LEGISLAÇÃO PERTINENTE O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO - PCCTAE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEGISLAÇÃO PERTINENTE O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO - PCCTAE"

Transcrição

1 LGISLAÇÃO PRTINNT - Lei 8.112/1990 Regime Jurídico Único - Lei /2005 Plano de Carreira - Lei /08 Reestrutura PCCTA - ecreto 5.824/2006 Incentivo à Qualificação e Progressão por Capacitação - ecreto 5.825/2006 Plano de esenvolvimento da Carreira - Portaria MC 09/2006 Progressão por Capacitação - Resolução CNS 04/2006 Critérios para Concessão de Progressão por Capacitação O PLANO CARRIRA OS SRVIORS TÉCNICO- AMINISTRATIVOS M UCAÇÃO - PCCTA sclarecimentos Com a publicação da Lei /2005, que estabeleceu o Plano de Carreira (PCCTA), a carreira de servidor Técnico-Administrativo em ducação deixou de ser dividida em cargos de Nível de Apoio (NA), Nível Intermediário (NI) e Nível Superior (NS) e passou a ser organizada em cinco novos Níveis de Classificação (A, B, C, e ), com quatro níveis de capacitação cada (I, II, III e IV), conforme a tabela abaixo: Padrões de Vencimento por Classe e Nível de Capacitação Níveis de Classif. A B C Níveis de Capac. I II III IV I II III IV I II III IV I II III IV I II III IV

2 A partir de então, cada cargo foi nquadrado em um novo Nível de Classificação, de acordo com sua hierarquia, a exigência de escolaridade, nível de responsabilidade, conhecimentos, habilidades específicas, formação especializada, experiência, risco e esforço físico para o desempenho de suas atribuições, conforme estabelecido no Anexo I. O cargo e o Nível de Classificação (A, B, C, ou ) não serão alterados durante a carreira do servidor. Já os quatro Níveis de Capacitação, designados por números de I a IV, poderão ser alterados mediante a realização de cursos de capacitação profissional. Assim como os dezesseis Padrões de Vencimento, designados por números de 01 a 16 e concedidos ao servidor a cada 18 meses de efetivo exercício no cargo, mediante apresentação de resultado fixado em programa de avaliação de desempenho. No caso da UFJF, o PROAS. A situação funcional de cada servidor pode ser conferida no último contra-cheque, e obedecerá a seguinte ordem: Nível de Classificação, Nível de Capacitação e Padrão de Vencimento. xemplos: - A I 12 - B III 07 - C II 10 - IV 05 - II 03 Lembramos que no contra-cheque consta a seguinte informação: - Classe: (A, B, C,, ) = Nível de Classificação (A, B, C,, ) - RF/PA/NÍVL: O primeiro dígito diz respeito ao Nível de Capacitação (I, II, III ou IV) e os dois últimos dígitos dizem respeito ao Padrão de Vencimento (1, 2, ). xemplo: Onde: = Nível de Classificação 4 = Nível de Capacitação 05 = Padrão de Vencimento 2

3 Os servidores que ingressaram na carreira a partir de 01/03/2005, ingressaram em determinado cargo, de acordo com o concurso realizado, Nível de Classificação (A, B, C,, ou ), Nível de Capacitação I, Padrão de Vencimento 01. xemplo: Assistente em Administração, I01 e acordo com o PCCTA, cada servidor tem um Ambiente Organizacional, correspondente à sua área específica de atuação e conforme as atividades realizadas. São dez os Ambientes Organizacionais, a saber: 1- Administrativo 2- Infra-estrutura 3- Ciências Humanas, Jurídicas e conômicas 4- Ciências Biológicas 5- Ciências xatas e da Natureza 6- Saúde 7- Agropecuário 8- Informação 9- Artes, Comunicação e ifusão 10- Marítimo, Fluvial e Lacustre. O Ambiente Organizacional de cada servidor pode ser verificado no SIGA/Recursos Humanos/ados Funcionais. No caso do servidor discordar do Ambiente Organizacional que lhe foi atribuído, poderá a qualquer tempo solicitar à PRORH que revise sua situação funcional. FORMAS SNVOLVIMNTO NA CARRIRA 1- Progressões por Capacitação Profissional 2- Progressões por Mérito Profissional 3- Incentivo à Qualificação Profissional 3

4 1- Progressões por Capacitação Profissional É a mudança do Nível de Capacitação (I, II, III ou IV), concedida ao servidor mediante a apresentação de certificado de conclusão de curso, ou módulo de curso, de capacitação profissional compatível com o cargo ocupado, o ambiente organizacional e a carga horária mínima exigida, de acordo com a tabela abaixo, respeitado o interstício de 18 meses. Os cursos comuns a todos os ambientes organizacionais ou a cada um dos dez ambientes listados na página 3, foram definidos na Portaria MC n. 09/2006, conforme o Anexo II. TABLA PARA PROGRSSÃO POR CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL NÍVL NÍVL CARGA HORÁRIA CLASSIFICAÇÃO CAPACITAÇÃO CAPACITAÇÃO I xigência mínima do Cargo A II 20 horas III 40 horas IV 60 horas I xigência mínima do Cargo B II 40 horas III 60 horas IV 90 horas I xigência mínima do Cargo C II 60 horas III 90 horas IV 120 horas I xigência mínima do Cargo II 90 horas III 120 horas IV 150 horas I xigência mínima do Cargo II 120 horas III 150 horas IV Aperfeiçoamento ou curso de capacitação superior a 180 h. Para receber a progressão, o servidor deverá preencher o Formulário RH-553, anexar os comprovantes e solicitar à Secretaria de sua Unidade de Lotação que abra um processo no SIGA/Protocolo e encaminhe à Gerência de Análise de Progressões e Afastamentos para Capacitação (GAPAC/CFAP/PRORH). Todos os processos que chegam na GAPAC/CFAP/PRORH até o último dia de cada mês, são analisados até esta data., no caso do servidor fazer jus à progressão solicitada, seu nome é inserido numa Portaria, publicada na página da UFJF na internet, no endereço: até o 15º dia útil do mês seguinte. 4

5 Os processos que não chegam à GAPAC devidamente instruídos, são devolvidos à Secretaria da Unidade de Lotação do Servidor para retificações. Portanto, após abertura de seu processo, acompanhe o trâmite deste no SIGA/Protocolo e no mês seguinte acesse a página da UFJF para verificar a publicação das portarias. No caso de dúvidas, entre em contato pelo IMPORTANT: Ao receber uma Progressão por Capacitação Profissional o servidor é posicionado no nível de capacitação subseqüente, no mesmo nível de classificação, em padrão de vencimento na mesma posição relativa a que ocupava anteriormente. xemplo: Servidor enquadrado como C II 08, após realizar um Curso de Capacitação Profissional de 90 horas comum a todos os ambientes organizacionais, recebeu Progressão por Capacitação Profissional para o nível de capacitação III, passando a ter como situação funcional o seguinte: C III 08. Cursos de Capacitação Profissional são cursos realizados para aperfeiçoamento das atividades exercidas pelo servidor ou atualização de conhecimentos. Ou seja, cursos que não são de ducação Formal (nsino Fundamental, Médio, Técnico, Profissionalizante, Graduação ou Pós-Graduação). São aceitos todos os certificados de cursos de Capacitação Profissional oferecidos pela UFJF e também por outras instituições e empresas, desde que sejam impressos em papel timbrado da instituição ou empresa, com assinatura do responsável pela emissão do documento e que contenham o nome completo do servidor, descrição do curso, a carga horária cursada e o período em que foi realizado. Além do CNPJ e endereço, no caso de empresas ou outras instituições, que não a UFJF. e acordo com a legislação vigente, é proibido somar a carga-horária de cursos diferentes para se obter o número de horas necessários para uma progressão, assim como também é proibido somar a carga-horária de módulos de cursos diferentes. xemplo: Só poderão ser somados módulos do Curso Competências de Liderança e Melhoria dos Processos de Trabalho com módulos deste mesmo curso. Não poderão ser somados módulos deste curso com módulos do curso esenvolvimento, Humanização e Segurança. Para receber a Progressão por Capacitação Profissional, o curso apresentado deve ter sido realizado após o ingresso do servidor no cargo, sendo necessário ter cumprido 18 meses de efetivo exercício. Ou seja: Após ingressar no cargo, o servidor deverá aguardar 18 meses para solicitar a primeira progressão para nível de capacitação subseqüente. Após receber uma Progressão por Capacitação Profissional, é necessário aguardar 18 meses para solicitar uma nova. Porém, nada impede que o servidor participe de cursos de capacitação neste intervalo de 18 meses e acumule a carga-horária cursada para solicitar a próxima progressão. 2-Progressões por Mérito Profissional 5

6 É a mudança para o Padrão de Vencimento (1,2,3...16) imediatamente subseqüente, concedida ao servidor a cada dezoito meses de efetivo exercício, desde que sua equipe de trabalho apresente resultado positivo no PROAS. Para receber esta progressão NÃO é necessário que o servidor a solicite. A Coordenação de Movimentação de Pessoas (CAMP/PRORH) acompanha o cumprimento do interstício de cada servidor, concedendo a Progressão por Mérito Profissional, publicada na página da UFJF na internet, no endereço: até o 15º dia útil do mês seguinte. IMPORTANT: Ao receber uma Progressão por Mérito Profissional o servidor é posicionado no padrão de vencimento subseqüente, no mesmo nível de classificação e de capacitação que ocupava anteriormente. xemplo: Servidor enquadrado como C II 08, após cumprir um interstício de dezoito meses de efetivo exercício em seu cargo, recebe Progressão por Mérito Profissional para o padrão de vencimento 09, passando a ter como situação funcional o seguinte: C II 09. A concessão de Progressão por Mérito Profissional independe da realização de Cursos de Capacitação (ducação não formal) ou Qualificação. Assim como também não depende do cargo e do ambiente organizacional. A Progressão por Mérito Profissional depende apenas do resultado positivo da atuação da equipe de trabalho do servidor no PROAS. 3-Incentivo à Qualificação Profissional É um percentual calculado sobre o vencimento básico do servidor, que é concedido mediante a conclusão de curso de ducação Formal (nsino Fundamental, Básico, Técnico ou Médio, Graduação, Mestrado e outorado) superior à exigida para ingresso no cargo ocupado, observados o reconhecimento do curso pelo MC e a relação direta ou indireta do curso com o Ambiente Organizacional atribuído ao servidor, de acordo com a listagem de Áreas de Conhecimento de ducação Formal e Ambientes Organizacionais estabelecida pelo ecreto nº 5.824/06 (conforme Anexo III) e a tabela abaixo: ANXO IV da Lei 11.91/2005 TABLA PRCNTUAIS INCNTIVO À QUALIFICAÇÃO 6

7 Nível de Classificação Nível de escolaridade formal superior ao previsto para o exercício do cargo (*) Percentuais de incentivo Área de conhecimento com relação direta Área de conhecimento com relação indireta nsino fundamental completo 10% - A nsino médio completo 15% - nsino médio ou ensino médio com curso técnico completo ou título de educação formal 20% 10% de maior grau nsino fundamental completo 5% - B nsino médio completo 10% - nsino médio ou ensino médio com curso técnico 15% 10% completo Curso de graduação completo 20% 15% nsino fundamental completo 5% - nsino médio completo 8% - C nsino médio com curso técnico completo 10% 5% Curso de graduação completo 15% 10% specialização, superior ou igual a 360 h 27% 20% nsino médio completo 8% - Curso de graduação completo 10% 5% specialização, superior ou igual a 360h 27% 20% Mestrado ou título de educação formal de maior grau 52% 35% specialização, superior ou igual a 360 h 27% 20% Mestrado 52% 35% outorado 75% 50% (*) Curso reconhecido pelo Ministério da ducação Para receber tal incentivo, o servidor deverá preencher o Formulário RH-553, anexar os comprovantes e solicitar à Secretaria de sua Unidade de Lotação que abra um processo no SIGA/Protocolo e encaminhe à Gerência de Análise de Progressões e Afastamentos para Capacitação (GAPAC/CFAP/PRORH). Todos os processos que chegam na GAPAC/CFAP/PRORH até o último dia de cada mês, são analisados até esta data., no caso do servidor fazer jus ao incentivo solicitado, seu nome é inserido numa Portaria, publicada na página da UFJF na internet, no endereço: até o 15º dia útil do mês seguinte. Os processos que não chegam à GAPAC devidamente instruídos, são devolvidos à Secretaria da Unidade de Lotação do Servidor para retificações. Portanto, após abertura de seu processo, acompanhe o trâmite deste no SIGA/Protocolo e no mês seguinte acesse a página da UFJF para verificar a publicação das portarias. No caso de dúvidas, entre em contato pelo 7

8 IMPORTANT: Ao receber o Incentivo por Qualificação Profissional, não há alteração dos níveis de Classificação (A, B, C,, ) e de Capacitação (I, II, III, IV), nem do padrão de vencimento (01, 02, ). Será concedido ao servidor um acréscimo percentual de 5% a 75%, sobre seu vencimento básico, conforme apresentado na tabela acima. São aceitos todos os documentos comprobatórios de conclusão de cursos de ducação Formal, da UFJF e de outras Instituições (Colégios, scolas, Centros de ducação, Faculdades, Universidades, etc), desde que o curso apresentado seja reconhecido pelo MC. Os percentuais de Incentivo à Qualificação serão incorporados aos proventos do servidor, inclusive nos casos de aposentadoria e pensão. Mas não são acumuláveis, apenas complementares. Logo, o servidor que já recebe algum percentual de Incentivo à Qualificação, ao concluir novo curso de ducação Formal superior ao apresentado anteriormente, será concedido um acréscimo no percentual, de acordo com o novo curso e a relação direta ou indireta com as atividades exercidas. O servidor que apresentar mais de um título correspondente ao mesmo nível de ducação Formal terá considerado apenas um deles para efeito de concessão de Incentivo à Qualificação. No caso do servidor apresentar títulos de níveis diferentes, será considerado o de maior titulação, uma vez que a legislação não permite o acúmulo de percentuais de Incentivo à Qualificação. xemplos: 1- Servidor ocupante de um cargo Nível de Classificação, enquadrado no Ambiente Organizacional Administrativo, já recebe Incentivo à Qualificação no valor de 10% pela conclusão do Curso de Graduação em Administração (que possui relação direta com todos os ambientes organizacionais) concluiu um curso de Pós-Graduação na mesma área. Logo, será acrescido ao seu vencimento um percentual de 17%, que somado aos 10% que já recebia, totalizarão 27%, que é o percentual que têm direito todos os ocupantes de cargos de Nível de Classificação que concluem um curso de Graduação com relação direta a seu Ambiente Organizacional. 2- Servidor ocupante de um cargo Nível de Classificação, enquadrado no Ambiente Organizacional Administrativo, já recebe Incentivo à Qualificação no valor de 10% pela conclusão do Curso de Graduação em Administração (que possui relação direta com todos os 8

9 ambientes organizacionais) concluiu um curso de Pós-Graduação em Cooperativismo, que é comum ao Ambiente Organizacional Agropecuário. Logo, será acrescido ao seu vencimento um percentual de 10%, que somado aos 10% que já recebia, totalizarão 20%, que é o percentual que têm direito todos os ocupantes de cargos de Nível de Classificação que concluem um curso de Graduação com relação direta a seu Ambiente Organizacional. ANXO I ISTRIBUIÇÃO OS CARGOS POR NÍVL CLASSIFICAÇÃO RQUISITOS PARA INGRSSO CARGOS TÉCNICO-AMINISTRATIVOS M UCAÇÃO NÍVL NOMINAÇÃO O RQUISITOS PARA INGRSSO CLASSIFICAÇÃO CARGO SCOLARIA OUTROS A Assistente de stúdio Fundamental Incompleto A Auxiliar de Alfaiate Fundamental Incompleto A Auxiliar de Carpintaria Fundamental Incompleto A Auxiliar de obrador Fundamental Incompleto A Auxiliar de ncanador Fundamental Incompleto A Auxiliar de stofador Fundamental Incompleto A Auxiliar de Forjador de Metais Fundamental Incompleto A Auxiliar de Fundição de Metais Fundamental Incompleto A Auxiliar de Infra-estrutura e Manutenção/área Fundamental Incompleto A Auxiliar de Limpeza Alfabetizado A Auxiliar de Marcenaria Fundamental Incompleto A Auxiliar de Oficina de Instrumentos Musicais Fundamental Incompleto A Auxiliar de Padeiro Fundamental Incompleto A Auxiliar de Sapateiro Alfabetizado A Auxiliar de Serralheria Fundamental Incompleto A Auxiliar de Soldador Fundamental Incompleto A Auxiliar Operacional Alfabetizado A Auxiliar Rural Fundamental Incompleto A Carvoejador Fundamental Incompleto A Chaveiro Fundamental Incompleto A Lavadeiro Alfabetizado A Oleiro Fundamental Incompleto A Operador de Máquinas de Lavanderia Alfabetizado A Pescador Profissional Fundamental Incompleto A Redeiro Fundamental Incompleto 9

10 A Servente de Limpeza Alfabetizado A Servente de Obras Alfabetizado A Taifeiro Fluvial Fundamental Incompleto A Taifeiro Marítimo Fundamental Incompleto A Vestiarista Fundamental Incompleto B Açougueiro Fundamental Incompleto xperiência de 6 meses B Ajustador Mecânico Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou B Apontador Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Armador Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Armazenista Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Arrais Fundamental Completo + Habilitação B Assistente de Câmera Fundamental Completo xperiência de 6 meses B Assistente de Montagem Fundamental Completo xperiência de 6 meses B Assistente de Som Fundamental Completo xperiência de 6 meses B Atendente de Consultório/área Fundamental Completo B Atendente de nfermagem Fundamental Completo B Auxiliar de Agropecuária Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Auxiliar de Anatomia e Necropsia Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Auxiliar de Artes Gráficas Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Auxiliar de Cenografia Fundamental Completo xperiência 6 meses B Auxiliar de Cozinha Alfabetizado B Auxiliar de Curtume e Tanantes Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Auxiliar de letricista Fundamental Incompleto xperiência de 6 meses B Auxiliar de Farmácia Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Auxiliar de Figurino Fundamental Completo xperiência 6 meses B Auxiliar de Industrialização e Conservação de Alimentos Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Auxiliar de Laboratório Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Auxiliar de Mecânica Fundamental Incompleto xperiência de 6 meses B Auxiliar de Meteorologia Fundamental Completo xperiência de 6 meses B Auxiliar de Microfilmagem Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Auxiliar de Nutrição e ietética Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Auxiliar de Processamento de ados Fundamental Completo B Barbeiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Barqueiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B B Bombeiro Hidráulico Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou Carpinteiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou B Compositor Gráfico Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Conservador de Pescado Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Contramestre Fluvial/ Marítimo Fundamental Completo B Copeiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Costureiro Fundamental Completo B esenhista Copista Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B letricista de mbarcação Fundamental Completo xperiência de 6 meses B stofador Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Garçom Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Jardineiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou B Lancheiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Marceneiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou 10

11 B Marinheiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Marinheiro Fluvial Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Massagista Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Mestre de Rede Fundamental Incompleto B Montador/Soldador Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou B Motociclista Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Operador de Tele-impressora Fundamental Completo xperiência 6 meses B B B B Padeiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou Pedreiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou Pintor de Construção Cênica e Painéis Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou Pintor/área Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou B Sapateiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Seleiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Tratorista Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses B Vidraceiro Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses C Aderecista Médio completo xperiência 24 meses C Administrador de difícios Médio completo C Afinador de Instrumentos Musicais Fundamental Completo xperiência 12 meses C Almoxarife Médio completo xperiência 6 meses C Ascensorista Médio completo xperiência 12 meses C Assistente de Alunos Médio completo xperiência 6 meses C Auxiliar de Creche Fundamental Completo xperiência de 12 meses C Assistente de Laboratório Fundamental Completo xperiência 12 meses C Assistente de Tecnologia da Informação Médio completo xperiência 6 meses C Auxiliar de Biblioteca Fundamental Completo xperiência 12 meses C Auxiliar de nfermagem Médio completo + Profissionalizante (CORN) C Auxiliar de Saúde Fundamental Completo xperiência 12 meses C Auxiliar de Topografia Fundamental Completo xperiência 6 meses C Auxiliar de Veterinária e Zootecnia Fundamental Completo xperiência 12 meses C Auxiliar em Administração Fundamental Completo xperiência de 12 meses C Auxiliar em Assuntos ducacionais Médio completo xperiência 6 meses C Brigadista de Incêndio Fundamental Completo xperiência 12 meses C Camareiro de spetáculo Médio completo xperiência 6 meses C Cenotécnico Médio completo xperiência 6 meses C Condutor/Motorista Fluvial Fundamental Completo + especialização + habilitação fluvial C Contínuo Fundamental Completo xperiência 12 meses C Contra-Mestre/Ofício Fundamental Completo xperiência 12 meses C Contra-regra Médio completo xperiência 6 meses C Costureiro de spetáculo/cenário Médio completo xperiência 6 meses C Cozinheiro Fundamental Incompleto até a 4 a série xperiência 12 meses C Cozinheiro de mbarcações Fundamental Incompleto xperiência de 18 meses C atilógrafo de Textos Gráficos Médio completo xperiência 6 meses C etonador Fundamental Completo xperiência 6 meses C iscotecário Fundamental Completo xperiência 12 meses C letricista Fundamental Completo xperiência 12 meses C letricista de spetáculo Médio completo xperiência 6 meses C ncadernador Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses ou C ncanador/bombeiro Fundamental Completo xperiência 12 meses C Fotógrafo Fundamental Completo xperiência 12 meses 11

12 C Fotogravador Fundamental Completo xperiência de 12 meses C Impositor Fundamental Completo xperiência 6 meses C Guarda Florestal Fundamental Completo xperiência 12 meses C Hialotécnico Fundamental Completo xperiência 6 meses C Impressor Fundamental Completo xperiência 12 meses C Linotipista Fundamental Completo xperiência 12 meses C Locutor Médio completo xperiência 6 meses C C Marinheiro de Máquinas Fundamental Completo + especialização para marinheiro de máquinas Marinheiro Fluvial de Máquinas Fundamental Completo + especialização para marinheiro de máquinas C Maquinista de Artes Cênicas Médio completo xperiência 6 meses C Mateiro Fundamental Incompleto xperiência de 18 meses C Mecânico Fundamental Completo xperiência 12 meses C Mecânico de Montagem e Manutenção Fundamental Completo xperiência 12 meses ou C Mestre de mbarcações de Pequeno Porte Fundamental Incompleto C Motorista Fundamental Completo xperiência 6 meses C Operador de Caldeira Fundamental Completo xperiência 12 meses ou C Operador de Central Hidroelétrica Fundamental Completo xperiência 12 meses C Operador de estilaria Fundamental Completo xperiência 12 meses C Operador de stação de Tratamento água e sgoto Fundamental Completo xperiência 12 meses C Operador de Luz Médio completo xperiência 6 meses C Operador de Máquinas de Construção Civil Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses C Operador de Máquina de Fotocompositora Fundamental Completo xperiência 12 meses C Operador de Máquinas de Terraplanagem Fundamental Incompleto xperiência de 12 meses C Operador de Máquina Copiadora Médio completo xperiência 12 meses C Operador de Máquinas Agrícolas Fundamental Completo + curso C Operador de Rádio-Telecomunicações Médio completo xperiência 24 meses C Mecânico de Montagem e Manutenção Fundamental Completo xperiência 12 meses ou C Porteiro Médio completo C Programador de Rádio e Televisão Médio completo xperiência 24 meses C Recepcionista Médio completo C Revisor de Provas Tipográficas Fundamental Completo xperiência 12 meses ou C Salva-vidas Fundamental Incompleto xperiência de 18 meses C Segundo Condutor Fundamental Completo + especialização + habilitação como segundo condutor C Seringueiro Fundamental Incompleto xperiência de 18 meses C Sonoplasta Médio completo xperiência 6 meses C Telefonista Fundamental Completo xperiência de 12 meses C Tipógrafo Fundamental Completo xperiência 12 meses C Torneiro Mecânico Fundamental Completo xperiência 12 meses C Vidreiro Fundamental Completo xperiência 12 meses Assistente de ireção e Produção Médio completo xperiência 12 meses Assistente em Administração Médio completo + experiência xperiência 12 meses Confeccionador de Instrumentos Musicais Médio completo xperiência 12 meses esenhista Técnico/ specialidade esenhista Projetista Médio completo + conhecimento de programas de editoração eletrônica e desenho Médio completo + experiência xperiência 6 meses 12

13 iagramador Médio Profissionalizante ditor de Imagem ou Médio completo + curso de editoração eletrônica Médio completo + experiência xperiência 12 meses Instrumentador Cirúrgico Médio completo xperiência 6 meses Mecânico (apoio marítimo) Médio Completo + especialização + carta de primeiro condutor e de Mecânico Mestre de dificações e Infra-estrutura Médio completo xperiência 24 meses Montador Cinematográfico Médio completo xperiência 12 meses Operador de Câmera de Cinema e TV Médio completo + experiência xperiência 6 meses Recreacionista Médio completo xperiência 24 meses Revisor de Texto Braille Médio completo + habilitação específica xperiência 24 meses Taxidermista Médio completo xperiência 12 meses Técnico de Aerofotogrametria Médio completo + habilitação Técnico de Laboratório/área Técnico de Tecnologia da Informação Técnico em Agrimensura Técnico em Agropecuária Técnico em Alimentos e Laticínios Técnicos em Anatomia e Necropsia Técnico em Arquivo Técnico em Artes Gráficas Técnico em Audiovisual Técnico em Cartografia Técnico em Cinematografia Técnico em Contabilidade Técnico em Curtume e Tanagem Técnico em conomia oméstica Técnico em dificações Técnico em ducação Física Técnico em letricidade Técnico em letrônica Técnico em letroeletrônica Técnico em letromecânica Técnico em letrotécnica Médio completo + curso técnico em eletrônica com ênfase em sistemas computacionais Médio completo + experiência Médio completo + experiência Médio Completo + specialização Médio Completo + Curso Técnico Técnico em nfermagem xperiência 12 meses xperiência 12 meses 13

14 Técnico em nfermagem do Trabalho Técnico em nologia Técnico em quipamentos Médico- Odontológico Médio completo + experiência Técnico em statística Médio Completo + Conhecimento específico Técnico em strada Técnico em Farmácia Técnico em Geologia Técnico em Herbário Técnico em Hidrologia Técnico em Higiene ental Técnico em Instrumentação Técnico em Manutenção de Áudio/Vídeo Técnico em Mecânica Técnico em Metalurgia Técnico em Meteorologia Técnico em Microfilmagem Técnico em Mineração Técnico em Móveis e squadrias Técnico em Música Técnico em Nutrição e ietética Técnico em Ortóptica Técnico em Ótica Técnico em Prótese entária Técnico em Química Técnico em Radiologia Técnico em Reabilitação ou Fisioterapia Técnico em Refrigeração Técnico em Restauração Técnico em Saneamento Técnico em Secretariado Técnico em Segurança do Trabalho Técnico em Som Técnico em Telecomunicações Médio completo + experiência Médio Completo + Curso Técnico Médio completo + experiência Médio completo + experiência Médio completo + experiência Médio completo + experiência xperiência 12 meses xperiência 12 meses xperiência 12 meses xperiência 12 meses xperiência 12 meses xperiência 12 meses 14

15 Técnico em Telefonia Médio Profissional ou Médio completo + experiência Tradutor e Intérprete de Linguagem de Sinais Médio completo + proficiência em LIBRAS xperiência 12 meses Transcritor de Sistema Braille Médio completo xperiência 24 meses Vigilante Visitador Sanitário Administrador Fundamental Completo e curso de formação Administração Analista de Tecnologia da Informação Curso Superior na área Antropólogo Antropologia Arqueólogo Arqueologia Arquiteto e Urbanista Arquitetura e Urbanismo Arquivista Arquivologia Assistente Social Assistente Técnico em mbarcações Serviço Social Lei specífica: nsino Médio Completo, conhecimento especializado em arte naval e máquinas Astrônomo Astronomia Auditor conomia ou ireito ou Ciências Contábeis Bibliotecário-ocumentalista Biblioteconomia ou Ciências da Informação Biólogo Ciências Biológicas Biomédico Biomedicina Cenógrafo Curso Superior na área Comandante de Lancha Comandante de Navio Contador Lei specífica: nsino Médio Completo, especialização na área e Carta de Patrão de Pesca Lei specífica: nsino Médio Completo, especialização na área e Carta de Patrão de Alto Mar Ciências Contábeis Coreógrafo Artes Cênicas, Teatro ou ducação Física ecorador Artes Plásticas ou Arquitetura e Urbanismo esenhista Industrial esenho Industrial iretor de Artes Cênicas Artes iretor de Fotografia Cênicas Comunicação Social iretor de Iluminação Comunicação Social ou Artes Cênicas iretor de Imagem iretor de Produção Comunicação Social Comunicação Social, Artes Plásticas e Artes Cênicas + habilitação xperiência 12 meses 15

16 iretor de Programa iretor de Som Comunicação Social Comunicação Social conomista conomia conomista oméstico ditor de Publicações nfermeiro do Trabalho conomia oméstica Comunicação Social, Jornalismo ou Letras nfermagem com specialização em nfermagem do Trabalho nfermeiro/área nfermagem ngenheiro de Segurança do Trabalho ngenharia com specialização em Segurança do Trabalho ngenheiro/área Curso Superior na área ngenheiro Agrônomo Curso Superior na área statístico Ciências statísticas ou Atuariais Farmacêutico Curso Superior na área Farmacêutico Bioquímico Curso Superior na área Figurinista Artes Cênicas + habilitação em Indumentária Filósofo Filosofia Físico Curso Superior na área Fisioterapeuta Fisioterapia Fonoaudiólogo Fonoaudiologia Geógrafo Geografia Geólogo Geologia Historiador História Imediato Jornalista Lei specífica: Médio Completo, specialização na Área ou Carta de Patrão de Pesca Jornalismo ou Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo Matemático Matemática Médico Veterinário Medicina Veterinária Médico/área Medicina Mestre Fluvial Mestre Regional Lei specífica: Médio Completo e specialização e Carta de Mestre Fluvial Lei specífica: Médio Completo e specialização e Carta de Mestre Regional Meteorologista Curso Superior na área Museólogo Museologia Músico Música Musicoterapeuta Musicoterapia Nutricionista/habilitação Nutrição Oceanólogo Oceanologia 16

17 ou Oceanografia Odontólogo Odontologia Ortoptista Ortóptica Pedagogo/área Pedagogia Primeiro Condutor Produtor Cultural Programador Visual Lei specífica: Fundamental Completo + Curso de specialização Comunicação Social Comunicação Visual ou Comunicação Social com Habilitação em Publicidade ou esenho Industrial com habilitação em Programação Visual Psicólogo/área Psicologia Publicitário Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda Químico Curso Superior na área Redator Comunicação Social ou Jornalismo ou Letras Regente Música + specialização em Regência Relações Públicas Comunicação Social com Habilitação em Relações Públicas Restaurador/área Curso Superior na Área Revisor de Texto Roteirista Sanitarista Secretário xecutivo Comunicação Social ou Letras Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo ou Cinema ou Publicidade e Propaganda ou Letras Curso Superior com specialização na Área Letras ou Secretário xecutivo Bilíngüe Sociólogo Sociologia Técnico esportivo Técnico em Assuntos ducacionais Tecnólogo em Cooperativismo ducação Física Pedagogia ou Licenciaturas Administração ou Gestão de Cooperativas Tecnólogo/formação Curso Superior na área Teólogo Teologia Terapeuta Ocupacional Terapia Ocupacional Tradutor Intérprete Letras Zootecnista Zootecnia 17

18 ANXO II RLAÇÃO CURSOS AMBINTS ORGANIZACIONAIS CONFORM PORTARIA MC Nº 09/2006 COMUNS A TOOS OS AMBINTS Administração pública stado, governo e políticas públicas Relações de trabalho esenvolvimento sócio-ambiental Qualidade no atendimento Planejamento, avaliação e processo de trabalho Língua portuguesa Redação Língua estrangeira Linguagem de sinais Matemática básica Raciocínio lógico statística básica ireito administrativo ireito constitucional Análise organizacional Higiene e segurança no trabalho Sistema e estruturas da educação Metodologia de elaboração de projetos e/ou pesquisas História da educação e/ou do trabalho Sociologia da educação e/ou do trabalho Antropologia social e/ou do trabalho Filosofia da educação e/ou do trabalho Ética no serviço público atilografia Informática básica: Ambiente Operacional, ditor de Texto, Planilha letrônica, Navegação na Internet, Banco de ados. AMBINT AMINISTRATIVO Auditoria e controle Projetos sociais Assistência social no trabalho e/ou na educação Psicologia social do trabalho e/ou da educação Análise de legislação e normatizações nas áreas de: ducação, Pessoal, Materiais, Patrimônio, Orçamento, Finanças, Protocolo, Arquivo Sistemas e rotinas de trabalho nas áreas de: Pessoal, Materiais, Patrimônio, Orçamento, Finanças, Protocolo, Arquivo Gestão: Administrativa, Acadêmica, e Sistemas. Administração e controle de convênios Planejamento e execução: Orçamentária, Financeira e Contábil Comunicação interpessoal e/ou institucional, incluindo o Braile statística aplicada Formação mpreendedora Matemática aplicada statística aplicada letricidade Magnetismo Ótica Acústica Processos térmicos Processos termodinâmicos Mecânica struturas eletrônicas AMBINT INFRA-STRUTURA 18

19 Construção civil Materiais Metalurgia létrica letrônica Saneamento Recursos hídricos Instalação e manutenção de redes e de computadores Telecomunicações Resíduos sólidos, domésticos e industriais Limpeza pública Mecanização agrícola Planejamento: Arquitetônico e Urbanístico Paisagismo Manutenção de parques e jardins Segurança patrimonial Manutenção preventiva e corretiva de: dificações, Veículos, Móveis, Utensílios, Máquinas, quipamentos. Ciências Jurídicas Administração conomia Arquitetura Urbanismo emografia Relações internacionais Contabilidade Cooperativismo Psicologia social Psicologia do desenvolvimento humano Psicologia do trabalho Psicologia da aprendizagem Psicologia das relações humanas Filosofia ducação História Sociologia Antropologia Teologia Geografia Turismo Serviço Social statística aplicada Formação empreendedora CIÊNCIAS HUMANAS, JURIICAS CONÔMICAS Matemática aplicada statística aplicada Química Oceanografia Biologia geral Botânica Zoologia Morfologia Fisiologia Bioquímica Biofísica Farmacologia Imunologia cologia Parasitologia Bioengenharia Medicina Odontologia Farmácia nfermagem CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 19

20 Saúde coletiva Zootecnia Medicina Veterinária Tecnologia de Alimentos ducação Biomedicina Microbiologia Meteorologia Geologia Topografia Cartografia Saneamento Química Física, Matemática aplicada xtração mineral xtração e refino de petróleo e gás natural statística aplicada Ciências da computação Tecnologia da informação Astronomia Oceanografia Construção civil Mineralogia Materiais Metalúrgica létrica letrônica Telecomunicações Mecânica CIÊNCIAS XATAS A NATURZA Medicina Odontologia Farmácia nfermagem Saúde coletiva Zootecnia Medicina Veterinária Tecnologia de Alimentos ducação Física Biomedicina Nutrição Serviço Social Fonoaudiologia Fisioterapia Terapia Ocupacional iagnóstico por imagem Psicologia Sociologia statística aplicada Antropologia Administração hospitalar Administração de sistemas de saúde Saúde do trabalhador Bioquímica CIÊNCIAS A SAÚ Agronomia Recursos florestais ngenharia florestal ngenharia agrícola Medicina veterinária AMBINT AGRÁRIO 20

21 Recursos pesqueiros ngenharia da pesca Ciência e tecnologia dos alimentos Cooperativismo Zootecnia Curtume e tanagem nologia Vigilância florestal Apicultura Zoologia efesa fitossanitária Produção e manejo animal Mecanização agrícola Parques e jardins Beneficiamento de recursos vegetais Produção de carvão e horticultura statística aplicada Ciências da computação Tecnologia da informação Microfilmagem statística aplicada Comunicação Biblioteconomia Museologia Arquivologia AMBINT A INFORMAÇÃO Teatro Artes gráficas Programação visual Fotografia Sonorização Teoria musical Composição musical Arranjo musical Interpretação musical Iluminação Computação gráfica Cenografia Moda e confecção Artes plásticas Operação de equipamentos da área da comunicação e de artes esing esenvolvimento e desing para web Comunicação em sistema Braile Restauração e conservação Rádio Televisão Cinema Vídeo Redação publicitária Redação jornalística Mídia Roteiro Marketing Multimídia ditoração gráfica ditoração eletrônica ncadernação Impressão Novas tecnologias na comunicação Produção cultural Museologia ARTS, COMUNICAÇÃO IFUSÃO 21

22 Relações públicas Publicidade e propaganda História Sociologia Antropologia Arte Comunicação Informática Revisão de textos statística aplicada Matemática Física Oceanografia Zoologia Morfologia Botânica Biofísica Parasitologia ngenharia naval ngenharia oceânica Antropologia Geografia Ciências políticas ngenharia cartográfica statística aplicada Biologia cologia Bioquímica Microbiologia Fisiologia ngenharia sanitária Recursos pesqueiros ngenharia de pesca História ducação Ciências Sociais MARÍTIMO, FLUVIAL LACUSTR ANXO II RLAÇÃO ÁRAS CONHCIMNTO UCAÇÃO FORMAL AMBINTS ORGANIZACIONAIS STABLCIA PLO CRTO Nº 5.824/06 ÁRAS COMUNS A TOOS OS AMBINTS Administração; Antropologia; Ciência Política; Ciências Sociais; 22

23 ducação Magistério superior em nível superior, Magistério e Normal em nível médio; statística; Filosofia; Geografia; História; Letras Habilitação em Língua Portuguesa em nível de graduação e área de Língua Portuguesa em nível de pós-graduação; Matemática; Pedagogia; Sociologia. AMBINT AMINISTRATIVO Arquivologia; Biblioteconomia; Ciências Atuariais; Ciências da Informação; Contabilidade; ireito; conomia; conomia oméstica; nfermagem do Trabalho; ngenharia de Produção; ngenharia do Trabalho; Medicina do Trabalho; Psicologia; Relações Internacionais; Secretariado; Segurança do Trabalho; 23

24 Serviço Social. AMBINT INFRA-STRUTURA Agrimensura; Arquitetura e Urbanismo; Construção Civil; cologia; létrica; letrônica; letrotécnica; ngenharia de Produção; ngenharia Florestal; Hidráulica; Material e Metalúrgica; Segurança do Trabalho; Telecomunicações; Transportes. AMBINT CIÊNCIAS HUMANAS, JURÍICAS CONÔMICAS Arquitetura e Urbanismo; Arqueologia; Comunicação; Contabilidade; ireito; conomia; conomia oméstica; 24

25 studos Sociais; Letras; Relações Internacionais; Relações Públicas; Serviço Social; Teologia; Turismo. AMBINT CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Bioengenharia; Biofísica; Biologia; Biomedicina; Bioquímica; cologia; nfermagem; Farmacologia; Medicina Veterinária; Medicina; Oceanografia; Odontologia; Química; Tecnologia de Alimentos; Zootecnia. AMBINT CIÊNCIAS XATAS A NATURZA 25

26 Agrimensura; Agronomia; Arqueologia; Astronomia; Bioengenharia; Biologia; Bioquímica; Construção Civil; cologia; létrica; letrônica; ngenharia Aeroespacial; ngenharia Biomédica; ngenharia de Minas; ngenharia de Pesca; ngenharia de Petróleo; ngenharia de Produção; ngenharia de Transporte; ngenharia Naval; ngenharia Nuclear; ngenharia Oceânica; ngenharia Química; ngenharia Sanitária; Farmacologia; Física; Geociências; Geofísica; 26

27 Geografia; Geologia; Material e Metalurgia; Mecânica; Mecatrônica; Medicina Veterinária; Meteorologia; Museologia; Oceanografia; Química; Química Industrial, Recurso Florestais e ngenharia Florestal; Tecnologia da Informação; Zootecnia. AMBIONT CIÊNCIAS A SAÚ Biofísica; Biologia; Biomedicina; Bioquímica; Ciências da Computação; Ciências e Tecnologia de Alimentos; cologia; conomia oméstica; ducação Física; nfermagem; ngenharia Nuclear; ngenharia Sanitária; 27

28 Farmacologia; Física; Fisioterapia; Fonoaudiologia; Medicina; Medicina Veterinária; Nutrição; Odontologia; Psicologia; Química; Serviço Social; Terapia Ocupacional; AMBINT AGROPCUÁRIO Agrimensura; Agronomia; Biologia; Bioquímica; Cooperativismo; cologia; conomia; conomia oméstica; ngenharia Agrícola; ngenharia Florestal e Recursos Florestais; ngenharia Química; Farmacologia; Física; 28

29 Geociências; Medicina Veterinária; Nutrição; Pecuária; Produção Agroindustrial; Química; Recursos Pesqueiros e ngenharia de Pesca; Tecnologia da Informação; Tecnologia de Alimentos; Zoologia; Zootecnia. AMBINT INFORMAÇÃO Arquivologia; Biblioteconomia; Ciências da Informação; Comunicação; ngenharia letrônica; Física; Letras; Museologia; Música; Produção Cultural; Programação Visual; Psicologia; Relações Públicas; Tecnologia da Informação. 29

30 AMBINT ARTS, COMUNICAÇÃO IFUSÃO Arquitetura e Urbanismo; Artes Visuais; Artes Cênicas; Ciência da Informação; Comunicação; ecoração; esenho de Moda e Projetos; esenho Industrial; ducação Artística; létrica; letrônica; ngenharia Têxtil; Física; Tecnologia da Informação; Letras; Museologia; Música; Produção Cultural; Programação Visual; Psicologia; Relações Públicas. AMBINT MARÍTIMO, FLUVIAL LACUSTR Astronomia; 30

31 Biofísica; Biologia; Bioquímica; cologia; ngenharia Cartográfica; ngenharia Naval e Oceânica; ngenharia Sanitária; Física; Geociências; Medicina Veterinária; Meteorologia; Oceanografia; Recursos Pesqueiros e ngenharia de Pesca; Tecnologia da Informação. GAPAC/CFAP/PRORH - NOVMBRO/

Anexo C Cursos de capacitação que não sejam de educação formal

Anexo C Cursos de capacitação que não sejam de educação formal Anexo C Cursos de capacitação que não sejam de educação formal Para todos os ambientes organizacionais para todos os servidores, independentemente do ambiente organizacional: Administração pública Estado,

Leia mais

PORTARIA Nº 9, DE 29 DE JUNHO DE 2006

PORTARIA Nº 9, DE 29 DE JUNHO DE 2006 PORTARIA Nº 9, DE 29 DE JUNHO DE 2006 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de sua competência e em conformidade com o estabelecido no 1o- do art 10, da Lei no- 11.091, de 12 de janeiro de 2005, resolve:

Leia mais

REQUERIMENTO DE PROGRESSÃO POR CAPACITAÇÃO

REQUERIMENTO DE PROGRESSÃO POR CAPACITAÇÃO P. 1/2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul 1. DADOS DO SERVIDOR Data do ingresso / / Nome

Leia mais

PROGRESSÃO POR CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICOS-ADMINISTRATIVOS

PROGRESSÃO POR CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICOS-ADMINISTRATIVOS PROGRESSÃO POR CAPACTAÇÃO DOS SERVDORES TÉCNCOS-ADMNSTRATVOS O que é É a progressão que consiste na mudança de nível de capacitação dos servidores que obtiverem certificados de capacitação profissional

Leia mais

Quadro de Referência dos Servidores Técnico-Administrativos (QRSTA)

Quadro de Referência dos Servidores Técnico-Administrativos (QRSTA) Quadro de Referência dos Servidores Técnico-Administrativos (QRSTA) Este documento dispõe sobre os quadros de lotação dos cargos de nível de classificação C, D e E integrantes da Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos

Leia mais

QUADRO DE REFERÊNCIA DOS SERVIRORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UFSJ, CONFORME PORTARIA INTERMINISTERIAL N 111, DE 02 DE ABRIL DE 2014.

QUADRO DE REFERÊNCIA DOS SERVIRORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UFSJ, CONFORME PORTARIA INTERMINISTERIAL N 111, DE 02 DE ABRIL DE 2014. QUADRO DE REFERÊNCIA DOS SERVIRORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UFSJ, CONFORME PORTARIA INTERMINISTERIAL N 111, DE 02 DE ABRIL DE 2014. QRSTA - Nível de Classificação "E" Situação Ocupado Vagos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UFCG SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS SRH QUADRO DE REFERÊNCIA DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UFCG SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS SRH QUADRO DE REFERÊNCIA DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UFCG SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS SRH QUADRO DE REFERÊNCIA DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS TABELA CONSOLIDADA Universidade Federal de Campina Grande Nivel

Leia mais

Universidade Federal de São João del-rei - UFSJ Nivel de Classificação

Universidade Federal de São João del-rei - UFSJ Nivel de Classificação Universidade Federal de São João del-rei - UFSJ Nivel de Classificação Ocupados Vagos Total E 6 2 62 D 272 5 277 C 68 2 7 Total 4 9 49 Situação em 25..2 QRSTA - Nível de Classificação "E" Código Nome do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL Tabela com as Áreas de Conhecimentos relativas à Educação Formal, com relação DIRETA aos Ambientes Organizacionais (Decreto 5.824/2006 de 29 de Junho de 2006 - ANEXO III) ADMINISTRATIVO INFRA-ESTRUTURA

Leia mais

Cartilha de enquadramento no Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação

Cartilha de enquadramento no Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação Cartilha de enquadramento no Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em ducação A Carreira se constitui num instrumento estratégico para o fortalecimento e consolidação das Universidades,

Leia mais

PCCTAE Plano de Carreira dos Cargos Técnico - Administrativos em Educação

PCCTAE Plano de Carreira dos Cargos Técnico - Administrativos em Educação PCCTA Plano de Carreira dos Cargos - Administrativos em ducação 2 LI N o 11.091, 12 JANIRO 2005.... 4 CAPÍTULO I... 4 ISPOSIÇÕS PRLIMINARS... 4 CAPÍTULO II... 4 A ORGANIZAÇÃO O QUARO PSSOAL... 4 CAPÍTULO

Leia mais

211A02 Artes Visuais - Bacharelado 212C02 Produção cênica - Tecnológico

211A02 Artes Visuais - Bacharelado 212C02 Produção cênica - Tecnológico Código Área Nome Área 1 Educação 2 Humanidades e Artes TABELA DE CURSO DE FORMAÇÃO SUPERIOR Código OCDE Nome do Curso - Grau Grau 142C01 Ciência da educação - 142P01 Pedagogia - Licenciatura Licenciatura

Leia mais

PROJETO DE LEI. I - treze mil, duzentos e setenta e seis cargos de professor da carreira do magistério

PROJETO DE LEI. I - treze mil, duzentos e setenta e seis cargos de professor da carreira do magistério PROJETO DE LEI Cria cargos efetivos e cargos comissionados no âmbito do Ministério da Educação, destinados a instituições federais de ensino superior. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1 o Ficam criados,

Leia mais

Programa de Capacitação por Ambientes

Programa de Capacitação por Ambientes Programa de Capacitação por Ambientes 1. Introdução A Unidade de Qualificação UQ, órgão de capacitação da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas PROGEP/UFPR, vem ao longo de 16 anos de existência adquirindo

Leia mais

LEI Nº 8.824 DE 22 DE SETEMBRO de 2003

LEI Nº 8.824 DE 22 DE SETEMBRO de 2003 Publicada D.O.E. Em 23.09.2003 LEI Nº 8.824 DE 22 DE SETEMBRO de 2003 Reorganiza os cargos de provimento permanente do Quadro de Pessoal das Instituições de Ensino Superior do Estado da Bahia. O GOVERNADOR

Leia mais

Fundamental incompleto

Fundamental incompleto 1. NIVEL DE CLASSIFICAÇÃO A Cargos do Nível de Classificação A, conforme Anexo II da Lei 11.091/2005 CARGO SITUAÇÃO Escolaridade Justificativas Auxiliar de Carpintaria Auxiliar de Dobrador Auxiliar de

Leia mais

1. NIVEL DE CLASSIFICAÇÃO A

1. NIVEL DE CLASSIFICAÇÃO A 1. NIVEL DE CLASSIFICAÇÃO A Cargos do Nível de Classificação A, conforme Anexo II da Lei 11.091/2005 CARGO SITUAÇÃO Escolaridade Justificativas Posição dos representantes do MEC e do CONIF Auxiliar de

Leia mais

CATÁLOGO AUXILIAR DOCENTE

CATÁLOGO AUXILIAR DOCENTE CATÁLOGO DE AUXILIAR DOCENTE Atualizado em Novembro/2015 RELAÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA INGRESSO NO EMPREGO PÚBLICO PERMANENTE DE AUXILIAR DOCENTE I Este documento tem por finalidade apresentar os

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 22º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2013 MODELO DE RESUMO

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 22º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2013 MODELO DE RESUMO MODELO DE RESUMO 8.00.00.00-2 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES (grande área) 8.02.00.00-1 LETRAS (área da pesquisa e não curso do aluno) TÍTULO DO PROJETO OU DO PLANO DE TRABALHO DO ALUNO/BOLSISTA NOME... ORIENTADOR(A)

Leia mais

REQUERIMENTO DE INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO

REQUERIMENTO DE INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO DIGEP D-01 P. 1/2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul 1. DADOS DO SERVIDOR Data de ingresso

Leia mais

Dispõe sobre a concessão do Incentivo de Titulação aos servidores integrantes do Ambiente de Especialidade Gestão Pública.

Dispõe sobre a concessão do Incentivo de Titulação aos servidores integrantes do Ambiente de Especialidade Gestão Pública. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 01, 26 de maio de 2008. Dispõe sobre a concessão do Incentivo de Titulação aos servidores integrantes do Ambiente de Especialidade Gestão. O SECRETÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Relação de Cursos ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO. Código Curso Tipo 17/01/14 16:09:53 SISGESC

Relação de Cursos ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO. Código Curso Tipo 17/01/14 16:09:53 SISGESC 1 INTERCULTURAL INDIGENA EM LINGUAS, ARTES E LIT. 2 ADMINISTRAÇÃO LEGISLATIVA 3 ALIMENTOS 4 ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS 5 ARQUITETURA E URBANISMO 6 ARTE EDUCAÇÃO 7 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL 8 CERÂMICA

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 21º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2012

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 21º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2012 O texto deve ser conciso e ocupar no máximo 20 linhas, em um único parágrafo; utilizar linguagem objetiva, evitando frases inteiras do texto original (expressar apenas a idéia principal e não transcrevê-la);

Leia mais

RELATÓRIO DO GRUPO DE TRABALHO DE RACIONALIZAÇÃO DOS CARGOS DO PCCTAE

RELATÓRIO DO GRUPO DE TRABALHO DE RACIONALIZAÇÃO DOS CARGOS DO PCCTAE RELATÓRIO DO GRUPO DE TRABALHO DE RACIONALIZAÇÃO DOS CARGOS DO PCCTAE Relatório apresentado pelo grupo de trabalho e composto de análise dos cargos por nível de classificação, com respectivas propostas

Leia mais

Cadastro de denominações consolidadas para Cursos de Graduação (bacharelado e licenciatura) do Ministério da Educação

Cadastro de denominações consolidadas para Cursos de Graduação (bacharelado e licenciatura) do Ministério da Educação Cadastro de denominações consolidadas para Cursos de Graduação (bacharelado e licenciatura) do Ministério da Educação Justificativa Desde a edição da nova LDB (Lei nº 9.394/1996), promulgada em decorrência

Leia mais

SAÍDAS PROFISSIONAIS

SAÍDAS PROFISSIONAIS SAÍDAS PROFISSIONAIS Telf: 234 340 220 * Fax: 234 343 272 * info@aesbernardo.pt * www.aesbernardo.pt Página 1 de 6 CURSO CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS ÁREA DAS CIÊNCIAS ÁREA DA ANIMAÇÃO ÁREA DA SAÚDE AREA DO

Leia mais

Anexo I - Quadro de Vagas

Anexo I - Quadro de Vagas Anexo I - Quadro de Vagas A jornada de trabalho é de 40 horas semanais, exceto para os cargos de Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional, cuja carga horária semanal é de 30 horas; e para os cargos de Músico,

Leia mais

Projetos de Extensão. Prof. Msc. Marcílio Meira Informátic ca

Projetos de Extensão. Prof. Msc. Marcílio Meira <marcilio.meira@ifrn.edu.br> Informátic ca Extensão Projetos de Extensão Prof. Msc. Marcílio Meira Informátic ca Objetivos da aula a. Compreender o que é um Projeto de Extensão, e seus objetivos; b Aprender como se

Leia mais

Anexo I. Concurso Vestibular 2015 Carreiras e Cursos. Área de Humanidades

Anexo I. Concurso Vestibular 2015 Carreiras e Cursos. Área de Humanidades Carreira 100 Administração - Ribeirão Preto Curso 10: Administração - Diurno - Ribeirão Preto Curso 11: Administração - Noturno - Ribeirão Preto Concurso Vestibular 2015 Carreiras e Cursos Área de Humanidades

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/09/2015 de 19/10/2015.

Leia mais

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011 AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011 RELAÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA INGRESSO NO EMPREGO PÚBLICO PERMANENTE DE AUXILIAR DOCENTE I Este documento tem por finalidade apresentar os requisitos de titulação

Leia mais

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS Agricultura Sustentável Agrimensura Agroecologia Agroindústria Agroindústria - Alimentos Agroindústria - Madeira Agronegócio

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LI N o 11.091, 12 JANIRO 2005. ispõe sobre a estruturação do Plano de arreira dos argos -Administrativos em ducação, no âmbito das Instituições Federais de nsino vinculadas ao Ministério da ducação, e

Leia mais

DIRETORIA DE CONCURSO VESTIBULAR

DIRETORIA DE CONCURSO VESTIBULAR DIRETORIA DE CONCURSO VESTIBULAR EDITAL Nº 001/2011-DCV PUBLICAÇÃO DA RELAÇÃO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO CONSIDERADOS COMO CURSOS AFINS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIOESTE. O Diretor de Concurso Vestibular

Leia mais

Pesos e notas mínimas (ponto de corte) do Enem 2014 para os cursos de graduação inseridos no Sisu

Pesos e notas mínimas (ponto de corte) do Enem 2014 para os cursos de graduação inseridos no Sisu Pesos e notas mínimas (ponto de corte) do Enem 2014 para os cursos de graduação inseridos no Sisu CAMPUS RECIFE CURSO PROVA ENEM PESO ADMINISTRAÇÃO ARQUEOLOGIA ARQUITETURA E URBANISMO ARTES VISUAIS - LICENCIATURA

Leia mais

Diagnóstico Servidores

Diagnóstico Servidores Diagnóstico - Servidores Este formulário visa coletar dados acerca do Instituto Federal Baiano, a partir da percepção dos seus servidores. Os dados colhidos embasarão o diagnóstico para a construçãdo do

Leia mais

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO

FEDERAL ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO ANEXO I MATRIZ ESPECÍFICA DE CORRELAÇÃO DO CONHECIMENTO CARGO/ESPECIALIDADES Art. 378. Ao Consultor Legislativo, Especialidade Assessoramento Legislativo. ÁREAS DE INTERESSE DO SENADO FEDERAL Agronomia;

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA

DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA 06/ 05/ INSTITUTO FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCESSO SELETIVO DO º SEMESTRE 05 ANEXO II EDITAL Nº 8/05 DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA Técnico em Redes de Computadores

Leia mais

RESERVA VENCIMENTO CARGA PROVA ITEM CARGO VAGAS TÉCNIC

RESERVA VENCIMENTO CARGA PROVA ITEM CARGO VAGAS TÉCNIC ANEXO I ITEM 1. CARGO ADMINISTRADOR HOSPITALAR 1 VAGAS 2. AGENTE DE INSPEÇÃO SANITÁRIA 3 5 3. AGENTE DE SERVIÇOS DE SAÚDE 2 10 4. ANALISTA DE SISTEMAS 1 0 5. ARQUITETO 6. ASSISTENTE ADMINISTRATIVO 7. ASSISTENTE

Leia mais

ANEXO I EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DISCIPLINAS/EIXO TECNOLÓGICO POR GERED

ANEXO I EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DISCIPLINAS/EIXO TECNOLÓGICO POR GERED ANEXO I EDUCAÇÃO PROFISSIONAL /EIXO POR GERED DISCIPLINA/EIXO GERED ARARANGUÁ em Economia ou Administração ou Contabilidade ou Ciências Contábeis com Curso Emergencial de Complementação Pedagógica; ou,

Leia mais

EDITAL Nº 13/2012-PROGRAD

EDITAL Nº 13/2012-PROGRAD 1 EDITAL Nº 13/2012-PROGRAD PUBLICAÇÃO DA RELAÇAO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO CONSIDERADOS COMO CURSOS AFINS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIOESTE - PROVOU. A Pró-reitora de Graduação da Universidade Estadual

Leia mais

ANEXO II. Ambientes organizacionais

ANEXO II. Ambientes organizacionais ANEXO II Ambientes organizacionais 1. Administrativo Gestão administrativa e acadêmica envolvendo planejamento, execução e avaliação de projetos e atividades nas áreas de auditoria interna, organização

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Comércio

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Comércio Habilitação: Comércio Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt Comércio de Compras (EII) - Habilitação

Leia mais

VAGAS AC PCD Araguaína/CIMBA 2 - Araguaína/EMVZ 2 - Arraias 1 - Gurupi 2 - Palmas 8 1 Tocantinópolis 2 - Araguaína/CIMBA 1 - Palmas 1 -

VAGAS AC PCD Araguaína/CIMBA 2 - Araguaína/EMVZ 2 - Arraias 1 - Gurupi 2 - Palmas 8 1 Tocantinópolis 2 - Araguaína/CIMBA 1 - Palmas 1 - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS / UFT CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EFETIVOS DA CARREIRA DE TÉCNICOADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO EDITAL N.º 012/2014 (publicado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROCESSO SELETIVO 2013 PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA POR CURSO (CLASSIFICADOS) - NÃO COTISTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROCESSO SELETIVO 2013 PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA POR CURSO (CLASSIFICADOS) - NÃO COTISTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROCESSO SELETIVO 2013 PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA POR CURSO (CLASSIFICADOS) - NÃO COTISTA Curso Máxima Mínima Média ADMINISTRACAO - INTEGRAL/BRAGANCA 627.87 532.46 556.73 ADMINISTRACAO

Leia mais

Guia de Procedimentos para o Enquadramento 2ª Etapa. Lei n.º 11.091, de 12 de janeiro de 2005

Guia de Procedimentos para o Enquadramento 2ª Etapa. Lei n.º 11.091, de 12 de janeiro de 2005 PLANO DE CARREIRAS DOS CARGOS TÉCNICO-ADMISTRATIVOS DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO Lei n.º 11.091, de 12 de janeiro de 2005 Guia de Procedimentos para o Enquadramento 2ª Etapa MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.046, DE 22 DE MAIO DE 2003.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.046, DE 22 DE MAIO DE 2003. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 3.046, DE 22 DE MAIO DE 2003. Revoga a Resolução N.º 2.888/CONSEP, estabelece diretrizes e dispõe

Leia mais

EP2A - Ensino Médio em escola pública, autodeclarado preto, pardo e indígena. EP1 - Ensino Médio em escola pública, cota social

EP2A - Ensino Médio em escola pública, autodeclarado preto, pardo e indígena. EP1 - Ensino Médio em escola pública, cota social Curso: 3004 - ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - SILVEIRA MARTINS 3 6 6 7 0,86 1 5 0,20 6 7 0,86 62 2,77 Curso: 501 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno 10 6 1,67 48 7 6,86 5 5 54 7 7,71 222 1 Curso: 2004 - ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Etec Trajano Camargo Limeira

Etec Trajano Camargo Limeira Etec Trajano Camargo Limeira Administração Gestão de Marketing I e II Administração (EII) Administração / Ciências Administrativas (qualquer modalidade) Comercialização e Mercadologia(EII) Comunicação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM PROGRAD - COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR UFSM 2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM PROGRAD - COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR UFSM 2014 - Cota Curso: 3004 - ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - SILVEIRA MARTINS Curso: 501 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno Curso: 2004 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno - CESNORS - P.M. Curso: 515 - ADMINISTRAÇÃO - Noturno Curso:

Leia mais

REESTRUTURAÇÃO DO PCF - NOVAS DENOMINAÇÕES PARA O RECONHECIMENTO DAS PROFISSÕES GRUPO SUPERIOR

REESTRUTURAÇÃO DO PCF - NOVAS DENOMINAÇÕES PARA O RECONHECIMENTO DAS PROFISSÕES GRUPO SUPERIOR REESTRUTURAÇÃO DO PCF - NOVAS DENOMINAÇÕES PARA O RECONHECIMENTO DAS PROFISSÕES GRUPO SUPERIOR FUNÇÃO ATIVA PROPOSTA DO DRH ESPECIALIDADE PRÉ-REQUISITOS GERAIS PRÉ-REQUISITOS ESPECÍFICOS ESPECIALIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM PROGRAD - COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR UFSM 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM PROGRAD - COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR UFSM 2013 - Cota Curso: 3004 - ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - SILVEIRA MARTINS Curso: 501 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno Curso: 2004 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno - CESNORS - P.M. Curso: 515 - ADMINISTRAÇÃO - Noturno Curso:

Leia mais

EP2A - Ensino Médio em escola pública, autodeclarado preto, pardo e indígena. EP2 - Ensino Médio em escola pública Cota B - Necessidades Especiais

EP2A - Ensino Médio em escola pública, autodeclarado preto, pardo e indígena. EP2 - Ensino Médio em escola pública Cota B - Necessidades Especiais Curso: 3004 - ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - SILVEIRA MARTINS Curso: 501 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno 1 4 0,25 10 5 17 31 0,55 12 4 76 5 15,20 12 4 57 4 14,25 211 6,84 Curso: 2004 - ADMINISTRAÇÃO - Diurno -

Leia mais

Perspectiva Carreira Maio 15.xls. Cursos Técnicos

Perspectiva Carreira Maio 15.xls. Cursos Técnicos Perspectiva de Carreira - Níveis Tecnológicos e Técnicos País: Brasil / Cidade: Natal - RN Última atualização: Maio/2015 Cursos Técnicos * Os cursos relacionados correspondem a uma pesquisa através do

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO Edital Nº 001/2012 -TABELA DE CARGOS

CONCURSO PÚBLICO Edital Nº 001/2012 -TABELA DE CARGOS CONCURSO PÚBLICO Edital Nº 001/2012 -TABELA DE CARGOS NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO (comprovação de escolaridade até a 4ª série do EF atual 5º ano) 01 Servente - Zona Urbana Nível Fundamental Incompleto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROCESSO SELETIVO 2014 PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA POR CURSO (CLASSIFICADOS) - COTA ESCOLA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROCESSO SELETIVO 2014 PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA POR CURSO (CLASSIFICADOS) - COTA ESCOLA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROCESSO SELETIVO 2014 PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA POR CURSO (CLASSIFICADOS) - COTA ESCOLA Curso Máxima Mínima Média ADMINISTRACAO - MATUTINO/BELEM 750.38 683.78 703.36 ADMINISTRACAO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROCESSO SELETIVO 2014 PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA POR CURSO (CLASSIFICADOS) - NÃO COTISTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROCESSO SELETIVO 2014 PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA POR CURSO (CLASSIFICADOS) - NÃO COTISTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROCESSO SELETIVO 2014 PONTUAÇÃO MÁXIMA E MÍNIMA POR CURSO (CLASSIFICADOS) - NÃO COTISTA Curso Máxima Mínima Média ADMINISTRACAO - MATUTINO/BELEM 813.54 703.71 740.51 ADMINISTRACAO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITURAMA Estado de Minas Gerais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITURAMA Estado de Minas Gerais ANEXO III QUADRO DE PROVAS Agente de Serviços Gerais Agente de Vigilância 4 3 Agente Escolar Ensino Médio Analista de Gestão de Pessoas Analista de Sistemas 7 Analista em Engenharia Civil Arquiteto 9 Assistente

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Administração

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Administração Habilitação: Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt da Produção / (qualquer modalidade) Engenharia

Leia mais

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO UF da IES Nome da IES Nome do Curso Qtd. Inscritos SP FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Ciência e Tecnologia ** 16.253 BA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

ANEXO I AO EDITAL Nº 001/QUADRO-GERAL/2012, DE 04 DE MAIO DE 2012 - RETIFICADO

ANEXO I AO EDITAL Nº 001/QUADRO-GERAL/2012, DE 04 DE MAIO DE 2012 - RETIFICADO 1 ANEXO I AO EDITAL Nº 001/QUADRO-GERAL/2012, DE 04 DE MAIO DE 2012 - RETIFICADO CARGO/ÁREA Relação de Cargos e Vagas Cargos de Nível Superior PERFIL QUANT. TOTAL VAGAS CADASTRO DE RESERVA REMUNERAÇÃO

Leia mais

Tabela de vagas disponíveis para lista de espera/chamada pública do SiSU UFRGS

Tabela de vagas disponíveis para lista de espera/chamada pública do SiSU UFRGS Tabela de vagas disponíveis para lista de espera/chamada pública do SiSU UFRGS Periodo Curso NrVagasUni NrVagasL3 NrVagasL4 2015_1 ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - (Integral) 8 0 0 2015_2 ADMINISTRAÇÃO -

Leia mais

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N o 001 / 2015 ANEXO I. Vagas Gerais. para o cargo. Graduação de Nível Superior em qualquer área

EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N o 001 / 2015 ANEXO I. Vagas Gerais. para o cargo. Graduação de Nível Superior em qualquer área EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N o 001 / 2015 ANEXO I N O DE VAGAS PARA OS CARGOS DO CONCURSO PÚBLICO DEFINIÇÃO DOS GRUPOS GRUPO I Função Analista de Planejamento, Orçamento e Gestão Analista de Sista Arquiteto

Leia mais

OFERTA INSTITUICAO CAMPUS CURSO GRAU TURNO

OFERTA INSTITUICAO CAMPUS CURSO GRAU TURNO 106137 UFPE CARUARU MEDICINA Bacharelado Integral (Mat/Vesp) 50 807,69 810,71 810,14 106117 UFPE RECIFE MEDICINA Bacharelado Integral (Mat/Vesp) 87 782,54 786,23 787,68 94728 UNIVASF CENTRO PETROLINA MEDICINA

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina - Código e-mec: 585. Cursos de Graduação

Universidade Federal de Santa Catarina - Código e-mec: 585. Cursos de Graduação Universidade Federal de Santa Catarina - Código e-mec: 585 Cursos de Graduação Curso Grau Campus Código e-mec Administração Bacharelado Florianópolis 14213 Agronomia Bacharelado Florianópolis 14214 Agronomia

Leia mais

REITORIA. Minuta RESOLUÇÃO UNESP Nº DE DE DE 2012.

REITORIA. Minuta RESOLUÇÃO UNESP Nº DE DE DE 2012. Minuta RESOLUÇÃO UNESP Nº DE DE DE 2012. Altera e inclui dispositivos da Resolução Unesp nº 32, de 28 de julho de 2011. O VICE-REITOR NO EXERCÍCIO DA REITORIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "JÚLIO DE

Leia mais

31. Enfermagem Gerontológica I e II (Enfermagem) 32. Gestão em Saúde I e II (Enfermagem) 33. Primeiros Socorros I (Enfermagem) 34. Primeiros Socorros

31. Enfermagem Gerontológica I e II (Enfermagem) 32. Gestão em Saúde I e II (Enfermagem) 33. Primeiros Socorros I (Enfermagem) 34. Primeiros Socorros CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PARQUE DA JUVENTUDE SÃO PAULO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA CONCURSO PÚBLICO DE DOCENTES nº 159/02/2007 O Diretor da Escola Técnica Estadual

Leia mais

UFRGS Concurso Vestibular 2011. Quadro de Lotação dos Candidatos em 1ª Opção

UFRGS Concurso Vestibular 2011. Quadro de Lotação dos Candidatos em 1ª Opção UFRGS Concurso Vestibular 2011 Quadro de Lotação dos Candidatos em 1ª Opção Código Nome do Curso Vagas Médias Ofer Ocup Primeiro Último 01 Administração - Diurno Acesso Universal 56 56 711,68 572,40 Ensino

Leia mais

UFRGS Concurso Vestibular 2009. Número de Candidatos por Curso em 1ª Opção

UFRGS Concurso Vestibular 2009. Número de Candidatos por Curso em 1ª Opção UFRGS Concurso Vestibular 2009 Número de Candidatos por Curso em 1ª Opção Código Nome do Curso Candidatos Vagas Densidade 01 Administração - Diurno 708 80 8,85 Acesso Universal 479 56 Ensino Público 206

Leia mais

ANEXO I-D - RELAÇÃO DE CARGOS AGLUTINADOS DO PODER EXECUTIVO Lei Municipal nº 3.428, de 04 de abril de 2012

ANEXO I-D - RELAÇÃO DE CARGOS AGLUTINADOS DO PODER EXECUTIVO Lei Municipal nº 3.428, de 04 de abril de 2012 ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ SECRETARIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DIVISÃO DE GESTÃO DE PESSOAL ANEXO I-D - RELAÇÃO DE S AGLUTINADOS DO PODER EXECUTIVO Lei Municipal nº 3.428,

Leia mais

EDITAL Nº 001.1/2013 CCP IFMS

EDITAL Nº 001.1/2013 CCP IFMS EDITAL Nº 0.1/23 CCP IFMS CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS PARA O PROVIMENTO DE CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS PARA O INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO DO SUL (IFMS) O REITOR

Leia mais

Prefeitura Municipal de Paulo Afonso Estado da Bahia

Prefeitura Municipal de Paulo Afonso Estado da Bahia CÓDIGO CARGO/ FUNÇÃO VAGAS REQUISITOS VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SEMANAL VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SEMANAL VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SEMANAL E000 Ajudante 35 Alfabetizado R$ 380,00 E00 Arameiro

Leia mais

ESPECIALISTAS - NÍVEL I Cod. Especialidade Quantidade

ESPECIALISTAS - NÍVEL I Cod. Especialidade Quantidade ESPECIALISTAS - NÍVEL I 001 Ciências da Natureza na Educação Infantil e em Anos Iniciais do Ensino 18 002 Didática e Educação Inclusiva 13 003 Estatística e Informática na Educação 8 004 Filosofia e Educação

Leia mais

A - Sistema Cidadão Presente A - afro - brasileiros B - Sistema Cidadão Presente B - necessidades especiais

A - Sistema Cidadão Presente A - afro - brasileiros B - Sistema Cidadão Presente B - necessidades especiais Curso: 2005 - ADMINISTRACAO (Noturno) - CESNORS 4 5 0,80 91 9 10,11 123 28 4,39 Curso: 501 - ADMINISTRACAO - Bacharelado (Diurno) 11 5 2,20 72 8 9,00 145 5,64 Curso: 515 - ADMINISTRACAO - Bacharelado (Noturno)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA RELAÇÃO DE CURSOS ATENDIDOS PELO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA RELAÇÃO DE CURSOS ATENDIDOS PELO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REITORIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA RELAÇÃO DE CURSOS ATENDIDOS PELO SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFC Biblioteca Curso de Graduação Curso de Pós-Graduação Biblioteca de Ciências

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014: 1.ª FASE da Nome da Nome Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 10 134,0 5 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANAÃ DOS CARAJÁS

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANAÃ DOS CARAJÁS PREFEITURA DO MUNICÍPIO CANAÃ DOS CARAJÁS ESTRUTURA PRE REQUISITOS BÁSICOS E HABILITAÇÃO PROFISSIONAL PARA A INVESTIDURA DO CAR ESCOLARIDA NOMINAÇÃO DO CAR OPERACIONAL ELEMENTAR Ensino Fundamental Incompleto

Leia mais

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ Código/Área de Estudo. Desenho Técnico, Desenho Assistido por Computador (CAD), Informática 02. Materiais para Construção Mecânica, Corrosão e Tribologia 03. Termodinâmica, Refrigeração, Transferência

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 215-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Instit. Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Ministério da Educação e Ciência - Direcção Geral do Ensino Superior

Leia mais

Nome da instituição Nome do curso Grau Vagas iniciais de 2013

Nome da instituição Nome do curso Grau Vagas iniciais de 2013 Nome da instituição Nome do Grau na 1.ª fase de pelo 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) Prep. Mestrado Integrado 15 15 155,8 0110 8085 Universidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Edital Nº 7/205 ANEXO II QUADRO DE VAGAS (RETIFICADO) CAMPUS SIGLA ÁREA PERFIL TOTAL ARRAIAL DO CABO DUQUE DE CAXIAS CAC Geografia Análise Instrumental Biologia Geral/ Bioquímica / Processos Bioquímicos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Edital Nº 7/205 ANEXO II QUADRO DE VAGAS CAMPUS SIGLA ÁREA PERFIL TOTAL ARRAIAL DO CABO CAC Geografia Licenciatura em Geografia. Análise Instrumental Química Industrial ou Engenharia Química ou Farmácia

Leia mais

Edital de Retificação nº 357, de 21 de novembro de 2013

Edital de Retificação nº 357, de 21 de novembro de 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA COMISSÃO PERMANENTE DE CONCURSOS PÚBLICOS PROFESSOR EFETIVO DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO

Leia mais

ANEXO II SALÁRIOS, CARGAS HORÁRIAS E REQUISITOS CARGO SALÁRIO* REQUISITOS

ANEXO II SALÁRIOS, CARGAS HORÁRIAS E REQUISITOS CARGO SALÁRIO* REQUISITOS ANEXO II SALÁRIOS, CARGAS HORÁRIAS E REQUISITOS ANALISTA I - ADMINISTRATIVO CARGO SALÁRIO* REQUISITOS ANALISTA I - BIBLIOTECA ANALISTA I - CONTABIL ANALISTA I - GRAVACAO MUSICAL ANALISTA I - SISTEMAS ANALISTA

Leia mais

PORTARIA SETEC/MEC N 01, DE 29 DE JANEIRO DE 2014

PORTARIA SETEC/MEC N 01, DE 29 DE JANEIRO DE 2014 PORTARIA SETEC/MEC N 01, DE 29 DE JANEIRO DE 2014 Altera a Portaria SETEC/MEC nº 20, de 27 de junho de 2013, que aprova a Tabela de Mapeamento de cursos técnicos para oferta no âmbito do Programa Nacional

Leia mais

Guia de Procedimento para o Enquadramento 2ª Etapa

Guia de Procedimento para o Enquadramento 2ª Etapa MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS COORDENAÇÃO GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS Guia de Procedimento para o Enquadramento 2ª Etapa Esplanada dos Ministérios

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EFETIVOS DO QUADRO DE PESSOAL DA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS/MG

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS EFETIVOS DO QUADRO DE PESSOAL DA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS/MG , CARGOS,, ESCOLARIDA/EXIGÊNCIAS,, S E TOTAL * ESCOLARIDA MÍNIMA EXIGIDA 01 Agente Apontador 02 Ensino Fundamental Completo. 511,50 30,00 02 Auxiliar de Educador/Cuidador 60 6 Ensino Fundamental Completo

Leia mais

ANEXO II - ESPECIFICAÇÕES DO FORNECIMENTO

ANEXO II - ESPECIFICAÇÕES DO FORNECIMENTO ANEXO II - ESPECIFICAÇÕES DO FORNECIMENTO GENERALIDADES A contratada se obriga a entregar todos os materiais, em único momento, na quantidade informada em cada Autorização de Fornecimento (AF). O pagamento

Leia mais

Ecologia Vegetal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Biológicas. 01 ADJ DE Graduação em Engenharia. Ecologia Animal 01 ADJ DE Graduação em Ciências

Ecologia Vegetal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Biológicas. 01 ADJ DE Graduação em Engenharia. Ecologia Animal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Resumo: 12 vagas para Professor Adjunto e 05 vagas para Professor Assistente Ecologia Vegetal 01 ADJ DE Graduação em Ciências Doutorado em Ecologia, Biologia Vegetal

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 (Atualizado a 17.04.2013) Universidade dos Açores Universidade do Algarve Ciências Biológicas e da Saúde

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 12/2012 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 1) Área de Conhecimento:

Leia mais

Programa para a Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade

Programa para a Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade Programa para a Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade Vestibular 2014 NÚMEROS DA UNESP Cidades: 24 Unidades: 34 Unidades Complementares: 7 Colégios Técnicos: 3 Carreiras: 69 CURSOS

Leia mais

Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 21

Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 21 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 8 1 0 9 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição (Preparatórios) PL 14

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Código Instit. Código Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Colocados Nota do últ. colocado (cont. geral) (1) (2)

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2010-1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2010-1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Código Código Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Localidade 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas

Leia mais

1. Gestão de Pessoas I e II (Administração Integrada ao Ensino Médio)

1. Gestão de Pessoas I e II (Administração Integrada ao Ensino Médio) 1. Gestão de Pessoas I e II (Administração Integrada ao Ensino Médio) Administração Administração (EII) Administração - Habilitação em Administração de Empresas Administração - Habilitação em Administração

Leia mais

Anexo I - Quadro de Vagas

Anexo I - Quadro de Vagas Anexo I - Quadro de Vagas A jornada de trabalho é de 40 horas semanais, exceto para os cargos de Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional, cuja carga horária semanal é de 30 horas; e para os cargos de Músico,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL N 08/2015 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO - MACAPÁ, SANTANA E MAZAGÃO ANEXO I - RELAÇÃO DAS VAGAS E REQUISITOS ESPECÍFICOS POR ÁREA DE

Leia mais

a) Só serão aceitos diplomas de cursos reconhecidos pelo MEC para os cursos de Ensino Superior, de graduação e pós-graduação stricto-senso.

a) Só serão aceitos diplomas de cursos reconhecidos pelo MEC para os cursos de Ensino Superior, de graduação e pós-graduação stricto-senso. INSTRUÇÃO NORMATIVA SRH Nº 01/2011 14 DE ABRIL DE 2011. Dispõe sobre os procedimentos para concessão do Incentivo à Qualificação. O SECRETÁRIO DE RECURSOS HUMANOS da Universidade Federal de Campina Grande

Leia mais

Ministério da Educação. Gabinete do Ministro

Ministério da Educação. Gabinete do Ministro Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 556, de 25 de fevereiro de 2005 (DOU nº 39, Seção 1 página 23, de 28/2/2005) O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições e tendo

Leia mais