AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE CARCAÇA DE VACAS NELORE SUBMETIDAS À RESTRIÇÃO NUTRICIONAL E COM DOIS NÍVEIS DE RECUPERAÇÃO DE PESO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE CARCAÇA DE VACAS NELORE SUBMETIDAS À RESTRIÇÃO NUTRICIONAL E COM DOIS NÍVEIS DE RECUPERAÇÃO DE PESO"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE CARCAÇA DE VACAS NELORE SUBMETIDAS À RESTRIÇÃO NUTRICIONAL E COM DOIS NÍVEIS DE RECUPERAÇÃO DE PESO Kelvis oliveira de Barros 1 ; Henrique Jorge Fernandes 2 ; Luísa Melville Paiva 3 1 Estudante do Curso de Zootecnia da UEMS, Unidade Universitária de Aquidauana; Bolsista PIBIC/CNPq 2 Professor do curso de Zootecnia da UEMS, Unidade Universitária de Aquidauana; 3 Professor do curso de Zootecnia da UEMS, Unidade Universitária de Aquidauana; Resumo Para avaliar a composição e a qualidade de carcaça de vacas submetidas à restrição nutricional e a duas velocidades de ganho na realimentação, e estudar as relações entre o peso vivo, as medidas biométricas e o conteúdo de gordura na carcaça foram utilizados 33 vacas neloradas do rebanho de descarte da EMBRAPA. Os animais foram alojados em pastagens, divididos em 2 grupos, de maio a agosto de 2010: 11 vacas foram mantidas em regime de mantença e as demais foram submetidas à restrição nutricional. A partir de agosto, as vacas foram transferidas para o confinamento, e tiveram sua dieta ajustada: as 11 vacas do grupo mantença foram mantidas em dieta que garantia a manutenção de seu peso vivo (Controle); as demais foram divididas em 2 grupos, alimentadas com dietas formuladas para ganho compensatório acelerado, em torno de 1,5 kg d -1, e para ganho compensatório lento, em torno de 0,5 kg d -1 (11 animais). Após um período médio de 104 dias em confinamento, os animais foram abatidos e as carcaças avaliadas. O tratamento de restrição nutricional e realimentação produziu carcaças menos maduras, mas dentro dos padrões mínimos de qualidade. Novas pesquisas são necessárias para avaliar as diferenças nas relações entre medidas biométricas e o conteúdo de gordura na carcaça de bovinos em crescimento e maduros. Palavras-chave: gado de corte, qualidade de carcaça, restrição nutricional, vacas Introdução 1

2 O Brasil é hoje o maior exportador mundial de carne bovina. Percebe-se, no entanto, a necessidade de produzir animais com melhor qualidade de carcaça para atender às exigências dos mercados consumidores. A estimativa da composição corporal de animais vivos é essencial para desenvolver sistemas de produção mais eficientes, que consumam menos recursos e permitam predizer a composição do ganho de peso, o consumo de ração e o ponto ideal de abate para determinado grau de qualidade (TEDESCHI et al., 2004). A utilização de medidas biométricas (MB) como um indicador do tipo de animal ou como um preditor de aspectos específicos da composição corporal é uma proposta antiga (FERNANDES et al., 2010), com a grande vantagem de ser um método de baixo custo. Objetivou-se nesse experimento avaliar a composição e a qualidade de carcaça de vacas em confinamento, submetidas à restrição nutricional e a duas velocidades de ganho na re-alimentação, e estudar as relações entre o peso vivo, medidas biométricas e o conteúdo de gordura na carcaça. Material e Métodos O experimento foi desenvolvido na EMBRAPA Gado de Corte, em Campo Grande, MS. Foram utilizadas 33 vacas neloradas do rebanho de descarte da EMBRAPA. Os animais foram alojados em pastagens no período de maio a agosto de 2010, divididos em 2 grupos: 11 vacas foram mantidas em regime de mantença (sem variação de peso), e as demais foram submetidas à restrição nutricional. Estes tratamentos foram garantidos por ajustes na taxa de lotação das pastagens. A partir de agosto, as vacas foram transferidas para o confinamento e tiveram sua dieta ajustada para três diferentes tratamentos: as 11 vacas originalmente em mantença, foram mantidas em dieta que garantia a manutenção de seu peso vivo (Mantença), constituindo o tratamento controle; as demais vacas foram dividas em 2 grupos, alimentados com dietas formuladas para ganho compensatório acelerado (Alto Ganho), em torno de 1,5 kg d -1 (11 animais), e para ganho compensatório lento (Baixo Ganho), em torno de 0,5 kg d -1 (11 animais). As dietas foram ajustadas de acordo com as recomendações do NRC (2000). 2

3 Após um período médio de 104 dias em confinamento, os animais foram abatidos no laboratório de carcaças da Embrapa Gado de Corte. Na véspera dos abates foram tomadas as MB. As seguintes MB foram realizadas, como sugeridas por Fernandes et al. (2010): Aberturas de íleos e ísquios, medidas como a distância entre os dois pontos ventrais do tuber coxae, e entre as duas tuberosidades ventrais do tuber ischii, respectivamente; Profundidade de garupa, medida como a distância vertical entre o ponto ventral do tuber coxae e a linha ventral do corpo; Altura de garupa, medida do ponto ventral do tuber coxae, verticalmente, até o chão; Comprimento de corpo, medido como a distância entre o ponto dorsal da escápula e o ponto ventral do tuber coxae; Comprimento de costela, medida do ponto mais alto acima da escápula, ao ponto final das costelas; Arqueamento de costela, medido como a maior largura horizontal do abdômen, em ângulo reto ao eixo central do corpo; Altura de cernelha, medida a partir do ponto mais alto acima da escápula, verticalmente até o chão; e, finalmente, Comprimento de garupa, medido como a distância entre os pontos ventrais do tuber coxae, e as tuberosidades ventrais do tuber ischii. Todas as MB foram obtidas com um hipômetro. Imediatamente antes do abate, cada animal foi pesado após 16 horas de jejum de sólidos (peso corporal em jejum - PVJ). Durante o abate, a carcaça de cada animal foi dividida em duas metades, que foram refrigeradas a - 5 o C por 24 h. Após o resfriamento, na meia carcaça esquerda procedeu-se a retirada de uma secção entre a 9ª e a 11ª costela, como sugerido por Hankins & Howe (1946). Estas seções de costela foram então fisicamente dissecadas e os componentes físicos (músculo, gordura e osso) pesados para se estimar sua quantidade na carcaça (Hankins & Howe, 1946). Na meia carcaça direita foram realizadas as medidas de comprimento da carcaça e de espessura de gordura na 13ª costela. As características de carcaça foram analisadas segundo um modelo inteiramente casualizado e os efeitos da restrição nutricional e da velocidade de ganho na re-alimentação sobre essas características foram avaliadas pela decomposição da soma de quadrados relacionada aos tratamentos por intermédio de contrastes ortogonais. Utilizou-se o statement Selection Stepwise do PROC REG do SAS (SAS Institute, Cary, CA) para selecionar as características corporais (MB, PVJ e Espessura de gordura) mais relacionadas com o total de gordura na carcaça (TGC) e ajustar uma equação de predição da TGC a partir destas características. 3

4 Adotou-se um nível de significância de 10% para todas as análises. Resultados e Discussão O processo de restrição alimentar e re-alimentação dos animais reduziu (P<0,10) a espessura de gordura de cobertura da carcaça (Tabela 1). Apesar disto, a espessura de gordura apresentada pelas vacas submetidas a esse tratamento (cerca de 4,5 mm em média) ainda encontra-se dentro da faixa considerada adequada pelo mercado. O comprimento de carcaça foi a única característica avaliada não afetada pelo processo de restrição e re-alimentação. Uma vez que o comprimento de carcaça está mais ligado ao crescimento ósseo, que definirá o tamanho final do animal, e os ossos são componentes corporais de crescimento precoce (BERG & BUTTERFIELD, 1976), já era de se esperar que variações no ambiente de produção de vacas adultas não afetassem essa medida. Todos os componentes físicos da carcaça foram afetados pelo processo de restrição e re-alimentação. De modo geral, a carcaça das vacas submetidas a esse tratamento apresentaram mais músculos, mais ossos e menos gordura que as controle. Isto é coerente com carcaças menos amadurecidas. Berg & Butterfield (1976) explicam que animais submetidos à restrição nutricional buscam atingir o estágio de maturidade corporal de animais que não passaram pela restrição, seguindo uma priorização normal de crescimento de tecidos. Os resultados observados permitem inferir que, caso as vacas permanecessem mais tempo no processo de re-alimentação, talvez as diferenças na composição física das carcaças dessas para as das vacas controle pudessem ser anuladas. A velocidade de ganho durante a re-alimentação, por sua vez, não afetou nenhuma ds características de carcaça aqui avaliadas (P>0,10). 4

5 Tabela 1 Características de carcaça de vacas submetidas à restrição nutricional e a dois níveis de ganho na re-alimentação Características da carcaça Tratamentos Valor P Controle Restrição (Velocidade de Ganho na Realimentação) Baixa Alto C.V Efeito da Restrição Efeito da Velocidade do Ganho Espessura de Gordura, mm 8,22 5,16 4,18 36,8 <0,001 0,192 Comprimento de Carcaça, cm ,02 0,501 0,300 Músculos da carcaça, % 55,0 58,8 58,2 6,18 0,055 0,678 Ossos da Carcaça, % 11,5 15,0 13,6 14,8 0,009 0,114 Gordura da Carcaça, % 35,5 26,9 29,3 15,8 0,003 0,203 A equação que ofereceu uma melhor predição do TGC (Eq. [1]) combinou as informações de PVJ, espessura de gordura e comprimento corporal. Estes resultados contradizem o modelo proposto por Fernandes et al. (2010) para a predição do TGC de bovinos em crescimento. Naquele trabalho, os autores encontraram maior relação da TGC com o arqeuamento de costelas, além do PVJ e da espessura de gordura. TGC = 21,3 x PVJ x EG 75,2 x COMPCOR Eq. [1] Onde: TGC é o total de gordura na carcaça (kg); PVJ é o peso corporal em jejum (kg); EG é a espessura de gordura na altura da 13ª costela (mm); e, COMPCOR é o comprimento do corpo (cm). Essa equação demonstra uma relação em que, vacas a um mesmo peso corporal, tendem a ter 548 kg de gordura na carcaça a mais para cada milímetro de espessura de gordura subcutânea, e 75 kg de gordura na carcaça a menos para cada centímetro de comprimento corporal. Conclusões O processo de restrição nutricional e re-alimentação produziu carcaças menos maduras, mas ainda dentro dos padrões mínimos de qualidade exigidos pelo mercado. 5

6 Novas pesquisas são necessárias para se avaliar as diferenças nas relações entre medidas biométricas e o conteúdo de gordura na carcaça de bovinos em crescimento e maduros. Referências BERG, R. T. E BUTTERFIELD, R. M. New concepts of cattle growth. Sydney: Sydney university press, p. FERNANDES, H.J.; TEDESCHI, L.O.; PAULINO, M.F. et al. Determination of carcass and body fat compositions of grazing crossbred bulls using body measurements. Journal of Animal Science. n. 88. p , HANKINS, O.G. & HOWE, P.E. Estimation of the composition of beef carcasses and cuts. Washington, USDA, (Technical Bulletin, 926), 26 p. NRC National Reserarch Council. Nutriente Requirement of Beef Cattle. 4th revised edition. National Academy Press, Washington, p. TEDESCHI, L. O., D. G. FOX, & GUIROY, P. J A decision support system to improve individual cattle management. 1. A mechanistic, dynamic model for animal growth. Agric. Syst. 79:

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=138>.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=138>. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em . Efeito de diferentes raças sobre as características de carcaça de animais terminados em

Leia mais

CURVAS DE CRESCIMENTO DE BOVINOS DE DIFERENTES GÊNEROS EM AQUIDAUANA, MS

CURVAS DE CRESCIMENTO DE BOVINOS DE DIFERENTES GÊNEROS EM AQUIDAUANA, MS CURVAS DE CRESCIMENTO DE BOVINOS DE DIFERENTES GÊNEROS EM AQUIDAUANA, MS Victor Simonetti Siqueira 1 ; Henrique Jorge Fernandes ; Luísa Melville Paiva 3 1 Estudante do Curso de Zootecnia da UEMS, Unidade

Leia mais

III Seminário: Sistemas de Produção Agropecuária - Zootecnia

III Seminário: Sistemas de Produção Agropecuária - Zootecnia COMPOSIÇÃO TECIDUAL E CENTESIMAL DA SECÇÃO ENTRE A 9ª E A 11ª COSTELAS DE CORDEIROS ALIMENTADOS COM DIETAS CONTENDO DIFERENTES RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS Ana Carolina R. Sanquetta de Pellegrin 1, Sérgio

Leia mais

BOVINOS RAÇAS PURAS, NOVAS RAÇAS, CRUZAMENTOS E COMPOSTOS DE GADO DE CORTE. Moderador: Prof. José Aurélio Garcia Bergmann UFMG

BOVINOS RAÇAS PURAS, NOVAS RAÇAS, CRUZAMENTOS E COMPOSTOS DE GADO DE CORTE. Moderador: Prof. José Aurélio Garcia Bergmann UFMG BOVINOS RAÇAS PURAS, NOVAS RAÇAS, CRUZAMENTOS E COMPOSTOS DE GADO DE CORTE Moderador: Prof. José Aurélio Garcia Bergmann UFMG PAPEL DOS CRUZAMENTOS ENTRE RAÇAS DE CORTE Pedro Franklin Barbosa Embrapa -

Leia mais

Ganho de Peso de Coelhos de Diferentes Grupos Genéticos

Ganho de Peso de Coelhos de Diferentes Grupos Genéticos VI Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - Campus Bambuí VI Jornada Científica 21 a 26 de outubro de 2013 Ganho de Peso de Coelhos de Diferentes Grupos Genéticos Felipe Evangelista PIMENTEL¹, Luiz Carlos

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PRODUTIVO E REPRODUTIVO, BIOMETRIA CORPORAL E GENEALOGIA DE BOVINOS DA RAÇA ANGUS E SUAS CORRELAÇÕES

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PRODUTIVO E REPRODUTIVO, BIOMETRIA CORPORAL E GENEALOGIA DE BOVINOS DA RAÇA ANGUS E SUAS CORRELAÇÕES AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PRODUTIVO E REPRODUTIVO, BIOMETRIA CORPORAL E GENEALOGIA DE BOVINOS DA RAÇA ANGUS E SUAS CORRELAÇÕES EVANDRO MILANI PRETTO ¹*, MARCELO FALCI MOTA¹, ADALGIZA PINTO NETO¹, JÚLIO CESAR

Leia mais

RAÇAS E CRUZAMENTOS PARA PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA REVISÃO DE LITERATURA BREEDS AND CROSSES FOR PRODUCTION OF BEEF - LITERATURE REVIEW

RAÇAS E CRUZAMENTOS PARA PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA REVISÃO DE LITERATURA BREEDS AND CROSSES FOR PRODUCTION OF BEEF - LITERATURE REVIEW RAÇAS E CRUZAMENTOS PARA PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA REVISÃO DE LITERATURA BREEDS AND CROSSES FOR PRODUCTION OF BEEF - LITERATURE REVIEW LOPES, Bianca B Discente do curso se medicina veterinária da FAMED/

Leia mais

AVALIAÇÃO MORFOMÉTRICA DE BEZERROS LEITEIROS NA FASE DE RECRIA ALIMENTADOS COM DIFERENTES NÍVEIS DE INCLUSÃO DE LEVEDURA SECA DE CANA

AVALIAÇÃO MORFOMÉTRICA DE BEZERROS LEITEIROS NA FASE DE RECRIA ALIMENTADOS COM DIFERENTES NÍVEIS DE INCLUSÃO DE LEVEDURA SECA DE CANA AVALIAÇÃO MORFOMÉTRICA DE BEZERROS LEITEIROS NA FASE DE RECRIA ALIMENTADOS COM DIFERENTES NÍVEIS DE INCLUSÃO DE LEVEDURA SECA DE CANA SILVEIRA, M.A.¹; JAYME D.G.²; GONÇALVES T.¹; RODRIGUES V.H.C.¹; CAMILO

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CARCAÇAS DA RAÇA ABERDEEN ANGUS

AVALIAÇÃO DE CARCAÇAS DA RAÇA ABERDEEN ANGUS AVALIAÇÃO DE CARCAÇAS DA RAÇA ABERDEEN ANGUS GUIMARÃES, Viviane Dambrósio 1 ; ARALDI, Daniele Furian 2 Palavras-Chave: Carcaças, avaliação, bovinos, Aberdeen Angus Introdução Um dos fatores mais importantes

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E TIPICAÇÃO DE CARCAÇAS OBJETIVOS OBJETIVOS

CLASSIFICAÇÃO E TIPICAÇÃO DE CARCAÇAS OBJETIVOS OBJETIVOS CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO E TIPICAÇÃO DE CARCAÇAS AS DE SUÍNOS Agrupar por classe produtos que tem características semelhantes. Classifica os animais em raça, sexo, maturidade, acabamento e conformação

Leia mais

Porcentagem de carne magra Década de a a a ,5 a ,5 a 57,5 Atual Mais de 59

Porcentagem de carne magra Década de a a a ,5 a ,5 a 57,5 Atual Mais de 59 CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO E TIPICAÇÃO DE CARCAÇAS DE SUÍNOS Agrupar por classe produtos que tem características semelhantes. Classifica os animais em raça, sexo, maturidade, acabamento e conformação.

Leia mais

16/3/2010 FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO E CRESCIMENTO COMPENSATÓRIO EM BOVINOS DE CORTE. 1. Introdução. 1. Introdução. Crescimento. Raça do pai e da mãe

16/3/2010 FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO E CRESCIMENTO COMPENSATÓRIO EM BOVINOS DE CORTE. 1. Introdução. 1. Introdução. Crescimento. Raça do pai e da mãe UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA VETERINARIA BOVINOCULTURA DE CORTE 1. Introdução Por que estudar a fisiologia do Crescimento corporal? FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO E CRESCIMENTO EM

Leia mais

USDA Yield Grade. André Mendes Jorge. Professor Adjunto Livre Docente Departamento de Produção Animal. Departamento de Produção Animal

USDA Yield Grade. André Mendes Jorge. Professor Adjunto Livre Docente Departamento de Produção Animal. Departamento de Produção Animal Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia FMVZ Campus de Botucatu Departamento de Produção Animal USDA Yield Grade Quality Grade André Mendes Jorge Zootecnista Professor Adjunto Livre Docente Departamento

Leia mais

A DEP é expressa na unidade da característica avaliada, sempre com sinal positivo ou negativo:

A DEP é expressa na unidade da característica avaliada, sempre com sinal positivo ou negativo: Melhoramento Genético A contínua evolução da pecuária de corte faz com que a Marca OB, sempre presente na vanguarda da produção pecuária, oferece a seus clientes o que há de mais moderno em melhoramento

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARCAÇA DE BOVINOS SUPERPRECOCES EVALUATION OF SUPERPRECOCE BEEF CATTLE CARCASS COMPOSITION

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARCAÇA DE BOVINOS SUPERPRECOCES EVALUATION OF SUPERPRECOCE BEEF CATTLE CARCASS COMPOSITION CIÊNCIAS AGRÁRIAS 37 TRABALHO ORIGINAL AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARCAÇA DE BOVINOS SUPERPRECOCES EVALUATION OF SUPERPRECOCE BEEF CATTLE CARCASS COMPOSITION Liliane Suguisawa 1, Ricardo Velludo Gomes

Leia mais

A ULTRASSONOGRAFIA COMO CRITÉRIO DE ABATE EM BOVINOS DE CORTE

A ULTRASSONOGRAFIA COMO CRITÉRIO DE ABATE EM BOVINOS DE CORTE A ULTRASSONOGRAFIA COMO CRITÉRIO DE ABATE EM BOVINOS DE CORTE Marcelo Henrique de Faria Zoot., Dr., PqC do Polo Regional Alta Mogiana/APTA mfaria@apta.sp.gov.br Histórico O uso da ultrassonografia em bovinos

Leia mais

2ª Edição. Editores: Sebastião de Campos Valadares Filho Marcos Inácio Marcondes Mario Luiz Chizzotti Pedro Veiga Rodrigues Paulino

2ª Edição. Editores: Sebastião de Campos Valadares Filho Marcos Inácio Marcondes Mario Luiz Chizzotti Pedro Veiga Rodrigues Paulino 2ª Edição Editores: Sebastião de Campos Valadares Filho Marcos Inácio Marcondes Mario Luiz Chizzotti Pedro Veiga Rodrigues Paulino UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA 2010 2 a Edição

Leia mais

Helena M. F. da SILVA 1 ; Fábio R. ALMEIDA 1 ; Marcos L. DIAS 1 ; Gustavo F. RODRIGUES 1 ; Letícia G. M. AMARAL 2 ; Níkolas O.

Helena M. F. da SILVA 1 ; Fábio R. ALMEIDA 1 ; Marcos L. DIAS 1 ; Gustavo F. RODRIGUES 1 ; Letícia G. M. AMARAL 2 ; Níkolas O. VIABILIDADE ECONÔMICA DO USO DE RACTOPAMINA EM RAÇÕES PARA SUÍNOS EM TERMINAÇÃO DE DIFERENTES POTENCIAIS GENÉTICOS PARA GANHO DE PESO OU SÍNTESE DE CARNE MAGRA Helena M. F. da SILVA 1 ; Fábio R. ALMEIDA

Leia mais

Comprimento de cocho para novilhas leiteiras

Comprimento de cocho para novilhas leiteiras Comprimento de cocho para novilhas leiteiras Por Carla Maris Bittar 1 e Vanessa Pillon dos Santos 2 A manutenção do adequado desempenho de lotes de novilhas, assim como o desempenho individual de cada

Leia mais

Melhoramento da qualidade da carcaça e da carne de bovinos no Brasil

Melhoramento da qualidade da carcaça e da carne de bovinos no Brasil Pauta 2 Melhoramento da qualidade da carcaça e da carne de bovinos no Brasil Roberto D. Sainz Fabiano Araujo University of California, Davis & Aval Serviços Tecnológicos Introdução Critérios de qualidade

Leia mais

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE TOURINHOS NELORE, ALIMENTADOS COM FARINHA AMILÁCEA DE BABAÇU, NA REGIÃO NORTE DO BRASIL

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE TOURINHOS NELORE, ALIMENTADOS COM FARINHA AMILÁCEA DE BABAÇU, NA REGIÃO NORTE DO BRASIL COMPOSIÇÃO CORPORAL DE TOURINHOS NELORE, ALIMENTADOS COM FARINHA AMILÁCEA DE BABAÇU, NA REGIÃO NORTE DO BRASIL Rafyze Uchoa Silva 1 ; Glauco Mora Ribeiro 2 1 Aluna do Curso de Zootecnia; Campus de Araguaína;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO: ZOOTECNIA IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: CÓDIGO NOME ( T - P ) ZOT 1050 BOVINOCULTURA DE LEITE (2-1) OBJETIVOS - ao término da disciplina

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONSUMO E PESO DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ALIMENTADOS COM CONCENTRADO FARELADO OU PELETIZADO DURANTE A FASE DE ALEITAMENTO

AVALIAÇÃO DO CONSUMO E PESO DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ALIMENTADOS COM CONCENTRADO FARELADO OU PELETIZADO DURANTE A FASE DE ALEITAMENTO AVALIAÇÃO DO CONSUMO E PESO DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ALIMENTADOS COM CONCENTRADO FARELADO OU PELETIZADO DURANTE A FASE DE ALEITAMENTO FERREIRA, F.O.B. 1 ; BARBOSA, K.A. 1 ; SENE, G.A. 1 ; JAYME, D.G.

Leia mais

NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR MILHETO NA DIETA DE NOVILHOS DE DIFERENTES GRUPOS GENÉTICOS TERMINADOS EM CONFINAMENTO

NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR MILHETO NA DIETA DE NOVILHOS DE DIFERENTES GRUPOS GENÉTICOS TERMINADOS EM CONFINAMENTO NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR MILHETO NA DIETA DE NOVILHOS DE DIFERENTES GRUPOS GENÉTICOS TERMINADOS EM CONFINAMENTO Alexey Heronville G. da SILVA João RESTLE Juliano José R. FERNADES Ubirajara Oliveira

Leia mais

Características da carcaça de vacas de descarte abatidas com diferentes pesos 1

Características da carcaça de vacas de descarte abatidas com diferentes pesos 1 Revista Ciência Agronômica, v. 44, n. 3, p. 644-651, jul-set, 2013 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE Artigo Científico www.ccarevista.ufc.br ISSN 1806-6690 Características

Leia mais

PRODUÇÃO DE AVES CAIPIRAS RECEBENDO RAÇÕES COM DIFERENTES NÍVEIS DO RESÍDUO DA RASPA DA MANDIOCA COM E SEM URUCUM

PRODUÇÃO DE AVES CAIPIRAS RECEBENDO RAÇÕES COM DIFERENTES NÍVEIS DO RESÍDUO DA RASPA DA MANDIOCA COM E SEM URUCUM PRODUÇÃO DE AVES CAIPIRAS RECEBENDO RAÇÕES COM DIFERENTES NÍVEIS DO RESÍDUO DA RASPA DA MANDIOCA COM E SEM URUCUM Antonio Hugo Rabelo de Castro 1 ; Kênia Ferreira Rodrigues 2 ; 1 Aluno do Curso de Zootecnia;

Leia mais

Avaliação microbiológica da carne maturada de bovinos

Avaliação microbiológica da carne maturada de bovinos Avaliação microbiológica da carne maturada de bovinos Bruna S. Barboza, Eder Paulo Fagan, Rodrigo Cesar M. Alves, Jessica Gonçalves Vero, Evelyn R. dos Santos, Thales de A. B. Cardoso, Ana Maria Bridi

Leia mais

ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM BUBALINOS

ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM BUBALINOS Disciplina de Bubalinocultura ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM BUBALINOS Prof. Dr. André M. Jorge UNESP-FMVZ-Botucatu Depto. Produção e Exploração Animal A quantidade de reservas corporais que uma búfala

Leia mais

Ferramentas de Impacto no Melhoramento de Gado de Corte

Ferramentas de Impacto no Melhoramento de Gado de Corte Ferramentas de Impacto no Melhoramento de Gado de Corte Leonardo Souza Qualitas Consultoria Agropecuária BRAVO BEEF GOIÁS Médico Veterinário leo.nz@terra.com.br 62-3097-1030 62-3383-1170 62-9994-1165 Melhoramento

Leia mais

Efeito da idade da vaca sobre o peso ao nascimento e peso à desmama de bovinos da raça Aberdeen Angus

Efeito da idade da vaca sobre o peso ao nascimento e peso à desmama de bovinos da raça Aberdeen Angus Efeito da idade da vaca sobre o peso ao nascimento e peso à desmama de bovinos da raça Aberdeen Angus Autor(es): Apresentador: Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: BIEGELMEYER, Patrícia; MENEZES,

Leia mais

Circular. Técnica. Relação entre o ângulo interno da garupa e o acabamento de carcaça em vacas nelore. Introdução. Autores. Material e métodos

Circular. Técnica. Relação entre o ângulo interno da garupa e o acabamento de carcaça em vacas nelore. Introdução. Autores. Material e métodos ISSN 0103-9334 Relação entre o ângulo interno da garupa e o acabamento de carcaça em vacas nelore 46 Introdução Circular Técnica Porto Velho, RO Fevereiro, 2017 Autores Luiz Francisco Machado Pfeifer Médico

Leia mais

2 DAPSA - FMVA - UNESP. 1 Mestranda da FMVA - UNESP (Bolsa CAPES). 3 e-mail:shvperri@fmva.unesp.br 4 Agradecimento FAPESP pelo apoio financeiro.

2 DAPSA - FMVA - UNESP. 1 Mestranda da FMVA - UNESP (Bolsa CAPES). 3 e-mail:shvperri@fmva.unesp.br 4 Agradecimento FAPESP pelo apoio financeiro. Modelos de superfície de resposta aplicados na formulação não linear de ração para frangos de corte Camila Angelica Gonçalves 1 Max José de Araujo Faria Júnior 2 Sílvia Helena Venturoli Perri 2,3 Manoel

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas Avaliação do efeito da inclusão da farinha do mesocarpo do babaçu sobre o rendimento de carcaça, rendimento de cortes nobres e composição corporal de frangos de corte na fase de 22 a 42 dias de idade Luciana

Leia mais

Melhoramento Animal. Prova de Avaliação a Campo PAC-Embrapa. Seleção. Efeito da seleção QUAL É O MELHOR ANIMAL? 12/08/2013. Marcos Jun-Iti Yokoo

Melhoramento Animal. Prova de Avaliação a Campo PAC-Embrapa. Seleção. Efeito da seleção QUAL É O MELHOR ANIMAL? 12/08/2013. Marcos Jun-Iti Yokoo Prova de Avaliação a Campo PAC-Embrapa Importância e Resultados da PAC Embrapa Marcos Jun-Iti Yokoo Zootecnista, MSc, DSc em Genética e Melhoramento Animal Pesquisador da Embrapa Pecuária Sul, Bagé-RS

Leia mais

VACAS DE ALTA PRODUÇÃO: DESAFIOS E POTENCIALIDADES

VACAS DE ALTA PRODUÇÃO: DESAFIOS E POTENCIALIDADES VACAS DE ALTA PRODUÇÃO: DESAFIOS E POTENCIALIDADES Marcos Neves Pereira Universidade Federal de Lavras Departamento de Zootecnia Maior potencial Eficiência Utilização energética Energia bruta Energia fecal

Leia mais

Nova Estratégia para a Melhoria do Desenvolvimento de. Frangos de Corte.

Nova Estratégia para a Melhoria do Desenvolvimento de. Frangos de Corte. Data: Junho /2007 Nova Estratégia para a Melhoria do Desenvolvimento de Frangos de Corte. Nas últimas décadas, o desenvolvimento corporal de frangos de corte tem sido acelerado, visando atender a demanda

Leia mais

Palavras-chave: bovinos, composição corporal, corte das costelas, determinação indireta

Palavras-chave: bovinos, composição corporal, corte das costelas, determinação indireta Revista Brasileira de Zootecnia ISSN impresso: 1516-3598 ISSN on-line: 1806-9290 www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.37, n.12, p.2206-2214, 2008 Estimação da composição química do corpo vazio de animais

Leia mais

Programas de Alimentação Frangos de Corte

Programas de Alimentação Frangos de Corte PRINCÍPIOS EM NUTRIÇÃO DE AVES Programas de Alimentação Frangos de Corte Prof. Dr. Luciano Hauschild Msc. Jaqueline de Paula Gobi Disciplina: Nutrição de Monogástricos Jaboticabal - junho 2016 INTRODUÇÃO

Leia mais

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ferreira, Julcemir João; Brondani, Ivan Luiz; Terra Leite, Daniel; Restle, João; Alves, Dari Celestino;

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=490>.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=490>. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: . Crescimento dos tecidos muscular e adiposo de bovinos Nelore, ½ Angus x Nelore e Brangus

Leia mais

1 INTRODUÇÃO 2 MATERIAL E MÉTODOS

1 INTRODUÇÃO 2 MATERIAL E MÉTODOS CARACTERÍSTICAS DA CARCAÇA E DOS NÃO-COMPONENTES DA CARCAÇA DE CORDEIROS SUBMETIDOS A DIFERENTES NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DE SILAGEM DE MILHO POR SILAGEM DE CASCA DE MANDIOCA Leandro Otávio Vieira Filho²,

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=131>.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=131>. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: . Composição química do músculo Longissimus de bovinos alimentados com diferentes volumosos

Leia mais

Ajuste do peso corporal de bovinos para condições fisiológicas e de alimentação

Ajuste do peso corporal de bovinos para condições fisiológicas e de alimentação 1 Ajuste do peso corporal de bovinos para condições fisiológicas e de alimentação Mateus Pies Gionbelli, Sebastião de Campos Valadares Filho e Edenio Detmann O resultado da pesagem de um bovino não representa

Leia mais

II PRÊMIO MACAL DE INCENTIVO A PESQUISA EM BOVINOCULTURA DE CORTE CATEGORIA ARTIGO CIENTÍFICO ARTIGO AGRACIADO

II PRÊMIO MACAL DE INCENTIVO A PESQUISA EM BOVINOCULTURA DE CORTE CATEGORIA ARTIGO CIENTÍFICO ARTIGO AGRACIADO II PRÊMIO MACAL DE INCENTIVO A PESQUISA EM BOVINOCULTURA DE CORTE CATEGORIA ARTIGO CIENTÍFICO ARTIGO AGRACIADO Desempenho e Componentes Corporais de Bovinos de Dois Grupos Genéticos em Aquidauana MS Ricardo

Leia mais

Voltar. PALAVRAS-CHAVE:animais cruzados, aparas de gordura, Nelore, ossos, porção comestível

Voltar. PALAVRAS-CHAVE:animais cruzados, aparas de gordura, Nelore, ossos, porção comestível Voltar RENDIMENTO DE CORTES CÁRNEOS DE BOVINOS NÃO-CASTRADOS, DE DIFERENTES GRUPOS GENÉTICOS, TERMINADOS EM CONFINAMENTO, APÓS RECEBEREM DOIS NÍVEIS DE SUPLEMENTAÇÃO EM PASTAGEM 1 GERALDO MARIA DA CRUZ

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE TOURINHOS NELORE, ALIMENTADOS COM FARINHA AMILÁCEA DE BABAÇU, NA REGIÃO NORTE DO BRASIL

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE TOURINHOS NELORE, ALIMENTADOS COM FARINHA AMILÁCEA DE BABAÇU, NA REGIÃO NORTE DO BRASIL AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PRODUTIVO DE TOURINHOS NELORE, ALIMENTADOS COM FARINHA AMILÁCEA DE BABAÇU, NA REGIÃO NORTE DO BRASIL Leide Karla Ribeiro Loureiro 1 ; Glauco Mora Ribeiro 2 ; 1 Aluno do Curso de

Leia mais

Efeitos do uso de homeopatia em cordeiros Nativo Pantaneiro confinados

Efeitos do uso de homeopatia em cordeiros Nativo Pantaneiro confinados Efeitos do uso de homeopatia em cordeiros Nativo Pantaneiro confinados Cesar Miazzi 1* ; Júnior Cezar Kawakita de Oliveira 1 ; Guilherme dos Santos Pinto 2 ; Juan Sávio G. Mendes 3 ; Charles Ferreira Martins

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina ZOO437 Produção de Bovinos de Corte

Programa Analítico de Disciplina ZOO437 Produção de Bovinos de Corte 0 Programa Analítico de Disciplina ZOO37 Produção de Bovinos de Corte Departamento de Zootecnia - Centro de Ciências Agrárias Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária

Leia mais

AGENTE DE INSEMINAÇÃO: UM TÉCNICO AO SERVIÇO DO MELHORAMENTO

AGENTE DE INSEMINAÇÃO: UM TÉCNICO AO SERVIÇO DO MELHORAMENTO AGENTE DE INSEMINAÇÃO: UM TÉCNICO AO SERVIÇO DO MELHORAMENTO O desenvolvimento de qualquer actividade económica tem por base uma constante aposta na melhoria dos sistemas de produção e dos processos produtivos,

Leia mais

Avaliação econômica da produção de cordeiros cruza de carneiros Texel com ovelhas Corriedale em três sistemas

Avaliação econômica da produção de cordeiros cruza de carneiros Texel com ovelhas Corriedale em três sistemas Avaliação econômica da produção de cordeiros cruza de carneiros Texel com ovelhas Corriedale em três sistemas Autor(es): Apresentador: Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: COSTA, Juliano;OSÓRIO,

Leia mais

PADRÃO BIOMÉTRICO DOS CAVALOS DE TRAÇÃO DA CIDADE DE PELOTAS

PADRÃO BIOMÉTRICO DOS CAVALOS DE TRAÇÃO DA CIDADE DE PELOTAS PADRÃO BIOMÉTRICO DOS CAVALOS DE TRAÇÃO DA CIDADE DE PELOTAS OLIVEIRA, P. Douglas* 1 ; DOS SANTOS, Carlos Anselmo 1 ; PAGANELA, Julio César 1 ; PAZ, Cahue. 1 ;FLÓRIO, Gabriel De Marco 1 ; NOGUEIRA, Carlos

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA - 36

RELATÓRIO DE PESQUISA - 36 RELATÓRIO DE PESQUISA - 36 2003 EFEITO DA RELAÇÃO VALINA:LISINA DURANTE A LACTAÇÃO SOBRE O DESEMPENHO DE MATRIZ E LEITÕES Introdução Pesquisas na Kansas State University realizadas por Richert et al (1996)

Leia mais

ALTERNATIVAS DE MANEJO ALIMENTAR, DE ORDENHA E DE CRIA PARA VACAS F1 HZ EM REGIME DE PASTAGENS

ALTERNATIVAS DE MANEJO ALIMENTAR, DE ORDENHA E DE CRIA PARA VACAS F1 HZ EM REGIME DE PASTAGENS ALTERNATIVAS DE MANEJO ALIMENTAR, DE ORDENHA E DE CRIA PARA VACAS F1 HZ EM REGIME DE PASTAGENS Clarice Bechara Meurer (1), José Reinaldo Mendes Ruas (2) (1) Bolsista PIBIC FAPEMIG/EPAMIG, claricebechara@yahoo.com.br;

Leia mais

Quem vence é o que melhor se adapta

Quem vence é o que melhor se adapta Quem vence é o que melhor se adapta Tecnologia dos Óleos Funcionais em Ruminantes Dra Juliane Diniz Magalhães Gerente de Ruminantes da Oligo Basics Região Sul São Paulo-SP Junho de 2016 Perfil dos confinamentos

Leia mais

Crescimento de Componentes Corporais de Três Grupos Genéticos na Fases de Recria e Terminação 1

Crescimento de Componentes Corporais de Três Grupos Genéticos na Fases de Recria e Terminação 1 Crescimento de Componentes Corporais de Três Grupos Genéticos na Fases de Recria e Terminação 1 Henrique Jorge Fernandes 2, Mário Fonseca Paulino 3, Renè Galvão Rezende Martins 4, Sebastião de Campos Valadares

Leia mais

TERMINAÇÃO. Sistemas de produção de carne no Brasil Sistema de 2010 (x 1000) 2010 (%) Sistemas de Produção 11/03/2015

TERMINAÇÃO. Sistemas de produção de carne no Brasil Sistema de 2010 (x 1000) 2010 (%) Sistemas de Produção 11/03/2015 TERMINAÇÃO Sistemas de produção de carne no Brasil Sistema de 2010 (x 1000) 2010 (%) produção Confinamento 3.047 7,39 Semiconfinamento Pastagens inverno 2.583 6,27 822 1,99 Pastagem sem 34.748 84,35 definição

Leia mais

Estratégias para melhorar a eficiência reprodutiva em rebanhos de corte

Estratégias para melhorar a eficiência reprodutiva em rebanhos de corte Estratégias para melhorar a eficiência reprodutiva em rebanhos de corte Pietro S. Baruselli Departamento de Reprodução Animal Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Universidade de São Paulo 20%

Leia mais

Predição da composição corporal e da carcaça de bovinos de corte

Predição da composição corporal e da carcaça de bovinos de corte 5 Predição da composição corporal e da carcaça de bovinos de corte Luiz Fernando Costa e Silva, Sebastião de Campos Valadares Filho, Polyana Pizzi Rotta, Marcos Inácio Marcondes, Fabyano Fonseca e Silva,

Leia mais

Características da carcaça e do corpo vazio de bovinos Charolês de diferentes categorias abatidos com similar grau de acabamento

Características da carcaça e do corpo vazio de bovinos Charolês de diferentes categorias abatidos com similar grau de acabamento Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.65, n.1, p.281-288, 2013 Características da carcaça e do corpo vazio de bovinos Charolês de diferentes categorias abatidos com similar grau de acabamento [Carcass characteristics

Leia mais

Avaliação dos modelos para determinar exigências energéticas de poedeiras

Avaliação dos modelos para determinar exigências energéticas de poedeiras Avaliação dos modelos para determinar exigências energéticas de poedeiras Nilva Kazue Sakomura 1 *, Roberta Basaglia 1, João Batista Kochenberger Fernandes 2, Kleber Thomas Resende 1 e Cristina Maria Lima

Leia mais

Criação de Novilhas Leiteiras

Criação de Novilhas Leiteiras Criação de Novilhas Leiteiras Introdução Tópicos Objetivos da criação de novilhas Estimativa do número de novilhas no rebanho Manejo da Novilha Considerações Econômicas (Criar ou Terceirizar?) Salvador,

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 CONSUMO E DESEMPENHO DE CORDEIROS DE DOIS GRUPOS GENÉTICOS EM DIFERENTES FASES DE CRESCIMENTO FABRÍCIO LEONARDO ALVES RIBEIRO 1, JUAN RAMÓN OLALQUIAGA PÉREZ 2, RAFAEL FERNANDES LEITE 3, IRAÍDES FERREIRA

Leia mais

AGRADECIMENTOS. A Escola de Veterinária da UFMG, ao Departamento de Zootecnia, a todos as pessoas envolvidas direta e indiretamente nesse trabalho.

AGRADECIMENTOS. A Escola de Veterinária da UFMG, ao Departamento de Zootecnia, a todos as pessoas envolvidas direta e indiretamente nesse trabalho. AGRADECIMENTOS A Escola de Veterinária da UFMG, ao Departamento de Zootecnia, a todos as pessoas envolvidas direta e indiretamente nesse trabalho. A todos os palestrantes que se colocaram à disposição

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE CRIADOS POR ACADÊMICOS DO CURSO DE ZOOTECNIA DURANTE O 1º SEMESTRE LETIVO DE 2004

RELATÓRIO SOBRE DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE CRIADOS POR ACADÊMICOS DO CURSO DE ZOOTECNIA DURANTE O 1º SEMESTRE LETIVO DE 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS - CCR DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA DZ LABORATÓRIO DE AVICULTURA - LAVIC DISCIPLINA DE AVICULTURA RELATÓRIO SOBRE DESEMPENHO DE FRANGOS DE CORTE

Leia mais

II PROVA DE DESEMPENHO DE TOUROS JOVENS 2013

II PROVA DE DESEMPENHO DE TOUROS JOVENS 2013 II PROVA DE DESEMPENHO DE TOUROS JOVENS 2013 Oficializada pela Prova de Desempenho de Touros Jovens - PDTJ A Prova de Desempenho, de Touros Jovens (PDTJ) consiste em submeter animais machos, portadores

Leia mais

OPTIMIZAÇÃO DA MATÉRIA-PRIMA: COM BASE NO PESO DE ABATE

OPTIMIZAÇÃO DA MATÉRIA-PRIMA: COM BASE NO PESO DE ABATE OPTIMIZAÇÃO DA MATÉRIA-PRIMA: COM BASE NO PESO DE ABATE Painel II Produção de Matéria-Prima Alimentação / Maneio Amadeu Borges de Freitas ICAAM - Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas.

Leia mais

31/03/2013 PRODUTOS CAPRINOS E SEUS DERIVADOS. Por que consumir carne caprina? CARNE CAPRINA. Produtos caprinos e seus derivados - Carne

31/03/2013 PRODUTOS CAPRINOS E SEUS DERIVADOS. Por que consumir carne caprina? CARNE CAPRINA. Produtos caprinos e seus derivados - Carne PRODUTOS CAPRINOS E SEUS DERIVADOS CARNE CAPRINA Semana Horas Aula Dia Mês Aula T P TP A S S U N T O Introdução ao curso, importância e perspectivas 01 26 02 3 1 da caprinocultura, principais raças e registro

Leia mais

Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras.

Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras. Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras. Apresentadores: Guilherme Nunes Bolzan Igor Santa Bárbara Araújo Orientação:

Leia mais

Avaliação da curva de crescimento de frangos de corte e índices zootécnicos no sistema de produção do IFMG campus Bambuí

Avaliação da curva de crescimento de frangos de corte e índices zootécnicos no sistema de produção do IFMG campus Bambuí Avaliação da curva de crescimento de frangos de corte e índices zootécnicos no sistema de produção do IFMG campus Bambuí Chrystiano Pinto de RESENDE 1 ; Everto Geraldo de MORAIS 2 ; Marco Antônio Pereira

Leia mais

Providing global solutions for a healthier world

Providing global solutions for a healthier world Providing global solutions for a healthier world Curso RLM 2010 RLM 3.2 (Programa de Formulação de Rações de Lucro Máximo) Introdução RLM 3.2 (Programa de Formulação de Rações de Lucro Máximo) Desenvolvido

Leia mais

PADRÕES DE CRESCIMENTO E CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA DE TOURINHOS NELORE MOCHO, AVALIADOS POR ULTRA-SONOGRAFIA EM TEMPO REAL

PADRÕES DE CRESCIMENTO E CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA DE TOURINHOS NELORE MOCHO, AVALIADOS POR ULTRA-SONOGRAFIA EM TEMPO REAL PADRÕES DE CRESCIMENTO E CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA DE TOURINHOS NELORE MOCHO, AVALIADOS POR ULTRA-SONOGRAFIA EM TEMPO REAL CLÁUDIO U. MAGNABOSCO (1), FABIANO R.C. ARAUJO (2), FERNANDO MANICARDI (3), ROBERTO

Leia mais

Cruzamento em gado de corte. Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Zootecnista, DSc Pesquisador Embrapa Gado de Corte

Cruzamento em gado de corte. Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Zootecnista, DSc Pesquisador Embrapa Gado de Corte Cruzamento em gado de corte Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Zootecnista, DSc Pesquisador Embrapa Gado de Corte Resumo Introdução: Cruzamento o que é? Por que? Aspectos/conceitos importantes Sistemas

Leia mais

Características de carcaça e qualidade de carne de bovinos inteiros ou castrados da raça Nelore, suplementados ou não durante o primeiro inverno

Características de carcaça e qualidade de carne de bovinos inteiros ou castrados da raça Nelore, suplementados ou não durante o primeiro inverno Ciência Rural, Santa Maria, Características v.36, n.6, de p.1867-1872, carcaças e qualidade nov-dez, de 2006 carne de bovinos inteiros ou castrados... ISSN 0103-8478 1867 Características de carcaça e qualidade

Leia mais

PEDRO EDUARDO DE FELÍCIO Professor titular Faculdade de Engenharia de Alimentos CLASSIFICAÇÃO E TIPIFICAÇÃO DE CARCAÇAS BOVINAS

PEDRO EDUARDO DE FELÍCIO Professor titular Faculdade de Engenharia de Alimentos CLASSIFICAÇÃO E TIPIFICAÇÃO DE CARCAÇAS BOVINAS PEDRO EDUARDO DE FELÍCIO Professor titular Faculdade de Engenharia de Alimentos CLASSIFICAÇÃO E TIPIFICAÇÃO DE CARCAÇAS BOVINAS POR QUE TIPIFICAR? Esperar que venha um gado bom ou tipificar as carcaças?

Leia mais

Manual de Instruções DataCollection. Nome do Documento. Novas Funcionalidades DataCollection versão 3.0

Manual de Instruções DataCollection. Nome do Documento. Novas Funcionalidades DataCollection versão 3.0 Nome do Documento Novas Funcionalidades DataCollection versão 3.0 1. Classificação Etária do Rebanho. Agora existem 5 faixas de classificação etária do rebanho ( de 0 a 4 meses, de 5 a 12 meses, de 13

Leia mais

Universidade Estadual de Ponta Grossa / Departamento de Zootecnia / Castro-PR. Palavras chaves: Avicultura, Lactobacillus sp, probióticos.

Universidade Estadual de Ponta Grossa / Departamento de Zootecnia / Castro-PR. Palavras chaves: Avicultura, Lactobacillus sp, probióticos. BIOMETRIA E ph DO TRATO DIGESTÓRIO DE FRANGOS DE CORTE SOB DESAFIO DE CAMA REUTILIZADA E ALTA DENSIDADE Liliane Heuert (PROVIC/UEPG), Bruno Machado, Kátia Nagano, Shivelly Galetto, Bruna Fittkau, Felipe

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E CORTES DA CARNE BOVINA ANA BEATRIZ MESSAS RODRIGUES PINTO TÉCNICA DE LINHAS ESPECIAIS MARFRIG GROUP

CLASSIFICAÇÃO E CORTES DA CARNE BOVINA ANA BEATRIZ MESSAS RODRIGUES PINTO TÉCNICA DE LINHAS ESPECIAIS MARFRIG GROUP CLASSIFICAÇÃO E CORTES DA CARNE BOVINA ANA BEATRIZ MESSAS RODRIGUES PINTO TÉCNICA DE LINHAS ESPECIAIS MARFRIG GROUP III Simpósio de Qualidade de Carne Ciência, Tecnologia e Desafios na Produção de Carne

Leia mais

Aproveitamento de cortes da carcaça bovina e formação de preços ao produtor e na indústria

Aproveitamento de cortes da carcaça bovina e formação de preços ao produtor e na indústria Aproveitamento de cortes da carcaça bovina e formação de preços ao produtor e na indústria Valorização do produtos Ao produtor Ao consumidor RICARDO ZAMBARDA VAZ Doutor em Produção animal Grupo de Cadeias

Leia mais

MANUAL DE QUALIDADE DO FRIGORÍFICO. Módulo I Qualidade da Carne 1. INTRODUÇÃO

MANUAL DE QUALIDADE DO FRIGORÍFICO. Módulo I Qualidade da Carne 1. INTRODUÇÃO MANUAL DE QUALIDADE DO FRIGORÍFICO Módulo I Qualidade da Carne 1. INTRODUÇÃO O Programa de Qualidade Nelore Natural - PQNN, da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil - ACNB, é um conjunto de ações

Leia mais

Características da carcaça de novilhos não-castrados ou castrados terminados em confinamento e abatidos aos 16 ou 26 meses de idade 1

Características da carcaça de novilhos não-castrados ou castrados terminados em confinamento e abatidos aos 16 ou 26 meses de idade 1 Revista Brasileira de Zootecnia ISSN 1516-3598 (impresso) ISSN 1806-9290 (on-line) www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.38, n.3, p.515-522, 2009 Características da carcaça de novilhos não-castrados ou castrados

Leia mais

Seleção. Teste da progênie e seleção de sêmen. Resposta à seleção. Intensidade de seleção. Diferencial de seleção (s) Diferencial de seleção (s)

Seleção. Teste da progênie e seleção de sêmen. Resposta à seleção. Intensidade de seleção. Diferencial de seleção (s) Diferencial de seleção (s) Seleção e seleção de sêmen Escolha dos pais da futura geração. É um processo sistemático de mudança genética. A seleção tende a mudar a frequência gênica em uma maneira desejada tanto em direção quanto

Leia mais

Manipulação da Curva de Crescimento para Otimizar a Eficiência de Bovinos de Corte

Manipulação da Curva de Crescimento para Otimizar a Eficiência de Bovinos de Corte NESPRO, Porto Alegre, Setembro 2013 Manipulação da Curva de Crescimento para Otimizar a Eficiência de Bovinos de Corte Prof. Dante Pazzanese Lanna, Laboratório de Nutrição e Crescimento Animal Departamento

Leia mais

Suplementação de gordura para vacas leiteiras em pasto

Suplementação de gordura para vacas leiteiras em pasto Suplementação de gordura para vacas leiteiras em pasto A produção de leite no Brasil está baseada principalmente em sistemas que exploram pastagens tropicais ao longo da maior parte do ano. Quando essas

Leia mais

COMPONENTES DO CAPIM - MARANDÚ (Brachiaria brizantha Horchst ex. A. Rich Stapf), EM UM SISTEMA DE SEMI-CONFINAMENTO

COMPONENTES DO CAPIM - MARANDÚ (Brachiaria brizantha Horchst ex. A. Rich Stapf), EM UM SISTEMA DE SEMI-CONFINAMENTO MUNIZ, L. C.; MOTA, R. M.; CHARLES, H.; MAGNABOSCO, C. U.; CARVALHO, J.J.; VIU, M. A. O.; FERRAZ. H. T.; FIGUEIREDO, R. S. Estrutura do capim - marandú (Brachiaria brizantha horchst ex. a. rich stapf),

Leia mais

CONCEITOS E EXIGÊNCIAS DE ENERGIA PARA BOVINOS DE CORTE CONCEPTS AND ENERGY REQUIREMENTS OF BEEF CATTLE

CONCEITOS E EXIGÊNCIAS DE ENERGIA PARA BOVINOS DE CORTE CONCEPTS AND ENERGY REQUIREMENTS OF BEEF CATTLE CONCEITOS E EXIGÊNCIAS DE ENERGIA PARA BOVINOS DE CORTE CONCEPTS AND ENERGY REQUIREMENTS OF BEEF CATTLE Tiago Pereira Guimarães 1* ; Kíria Karolline Gomes Moreira 1 ; Ernane Peixoto de Araújo 1 ; Verônica

Leia mais

Crescimento Relativo e Composição do Ganho de Tecidos da Carcaça de Zebuínos de Quatro Raças 1

Crescimento Relativo e Composição do Ganho de Tecidos da Carcaça de Zebuínos de Quatro Raças 1 Crescimento Relativo e Composição do Ganho de Tecidos da Carcaça de Zebuínos de Quatro Raças 1 André Mendes Jorge 2, Carlos Augusto de Alencar Fontes 3, Rafael da Costa Cervieri 4 RESUMO - Utilizaram-se

Leia mais

Produção e composição do leite de vacas mestiças alimentadas com diferentes níveis de inclusão de gérmen integral de milho 1

Produção e composição do leite de vacas mestiças alimentadas com diferentes níveis de inclusão de gérmen integral de milho 1 Produção e composição do leite de vacas mestiças alimentadas com diferentes níveis de inclusão de gérmen integral de milho 1 Ernane Peixoto de ARAÚJO 2, Milton Luiz Moreira LIMA 3, Juliano José de Resende

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE TOURINHOS NELORE ALIMENTADOS COM DIETAS À BASE DE FUBÁ OU MILHO DESINTEGRADO COM PALHA E SABUGO (MDPS) Introdução

CUSTO DE PRODUÇÃO DE TOURINHOS NELORE ALIMENTADOS COM DIETAS À BASE DE FUBÁ OU MILHO DESINTEGRADO COM PALHA E SABUGO (MDPS) Introdução 137 CUSTO DE PRODUÇÃO DE TOURINHOS NELORE ALIMENTADOS COM DIETAS À BASE DE FUBÁ OU MILHO DESINTEGRADO COM PALHA E SABUGO (MDPS) Rivânia Ferreira Moreira¹, Daniene Aparecida Pereira 2, Marco Túlio Lopes

Leia mais

CANA-DE-AÇÚCAR E BAGAÇO DE CANA NA ENGORDA DE BOVINOS (1 )

CANA-DE-AÇÚCAR E BAGAÇO DE CANA NA ENGORDA DE BOVINOS (1 ) B. Indústr. anim., Nova Odessa, SP, 43(1):1-6,jan.fjun. 1986 CANA-DE-AÇÚCAR E BAGAÇO DE CANA NA ENGORDA DE BOVINOS (1 ) (Sugar cane as cattle ration ingredient) LAÉRCIO JOSÉ PACOLA e), CELSO BOIN (3),

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus Experimental de Dracena PROGRAMA DE ENSINO CURSO DE GRADUAÇÃO EM: ZOOTECNIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus Experimental de Dracena PROGRAMA DE ENSINO CURSO DE GRADUAÇÃO EM: ZOOTECNIA PROGRAMA DE ENSINO CURSO DE GRADUAÇÃO EM: ZOOTECNIA DISCIPLINA OBRIGATÓRIA/OPTATIVA FORMULAÇÃO DE DIETAS DEPARTAMENTO: ZOOTECNIA PROFESSOR(ES) RESPONSÁVEL(IS): VALQUÍRIA CAÇÃO DA CRUZ OBRIGATÓRIA ANUAL/SEMESTRAL

Leia mais

COMPOSIÇÃO CORPORAL E EXIGÊNCIAS LÍQUIDAS EM ENERGIA E PROTEÍNA PARA GANHO DE CORDEIROS DE QUATRO GRUPOS GENÉTICOS 1

COMPOSIÇÃO CORPORAL E EXIGÊNCIAS LÍQUIDAS EM ENERGIA E PROTEÍNA PARA GANHO DE CORDEIROS DE QUATRO GRUPOS GENÉTICOS 1 COMPOSIÇÃO CORPORAL E EXIGÊNCIAS LÍQUIDAS EM ENERGIA E PROTEÍNA PARA GANHO DE CORDEIROS DE QUATRO GRUPOS GENÉTICOS 1 Body composition and net protein and energy requirements of four genetic groups of lambs

Leia mais

Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em 2008

Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em 2008 MANEJO E EVOLUÇÃO DE REBANHO DE BOVINOS DE CORTE Prof. Dr. Cássio C. Brauner Prof. Dr. Marcelo A. Pimentel Departamento de Zootecnia FAEM -UFPel Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em

Leia mais

Sérgio Domingos SIMÃO¹; Adriano GERALDO²; Angélica Santana CAMARGOS³; Luiz Carlos MACHADO 4 ; Tiago Antonio SANTOS³.

Sérgio Domingos SIMÃO¹; Adriano GERALDO²; Angélica Santana CAMARGOS³; Luiz Carlos MACHADO 4 ; Tiago Antonio SANTOS³. Inclusão de enzimas em rações de poedeiras semipesadas para diminuição dos custos de produção e seus efeitos sobre o desempenho. Sérgio Domingos SIMÃO¹; Adriano GERALDO²; Angélica Santana CAMARGOS³; Luiz

Leia mais

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Kuss, Fernando; Moletta, José Luis; Perotto, Daniel; Carneiro de Paula, Meiby; Souza Martins, Adriana

Leia mais

CONFINAMENTO DE BOVINOS DE CORTE Luís Fernando G. de Menezes

CONFINAMENTO DE BOVINOS DE CORTE Luís Fernando G. de Menezes CONFINAMENTO DE BOVINOS DE CORTE Luís Fernando G. de Menezes LUCROS DO CONFINAMENTO GANHO DO PRODUTOR Valorizaçãodo boi magro Peso de abate (logisticae produtividadepormatriz) Manejoda Pastagem e Recria

Leia mais

Manejo de pastagens Consumo de forragem

Manejo de pastagens Consumo de forragem Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Manejo de pastagens Consumo de forragem Magno José Duarte Cândido magno@ufc.br Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura-

Leia mais

PROGRAMAÇÃO LINEAR APLICADA AO BALANCEAMENTO DE DIETAS DE BOVINOS LEITEIROS

PROGRAMAÇÃO LINEAR APLICADA AO BALANCEAMENTO DE DIETAS DE BOVINOS LEITEIROS 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG PROGRAMAÇÃO LINEAR APLICADA AO BALANCEAMENTO DE DIETAS DE BOVINOS LEITEIROS

Leia mais

Influência do peso ao início da terminação sobre as características de carcaça e da carne de novilhos mestiços Nelore Charolês

Influência do peso ao início da terminação sobre as características de carcaça e da carne de novilhos mestiços Nelore Charolês Revista Brasileira de Zootecnia ISSN 1516-3598 (impresso) ISSN 1806-9290 (on-line) www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.38, n.2, p.346-353, 2009 Influência do peso ao início da terminação sobre as características

Leia mais

Marcos Jun Iti Yokoo Zootecnista, MSc, DSc em Genética e Melhoramento Animal Pesquisador da Embrapa Pecuária Sul (CPPSul), Bagé-RS Agosto de 2012

Marcos Jun Iti Yokoo Zootecnista, MSc, DSc em Genética e Melhoramento Animal Pesquisador da Embrapa Pecuária Sul (CPPSul), Bagé-RS Agosto de 2012 Programa de Avaliação Genética das Raças Hereford e Braford PAC PampaPlus - ABHB Marcos Jun Iti Yokoo Zootecnista, MSc, DSc em Genética e Melhoramento Animal Pesquisador da Embrapa Pecuária Sul (CPPSul),

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA: OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO LEITEIRA

MODELAGEM MATEMÁTICA: OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO LEITEIRA MODELAGEM MATEMÁTICA: OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO LEITEIRA Autores : Leonardo Geremias MADEIRA 1, Julian da Silva LIMA 2, Rita de Albernaz GONÇALVES 3. Identificação autores: Acadêmico do curso de Engenharia

Leia mais