Implantação da Gestão da Qualidade no Serviço de Atenção Domiciliar - Unimed Federação Paraná

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Implantação da Gestão da Qualidade no Serviço de Atenção Domiciliar - Unimed Federação Paraná"

Transcrição

1

2 Implantação da Gestão da Qualidade no Serviço de Atenção Domiciliar - Unimed Federação Paraná

3 Roteiro Cenário da Unimed Paraná; Abordar a relevância do Tema; Apresentar algumas Propostas de ações para Gestão da Qualidade no SAD; Resultados Alcançados;

4 UNIMED PARANÁ Cooperativa 2º 23 Cooperativas - 1 Federação - 22 Singulares OPERADORA Vidas ESTADO Cooperados Benef.

5 CONCEITO DE QUALIDADE EM SERVIÇOS DE SAÚDE Busca instrumentalizar a organização de saúde de tal forma que seja assegurado ao cliente que toda organização estará voltada para maximizar os cuidados e benefícios e minimizar os riscos (inerentes à ação médico-terapêutica). (Gastal e Leite, 1992)

6 Incidência de Eventos Adversos na AD EAs em 19,2% dos 286 casos; A taxa de EAs foi de 13,2 por 100 casos de atenção domiciliar; Consideraram que 32,7% dos EAs tinham uma probabilidade de evitabilidade >50%; Seis óbitos (10,9%) ocorreram entre os pacientes que sofreram Eas; Os EAs mais comuns foram as quedas e os eventos adversos relacionados a medicamentos; Incidências de eventos adversos entre pacientes em atenção domiciliar - Três programas públicos de atenção domiciliar em Ontário, no Canadá (2013)

7 Ferramentas para Gestão da Qualidade DIAGRAMA DE CAUSA - EFEITO PDCA; FLUXOGRAMA 5W2H; 5S;

8 Certificações vigentes ONA Home doctor, Hospitalar Santa Cecília; Unimed Franca; Assistência médica domiciliar assunção SP, Cuidar saúde domiciliar MG; Nutrindo - serviço de internação domiciliar RJ; Certificação - (Consórcio Brasileiro de Acreditação Joint Commission International) Intensive Care Serviços Médicos Hospitalares - RJ Pronep Lar Internação Domiciliar RJ Pronep São Paulo Serviços Espec. Domiciliares e Hospit S.O.S Vida - Inovando em Saúde BA

9 AGENTES ENVOLVIDOS NO SAD Falta de planejamento para Alta; Desinteresse do médico em manter o acompanhamento; Necessidade de otimizar leitos; Modelo de contratualização; Multi empregos da equipe; Alto índice deturn over das equipes; Conflito de interesses na manutenção do atendimento; Complexidade e especificidade do serviço; Baixa qualificação profissional; UNIMED HOSPITAL PRESTADOR E EQ. MULTI FAMILIAR/ CUIDADOR PACIENTE Falta de padronização no Serviço; Aumento dos Custos Baixa resolutividade; Resp. de Gestão do Serviço; Judicialização; Críticas à burocratização dos procedimentos e rotinas de acesso aos serviços; Restrições quanto a liberalidade; Condição social fragilizada; Ausência de cuidador; Insegurança na Assistência; Contexto social; Condição de Saúde debilitada; Incapacidade de autocuidado; Exposição a Eventos Adversos;

10 Todo sistema é perfeitamente desenhado para obter os resultados que obtém

11 Linha do tempo SAD na Unimed Paraná Descrição de Mapeamento de processos, fluxogramas e parametrização no Sistema Gerenciamento de Casos para todos os beneficiários do SAD Discussão mensal com os prestadores de Serviço de Atenção Domiciliar Implantação e mensuração dos indicadores Integração do SAD aos Processos da Atenção à Saúde Escrita do Manual de Atenção à Saúde Avaliação Técnica nas empresas Início do SAD

12 Ações de Gestão da Qualidade 1. Mudança no modelo de gestão; 2. Alianças e contrato entre prestadores e operadora 3. Padronização dos processos de trabalho; 4. Sistematização e customização do serviço; 5. Avaliação por meio dos indicadores de desempenho;

13 Mudança no modelo de gestão; MODELO DE ATENÇÃO À SAÚDE UNIMEDS DO ESTADO DO PARANÁ

14 Alianças entre prestadores e operadora

15 Padronização dos processos de trabalho

16 Sistematização e customização do serviço

17 GESTÃO DE INDICADORES E PRODUTIVIDADE

18 Avaliação do Prestador por meio de visita técnica

19 Avaliação do Prestador por meio de visita técnica

20 Avaliação do Prestador por meio de visita técnica

21 Avaliação do Prestador por meio dos indicadores de desempenho INDICADORES DE DESEMPENHO PARA ATENÇÃO DOMICILIAR - UNIMED PARANÁ Domínio RESULTADO Medições Nº pts possíveis Indicador % METAS 1. Incidência de infecção: Incidência de úlcera por pressão 15 TOTAL 30 EFETIVIDADE/ SEGURANÇA 1. Incidência de erros relacionados a medicação Incidência de rehospitalização 15 TOTAL Absenteísmo 13 PROCESSO 2.Registros no Prontuário do paciente Satisfação do cliente/ paciente/ beneficiários 14 TOTAL 40 RESULTADO FINAL 100

22 Avaliação do Prestador por meio dos indicadores de desempenho A avaliação de desempenho terá por base os resultados alcançados pelos indicadores. Utilizamos como critério de avaliação dos prestadores os seguintes conceitos de classificação: Nível A = Bom Nível B = Alerta Nível C = Crítico Nível D = Inaceitável Obterá o conceito A, aquele prestador que atingir um resultado de 100% a 90%; Obterá o conceito B, aquele prestador que atingir um resultado de 89% a 80%; Obterá o conceito C, aquele prestador que atingir um resultado de 79% a 70%; Obterá o conceito D, aquele prestador que atingir um resultado de Inferior a 70%;

23 Avaliação do Prestador por meio dos indicadores de desempenho Avaliação que alcançar resultado inferior a 90% do que foi pactuado no Contrato receberá o conceito B, C ou D sendo portanto esse resultado é considerado insuficiente. Para esses casos o pagamento também será em resposta ao desempenho. Significa um tipo de pagamento variável atrelado a medição do desempenho e classificação obtida. Nível de Classificação Remuneração A 100% B -5% C -10% D Rever Contratualização

24 Resultado Indicadores de desempenho 2015 CLASSIFICAÇÃO GERAL Empresa 1 Empresa 2 Empresa 3 JANEIRO A B B FEVEREIRO A B C MARÇO B B B ABRIL B B B MAIO B B B JUNHO B B B JULHO B B B AGOSTO A B B SETEMBRO A A B OUTUBRO B B C NOVEMBRO B B B DEZEMBRO A A B Nível A = Bom Nível B = Alerta Nível C = Crítico Nível D = Inaceitável

25 GESTÃO DE INDICADORES

26 Resultados Alcançados Indicadores de Utilização FONTE: NÚCLEO DE INFORMAÇÕES FDPR N: 369

27 Resultados Alcançados 2015 Indicador Financeiro FONTE: NÚCLEO DE INFORMAÇÕES Projeção Series Temporais: a partir de uma Análise Estatística de Séries Temporais, cujo objetivo está em realizar estimativas futuras com base numa evolução histórico, utiliza-se este tipo de análise para estimar como seriam os custos assistenciais do Grupo Análise sem aderirem ao Programa, com base no histórico de custos antes da entrada no Programa. Para a projeção com aprendizagem de maquina, utilizou-se o algoritmo de redes neurais artificias, por meio de uma rede perceptron multicamada (MLP) com treinamento de ciclos com 8 camadas intermediarias, realizado por meio do software WEKA.

28 Resultados Alcançados 2015 Indicadores de Satisfação Indicadores Nota Média Grau de satisfação Grau de insatisfação Periodicidade do atendimento domiciliar/internamento domiciliar 4,6 92% 2% Tempo/duração do atendimento domiciliar/internamento domiciliar 4,4 84% 4% Cortesia e educação do profissional que lhe atende 4,8 98% 0% Conhecimento técnico do profissional 4,6 96% 0% Habilidade para explicar o problema de saúde e o tratamento a ser seguido 4,5 89% 0% Conselhos e orientações fornecidas pelo profissional 4,5 90% 0% Utilidade e aplicabilidade das informações 4,6 96% 0% Importância do atendimento domiciliar/internamento domiciliar 4,9 98% 0% Percepção de segurança no atendimento prestado 4,5 88% 4% Satisfação geral com o PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DO SERVIÇO DE ATENÇÃO DOMICILIAR Recomendaria o PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DO SERVIÇO DE ATENÇÃO DOMICILIAR para um familiar ou conhecido 4,6 96% 2% 4,9 100% 0% Usaria novamente o PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DO SERVIÇO DE ATENÇÃO DOMICILIAR 4,9 100% 0% FONTE: INSTITUTO BONILHA

29 Principais vantagens da implantação da gestão da qualidade Caminho para a Melhoria Contínua; Qualidade da Assistência; Segurança para os Pacientes e Profissionais; Restabelecimento de saúde com práticas mais definidas e disseminadas na instituição; Humanização no tratamento com Beneficiários; Competência técnica e prazer em fazer parte da equipe que integra;

30 O sistema de gestão da qualidade nos serviços de saúde não vem para burocratizar a assistência, mas sim para torná-la mais segura e eficiente, através da busca por melhores resultados.

31

32 OBRIGADO(A). Enfª Letícia Motta dos Santos Analista de Saúde Pleno

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA 18 de Novembro de 2016 UNIMED VITÓRIA / ES 328.000 CLIENTES, SENDO DESTES, 32.000 EM ATENÇÃO PRIMÁRIA; 2.360 MÉDICOS COOPERADOS; 260 PRESTADORES DE SERVIÇO;

Leia mais

Recursos Próprios 2013

Recursos Próprios 2013 Recursos Próprios 2013 " Serviços Próprios de Atendimento Pré-Hospitalar (SOS) e Assistência Domiciliar ( Home- Care): reconhecendo a importância destas modalidades assistenciais para o cliente e para

Leia mais

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED!

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! CONCEITO O Inova Unimed é um movimento de renovação que visa a modernização estrutural, operacional e administrativa da Unimed Vale do Aço. OBJETIVOS SATISFAZER

Leia mais

Analista em ACREDITAÇÃO EM SAÚDE

Analista em ACREDITAÇÃO EM SAÚDE Analista em ACREDITAÇÃO EM SAÚDE Focada na formação intelectual e no desenvolvimento de pessoas para integrarem e inovarem a nova cultura de negócios do XXI, a FAN oferece cursos para graduação e especialização

Leia mais

Auditoria Concorrente. Encontro de Auditoria Unimed Central-RS Porto Alegre 07 de agosto de 2015

Auditoria Concorrente. Encontro de Auditoria Unimed Central-RS Porto Alegre 07 de agosto de 2015 Auditoria Concorrente Encontro de Auditoria Unimed Central-RS Porto Alegre 07 de agosto de 2015 UNIMED PORTO ALEGRE 40,7% 46 de participação do mercado de planos de saúde no RS (ANS dezembro/2014) Municípios

Leia mais

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 12/5/2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Unimed no Estado de São Paulo Singulares - 73 Intrafederativas - 6 Federação

Leia mais

EXIJA QUALIDADE NA SAÚDE. Reunião do Grupo de Indicadores de Enfermagem do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar NAGEH

EXIJA QUALIDADE NA SAÚDE. Reunião do Grupo de Indicadores de Enfermagem do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar NAGEH EXIJA QUALIDADE NA SAÚDE Reunião do Grupo de Indicadores de Enfermagem do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar NAGEH 15 de agosto de Incidência de Queda de Paciente Incidência de Queda de Paciente 3,0

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS FGV CORPORATIVO 12.227/14_v3 QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas (**) Carga Horária (*) 1. Cooperativismo e Administração de Serviços

Leia mais

Acreditação. Acreditação

Acreditação. Acreditação Acreditação Acreditação 1621132 - Produzido em Abril/2011 Acreditação Rumo ao processo de Acreditação Hospitalar e gestão da melhoria contínua, é importante salientar as principais diferenças entre licenciamento,

Leia mais

GERENCIAMENTO da Atenção Domiciliar P.G.A.D.

GERENCIAMENTO da Atenção Domiciliar P.G.A.D. GERENCIAMENTO da Atenção Domiciliar P.G.A.D. Gerenciamento da Atenção Domiciliar PGAD.indd 1 19/10/2015 15:30:04 Gerenciamento da Atenção Domiciliar PGAD Objetivo: Fornecer suporte ao paciente para que

Leia mais

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Carla Sales Ingressou no sistema Unimed em 1995 Unimed do Brasil; Participou dos processos ligados ao atendimento durante a Criação da Central Nacional

Leia mais

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 leitos 19 leitos de UTI 5 Salas Cirúrgicas 300 Cirurgias/mês

Leia mais

Gestão da Qualidade na diálise como Ferramenta Gerencial

Gestão da Qualidade na diálise como Ferramenta Gerencial Gestão da Qualidade na diálise como Ferramenta Gerencial A busca da equipe Nefron pela Excelência Adm. Cristina Ferreira A EMPRESA NEFRON Ltda Sede: Rua PAULO D ASSUNÇÃO, 88 - JARDIM INDUSTRIAL - CONTAGEM

Leia mais

Gestão de Pessoas em Atenção Domiciliar

Gestão de Pessoas em Atenção Domiciliar Gestão de Pessoas em Atenção Domiciliar Terceirização de Mão de Obra: Modelos de Contratação Frente as Exigências de Mercado Rosana Margarete de Freitas Vieira Diretora Executiva da Med Lar Internações

Leia mais

Prestador PROGESERV. Unimed Filiada

Prestador PROGESERV. Unimed Filiada Prestador PROGESERV Unimed Filiada Avaliação da Rede Credenciada Clínicas de Oncologia SELO UNIMED DE AVALIAÇÃO RN 275 ANS/QUALISS; MOTIVAÇÃO RN 277 Certificação Operadora INMETRO (ISO 9.001); Como medir

Leia mais

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar ANA ADALGISA DE OLIVEIRA BORGES GESTORA DE ATENÇÃO DOMICILIAR - SERVIÇOS PRÓPRIOS UNIMEB-BH Introdução Definição Conceito de

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Plano de Trabalho Docente Qualificação: Técnico de Enfermagem

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico CETEC. Plano de Trabalho Docente Qualificação: Técnico de Enfermagem Plano de Trabalho Docente 2013 ETE Paulino Botelho Ensino Técnico Código: 091 Município:São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico de Enfermagem Qualificação:

Leia mais

O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº

O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: 2016-2020 O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº 8.246. As ações estratégicas serão monitoradas e

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Análise Crítica da Pré e Pós Certificação A qualidade não é um conjunto de técnicas, é a maneira de pensar o seu próprio negócio e isso não da pra copiar. Fonte: hsm.com.br Hospital

Leia mais

QUALIHOSP São Paulo, 03 de abril de 2012

QUALIHOSP São Paulo, 03 de abril de 2012 Regulação e Qualidade QUALIHOSP São Paulo, 03 de abril de 2012 Ações para melhoria da Qualidade Remuneração Qualificação Informação Qualidade Resolução Normativa n o 267 QUALIFICAÇÃO Programa de Divulgação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo tecnológico: AMBIENTE e SAÚDE Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

MANUAL PARA EMISSÃO DE CERTIFICADO DE QUALIDADE PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS DE SAÚDE

MANUAL PARA EMISSÃO DE CERTIFICADO DE QUALIDADE PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS DE SAÚDE Data: 13/07/2016 1. Objetivo O objetivo deste procedimento é detalhar a metodologia a ser utilizada para emitir o Certificado de Qualidade para Prestadores de Serviços de Saúde, conforme indicadores definidos

Leia mais

CARTILHA SEGURANÇA DO PACIENTE. Como você pode contribuir para que a saúde e segurança do paciente não seja colocada em risco na sua instituição?

CARTILHA SEGURANÇA DO PACIENTE. Como você pode contribuir para que a saúde e segurança do paciente não seja colocada em risco na sua instituição? CARTILHA SEGURANÇA DO PACIENTE Como você pode contribuir para que a saúde e segurança do paciente não seja colocada em risco na sua instituição? ESTA CARTILHA FOI DESENVOLVIDA PARA ORIENTÁ-LOS SOBRE AS

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO:

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: 2016-2020 O planejamento estratégico configura-se em ações que foram construídas com base nos objetivos consolidados na Lei nº 8.246. As ações estratégicas serão monitoradas e

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL IMPACTO Auditoria em Saúde S/A Abril de 2016 +20 anos de mercado +100 colaboradores 4 escritórios (Curitiba, Belo Horizonte, Florianópolis e Campinas) + 50 Operadoras clientes

Leia mais

Gestão de Custos Assistenciais. Dr. Orestes Barrozo M. Pullin Diretor-Presidente da Unimed Paraná

Gestão de Custos Assistenciais. Dr. Orestes Barrozo M. Pullin Diretor-Presidente da Unimed Paraná Gestão de Custos Assistenciais Dr. Orestes Barrozo M. Pullin Diretor-Presidente da Unimed Paraná 2 Gestão de Custos Assistenciais Atenção à Saúde Interação entre as áreas de Contratos e da Atenção à Saúde

Leia mais

Cenário Atual e Perspectivas da Saúde Suplementar

Cenário Atual e Perspectivas da Saúde Suplementar Cenário Atual e Perspectivas da Saúde Suplementar Renata Fernandes Cachapuz Chefe de Núcleo - RS Porto Alegre, 04 de dezembro de 2015. Sumário Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Dimensão do Setor

Leia mais

24º. Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos Jornada Nacional de Saúde Suplementar para Hospitais e Operadoras

24º. Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos Jornada Nacional de Saúde Suplementar para Hospitais e Operadoras 24º. Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos Jornada Nacional de Saúde Suplementar para Hospitais e Operadoras Tema: Conflitos: Desejos dos Clientes x Obrigações das Operadoras. Paulo

Leia mais

O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO?

O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO? O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO? É UM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DOS FATORES DE PRODUÇÃO, MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS, PROCESSOS E RECURSOS HUMANOS, VOLTADOS PARA A SOBREVIVÊNCIA DA EMPRESA, ATRAVÉS DA BUSCA CONSTANTE

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec:Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ENFERMAGEM Qualificação:TÉCNICO

Leia mais

Impacto da Acreditação da Joint Commission International na Gestão Hospitalar

Impacto da Acreditação da Joint Commission International na Gestão Hospitalar Seminários de Gestão Tendências e Inovações em Saúde Tendências em Saúde e Impactos na Gestão Hospitalar FEHOSUL Impacto da Acreditação da Joint Commission International na Gestão Hospitalar Helena Barreto

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR NOTA TÉCNICA 02 2006 POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR 1 Brasília, 10 de fevereiro de 2006. I. Introdução: NOTA TÉCNICA 02 2006 O Ministério da Saúde está propondo a implantação da Política Nacional

Leia mais

TRANSFORMAR PARA AVANÇAR

TRANSFORMAR PARA AVANÇAR TRANSFORMAR PARA AVANÇAR Tema: MUDANÇA PARA O MODELO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE Dra. Corina Maria Nina Viana Batista Temas Debatidos MUDANÇA PARA O MODELO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE Difusão para adoção

Leia mais

Eixo relacionado às ações de. Promoção à Saúde, Prevenção. de Riscos/Doenças e Atenção Domiciliar

Eixo relacionado às ações de. Promoção à Saúde, Prevenção. de Riscos/Doenças e Atenção Domiciliar CAS Comitê de Atenção Integral à Saúde Setembro /2012 Eixo relacionado às ações de G Promoção à Saúde, Prevenção T 1 de Riscos/Doenças e Atenção Domiciliar PRO 1 PRO 2 Qualidade & Segurança Comunicação

Leia mais

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva

Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva Seminário Nacional Unimed de Medicina Preventiva - 2009 Programa de Reabilitação Pulmonar Rosângela H. Araújo Santos Divisão Cooperados Total: 838 0,04% Gerência Executiva da Assistência e Promoção à Saúde

Leia mais

GNT Saúde Suplementar. Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017

GNT Saúde Suplementar. Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 GNT Saúde Suplementar Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 DRG e sua aplicabilidade na Saúde Suplementar GOLDETE PRISZKULNIK Executiva Médica em Gestão

Leia mais

Programa de Acreditação CBA-JCI Como estamos???

Programa de Acreditação CBA-JCI Como estamos??? QUALIHOSP Qualidade e Segurança São Paulo, 18 de Abril de 2011 Programa de Acreditação CBA-JCI Como estamos??? Heleno Costa Junior Relações Institucionais e Educação Mitos E Verdades... Mitos... 1. Acreditação

Leia mais

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado.

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Uma maneira diferente de focar a avaliação. Processo interativo,

Leia mais

EXIJA QUALIDADE NA SAÚDE

EXIJA QUALIDADE NA SAÚDE EXIJA QUALIDADE NA SAÚDE NAGEH - Enfermagem Benchmarking em Saúde 22 de fevereiro de 2017 Coordenação: Rosemeire K. Hangai Indicadores Assistenciais de Enfermagem 2015-2016 Incidência de Queda de Paciente

Leia mais

A enfermagem deve privilegiar suas ações específicas/próprias junto ao cliente e atuar como parceira dos demais profissionais, NÃO APENAS como

A enfermagem deve privilegiar suas ações específicas/próprias junto ao cliente e atuar como parceira dos demais profissionais, NÃO APENAS como Prof. Roberto Albuquerque VI JONAFES/2010 A enfermagem deve privilegiar suas ações específicas/próprias junto ao cliente e atuar como parceira dos demais profissionais, NÃO APENAS como suporte de ações

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL UNIMED DE VENDAS

ENCONTRO NACIONAL UNIMED DE VENDAS Atenção Primária à Saúde A experiência da Unimed-BH Triple Aim Como está nosso modelo tradicional de plano de saúde nestes 3 quesitos? Custos do cuidado http://www.iess.org.br/?p=publicacoes&id_tipo=13

Leia mais

Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos

Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos 15/03/2017 Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos Modelo Adotado Grupo São Lucas Ribeirania Ribeirão Preto Dr Pedro Antonio Palocci o Médico Pediatra formado pela XXIIIª Turma da FMRP-USP 1979

Leia mais

Encontro Nacional Unimed Assistentes Sociais 2013 GERENCIAMENTO PARA O PROCESSO DE DESOSPITALIZAÇÃO: POR QUE, QUANDO E COMO VIABILIZAR?

Encontro Nacional Unimed Assistentes Sociais 2013 GERENCIAMENTO PARA O PROCESSO DE DESOSPITALIZAÇÃO: POR QUE, QUANDO E COMO VIABILIZAR? Encontro Nacional Unimed Assistentes Sociais 2013 GERENCIAMENTO PARA O PROCESSO DE DESOSPITALIZAÇÃO: POR QUE, QUANDO E COMO VIABILIZAR? NOVOTEL / SP ABRIL 2013 DR. LUÍS CLÁUDIO MARROCHI Diretor Técnico

Leia mais

Hoje todos os prédios públicos de saúde do Município contam com infraestrutura para rede de computadores e telefonia, isso inclui principalmente as

Hoje todos os prédios públicos de saúde do Município contam com infraestrutura para rede de computadores e telefonia, isso inclui principalmente as .SAUDE Com a Tecnologia da Informação (TI) a Secretaria Municipal de Piraí vem atuando no desenvolvimento de estratégias tecnológicas com a finalidade de atender plenamente as necessidades de informatização.

Leia mais

Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado

Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado Atenção Básica: organização do trabalho na perspectiva da longitudinalidade e da coordenação do cuidado XXX Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo 13/abril/2016 O SUS e a Atenção

Leia mais

Bem-vindos! Alcançamos mais uma edição da pesquisa Empresas de Home Care mais Admiradas!

Bem-vindos! Alcançamos mais uma edição da pesquisa Empresas de Home Care mais Admiradas! Bem-vindos! Alcançamos mais uma edição da pesquisa Empresas de Home Care mais Admiradas! Esta edição 2015 traz como novidade a ampliação do perfil dos respondentes. Até então a pesquisa tinha como participante

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 168 aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/10/2012 Etec PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: AMBIENTE E

Leia mais

SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA

SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA APRESENTAÇÃO COMERCIAL O NEGÓCIO SISTEMA UNIMED SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA Qualidade comprovada Top of Mind (Plano mais lembrado pela sociedade), Certificação ONA Nível 3 (Acreditação de Excelência

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 168 aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/10/2012 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Ambiente

Leia mais

ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO. Atualização sobre enfoques e tendências atuais na Gestão da Saúde nas organizações

ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO. Atualização sobre enfoques e tendências atuais na Gestão da Saúde nas organizações ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO Atualização sobre enfoques e tendências atuais na Gestão da Saúde nas organizações É lançar mão de todas as funções e conhecimentos necessários, para através de pessoas

Leia mais

Depende da aprovação do Plano

Depende da aprovação do Plano Coordenador: Liliane Espinosa de Mello Reunião de 19/08/2014 SAÚDE Visão: Que Santa Maria seja o principal Polo na Área de Saúde do interior do Rio Grande do Sul, contribuindo para a melhor qualidade de

Leia mais

Implementação do Núcleo de Segurança do Paciente e elaboração do Plano de Segurança do Paciente. Helaine Carneiro Capucho, DSc.

Implementação do Núcleo de Segurança do Paciente e elaboração do Plano de Segurança do Paciente. Helaine Carneiro Capucho, DSc. Implementação do Núcleo de Segurança do Paciente e elaboração do Plano de Segurança do Paciente Helaine Carneiro Capucho, DSc. 21 de março de 2016 2007 Implantação do Comitê de Segurança do Paciente

Leia mais

Desenvolvimento da Habilidade na Resolução de Problemas por meio do Uso das Ferramentas da Qualidade no Serviço de Enfermagem. Ana Carolina G.

Desenvolvimento da Habilidade na Resolução de Problemas por meio do Uso das Ferramentas da Qualidade no Serviço de Enfermagem. Ana Carolina G. Desenvolvimento da Habilidade na Resolução de Problemas por meio do Uso das Ferramentas da Qualidade no Serviço de Enfermagem Ana Carolina G. Bonafim Hospital Unimed Bebedouro Objetivo Relatar como foi

Leia mais

Institucionalização do Plano Terapêutico Singular (PTS) em um Centro de Reabilitação. Área: Reabilitação. Setor: Equipe multidisciplinar

Institucionalização do Plano Terapêutico Singular (PTS) em um Centro de Reabilitação. Área: Reabilitação. Setor: Equipe multidisciplinar Institucionalização do Plano Terapêutico Singular (PTS) em um Centro de Reabilitação Área: Reabilitação Setor: Equipe multidisciplinar Modalidade: PDSA FASE 1 - PLANEJAR Dificuldade em priorizar a elaboração

Leia mais

GESTÃO DA CLINICA E A INSERÇÃO DAS UPA24H NA REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA

GESTÃO DA CLINICA E A INSERÇÃO DAS UPA24H NA REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA GESTÃO DA CLINICA E A INSERÇÃO DAS UPA24H NA REDE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA EM SÃO BERNARDO DO CAMPO COSEMS 2014 UBATUBA Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo Departamento de Atenção Hospitalar e

Leia mais

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO 1. ATIVIDADES MÍNIMAS A REALIZAR 1.1. ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Produção. 1.1.1. Realizar, no mínimo, 90% da meta estabelecida no Plano de Metas de 1.1.2. O indicador de aferição

Leia mais

Manual De Estudo Hospital Felício Rocho Educação Continuada 2 /2014

Manual De Estudo Hospital Felício Rocho Educação Continuada 2 /2014 Manual De Estudo Hospital Felício Rocho Educação Continuada 2 /2014 Prezado (a) Participante, Neste Manual estão importantes informações sobre o Planejamento Estratégico do HFR e sobre Acreditação/Certificação

Leia mais

COMISSÃO PARITÁRIA Redimensionamento da Rede Credenciada 14/11/2016

COMISSÃO PARITÁRIA Redimensionamento da Rede Credenciada 14/11/2016 COMISSÃO PARITÁRIA Redimensionamento da Rede Credenciada 14/11/2016 Conceito É o conjunto de profissionais e estabelecimentos de saúde, incluindo médicos, consultórios, laboratórios, clínicas e hospitais,

Leia mais

Gestão à Vista: Transparência e Produtividade na Comunicação Organizacional. Adriana Daum Machado Assessora da Qualidade

Gestão à Vista: Transparência e Produtividade na Comunicação Organizacional. Adriana Daum Machado Assessora da Qualidade Gestão à Vista: Transparência e Produtividade na Comunicação Adriana Daum Machado Assessora da Qualidade MERIDIONAL DADOS DADOS 2012 2012 HOSPITAL PRIVADO COM FINS LUCRATIVOS 169 LEITOS 62 LEITOS DE UTI

Leia mais

Certificação CARF Commission on Accreditation of Rehabilitation Facilities

Certificação CARF Commission on Accreditation of Rehabilitation Facilities Certificação CARF Commission on Accreditation of Rehabilitation Facilities Dra. Christina May Moran de Brito Coordenação Médica do Serviço de Reabilitação do Hospital Sírio-Libanês (HSL) e do Instituto

Leia mais

CARTILHA ATENÇÃO À SAÚDE

CARTILHA ATENÇÃO À SAÚDE CARTILHA PROGRAM AS DE ATENÇÃO À SAÚDE PROGRAMAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE A Unimed Cerrado pensando na saúde e bem-estar do seu cliente, disponibiliza diversos Programas de Atenção Integral à Saúde.

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS CAPÍTULO I DA CONCEPÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Participação nos Resultados da Cooperativa de Trabalho Médico da Região Oeste Catarinense

Leia mais

Sustentabilidade da Saúde Suplementar

Sustentabilidade da Saúde Suplementar Sustentabilidade da Saúde Suplementar Rafael Pedreira Vinhas Gerente-Geral Gerência-Geral Regulatória da Estrutura dos Produtos Fórum de Regulação do Sistema Unimed - Maceió, 11 de maio de 2016. Agência

Leia mais

GERENCIAMENTO DO ENXOVAL

GERENCIAMENTO DO ENXOVAL GERENCIAMENTO DO ENXOVAL Enfª Jaqueline Vieira Dellagustinho LAVANDERIA HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL UNIMED NORDESTE-RS HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL DADOS GERAIS 12.284m²

Leia mais

Negociações Integradas de OPME para Obtenção de Resultados

Negociações Integradas de OPME para Obtenção de Resultados Negociações Integradas de OPME para Obtenção de Resultados Sr. Jorge Luiz Gonçalves Coordenador Técnico do Comitê Técnico de Materiais Unimed Mercosul Coordenador Técnico do Comitê Técnico Nacional de

Leia mais

O Desafio do Prontuário Eletrônico

O Desafio do Prontuário Eletrônico O Desafio do Prontuário Eletrônico SOUZA J. G. A.; BOULANGER A.; LANDSBERG.G. Unimed-BH INTRODUÇÃO Contexto e Porte da Rede Núcleos de Atenção à Saúde Atenção Domiciliar Unimed Maternidade Unimed Centro

Leia mais

Registro Eletrônico de Saúde Unimed do Brasil

Registro Eletrônico de Saúde Unimed do Brasil Registro Eletrônico de Saúde Unimed do Brasil Números do Sistema 37 Prestadoras 297 Operadoras 15 Federações Institucionais 1 Confederação Nacional 1 Confederação Regional 1 Central Nacional 32 Federações

Leia mais

Santa Casa Fundada. Inaugurada em 1826

Santa Casa Fundada. Inaugurada em 1826 Santa Casa Fundada em 1803 Inaugurada em 1826 PERFIL Organização Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre Instituição de direito privado, filantrópica, de ensino e assistência social, reconhecida

Leia mais

INDICADORES EM RADIOTERAPIA RACIOCÍNIO CRÍTICO

INDICADORES EM RADIOTERAPIA RACIOCÍNIO CRÍTICO INDICADORES EM RADIOTERAPIA RACIOCÍNIO CRÍTICO Enfª Katia Moreira Enfª Maria Cavalcanti Enfª Fabiana Verdan INCA 74 ANOS DE HISTÓRIA INCA DE HOJE O INCA DE AMANHÃ MISSÃO Ações nacionais integradas para

Leia mais

IBES - Instituto Brasileiro Para Excelência em Saúde. Sistema Brasileiro de Acreditação Organização Nacional de Acreditação

IBES - Instituto Brasileiro Para Excelência em Saúde. Sistema Brasileiro de Acreditação Organização Nacional de Acreditação IBES - Instituto Brasileiro Para Excelência em Saúde Sistema Brasileiro de Acreditação Organização Nacional de Acreditação ONA - Organização Nacional de Acreditação Organização jurídica não governamental

Leia mais

Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar/DAB/SAS/MS

Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar/DAB/SAS/MS Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar/DAB/SAS/MS Reflexões sobre Atenção Domiciliar Causas da expansão do cuidado domiciliar mundial: Resposta a mudança do padrão demográfico e patológico Insuficiência

Leia mais

Fórum de Qualidade e Segurança em Anestesia Apresentação de Casos: Hospital Ernesto Dornelles

Fórum de Qualidade e Segurança em Anestesia Apresentação de Casos: Hospital Ernesto Dornelles Fórum de Qualidade e Segurança em Anestesia Apresentação de Casos: Hospital Ernesto Dornelles Airton Bagatini Vice-Presidente da SBA Corresponsável pelo CET do SANE Coordenador da Perspectiva Assistencial

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014 31/07/2014 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2012 Altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde, para tornar obrigatória a cobertura de assistência

Leia mais

Auditoria Farmacêutica. Unimed Federação Minas

Auditoria Farmacêutica. Unimed Federação Minas Auditoria Farmacêutica Unimed Federação Minas Unimed Federação Minas REPRESENTATIVIDADE POLÍTICO-INSTITUCIONAL 3 Milhões de clientes 56% de participação de mercado 16.530 cooperados NÚMEROS 61 Cooperativas

Leia mais

Acreditação de Operadoras: por que investir em qualidade?

Acreditação de Operadoras: por que investir em qualidade? Gestão da Qualidade investimento ou Despesa? Acreditação de Operadoras: por que investir em qualidade? Heleno Costa Junior Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) Assessor de Relações Institucionais

Leia mais

Processo de Certificação. Grupo PMQ

Processo de Certificação. Grupo PMQ Processo de Certificação da Operadora RN 277 Grupo PMQ UNIMED São José do Rio Preto Cooperados 1391 Clínicas 137 Hospitais 27 Sendo 14 Santa Casas e 13 Hospitais privados Serviços de Diagnose 111 Laboratórios

Leia mais

PROPOSTA DE INOVAÇÃO NO MIN REEMBOLSO NA RELAÇÃO DE INTERCÂMBIO

PROPOSTA DE INOVAÇÃO NO MIN REEMBOLSO NA RELAÇÃO DE INTERCÂMBIO PROPOSTA DE INOVAÇÃO NO MIN REEMBOLSO NA RELAÇÃO DE INTERCÂMBIO APRESENTAÇÃO A Unimed Federação Minas é a instituição responsável por promover a cooperação e o fortalecimento da Unimed em Minas Gerais.

Leia mais

JUDICIALIZAÇÃO DA SAUDE E OS DMI. Ministro Paulo de Tarso Vieira Sanseverino Rio de Janeiro, novembro de 2016

JUDICIALIZAÇÃO DA SAUDE E OS DMI. Ministro Paulo de Tarso Vieira Sanseverino Rio de Janeiro, novembro de 2016 JUDICIALIZAÇÃO DA SAUDE E OS DMI Ministro Paulo de Tarso Vieira Sanseverino Rio de Janeiro, novembro de 2016 INTRODUÇÃO Tema A judicialização da saúde em relação aos Dispositivos Médicos Implantáveis (DMI)

Leia mais

Relatório semestral Ouvidoria

Relatório semestral Ouvidoria Relatório semestral Ouvidoria Em atendimento à Resolução 4.433/2015 do Banco Central do Brasil e seus complementos, este relatório aborda os aspectos qualitativos e quantitativos da Ouvidoria da Cetelem,

Leia mais

Plano de Segurança do paciente

Plano de Segurança do paciente Plano de Segurança do paciente Enfª. M e Jovana Toniato . Plano de Segurança do Paciente Documento que aponta situações de risco e descreve as estratégias e ações definidas pelos serviços de saúde visando

Leia mais

Desafios da Alta no Programa de Atenção Domiciliar. Dr. Antonio Issa Ribeirão Preto-SP

Desafios da Alta no Programa de Atenção Domiciliar. Dr. Antonio Issa Ribeirão Preto-SP Desafios da Alta no Programa de Atenção Domiciliar Dr. Antonio Issa Ribeirão Preto-SP Os desafios da Alta no Programa de Atenção Domiciliar (AD) são complexos e envolvem várias diretrizes, argumentos,

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde SP Coordenadoria de Regiões de Saúde - CRS. Painel Santa Casa SUStentável

Secretaria de Estado da Saúde SP Coordenadoria de Regiões de Saúde - CRS. Painel Santa Casa SUStentável Painel Santa Casa SUStentável Em 11 de dezembro de 2013 foi realizado o lançamento do Programa de auxílio às Santas Casas e hospitais filantrópicos do Estado de São Paulo. O projeto, conhecido como Santa

Leia mais

Claudia Laselva Março_2017

Claudia Laselva Março_2017 Certificação Magnet: o que aprendemos nesta trajetória Claudia Laselva Março_2017 O que é o Magnet? É um programa destinado a reconhecer organizações de saúde que oferecem o melhor cuidado de enfermagem.

Leia mais

PDCA. Diagrama de Causa-Efeito. Sandra Cristine. Gerente de Qualidade Hospital Sírio-Libanês

PDCA. Diagrama de Causa-Efeito. Sandra Cristine. Gerente de Qualidade Hospital Sírio-Libanês PDCA Diagrama de Causa-Efeito Sandra Cristine Gerente de Qualidade Hospital Sírio-Libanês Gestão da Qualidade Medição Identificação das melhorias e problemas Ferramentas da Qualidade 7 Ferramentas da Qualidade

Leia mais

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde"

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde" QUALIHOSP São Paulo 18/04/2011 Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Leia mais

Avila ACT 1, Sartori J 2, Bello VA 3

Avila ACT 1, Sartori J 2, Bello VA 3 A construção de um protocolo de prevenção de úlcera por pressão em um hospital estadual que atende portadores de deficiência mental: relato de experiência Avila ACT 1, Sartori J 2, Bello VA 3 Introdução:

Leia mais

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Marcelo De Nardi Porto Alegre, 04 de julho de 2011. CONTEXTUALIZAÇÃO Poder Judiciário no Contexto da Gestão Pública Nacional Processos

Leia mais

Como elaborar campanhas e treinamentos. Enf. Juliana Prates Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Hospital Mãe de Deus

Como elaborar campanhas e treinamentos. Enf. Juliana Prates Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Hospital Mãe de Deus Como elaborar campanhas e treinamentos Enf. Juliana Prates Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Hospital Mãe de Deus Por onde começar... Importante definir : Quais os focos de atuação do Controle

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇOS CLÍNICOS

IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇOS CLÍNICOS IMPLANTAÇÃO DE SERVIÇOS CLÍNICOS FARMACÊUTICOS NA ATENÇÃO BÁSICA EM UMA REGIÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO FELIPE TADEU CARVALHO SANTOS CARACTERIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Região do Itaim Pta composta por dois

Leia mais

Gestão de Custos. Soluções e Controle de Doenças Crônicas. Junho, 2017 Romero Franca

Gestão de Custos. Soluções e Controle de Doenças Crônicas. Junho, 2017 Romero Franca Gestão de Custos Soluções e Controle de Doenças Crônicas Junho, 2017 Romero Franca Nossa missão $184,8 Bi Ajudar as pessoas a viver de forma mais saudável e contribuir para que o sistema de saúde funcione

Leia mais

STATUS REPORT SEMANAL DO PROJETO 26/10/2012

STATUS REPORT SEMANAL DO PROJETO 26/10/2012 STATUS REPORT SEMANAL DO PROJETO 26/10/2012 Estrutura do Projeto SISTEMA BASE 2012 FORTALECER 2013 É o fundamento para todo o projeto. Isto permitirá a Unimed Blumenau ter a sustentação para o crescimento.

Leia mais

Qualidade e Acreditação x Proteção Radiológica. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI

Qualidade e Acreditação x Proteção Radiológica. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI Qualidade e Acreditação x Proteção Radiológica Hélio Castello Diretor de Qualidade Profissional SBHCI I Workshop Nacional sobre Proteção Radiológica em Cardiologia Intervencionista - 2012 Hemodinâmica

Leia mais

GRUPO DE APOIO A MEDICINA PREVENTIVA E À SAUDE PÚBLICA

GRUPO DE APOIO A MEDICINA PREVENTIVA E À SAUDE PÚBLICA GRUPO DE APOIO A MEDICINA PREVENTIVA E À SAUDE PÚBLICA GRUPO DE APOIO À MEDICINA PREVENTIVA E À SAÚDE PÚBLICA GAMP QUEM SOMOS O GAMP é uma Organização Social planejada e efetivada em consonância com as

Leia mais

Relatório das Atividades da Ouvidoria

Relatório das Atividades da Ouvidoria Relatório das Atividades da Ouvidoria Em atendimento à Resolução 4.433/2015 do Banco Central do Brasil e seus complementos, este relatório aborda os aspectos qualitativos e quantitativos da Ouvidoria da

Leia mais

Grupo de Indicadores de Clientes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) 13 de novembro de 2013

Grupo de Indicadores de Clientes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) 13 de novembro de 2013 Grupo de Indicadores de Clientes do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) 13 de novembro de 2013 Relatório de Indicadores elaborado pelo Grupo de Indicadores de Clientes versão 2010 Taxa de Satisfação

Leia mais

Unidade II TÉCNICAS DE RACIONALIZAÇÃO. Prof. Me. Livaldo dos Santos

Unidade II TÉCNICAS DE RACIONALIZAÇÃO. Prof. Me. Livaldo dos Santos Unidade II TÉCNICAS DE RACIONALIZAÇÃO DE PROCESSOS Prof. Me. Livaldo dos Santos Objetivos Ferramentas para análise dos processos Etapas do Processo de Racionalização Outras técnicas de apoio à melhoria

Leia mais

RESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO: UM ESTUDO DE CASO DA UNIMED-BH. Área temática: Gestão pela Qualidade Total

RESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO: UM ESTUDO DE CASO DA UNIMED-BH. Área temática: Gestão pela Qualidade Total RESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO: UM ESTUDO DE CASO DA UNIMED-BH. Área temática: Gestão pela Qualidade Total Ana Cláudia Mendes ana.cmendes@unimedbh.com.br Francisco Junior francisco.junior@unimedbh.com.br

Leia mais

Categoria: Gestão do Atendimento e Segurança do Paciente Subcategoria: Classe 2. Viviane R Buffon Diretora Clínica

Categoria: Gestão do Atendimento e Segurança do Paciente Subcategoria: Classe 2. Viviane R Buffon Diretora Clínica Categoria: Gestão do Atendimento e Segurança do Paciente Subcategoria: Classe 2 Implantação da Comissão de Colaboração Clínica como ferramenta de Gestão do Atendimento e de Segurança do Paciente em âmbito

Leia mais