FORMAÇÃO DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS: AÇÃO GEOMORFOLÓGICA DA SOCIEDADE NAS PLANÍCIES FLUVIAIS DA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FORMAÇÃO DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS: AÇÃO GEOMORFOLÓGICA DA SOCIEDADE NAS PLANÍCIES FLUVIAIS DA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE"

Transcrição

1 FORMAÇÃO DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS: AÇÃO GEOMORFOLÓGICA DA SOCIEDADE NAS PLANÍCIES FLUVIAIS DA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE Érika Cristina Nesta Silva João Osvaldo Rodrigues Nunes Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - FCT/UNESP - Campus de Presidente Prudente. RESUMO Através do reconhecimento da ação da sociedade como agente geomorfológico, os estudos relativos à abordagem tecnogênica no Brasil passaram a ser desenvolvidos durante a década de Os Depósitos Tecnogênicos resultam da ação geomorfológica da sociedade tanto no meio urbano quanto no rural, e a classificação destes depende da observação de determinadas características que são particulares destas formações. A área de estudo escolhida para a coleta destes depósitos e para as análises em laboratório, localizase no setor nordeste da cidade de Presidente Prudente-SP, próximo do Conjunto Habitacional Humberto Salvador, que encontra-se densamente ocupado. O estudo da formação dos depósitos tecnogênicos nesta área justifica-se pela necessidade de se conhecer a ação geomorfológica humana local, no qual ocasiona transformações na paisagem, bem como no estudo das características naturais (formações geológicas e tipos de solos), como na deposição de artefatos humanos. O objetivo principal deste trabalho é compreender a gênese dos depósitos tecnogênicos, a partir do estudo dos artefatos depositados em voçorocas, a fim de propor medidas para a recuperação ambiental da área de estudo. Entre os métodos escolhidos para o cumprimento das etapas estipuladas estão os trabalhos de campo, as coletas dos Depósitos Tecnogênicos e posterior análise no Laboratório de Sedimentologia e Análise de Solos da UNESP de Presidente Prudente. Nesta primeira fase de desenvolvimento do projeto foram levantados dados sobre a história de ocupação da área de estudo e analisados os materiais coletados em campo, dos quais foi verificada a existência principalmente de materiais de construção civil, ou seja, materiais classificados como úrbicos. Palavras-chave: Depósitos tecnogênicos, ambiente, sociedade. 1. Introdução A ação humana no ambiente em que vive e no qual utiliza para diversos fins, tem resultado na transformação das características originais de diversas paisagens. Com o reconhecimento desta capacidade humana, vários estudos e abordagens surgiram no sentido de verificar o grau de modificação da natureza, bem como a proposição de soluções para os possíveis problemas decorrentes destas ações. Neste cenário, começam a surgir trabalhos no Brasil, a partir da década de 1990, onde o ser humano é considerado como agente geológico-geomorfológico, através de estudos referentes à abordagem tecnogênica. Os objetos principais de estudo desta abordagem são os depósitos tecnogênicos, que são testemunhos da ação humana num determinado ambiente. Nos depósitos são encontrados, com freqüência, artefatos manufaturados, através dos quais é possível a análise da ocupação humana no local. Os depósitos tecnogênicos são formados em ambientes urbanos e rurais, de acordo com o uso do solo. Com a observação de determinadas características, como o material constituinte, é possível a classificação destes depósitos, como pode ser observado abaixo:

2 1- Materiais úrbicos (do inglês urbic): tratam-se de detritos urbanos, materiais terrosos que contêm artefatos manufaturados pelo homem moderno, freqüentemente em fragmentos, como tijolos, vidro, concreto, asfalto, pregos, plástico, metais diversos, pedra britada, cinzas e outros, provenientes por exemplo de detritos de demolição de edifícios. 2- Materiais gárbicos (do inglês garbage): são depósitos de material detrítico com lixo orgânico, de origem humana e que, apesar de conterem artefatos em quantidades muito menores que a dos materiais úrbicos, são suficientemente ricos em matéria orgânica para geram metano em condições anaeróbicas. 3- Materiais espólicos (do inglês spoil): materiais escavados e redepositados por operações de terraplanagem em minas a céu aberto, rodovias ou outras obras civis. Incluiríamos aqui também os depósitos os depósitos de assoreamento induzidos pela erosão acelerada. Seja como for, os materiais contêm muito pouca quantidade de artefatos, sendo assim identificados pela expressão geomórfica não natural, ou ainda por peculiaridades texturais e estruturais em seu perfil. 4- Materiais dradagos : materiais terrosos provenientes da dragagem de cursos d água e comumente depositados em diques em cotas topográficas superiores às da planície aluvial. (FANNING & FANNING, 1989, apud PELOGGIA, 1998, p. 74) Assim, o ser humano produz testemunhos e, consequentemente, modificações na natureza, caracterizando o que alguns estudiosos denominam de Quinário. Segundo autores como Ter-Stepanian, o Holoceno, que teve início há aproximadamente anos seria uma época de transição do Quaternário para o Quinário ou Tecnógeno, onde a ação humana influencia nas novas coberturas pedológias e formações geológicas. Através desta abordagem, para o presente estudo foi escolhida uma área de coleta de depósitos tecnogênicos onde o adensamento de construções e o alto grau de intervenção humana são fatores determinantes no processo de formação dos mesmos, assim como a não preocupação com a conservação dos cursos d água e planícies aluviais. 2. Material e Métodos (metodologia) Primeiro, ocorreu a escolha da área de estudo - setor nordeste do município de Presidente Prudente, em específico as proximidades do Conjunto Habitacional Jardim Humberto Salvador. Logo após, Foram realizados levantamentos sobre a origem do conjunto habitacional e demais dados necessários, para as futuras relações entre os aspectos sociais e naturais presentes. Na seqüência, ocorreram os trabalhos de campo para o reconhecimento da intervenção humana próxima aos cursos d água e planícies aluviais. Num segundo momento, foram realizadas as coletas de dois depósitos tecnogênicos, utilizando metodologia elaborada no Laboratório de Sedimentologia e Análise de Solos, com o auxílio de dois canos de pvc de seis polegadas e um metro de comprimento, como pode ser observado nas Figuras 1 e 2.

3 Figura 1: retirada do primeiro depósito tecnogênico no talude de uma voçoroca presente na área de estudo Fonte: trabalho de campo, fevereiro de 2009 Figura 2: retirada do segundo depósito tecnogênico em área localizada à montante do ponto de retirada do primeiro depósito tecnogênico Além da retirada dos dois depósitos tecnogênicos, foram identificadas em campo cada uma das camadas constituintes dos mesmos, através do reconhecimento das seguintes características: cor das camadas, grau de compactação dos materiais e presença de materiais manufaturados depositados no solo. Foram coletadas parcelas de cada uma das camadas reconhecidas, que posteriormente foram levadas para o Laboratório de Sedimentologia e Análise de Solos da FCT/UNESP- Campus de Presidente Prudente para realização de análise física. A análise realizada em laboratório resultou de uma adaptação das metodologias de análise textural e granulométrica proposta pela EMBRAPA (1997). 3. Resultados e Discussões A construção do Conjunto Habitacional Jardim Humberto Salvador auxiliou para diminuir o déficit habitacional da Cidade de Presidente Prudente, sendo que mais de duas mil famílias foram beneficiadas. Entretanto, com a divisão dos lotes e posteriormente com as construções, alguns aspectos não foram considerados, entre eles a deposição adequada de materiais diversos e a preservação dos cursos d água. Como pôde ser observado nos primeiros trabalhos de campo, houve a deposição de materiais descartados nas planícies aluviais e, até mesmo, no interior de feições erosivas presentes nas áreas adjacentes próximas ao conjunto habitacional. Portanto, além do aumento do escoamento superficial da água, devido à impermeabilização do solo, acarretando processos erosivos nas vertentes próximas ao loteamento, ocorreu também o transporte e deposição de diversos materiais tecnogênicos nas áreas adjacentes, denominados, segundo a classificação mencionada anteriormente de Úrbicos e Gárbicos.

4 Os pontos de coleta dos depósitos foram escolhidos em campo, de acordo com as características de intervenção reconhecidas. O primeiro ponto possuiu como referência uma voçoroca próxima à planície aluvial assoreada. Parte do material encontrado foi reconhecido como transportado das áreas à montante, devido à observação de camadas com materiais sedimentares, típicos de intervenção humana. Este depósito apresentou sete camadas diferentes, conforme observado na Figura 3, contendo as texturas de cada uma delas. Já o segundo ponto apresentou como principal característica o reconhecimento de quatro camadas, das quais a segunda e a terceira apresentaram em seu interior materiais de construção provenientes dos bairros próximos ao local (Figura 4). Figura 3: Texturas reconhecidas no ponto de coleta do primeiro depósito tecnogênico. Organização: Érika Cristina Nesta Silva Figura 4: Texturas reconhecidas no ponto de coleta do segundo depósito tecnogênico. 4. Conclusões Desta forma, os resultados preliminares desta pesquisa apontam para o reconhecimento do ser humano enquanto agente capaz de alterar as características dos ambientes, durante o transcorrer do tempo curto, muito menor em comparação com o tempo longo decorrente dos agentes da natureza. Outro aspecto foi a observação dos efeitos negativos ocasionados na área de estudo, tais como: a diminuição sensível do volume de escoamento superficial, a contaminação superficial e de subsuperfície dos mananciais local, o risco de contaminação da água do aquífero suspenso, e o aceleramento de processos erosivos, como as voçorocas presentes no local que acabam servindo de depósito para materiais descartados. 5. Referências Bibliográfica OLIVEIRA, A. M. S. [et al]. Tecnógeno, registros da ação humana geológica do homem. In: SOUZA, C. R. G. [et al] (ed.) Quaternário do Brasil. Ribeirão Preto: Holos, 2005.

5 PEDRO, L. C. Ambiente e apropriação dos compartimentos geomorfológicos do Conjunto Habitacional Jardim Humberto Salvador e Condomínio Fechado Damha. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciência e Tecnologia. Presidente Prudente: [s.n.], 2008 PELOGGIA, A. O homem e o ambiente geológico: geologia, sociedade e ocupação urbana no município de São Paulo. São Paulo: Xamã, 1998.

DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE SP.

DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE SP. Érika Cristina Nesta Silva erikacnsdreamer@yahoo.com.br João Osvaldo Rodrigues Nunes joaosvaldo@fct.unesp.br UNESP- Presidente Prudente DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE SP. INTRODUÇÃO

Leia mais

Palavras-chaves: Geografia; depósitos tecnogênicos; paisagem; Presidente Prudente.

Palavras-chaves: Geografia; depósitos tecnogênicos; paisagem; Presidente Prudente. Revista Geográfica de América Central Número Especial EGAL, 2011- Costa Rica II Semestre 2011 pp. 1-13 ESTUDO GEOGRÁFICO DOS DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NOS CONJUNTOS HABITACIONAIS JARDIM HUMBERTO SALVADOR

Leia mais

DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP: A INTERVENÇÃO HUMANA NA FORMAÇÃO DE NOVAS PAISAGENS

DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP: A INTERVENÇÃO HUMANA NA FORMAÇÃO DE NOVAS PAISAGENS DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP: A INTERVENÇÃO HUMANA NA FORMAÇÃO DE NOVAS PAISAGENS Lucas Junior Pereira da Silva lucasjuniorgeo@gmail.com Licenciado e Bacharelando em Geografia Faculdade

Leia mais

A influência da ação antrópica na formação das planícies tecnogênicas no perímetro urbano de Presidente Prudente-SP

A influência da ação antrópica na formação das planícies tecnogênicas no perímetro urbano de Presidente Prudente-SP A influência da ação antrópica na formação das planícies tecnogênicas no perímetro urbano de Presidente Prudente-SP Silva, E.C.N. (UNESP (FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA)) ; Nunes, J.O.R. (UNESP (FACULDADE

Leia mais

ELABORAÇÃO DE MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP.

ELABORAÇÃO DE MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP. ELABORAÇÃO DE MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP. João Osvaldo Rodrigues Nunes (joaosvaldo@fct.unesp.br), Melina Fushimi (melinafushimi@yahoo.com.br) Universidade Estadual Paulista

Leia mais

ANÁLISE DAS MODIFICAÇÕES ANTRÓPICAS NO SÍTIO URBANO DE TERESINA-PIAUÍ. Teresa Cristina Ferreira da Silva

ANÁLISE DAS MODIFICAÇÕES ANTRÓPICAS NO SÍTIO URBANO DE TERESINA-PIAUÍ. Teresa Cristina Ferreira da Silva ANÁLISE DAS MODIFICAÇÕES ANTRÓPICAS NO SÍTIO URBANO DE TERESINA-PIAUÍ Teresa Cristina Ferreira da Silva Graduada em Geografia da Universidade Federal do Piauí Orientador: Prof. Pedro Alcântara Cardoso

Leia mais

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP, BRASIL.

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP, BRASIL. MAPEAMENT GEMRFÓGIC N MUNICÍPI DE PRESIDENTE PRUDENTE SP, BRASI. Melina Fushimi (melinafushimi@yahoo.com.br), João svaldo Rodrigues Nunes (joaosvaldo@fct.unesp.br) Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

Sociedade & Natureza ISSN: Universidade Federal de Uberlândia Brasil

Sociedade & Natureza ISSN: Universidade Federal de Uberlândia Brasil Sociedade & Natureza ISSN: 0103-1570 sociedadenatureza@ufu.br Universidade Federal de Uberlândia Brasil Nesta Silva, Érika Cristina; Rodrigues Nunes, João Osvaldo O TECNÓGENO NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP

Leia mais

O TECNÓGENO NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP. The Technogene in the city of Presidente Prudente, São Paulo, Brazil

O TECNÓGENO NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP. The Technogene in the city of Presidente Prudente, São Paulo, Brazil O TECNÓGENO NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP The Technogene in the city of Presidente Prudente, São Paulo, Brazil Érika Cristina Nesta Silva Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho",

Leia mais

REFLEXÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS NO ESTUDO DOS DEPÓSITOS E RELEVOS TECNOGÊNICOS EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP.

REFLEXÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS NO ESTUDO DOS DEPÓSITOS E RELEVOS TECNOGÊNICOS EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP. REFLEXÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS NO ESTUDO DOS DEPÓSITOS E RELEVOS TECNOGÊNICOS EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP. ÉRIKA CRISTINA NESTA SILVA 1 Resumo O estudo dos depósitos e relevos tecnogênicos possibilitam

Leia mais

DIAGNÓSTICO E MONITORAMENTO DO ASSOREAMENTO NO RIO SÃO FRANCISCO ENTRE PETROLINA-PE E JUAZEIRO-BA.

DIAGNÓSTICO E MONITORAMENTO DO ASSOREAMENTO NO RIO SÃO FRANCISCO ENTRE PETROLINA-PE E JUAZEIRO-BA. DIAGNÓSTICO E MONITORAMENTO DO ASSOREAMENTO NO RIO SÃO FRANCISCO ENTRE PETROLINA-PE E JUAZEIRO-BA. Márcia Evangelista Sousa (UPE, discente); marah-sousa@hotmail.com Nilson Evangelista da Silva Santos Filho

Leia mais

18 a 22 out MANAUS (AM)

18 a 22 out MANAUS (AM) 18 a 22 out. 2014 MANAUS (AM) OCUPAÇÕES DE ENCOSTAS E IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS URBANOS NAS VILAS BANDEIRANTES I, II E III, LOCALIZADAS NOS BAIRROS PORTO DO CENTRO, SATÉLITE E SAMAPI, EM TERESINA (PI) Taís

Leia mais

Revista Geográfica de América Central ISSN: X Universidad Nacional Costa Rica

Revista Geográfica de América Central ISSN: X Universidad Nacional Costa Rica Revista Geográfica de América Central ISSN: 1011-484X revgeo@una.cr Universidad Nacional Costa Rica Fushimi, Melina; Rodrigues Nunes, João Osvaldo GEOMORFOLOGIA DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP,

Leia mais

USO DO SOLO E MAPEAMENTO DE ÁREAS DE EROSÃO ACELERADA

USO DO SOLO E MAPEAMENTO DE ÁREAS DE EROSÃO ACELERADA USO DO SOLO E MAPEAMENTO DE ÁREAS DE EROSÃO ACELERADA Patrícia Martins de Oliveira 1 ; Homero Lacerda 2 1 Voluntaria de Iniciação Cientifica Geografia UNUCSEH patrícia.geografia@yahoo.com.br 2 Orientador

Leia mais

Proposta de classificação do tecnógeno para uso no mapeamento de áreas de risco de deslizamento

Proposta de classificação do tecnógeno para uso no mapeamento de áreas de risco de deslizamento Proposta de classificação do tecnógeno para uso no mapeamento de áreas de risco de deslizamento Technogenic classification proposal for use in landslide risk mapping Fabrício Araujo Mirandola ab, Eduardo

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DO CENTRO TURÍSTICO CAMILO CHAVES NETO NA CIDADE DE ITUIUTABA MG E A ACELERAÇÃO DO PROCESSO DE ASSOREAMENTO DO CÓRREGO PIRAPITINGA

A IMPLANTAÇÃO DO CENTRO TURÍSTICO CAMILO CHAVES NETO NA CIDADE DE ITUIUTABA MG E A ACELERAÇÃO DO PROCESSO DE ASSOREAMENTO DO CÓRREGO PIRAPITINGA A IMPLANTAÇÃO DO CENTRO TURÍSTICO CAMILO CHAVES NETO NA CIDADE DE ITUIUTABA MG E A ACELERAÇÃO DO PROCESSO DE ASSOREAMENTO DO CÓRREGO PIRAPITINGA João Victor Freitas Silva Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

Difratometria por raios X

Difratometria por raios X 57 A amostra 06 foi coletada no fundo de um anfiteatro (Figura 23), em uma feição residual de um degrau no interior da voçoroca, este material, aparentemente mais coeso, também consiste em areia muito

Leia mais

Palavras-chaves: relevo; morfodinâmica; mapeamento; Presidente Prudente; Brasil.

Palavras-chaves: relevo; morfodinâmica; mapeamento; Presidente Prudente; Brasil. Revista Geográfica de América Central Número Especial EGAL, 2011- Costa Rica II Semestre 2011 pp. 1-16 GEOMORFOLOGIA DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP, BRASIL. RESUMO Melina Fushimi 1 João Osvaldo

Leia mais

A FORMAÇÃO DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NO NOROESTE DO PARANÁ/BRASIL

A FORMAÇÃO DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NO NOROESTE DO PARANÁ/BRASIL A FORMAÇÃO DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NO NOROESTE DO PARANÁ/BRASIL Pedro França Junior 1 ; Marta Luzia de Souza 2 pfjpedro@gmail.com 1 ; mlsouza@uem.br 2 Progr. de Pós-graduação em Geografia,Universidade

Leia mais

ASSOREAMENTO E FORMAÇÃO DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NA BARRAGEM LOMBA DO SABÃO, PORTO ALEGRE E VIAMÃO RS/BRASIL

ASSOREAMENTO E FORMAÇÃO DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NA BARRAGEM LOMBA DO SABÃO, PORTO ALEGRE E VIAMÃO RS/BRASIL ASSOREAMENTO E FORMAÇÃO DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NA BARRAGEM LOMBA DO SABÃO, PORTO ALEGRE E VIAMÃO RS/BRASIL Maíra Suertegaray Rossato (*) Luís Alberto Basso (*) Este estudo 1 derivou do trabalho de um

Leia mais

2. (UFPR) Cite e explique quais são os fatores que participam do processo de formação dos solos.

2. (UFPR) Cite e explique quais são os fatores que participam do processo de formação dos solos. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 1º Ano

Leia mais

AS AÇÕES ANTRÓPICAS E AS FORMAÇÕES TECNOGÊNICAS: O CASO DO JARDIM HUMBERTO SALVADOR EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP

AS AÇÕES ANTRÓPICAS E AS FORMAÇÕES TECNOGÊNICAS: O CASO DO JARDIM HUMBERTO SALVADOR EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP AS AÇÕES ANTRÓPICAS E AS FORMAÇÕES TECNOGÊNICAS: O CASO DO JARDIM HUMBERTO SALVADOR EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP LEDA CORREIA PEDRO 1 JOÃO OSVALDO RODRIGUES NUNES 2 Resumo: As formações tecnogênicas são decorrentes

Leia mais

ANÁLISE GEOMORFOLÓGICA DO MUNICÍPIO DE JARDIM OLINDA - PR

ANÁLISE GEOMORFOLÓGICA DO MUNICÍPIO DE JARDIM OLINDA - PR ANÁLISE GEOMORFOLÓGICA DO MUNICÍPIO DE JARDIM OLINDA - PR 17 Luiz Giovanni Bornia Acadêmico 4º Geografia - UEM luiz.bornia@cocamar.com.br Wérica Cardoso de Oliveira Acadêmica 1º Geografia - UEM wericaco@gmail.com

Leia mais

O ESTUDO DA PAISAGEM E AS DIFERENTES FORMAS DE OCUPAÇÃO DAS VERTENTES NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE/SP 1.

O ESTUDO DA PAISAGEM E AS DIFERENTES FORMAS DE OCUPAÇÃO DAS VERTENTES NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE/SP 1. O ESTUDO DA PAISAGEM E AS DIFERENTES FORMAS DE OCUPAÇÃO DAS VERTENTES NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE/SP 1. PEDRO, L. C Mestranda do Curso de Pós-Graduação em Geografia FCT/Unesp. E-mail ledacpgeo@yahoo.com.br

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA GEOMORFOLOGIA ANTROPOGÊNICA PARA A ANÁLISE DOS PROCESSOS HIDROGEOMORFOLÓGICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA CÓRREGO DO VEADO

CONTRIBUIÇÕES DA GEOMORFOLOGIA ANTROPOGÊNICA PARA A ANÁLISE DOS PROCESSOS HIDROGEOMORFOLÓGICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA CÓRREGO DO VEADO Nayara Rodrigues da Silva Orientadora: Prof. Dra. Isabel Cristina Moroz Caccia Gouveia; Instituição: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Faculdade de Ciências e Tecnologia, campus Presidente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA TERRA DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA GEOMORFOLOGIA BÁSICA E ESTRUTURAL - GB 128 TEMA 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA TERRA DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA GEOMORFOLOGIA BÁSICA E ESTRUTURAL - GB 128 TEMA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA TERRA DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA GEOMORFOLOGIA BÁSICA E ESTRUTURAL - GB 128 TEMA 1 Professor: Fabiano A. Oliveira 2017 Afinal, o que é Geomorfologia?

Leia mais

Os vertisolos - Expandem-se e Contraem-se constantemente com a variação da humidade

Os vertisolos - Expandem-se e Contraem-se constantemente com a variação da humidade A análise de solos Os Solos O solo é o resultado da complexa interacção dos processos físicos, químicos e biológicos variados que actuam na pedra ou sedimento ao longo do tempo; Os solos são produtos das

Leia mais

ORDENAMENTO TERRITORIAL E PROBLEMAS SOCIOAMBIENTAIS URBANOS: ANÁLISE EM AMBIENTE METROPOLITANO

ORDENAMENTO TERRITORIAL E PROBLEMAS SOCIOAMBIENTAIS URBANOS: ANÁLISE EM AMBIENTE METROPOLITANO ORDENAMENTO TERRITORIAL E PROBLEMAS SOCIOAMBIENTAIS URBANOS: ANÁLISE EM AMBIENTE METROPOLITANO Marcel Bordin Galvão Dias Programa de Pós-Graduação em Geografia, Faculdade de Ciências e Tecnologia, UNESP,

Leia mais

O RELEVO DA TERRA Capítulo 2

O RELEVO DA TERRA Capítulo 2 O RELEVO DA TERRA Capítulo 2 Ciclo da erosão RETIRADA TRANSPORTE SEDIMENTAÇÃO OU DEPOSIÇÃO A EROSÃO É UM PROCESSO NATURAL De uma forma simplificada, existe uma tendência em considerar a erosão como algo

Leia mais

ACIDENTES GEOMORFOLÓGICOS E USO DA TERRA NA MICROBACIA DO ALTO CURSO DO RIO DAS ANTAS, ANÁPOLIS (GO).

ACIDENTES GEOMORFOLÓGICOS E USO DA TERRA NA MICROBACIA DO ALTO CURSO DO RIO DAS ANTAS, ANÁPOLIS (GO). ACIDENTES GEOMORFOLÓGICOS E USO DA TERRA NA MICROBACIA DO ALTO CURSO DO RIO DAS ANTAS, ANÁPOLIS (GO). Leide Laura F. M. Teixeira 1,4 ; Sandro Nunes de Oliveira 2,4 ; Homero Lacerda 3,4 1 Bolsista PBIC/UEG

Leia mais

UNIDADES DE RELEVO DA BACIA DO RIO PEQUENO, ANTONINA/PR: MAPEAMENTO PRELIMINAR

UNIDADES DE RELEVO DA BACIA DO RIO PEQUENO, ANTONINA/PR: MAPEAMENTO PRELIMINAR UNIDADES DE RELEVO DA BACIA DO RIO PEQUENO, ANTONINA/PR: MAPEAMENTO PRELIMINAR Julio Manoel França da Silva, Mestrando em Geografia, Universidade Federal do Paraná. Email: juliogeog@yahoo.com.br; Leonardo

Leia mais

Os depósitos tecnogênicos construídos no mapeamento geológico de planícies costeiras: o caso da Ilha de Santa Catarina, Santa Catarina, Brasil

Os depósitos tecnogênicos construídos no mapeamento geológico de planícies costeiras: o caso da Ilha de Santa Catarina, Santa Catarina, Brasil Os depósitos tecnogênicos construídos no mapeamento geológico de planícies costeiras: o caso da Ilha de Santa Catarina, Santa Catarina, Brasil The built technogenic deposits on the geologic mapping of

Leia mais

ESPACIALIZAÇÃO DE PARÂMETROS DE SOLO EM UMA MICROBACIA DE OCUPAÇÃO URBANA - SOROCABA/SP

ESPACIALIZAÇÃO DE PARÂMETROS DE SOLO EM UMA MICROBACIA DE OCUPAÇÃO URBANA - SOROCABA/SP ESPACIALIZAÇÃO DE PARÂMETROS DE SOLO EM UMA MICROBACIA DE OCUPAÇÃO URBANA - SOROCABA/SP Rodrigo Custódio Urban 1 ; Alexandre Marco da Silva 1 ; Luiz Augusto Manfré 1 1 UNESP Campus Sorocaba. Av. Três de

Leia mais

EROSÃO ACELERADA EM UMA CANAL URBANO ASSOCIADA À OCUPAÇÃO URBANA PERIFÉRICA NO MUNICÍPIO DE GOIÂNIA> RESULTADOS PRELIMINARES.

EROSÃO ACELERADA EM UMA CANAL URBANO ASSOCIADA À OCUPAÇÃO URBANA PERIFÉRICA NO MUNICÍPIO DE GOIÂNIA> RESULTADOS PRELIMINARES. EROSÃO ACELERADA EM UMA CANAL URBANO ASSOCIADA À Lima Amaral, L. 1 ; Soares Cherem, L.F. 2 ; 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Email:ludylima_04@hotmail.com; 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Email:luis.cherem@gmail.com;

Leia mais

Vegetação Amenizadora da Poluição Industrial no Bairro Cidade Industrial de Curitiba / PR

Vegetação Amenizadora da Poluição Industrial no Bairro Cidade Industrial de Curitiba / PR Vegetação Amenizadora da Poluição Industrial no Bairro Cidade Industrial de Curitiba / PR Debora Cristina LOPES Universidade Federal do Paraná A questão da cobertura vegetal em áreas urbanas possui cada

Leia mais

USO DA TERRA, EROSÃO ACELERADA E ASSOREAMENTO NA MICROBACIA DO CÓRREGO DOS GÓIS, ANÁPOLIS (GO) Karine Vicência Souto 1 ; Homero Lacerda 2

USO DA TERRA, EROSÃO ACELERADA E ASSOREAMENTO NA MICROBACIA DO CÓRREGO DOS GÓIS, ANÁPOLIS (GO) Karine Vicência Souto 1 ; Homero Lacerda 2 USO DA TERRA, EROSÃO ACELERADA E ASSOREAMENTO NA MICROBACIA DO CÓRREGO DOS GÓIS, ANÁPOLIS (GO) 1 Bolsista PBIC/UEG; Karine Vicência Souto 1 ; Homero Lacerda 2 2 Orientador, Curso de Geografia, Unidade

Leia mais

Estudo Preliminar da Erodibilidade de um Perfil Solo Residual na BR 101 No Município de Campos dos Goytacazes/RJ.

Estudo Preliminar da Erodibilidade de um Perfil Solo Residual na BR 101 No Município de Campos dos Goytacazes/RJ. Estudo Preliminar da Erodibilidade de um Perfil Solo Residual na BR 101 No Município de Campos dos Goytacazes/RJ. Francisco de Deus Fonseca Neto, Izabel de Souza Ramos, Maria da Glória Alves, Josué Alves

Leia mais

PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE/SP: A RELAÇÃO ENTRE RELEVO, APROPRIAÇÃO, OCUPAÇÃO E FORMA DE SE PRODUZIR O ESPAÇO URBANO

PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE/SP: A RELAÇÃO ENTRE RELEVO, APROPRIAÇÃO, OCUPAÇÃO E FORMA DE SE PRODUZIR O ESPAÇO URBANO PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS NA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE/SP: A RELAÇÃO ENTRE RELEVO, APROPRIAÇÃO, OCUPAÇÃO E FORMA DE SE PRODUZIR O ESPAÇO URBANO Leda Correia PEDRO Doutoranda em Geografia da FCT/UNESP

Leia mais

Análise da Susceptibilidade a Processos Erosivos, de Inundação e Assoreamento em Itajobi-SP a Partir do Mapeamento Geológico- Geotécnico

Análise da Susceptibilidade a Processos Erosivos, de Inundação e Assoreamento em Itajobi-SP a Partir do Mapeamento Geológico- Geotécnico Análise da a Processos Erosivos, de Inundação e em Itajobi-SP a Partir do Mapeamento Geológico- Geotécnico Lucas Duarte Beggiato Departamento de Geotecnia, Universidade de São Paulo, São Carlos, São Paulo

Leia mais

TRILHANDO PELOS SOLOS APRENDIZAGEM E CONSERVAÇÃO DO SOLO.

TRILHANDO PELOS SOLOS APRENDIZAGEM E CONSERVAÇÃO DO SOLO. TRILHANDO PELOS SOLOS APRENDIZAGEM E CONSERVAÇÃO DO SOLO. Isabela Saldella Hatum, Marcus Vinicius Zecchini, Melina Fushimi, João Osvaldo Rodrigues Nunes. UNESP Faculdade de Ciências e Tecnologia, Campus

Leia mais

A DEGRADAÇÃO DO ESPAÇO URBANO EM TERRITÓRIOS DE CERRADO E O PATRIMÔNIO CULTURA DE ITUIUTABA (MG)

A DEGRADAÇÃO DO ESPAÇO URBANO EM TERRITÓRIOS DE CERRADO E O PATRIMÔNIO CULTURA DE ITUIUTABA (MG) A DEGRADAÇÃO DO ESPAÇO URBANO EM TERRITÓRIOS DE CERRADO E O PATRIMÔNIO CULTURA DE ITUIUTABA (MG) Daniel Severino Oliveira 1 Marcilene Gonçalves Teodoro 2 INTRODUÇÃO O presente trabalho origina-se de um

Leia mais

Mananciais de Abastecimento. João Karlos Locastro contato:

Mananciais de Abastecimento. João Karlos Locastro contato: 1 Mananciais de Abastecimento João Karlos Locastro contato: prof.joaokarlos@feitep.edu.br 2 Vazão 3 Escolha do Manancial - Qualidade Análise físico-química e bacteriológica; Características de ocupação

Leia mais

MAPAS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS

MAPAS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS MAPAS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS Definição Mapas geológicos Mapa geológico é aquele que mostra a distribuição dos tipos de rochas e das estruturas geológicas como fraturas, falhas, dobras, posição das camadas,

Leia mais

QUANTIFICAÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS DE TIJOLO BAIANO EM UMA CONSTRUÇÃO CIVIL

QUANTIFICAÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS DE TIJOLO BAIANO EM UMA CONSTRUÇÃO CIVIL 6ª Jornada Científica e Tecnológica e 3º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 04 e 05 de novembro de 2014, Pouso Alegre/MG QUANTIFICAÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS DE TIJOLO BAIANO EM UMA CONSTRUÇÃO CIVIL

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. MÓDULO 1: GEOMORFOLOGIA PROCESSUAL Introdução à Geomorfologia: Processos e Formas Domínio Tropical Úmido: Formas e Processos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. MÓDULO 1: GEOMORFOLOGIA PROCESSUAL Introdução à Geomorfologia: Processos e Formas Domínio Tropical Úmido: Formas e Processos CONTEÚDO PROGRAMÁTICO MÓDULO 1: GEOMORFOLOGIA PROCESSUAL Introdução à Geomorfologia: Processos e Formas Domínio Tropical Úmido: Formas e Processos MÓDULO 2: FORMAS E PROCESSOS Paisagens Fluviais: formas

Leia mais

Capítulo 3 Morfologia de uma bacia de drenagem. Introdução a Hidrologia de Florestas

Capítulo 3 Morfologia de uma bacia de drenagem. Introdução a Hidrologia de Florestas INPE eprint: sid.inpe.br/eprint@80/006/08.04..54 v 006-08-05 Introdução a Hidrologia de Florestas Setembro 004 João Vianei Soares Capítulo 3 Morfologia de uma bacia de drenagem Introdução a Hidrologia

Leia mais

EROSÃO EM ÁREAS URBANAS

EROSÃO EM ÁREAS URBANAS EROSÃO EM ÁREAS URBANAS GRUPO: Azussa Hirakata 3129173 Bruno Y. Katayama 3506844 Eduardo Takata 3104404 Kleber Ximenes 3633245 Meyre S. Taniguchi 3439620 Rodrigo T. O. Lemmi 3105600 Ronaldo Miyata 3439655

Leia mais

Agentes Externos ou Exógenos

Agentes Externos ou Exógenos RELEVO Relevo Terrestre Agentes Internos Agentes Externos Tectonismo Vulcanismo Abalos Sísmicos Intemperismo Erosão Agentes Externos ou Exógenos Em síntese, pode-se afirmar que os agentes exógenos realizam

Leia mais

A TEMPERATURA E A UMIDADE DO AR EM NOVA ANDRADINA/MS EM AGOSTO DE 2008 ÀS 20h 1

A TEMPERATURA E A UMIDADE DO AR EM NOVA ANDRADINA/MS EM AGOSTO DE 2008 ÀS 20h 1 A TEMPERATURA E A UMIDADE DO AR EM NOVA ANDRADINA/MS EM AGOSTO DE 2008 ÀS 20h 1 Janaína Lopes Moreira janainamoreira1991@hotmail.com UNESP- Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e Tecnologia,

Leia mais

RISCOS GEOMORFOLÓGICOS E HIDROLÓGICOS NA MICROBACIA DO CÓRREGO DOS CESÁRIOS EM ANÁPOLIS (GO)

RISCOS GEOMORFOLÓGICOS E HIDROLÓGICOS NA MICROBACIA DO CÓRREGO DOS CESÁRIOS EM ANÁPOLIS (GO) RISCOS GEOMORFOLÓGICOS E HIDROLÓGICOS NA MICROBACIA DO CÓRREGO DOS CESÁRIOS EM ANÁPOLIS (GO) Sandro Nunes de Oliveira 1 ; Leide Laura Francisca da Mota Teixeira 2 ; Homero Lacerda 3 1 Voluntário de Iniciação

Leia mais

DIAGNÓSTICOS DE PROCESSOS EROSIVOS NO MUNICÍPIO DE NOVA ANDRADINA MS

DIAGNÓSTICOS DE PROCESSOS EROSIVOS NO MUNICÍPIO DE NOVA ANDRADINA MS DIAGNÓSTICOS DE PROCESSOS EROSIVOS NO MUNICÍPIO DE NOVA ANDRADINA MS Celma Basilio da Silva Acadêmica da 4ª série do curso de Geografia do CPNA-UFMS - celma_nina@hotmail.com.br Ary Tavares Rezende Filho

Leia mais

Utilização de Técnicas de SIG e de Campo para Identificação de Áreas Sensíveis com Intuito de Regularização Fundiária

Utilização de Técnicas de SIG e de Campo para Identificação de Áreas Sensíveis com Intuito de Regularização Fundiária Utilização de Técnicas de SIG e de Campo para Identificação de Áreas Sensíveis com Intuito de Regularização Fundiária Ludmilson Roberto da Silva Lud_roberto@yahoo.com.br Rodrigo Baldson Godoi godoi_rodrigo@yahoo.com.br

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica 459 EROSÃO ACELERADA ASSOCIADA A RODOVIAS NA PORÇÃO NORTE DE ANÁPOLIS (GO) Sandra Sardinha Lemes 1,3 ; Homero Lacerda 2,3 1 Bolsista PIBIC/CNPq 2 Pesquisador Orientador 3 Curso de Geografia UnUCSEH UEG

Leia mais

Roteiro de estudos para recuperação trimestral

Roteiro de estudos para recuperação trimestral Roteiro de estudos para recuperação trimestral Disciplina: Professor (a): GEOGRAFIA SUELI VASCONCELOS Conteúdo: GEOGRAFIA FÍSICA: ESTRUTURA GEOLÓGICA MUNDO E BRASIL; RECURSOS MINERAIS DO BRASIL;AGENTES

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O AMBIENTE URBANO: UM ESTUDO COM ÊNFASE NA GEOMORFOLOGIA URBANA Nina Simone Vilaverde Moura Fujimoto 1

CONSIDERAÇÕES SOBRE O AMBIENTE URBANO: UM ESTUDO COM ÊNFASE NA GEOMORFOLOGIA URBANA Nina Simone Vilaverde Moura Fujimoto 1 Revista do Departamento de Geografia, 16 (2005) 76-80. CONSIDERAÇÕES SOBRE O AMBIENTE URBANO: UM ESTUDO COM ÊNFASE NA GEOMORFOLOGIA URBANA Nina Simone Vilaverde Moura Fujimoto 1 Resumo: Este trabalho consiste

Leia mais

CIÊNCIAS O CICLO DAS ROCHAS

CIÊNCIAS O CICLO DAS ROCHAS Texto para estudo CIÊNCIAS O CICLO DAS ROCHAS A Terra é um planeta vivo e seus continentes estão em constante movimento, devido à dissipação de calor do interior do planeta. A geologia é a ciência que

Leia mais

CESAR Serviço Educativo Municipal de Paredes

CESAR Serviço Educativo Municipal de Paredes CESAR Serviço Educativo Municipal de Paredes Centro de Educação e Sensibilização Ambiental e Rural Percurso pela história e pela natureza Planificação Guia da Atividade 1.º ciclo Duração: 1 dia Descrição:»

Leia mais

A MODIFICAÇÃO DO RELEVO ATRAVÉS DO PROCESSO DE TERRAPLANAGEM NOS BAIRROS NOVA ITUIUTABA I, II, III E IV NA CIDADE DE ITUIUTABA-MG

A MODIFICAÇÃO DO RELEVO ATRAVÉS DO PROCESSO DE TERRAPLANAGEM NOS BAIRROS NOVA ITUIUTABA I, II, III E IV NA CIDADE DE ITUIUTABA-MG A MODIFICAÇÃO DO RELEVO ATRAVÉS DO PROCESSO DE TERRAPLANAGEM NOS BAIRROS NOVA ITUIUTABA I, II, III E IV NA CIDADE DE ITUIUTABA-MG Silvanio de Cássio da Silva Universidade Federal de Uberlândia/FACIP vaninho_udi@hotmail.com

Leia mais

7ºs anos Professor Daniel Fonseca

7ºs anos Professor Daniel Fonseca Salesiano Dom Bosco Capítulo 3 Geologia, Solo e Relevo 7ºs anos Professor Daniel Fonseca ROCHAS: Aglomerado de um ou mais minerais ÍGNEAS OU MAGMÁTICAS (cristalinas) - intrusivas ou plutônicas - extrusivas

Leia mais

ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE DESAGUAMENTO DE LODOS DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DESAGUADOS EM BAG S DE MANTA GEOTÊXTIL

ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE DESAGUAMENTO DE LODOS DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DESAGUADOS EM BAG S DE MANTA GEOTÊXTIL ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE DESAGUAMENTO DE LODOS DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DESAGUADOS EM BAG S DE MANTA GEOTÊXTIL Welliton Leandro de Oliveira Boina (1) Engenheiro Ambiental pela Universidade Estadual

Leia mais

Relatório Parcial de Andamento RPA-1

Relatório Parcial de Andamento RPA-1 Relatório Parcial de Andamento RPA-1 Consultoria para a Elaboração de Estudos para o Projeto FEHIDRO-PS 181/2008 Diagnóstico dos processos erosivos na Microbacia do Ribeirão das Antas Taubaté - SP. MARÇO/2011

Leia mais

MAPA DOS COMPARTIMENTOS DE RELEVO DO MUNICÍPIO DE MIRANTE DO PARANAPANEMA SP

MAPA DOS COMPARTIMENTOS DE RELEVO DO MUNICÍPIO DE MIRANTE DO PARANAPANEMA SP MAPA DOS COMPARTIMENTOS DE RELEVO DO MUNICÍPIO DE MIRANTE DO PARANAPANEMA SP Mariana Lopes Nishizima Graduanda em Geografia pela Faculdade de Ciências e Tecnologia - Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

CONCEITO DE SOLO CONCEITO DE SOLO. Solos Residuais 21/09/2017. Definições e Conceitos de Solo. Centro Universitário do Triângulo

CONCEITO DE SOLO CONCEITO DE SOLO. Solos Residuais 21/09/2017. Definições e Conceitos de Solo. Centro Universitário do Triângulo Centro Universitário do Triângulo CONCEITO DE SOLO Sistema Brasileiro de Classificação do Solo Definições e Conceitos de Solo É uma coleção de corpos naturais, constituídos por partes sólidas, líquidas

Leia mais

APLICAÇÃO DE METODOLOGIA DE ESTAQUEAMENTO PARA ESTUDO DO PROCESSO DE VOÇOROCAMENTO NO MUNICÍPIO DE RANCHARIA-SP.

APLICAÇÃO DE METODOLOGIA DE ESTAQUEAMENTO PARA ESTUDO DO PROCESSO DE VOÇOROCAMENTO NO MUNICÍPIO DE RANCHARIA-SP. APLICAÇÃO DE METODOLOGIA DE ESTAQUEAMENTO PARA ESTUDO DO PROCESSO DE VOÇOROCAMENTO NO MUNICÍPIO DE RANCHARIA-SP. Alyson Bueno FRANCISCO 1 João Osvaldo Rodrigues NUNES 2 Resumo Este texto apresenta a aplicação

Leia mais

XX Congreso Latinoamericano y XVI Congreso Peruano de la Ciencia del Suelo

XX Congreso Latinoamericano y XVI Congreso Peruano de la Ciencia del Suelo XX Congreso Latinoamericano y XVI Congreso Peruano de la Ciencia del Suelo EDUCAR para PRESERVAR el suelo y conservar la vida en La Tierra Cusco Perú, del 9 al 15 de Noviembre del 2014 Centro de Convenciones

Leia mais

GEOMORFOLOGIA ANTRÓPICA E RISCOS GEOMORFOLÓGICOS NA MICROBACIA DO CÓRREGO ÁGUA FRIA, ANÁPOLIS (GO) Andrelisa Santos de Jesus 1 ; Homero Lacerda 2

GEOMORFOLOGIA ANTRÓPICA E RISCOS GEOMORFOLÓGICOS NA MICROBACIA DO CÓRREGO ÁGUA FRIA, ANÁPOLIS (GO) Andrelisa Santos de Jesus 1 ; Homero Lacerda 2 1 GEOMORFOLOGIA ANTRÓPICA E RISCOS GEOMORFOLÓGICOS NA MICROBACIA DO CÓRREGO ÁGUA FRIA, ANÁPOLIS (GO) 1 Bolsista PBIC/UEG; Andrelisa Santos de Jesus 1 ; Homero Lacerda 2 2 Orientador, Curso de Geografia,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O USO DO OBJETO CICLO DAS ROCHAS

ORIENTAÇÕES PARA O USO DO OBJETO CICLO DAS ROCHAS ORIENTAÇÕES PARA O USO DO OBJETO CICLO DAS ROCHAS O objeto educacional digital Ciclo das rochas apresenta relação com Estudo do solo. Formação das rochas. OPÇÕES DE USO DO OBJETO: Em sala de aula Duração:

Leia mais

ACTIVIDADES HUMANAS AMBIENTE GEOLÓGICO IMPACTO NOS PROJECTOS DE ENGENHARIA

ACTIVIDADES HUMANAS AMBIENTE GEOLÓGICO IMPACTO NOS PROJECTOS DE ENGENHARIA ACTIVIDADES HUMANAS AMBIENTE GEOLÓGICO IMPACTO NOS PROJECTOS DE ENGENHARIA SCET- Geológica e de Minas IST 2007 ANTES DE INVESTIGAR A VIABILIDADE DE UM PROJECTO, EM PARTICULAR QUANDO EXISTE UM SISTEMA DE

Leia mais

LINHA DE PESQUISA: DINÂMICAS DA NATUREZA

LINHA DE PESQUISA: DINÂMICAS DA NATUREZA Clima urbano e qualidade socioambiental Margarete Cristiane de Costa Trindade Amorim João Lima Sant Anna Neto Este projeto tem como objetivo identificar como se processa a produção do clima urbano em cidades

Leia mais

Relatório 01 - Avaliação das áreas visitadas em Tomazina e Pinhalão - PR

Relatório 01 - Avaliação das áreas visitadas em Tomazina e Pinhalão - PR Relatório 01 - Avaliação das áreas visitadas em Tomazina e Pinhalão - PR Início da missão: 10/02/2010 Data deste relatório: 10/02/2010 Integrantes da missão: Rosângela Tapia Carla Camargo Corrêa Obs. A

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO AO CONHECIMENTO DA BIOTA DO AÇUDE ITANS EM CAICÓ/RN: ANÁLISE DO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

CONTRIBUIÇÃO AO CONHECIMENTO DA BIOTA DO AÇUDE ITANS EM CAICÓ/RN: ANÁLISE DO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO CONTRIBUIÇÃO AO CONHECIMENTO DA BIOTA DO AÇUDE ITANS EM CAICÓ/RN: ANÁLISE DO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO Renato de Medeiros Rocha¹; João Paulo de Oliveira Medeiros¹; Diógenes Félix da Silva Costa¹; Ibsen Pereira

Leia mais

Prospecção arqueológica e sistemas geomorfológicos em áreas urbanas: o caso da estação Vila Prudente do metrô, São Paulo, SP

Prospecção arqueológica e sistemas geomorfológicos em áreas urbanas: o caso da estação Vila Prudente do metrô, São Paulo, SP R. Museu Arq. Etn., São Paulo, n. 21, p. 335-343, 2011. Prospecção arqueológica e sistemas geomorfológicos em áreas urbanas: o caso da estação Vila Prudente do metrô, São Paulo, SP Rodolfo Alves da Luz*

Leia mais

Análise de Uso e ocupação do solo no Distrito São Félix na cidade de Marabá-Pará INTRODUÇÃO

Análise de Uso e ocupação do solo no Distrito São Félix na cidade de Marabá-Pará INTRODUÇÃO Diana Oneide Montelo de Oliveira UNIFESSPA/Camos Marabá; dianaoneide@gmail.com Análise de Uso e ocupação do solo no Distrito São Félix na cidade de Marabá-Pará INTRODUÇÃO A geografia é uma Ciência essencial

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E ESPACIALIZAÇÃO DOS DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NO BAIRRO CAMOBI: SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO URBANO DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA RS

CARACTERIZAÇÃO E ESPACIALIZAÇÃO DOS DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NO BAIRRO CAMOBI: SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO URBANO DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA RS CARACTERIZAÇÃO E ESPACIALIZAÇÃO DOS DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NO BAIRRO CAMOBI: SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO URBANO DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA RS Tania Cristina Gomes Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Leia mais

Caracterização dos processos evolutivos e da dinâmica erosiva em Rondon do Pará, com ênfase na prevenção de desastres.

Caracterização dos processos evolutivos e da dinâmica erosiva em Rondon do Pará, com ênfase na prevenção de desastres. Caracterização dos processos evolutivos e da dinâmica erosiva em Rondon do Pará, com ênfase na prevenção de desastres. Pré - projeto de pesquisa apresentada ao curso de Pós- Graduação em Gestão de Risco

Leia mais

OS COMPARTIMENTOS DE RELEVO E A OCUPAÇÃO URBANA EM SÃO SEBASTIÃO NO LITORAL NORTE DE SÃO PAULO

OS COMPARTIMENTOS DE RELEVO E A OCUPAÇÃO URBANA EM SÃO SEBASTIÃO NO LITORAL NORTE DE SÃO PAULO OS COMPARTIMENTOS DE RELEVO E A OCUPAÇÃO URBANA EM SÃO Machado, M.D. 1 ; 1 IG/UNICAMP Email:maicod.machado@gmail.com; RESUMO: Objetiva-se com este trabalho apresentar as relações entre os compartimentos

Leia mais

A abordagem tecnogênica: reflexões teóricas e estudos de caso. The technogenic approach: theoretical reflections and case studies

A abordagem tecnogênica: reflexões teóricas e estudos de caso. The technogenic approach: theoretical reflections and case studies A abordagem tecnogênica: reflexões teóricas e estudos de caso The technogenic approach: theoretical reflections and case studies Erika Cristina Nesta Silva ab, Marcel Bordin Galvão Dias ac, Dener Toledo

Leia mais

AVALIAÇÃO AMBIENTAL A PARTIR DO USO DO SOLO NOS BAIRROS ROQUE E MATO GROSSO EM PORTO VELHO RO

AVALIAÇÃO AMBIENTAL A PARTIR DO USO DO SOLO NOS BAIRROS ROQUE E MATO GROSSO EM PORTO VELHO RO AVALIAÇÃO AMBIENTAL A PARTIR DO USO DO SOLO NOS BAIRROS ROQUE E MATO GROSSO EM PORTO VELHO RO 1 Tito José de Barba Avaroma Universidade Federal de Rondônia - UNIR tito.geo.ro@gmail.com Introdução Porto

Leia mais

Universidade Metodista de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil

Universidade Metodista de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Universidade Metodista de Angola Faculdade de Engenharia Departamento de Construção Civil Curso de Construção Civil Disciplina: Geologia em Engenharia Ano: 4to Professor: Dr. Silva Pereira Ginga (PhD)

Leia mais

Geomorfologia Aplicada

Geomorfologia Aplicada Geomorfologia Aplicada Escoamentos superficiais e erosões hídricas (produção e deposição de detrítos/sedimentos) Processos Elementares e Fatores envolvidos nas erosões hídricas Erosões diferentes agentes

Leia mais

Retrospectiva sobre regimes hidrológicos e importância do planejamento urbano na prevenção quanto a eventos extremos

Retrospectiva sobre regimes hidrológicos e importância do planejamento urbano na prevenção quanto a eventos extremos Retrospectiva sobre regimes hidrológicos e importância do planejamento urbano na prevenção quanto a eventos extremos José Teixeira Filho Faculdade de Engenharia Agrícola Ciência da Terra - Geografia UNICAMP

Leia mais

ESTUDO PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS COM COMBUSTÍVEL EM SOLO UTILIZANDO MICRO DETECTOR PORTÁTIL DE IONIZAÇÃO DE CHAMA

ESTUDO PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS COM COMBUSTÍVEL EM SOLO UTILIZANDO MICRO DETECTOR PORTÁTIL DE IONIZAÇÃO DE CHAMA ESTUDO PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS COM COMBUSTÍVEL EM SOLO UTILIZANDO MICRO DETECTOR PORTÁTIL DE IONIZAÇÃO DE CHAMA João Alvares da Costa (*) Químico Industrial pela Universidade de Ribeirão

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM ESTRUTURAS DE BARRAGENS: TERRA, ENROCAMENTO E REJEITOS. Critérios para escolha do tipo e local de implantação de uma barragem

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM ESTRUTURAS DE BARRAGENS: TERRA, ENROCAMENTO E REJEITOS. Critérios para escolha do tipo e local de implantação de uma barragem CURSO DE CAPACITAÇÃO EM ESTRUTURAS DE BARRAGENS: TERRA, ENROCAMENTO E REJEITOS Critérios para escolha do tipo e local de implantação de uma barragem PROFESSOR: Dr. Sidnei Helder Cardoso Teixeira Curitiba,

Leia mais

Variação espaço-temporal do transporte de sedimentos do Rio Santo Anastácio, Oeste Paulista

Variação espaço-temporal do transporte de sedimentos do Rio Santo Anastácio, Oeste Paulista Variação espaço-temporal do transporte de sedimentos do Rio Santo Anastácio, Oeste Paulista Santos, A.A. (FCT/UNESP) ; Rocha, P.C. (FCT/UNESP) RESUMO Este trabalho teve como objetivo avaliar a distribuição

Leia mais

3 Aspectos Geológicos e Geotécnicos

3 Aspectos Geológicos e Geotécnicos 3 Aspectos Geológicos e Geotécnicos Nos itens a seguir serão abordados os aspectos geológicos e geotécnicos de maior interesse na área da Barragem de Terra da Margem Esquerda. 3.1. Características Gerais

Leia mais

Relatório Mensal de Atividades Projeto De Olho nos Olhos

Relatório Mensal de Atividades Projeto De Olho nos Olhos Relatório Mensal de Atividades Projeto De Olho nos Olhos Ref.: 01/2008 - Macro-Diagnóstico de Conservação da Bacia A etapa seguinte do diagnóstico consistiu em classificar as imagens segundo categorias

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO RELEVO PARA A CONSTITUIÇÃO DO SISTEMA DE AFASTAMENTO DE ESGOTO DA CIDADE DE MARÍLIA-SP

A INFLUÊNCIA DO RELEVO PARA A CONSTITUIÇÃO DO SISTEMA DE AFASTAMENTO DE ESGOTO DA CIDADE DE MARÍLIA-SP A INFLUÊNCIA DO RELEVO PARA A CONSTITUIÇÃO DO SISTEMA DE AFASTAMENTO DE ESGOTO DA CIDADE DE MARÍLIA-SP Caio Augusto Marques dos Santos, Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade

Leia mais

Utilização de imagens satélites, fotografias aéreas, MDT s e MDE no estudo de processos costeiros Cabo Frio/RJ

Utilização de imagens satélites, fotografias aéreas, MDT s e MDE no estudo de processos costeiros Cabo Frio/RJ Utilização de imagens satélites, fotografias aéreas, MDT s e MDE no estudo de processos costeiros Cabo Frio/RJ Abstract Fábio Ferreira Dias 1 (fabiofgeo@yahoo.com.br/fabiofgeo@mn.ufrj.br) Rodrigo da Silveira

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA E DINÂMICA DA PAISAGEM NO MUNICÍPIO DE CAMPOS GERAIS MG

CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA E DINÂMICA DA PAISAGEM NO MUNICÍPIO DE CAMPOS GERAIS MG CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA E DINÂMICA DA PAISAGEM NO MUNICÍPIO DE CAMPOS GERAIS MG Ludimila Ferreira Castro * Marta Felícia Marujo Ferreira** ludicastro77@hotmai.com * martafelicia@uol.com.br ** * Discente

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo 6 - Vulcanismo Os vulcões como geossistemas Os depósitos vulcânicos Os estilos de erupção e as formas de relevo vulcânico

SUMÁRIO. Capítulo 6 - Vulcanismo Os vulcões como geossistemas Os depósitos vulcânicos Os estilos de erupção e as formas de relevo vulcânico SUMÁRIO Capítulo 1 - Estruturando um planeta O método científico As teorias e as práticas modernas da Geologia A origem de nosso sistema planetário A Terra primitiva: formação de um planeta em camadas

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PROFESSORA: KAREN WROBEL STRAUB

CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PROFESSORA: KAREN WROBEL STRAUB CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PROFESSORA: KAREN WROBEL STRAUB INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL A Construção Civil é reconhecida como uma das mais importantes atividades para o desenvolvimento

Leia mais

II Semana de Geografia UNESP / Ourinhos 29 de Maio a 02 de Junho de 2006

II Semana de Geografia UNESP / Ourinhos 29 de Maio a 02 de Junho de 2006 USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA MICROBACIA CÓRREGO DO PORTO-TRÊS LAGOAS MS SILVA, Laís C.N. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul- UFMS lais_cns@yahoo.com.br DELGADO, Valeria P. Universidade Federal de

Leia mais

NATUREZA E EVOLUÇÃO DE SISTEMAS DE CANAIS SUBMARINOS

NATUREZA E EVOLUÇÃO DE SISTEMAS DE CANAIS SUBMARINOS NATUREZA E EVOLUÇÃO DE SISTEMAS DE CANAIS SUBMARINOS DEFINIÇÃO: Canyons são vales erosivos que formam parte do sistema de transporte sedimentar do continente para o oceano, podendo atingir uma extensão

Leia mais

2.1. Projeto de Monitoramento Batimétrico. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

2.1. Projeto de Monitoramento Batimétrico. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS 2.1 Projeto de Monitoramento Batimétrico Revisão 00 NOV/2013 Coordenador da Equipe Carlos Eduardo Alencar Carvalho CRBio 37538/4-D

Leia mais

ANÁLISE MINERALÓGICA, QUÍMICA E TEXTURAL DAS JAZIDAS DE ARGILA DO MUNICÍPIO DE TAMBAÚ - SP

ANÁLISE MINERALÓGICA, QUÍMICA E TEXTURAL DAS JAZIDAS DE ARGILA DO MUNICÍPIO DE TAMBAÚ - SP ANÁLISE MINERALÓGICA, QUÍMICA E TEXTURAL DAS JAZIDAS DE ARGILA DO MUNICÍPIO DE TAMBAÚ - SP Ana Lívia de Almeida Silva ¹ (ana-liviaas@hotmail.com) Lineo Aparecido Gaspar Junior² (lineo.gaspar@unifal-mg.edu.br)

Leia mais

Estudos Ambientais. Solos CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ - CEAP

Estudos Ambientais. Solos CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ - CEAP Estudos Ambientais Solos CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ - CEAP Objetivos da aula Definir os conceitos de solo e intemperismo Compreender o processo de formação do solo Conhecer os tipos de solos existentes.

Leia mais

RELATÓRIO DE CAMPO - GEOMORFOLOGIA II

RELATÓRIO DE CAMPO - GEOMORFOLOGIA II UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS. RELATÓRIO DE CAMPO - GEOMORFOLOGIA II Comentado [AVAL1]: NOTAS: INTRODUÇÃO: 0 DESENVOLVIMENTO: 6,0 CONSIDERAÇOES E BIBLIOGRAFIA:

Leia mais

TÍTULO: A RELAÇÃO DA VEGETAÇÃO NO MEIO URBANO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE

TÍTULO: A RELAÇÃO DA VEGETAÇÃO NO MEIO URBANO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: A RELAÇÃO DA VEGETAÇÃO NO MEIO URBANO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE

Leia mais

A PESQUISA DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NO BRASIL E NO MUNDO THE TECHNOGENIC DEPOSITS RESEARCH IN BRAZIL AND WORLD

A PESQUISA DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NO BRASIL E NO MUNDO THE TECHNOGENIC DEPOSITS RESEARCH IN BRAZIL AND WORLD A PESQUISA DE DEPÓSITOS TECNOGÊNICOS NO BRASIL E NO MUNDO THE TECHNOGENIC DEPOSITS RESEARCH IN BRAZIL AND WORLD Resumo Prof. Dr - Universidade Federal do Tocantins e-mail: delagnesse@mail.uft.edu.br As

Leia mais

ESTUDOS SOBRE O TECNÓGENO DO BRASIL. Antonio Manoel dos Santos Oliveira 1. Lab. Geoprocessamento, Universidade Guarulhos (UnG)

ESTUDOS SOBRE O TECNÓGENO DO BRASIL. Antonio Manoel dos Santos Oliveira 1. Lab. Geoprocessamento, Universidade Guarulhos (UnG) ESTUDOS SOBRE O TECNÓGENO DO BRASIL Antonio Manoel dos Santos Oliveira 1 1 Lab. Geoprocessamento, Universidade Guarulhos (UnG) Abstract The first studies dealing with Technogene in Brazil were published

Leia mais