Suplente Roberto Luis Lopes Nogueira. Ações Reunião Ordinária realizada no dia 2 de dezembro de 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Suplente Roberto Luis Lopes Nogueira. Ações Reunião Ordinária realizada no dia 2 de dezembro de 2014"

Transcrição

1 R E L A Ç Õ E S D O T R A B A L H O Órgão Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Representação Efetiva Comissão Tripartite de Revisão (CTR) do Plano Nacional de Emprego e Trabalho Decente (PNETD) Representantes: Titular Lidiane Duarte Nogueira Advogada Divisão Sindical da CNC Suplente Roberto Luis Lopes Nogueira Advogado Divisão Sindical da CNC (Compareceu) Ações Reunião Ordinária realizada no dia 2 de dezembro de 2014 A reunião foi realizada na sede do MTE, em Brasília. Consistindo da Atividade de Encerramento da Revisão dos Indicadores do PNTED, com a presença de membros integrantes da CTR do PNETD, de representantes das bancadas dos trabalhadores, dos empregadores e do governo, com seus respetivos representantes técnicos, e da Organização Internacional do Trabalho (OIT). O representante governamental apresentou informe sobre os trabalhos de revisão dos indicadores do PNETD no ano de Em primeiro plano, esclareceu que o processo é composto de duas fases: uma dedicada à revisão dos indicadores, em especial aqueles que não foram passíveis de mensuração precisa durante o exercício de

2 monitoramento das metas de 2011, e outra dedicada a uma revisão mais abrangente do plano (incluindo uma revisão de seus resultados e metas), com o objetivo de promover o alinhamento dos seus conteúdos às Resoluções da I Conferência Nacional de Emprego e Trabalho Decente (CNETD), ao plano plurianual (PPA) , à estrutura do sistema único de emprego e trabalho decente, às ações de promoção do trabalho decente nos grandes eventos, considerando-se, ainda, as prioridades da agenda do desenvolvimento pós Essa revisão tem como objetivo geral promover a melhoria contínua do processo de elaboração, implementação, monitoramento e avaliação dos programas de ações relacionados ao mundo do trabalho, por meio do diálogo social, contribuindo para o aperfeiçoamento da gestão de políticas públicas. Ressaltou que os objetivos específicos da primeira fase do processo de revisão são o aperfeiçoamento do conjunto de indicadores utilizado, a fim de possibilitar a melhoria no monitoramento e na implementação do plano, incorporando, de forma sistemática, as recomendações e evidências geradas pelo exercício realizado em 2011, e o fortalecimento da cooperação e do diálogo entre o grupo de trabalho tripartite e os órgãos que compõem o Comitê Executivo Interministerial (CEI) da Agenda Nacional de Trabalho Decente (ANTD), assegurando a incorporação das novas demandas da sociedade e do próprio governo em relação ao mundo do trabalho. No ponto, ressaltou que, após a formação da CTR do PNETD, foram realizadas quatro reuniões setoriais e três oficinas com o objetivo de revisar os indicadores do plano. A primeira reunião setorial foi realizada em 3 de abril e tratou dos resultados 1 e 2; a segunda reunião setorial foi realizada em 21 de maio e analisou o resultado 3; a terceira reunião setorial foi realizada nos dias 21 e 22 de agosto para tratar

3 dos resultados 4, 5 e 6; e a quarta reunião setorial ocorreu nos dias 4 e 5 de setembro para exame dos resultados 7 a 12. Foram realizadas também três oficinas para ampliar o debate sobre o tema. A primeira no dia 8 de agosto, a segunda no dia 11 de setembro e a terceira no dia 18 de novembro. A primeira oficina tratou dos resultados 1 e 2-1) direcionamento de investimentos públicos e privados e estímulos fiscais e financeiros a setores estratégicos para a geração de emprego e a promoção do desenvolvimento sustentável por meio de empresas sustentáveis, empreendimentos para melhoria ou conservação da qualidade ambiental das micros e pequenas empresas, cooperativas e empreendimentos de economia solidária de agricultura familiar; 2) manutenção e institucionalização da política de valorização; e 3) sistema público de emprego, trabalho e renda fortalecido (integração e ampliação de políticas de qualificação, intermediação e segurodesemprego, especialmente para mulheres, jovens população negra e pessoas com deficiência). Em relação ao primeiro resultado, verificou-se a desconexão entre as metas e os indicadores previstos no plano. Em função dessa constatação, trabalhou-se na inclusão de novas proxys para cada uma das metas. Mesmo reconhecendo a limitação de indicadores para análise qualitativa dos investimentos, foi realizada uma aproximação mínima para avaliação dos efeitos dos investimentos em setores estratégicos. Serão considerados os setores da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) que foram beneficiados por desoneração e observada a geração de empregos na relação anual de informações sociais (Rais) e/ou no Cadastro Geral de Empregados e

4 Desempregados (Caged) para capturar a variação do emprego formal associada ao estímulo fiscal. Na análise do segundo resultado, verificou-se a necessidade de realizar debates sobre a política de valorização do salário mínimo, a fim de aprofundar o tema conceitualmente, tendo em vista a necessidade de formulação de novos indicadores à luz da meta de 2015, que fala em institucionalização da política de valorização do salário mínimo. Para 2015, sugeriu-se melhor conceituar a política de valorização do salário mínimo. Quanto ao terceiro resultado, observou-se que é preciso definir novos indicadores no campo de qualificação profissional, incluindo dados do Ministério da Educação (MEC) com o advento do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) em substituição ao Plano Nacional de Qualificação (PNQ). Outro tema relevante para a geração de indicadores são o seguro-desemprego e a integração de políticas do sistema público de emprego. Foi aventada a hipótese de se incluírem nesse estudo os recursos para qualificação de gastos por outros ministérios e órgãos, e não apenas aqueles decorrentes do convênio entre o PNQ e o Sistema Nacional de emprego (Sine). Outro tema debatido foi a necessidade de desagregação de dados por gênero, raça, etnia e faixa etária. Na segunda oficina foram analisados os resultados 4, 5 e 6-4) ampliação e fortalecimento da proteção social aos trabalhadores e trabalhadoras e as suas famílias, especialmente para grupos sociais mais vulneráveis e trabalhadores migrantes; 5) desenvolvimento de iniciativas legislativas e de políticas para facilitar a transição das atividades informais para a formalidade desenvolvidas, considerando-se as dimensões de gênero e raça; e 6) aumento da igualdade

5 de oportunidades e de tratamento no mundo do trabalho, em consonância com as convenções da OIT nº 100 e nº 111, ratificadas pelo Brasil. Quanto ao quarto resultado, discutiu-se a possibilidade de inclusão de indicadores sobre os principais programas de proteção social, e não só o bolsa família. No que toca às possibilidades de desagregação dos dados sobre acidentes graves e fatais, optou-se por simplificar o indicador de acordo com a realidade do trabalho de fiscalização. Foram revistos os indicadores relacionados com o Plano Nacional de Saúde e Segurança no Trabalho (Plansat) e sobre a reabilitação profissional. Em relação ao quinto resultado, foram incluídos indicadores sobre iniciativas legislativas e políticas públicas e inseridas sugestões de desagregação para todos os indicadores. Na análise do sexto resultado, foram revistos os indicadores sobre capacitação de representantes de fóruns, comissões, conselhos e gestores públicos, responsáveis pela formulação de políticas públicas, e foram aperfeiçoados os indicadores sobre registros administrativos e recorte de gênero, raça e cor. Na terceira oficina foram examinados os resultados 7 a 12: 7) erradicação progressiva do trabalho infantil; 8) implementação, monitoramento e avaliação do II Plano Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Pnete); 9) implementação, monitoramento e avaliação do Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (PNETP) e Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescente; 10) implementação, monitoramento e avaliação do II Pnete; 11) efetivação de medidas para promoção da Declaração

6 sobre Justiça Social para Globalização Equitativa, para promoção do exame das Normas Internacionais do Trabalho (NITs) e para aplicação das NITs ratificadas pelo Brasil, em consulta aos empregadores e trabalhadores; e 12) promoção de agendas de trabalho decente em regiões, estados e municípios e em setores econômicos, em consulta às organizações de empregadores e de trabalhadores. Na análise do sétimo resultado foram incluídos novos indicadores sobre o percentual de crianças, trabalhadores e integrantes no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), por meio da inserção de indicadores com dados relativos, buscando correlacionar trabalho infantil e escolas em turno integral. No oitavo resultado foram inseridos novos indicadores que reflitam os esforços e avanços na área do combate ao trabalho escravo, especificando o trabalho de fiscalização e de difusão de informação para inclusão de vítimas no mercado formal de trabalho. Quanto ao nono resultado, debateu-se sobre indicadores de capacitação dos conselheiros dos conselhos tutelares e atualizados os dados referentes ao andamento do plano de combate ao tráfico de pessoas. No décimo resultado foi evidenciada a necessidade de se realizar uma pesquisa que contribua para a geração de informações sobre os espaços de diálogo social vigentes no País. A OIT se dispôs a auxiliar na realização dessa pesquisa. Para o décimo primeiro resultado foi considerada a inclusão de novos indicadores que reflitam a promoção e o respeito às NITs. Para o décimo segundo resultado foram consideradas diversas iniciativas relacionadas à agenda, à

7 assinatura do compromisso pelo trabalho decente e à realização de oficinas sobre trabalho decente nos grandes eventos. Deve-se considerar a inclusão de novos indicadores sobre o avanço das agendas de trabalho decente. Por fim, explicitou-se que, no que se refere aos dados gerais sobre o exercício de monitoramento do PNETD realizado pela OIT instrumento de referência para a revisão dos indicadores, das 62 metas traçadas 43,5% foram alcançadas, 8% foram parcialmente alcançadas, 20,9% não foram alcançadas e em 27,4% não foram detectados elementos para verificar o cumprimento da meta. No que diz respeito aos indicadores, dos 84 previstos 77 foram considerados. Desse número, 35 foram mantidos, e 42 correspondem a novos indicadores. Ou seja, a taxa de aproveitamento foi de 41%. Assim, após a revisão, no referente à situação dos indicadores, temos 122 indicadores previstos no PNETD e 67 indicadores alterados/criados. Apresentado o informe, as bancadas se manifestaram acerca do encaminhamento do processo de revisão. A bancada dos empregadores suscitou dúvida no que se refere à validação desse processo de revisão, notadamente quanto à instância competente para tal CTR ou o Grupo de Trabalho Tripartite (GTT) da ANTD, ponderando-se que, primeiro, as bancadas devem se aprofundar e se apropriar desse documento, consultando as suas bases, para depois validá-lo no âmbito do GTT. Isso porque o GTT é a instância de decisão política da ANTD, e a Comissão é órgão técnico. Os trabalhadores concordaram com essa proposta de encaminhamento, no sentido de que deve ser facultado um prazo para análise do documento pelas bancadas, antes de submetê-lo à apreciação e à validação do GTT.

8 Encerrado esse prazo, o governo deveria consolidar as manifestações das bancadas, consignando os pontos de dissenso e consenso e os que ainda precisam ser melhorados. Após debates, restou acordado que essa proposta de encaminhamento seria levada pela Comissão de revisão ao GTT na reunião agendada para o dia 3 de dezembro de 2014.

Suplente Lidiane Duarte Nogueira. Ações Reunião Ordinária realizada no dia 3 de dezembro de 2014

Suplente Lidiane Duarte Nogueira. Ações Reunião Ordinária realizada no dia 3 de dezembro de 2014 R E L A Ç Õ E S D O T R A B A L H O Órgão Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Representação Efetiva Grupo de Trabalho Tripartite (GTT) para Implementação da Agenda Nacional de Trabalho Decente (ANTD)

Leia mais

Ações Reunião Ordinária realizada no dia 18 de julho de 2014

Ações Reunião Ordinária realizada no dia 18 de julho de 2014 R E L A Ç Õ E S D O T R A B A L H O Órgão Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Representação Efetiva Grupo de Trabalho Tripartite para Implementação da Agenda Nacional de Trabalho Decente Representante

Leia mais

NACIONAL DE TRABALHO DECENTE - PNTD

NACIONAL DE TRABALHO DECENTE - PNTD SEMINÁRIO SINDICAL SOBRE O PLANO NACIONAL DE TRABALHO DECENTE - PNTD Paulo Sergio Muçouçah Coordenador dos Programas de Trabalho Decente e Empregos Verdes Escritório da OIT no Brasil Roteiro da apresentação

Leia mais

Suplente Roberto Luis Lopes Nogueira Advogado Divisão Sindical da CNC. Ações Reunião Ordinária realizada nos dias 5 e 6 de abril de 2016.

Suplente Roberto Luis Lopes Nogueira Advogado Divisão Sindical da CNC. Ações Reunião Ordinária realizada nos dias 5 e 6 de abril de 2016. RELAÇÕES DO TRABALHO Órgão Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) Representação Efetiva Comissão Tripartite de Revisão do Plano Nacional de Emprego e Trabalho Decente (PNETD) Representantes

Leia mais

Plano Nacional de Trabalho Decente -

Plano Nacional de Trabalho Decente - Plano Nacional de Trabalho Decente - PNTD Ministério do Trabalho e Emprego Setembro de 2009 Trabalho Decente Contar com oportunidades de um trabalho produtivo com retribuição digna, segurança no local

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE

RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE Realizada de 08 a 11 de agosto de 2012 MÁRIO DOS SANTOS BARBOSA Assessor Especial para Assuntos Internacionais Coordenador da I CNETD

Leia mais

Ações Reunião realizada nos dias 13 a 16 de outubro de 2014

Ações Reunião realizada nos dias 13 a 16 de outubro de 2014 R E L A Ç Õ E S I N T E R N A C I O N A I S Órgão Organização Internacional do Trabalho (OIT) Representação Eventual 18ª Reunião Regional Americana da OIT Representante Lidiane Duarte Nogueira Advogada

Leia mais

Suplente Roberto Luis Lopes Nogueira. Ações Reunião Ordinária realizada no dia 18 de novembro de 2014

Suplente Roberto Luis Lopes Nogueira. Ações Reunião Ordinária realizada no dia 18 de novembro de 2014 R E L A Ç Õ E S D O T R A B A L H O Órgão Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Representação Efetiva Comissão Tripartite de Revisão (CTR) do Plano Nacional de Emprego e Trabalho Decente (PNETD) Representantes:

Leia mais

Vice-Presidente Associação Brasileira de Supermercados (Abras) Titular Lidiane Duarte Nogueira. Titular Fábio Gomes Morand Bentes

Vice-Presidente Associação Brasileira de Supermercados (Abras) Titular Lidiane Duarte Nogueira. Titular Fábio Gomes Morand Bentes R E L A Ç Õ E S D O T R A B A L H O Órgão Ministério do Trabalho e Emprego - MTE Representação Efetiva Grupo de Trabalho do CRT para discutir a "Informalidade do Trabalhador Empregado Representantes: Marcio

Leia mais

A reunião de instalação do Grupo de Trabalho (GT) foi realizada no edifício-sede do MTE, em Brasília DF.

A reunião de instalação do Grupo de Trabalho (GT) foi realizada no edifício-sede do MTE, em Brasília DF. E C O N O M I A Órgão Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Representação Efetiva Grupo de Trabalho para discutir a facilitação da transição da economia informal para a formalidade Representante Lidiane

Leia mais

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD Conferência Estadual de Emprego e Trabalho Decente do Estado de Santa Catarina Camboriú, 31 de outubro de 2011 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. O conceito de

Leia mais

Agenda Nacional do. Novembro 2008

Agenda Nacional do. Novembro 2008 Agenda Nacional do Trabalho Decente Novembro 2008 Prioridades Gerar mais e melhores empregos, com igualdade de oportunidades e de tratamento Erradicar o trabalho escravo e eliminar o trabalho infantil,

Leia mais

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD Conferência Estadual de Emprego e Trabalho Decente do Estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, 14 de dezembro de 2011 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. O conceito

Leia mais

O conceito de Trabalho Decente

O conceito de Trabalho Decente O Trabalho Decente O conceito de Trabalho Decente Atualmente a metade dos trabalhadores de todo o mundo (1,4 bilhão de pessoas) vive com menos de 2 dólares ao dia e portanto, é pobre quase 20% é extremamente

Leia mais

IGUALDADE DE GÊNERO E RAÇA NA AGENDA DO TRABALHO DECENTE. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Outubro 2011

IGUALDADE DE GÊNERO E RAÇA NA AGENDA DO TRABALHO DECENTE. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Outubro 2011 IGUALDADE DE GÊNERO E RAÇA NA AGENDA DO TRABALHO DECENTE Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Outubro 2011 O conceito de TRABALHO DECENTE Formalizado pela OIT em 1999 Sintetiza sua missão

Leia mais

A OIT e as Agendas de Trabalho Decente Oficina de Troca de Experiências para a Construção de Agendas Subnacionais de Trabalho Decente

A OIT e as Agendas de Trabalho Decente Oficina de Troca de Experiências para a Construção de Agendas Subnacionais de Trabalho Decente A OIT e as Agendas de Trabalho Decente Oficina de Troca de Experiências para a Construção de Agendas Subnacionais de Trabalho Decente Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, 26 de

Leia mais

AGENDA NACIONAL DE TRABALHO DECENTE PARA A JUVENTUDE. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, 27 de junho de 2012

AGENDA NACIONAL DE TRABALHO DECENTE PARA A JUVENTUDE. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, 27 de junho de 2012 AGENDA NACIONAL DE TRABALHO DECENTE PARA A JUVENTUDE Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, 27 de junho de 2012 Esquema da apresentação A. Por que uma agenda de trabalho decente

Leia mais

A Trajetória ria da Agenda de Trabalho Decente no Brasil

A Trajetória ria da Agenda de Trabalho Decente no Brasil A Trajetória ria da Agenda de Trabalho Decente no Brasil Andrea Rivero de Araújo Oficial de Projeto Programas de Trabalho Decente em Países do Mercosul Organização Internacional do Trabalho Boa Vista,

Leia mais

Nesta reunião foram debatidos os seguintes temas:

Nesta reunião foram debatidos os seguintes temas: R E L A Ç Õ E S I N T E R N A C I O N A I S Órgão Mercado Comum do Sul (Mercosul) Representação Efetiva Comissão Temática I - Relações Trabalhistas Representante Titular Lidiane Duarte Nogueira Advogada

Leia mais

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD Ana Lúcia Monteiro Organização Internacional do Trabalho 28 de outubro de 2011 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO 1. O Conceito de Trabalho Decente 2. O compromisso

Leia mais

Trabalho Decente no Brasil. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil

Trabalho Decente no Brasil. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Trabalho Decente no Brasil Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre, 31 de outubro de 2011 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO 1. O Conceito de Trabalho Decente 2. O compromisso do Brasil com

Leia mais

Aprimoramento do Programa diante dos avanços da cobertura e da qualificação da

Aprimoramento do Programa diante dos avanços da cobertura e da qualificação da 1. Redesenho do PETI Fortalecer a Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil por meio de ações estratégicas intersetoriais voltadas ao enfrentamento das novas incidências de atividades identificadas

Leia mais

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD

A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD A Agenda do Trabalho Decente no Brasil e a I CNETD Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Salvador, 22 de setembro de 2011 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO 1. O Conceito de Trabalho Decente 2. O compromisso

Leia mais

APOIO: OFICINA DE ACTIVIDADES PARA LOS TRABAJADORES (ACTRAV) SUMÁRIO EXECUTIVO

APOIO: OFICINA DE ACTIVIDADES PARA LOS TRABAJADORES (ACTRAV) SUMÁRIO EXECUTIVO APOIO: OFICINA DE ACTIVIDADES PARA LOS TRABAJADORES (ACTRAV) SUMÁRIO EXECUTIVO Seminário sobre a elaboração do Plano Nacional do Trabalho Decente e a participação dos Trabalhadores São Paulo, 29 e 30 de

Leia mais

Panorama Mundial do Trabalho Infantil e a Experiência Brasileira

Panorama Mundial do Trabalho Infantil e a Experiência Brasileira Panorama Mundial do Trabalho Infantil e a Experiência Brasileira Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Forum Mundial de Direitos Humanos Brasília, 12 dezembro 2013 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

DIÁLOGO SOCIAL E TRIPARTISMO NO BRASIL

DIÁLOGO SOCIAL E TRIPARTISMO NO BRASIL DIÁLOGO SOCIAL E TRIPARTISMO NO BRASIL Diálogo social e Tripartismo no Brasil Conceito de Diálogo Social Diálogo social é o processo no qual atores sociais, econômicos, políticos, ou grupos sociais, legitimamente

Leia mais

Lidiane Duarte Nogueira Advogada Divisão Sindical da CNC

Lidiane Duarte Nogueira Advogada Divisão Sindical da CNC RELAÇÕES INTERNACIONAIS Órgão Organização Internacional do Trabalho (OIT) Representação Eventual 105ª Conferência Internacional do Trabalho Representante Lidiane Duarte Nogueira Advogada Divisão Sindical

Leia mais

Proteção Social: Um direito e uma necessidade para a promoção do Trabalho Decente. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil

Proteção Social: Um direito e uma necessidade para a promoção do Trabalho Decente. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Proteção Social: Um direito e uma necessidade para a promoção do Trabalho Decente Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Maringá, PR - 30 de maio de 2012 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO 1. Os Conceitos

Leia mais

AGENDA ESTADUAL DO TRABALHO DECENTE

AGENDA ESTADUAL DO TRABALHO DECENTE AGENDA ESTADUAL DO TRABALHO DECENTE Segundo definição da OIT, Trabalho Decente é um trabalho adequadamente remunerado, exercido em condições de liberdade, eqüidade e segurança, capaz de garantir uma vida

Leia mais

MTE MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Seminário sobre Políticas Públicas Intersetoriais: Proteção Social e Emprego

MTE MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Seminário sobre Políticas Públicas Intersetoriais: Proteção Social e Emprego MTE MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Seminário sobre Políticas Públicas Intersetoriais: Proteção Social e Emprego Rio de Janeiro, 30 de novembro e 01 de dezembro de 2010 A experiência Brasileira: Qualificação

Leia mais

Secretaria de Políticas para as Mulheres Presidência da República

Secretaria de Políticas para as Mulheres Presidência da República Secretaria de Políticas para as Mulheres Presidência da República Apresentação de propostas e formalização de Convênios com a SPM - PR Vitória, maio de 2011 Secretaria de Políticas para as Mulheres Criada

Leia mais

MATRIZ 4: ESTRATÉGIA NACIONAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

MATRIZ 4: ESTRATÉGIA NACIONAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MATRIZ 4: ESTRATÉGIA NACIONAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL CARTA

Leia mais

Suplente Roberto Luis Lopes Nogueira

Suplente Roberto Luis Lopes Nogueira R E L A Ç Õ E S I N T E R N A C I O N A I S Órgão Ministério do Trabalho e Emprego - MTE Representação Efetiva Comissão Tripartite de Relações Internacionais - CTRI Representantes: Titular Darci Piana

Leia mais

LEI Nº /2013 CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL

LEI Nº /2013 CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL LEI Nº. 1.282/2013 Ementa: Institui o Plano Plurianual do Município de Ouricuri para o período de 2014 a 2017. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE OURICURI/PE, no uso de suas atribuições legais, faz saber que A

Leia mais

Desenvolvimento, Trabalho Decente e Igualdade Racial

Desenvolvimento, Trabalho Decente e Igualdade Racial Desenvolvimento, Trabalho Decente e Igualdade Racial Lais Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, julho de 2012 Esquema da Apresentação 1. Trabalho decente e estratégia de desenvolvimento

Leia mais

Elaboração do Plano Plurianual

Elaboração do Plano Plurianual Elaboração do Plano Plurianual 2016-2019 Fórum Dialoga Brasil Interconselhos Brasília-DF, 14 a 16 de abril de 2015 1 O que é o PPA É o instrumento constitucional de planejamento governamental que espelha

Leia mais

TRABALHO DECENTE um conceito em disputa. Roni Barbosa Maio 2013

TRABALHO DECENTE um conceito em disputa. Roni Barbosa Maio 2013 TRABALHO DECENTE um conceito em disputa Roni Barbosa Maio 2013 CONTEXTO DO SURGIMENTO DA RECOMENDAÇÃO DE TRABALHO DECENTE Visão flexibilizadora do projeto neoliberal conduziu a mudanças no papel do Estado

Leia mais

Programa de Combate ao Racismo Institucional - PCRI

Programa de Combate ao Racismo Institucional - PCRI Programa de Combate ao Racismo Institucional - PCRI Apoio: DFID- Ministério do Governo Britânico para o Desenvolvimento Internacional PNUD Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento RACISMO INSTITUCIONAL

Leia mais

E AUTONOMIA DAS MULHERES

E AUTONOMIA DAS MULHERES E AUTONOMIA DAS Faz-se necessário identificar as organizações de mulheres artesãs e possibilitar a articulação das cadeias produtivas de artesanatos geridas por mulheres. o que orienta o Programa O desafio

Leia mais

NOTA TÉCNICA/GRETNIGEP- ` )t 12015

NOTA TÉCNICA/GRETNIGEP- ` )t 12015 Correios NOTA TÉCNICA/GRETNIGEP- ` )t 12015 DESTINO: Vice-Presidência de Gestão de Pessoas ASSUNTO: Programa Diversidade, Inclusão e Direitos Humanos Subtítulo 1 Diversidade, Inclusão e Direitos Humanos

Leia mais

TRABALHO DECENTE E JUVENTUDE NO BRASIL. Julho de 2009

TRABALHO DECENTE E JUVENTUDE NO BRASIL. Julho de 2009 TRABALHO DECENTE E JUVENTUDE NO BRASIL Brasília, Julho de 2009 Trabalho Decente e Juventude no Brasil 1. Diagnóstico da situação magnitude do déficit de Trabalho Decente para os jovens relação educação

Leia mais

A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989);

A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989); A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989); Essa reunião mundial (CNUMAD - 92) foi organizada para elaborar a estratégia para deter e reverter

Leia mais

Avaliação do Plano Plurianual

Avaliação do Plano Plurianual Avaliação do Plano Plurianual Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Belo Horizonte, 24 e 25 de novembro de 2008 Quarta Reunião da Rede de Monitoramento e Avaliação da América Latina e

Leia mais

Estratégias e desafios de implementação dos ODS: o olhar da Comissão Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Estratégias e desafios de implementação dos ODS: o olhar da Comissão Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Presidência da República Secretaria de Governo Secretaria Nacional de Articulação Social Estratégias e desafios de implementação dos ODS: o olhar da Comissão Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

AS POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL E O PLANO PLURIANUAL

AS POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL E O PLANO PLURIANUAL AS POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL E O PLANO PLURIANUAL 2012-2015 Brasília DF Julho de 2011 1 A Política Nacional de Promoção da Igualdade Racial e a SEPPIR Essa Política tem como objetivo principal

Leia mais

Índice do diário. De Emprego e Trabalho Decente. A PREFEITA MUNICIPAL DE ANTONIO CARDOSO, ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições,

Índice do diário. De Emprego e Trabalho Decente. A PREFEITA MUNICIPAL DE ANTONIO CARDOSO, ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, Diário Oficial Ano: 1 Páginas: 6 Atos Oficiais Decreto - Decreto 421 de 2011 Índice do diário Atos Oficiais Decreto Decreto 421 de 2011 DECRETO Nº 421/2011 DE 27 DE MAIO DE 2011. Convoca a I Conferência

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO I CONFERÊNCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DOS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO I CONFERÊNCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DOS OBJETIVOS Versão Final 11 de março de 2011 REGIMENTO INTERNO I CONFERÊNCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DOS OBJETIVOS Art. 1º A I Conferência Nacional de Emprego e Trabalho Decente

Leia mais

Documento Preliminar para Consulta Pública Outubro de Atendimento de crianças e adolescentes com direitos violados ou ameaçados:

Documento Preliminar para Consulta Pública Outubro de Atendimento de crianças e adolescentes com direitos violados ou ameaçados: Documento Preliminar para Consulta Pública Outubro de 2010 2.4 Atendimento de crianças e adolescentes com direitos violados ou ameaçados: 2.4.6 Trabalho infantil A exploração do trabalho é uma violação

Leia mais

TEMA 3 TRABALHO DESIGUAL? NOVAS FORMAS DE DESIGUALDADE E A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

TEMA 3 TRABALHO DESIGUAL? NOVAS FORMAS DE DESIGUALDADE E A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO TEMA 3 TRABALHO DESIGUAL? NOVAS FORMAS DE DESIGUALDADE E A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO O TRABALHO DIGNO, A JUSTIÇA SOCIAL E O FUTURO DO TRABALHO OIT: MISSÃO Desenvolve o seu trabalho no âmbito da redução da

Leia mais

(Compareceu) Representante Observador Marcio Milan. Vice-presidente Associação Brasileira de Supermercados (Abras)

(Compareceu) Representante Observador Marcio Milan. Vice-presidente Associação Brasileira de Supermercados (Abras) R E L A Ç Õ E S D O T R A B A L H O Órgão Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Representação Efetiva Grupo de Trabalho do Sistema de Registro Eletrônico de Ponto Representantes: Titular Alain Alpin Mac

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

O Pacto Mundial para o Emprego:

O Pacto Mundial para o Emprego: O Pacto Mundial para o Emprego: Uma resposta à crise Escritório da OIT no Brasil Seminário sobre a Elaboração do PNTD e a Participação dos Trabalhadores São Paulo, 29 de setembro de 2009 Objetivo estratégico

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2012 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL META: COMBATE AO TRABALHO INFANTIL

Leia mais

Seminário sobre Emprego para Jovens Painel 3: Desenvolvimento e promoção de políticas, estratégias e serviços integrados

Seminário sobre Emprego para Jovens Painel 3: Desenvolvimento e promoção de políticas, estratégias e serviços integrados w w w. c a p l a b. o r g. p e Seminário sobre Emprego para Jovens Painel 3: Desenvolvimento e promoção de políticas, estratégias e serviços integrados Rio de Janeiro, 20 e 21 de maio de 2008 1 Objetivo

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL 5 Tópicos da apresentação Menu 2 01 02 03 04 05 INTRODUÇÃO METODOLOGIA UTILIZADA DIAGNÓSTICOS PLANO ESTRATÉGICO PRÓXIMOS

Leia mais

A visão da OIT sobre o Trabalho Decente

A visão da OIT sobre o Trabalho Decente Boletim Econômico Edição nº 61 maio de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico A visão da OIT sobre o Trabalho Decente 1 1. CONCEITO DE TRABALHO DECENTE O conceito de Trabalho

Leia mais

Laís Ab A ram a o Diret e o t ra r do Escrit i ó t rio i da O IT n o Brasil Cuiab a á b, 06 d e Fe F v e e v r e ei e r i o r de

Laís Ab A ram a o Diret e o t ra r do Escrit i ó t rio i da O IT n o Brasil Cuiab a á b, 06 d e Fe F v e e v r e ei e r i o r de Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Cuiabá,, 06 de Fevereiro de 2014 Evento de grande relevância econômica, social e cultural 12 cidades sedes: Cuiabá, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba,

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DO SUAS AVANÇOS E DESAFIOS

IMPLEMENTAÇÃO DO SUAS AVANÇOS E DESAFIOS SECRETARIA DE ESTADO DO TRABALHO, EMPREGO E PROMOÇÃO SOCIAL Núcleo de Coordenação da Assistência Social IMPLEMENTAÇÃO DO SUAS AVANÇOS E DESAFIOS POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO VIII CONFERÊNCIA ESTADUAL DE

Leia mais

PLANO DE AÇÃO

PLANO DE AÇÃO INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO 2016-207 São Luís 2016 1 INTRODUÇÃO O plano de ações da CPA define os rumos dos trabalhos que serão desenvolvidas pela

Leia mais

DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLU ÇÃO N 0212005 NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO DEPARTAMENTO NACIONAL 1)0 SESI - APROVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS - O PRESIDENTE DO DO SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Cooperativismo Social no Brasil: Conceitos, Desafios e Propostas

Cooperativismo Social no Brasil: Conceitos, Desafios e Propostas Cooperativismo Social no Brasil: Conceitos, Desafios e Propostas LEONARDO PINHO COORDENADOR COOPERATIVISMO SOCIAL UNISOL BRASIL DIRETOR DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SAÚDE MENTAL (ABRASME) EXECUTIVA DA REDE

Leia mais

Políticas de emprego e renda

Políticas de emprego e renda Políticas de emprego e renda - Como gerar e sustentar ocupações? Produção Depende de condições históricas e institucionais 1- Políticas macroeconômicas e de desenvolvimento: prioridades 2- Paradigma técnico-produtivo:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 548, DE 20 DE JULHO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº 548, DE 20 DE JULHO DE 2007 RESOLUÇÃO Nº 548, DE 20 DE JULHO DE 2007 Aprova a Proposta Orçamentária do Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT para o Exercício de 2008. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador - CODEFAT,

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

Sistema Único do Trabalho

Sistema Único do Trabalho Apresentação de proposta de Sistema Único do Trabalho Brasília DF 16 de julho de 2014 ANTECEDENTES 1958 Convenção OIT nº 88, Organização do Serviço de Emprego; 1975 Decreto nº 76.403 cria o Sistema Nacional

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA 2004-2007 (Projeto de Lei nº 41/2005-CN) PARECER DA COMISSÃO SUBSTITUTIVO

Leia mais

AGENDA DA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICAS PARA POPULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO. Rio de Janeiro, julho 2013

AGENDA DA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICAS PARA POPULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO. Rio de Janeiro, julho 2013 AGENDA DA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICAS PARA POPULAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Rio de Janeiro, julho 2013 1. PROGRESSO BRASILEIRO RECENTE 1.1 Crescimento inclusivo 1. PROGRESSO BRASILEIRO RECENTE 1.1 Crescimento

Leia mais

I Conferência Estadual de Desenvolvimento Regional

I Conferência Estadual de Desenvolvimento Regional I Conferência Estadual de Desenvolvimento Regional Setembro 2012 AS PESSOAS EM PRIMEIRO LUGAR BRASIL 4ª maior economia Alto grau de desigualdade Disparidade na Educação, Saúde e Renda Má divisão das riquezas

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2011

PLANO DE TRABALHO 2011 Unidade Temática do Turismo Apresentada pela cidade Porto Alegre 1) Introdução PLANO DE TRABALHO 2011 Fortalecer o turismo internacional é um trabalho prioritário que deve ser cada vez mais consolidado

Leia mais

Reabilitação Integral: o desafio de uma política intersetorial. Conselho Nacional de Previdência Social

Reabilitação Integral: o desafio de uma política intersetorial. Conselho Nacional de Previdência Social Reabilitação Integral: o desafio de uma política intersetorial. Conselho Nacional de Previdência Social Junho 2016 Reabilitação Profissional Lei 8213/1991 Artigo 89 Decreto 3048/1999 Artigo 136 A prestação

Leia mais

Relatório da atividade: Igualdade de oportunidade e não discriminação nas relações de trabalho DIEESE, OIT e INSPIR 01 e 02 de outubro de 2009

Relatório da atividade: Igualdade de oportunidade e não discriminação nas relações de trabalho DIEESE, OIT e INSPIR 01 e 02 de outubro de 2009 Relatório da atividade: Igualdade de oportunidade e não discriminação nas relações de trabalho DIEESE, OIT e INSPIR 01 e 02 de outubro de 2009 Acordo DIEESE/ OIT Apresentação A atividade teve como objetivos

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações para a implementação do Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade, e dá outras

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES TERMO DE REFERÊNCIA. Cidadania e Efetivação de Direitos das Mulheres

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES TERMO DE REFERÊNCIA. Cidadania e Efetivação de Direitos das Mulheres PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES TERMO DE REFERÊNCIA Cidadania e Efetivação de Direitos das Mulheres A SPM ampliou seu escopo de atuação no ano de 2008, com a

Leia mais

7. ASSISTÊNCIA SOCIAL

7. ASSISTÊNCIA SOCIAL 7. ASSISTÊNCIA SOCIAL O Sistema Único de Assistência Social (SUAS) adota as seguintes categorias de atenção ao cidadão para as ações e serviços de assistência social (BRASIL, 2005): Proteção Social Básica

Leia mais

ANUÁRIO DO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA Indicadores da Agenda de Trabalho Decente. Ministério do Trabalho e Previdência Social

ANUÁRIO DO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA Indicadores da Agenda de Trabalho Decente. Ministério do Trabalho e Previdência Social ANUÁRIO DO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA 2 0 1 5 Indicadores da Agenda de Trabalho Decente Ministério do Trabalho e Previdência Social Presidenta da República Dilma Vana Rousseff Ministro

Leia mais

A Câmara Municipal de São Bernardo do Campo decreta: CAPÍTULO I DA POLÍTICA DE FOMENTO À ECONOMIA SOLIDÁRIA E SEUS AGENTES

A Câmara Municipal de São Bernardo do Campo decreta: CAPÍTULO I DA POLÍTICA DE FOMENTO À ECONOMIA SOLIDÁRIA E SEUS AGENTES P R O J E T O D E L E I - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - Institui a política de fomento à economia solidária, e dá outras providências. A Câmara Municipal de São Bernardo do Campo decreta: CAPÍTULO

Leia mais

DIREITO AO TRABALHO ASSOCIADO

DIREITO AO TRABALHO ASSOCIADO Leonardo Pinho leo_pinho79@yahoo.com.br DIREITO AO TRABALHO ASSOCIADO E AUTOGERIDO GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA COMO DISPOSITIVO DA SAÚDE INTRODUÇÃO: O Direito ao Trabalho e Renda é parte dos chamados direitos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL TERMO DE ADESÃO AO COMPROMISSO NACIONAL PELA PARTICIPAÇÃO SOCIAL O Município (NOME), representado

Leia mais

Seminário em prol do Desenvolvimento. Socioeconômico do Xingu. Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES

Seminário em prol do Desenvolvimento. Socioeconômico do Xingu. Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES Seminário em prol do Desenvolvimento Socioeconômico do Xingu Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES 16/06/2015 1 Atuação do BNDES no Entorno de Projetos A Política de Atuação no Entorno busca

Leia mais

Agenda 2030 Brasil Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Alinhamento de Políticas Públicas aos ODS

Agenda 2030 Brasil Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Alinhamento de Políticas Públicas aos ODS Agenda 2030 Brasil Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Alinhamento de Políticas Públicas aos ODS Construção da Agenda 2030 2012 2015 2000 ODM Agenda 2030 Brasil A Agenda 2030 visa ao alcance

Leia mais

CLXV Reunião Ordinária do Conselho Pleno da ANDIFES

CLXV Reunião Ordinária do Conselho Pleno da ANDIFES Presidência da República Secretaria de Governo Secretaria Nacional de Articulação Social CLXV Reunião Ordinária do Conselho Pleno da ANDIFES Natal RN, 27 de julho de 2017 Etapas da Agenda 2030 ETAPA DE

Leia mais

Projeto: Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS COLETIVO MS Ministério da Saúde Secretaria Executiva

Projeto: Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS COLETIVO MS Ministério da Saúde Secretaria Executiva Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS 2011 2014 Ministério da Saúde Secretaria Executiva O Coletivo MS é um grupo de trabalhadores do Ministério da Saúde, coordenado pela Secretaria Executiva,

Leia mais

Monitoramento do Uso dos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil. Valéria Virginia Lopes

Monitoramento do Uso dos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil. Valéria Virginia Lopes Monitoramento do Uso dos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil Valéria Virginia Lopes INDICADORES DA Coordenação Fundação Orsa, UNDIME, Unicef, Ação Educativa e Coedi/SEB/MEC. Grupo Técnico Ação

Leia mais

Regimento Interno da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura

Regimento Interno da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura Regimento Interno da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura Capítulo I Da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC) Artigo 1º A Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC) é um colegiado autônomo,

Leia mais

Usuários Trabalhadores Entidades Quais e quantos eventos de mobilização antecederam a Conferência? Tipo de Eventos de Mobilização

Usuários Trabalhadores Entidades Quais e quantos eventos de mobilização antecederam a Conferência? Tipo de Eventos de Mobilização REGISTRO DO PROCESSO DA CONFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 2015 Informações Gerais da Conferência Municipal: 1. Nome do Município /UF: SURUBIM-PE 2. Identificação da Conferência: VII CONFERÊNCIA MUNICIPAL

Leia mais

GESTÃO POR RESULTADOS DA PREFEITURA DE OSASCO/SP Uma reflexão sobre planejamento, monitoramento e avaliação

GESTÃO POR RESULTADOS DA PREFEITURA DE OSASCO/SP Uma reflexão sobre planejamento, monitoramento e avaliação Seminário Reforma Gerencial 20+20 GESTÃO POR RESULTADOS DA PREFEITURA DE OSASCO/SP Uma reflexão sobre planejamento, monitoramento e avaliação Prefeito Jorge Lapas 27 de agosto 2015 TEMAS A SEREM ABORDADOS

Leia mais

Objetivo Geral. Objetivos Específicos

Objetivo Geral. Objetivos Específicos Apresentação A promoção do trabalho decente é condição para um crescimento econômico inclusivo, redutor da pobreza e das desigualdades sociais e promotor do desenvolvimento humano. O trabalho decente significa

Leia mais

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS Escolaridade de nível superior de acordo com a NOB/RH/2006

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E NORMAS DE COOPERAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E NORMAS DE COOPERAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO E NORMAS DE COOPERAÇÃO Audiência Pública em 14/6/16 Na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados Adão Francisco de Oliveira Secretário de Estado da Educação do Tocantins

Leia mais

Planos Decenais de Educação Desafios e perspectivas para a próxima década da implementação ao monitoramento

Planos Decenais de Educação Desafios e perspectivas para a próxima década da implementação ao monitoramento Planos Decenais de Educação Desafios e perspectivas para a próxima década da implementação ao monitoramento Alessio Costa Lima Dirigente Municipal de Educação de Tabuleiro do Norte/ CE Presidente da Undime

Leia mais

Relações raciais e educação - leis que sustentaram o racismo e leis de promoção da igualdade racial e étnica 23/06

Relações raciais e educação - leis que sustentaram o racismo e leis de promoção da igualdade racial e étnica 23/06 Relações raciais e educação - leis que sustentaram o racismo e leis de promoção da igualdade racial e étnica 23/06 Bel Santos Mayer Vera Lion Políticas de Promoção da Igualdade de oportunidades e tratamento

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2013 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 1- POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL 1.1- META: COMBATE AO TRABALHO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DA INICIATIVA DIÁLOGO EMPRESAS E POVOS INDIGENAS

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DA INICIATIVA DIÁLOGO EMPRESAS E POVOS INDIGENAS TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTORIA PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DA INICIATIVA DIÁLOGO EMPRESAS E POVOS INDIGENAS (JULHO à DEZEMBRO DE 2017) I. Histórico e Contexto Em 2012, associações indígenas

Leia mais

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária Constituição do Brasil O que é SCJS Uma Estrategia De Reconhecimento e

Leia mais

CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA NACIONAL DA EDUCAÇÃO BÁSICA INTRODUÇÃO O Ministério de Educação, nos últimos três anos, vem construindo uma concepção educacional tendo em vista a articulação dos níveis e modalidades de ensino,

Leia mais

Conferência Internacional do Trabalho

Conferência Internacional do Trabalho Conferência Internacional do Trabalho PROTOCOLO À CONVENÇÃO 29 PROTOCOLO À CONVENÇÃO SOBRE TRABALHO FORÇADO, 1930, ADOTADA PELA CONFERÊNCIA EM SUA CENTÉSIMA TERCEIRA SESSÃO, GENEBRA, 11 DE JUNHO DE 2014

Leia mais

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015;

1 Verificar num primeiro momento as ações para cumprimento das Metas/estratégias com prazo definido para 2015; Subcomissão permanente para Acompanhar, monitorar e avaliar o processo de implementação das estratégias e do cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação PNE sugestões para Plano de Trabalho Consultorias

Leia mais

BPM como subsídio à Gestão Estratégica Escritório de Gestão de Processos e Projetos Estratégicos. Secretaria Executiva/MEC

BPM como subsídio à Gestão Estratégica Escritório de Gestão de Processos e Projetos Estratégicos. Secretaria Executiva/MEC BPM como subsídio à Gestão Estratégica Escritório de Gestão de Processos e Projetos Estratégicos Secretaria Executiva/MEC Histórico do Escritório de Processos Mapeamento de Sistemas na Diretoria de TI

Leia mais

CONSTRUINDO O PLANO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

CONSTRUINDO O PLANO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE 2009 PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE GESTORES AMBIENTAIS PNC/PR Elias Araujo Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos CONSTRUINDO O PLANO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE Texto de apoio

Leia mais