3 De acordo com a literatura, qual a faixa de tensão válida para a entrada de uma porta Inversora da família TTL?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3 De acordo com a literatura, qual a faixa de tensão válida para a entrada de uma porta Inversora da família TTL?"

Transcrição

1 UDESC/CCT/DEE Laboratório de Eletrônica Digital Experiência 1 Portas Lógicas e Funções Booleanas Objetivos: - Familiarização com simulador e com equipamentos didáticos; - Teste de portas lógicas; e - Implementação de funções booleanas. Pré-relatório: 1 Utilizando a lógica booleana, preencha as tabelas abaixo: AND OR XOR NAND 2 De acordo com a literatura, qual a faixa de tensão na saída de uma porta Inversora da família TTL? Nível 0 = De à Volts Nível 1 = De à Volts 3 De acordo com a literatura, qual a faixa de tensão válida para a entrada de uma porta Inversora da família TTL? Nível 0 = De à Volts Nível 1 = De à Volts 4 Quais as formas possíveis de implementar um Inversor utilizando o CI 7400? Utilize o espaço a seguir para desenhar os circuitos obtidos:

2 5 Equacionar o seguinte dispositivo lógico: USR CIRCUITO ACIONADOR DA PORTA FECHA -DURA CERTA Seu funcionamento consiste no registro de uma senha certa de dois bits e na entrada de uma senha de usuário, também de dois bits. O dispositivo deve ter um circuito capaz de acionar a fechadura de uma porta, abrindo-a (nível lógico 1) quando as senhas coincidirem e fechá-la (nível lógico 0) com as senhas diferirem. a) Elabore inicialmente uma tabela verdade, que represente o sistema; b) Defina a função lógica inicial e a otimizada; e c) Desenhe o circuito da função otimizada, utilizando portas lógicas. 6 - A figura a seguir ilustra o cruzamento de uma rodovia com uma via de acesso. Sensores detectores de veículos são colocados ao longo das pistas C e D (rodovia) e nas pistas A e B (via de acesso). As saídas desses sensores serão nível BAIXO (0) quando nenhum veículo estiver presente e nível ALTO (1) quando um veículo estiver presente. O sinal de trânsito no cruzamento é controlado de acordo com a seguinte lógica: verde quando as duas pistas C e D estiverem ocupadas; - O sinal da direção L/O será verde sempre que as pistas C ou D estiverem ocupadas, mas com as A e B desocupadas; - O sinal da direção norte-sul (N/S) será verde sempre que as duas pistas A e B estiverem ocupadas, mas as pistas C ou D estiverem desocupadas; - O sinal da direção N/S será verde quando as pistas A ou B estiverem ocupadas e enquanto ambas as pistas C e D estiverem vazias; verde quando não houver veículo presente; e - Nos casos omissos, C e D tem preferência sobre A e B.

3 Visando implementar esse sistema: a) Elabore inicialmente uma tabela verdade, que represente o sistema; b) Defina a função lógica inicial e a otimizada; e c) Desenhe o circuito da função otimizada, utilizando portas lógicas. Roteiro: 1 Utilizando o software de simulação de circuitos digitais (Circuit Maker), preencha as tabelas abaixo: AND OR XOR NAND 2 Utilizando o Painel Didático, confira os resultados obtidos na simulação, com os gerados no Painel. Utilize as chaves geradoras de níveis lógicos e os LEDs de indicação de nível lógico. AND OR XOR NAND

4 3 - Use um multímetro para medir as tensões nas saídas das chaves geradoras de níveis lógicos do Painel Didático: Nível 1 = Volts Nível 0 = Volts 4 - Use um multímetro para medir as tensões na saída de uma porta Inversora do Painel Didático: Nível 1 = Volts Nível 0 = Volts 5 Insira um CI 7400 no Painel, alimentando-o corretamente para realizar o teste de uma de suas portas. Utilizando as chaves e LEDs do Painel e um multímetro, preencha a tabela abaixo: Entradas Saída Tensão Nível Tensão Nível Tensão Nível 6 Implemente um Inversor utilizando o CI Teste todas as formas de configuração de entrada, inclusive entradas flutuantes. Utilize o espaço a seguir para desenhar os circuitos obtidos:

5 7 Equacionar e implementar o seguinte dispositivo lógico: USR CIRCUITO ACIONADOR DA PORTA FECHA -DURA CERTA Seu funcionamento consiste no registro de uma senha certa de dois bits e na entrada de uma senha de usuário, também de dois bits. O dispositivo deve ter um circuito capaz de acionar a fechadura de uma porta, abrindo-a (nível lógico 1) quando as senhas coincidirem e fechá-la (nível lógico 0) com as senhas diferirem. a) Elabore inicialmente uma tabela verdade, que represente o sistema. b) Defina a função lógica inicial e a otimizada. c) Simule o circuito correspondente e realize os testes. d) Por último, faça a implementação do circuito no Painel Didático, utilizando portas lógicas. 8 - A figura a seguir ilustra o cruzamento de uma rodovia com uma via de acesso. Sensores detectores de veículos são colocados ao longo das pistas C e D (rodovia) e nas pistas A e B (via de acesso). As saídas desses sensores serão nível BAIXO (0) quando nenhum veículo estiver presente e nível ALTO (1) quando um veículo estiver presente. O sinal de trânsito no cruzamento é controlado de acordo com a seguinte lógica: verde quando as duas pistas C e D estiverem ocupadas; - O sinal da direção L/O será verde sempre que as pistas C ou D estiverem ocupadas, mas com as A e B desocupadas; - O sinal da direção norte-sul (N/S) será verde sempre que as duas pistas A e B estiverem ocupadas, mas as pistas C ou D estiverem desocupadas; - O sinal da direção N/S será verde quando as pistas A ou B estiverem ocupadas e enquanto ambas as pistas C e D estiverem vazias; verde quando não houver veículo presente; e - Nos casos omissos, C e D tem preferência sobre A e B.

6 Visando implementar esse sistema: a) Elabore inicialmente uma tabela verdade, que represente o sistema; b) Defina a função lógica inicial e a otimizada; c) Simule o circuito correspondente e realize os testes; e d) Por último, faça a implementação do circuito na Painel Didático, utilizando CIs de portas lógicas.

1 Equacionar e implementar o seguinte dispositivo lógico:

1 Equacionar e implementar o seguinte dispositivo lógico: UDESC/CCT/DEE Eletrônica Digital Lista de Exercícios 1 Equacionar e implementar o seguinte dispositivo lógico: Seu funcionamento consiste no registro de uma senha certa de dois bits e na entrada de uma

Leia mais

3 Utilizando o CircuitMaker, simule circuito abaixo e preencha sua tabela. Analise que circuito é esse.

3 Utilizando o CircuitMaker, simule circuito abaixo e preencha sua tabela. Analise que circuito é esse. UDESC/CCT/DEE Eletrônica Digital 2ª Lista de Exercícios 1 Utilizando o CircuitMaker, simule circuito abaixo e preencha sua tabela. Analise que circuito é esse. SET RESET Q Q/ OBS 0 0 0 1 1 0 1 1 2 Para

Leia mais

PORTAS NAND (NE) INTRODUÇÃO TEÓRICA

PORTAS NAND (NE) INTRODUÇÃO TEÓRICA PORTAS NAND (NE) PORTAS NAND (NE) OBJETIVOS: a) Verificar experimentalmente o funcionamento de uma porta NAND; b) Utilizar uma porta NAND como inversor; c) Demonstrar que uma porta NAND é universal; d)

Leia mais

EXPERIÊNCIA 8 CIRCUITOS ARITMÉTICOS: SOMADORES SUBTRATORES

EXPERIÊNCIA 8 CIRCUITOS ARITMÉTICOS: SOMADORES SUBTRATORES MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 8 CIRCUITOS ARITMÉTICOS: SOMADORES SUBTRATORES 1 DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: e e Planejamento:

Leia mais

Práticas de laboratório de Eletrônica Digital

Práticas de laboratório de Eletrônica Digital Universidade Federal de Uberlândia Práticas de laboratório de Eletrônica Digital Prof. Dr. Alan Petrônio Pinheiro Faculdade de Engenharia Elétrica Curso de Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações (campus

Leia mais

Aula 07 : Portas Lógicas e Álgebra Booleana

Aula 07 : Portas Lógicas e Álgebra Booleana ELE 0316 / ELE 0937 Eletrônica Básica Departamento de Engenharia Elétrica FEIS - UNESP Aula 07 : Portas Lógicas e Álgebra Booleana 1. 1 7.1 Portas Lógicas e Expressões Algébricas 1. 2 7.1 Portas Lógicas

Leia mais

Capítulo 3 - Trabalhando com circuitos digitais

Capítulo 3 - Trabalhando com circuitos digitais Prof. Alan Petrônio Pinheiro Apostila de MultiSim 17 Capítulo 3 - Trabalhando com circuitos digitais O primeiro passo para se trabalhar com circuitos digitais é inserir portas lógicas. Para isto, dispomos

Leia mais

Capítulo I Portas Lógicas Básicas

Capítulo I Portas Lógicas Básicas Capítulo I Portas Lógicas Básicas 1 Introdução Em qualquer sistema digital 1 a unidade básica construtiva é o elemento denominado Porta Lógica. Este capítulo descreve as portas lógicas usuais, seu uso

Leia mais

3) PRÁTICA DE LABORATÓRIO

3) PRÁTICA DE LABORATÓRIO 3) PRÁTICA DE LABORATÓRIO Um semáforo inteligente é controlado por 4 sensores. O sensor A que é acionado pelo pedestre para atravessar uma avenida. Quando o sensor é acionado (sinal de A=1) o semáforo,

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL Experiência 5: Análise de Circuitos Multiplexadores e Demultiplexadores

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL Experiência 5: Análise de Circuitos Multiplexadores e Demultiplexadores 22 1.Objetivos Utilizar um circuito multiplexador e um demultiplexador como elementos básicos de um sistema de transmissão de uma palavra de 8 bits. Utilizar o multiplexador para implementar uma função

Leia mais

CIRCUITOS DE COINCIDÊNCIA (XNOR) OU EXCLUSIVO (XOR)

CIRCUITOS DE COINCIDÊNCIA (XNOR) OU EXCLUSIVO (XOR) CIRCUITOS DE COINCIDÊNCIA (XNOR) OU EXCLUSIVO (XOR) CIRCUITOS DE COINCIDÊNCIA (XNOR) OU EXCLUSIVO (XOR) OBJETIVOS: a) analisar o comportamento de circuitos ou exclusivo e concidência ; b) analisar os circuitos

Leia mais

PRÁTICA: 1) Levantamento das características do CI: Escolher um dos CIs acima e responder as questões a seguir em relação a ele:

PRÁTICA: 1) Levantamento das características do CI: Escolher um dos CIs acima e responder as questões a seguir em relação a ele: 1) PRÁTICA DE LABORATÓRIO MATERIAL: CI s: 7400, 7402, 7404, 7410, 7420 PRÁTICA: 1) Levantamento das características do CI: Escolher um dos CIs acima e responder as questões a seguir em relação a ele: Nome

Leia mais

EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS

EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: 1. Introdução 1.1

Leia mais

ÁLGEBRA DE BOOLE Operações Fundamentais, Autoavaliação, Indução Perfeita e Simulação

ÁLGEBRA DE BOOLE Operações Fundamentais, Autoavaliação, Indução Perfeita e Simulação ÁLGEBRA DE BOOLE Operações Fundamentais, Autoavaliação, Indução Perfeita e Simulação OBJETIVOS: a) Conhecer na prática os principais fundamentos da álgebra de Boole; b) Comprovar na prática os teoremas

Leia mais

Organização de computadores

Organização de computadores Organização de computadores Aula 6 - Álgebra de Boole Professora Marcela Santos marcela@edu.estacio.br Tópicos Portas lógicas e álgebra de boole Álgebra de boole regras e propriedades Provas de algumas

Leia mais

3. CAPÍTULO LÓGICAS DIGITAIS

3. CAPÍTULO LÓGICAS DIGITAIS 3. CAPÍTULO LÓGICAS DIGITAIS 3.1. Introdução A Lógica é um conjunto de regras para raciocínio sobre um determinado assunto, ela é muito utilizada no ramo da Filosofia e da Matemática. 3.2. Portas lógicas

Leia mais

Descrevendo Circuitos Lógicos Capítulo 3 Parte II

Descrevendo Circuitos Lógicos Capítulo 3 Parte II Descrevendo Circuitos Lógicos Capítulo 3 Parte II Slides do Prof. Gustavo Fernandes de Lima slide 1 Os temas abordados nesse capítulo são: Usar a álgebra booleana para simplificar

Leia mais

Eletrônica Digital. Funções lógicas, álgebra de boole e circuitos lógicos combinacionais básicos. Professor: Francisco Ary

Eletrônica Digital. Funções lógicas, álgebra de boole e circuitos lógicos combinacionais básicos. Professor: Francisco Ary Eletrônica Digital Funções lógicas, álgebra de boole e circuitos lógicos combinacionais básicos Professor: Francisco Ary Introdução Vimos na aula anterior conversão de números binário fracionários em decimal;

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA P U C PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E N G E N H A R I A LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS I SD I Prof. Dr. Aparecido S. Nicolett Prof. Dr. Sérgio Miranda Paz - Versão: 1. 2016

Leia mais

Universidade Federal do ABC

Universidade Federal do ABC Universidade Federal do ABC Eletrônica Digital Aula 3: Álgebra Booleana Prof. Rodrigo Reina Muñoz rodrigo.munoz@ufabc.edu.br RRM T3 2017 1 Teoremas Booleanos Auxiliam a simplificar expressões lógicas e

Leia mais

PORTA OU EXCLUSIVO (XOR) CIRCUITOS DE COINCIDÊNCIA (XNOR)

PORTA OU EXCLUSIVO (XOR) CIRCUITOS DE COINCIDÊNCIA (XNOR) PORTA OU EXCLUSIVO (XOR) CIRCUITOS DE COINCIDÊNCIA (XNOR) OBJETIVOS: a) analisar o comportamento de circuitos ou exclusivo e coincidência ; b) analisar os circuitos ou exclusivo e de coincidência como

Leia mais

Circuitos Lógicos Portas Lógicas

Circuitos Lógicos Portas Lógicas Circuitos Lógicos Portas Lógicas Prof.: Daniel D. Silveira 1 Álgebra de Boole George Boole desenvolveu um sistema de análise lógica por volta de 1850 Este sistema é conhecido atualmente como álgebra de

Leia mais

INVERSOR LÓGICO INTRODUÇÃO TEÓRICA. Para a tecnologia TTL esses valores são bem definidos: Nível lógico 1 = + 5V Nível lógico 0 = 0v

INVERSOR LÓGICO INTRODUÇÃO TEÓRICA. Para a tecnologia TTL esses valores são bem definidos: Nível lógico 1 = + 5V Nível lógico 0 = 0v Invasor Lógico INVERSOR LÓGICO OBJETIVOS: a) Entender o significado de compatível com TTL ; b) Aprender como interpretar especificações das folhas de dados (Data Book); c) Identificar a representação eletrônica

Leia mais

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ Variáveis Lógicas Uma variável lógica é aquela que pode assumir apenas os

Leia mais

Experimento 1 Objetivo: AND AND AND Material e Componentes Procedimento AND Nota: teste

Experimento 1 Objetivo: AND AND AND Material e Componentes Procedimento AND Nota: teste UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CCN / Departamento de Física Disciplina Eletrônica básica Técnicas digitais Prática 11 Experimento 1 Objetivo: Estabelecer a tabela verdade para o gate básico AND. Todo circuito

Leia mais

6. Análise Lógica Combinacional

6. Análise Lógica Combinacional Objetivos 6. Análise Lógica Combinacional Analisar circuitos lógicos combinacionais básicos, tais como AND-OR, AND-OR-inversor, EX-OR e EX- NOR Usar circuitos AND-OR e AND-OR-inversor para implementar

Leia mais

EXPERIÊNCIA 4 CIRCUITOS COMBINACIONAIS

EXPERIÊNCIA 4 CIRCUITOS COMBINACIONAIS MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 4 CIRCUITOS COMBINACIONAIS DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS:,, OBJETIVOS Aplicar portas lógicas:

Leia mais

PORTAS NOR INTRODUÇÃO TEÓRICA

PORTAS NOR INTRODUÇÃO TEÓRICA PORTAS NOR OBJETIVOS: a) Verificar experimentalmente o funcionamento de uma porta NOR; b) Usar uma porta NOR como um inversor lógico; c) Demonstrar porque uma porta NOR é uma porta lógica universal; d)

Leia mais

CEFET/RJ - Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Rio de Janeiro, 23 de setembro de 2008.

CEFET/RJ - Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Rio de Janeiro, 23 de setembro de 2008. CEFET/RJ - Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Rio de Janeiro, 23 de setembro de 2008. 1 a LISTA DE EXERCÍCIOS DE ELETRÔNICA DIGITAL Prof. Alessandro Jacoud Peixoto 1. Implemente

Leia mais

Projeto dos Semáforos

Projeto dos Semáforos Projeto dos Semáforos 4712 Luís Talaia 4712 Luís Talaia 4713 João Pereira 4713 João Pereira 1º Ano SDAC IMEI Eletrónica Módulo n.º2 Escola Europeia de Ensino Profissional 1º Ano SDAC IMEI Eletrónica Módulo

Leia mais

EXPERIÊNCIA 6 CIRCUITOS CODIFICADORES E DECODIFICADORES

EXPERIÊNCIA 6 CIRCUITOS CODIFICADORES E DECODIFICADORES MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 6 CIRCUITOS CODIFICADORES E DECODIFICADORES 1 DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: e e Planejamento:

Leia mais

P U C E N G E N H A R I A PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS. Prof. Dr. João Antonio Martino

P U C E N G E N H A R I A PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS. Prof. Dr. João Antonio Martino P U C PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA E N G E N H A R I A LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS Prof. Dr. João Antonio Martino Prof. Dr. Aparecido S. Nicolett - V. 2006 PUC - SISTEMAS DIGITAIS - SD - 2006

Leia mais

Aula 1. Funções Lógicas. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 1. Funções Lógicas. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 1 Funções Lógicas SEL 0414 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Representação Numérica: l Utilizada na representação de alguma grandeza física l Pode ser Analógica ou Digital

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos LAMATE

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos LAMATE Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos LAMATE Experiência 4 Circuitos Lógicos- Inversor, Portas Nand/And, Portas Nor/Or, Memória Estática

Leia mais

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO Versão 2015 RESUMO Esta experiência tem como principal objetivo ilustrar a utilização de circuitos biestáveis, através do projeto de um circuito de controle das luzes de

Leia mais

Aula 7: Portas Lógicas: AND, OR, NOT, XOR, NAND e NOR

Aula 7: Portas Lógicas: AND, OR, NOT, XOR, NAND e NOR Aula 7: Portas Lógicas: AND, OR, NOT, XOR, NAND e NOR Conforme discutido na última aula, cada operação lógica possui sua própria tabela verdade. A seguir será apresentado o conjunto básico de portas lógicas

Leia mais

Introdução à Linguagem VHDL

Introdução à Linguagem VHDL Fundamentos de Sistemas Digitais Introdução à Linguagem VHDL prof. Dr. Alexandre M. Amory Referências Sugiro estudarem nesta ordem de preferência: Vahid, Cap 9 Ignorar verilog e SystemC Bem didático! um

Leia mais

Portas Lógicas Básicas: Parte 1 - Montagem e Medidas

Portas Lógicas Básicas: Parte 1 - Montagem e Medidas CETEC - PUC Campinas Laboratório 1 Portas Lógicas ásicas: Parte 1 - Montagem e Medidas 1. Introdução Os circuitos lógicos, responsáveis pelo aparecimento da Eletrônica Digital entre 1930 e 1940, tiveram

Leia mais

EXPERIÊNCIA 7 MUX e DEMUX

EXPERIÊNCIA 7 MUX e DEMUX 1 MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL Prof.: EXPERIÊNCIA 7 MUX e DEMUX DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: e e Planejamento: Execução: Relatório:

Leia mais

CALCULADORA SIMPLES COM ULA

CALCULADORA SIMPLES COM ULA CALCULADORA SIMPLES COM ULA Versão 2013 RESUMO 1 Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de operações lógicas e aritméticas para o desenvolvimento de circuitos que executam

Leia mais

3. Portas Lógicas. Objetivos. Objetivos. Introdução. Circuitos Digitais 31/08/2014

3. Portas Lógicas. Objetivos. Objetivos. Introdução. Circuitos Digitais 31/08/2014 Objetivos 3. Portas Lógicas Descrever a operação do inversor, da porta AND e da porta OR Descrever a operação da porta NAND e da porta NOR Expressar a operação da função NOT e das portas AND, OR, NAND

Leia mais

AMPLIFICADORES OPERACIONAIS APLICAÇÕES LINEARES

AMPLIFICADORES OPERACIONAIS APLICAÇÕES LINEARES EN 2603 ELETRÔNICA APLICADA LABORATÓRIO Nomes dos Integrantes do Grupo AMPLIFICADORES OPERACIONAIS APLICAÇÕES LINEARES 1. OBJETIVOS a. Verificar o funcionamento dos amplificadores operacionais em suas

Leia mais

Aula 8 Portas Lógicas. Programação de Computadores

Aula 8 Portas Lógicas. Programação de Computadores Aula 8 Portas Lógicas Programação de Computadores Introdução As portas lógicas são os componentes básicos da eletrônica digital. Elas são usadas para criar circuitos digitais e até mesmo circuitos integrados

Leia mais

3.9. Exercícios. A (booleano) A (depois do inversor) AND. B (depois da porta AND) A B. Exercício Resolvido 3.8.7

3.9. Exercícios. A (booleano) A (depois do inversor) AND. B (depois da porta AND) A B. Exercício Resolvido 3.8.7 lexandre Mendonça e Ricardo Zelenovsky 61 Exercício Resolvido 3.8.7 Fisicamente, uma porta lógica demora um determinado tempo para responder à variação num dos sinais de entrada. Por exemplo, um inversor

Leia mais

Apresentação da Disciplina Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h

Apresentação da Disciplina Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h Apresentação da Disciplina Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 60h Introdução à Eletrônica É ciência que estuda a forma de controlar a energia elétrica por meios elétricos nos quais os

Leia mais

EXPERIÊNCIA 3 COMBINAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS

EXPERIÊNCIA 3 COMBINAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS 1 MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 3 COMBINAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: 1. Introdução 1.1 Objetivos

Leia mais

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Agosto/2004 V2 INTRODUÇÃO Este guia foi preparado para auxilio às aulas de laboratório para o curso de Engenharia

Leia mais

Introdução ao Laboratório Digital

Introdução ao Laboratório Digital Introdução ao Laboratório Digital Versão 2012 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um contato inicial com o Laboratório Digital. Ao final da experiência, os alunos terão conhecimento sobre os procedimentos

Leia mais

Nível da Lógica Digital (Aula 6) Portas Lógicas e Lógica Digital Nível da Lógica Digital Estudar vários aspectos da lógica digital Base de estudo para os níveis mais elevados da hierarquia das máquinas

Leia mais

2 a Lista de Exercícios

2 a Lista de Exercícios Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística Bacharelado em Ciências da Computação INE 5406 - Sistemas Digitais - semestre 2011/2 Prof. José Luís Güntzel guntzel@inf.ufsc.br

Leia mais

EXPERIMENTO 5: Flip-Flop

EXPERIMENTO 5: Flip-Flop DEE - Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Circuitos Digitais I ELE 1065 EXPERIMENTO 5: Flip-Flop 1 - OBJETIVOS Estudos de dispositivos de memória com Flip-Flops e outros dispositivos correlatos.

Leia mais

Projeto de Semáforo com Display Digital Regressivo

Projeto de Semáforo com Display Digital Regressivo UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA LOURIVAL OLIVEIRA DA SILVA Projeto de Semáforo com Display Digital Regressivo Feira de Santana, 30 de março de 2004 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA LOURIVAL

Leia mais

LÓGICA DIGITAL - CONCEITOS. * Constantes. * Expressões: Aritméticas; Lógicas; Tabela Verdade; Relacionais; Booleanas. * Portas Lógicas.

LÓGICA DIGITAL - CONCEITOS. * Constantes. * Expressões: Aritméticas; Lógicas; Tabela Verdade; Relacionais; Booleanas. * Portas Lógicas. * Tipos de Dados. * Constantes. * Expressões: Aritméticas; Lógicas; Tabela Verdade; Relacionais; Booleanas. * Portas Lógicas. 1 TIPOS DE DADOS Dados inteiros Representação das informações pertencentes

Leia mais

EPUSP PCS 3635 Laboratório Digital I. Trena Digital

EPUSP PCS 3635 Laboratório Digital I. Trena Digital Trena Digital Versão 2016 RESUMO Esta experiência tem por objetivo desenvolver uma Trena Digital, ou seja, um circuito digital que realiza a medida de distância para um objeto, usando um sensor ultrassônico

Leia mais

Laboratório de Circuitos Digitais 1

Laboratório de Circuitos Digitais 1 Universidade Estadual Paulista Campus de Sorocaba Laboratório de Circuitos Digitais 1 Experimento 02: Montando circuitos combinacionais em protoboard Prof. Alexandre da Silva Simões 2005. Laboratório de

Leia mais

Transistor. Portas Lógicas (2) Base; Coletor; Emissor.

Transistor. Portas Lógicas (2) Base; Coletor; Emissor. Nível da Lógica Digital Nível da Lógica Digital (Aula 6) Portas Lógicas e Lógica Digital Estudar vários aspectos da lógica digital Base de estudo para os níveis mais elevados da hierarquia das máquinas

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2015/2016 Trabalho 3 Circuitos Combinatórios Típicos

SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2015/2016 Trabalho 3 Circuitos Combinatórios Típicos SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2015/2016 Trabalho 3 Circuitos Combinatórios Típicos 1. Introdução Este trabalho foi concebido para que os alunos façam a concepção de um circuito lógico usando

Leia mais

EPUSP PCS 3335 Laboratório Digital A. Trena Digital

EPUSP PCS 3335 Laboratório Digital A. Trena Digital Trena Digital Versão 2016 RESUMO Esta experiência tem por objetivo desenvolver uma Trena Digital, ou seja, um circuito digital que realiza a medida de distância para um objeto, usando um sensor ultrassônico

Leia mais

INTRODUÇÃO TEÓRICA. Sua forma de onda é geralmente quadrada, porém, o importante é que gera dois níveis lógicos: 0 e 1.

INTRODUÇÃO TEÓRICA. Sua forma de onda é geralmente quadrada, porém, o importante é que gera dois níveis lógicos: 0 e 1. OBJETIVOS: a) Conhecer as aplicações dos pulsos de clock em circuitos lógicos; b) Entender o funcionamento de um gerador de clock básico, na geração de níveis lógicos 0 e 1, segundo uma determinada frequência;

Leia mais

- Eletrônica digital - Capítulo 2 Circuitos Combinacionais

- Eletrônica digital - Capítulo 2 Circuitos Combinacionais - Eletrônica digital - Capítulo 2 Circuitos Combinacionais Introdução Lógica para tomada de decisões George Boole (1854): Uma investigação das leis do pensamento Termo álgebra booleana Relacionamento entre

Leia mais

Aula 05 Circuitos lógicos combinacionais

Aula 05 Circuitos lógicos combinacionais ELT 054 (LAB) Turmas D1/D2 D3/D4 1º. Sem 2012 Aula 05 Circuitos lógicos combinacionais Objetivo 1. Resolver/simular problemas combinacionais simples usando portas lógicas Introdução Na eletrônica digital

Leia mais

Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA T e c n o l o g i a Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA AUTOMAÇÃO E CONTROLE Controlador Lógico Programável DESCRIÇÃO XC118 - CLP SIEMENS S7-1200 O equipamento central do todo sistema de

Leia mais

Q(A, B, C) =A.B.C + A.B.C + A.B.C + A.B.C + A.B.C + A.B.C. m(1, 2, 3, 6) T (A, B, C, D) =A.B.C.D+A.B.C.D+A.B.C.D+A.B.C.D+A.B.C.D+A.B.C.

Q(A, B, C) =A.B.C + A.B.C + A.B.C + A.B.C + A.B.C + A.B.C. m(1, 2, 3, 6) T (A, B, C, D) =A.B.C.D+A.B.C.D+A.B.C.D+A.B.C.D+A.B.C.D+A.B.C. Módulo Representação de sistemas digitais e implementação com componentes TTL Objectivos Pretende-se que o aluno compreenda o relacionamento entre a representação por tabelas e por expressões booleanas.

Leia mais

Laboratório 6 (Trabalho com Relatório) Semana 25 de Outubro a 29 de Outubro

Laboratório 6 (Trabalho com Relatório) Semana 25 de Outubro a 29 de Outubro Laboratório 6 (Trabalho com Relatório) Semana 25 de Outubro a 29 de Outubro Realização de módulo somador-subtractor. Utilização de ambiente Xilinx WebPack de edição de esquemáticos e simulação. Realização

Leia mais

Prof. Leonardo Augusto Casillo

Prof. Leonardo Augusto Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Aula 4 Portas Lógicas Prof. Leonardo Augusto Casillo Analisando o circuito (1)... A Acesa Apagada S Apagada Acesa O emissor do transistor

Leia mais

OHMÍMETRO DIGITAL. 1 O Projeto. 1.1 Sensor. 1.2 Conversor A/D

OHMÍMETRO DIGITAL. 1 O Projeto. 1.1 Sensor. 1.2 Conversor A/D Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Instrumentação Eletrônica Professor: Luciano Fontes Cavalcanti Aluno: Raphael Dantas Ciríaco OHMÍMETRO DIGITAL

Leia mais

Técnicas Digitais I. Experiências de Laboratório

Técnicas Digitais I. Experiências de Laboratório Experiências de Laboratório Preparatório: Técnicas Digitais I 1ª Multiplexador Discreto Projetar um circuito cuja saída possa escolher entre o valor de uma entre duas entradas A ou B, conforme o valor

Leia mais

Introdução ao Laboratório Digital

Introdução ao Laboratório Digital Introdução ao Laboratório Digital Versão 2014 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um contato inicial com o Laboratório Digital. Ao final da experiência, os alunos terão conhecimento sobre os procedimentos

Leia mais

Eletrônica Digital Lista de Exercícios

Eletrônica Digital Lista de Exercícios Eletrônica Digital Lista de Exercícios 1. Preencha a tabela abaixo para cada uma das funções indicadas. x 2 x 1 x 0 x 2 x 1 x 2 +x 1 x 2 x 1 x 2 x 1 + x 0 0 0 0 0 0 1 0 1 0 0 1 1 1 0 0 1 0 1 1 1 0 1 1

Leia mais

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO Versão 2014 RESUMO Esta experiência tem como principal objetivo ilustrar a utilização de circuitos biestáveis, através do projeto de um circuito de controle das luzes de

Leia mais

Eletrônica Digital. Funções e Portas Lógicas. Prof. Renato Moraes

Eletrônica Digital. Funções e Portas Lógicas. Prof. Renato Moraes Eletrônica Digital Funções e Portas Lógicas Prof. Renato Moraes Introdução Em 1854, o matemático inglês George Boole apresentou um sistema matemático de análise lógica conhecido como Álgebra de Boole.

Leia mais

EPUSP PCS 2011 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS

EPUSP PCS 2011 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS GERADOR DE SINAIS Versão 2015 RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização com o problema da conversão de sinais digitalizados em sinais analógicos, o conversor digital-analógico de 8 bits

Leia mais

Pré-Laboratório (Para ser entregue no início da aula prática)

Pré-Laboratório (Para ser entregue no início da aula prática) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologia da Informação LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DIGITAL I ELT 29 Atividade de Laboratório 6 Aluno: Aluno: Aluno: Mat.: Mat.: Mat.:

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Tiago Alves de Oliveira

Arquitetura de Computadores. Tiago Alves de Oliveira Arquitetura de Computadores Tiago Alves de Oliveira Revisão A B S 0 0 0 Porta Lógica XOR Tabela Verdade XOR 0 1 1 1 0 1 1 1 0 Somadores Os somadores são importantes em computadores e também em outros tipos

Leia mais

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO Versão 2013 RESUMO Esta experiência tem como principal objetivo ilustrar a utilização de circuitos biestáveis, através do projeto de um circuito de controle das luzes de

Leia mais

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20. Experiência 4: Síntese e Análise de uma Unidade Lógica Aritmética (ULA)

Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório de ELE-20. Experiência 4: Síntese e Análise de uma Unidade Lógica Aritmética (ULA) Versão original: Prof. Duarte Lopes de Oliveira Versão digital : Maj. Fábio Durante Prof. de Laboratório: Prof. Alexis Tinoco Sala 177 r. 6932 atinoco@ita.br Divisão de Engenharia Eletrônica Laboratório

Leia mais

ÁLGEBRA BOOLEANA E LÓGICA DIGITAL AULA 04 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade

ÁLGEBRA BOOLEANA E LÓGICA DIGITAL AULA 04 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade ÁLGEBRA BOOLEANA E LÓGICA DIGITAL AULA 04 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade O conteúdo deste documento é baseado no livro Princípios Básicos de Arquitetura e Organização de Computadores

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Frequencímetro

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Frequencímetro Frequencímetro Versão 2012 RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização com duas classes de componentes: os contadores e os registradores. Para isto, serão apresentados alguns exemplos de

Leia mais

Circuitos Digitais. Conteúdo. Lógica. Introdução. Tabela-Verdade. Álgebra Booleana. Álgebra Booleana / Funções Lógicas. Ciência da Computação

Circuitos Digitais. Conteúdo. Lógica. Introdução. Tabela-Verdade. Álgebra Booleana. Álgebra Booleana / Funções Lógicas. Ciência da Computação Ciência da Computação Álgebra Booleana / Funções Lógicas Prof. Sergio Ribeiro Material adaptado das aulas de I do Prof. José Maria da UFPI Conteúdo Introdução Álgebra Booleana Constantes e Variáveis Booleanas

Leia mais

11 a EDIÇÃO SISTEMAS DIGITAIS

11 a EDIÇÃO SISTEMAS DIGITAIS RONLD J. TOI NEL S. WIDMER GREGORY L. MOSS 11 a EDIÇÃO SISTEMS DIGITIS princípios e aplicações apítulo 3 Descrevendo circuitos lógicos 93 RESUMO 1. álgebra booleana é uma ferramenta matemática usada na

Leia mais

Interface com Sensor Ultrassônico de Distância

Interface com Sensor Ultrassônico de Distância Interface com Sensor Ultrassônico de Distância Versão 2016 RESUMO Esta experiência tem por objetivo desenvolver um circuito que realiza a interface com o sensor ultrassônico de distância HC-SR04. A implementação

Leia mais

EXPERIMENTO 2: Portas Lógicas

EXPERIMENTO 2: Portas Lógicas DEE - Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Circuitos Digitais I ELE 1065 EXPERIMENTO 2: Portas Lógicas OBS: A partir deste experimento se faz necessário levar o pré-lab. Pode-se utilizar

Leia mais

Automação Industrial Parte 8

Automação Industrial Parte 8 Automação Industrial Parte 8 Prof. Ms. Getúlio Teruo Tateoki http://www.getulio.eng.br/meusalunos/autind.html -Vamos supor que seja necessário determinar a função lógica interna de um sistema desconhecido.

Leia mais

EXPERIÊNCIA 10 MODELOS DE INDUTORES E CAPACITORES. No. USP Nome Nota Bancada RELATÓRIO

EXPERIÊNCIA 10 MODELOS DE INDUTORES E CAPACITORES. No. USP Nome Nota Bancada RELATÓRIO ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos - PSI - EPUSP PSI 3212- LABORATÓRIO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS 1º Semestre de 2016 EXPERIÊNCIA 10 MODELOS

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Eletrônica Analógica II

Curso Técnico em Eletroeletrônica Eletrônica Analógica II Curso Técnico em Eletroeletrônica Eletrônica Analógica II Aula 14 Amp-op: Comparador Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino 2016 Comparação Aplicações: comparador Nível de reservatório de água com sensor

Leia mais

DISPOSITIVO PARA MONTAGENS EXPERIMENTAIS DE CIRCUITOS INTEGRADOS

DISPOSITIVO PARA MONTAGENS EXPERIMENTAIS DE CIRCUITOS INTEGRADOS EPUSP - PCS0/PCS - LABORATÓRIO DIGITAL DISPOSITIVO PARA MONTAGENS EXPERIMENTAIS DE CIRCUITOS INTEGRADOS. INTRODUÇÃO Desde, quando teve inicio uma nova modalidade dentro do Curso de Engenharia Eletrônica

Leia mais

UFMT. Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO

UFMT. Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO UFMT 1) IDENTIFICAÇÃO: Disciplina: Lógica Matemática e Elementos de Lógica Digital Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Curso:

Leia mais

OBJETIVOS MATERIAL UTILIZADO

OBJETIVOS MATERIAL UTILIZADO OBJETIVOS Esta aula prática tem como objetivo apresentar aos alunos as portas lógicas TTL (Transistor-Transistor Logic). Através de montagens eletrônicas simples no protoboard, deverão ser verificados

Leia mais

Painel Luminoso com LEDs

Painel Luminoso com LEDs Painel Luminoso com LEDs Edson T. Midorikawa/2006 RESUMO Esta experiência consiste no projeto e na implementação do circuito de controle de um painel luminoso composto por LEDs (diodos emissores de luz).

Leia mais

DISPOSITIVOS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS. SEL Sistemas Digitais Prof. Homero Schiabel

DISPOSITIVOS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS. SEL Sistemas Digitais Prof. Homero Schiabel DISPOSITIVOS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS SEL 414 - Sistemas Digitais Prof. Homero Schiabel 1. Introdução Operação do circuito lógico pode ser descrita por: Tabela da Verdade Expressão booleana Dispositivo de

Leia mais

Circuito combinacional

Circuito combinacional Circuito combinacional É todo circuito cuja saída depende única e exclusivamente das várias combinações das variáveis de entrada. Estudando os circuitos combinacionais podemos entender o funcionamento

Leia mais

PORTAS OR - PORTAS AND

PORTAS OR - PORTAS AND PORTAS OR - PORTAS AND OBJETIVOS: a) Verificar experimentalmente como funciona uma porta OR; b) Verificar experimentalmente como funciona uma porta AND; c) Aprender como interpretar as especificações das

Leia mais

Introdução ao módulo LabVIEW FPGA

Introdução ao módulo LabVIEW FPGA Introdução ao módulo LabVIEW FPGA Guilherme Yamamoto Engenheiro de Marketing de Produto Tecnologia FPGA Blocos de E/S Acesso direto às E/S digitais e analógicas. Interconexões programáveis Roteamento de

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2013/2014 Trabalho 2 Circuitos Combinatórios Típicos

SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2013/2014 Trabalho 2 Circuitos Combinatórios Típicos SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2013/2014 Trabalho 2 Circuitos Combinatórios Típicos 1. Introdução Este trabalho foi concebido para que os alunos façam a concepção de um circuito lógico usando

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2015/2016 Trabalho 4 Módulos Sequenciais: Contadores e Registos

SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2015/2016 Trabalho 4 Módulos Sequenciais: Contadores e Registos SISTEMAS DIGITAIS LETI, LEE Ano lectivo de 2015/2016 Trabalho 4 Módulos Sequenciais: Contadores e Registos 1. Introdução Este trabalho foi concebido para que os alunos ganhem experiência na concepção de

Leia mais

Trabalho de Circuitos Integrados Digitais Maquina de Estados: Contador Código Gray

Trabalho de Circuitos Integrados Digitais Maquina de Estados: Contador Código Gray UFPR Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Elétrica Trabalho de Circuitos Integrados Digitais Maquina de Estados: Contador Código Gray Daniel Lauer Luciano F. da Rosa Curitiba, junho de 2010

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Introdução à Computação Jordana Sarmenghi Salamon jssalamon@inf.ufes.br jordanasalamon@gmail.com http://inf.ufes.br/~jssalamon Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda

Leia mais

Tecnologia em Automação Industrial 2016 ELETRÔNICA II

Tecnologia em Automação Industrial 2016 ELETRÔNICA II Tecnologia em Automação Industrial 2016 ELETRÔNICA II Aula 15 Amplificadores Operacionais Configurações não-lineares: comparadores Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino https://giovanatangerino.wordpress.com

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA INDUSTRIAL. EXPERIÊNCIA N o 6

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA INDUSTRIAL. EXPERIÊNCIA N o 6 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA INDUSTRIAL Título: Circuito integrado TCA - 785. EXPERIÊNCIA N o 6 Objetivo: Verificar o princípio de funcionamento do

Leia mais

CALCULADORA SIMPLES COM ULA

CALCULADORA SIMPLES COM ULA CALCULADORA SIMPLES COM ULA Versão 2012 RESUMO 1 Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de operações lógicas e aritméticas para o desenvolvimento de circuitos que executam

Leia mais