Curso de Pós-Graduação em Estratégias Integradas para Pecuária de Corte: Produção,

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso de Pós-Graduação em Estratégias Integradas para Pecuária de Corte: Produção,"

Transcrição

1 Curso de Pós-Graduação em Estratégias Integradas para Pecuária de Corte: Produção, Eficiência e Gestão Módulo I

2 ESTABELECIMENTO/FORMAÇÃO DE PASTAGENS Prof. Dr. Gelci Carlos Lupatini UNESP UNESP Campus Experimental de Dracena

3 1 SITUAÇÕES PARA FORMAÇÃO DE PASTAGENS Áreas novas Áreas desmatadas ou limpeza de áreas sujas. Áreas de culturas ou rotação culturas = Integração lavoura - pecuária Substituição de espécies Novas necessidades da produção animal Recuperação de áreas degradadas

4 2 CARACTERIZAÇÃO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO E DO AMBIENTE Objetivos da propriedade: Abate aos 2 anos, produção de bezerros, produção de leite (15 L/vaca/dia); Produtor: Capacidade administrativa e investimentos; Outros: Manejo, mão-de de-obra disponível, remuneração da atividade;

5 2 CARACTERIZAÇÃO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO E DO AMBIENTE Verificar as condições do ambiente: clima (distribuição de chuvas, temperatura,...); solo. Resultados das análises destas informações = Escolha da espécie e/ou cultivar (Marandu, Mombaça, Tifton 85). Ex: Brachiaria brizantha cv. Marandu

6 3 ANÁLISE DE SOLO (Antes do Preparo) Coleta de amostra (Amostragem); Nº amostras:... Profundidade: normalmente 0-20 cm; Análises: Macronutrientes e/ou micronutrientes e/ou granulometria.

7 4 ASPECTOS IMPORTANTES NO ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS Análise de solo; Definição da espécie forrageira (objetivos e características); População de plantas; Época de semeadura;

8 4 ASPECTOS IMPORTANTES NO ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS Aplicação de calcário / gesso (Ca, S); Incorporação calcário (aração, gradagem pesada ou leve);

9 4 ASPECTOS IMPORTANTES NO ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS Controle de plantas daninhas (antes/depois da semeadura); Adubação: P2O5, N, K2O, S (lanço ou linha);

10 4 ASPECTOS IMPORTANTES NO ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS Semeadura: Semeadora em linhas; Lanço tipo vicon; Incorporação: Gradeação leve ou rolo compactador

11 SISTEMAS DE CULTIVO Sistema de cultivo convencional: : uma aração e gradagens, após semeadura a lanço seguido de um rolo compactador ou gradagem; Sistema de cultivo direto: : semeadura direta por meio de uma semeadora sem sulcador apenas com disco de corte; Sistema de cultivo mínimo: : por meio de uma gradagem ou escarificação, após semeadura a lanço seguido de um rolo compactador.

12 5 PREPARO DO SOLO Objetivos, implementos e uso: Controle de plantas daninhas; Romper camadas de impedimento (compactadas); Produzir uma camada de solo revolvido e fina (contato íntimo da semente com o solo e a água disponível); Plantio direto; Conservação do solo.

13 5 PREPARO DO SOLO Época de preparo Condições da área Capacidade operacional ou disponibilidade de máquinas

14 5 PREPARO DO SOLO Implementos Arado de discos Grade pesada ou aradora (melhor rendimento)

15 5 PREPARO DO SOLO Implementos Escarificador (pé-de de-pato)

16 5 PREPARO DO SOLO Implementos Grade leve ou niveladora Deficiência de preparo: terreno muito irregular, variação da profundidade das sementes. Excesso de preparo: compactação e erosão mais fácil.

17 6 ÉPOCA DE SEMEADURA Espécies de estação fria - Depende das condições de ambiente (temperatura e umidade); - Exemplo: Região Sul (março a maio); - Exemplo: SP, MS (abril a maio).

18 6 ÉPOCA DE SEMEADURA Espécies perenes de estação quente (Brachiaria brizantha, Mombaça,...) Normalmente no início do período das águas (outubro a dezembro); Ver área e condições operacionais; Com Irrigação período mais flexível.

19 6 ÉPOCA DE SEMEADURA Espécies anuais de estação quente - Utilizadas na estação quente e em outras épocas na integração lavoura- pecuária. Milheto Sorgo

20 7 DENSIDADE DE SEMEADURA Espécies perenes de estação quente Espécie ou genótipo Taxa mínima de semeadura (kg/ha SPV) Valor cultural (VC) mínimo Quantidade sementes comercial (kg/ha) Brachiaria brizantha cv. Marandu 2, ,7 B. brizantha cv. Xaraes 2, ,4 Brachiaria decumbens cv. Basilisk 1,8 24 7,5 Brachiaria humidicola 2, ,7 Brachiaria ruziziensis 2,0 24 8,3 Brachiaria dictyoneura 2, ,7 Fontes (Detomini & Douraddo Neto, 2004 ).

21 CÁLCULO DA DENSIDADE Mede-se a qualidade da semente pelo seu valor cultural (% VC): VC (%) = % pureza x germinação 100 Quantidade de sementes por ha: Brachiarias (decumbens, humidícoloa, ruziziensis, brizanta e dictyoneura) kg de sementes/ha = 380 VC Ex: VC de Brachiaria brizanta = 48% Kg de sementes/ha = 380 = 8 kg de sementes/ha 48

22 7 DENSIDADE DE SEMEADURA Espécies perenes de estação quente Espécie ou genótipo Taxa mínima de semeadura (kg/ha SPV) Valor cultural (VC) mínimo Quantidade sementes comercial (kg/ha) Panicum Tanzânia maximum cv. 1, Panicum Mombaça maximum cv. 1, Panicum Colonião maximum cv. 1, P. maximum cv. Tobiatã 2, ,6 P. maximum cv. Massai 2, ,5 P. maximum cv. Aruana 2, ,5 Fontes (Detomini & Douraddo Neto, 2004 ).

23 7 DENSIDADE DE SEMEADURA Espécies perenes de estação quente Espécie ou genótipo Taxa mínima de semeadura (kg/ha SPV) Valor cultural (VC) mínimo Quantidade final de sementes (kg/ha) Andropogon gayanus cv. Planaltina 2, Paspalum notatum cv. Pensacola Fontes (Detomini & Douraddo Neto, 2004 ). 1,5 - - Chloris gayana (capim-de Rhodes) Setaria sphacelata cv. Kazungula 2, ,3 1,

24 7 DENSIDADE DE SEMEADURA Fatores para a Brachiaria sp (Matsuda) em função das condições e tipo de semeadura. Densidade (kg/ha) = Fator (pontos) / VC Condições de semeadura Linha /manual A lanço Aéreo Ideais Medianas Adversas

25 CUIDADOS ESPECIAIS COM AS SEMENTES TRANSPORTE: proteger da umidade e do calor excessivo; ARMAZENAMENTO: deve ser feito em local seco, fresco e ventilado, sobre estrados de madeira e afastado das paredes, a fim de não absorver umidade do piso e paredes. Cuidado com roedores.

26 SEMEADURA Momento ideal para o plantio: após normalização da estação das chuvas, com temperaturas mais altas; Verificar com antecedência se as máquinas que serão utilizadas no plantio estão em boas condições, a fim de evitar desperdício de sementes; Nunca misturar as sementes com adubos nitrogenados e potássicos, pois poderão prejudicar o embrião; IMPORTANTE: A profundidade recomendada para o plantio é de aproximadamente 5 vezes o diâmetro da semente. Normalmente de 1 a 2 cm de profundidade.

27 SEMEADURA Para incorporação das sementes, após a semeadura a lanço, deve-se passar o rolo compactador ou grade niveladora fechada, variando conforme o solo; Na semeadura aérea, que é um plantio de risco, recomenda-se aumento de 50 a 80% a quantidade de sementes.

28 FATORES QUE PODEM COMPROMETER O PLANTIO Semeadura em profundidade maior que a recomendada; Enterrio superficial, não permitindo a incorporação das sementes; Plantio em solo com alta umidade, seguido de longo período de sol; Ataques de insetos (lagartas, gafanhotos, cupins e formigas); Ataques de aves e roedores; Fazer o teste de germinação para testar e comprovar a qualidade das sementes.

29

30

31 Plantio de Mudas (Ex. Tifton 85) Preparo do solo, calagem, adubação de formação; Viveiro de mudas: 1 ha para 20 ha formados; Época: outubro a fevereiro (sequeiro); Abrir sulcos ou covas; Espaçamento: - Entrelinhas: 0,5 a 1 m; - Entre plantas: 0,5 m. Tempo para formação: 90 a 120 dias.

32

33

34

35 Controle de plantas invasoras O controle das plantas daninhas através de herbicidas tem-se mostrado muito eficiente com uma relação de custo/benefício bastante favorável; Em pastagens recém-implantadas ou reformadas, a aplicação do herbicida deve ser realizada cerca de 30 a 45 dias após a semeadura. Nessa aplicação, utiliza-se de uma baixa dosagem de herbicida (Ex. 2,4-D: Em torno de 1,5 a 2,0 litros/ha e outros); Produtos: 2,4-D, Tordon e outros.

36 Utilização da pastagem A utilização da pastagem (pastejo), se a formação estiver adequada, ocorre após dias da semeadura ou plantio; Caso a forrageira não cubra o solo, deve-se deixar sementear para posterior pastejo. O primeiro pastejo deve ser feito com taxa de lotação relativamente baixa e animais leves; Adubação de cobertura.

Premissa básica para produção animal em pasto é a existência de pasto

Premissa básica para produção animal em pasto é a existência de pasto Estabelecimento de pastagens: escolha da planta forrageira, preparo do solo e semeadura/plantio Introdução Premissa básica para produção animal em pasto é a existência de pasto Necessidade d deassociação

Leia mais

Passo a Passo para a Formação de uma Boa Pastagem

Passo a Passo para a Formação de uma Boa Pastagem A FORMAÇÃO DE UMA PASTAGEM O sucesso da formação de uma pastagem depende muito mais de conhecimento do que de sorte. Grande parte dos procedimentos necessários a uma boa formação, apresentados a seguir,

Leia mais

ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS PARA BUBALINOS

ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS PARA BUBALINOS ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS PARA BUBALINOS Prof. Dr. André Mendes Jorge Pesquisador do CNPq Prof. Dr. André Mendes Jorge FMVZ-Unesp-Botucatu NECESSIDADE DE INTENSIFICAÇÃO DA PECUÁRIA Manejo intensivo

Leia mais

Plantio do amendoim forrageiro

Plantio do amendoim forrageiro Plantio do amendoim forrageiro O amendoim forrageiro (Arachis pintoi Krapov. & W.C. Greg.) é uma leguminosa herbácea tropical perene nativa do Brasil. Tem importância na produção de forragem em pastos

Leia mais

O produtor pergunta, a Embrapa responde

O produtor pergunta, a Embrapa responde Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Milho e Sorgo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento O produtor pergunta, a Embrapa responde José Carlos Cruz Paulo César Magalhães Israel

Leia mais

Semente de Brachiaria Ruziziensis (Pastejo, fenação e cobertura morta para plantio direto)

Semente de Brachiaria Ruziziensis (Pastejo, fenação e cobertura morta para plantio direto) Semente de Brachiaria Ruziziensis (Pastejo, fenação e cobertura morta para plantio direto) Descrição Família Gramíneas Ciclo vegetativo Forma de crescimento Ruziziensis Perene Touceira Adaptação Tipo de

Leia mais

Consórcio Milho-Braquiária

Consórcio Milho-Braquiária Gessí Ceccon Consórcio Milho-Braquiária 1Oque é. É o cultivo simultâneo de milho safrinha com braquiária utilizando a semeadora de soja, ajustando-a para uma linha de milho safrinha e outra de braquiária.

Leia mais

Gestão na reforma de pastagem

Gestão na reforma de pastagem Gestão na reforma de pastagem Wagner Pires Consultor em Pastagens Preparando a agropecuária para 2050. Wagner Pires Consultoria & Treinamentos Necessidade de quebra de paradigmas Pasto é uma cultura. Plantar

Leia mais

INTEGRAÇÃO LAVOURA- Prof. Dr. Gelci Carlos Lupatini. UNESP Campus Experimental de Dracena 8200

INTEGRAÇÃO LAVOURA- Prof. Dr. Gelci Carlos Lupatini. UNESP Campus Experimental de Dracena 8200 INTEGRAÇÃO LAVOURA- PECUÁRIA Prof. Dr. Gelci Carlos Lupatini UNESP Campus Experimental de Dracena (18) 3821-8200 8200 lupatini@dracena.unesp.br 1 INTRODUÇÃO Monocultivo de culturas e pastagens; Problemas

Leia mais

Restrição dos solos brasileiros em relação à fertilidade

Restrição dos solos brasileiros em relação à fertilidade Restrição dos solos brasileiros em relação à fertilidade MO Lopes & Fox (1977): SB - 518 amostras de terra - Disponibilidade de P: 0,1 e 16,5 ppm P - 92% das amostras com P < 2 ppm CTC Fonte: Sparovek

Leia mais

06/05/2013 FORMAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE PASTAGENS. Custo elevado!!! INTRODUÇÃO

06/05/2013 FORMAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE PASTAGENS. Custo elevado!!! INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO FORMAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE PASTAGENS Pecuária brasileira está fundamentada na exploração de 170 milhões de hectares de pastagens. Cerca de 100 milhões de hectares (58 % do total) são ocupados

Leia mais

SISTEMAS DE CONSÓRCIO EM MILHO SAFRINHA. Gessi Ceccon 1 1.INTRODUÇÃO

SISTEMAS DE CONSÓRCIO EM MILHO SAFRINHA. Gessi Ceccon 1 1.INTRODUÇÃO SISTEMAS DE CONSÓRCIO EM MILHO SAFRINHA Gessi Ceccon 1 1.INTRODUÇÃO A sucessão da soja-milho safrinha sustenta a produção de grãos na região Centro-Oeste do Brasil. No entanto, de acordo com Brüggemann

Leia mais

Colheita e armazenamento

Colheita e armazenamento 1 de 5 10/16/aaaa 11:19 Culturas A Cultura do Arroz Irrigado Nome Cultura do arroz irrigado Produto Informação Tecnológica Data Maio -2000 Preço - Linha Culturas Informações resumidas Resenha sobre a cultura

Leia mais

Manejo do solo AGRICULTURA GERAL ESCOLHA DO LOCAL ESCOLHA DO LOCAL ESCOLHA DO LOCAL LIMPEZA DA ÁREA POMBAL PB

Manejo do solo AGRICULTURA GERAL ESCOLHA DO LOCAL ESCOLHA DO LOCAL ESCOLHA DO LOCAL LIMPEZA DA ÁREA POMBAL PB AGRICULTURA GERAL Manejo do solo POMBAL PB ESCOLHA DO LOCAL - Mercado Quem vai comprar ou consumir o nosso produto? Proximidade e tamanho do meu centro consumidor ou indústria Quanto devo produzir? - Logística

Leia mais

Curso de Pós-Graduação em Estratégias Integradas para Pecuária de Corte: Produção, Eficiência e Gestão

Curso de Pós-Graduação em Estratégias Integradas para Pecuária de Corte: Produção, Eficiência e Gestão Curso de Pós-Graduação em Estratégias Integradas para Pecuária de Corte: Produção, Eficiência e Gestão Módulo I PRODUÇÃO DE BOVINOS EM PASTAGENS NO BRASIL Prof. Dr. Gelci Carlos Lupatini Zootecnia UNESP/Dracena

Leia mais

de Pós-Graduação em Estratégias Integradas para Pecuária de Corte: Produção, Eficiência e Gestão Modulo I

de Pós-Graduação em Estratégias Integradas para Pecuária de Corte: Produção, Eficiência e Gestão Modulo I ϙ" ϙ>curso ➐ 頴眖頴蘟眜眜眜 de Pós-Graduação em Estratégias Integradas para Pecuária de Corte: Produção, Eficiência e Gestão Modulo I MANEJO DE PASTAGENS: Bases e ajuste da taxa de lotação (carga animal) Gelci

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA O USO DE CORRETIVOS E FERTILIZANTES EM MINAS GERAIS

RECOMENDAÇÕES PARA O USO DE CORRETIVOS E FERTILIZANTES EM MINAS GERAIS RECOMENDAÇÕES PARA O USO DE CORRETIVOS E FERTILIZANTES EM MINAS GERAIS - 5 a Aproximação CFSEMG PASTAGENS A adubação de pastagens tem por objetivo atender à demanda nutricional das plantas para o estabelecimento

Leia mais

SEMEADORA-ADUBADORA. Prof. Dr. Carlos Eduardo Angeli Furlani RESULTADOS DE PESQUISAS

SEMEADORA-ADUBADORA. Prof. Dr. Carlos Eduardo Angeli Furlani RESULTADOS DE PESQUISAS SEMEADORA-ADUBADORA RESULTADOS DE PESQUISAS 1 Rendimento da cultura de milho em diferentes manejos do solo e tipos de sulcadores (haste x disco duplo) utilizados na operação de semeadura. (Klein & Boller,

Leia mais

WWW.LAVOURA-PECUARIA.COM.BR SUSTAGRO INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA NO ARENITO DO PARANÁ - PLATAFORMA, EXPERIÊNCIAS, ADOÇÃO PELOS PRODUTORES E DESAFIOS. Sérgio José Alves Renato Watanabe Pastagens degradadas

Leia mais

Consórcio de milho com braquiária: aspectos práticos de implantação. Intercropped corn-brachiaria: practical deployment.

Consórcio de milho com braquiária: aspectos práticos de implantação. Intercropped corn-brachiaria: practical deployment. Consórcio de com braquiária: aspectos práticos de implantação Intercropped corn-brachiaria: practical deployment. Gessi Ceccon 1 e Luís Armando Zago Machado 2 Identificação das principais forrageiras perenes

Leia mais

6 Práticas Culturais

6 Práticas Culturais CULTURA DO ARROZ 6 Práticas Culturais A produção de arroz no Brasil é feita em dois grandes sistemas: - Terras altas - Várzeas Incluindo diversas modalidades de cultivo. Cultivo irrigado com irrigação

Leia mais

12. A cultura do arroz em outras modalidades de cultivo

12. A cultura do arroz em outras modalidades de cultivo CULTURA DO ARROZ 12. A cultura do arroz em outras modalidades de cultivo 12.1 - RIZIPISCICULTURA Consórcio peixe com arroz pode ser de 02 tipos: - Ciclo completo: peixe é colocado na arrozeira após a semeadura

Leia mais

05/05/2016. Controle de plantas invasoras em pastagens para alta produtividade. Plantas daninhas interferem na: Plantas daninhas interferem no:

05/05/2016. Controle de plantas invasoras em pastagens para alta produtividade. Plantas daninhas interferem na: Plantas daninhas interferem no: Plantas daninhas interferem na: Campus de Ilha Solteira Capacidade de suporte do pasto: - Competição por água, luz, nutrientes e espaço físico. Controle de plantas invasoras em pastagens para alta produtividade

Leia mais

Qual utilizar? PECUÁRIA LEITEIRA E AS PASTAGENS TROPICAIS

Qual utilizar? PECUÁRIA LEITEIRA E AS PASTAGENS TROPICAIS tema pastagens PECUÁRIA LEITEIRA E AS PASTAGENS TROPICAIS Qual utilizar? Para ter sucesso na exploração pecuária, é necessária uma adequada formação da pastagem, iniciando com a escolha do cultivar a ser

Leia mais

Amaldo Ferreira da Silva Antônio Carlos Viana Luiz André Correa. r José Carlos Cruz 1. INTRODUÇÃO

Amaldo Ferreira da Silva Antônio Carlos Viana Luiz André Correa. r José Carlos Cruz 1. INTRODUÇÃO CRUZ, 1987 J.C. SEMEADURA DO MILHO 1. INTRODUÇÃO Amaldo Ferreira da Silva Antônio Carlos Viana Luiz André Correa r José Carlos Cruz O milho é a cultura mais largamente plantada no Brasil, com cerca de

Leia mais

Formação de pastagens

Formação de pastagens Campus de Ilha Solteira Cronograma para formação das pastagens Formação de pastagens Prof. Leandro C. Araujo (DBZ) Zootecnista 2 Cronograma para manutenção das pastagens AMOSTRAGEM DE SOLOS Primeira etapa

Leia mais

MANEJO DE PLANTAS FORRAGEIRAS TROPICAIS PARA PRODUÇÃO DE FORRAGENS CONSERVADAS. CINIRO COSTA Prof.: Forragicultura e Pastagens FMVZ - UNESP Botucatu

MANEJO DE PLANTAS FORRAGEIRAS TROPICAIS PARA PRODUÇÃO DE FORRAGENS CONSERVADAS. CINIRO COSTA Prof.: Forragicultura e Pastagens FMVZ - UNESP Botucatu MANEJO DE PLANTAS FORRAGEIRAS TROPICAIS PARA PRODUÇÃO DE FORRAGENS CONSERVADAS CINIRO COSTA Prof.: Forragicultura e Pastagens FMVZ - UNESP Botucatu Áreas de pastagens nativas (N) e plantadas (P) nas diferentes

Leia mais

Degradação de Pastagens: processos e causas

Degradação de Pastagens: processos e causas Cursos de capacitação de multiplicadores do Plano ABC Degradação de Pastagens: processos e causas Bruno Carneiro e Pedreira Pesquisador em Forragicultura e Pastagens 29/11/2011 Estatísticas Brasil maior

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE PASTAGENS DEGRADADAS

RECUPERAÇÃO DE PASTAGENS DEGRADADAS Universidade Estadual Paulista Câmpus de Jaboticabal Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias RECUPERAÇÃO DE PASTAGENS DEGRADADAS Ricardo Andrade Reis Marcio dos Santos Pedreira Andreia Luciane Moreira

Leia mais

OLERICULTURA GERAL Implantação da horta e Tratos culturais.

OLERICULTURA GERAL Implantação da horta e Tratos culturais. CURSO: ENGENHARIA AGRONÔMICA OLERICULTURA GERAL Implantação da horta e Tratos culturais. Prof. Harumi Hamamura UniSalesiano CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXÍLIO COORDENADORIA DE ENGENHARIA AGRONÔMICA

Leia mais

MANEJO INTEGRADO DE PLANTAS DANINHAS (MIPD)

MANEJO INTEGRADO DE PLANTAS DANINHAS (MIPD) MANEJO INTEGRADO DE PLANTAS DANINHAS (MIPD) Envolve a seleção, integração, e implementação de táticas de manejo de plantas daninhas, levando em consideração as conseqüências econômicas, ecológicas e sociológicas

Leia mais

Formação de Pastagens

Formação de Pastagens UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS CAMPUS DE JABOTICABAL Introdução Criação animal no Brasil => exploração de pastagens como fonte principal

Leia mais

Principais espécies forrageiras na alimentação de ruminantes

Principais espécies forrageiras na alimentação de ruminantes Principais espécies forrageiras na alimentação de ruminantes DISCIPLINA: PRODUÇÃO ANIMAL 2 Dra. Fabiola Rego Grecco fabiola_rego@yahoo.com.br CLASSIFICAÇÃO Família C4 Família C3 Gramíneas tropicais e subtropicais

Leia mais

Capim Andropógon: Estabelecimento e manejo

Capim Andropógon: Estabelecimento e manejo Capim Andropógon: Estabelecimento e manejo Ademir Hugo Zimmer Embrapa Gado de corte Gilberto Gonçalves Leite Embrapa Cerrados ENIPEC - 2008 Características do Capim Andropogon Gênero Andropogon com 100

Leia mais

DOSSIÊ FOTOS. Document obtenu sur le site Cirad du réseau

DOSSIÊ FOTOS. Document obtenu sur le site Cirad du réseau DOSSIÊ FOTOS A DESTRUIÇÃO DO P A TRIMÔNIO SOLO TROPICAL OU O FRACASSO DA TRANSFERÊNCIA NORTE SUL DA GESTÃO DOS SOLOS A EROSÃO DOS SOLOS PREP ARADOS NOS TRÓPICOS ÚMIDOS - TU - (1700 > 2500 mm) Ecologia

Leia mais

TÍTULO: EFEITOS DA PROFUNDIDADE DE PLANTIO NA GERMINAÇÃO E PRODUÇÃO DE MASSA DO CAPIM BRAQUIARÃO ADUBADO NO PLANTIO

TÍTULO: EFEITOS DA PROFUNDIDADE DE PLANTIO NA GERMINAÇÃO E PRODUÇÃO DE MASSA DO CAPIM BRAQUIARÃO ADUBADO NO PLANTIO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EFEITOS DA PROFUNDIDADE DE PLANTIO NA GERMINAÇÃO E PRODUÇÃO DE MASSA DO CAPIM BRAQUIARÃO ADUBADO

Leia mais

Principais problemas da pecuária na Amazônia

Principais problemas da pecuária na Amazônia 4ª ed. reimpresso em maio/2015, 215 páginas Moacyr Bernardino Dias-Filho Embrapa Amazônia Oriental www.diasfilho.com.br www.diasfilho.com.br Principais problemas da pecuária na Amazônia 15,2 13,0 Baixo

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO

SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO ARENITO CAIUÁ Realidade Paisagem ilustrando cerca de 1,4 milhões de hectares de pastagem em condições de degradação e baixa rentabilidade no Arenito do Paraná. Lotação média

Leia mais

ESTABELECIMENTO DE CAMPOS DE PRODUÇÃO DE SEMENTES.

ESTABELECIMENTO DE CAMPOS DE PRODUÇÃO DE SEMENTES. ESTABELECIMENTO DE CAMPOS DE PRODUÇÃO DE SEMENTES. O objetivo é colocar à disposição do agricultor um insumo de qualidade superior. O planejamento da produção envolve o conhecimento da demanda de mercado,

Leia mais

6 PRÁTICAS CULTURAIS

6 PRÁTICAS CULTURAIS 6 PRÁTICAS CULTURAIS 6.1 PREPARO DO SOLO - Histórico e Objetivos -Tipos de Preparo -- Aração + Gradagem - Discos -Aiveca -Escarificador -- Grade pesada + Grade Leve No caso de revolvimento do solo CUIDADOS

Leia mais

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO Equipe Técnica Responsável técnico RURALTINS Carlos Rodrigo Xavier Oliveira Técnico/Tecnólogo em Agropecuária Responsável técnico EMBRAPA

Leia mais

SEMEADORA-ADUBADORA. Prof. Dr. Carlos Eduardo Angeli Furlani

SEMEADORA-ADUBADORA. Prof. Dr. Carlos Eduardo Angeli Furlani SEMEADORA-ADUBADORA 1 Qual a cultura? Qual o adubo? 2 Qual o tamanho/formato da semente? Qual a quantidade de sementes/hectare? Qual a quantidade de plantas/hectare? Quando? 3 revolvimento mínimo do solo

Leia mais

CULTIVO E ESTABELECIMENTO DA ALFAFA

CULTIVO E ESTABELECIMENTO DA ALFAFA CULTIVO E ESTABELECIMENTO DA ALFAFA Joaquim Bartolomeu Rassini INTRODUÇÃO ALFAFA (forragem) Características agronômicas: alta capacidade de adaptação (clima, solo, altitude), alta produtividade (15 a 25

Leia mais

6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO

6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.3 CALAGEM E ADUBAÇÃO 6.3.1 - CALAGEM Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina A quantidade de corretivo de acidez a ser usada varia conforme o Índice SMP determinado na análise do solo e a dose

Leia mais

Formação e manejo de pastagem

Formação e manejo de pastagem Formação e manejo de pastagem Formação de pastagens Pastagens: áreas cobertas por vegetação nativa ou plantas introduzidas e adaptadas, que são utilizadas para o pastoreio dos animais Pastagem artificial

Leia mais

MANEJO DA PASTAGEM ANUAL DE INVERNO AFETANDO A EMERGÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DO MILHO EM SUCESSÃO 1. INTRODUÇÃO

MANEJO DA PASTAGEM ANUAL DE INVERNO AFETANDO A EMERGÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DO MILHO EM SUCESSÃO 1. INTRODUÇÃO 1 MANEJO DA PASTAGEM ANUAL DE INVERNO AFETANDO A EMERGÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DO MILHO EM SUCESSÃO 1. Milton da Veiga 2, Alvadi Antonio Balbinot Junior 3, Carla Maria Pandolfo 4 INTRODUÇÃO

Leia mais

235 ISSN Agosto, 2012 Belém, PA

235 ISSN Agosto, 2012 Belém, PA Comunicado Técnico 235 ISSN 1983-0505 Agosto, 2012 Belém, PA Foto: Moacyr Bernardino Dias-Filho Formação e Manejo de Pastagens Moacyr Bernardino Dias-Filho 1 Introdução Formação A formação e o manejo inicial

Leia mais

Comunicado113 Técnico

Comunicado113 Técnico Comunicado113 Técnico ISSN 1983-9731 Campo Grande, MS Novembro, 2009 Taxas e Métodos de Semeadura para Brachiaria brizantha cv. BRS Piatã em Safrinha Roberto Giolo de Almeida 1 José Alexandre Agiova da

Leia mais

GRAU DE PUREZA DE SEMENTES FORRAGEIRAS COMERCIALIZADAS NA CIDADE DE POMBAL-PB 1

GRAU DE PUREZA DE SEMENTES FORRAGEIRAS COMERCIALIZADAS NA CIDADE DE POMBAL-PB 1 GRAU DE PUREZA DE SEMENTES FORRAGEIRAS COMERCIALIZADAS NA CIDADE DE POMBAL-PB 1 1 Hugo Fernandes dos Santos; 1 Lamartine Eduardo de Assis ; 2 Rosilene Agra da Silva] 1 Graduandos em Agronomia CCTA/UFCG

Leia mais

CAPACIDADE DE SUPORTE: VOCÊ SABE CALCULAR?

CAPACIDADE DE SUPORTE: VOCÊ SABE CALCULAR? CAPACIDADE DE SUPORTE: VOCÊ SABE CALCULAR? Rogério Marchiori Coan 1 Ricardo Andrade Reis 2 A taxa de lotação é definida como o número de animais pastejando uma unidade de área por um determinado tempo.

Leia mais

Importância do Manejo de Solos

Importância do Manejo de Solos CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO IMPORTÂNCIA DO SOLO O seu uso adequado, além de garantir o suprimento de água para Importância do Manejo de Solos as culturas, criações e comunidades; previne a erosão

Leia mais

Fundamentos técnicos para implantação de sistemas de integração lavourapecuária-floresta

Fundamentos técnicos para implantação de sistemas de integração lavourapecuária-floresta 5 Fundamentos técnicos para implantação de sistemas de integração lavourapecuária-floresta com eucalipto Ademar Pereira Serra Davi José Bungenstab Roberto Giolo de Almeida Valdemir Antônio Laura André

Leia mais

Agentes causadores. Mecanização agrícola. Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo.

Agentes causadores. Mecanização agrícola. Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo. Agentes causadores Mecanização agrícola Compactação sob as rodas dos veículos distribuição de pressão no solo. Peso do veículo que determinará o total da força exercida Tamanho da área de contato entre

Leia mais

Métodos de Introdução do Amendoim Forrageiro em Pastagens já Estabelecidas no Acre

Métodos de Introdução do Amendoim Forrageiro em Pastagens já Estabelecidas no Acre Métodos de Introdução do Amendoim Forrageiro em Pastagens já Estabelecidas no Acre 152 ISSN 0100-8668 Novembro, 2002 Rio Branco, AC Judson Ferreira Valentim 1 Carlos Maurício Soares de Andrade 2 José Élcio

Leia mais

Olericultura. A Cultura da Abobrinha (Cucurbita pepo) Família Cucurbitácea

Olericultura. A Cultura da Abobrinha (Cucurbita pepo) Família Cucurbitácea 1 de 5 10/16/aaaa 11:56 Olericultura A Cultura da Abobrinha (Cucurbita pepo) Família Cucurbitácea Nome Cultura da Abobrinha Produto Informação Tecnológica Data Julho - 2001 Preço - Linha Olericultura Resenha

Leia mais

GERMINAÇÃO E SOBREVIVÊNCIA DA SOJA EM DIFERENTES MANEJOS DO SOLO

GERMINAÇÃO E SOBREVIVÊNCIA DA SOJA EM DIFERENTES MANEJOS DO SOLO GERMINAÇÃO E SOBREVIVÊNCIA DA SOJA EM DIFERENTES MANEJOS DO SOLO Alberto Kazushi Nagaoka 1 Kleber Pereira Lanças 2 Paulo Roberto Arbex Silva 3 Pedro Castro Neto 4 Antonio Carlos Fraga 5 RESUMO Do ponto

Leia mais

RENOVAÇÃO DE PASTAGENS COM PLANTIO DIRETO

RENOVAÇÃO DE PASTAGENS COM PLANTIO DIRETO RENOVAÇÃO DE PASTAGENS COM PLANTIO DIRETO EXPERIÊNCIAS DA MONSANTO DO BRASIL MARCIO SCALÉA ABRIL 2007 Manejo Genética Alimentação Sanidade GENÉTICA M A N E J O ALIMENTAÇÃO S A N I D A D E FASE PRODUTIVA

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E MANEJO DE ESPÉCIES FORRAGEIRAS HIBERNAIS

IMPLANTAÇÃO E MANEJO DE ESPÉCIES FORRAGEIRAS HIBERNAIS IMPLANTAÇ IMPLANTAÇÃO E MANEJO DE ESPÉ ESPÉCIES FORRAGEIRAS HIBERNAIS Luis Fernando G. de Menezes UTFPR/DV luismenezes@utfpr.edu.br Qualidade da semente Método de estabelecimento Densidade de semeadura

Leia mais

Catálogo de Produtos 1

Catálogo de Produtos 1 Catálogo de Produtos 1 A Marcos Sementes A história da empresa Marcos Sementes se mistura com a própria história de vida de seu idealizador, Marcos Vinícius Melo Silva. Nascido na cidade de Barreiras,

Leia mais

Solos. Equipamentos agrícolas utilizados para o manejo da palhada.

Solos. Equipamentos agrícolas utilizados para o manejo da palhada. Cultivo do Sorgo Importância econômica Clima Ecofisiologia Preparo de solo e Nutrição Adubação Cultivares Plantio Plantas daninhas Doenças Pragas Colheita e pós-colheita Mercado e comercialização Coeficientes

Leia mais

Desempenho Operacional de Máquinas Agrícolas na Implantação da Cultura do Sorgo Forrageiro

Desempenho Operacional de Máquinas Agrícolas na Implantação da Cultura do Sorgo Forrageiro Desempenho Operacional de Máquinas Agrícolas na Implantação da Cultura do Sorgo Forrageiro Flávia M. Nascimento 1, José G. L. Rodrigues 2, Carlos A. Gamero 3, Jairo C. Fernandes 4, Sílvio J. Bicudo 5 1,2,4

Leia mais

Implantação e Manejo Florestal

Implantação e Manejo Florestal 8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura Implantação e Manejo Florestal Eng o. João Carlos T. Mendes jctmende@esalq.usp.br Departamento de Ciências Florestais Estação Experimental de Itatinga Outubro/2008

Leia mais

QUALIDADE DE SEMENTES CARACTERÍSTICAS QUE AFETAM A QUALIDADE DAS SEMENTES. Componentes:

QUALIDADE DE SEMENTES CARACTERÍSTICAS QUE AFETAM A QUALIDADE DAS SEMENTES. Componentes: LPV - 0638: PRODUÇÃO DE SEMENTES CARACTERÍSTICAS QUE AFETAM A QUALIDADE DAS SEMENTES Julio Marcos Filho Departamento de Produção Vegetal USP/ESALQ INSTALAÇÃO DE CULTURAS Planejamento Estrutura disponível

Leia mais

Correção da acidez subsuperficial no plantio direto pela aplicação de calcário na superfície e uso de plantas de cobertura e adubação verde

Correção da acidez subsuperficial no plantio direto pela aplicação de calcário na superfície e uso de plantas de cobertura e adubação verde Correção da acidez subsuperficial no plantio direto pela aplicação de calcário na superfície e uso de plantas de cobertura e adubação verde Julio Cezar Franchini Eleno Torres Luiz Gustavo Garbelini Mario

Leia mais

Manejo Intensivo de Pastagens para Produção de Carne Bovina. Curso Teórico Prático Embrapa Pecuária Sudeste 22 a 25 de abril de 2003

Manejo Intensivo de Pastagens para Produção de Carne Bovina. Curso Teórico Prático Embrapa Pecuária Sudeste 22 a 25 de abril de 2003 Manejo Intensivo de Pastagens para Produção de Carne Bovina Curso Teórico Prático Embrapa Pecuária Sudeste 22 a 25 de abril de 2003 Situação atual: Baixa produtividade: 100 kg de PV/ha/ano Produtividade

Leia mais

Formação e manejo de capineiras

Formação e manejo de capineiras Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Formação e manejo de capineiras Magno José Duarte Cândido magno@ufc.br Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura-NEEF/DZ/CCA/UFC

Leia mais

O plantio compreende a colocação do órgão da planta no solo, de tal forma que ele tenha condição de germinar.

O plantio compreende a colocação do órgão da planta no solo, de tal forma que ele tenha condição de germinar. SEMEADORAS 1 O plantio compreende a colocação do órgão da planta no solo, de tal forma que ele tenha condição de germinar. O órgão da planta utilizado para sua propagação pode ser: semente, tubérculo,

Leia mais

PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA No, DE DE DE 2013.

PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA No, DE DE DE 2013. PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA No, DE DE DE 2013. O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição,

Leia mais

8/10/2010. Piquetes 1 e 2 têm a mesma taxa de lotação e pressão de pastejo. Piquete 1. Piquete 2

8/10/2010. Piquetes 1 e 2 têm a mesma taxa de lotação e pressão de pastejo. Piquete 1. Piquete 2 Forrageira - planta utilizada como forragem Forragem - planta ou parte da planta usada para alimentar o gado Embrapa Amazônia Oriental Massa (matéria) seca - material vegetal (biomassa) do qual foi extraída

Leia mais

Planejamento e Instalação de Pomares

Planejamento e Instalação de Pomares Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Ciências Agrárias Curso de Engenharia Agronômica Disciplina: Fruticultura I Planejamento e Instalação de Pomares Docente responsável: Prof. Dr. Ítalo

Leia mais

Manejo de Pastagem na Seca

Manejo de Pastagem na Seca Manejo de Pastagem na Seca O ajuste da lotação de acordo com a quantidade de forragem disponível é uma das grandes dificuldades de manejo dos pecuaristas. Isso ocorre pela oscilação da produção de forragem

Leia mais

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE

IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE IRGA 424 OPÇÃO DE PRODUTIVIDADE A IRGA 424 apresenta como diferencial o alto potencial produtivo, responde muito bem ao manejo e às altas adubações. Origem: cruzamento IRGA 370-42-1-1F-B5/BR IRGA 410//IRGA

Leia mais

Empresa Brasileria de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Empresa Brasileria de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 1518-4277 Dezembro, 2005 Empresa Brasileria de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 47 Integração Lavoura-Pecuária

Leia mais

QUALIDADE DE SEMENTES CARACTERÍSTICAS QUE AFETAM A QUALIDADE DAS SEMENTES QUALIDADE DE SEMENTES 1. PUREZA GENÉTICA. Sementes geneticamente puras

QUALIDADE DE SEMENTES CARACTERÍSTICAS QUE AFETAM A QUALIDADE DAS SEMENTES QUALIDADE DE SEMENTES 1. PUREZA GENÉTICA. Sementes geneticamente puras LPV - 0638: PRODUÇÃO DE SEMENTES CARACTERÍSTICAS QUE AFETAM A QUALIDADE DAS SEMENTES Julio Marcos Filho Departamento de Produção Vegetal USP/ESALQ INSTALAÇÃO DE CULTURAS Estrutura disponível Planejamento

Leia mais

Estabelecimento de Plantas de Cobertura Sob Cultivo de Arroz para Plantio Direto e Uso em Sistema ILPF no Estado de Roraima

Estabelecimento de Plantas de Cobertura Sob Cultivo de Arroz para Plantio Direto e Uso em Sistema ILPF no Estado de Roraima ISSN 1980-413X Estabelecimento de Plantas de Cobertura Sob Cultivo de Arroz para Plantio Direto e Uso em Sistema ILPF no Estado de Roraima 07 O Estado de Roraima possui 1,5 milhões de hectares aptos para

Leia mais

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga 4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira Fazenda Quizenga Sistematização da área Conservam a cobertura vegetal do solo É essencial para correcções de áreas íngremes Conservar

Leia mais

ASPECTOS MORFOLÓGICOS DE GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS TROPICAIS E SUA RELAÇÃO COM ALGUNS EVENTOS FISIOLÓGICOS

ASPECTOS MORFOLÓGICOS DE GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS TROPICAIS E SUA RELAÇÃO COM ALGUNS EVENTOS FISIOLÓGICOS ASPECTOS MORFOLÓGICOS DE GRAMÍNEAS FORRAGEIRAS TROPICAIS E SUA RELAÇÃO COM ALGUNS EVENTOS FISIOLÓGICOS Paulo Bardauil Alcântara Maio/2016 Fatores a considerar: 1) Geo-história 2) Pressão de seleção 3)

Leia mais

Recomendação de calagem e adubação

Recomendação de calagem e adubação Recomendação de calagem e adubação Na agricultura, a recomendação de calagem e adubação para as culturas é geralmente efetuada com base nas doses de corretivos e fertilizantes que assegurem entre 80% e

Leia mais

LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ. Claudia De Mori

LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ. Claudia De Mori LEVANTAMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS EM LAVOURAS DE TRIGO TECNICAMENTE ASSISTIDAS NO PARANÁ Claudia De Mori HISTÓRICO com a colaboração de profissionais de cooperativas e de empresas de assistência técnica,

Leia mais

CERES MASTER e CERES. Plantio eficiente com melhor custo/benefício

CERES MASTER e CERES. Plantio eficiente com melhor custo/benefício CERES MASTER e CERES Plantio eficiente com melhor custo/benefício Catálogo virtual Português Abr/2016 CERES MASTER As semeadoras Ceres Master apresentam modelos com grande versatilidade, agilidade e excelente

Leia mais

Sobre a palha Tradicional em grãos, o plantio direto ou cultivo com preparo reduzido chega à tomaticultura.

Sobre a palha Tradicional em grãos, o plantio direto ou cultivo com preparo reduzido chega à tomaticultura. Tomate Fotos Nuno Madeira Fotos Waldir A. Marouelli Sobre a palha Tradicional em grãos, o plantio direto ou cultivo com preparo reduzido chega à tomaticultura. Apesar da necessidade de ajustes, estima-se

Leia mais

Nutrição, Adubação e Calagem

Nutrição, Adubação e Calagem Nutrição, Adubação e Calagem Importância da nutrição mineral Embora o eucalipto tenha rápido crescimento, este é muito variável. Os principais fatores que interferem no crescimento estão relacionados com

Leia mais

IliI

IliI 04037 CPAC 1984 3.ed. atual. ISBN FL -04037 NEW at resquisa Mropecuárja dos Cerrado s - BR 020 kzn IS, Ca.sa Poslol 7010023 73300 P1 onoltino - DF 1N 9 34 1maio/84 1 'w. 1L5 FORMAÇÃO E MANEJO DE PASTAGENS

Leia mais

Dúvidas Frequentes. Convert* HD364

Dúvidas Frequentes. Convert* HD364 Convert* HD364 Dúvidas Frequentes 1- Como é o Convert HD 364 em relação a morte súbita das braquiarias? A Morte Súbita das braquiarias é um tema muito discutido no setor sendo que pesquisadores consideram

Leia mais

Dirceu Luiz Broch e Gessi Ceccon

Dirceu Luiz Broch e Gessi Ceccon 9º Seminário Nacional de Milho Safrinha. Rumo à estabilidade: anais. 121 PRODUÇÃO DE MILHO SAFRINHA COM INTEGRAÇÃO LAVOURA E PECUÁRIA () () Dirceu Luiz Broch e Gessi Ceccon 1. Introdução O safrinha é uma

Leia mais

Adubação do Milho Safrinha. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas

Adubação do Milho Safrinha. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas Adubação do Milho Safrinha Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas Produtividade, kg/ha Área (milhões ha) AUMENTO DA ÁREA E PRODUTIVIDADE 8000,0 7000,0 6000,0 Total MT 7.012 5000,0

Leia mais

Avaliação econômica do Sistema de Integração Lavoura-Pecuária

Avaliação econômica do Sistema de Integração Lavoura-Pecuária Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Avaliação econômica do Sistema de Integração Lavoura-Pecuária Rafael França Fonseca (1), Maria Celuta Machado Viana (2), José Joaquim

Leia mais

Conceitos básicos sobre pastagens e sementes para sua formação

Conceitos básicos sobre pastagens e sementes para sua formação Conceitos básicos sobre pastagens e sementes para sua formação Rodolfo Godoy e Francisco H. Dübbern de Souza Julho/2010 Conceitos técnicos : para que???? - possibilitam descrições corretas e precisas de

Leia mais

Implantação e Manejo de Forrageiras em Consórcio com Milho Safrinha

Implantação e Manejo de Forrageiras em Consórcio com Milho Safrinha ISSN 1516-845X Outubro, ISSN 1516-845X 2015 Outubro, 2015 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agropecuária Oeste Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 131 Implantação e Manejo

Leia mais

Fazenda Triunfo Integração Lavoura-Pecuária Safrinha de Boi. Diversificação da produção em larga escala em clima tropical (Oeste da Bahia)

Fazenda Triunfo Integração Lavoura-Pecuária Safrinha de Boi. Diversificação da produção em larga escala em clima tropical (Oeste da Bahia) Fazenda Triunfo Integração Lavoura-Pecuária Safrinha de Boi Diversificação da produção em larga escala em clima tropical (Oeste da Bahia) Nossa experiência de... Integração lavoura-pecuária ROTEIRO DA

Leia mais

V Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012

V Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012 Produtividade e proteína bruta do feijão guandu (Cajanus cajan cv. Mandarin) sob diferentes adubações e períodos de corte cultivado em um latossolo vermelho distrófico Arnon Henrique Campos ANÉSIO¹; Antônio

Leia mais

6. Estabelecimento, práticas corretivas e adubação de pastagens

6. Estabelecimento, práticas corretivas e adubação de pastagens 6. Estabelecimento, práticas corretivas e adubação de pastagens 6.1 Introdução O Brasil possui o maior rebanho comercial do mundo distribuído em cerca de 196 milhões de há de pastagens, a qual se constitui

Leia mais

Fatores Importantes para o 05 Sucesso de uma Lavoura

Fatores Importantes para o 05 Sucesso de uma Lavoura Fatores Importantes para o 05 Sucesso de uma Lavoura Dirceu Luiz Broch Sidnei Kuster Ranno Carlos Pitol Ricardo Barros Antônio Reinaldo Schneid 1 2 3 4 5 5.1. Introdução À medida que aumenta o nível tecnológico

Leia mais

Ocorrência de artrópodes em área recuperada com o Sistema de Integração Lavoura- Pecuária 1. Paulo A. Viana 2 e Maria C. M.

Ocorrência de artrópodes em área recuperada com o Sistema de Integração Lavoura- Pecuária 1. Paulo A. Viana 2 e Maria C. M. Ocorrência de artrópodes em área recuperada com o Sistema de Integração Lavoura- Pecuária Paulo A. Viana e Maria C. M. Viana 3 Pesquisador Embrapa Milho e Sorgo, pviana@cnpms.embrapa.br. CP. 5, CEP 357-97,

Leia mais

CULTIVO SIMULTÂNEO DE MILHO COM CAPINS, NA SAFRINHA, PARA PRODUÇÃO DE GRÃOS E DE FORRAGEM

CULTIVO SIMULTÂNEO DE MILHO COM CAPINS, NA SAFRINHA, PARA PRODUÇÃO DE GRÃOS E DE FORRAGEM CULTIVO SIMULTÂNEO DE MILHO COM CAPINS, NA SAFRINHA, PARA PRODUÇÃO DE GRÃOS E DE FORRAGEM Armindo Neivo Kichel 1, José Alexandre Agiova da Costa 2, Roberto Giolo de Almeida 3 1. Introdução No Mato Grosso

Leia mais

AVEIA BRANCA FORRAGEIRA IPR ESMERALDA

AVEIA BRANCA FORRAGEIRA IPR ESMERALDA AVEIA BRANCA FORRAGEIRA RELAÇÃO FOLHA/COLMO Proporção 1,5:1 2,3:1 SEMENTES SUGESTÃO DE SEMEADURA A cultivar está registrada no Registro Nacional de Cultivares (RNC/MAPA) sob o nº. 29.873. Sementes podem

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PLANTIO E ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PLANTIO E ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS CONSIDERAÇÕES SOBRE O PLANTIO E ESTABELECIMENTO DE PASTAGENS Claudio Ramalho Townsend 1 Newton de Lucena Costa 2 Ricardo Gomes de Araujo Pereira 1 Na tomada de decisão sobre a formação e/ou reforma de

Leia mais

. DEGRADAÇÃO DE PASTAGENS, ALTERNATIVAS DE RECUPERAÇÃO E RENOVAÇÃO, E FORMAS DE MITIGAÇÃO

. DEGRADAÇÃO DE PASTAGENS, ALTERNATIVAS DE RECUPERAÇÃO E RENOVAÇÃO, E FORMAS DE MITIGAÇÃO . DEGRADAÇÃO DE PASTAGENS, ALTERNATIVAS DE RECUPERAÇÃO E RENOVAÇÃO, E FORMAS DE MITIGAÇÃO 1. Introdução Manuel Claudio M. Macedo 1 Ademir Hugo Zimmer 1 Armindo Neivo Kichel 1 Roberto Giolo de Almeida 1

Leia mais

MANEJO DA ADUBAÇÃO. Prof. Dr. Danilo Eduardo Rozane.

MANEJO DA ADUBAÇÃO. Prof. Dr. Danilo Eduardo Rozane. CURSO DE FORMAÇÃO DE RESPONSÁVEIS TÉCNICOS E AUDITORES EM PI MÓDULO GOIABA CATI - CAMPINAS 07 a 11 de novembro de 2011 MANEJO DA ADUBAÇÃO Prof. Dr. Danilo Eduardo Rozane danilorozane@registro.unesp.br

Leia mais

Técnicas de Experimentação Agrícola

Técnicas de Experimentação Agrícola ProSavana Programa Especial de Capacitação e Treinamento Técnicas de Experimentação Agrícola Embrapa Arroz e Feijão Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos Universidade Federal de Goiás Nampula,

Leia mais