1. SOBRE A HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA, DIFERENCIE PERÍODO EPIDEMIOLÓGICO DE PERÍODO PATOLÓGICO. 2. CONCEITUE: A. AGENTE ETIOLÓGICO: B.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. SOBRE A HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA, DIFERENCIE PERÍODO EPIDEMIOLÓGICO DE PERÍODO PATOLÓGICO. 2. CONCEITUE: A. AGENTE ETIOLÓGICO: B."

Transcrição

1 QUESTIONÁRIO ROTEIRO DE ESTUDOS PROVA N2 A AVALIAÇÃO TERÁ 16 QUESTÕES OBJETIVAS, VALENDO 0,5 PONTOS CADA, MAIS UMA QUESTÃO EXTRA QUE, SE RESPONDIDA CORRETAMENTE, SUBSTITUIRÁ EM NOTA, UMA DAS QUESTÕES ERRADAS, SE HOUVEREM. (ESTE QUESTIONÁRIO NÃO VALE NOTA, APENAS FORMA UM ROTEIRO DOAS ASSUNTOS A SEREM ESTUDADOS PARA A AVALIAÇÃO N1). 1. SOBRE A HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA, DIFERENCIE PERÍODO EPIDEMIOLÓGICO DE PERÍODO PATOLÓGICO. 2. CONCEITUE: A. AGENTE ETIOLÓGICO: B. DOENÇA: C. DOENÇA INFECCIOSA: D. MEIO AMBIENTE: E. HOSPEDEIRO: 3. DIFERENCIE*: A. HOSPEDEIRO PIRMÁRIO OU DEFINITIVO: B. HOSPEDEIRO SECUNDÁRIO OU INTERMEDIÁRIO:

2 C. HOSPEDEIRO PARATÉICO OU DE TRANSPORTE: D. HOSPEDEITO RESERVATÓRIO: E. HOSPEDEIRO SUSCETÍVEL: * NÃO SE ESQUEÇA DE DAR UMA OLHADINHA NOS EXEMPLOS. 4. O QUE É UM PARASITA? (PESQUISE A DEFINIÇÃO) 5. SABEMOS QUE OS PARASITAS PODEM SER CLASSIFICADOS DE VÁRIAS FORMAS, SENDO AS PRINCIPAIS QUANTO A LOCALIZAÇÃO NO HOSPEDEIRO E QUANTO AO NÚMERO DE HOSPEDEIROS. CONCEITUE AS CLASSIFICAÇÕES: QUANTO A LOCALIZAÇÃO NO HOSPEDEIRO QUANTO AO NÚMERO DE HOSPEDEIROS ENDOPARASITA ECTOPARASITA MONOXENO HETEROXENO 6. O QUE SÃO VEÍCULOS DE TRANSMISSÃO? 7. ENTENDEMOS TRANSMISSÃO COMO A TRANSFERÊNCIA DE UM AGENTE ETIOLÓGICO ANIMADO DE UM RESERVATÓRIO OU FONTE DE INFECÇÃO (VEÍCULO) PARA UM NOVO HOSPEDEIRO SUSCETÍVEL. DESCREVA AS TRÊS FORMAS DE TRANSMISSÃO. A. TRANSMISSÃO DIRETA (CONTÁGIO):

3 B. TRANSMISSÃO INDIRETA: C. TRANSMISSÃO VERTICAL: 8. A TRANSMISSÃO DE FORMA DIRETA PODE OCCORRER DE DUAS FORMAS, IMEDIATA E MEDIATA, DIFERENCIE: 9. A TRANSMISSÃO INDIREATA PODE OCORRER DE DUAS FORMAS, POR AGENTES (VEICULOS ANIMADOS) E POR VEICULOS (VEICULOS INANIMADOS), DIFERENCIE: 10. OS VEICULOS ANIMADOS DE TRANSMISSÃO DIRETA PODEM SER VETORES BIOLÓGICOS OU VETORES MECÂNICOS, QUAL A DIFERENÇA ENTRE AMBOS? 11. O QUE SÃO FÔMITES? 12. OS AGENTES INFECCIOSOS, APÓS PENETRAREM NO HOSPEDEIRO, INSTALAM-SE NOS TECIDOS, CAVIDADES OU ÓRGÃOS QUE MAIS OS BENEFICIAM, MULTIPLICAM-SE E, DEPOIS, SAEM OU ELIMINAM FORMAS INFECTANTES (LARVAS, OVOS, CISTOS). PARA TAL, UTILIZAM-SE DE PORTAS DE SAÍDA OU VIAS DE ELIMINAÇÃO. DESCREVA ESTAS VIAS:

4 13. QUAIS SÃO OS MECANISMOS DE ELIMINAÇÃO UTILIZADOS PELAS FORMAS INFECTANTES DOS PARASITAS PARA ATINGIR NOVOS HOSPEDEIROS? 14. ENTENDE-SE POR VIA DE PENETRAÇÃO O TRAJETO PELO QUAL O AGENTE INTRODUZ-SE NO NOVO HOSPEDEIRO. A VIA DE PENETRAÇÃO OFERECE ACESSO A TECIDOS NOS QUAIS O AGENTE PODE MULTIPLICAR-SE OU LOCAL ONDE A TOXINA, POR ELE PRODUZIDA, PODE AGIR. FREQUENTEMENTE, AS VIAS DE ELIMINAÇÃO E DE PENETRAÇÃO SÃO AS MESMAS. DESCREVA BREVEMENTE AS VIAS MAIS IMPORTANTES: 15. DIFERENCIE: A. SURTO: B. ENDEMIA: C. EPIDEMIA: D.PANDEMIA: 16. QUAIS AS CARACTERISTICAS MAIS IMPORTANTES DE UM PROTOZOÁRIO? 17. PREENCHA A TABELA A SEGUIR COM AS CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS PROTOZOÁRIOS: PROTOZOÁRIOS ORGANIZAÇÃO CELULAR

5 RESPIRAÇÃO DIGESTÃO REPRODUÇÃO: LOCOMOÇÃO 18. QUAL O CRITÉRIO DE CLASSIFICAÇÃO DOS PROTOZOÁRIOS? 19. OS PROTOZOÁRIOS SE DIVIDEM EM QUATRO GRUPOS, DESCREVA AS CARACTERISTICAS DE CADA GRUPO: RIZÓPODES FLAGELADOS CILIADOS ESPOROZOÁRIOS 20. ALGUNS PROTOZOÁRIOS SÃO PARASITAS DO HOMEM, CAUSANDO-LHE DOENÇAS. ENTRE AS ESPÉCIES DE PROTOZOÁRIOS PARASITAS, PODEMOS CITAR... ESTUDE AS PROTOZOOSES, AGENTES CAUSADORES, AGENTES VETORES (SE HOUVEREM), TRANSMISSÃO, SINTOMAS, HOSPEDEIROS E PROFILAXIA. (TABELA NO ULTIMO SLIDE DE PROTOZOOSES) 21. PREENCHA A TABELA A SEGUIR COM AS CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS FUNGOS: FUNGOS ORGANIZAÇÃO CELULAR RESPIRAÇÃO DIGESTÃO

6 REPRODUÇÃO: LOCOMOÇÃO DISPERSÃO E DISTRIBUIÇÃO 22. APESAR DE CONTROVERSA, A CLASSIFICAÇÃO DOS FUNGOS MAIS ACEITA, DIVIDEO-S EM CINCO GRUPOS, DESTES, APENAS TRÊS POSSUEM IMPORTANCIA MÉDICA, DESCREVA AS CARACTERISTICAS QUE OS FAZEM SER IMPORTANTES: ASCOMICETOS DEUTEROMICETOS BASIDIOMICETOS 23. O QUE SÃO MICOSES? COMO SE CLASSIFICAM? 24. COMPLETE A TABELA CARACTERIZANDO CADA UMA DAS CLASSES DE MICOSES. CLASSES DE MICOSES SUPERFICIAIS CUTÂNEAS

7 SUBCUTANEAS SISTEMICAS OPORTUNISTAS 25. O QUE SIGNIFICA AFIRMAR QUE UMA DOENÇA É CONTAGIOSA? 26. ALGUNS FUNGOS SÃO PARASITAS DO HOMEM, CAUSANDO-LHE DOENÇAS. ENTRE AS ESPÉCIES DE PROTOZOÁRIOS PARASITAS, PODEMOS CITAR... ESTUDE AS PROTOZOOSES, AGENTES CAUSADORES, AGENTES VETORES (SE HOUVEREM), TRANSMISSÃO, SINTOMAS, HOSPEDEIROS E PROFILAXIA. (TABELA NO ULTIMO SLIDE DE MICOSES) 27. UMA DETERMINADA MOLÉSTIA QUE PODE CAUSAR LESÕES NAS MUCOSAS, PELE E CARTILAGENS É TRANSMITIDA POR UM ARTRÓPODE E CAUSADA POR UM PROTOZOÁRIO FLAGELADO. OS NOMES DA DOENÇA, DO ARTRÓPODE TRANSMISSOR E AGENTE CAUSADOR SÃO, RESPECTIVAMENTE: 28. UMA PESSOA PRETENDE PROCESSAR UM HOSPITAL COM O ARGUMENTO DE QUE A DOENÇA DE CHAGAS, DA QUAL É PORTADORA, FOI ALI ADQUIRIDA EM UMA TRANSFUSÃO DE SANGUE. A ACUSAÇÃO PODE OU NÃO TER PROCEDENCIA? JUSTIFIQUE SUA RESPOSTA.

Cadeia epidemiológica

Cadeia epidemiológica Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Veterinária Cadeia epidemiológica Epidemiologia e ecologia Fábio Raphael Pascoti Bruhn MÁGICO-RELIGIOSAS Pré-história (até 3500 a.c) e idade média (500 a 1500

Leia mais

Doenças Infecciosas e Transmissão de Doenças: Conceitos Básicos

Doenças Infecciosas e Transmissão de Doenças: Conceitos Básicos Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Estudos em Saúde Coletiva Graduação de Saúde Coletiva Disciplina: Fundamentos de Epidemiologia Doenças Infecciosas e Transmissão de Doenças: Conceitos

Leia mais

protozoonoses AMEBÍASE MALÁRIA DOENÇA DE CHAGAS Saúde, higiene & saneamento básico 003 Doenças adquiridas transmissíveis Transmissão & profilaxia

protozoonoses AMEBÍASE MALÁRIA DOENÇA DE CHAGAS Saúde, higiene & saneamento básico 003 Doenças adquiridas transmissíveis Transmissão & profilaxia protozoonoses Saúde, higiene & saneamento básico 003 Doenças adquiridas transmissíveis Transmissão & profilaxia AMEBÍASE MALÁRIA DOENÇA DE CHAGAS Infecção caracterizada por manifestações clínicas intestinais

Leia mais

INFECÇÕES. Prof. Dr. Olavo Egídio Alioto

INFECÇÕES. Prof. Dr. Olavo Egídio Alioto INFECÇÕES Prof. Dr. Olavo Egídio Alioto Definição É a colonização de um organismo hospedeiro por uma espécie estranha. Numa infecção, o organismo infectante procura utilizar os recursos do hospedeiro para

Leia mais

PARASITOLOGIA MÉDICA. Diogo Parente

PARASITOLOGIA MÉDICA. Diogo Parente PARASITOLOGIA MÉDICA Diogo Parente INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA OBJETIVO: Conhecer o parasitismo num contexto ecológico e como forma de relação entre os seres vivos. URBANIZAÇÃO DA SOCIEDADE O êxodo rural,

Leia mais

Relações Parasitas e Hospedeiros. Aula 01 Profº Ricardo Dalla Zanna

Relações Parasitas e Hospedeiros. Aula 01 Profº Ricardo Dalla Zanna Relações Parasitas e Hospedeiros Aula 01 Profº Ricardo Dalla Zanna Quintas Disciplina 1ª aula Relações Parasitas e Hospedeiros 2ª aula Relações Parasitas e Hospedeiros Intervalo \0/ 3ª aula Relações Parasitas

Leia mais

Conceitos Gerais Relação Parasita Hospedeiro. Prof. Cor

Conceitos Gerais Relação Parasita Hospedeiro. Prof. Cor Parasitologia Humana Conceitos Gerais Relação Parasita Hospedeiro Prof. Cor Divisão da Parasitologia MICROBIOLOGIA: bactéria, fungos e vírus PARASITOLOGIA: protozoários, helmintos e artrópodes Microbiota

Leia mais

Fundamentos de Epidemiologia

Fundamentos de Epidemiologia Fundamentos de Epidemiologia 1 Definição do grego epi = sobre, demos = população. Do ponto de vista etimológico seria o estudo das epidemias. É estudo da freqüência, distribuição espacial e cronológica

Leia mais

Epidemiologia das Doenças Infecciosas e Surto. HEP Cassia M Buchalla

Epidemiologia das Doenças Infecciosas e Surto. HEP Cassia M Buchalla Epidemiologia das Doenças Infecciosas e Surto HEP 0176 2017 Cassia M Buchalla Infecção é o processo pelo qual um agente biológico penetra, desenvolve-se ou multiplica-se no organismo de outro ser vivo

Leia mais

Cadeia epidemiológica

Cadeia epidemiológica Cadeia epidemiológica As doenças infeciosas transmitem-se através de uma cadeia Agente causal ou invasor Reservatório Saída do reservatório (ou porta de saída) Modo de contágio Entrada no hospedeiro (ou

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA E SAÚDE PÚBLICA HISTÓRIA NATURAL E PREVENÇÃO DE DOENÇAS

EPIDEMIOLOGIA E SAÚDE PÚBLICA HISTÓRIA NATURAL E PREVENÇÃO DE DOENÇAS Caro Leitor, A equipe técnica do Concurseiro da Saúde empenha-se em desenvolver apostilas e materiais atualizados de acordo com as leis recentemente publicadas a fim de estar sempre em consonância com

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Lista de exercícios de Ciências - 1º Bimestre Nome: Ano: 7º A / B Prof. Paula Jacinto N.: / /17 Volume 1: Conhecendo a Biosfera Vírus e bactérias Protistas 1) Explique

Leia mais

Parasitologia - BMP 0215 Ciências Biomédicas- 2016

Parasitologia - BMP 0215 Ciências Biomédicas- 2016 Parasitologia - BMP 0215 Ciências Biomédicas- 2016 Responsáveis: Profa. Beatriz Stolf Profa. Silvia Boscardin Apoio técnico: Marcio Carmem, Erika Monitores: Higo Lina Marina ESTRUTURA DO CURSO Aulas

Leia mais

Protistas. Thiago Lins do Nascimento

Protistas. Thiago Lins do Nascimento Protistas 1 Thiago Lins do Nascimento tiagolinsnasc@gmail.com Protistas: Características Gerais São seres eucariontes. Os protistas são compostos pelas algas e protozoários. Apresentam muita diversidade

Leia mais

REINO PROTOCTISTA. - Organismos unicelulares autótrofos: algas unicelulares. - Organismos pluricelulares autótrofos: algas pluricelulares

REINO PROTOCTISTA. - Organismos unicelulares autótrofos: algas unicelulares. - Organismos pluricelulares autótrofos: algas pluricelulares REINO PROTOCTISTA - Organismos unicelulares autótrofos: algas unicelulares - Organismos pluricelulares autótrofos: algas pluricelulares - Organismos unicelulares heterotótrofos: protozoários Prof. Ana

Leia mais

CURSO MEDICINA VETERINÁRIA

CURSO MEDICINA VETERINÁRIA Faculdade Anhanguera de Dourados Parasitologia Veterinária Geral CURSO MEDICINA VETERINÁRIA Prof. Me. Baltazar A Silva Jr 1 Aula 1: Conceitos Gerais e Métodos Parasitológicos 2 Introdução Parasitologia

Leia mais

24/02/2012. Conhecer o parasitismo num contexto ecológico e como forma de relação entre os seres vivos.

24/02/2012. Conhecer o parasitismo num contexto ecológico e como forma de relação entre os seres vivos. Yara Bandeira, Msc A parasitologia é uma ciência, da área de saúde, auxiliar da medicina humana e veterinária que se baseia no estudo dos parasitas e suas relaçoes com o hospedeiro Conhecer o parasitismo

Leia mais

Estrutura epidemiológica dos problemas de saúde: o agente, o hospedeiro e o ambiente

Estrutura epidemiológica dos problemas de saúde: o agente, o hospedeiro e o ambiente Estrutura epidemiológica dos problemas de saúde: o agente, o hospedeiro e o ambiente IESC/UFRJ Mestrado em Saúde Coletiva Especialização em Saúde Coletiva Modalidade Residência Professores: Antonio José

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 1 PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO E CONTROLE DE AGENTES BIOLÓGICOS Objetivo: Determinar a natureza, grau e o tempo de exposição dos trabalhadores

Leia mais

Vírus. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA

Vírus. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Vírus Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Virologia Virologia. Ramo da Biologia que estuda os vírus e suas propriedades. Vírus é totalmente inerte fora da sua célula hospedeira; Dependem totalmente da

Leia mais

CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS FUNDAMENTAL NII Listas 11 Pequenos reinos 7º anos 3º período

CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS FUNDAMENTAL NII Listas 11 Pequenos reinos 7º anos 3º período CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS FUNDAMENTAL NII Listas 11 Pequenos reinos 7º anos 3º período - 2012 01. Um organismo unicelular, sem núcleo diferenciado, causador de infecção em ratos provavelmente será:

Leia mais

A CADEIA DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA Professor Esp. André Luís Souza Stella

A CADEIA DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA Professor Esp. André Luís Souza Stella A CADEIA DE TRANSMISSÃO DE DOENÇAS DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA Professor Esp. André Luís Souza Stella A DINÂMICA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS O comportamento das doenças infecciosas, na comunidade, varia

Leia mais

21/04/2014. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial

21/04/2014. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial Microrganismos causadores de infecções hospitalares 1. Bactérias Pode-se distinguir entre: a) Bactérias comensais que constituem a flora normal de indivíduos saudáveis. Algumas bactérias comensais podem

Leia mais

Trypanosoma cruzi Doença de Chagas

Trypanosoma cruzi Doença de Chagas Disciplina de Parasitologia Trypanosoma cruzi Doença de Chagas Profa. Joyce Fonteles Histórico Histórico 1908- Carlos Chagas MG encontrou o parasito no intestino de triatomíneos. 1909- descrição do primeiro

Leia mais

Módulo I: Processos Patológicos Gerais (108

Módulo I: Processos Patológicos Gerais (108 Semana Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE Turn Unidades Curiculares Seg Ter Qua Qui Sex o 3 4 5 6 7 Módulo I: Processos Patológicos Gerais ( horas) Profª.

Leia mais

BIOLOGIA 3 ANO PROF.ª SARAH SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES ENSINO MÉDIO

BIOLOGIA 3 ANO PROF.ª SARAH SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES ENSINO MÉDIO BIOLOGIA 3 ANO PROF.ª SARAH SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES ENSINO MÉDIO REVISÃO Unidade I Vida e Ambiente 2 REVISÃO Aula 4.1 Revisão e Avaliação 3 REVISÃO 1 O que é Taxonomia? É a ciência que classifica

Leia mais

Aula III Protozoários

Aula III Protozoários ZOOLOGIA E PARASITOLOGIA Aula III Protozoários Professora: Luciana Alves de Sousa REINO PROTISTA Protozoa: grego Proto = primeiro Zoon = animal Características gerais Organismos unicelulares, eucariontes,

Leia mais

REINO PROTOCTISTA OCTIST

REINO PROTOCTISTA OCTIST REINO PROTOCTISTA INTRODUÇÃO O termo protista deriva do grego e significa primeiros de todos, dando a idéia de que eles teriam sido os primeiros eucariontes a surgir no curso da evolução. Reino protista

Leia mais

Prof. Dorival Filho Zoologia

Prof. Dorival Filho Zoologia EMBRIOLOGIA Qual a vantagem de haver um terceiro folheto embrionário? A partir de um terceiro folheto, novos tecidos podem se formar, como mostra a tabela abaixo. Portanto, um animal triblástico possuirá

Leia mais

GABARITO_AVALIAÇÃO MENSAL DE CIÊNCIAS 2º TRIMESTRE

GABARITO_AVALIAÇÃO MENSAL DE CIÊNCIAS 2º TRIMESTRE GABARITO_AVALIAÇÃO MENSAL DE CIÊNCIAS 2º TRIMESTRE 1. A partir da leitura da reportagem a cima, responsa as seguintes questões: a) De acordo com o texto, existem pessoas que acreditam que os fungos fazem

Leia mais

Professor Antônio Ruas :

Professor Antônio Ruas : 1. Créditos: 60 2. Carga horária semanal: 4 3. Semestre: 2 4. Assunto: (i) (ii) (iii) (iv) (v) (vi) (vii) Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Bacharelado em Gestão Ambiental Componente curricular:

Leia mais

4º FILO - NEMATELMINTOS

4º FILO - NEMATELMINTOS 4º FILO - NEMATELMINTOS Nematelmintos (Asquelmintos) nematos = fio + helmintos = vermes Vermes cilíndricos e alongados Nematelmintos (Asquelmintos) Exemplos: Ascaris lumbricoides Necator americanus Ancilostomo

Leia mais

BIOLOGIA. Questões de 01 a 06. Fator II

BIOLOGIA. Questões de 01 a 06. Fator II Grupo 2 TIPO B BIO Pág.1 1 BIOLOGIA Questões de 01 a 06 01. Os gráficos a seguir representam a variação da taxa de fotossíntese de uma planta em função dos fatores ambientais I, II e III. Taxa de Fotossíntese

Leia mais

REINO PROTOCTISTA OCTIST

REINO PROTOCTISTA OCTIST REINO PROTOCTISTA INTRODUÇÃO O termo protista deriva do grego e significa primeiros de todos, dando a idéia de que eles teriam sido os primeiros eucariontes a surgir no curso da evolução. Reino Protoctista

Leia mais

Profa. Carolina G. P. Beyrodt

Profa. Carolina G. P. Beyrodt Profa. Carolina G. P. Beyrodt Agente etiológico: Toxoplasma gondii (Protozoário coccídeo do Filo Apicomplexa) Histórico Isolado em 1908 de um roedor do deserto: Ctenodactylus gondii 1923 descrição do primeiro

Leia mais

4. Assunto: (i) Protozoários: microorganismos eucariontes unicelulares.

4. Assunto: (i) Protozoários: microorganismos eucariontes unicelulares. Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: Microbiologia Aula 9 Professor Antônio Ruas : 1. Créditos: 60 2. Carga horária semanal:

Leia mais

Toxoplasmose. Filo: Apicomplexa (porque possui complexo apical)

Toxoplasmose. Filo: Apicomplexa (porque possui complexo apical) Toxoplasmose Parasito Reino: Protozoa Filo: Apicomplexa (porque possui complexo apical) Ordem: Eucoccidiida Família: Sarcocystidae Gênero: Toxoplasma Espécie: Toxoplasma gondii - É uma doença cosmopolita.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS BIO 405 PARASITOLOGIA HUMANA --

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS BIO 405 PARASITOLOGIA HUMANA -- UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA U.E.F.S. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS BIO 405 PARASITOLOGIA HUMANA -- CARGA HORÁRIA CRÉDITOS PROFESSOR(A)

Leia mais

Epidemiologia. Disciplina: Higiene e profilaxia animal. Fábio Raphael Pascoti Bruhn

Epidemiologia. Disciplina: Higiene e profilaxia animal. Fábio Raphael Pascoti Bruhn Epidemiologia Disciplina: Higiene e profilaxia animal Fábio Raphael Pascoti Bruhn Epidemiologia Conceito: epi (sobre) + demo (povo) Estudo da distribuição dos estados de saúde e eventos em populações,

Leia mais

CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE PATOLOGIA DE ORGANISMOS AQUÁTICOS

CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE PATOLOGIA DE ORGANISMOS AQUÁTICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CAMPUS ARAPIRACA PÓLO PENEDO CURSO: ENGENHARIA DE PESCA DISCIPLINA: PATOLOGIA DE ORGANISMOS AQUÁTICOS PROF a : TALITA ESPÓSITO CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE PATOLOGIA DE ORGANISMOS

Leia mais

SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO COORDENAÇÃO DE BIOLOGIA CEP CURITIBA PR

SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO COORDENAÇÃO DE BIOLOGIA CEP CURITIBA PR SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO COORDENAÇÃO DE BIOLOGIA CEP CURITIBA PR NEMATODA Nematelmintos (Asquelmintos) nematos = fio helmintos = vermes Vermes cilíndricos e alongados. Nematelmintos (Asquelmintos) Exemplos:

Leia mais

Roteiro de estudos para recuperação trimestral

Roteiro de estudos para recuperação trimestral Roteiro de estudos para recuperação trimestral Disciplina: Professor (a): BIOLOGIA MÁRCIO SÉRGIO DA COSTA LEITÃO Conteúdo(s): Protozoários, Fungos, Platelmintos, Nematelmintos e Embriologia. Referência

Leia mais

Reino Protista. Os seres protistas são unicelulares, mas, diferentemente das bactérias, eles tem carioteca, ou seja, são seres eucariontes.

Reino Protista. Os seres protistas são unicelulares, mas, diferentemente das bactérias, eles tem carioteca, ou seja, são seres eucariontes. 2ª série do Ensino Médio Tarde e Noite Profª Luciana Mollo Reino Protista Os seres protistas são unicelulares, mas, diferentemente das bactérias, eles tem carioteca, ou seja, são seres eucariontes. Estão

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino Médio 3ª Série. Profº: Ms Marcelo Biologia Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM Ensino Médio 3ª Série. Profº: Ms Marcelo Biologia Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM Ensino Médio 3ª Série 65 Profº: Ms Marcelo Biologia Aluno (a):. No. Trabalho de Recuperação 1º Semestre Data: Valor: 12,0 pts Nota: INSTRUÇÕES: LEIA com atenção cada questão; PROCURE compreender

Leia mais

Características gerais

Características gerais Características gerais Já foram denominados Aschelminthes. São vermes de corpo cilíndrico e com pontas afinadas. Podem ser aquáticos, terrestres ou parasitas. Possuem tubo digestivo completo. São triblásticos

Leia mais

Protozoários: Protozoários Características: Protozoários IMPORTÂNCIA. Morfologia e ultra-estrutura de protozoários. Termo Protozoa: primeiro animal

Protozoários: Protozoários Características: Protozoários IMPORTÂNCIA. Morfologia e ultra-estrutura de protozoários. Termo Protozoa: primeiro animal UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE - UFCG Disciplina: Microbiologia Geral Morfologia e ultra-estrutura de protozoários Protozoários: Termo Protozoa: primeiro animal Protozoários Características: Eucarióticos

Leia mais

Características gerais: animal de corpo fino e tubular simetria bilateral protostômios

Características gerais: animal de corpo fino e tubular simetria bilateral protostômios NEMATELMINTOS Características gerais: animal de corpo fino e tubular simetria bilateral protostômios triblástico pseudocelomado Habitat: vida livre: terrestres ou aquáticos (doce ou salgada) muitas espécies

Leia mais

Caracterizando as infecções

Caracterizando as infecções Semiologia e Semiotécnia em Enfermagem I Controle de Infecção Prof. Ricardo Mattos UNIG, 2009.1 Caracterizando as infecções Portaria MS 2.616 / 98, que regulamenta as ações de controle de infecção hospitalar

Leia mais

CONTEÚDOS A SEREM AVALIADOS NAS PROVAS ESCRITAS

CONTEÚDOS A SEREM AVALIADOS NAS PROVAS ESCRITAS COLÉGIO PEDRO II CSCII CONTEÚDOS A SEREM AVALIADOS NAS PROVAS ESCRITAS - 2017 DISCIPLINA: CIÊNCIAS CERTIFICAÇÃO: 1ª X 2ª 3ª COORDENADOR: MÔNICA FIUZA ANO: X 6º 7º 8º 9º Solos: formação / composição / tipos

Leia mais

Biologia. Rubens Oda (Julio Junior) Doenças

Biologia. Rubens Oda (Julio Junior) Doenças Doenças Doenças 1. Uma parceria internacional definiu como meta distribuir, entre 2008 e 2010, gratuitamente, cerca de 300 milhões de mosquiteiros tratados com inseticidas duráveis para proteger todos

Leia mais

ESTUDO DE CASO A UTILIZAÇÃO DE TERAPIAS BIOFÍSICAS FREQUENCIAIS E DA HIDROZONIO TERAPIA NA OTIMIZAÇÃO DO TRATAMENTO DA LEISHMANIOSE

ESTUDO DE CASO A UTILIZAÇÃO DE TERAPIAS BIOFÍSICAS FREQUENCIAIS E DA HIDROZONIO TERAPIA NA OTIMIZAÇÃO DO TRATAMENTO DA LEISHMANIOSE ESTUDO DE CASO A UTILIZAÇÃO DE TERAPIAS BIOFÍSICAS FREQUENCIAIS E DA HIDROZONIO TERAPIA NA OTIMIZAÇÃO DO TRATAMENTO DA LEISHMANIOSE Maria de Lourdes Nazareth Guedes Alcoforado malounazareth@gmail.com Palavras-Chave:

Leia mais

01 NÃO é competência do Agente de Combate às Endemias:

01 NÃO é competência do Agente de Combate às Endemias: 01 NÃO é competência do Agente de Combate às Endemias: A) - Orientar a população sobre a forma de evitar locais que possam oferecer risco para a formação de criadouros do Aedes Aegypti. B) - Encaminhar

Leia mais

Reino Protista. Protozoários Algas

Reino Protista. Protozoários Algas Reino Protista Protozoários Algas Morfologia e ultra-estrutura de protozoários Características dos protozoários Unicelulares, alguns coloniais, alguns com etapas de vida multicelulares. Eucariontes. Heterótrofos,

Leia mais

Os elementos astronômicos visíveis no céu: Sol, Lua,

Os elementos astronômicos visíveis no céu: Sol, Lua, 1º BIMESTRE TEMA: CONTEÚDOS GERAIS Elementos astronômicos visíveis Temas de terra e Universo estão em 5a, 7a, e 8a. Série OLHANDO PARA CÉU 5a. Série/ 6º ano - Ciências: a?tude e conhecimento Conteúdos

Leia mais

PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA MEDICINA VETERINÁRIA

PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA MEDICINA VETERINÁRIA PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA MEDICINA VETERINÁRIA Contaminação por ovos e larvas de helmintos em areia de praças públicas na cidade de Taguatinga-DF BRASÍLIA 2012 PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA MEDICINA

Leia mais

Estrongiloidíase. - São 52 espécies pertencentes à família Strongyloididae, mas apenas o S. stercoralis é patogênico para o homem.

Estrongiloidíase. - São 52 espécies pertencentes à família Strongyloididae, mas apenas o S. stercoralis é patogênico para o homem. Estrongiloidíase Parasito Reino: Animalia Filo: Nemathelminthes Classe: Nematoda Família: Strongyloididae Gênero: Strongyloides Espécies: Strongyloides stercoralis - São 52 espécies pertencentes à família

Leia mais

Aula 21 Protozoários parasitas

Aula 21 Protozoários parasitas Aula 21 Protozoários parasitas Os protozoários são seres unicelulares, eucariontes e podem ser parasitas ou de vida livre. As células dos protozoários executam todas as funções vitais que nos grupos animais

Leia mais

Roteiro de Estudos para Avaliação Trimestral. 3ª Série E.M. - 1º Trimestre. Biologia - Prof. Paulo O. Borges.

Roteiro de Estudos para Avaliação Trimestral. 3ª Série E.M. - 1º Trimestre. Biologia - Prof. Paulo O. Borges. Roteiro de Estudos para Avaliação Trimestral 3ª Série E.M. - 1º Trimestre Biologia - Prof. Paulo O. Borges. O QUE ESTUDAR: Unidade 2 - Morfologia e anatomia vegetal; Capítulos 22 e 23 - invertebrados e

Leia mais

Instituto de Pesquisas em Patologias Tropicais IPEPATRO/FIOCRUZ. Ferida Brava (Leishmaniose): Conheça e Aprenda a se proteger

Instituto de Pesquisas em Patologias Tropicais IPEPATRO/FIOCRUZ. Ferida Brava (Leishmaniose): Conheça e Aprenda a se proteger Instituto de Pesquisas em Patologias Tropicais IPEPATRO/FIOCRUZ Ferida Brava (Leishmaniose): Conheça e Aprenda a se proteger Janeiro de 2013 O que é? É uma doença infecciosa, não contagiosa, que afeta

Leia mais

Sub-Reino Metazoa. - Esse sub-reino possui 30 filos, sendo 2 de importância médica. São os filos Platyhelminthes e Nemathelminthes.

Sub-Reino Metazoa. - Esse sub-reino possui 30 filos, sendo 2 de importância médica. São os filos Platyhelminthes e Nemathelminthes. Sub-Reino Metazoa - Esse sub-reino possui 30 filos, sendo 2 de importância médica. São os filos Platyhelminthes e Nemathelminthes. - Suspeita-se que 20% da população mundial esteja infectada com algum

Leia mais

REINO PROTISTA PROTOZOÁRIOS ALGAS

REINO PROTISTA PROTOZOÁRIOS ALGAS REINO PROTISTA PROTOZOÁRIOS 7º ANO - CIÊNCIAS PROFESSORA LISIANE VIEL ALGAS PROTOZOÁRIOS Vivem em ambientes variados água e solo, com vida livre ou associados com outros seres vivos. Parasitismo = retiram

Leia mais

IFPB. PLANO DE ENSINO Ensino Superior

IFPB. PLANO DE ENSINO Ensino Superior PLANO DE ENSINO Ensino Superior DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome do COMPONENTE CURRICULAR: EPIDEMIOLOGIA VETERINÁRIA Curso: Medicina Veterinária Período: 2016.1 Turma 2013.1 (7º Período) Carga Horária:

Leia mais

REAÇÕES CUTÂNEAS X DOENÇAS INFECCIOSAS E/OU INFECTO CONTAGIOSAS COMO DESTINGUIR?

REAÇÕES CUTÂNEAS X DOENÇAS INFECCIOSAS E/OU INFECTO CONTAGIOSAS COMO DESTINGUIR? REAÇÕES CUTÂNEAS X DOENÇAS INFECCIOSAS E/OU INFECTO CONTAGIOSAS COMO DESTINGUIR? CUIDADOS COM O PACIENTE, SEUS ACESSÓRIOS E PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS NO TRATAMENTO ALEXANDRE DE S. BARROS Enfermeiro - Radioterapia

Leia mais

Enfermidades Micóticas

Enfermidades Micóticas Enfermidades Micóticas Msc. Larissa Pickler Departamento de Medicina Veterinária Universidade Federal do Paraná Disciplina de Doenças das Aves Curitiba Paraná Brasil 2011 Enfermidades Micóticas Infecções

Leia mais

Curso de Nivelamento de Biologia

Curso de Nivelamento de Biologia Curso de Nivelamento de Biologia Vírus Aula 2-2017 Profª. Priscila Brustin Especialista Biotecnologia e Meio Ambiente DEFINIÇÃO: VÍRUS Vírus (do latim virus, "veneno" ou "toxina"). Parasitas intracelulares

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE HEPATITE A NOTIFICADOS EM UM ESTADO NORDESTINO

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE HEPATITE A NOTIFICADOS EM UM ESTADO NORDESTINO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE HEPATITE A NOTIFICADOS EM UM ESTADO NORDESTINO Rayana Cruz de Souza; Universidade Federal da Paraíba; rayana_souza@hotmail.com Maira Ludna Duarte; Universidade Federal

Leia mais

CARACTERÍSTICAS ORGANISMOS UNICELULARES EUCARIÓTICOS QUIMIO-HETEROTRÓFICOS HABITAM A ÁGUA E O SOLO

CARACTERÍSTICAS ORGANISMOS UNICELULARES EUCARIÓTICOS QUIMIO-HETEROTRÓFICOS HABITAM A ÁGUA E O SOLO PROTOZOÁRIOS CARACTERÍSTICAS ORGANISMOS UNICELULARES EUCARIÓTICOS QUIMIO-HETEROTRÓFICOS HABITAM A ÁGUA E O SOLO CARACTERÍSTICAS PROTOZOA primeiro animal Descreve sua forma animal de nutrição (digestão

Leia mais

Toxoplasma gondii. Ciclo de vida e patogênese com foco para imunodeprimidos

Toxoplasma gondii. Ciclo de vida e patogênese com foco para imunodeprimidos Toxoplasma gondii Ciclo de vida e patogênese com foco para imunodeprimidos INTRODUÇÃO O Toxoplasma gondii é um protozoário intracelular obrigatório, para que seu ciclo de vida esteja completo, precisa

Leia mais

Introdução à Parasitologia

Introdução à Parasitologia Parasitologia Médica CBS06625 Carlos Eugênio Silva Aulas teóricas e práticas* Verificações Nota, conceito e aprovação Referências bibliográficas Representação Discente Todas as informações relativas à

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 29 REINO PROTISTA

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 29 REINO PROTISTA BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 29 REINO PROTISTA Fixação 1) (PUC) O filo Protozoa é subdividido em quatro classes: Sarcodina, Mastigophora, Sporozoa e Cilliphora. A característica considerada para

Leia mais

Biologia. Setor 1423 Móds. 03 a 06. Prof. Rafa

Biologia. Setor 1423 Móds. 03 a 06. Prof. Rafa Biologia Setor 1423 Móds. 03 a 06 Prof. Rafa PROTISTAS PROTISTAS ALGAS FOTOSSINTETIZANTES PROTOZOÁRIOS PARASITAS Protozoários (Reino Protista) Características: Estrutura Formas de vida Eucariontes Unicelulares

Leia mais

Atualizado em 24/05/2015 Prof. Associado, Dr. Paulo Sergio Torres Brioso (http://lattes.cnpq.br/ )

Atualizado em 24/05/2015 Prof. Associado, Dr. Paulo Sergio Torres Brioso (http://lattes.cnpq.br/ ) UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE BIOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENTOMOLOGIA E FITOPATOLOGIA ÁREA DE FITOPATOLOGIA IB 237 (PATOLOGIA FLORESTAL) Atualizado em 24/05/2015 Prof. Associado,

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE MODELOS EPIDEMIOLÓGICOS ENVOLVENDO EQUAÇÕES DIFERENCIAIS ORDINÁRIAS

UM ESTUDO SOBRE MODELOS EPIDEMIOLÓGICOS ENVOLVENDO EQUAÇÕES DIFERENCIAIS ORDINÁRIAS UM ESTUDO SOBRE MODELOS EPIDEMIOLÓGICOS ENVOLVENDO EQUAÇÕES DIFERENCIAIS ORDINÁRIAS Valdir Junior Florentin de Aguiar 1 ; Maristela Missio 1 Estudante do curso de Matemática da UEMS, Unidade Universitária

Leia mais

14/03/2017. Eucariontes; Unicelulares; Heterótrofos; Digestão: Vacúolos digestivos; Reprodução: Assexuada; Sexuada; PROTOZOÁRIOS E ALGAS

14/03/2017. Eucariontes; Unicelulares; Heterótrofos; Digestão: Vacúolos digestivos; Reprodução: Assexuada; Sexuada; PROTOZOÁRIOS E ALGAS PROTOZOÁRIOS E ALGAS Eucariontes; Unicelulares; Heterótrofos; Digestão: Vacúolos digestivos; Reprodução: Assexuada; Sexuada; 1 2 Locomoção por meio de pseudópodes; Vida livre ou parasitas; Vacúolo pulsátil

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Saúde Pública Departamento de Epidemiologia. Epidemiologia das Doenças Infecciosas

Universidade de São Paulo Faculdade de Saúde Pública Departamento de Epidemiologia. Epidemiologia das Doenças Infecciosas Universidade de São Paulo Faculdade de Saúde Pública Departamento de Epidemiologia Epidemiologia das Doenças Infecciosas 2016 Introdução Conteúdo Breve histórico e estimativas de doenças infecciosas no

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D Ensino Médio Ciências da Natureza II Habilidade da Questão Conteúdo Matriz da EJA/FB 1 Técnica de separação de mistura H1; H5 homogênea (destilação simples) 2 Composição do ar

Leia mais

Classificados conforme estrutura locomotora em:

Classificados conforme estrutura locomotora em: Os Protozoários Reino Protoctista Classificados conforme estrutura locomotora em: Sarcodíneos ou Rizópodes: locomovem-se por pseudópodos; Zoomastigóforos ou Flagelados: locomovem-se por flagelos; Ciliados:

Leia mais

Características Gerais. Características Fisiológicas dos Protozoários. Características Gerais dos Protozoários

Características Gerais. Características Fisiológicas dos Protozoários. Características Gerais dos Protozoários Professora Denise Biologia www.e-conhecimento.com.br Características Gerais Eucariontes Não se encaixam em nenhum dos outros reinos Grupo Artificial, Polifilético mais de um ancestral Como são muito distintos,

Leia mais

Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: Microbiologia Aula 1

Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: Microbiologia Aula 1 Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: Microbiologia Aula 1 Professor Antônio Ruas 1. Créditos: 60 2. Carga horária semanal:

Leia mais

Toxoplasmose. Zoonose causada por protozoário Toxoplasma gondii. Único agente causal da toxoplasmose. Distribuição geográfica: Mundial

Toxoplasmose. Zoonose causada por protozoário Toxoplasma gondii. Único agente causal da toxoplasmose. Distribuição geográfica: Mundial Toxoplasmose Zoonose causada por protozoário Toxoplasma gondii Único agente causal da toxoplasmose Distribuição geográfica: Mundial Hospedeiros: a) Hospedeiros finais ou definitivos: - felideos (gato doméstico

Leia mais

História Natural da Doença Professor Neto Paixão

História Natural da Doença Professor Neto Paixão ARTIGO História Natural da Doença Olá guerreiro concurseiro. Neste artigo iremos abordar um importante aspecto da epidemiologia: a história natural das doenças e formas de prevenção. De forma sucinta você

Leia mais

Equações: I- Água + gás carbônico glicose + gás oxigênio + água II- Glicose + oxigênio água + gás carbônico

Equações: I- Água + gás carbônico glicose + gás oxigênio + água II- Glicose + oxigênio água + gás carbônico 7º 1. No quadro negro, a professora anotou duas equações químicas que representam dois importantes processos biológicos, e pediu aos alunos que fizessem algumas afirmações sobre elas. Equações: I- Água

Leia mais

Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor.

Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor. Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor. Sistemas: Digestório Incompleto Respiratório Difusão Nervoso Ganglionar Circulatório

Leia mais

Thais Guedes Guida. Supervisão Jaqueline Quincas. Orientação Márcia Helena Mendonça Ruth Janice Guse Schadeck

Thais Guedes Guida. Supervisão Jaqueline Quincas. Orientação Márcia Helena Mendonça Ruth Janice Guse Schadeck Thais Guedes Guida Supervisão Jaqueline Quincas Orientação Márcia Helena Mendonça Ruth Janice Guse Schadeck Aula teórica sobre protozoários abordando as características principais desses organismos, principais

Leia mais

LAUDO 007 / 2015 READAPATAÇÃO AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS / PACS - SMS

LAUDO 007 / 2015 READAPATAÇÃO AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS / PACS - SMS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - PMPA SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE - SMS GERÊNCIA DE SAÚDE DO SERVIDOR MUNICIPAL - GSSM EQUIPE DE PERÍCIA TÉCNICA - EPT LAUDO 007 / 2015 READAPATAÇÃO AUXILIAR DE

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 57 PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 57 PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 57 PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS ixação F ) (UFF) Os platelmintos pertencem ao primeiro grupo de animais a possuir um sistema excre-or. Este é bastante primitivo, formado

Leia mais

BAN 160 Entomologia Geral Insetos e Microrganismos. Sam Elliot

BAN 160 Entomologia Geral Insetos e Microrganismos. Sam Elliot BAN 160 Entomologia Geral Insetos e Microrganismos Sam Elliot Insetos e Microrganismos Tipos de Microrganismos Contexto para Considerar Interações Inseto-Microrganismo Fenótipo Extendido e Teias Alimentares

Leia mais

ESQUISTOSSOMOSE. Profa Carolina G. P. Beyrodt

ESQUISTOSSOMOSE. Profa Carolina G. P. Beyrodt ESQUISTOSSOMOSE Profa Carolina G. P. Beyrodt AGENTE ETIOLÓGICO Agente etiológico da esquistossomose mansônica: Schistosoma mansoni Schisto = fenda + soma = corpo (corpo em forma de fenda) Ocorre na África,

Leia mais

Plano de Recuperação Final EF2

Plano de Recuperação Final EF2 Professor: Cybelle / José Henrique / Sarah Ano: 7º ano Objetivos: Proporcionar ao aluno a oportunidade de resgatar os conteúdos trabalhados em Ciências nos quais apresentou defasagens e os quais lhe servirão

Leia mais

Doenças Transmissíveis, Modos de Transmissão e Conceitos Epidemiológicos. Arnaldo F B Andrade FCM/UERJ 2012

Doenças Transmissíveis, Modos de Transmissão e Conceitos Epidemiológicos. Arnaldo F B Andrade FCM/UERJ 2012 Doenças Transmissíveis, Modos de Transmissão e Conceitos Epidemiológicos Arnaldo F B Andrade FCM/UERJ 2012 Doença Definição: desajustamento ou uma falha nos mecanismos de adaptação do organismo ou uma

Leia mais

Bactérias Vírus Fungos Protozoários O QUE SÃO

Bactérias Vírus Fungos Protozoários O QUE SÃO Bactérias Vírus Fungos Protozoários RESUMO DOS PRINCIPAIS MICRORGANISMOS, O QUE SÃO MEIOS DE PROLIFERAÇÃO... Diferença entre as células Bactérias São seres muito simples, unicelulares e com célula procariótica

Leia mais

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Ser Humano e Saúde 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 11.2 Conteúdo Doenças Sexualmente Transmissíveis

Leia mais