. c) ser homogênea ou heterogênea, dependendo das condições

Leia mais

Soluções Curva de solubilidade, concentrações e preparo de soluções Professor Rondinelle Gomes Pereira

Soluções Curva de solubilidade, concentrações e preparo de soluções Professor Rondinelle Gomes Pereira Soluções Definição: São misturas homogêneas, ou seja, mistura de dois ou mais componentes apresentando uma única fase contínua. As soluções são compostas por um ou mais soluto e um ou mais solvente. Soluto:

Leia mais

Tamanho das partículas dispersas Até 1 nm (nanômetro) de 1 nm a 100 nm maior que 100 nm

Tamanho das partículas dispersas Até 1 nm (nanômetro) de 1 nm a 100 nm maior que 100 nm Soluções 1. Introdução Solução é a denominação ao sistema em que uma substância está distribuída, ou disseminada, numa segunda substância sob forma de pequenas partículas. Dissolvendo-se sal na água, forma-se

Leia mais

Escola Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade. Ciências Físico-Químicas 8.º Ano

Escola Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade. Ciências Físico-Químicas 8.º Ano Escola Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade 8.º Ano FICHA INFORMATIVA 1 Classificação dos materiais NOME: N.º TURMA DATA: / / CLASSIFICAÇÃO DOS MATERIAIS DE ACORDO COM ALGUNS CRITÉRIOS Podem distinguir-se

Leia mais

As dispersões na atmosfera

As dispersões na atmosfera Sumário As dispersões na atmosfera Soluções, suspensões e coloides semelhanças e diferenças. - Efeito de Tyndall.. APSA. As dispersões na atmosfera Dispersões Dispersão É uma mistura de duas ou mais substâncias,

Leia mais

DISPERSÕES. Prof. Tatiane Kuchnier de Moura

DISPERSÕES. Prof. Tatiane Kuchnier de Moura DISPERSÕES Prof. Tatiane Kuchnier de Moura DISPERSÃO Mistura DISPERSO + DISPERSANTE Classificação das Dispersões Nome da dispersão Diâmetro médio das partículas dispersas Exemplos Solução verdadeira Entre

Leia mais

Profº André Montillo

Profº André Montillo Profº André Montillo www.montillo.com.br Dispersão Definição: É colocar uma substância dentro de outra substância, onde a primeira substância se caracteriza por ser uma partícula, ou seja, a substância

Leia mais

Relações Mássicas em Reacções Químicas

Relações Mássicas em Reacções Químicas Capítulo 3 Relações Mássicas em Reacções Químicas Massa Atómica N.º de Avogadro e Massa Molar Massa Molecular Espectrómetro de Massa Composição Percentual dos Compostos Determinação Experimental de Fórmulas

Leia mais

Concentração de soluções e diluição

Concentração de soluções e diluição Concentração de soluções e diluição 1. Introdução Uma solução é uma dispersão homogênea de duas ou mais espécies de substâncias moleculares ou iônicas. É um tipo especial de mistura, em que as partículas

Leia mais

SOLUÇÕES Folha 1.14 João Roberto Fortes Mazzei

SOLUÇÕES Folha 1.14 João Roberto Fortes Mazzei 1) Solução salina normal é uma solução aquosa de cloreto de sódio, usada em medicina porque a sua composição coincide com aquela dos fluídos do organismo. Sabendo-se que foi preparada pela dissolução de

Leia mais

Lista de Exercício. Professor: Cassio Pacheco Disciplina: Química 2 Ano Data de entrega: 04/03/2016. Concentração Comum

Lista de Exercício. Professor: Cassio Pacheco Disciplina: Química 2 Ano Data de entrega: 04/03/2016. Concentração Comum Professor: Cassio Pacheco Disciplina: Química 2 Ano Data de entrega: 04/03/2016 Lista de Exercício Concentração Comum 1- Num balão volumétrico de 250 ml adicionam-se 2,0g de sulfato de amônio sólido; o

Leia mais

Aulas de 01 a 06. Colégio Ari de Sá Cavalcante

Aulas de 01 a 06. Colégio Ari de Sá Cavalcante Aulas de 01 a 06 UNIDADES DE CONCENTRAÇÃO DAS SOLUÇÕES Concentração Comum (C) ou Concentração massa/volume: é a razão estabelecida entre a massa do soluto (m 1 ) e o volume da solução (V); Geralmente:

Leia mais

(MACK-SP) Na eletrólise ígnea de NaCl, verificase

(MACK-SP) Na eletrólise ígnea de NaCl, verificase (MACK-SP) Na eletrólise ígnea de NaCl, verificase que: a) no cátodo, deposita-se sódio metálico. b) no ânodo, ocorre redução. c) no cátodo, ocorre oxidação. d) no ânodo, há deposição de NaCl. e) no cátodo,

Leia mais

SOLUÇÕES PREPARO DE SOLUÇÕES. 1. Concentração (C) 3. Percentagem em massa ou em volume. 2. Concentração molar (M)

SOLUÇÕES PREPARO DE SOLUÇÕES. 1. Concentração (C) 3. Percentagem em massa ou em volume. 2. Concentração molar (M) PREPARO DE SOLUÇÕES SOLUÇÕES (a) (b) (c) 1. Concentração (C) C = massa de soluto / volume da solução A unidade usual para concentração é gramas por litro (g/l). 2. Concentração molar (M) M = mol de soluto

Leia mais

Sistemas, Substâncias puras e Misturas Separação de Misturas

Sistemas, Substâncias puras e Misturas Separação de Misturas INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO Campus Valença Sistemas, Substâncias puras e Misturas Separação de Misturas Professor: José Tiago Pereira Barbosa 1 Sistemas Para facilitar a

Leia mais

E-books PCNA. Vol. 1 QUÍMICA ELEMENTAR CAPÍTULO 5 SOLUÇÕES

E-books PCNA. Vol. 1 QUÍMICA ELEMENTAR CAPÍTULO 5 SOLUÇÕES E-books PCNA Vol. 1 QUÍMICA ELEMENTAR CAPÍTULO 5 SOLUÇÕES 1 QUÍMICA ELEMENTAR CAPÍTULO 5 SUMÁRIO Capítulo 5 ------------------------------------------------------ 3 5. Soluções ----------------------------------------------------

Leia mais

Gabarito comentado. Estudo das dispersões

Gabarito comentado. Estudo das dispersões Estudo das dispersões Gabarito comentado 1) O gás carbônico será mais solúvel quanto menor for a temperatura, no caso, será mais solúvel no refrigerante que estava na geladeira. 2) Letra E. A 30ºC a solubilidade

Leia mais

Sistemas, Substâncias puras e Misturas Separação de Misturas

Sistemas, Substâncias puras e Misturas Separação de Misturas INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO Campus Valença Sistemas, Substâncias puras e Misturas Separação de Misturas Professor: José Tiago Pereira Barbosa 1 Sistemas Para facilitar a

Leia mais

PLANTÕES DE FÉRIAS QUÍMICA

PLANTÕES DE FÉRIAS QUÍMICA Página 1 PLANTÕES DE FÉRIAS QUÍMICA Nome: Nº: Série: 2º ANO Profª BIANCA RIBEIRO Data: JULHO 2016 Roteiro de Estudos Primeiramente, revise em seu caderno alguns conceitos importantes de soluções, como:

Leia mais

Química Fascículo 06 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 06 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 06 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Soluções...1 Exercícios... 5 Gabarito...7 Soluções Unidades de Concentração Concentração é determinada

Leia mais

Equilíbrio de Precipitação

Equilíbrio de Precipitação Capítulo 4 Equilíbrio de Precipitação Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica Curso de Graduação em Farmácia Turmas 02102A e 02102B Introdução Os equilíbrios ácido -base são exemplos de

Leia mais

Módulo inicial Materiais: Diversidade e Constituição. Química 10.º ano Ano lectivo 2007/2008

Módulo inicial Materiais: Diversidade e Constituição. Química 10.º ano Ano lectivo 2007/2008 Química 10.º ano Ano lectivo 2007/2008 Escola Secundária José Saramago Marta Paulino e Ângela Patrício O que é um Material? É algo que tem massa e ocupa espaço. Classificação Materiais: Componentes Origem

Leia mais

Unidade I. Aula 3.2 Conteúdo: Vida e ambiente. Diluição das soluções CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA

Unidade I. Aula 3.2 Conteúdo: Vida e ambiente. Diluição das soluções CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA Unidade I Vida e ambiente Aula 3.2 Conteúdo: Diluição das soluções 2 Habilidades: Relacionar informações apresentadas em diferentes formas de linguagem e representação usada nas ciências químicas, como

Leia mais

FICHA DE PREPARAÇÃO PARA O TESTE Nº5 FQ -7ºANO

FICHA DE PREPARAÇÃO PARA O TESTE Nº5 FQ -7ºANO FICHA DE PREPARAÇÃO PARA O TESTE Nº5 FQ -7ºANO -CLASSIFICAÇÃO DOS MATERIAIS - SUBSTÃNCIAS E MISTURAS - SOLUÇÕES -TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS E FÍSICAS 1. A Química é a ciência que estuda as propriedades e

Leia mais

Reações em Soluções Aquosas

Reações em Soluções Aquosas Reações em Soluções Aquosas Classificação Reações sem transferência de elétrons: Reações de precipitação; Reações de neutralização. Reações com transferência de elétrons: Reações de oxirredução. Reações

Leia mais

Na obtenção de prata por eletrólise de solução aquosa de nitrato de prata, o metal se forma no: a) cátodo, por redução de íons Ag(+) b) cátodo, por

Na obtenção de prata por eletrólise de solução aquosa de nitrato de prata, o metal se forma no: a) cátodo, por redução de íons Ag(+) b) cátodo, por Na obtenção de prata por eletrólise de solução aquosa de nitrato de prata, o metal se forma no: a) cátodo, por redução de íons Ag(+) b) cátodo, por oxidação de íons ag(+) c) cátodo, por redução de átomos

Leia mais

QUI109 QUÍMICA GERAL (Ciências Biológicas) 4ª aula /

QUI109 QUÍMICA GERAL (Ciências Biológicas) 4ª aula / QUI109 QUÍMICA GERAL (Ciências Biológicas) 4ª aula / 2016-2 Prof. Mauricio X. Coutrim (disponível em: http://professor.ufop.br/mcoutrim) REAÇÃO EM SOLUÇÃO AQUOSA São reações envolvendo compostos iônicos

Leia mais

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias 3º Bimestre Autor: Pedro L. S. Dias SUMÁRIO UNIDADE III Inorgânica... 5 Capítulo 1... 5 1.1 Soluções... 5 1.2 Solubilidade... 8 1.3 Coeficiente de solubilidade e Curva de solubilidade... 10 1.4 Unidades

Leia mais

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 03 SOLUÇÕES: INTRODUÇÃO - PARTE 3

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 03 SOLUÇÕES: INTRODUÇÃO - PARTE 3 QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 03 SOLUÇÕES: INTRODUÇÃO - PARTE 3 Fixação 1) (PUC) No preparo de solução alvejante de tinturaria, 521,5g de hipoclorito de sódio são dissolvidos em água suficiente para 10,0 litros

Leia mais

a) 20 d) 100 b) 40 e) 160 c) 80

a) 20 d) 100 b) 40 e) 160 c) 80 01) (Unifesp-SP) Uma solução contendo 14 g de cloreto de sódio dissolvidos em 200 ml de água foi deixada em um frasco aberto, a 30 C. Após algum tempo, começou a cristalizar o soluto. Qual volume mínimo

Leia mais

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v QUÍMICA 1ª QUESTÃO Umas das reações possíveis para obtenção do anidrido sulfúrico é a oxidação do anidrido sulfuroso por um agente oxidante forte em meio aquoso ácido, como segue a reação. Anidrido sulfuroso

Leia mais

ITA Professora Sonia.

ITA Professora Sonia. ITA 1991 Cada TESTE de múltipla-escolha admite sempre uma única resposta dentre as cinco opções apresentadas. TODAS as respostas aos 25 (vinte e cinco) testes deverão ser justificadas no CADERNO DE REPOSTAS.

Leia mais

Campus Dois Vizinhos QUÍMICA ANALÍTICA. Profa. Dra. RENATA PAULA HERRERA BRANDELERO

Campus Dois Vizinhos QUÍMICA ANALÍTICA. Profa. Dra. RENATA PAULA HERRERA BRANDELERO Campus Dois Vizinhos QUÍMICA ANALÍTICA Profa. Dra. RENATA PAULA HERRERA BRANDELERO Campus Dois Vizinhos QUÍMICA ANALÍTICA E OUTRAS CIÊNCIAS ANÁLISE DE SOLOS ANÁLISES FITOTÉCNICAS PÓS-COLHEITA PROCESSAMENTO

Leia mais

Solubilidade, estequiometria, misturas e gases

Solubilidade, estequiometria, misturas e gases Solubilidade, estequiometria, misturas e gases 1) O cientista italiano Amedeo Avogadro, na tentativa de compreender relações de volumes nas reações dos gases, propôs uma hipótese, estabelecendo que (CNTP

Leia mais

Considerando os pontos A e B e a curva dada, pode-se afirmar corretamente que:

Considerando os pontos A e B e a curva dada, pode-se afirmar corretamente que: 01. (UFPR) Para uma solução binária a curva do gráfico a seguir, onde o eixo das abscissas contêm as temperaturas, em C, e o das ordenadas os valores da solubilidade, em g de soluto por 100g de solvente.

Leia mais

DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES. É o processo que consiste em adicionar solvente puro a uma solução, com o objetivo de diminuir sua concentração SOLVENTE PURO

DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES. É o processo que consiste em adicionar solvente puro a uma solução, com o objetivo de diminuir sua concentração SOLVENTE PURO DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES É o processo que consiste em adicionar solvente puro a uma solução, com o objetivo de diminuir sua concentração SOLVENTE PURO SOLUÇÃO INICIAL SOLUÇÃO FINAL SOLVENTE PURO VA V V C C

Leia mais

Dispersões. União de duas ou mais espécies químicas de tal forma que uma se distribui no interior da outra. Água salgada Gelatina Água barrenta

Dispersões. União de duas ou mais espécies químicas de tal forma que uma se distribui no interior da outra. Água salgada Gelatina Água barrenta Dispersões União de duas ou mais espécies químicas de tal forma que uma se distribui no interior da outra Água salgada Gelatina Água barrenta Existem 2 fases distintas: disperso e dispersante. Tipo de

Leia mais

SOLUÇÕES Folha 01 João Roberto Mazzei

SOLUÇÕES Folha 01 João Roberto Mazzei 01. (PUC SP 2009) O gráfico a seguir representa a curva de solubilidade do nitrato de potássio (KNO 3) em água. A 70 C, foram preparadas duas soluções, cada uma contendo 70 g de nitrato de potássio (KNO

Leia mais

- SOLUÇÃO = SOLUTO + SOLVENTE. COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE ( Cs) Grandeza que depende da natureza do soluto e da temperatura.

- SOLUÇÃO = SOLUTO + SOLVENTE. COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE ( Cs) Grandeza que depende da natureza do soluto e da temperatura. Soluções - MISTURA HOMOGÊNEA - SOLUÇÃO = SOLUTO + SOLVENTE menor quantidade maior quantidade COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE ( Cs) Grandeza que depende da natureza do soluto e da temperatura. Cs = g de soluto

Leia mais

Maria do Anjo Albuquerque

Maria do Anjo Albuquerque ispersões na atmosfera Maria do Anjo Albuquerque Atmosfera A atmosfera é uma solução gasosa de vários gases (sobretudo oxigénio, dióxido de carbono e vapor de água) dispersos em azoto (componente maioritário);

Leia mais

1. A fermentação é um processo químico complexo do fabrico de vinho no qual a glucose é convertida em etanol e dióxido de carbono:

1. A fermentação é um processo químico complexo do fabrico de vinho no qual a glucose é convertida em etanol e dióxido de carbono: EB: QUÍMICA GERAL/ EQB: QUÍMICA GERAL I Capítulo 4. Reacções químicas II Ficha de exercícios 1. A fermentação é um processo químico complexo do fabrico de vinho no qual a glucose é convertida em etanol

Leia mais

SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA.

SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA. SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA. QUESTÕES SOLUÇÕES. 01) Dê o significado das seguintes sentenças: a) Uma solução apresenta título igual a 0,2. b) Uma solução a 10%, em massa, de NaCI. c)

Leia mais

Propriedades das soluções

Propriedades das soluções Propriedades das soluções O processo de dissolução O soluto e o solvente são componentes da solução. Uma solução é uma mistura homogênea de soluto (presente em menor quantidade) e solvente (presente em

Leia mais

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 26 SOLUÇÕES EXERCÍCIOS

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 26 SOLUÇÕES EXERCÍCIOS QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 26 SOLUÇÕES EXERCÍCIOS Como pode cair no enem A eutrofização é um processo em que rios, lagos e mares adquirem níveis altos de nutrientes, especialmente fosfatos e nitratos, provocando

Leia mais

Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues. Constante produto solubilidade

Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues. Constante produto solubilidade Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues Constante produto solubilidade Equilíbrio de Solubilidade Considerando uma solução saturada de cloreto de prata, AgCl. Se continuarmos

Leia mais

COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE DE UMA SUBSTÂNCIA (CS)

COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE DE UMA SUBSTÂNCIA (CS) Foca na Medicina Aula 3 Química Material do Aluno Professores: Carlos Palha SOLUÇÕES I Sinônimo de mistura homogênea, ou seja, monofásica. O componente que, em número de moléculas, predominar é denominado

Leia mais

Controle de Processos Aula: Principais váriaveis em controle de processos químicos

Controle de Processos Aula: Principais váriaveis em controle de processos químicos 107484 Controle de Processos Aula: Principais váriaveis em controle de processos químicos Prof. Eduardo Stockler Tognetti Departamento de Engenharia Elétrica Universidade de Brasília UnB 1 o Semestre 2015

Leia mais

Mole, massa molar, rendimento e grau de pureza.

Mole, massa molar, rendimento e grau de pureza. Mole, massa molar, rendimento e grau de pureza. Massa atómica relativa É um número que indica quantas vezes a massa de um átomo é >ou< que 1/12 da massa do átomo 12 C. A maioria dos elemento possui vários

Leia mais

BC Transformações Químicas

BC Transformações Químicas Transformações Químicas BC0307 Prof. Anderson O. Ribeiro http://www.andersonorzari.com BC 0307 Transformações Químicas ANDERSON ORZARI RIBEIRO Bloco B, 10º andar - Sala 1043 www.andersonorzari.com Transformações

Leia mais

Com base nesses dados, calcule: a) Concentração em g/l. b) Título em massa.

Com base nesses dados, calcule: a) Concentração em g/l. b) Título em massa. ALUNO(a): Nº: SÉRIE: ª TURMA: UNIDADE: VV JC JP PC DATA: / /06 Obs.: Esta lista deve ser entregue apenas ao professor no dia da aula de Recuperação Valor: 5,0. Uma solução contendo 4 g de cloreto de sódio

Leia mais

Química Analítica I. Expressão química e numérica dos resultados em análises químicas. Profª Simone Noremberg Kunz

Química Analítica I. Expressão química e numérica dos resultados em análises químicas. Profª Simone Noremberg Kunz 1 Química Analítica I Expressão química e numérica dos resultados em análises químicas Profª Simone Noremberg Kunz 2 Expressar a concentração: % peso (%m/%m): massa de A/massa da amostra % volume (%v/%v):

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 2º EM Química A Priscila Av. Dissertativa 30/03/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

5ª LISTA - EXERCÍCIOS DE PROVAS Lei de Raoult

5ª LISTA - EXERCÍCIOS DE PROVAS Lei de Raoult Pg. 1/6 1 a Questão Metanol, CH 4 O, e etanol, C 2 H 6 O, são dois álcoois voláteis a 25 C. Ambos podem ser usados como solvente ou combustível e muitas vezes a mistura dos dois é empregada em processos

Leia mais

Processos de Separação Misturas Para misturas Heterogêneas

Processos de Separação Misturas Para misturas Heterogêneas Ventilação: Sólido + Sólido O sólido menos denso é separado por uma corrente de ar. Catação: Sólido + Sólido Sólidos de aspectos diferentes são separados com as mãos ou uma pinça Levigação: Sólido + Sólido

Leia mais

Ano: 2ºEM. Recursos para Estudo / Atividades. Conteúdo. 2ª Etapa Unidades de Estudo conceitos e habilidades

Ano: 2ºEM. Recursos para Estudo / Atividades. Conteúdo. 2ª Etapa Unidades de Estudo conceitos e habilidades Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo Colégio Nossa Senhora da Piedade Av. Amaro Cavalcanti, 2591 Encantado Rio de Janeiro / RJ CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 Fax: 2269-3409 E-mail: cnsp@terra.com.br

Leia mais

Aula de Revisão 8 3 os anos Décio ago/09. Nome: Nº: Turma: Soluções

Aula de Revisão 8 3 os anos Décio ago/09. Nome: Nº: Turma: Soluções Química Aula de Revisão 8 3 os anos Décio ago/09 Nome: Nº: Turma: Soluções Objetivo O objetivo desta ficha é dar continuidade à revisão do 3º ano Química, dos assuntos mais significativos. As dúvidas devem

Leia mais

um analgésico de diversos nomes comerciais (AAS, Aspirina, Buferin e outros), apresenta cadeia carbônica:

um analgésico de diversos nomes comerciais (AAS, Aspirina, Buferin e outros), apresenta cadeia carbônica: 16. O ácido acetilsalicílico, de fómula: um analgésico de diversos nomes comerciais (AAS, Aspirina, Buferin e outros), apresenta cadeia carbônica: (A) acíclica, heterogênea, saturada, ramificada. (B) mista,

Leia mais

AULA 3. Tratamento Sistemático do Equilíbrio Químico

AULA 3. Tratamento Sistemático do Equilíbrio Químico AULA Tratamento Sistemático do Equilíbrio Químico Objetivos Escrever as equações químicas que descrevem as reações químicas. Escrever as expressões de constante de equilíbrio para as reações químicas.

Leia mais

TB DE RECUPERAÇÃO DE QUÍMICA 2ºTRIMESTRE DE 2016 PROF: LUCIA SÉRIE: 2º EM TURMA: A-B-C LEVE ESTA FOLHA PARA A AULA DE RECUPERAÇÃO- 29/08/2016

TB DE RECUPERAÇÃO DE QUÍMICA 2ºTRIMESTRE DE 2016 PROF: LUCIA SÉRIE: 2º EM TURMA: A-B-C LEVE ESTA FOLHA PARA A AULA DE RECUPERAÇÃO- 29/08/2016 TB DE RECUPERAÇÃO DE QUÍMICA 2ºTRIMESTRE DE 2016 PROF: LUCIA SÉRIE: 2º EM TURMA: A-B-C LEVE ESTA FOLHA PARA A AULA DE RECUPERAÇÃO- 29/08/2016 OBS: a) O trabalho deverá ser entregue no dia da prova de recuperação(8/09/2016)

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03//05 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 0,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol - K - = 8,34 J

Leia mais

Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Departamento de Química. Programa do 10º ano e do 11º ano de Química do Ensino Secundário

Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Departamento de Química. Programa do 10º ano e do 11º ano de Química do Ensino Secundário Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Departamento de Química Programa da Prova de Acesso de Química (2016): Exemplos de exercícios 1.Indique a afirmação correcta. Programa do 10º ano e do 11º

Leia mais

LCE0182 Química Analítica Quantitativa. Informações Gerais. Wanessa Melchert Mattos.

LCE0182 Química Analítica Quantitativa. Informações Gerais. Wanessa Melchert Mattos. LCE0182 Química Analítica Quantitativa Informações Gerais Wanessa Melchert Mattos wanemelc@usp.br Aprovação Para que o aluno possa ser aprovado exige-se média mínima de 5,0 em notas e 70% de frequência

Leia mais

Profº André Montillo www.montillo.com.br

Profº André Montillo www.montillo.com.br Profº André Montillo www.montillo.com.br Definição: É uma Mistura Homogênia de 2 ou mais substâncias. Na Solução não ocorre uma reação química, porque não há formação de novas substâncias e não há alterações

Leia mais

Propriedades Coligativas

Propriedades Coligativas Propriedades Coligativas Propriedades Coligativas São propriedades que se somam pela presença de um ou mais solutos e dependem única e exclusivamente do número de partículas (moléculas ou íons) que estão

Leia mais

Equilíbrio Heterogéneo

Equilíbrio Heterogéneo Equilíbrio Heterogéneo Aulas 7 Equilíbrio Heterogéneo: Produto de Solubilidade Efeito do ião comum, ph e iões complexos Titulações de precipitação Equilíbrio Heterogéneo Um equilíbrio heterogéneo (sólido-líquido)

Leia mais

QUÍMICA TAISSA LUKJANENKO

QUÍMICA TAISSA LUKJANENKO QUÍMICA TAISSA LUKJANENKO SUBSTÂNCIA PURA MISTURA ESTUDO DAS SUBSTÂNCIAS E MISTURAS SUBSTÂNCIA: material formado por moléculas quimicamente iguais. Substância simples: é constituída de uma molécula formada

Leia mais

símbolos que indicam o estado da matéria de cada componente da reação: s para sólido, l para líquido, g para gasoso e aq para aquoso

símbolos que indicam o estado da matéria de cada componente da reação: s para sólido, l para líquido, g para gasoso e aq para aquoso ESTEQUIOMETRIA Estequiometria é uma palavra de origem grega que significa quantidade. Os cálculos decorrentes da estequiometria são importantes para quantificarmos reações químicas, ou seja, descobrirmos

Leia mais

O gráfico abaixo representa a pressão de vapor, em atm, em função da temperatura, em ºC, de três amostras, I, II e III.

O gráfico abaixo representa a pressão de vapor, em atm, em função da temperatura, em ºC, de três amostras, I, II e III. Educador: Cristina Disciplina:Química Data: _/ /2011 Estudante: 3ª Série Questão 1 O gráfico abaixo representa a pressão de vapor, em atm, em função da temperatura, em ºC, de três amostras, I, II e III.

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSORA: Núbia de Andrade. DISCIPLINA:Química SÉRIE: 3º. ALUNO(a): Lista de Exercícios P1 I Bimestre

GOIÂNIA, / / PROFESSORA: Núbia de Andrade. DISCIPLINA:Química SÉRIE: 3º. ALUNO(a): Lista de Exercícios P1 I Bimestre GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSORA: Núbia de Andrade DISCIPLINA:Química SÉRIE: 3º ALUNO(a): Lista de Exercícios P1 I Bimestre No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente

Leia mais

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas.

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. QUÍMICA PROF - 3C13 SOLUÇÕES As misturas podem ser homogêneas ou heterogêneas. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. Solução é

Leia mais

06) Considere a aparelhagem desenhada a seguir, empregada para testes de condutividade elétrica. O teste deu positivo com qual dos líquidos?

06) Considere a aparelhagem desenhada a seguir, empregada para testes de condutividade elétrica. O teste deu positivo com qual dos líquidos? TEORIA DE ARRHENIUS 01) (Puc-SP) Dados os compostos A: CH 3 COONa (Sal: acetato de sódio) B: CH 3 COOH (ácido acético) C: CH 3 CH 2 OH (álcool etílico) D: C 6 H 12 O 6 (glicose) Pede-se: a) Quais os que

Leia mais

Solvente: partículas responsáveis pela dissolução do soluto;

Solvente: partículas responsáveis pela dissolução do soluto; Aula 18 20/ago Marcelo 2º Semestre Estudo das Soluções: Soluções: sinônimo de mistura homogênea. Componentes de uma solução: Soluto: partículas que são dissolvidas; Solvente: partículas responsáveis pela

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE Como pode cair no enem (UFF) O cloreto de alumínio é um reagente muito utilizado em processos industriais que pode ser obtido por meio da

Leia mais

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 24 DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 24 DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 24 DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES solvente m c v m c v Como pode cair no enem (UERJ) Uma suspensão de células animais em um meio isotônico adequado apresenta volume igual a 1 L e concentração

Leia mais

Química Analítica IV

Química Analítica IV Química Analítica IV 1 semestre 2012 Profa. Maria Auxiliadora Costa Matos Data/mês 08/mar 15/mar 22/mar 29/mar 05/abr 12/abr 19/abr 26/abr 03/mai 10/mai 17/mai 24/mai 31/mai 07/jun 14/jun 21/jun 28/jun

Leia mais

QUI219 QUÍMICA ANALÍTICA (Farmácia)

QUI219 QUÍMICA ANALÍTICA (Farmácia) QUI219 QUÍMICA ANALÍTICA (Farmácia) Prof. Mauricio X. Coutrim (mcoutrim@iceb.ufop.br) Sala 29 ICEB II inferior (em frente à PROPP) PORQUE ESTUDAR Q.A.? 23/09/2016 Química Analítica I Prof. Mauricio Xavier

Leia mais