REFLEXÕES SOBRE A LINGUAGEM

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REFLEXÕES SOBRE A LINGUAGEM"

Transcrição

1 REFLEXÕES SOBRE A LINGUAGEM Olá, «Agora vamos assistir a uma Apresentação para fazermos algumas Reflexões sobre a Linguagem. Ao final desta unidade espera-se que você possa entender alguns aspectos que podem melhorar sua comunicação nos âmbitos pessoal e profissional. «Assim, aprenderemos o que são Níveis de Linguagem, Modalidade Oral e Escrita e Variante Padrão e Não Padrão.

2 INTRODUÇÃO «A LÍNGUA é o sistema que faculta aos membros de uma comunidade a possibilidade de comunicação. (Pretti, 2003) «No Brasil, o sistema que usamos é a Língua Portuguesa. Imagem: Corbis PRETTI, Dino. Sociolinguística: os níveis de fala. São Paulo: Edusp, O Conceito de Língua: um contraponto entre a Gramática Normativa e a Linguística

3 SUMÁRIO «Níveis de Linguagem «Modalidade Oral e Escrita «Variante Padrão e Não Padrão

4 NÍVEIS DE LINGUAGEM «São determinados pela cultura e formação escolar dos falantes, seu grupo social e pela situação em que a língua é utilizada. Imagens: Corbis Por trás das Letras

5 NÍVEIS DE LINGUAGEM «NÍVEL CULTO: é utilizado em ocasiões formais. É uma linguagem obediente às regras gramaticais da norma culta. O nível culto segue a língua padrão, também chamada de norma culta ou norma padrão. O primeiro-ministro da Inglaterra, Gordon Brown, foi um dos primeiros governantes a acusar a grandeza da crise econômica e carrega nos ombros a responsabilidade de ajudar a debelá-la. (Revista Veja, 25/03/09, p.17) Imagem: Corbis

6 NÍVEIS DE LINGUAGEM «NÍVEL COLOQUIAL OU POPULAR: é utilizado na conversação diária, em situações informais ou descontraídas, tanto na modalidade oral ou escrita. Você viu ele por aí? Agora não adianta chorar pelo leite derramado... Imagem: Corbis A gente precisa ir a esse congresso!

7 MODALIDADE OAL e ESCRITA «FALA: não planejada, mais fragmentada e incompleta, pouco elaborada e com predominância a frases curtas e simples. Imagens: Corbis «ESCRITA: mais planejada, não é fragmentada e apresenta-se mais completa, melhor elaborada e com predominância de frases mais complexas. A natureza das modalidades oral e escrita

8 MODALIDADE ORAL e ESCRITA Aí, então, tá na hora de fechar o Congresso. Se forem atrás de pagamento de passagem, não escapa nem jornalista. (Revista Veja, 25/03/09, p.62) Para reconstruir a história, conta-se tradicionalmente com documentos, testemunhos e artefatos arqueológicos. Agora uma nova ferramenta está à disposição dos estudiosos: a pesquisa genética. (Revista Veja, 24/12/08, p.80) Imagens: Corbis

9 VARIANTE PARÃO E NÃO PADRÃO «VARIANTE PADRÃO: é a variedade culta formal do idioma, como a adotada pelos veículos de comunicação em massa. «VARIANTE NÃO PADRÃO: é associada ao nível coloquial ou popular da língua. Imagens: Corbis Variantes Linguísticas

10 VARIANTE PADRÃO E NÃO PADRÃO Nasa suspende voos de ônibus espaciais A decisão valerá até que se descubra o que causou os problemas do lançamento da Endeavour, quando pedaços do revestimento do tanque de combustível se soltaram. (Jornal Nacional, 16/07/09) -Vocês viram o que essa cretina fez comigo, sô? - o grupo batia boca e a moça bufava de raiva. Ela não fazia mais nada. Só incinerava a todos com os olhos que faiscavam ódio. Enquanto a turma do deixa disso tentava acalmar os ânimos, Geraldo, já turbinado por umas doses de aguardente na cabeça, sentiu que havia uma brecha para um approach. (Texto ironizando o filme Boa de Briga em 02/07/09) Imagens: Corbis

11 EM SÍNTESE... «Um mesmo indivíduo pode falar utilizando diferentes níveis de linguagem, dependendo da situação de comunicação: muito culto quando está diante do chefe e muito popular na hora do futebol com os colegas. «Ao escrever um , muitas vezes também utilizamos uma modalidade oral de linguagem. (Olá, Paulo. Os relatórios já estão prontos?) «Quando estou dando aula utilizo a variante padrão da língua para que todas as informações sejam entendidas de forma clara, mas todos usam a variante não padrão, prá bater papo com os amigos, tá certo?

12 OBRIGADA...

Linguagem Coloquial e Culta. Prof.: Michele Nasu Tomiyama Bucci

Linguagem Coloquial e Culta. Prof.: Michele Nasu Tomiyama Bucci Linguagem Coloquial e Culta Prof.: Michele Nasu Tomiyama Bucci Introdução Os critérios que determinam a norma (padrões de uso)de uma língua se estabelecem ao longo do tempo principalmente pela ação da

Leia mais

Revisão para o simulado

Revisão para o simulado Revisão para o simulado LÍNGUA PORTUGUESA Patrícia Lopes São as variações que uma língua apresenta, de acordo com as condições sociais, culturais, regionais e históricas em que é utilizada. Variedade linguística

Leia mais

Língua Falada e Língua Escrita

Língua Falada e Língua Escrita Língua Falada e Língua Escrita Língua Falada é a linguagem que usamos para nos comunicar, pronunciada pela boca, muitas vezes de modo informal, sem muitas regras e com algumas gírias; muito diferente da

Leia mais

Normas Gramaticais da Língua Portuguesa AULA 1. Temas: Tipos de Textos Níveis de Linguagens

Normas Gramaticais da Língua Portuguesa AULA 1. Temas: Tipos de Textos Níveis de Linguagens Normas Gramaticais da Língua Portuguesa AULA 1 Temas: Tipos de Textos Níveis de Linguagens Como você deve recordar, iniciamos o módulo de Redação Oficial comentando sobre o que é o texto, isto é, uma unidade,

Leia mais

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos. 3/6/5AD836_1.jpg

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos.  3/6/5AD836_1.jpg Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos http://images.quebarato.com.br/photos/thumbs/ 3/6/5AD836_1.jpg Olá, Pessoal, Vamos acompanhar mais uma aula da prof. Alessandra. Hoje falaremos sobre alguns gêneros

Leia mais

Variações linguísticas: Norma Padrão e Norma culta

Variações linguísticas: Norma Padrão e Norma culta L.E. Semana 2 Segunda Feira Variações linguísticas: Norma Padrão e Norma culta Diferença entre a norma padrão e a norma culta o português não é homogêneo O português, como todas as línguas, é heterogêneo:

Leia mais

LINGUAGEM FORMAL E INFORMAL

LINGUAGEM FORMAL E INFORMAL Aula 14 Presencial LINGUAGEM FORMAL E INFORMAL A linguagem é a forma que usamos para nos comunicar uns com os outros. Temos a linguagem oral, escrita e visual, por exemplo, mas todas estas seguem padrões

Leia mais

a. A língua possui uma única forma, representa o idioma que não se modifica e por isso devemos considerar o padrão como a representação da língua.

a. A língua possui uma única forma, representa o idioma que não se modifica e por isso devemos considerar o padrão como a representação da língua. 1 de 6 28/3/2013 00:36 A vidade de estudo 1- Nivelamento Português- 2012A Período: 11/03/2013 17:00 à 09/05/2013 23:59 (Horário de Brasília) Status: ABERTO Valor: 1.00 Gabarito: Gabarito não está liberado!

Leia mais

Língua Portuguesa UNIDADE DE REVISÃO E RECUPERAÇÃO

Língua Portuguesa UNIDADE DE REVISÃO E RECUPERAÇÃO Língua Portuguesa UNIDADE DE REVISÃO E RECUPERAÇÃO Organizamos esta unidade para orientá-lo na revisão dos conteúdos trabalhados ao longo da disciplina. Siga as orientações desta apresentação, reveja os

Leia mais

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NA SALA DE AULA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIAS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NA SALA DE AULA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIAS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NA SALA DE AULA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIAS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA Ana Paula de Souza Fernandes Universidade Estadual da Paraíba. E-mail: Aplins-@hotmail.com Beatriz Viera de

Leia mais

Instrumento. Alyne Alves Vieira *

Instrumento. Alyne Alves Vieira * Resenhas Instrumento NEVES. Maria Helena de Moura. Que gramática estudar na escola? Norma e uso na Língua Portuguesa. São Paulo: Contexto, 2003. Alyne Alves Vieira * O livro Que gramática estudar na escola?

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE I NÍVEIS DE LINGUAGEM

LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE I NÍVEIS DE LINGUAGEM LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE I NÍVEIS DE LINGUAGEM 0 Níveis de Linguagem, Modalidade Oral e Escrita, Variante Padrão e Não Padrão Introdução: Nas grandes civilizações, a língua é o suporte de uma dinâmica

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 2 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

TEORIA DA LINGUAGEM Prof ª Giovana Uggioni Silveira

TEORIA DA LINGUAGEM Prof ª Giovana Uggioni Silveira TEORIA DA LINGUAGEM Prof ª Giovana Uggioni Silveira COMUNICAÇÃO LINGUAGEM LÍNGUA FALA ESCRITA DISCURSO Forma de linguagem escrita (texto) ou falada (conversação no seu contexto social, político ou cultural).

Leia mais

CC8 Comunicação e colaboração

CC8 Comunicação e colaboração CC8 Comunicação e colaboração Uso da Língua e adequação linguística aos contextos de comunicação através da internet Diferentes usos da língua associados aos contextos de comunicação através da internet.

Leia mais

5º ano. Atividade de Estudo de Português - 21/10/2016

5º ano. Atividade de Estudo de Português - 21/10/2016 4 Atividade de Estudo de Português - 21/10/2016 5º ano Leia o texto abaixo, em seguida responda. PECHADA O apelido foi instantâneo. No primeiro dia de aula, o aluno novo já estava sendo chamado de Gaúcho.

Leia mais

A linguagem no âmbito social

A linguagem no âmbito social A linguagem no âmbito social A linguagem no âmbito social Sócio-linguística e preconceito linguístico A sócio linguística, estuda todas as relações existentes entre dois meios distintos. São eles: sociais

Leia mais

ESTÁGIO EM ENSINO DE ANÁLISE LINGUÍSTICA

ESTÁGIO EM ENSINO DE ANÁLISE LINGUÍSTICA ESTÁGIO EM ENSINO DE ANÁLISE LINGUÍSTICA AULA 04: PROPOSTAS DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE ANÁLISE LINGUÍSTICA LIÇÃO 1 REGÊNCIA (Adaptada de uma atividade elaborada para alunos do 9º

Leia mais

Conscientização sociolinguística

Conscientização sociolinguística L.E. Semana 2 Segunda Feira Conscientização sociolinguística Relação entre a estrutura linguística e os aspectos sociais e culturais da produção linguística o português não é homogêneo Produção linguística

Leia mais

Linguística O Gerativismo de Chomsky

Linguística O Gerativismo de Chomsky Linguística O Gerativismo de Chomsky Profª. Sandra Moreira Conteúdo Programático A Gramática Gerativa Inatismo versus Behaviorismo Competência e Desempenho Estrutura Profunda e Estrutura Superficial Objetivos

Leia mais

Conceituação. Linguagem é qualquer sistema organizado de sinais que serve de meio de comunicação de ideias ou sentimentos.

Conceituação. Linguagem é qualquer sistema organizado de sinais que serve de meio de comunicação de ideias ou sentimentos. Linguagem e Cultura Conceituação Linguagem é qualquer sistema organizado de sinais que serve de meio de comunicação de ideias ou sentimentos. Cultura é todo saber humano, o cabedal de conhecimento de um

Leia mais

Marcas da oralidade nas produções textuais dos alunos do ensino médio da escola c.e humberto de campos na cidade de humberto de campos ma

Marcas da oralidade nas produções textuais dos alunos do ensino médio da escola c.e humberto de campos na cidade de humberto de campos ma Marcas da oralidade nas produções textuais dos alunos do ensino médio da escola c.e humberto de campos na cidade de humberto de campos ma POR SÂNIA TEREZA COSTA, VANDINALVA COELHO CAMPOS, MARIZE BARROS

Leia mais

(...) Eu canto em português errado. Acho que o imperfeito não participa do passado. Troco as pessoas. Troco os pronomes ( ).

(...) Eu canto em português errado. Acho que o imperfeito não participa do passado. Troco as pessoas. Troco os pronomes ( ). (...) Eu canto em português errado Acho que o imperfeito não participa do passado Troco as pessoas Troco os pronomes ( ). (Meninos e Meninas Legião Urbana) ALGUMAS ESCOLHAS LINGUÍSTICAS TORNAM O IDIOMA

Leia mais

A CRISE BRASILEIRA NO ENSINO DA NORMA CULTA OU ESTILO FORMAL Universidade de Salvador

A CRISE BRASILEIRA NO ENSINO DA NORMA CULTA OU ESTILO FORMAL Universidade de Salvador A CRISE BRASILEIRA NO ENSINO DA NORMA CULTA OU ESTILO FORMAL Universidade de Salvador A aquisição da língua materna é natural aos seres humanos; ela acontece de forma rápida, espontânea e natural, inconscientemente.

Leia mais

Como Aprender Inglês: O Guia Prático

Como Aprender Inglês: O Guia Prático Como Aprender Inglês: O Guia Prático Elaboramos um sistema passo-a-passo para você aprender inglês de maneira mais simples e efetiva! Lucas Campos Introdução Ao Guia...3 Passo 1 As 4 Habilidades...4 Passo

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. ISIDORO DE SOUSA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESPANHOL. Domínios

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. ISIDORO DE SOUSA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESPANHOL. Domínios Ano letivo 2012/2013 3º- ciclo 1 2 3 Domínios Afetivo Cognitivo Tem uma atitude negativa em relação à aprendizagem; Mostra-se desatento: não abre o livro, não copia apontamentos; Não faz, habitualmente,

Leia mais

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô.

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô. Parabéns para o Dan Tocou o telefone lá em casa. Meu pai atendeu na sala. Alô. Meu avô, pai do meu pai, do outro lado da linha, fez voz de quem não gostou da surpresa. Eu liguei pra dar parabéns ao Dan.

Leia mais

META Apresentar rotinas de trabalho que promovam a familiaridade dos alunos com os diversos comportamentos leitores.

META Apresentar rotinas de trabalho que promovam a familiaridade dos alunos com os diversos comportamentos leitores. ATIVIDADES PERMANENTES COM GÊNEROS TEXTUAIS Aula 8 META Apresentar rotinas de trabalho que promovam a familiaridade dos alunos com os diversos comportamentos leitores. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o

Leia mais

CARREIRA DE SUCESSO: Por que o inglês para negócios é tão importante?

CARREIRA DE SUCESSO: Por que o inglês para negócios é tão importante? CARREIRA DE SUCESSO: Por que o inglês para negócios é tão importante? O mercado de trabalho está bastante exigente e afunilado: aqueles que querem destacar-se em suas profissões para alcançar melhores

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VELAS PLANIFICAÇÃO ANUAL DE PORTUGUÊS 10º ANO

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VELAS PLANIFICAÇÃO ANUAL DE PORTUGUÊS 10º ANO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VELAS PLANIFICAÇÃO ANUAL DE PORTUGUÊS 10º ANO Planificação Anual 2011/2012 ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VELAS PORTUGUÊS 10º ANO Manual adotado: Página Seguinte - Texto Editora

Leia mais

Bárbara da Silva. Literatura. Aula 11 Variações linguísticas

Bárbara da Silva. Literatura. Aula 11 Variações linguísticas Bárbara da Silva Literatura Aula 11 Variações linguísticas A variação linguística é um fenômeno que acontece com a língua, e pode ser compreendida por intermédio das variações históricas e regionais. Em

Leia mais

Turma: 3º ano FG e TI

Turma: 3º ano FG e TI COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 3ª Etapa 2012 Disciplina: Português Ano: 2012 Professor (a): Felipe Turma: 3º ano FG e TI Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de

Leia mais

LHEÍSMO NO PORTUGÛES BRASILEIRO: EXAMINANDO O PORTUGÛES FALADO EM FEIRA DE SANTANA Deyse Edberg 1 ; Norma Lucia Almeida 2

LHEÍSMO NO PORTUGÛES BRASILEIRO: EXAMINANDO O PORTUGÛES FALADO EM FEIRA DE SANTANA Deyse Edberg 1 ; Norma Lucia Almeida 2 359 LHEÍSMO NO PORTUGÛES BRASILEIRO: EXAMINANDO O PORTUGÛES FALADO EM FEIRA DE SANTANA Deyse Edberg 1 ; Norma Lucia Almeida 2 1. Bolsista FAPESB, Graduanda em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual

Leia mais

SEMANA DO ESPANHOL DE VERDADE MATERIAL DE APOIO AULA 2

SEMANA DO ESPANHOL DE VERDADE MATERIAL DE APOIO AULA 2 SEMANA DO ESPANHOL DE VERDADE MATERIAL DE APOIO AULA 2 O que você vai encontrar neste material? Hola! Neste material complementar da Aula 2 da Semana do Espanhol de Verdade eu vou te mostrar : Revisão

Leia mais

Variação social ou diastrática

Variação social ou diastrática L.E. Semana 3 Sábado Variação social ou diastrática Variação linguística a partir da posição social ocupada pelo falante A idade do falante é um importante elemento na produção do discurso oral e escrito.

Leia mais

Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS PLANO DE CURSO

Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS Código: ENF 405 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

PLANEJAMENTO (Ditados Populares) Leitura, interpretação, atenção, oralidade, comunicação; vocabulário e criatividade.

PLANEJAMENTO (Ditados Populares) Leitura, interpretação, atenção, oralidade, comunicação; vocabulário e criatividade. PLANEJAMENTO (Ditados Populares) Professor (a): Sonaira Schultz Competências Leitura, interpretação, atenção, oralidade, comunicação; vocabulário e criatividade. Objetivo Geral Desenvolver atividades orais,

Leia mais

- NOVO DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA- 2ª edição, revisada e aumentada (10ª Impressão)-1986.

- NOVO DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA- 2ª edição, revisada e aumentada (10ª Impressão)-1986. Introdução OS DIFERENTES SIGNIFICADOS DAS PALAVRAS GRAMÁTICA, LÍNGUA E LINGUAGEM 1 Alfrânio Pedroso Soares Gustavo Gracioli Natália Felix Amaral Rafaela Lelis Wanderson Fernandez Marlon Leal Rodrigues

Leia mais

VARIANTES SOCIAIS, REGIONAIS E CULTURAIS:

VARIANTES SOCIAIS, REGIONAIS E CULTURAIS: VARIANTES SOCIAIS, REGIONAIS E CULTURAIS: Olá a todos! Vamos assistir a uma Apresentação da Profa. Ms. Helba Carvalho sobre as variantes sociais, regionais e culturais. Ao final desta, espera-se que você

Leia mais

Instrutivo Exames Finais

Instrutivo Exames Finais 2012 Instrutivo Exames Finais FUNDAMENTAÇÃO PEDAGÓGICA METODOLOGIA PEDAGÓGICA: Abordagem Comunicativa (vide MIA ) CONCEITO: Abordagem Espiral ; a língua como um conjunto de eventos comunicativos. OBJETIVO:

Leia mais

Adjetivo. Por que não usamos o meu celular? Telefones celulares não devem ser usados em aula.

Adjetivo. Por que não usamos o meu celular? Telefones celulares não devem ser usados em aula. Nome: Nº: Turma: Português 2º ano Adjetivo Mérope Abr/09 Adjetivo Por que não usamos o meu celular? Telefones celulares não devem ser usados em aula. Se o substantivo é definido pelas gramáticas como a

Leia mais

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes O ATAQUE NA PISCINA Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes de Natália, Bárbara não queria que

Leia mais

Exame Nacional do Ensino Médio. pág Anais do XVI CNLF. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2012.

Exame Nacional do Ensino Médio. pág Anais do XVI CNLF. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2012. MARCAS DA ORALIDADE NAS PRODUÇÕES TEXTUAIS DOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DO CENTRO DE ENSINO HUMBERTO DE CAMPOS NA CIDADE DE HUMBERTO DE CAMPOS MA Vandinalva Coelho Campos (UFMA) dinalva_coelho@hotmail.com

Leia mais

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM (conceitos)

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM (conceitos) Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Marketing/Processos Gerenciais UC: Comunicação e Expressão COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM (conceitos) A comunicação verbal baseia-se na interação

Leia mais

PORTUGUÊS - 3 o ANO MÓDULO 30 ASPECTOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA PORTUGUESA: A CRASE

PORTUGUÊS - 3 o ANO MÓDULO 30 ASPECTOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA PORTUGUESA: A CRASE PORTUGUÊS - 3 o ANO MÓDULO 30 ASPECTOS LINGUÍSTICOS DA LÍNGUA PORTUGUESA: A CRASE Fixação 1) (ITA) Antes de começar a aula matéria e exercícios no quadro, como muita gente entende, o mestre sempre declamava

Leia mais

Apresentação do método sintético

Apresentação do método sintético Maria Cristina Pereira Cotta e Angela Maria Rodrigues Marques Galvão O tempo passa e, em Educação, continuam as dúvidas quanto à escolha do método ideal para alfabetizar. Para acertar nessa escolha, a

Leia mais

O Mistério da bolsa Grande

O Mistério da bolsa Grande O Mistério da bolsa Grande Gisela está indo para casa no Rio de Janeiro, após um mês de férias em Londres. Ela vive em um apartamento no Rio com dois amigos. Ela deixa seu avião às cinco horas. É uma hora

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO

INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO AA 285 ESTÁGIO SUPERVISIONADO I LÍNGUA PORTUGUESA NO 6º E 7º ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Língua Portuguesa. Elaborar propostas de trabalho com diferentes gêneros textuais que contemplem também textos literários.

Leia mais

UNIDADE: Níveis de Linguagem MATERIAL TEÓRICO. Responsável pelo Conteúdo: Núcleo de professores e tutores do Campus Virtual

UNIDADE: Níveis de Linguagem MATERIAL TEÓRICO. Responsável pelo Conteúdo: Núcleo de professores e tutores do Campus Virtual Língua Portuguesa UNIDADE: Níveis de Linguagem MATERIAL TEÓRICO Responsável pelo Conteúdo: Núcleo de professores e tutores do Campus Virtual Olá caros alunos, Sejam bem-vindos! Nessa primeira unidade,

Leia mais

- que tenha uma boa justificativa (Por que é necessário pesquisar isso? Quais são as motivações e qual é a relevância do trabalho?

- que tenha uma boa justificativa (Por que é necessário pesquisar isso? Quais são as motivações e qual é a relevância do trabalho? Orientações para a elaboração de pôsteres Linguística: história e teoria 1/2013 O que é uma sessão de pôsteres? Em Congressos e eventos acadêmicos semelhantes, existem vários formatos de apresentação de

Leia mais

INFLUÊNCIA DA ORALIDADE NA ESCRITA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

INFLUÊNCIA DA ORALIDADE NA ESCRITA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO INFLUÊNCIA DA ORALIDADE NA ESCRITA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO Maria de Fátima de Souza Aquino Universidade Estadual da Paraíba/ CH/ PIBID fatimaaquinouepb@yahoo.com.br RESUMO: O uso das várias formas de

Leia mais

GUIMARÃES, Cleusa Divina 1. Palavras-chave: Competência redacional, aperfeiçoamento, desenvolvimento, aprendizagem.

GUIMARÃES, Cleusa Divina 1. Palavras-chave: Competência redacional, aperfeiçoamento, desenvolvimento, aprendizagem. Produção de Textos Científicos e Técnicas de Comunicação. GUIMARÃES, Cleusa Divina 1 Palavras-chave: Competência redacional, aperfeiçoamento, desenvolvimento, aprendizagem. Introdução O Curso Produção

Leia mais

Programa Anual do Português

Programa Anual do Português Montevideo Programa Anual do Português 1. Abrangência: Objetivo geral: Proporcionar aos alunos conhecimentos do idioma português permitindo um intercâmbio nas distintas situações de comunicação oral e

Leia mais

AULA DEMONSTRATIVA REDAÇÃO TRE BA. Para os cargos TJAA AJAA AJAJ Professores: Ricardo Wermelinger Vanessa Winter.

AULA DEMONSTRATIVA REDAÇÃO TRE BA. Para os cargos TJAA AJAA AJAJ Professores: Ricardo Wermelinger Vanessa Winter. AULA DEMONSTRATIVA REDAÇÃO TRE BA Para os cargos TJAA AJAA AJAJ Professores: Ricardo Wermelinger Vanessa Winter www.pontodosconcursos.com.br www.pontodosconcursos.com.br Professores Ricardo e Vanessa 1

Leia mais

Tais (risos nervosos) Tem muita gente ne? (Se assusta com alguém que esbarra na corda) as pessoas ficam todas se esbarrando

Tais (risos nervosos) Tem muita gente ne? (Se assusta com alguém que esbarra na corda) as pessoas ficam todas se esbarrando Não me leve a mal Começa a cena no meio de um bloco. Ao redor há confetes, purpurinas e latas de bebida para todo o lado. A música está alta. No centro há um grupo de foliões delimitados por uma corda

Leia mais

Olhando o Aluno Deficiente na EJA

Olhando o Aluno Deficiente na EJA Olhando o Aluno Deficiente na EJA ConhecendoJoice e Paula Lúcia Maria Santos Tinós ltinos@ffclrp.usp.br Apresentando Joice e Paula Prazer... Eu sou a Joice Eu sou a (...), tenho 18 anos, gosto bastante

Leia mais

MAPA PARA FLUÊNCIA UTILIZE ESTE DOCUMENTO PARA GUIÁ-LO DURANTE OS WORKSHOPS

MAPA PARA FLUÊNCIA UTILIZE ESTE DOCUMENTO PARA GUIÁ-LO DURANTE OS WORKSHOPS MAPA PARA FLUÊNCIA UTILIZE ESTE DOCUMENTO PARA GUIÁ-LO DURANTE OS WORKSHOPS Você vai usar este mapa de tesouro durante este Workshop para guiá-lo até seu tesouro na fluência e as oportunidades e sucesso

Leia mais

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Análise Estética (formal) Análise Estilística (figuras de linguagem) Análise Gramatical (morfossintática) Análise Semântica (de significado) Análise

Leia mais

redação e pleno desenvolvimento do tema, atendendo aos limites Atendimento à proposta de propostos. redação e desenvolvimento do

redação e pleno desenvolvimento do tema, atendendo aos limites Atendimento à proposta de propostos. redação e desenvolvimento do Critérios de Correção de Redação Ensino Médio ENSINO MéDIO TExTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO NÍVEL DE DESPENHO E NOTA CORRESPONDENTE Situações que dificultam a correção da produção textual: letra ilegível

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA INTERATIVIDADE FINAL DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES AULA. Conteúdo: As linguagens: formas de comunicação.

LÍNGUA PORTUGUESA INTERATIVIDADE FINAL DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES AULA. Conteúdo: As linguagens: formas de comunicação. Conteúdo: As linguagens: formas de comunicação. 2 Habilidades: Reconhecer os usos da norma padrão da língua portuguesa e suas variantes nas diferentes situações da comunicação. 3 Informações do planejamento.

Leia mais

Um Novo Mundo Escolar

Um Novo Mundo Escolar Um Novo Mundo Escolar Olá, meu nome é Julia, entrei numa escola recente mente estou meio solitária sem amigos, sem alguém com quem conversar. Na maioria das escolas, todo mundo parece diferente pra um

Leia mais

Primeiramente, vamos entender como nosso estudo funcionará: Agora que você já sabe como o processo funciona, vamos ao trabalho!!!

Primeiramente, vamos entender como nosso estudo funcionará: Agora que você já sabe como o processo funciona, vamos ao trabalho!!! Ficha de Aprofundamento Língua Portuguesa 6º ano EF Professor Rodolfo Santiago Olá!! Finalmente nossa primeira ficha de aprofundamento chegou! E ela vem com tudo!! Para que você possa ter sucesso ao estudar

Leia mais

ENSINO DE LÍNGUA MATERNA: POSSÍVEIS ABORDAGENS

ENSINO DE LÍNGUA MATERNA: POSSÍVEIS ABORDAGENS ENSINO DE LÍNGUA MATERNA: POSSÍVEIS ABORDAGENS Ana Paula de Souza Fernandes Universidade Estadual da Paraíba. E-mail: Aplins-@hotmail.com RESUMO: Diante do fracasso educacional que estamos vivenciando

Leia mais

Prática Profissional: A Fala e as Questões Sociais. Contextualização. Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas

Prática Profissional: A Fala e as Questões Sociais. Contextualização. Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas Prática Profissional: A Fala e as Questões Sociais Teleaula 2 Prof.ª Me. Elys Regina Andretta tutorialetras@grupouninter.com.br Contextualização Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas A

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER PROFESSORA IVANILDA TOLFFO BRAGHIATTO PROJETO CHARGES

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER PROFESSORA IVANILDA TOLFFO BRAGHIATTO PROJETO CHARGES ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER PROFESSORA IVANILDA TOLFFO BRAGHIATTO PROJETO CHARGES ANGÉLICA MS JULHO/2011 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER PROFESSORA IVANILDA TOLFFO BRAGHIATTO PROJETO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC. RELATÓRIO SUCINTO: MÊS março

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC. RELATÓRIO SUCINTO: MÊS março 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC 1. Dados do Município ou GERED a) Município: Florianópolis b)município/gered: Secretaria Municipal RELATÓRIO

Leia mais

Tema: (i) Introdução ao curso de sintaxe do português de base gerativa

Tema: (i) Introdução ao curso de sintaxe do português de base gerativa SINTAXE DO PORTUGUÊS I AULA 1-2015 Tema: (i) Introdução ao curso de sintaxe do português de base gerativa Profa. Dra. Márcia Santos Duarte de Oliveira FFFLCH-DLCV/ USP marcia.oliveira@usp.br n O linguista

Leia mais

Que tal aprender inglês de uma forma diferente? _

Que tal aprender inglês de uma forma diferente? _ Que tal aprender inglês de uma forma diferente? Você sabia que além de dar muitas risadas ou se emocionar com a sua série favorita, ao assistir seriados você absorve centenas de palavras, frases e estruturas

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XVII, Nº 12. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2013.

Cadernos do CNLF, Vol. XVII, Nº 12. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2013. 224 Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos VALORIZAÇÃO DO ALUNO: MINIMIZANDO O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Janaína Coutinho Rodrigues (UEMS) janainacoutinhorodrigues@yahoo.com.br

Leia mais

Garoto extraordinário

Garoto extraordinário Garoto extraordinário (adequada para crianças de 6 a 8 anos) Texto: Lucas 2:40-52 Princípio: ser como Jesus Você vai precisar de um fantoche de cara engraçada, um adulto para manipular o fantoche atrás

Leia mais

FÁBIO LÚCIO GOMES LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO

FÁBIO LÚCIO GOMES LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO FÁBIO LÚCIO GOMES LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO Objetivos da Aula Conhecer os fundamentos conceituais da linguagem; Compreender os tipos de linguagem; Aplicar os conhecimentos adquiridos em sala. Estrutura do

Leia mais

3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Língua Portuguesa Nome:

3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Língua Portuguesa Nome: 3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Língua Portuguesa Nome: As paródias são criações inspiradas em obras já existentes e, geralmente, conhecidas e admiradas. Veja a seguir a maneira bem

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula QUE LÍNGUA VOCÊ FALA? Ensino Fundamental / Anos iniciais. Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo. 9º ano.

TÍTULO: Plano de Aula QUE LÍNGUA VOCÊ FALA? Ensino Fundamental / Anos iniciais. Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo. 9º ano. Org.: Claudio André - 1 TÍTULO: QUE LÍNGUA VOCÊ FALA? Nível de Ensino: Ano/Semestre de Estudo Componente Curricular: Tema: Modalidade de Ensino: Duração da Aula: Ensino Fundamental / Anos iniciais 9º ano

Leia mais

VOCÊ ESTÁ REALMENTE EVOLUINDO NO INGLÊS PARA NEGÓCIOS?

VOCÊ ESTÁ REALMENTE EVOLUINDO NO INGLÊS PARA NEGÓCIOS? VOCÊ ESTÁ REALMENTE EVOLUINDO NO INGLÊS PARA NEGÓCIOS? Você sente que está patinando em seu conhecimento de inglês? Essa sensação é bastante comum. Na verdade, no começo do curso sentimos que estamos tendo

Leia mais

Módulo: 1ª fase C-H: 36 h-a Ano: Professora: Karoliny Correia. ESTRATÉGIAS DE ENSINO 4 h-a Aula expositivodialogada;

Módulo: 1ª fase C-H: 36 h-a Ano: Professora: Karoliny Correia. ESTRATÉGIAS DE ENSINO 4 h-a Aula expositivodialogada; IDENTIFICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS ITAJAÍ PLANO DE ENSINO Unidade Curricular:

Leia mais

1977 Homenagem à Jornada nas Estrelas

1977 Homenagem à Jornada nas Estrelas 1977 Homenagem à Jornada nas Estrelas A Enterprise, batizada em homenagem à nave comandada pelo capitão Kirk no seriado Jornada nas Estrelas, foi o primeiro ônibus espacial construído pela Nasa. Mas ele

Leia mais

Documentação judicial e registros de língua falada. Nathalia Reis Fernandes

Documentação judicial e registros de língua falada. Nathalia Reis Fernandes Documentação judicial e registros de língua falada Nathalia Reis Fernandes 5.11.2012 1 Objetivo Demonstrar que a documentação judicial pode ser fonte confiável de registro da língua falada numa época em

Leia mais

O QUE IREMOS APRENDER HOJE?

O QUE IREMOS APRENDER HOJE? SEJA BEM VINDO! O QUE IREMOS APRENDER HOJE? O QUE É O MD FUNCIONA NO MMN? INTRODUÇÃO A INBOUNDMARKETING PRIMEIROS PASSOS NO MD P/MMN ANTES DE TUDO... QUERO ME APRESENTAR Meu nome é Jhon Viana, sou empreendedor

Leia mais

Funções do pronome se. Pronome reflexivo. Narciso contemplava-se na água. = Narciso contemplava a si próprio. sujeito

Funções do pronome se. Pronome reflexivo. Narciso contemplava-se na água. = Narciso contemplava a si próprio. sujeito FUNÇÕES DO PRONOME SE Prof. Daniel Funções do pronome se - pronome reflexivo - pronome apassivador - índice de indeterminação do sujeito Pronome reflexivo Narciso contemplava-se na água. = Narciso contemplava

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO

INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO AA 285 ESTÁGIO SUPERVISIONADO I LÍNGUA PORTUGUESA NO 6º E 7º ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Língua Portuguesa. Elaborar propostas de trabalho com diferentes gêneros textuais que contemplem também textos literários.

Leia mais

Unidade III COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

Unidade III COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Unidade III 3 OS NÍVEIS DE FALA E A COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL A língua é um código que permite uma diversidade de usos, e nós, falantes, adotamos o mais adequado às exigências situacionais

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Igor Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 05 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

PROJETO LÍNGUA DE FORA

PROJETO LÍNGUA DE FORA DESCRIÇÃO PROJETO LÍNGUA DE FORA O, de responsabilidade dos professores da disciplina de estágio supervisionado das línguas espanhola, francesa e inglesa, corresponde a 50 horas de estágio, das 200 horas

Leia mais

LISTAGEM DOS COMPONENTES CURRICULARES COMPLEMENTARES (ELETIVOS)

LISTAGEM DOS COMPONENTES CURRICULARES COMPLEMENTARES (ELETIVOS) LISTAGEM DOS COMPONENTES CURRICULARES COMPLEMENTARES (ELETIVOS) Componente Curricular Complementar Total Teórica Prática EAD 1 Pré-requisitos 1. Alfabetização e Letramento BA000492 2. Análise de Livros

Leia mais

Variação Linguística. Professora Camilla

Variação Linguística. Professora Camilla Variação Linguística Professora Camilla CONCEITUANDO: Não existe um único jeito de falar a língua portuguesa. VARIEDADES LINGUÍSTICAS: são as variações que uma língua apresenta em razão das condições sociais,

Leia mais

Escolas de Educação Básica, na Modalidade Educação Especial Parecer 07/14

Escolas de Educação Básica, na Modalidade Educação Especial Parecer 07/14 Escolas de Educação Básica, na Modalidade Educação Especial Parecer 07/14 Anexo 5 Semana Pedagógica 1º semestre - 2016 Anexo 5 Trabalhando com textos na Alfabetização (Marlene Carvalho, 2005) Muitas professoras

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Edital 15/2015 Campus São João del-rei

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Edital 15/2015 Campus São João del-rei Tema 01: CONCEPÇÕES DE LÍNGUA E LINGUAGEM Leia os trechos a seguir: [...] a política curricular deve ser entendida como expressão de uma política cultural, na medida em que seleciona conteúdos e práticas

Leia mais

Diário de Classe. Aulas, projetos, experimentos, dinâmicas.

Diário de Classe. Aulas, projetos, experimentos, dinâmicas. Diário de Classe Aulas, projetos, experimentos, dinâmicas. A escola é, ou deveria tornar-se, um local privilegiado para diminuir a distância entre os jovens e a leitura. Essa atividade é necessária e vital

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Sonia Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 5 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

NOÇÃO DE TEXTO E ELEMENTOS TEXTUAIS. Professor Marlos Pires Gonçalves

NOÇÃO DE TEXTO E ELEMENTOS TEXTUAIS. Professor Marlos Pires Gonçalves NOÇÃO DE TEXTO E ELEMENTOS TEXTUAIS Professor Marlos Pires Gonçalves 1 TEORIA DA COMUNICAÇÃO Toda mensagem tem uma finalidade: ela pode servir para transmitir um conteúdo intelectual, exprimir (ou ocultar)

Leia mais

Aula 6 GERATIVISMO. MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p

Aula 6 GERATIVISMO. MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p Aula 6 GERATIVISMO MARTELOTTA, Mário Eduardo. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2012, p. 113-126 Prof. Cecília Toledo- cissa.valle@hotmail.com Linguística Gerativa Gerativismo Gramática Gerativa

Leia mais

AS MANIFESTAÇÔES LINGUÍSTICAS NA OBRA VIDAS SECAS, DE GRACILIANO RAMOS

AS MANIFESTAÇÔES LINGUÍSTICAS NA OBRA VIDAS SECAS, DE GRACILIANO RAMOS AS MANIFESTAÇÔES LINGUÍSTICAS NA OBRA VIDAS SECAS, DE GRACILIANO RAMOS Jakeline Francisca da Silva (1); Francisca Luana Abrantes de Castro (1) Rosangela Vieira (4) Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Quando eu aceito a língua de outra pessoa, eu aceito a pessoa...

Quando eu aceito a língua de outra pessoa, eu aceito a pessoa... Educação e Saúde Quando eu aceito a língua de outra pessoa, eu aceito a pessoa... Quando eu rejeito a língua, eu rejeito a pessoa porque a língua é parte de nós mesmos... Quando eu aceito a Língua de Sinais,

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Faz a leitura dramatizada, acompanhada de gestos que imitam as ações.

LÍNGUA PORTUGUESA. Faz a leitura dramatizada, acompanhada de gestos que imitam as ações. 3º ANO Nome : Data : / / LÍNGUA PORTUGUESA INFORMAÇÃO : RUBRICA : Faz a leitura dramatizada, acompanhada de gestos que imitam as ações. Os cadernos novos É uma coisa que me diverte muito, arranjar cadernos

Leia mais

Linguagem como Interlocução em Portos de Passagem

Linguagem como Interlocução em Portos de Passagem Linguagem como Interlocução em Portos de Passagem (Anotações de leitura por Eliana Gagliardi) Geraldi, em seu livro Portos de Passagem, São Paulo, Martins Fontes, 1991, coloca-nos que o ensino de Português

Leia mais

Variação prosódica no Português Europeu: um falar, uma identidade

Variação prosódica no Português Europeu: um falar, uma identidade Marisa Cruz Laboratório de Fonética (CLUL/FLUL) Universidade de Lisboa Compreensão e Produção do Português Oral Professora Doutora Sónia Frota 4 de Dezembro de 2012 Variação prosódica no Português Europeu:

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA: GRAMÁTICA PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO APOSTILA 3 CAPÍTULO 9 PROF.º PAULO SCARDUA COORDENAÇÃO: INTRODUÇÃO Quando as orações que constituem um período composto apresentam estruturas

Leia mais

Real Brazilian Conversations #19 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #19 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: The 2016 Olympic Games in Rio de Janeiro. Context: In this conversation André and Guilherme discuss some interesting topics about the Olympic Games in Brazil. André describes

Leia mais

AS 3 COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DE UM LÍDER!

AS 3 COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DE UM LÍDER! AS 3 COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DE UM LÍDER! CAPA Renato Dip (11) 99182-7070 renato@rdipcoaching.com.br AS 3 COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DE UM LÍDER! Olá! Nesse e-book trago para vocês um tema que está muito

Leia mais

Aulas de Inglês para Executivos.

Aulas de Inglês para Executivos. Aulas de Inglês para Executivos info@acelanguageschool.com.br Bem-vindo à Ace Aulas de Inglês para Executivos. Ace Language School é uma escola de Inglês com sede em São Paulo, Brasil. Somos especialistas

Leia mais