JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE"

Transcrição

1 JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE

2 (1) Introdução e Preâmbulo do tema Artigo 1º, III, CF a República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos... (III) a dignidade da pessoa humana. Artigo 3º, I, CF constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil...(I) construir uma sociedade livre, justa e solidária Artigo 5º, inciso XXXV, CF a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direitos. Artigo 5º, inciso XXXVI, CF a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada. Artigo 170, inciso V, CF a ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios (V)... a defesa do consumidor. Artigo 196, CF, a saúde é direito de todos e dever do Estado... RE AgR n /RS (DJ de ) considerado o leading case sobre a matéria, afirma que o direito à saúde constitui direito fundamental e subjetivo, assegurado à generalidade das pessoas pela CF, representando consequência constitucional indissociável do direito à vida (2) Fonte de obrigação Contrato (3) Importância histórica do instituto Revolução francesa Revolução industrial Pós-modernidade

3 CONCEITO I Visão estrututal. A) Fato Jurídico lato sensu B) Fato Jurídico stricto sensu e ato jurídico lato sensu C) Ato jurídico stricto sensu, Ato Ilícito e Negócio Jurídico D) Negócio jurídico unilateral e contrato Negócio Jurídico: todo fato jurídico consistente em declaração de vontade, a que o ordenamento jurídico atribui os efeitos designados como queridos, respeitados os pressupostos de existência, validade e eficácia impostos pela norma jurídica que sobre ele incide

4 D) Contrato elemento especializante carrega ínsita a convergência de manifestações de vontade contraposta, que forma o CONSENSO (núcleo do negócio jurídico contratual). E) Plano da existência ou elementos constitutivos de um contrato: (i) manifestação de vontade não se discute se é válida ou não ou se coincide ou não com a intenção investiga-se se houve declaração de vontade negocial

5 (ii) Agente: é a pessoa que emite a declaração de vontade negocial. Sem, não há negócio jurídico. (iii) Objeto: conteúdo do contrato; (iv) Forma: meio de exteriorização da manifestação de vontade - não importa se é adequada ou não. F) Plano da validade adjetivação dos elementos de existência: (i) manifestação de vontade LIVRE e de BOA-FÉ o que se avalia aqui é a existência ou não de vícios de consentimento e a presença da boa-fé objetiva.

6 (ii) Agente CAPAZ não se trata somente da capacidade de exercício, mas também da legitimidade (capacidade para realizar determinados contratos). (iii) Objeto IDÔNEO lícito possível (juridica 426, CC - fisicamente) determinado (ou determinável) G) Plano da eficácia ou fatores de eficácia do contrato: São os chamados elementos acidentais (i) termo Evento futuro e certo. Inicial se determina o começo da produção de efeitos jurídicos. Final se determina o fim.

7 (ii) Condição: evento futuro e incerto que, se ocorrente, poderá dar início à produção de efeitos (condição suspensiva) ou fazer cessá-los (condição resolutiva). (iii) Modo ou encargo: determinação acessória acidental de negócios jurídicos gratuitos que impõe ao beneficiário de liberalidade um ônus a ser cumprido. H) FUNÇÃO SOCIAL do contrato mudança de mentalidade. Social não é sinônimo de socialismo. (1) Artigo 1º, III, da CF princípio da dignidade humana (2) Artigo 3 da CF Objetivos do país

8 (3) Artigo 5º, XXII, da CF (4) Artigo 170, CF. (5) normas constitucionais de proteção do meio-ambiente (6) normas constitucionais de proteção ao trabalho e saúde (7) inspiraram o artigo 421 do CC. (8) funciona como um limitador da liberdade contratual (9) contrato que atende a função social é aquele contrato que atende não só à sua utilidade econômica, mas também à sua finalidade social.

9 (I) BOA-FÉ OBJETIVA CDC e artigo 422 do CC (1) princípio que obriga os contratantes a guardarem entre si lealdade e respeito. (2) Princípio que se presta : Como referencial hermenêutico busca no contrato o sentido moralmente mais útil. Como fonte geradora de deveres laterais (anexos) lealdade e confiança recíprocas; assistência; informação; sigilo; dever de segurança. Como delimitador do exercício de direitos subjetivos artigo 187 do CC.

10 CONCEITO (3) Artigo 422 do CC pré e pós contratual a observância (4) Figuras desdobradas: Venire contra factum proprium proibição de comportamento contraditório. Supressio é a perda (supressão) de um direito pela falta de seu exercício por razoável lapso de tempo. Surrectio é o direito que nasce pelo exercício de uma posição não amparada em contrato.

11 CONCEITO J) Assim: CONTRATO é um negócio jurídico bilateral, por meio do qual as partes, observados os pressupostos de validade previstos no ordenamento, visando atingir determinados interesses patrimoniais protegidos pela função social, convergem suas vontades, criando um dever jurídico principal (de dar, fazer ou não fazer) e, bem assim, deveres jurídicos anexos, decorrentes da boa-fé objetiva.

12 SÚMULAS SOBRE PLANOS DE SAÚDE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Súmula 90: Havendo expressa indicação médica para a utilização dos serviços de home care, revela-se abusiva a cláusula de exclusão inserida na avença, que não pode prevalecer. Súmula 91: Ainda que a avença tenha sido firmada antes da sua vigência, é descabido, nos termos do disposto no art. 15, 3º, do Estatuto do Idoso, o reajuste da mensalidade de plano de saúde por mudança de faixa etária. Súmula 92: É abusiva a cláusula contratual de plano de saúde que limita o tempo de internação do segurado ou usuário (Súmula 302 do Superior Tribunal de Justiça). Súmula 93: A implantação de stent é ato inerente à cirurgia ardíaca/vascular, sendo abusiva a negativa de sua cobertura, ainda que o contrato seja anterior à Lei 9.656/98. Súmula 94: A falta de pagamento da mensalidade não opera, per si, a pronta rescisão unilateral do contrato de plano ou seguro de saúde, exigindo-se a prévia notificação do devedor com prazo mínimo de dez dias para purga da mora. Súmula 95: Havendo expressa indicação médica, não prevalece a negativa de cobertura do custeio ou fornecimento de medicamentos associados a tratamento quimioterápico.

13 SÚMULAS SOBRE PLANOS DE SAÚDE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Súmula 96: Havendo expressa indicação médica de exames associados a enfermidade coberta pelo contrato, não prevalece a negativa de cobertura do procedimento. Súmula 97: Não pode ser considerada simplesmente estética a cirurgia plástica complementar de tratamento de obesidade mórbida, havendo indicação médica. Súmula 99: Não havendo, na área do contrato de plano de saúde, atendimento especializado que o caso requer, e existindo urgência, há responsabilidade solidária no atendimento ao conveniado entre as cooperativas de trabalho médico da mesma operadora, ainda que situadas em bases geográficas distintas. Súmula 100: O contrato de plano/seguro saúde submete-se aos ditames do Código de Defesa do Consumidor e da Lei n /98 ainda que a avença tenha sido celebrada antes da vigência desses diplomas legais. Súmula 101: O beneficiário do plano de saúde tem legitimidade para acionar diretamente a operadora mesmo que a contratação tenha sido firmada por seu empregador ou associação de classe. Súmula 102: Havendo expressa indicação médica, é abusiva a negativa de cobertura de custeio de tratamento sob o argumento da sua natureza experimental ou por não estar previsto no rol de procedimentos da ANS.

14 SÚMULAS SOBRE PLANOS DE SAÚDE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Súmula 103: É abusiva a negativa de cobertura em atendimento de urgência e/ou emergência a pretexto de que está em curso período de carência que não seja o prazo de 24 horas estabelecido na Lei n /98. Súmula 105: Não prevalece a negativa de cobertura às doenças e às lesões preexistentes se, à época da contratação de plano de saúde, não se exigiu prévio exame médico admissional.

PARECER JURÍDICO SOBRE SÚMULAS DO TJ SOBRE IMRT

PARECER JURÍDICO SOBRE SÚMULAS DO TJ SOBRE IMRT PARECER JURÍDICO SOBRE SÚMULAS DO TJ SOBRE IMRT São Paulo, 27 de março de 2013. Consulta-nos o Doutor Robson Ferrigno, Presidente da Sociedade Brasileira de Radioterapia, a respeito das súmulas editadas

Leia mais

Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013

Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013 Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013 LIMINAR = ORDEM JUDICIAL PROVISÓRIA CONCEDIDA NO CURSO DE UM PROCESSO JUDICIAL Fundamentação legal: Art.

Leia mais

IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS

IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS RN 195 Vigência: 03.11.2009 (alterada pelas RNs 200 e 204); Objetivos: a) classificar e disciplinar as características dos planos privados

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Súmulas do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Seção de Direito Privado Súmulas 1 a 25 (DJE 06/12/2010, p. 1 e 2) Súmulas 38 a 62 (DJE 14/04/2011, p. 1 e 2) Súmula 22 (DJE 03/06/2011, p. 1 retificação)

Leia mais

REGISTRO DE OPERADORA DE PLANO DE SAÚDE - FILANTRÓPICA. Pedro Pereira Atuário MIBA nº. 850

REGISTRO DE OPERADORA DE PLANO DE SAÚDE - FILANTRÓPICA. Pedro Pereira Atuário MIBA nº. 850 REGISTRO DE OPERADORA DE PLANO DE SAÚDE - FILANTRÓPICA Pedro Pereira Atuário MIBA nº. 850 Base legal: RN n.º 85, de 2004 e posteriores alterações, dispõe sobre os procedimentos para solicitação de autorização

Leia mais

Simples Nacional e a Tributação pelo Lucro Presumido. Prof. Dr. Paulo Caliendo Professor PUCRS

Simples Nacional e a Tributação pelo Lucro Presumido. Prof. Dr. Paulo Caliendo Professor PUCRS + Simples Nacional e a Tributação pelo Lucro Presumido Prof. Dr. Paulo Caliendo Professor PUCRS + Quaestione Disputatae O Simples Nacional é preferível ao Lucro Presumido? Questão óbvia: a resposta deveria

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI TRABALHO MEDICO

: MIN. DIAS TOFFOLI TRABALHO MEDICO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 714.204 MINAS GERAIS RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. DIAS TOFFOLI :UNIMED BELO HORIZONTE COOPERATIVA DE TRABALHO MEDICO : SABRINA DINIZ REZENDE VIEIRA E

Leia mais

Direito à Saúde da Criança e do Adolescente

Direito à Saúde da Criança e do Adolescente Direito à Saúde da Criança e do Adolescente Constituição Federal de 1988 Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade,

Leia mais

Resolução Normativa RN n 395/2016

Resolução Normativa RN n 395/2016 Resolução Normativa RN n 395/2016 Rodrigo Aguiar Gerente Geral de Assessoramento da Diretoria de Fiscalização Rio de Janeiro, janeiro de 2016. O que apresentamos aqui? Resolução Normativa RN n 395/2015,

Leia mais

MOARA AGRO MERCANTIL LTDA

MOARA AGRO MERCANTIL LTDA PLANO DE SAÚDE EMPRESARIAL INADIMPLÊNCIA RESCISÃO UNILATERAL IMPOSSIBILIDADE NECESSIDADE DE NOTIFICAÇÃO PARA PAGAMENTO DO DÉBITO DISPONIBILIZAÇÃO DE PLANO INDIVIDUAL AOS BENEFICIÁRIOS NOS MOLDES DO CONTRATO

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO DIREITO PREVIDENCIÁRIO Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO Conceituação: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar

Leia mais

Comunicado 4 Credenciamento TSE nº 1/2015 QUESTIONAMENTOS DA EMPRESA ALIANÇA ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS DE SAÚDE S.A E RESPOSTAS EMITIDAS PELO TSE:

Comunicado 4 Credenciamento TSE nº 1/2015 QUESTIONAMENTOS DA EMPRESA ALIANÇA ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS DE SAÚDE S.A E RESPOSTAS EMITIDAS PELO TSE: Comunicado 4 Credenciamento TSE nº 1/2015 QUESTIONAMENTOS DA EMPRESA ALIANÇA ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS DE SAÚDE S.A E RESPOSTAS EMITIDAS PELO TSE: 1. De acordo com a alínea f do item 1.3 do Edital em

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. 4050

PROJETO DE LEI Nº. 4050 PROJETO DE LEI Nº. 4050 Institui o Centro de Especialidades Odontológicas CEO Tipo 2, dispõe sobre a contratação temporária de pessoal, nos termos da Lei Municipal nº. 2.854/2011 e do art. 37, IX, da Constituição

Leia mais

Sumário. nota do autor...11 nota do autor 2ª edição a seguridade social no brasil...15 CAPÍTULO 1

Sumário. nota do autor...11 nota do autor 2ª edição a seguridade social no brasil...15 CAPÍTULO 1 nota do autor...11 nota do autor 2ª edição...13 CAPÍTULO 1 a seguridade social no brasil...15 1. Evolução histórica e composição...15 2. Definição e natureza jurídica...16 3. Competência legislativa...17

Leia mais

PORTARIA N.º 018/2010. Promotora de Justiça signatária, no uso das suas atribuições

PORTARIA N.º 018/2010. Promotora de Justiça signatária, no uso das suas atribuições PORTARIA N.º 018/2010 O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, pela Promotora de Justiça signatária, no uso das suas atribuições institucionais que lhe são conferidas pelo art. 129, III, da Constituição

Leia mais

EMPRESA (RAZÃO SOCIAL): UNIMED BELO HORIZONTE COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO REPRESENTANTE LEGAL: Sr. Claudney Gonçalves Guimarães

EMPRESA (RAZÃO SOCIAL): UNIMED BELO HORIZONTE COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO REPRESENTANTE LEGAL: Sr. Claudney Gonçalves Guimarães 1 EDITAL DE LICITAÇÃO Nº: 003/2014 MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL PROCESSO Nº: 0013/2014 ATA DE REALIZAÇÃO DE PREGÃO PRESENCIAL Às 15:00 horas do dia 25 (vinte e cinco) de abril do ano de dois mil e quatorze

Leia mais

MANUAL DE ASSISTÊNCIAS PROTEÇÃO VIDA PREMIADO

MANUAL DE ASSISTÊNCIAS PROTEÇÃO VIDA PREMIADO S PROTEÇÃO VIDA PREMIADO Í N D I C E 1. ACIONAMENTO DO SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA.... 2 2. INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE SUA ASSISTÊNCIA 24 HORAS.... 2 3. ASSISTÊNCIA FUNERAL FAMILIAR.... 3 Página 1 de 6 1.

Leia mais

Negócio jurídico processual e a privatização do processo civil

Negócio jurídico processual e a privatização do processo civil Negócio jurídico processual e a privatização do processo civil Fernando da Fonseca Gajardoni Professor Doutor Faculdade de Direito da USP Ribeirão Preto (FDRP-USP). Juiz de Direito/TJSP Modelos de flexibilização

Leia mais

Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG

Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG Marco Polo Dias Freitas Presidente da SBGG-DF Doutor em Saúde Coletiva/Epidemiologia Mestre em Clínica Médica Membro do Comitê Assessor da Coordanação

Leia mais

Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Habilidades e Competências. Textos, filmes e outros materiais. Tipo de aula. Semana

Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Habilidades e Competências. Textos, filmes e outros materiais. Tipo de aula. Semana PLANO DE CURSO DISCIPLINA: DIREITO CONTRATUAL (CÓD. ENEX 60119) ETAPA: 4ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências Textos, filmes

Leia mais

Resolução Normativa nº279. Aposentados e Demitidos

Resolução Normativa nº279. Aposentados e Demitidos Resolução Normativa nº279 Aposentados e Demitidos Retrospectiva Lei nº 9656/98 Demitidos Art. 30 - Ao consumidor que contribuir para produtos de Planos Privados de Assistência à Saúde, em decorrência de

Leia mais

Meios de solução de controvérsias nas relações de consumo de seguros GUSTAVO DA ROCHA SCHMIDT

Meios de solução de controvérsias nas relações de consumo de seguros GUSTAVO DA ROCHA SCHMIDT Meios de solução de controvérsias nas relações de consumo de seguros GUSTAVO DA ROCHA SCHMIDT Em razão do volume exorbitante de demandas, o Judiciário brasileiro torna-se, naturalmente, incapaz de pacificar

Leia mais

1.5 Abrigo em entidade...162 1.6 Abrigo temporário...164 2. Competência para aplicação das medidas de proteção...165

1.5 Abrigo em entidade...162 1.6 Abrigo temporário...164 2. Competência para aplicação das medidas de proteção...165 SUMÁRIO DOUTRINA CAPÍTULO I INTRODUÇÃO... 3 1. Breve evolução histórica dos direitos dos idosos no Brasil... 3 2. Perfil Constitucional dos direitos dos idosos... 5 3. Princípios norteadores dos direitos

Leia mais

Judicialização na Saúde Suplementar Edital 005/2014 ANS/OPAS FMUSP

Judicialização na Saúde Suplementar Edital 005/2014 ANS/OPAS FMUSP Judicialização na Saúde Suplementar Edital 005/2014 ANS/OPAS FMUSP Equipe de Trabalho Mário César Scheffer - Professor Doutor do Departamento de Medicina Preventiva (DMP) da Faculdade de Medicina da USP

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2012.0000548429 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação no 0221704-38.2007.8.26.0100, da Comarca de, em que é apelante MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO, é apelado

Leia mais

www.grupoidealbr.com.br AULA 2 (CF/88 ARTIGOS 196 A0 200) Legislação do SUS - Professora Ana Flávia Alves e-mail: anaflaviaprofessora@yahoo.com Garantido mediante políticas sociais e econômicas. A saúde

Leia mais

TUTELA PROCESSUAL DO MEIO AMBIENTE

TUTELA PROCESSUAL DO MEIO AMBIENTE GESTÃO AMBIENTAL Prof. Francisco José Carvalho TUTELA PROCESSUAL DO MEIO AMBIENTE COMPETÊNCIA NA AÇÃO CIVIL PÚBLICA Conceito de Ação Civil Pública (ACP) É um instrumento processual, que visa proteger direitos

Leia mais

Governança Corporativa Transparência e Sustentabilidade

Governança Corporativa Transparência e Sustentabilidade FECOMERCIO - 21/11 SÃO PAULO Governança Corporativa Transparência e Sustentabilidade LUIZ DE LUCA Coordenador Comissão GC em Saúde - IBGC Superintendente Corporativo Hospital Samaritano Governança Corporativa

Leia mais

Transferências de Recursos da União Transferências Voluntárias

Transferências de Recursos da União Transferências Voluntárias Transferências Constitucionais Transferências Legais da União Transferências Voluntárias da União Transferências Constitucionais Correspondem a parcelas de recursos arrecadados e repassados de um ente

Leia mais

Confiabilidade em saúde bucal

Confiabilidade em saúde bucal Planos Odontológicos Assistência odontológica empresarial PLANOS PME - A partir de 05 vidas Dental Confiabilidade em saúde bucal Confiabilidade A MetLife é a empresa Top of Mind Estadão de RH 2010. Planos

Leia mais

SUMÁRIO. Parte I NOÇÕES GERAIS

SUMÁRIO. Parte I NOÇÕES GERAIS SUMÁRIO Parte I NOÇÕES GERAIS I Noção de contrato 25 2 Origens e evolução histórica do direito dos contratos 31 2 I Historicidade do contrato 32 22 O direito romano 33 23 O direito inglês medieval 34 3

Leia mais

Planejamento Tributário

Planejamento Tributário Planejamento Tributário rio Análise da Legitimidade Critérios rios Jurídicos Claudemir Rodrigues Malaquias claudemir.malaquias malaquias@carf.fazenda.gov.br 1 Sumário Contexto Patologias do Negócio Jurídico

Leia mais

ITCMD Aspectos Relacionados ao Terceiro Setor

ITCMD Aspectos Relacionados ao Terceiro Setor ITCMD Aspectos Relacionados ao Terceiro Setor Comissão de Direito do Terceiro Setor Danilo Brandani Tiisel Imposto sobre Transmissão "Causa Mortis" e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos ITCMD Conceito

Leia mais

Tribunais Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro Direito Civil Nilmar de Aquino

Tribunais Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro Direito Civil Nilmar de Aquino Tribunais Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro Direito Civil Nilmar de Aquino 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. Introdução Lei que regulamenta

Leia mais

Calendário: 02/10 II. Princípios do Direito Processual Tributário

Calendário: 02/10 II. Princípios do Direito Processual Tributário Mestrado: Forense Disciplina: Processo Tributário Docente: Carla Castelo Trindade (ccastelotrindade@gmail.com) Ano lectivo: 2014-2015 Semestre: 1º 18/09 Apresentação 25/09 I. Introdução Calendário: 02/10

Leia mais

mesmo nem ao inimigo, jamais sairá vitorioso. Sun Tzu: A Arte da Guerra

mesmo nem ao inimigo, jamais sairá vitorioso. Sun Tzu: A Arte da Guerra Se você conhece a si mesmo e ao inimigo, não temerá a batalha. Se você conhece a si mesmo, porém não ao inimigo, perderá uma batalha para cada batalha que ganhar; e se você não conhece a si mesmo nem ao

Leia mais

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril:

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A evolução da sua situação jurídica em Alexandra Teixeira de Sousa Maio de 2011. A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: evolução da situação jurídica

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI SERGIPE

: MIN. DIAS TOFFOLI SERGIPE RECURSO EXTRAORDINÁRIO 726.149 SERGIPE RELATOR RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. DIAS TOFFOLI :MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SERGIPE :PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE

Leia mais

RECOMENDAÇÃO nº 16/2016

RECOMENDAÇÃO nº 16/2016 Autos nº 1.14.012.000020/2012-42 Espécie: Inquérito Civil Público ICP Assunto: Recomenda ao Município de Irecê a adoção de medidas e a instalação de instrumentos que permitam o controle social do horário

Leia mais

Direito Contratual e Direito do Consumidor na Saúde Suplementar

Direito Contratual e Direito do Consumidor na Saúde Suplementar 162 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 6 Judicialização da Saúde - Parte I Direito Contratual e Direito do Consumidor na Saúde Suplementar INTRODUÇÃO Grace Mussalem Calil 1 A assistência médica constitui

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO - TOR/OEI/MEC/FNDE/DIPRO/

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEÇÃOA CRIMINAL AÇÃO PENAL nº ACUSADO: JOAQUIM JOSE DOS SANTOS ALEXANDRE

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEÇÃOA CRIMINAL AÇÃO PENAL nº ACUSADO: JOAQUIM JOSE DOS SANTOS ALEXANDRE TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEÇÃOA CRIMINAL AÇÃO PENAL nº. 0034199-92.2013.8.19.0000 ACUSADO: JOAQUIM JOSE DOS SANTOS ALEXANDRE EMENTA: AÇÃO PENAL PORTE DE ARMA POLICIAL MILITAR INCREMENTO DO RISCO ATIPICIDADE

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA Nº 83/2012 - PGGB RECURSO EXTRAORDINÁRIO Nº 606629/MG RECTE : EMPRESA UNIDA MANSUR E FILHOS LTDA. RECDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ADVOGADOS

Leia mais

Regulamento do Cartão Jovem Municipal Nota justificativa

Regulamento do Cartão Jovem Municipal Nota justificativa Regulamento do Cartão Jovem Municipal Nota justificativa Considerando que o Município do Barreiro tem como princípio o bem-estar, a realização pessoal e a plena participação social dos jovens. Considerando

Leia mais

Departamento PENITENCIÁRIO NACIONAL

Departamento PENITENCIÁRIO NACIONAL Departamento PENITENCIÁRIO NACIONAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL Departamento PENITENCIÁRIO NACIONAL Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 8 às 18 horas Telefone:

Leia mais

RESENHAS REVIEWS RESPONSABILIDADE CIVIL DA ATIVIDADE MÉDICA NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

RESENHAS REVIEWS RESPONSABILIDADE CIVIL DA ATIVIDADE MÉDICA NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR 248 RESENHAS REVIEWS RESPONSABILIDADE CIVIL DA ATIVIDADE MÉDICA NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Octávio Luiz Motta Ferraz Elsevier, Rio de Janeiro, 2009 Estela Waksberg Guerrini ( * ) Não é preciso explicar

Leia mais

TERMO ADITIVO ao Contrato Particular de Plano de Saúde (nome do plano) Reg. ANS nº (nº produto).

TERMO ADITIVO ao Contrato Particular de Plano de Saúde (nome do plano) Reg. ANS nº (nº produto). TERMO ADITIVO ao Contrato Particular de Plano de Saúde (nome do plano) Reg. ANS nº (nº produto). CONTRATADA: UNIMED MURIAÉ COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA., inscrita no CNPJ/MF nº 25.971.433/0001-15,

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil 27/10/2014 Consulta à Certidão Negativa de Débito MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS RELATIVOS ÀS CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS E ÀS DE TERCEIROS

Leia mais

Cód. barras: STJ00095765 (2012)

Cód. barras: STJ00095765 (2012) Cód. barras: STJ00095765 (2012) CAPÍTULO 1 - LEI DE INTRODUÇÃO ÀS NORMAS DO DIREITO BRASILEIRO... 1 1.1. Lei de introdução às normas do direito brasileiro... 1 1.1.1. Considerações gerais... 1 1.1.2. Vigência

Leia mais

Seminário Anual de Saúde 2013

Seminário Anual de Saúde 2013 Seminário Anual de Saúde 2013 Sustentabilidade dos programas de saúde: desafios e oportunidades Implicações legais decorrentes dos programas de saúde Théra van Swaay De Marchi Pinheiro Neto Advogados 16

Leia mais

DISCRIMINAÇÃO EM MATÉRIA DE EMPREGO E PROFISSÃO CONVENÇÃO 111

DISCRIMINAÇÃO EM MATÉRIA DE EMPREGO E PROFISSÃO CONVENÇÃO 111 DISCRIMINAÇÃO EM MATÉRIA DE EMPREGO E PROFISSÃO DECRETO N o 62.150, DE 19 DE JANEIRO DE 1968. Promulga a Convenção nº 111 da OIT sobre discriminação em matéria de emprego e profissão. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA RESPOSTA TÉCNICA COREN/SC Nº 06/CT/2016/RT Assunto: Curativo por Pressão Subatmosférica (VAC) Palavras-chave: Curativo por Pressão Subatmosférica, Curativo por pressão negativa, Estomaterapeuta. I Solicitação

Leia mais

DISPENSA DE LICITAÇÃO

DISPENSA DE LICITAÇÃO DISPENSA DE LICITAÇÃO Processo: Secretaria: Empresa: CNPJ: Objeto: LISTA DE VERIFICAÇÕES Justificativa - deverá ser elaborada pela Secretaria Requisitante, a qual identificará a necessidade administrativa

Leia mais

BNDES Automático Prosoft Comercialização MPME Informações básicas sobre o apoio financeiro

BNDES Automático Prosoft Comercialização MPME Informações básicas sobre o apoio financeiro BNDES Automático Prosoft Comercialização MPME Informações básicas sobre o apoio financeiro A seguir as informações sobre as condições financeiras, o objetivo do financiamento, a orientação sobre como solicitar

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. DE O CONGRESSO NACIONAL decreta,

PROJETO DE LEI Nº. DE O CONGRESSO NACIONAL decreta, CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI Nº. DE 2015. (Do Senhor Luiz Lauro Filho) Cria a Política Nacional de Combate à Dengue, a Chikungunya e à febre Zika O CONGRESSO NACIONAL decreta, Art. 1º - A Política

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE E A RECUSA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO CONSUMIDOR INDIVIDUAL

PLANOS DE SAÚDE E A RECUSA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO CONSUMIDOR INDIVIDUAL PLANOS DE SAÚDE E A RECUSA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO CONSUMIDOR INDIVIDUAL Paulo R. Roque A. Khouri Coordenador da Pós-Graduação em Contratos e Responsabilidade Civil do Instituto Brasiliense de Direito

Leia mais

: MIN. JOAQUIM BARBOSA

: MIN. JOAQUIM BARBOSA AGRAVO DE INSTRUMENTO 834.122 RIO GRANDE DO SUL RELATOR AGTE.(S) ADV.(A/S) ADV.(A/S) AGDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. JOAQUIM BARBOSA :RB IMPRESSÕES SERIGRAFIAS LTDA :GABRIEL DINIZ DA COSTA :NADIA MARIA

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Pará

Tribunal de Contas do Estado do Pará RESOLUÇÃO Nº 17.181 (Processo nº 2006/51558-6) Assunto: Consulta formulada pelo Exmº Sr. FRANCISCO BARBOSA DE OLIVEIRA, Procurador Geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Pará. EMENTA: I- Permite-se

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 2.750, DE 2011.

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 2.750, DE 2011. COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 2.750, DE 2011. Fixa piso salarial nacional dos médicos. Autor: Deputado ANDRE MOURA Relatora: Deputada FLÁVIA MORAIS I - RELATÓRIO

Leia mais

PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES:

PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES: 1 PARECER Nº 68/PP/2013-P CONCLUSÕES: 1. Um Advogado que tenha sido nomeado patrono oficioso de um menor num processo judicial de promoção e protecção de crianças e jovens em perigo, requerido pelo Ministério

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS Contrato que entre si fazem, na melhor forma de direito, de um lado (nome da operadora), com sede na rua..., nº..., bairro..., em (nome da cidade), (Estado), inscrita

Leia mais

Questões derivadas da MP 627

Questões derivadas da MP 627 III CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO ATUAL IBDT/AJUFE/FDUSP-DEF Questões derivadas da MP 627 Contabilidade e Direito: essência e forma Elidie Palma Bifano Tema do bloco: Questões derivadas da

Leia mais

TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO

TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO CUSTÓDIO DA PIEDADE U. MIRANDA Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra Doutor em Direito pela Universidade de São Paulo Professor Associado da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo

Leia mais

Normatização da Junta Médica no Intercâmbio Nacional. Dr. Adolfo Orsi Parenzi

Normatização da Junta Médica no Intercâmbio Nacional. Dr. Adolfo Orsi Parenzi Normatização da Junta Médica no Intercâmbio Nacional Dr. Adolfo Orsi Parenzi Resolução CONSU n 8, de 03.11.98 (mecanismos de regulação) Art. 4 As operadoras de planos ou seguros privados de assistência

Leia mais

RELATÓRIO ALJEZUR, 05 DE MAIO DE

RELATÓRIO ALJEZUR, 05 DE MAIO DE RELATÓRIO RELATÓRIO ALJEZUR, 5 DE MAIO DE 28 INDICE INTRODUÇÃO 1 1. ENTIDADES INQUIRIDAS 2 2. SERVIÇOS PRESTADOS PELO CORPO DE BOMBEIROS 2 3. CLASSIFICAÇÃO DOS ERVIÇO PRESTADO 3 4. CLASSIFICAÇÃO DO ATENDIMENTO

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE AULA 6. Prof. Eduardo Casassanta

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE AULA 6. Prof. Eduardo Casassanta CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE AULA 6 Prof. Eduardo Casassanta ARGUIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL Previsão constitucional e infraconstitucional A ADPF está prevista no art. 102, 1º da

Leia mais

ISS ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO LOCAL DA INCIDÊNCIA DO TRIBUTO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA (RECURSO ESPECIAL 1.060.210-SC)

ISS ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO LOCAL DA INCIDÊNCIA DO TRIBUTO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA (RECURSO ESPECIAL 1.060.210-SC) ISS ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO LOCAL DA INCIDÊNCIA DO TRIBUTO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA (RECURSO ESPECIAL 1.060.210-SC) José Eduardo Soares de Melo 12.09.13 I. ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO.

Leia mais

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto.

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. MORAL E ÉTICA O homem é um ser dotado de senso moral. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. Senso moral se manifesta em sentimentos, atitudes, juízos de valor Moral vem

Leia mais

A associação tem como fim...

A associação tem como fim... ASSOCIAÇÃO Artigo 1.º Denominação, sede e duração 1. A associação, sem fins lucrativos, adopta a denominação, e tem a sede na, freguesia de, concelho de e constitui-se por. 2. A associação tem o número

Leia mais

Escrevente Técnico Judiciário/TJ SP. Comentários da prova de Direito Administrativo

Escrevente Técnico Judiciário/TJ SP. Comentários da prova de Direito Administrativo Olá, concurseiros! Escrevente Técnico Judiciário/TJ SP Comentários da prova de Direito Administrativo Seguem abaixo os comentários sobre a prova de Direito Administrativo realizada no dia 09 de setembro

Leia mais

Regulamento do Cartão Sénior do Município do Funchal

Regulamento do Cartão Sénior do Município do Funchal Regulamento do Cartão Sénior do Município do Funchal Nota Justificativa O Município do Funchal, ao longo dos anos, tem vindo a implementar programas destinados à população sénior residente no concelho,

Leia mais

Classificação das Obrigações

Classificação das Obrigações DN DireitoNet Resumos Classificação das Obrigações Quanto ao objeto, seus elementos, de meio e de resultado, civis e naturais, puras e simples, condicionais, a termo e modais, de execução instantânea,

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 154/XI ELIMINA AS RESTRIÇÕES DE ACESSO AO PROVEDOR DE JUSTIÇA POR PARTE DOS ELEMENTOS DAS FORÇAS ARMADAS

PROJECTO DE LEI N.º 154/XI ELIMINA AS RESTRIÇÕES DE ACESSO AO PROVEDOR DE JUSTIÇA POR PARTE DOS ELEMENTOS DAS FORÇAS ARMADAS Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 154/XI ELIMINA AS RESTRIÇÕES DE ACESSO AO PROVEDOR DE JUSTIÇA POR PARTE DOS ELEMENTOS DAS FORÇAS ARMADAS Exposição de motivos O Provedor de Justiça tem por função

Leia mais

CONTRATOS DE PLANOS DE SAÚDE E A ATUAÇÃO DO BALCÃO DO CONSUMIDOR 1

CONTRATOS DE PLANOS DE SAÚDE E A ATUAÇÃO DO BALCÃO DO CONSUMIDOR 1 CONTRATOS DE PLANOS DE SAÚDE E A ATUAÇÃO DO BALCÃO DO CONSUMIDOR 1 Jonatan Da Silva Dinat 2, Fabiana Fachinetto Padoin 3, Tobias Damião Corrêa 4. 1 Projeto de extensão universitária Balcão do Consumidor,

Leia mais

DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO MAPTSS 26 DE JUNHO DE 2015

DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO MAPTSS 26 DE JUNHO DE 2015 O REGIME DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS NO ÂMBITO DA CONVENÇÃO E DA RECOMENDAÇÃO SOBRE O TRABALHO DECENTE PARA OS TRBALHADORAS E OS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO

Leia mais

Sonara Almeida Queiros Alexandro dos Santos Miranda

Sonara Almeida Queiros Alexandro dos Santos Miranda CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde TÍTULO DO PROJETO Desprecarização das trabalhadoras da saúde de Gandu: um avanço para a saúde que cuida de vidas

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 849.115 SÃO PAULO RELATORA RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :ARNALDO SERGIO KUTNER : MARIA JOSÉ GIANNELLA CATALDI E OUTRO(A/S) :INSTITUTO

Leia mais

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL VISABEID_20160701 Visabeira Exclusive CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação CAIXA GERAL DE

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 712.023 PARAÍBA RELATORA RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :ESTADO DA PARAÍBA :PROCURADOR-GERAL DO ESTADO DA PARAÍBA :AMAURY BATISTA DE

Leia mais

PACAP Curso: Gestão Pública. Estrutura dos módulos: Módulo A: Administração Pública Brasileira: Organização e Funcionamento

PACAP Curso: Gestão Pública. Estrutura dos módulos: Módulo A: Administração Pública Brasileira: Organização e Funcionamento PACAP 2010 Curso: Gestão Pública Estrutura dos módulos: Módulo A: Administração Pública Brasileira: Organização e Funcionamento 1. Objetivo: caracterizar o cenário geral da administração pública brasileira,

Leia mais

Centro de Estudos e Pesquisas 28 Organização Social em Saúde - RJ CNPJ nº 33.927.377/0001-40

Centro de Estudos e Pesquisas 28 Organização Social em Saúde - RJ CNPJ nº 33.927.377/0001-40 EDITAL PARA SELEÇÃO DE FORNECEDOR - AUDITORIA CONTÁBIL EXTERNA O Centro de Estudos e Pesquisas 28 (Organização Social em Saúde), entidade privada de utilidade pública, inscrito no, torna pública a realização,

Leia mais

LABORATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2015 O ASSOCIATIVISMO E O SEU QUADRO LEGAL

LABORATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2015 O ASSOCIATIVISMO E O SEU QUADRO LEGAL LABORATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2015 O ASSOCIATIVISMO E O SEU QUADRO LEGAL A VIDA ASSOCIATIVA É UM INSTRUMENTO DE EXERCÍCIO DA SOCIABILIDADE. POR MEIO DELA CONQUISTA SE NOVOS AMIGOS, EXPANDE SE CONHECIMENTOS,

Leia mais

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE APARELHOS DE AR CONDICIONADO. TERRACAP/DIGAP/GERAT Maio/2015

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE APARELHOS DE AR CONDICIONADO. TERRACAP/DIGAP/GERAT Maio/2015 PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE APARELHOS DE AR CONDICIONADO TERRACAP/DIGAP/GERAT Maio/2015 1 1. OBJETO 1.1. Registro de Preços para aquisição de Aparelhos de Ar Condicionado, conforme especificações deste

Leia mais

11. Ciclo de Gestão do Governo Federal

11. Ciclo de Gestão do Governo Federal Marco Legal: Constituição de 1988 11. Ciclo de Gestão do Governo Federal Instrumentos: Planejamento Orçamento Finanças Controle LDO PPA LOA Elementos Normativos: Plano Plurianual - PPA, Lei de Diretrizes

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CURSO DE DIREITO CURRÍCULO PLENO BACHARELADO 1 CICLO/MÓDULO A Fundamental: (Direito, Política e Economia) Ciência Política 02 0 02 40 Economia e Negócios 04 0 04 80 Fundamentos do Direito Civil 04 0 04

Leia mais

PNRS e a Logística Reversa. Free Powerpoint Templates Page 1

PNRS e a Logística Reversa. Free Powerpoint Templates Page 1 PNRS e a Logística Reversa Page 1 História Roma de Júlio Cesar e Augusto Page 2 História Geena Fogo eterno Page 3 História Cambridge 1338 São Paulo 1722 Rio de Janeiro 1850 Page 4 Novidades da PNRS Bloco

Leia mais

Colégio Brasileiro de Odontologia Hospital e Intensiva- CBROHI

Colégio Brasileiro de Odontologia Hospital e Intensiva- CBROHI PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS, GESTÃO JURÍDICA DO RISCO ODONTOLOGICO E SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL Colégio Brasileiro de Odontologia Hospital e Intensiva- CBROHI Brasília/DF Apresentação

Leia mais

Edição Número 217 de 13/11/2015 Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior EDITAL Nº 33, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015

Edição Número 217 de 13/11/2015 Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior EDITAL Nº 33, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015 Edição Número 217 de 13/11/2015 Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior EDITAL Nº 33, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI PROCESSO SELETIVO - PRIMEIRO SEMESTRE

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PARA ATRIBUIÇÃO E UTILIZAÇÃO DE TELEMÓVEIS DO MUNICÍPIO DE SALVATERRA DE MAGOS PARA USO OFICIAL

REGULAMENTO INTERNO PARA ATRIBUIÇÃO E UTILIZAÇÃO DE TELEMÓVEIS DO MUNICÍPIO DE SALVATERRA DE MAGOS PARA USO OFICIAL REGULAMENTO INTERNO PARA ATRIBUIÇÃO E UTILIZAÇÃO DE TELEMÓVEIS DO MUNICÍPIO DE SALVATERRA DE MAGOS PARA USO OFICIAL Preâmbulo Considerando que a utilização de telemóveis pelos responsáveis e serviços da

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N o 3.392, DE 2012 Altera a Lei nº 7.210, de 11 de julho de 1984, para permitir que empresas e instituições não governamentais

Leia mais

Contrato de Plano de Saúde Particular

Contrato de Plano de Saúde Particular Contrato de Plano de Saúde Particular 245 Luiz Alfredo Carvalho Junior 1 De acordo com a Lei 9.656, de 3 de junho de 1998, o plano de saúde é definido como: Plano Privado de Assistência à Saúde: prestação

Leia mais

Farias Pereira de Sousa Brasilia, 25 de Novembro de 2011. O Corretor no Cenário da Saúde Suplementar

Farias Pereira de Sousa Brasilia, 25 de Novembro de 2011. O Corretor no Cenário da Saúde Suplementar Farias Pereira de Sousa Brasilia, 25 de Novembro de 2011 O Corretor no Cenário da Saúde Suplementar A Saúde Privada no Brasil A Lei 9.656/98 Corrigiu distorções, introduziu regras e obrigações importantes

Leia mais

Processo de Manejo Arbóreo em Empreendimentos Metroviários. Victor Bassetti Martinho 20ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

Processo de Manejo Arbóreo em Empreendimentos Metroviários. Victor Bassetti Martinho 20ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA Processo de Manejo Arbóreo em Empreendimentos Metroviários Victor Bassetti Martinho 20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA AEAMESP Curriculum vitae 2 Victor Bassetti Martinho Engenheiro Ambiental graduado

Leia mais

2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho

2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho 14/03/2011 2º Work Shop Internacional de Trabalhos em Altura engº Gianfranco Pampalon Auditor fiscal do trabalho NR.36 TRABALHOS EM ALTURA Esta norma é aplicável a qualquer trabalho realizado acima de

Leia mais

MANDADO DE SEGURANÇA Nº / DF

MANDADO DE SEGURANÇA Nº / DF Procuradoria Geral da República Nº 8636 RJMB / pc MANDADO DE SEGURANÇA Nº 29.959 / DF RELATOR : Ministro CELSO DE MELLO IMPETRANTE : Caixa de Assistência dos Empregados de Furnas e Eletronuclear CAEFE

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012.

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012. PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2012. Estabelece preceitos para o aperfeiçoamento da política educacional estadual dos sistemas públicos de ensino, para a permanência e o sucesso escolar de alunos com distúrbios,

Leia mais

Condição prévia à contratação em operações com frigoríficos

Condição prévia à contratação em operações com frigoríficos CIRCULAR Nº 38/2011 Rio de Janeiro, 10 de outubro de 2011 Ref.: Ass.: Produtos BNDES Finame Leasing, BNDES Finame e BNDES Automático (Circulares nº 196/2006, de 04.08.2006, nº 33/2011, de 01.09.2011, e

Leia mais

Algumas Considerações sobre Assistência à Saúde

Algumas Considerações sobre Assistência à Saúde 254 Algumas Considerações sobre Assistência à Saúde Luiz Eduardo de Castro Neves 1 Nos dias atuais, em que há cada vez mais interesse em bens de consumo, é, sem dúvida, nos momentos em que as pessoas se

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO E AJUSTAMENTO DE CONDUTA

TERMO DE COMPROMISSO E AJUSTAMENTO DE CONDUTA TERMO DE COMPROMISSO E AJUSTAMENTO DE CONDUTA O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO ESTADO DO TOCANTINS, neste ato representado pela Promotora de Justiça Titular da ### Promotoria de Defesa do Consumidor,

Leia mais

ÉTICA UMA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA

ÉTICA UMA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA ÉTICA UMA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA 1 MEMBROS DA COMISSÃO DE ÉTICA: Port. 216-2009-SEFAZ e alterações 1- Selma Pedroso de Barros Presidente 2- Karina T. Velho Membro Executivo 3- Roseli Raquel Ricas Membro

Leia mais