JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE"

Transcrição

1 JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE

2 (1) Introdução e Preâmbulo do tema Artigo 1º, III, CF a República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos... (III) a dignidade da pessoa humana. Artigo 3º, I, CF constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil...(I) construir uma sociedade livre, justa e solidária Artigo 5º, inciso XXXV, CF a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direitos. Artigo 5º, inciso XXXVI, CF a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada. Artigo 170, inciso V, CF a ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios (V)... a defesa do consumidor. Artigo 196, CF, a saúde é direito de todos e dever do Estado... RE AgR n /RS (DJ de ) considerado o leading case sobre a matéria, afirma que o direito à saúde constitui direito fundamental e subjetivo, assegurado à generalidade das pessoas pela CF, representando consequência constitucional indissociável do direito à vida (2) Fonte de obrigação Contrato (3) Importância histórica do instituto Revolução francesa Revolução industrial Pós-modernidade

3 CONCEITO I Visão estrututal. A) Fato Jurídico lato sensu B) Fato Jurídico stricto sensu e ato jurídico lato sensu C) Ato jurídico stricto sensu, Ato Ilícito e Negócio Jurídico D) Negócio jurídico unilateral e contrato Negócio Jurídico: todo fato jurídico consistente em declaração de vontade, a que o ordenamento jurídico atribui os efeitos designados como queridos, respeitados os pressupostos de existência, validade e eficácia impostos pela norma jurídica que sobre ele incide

4 D) Contrato elemento especializante carrega ínsita a convergência de manifestações de vontade contraposta, que forma o CONSENSO (núcleo do negócio jurídico contratual). E) Plano da existência ou elementos constitutivos de um contrato: (i) manifestação de vontade não se discute se é válida ou não ou se coincide ou não com a intenção investiga-se se houve declaração de vontade negocial

5 (ii) Agente: é a pessoa que emite a declaração de vontade negocial. Sem, não há negócio jurídico. (iii) Objeto: conteúdo do contrato; (iv) Forma: meio de exteriorização da manifestação de vontade - não importa se é adequada ou não. F) Plano da validade adjetivação dos elementos de existência: (i) manifestação de vontade LIVRE e de BOA-FÉ o que se avalia aqui é a existência ou não de vícios de consentimento e a presença da boa-fé objetiva.

6 (ii) Agente CAPAZ não se trata somente da capacidade de exercício, mas também da legitimidade (capacidade para realizar determinados contratos). (iii) Objeto IDÔNEO lícito possível (juridica 426, CC - fisicamente) determinado (ou determinável) G) Plano da eficácia ou fatores de eficácia do contrato: São os chamados elementos acidentais (i) termo Evento futuro e certo. Inicial se determina o começo da produção de efeitos jurídicos. Final se determina o fim.

7 (ii) Condição: evento futuro e incerto que, se ocorrente, poderá dar início à produção de efeitos (condição suspensiva) ou fazer cessá-los (condição resolutiva). (iii) Modo ou encargo: determinação acessória acidental de negócios jurídicos gratuitos que impõe ao beneficiário de liberalidade um ônus a ser cumprido. H) FUNÇÃO SOCIAL do contrato mudança de mentalidade. Social não é sinônimo de socialismo. (1) Artigo 1º, III, da CF princípio da dignidade humana (2) Artigo 3 da CF Objetivos do país

8 (3) Artigo 5º, XXII, da CF (4) Artigo 170, CF. (5) normas constitucionais de proteção do meio-ambiente (6) normas constitucionais de proteção ao trabalho e saúde (7) inspiraram o artigo 421 do CC. (8) funciona como um limitador da liberdade contratual (9) contrato que atende a função social é aquele contrato que atende não só à sua utilidade econômica, mas também à sua finalidade social.

9 (I) BOA-FÉ OBJETIVA CDC e artigo 422 do CC (1) princípio que obriga os contratantes a guardarem entre si lealdade e respeito. (2) Princípio que se presta : Como referencial hermenêutico busca no contrato o sentido moralmente mais útil. Como fonte geradora de deveres laterais (anexos) lealdade e confiança recíprocas; assistência; informação; sigilo; dever de segurança. Como delimitador do exercício de direitos subjetivos artigo 187 do CC.

10 CONCEITO (3) Artigo 422 do CC pré e pós contratual a observância (4) Figuras desdobradas: Venire contra factum proprium proibição de comportamento contraditório. Supressio é a perda (supressão) de um direito pela falta de seu exercício por razoável lapso de tempo. Surrectio é o direito que nasce pelo exercício de uma posição não amparada em contrato.

11 CONCEITO J) Assim: CONTRATO é um negócio jurídico bilateral, por meio do qual as partes, observados os pressupostos de validade previstos no ordenamento, visando atingir determinados interesses patrimoniais protegidos pela função social, convergem suas vontades, criando um dever jurídico principal (de dar, fazer ou não fazer) e, bem assim, deveres jurídicos anexos, decorrentes da boa-fé objetiva.

12 SÚMULAS SOBRE PLANOS DE SAÚDE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Súmula 90: Havendo expressa indicação médica para a utilização dos serviços de home care, revela-se abusiva a cláusula de exclusão inserida na avença, que não pode prevalecer. Súmula 91: Ainda que a avença tenha sido firmada antes da sua vigência, é descabido, nos termos do disposto no art. 15, 3º, do Estatuto do Idoso, o reajuste da mensalidade de plano de saúde por mudança de faixa etária. Súmula 92: É abusiva a cláusula contratual de plano de saúde que limita o tempo de internação do segurado ou usuário (Súmula 302 do Superior Tribunal de Justiça). Súmula 93: A implantação de stent é ato inerente à cirurgia ardíaca/vascular, sendo abusiva a negativa de sua cobertura, ainda que o contrato seja anterior à Lei 9.656/98. Súmula 94: A falta de pagamento da mensalidade não opera, per si, a pronta rescisão unilateral do contrato de plano ou seguro de saúde, exigindo-se a prévia notificação do devedor com prazo mínimo de dez dias para purga da mora. Súmula 95: Havendo expressa indicação médica, não prevalece a negativa de cobertura do custeio ou fornecimento de medicamentos associados a tratamento quimioterápico.

13 SÚMULAS SOBRE PLANOS DE SAÚDE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Súmula 96: Havendo expressa indicação médica de exames associados a enfermidade coberta pelo contrato, não prevalece a negativa de cobertura do procedimento. Súmula 97: Não pode ser considerada simplesmente estética a cirurgia plástica complementar de tratamento de obesidade mórbida, havendo indicação médica. Súmula 99: Não havendo, na área do contrato de plano de saúde, atendimento especializado que o caso requer, e existindo urgência, há responsabilidade solidária no atendimento ao conveniado entre as cooperativas de trabalho médico da mesma operadora, ainda que situadas em bases geográficas distintas. Súmula 100: O contrato de plano/seguro saúde submete-se aos ditames do Código de Defesa do Consumidor e da Lei n /98 ainda que a avença tenha sido celebrada antes da vigência desses diplomas legais. Súmula 101: O beneficiário do plano de saúde tem legitimidade para acionar diretamente a operadora mesmo que a contratação tenha sido firmada por seu empregador ou associação de classe. Súmula 102: Havendo expressa indicação médica, é abusiva a negativa de cobertura de custeio de tratamento sob o argumento da sua natureza experimental ou por não estar previsto no rol de procedimentos da ANS.

14 SÚMULAS SOBRE PLANOS DE SAÚDE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Súmula 103: É abusiva a negativa de cobertura em atendimento de urgência e/ou emergência a pretexto de que está em curso período de carência que não seja o prazo de 24 horas estabelecido na Lei n /98. Súmula 105: Não prevalece a negativa de cobertura às doenças e às lesões preexistentes se, à época da contratação de plano de saúde, não se exigiu prévio exame médico admissional.

Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013

Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013 Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013 LIMINAR = ORDEM JUDICIAL PROVISÓRIA CONCEDIDA NO CURSO DE UM PROCESSO JUDICIAL Fundamentação legal: Art.

Leia mais

PARECER JURÍDICO SOBRE SÚMULAS DO TJ SOBRE IMRT

PARECER JURÍDICO SOBRE SÚMULAS DO TJ SOBRE IMRT PARECER JURÍDICO SOBRE SÚMULAS DO TJ SOBRE IMRT São Paulo, 27 de março de 2013. Consulta-nos o Doutor Robson Ferrigno, Presidente da Sociedade Brasileira de Radioterapia, a respeito das súmulas editadas

Leia mais

SENTENÇA VISTOS. A antecipação dos efeitos da tutela foi deferida, conforme decisão de p. 47/48.

SENTENÇA VISTOS. A antecipação dos efeitos da tutela foi deferida, conforme decisão de p. 47/48. fls. 271 SENTENÇA Processo Digital nº: 1025475-79.2015.8.26.0562 Classe Assunto: Procedimento Ordinário - Planos de Saúde Requerente: Requerido: Juiz(a) de Direito: Dr(a). Claudio Teixeira Villar VISTOS.

Leia mais

DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS

DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS CLASSIFICAÇÃO DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS: (a) unilaterais bilaterais e plurilaterais; (b) gratuitos e onerosos neutros e bifrontes; (c) inter vivos e mortis causa ; (d) principais e

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Súmulas do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Seção de Direito Privado Súmulas 1 a 25 (DJE 06/12/2010, p. 1 e 2) Súmulas 38 a 62 (DJE 14/04/2011, p. 1 e 2) Súmula 22 (DJE 03/06/2011, p. 1 retificação)

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº xxx, de xx de xxxxxx DE 2016

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº xxx, de xx de xxxxxx DE 2016 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº xxx, de xx de xxxxxx DE 2016 Dispõe sobre a contratação de planos coletivos empresariais de planos privados de assistência à saúde por microempreendedores individuais e por

Leia mais

Prof. Me. Edson Guedes. Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO

Prof. Me. Edson Guedes. Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO Prof. Me. Edson Guedes Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO 5. Direito Civil Unidade II 5.1 Da validade dos negócios jurídicos; 5.2 Responsabilidade civil e ato ilícito; 5. Direito Civil 5.1 Da validade

Leia mais

INTRODUÇÃO DA CONCEPÇÃO CLÁSSICA AO RECONHECIMENTO DA SUA FUNÇÃO SOCIAL: A LONGA TRAJETÓRIA DA TEORIA CON- TRATUAL...

INTRODUÇÃO DA CONCEPÇÃO CLÁSSICA AO RECONHECIMENTO DA SUA FUNÇÃO SOCIAL: A LONGA TRAJETÓRIA DA TEORIA CON- TRATUAL... SUMÁRIO INTRODUÇÃO.......................................... 15 1. NORTE CONSTITUCIONAL DO TEMA... 19 1.1 Noção de sistema jurídico............... 26 1.2 A normatividade dos princípios constitucionais...

Leia mais

IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS

IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS IMPACTO DAS RESOLUÇÕES NORMATIVAS 195, 200 e 204 EDITADAS PELA ANS RN 195 Vigência: 03.11.2009 (alterada pelas RNs 200 e 204); Objetivos: a) classificar e disciplinar as características dos planos privados

Leia mais

Aula 17 11) EXTINÇÃO DOS CONTRATOS ANULAÇÃO RESCISÃO RESILIÇÃO RESOLUÇÃO

Aula 17 11) EXTINÇÃO DOS CONTRATOS ANULAÇÃO RESCISÃO RESILIÇÃO RESOLUÇÃO Turma e Ano: CAM MASTER B 2015 Matéria / Aula: Direito Civil Obrigações e Contratos Aula 17 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitor: Mário Alexandre de Oliveira Ferreira Aula 17 Continuação de Modalidades

Leia mais

ADITIVO CONTRATUAL EXTENSÃO PARA COBERTURAS AMBULATORIAIS CONTRATO N CLÁUSULA PRIMEIRA - DAS PARTES CONTRATANTES:

ADITIVO CONTRATUAL EXTENSÃO PARA COBERTURAS AMBULATORIAIS CONTRATO N CLÁUSULA PRIMEIRA - DAS PARTES CONTRATANTES: ADITIVO CONTRATUAL EXTENSÃO PARA COBERTURAS AMBULATORIAIS CONTRATO N CLÁUSULA PRIMEIRA - DAS PARTES CONTRATANTES: QUALIFICAÇÃO DA CONTRATADA: PROMED ASSISTÊNCIA MÉDICA LTDA., doravante denominada CONTRATADA,

Leia mais

CONSIDERANDO a proposição advinda da Comissão Permanente de Jurisprudência e Biblioteca do TJCE;

CONSIDERANDO a proposição advinda da Comissão Permanente de Jurisprudência e Biblioteca do TJCE; RESOLUÇÃO DO ÓRGÃO ESPECIAL Nº 01/2014 Aprova 16 (dezesseis) novas súmulas da jurisprudência predominante do TJCE (Súmulas 33 a 48) e atribui nova redação à Súmula 31. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI TRABALHO MEDICO

: MIN. DIAS TOFFOLI TRABALHO MEDICO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 714.204 MINAS GERAIS RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. DIAS TOFFOLI :UNIMED BELO HORIZONTE COOPERATIVA DE TRABALHO MEDICO : SABRINA DINIZ REZENDE VIEIRA E

Leia mais

Direito Civil IV Aula 22. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2

Direito Civil IV Aula 22. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Direito Civil IV Aula 22 Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Aula 22 07/10/2015 Início 2º Bimestre. Atributos do Contrato: Existência, Validade e Eficácia complexidade nem todo

Leia mais

SUMÁRIO. Parte I LEI DOS PLANOS E SEGUROS DE SAÚDE Lei 9.656, de

SUMÁRIO. Parte I LEI DOS PLANOS E SEGUROS DE SAÚDE Lei 9.656, de SUMÁRIO TÁBUA DE ABREVIATURAS Parte I LEI DOS PLANOS E SEGUROS DE SAÚDE Lei 9.656, de 03.06.1998 Art. 1º 1. Uma indispensável nota introdutória 2. Os precursores: seguro-hospital, as cooperativas e o Sistema

Leia mais

OS PROBLEMAS DE FINANCIAMENTO DA SAÚDE

OS PROBLEMAS DE FINANCIAMENTO DA SAÚDE OS PROBLEMAS DE FINANCIAMENTO DA SAÚDE Medidas cabíveis para a subsistência e melhoria do atendimento AMPASA Brasília agosto de 2016 ALGUNS DESSES PROBLEMAS Emenda Constitucional nº 29, de 2000 Lei Complementar

Leia mais

Direito e legislação. Tópico III Direito das obrigações Contratos

Direito e legislação. Tópico III Direito das obrigações Contratos Direito e legislação Tópico III Direito das obrigações Contratos Direito das Obrigações Credor Devedor Espécies das Obrigações Obrigação de dar (certa e incerta) Coisa Certa é aquela em que o devedor se

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Breves Comentários sobre a Função Social dos Contratos Alessandro Meyer da Fonseca* O Código Civil, composto de uma parte geral e cinco partes especiais, estabelece as regras de

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA COMO PROPOR AÇÕES JUDICIAIS CONTRA PLANOS DE SAÚDE

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA COMO PROPOR AÇÕES JUDICIAIS CONTRA PLANOS DE SAÚDE COMO PROPOR AÇÕES JUDICIAIS CONTRA PLANOS DE SAÚDE Lei n. 9.656, de 03 de junho de 1998 Dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde 1. Conceito de plano privado de assistência à saúde

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Diferenças entre planos individuais e coletivos Operadora: Caixa Seguradora Especializada em Saúde CNPJ: 13.223.975/0001-20 Nº de registro da ANS:

Leia mais

Plano de Saúde Amil Empresarial ou PME

Plano de Saúde Amil Empresarial ou PME AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas 02 a 29 vidas Amil Saúde 400, 500, 700 para 02 a 29 vidas AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS QUEM PODE SER DEPENDENTE = DEPENDENTES LEGAIS ATÉ O TERCEIRO GRAU DE PARENTESCO LIMITADOS

Leia mais

Direito das Obrigações

Direito das Obrigações Direito das Obrigações Kauísa Carneiro ZANFOLIN RESUMO: Trata-se de obrigações das quais acarretam consequências jurídicas, são tratadas pela parte especial do Código Civil. Corresponde a uma relação de

Leia mais

ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE

ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE Foi publicada no Diário Oficial da União - DOU de 11/11/16 a RN 412/16 que dispõe sobre a solicitação de cancelamento do contrato do

Leia mais

Direito Contratual e Direito do Consumidor na Saúde Suplementar

Direito Contratual e Direito do Consumidor na Saúde Suplementar 162 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 6 Judicialização da Saúde - Parte I Direito Contratual e Direito do Consumidor na Saúde Suplementar INTRODUÇÃO Grace Mussalem Calil 1 A assistência médica constitui

Leia mais

Aula 11 1) RELAÇÃO ENTRE A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS E OS DEMAIS PRINCÍPIOS

Aula 11 1) RELAÇÃO ENTRE A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS E OS DEMAIS PRINCÍPIOS Turma e Ano: CAM MASTER B 2015 Matéria / Aula: Direito Civil Obrigações e Contratos Aula 11 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitor: Mário Alexandre de Oliveira Ferreira Aula 11 1) RELAÇÃO ENTRE A FUNÇÃO

Leia mais

AULA 10: NOÇÕES GERAIS DE CONTRATOS

AULA 10: NOÇÕES GERAIS DE CONTRATOS AULA 10: Prof. Thiago Gomes VOCÊ JÁ CONTRATOU HOJE? 1 O QUE É O CONTRATO? Para suprir suas necessidades o homem interage com seus semelhantes das mais variadas formas, entre elas, o contrato. CONCEITO

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica O CONTRATO DE ADESÃO NAS RELAÇÕES DE CONSUMO. Letícia Mariz de Oliveira Advogada

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica O CONTRATO DE ADESÃO NAS RELAÇÕES DE CONSUMO. Letícia Mariz de Oliveira Advogada TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica O CONTRATO DE ADESÃO NAS RELAÇÕES DE CONSUMO Letícia Mariz de Oliveira Advogada Numa economia de escala, cada vez mais globalizada, diante da necessidade de simplificação

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PRINCÍPIOS REGENTES DA ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Everaldo Rocha Bezerra Costa Procuradoria Federal junto à UFG

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PRINCÍPIOS REGENTES DA ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Everaldo Rocha Bezerra Costa Procuradoria Federal junto à UFG NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PRINCÍPIOS REGENTES DA ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Everaldo Rocha Bezerra Costa Procuradoria Federal junto à UFG I INTRODUÇÃO II PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A administração

Leia mais

Formulario-af.pdf 1 14/05/14 11:36

Formulario-af.pdf 1 14/05/14 11:36 Formulario-af.pdf 1 14/05/14 11:36 Formulario-af.pdf 2 14/05/14 11:36 Formulario-af.pdf 3 14/05/14 11:36 ANEXO CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO Prezado(a) Beneficiário(a), A Agência Nacional de Saúde

Leia mais

1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO DO TRIBUTÁRIO

1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO DO TRIBUTÁRIO 1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO DO TRIBUTÁRIO P á g i n a 1 QUESTÃO 1 - Quanto à sujeição passiva tributária, assinale a alternativa correta: A. O sujeito passivo é sempre aquele que pratica um fato signo-presuntivo

Leia mais

MATERIAL DE APOIO 06. Efeitos do contrato relativamente a terceiros. Estipulação em favor de terceiro (arts )

MATERIAL DE APOIO 06. Efeitos do contrato relativamente a terceiros. Estipulação em favor de terceiro (arts ) 1 MATERIAL DE APOIO 06 RELATIVIDADE E EFEITOS DOS CONTRATOS Principal efeito: criar obrigações, estabelecendo um vínculo jurídico entre as partes contratantes contrato = fonte de obrigações. Como REGRA

Leia mais

(CAPA) CARTILHA DA PREVIDÊNCIA DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL

(CAPA) CARTILHA DA PREVIDÊNCIA DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL (CAPA) CARTILHA DA PREVIDÊNCIA DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL Londrina-Pr O melhor plano para sua vida! Cartilha do Plano de Saúde CAAPSML 1 APRESENTAÇÃO O Plano de Saúde, gerenciado pela CAAPSML, é um

Leia mais

MOARA AGRO MERCANTIL LTDA

MOARA AGRO MERCANTIL LTDA PLANO DE SAÚDE EMPRESARIAL INADIMPLÊNCIA RESCISÃO UNILATERAL IMPOSSIBILIDADE NECESSIDADE DE NOTIFICAÇÃO PARA PAGAMENTO DO DÉBITO DISPONIBILIZAÇÃO DE PLANO INDIVIDUAL AOS BENEFICIÁRIOS NOS MOLDES DO CONTRATO

Leia mais

AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas de preços 30 a 99 vidas. Tabela de preços 30 a 99 vidas plano com coparticipação

AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas de preços 30 a 99 vidas. Tabela de preços 30 a 99 vidas plano com coparticipação AMIL SAÚDE PARA EMPRESAS Tabelas de preços 30 a 99 vidas Julho 2016 Amil 400 Amil 400 Amil 500 Amil 700 Faixa Etária Enfermaria Apartamento Apartamento Apartamento 00 a 18 anos 202,75 230,51 254,40 314,64

Leia mais

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado

Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Curso Êxito e Prof. Bruno Creado Questões Comentadas Segue às questões da Vunesp do concurso de procurador municipal, devidamente comentada. Cargo de confiança 1) A determinação do empregador para que

Leia mais

Evolução da Disciplina. Direito Constitucional CONTEXTUALIZAÇÃO INSTRUMENTALIZAÇÃO

Evolução da Disciplina. Direito Constitucional CONTEXTUALIZAÇÃO INSTRUMENTALIZAÇÃO Evolução da Disciplina Direito Constitucional Aula 1: Evolução histórica das constituições brasileiras Aula 2: Princípios fundamentais Aula 3: Direitos e garantias fundamentais Prof. Silvano Alves Alcantara

Leia mais

FONTES DO DIREITO. Prof. Thiago Gomes

FONTES DO DIREITO. Prof. Thiago Gomes Prof. Thiago Gomes 1. CONTEXTUALIZAÇÃO QUAL FONTE VOCÊ PRECISA? 2. CONSIDERAÇÕES INICIAIS Expressão designa todas as representações que, de fato, influenciam a função criadora e aplicadora do Direito.

Leia mais

A REGULAÇÃO COMO DIREITO FUNDAMENTAL E O PRINCÍPIO DA

A REGULAÇÃO COMO DIREITO FUNDAMENTAL E O PRINCÍPIO DA 1 / N A REGULAÇÃO COMO DIREITO FUNDAMENTAL E O PRINCÍPIO DA VEDAÇÃO DO RETROCESSO Liliane Sonsol Gondim Bacharela em Direito, Especialista em Direito Constitucional e em Direito Ambiental, Universidade

Leia mais

Sumário. Agradecimentos Nota dos autores à 4ª edição Coleção sinopses para concursos Guia de leitura da Coleção...

Sumário. Agradecimentos Nota dos autores à 4ª edição Coleção sinopses para concursos Guia de leitura da Coleção... Sumário Agradecimentos... 13 Nota dos autores à 4ª edição... 15 Coleção sinopses para concursos... 17 Guia de leitura da Coleção... 19 Capítulo I LEI DE INTRODUÇÃO ÀS NORMAS DO DIREITO BRASILEIRO LINDB...

Leia mais

Fórum de Presidentes do Sistema Unimed

Fórum de Presidentes do Sistema Unimed Fórum de Presidentes do Sistema Unimed Agosto 2011 Situação dos Processos Judiciais e Administrativos da Unimed Grande Florianópolis Números Unimed Grande Florianópolis Clientes: 270.737 Cooperados: 1.667

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 1ª CÂMARA DE DIREITO PRIVADO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 1ª CÂMARA DE DIREITO PRIVADO ACÓRDÃO Registro: 2011.0000336971 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 9101235-42.2009.8.26.0000, da Comarca de São Caetano do Sul, em que é apelante CLAUDIO FERNANDES sendo apelado

Leia mais

CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO

CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO Prezado (a) Beneficiário (a), CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), instituição que regula as atividades das operadoras de planos privados de assistência à

Leia mais

Quais os direitos e as obrigações nos planos de saúde?

Quais os direitos e as obrigações nos planos de saúde? Quais os direitos e as obrigações nos planos de saúde? No momento da escolha de um plano de saúde, é importante verificar se a empresa (operadora) está registrada na Agência Nacional de Saúde Suplementar

Leia mais

Judicialização na Saúde Suplementar Edital 005/2014 ANS/OPAS FMUSP

Judicialização na Saúde Suplementar Edital 005/2014 ANS/OPAS FMUSP Judicialização na Saúde Suplementar Edital 005/2014 ANS/OPAS FMUSP Equipe de Trabalho Mário César Scheffer - Professor Doutor do Departamento de Medicina Preventiva (DMP) da Faculdade de Medicina da USP

Leia mais

A FUNÇÃO SOCIAL DO CONTRATO

A FUNÇÃO SOCIAL DO CONTRATO A FUNÇÃO SOCIAL DO CONTRATO Natália Pereira SILVA RESUMO: O contrato é um instrumento jurídico de grande importância social na modernidade, desde a criação do Código Civil de 2002 por Miguel Reale, tal

Leia mais

ANS divulga teto de reajuste autorizado para planos individuais

ANS divulga teto de reajuste autorizado para planos individuais ANS divulga teto de reajuste autorizado para planos individuais Publicado em: 03/06/2016 (ans.gov.br) A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) fixou em até 13,57% o índice de reajuste a ser aplicado

Leia mais

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano De Saúde Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e Aposentados

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano De Saúde Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e Aposentados Cartilha de Extensão de Benefício do Plano De Saúde Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e Aposentados JUNHO DE 2012 JUNHO / 2.012 1 ÍNDICE POR ASSUNTO ASSUNTO

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 6 28/10/2016 PRIMEIRA TURMA AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 806.607 PIAUÍ RELATOR AGTE.(S) AGDO.(A/S) : MIN. ROBERTO BARROSO :ESTADO

Leia mais

Reajuste anual de planos de saúde

Reajuste anual de planos de saúde Sindicato dos Laboratórios de Minas Gerais Nº : 204 Data: 08/06/2015 Fale conosco: (31) 3213-2738 - Fax (31) 3213-0814 - secretaria@sindlab.org.br - www.sindlab.org.br Reajuste anual de planos de saúde

Leia mais

Comunicado: Atualizações Legais do Plano de Saúde Decorrentes de Normas da ANS.

Comunicado: Atualizações Legais do Plano de Saúde Decorrentes de Normas da ANS. Joinville, 03 de maio de 2016. Ofício 567/2016 Comunicado: Atualizações Legais do Plano de Saúde Decorrentes de Normas da ANS. Prezado Cliente, Comunicamos as alterações abaixo, que passam a ser asseguradas

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Introdução ao direito do ConsumIdor Introdução... 1

Sumário Capítulo 1 Introdução ao direito do ConsumIdor Introdução... 1 Sumário Capítulo 1 Introdução ao Direito do Consumidor... 1 1.1. Introdução... 1 1.1.1. Origem histórica... 2 1.1.2. A proteção constitucional do direito do consumidor... 5 Capítulo 2 A Relação Jurídica

Leia mais

Conteúdo: Negócio Jurídico: Elementos; Planos; Teoria das Nulidades.

Conteúdo: Negócio Jurídico: Elementos; Planos; Teoria das Nulidades. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Civil (Parte Geral) / Aula 12 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: Negócio Jurídico: Elementos; Planos; Teoria das Nulidades. 3. NEGÓCIO JURÍDICO: 3.4

Leia mais

Disciplina: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. Nota: Nota por extenso: Docente: Assinatura:

Disciplina: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. Nota: Nota por extenso: Docente: Assinatura: Disciplina: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO Data: 10/outubro/2011 Nota: Nota por extenso: Docente: Assinatura: 1. O que é interpretação autêntica da lei? Critique-a do ponto de vista hermenêutico. (0,5

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA DIRETORIA DE GRADUAÇÃO Área de Ciências Humanas, Sociais e Aplicadas DISCIPLINA: Dos Contratos CÓDIGO CRÉDITOS CARGA HORÁRIA H119749 04 80 PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM EMENTA

Leia mais

Planejamento Tributário

Planejamento Tributário Planejamento Tributário rio Análise da Legitimidade Critérios rios Jurídicos Claudemir Rodrigues Malaquias claudemir.malaquias malaquias@carf.fazenda.gov.br 1 Sumário Contexto Patologias do Negócio Jurídico

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Aula 03 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

Francisco José Soller de Mattos

Francisco José Soller de Mattos Francisco José Soller de Mattos A fase de predomínio da relações interpessoais. O industrialismo - produção em larga escala (Séc. XIX). Surgimento dos negócios pluripessoais e difusos. A busca por conquistas

Leia mais

O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR E AS AUTOGESTÕES

O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR E AS AUTOGESTÕES O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR E AS AUTOGESTÕES A JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE - TENDÊNCIAS Émerson Moisés Dantas de Medeiros TORO E ADVOGADOS ASSOCIADOS O que é, e como surgiu? Judicialização na prática

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO CIVIL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO CIVIL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO CIVIL 1. Sobre a chamada constitucionalização do Direito Civil, assinale a alternativa correta: A) A constitucionalização do Direito Civil preconiza,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 682/XII

PROJETO DE LEI Nº 682/XII PROJETO DE LEI Nº 682/XII Procede à primeira alteração da Lei nº 14/2008, de 12 de março, que proíbe e sanciona a discriminação em função do sexo no acesso a bens e serviços e seu fornecimento Exposição

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA PLANO DE ENSINO FACULDADE: Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais CURSO: DIREITO Período: 4º DEPARTAMENTO: DIREITO PRIVADO Ano: 2016 DISCIPLINA: DIREITO CIVIL (Obrigações II) CARGA HORÁRIA: 80 PRÉ-REQUISITO:

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS JUNTO AO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS

: MIN. DIAS TOFFOLI CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS JUNTO AO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS RECLAMAÇÃO 24.163 DISTRITO FEDERAL RELATOR RECLTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECLDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. DIAS TOFFOLI :MINISTÉRIO PÚBLICO JUNTO AO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

REAJUSTE DO PLANO DE SAÚDE LINCX E CAMPANHA DE ADESÃO

REAJUSTE DO PLANO DE SAÚDE LINCX E CAMPANHA DE ADESÃO REAJUSTE DO PLANO DE SAÚDE LINCX E CAMPANHA DE ADESÃO - 2017 Prezado Associado Como ocorre todos os anos, no mês de janeiro temos o reajuste do contrato do plano de saúde da APMP. De acordo com o estabelecido

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO DIREITO PREVIDENCIÁRIO Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO Conceituação: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar

Leia mais

Mediação no Direito Tributário. Maria Rita Lunardelli Mestre PUC/SP

Mediação no Direito Tributário. Maria Rita Lunardelli Mestre PUC/SP Mediação no Direito Tributário Maria Rita Lunardelli Mestre PUC/SP PESQUISACNJEM2010REALIZADAPORIPEA: Custo Unitário de EF Federal: R$ 4.368,00 Tempomédiodetramitação:8anos,2mesese 9dias DadosdoCJFentre1998e2007:50%éEF

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2012.0000548429 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação no 0221704-38.2007.8.26.0100, da Comarca de, em que é apelante MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO, é apelado

Leia mais

1ª) A lei de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a):

1ª) A lei de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a): 1ª) A lei 12.550 de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a): A) Poder Legislativo. B) Poder Executivo C) Poder Judiciário D)

Leia mais

Fórum Nacional do Judiciário para Monitoramento e Resolução das Demandas de Assistência à Saúde 19 de novembro de 2010

Fórum Nacional do Judiciário para Monitoramento e Resolução das Demandas de Assistência à Saúde 19 de novembro de 2010 Os planos de saúde privados e o Código do Consumidor Principais questões geradoras de conflito e análise econômica: reajuste Fórum Nacional do Judiciário para Monitoramento e Resolução das Demandas de

Leia mais

Objetivo da aula: Negócios jurídicos. ELEMENTOS ACIDENTAIS DO NEGÓCIO JURÍDICO PLANO DA EFICÁCIA DO NEGÓCIO JURÍDICO

Objetivo da aula: Negócios jurídicos. ELEMENTOS ACIDENTAIS DO NEGÓCIO JURÍDICO PLANO DA EFICÁCIA DO NEGÓCIO JURÍDICO AULA 05 PONTO: 05 Objetivo da aula: Negócios jurídicos. Tópico do plano de Ensino: Elementos dos negócios jurídicos. Classificação. Elementos acidentais: Condição, termo e encargo. Roteiro de aula ELEMENTOS

Leia mais

I DIR. PATRIMONIAIS E DIR. NÃO PATRIMONIAIS

I DIR. PATRIMONIAIS E DIR. NÃO PATRIMONIAIS I DIR. PATRIMONIAIS E DIR. NÃO PATRIMONIAIS NÃO PATRIMONIAIS DIREITO CIVI PATRIMONIAIS I DIR. PATRIMONIAIS E DIR. NÃO PATRIMONIAIS NÃO PATRIMONIAIS DIREITO CIVI OBRIGAÇÕES PATRIMONIAIS REAIS O conteúdo

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PÓS CONTRATAÇÃO PÓS CONTRATAÇÃO FISCALIZAÇÃO MEDIÇÕES E RECEBIMENTO VIGÊNCIA CONTRATUAL ADITAMENTOS CONTRATUAIS INEXECUÇÃO E SANÇÕES Lei nº 8.666/93 FISCALIZAÇÃO Art. 58. O regime

Leia mais

PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO PROCESSO E O ESTADO DE DIREITO. CONCEITO DE PROCESSO

PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO PROCESSO E O ESTADO DE DIREITO. CONCEITO DE PROCESSO ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA DO ESTADO DO CEARÁ ESMEC ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO CONSTITUCIONAL MÓDULO: PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO PROCESSO Profa. Ms. Ana Paula Lima de Melo EMENTA: PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS

Leia mais

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 17

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 17 Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO SINOPSES PARA CARREIRAS FISCAIS... 17 EDITAL SISTEMATIZADO CARREIRAS FISCAIS... 19 1. Receita Federal do Brasil... 19 2. Ministério do Trabalho e Emprego... 21 CAPÍTULO

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL 01. Considere as seguintes normas constitucionais: I. A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando

Leia mais

Sumário. nota do autor...11 nota do autor 2ª edição a seguridade social no brasil...15 CAPÍTULO 1

Sumário. nota do autor...11 nota do autor 2ª edição a seguridade social no brasil...15 CAPÍTULO 1 nota do autor...11 nota do autor 2ª edição...13 CAPÍTULO 1 a seguridade social no brasil...15 1. Evolução histórica e composição...15 2. Definição e natureza jurídica...16 3. Competência legislativa...17

Leia mais

no Direito das Famílias

no Direito das Famílias Ana Carolina Brochado Teixeira anacarolina@teixeiraemirandaadvogados.com.br O Princípio da Boa-fé no Direito das Famílias Atual concepção de boa-fé objetiva A boa-fé objetiva se caracteriza por ser uma

Leia mais

Notas prévias à 12ª edição 7 Agradecimentos (1ª edição) 9 Abreviaturas 11 Prefácio (1ª edição) 15 Sumário 19 Notas introdutórias 21

Notas prévias à 12ª edição 7 Agradecimentos (1ª edição) 9 Abreviaturas 11 Prefácio (1ª edição) 15 Sumário 19 Notas introdutórias 21 Índice geral Notas prévias à 12ª edição 7 Agradecimentos (1ª edição) 9 Abreviaturas 11 Prefácio (1ª edição) 15 Sumário 19 Notas introdutórias 21 1ª P A R T E O Sistema dos Direitos Fundamentais na Constituição:

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Princípios constitucionais da Administração Pública Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Administrativo PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Medida Provisória nº 685/15 - Declaração de Informações de Operações Relevantes (DIOR) Flávio Augusto Dumont Prado

Medida Provisória nº 685/15 - Declaração de Informações de Operações Relevantes (DIOR) Flávio Augusto Dumont Prado Medida Provisória nº 685/15 - Declaração de Informações de Operações Relevantes (DIOR) Flávio Augusto Dumont Prado Considerações Iniciais Rápidas considerações sobre questões polêmicas ligadas ao tema,

Leia mais

MARCO REGULATÓRIO DAS SOCIEDADES CIVIS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MARCO REGULATÓRIO DAS SOCIEDADES CIVIS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MARCO REGULATÓRIO DAS SOCIEDADES CIVIS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Airton Roberto Rehbein Auditor Público MARCO REGULATÓRIO DAS SOCIEDADES CIVIS A Lei Federal 3.204/2015 alterou a

Leia mais

AULA Partes a) Sujeito ativo (credor): titular do direito de receber o objeto obrigacional.

AULA Partes a) Sujeito ativo (credor): titular do direito de receber o objeto obrigacional. AULA 02 1. Conceito de Obrigações Caio Mário: o vínculo jurídico em virtude do qual uma pessoa pode exigir de outra prestação economicamente apreciável 1 Washington de Barros Monteiro: obrigação é a relação

Leia mais

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 02 Aula Direito Previdenciário para o Concurso do INSS

Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 02 Aula Direito Previdenciário para o Concurso do INSS Hugo Goes Direito Previdenciário Módulo 02 Aula 001-005 Direito Previdenciário para o Concurso do INSS Fontes Hierarquia (ordem de graduação) Autonomia (entre os diversos ramos) Aplicação (conflitos entre

Leia mais

Texto JUDICIALIZAÇÃO DO DIREITO DA SAÚDE

Texto JUDICIALIZAÇÃO DO DIREITO DA SAÚDE Texto JUDICIALIZAÇÃO DO DIREITO DA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO DO DIREITO NA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO DO DIREITO NA SAÚDE Poder Judiciário Judicialização: É o ajuizamento de ações na busca do Judiciário para obtenção

Leia mais

DISCUSSÃO SOBRE A APLICABILIDADE DO CDC ÀS AUTOGESTÕES

DISCUSSÃO SOBRE A APLICABILIDADE DO CDC ÀS AUTOGESTÕES DISCUSSÃO SOBRE A APLICABILIDADE DO CDC ÀS - Súmula nº 469/STJ Eduardo Henrique Lamers Agenda - Inaplicabilidade do CDC às EFPC s - Razões Inaplicabilidade do CDC às Autogestões - Consequências do Reconhecimento

Leia mais

REAJUSTE ANUAL DAS MENSALIDADES JULHO DE 2016 a JUNHO DE 2017

REAJUSTE ANUAL DAS MENSALIDADES JULHO DE 2016 a JUNHO DE 2017 PERGUNTAS E RESPOSTAS REAJUSTE ANUAL DAS MENSALIDADES JULHO DE 2016 a JUNHO DE 2017 REAJUSTE ANUAL 1. O que é um reajuste anual e qual é sua base legal? O reajuste anual é um mecanismo para corrigir os

Leia mais

BOA-FÉ: UM ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES JURÍDICAS

BOA-FÉ: UM ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES JURÍDICAS BOA-FÉ: UM ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES JURÍDICAS Miguel Coca GIMENEZ 1 RESUMO: Um dos princípios mais importantes do Direito é o da boa-fé. A boa-fé possui como idéia geral que nas relações jurídicas

Leia mais

Da Advocacia Pública arts , e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública arts

Da Advocacia Pública arts , e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública arts ADVOCACIA CF/1988 - Título IV - Da Organização dos Poderes; Capítulo IV - Das Funções Essenciais à Justiça; Seção II Da Advocacia Pública arts. 131-132, e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública

Leia mais

S u m á r i o. 1. A Seguridade Social na Constituição de Capítulo 1 Notas Introdutórias Seguridade Social (arts. 194 a 204)...

S u m á r i o. 1. A Seguridade Social na Constituição de Capítulo 1 Notas Introdutórias Seguridade Social (arts. 194 a 204)... S u m á r i o Capítulo 1 Notas Introdutórias... 1 1. A Seguridade Social na Constituição de 1988...1 1.1. Seguridade Social (arts. 194 a 204)...1 1.1.1. Natureza do Direito à Seguridade Social...1 1.1.2.

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo I Teoria da Constituição...1

SUMÁRIO. Capítulo I Teoria da Constituição...1 SUMÁRIO Capítulo I Teoria da Constituição...1 1. Constituição...1 1.1 Conceito...1 1.2. Classificação das Constituições...1 1.3. Interpretação das Normas Constitucionais...3 1.4. Preâmbulo Constitucional...5

Leia mais

VAL CORRETORA DE PLANOS DE SAÚDE ODONTO E SEGUROS

VAL CORRETORA DE PLANOS DE SAÚDE ODONTO E SEGUROS UNIMED NORTE NORDESTE AFFIX BENEFICIOS REAJUSTE MAIO\2017 Contrato de plano de saúde coletivo por adesão Unimed Norte Nordeste COD 0974 Administradora de Benefícios/Contratante: AFFIX Administradora de

Leia mais

De destacar, a obrigatoriedade de igualdade de tratamento, pelo Empregador, entre o Trabalhador Nacional e o Trabalhador Estrangeiro.

De destacar, a obrigatoriedade de igualdade de tratamento, pelo Empregador, entre o Trabalhador Nacional e o Trabalhador Estrangeiro. O Decreto n.º 6/01, de 19 de Janeiro aprova o Regulamento Sobre o Exercício da Actividade Profissional do Trabalhador Estrangeiro Não Residente, quer no sector público, quer no sector privado, tendo entrado

Leia mais

SUMÁRIO 1 O IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS 2 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E O ITBI 3 DISCRIMINAÇÃO CONSTITUCIONAL DE IMPOSTOS

SUMÁRIO 1 O IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS 2 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E O ITBI 3 DISCRIMINAÇÃO CONSTITUCIONAL DE IMPOSTOS SUMÁRIO 1 O IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS 1.1 Evolução histórica 1.2 Na Constituição Federal de 1988: arts. 155, I, e 156, II 2 SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E O ITBI 3 DISCRIMINAÇÃO CONSTITUCIONAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO MONOCRÁTICA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO MONOCRÁTICA fls. 1 Registro: 2013.0000161312 DECISÃO MONOCRÁTICA Agravo de Instrumento Processo nº 0051663-37.2013.8.26.0000 Relator(a): Erickson Gavazza Marques Órgão Julgador: 5ª Câmara de Direito Privado Decisão

Leia mais

Setor privado de SAÚDE

Setor privado de SAÚDE Setor privado de SAÚDE FISIOTERAPIA PREVENTIVA PROF. ADRIANO SOUSA 1 Do séc XVI até 1920 Atendimento de saúde era feito por instituições filantrópicas (Santa Casa de Misericórdia de Santos, criada em 1543

Leia mais

Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro LINDB (decreto lei nº 4657/42)

Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro LINDB (decreto lei nº 4657/42) Turma e Ano: Turma Regular Master A Matéria / Aula: Direito Civil Aula 02 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitora: Fernanda Manso de Carvalho Silva Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro

Leia mais

Natureza Jurídica. Características. Gerações.

Natureza Jurídica. Características. Gerações. Natureza Jurídica. Características. Gerações. Direitos humanos estão relacionados com a importância da própria pessoa humana. A pessoa humana, que é o bem mais valioso da humanidade, estará acima de qualquer

Leia mais

Evolução da Disciplina. Direito Constitucional CONTEXTUALIZAÇÃO INSTRUMENTALIZAÇÃO

Evolução da Disciplina. Direito Constitucional CONTEXTUALIZAÇÃO INSTRUMENTALIZAÇÃO Evolução da Disciplina Direito Constitucional Aula 1: Evolução histórica das constituições brasileiras Aula 2: Princípios fundamentais Aula 3: Direitos e garantias fundamentais Prof. Silvano Alves Alcantara

Leia mais

PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE O CONSELHO DISTRITAL DE LISBOA DA ORDEM DOS ADVOGADOS E O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Considerando que, A Constituição da República Portuguesa, inspirada no artigo

Leia mais