AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO"

Transcrição

1 AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 2012, Outubro, 29 LEI Nº 23/2012, 25 DE JUNHO 2 ORGANIZAÇÃO DOS TEMPOS DE TRABALHO 3 1

2 BANCO DE HORAS 4 Lei nº 23/2012, 25 Junho Artigo 208º-A A partir de 1 de Agosto de 2012; Banco de horas individual: Instituído por acordo, entre trabalhador e empregador; Até 2 horas / dia; Até 50 horas / semana; Até 150 horas / ano; 5 Lei nº 23/2012, 25 Junho Artigo 208º-B A partir de 1 de Agosto de 2012 Banco de horas grupal: Instituído por IRCT; Aplicação pelo empregador a uma equipa, seção ou unidade económica; Se aceite por 75% dos trabalhadores; Não se aplica a trabalhador abrangido por IRCT que disponha em contrário. 6 2

3 Lei nº 23/2012, 25 Junho Artigos 208º-A e 208º-B A partir de 1 de Agosto de 2012 A compensação pelo trabalho prestado em acréscimo, pode ser feita mediante: Redução equivalente do tempo de trabalho; Aumento do período de férias; Pagamento em dinheiro. 7 TRABALHO SUPLEMENTAR 8 Código do Trabalho Artigos 226º a 232º Duração máxima permitida: Duas horas, em período diário de trabalho; Um número de horas igual ao período normal de trabalho, quando prestado em dia de descanso semanal, obrigatório ou complementar, e nos feriados obrigatórios; Um número de horas igual a meio período de trabalho, em meio dia de descanso complementar. 9 3

4 Código do Trabalho Artigo 228º Duração máxima permitida: Micro ou pequenas empresas: 175 horas / ano; Médias e grandes empresas: 150 horas / ano; Por instrumento de regulamentação coletiva de trabalho este limite pode ser aumentado: Até 200 horas / ano. 10 Código do Trabalho Artigo 228º Duração máxima permitida: Trabalhador a tempo parcial: 80 horas ou proporcional a trabalhador a tempo completo em situação comparável, quando superior. Aumento da duração: Por acordo das partes até 130 horas/ano. Aumento da duração: Por IRCT até 200 horas/ano. 11 Registo Código do Trabalho Artigo 230º Anotação das horas de início e termo do trabalho suplementar; Visado pelo trabalhador imediatamente a seguir à prestação; Indicação expressa do fundamento; Anotação dos períodos de descanso compensatório. 12 4

5 Código do Trabalho Artigo 231º Registo O empregador tem de o manter 5 anos; durante Obrigação declarativa ACT Anual Relatório Único. 13 Código do Trabalho Artigo 229º Descanso compensatório Quando o trabalhador desempenhe trabalho suplementar impeditivo do gozo do seu descanso diário, Descanso compensatório remunerado equivalente ao número de horas de descanso em falta; A gozar num dos 3 dias úteis seguintes; Marcação por acordo, ou em caso de desacordo, pelo empregador. 14 Código do Trabalho Artigo 229º Descanso compensatório Quando o trabalhador desempenhe trabalho suplementar em dia de descanso semanal obrigatório, Tem direito a um dia de descanso compensatório remunerado; A gozar num dos 3 dias úteis seguintes; Marcação por acordo, ou em caso de desacordo, pelo empregador. 15 5

6 Código do Trabalho Artigo 90º Descanso compensatório O trabalhador estudante que preste trabalho suplementar, Tem direito a descanso compensatório, Igual a metade do número de horas prestadas. 16 Código do Trabalho Artigo 268º Retribuição / Acréscimo: 25% - 1ª hora, em dia normal de trabalho; 37,5% - 2ª hora ou fracção, em dia normal de trabalho; 50% - em dia de descanso semanal, obrigatório ou complementar; 17 Código do Trabalho Artigo 269º Retribuição / Acréscimo: 50% - dia de feriado obrigatório; ou, em alternativa, Descanso compensatório com duração igual a metade do número de horas prestadas; Conforme decisão do empregador. 18 6

7 FERIADOS 19 Código do Trabalho Artigos 234º a 236º A partir de dia 1 de Janeiro de 2013, São eliminados 4 feriados obrigatórios: 2 De caráter religioso Corpo de Deus (festa móvel, em Junho); Dia 1 de Novembro (Dia de todos os santos). 2 De caráter laico Dia 5 de Outubro (Implantação da república); Dia 1 de Dezembro (Restauração da independência). 20 FÉRIAS 21 7

8 Código do Trabalho Artigo 238º Majoração do período de férias A partir do dia 1 de Agosto de 2012; Deixou de existir majoração do período de férias; A partir do dia 1 de Janeiro de 2013, a regra geral é a de estarem garantidos 22 dias úteis de férias. 22 Código do Trabalho Artigos 237º a 247º Marcação do período de férias Regra geral Marcação por acordo entre o empregador e o trabalhador; Em caso de cônjuges (ou quem viva em união de facto, ou economia comum) Sempre que não haja prejuízo para a empresa; Deverão gozar férias em idêntico período. 23 Código do Trabalho Artigo 238º Marcação do período de férias Na falta de acordo entre o empregador e o trabalhador, na marcação de férias Entre 1 de Maio e 31 de Outubro; Microempresas: Entre 1 de Janeiro e 31 de Dezembro; Empresa com actividade ligada ao turismo: 25% do período de férias, entre 1 de Maio e 31 de Outubro, a gozar de forma consecutiva. 24 8

9 Código do Trabalho Artigo 242º Marcação do período de férias: O empregador pode encerrar a empresa ou o estabelecimento, Total ou parcialmente, para férias, Um dia que esteja entre feriado que ocorra à 3ª ou à 5ª feira, e dia de descanso semanal; Tendo que avisar até 15 de Dezembro do ano anterior. 25 FALTAS 26 Código do Trabalho Artigos 248º a 257º Efeito das faltas injustificadas A perda da antiguidade relativa à(s) falta(s) injustificada(s); A perda de retribuição: Do(s) dia(s) de falta(s) injustificada(s); Dos dias e meios-dias de descanso, complementar ou obrigatório, ou feriados, Imediatamente anteriores e, ou, posteriores, ao dia ou meio-dia de falta injustificada. 27 9

10 CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 28 Código do Trabalho Artigos 367º a 372º Despedimento por extinção do posto de trabalho: Existindo vários trabalhadores com postos de trabalho idênticos, Cabe ao empregador indicar os critérios objetivos da extinção do posto de trabalho em causa; O que por si só justifica a impossibilidade de subsistência da relação jurídica de emprego; 29 Código do Trabalho Artigos 373º a 80º Despedimento por inadaptação do posto de trabalho: Não colide com a proteção especial aos trabalhadores com capacidade de trabalho reduzida, deficiência ou doença crónica; A formação deve ser ministrada por entidade formadora certificada ou autoridade competente; Modificação substancial da prestação do trabalhador, que se preveja tenha caráter definitivo

11 Lei nº 23/2012, 25 Junho As novas regras de cálculo de compensação a pagar ao trabalhador, Pela cessação do seu contrato individual de trabalho, entraram em vigor no dia 1 de Agosto de 2012; Aplicam-se a todos os contratos de trabalho, mesmo aos já em execução à data de entrada em vigor da lei; 31 Regime transitório para: Lei nº 23/2012, 25 Junho A compensação a pagar pela caducidade de contratos a termo, celebrados antes de 31 de Outubro de 2011; A compensação a pagar pela cessação de contratos de trabalho sem termo, celebrados antes de 31 de Outubro de 2011; Até ao dia 31 de Outubro de Lei nº 23/2012, 25 Junho Altera o artigo 366º, do Código do Trabalho; Que passa a constituir a regra para o pagamento da compensação em caso de cessação de contrato individual de trabalho, Independentemente do motivo dessa cessação

12 Assim o regime do artigo 366º, para o despedimento coletivo, aplica-se, por remissão: À cessação do contrato de trabalho em comissão de serviço; À caducidade do contrato a termo certo e a termo incerto; À cessação do contrato de trabalho por despedimento: Lei nº 23/2012, 25 Junho Inadaptação ao posto de trabalho; Extinção do posto de trabalho; 34 Lei nº 23/2012, 25 Junho Assim o regime do artigo 366º, para o despedimento coletivo, aplica-se, por remissão: No caso de morte do empregador; No caso de extinção da pessoa colectiva; No caso de encerramento ou insolvência da empresa. 35 Código do Trabalho Artigo 366º A compensação devida por cessação corresponde a 20 dias, De retribuição base e diuturnidades (se o trabalhador a elas tiver direito), Por cada ano completo de antiguidade; Em caso de fração de ano, o montante da compensação é calculado proporcionalmente

13 Para aferição do montante de compensação a pagar, Divide-se o valor de retribuição base (acrescido de diuturnidades se o trabalhador a elas tiver direito), Por 30; Código do Trabalho Artigo 366º E multiplica-se, o montante achado, por 20: [ (Rb : 30) x 20 ] x cada ano completo de antiguidade 37 Código do Trabalho Artigo 366º Para efeitos de obrigatoriedade de pagamento pelo empregador, O valor da retribuição base mensal, acrescido de diuturnidades (quando o trabalhador a elas tiver direito), Não pode ser superior a 20 vezes a retribuição mínima mensal garantida: (= <) 485,00 x 20 = 9 700,00 38 Código do Trabalho Artigo 366º Para efeitos de obrigatoriedade de pagamento pelo empregador, O montante global da compensação, a pagar pelo empregador ao trabalhador, Não pode ser superior a 12 vezes, A retribuição base mensal e diuturnidades (se o trabalhador a elas tiver direito); 39 13

14 Código do Trabalho Artigo 366º Para efeitos de obrigatoriedade de pagamento pelo empregador, Se o valor da retribuição base mensal, acrescido de diuturnidades (quando o trabalhador a elas tiver direito), For superior a 20 vezes a retribuição mínima mensal garantida, 40 Código do Trabalho Artigo 366º O limite do valor global da compensação a pagar pelo empregador, Não poderá exceder 240 vezes a retribuição mínima mensal garantida (= <) 485,00 x 240 = ,00 41 EXEMPLOS PRÁTICOS 42 14

15 EXEMPLO 1 Trabalhador contratado a termo certo, pelo prazo de 6 meses, com início em 01/Jan./2011 (e termo em 30/Jun./2011): 1ª Renovação: 01/Jul./ /Dez./2011; 2ª Renovação: 01/Jan./ /Jun./2012; 3ª Renovação: 01/Jul./ /Dez./2012. Retribuição base mensal: 500,00; 43 EXEMPLO 1 CÁLCULO ATÉ 31/OUT./2012 Valor mensal de retribuição: 500,00 Valor diário de retribuição: 23,04 ( 500,00 x 12 meses) : (52 semanas x 40 horas) De 1/Jan./2011 a 31/Out./2012: 22 meses (2 dias x 23,04) x 22 meses = 1 013,76 1ª parte da compensação: 1 013,76 44 EXEMPLO 1 CÁLCULO APÓS 31/OUT./2012 Valor mensal de retribuição: 500,00 Valor base de cálculo: 333,40 [( 500,00 : 30 dias) x 20 dias] De 01/Nov./2012 a 31/Dez./2012: 2 meses ( 333,40 : 12 meses) x 2 meses = 55,56 2ª parte da compensação: 55,

16 EXEMPLO 1 CÁLCULO GLOBAL 1 013, ,56 Compensação global: 1 069,32 46 EXEMPLO 2 Trabalhador contratado sem termo (ou inicialmente contatado a termo, mas cujo contrato se converteu em contrato sem termo), em 01/Jan./2007; Data de cessação: 30/Set./2012; Retribuição base mensal: 500,00; Uma diuturnidade: 23,35; 47 EXEMPLO 2 CÁLCULO ATÉ 31/OUT./2012 Valor mensal e diuturnidades: 523,35 Nº de anos completos de antiguidade: 5 Antiguidade: 5 anos + 9 meses Cálculo: ( 523,35 x 5) + ( 523,35 : 12 x 9) Compensação: 3 009,

17 EXEMPLO 3 Trabalhador contratado sem termo (ou inicialmente contatado a termo, mas cujo contrato se converteu em contrato sem termo), em 01/Jan./2007; Data de cessação: 31/Jan./2013; Retribuição base mensal: 500,00; Uma diuturnidade: 23,35; 49 EXEMPLO 3 CÁLCULO ATÉ 31/OUT./2012 Valor mensal e diuturnidades: 523,35 Nº de anos completos de antiguidade: 5 Antiguidade: 5 anos + 10 meses Cálculo (de 01/Jan./2007 a 31/Out./2012): ( 523,35 x 5) + ( 523,35 : 12 x 10) 1ª parte da compensação: 3 052,87 50 EXEMPLO 3 CÁLCULO APÓS 31/OUT./2012 Valor mensal e diuturnidades: 523,35 Valor base de cálculo: 348,90 [( 523,35 : 30 dias) x 20 dias] De 01/Nov./2012 a 31/Jan./2013: 3 meses ( 348,90 : 12 meses) x 3 meses = 87,22 2ª parte da compensação: 87,

18 EXEMPLO 3 CÁLCULO GLOBAL 3 052,87+ 87,22 Compensação global: 3 140,09 52 EXEMPLO 4 Trabalhador contratado sem termo (ou inicialmente contatado a termo, mas cujo contrato se converteu em contrato sem termo), em 01/Jan./2000; Data de cessação: 31/Jan./2013; Retribuição base mensal: 500,00; Uma diuturnidade: 23,35; 53 EXEMPLO 4 CÁLCULO ATÉ 31/OUT./2012 Valor mensal e diuturnidades: 523,35 Nº de anos completos de antiguidade: 12 Antiguidade: 12 anos + 10 meses Cálculo (de 01/Jan./2000 a 31/Out./2012): ( 523,35 x 12) 1ª parte da compensação: 6 280,

19 EXEMPLO 4 CÁLCULO APÓS 31/OUT./2012 Valor mensal e diuturnidades: 523,35 Valor base de cálculo: 348,90 [( 523,35 : 30 dias) x 20 dias] De 01/Nov./2012 a 31/Mar./2013: 5 meses ( 348,90 : 12 meses) x 5 meses = 145,37 2ª parte da compensação: 0 55 EXEMPLO 4 CÁLCULO GLOBAL 6 280, Compensação global: 6 280,20 56 LEI Nº 3/2012, 10 DE JANEIRO RENOVAÇÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONTRATO A TERMO CERTO 57 19

20 Lei nº 3/2012, 10 Janeiro Artigo 1º Aplica-se aos contratos de trabalho a termo certo, Que até 30 de Junho de 2013, Atinjam o limite máximo da sua duração, nos termos do nº 1, do artigo 148º, do Código do Trabalho, ou seja: Perfaçam 3 (três) renovações; ou, Atinjam, no total, os 3 (três) anos de duração. 58 Lei nº 3/2012, 10 Janeiro Artigo 2º 2 (duas) renovações extraordinárias; Essas 2 (duas) renovações não podem exceder 18 (dezoito) meses; Cada renovação extraordinária terá o prazo mínimo de: 1/6 da duração máxima do contrato de trabalho a termo certo (ou seja, 6 meses); ou, 1/6 da duração efetiva do contrato de trabalho a termo certo em análise, se inferior àqueles 6 meses; 59 Lei nº 3/2012, 10 Janeiro Artigo 2º O limite temporal máximo das 2 (duas) renovações extraordinárias, Será sempre, o dia 31 de Dezembro de

21 Lei nº 3/2012, 10 Janeiro Artigo 3º O contrato de trabalho a termo certo, sujeito a este regime de renovação extraordinária, Em que se excedam os limites agora determinados, Converte-se em contrato sem termo. 61 EXEMPLOS PRÁTICOS II 62 EXEMPLO 1 Trabalhador contratado a termo certo, pelo prazo de 6 meses, com início em 01/Set./2010 (e termo em 28/Fev./2011): 1ª Renovação: 01/Mar./ /Ago./2011; 2ª Renovação: 01/Set./ /Fev./2012; 3ª Renovação: 01/Mar./ /Ago./2012; 1ª Renov. extraord.: 01/Set./ /Fev./2013; 2ª Renov. extraord.: 01/Mar./ /Ago./2013. Retribuição base mensal: 500,00; 63 21

22 EXEMPLO 1 CÁLCULO ATÉ 31/AGO./2012 Valor mensal de retribuição: 500,00 Valor diário de retribuição: 23,04 ( 500,00 x 12 meses) : (52 semanas x 40 horas) De 1/Set./2010 a 31/Ago./2012: 24 meses (2 dias x 23,04) x 24 meses = 1 105,92 1ª parte da compensação: 1 105,92 64 EXEMPLO 1 CÁLCULO APÓS 31/AGO./2012 Valor mensal de retribuição: 500,00 Valor base de cálculo: 333,40 [( 500,00 : 30 dias) x 20 dias] De 01/Set./2012 a 31/Ago./2013: 12 meses 1 ano completo de antiguidade = 333,40 2ª parte da compensação: 333,40 65 EXEMPLO 1 CÁLCULO GLOBAL 1 105, ,40 Compensação global: 1 439,

23 EXEMPLO 2 Trabalhador contratado a termo certo, pelo prazo de 6 meses, com início em 01/Jan./2011 (e termo em 30/Jun./2011): 1ª Renovação: 01/Jul./ /Dez./2011; 2ª Renovação: 01/Jan./ /Jun./2012; 3ª Renovação: 01/Jul./ /Dez./2012; 1ª Renov. extraord.: 01/Jan./ /Jun./2013; 2ª Renov. extraord.: 01/Jul./ /Dez./2013. Retribuição base mensal: 500,00; 67 EXEMPLO 2 CÁLCULO ATÉ 31/Out./2012 Valor mensal de retribuição: 500,00 Valor diário de retribuição: 23,04 ( 500,00 x 12 meses) : (52 semanas x 40 horas) De 1/Jan./2011 a 31/Out./2012: 22 meses (2 dias x 23,04) x 22 meses = 1 013,76 1ª parte da compensação: 1 013,76 68 EXEMPLO 2 CÁLCULO APÓS 31/OUT./2012 Valor mensal de retribuição: 500,00 Valor base de cálculo: 333,40 [( 500,00 : 30 dias) x 20 dias] De 01/Nov./2012 a 31/Dez./2013: 14 meses 333,40 = 1 ano completo de antiguidade ( 333,40 : 12 meses) x 2 meses = 55,56 2ª parte da compensação: 388,

24 EXEMPLO 2 CÁLCULO GLOBAL 1 013, ,96 Compensação global: 1 402,72 70 LAY-OFF 71 Impossibilidade temporária de prestação de trabalho Total ; Parcial; Lei nº 23/2012, 25 Junho Redução de horário; Suspensão dos contratos individuais de trabalho

25 Motivação Lei nº 23/2012, 25 Junho Conjuntura económica: Motivos de mercado, estruturais e tecnológicos; Que afetem gravemente o funcionamento da empresa; Medidas indispensáveis para a viabilidade da empresa e manutenção dos postos de trabalho. 73 Lei nº 23/2012, 25 Junho Duração 6 meses: Prorrogação deste prazo; Com o acordo escrito dos trabalhadores. 74 Procedimento Lei nº 23/2012, 25 Junho Comunicação por escrito Comissão de trabalhadores; ou, Comissão sindical ou intersindical; ou, Aos trabalhadores abrangidos (que podem designar uma comissão representativa); Fundamentação da medida 75 25

26 Lei nº 23/2012, 25 Junho Até 5 dias após a data da comunicação Fase de informação e negociação; Sobre as medidas a adotar; Independentemente de acordo Informação por escrito, do empregador; Das medidas a aplicar e respetivos prazos; Informação escrita À estrutura representativa dos trabalhadores; À ACT. 76 Retribuição Lei nº 23/2012, 25 Junho 2 / 3 do vencimento ilíquido Garantindo sempre 1 salário mínimo nacional; No máximo 3 salários mínimos; A Segurança Social comparticipa com 75% do valor; Mantém-se o direito a subsídio de férias e subsidio de Natal. 77 Lei nº 23/2012, 25 Junho Deveres do empregador Pagar pontualmente as retribuições; Pagar pontualmente os descontos para a Segurança Social; Não pode distribuir lucros; Não pode aumentar a retribuição dos membros dos órgãos sociais; Não pode admitir novos trabalhadores; Não pode renovar contratos a termo

27 OBRIGADA PELA VOSSA ATENÇÃO 79 Referência bibliográfica Lei nº 7/2009, de 14 de Fevereiro; Lei nº 3/2012, de 10 de Janeiro; Lei nº 23/2012, de 25 de Junho

28

Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações

Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações Impacto das alterações ao Código do Trabalho na vida das Organizações ÍNDICE 01 Acórdão n.º 602/2013, de 20 de Setembro, do Tribunal Constitucional Consequências 02 Lei n.º 69/2013, de 30 de Agosto Compensações

Leia mais

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. Lei nº 23/2012, de 25 de Junho

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO. Lei nº 23/2012, de 25 de Junho ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO Lei nº 23/2012, de 25 de Junho Aproxima-se o dia um de Agosto, data em que entram em vigor as novas alterações ao Código do Trabalho, as quais foram já objecto de uma acção

Leia mais

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 4 de Setembro de 2012

ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 4 de Setembro de 2012 ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 4 de Setembro de 2012 1. INTRODUÇÃO Foi publicada no Diário da República em 25 de Junho de 2012 a Lei n.º 23/2012, de 25 de Junho, que procede à terceira alteração ao Código

Leia mais

O Cálculo da Compensação. Artigo 366.º, número 1 do Código do Trabalho

O Cálculo da Compensação. Artigo 366.º, número 1 do Código do Trabalho ALTERAÇÃO DA FÓRMULA DE CÁLCULO DAS COMPENSAÇÕES DEVIDAS POR CESSAÇÃO DE CONTRATO POR CAUSAS OBJECTIVAS, POR INADAPTAÇÃO E AINDA POR CADUCIDADE DE CONTRATOS A TERMO. Súmula prática da Lei 69/2013, de 30

Leia mais

Encerramento nas pontes, majorações, banco de horas

Encerramento nas pontes, majorações, banco de horas Saudade e Silva - Serviços de Contabilidade, Lda. Alterações ao Código do Trabalho - Lei nº 23/2012, de 25 de Junho Encerramento nas pontes, majorações, banco de horas Conheça as dez alterações que o código

Leia mais

COMPENSAÇÃO DEVIDA PELA CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO LEI N.º 69/2013, DE 30 DE AGOSTO

COMPENSAÇÃO DEVIDA PELA CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO LEI N.º 69/2013, DE 30 DE AGOSTO PÓS-TROIKA O QUE MUDOU NOS DESPEDIMENTOS? Autora: Sofia Pamplona, Associada na TELLES. COMPENSAÇÃO DEVIDA PELA CESSAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO LEI N.º 69/2013, DE 30 DE AGOSTO 1 CONTRATO DE TRABALHO CELEBRADO

Leia mais

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO DE TRABALHO I. Enquadramento Geral A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas entrou em vigor no dia 1 de agosto de 2014. A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (adiante designada por LTFP) aprovada

Leia mais

25 de Junho 2012 Direito do Trabalho

25 de Junho 2012 Direito do Trabalho TERCEIRA REVISÃO DO CÓDIGO DE TRABALHO A revisão ora em análise, publicada hoje, surge no âmbito do Memorando de Entendimento sobre as Condicionalidades de Política Económica de Maio de 2011 (doravante

Leia mais

CÓDIGO DO TRABALHO. CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito do trabalho. CAPÍTULO I - Disposições gerais

CÓDIGO DO TRABALHO. CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito do trabalho. CAPÍTULO I - Disposições gerais CÓDIGO DO TRABALHO Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I - Parte geral TÍTULO I - Fontes e aplicação do direito do trabalho CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito

Leia mais

Conferência do Dr. Rui Assis Museu Municipal da Póvoa de Varzim 16/02/2012. Elaborado por Ana Carla Teixeira

Conferência do Dr. Rui Assis Museu Municipal da Póvoa de Varzim 16/02/2012. Elaborado por Ana Carla Teixeira Conferência do Dr. Rui Assis Museu Municipal da Póvoa de Varzim 16/02/2012 Elaborado por Ana Carla Teixeira 1 Nesta conferência, o Dr. Rui Assis, abordou com uma enorme clareza os seguintes temas: I- A

Leia mais

Nota: Todos os preceitos desacompanhados de referência ao respectivo diploma pertencem ao Código do Trabalho.

Nota: Todos os preceitos desacompanhados de referência ao respectivo diploma pertencem ao Código do Trabalho. Lei n.º 53/2011 de 14 de Outubro, que procede à segunda alteração ao Código do Trabalho, aprovado em anexo à Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro, estabelecendo um novo sistema de compensação em diversas

Leia mais

Situações de crise empresarial motivos de mercado

Situações de crise empresarial motivos de mercado Situações de crise empresarial motivos de mercado REQUISITOS: 1. por motivos de mercado, a actividade da empresa ficou gravemente afectada 2. medidas de redução PNT ou suspensão da prestação trabalho mostram-se

Leia mais

Lei n.º 53/2011. de 14 de Outubro

Lei n.º 53/2011. de 14 de Outubro Lei n.º 53/2011 de 14 de Outubro Procede à segunda alteração ao Código do Trabalho, aprovado em anexo à Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro, estabelecendo um novo sistema de compensação em diversas modalidades

Leia mais

Duração e organização do tempo de trabalho

Duração e organização do tempo de trabalho Duração e organização do tempo de trabalho A empresa tem de respeitar restrições legais à duração do trabalho prestado pelos trabalhadores, embora existam várias possibilidades de organizar essa prestação

Leia mais

Laranjeiro dos Santos & Associados Sociedade de Advogados RL

Laranjeiro dos Santos & Associados Sociedade de Advogados RL Nota Informativa 1/2012: Alterações relevantes em matéria Processamento Salarial e Encargos Sociais I. Comissão Permanente de Concertação Social Alterações à tipologia contratual: Alargamento da duração

Leia mais

MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS. Quidgest

MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS. Quidgest MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS Quidgest rh@quidgest.com AGENDA: Q Q Q Q Q Q Q Q Q Q REMISSÃO CÓDIGO DO TRABALHO TRABALHO SUPLEMENTAR FÉRIAS, FALTAS E FERIADOS SUBSÍDIO NATAL E FÉRIAS DECLARAÇÃO MENSAL DE

Leia mais

Índice de perguntas Contratação coletiva Contrato de trabalho vs. Prestação de serviços Parentalidade

Índice de perguntas Contratação coletiva Contrato de trabalho vs. Prestação de serviços Parentalidade Índice temático Apresentação 3 Siglas utilizadas 4 Índice de perguntas 6 Contratação coletiva 17 Contrato de trabalho vs. Prestação de serviços 23 Parentalidade 26 Trabalhador-estudante 39 Regulamento

Leia mais

Nota prévia A presente Orientação Normativa revoga na sua totalidade e substitui a Orientação Normativa 1/2000 de 29/12/2000.

Nota prévia A presente Orientação Normativa revoga na sua totalidade e substitui a Orientação Normativa 1/2000 de 29/12/2000. ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 01/2004 de 20/02/2004 Assunto: Férias Distribuição: Todas as Unidades de Estrutura Revogações: Orientação Normativa 1/2000 Enquadramento Convencional e Legal: Capítulo X do AE/REFER,

Leia mais

Joana de Almeida Neves Advogada

Joana de Almeida Neves Advogada Adaptabilidade na Relação Laboral A Flexibilidade Temporal, os Horários Concentrados e os Bancos de Horas Joana de Almeida Neves Advogada PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO CÓDIGO DE TRABALHO INTERVENÇÃO DO LEGISLADOR

Leia mais

Regulamento do Programa Valorização Profissional

Regulamento do Programa Valorização Profissional Regulamento do Programa Valorização Profissional 1 - Objectivos: a) Qualificar activos que se encontram em períodos temporários de inactividade por baixa de actividade sazonal comprovada, através de Planos

Leia mais

Jorge Ribeiro Mendonça Rita dos Reis Louro

Jorge Ribeiro Mendonça Rita dos Reis Louro Jorge Ribeiro Mendonça Rita dos Reis Louro sindicatos produtividade despedimento emprego trabalho contratar competitividade ACT igualdade mercado suplementar faltas contrato a termo compensações antiguidade

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 36/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 36/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 36/XII Exposição de Motivos O Estado Português, através da assinatura do Memorando de Políticas Económicas e Financeiras, assumiu perante a União Europeia, o Fundo Monetário Internacional

Leia mais

NOVO CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO ENTRE A ANF E O SNF - MEMORANDO 1 - O novo CCT entra em vigor no dia 13 de Setembro de 2010.

NOVO CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO ENTRE A ANF E O SNF - MEMORANDO 1 - O novo CCT entra em vigor no dia 13 de Setembro de 2010. NOVO CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO ENTRE A ANF E O SNF - MEMORANDO 1 - I Observações gerais 1. Entrada em vigor (cl. 2.ª e Anexo I e II CCT) O novo CCT entra em vigor no dia 13 de Setembro de 2010. Os

Leia mais

Propostas na área do Trabalho e Segurança Social

Propostas na área do Trabalho e Segurança Social Propostas na área do Trabalho e Segurança Social Proposta de Alteração PROPOSTA DE LEI N.º 103/XII ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2013 Capítulo I Aprovação do Orçamento Artigo 7.º Transferências orçamentais

Leia mais

TRABALHADOR - ESTUDANTE O QUE DIZ A LEI

TRABALHADOR - ESTUDANTE O QUE DIZ A LEI Ficha n.º 4 TRABALHADOR - ESTUDANTE O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES Trabalhador-Estudante Trabalhador que frequenta qualquer nível de educação escolar, bem como curso de pós-graduação, mestrado ou doutoramento

Leia mais

SISTEMA DE COMPENSAÇÃO DO TRABALHO

SISTEMA DE COMPENSAÇÃO DO TRABALHO Nota explicativa sobre SISTEMA DE COMPENSAÇÃO DO TRABALHO I. FINALIDADE Assegurar o direito dos trabalhadores ao recebimento efetivo de metade do valor da compensação devida por cessação do contrato de

Leia mais

SUMÁRIO: Procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro.

SUMÁRIO: Procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro. DATA: Segunda-feira, 25 de junho de 2012 NÚMERO: 121 SÉRIE I EMISSOR: Assembleia da República DIPLOMA: Lei n.º 23/2012 SUMÁRIO: Procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º

Leia mais

Leis do Trabalho. Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO. Atualização online II

Leis do Trabalho. Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO. Atualização online II Leis do Trabalho Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO Atualização online II A entrada em vigor da Lei n. 120/2015, de 1 de setembro, obriga à reformulação das perguntas 34, 46, 110 e 112 e dos Anexos

Leia mais

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Formador: Carlos Varandas Nunes Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Apresentação Carlos Varandas Nunes 46 anos Mestre em Gestão- Administração Pública Organização da Formação Dúvidas que me fizeram

Leia mais

GUIA PRÁTICO REGIME DE LAYOFF

GUIA PRÁTICO REGIME DE LAYOFF Manual de GUIA PRÁTICO REGIME DE LAYOFF INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/25 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Regime de layoff (6006 v1.04) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

José Magalhães. Fevereiro de 2013

José Magalhães. Fevereiro de 2013 SESSÃO DE ESCLARECIMENTO OBRIGAÇÕES LEGAIS NO QUADRO DA LEGISLAÇÃO LABORAL José Magalhães Fevereiro de 2013 OBRIGAÇÕES DO EMPREGADOR EM MATÉRIA DE SHST O empregador deve assegurar aos trabalhadores condições

Leia mais

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO. As IPSS e o normativo laboral aplicável

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO. As IPSS e o normativo laboral aplicável As IPSS e o normativo laboral aplicável Centro Local da Beira Alta junho 2016 Normativo jurídico-laboral essencial aplicável Código do Trabalho Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro Lei n.º 23/2012, de 25

Leia mais

ÍNDICE. Págs. NOTA PRÉVIA... 5 ABREVIATURAS 9

ÍNDICE. Págs. NOTA PRÉVIA... 5 ABREVIATURAS 9 ÍNDICE NOTA PRÉVIA.............. 5 ABREVIATURAS 9.' 1.0 Direito do Trabalho: o quê, porquê e para quê?................... 11 2. Noção, objecto e características gerais do Direito do Trabalho....... 21

Leia mais

Nota Informativa nº 1/IGeFE/DGRH/2017

Nota Informativa nº 1/IGeFE/DGRH/2017 Nota Informativa nº 1/IGeFE/DGRH/2017 ASSUNTO: PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017 A partir de 1 de janeiro de 2017, por força da entrada em vigor do Orçamento do Estado para o ano de 2017, aprovado pela

Leia mais

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO E A PRESTAÇÃO DE TRABALHO

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO E A PRESTAÇÃO DE TRABALHO SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO E A PRESTAÇÃO DE TRABALHO António Caxito Marques 1 SEMINÁRIO SOBRE A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO JULHO 2015 INDÍCE 1. REMUNERAÇÃO 2. TRABALHO EXTRAORDINÁRIO 3. SALÁRIO MÍNIMO NACIONAL

Leia mais

DURAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO TEMPO DE TRABALHO

DURAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO TEMPO DE TRABALHO DURAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO TEMPO DE TRABALHO O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES I - CONCEITOS E DEFINIÇÕES Tempo de Trabalho qualquer período durante o qual o trabalhador está a desempenhar a actividade ou permanece

Leia mais

Revogações: Orientação Normativa N.º 1/2001 de 01/02/2001

Revogações: Orientação Normativa N.º 1/2001 de 01/02/2001 Nº. Pauta 202.16 RECURSOS HUMANOS Assunto: ESCALAS DE SERVIÇO Referência: Distribuição: todas as unidades de estrutura Revogações: Orientação Normativa N.º 1/2001 de 01/02/2001 Entrada em vigor: 15/06/2005

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 4 JORNADA DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 4 JORNADA DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 4 JORNADA DE TRABALHO Índice 1. Jornada de trabalho...3 2. Formas de Prorrogação da Jornada de Trabalho...4 3. Horas Extras no Caso de Força Maior...5 4. Trabalho Noturno...6

Leia mais

GANHOS MÉDIOS. Abril Direção de Serviços de Estatísticas do Trabalho da Direção Regional do Trabalho e da

GANHOS MÉDIOS. Abril Direção de Serviços de Estatísticas do Trabalho da Direção Regional do Trabalho e da GANHOS MÉDIOS Abril 2015 Fonte: Inquérito aos Ganhos e Duração do Trabalho Direção de Serviços de Estatísticas do Trabalho da Direção Regional do trabalho e da Ação Inspetiva e Gabinete de Estratégia e

Leia mais

TRABALHADOR-ESTUDANTE

TRABALHADOR-ESTUDANTE Direito do Trabalho Aspectos práticos com interesse para as Empresas de Contabilidade 18 de Abril de 2005 Albano Santos Advogado TRABALHADOR-ESTUDANTE Dispensas para frequência de aulas (Artº 149º RCT):

Leia mais

Informação Sindical. Atenção às alterações ao Código do Trabalho

Informação Sindical. Atenção às alterações ao Código do Trabalho Informação Sindical 30-JULHO-2012 Atenção às alterações ao Código do Trabalho Alterações entram em vigor no dia 1 de Agosto Novas normas sobre feriados e férias só se aplicam em 2013 SJ expectante de declaração

Leia mais

Alterações ao Código do Trabalho A partir de 1 de Agosto de 2012

Alterações ao Código do Trabalho A partir de 1 de Agosto de 2012 Alterações ao Código do Trabalho A partir de 1 de Agosto de 2012 A Lei nº 23/2012, de 25 de Junho procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro. Principais

Leia mais

RECOMENDAÇÃO N.º 5-A/2008 [artigo 20.º, n.º 1, alínea a), da Lei n.º 9/91, de 9 de Abril] I INTRODUÇÃO

RECOMENDAÇÃO N.º 5-A/2008 [artigo 20.º, n.º 1, alínea a), da Lei n.º 9/91, de 9 de Abril] I INTRODUÇÃO Número: 5/A/2008 Data: 03.07.2008 Entidade visada: Director Regional do Orçamento e Tesouro Assunto: Recursos Humanos. Compensação por caducidade de contrato de trabalho a termo resolutivo incerto. Processo:

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 8 de setembro de 2015 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS Portaria n.º 161/2015 Estabelece a Medida Incentivo

Leia mais

NOTA INFORMATIVA. ASSUNTO: Orçamento de Estado 2014 l Processamento de Remunerações

NOTA INFORMATIVA. ASSUNTO: Orçamento de Estado 2014 l Processamento de Remunerações NOTA INFORMATIVA ASSUNTO: Orçamento de Estado 2014 l Processamento de Remunerações Considerando o disposto na Lei n.º 83-C/2013, de 31 de dezembro, diploma que aprova o Orçamento de Estado para 2014, cumpre

Leia mais

BTOC TRAINING. Formação Profissional Obrigatória e Cheque Formação

BTOC TRAINING. Formação Profissional Obrigatória e Cheque Formação BTOC TRAINING Formação Profissional Obrigatória e Cheque Formação Formação profissional obrigatória: Um dever das empresas, um direito dos trabalhadores. Deveres do Empregador O empregador possui a obrigação

Leia mais

Tabela Salarial / I Director Geral 1.822,00 II Director de Serviços 1.522,00 III Director Adjunto 1.216,00

Tabela Salarial / I Director Geral 1.822,00 II Director de Serviços 1.522,00 III Director Adjunto 1.216,00 Após processo de conciliação que decorreu no Ministério do Trabalho, foram concluídas as negociações do acordo de revisão do CCT para a Indústria de Carnes, para o ano 2009, do qual resultou a Tabela Salarial

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº /12/2000

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº /12/2000 ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº.2000 19/2000 de 20/12/2000 Nº de PAUTA 203.13 RECURSOS HUMANOS RECURSOS HUMANOS Assunto: Actividade Sindical Referência: Distribuição: Recursos Humanos Revogações: Enquadramento

Leia mais

ENQUADRAMENTO LEGAL DO FCT E FGCT IMPLICAÇÕES DE NATUREZA LABORAL. Catarina Santos Ferreira. 7 de outubro de 2013

ENQUADRAMENTO LEGAL DO FCT E FGCT IMPLICAÇÕES DE NATUREZA LABORAL. Catarina Santos Ferreira. 7 de outubro de 2013 ENQUADRAMENTO LEGAL DO FCT E FGCT IMPLICAÇÕES DE NATUREZA LABORAL Catarina Santos Ferreira cs.ferreira@abbc.pt 7 de outubro de 2013 Largo de São Carlos, nº 3, 1200-410 Lisboa Portugal. - Tel: +351 21 358

Leia mais

Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local

Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local REGIME DAS FALTAS E LICENÇAS E SEUS EFEITOS Lei da Parentalidade - Decreto-Lei de 9 de Abril e Código do Trabalho (CT) Trabalhadora grávida Pelo tempo e número de vezes necessárias Prova ou declaração

Leia mais

Visão Panorâmica das Principais Alterações ao CÓDIGO DO TRABALHO. Luis Castro. Julho-2012

Visão Panorâmica das Principais Alterações ao CÓDIGO DO TRABALHO. Luis Castro. Julho-2012 Visão Panorâmica das Principais Alterações ao CÓDIGO DO TRABALHO Luis Castro Julho-2012 Objectivos: - Melhorar a legislação laboral, quer através da sua atualização e sistematização, quer mediante a agilização

Leia mais

Circular nº 25/ de Setembro de Assunto: LEGISLAÇÃO LABORAL. Caros Associados,

Circular nº 25/ de Setembro de Assunto: LEGISLAÇÃO LABORAL. Caros Associados, Circular nº 25/2013 25 de Setembro de 2013 Assunto: LEGISLAÇÃO LABORAL Caros Associados, Recentemente foram publicados vários diplomas legais na área da legislação laboral, que levamos ao conhecimento

Leia mais

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0 Página 0 Regime de Faltas e Licenças e seus Efeitos Lei n.º 35/2014, de 20 de junho (LTFP) Todas as ausências ao serviço têm que ser obrigatoriamente comunicadas ao superior hierárquico, com antecedência,

Leia mais

CONTRATO POR TEMPO INDETERMINADO

CONTRATO POR TEMPO INDETERMINADO CONTRATO POR TEMPO INDETERMINADO Ao décimo sétimo dia do mês de Maio do ano de dois mil e dez, entre: A ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO NORTE, I. P., pessoa colectiva n.º 503 135 593, com sede na Rua

Leia mais

AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL

AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL OUTUBRO DE 2011 NOTA TÉCNICA AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL A Lei 12.506/11, publicada no Diário Oficial da União do dia 13 de outubro de 2011, amplia o aviso prévio dos atuais 30 dias para até 90 dias. Esta

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 242/XI/1.ª

PROJECTO DE LEI N.º 242/XI/1.ª Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 242/XI/1.ª ALTERA O DECRETO-LEI N.º 91/2009, DE 9 DE ABRIL, REFORÇANDO O REGIME DE PROTECÇÃO NA PARENTALIDADE DO SISTEMA PREVIDENCIAL E DO SUBSISTEMA DE SOLIDARIEDADE

Leia mais

Alterações ao Código do Trabalho

Alterações ao Código do Trabalho 1 Alterações ao Código do Trabalho Medidas Impostas pela Troika Consultoria Financeira Consultor Sénior: José António Adrego j.adrego@amrconsult.com Data: 23 de Novembro de 2011 2 Alterações ao Código

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO. Tempo in itinere. - 2º 58 CLT; Súmulas 90;320;324;325 TST

JORNADA DE TRABALHO. Tempo in itinere. - 2º 58 CLT; Súmulas 90;320;324;325 TST JORNADA DE TRABALHO Tempo efetivamente Trabalhado; Tempo à disposição do empregador Tempo in itinere. - 2º 58 CLT; Súmulas 90;320;324;325 TST Conceito Jornada é o lapso de tempo durante o qual o empregado

Leia mais

ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE CAPÍTULO I SECÇÃO II. Preâmbulo. Subsecção VIII. Trabalhador-Estudante. Artº 17º.

ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE CAPÍTULO I SECÇÃO II. Preâmbulo. Subsecção VIII. Trabalhador-Estudante. Artº 17º. ESTATUTO DO TRABALHADOR- CÓDIGO DO TRABALHO ESTUDANTE (Lei nº 99/2003, de 27 de Agosto) CAPÍTULO I SECÇÃO II Preâmbulo Subsecção VIII Trabalhador-Estudante Artº 17º Trabalhador-estudante O disposto nos

Leia mais

1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória?

1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória? CADERNO DE EXERCÍCIOS 1) O que caracteriza a utilidade com natureza salarial e a utilidade com natureza indenizatória? 2) Vale transporte pago em dinheiro, vale refeição pago em dinheiro, concessão de

Leia mais

Pagamento do salário aos trabalhadores

Pagamento do salário aos trabalhadores Pagamento do salário aos trabalhadores A empresa tem pagar um salário ao trabalhador como contrapartida do trabalho prestado. Este salário é composto por prestações de vários tipos e o seu pagamento obedece

Leia mais

Direito do Trabalho. Ano Lectivo 2008/2009. Docente: Catarina Frade

Direito do Trabalho. Ano Lectivo 2008/2009. Docente: Catarina Frade Direito do Trabalho Ano Lectivo 2008/2009 Docente: Catarina Frade Sumário 24 O acesso ao trabalho: o contrato de trabalho A cessação do contrato de trabalho Mútuo acordo Despedimento Rescisão Extinção

Leia mais

DESPEDIMENTOS COLECTIVOS e por extinção do posto de trabalho

DESPEDIMENTOS COLECTIVOS e por extinção do posto de trabalho S R REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO DESPEDIMENTOS COLECTIVOS e por extinção do posto de trabalho ANO 2010 Breve

Leia mais

O prazo para entrega de sugestões termina no dia 26 de dezembro de 2016.

O prazo para entrega de sugestões termina no dia 26 de dezembro de 2016. Nº de proc. 01/2016 Objeto (s) Regulamento Interno de Horário de Trabalho do ITQB Departamento responsável pela tramitação do procedimento Conselho de Gestão do ITQB Responsável pela Direção do procedimento

Leia mais

Direitos e Deveres da Parentalidade Representação Esquemática (Nos termos do artº 33º e seguintes da Lei nº 7/2009, de 12/02) Licença Parental Inicial

Direitos e Deveres da Parentalidade Representação Esquemática (Nos termos do artº 33º e seguintes da Lei nº 7/2009, de 12/02) Licença Parental Inicial e da Parentalidade Representação Esquemática (Nos termos do artº 33º e seguintes da Lei nº 7/2009, de 12/02) Licença Parental Inicial - A mãe ou o pai tem direito a 120 ou 150 dias de licença parental,

Leia mais

Regime Contraordenacional

Regime Contraordenacional Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição de Regimes Editor: DGSS Conceção Gráfica: DGSS / Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação

Leia mais

REGULAMENTO DE HORÁRIO DE TRABALHO DO IPS

REGULAMENTO DE HORÁRIO DE TRABALHO DO IPS REGULAMENTO DE HORÁRIO DE TRABALHO DO IPS DESPACHO Nº 5503/2015 Divisão de Recursos Humanos Modalidades de Horário - pág. 3 o Horário Flexível pág. 4 o Horário Rígido pág. 7 o Horário Desfasado pág. 8

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. X X X DATA: 2014/ Janeiro / 28 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2014

Leia mais

[novas contratações] CONTRATO DE TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CONTRATO A TERMO RESOLUTIVO CERTO

[novas contratações] CONTRATO DE TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CONTRATO A TERMO RESOLUTIVO CERTO [novas contratações] CONTRATO DE TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CONTRATO A TERMO RESOLUTIVO CERTO Aos [1] dias do mês de [2] de, em [3], entre: PRIMEIRO: [4], pessoa colectiva n.º [5], com sede em [6], capital

Leia mais

Alterações ao Código do Trabalho

Alterações ao Código do Trabalho São três as alterações: Lei nº 53/2011, de 14 de Outubro Primeira alteração, revogada (parcialmente) pela terceira alteração. Lei 3/2012, de 10 de Janeiro Segunda alteração, revogada (parcialmente) pela

Leia mais

Lei n.º 20/2012, de 14 de maio. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

Lei n.º 20/2012, de 14 de maio. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Lei n.º 20/2012, de 14 de maio A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.º Objeto 1. A presente lei altera a Lei n.º 64-B/2011, de

Leia mais

Pós-Graduação em Direito do Trabalho e da Segurança Social - 2ª Edição

Pós-Graduação em Direito do Trabalho e da Segurança Social - 2ª Edição Pós-Graduação em Direito do Trabalho e da Segurança Social - 2ª Edição Plano de Estudos: Sessões Docentes Data N.º de horas Contrato de trabalho: qualificação, presunção legal e figuras afins Nova ação

Leia mais

Circular. ASSUNTO: Regime temporário de pagamento (fraccionado) dos subsídios de Natal e de férias para vigorar durante o ano 2013

Circular. ASSUNTO: Regime temporário de pagamento (fraccionado) dos subsídios de Natal e de férias para vigorar durante o ano 2013 Circular N/REFª: 17/2012 DATA: 28/01/2013 ASSUNTO: Regime temporário de pagamento (fraccionado) dos subsídios de Natal e de férias para vigorar durante o ano 2013 Exmos. Senhores, Junto se remete informação

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

Ensaio sobre a nova Lei dos Empregados Domésticos

Ensaio sobre a nova Lei dos Empregados Domésticos www.fagnersandes.com.br Preparando você para o sucesso! Ensaio sobre a nova Lei dos Empregados Domésticos Regulamentado pela Lei Complementar n. 150/15, empregado doméstico é aquele que presta serviços

Leia mais

Revisão da Carreira docente dos Estabelecimentos do Ensino Particular e Cooperativo DA CARREIRA DOCENTE

Revisão da Carreira docente dos Estabelecimentos do Ensino Particular e Cooperativo DA CARREIRA DOCENTE Revisão da Carreira docente dos Estabelecimentos do Ensino Particular e Cooperativo DA CARREIRA DOCENTE A REESTRUTURAÇÃO DA CARREIRA DOCENTE As partes acordam na reestruturação da carreira docente (categorias

Leia mais

LEGENDA CÓDIGO DO TRABALHO. As alterações a vermelho constam da Proposta de Lei nº 42/XII, ainda não publicada e, por isso, ainda não em vigor

LEGENDA CÓDIGO DO TRABALHO. As alterações a vermelho constam da Proposta de Lei nº 42/XII, ainda não publicada e, por isso, ainda não em vigor LEGENDA CÓDIGO DO TRABALHO alterações Advogado advogado Especialista em Direito do Trabalho As alterações a vermelho constam da Proposta de Lei nº 42/XII, ainda não publicada e, por isso, ainda não em

Leia mais

CÓDIGO DO TRABALHO (Após a revisão) - Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I Parte geral TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho

CÓDIGO DO TRABALHO (Após a revisão) - Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I Parte geral TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho CÓDIGO DO TRABALHO (Após a revisão) - Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I Parte geral TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho CAPÍTULO I Fontes do direito do trabalho Artigo 1.º - Fontes

Leia mais

2012: Ano em Revista Ano em Revista. Direito do Trabalho

2012: Ano em Revista Ano em Revista. Direito do Trabalho 2012 Ano em Revista Direito do Trabalho 0 Grupo de Direito do Trabalho A Macedo Vitorino & Associados foi constituída em 1996, concentrando a sua actividade na assessoria a clientes nacionais e estrangeiros

Leia mais

Regulamentação. Guia informativo para Contratados

Regulamentação. Guia informativo para Contratados Regulamentação Guia informativo para Contratados Férias Os trabalhadores têm direito a um período de férias remuneradas em cada ano civil, nos termos previstos no Código do Trabalho (Lei n.º 7/2009, de

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017 DOMINGOS E FERIADOS

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017 DOMINGOS E FERIADOS CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060832/2016 Protocolo 46218-015424/2016-03 DOMINGOS E FERIADOS SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE NOVO HAMBURGO, CNPJ n. 91.695.288/0001-11,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001718/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/10/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR058992/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46271.000918/2010-40 DATA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 110/XII/2.ª. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 110/XII/2.ª. Exposição de Motivos PL 577/2012 2012.11.29 Exposição de Motivos No âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), Portugal assumiu o compromisso de executar um conjunto de medidas com o objetivo último de

Leia mais

Mediador - Extrato Convenção Coletiva

Mediador - Extrato Convenção Coletiva Page 1 of 12 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000502/2016 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018176/2016 NÚMERO DO PROCESSO: 46230.001716/2016-97 DATA

Leia mais

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO3 de Novembro António das Neves Ferreira Iracema Correia

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO3 de Novembro António das Neves Ferreira Iracema Correia 3 de Novembro 2009 António das Neves Ferreira Iracema Correia Organização ANECRA/AEP/ACT TÍTULO DA APRESENTAÇÃO ascendência sexo estado civil situação económica origem ou condição social capacidade de

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DO TRABALHO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DO TRABALHO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO DO TRABALHO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Solicitadoria 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO DO TRABALHO (28127)

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12 JANEIRO 2,8451 2,7133 2,4903 2,3303 2,1669 1,9859 1,7813 1,6288 1,4527 1,3148 1,1940 1,0684 FEVEREIRO 2,8351 2,6895 2,4758 2,3201 2,1544 1,9676 1,7705 1,6166 1,4412 1,3048 1,1840 1,0584 MARÇO 2,8251 2,6562

Leia mais

[novas contratações] CONTRATO DE TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CONTRATO A TERMO RESOLUTIVO CERTO A TEMPO PARCIAL

[novas contratações] CONTRATO DE TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CONTRATO A TERMO RESOLUTIVO CERTO A TEMPO PARCIAL [novas contratações] CONTRATO DE TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CONTRATO A TERMO RESOLUTIVO CERTO A TEMPO PARCIAL Aos [1] dias do mês de [2] de, em [3], entre: PRIMEIRO: [4], pessoa colectiva n.º [5], com

Leia mais

NOVAS REGRAS DO TRABALHO. Lisboa, 10 de Julho de 2012

NOVAS REGRAS DO TRABALHO. Lisboa, 10 de Julho de 2012 NOVAS REGRAS DO TRABALHO Lisboa, 10 de Julho de 2012 Lei 23/2012, de 15 de Junho (altera Código do Trabalho) (início vigência 1 de Agosto de 2012) OBRIGAÇÕES ADMINISTRATIVAS Isabel Valente Dias OBRIGAÇÕES

Leia mais

CIRCULAR. Assunto: Regime temporário de pagamento (fraccionado) dos subsídios de Natal e de férias para vigorar durante o ano A Secretária-Geral

CIRCULAR. Assunto: Regime temporário de pagamento (fraccionado) dos subsídios de Natal e de férias para vigorar durante o ano A Secretária-Geral CIRCULAR N/REFª: 02/2014 DATA: 2 de Janeiro de 2014 Assunto: Regime temporário de pagamento (fraccionado) dos subsídios de Natal e de férias para vigorar durante o ano 2014 Exmos. Senhores, A Lei n.º 83-C/2013,

Leia mais

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015 Direção-Geral da Segurança Social março 2015 O é uma prestação em dinheiro atribuída ao beneficiário para compensar a perda de remuneração, resultante do impedimento temporário para o trabalho, por motivo

Leia mais

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Redução de Taxa Contributiva Pré Reforma (2005 v5.4) PROPRIEDADE Instituto da

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

CURSO PRÁTICAS PROCESSUAIS LABORAIS I (2.ª Edição)

CURSO PRÁTICAS PROCESSUAIS LABORAIS I (2.ª Edição) CURSO PRÁTICAS PROCESSUAIS LABORAIS I (2.ª Edição) Enquadramento: A formação académica em Direito do Trabalho não aborda, em regra, os procedimentos com vista a promover o despedimento do trabalhador.

Leia mais

Decreto-Lei n.º 421/83 de 2 de Dezembro

Decreto-Lei n.º 421/83 de 2 de Dezembro Decreto-Lei n.º 421/83 de 2 de Dezembro A necessidade de distribuir o trabalho existente pelo maior número possível de trabalhadores impõe que a prestação de trabalho fora do horário normal só seja permitida

Leia mais

AV ANA SEQUEIRA VAREJÃO

AV ANA SEQUEIRA VAREJÃO Exmo. Senhor Secretário Geral do Sindicato dos Meios Audiovisuais O Gabinete Jurídico do SMAV foi incumbido de emitir parecer sobre o conceito de trabalho nocturno, nomeadamente sobre a posição assumida

Leia mais

GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES COMPENSATÓRIAS DOS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS, NATAL OU OUTROS SEMELHANTES

GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES COMPENSATÓRIAS DOS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS, NATAL OU OUTROS SEMELHANTES GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES COMPENSATÓRIAS DOS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS, NATAL OU OUTROS SEMELHANTES FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Prestações compensatórias dos subsídios de férias, Natal ou outros semelhantes

Leia mais

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E/OU RESULTADOS

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E/OU RESULTADOS ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MT000542/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR047856/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46210.001655/2015 15 DATA DO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.097, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000. Altera dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto-Lei

Leia mais

MARCAÇÃO DE PERÍODOS DE FÉRIAS NA UNIVERSIDADE DA MADEIRA 2012

MARCAÇÃO DE PERÍODOS DE FÉRIAS NA UNIVERSIDADE DA MADEIRA 2012 MARCAÇÃO DE PERÍODOS DE FÉRIAS NA UNIVERSIDADE DA MADEIRA 2012 LEGISLAÇÃO APLICÁVEL FUNDAMENTAÇÃO DAS AUTORIZAÇÕES: PESSOAL DOCENTE E NÃO DOCENTE O gozo de férias é um direito consignado na legislação

Leia mais