Uso Profissional. Um grupo de negócios operacionais da Bayer CropScience. Consulte um Profissional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uso Profissional. www.saudeambiental.com.br. Um grupo de negócios operacionais da Bayer CropScience. Consulte um Profissional"

Transcrição

1 Assessoria de Propaganda Bayer Um grupo de negócios operacionais da Bayer CropScience Consulte um Profissional Uso Profissional Produto de venda restrita à empresa especializada -

2 Missão da Bayer Environmental Science Fortalecer os negócios por meio de inovações contínuas focadas no consumidor e apoiar nossos produtos existentes, assim como progredir em sua posição de líder mundial nos mercados de Ciência Ambiental, oferecendo soluções inovadoras de gerenciamento de pragas e também protegendo a saúde, proporcionando benefícios ambientais, melhorando os estilos de vida e o conforto da humanidade. Se é Bayer, é bom. Objetivo da Bayer Environmental Science para o mercado florestal Trabalhar arduamente para oferecer aos clientes do mercado florestal os mais avançados produtos e técnicas de controle pragas, doenças e plantas daninhas.

3 K-Othrine 2P Formicida para reflorestamento. Indicação K-Othrine 2P é indicado para controle de formigas cortadeiras (saúvas e quenquéns) em reflorestamento. Modo de usar/ Equipamento de aplicação A aplicação é feita insuflando-se o pó para o interior do formigueiro através de polvilhadeiras. Escolher 1/3 dos olheiros ativos dos formigueiros, dando preferência para os de alimentação. Determina-se a área do formigueiro multiplicando-se o maior comprimento pela maior largura do murundum (terra solta). Mecanismo de ação: Atua por contato e ingestão. nº Caixa de embarque contendo 12 sacos de 1kg. Inseticida do grupo químico piretróides. Formulação: Pó seco, Deltametrina 2g i.a./kg., excipientes q.s.p 100%. Nome comum / Nome científico Dosagem ( g/m 2 de formigueiro) O único formicida em pó com registro para área florestal. Devido a sua formulação, o produto pode ser usado com solo úmido e/ou seco. Eficácia comprovada no controle de saúvas e quenquéns em plantios florestais. Saúva Limão 10 (Atta sexdens rubropilosa) Quenquém de cisco 10 (Acromyrmex crassispinus)

4 Decis 25 EC Inseticida piretróide com ação de choque para uso em reflorestamento. Indicação: Decis 25 EC é indicado para o controle de lagartas desfolhadoras em áreas de reflorestamento. Modo de usar/equipamento de proteção: O produto deverá ser diluído em água na dosagem recomendada e aplicado com o objetivo de obter boa cobertura em toda a massa foliar das plantas. Recomenda-se aguardar pelo menos 24 horas o completo secamento do produto sobre as folhas da cultura tratada. O produto pode ser aplicado com pulverizadores terrestres costais manuais e motorizados, tratorizados, termonebulizadores (geradores de "fog") e aeronaves. Havendo necessidade, efetuar nova aplicação. Mecanismo de ação: Atua por contato e ingestão. nº Frasco de 1 litro. Caixa de embarque com 12 litros. Inseticida/Piretróide Sintético. P.C. = produto comercial e IA = ingrediente ativo. A dose de 200ml/ha = 5g IA por hectare. Formulação: Concentrado emulsionável, Deltametrina - 2,5%, excipientes - q.s.p. 100%. Rapidez e eficiência no controle de lagartas em plantios de Eucalipto. Pragas Controladas Mandarova (Erinnys ello) Lagartas desfolhadoras (Thyrinteina arnobia) (Glena sp) Doses (P.C.) 200 ml/ha 200 ml/ha

5 ForDor 750 WG Herbicida Pré-Emergente de ação programada, totalmente seletivo para Eucaliptos e Pinus. Indicação: ForDor 750 WG é um herbicida aplicado na pré-emergência ou pós-emergência precoce das plantas daninhas, sobre mudas recém transplantadas de Eucaliptos e Pinus. Atua tanto sobre as gramíneas como sobre algumas dicotiledôneas. Modo de usar/equipamento de aplicação: Aplicado no pós-plantio da cultura de Eucaliptos e Pinus na pré-emergência das plantas daninhas. Época de aplicacão: Fazer uma única aplicacão após o plantio das mudas ou mesmo durante o transplante das mesmas. Formulação: Granulado dispersível com 75% de Isoxaflutole (750g de I.A./kg). nº Embalagens contendo 30 sacos hidrossolúveis de 150g. Herbicida seletivo do grupo químico isoxazoles. P.C.= produto comercial e I.A. = ingrediente ativo. A dose de 100g de PC/ha = 75g IA, 150g de PC/ha = 112,5 g IA e 200g de PC/ha = 150g IA. Nota(*): As doses variam quanto a infestação inicial ou ao potencial de infestação de acordo com histórico da área. Versatilidade e eficácia comprovada. Tipo de Solo Dose (P.C.)* gramas/ha Plantas daninhas controladas Arenoso 100 a 150 Capim pé-de-galinha (Eleusina indica); Capim colchão (Digitaria horizontalis); Capim colonião (Panicum maximum); Capim braquiária (Brachiaria decumbens); Caruru (Amaranthus retroflexus) Médio 100 a 150 Picão preto (Bidens pilosa);capim braquiária (Brachiaria decumbens); Capim carrapicho (Cenchrus echinatus) Argiloso 100 a 200 Caruru (Amaranthus viridus); Capim marmelada (Brachiaria plantaginea) Capim pé-de-galinha (Eleusine indica); Picão branco (Galinsoga paviflora); Mentrasto (Ageratum conyzoides)

6 Confidor 700 WG Inseticida sistêmico do grupo neo nicotinóide. Indicação: Confidor 700 WG é recomendado para o controle de insetos sugadores e cupins. É eficaz contra pragas de difícil controle, inclusive transmissores de viroses. Modo de usar: No controle de cupins de montículo, dilui-se o produto em água na proporção de 30g/100L de água. Faz-se uma perfuração no topo do ninho até atingir o núcleo com uma barra de ferro (varão) de 25mm de diâmetro e coloca-se um litro da calda preparada. Imersão de mudas (Eucalipto): Preparar uma calda com inseticida Confidor 700 WG de acordo com o quadro abaixo, proceder a imersão das bandejas com as mudas durante um período de 30 segundos e em seguida retirá-las e deixar escorrer o excesso de calda para dentro do recipiente onde foi feita a imersão. Aguardar a secagem das mudas antes de efetuar o plantio. No controle do pulgão do Pinus (Cinara atlantica): dilui-se 75g do inseticida sistêmico Confidor 700 WG em 40 litros de água. Esta calda deve ser aplicada em 125m 2 de canteiro de mudas. Em média cada muda deve receber 15ml da calda inseticida. Mecanismo de ação: Intervém na transmissão de estímulos no sistema nervoso dos insetos. Formulação e concentração de i.a.: Imidacloprid (ingrediente ativo - 700g/Kg) Inertes (300g/Kg). nº Caixas contendo 40 cartuchos de 180g. Inseticida cupinicida sistêmico do grupo químico dos neo nicotinóides. Menos agressivo ao meio ambiente e melhor custo benefício para o controle de cupins em Eucaliptos e pulgões em Pinus. Tratamento Imersaõ de mudas Dose (P.C.) g/100 litros d aǵua Praga Cupim de Monte 30g/100 L água Conitermes cumulans Eucalipto 500g/100 L água Syntermes molestus e Conitermes bequaerti Pinus 75g/100 L água Cinara atlantica

BAYER FORESTRY PLUS. Catálogo Reflorestamento

BAYER FORESTRY PLUS. Catálogo Reflorestamento BAYER Catálogo Reflorestamento 1 1. Sobre o Forestry Plus Página 4-9 Proximidade com o cliente Soluções inovadoras Comprometimento com sustentabilidade Qualidade da marca Visão geral 2. Portfolio Página

Leia mais

FORDOR 750 WG VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS NO PARANÁ

FORDOR 750 WG VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS NO PARANÁ FORDOR 750 WG VERIFICAR AS RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS NO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob º 02604 Composição: 5-ciclopropil-1,2-oxazol-4-yl,α,α,α-trifluoro-2-mesil-p-tolil

Leia mais

N-(1-ethypropyl)-2,6-dinitro-3,4-xylidine (PENDIMETALINA)...500 g/l (50% m/v) Ingredientes inertes...500 g/l (50% m/v)

N-(1-ethypropyl)-2,6-dinitro-3,4-xylidine (PENDIMETALINA)...500 g/l (50% m/v) Ingredientes inertes...500 g/l (50% m/v) Composição N-(1-ethypropyl)-2,6-dinitro-3,4-xylidine (PENDIMETALINA)...500 g/l (50% m/v) Ingredientes inertes...500 g/l (50% m/v) Classe Herbicida seletivo, de ação não sistêmica do grupo químico das dinitroanilinas.

Leia mais

Titelmasterformat durch Klicken bearbeiten

Titelmasterformat durch Klicken bearbeiten Titelmasterformat durch Klicken bearbeiten LARVICIDAS INSETICIDAS GÉIS RATICIDAS 1G BLOCK 500 E PELLETS LARVICIDA TELA IMPREGNADA HERBICIDA FORMICIDA CUPINICIDA HERBICIDA CUPINICIDA LARVICIDAS 1G 500 E

Leia mais

Herbicida 1. CULTURAS PLANTAS DANINHAS ESTÁDIO DOSE (L/ha)

Herbicida 1. CULTURAS PLANTAS DANINHAS ESTÁDIO DOSE (L/ha) COMPOSIÇÃO: PROPAQUIZAFOPE 100 g/l CLASSE: Herbicida GRUPO QUÍMICO: Ácido Ariloxifenoxipropiônico TIPO DE FORMULAÇÃO: Concentrado Emulsionável CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES

Leia mais

COMPOSIÇÃO: CLASSE: GRUPO QUÍMICO: TIPO DE FORMULAÇÃO:

COMPOSIÇÃO: CLASSE: GRUPO QUÍMICO: TIPO DE FORMULAÇÃO: COMPOSIÇÃO: Glifosato 480 g/l CLASSE: Herbicida GRUPO QUÍMICO: Glicina Substituída TIPO DE FORMULAÇÃO: Concentrado Solúvel CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO: CULTURA:

Leia mais

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA KFPC - PR

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA KFPC - PR CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA KFPC - PR Bansho,J.Y. 1 Carneiro, D.A. 1 Cordeiro, L. 1 RESUMO De forma genérica pode-se afirmar que não há áreas de pastagem, floresta nativas ou reflorestamentos no

Leia mais

INSETICIDAS CYPERCHEM 250 BR Concentração: 250g/L (25%), atomização e termonebulização Indicação: Mosquitos, barbeiros, moscas e baratas Ação tóxica: Disturbios sensoriais cutâneos, hipersensibilidade,

Leia mais

Plano de Restauro Florestal. IBF Instituto Brasileiro de Florestas

Plano de Restauro Florestal. IBF Instituto Brasileiro de Florestas Plano de Restauro Florestal IBF Instituto Brasileiro de Florestas 28 de setembro de 2011 Plano de Recuperação Local do plantio da Floresta da Embaixada Alemã: Área para plantio A área do IBF onde são plantadas

Leia mais

Inseticida 1. Doses. Modalidade de aplicação. Culturas. Pragas controladas

Inseticida 1. Doses. Modalidade de aplicação. Culturas. Pragas controladas COMPOSIÇÃO: Imidacloprido 200 g/l CLASSE: Inseticida GRUPO QUÍMICO: Neonicotinoide TIPO DE FORMULAÇÃO: Suspensão Concentrada (SC) CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO:

Leia mais

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v EMPRESA A Interfina nasceu em 2010 com o objetivo de criar soluções inovadoras em agroquímicos, desenvolvendo um mix de produtos que tenham tecnologia, qualidade e colaborem com eficácia no combate as

Leia mais

Biologia, danos e controle de cupins em eucalipto

Biologia, danos e controle de cupins em eucalipto unesp Biologia, danos e controle de cupins em eucalipto Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu. 1. Introdução Os cupins são considerados pragas em plantações florestais em toda a região tropical, sendo

Leia mais

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v EMPRESA A Interfina nasceu em 2010 com o objetivo de criar soluções inovadoras em agroquímicos, desenvolvendo um mix de produtos que tenham tecnologia, qualidade e colaborem com eficácia no combate as

Leia mais

Herbicida 1. Acanthospermum hispidum Acanthospermum australe. Carrapicho-de-carneiro

Herbicida 1. Acanthospermum hispidum Acanthospermum australe. Carrapicho-de-carneiro COMPOSIÇÃO: Diurom 800 g/kg CLASSE: Herbicida GRUPO QUÍMICO: Ureia TIPO DE FORMULAÇÃO: Granulado Dispersível (WG) CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA III - MEDIANAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO: CULTURAS:

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS unesp MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS Prof. Dr. Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu 1. INTRODUÇÃO As plantações florestais brasileiras ocupam área de 5,7 milhões de ha, representando

Leia mais

Serviço Social do Comércio DEPARTAMENTO NACIONAL Estância Ecológica SESC-Pantanal CONCORRÊNCIA N.º 15/0009 - CC

Serviço Social do Comércio DEPARTAMENTO NACIONAL Estância Ecológica SESC-Pantanal CONCORRÊNCIA N.º 15/0009 - CC Serviço Social do Comércio DEPARTAMENTO NACIONAL Estância Ecológica SESC-Pantanal CONCORRÊNCIA N.º 15/0009 - CC ANEXO IV MEMORIAL DE MANUTENÇÃO PAISAGISMO HOTEL SESC MEMORIAL DE MANUTENÇÃO DE JARDIM HOTEL

Leia mais

HERBICIDA DE TRANSLOCAÇÃO E TÉCNICAS DE APLICAÇÃO LUCIANO BICALIO FONSECA DANIEL CAMPOSILVAN

HERBICIDA DE TRANSLOCAÇÃO E TÉCNICAS DE APLICAÇÃO LUCIANO BICALIO FONSECA DANIEL CAMPOSILVAN HERBICIDA DE TRANSLOCAÇÃO E TÉCNICAS DE APLICAÇÃO LUCIANO BICALIO FONSECA DANIEL CAMPOSILVAN INDÚSTRIAS MONSANTO S/A RUA PAES LEME, 524 05424 - SÃO PAULO-SP 1. HERBICIDA DE TRANSLOCAÇÃO O Glyphosate [N

Leia mais

Imidacloprid 700WG TRIPLA AÇÃO NA PROTEÇÃO DE CULTIVOS

Imidacloprid 700WG TRIPLA AÇÃO NA PROTEÇÃO DE CULTIVOS Imidacloprid 700WG TRIPLA AÇÃO NA PROTEÇÃO DE CULTIVOS Imidacloprid 700WG Inseticida de tripla ação: sistêmico, de contato e ingestão Galeão é um inseticida sistêmico, do grupo dos neonicotinóides que

Leia mais

300 a 500 Cana-deaçúcar Diatraea saccharalis Broca-da-cana 100 a 150-300. - 50 Maçã. da-folha

300 a 500 Cana-deaçúcar Diatraea saccharalis Broca-da-cana 100 a 150-300. - 50 Maçã. da-folha COMPOSIÇÃO: Novalurom 100 g/l CLASSE: Inseticida GRUPO QUÍMICO: Benzoilureia TIPO DE FORMULAÇÃO: Concentrado Emulsionável (EC) CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA I - EXTREMAMENTE TÓXICO INSTRUÇÕES DE USO: O RIMON

Leia mais

Ciência Florestal, Santa Maria, v.11, n.1, p.1-11 1 ISSN 0103-9954

Ciência Florestal, Santa Maria, v.11, n.1, p.1-11 1 ISSN 0103-9954 Ciência Florestal, Santa Maria, v.11, n.1, p.1-11 1 ISSN 0103-9954 ALTERNATIVAS DE FORMICIDAS EM PÓ NO CONTROLE DA FORMIGA- VERMELHA-DE-MONTE, Acromyrmex heyeri ALTERNATIVES OF POWDERED FORMICIDES ON THE

Leia mais

POSICIONAMENTO DO PORTFÓLIO PARA A CULTURA DA CANA.

POSICIONAMENTO DO PORTFÓLIO PARA A CULTURA DA CANA. POSICIONAMENTO DO PORTFÓLIO PARA A CULTURA DA CANA. Dessecante icida Inseticida DOSE: 5,0 6,0L/ha (dessecação) ALVOS: GRAMÍNEAS E FOLHAS LARGAS CARACTERÍSTICAS E BENEFÍCIOS: Dessecação/eliminação de soqueiras

Leia mais

CUPINS DA CANA-DE- AÇÚCAR

CUPINS DA CANA-DE- AÇÚCAR CUPINS DA CANA-DE- AÇÚCAR 1. DESCRIÇÃO DA PRAGA Eles ocorrem em todas as regiões do Brasil e são divididos em rei, rainha, soldados e operários, cada um com um trabalho a fazer. São insetos sociais, operários

Leia mais

MONITORAMENTO E AMOSTRAGEM DE LAGARTAS DESFOLHADORAS

MONITORAMENTO E AMOSTRAGEM DE LAGARTAS DESFOLHADORAS unesp 15a. Reunião Técnica PROTEF Abr/2010 MONITORAMENTO E AMOSTRAGEM DE LAGARTAS DESFOLHADORAS Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu O que é manejo integrado de pragas (MIP)? A filosofia e metodologia

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA

INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA Informações sobre o plantio do eucalipto no Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta COLETA DE SOLO NA

Leia mais

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA DURATEX

CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA DURATEX CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA DURATEX INTRODUÇÃO EQUIPE TÉCNICA DA DURATEX A DURATEX planta, maneja e explota florestas de Eucalyptus spp. e Pinus spp. nos estados da Bahia, São Paulo e Rio Grande

Leia mais

Registros de Agrotóxicos para Jardinagem Amadora - Lei 6.360/76 - Lei 7.802/89 SITUAÇÃO ATUAL

Registros de Agrotóxicos para Jardinagem Amadora - Lei 6.360/76 - Lei 7.802/89 SITUAÇÃO ATUAL Registros de Agrotóxicos para Jardinagem Amadora - Lei 6.360/76 - Lei 7.802/89 SITUAÇÃO ATUAL Iscas Formicidas para o controle de formigas cortadeiras uso irregular/desvio de uso produtos irregulares registros

Leia mais

- Visa otimizar e diversificar a produção;

- Visa otimizar e diversificar a produção; Sistemas Agroflorestais (SAF) - Combinação de espécies arbóreas com cultivos agrícolas (fruticultura, plantas anuais, etc) ou criação de animais; - Visa otimizar e diversificar a produção; Sistemas Agroflorestais

Leia mais

SETOR DE SEMENTES prio no viveiro

SETOR DE SEMENTES prio no viveiro A EMPRESA Atua no mercado desde 1998; Equipe técnica especializada em trabalhos de conservação e restauração de ambientes naturais; Cerca de 100 funcionários Cerca de 1.000 ha de Florestas implantadas

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO Dionisio Link 1 Rodolpho Saenger Leal 2 RESUMO A avaliação econômica do controle preventivo das pragas iniciais da cultura do fumo

Leia mais

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA.

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. Sede da Insetimax Indústria Química Foto aérea - Outubro 2014 2 INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. Preservar a qualidade da vida humana é pensar globalmente, é implementar ações de consumo sustentável, é valorizar

Leia mais

Plantio de cana-de-açúcar

Plantio de cana-de-açúcar Plantio de cana-de-açúcar Época de plantio 1. Cana de ano e meio - Janeiro a maio; - Tempo de colheita (13 a 20 meses); - Variedades de ciclo precoce, médio e tardio; - Pode ser feito em solos de baixa,

Leia mais

RESPOSTA DE DOSES DE INDAZIFLAM 500 SC NO CONTROLE DAS PRINCIPAIS PLANTAS DANINHAS INFESTANTES DOS CAFEZAIS.

RESPOSTA DE DOSES DE INDAZIFLAM 500 SC NO CONTROLE DAS PRINCIPAIS PLANTAS DANINHAS INFESTANTES DOS CAFEZAIS. RESPOSTA DE DOSES DE INDAZIFLAM 500 SC NO CONTROLE DAS PRINCIPAIS PLANTAS DANINHAS INFESTANTES DOS CAFEZAIS. Autores: Rodolfo San Juan - Johann Reichenbach - José A. Paranaiba - Raimundo J. Andrade - Eng.

Leia mais

Controle de pragas - formigas

Controle de pragas - formigas Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos Engenharia Florestal Tratos e Métodos Silviculturais Controle de pragas - formigas Eng. Ftal. Dr. Prof. Eleandro José Brun Dois Vizinhos

Leia mais

L C F 5 8 1. Recursos Florestais TEMA N 14 PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS

L C F 5 8 1. Recursos Florestais TEMA N 14 PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS TEMA N 14 PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS 1990-177.400m³ L C F 5 8 1 CONSTRUÇÃO 0,1 5,3 MOIRÕES 16,9 ESTACAS CRUZETAS OUTROS 24,5 DORMENTES 53,2 POSTES CONSTRUÇÃO 15,0% 2010-1.300.000m³

Leia mais

Atack 2.5 Imazapyr AdvanceD. Atack 2.5 Imazapyr Pronto Uso FORMA DE APLICAÇÃO FORMA DO PRODUTO

Atack 2.5 Imazapyr AdvanceD. Atack 2.5 Imazapyr Pronto Uso FORMA DE APLICAÇÃO FORMA DO PRODUTO 02 03 Glifosato FORMA DO PRODUTO Líquido pronto uso PRINCÍPIO ATIVO Glifosato CONCENTRAÇÃO Glifosato 1% Benzoato de denatônio 0,001% (amargante) EMBALAGENS DISPONÍVEIS Caixa contendo 6 unidades de 1 litro

Leia mais

III- TIPOS DE FORMULAÇÕES DE AGROTÓXICOS

III- TIPOS DE FORMULAÇÕES DE AGROTÓXICOS III- TIPOS DE FORMULAÇÕES DE AGROTÓXICOS Ingrediente ativo x inerte Ingrediente ativo (i.a.) Composto com atividade biológica Geralmente insolúvel em água Ingrediente inerte Outros componentes (cargas,

Leia mais

RIQUEZA DE FORMIGAS CULTIVADORAS DE FUNGO (FOMICIDAE: ATTINI) ASSOCIADAS A CULTURAS FLORESTAL E AGRÍCOLA NA REGIÃO DE IPAMERI, GO

RIQUEZA DE FORMIGAS CULTIVADORAS DE FUNGO (FOMICIDAE: ATTINI) ASSOCIADAS A CULTURAS FLORESTAL E AGRÍCOLA NA REGIÃO DE IPAMERI, GO RIQUEZA DE FORMIGAS CULTIVADORAS DE FUNGO (FOMICIDAE: ATTINI) ASSOCIADAS A CULTURAS FLORESTAL E AGRÍCOLA NA REGIÃO DE IPAMERI, GO Raiane Lima 1, Pedro Ivo Decurcio Cabral 2, José Rosa Paim Neto 3, Márcio

Leia mais

TÉCNICAS DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS PRÉ-EMERGENTES EM REFLORESTAMENTO. EWERTON PEREIRA ROHM AND HAAS BRASIL LTDA Caixa Postal - 39 06400 - BARUERI-SP.

TÉCNICAS DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS PRÉ-EMERGENTES EM REFLORESTAMENTO. EWERTON PEREIRA ROHM AND HAAS BRASIL LTDA Caixa Postal - 39 06400 - BARUERI-SP. TÉCNICAS DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS PRÉ-EMERGENTES EM REFLORESTAMENTO DEFINIÇÃO EWERTON PEREIRA ROHM AND HAAS BRASIL LTDA Caixa Postal - 39 06400 - BARUERI-SP. Herbicidas pré-emergentes são produtos usados

Leia mais

FLURAMIN VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ

FLURAMIN VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ FLURAMIN VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob nº 79996 COMPOSIÇÃO: N-ethylperfluoro-octane-1-sulfonamide

Leia mais

Controle de Formigas Cortadeiras

Controle de Formigas Cortadeiras 10ª. Reunião de Atualização em Eucaliptocultura Controle de Formigas Cortadeiras Eng o. João Carlos T. Mendes jctmende@esalq.usp.br Estações Experimentais Dezembro/2009 CONTROLE DE FORMIGAS: ASPECTOS BIOLÓGICOS

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTROLE / COMBATE A FORMIGAS CORTADEIRAS NAS ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS.

ORIENTAÇÕES TÉCNICA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTROLE / COMBATE A FORMIGAS CORTADEIRAS NAS ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS. 1. OBJETO CONSTITUI O OBJETIVO DESTA LICITAÇÃO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE COMBATE A FORMIGAS CORTADEIRAS NAS ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS DE ANHEMBI E ITATINGA DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS

Leia mais

w w w. i n s e t i m a x. c o m. b r

w w w. i n s e t i m a x. c o m. b r www.insetimax.com.br ÍNDICE BIOINSET 25 CE Introdução 02 Bioinset 25 CE 03 Bioinset 200 SC 03 Glifomato 03 Deltamax 25 CE 04 Deltamax 25 SC 04 Cypermaster 250 CE 04 Inseticom 5CE 04 Insetimaster Formicida

Leia mais

PRINCIPAIS PRAGAS EM GRAMADOS: BIOLOGIA E CONTROLE (CUPINS, FORMIGAS CORTADEIRAS E FORMIGAS LAVA-PÉS)

PRINCIPAIS PRAGAS EM GRAMADOS: BIOLOGIA E CONTROLE (CUPINS, FORMIGAS CORTADEIRAS E FORMIGAS LAVA-PÉS) PRINCIPAIS PRAGAS EM GRAMADOS: BIOLOGIA E CONTROLE (CUPINS, FORMIGAS CORTADEIRAS E FORMIGAS LAVA-PÉS) Francisco José Zorzenon Pesquisador Científico Ana Eugênia Carvalho Campos-Farinha Pesquisador Científico

Leia mais

Empresa. A missão da Tubarão Agronegócios é: Levar ao homem do campo desenvolvimento e soluções para fazer diferença no agronegócio.

Empresa. A missão da Tubarão Agronegócios é: Levar ao homem do campo desenvolvimento e soluções para fazer diferença no agronegócio. 1 Empresa A Tubarão Agronegócios é uma empresa que existe há 4 anos, atuamos na produção, comércio e distribuição de produtos agrícolas, desenvolvendo um trabalho com qualidade para o agronegócio de todo

Leia mais

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO

INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM LAVOURAS DE ALGODÃO SOB SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO E CONVENCIONAL NA CONDIÇÃO DE CERRADO LEANDRO CARLOS FERREIRA 1,3 ; ITAMAR ROSA TEIXEIRA 2,3 RESUMO: O sistema de cultivo

Leia mais

Estádio de Crescimento. até 4 perfilhos 4 6 perfilhos. até 4 perfilhos 4 6 perfilhos. até 4 perfilhos 4 6 perfilhos. 20 50 cm.

Estádio de Crescimento. até 4 perfilhos 4 6 perfilhos. até 4 perfilhos 4 6 perfilhos. até 4 perfilhos 4 6 perfilhos. 20 50 cm. FALCON 250 WG Dados técnicos Nome comum do ingrediente ativo: BUTROXYDIM Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 01597 Classe: herbicida graminicida sistêmico Composição: 2 [1 (etoxiamino)

Leia mais

EM FLORESTAS PLANTADAS

EM FLORESTAS PLANTADAS Manutenção de Florestas e Manejo Integrado de Pragas MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM FLORESTAS PLANTADAS Rudolf Woch 1 1. INTRODUÇÃO Segundo a Abraf, em seu anuário 2013, com dados referentes a 2012, na

Leia mais

Ciência Floretal, Santa Maria, v.10, n.1, p.45-56 45 ISSN 0103-9954

Ciência Floretal, Santa Maria, v.10, n.1, p.45-56 45 ISSN 0103-9954 Ciência Floretal, Santa Maria, v.10, n.1, p.45-56 45 ISSN 0103-9954 CONTROLE DA FORMIGA-PRETA-PASTADEIRA, Acromyrmex crassispinus, COM FORMICIDAS EM PÓ CONTROL OF THE BLACK LEAF CUTTING ANT, Acromyrmex

Leia mais

Revista Controle Biológico (BE-300) On-Line. Vol.2. Janeiro de 2010 http://www.ib.unicamp.br/profs/eco_aplicada/

Revista Controle Biológico (BE-300) On-Line. Vol.2. Janeiro de 2010 http://www.ib.unicamp.br/profs/eco_aplicada/ AVALIAÇÃO DO FORMICIDA Citromax À BASE DE FIPRONIL NO COMBATE ÀS SAÚVAS (Atta sexdens) MARIANA PERES ALMEIDA SANTOS1 Trabalho da Disciplina BE-300 Controle Biológico / 2010 1Graduanda em Ciências Biológicas

Leia mais

w w w. i n s e t i m a x. c o m. b r

w w w. i n s e t i m a x. c o m. b r www.insetimax.com.br Introdução 02 Bioinset 25 CE 03 Bioinset 200 SC 03 Glifomato 03 Deltamax 25 CE 04 Deltamax 25 SC 04 Cypermaster 250 CE 04 Inseticom 5 SC 04 Insetimaster Formicida 05 Insetimaster Cupinicida

Leia mais

Conservação, preparo de solo e plantio de eucalipto

Conservação, preparo de solo e plantio de eucalipto Conservação, preparo de solo e plantio de eucalipto José Henrique T. Rocha José Henrique Bazani Eduardo S. A. C. Melo José Leonardo de Moraes Gonçalves Departamento de Ciências Florestais ESALQ - USP Conceitos:

Leia mais

SISTEMA MONITORADO DE CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA MANNESMANN

SISTEMA MONITORADO DE CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA MANNESMANN SISTEMA MONITORADO DE CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS NA MANNESMANN Morais, E.J. de 1 Oliveira, A.C. de 1 Barcelos, J.A.V. 1 Cruz, J.E. da 1 Os novos tempos de recursos escassos e elevada competitividade

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1. Um agricultor relata que não está tendo controle satisfatório na aplicação de um herbicida. Afirma estar aplicando conforme recomendação do fabricante do produto (x litros p.c./ha

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas Florestais Eucalipto como Estudo de caso. José Eduardo Petrilli Mendes FIBRIA

Manejo Integrado de Pragas Florestais Eucalipto como Estudo de caso. José Eduardo Petrilli Mendes FIBRIA Manejo Integrado de Pragas Florestais Eucalipto como Estudo de caso José Eduardo Petrilli Mendes FIBRIA Roteiro - Breve apresentação da Fibria - ÁreacomflorestasplantadasnoMS - Importância das pragas para

Leia mais

O HERBICIDA PARAQUATE

O HERBICIDA PARAQUATE O HERBICIDA PARAQUATE Girabis Envangelista Ramos Brasília/DF, 04 de novembro de 2015 HISTÓRICO E USO Primeiro registro:1962 na Inglaterra (ICI) Nos Estados Unidos da América: 1964 No Brasil: década de

Leia mais

IN 36-modificada pela IN 42

IN 36-modificada pela IN 42 IN 36-modificada pela IN 42 Exigências para apresentação do laudo de eficiência agronômica Edson Dias da Silva Diretor Técnico Juliana Berti Secretária Executiva ABRAISCA Histórico Até 2009, falta de padronização

Leia mais

EQUIP PLUS VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ

EQUIP PLUS VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ EQUIP PLUS VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob n 011401 Composição: N,N- dimetil- 2- [3-

Leia mais

Quando e como realizar desinfestação de áreas com elevado banco de sementes

Quando e como realizar desinfestação de áreas com elevado banco de sementes Quando e como realizar desinfestação de áreas com elevado banco de sementes Consultoria e Projetos Agrícolas Ltda. Eng. Agrônomo Marcos Antonio Kuva Eng. Agrônomo Tiago P. Salgado Sede administrativa Estação

Leia mais

EQUIP PLUS. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob n 011401

EQUIP PLUS. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob n 011401 EQUIP PLUS VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob n 011401 COMPOSIÇÃO: 1-(4,6-dimethoxypyrimidin-2-yl)-3-[2-(di-methyl

Leia mais

COMO TRABALHAR COM BVO DR. MARCOS VILELA DE M. MONTEIRO¹, E-mail: bioaeronautica@terra.com.br

COMO TRABALHAR COM BVO DR. MARCOS VILELA DE M. MONTEIRO¹, E-mail: bioaeronautica@terra.com.br COMO TRABALHAR COM BVO DR. MARCOS VILELA DE M. MONTEIRO¹, 1 Eng o. Agrônomo, Centro Brasileiro de Bioaeronáutica (CBB) Sorocaba, SP E-mail: bioaeronautica@terra.com.br Formulações para Aplicações em BVO

Leia mais

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. AO SEU DISPOR.

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. AO SEU DISPOR. ÍNDICE Introdução 02 Bioinset 800 SC 03 Bioplen 150 SC 04 Bioinset 25 CE 05 Bioinset 200 SC 05 Spurion 2,5% 06 Spurion 10% SC 06 Mademax 400 CE 07 Inseticom 5 CE 07 Deltamax 25 CE 08 Deltamax 25 SC 08

Leia mais

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas A aplicação de produtos químicos ou biológicos para controle de pragas pode ser feita com tratores equipados com pulverizadores de barra com bicos

Leia mais

FORMIGAS CORTADEIRAS

FORMIGAS CORTADEIRAS 13ª. REUNIÃO TÉCNICA PROTEF ATUALIZAÇÃO EM PROTEÇÃO FLORESTAL NA BAHIA FORMIGAS CORTADEIRAS Aldenise Alves Moreira UESB UESB Vitória da Conquista - BA INTRODUÇÃO Brasil aproximadamente 6 milhões de hectares

Leia mais

Nome Comum Nome Científico Estágio de Crescimento Dose(litro*/ha) 0,5. Reaplicar se houver Capim marmelada Brachiaria plantaginea

Nome Comum Nome Científico Estágio de Crescimento Dose(litro*/ha) 0,5. Reaplicar se houver Capim marmelada Brachiaria plantaginea FUSILADE 250 EW Dados técnicos Nome comum do ingrediente ativo: FLUAZIFOP P BUTIL Registro no Ministério da Agricultura e do Abastecimento: nº 005796 Classe: herbicida graminicida sistêmico do grupo químico

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas

Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Manejo Integrado de Pragas de Grandes Culturas Marcelo C. Picanço Prof. de Entomologia Universidade Federal de Viçosa Telefone: (31)38994009 E-mail: picanco@ufv.br Situação do Controle de Pragas de Grandes

Leia mais

REDUÇÃO DE CUSTOS NO COMBATE ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTIOS FLORESTAIS

REDUÇÃO DE CUSTOS NO COMBATE ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTIOS FLORESTAIS Manutenção de Florestas e Manejo Integrado de Pragas REDUÇÃO DE CUSTOS NO COMBATE ÀS FORMIGAS CORTADEIRAS EM PLANTIOS FLORESTAIS Wilson Reis Filho 1 Mariane Aparecida Nickele 2 Entre os 15 gêneros existentes

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas do Eucalipto

Manejo Integrado de Pragas do Eucalipto Manejo Integrado de Pragas do Eucalipto Sanidade Florestal e a busca pela sustentabilidade da produção. Pesq. Everton P. Soliman Sanidade Florestal - Tecnologia Edival VIII Simpósio Sobre Técncias de Plantio

Leia mais

O Inseto de corpo achatado e mede 3 mm de comprimento.

O Inseto de corpo achatado e mede 3 mm de comprimento. Percevejo Bronzeado Espécie: Thaumastocoris peregrinus O Inseto de corpo achatado e mede 3 mm de comprimento. Ciclo de vida aproximadamente 35 dias (ovo adulto) Potencial reprodutivo: 60 0v0s/fêmea Alta

Leia mais

CUIDADOS TÉCNICOS COM GRAMADOS

CUIDADOS TÉCNICOS COM GRAMADOS CUIDADOS TÉCNICOS COM GRAMADOS CUIDADOS PRÉ-PLANTIO ERRADICAÇÃO DE ERVAS DANINHAS Você deve erradicar as ervas daninhas da área a ser gramada. Esta operação pode ser feita através da capina mecânica ou

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS

MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS 1 MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS As formigas cortadeiras são insetos sociais que apresentam castas reprodutoras e não reprodutoras, vivendo em colônias permanentes. São mastigadores e se desenvolvem

Leia mais

BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS)

BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS) BICUDO DA CANA (SPHENOPHORUS LEVIS) 1. INTRODUÇÃO Uma outra praga que vem assumindo um certo grau de importância é conhecida como o bicudo da cana-de-açúcar de ocorrência restrita no Estado de São Paulo,

Leia mais

Efeito dos custos dos insumos na rentabilidade dos projetos florestais

Efeito dos custos dos insumos na rentabilidade dos projetos florestais Ativos do Campo - Nº 04/2013 Efeito dos custos dos insumos na rentabilidade dos projetos florestais Mesmo sendo as plantações florestais intensivas em utilização de mão de obra, sobretudo em regiões montanhosas,

Leia mais

Agita : as moscas podem até voar, mas não vão escapar...

Agita : as moscas podem até voar, mas não vão escapar... http://www.milkpoint.com.br/anuncie/novidades-dos-parceiros/agita-as-moscas-podem-ate-voar-mas-nao-vao-escapar-69463n.aspx Agita : as moscas podem até voar, mas não vão escapar... 07/02/2011 Muitas pessoas

Leia mais

x- Novas e futuras alternativas de controle de plantas

x- Novas e futuras alternativas de controle de plantas x- Novas e futuras alternativas de controle de plantas daninhas Décio Karam I IPesquisador da Embrapa Milho e Sorgo e Presidente da Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas daninhas, biênio 2006/2008.

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE CUPINS

MANEJO INTEGRADO DE CUPINS 1 MANEJO INTEGRADO DE CUPINS Os cupins são insetos sociais que apresentam castas reprodutoras e não reprodutoras, vivendo em colônias permanentes chamadas de termiteiros ou cupinzeiros. São mastigadores

Leia mais

SILVICULTURA E MANEJO FLORESTAL

SILVICULTURA E MANEJO FLORESTAL SILVICULTURA E MANEJO FLORESTAL Fase 1: Produção de Mudas e Recomendações de Adubação no Viveiro 1. Sistemas de Produção de Mudas de eucalipto e pinus Mudas em saquinhos Atualmente, os recipientes mais

Leia mais

caruru-de-mancha caruru-verde (Amaranthus viridis) falsa-serralha bela-emilia (Emilia sonchifolia) caruru-de-mancha caruru-verde (Amaranthus viridis)

caruru-de-mancha caruru-verde (Amaranthus viridis) falsa-serralha bela-emilia (Emilia sonchifolia) caruru-de-mancha caruru-verde (Amaranthus viridis) METRIMEX 500 SC Ficha Técnica Nome Comum: Ametrina Nome Comercial: Metrimex 500 SC Grupo Químico: Triazina Concentração: 500 g/l Formulação: SC - Suspensão Concentrada Classe tóxicológica: III - Medianamente

Leia mais

Plantio de eucalipto na pequena propriedade rural

Plantio de eucalipto na pequena propriedade rural Plantio de eucalipto na pequena propriedade rural Imbatíveis em seu crescimento rápido, os eucaliptos são fonte de matériaprima para uma série de produtos de primeira necessidade, presentes em todas as

Leia mais

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO E CONSERVAÇÃO FLORESTAL - DDCF

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO E CONSERVAÇÃO FLORESTAL - DDCF INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO E CONSERVAÇÃO FLORESTAL - DDCF Nota Técnica para o Programa de Fomento Ambiental - IEF Autores: Carlos Jose Andrade Silveira Eng. Florestal

Leia mais

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015

WORKSHOP DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISAS SAFRA 2014/2015 DESAFIOS FITOSSANITÁRIOS NO MANEJO DE LAVOURAS WORKSHOP APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS - FBA Engº Agrº EZELINO CARVALHO INTRODUÇÃO O objetivo desta apresentação é dialogar sobre os problemas fitossanitários

Leia mais

Circular. Técnica. Guia para Monitoramento de Reflorestamentos para Restauração. I. Apresentação. Janeiro 2010 Número 1

Circular. Técnica. Guia para Monitoramento de Reflorestamentos para Restauração. I. Apresentação. Janeiro 2010 Número 1 Guia para Monitoramento de Reflorestamentos para Restauração 1 Circular Técnica Janeiro 2010 Número 1 Autor Antonio Carlos Galvão de Melo Coautores Claudia Macedo Reis Roberto Ulisses Resende I. Apresentação

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS

MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS Notas de Aula de Entomologia 1 MANEJO INTEGRADO DE FORMIGAS CORTADEIRAS 1. INTRODUÇÃO RONALD ZANETTI 1 GERALDO ANDRADE CARVALHO 1 ALEXANDRE DOS SANTOS 2 ALAN SOUZA-SILVA 3 MAURÍCIO SEKIGUCHI GODOY 3 As

Leia mais

BASF Cana Crescer a cada desafio

BASF Cana Crescer a cada desafio BASF Cana Crescer a cada desafio Pag. 1 Pag. 2 Soluções integradas por todo o ciclo da cana-de-açúcar. Pag. 3 Cada dia nos desafia a crescer. Pag. 4 Buscar oportunidades para produzir mais, melhor e com

Leia mais

Controle Plantas Infestantes

Controle Plantas Infestantes Controle de Plantas Infestantes ',' Domingo Haroldo R. C. Reinhardt Francisco Alissonda Silva Xavier Aristóteles Pires de Matos Getúlio Augusto Pinto da Cunha 118 Quais são os problemas provocados pelas

Leia mais

GALLANT*R LEIA O RÓTULO E A BULA ANTES DE UTILIZAR O PRODUTO E CONSERVE-A EM SEU PODER. É OBRIGATÓRIO O USO DE EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA. PROTEJA-SE.

GALLANT*R LEIA O RÓTULO E A BULA ANTES DE UTILIZAR O PRODUTO E CONSERVE-A EM SEU PODER. É OBRIGATÓRIO O USO DE EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA. PROTEJA-SE. (MODELO DE BULA - TEXTO) GALLANT*R LEIA O RÓTULO E A BULA ANTES DE UTILIZAR O PRODUTO E CONSERVE-A EM SEU PODER. É OBRIGATÓRIO O USO DE EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA. PROTEJA-SE. 1. DADOS GERAIS 1.1. Composição:

Leia mais

RESPOSTA TÉCNICA. Urucum, plantio, colheita, manejo, adubação, pragas, produção, mudas, Minas Gerais.

RESPOSTA TÉCNICA. Urucum, plantio, colheita, manejo, adubação, pragas, produção, mudas, Minas Gerais. RESPOSTA TÉCNICA CR 858 Título Manejo de urucum (Bixa orellana L.) no estado de Minas Gerais. Palavras-chave Urucum, plantio, colheita, manejo, adubação, pragas, produção, mudas, Minas Gerais. Atividade

Leia mais

Vitor Pinheiro Mercado Florestal. Apresentação Institucional

Vitor Pinheiro Mercado Florestal. Apresentação Institucional Vitor Pinheiro Mercado Florestal Apresentação Institucional Croqui do Viveiro Principal do IBF Casa de Sombra Galpão de Semeio Casa Irrigação Casa de Germinação Alojamento Escritório e área de expedição

Leia mais

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE HORTALIÇAS!

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE HORTALIÇAS! PRODUÇÃO ORGÂNICA DE HORTALIÇAS! UMA OPORTUNIDADE DE PRODUZIR ALIMENTOS SAUDÁVEIS PARA CONSUMO E VENDA! ELABORAÇÃO: ENG. AGRÔNOMO MAURO LÚCIO FERREIRA Msc. CULTIVO DE HORTALIÇAS Agosto- 2006 ÍNDICE POR

Leia mais

PRAGAS DE VIVEIROS FLORESTAIS

PRAGAS DE VIVEIROS FLORESTAIS 1 PRAGAS DE VIVEIROS FLORESTAIS A fase de viveiro é a mais suscetível do desenvolvimento de uma floresta implantada e, quando mal planejada, poderá comprometer todas as operações seguintes, inviabilizando

Leia mais

ADVANCE VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ

ADVANCE VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ ADVANCE VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ Registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento / MAPA sob nº 001595 COMPOSIÇÃO: 3-(3,4-diclorofenil)-1,1-dimetiluréia(DIURON)...533

Leia mais

Indicações de uso registradas

Indicações de uso registradas WARRANT Nº do Registro 08398 Registrante Classe Agronômica Modo de Ação Modalidade de Emprego Composição Química Grupo Químico Formulação Química Forma de Aplicação Classificação Toxicológica Classificação

Leia mais

Ensacado - A Argila Expandida pode ser comprada em sacos de 50l, sendo transportada da mesma maneira. Cada 20 sacos equivalem a 1m 3.

Ensacado - A Argila Expandida pode ser comprada em sacos de 50l, sendo transportada da mesma maneira. Cada 20 sacos equivalem a 1m 3. Argila Expandida A argila expandida é um agregado leve que se apresenta em forma de bolinhas de cerâmica leves e arredondadas, com uma estrutura interna formada por um a espuma cerâmica com micro poros

Leia mais

EFEITO DE FORMICIDAS EM PÓ NO CONTROLE DA FORMIGA DE RODEIO, Acromyrmex striatus (HYMENOPTERA: FORMICIDAE)

EFEITO DE FORMICIDAS EM PÓ NO CONTROLE DA FORMIGA DE RODEIO, Acromyrmex striatus (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) EFEITO DE FORMICIDAS EM PÓ NO CONTROLE DA FORMIGA DE RODEIO, Acromyrmex striatus (HYMENOPTERA: FORMICIDAE) DIONISIO LINK', FÁBIO MOREIRA LINK', HENRIQUE MOREIRA LINK 2 RESUMO - Com o objetivo de apresentar

Leia mais

BORAL 500 SC VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ

BORAL 500 SC VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ BORAL 500 SC VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob o nº 07495. COMPOSIÇÃO: 2,4 -dichloro-5-(4-difluoromethyl-4,5-dihydro-3-methyl-5-oxo-1h-1,2,4-triazol-1-yl)

Leia mais

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA.

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. Preservar a qualidade da vida humana é pensar globalmente, é implementar ações de consumo sustentável, é valorizar cada ser humano e renovar a cada dia o compromisso com o seu bem

Leia mais

EVIDENCE 700 WG VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO ESTADO DO PARANÁ.

EVIDENCE 700 WG VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO ESTADO DO PARANÁ. EVIDENCE 700 WG VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO ESTADO DO PARANÁ. Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 006294 COMPOSIÇÃO: 1-(6-chloro-3-pyridylmethyl)-N-nitroimidazolidin-2-ylideneamine

Leia mais

FLORESTAS DE EUCALIPTO: IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO

FLORESTAS DE EUCALIPTO: IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO FLORESTAS DE EUCALIPTO: IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO Haroldo Nogueira de Paiva; Laércio Antônio Gonçalves Jacovine Dep. de Engenharia Florestal/UFV; Campus Universitário, 36570-000 Viçosa - MG e-mail: hnpaiva@ufv.br;

Leia mais

(*) IMPORTADOR DO PRODUTO FORMULADO FABRICANTE DO PRODUTO TÉCNICO:

(*) IMPORTADOR DO PRODUTO FORMULADO FABRICANTE DO PRODUTO TÉCNICO: Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/MAPA sob nº 01404 COMPOSIÇÃO: Methyl 4-iodo-2-[3-(4-methoxy-6-methyl-1,3,5-triazin-2-yI)ureidosulfonyl] benzoate (IODOSULFUROM-METÍLICO)...

Leia mais

Curso de Produção de Mudas Nativas. 9:30 a 11:00

Curso de Produção de Mudas Nativas. 9:30 a 11:00 Curso de Produção de Mudas Nativas 9:30 a 11:00 Solano Martins Aquino Diretor Presidente e fundador do Instituto Brasileiro de Florestas, biólogo, pesquisador e produtor de mudas florestais. Desenvolve

Leia mais