Transistor. Portas Lógicas (2) Base; Coletor; Emissor.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transistor. Portas Lógicas (2) Base; Coletor; Emissor."

Transcrição

1 Nível da Lógica Digital Nível da Lógica Digital (Aula 6) Portas Lógicas e Lógica Digital Estudar vários aspectos da lógica digital Base de estudo para os níveis mais elevados da hierarquia das máquinas multiníveis virtuais. Circuitos digitais Portas lógicas Nível dos Dispositivos Eletrônicos Abaixo do nível Física envolvida ou microarquitetura Interpretação (microprograma) ou execução direta Roberta Lima Gomes - LPRM/DI/UFES Sistemas de Programação I Eng. Elétrica 27/2 Agradecimentos: Camilo Calvi - LPRM/DI/UFES 2 Portas Lógicas () Um circuito lógico digital utilizado nos computadores atuais admite a presença de dois valores lógicos. : False (falso) : True (verdadeiro) Os valores lógicos são materializados através de sinais elétricos... em geral (por exemplo): Sinal elétrico entre - volt pode representar o binário. Sinal elétrico entre 2-5 volts pode representar o binário. Portas Lógicas Estruturas eletrônicas (componentes primitivos) capazes de calcular diversas funções utilizando esses sinais. Formam a base de construção de inúmeros circuitos digitais e do hardware dos computadores Portas Lógicas (2) A lógica digital baseia-se no fato de que um transistor pode operar como uma chave binária Tempo de comutação (chaveamento) é pequeno (nanosegundos). Componentes de um Transistor: Base; Coletor; Emissor. 3 4

2 Portas Lógicas (3) Portas Lógicas (4) Quando V in estiver abaixo de um certo valor, o transistor desliga e passa a agir como uma resistência infinita (está em aberto) V out assume um valor próximo a V cc V cc é uma tensão regulada, geralmente a +5V em transistores bipolares. Quando V in ultrapassa um certo valor, o transistor comuta e passa a agir como um fio sem resistência. V out fica conectado logicamente à terra ( volt) 5 Quando V in estiver no nível lógico baixo, V out estará no nível alto, e vice-versa. Base (V in ) Coletor (V out ) O circuito ao lado funciona logicamente como um Inversor! Porta NOT 6 Portas Lógicas (5) Dois transistores ligados em série Se V e V 2 estiverem no nível lógico alto, V out vai assumir nível lógico baixo. Se V ou V 2 estiver no nível lógico baixo, o transistor correspondente estará cortado e a saída será alta. Qual a porta lógica correspondente? (a) Porta NAND Portas Lógicas (6) Dois transistores ligados em paralelo Qual a porta lógica correspondente? (b) Porta NOR 7 8

3 Portas Lógicas (7) Ao colocarmos um circuito inversor na saída de (a), o que obtemos? Portas Lógicas (8) Se fizermos os mesmo na saída de (b)? (V ) (V 2 ) (V out ) (V out) (V ) (V 2 ) (V out ) (V out) 9 Portas Lógicas (9) Principais portas lógicas Podemos construir qualquer circuito lógico com apenas as portas AND, OR e NOT. Ou apenas NAND, NOR e NOT. Portas Lógicas () As portas NAND e NOR precisam de dois transistores (do tipo bipolar), enquanto as portas AND e OR precisam de três. Muitos computadores são baseados nas portas NAND e NOR, em vez das AND e OR. Na prática, existem outros tipos de implementações de portas lógicas, mas geralmente as portas NAND e NOR são mais simples que as AND e OR. Geralmente, uma porta lógica pode conter mais do que duas entradas, exceto a inversora. 2

4 Portas Lógicas () Famílias de Portas Lógicas Bipolar TTL (Transistor-Transistor-Logic) ECL (Emitter-Coupled Logic) MOS (Metal Oxide Semiconductor) Consomem menos energia e ocupam menos espaço Mais lentas PMOS, NMOS,... CMOS (Complementary Metal Oxide Semiconductor) Utiliza +3,3V para funcionar. Utilizado na maioria dos processadores e memórias Álgebra Booleana () Álgebra da Comutação Uma função booleana tem uma ou mais variáveis binárias de entrada e produz resultados de acordo com os valores dessas variáveis. Exemplo: Função NOT (ƒ) ƒ(a) é se A for, e ƒ(a) é se A for Tabela-Verdade Uma função booleana de n variáveis de entrada admite somente 2 n possíveis combinações das mesmas. Para cada uma das 2 n entradas, a função produz um resultado ( ou ) 3 4 Álgebra Booleana (2) Tabela-Verdade Álgebra Booleana (3) Tabela-Verdade Tabela-Verdade não são nada práticas quando o número de variáveis cresce Uma outra forma de representar a tabela-verdade de uma função, i.e., de definir uma função é através do número binário de 2 n dígitos referente à coluna de resultados Ex: AND é definida por ; OR é definida por As possíveis saídas também são combinações das 2 n linhas Por exemplo, só existem 2 4 funções boolenanas de 2 variáveis, ou seja, 6 cadeias de 4 bits possíveis. Uma notação alternativa à tabela da verdade: especificar a função booleana informando-se quais das combinações de suas variáveis de entrada geram uma saída em Convenções Ā indica a inversão do valor de A Multiplicação implícida ou ponto p/ especificar AND Sinal de + p/ especificar OR Ex: AND = AB ; OR= ĀB + AB + AB 5 6

5 Álgebra Booleana (4) Função Booleana => Implementação em Circuitos Eletrônicos Exemplo: Função Maioria M = ƒ (A, B, C) A saída será se a maioria das variáveis de entrada for zero, e será se a maioria das variáveis de entrada for. Resolva utilizando portas AND, OR e NOT Álgebra Booleana (5) Função Maioria M = ĀBC + ABC + ABC + ABC 7 8 Álgebra Booleana (6) Implementar um circuito referente a uma função boolenana, utilizando portas AND, OR e NOT: Obtenha a tabela-verdade da função; Utilize inversores para obter o complemento de cada uma das entradas da função; Desenhe uma porta AND para cada termo com valor na coluna de resultados; Ligue as portas AND às entradas apropriadas; Ligue a saída das portas AND a uma porta OR. Álgebra Booleana (7) Muitas vezes é conveniente que o circuito seja implementado por meio de um único tipo de porta. Converter circuitos do tipo AND-OR-NOT resultantes de uma função em circuitos equivalentes que só usem portas NAND ou NOR. Para fazer isso, por exemplo, pode-se implementar as funções NOT, AND e OR usando uma dessas duas portas Exercício: construir portas AND, OR e NOT usando NAND ou NOR. Em função disso, as portas NAND e NOR são conhecidas como completas, pois qualquer função booleana pode ser implementada com circuitos que só usem uma delas. Qual a vantagem disso? 9 2

6 Álgebra Booleana (8) Equivalência de Circuitos () Existe, muitas vezes, a tentativa de se reduzir ao mínimo a quantidade de portas lógicas em circuitos integrados Reduzir custos de componentes, espaço ocupado em placa de circuito impresso, consumo de energia, etc. Equivalência de Circuitos Encontrar um outro circuito que calcule a mesma função calculada pelo original, usando menos portas lógicas ou portas mais simples de implementação (portas com duas entradas ao invés de quatro) Em geral, obtém-se em primeiro lugar uma função booleana para em seguida aplicar leis da álgebra de Boole para tentar encontrar uma equivalente mais simples 2 22 Equivalência de Circuitos (2) AB + AC pode ser fatorado como A(B + C) por uma lei distributiva? Equivalência de Circuitos (3) Sim! 23 24

7 Equivalência de Circuitos (4) Identidades básicas da álgebra booleana Nome Forma AND Forma OR Lei da Identidade Lei da Nulidade Lei da Eqüipotência Equivalência de Circuitos (5) A Lei de DeMorgan pode ser estendida a equações como: ABC = A + B + C Além disso, surgem outros tipos de representação em função da Lei de De Morgan Lei da Inversão Lei Comutativa Lei Associativa Lei Distributiva Lei da Absorção De Morgan Equivalência de Circuitos (6) Lógica Positiva e Lógica Negativa Construa implementações para a função XOR (Exclusive OR), utilizando: (a) AND, OR e NOT; (b) NAND e NOT; 27 28

8 Referências Andrew S. Tanenbaum, Organização Estruturada de Computadores, 5ª edição, Prentice-Hall do Brasil, 27. John L. Hennessy and David A. Patterson, Arquitetura de Computadores: Uma Abordagem Quantitativa. 3ª edição. Editora Campus, 23. Milos Ercegovac, Tomas Lang, Jaime H. Moreno. Introdução aos Sistemas Digitais. Bookman Porto Alegre, 2 ISBN

Nível da Lógica Digital (Aula 6) Portas Lógicas e Lógica Digital Nível da Lógica Digital Estudar vários aspectos da lógica digital Base de estudo para os níveis mais elevados da hierarquia das máquinas

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Introdução à Computação Jordana Sarmenghi Salamon jssalamon@inf.ufes.br jordanasalamon@gmail.com http://inf.ufes.br/~jssalamon Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda

Leia mais

Prof. Leonardo Augusto Casillo

Prof. Leonardo Augusto Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Aula 4 Portas Lógicas Prof. Leonardo Augusto Casillo Analisando o circuito (1)... A Acesa Apagada S Apagada Acesa O emissor do transistor

Leia mais

Introdução à Computação: Introdução às Portas Lógicas

Introdução à Computação: Introdução às Portas Lógicas Introdução à Computação: Introdução às Portas Lógicas Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes),

Leia mais

Projeto de Circuitos. Introdução ao Computador 2008/01 Bernardo Gonçalves

Projeto de Circuitos. Introdução ao Computador 2008/01 Bernardo Gonçalves Projeto de Circuitos Lógicos Introdução ao Computador 2008/01 Bernardo Gonçalves Sumário Da Álgebra de Boole ao projeto de circuitos digitais; Portas lógicas; Equivalência de circuitos; Construindo circuitos

Leia mais

Aula 07 : Portas Lógicas e Álgebra Booleana

Aula 07 : Portas Lógicas e Álgebra Booleana ELE 0316 / ELE 0937 Eletrônica Básica Departamento de Engenharia Elétrica FEIS - UNESP Aula 07 : Portas Lógicas e Álgebra Booleana 1. 1 7.1 Portas Lógicas e Expressões Algébricas 1. 2 7.1 Portas Lógicas

Leia mais

3. CAPÍTULO LÓGICAS DIGITAIS

3. CAPÍTULO LÓGICAS DIGITAIS 3. CAPÍTULO LÓGICAS DIGITAIS 3.1. Introdução A Lógica é um conjunto de regras para raciocínio sobre um determinado assunto, ela é muito utilizada no ramo da Filosofia e da Matemática. 3.2. Portas lógicas

Leia mais

Eletrônica Digital. Funções lógicas, álgebra de boole e circuitos lógicos combinacionais básicos. Professor: Francisco Ary

Eletrônica Digital. Funções lógicas, álgebra de boole e circuitos lógicos combinacionais básicos. Professor: Francisco Ary Eletrônica Digital Funções lógicas, álgebra de boole e circuitos lógicos combinacionais básicos Professor: Francisco Ary Introdução Vimos na aula anterior conversão de números binário fracionários em decimal;

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores. A Arquitetura no nível da lógica digital Prof.: Hugo Barros

Organização e Arquitetura de Computadores. A Arquitetura no nível da lógica digital Prof.: Hugo Barros Organização e Arquitetura de Computadores A Arquitetura no nível da lógica digital Prof.: Hugo Barros email@hugobarros.com.br Portas Lógicas e Álgebra de Boole Circuitos digitais o Construídos a partir

Leia mais

Prof. Leonardo Augusto Casillo

Prof. Leonardo Augusto Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Aula 6 Álgebra de Boole Prof. Leonardo Augusto Casillo Álgebra de Boole (ou Boleana) Desenvolvida pelo matemático britânico George

Leia mais

Nível da Lógica Digital

Nível da Lógica Digital Nível da Lógica Digital (Aula 7) Circuitos Lógicos Digitais Básicos Circuitos Integrados CIs (chips/pastilhas) Agrupa portas lógicas Pastilhas de silício DIP (Dual Inline Package) Invóculo c/ 2 linhas

Leia mais

Abaixo descreveremos 6 portas lógicas: AND, OR, NOT, NAND, NOR e XOR.

Abaixo descreveremos 6 portas lógicas: AND, OR, NOT, NAND, NOR e XOR. 9. Apêndice - Portas e Operações Lógicas Uma porta lógica é um circuito eletrônico (hardware) que se constitui no elemento básico de um sistema de computação. A CPU, as memórias, as interfaces de E/S são

Leia mais

Sistemas Digitais Álgebra de Boole Binária e Especificação de Funções

Sistemas Digitais Álgebra de Boole Binária e Especificação de Funções Sistemas Digitais Álgebra de Boole Binária e Especificação de Funções João Paulo Baptista de Carvalho (Prof. Auxiliar do IST) joao.carvalho@inesc.pt Álgebra de Boole Binária A Álgebra de Boole binária

Leia mais

Sistemas de Numeração. Exemplos de Sistemas de Numeração (1) Exemplos de Sistemas de Numeração (2) Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração. Exemplos de Sistemas de Numeração (1) Exemplos de Sistemas de Numeração (2) Sistemas de Numeração Sistemas de Numeração Sistemas de Numeração (Aula Extra) Sistemas de diferentes bases Álgebra Booleana Roberta Lima Gomes - LPRM/DI/UFES Sistemas de Programação I Eng. Elétrica 27/2 Um sistema de numeração

Leia mais

Descrevendo Circuitos Lógicos Capítulo 3 Parte II

Descrevendo Circuitos Lógicos Capítulo 3 Parte II Descrevendo Circuitos Lógicos Capítulo 3 Parte II Slides do Prof. Gustavo Fernandes de Lima slide 1 Os temas abordados nesse capítulo são: Usar a álgebra booleana para simplificar

Leia mais

Organização de computadores

Organização de computadores Organização de computadores Aula 6 - Álgebra de Boole Professora Marcela Santos marcela@edu.estacio.br Tópicos Portas lógicas e álgebra de boole Álgebra de boole regras e propriedades Provas de algumas

Leia mais

Introdução à Computação: Máquinas Multiníveis

Introdução à Computação: Máquinas Multiníveis Introdução à Computação: Máquinas Multiníveis Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

3. Computadores Industriais

3. Computadores Industriais UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENG. DE PRODUÇÃO E SISTEMAS - DEPS INFORMÁTICA INDUSTRIAL IFD 3. Computadores Industriais Igor Kondrasovas

Leia mais

INF Técnicas Digitais para Computação. Introdução. Aula 1

INF Técnicas Digitais para Computação. Introdução. Aula 1 INF01 118 Técnicas Digitais para Computação Introdução Aula 1 Objetivo Projetar circuitos digitais: Combinacionais Sequências Testar a analisar circuitos digitais Funcionamento Área Desempenho (velocidade)

Leia mais

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ Variáveis Lógicas Uma variável lógica é aquela que pode assumir apenas os

Leia mais

Portas lógicas Arquitetura e Organização de Computadores Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Portas lógicas Arquitetura e Organização de Computadores Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Portas lógicas Arquitetura e Organização de Computadores Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 Componentes Álgebra dos de computadores Boole Vimos anteriormente que os números binários não representam

Leia mais

Aula 7: Portas Lógicas: AND, OR, NOT, XOR, NAND e NOR

Aula 7: Portas Lógicas: AND, OR, NOT, XOR, NAND e NOR Aula 7: Portas Lógicas: AND, OR, NOT, XOR, NAND e NOR Conforme discutido na última aula, cada operação lógica possui sua própria tabela verdade. A seguir será apresentado o conjunto básico de portas lógicas

Leia mais

Aula 1. Funções Lógicas. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 1. Funções Lógicas. SEL Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 1 Funções Lógicas SEL 0414 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Representação Numérica: l Utilizada na representação de alguma grandeza física l Pode ser Analógica ou Digital

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Álgebra de Boole Disciplina: Lógica Professora Dr.ª: Donizete

Leia mais

ÁLGEBRA DE BOOLE POSTULADOS, TEOREMAS E PROPRIEDADES

ÁLGEBRA DE BOOLE POSTULADOS, TEOREMAS E PROPRIEDADES ÁLGEBRA DE BOOLE POSTULADOS, TEOREMAS E PROPRIEDADES A aplicação principal da álgebra de Boole é o estudo e a simplificação algébrica de circuitos lógicos. As variáveis booleanas podem assumir apenas dois

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores. Álgebra Booleana

Arquitetura e Organização de Computadores. Álgebra Booleana Arquitetura e Organização de Computadores Álgebra Booleana 1 Histórico e Propriedades Formalizada por George Boole em 1854 Usada por Shannon em 1938 para provar propriedades de circuitos de chaveamento

Leia mais

PORTAS NOR e NAND OR - AND - NOT. Considerando as entradas A e B, teremos na saída a complementação ou negação das mesmas.

PORTAS NOR e NAND OR - AND - NOT. Considerando as entradas A e B, teremos na saída a complementação ou negação das mesmas. PORTAS NOR e NAND As portas NOR e NAND são obtidas a partir da complementação das funções OR e AND. Podemos então dizer que o operador booleano lógico NOR é a negação do operador booleano OR enquanto que

Leia mais

Funcionamento Área Desempenho (velocidade) Potência Aula 1. Circuitos Digitais. Circuitos Digitais

Funcionamento Área Desempenho (velocidade) Potência Aula 1. Circuitos Digitais. Circuitos Digitais INF01058 Objetivo Circuitos igitais Projetar circuitos digitais: Combinacionais Sequências Testar a analisar circuitos digitais Introdução Funcionamento Área esempenho (velocidade) Potência Aula 1 Mundo

Leia mais

ÁLGEBRA BOOLEANA E LÓGICA DIGITAL AULA 04 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade

ÁLGEBRA BOOLEANA E LÓGICA DIGITAL AULA 04 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade ÁLGEBRA BOOLEANA E LÓGICA DIGITAL AULA 04 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade O conteúdo deste documento é baseado no livro Princípios Básicos de Arquitetura e Organização de Computadores

Leia mais

Álgebra de Boole. George Simon Boole ( ) O criador da álgebra dos circuitos digitais. Profª Jocelma Rios. Out/2012

Álgebra de Boole. George Simon Boole ( ) O criador da álgebra dos circuitos digitais. Profª Jocelma Rios. Out/2012 Out/2012 Álgebra de Boole George Simon Boole (1815-1864) O criador da álgebra dos circuitos digitais Profª Jocelma Rios O que pretendemos: Contar um pouco sobre a história da Álgebra, especialmente a Álgebra

Leia mais

Estudo e desenvolvimento de um circuito de um relógio digital utilizando fundamentalmente conhecimentos em circuitos lógicos

Estudo e desenvolvimento de um circuito de um relógio digital utilizando fundamentalmente conhecimentos em circuitos lógicos Estudo e desenvolvimento de um circuito de um relógio digital utilizando fundamentalmente conhecimentos em circuitos lógicos Marcos Cavalcante Meira 1, José Diniz Neto 2, Cláudio Galeno Queiroga Oliveira

Leia mais

Apresentação da Disciplina Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h

Apresentação da Disciplina Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h Apresentação da Disciplina Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 60h Introdução à Eletrônica É ciência que estuda a forma de controlar a energia elétrica por meios elétricos nos quais os

Leia mais

Eletrônica Digital. Funções e Portas Lógicas. Prof. Renato Moraes

Eletrônica Digital. Funções e Portas Lógicas. Prof. Renato Moraes Eletrônica Digital Funções e Portas Lógicas Prof. Renato Moraes Introdução Em 1854, o matemático inglês George Boole apresentou um sistema matemático de análise lógica conhecido como Álgebra de Boole.

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores SI31C. Professora Me. Sediane Carmem Lunardi Hernandes

Organização e Arquitetura de Computadores SI31C. Professora Me. Sediane Carmem Lunardi Hernandes Organização e Arquitetura de Computadores SI31C Professora Me. Sediane Carmem Lunardi Hernandes 1 O que é Organização e Arquitetura de Computadores? 2 Organização X Arquitetura Arquitetura Refere-se aos

Leia mais

Capítulo 3. Álgebra de Bool

Capítulo 3. Álgebra de Bool Capítulo 3 Álgebra de Bool Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture Objectivos Compreender a relação entre lógica Booleana e os circuitos

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Sistemas de Numeração Módulo 1.1 1 Sistemas de Numeração O sistema de numeração com o qual estamos mais familiarizados é o decimal, cujo alfabeto (coleção de símbolos) é formado por 10 dígitos acima mostrados.

Leia mais

Universidade Federal do ABC

Universidade Federal do ABC Universidade Federal do ABC Eletrônica Digital Aula 3: Álgebra Booleana Prof. Rodrigo Reina Muñoz rodrigo.munoz@ufabc.edu.br RRM T3 2017 1 Teoremas Booleanos Auxiliam a simplificar expressões lógicas e

Leia mais

6. Análise Lógica Combinacional

6. Análise Lógica Combinacional Objetivos 6. Análise Lógica Combinacional Analisar circuitos lógicos combinacionais básicos, tais como AND-OR, AND-OR-inversor, EX-OR e EX- NOR Usar circuitos AND-OR e AND-OR-inversor para implementar

Leia mais

Álgebra de Boole. Nikolas Libert. Aula 4B Eletrônica Digital ET52C Tecnologia em Automação Industrial

Álgebra de Boole. Nikolas Libert. Aula 4B Eletrônica Digital ET52C Tecnologia em Automação Industrial Álgebra de Boole Nikolas Libert Aula 4B Eletrônica Digital ET52C Tecnologia em Automação Industrial Álgebra de Boole Álgebra de Boole Augustus De Morgan (1806-1871) e George Boole (1815-1864). Desenvolvimento

Leia mais

CIRCUITOS INTEGRADOS. Professor Adão de Melo Neto

CIRCUITOS INTEGRADOS. Professor Adão de Melo Neto CIRCUITOS INTEGRADOS Professor Adão de Melo Neto R = RESISTÊNCIA É A OPOSIÇÃO A CIRCULAÇÃO DA CORRENTE GERADA POR UMA TENSÃO OU DIFERENÇA DE POTENCIAL (medido em ohms) I = CORRENTE FLUXO DE ELÉTRONS DO

Leia mais

Unidade IV. Unidade III. Na álgebra booleana, estão todos os fundamentos da eletrônica digital.

Unidade IV. Unidade III. Na álgebra booleana, estão todos os fundamentos da eletrônica digital. Unidade IV 9 INTRODUÇÃO À ÁLGEBRA DE BOOLE Na álgebra booleana, estão todos os fundamentos da eletrônica digital 91 Operador binário O sistema numérico surgiu ao longo da história do desenvolvimento humano

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Campus São José. Prof. Glauco Cardozo.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Campus São José. Prof. Glauco Cardozo. Eletrônica Digital I (EDL I) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Campus São José Prof. Glauco Cardozo glauco.cardozo@ifsc.edu.br Ementa Sistemas de numeração. Funções

Leia mais

13 CIRCUITOS DIGITAIS MOS

13 CIRCUITOS DIGITAIS MOS 13 CIRCUITOS DIGITAIS MOS 13.1. CONCEITOS BÁSICOS 13.1.1. Tecnologias de CIs Digitais e Famílias de Circuitos Lógicos Cada família é fabricada com uma mesma tecnologia, possui a mesma estrutura e oferece

Leia mais

Álgebra de Boole. Este material é uma adaptação das notas de aula dos professores Edino Fernandes, Juliano Maia, Ricardo Martins e Luciana Guedes

Álgebra de Boole. Este material é uma adaptação das notas de aula dos professores Edino Fernandes, Juliano Maia, Ricardo Martins e Luciana Guedes Álgebra de Boole Este material é uma adaptação das notas de aula dos professores Edino Fernandes, Juliano Maia, Ricardo Martins e Luciana Guedes Álgebra de Boole Álgebra Booleana ou Álgebra de Boole Conjunto

Leia mais

Introdução à Computação Quântica

Introdução à Computação Quântica Introdução à Computação Quântica Aula 1 Revisão da computação clássica Renato de Oliveira Violin José Hiroki Saito Departamento de Computação - UFSCar Conteúdo Dígitos binários. Portas lógicas e circuitos.

Leia mais

Lógica Boolena. Aula 05. Prof. Msc. Arthur G. Bartsch

Lógica Boolena. Aula 05. Prof. Msc. Arthur G. Bartsch Lógica Boolena Aula 05 Prof. Msc. Arthur G. Bartsch Departamento de engenharia elétrica DEE Centro de ciências tecnológicas CCT Universidade do estado de Santa Catarina UDESC Álgebra de Boole ALB0001 arthur.bartsch@udesc.br

Leia mais

CAPÍTULO 1 REVISÃO DE LÓGICA COMBINACIONAL

CAPÍTULO 1 REVISÃO DE LÓGICA COMBINACIONAL 1 CAPÍTULO 1 REVISÃO DE LÓGICA COMBINACIONAL Sumário 1.1. Sistemas de Numeração... 3 1.1.1. Conversão Decimal Binária... 3 1.1.2. Conversão Binária Decimal... 3 1.1.3. Conversão Binária Hexadecimal...

Leia mais

Circuitos Digitais. Conteúdo. Lógica. Introdução. Tabela-Verdade. Álgebra Booleana. Álgebra Booleana / Funções Lógicas. Ciência da Computação

Circuitos Digitais. Conteúdo. Lógica. Introdução. Tabela-Verdade. Álgebra Booleana. Álgebra Booleana / Funções Lógicas. Ciência da Computação Ciência da Computação Álgebra Booleana / Funções Lógicas Prof. Sergio Ribeiro Material adaptado das aulas de I do Prof. José Maria da UFPI Conteúdo Introdução Álgebra Booleana Constantes e Variáveis Booleanas

Leia mais

Introdução à Engenharia de Computação

Introdução à Engenharia de Computação Introdução à Engenharia de Computação Tópico: O Computador como uma Máquina Multinível (cont.) José Gonçalves - LPRM/DI/UFES Introdução à Engenharia de Computação Máquina Multinível Moderna Figura 1 Máquina

Leia mais

INFORMÁTICA E CONTABILIDADE. Prof. Me. Fábio Assunção CMP 1128 Parte 01

INFORMÁTICA E CONTABILIDADE. Prof. Me. Fábio Assunção CMP 1128 Parte 01 INFORMÁTICA E CONTABILIDADE Prof. Me. Fábio Assunção CMP 1128 Parte 01 INFORMAÇÃO Informação significa fatos. Expressada verbalmente, visualmente, por ondas, etc. Primórdios do processamento da informação:

Leia mais

Aula 8 Portas Lógicas. Programação de Computadores

Aula 8 Portas Lógicas. Programação de Computadores Aula 8 Portas Lógicas Programação de Computadores Introdução As portas lógicas são os componentes básicos da eletrônica digital. Elas são usadas para criar circuitos digitais e até mesmo circuitos integrados

Leia mais

Automação Industrial Parte 8

Automação Industrial Parte 8 Automação Industrial Parte 8 Prof. Ms. Getúlio Teruo Tateoki http://www.getulio.eng.br/meusalunos/autind.html -Vamos supor que seja necessário determinar a função lógica interna de um sistema desconhecido.

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Sistemas de Numeração UNIDADE 1 PROF. ANTONIO LOPES DE SOUZA, Ph.D. DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA / UFRJ Sistemas de Numeração O sistema de numeração com o qual estamos mais familiarizados é o decimal,

Leia mais

Fig. 1 Tempos de propagação e de transição de nível lógico de uma porta lógica NOT.

Fig. 1 Tempos de propagação e de transição de nível lógico de uma porta lógica NOT. Fig. 1 Tempos de propagação e de transição de nível lógico de uma porta lógica NOT. 0 Fig. 2 Pontos críticos na característica de transferência v o (v i ) de um inversor genérico. 1 Fig. 3 Tecnologia de

Leia mais

PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO

PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DA SILVA CORREIA ANO LETIVO 2016-2017 PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO MECATRÓNICA AUTOMÓVEL DISCIPLINA: TECNOLOGIAS E PROCESSOS 12º ANO GESTÃO DO TEMPO:

Leia mais

Sistemas Digitais I LESI :: 2º ano

Sistemas Digitais I LESI :: 2º ano Sistemas Digitais I LESI :: 2º ano - Álgebra António Joaquim Esteves João Miguel Fernandes www.di.uminho.pt/~aje Bibliografia: secções 3. e 4., DDPP, Wakerly DEP. DE INFORMÁTICA ESCOLA DE ENGENHARIA UNIVERSIDADE

Leia mais

ELETRÔNICA DIGITAL Aula 4-Álgebra de Boole e Simplificações de circuitos lógicos

ELETRÔNICA DIGITAL Aula 4-Álgebra de Boole e Simplificações de circuitos lógicos ELETRÔNICA DIGITAL Aula 4-Álgebra de Boole e Simplificações de circuitos lógicos Prof.ª Eng. Msc. Patricia Pedroso Estevam Ribeiro Email: patriciapedrosoestevam@hotmail.com 08/10/2016 1 Introdução Os circuitos

Leia mais

Experimento 1 Objetivo: AND AND AND Material e Componentes Procedimento AND Nota: teste

Experimento 1 Objetivo: AND AND AND Material e Componentes Procedimento AND Nota: teste UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CCN / Departamento de Física Disciplina Eletrônica básica Técnicas digitais Prática 11 Experimento 1 Objetivo: Estabelecer a tabela verdade para o gate básico AND. Todo circuito

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Tiago Alves de Oliveira

Arquitetura de Computadores. Tiago Alves de Oliveira Arquitetura de Computadores Tiago Alves de Oliveira Revisão A B S 0 0 0 Porta Lógica XOR Tabela Verdade XOR 0 1 1 1 0 1 1 1 0 Somadores Os somadores são importantes em computadores e também em outros tipos

Leia mais

- Eletrônica digital - Capítulo 2 Circuitos Combinacionais

- Eletrônica digital - Capítulo 2 Circuitos Combinacionais - Eletrônica digital - Capítulo 2 Circuitos Combinacionais Introdução Lógica para tomada de decisões George Boole (1854): Uma investigação das leis do pensamento Termo álgebra booleana Relacionamento entre

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: Escola de Engenharia Curso: Engenharia Elétrica e Eletrônica Disciplina: Sistemas Digitais I Núcleo Temático: Sistemas Digitais Código Da Disciplina: 161.1808.1 Professor: Edson

Leia mais

3. Portas Lógicas. Objetivos. Objetivos. Introdução. Circuitos Digitais 31/08/2014

3. Portas Lógicas. Objetivos. Objetivos. Introdução. Circuitos Digitais 31/08/2014 Objetivos 3. Portas Lógicas Descrever a operação do inversor, da porta AND e da porta OR Descrever a operação da porta NAND e da porta NOR Expressar a operação da função NOT e das portas AND, OR, NAND

Leia mais

02 Álgebra de Boole elementos físicos e funções lógicas. v0.2

02 Álgebra de Boole elementos físicos e funções lógicas. v0.2 02 Álgebra de Boole elementos físicos e funções lógicas v0.2 Conteúdo Leis Teoremas Corolários Dualidade Conjunto binário Elementos físicos e funções lógicas 05 November 2014 Sistemas Digitais 2 Definição

Leia mais

Introdução à Informática. Álgebra de Boole. Ageu Pacheco e Alexandre Meslin

Introdução à Informática. Álgebra de Boole. Ageu Pacheco e Alexandre Meslin Introdução à Informática Álgebra de oole geu Pacheco e lexandre Meslin Objetivo da ula: Estudar os conceitos e regras que regem o projeto e funcionamento dos circuitos lógicos dos computadores digitais.

Leia mais

Introdução à Informática Aulas 27 e 28

Introdução à Informática Aulas 27 e 28 FAPAN SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI Introdução à Informática Aulas 27 e 28 Prof. Roberto Tikao Tsukamoto Júnior Cáceres, 18 de abril de 2011. REVISÃO Conversão Decimal para Binário Exemplo 1: número 107

Leia mais

SCE Elementos de Lógica Digital I

SCE Elementos de Lógica Digital I SCE - Elementos de Lógica Digital I Introdução aos circuitos lógicos Prof. Vanderlei Bonato Tópicos da Aula de Hoje Variáveis e funções lógicas Tabela verdade Álgebra Booleana Diagrama de Venn Processo

Leia mais

Aula 4: Álgebra booleana

Aula 4: Álgebra booleana Aula 4: Álgebra booleana Circuitos Digitais Rodrigo Hausen CMCC UFABC 01 de fevereiro de 2013 http://compscinet.org/circuitos Rodrigo Hausen (CMCC UFABC) Aula 4: Álgebra booleana 01 de fevereiro de 2013

Leia mais

ÁLGEBRA DE BOOLE Operações Fundamentais, Autoavaliação, Indução Perfeita e Simulação

ÁLGEBRA DE BOOLE Operações Fundamentais, Autoavaliação, Indução Perfeita e Simulação ÁLGEBRA DE BOOLE Operações Fundamentais, Autoavaliação, Indução Perfeita e Simulação OBJETIVOS: a) Conhecer na prática os principais fundamentos da álgebra de Boole; b) Comprovar na prática os teoremas

Leia mais

Parte # 2 - Circuitos Combinatórios

Parte # 2 - Circuitos Combinatórios CEFET Departamento de Engenharia Elétrica - DEPEL GELE 7163 Eletrônica Digital Parte # 2 - Circuitos Combinatórios 1 GELE 7163 Eletrônica Digital 2 Referências : Notas de Aula. Mendonça, Alexandre e Zelenovsky,

Leia mais

Sistemas Digitais. 6 Funções lógicas

Sistemas Digitais. 6 Funções lógicas Para o estudo das funções lógicas usa-se a álgebra de Boole, assim chamada em homenagem ao seu criador George Boole. A álgebra de Boole opera com relações lógicas e não com relações quantitativas como

Leia mais

Álgebra Booleana: Axiomas, Teoremas e Leis de De Morgan

Álgebra Booleana: Axiomas, Teoremas e Leis de De Morgan Arquitectura de Computadores I Engenharia Informática (11537) Tecnologias e Sistemas de Informação (6616) Álgebra Booleana: Axiomas, Teoremas e Leis de De Morgan Nuno Pombo / Miguel Neto Arquitectura Computadores

Leia mais

UFMG DCC Álgebra de Boole. Slides ligeiramente adaptados daqueles do professor Osvaldo Farhat de Carvalho, DCC, UFMG

UFMG DCC Álgebra de Boole. Slides ligeiramente adaptados daqueles do professor Osvaldo Farhat de Carvalho, DCC, UFMG UFMG DCC001 2013-1 1 Álgebra de Boole Slides ligeiramente adaptados daqueles do professor Osvaldo Farhat de Carvalho, DCC, UFMG UFMG DCC001 2013-1 2 Bits e informação Representamos números, caracteres,

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização de Computadores Aula #5.1 EBS 111 ICC Prof. Luiz Fernando S. Coletta luizfsc@tupa.unesp.br Campus de Tupã Exercício 3 (correção) 1. Converta as sequências binárias em números de base 10: (a)

Leia mais

Sistemas Digitais INE 5406

Sistemas Digitais INE 5406 Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Sistemas Digitais INE 5406 Aula 10-P Refinamento das especificações

Leia mais

COLÉGIO DO INSTITUTO BATISTA AMERICANO PROF. ABIMAILTON PRATTI DA SILVA Rua Mariana N.º 70 Retiro Volta Redonda Telefone: (24)

COLÉGIO DO INSTITUTO BATISTA AMERICANO PROF. ABIMAILTON PRATTI DA SILVA Rua Mariana N.º 70 Retiro Volta Redonda Telefone: (24) COLÉGIO DO INSTITUTO BATISTA AMERICANO PROF. ABIMAILTON PRATTI DA SILVA Rua Mariana N.º 70 Retiro Volta Redonda Telefone: (24) 33381279 SOLICITAÇÃO Não temos direito autoral reservado para o presente trabalho.

Leia mais

APOSTILA COMPLEMENTAR

APOSTILA COMPLEMENTAR APOSTILA COMPLEMENTAR Conteúdo A ÁLGEBRA DE BOOLE... 1 Os níveis lógicos... 2 Operações Lógicas... 3 Função Lógica NÃO ou Inversora... 4 Função Lógica E... 5 Função lógica OU... 6 Função NÃO E... 7 Função

Leia mais

Representação da Informação no Computador

Representação da Informação no Computador Escola de Ciências e Tecnologia UFRN Representação da Informação no Computador Prof. Aquiles Burlamaqui Nélio Cacho Luiz Eduardo Eduardo Aranha ECT3 INFORMÁTICA FUNDAMENTAL Manter o telefone celular sempre

Leia mais

Ciência da Computação Circuitos Digitais Objetivos e Introdução

Ciência da Computação Circuitos Digitais Objetivos e Introdução Ciência da Computação Objetivos e Introdução Prof. Sergio Ribeiro Material adaptado das aulas do Prof. José Maria da UFPI Tópicos Programa da disciplina, metodologia de ensino, avaliações e bibliografia

Leia mais

LÓGICA DIGITAL - CONCEITOS. * Constantes. * Expressões: Aritméticas; Lógicas; Tabela Verdade; Relacionais; Booleanas. * Portas Lógicas.

LÓGICA DIGITAL - CONCEITOS. * Constantes. * Expressões: Aritméticas; Lógicas; Tabela Verdade; Relacionais; Booleanas. * Portas Lógicas. * Tipos de Dados. * Constantes. * Expressões: Aritméticas; Lógicas; Tabela Verdade; Relacionais; Booleanas. * Portas Lógicas. 1 TIPOS DE DADOS Dados inteiros Representação das informações pertencentes

Leia mais

Parte # 5 - Circuitos Combinacionais

Parte # 5 - Circuitos Combinacionais CEFET Departamento de Engenharia Elétrica - DEPEL GELE 7163 Eletrônica Digital Parte # 5 - Circuitos Combinacionais 1 GELE 7163 Eletrônica Digital 2 Referências : Notas de Aula. Mendonça, Alexandre e Zelenovsky,

Leia mais

Circuitos Lógicos Capítulo 3 Portas Lógicas e Álgebra Booleana Parte II

Circuitos Lógicos Capítulo 3 Portas Lógicas e Álgebra Booleana Parte II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI Circuitos Lógicos Capítulo 3 Portas Lógicas e Álgebra Booleana Parte II Prof. Davidson Lafitte Firmo http://www.ppgel.net.br/davidson davidson@ufsj.edu.br São João

Leia mais

Lógica Matemática e Elementos de Lógica Digital. Representação analógica e digital

Lógica Matemática e Elementos de Lógica Digital. Representação analógica e digital Lógica Matemática e Elementos de Lógica Digital Representação analógica e digital Lógica Matemática e Elementos de Lógica Digital Circuito é um caminho, um trajeto Circuito lógico: são trajetos utilizados

Leia mais

Totem Pole, Coletor Aberto e Tristate

Totem Pole, Coletor Aberto e Tristate Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação - EESC-USP SEL-415 Introdução à Organização dos Computadores Totem Pole, Coletor Aberto e Tristate Aula 2 Profa. Luiza Maria Romeiro Codá Autor: Dr.

Leia mais

Sistemas Digitais Álgebra de Boole Binária e Especificação de Funções

Sistemas Digitais Álgebra de Boole Binária e Especificação de Funções Sistemas Digitais Álgebra de Boole Binária e Especificação de Funções João Paulo Baptista de Carvalho joao.carvalho@inesc.pt Álgebra de Boole Binária A Álgebra de Boole binária através do recurso à utiliação

Leia mais

Eletrônica Digital. Lógica Booleana e Circuitos Lógicos FACULDADE FUCAPI

Eletrônica Digital. Lógica Booleana e Circuitos Lógicos FACULDADE FUCAPI FACULDADE FUCAPI Eletrônica Digital Lógica Booleana e Circuitos Lógicos, M.Sc. Doutorando em Informática (UFAM) Mestre em Engenharia Elétrica (UFAM) Engenheiro de Telecomunicações (FUCAPI) Introdução 2

Leia mais

Representações de Números Inteiros: Sinal e Magnitude e Representação em Excesso de k

Representações de Números Inteiros: Sinal e Magnitude e Representação em Excesso de k Representações de Números Inteiros: Sinal e Magnitude e Representação em Excesso de k Cristina Boeres Instituto de Computação (UFF) Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Material de Fernanda Passos

Leia mais

Eletrônica Digital Apresentação e Cap.1 PROF. EDUARDO G. BERTOGNA UTFPR / DAELN

Eletrônica Digital Apresentação e Cap.1 PROF. EDUARDO G. BERTOGNA UTFPR / DAELN Eletrônica Digital Apresentação e Cap.1 PROF. EDUARDO G. BERTOGNA UTFPR / DAELN Conteúdos da Disciplina: Sistemas Numéricos e Códigos; Portas Lógicas e Algebra Booleana; Lógica Combinacional: Expressões

Leia mais

OBJETIVOS MATERIAL UTILIZADO

OBJETIVOS MATERIAL UTILIZADO OBJETIVOS Esta aula prática tem como objetivo apresentar aos alunos as portas lógicas TTL (Transistor-Transistor Logic). Através de montagens eletrônicas simples no protoboard, deverão ser verificados

Leia mais

4. Álgebra Booleana e Simplificação Lógica. 4. Álgebra Booleana e Simplificação Lógica 1. Operações e Expressões Booleanas. Objetivos.

4. Álgebra Booleana e Simplificação Lógica. 4. Álgebra Booleana e Simplificação Lógica 1. Operações e Expressões Booleanas. Objetivos. Objetivos 4. Álgebra Booleana e Simplificação Lógica Aplicar as leis e regras básicas da álgebra Booleana Aplicar os teoremas de DeMorgan em expressões Booleanas Descrever circuitos de portas lógicas com

Leia mais

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Engenharia Elétrica PROGRAMA EMENTA OBJETIVOS

Escola Politécnica de Pernambuco Departamento de Engenharia Elétrica PROGRAMA EMENTA OBJETIVOS PROGRAMA Disciplina: ELETRÔNICA DIGITAL Código: ELET0037 Carga Horária Semestral: 60 HORAS Obrigatória: sim Eletiva: Número de Créditos: TEÓRICOS: 04; PRÁTICOS: 00; TOTAL: 04 Pré-Requisito: ELET0033 ELETRONICA

Leia mais

Álgebra Booleana e Tabelas-Verdade

Álgebra Booleana e Tabelas-Verdade Álgebra Booleana e Tabelas-Verdade Prof. Ohara Kerusauskas Rayel Disciplina de Eletrônica Digital - ET75C Curitiba, PR 9 de abril de 2015 1 / 30 Álgebra Booleana Principal diferença para a álgebra convencional:

Leia mais

Sistemas de Numeração. Sistemas de Numeração. Sistemas de Numeração. RUIDO em Sistemas Computacionais. Arquiteturas de Computadores

Sistemas de Numeração. Sistemas de Numeração. Sistemas de Numeração. RUIDO em Sistemas Computacionais. Arquiteturas de Computadores Arquiteturas de Computadores Sistema de Numeração Decimal - (..9) Número 23 na base (): = Prof. Edward David Moreno Cap 2 Número 23,456 na base (): = AC - CAP2 - Edward Moreno AC - CAP2 - Edward Moreno

Leia mais

FUNDAMENTOS DA AUTOMAÇÃO Funções e Portas Lógicas. Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos FMS

FUNDAMENTOS DA AUTOMAÇÃO Funções e Portas Lógicas. Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos FMS FUNDAMENTOS DA AUTOMAÇÃO Funções e Portas Lógicas Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos FMS lflcampos@machadosobrinho.com.br Funções e Portas Lógicas Funções lógicas e, ou, não, ne e nou. Nas funções lógicas,

Leia mais

SSC0180- ELETRÔNICA PARA COMPUTAÇÃO. Professor: Vanderlei Bonato EstagiárioPAE: Leandro S. Rosa

SSC0180- ELETRÔNICA PARA COMPUTAÇÃO. Professor: Vanderlei Bonato EstagiárioPAE: Leandro S. Rosa SSC0180- ELETRÔNICA PARA COMPUTAÇÃO Professor: Vanderlei Bonato EstagiárioPAE: Leandro S. Rosa 2 Sumário Nível lógico x nível de tensão Transistor NMOS Transistor PMOS Porta lógica CMOS Comportamento dos

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA PLANO DE ENSINO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA PLANO DE ENSINO DISCIPLINA ELETRÔNICA DIGITAL I Validade: A partir de 0/0. Departamento Acadêmico de Engenharia Elétrica Código SELD101 Carga Horária total: 90h Teórica: 0h Laboratório: 30h Exercício: 00h Créditos: 0

Leia mais

Circuitos sequenciais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture

Circuitos sequenciais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture Capítulo 3 Circuitos sequenciais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture Objectivos Conhecer alguns dos principais circuitos digitais sequenciais

Leia mais

Arquitetura e Organização de computadores

Arquitetura e Organização de computadores Arquitetura e Organização de computadores Aula 1: Organização e evolução de computador, parte 1 Prof. MSc. Pedro Brandão Neto pedroobn@gmail.com Sistemas de Informação - UNDB Introdução Computador Digital

Leia mais

Circuitos Lógicos e Organização de Computadores

Circuitos Lógicos e Organização de Computadores Circuitos e Organização de Computadores Capítulo 2 Introdução aos Circuitos Ricardo Pannain pannain@puc-campinas.edu.br http://docentes.puc-campinas.edu.br/ceatec/pannain/ VARIÁVEI E FUNÇÕE Chaves de dois

Leia mais

CI's das família TTL e CMOS

CI's das família TTL e CMOS Aula 04 CI's das família TTL e CMOS Prof. Tecgº Flávio Murilo 30/04/13 1 Famílias lógicas O que diferencia as famílias lógicas é o material no qual os circuitos integrados são construídos. RTL - Lógica

Leia mais

Eletrônica Digital para Instrumentação

Eletrônica Digital para Instrumentação G4 Eletrônica Digital para Instrumentação Prof. Márcio Portes de Albuquerque (mpa@cbpf.br) Prof. Herman P. Lima Jr (hlima@cbpf.br) Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais